Aplicativos, carreira, concursos, downloads, enfermagem, farmácia hospitalar, farmácia pública, história, humor, legislação, logística, medicina, novos medicamentos, novas tecnologias na área da saúde e muito mais!


quinta-feira, 27 de outubro de 2016

Inscrições abertas para o VIII Fórum Nacional sobre Medicamentos no Brasil

Estão abertas até o próximo dia 7 de novembro as inscrições gratuitas para o VIII Fórum Nacional sobre Medicamentos no Brasil. O evento será no auditório Antônio Carlos Magalhães do Interlegis - Senado Federal, no próximo dia 8 de novembro, das 9h às 14h


A oitava edição do Fórum Nacional sobre Medicamentos no Brasil terá como tema central “Estratégias para acesso a medicamentos essenciais”, entendendo a necessidade de propiciar um espaço para o conhecimento, a reflexão e o debate sobre o tema, objetivando o aprimoramento de políticas econômicas e sociais que auxiliem no alcance das Metas estabelecidas na Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável e garantam a consolidação das conquistas dos últimos anos e o avanço da assistência farmacêutica necessária e efetiva.

Serviço
Inscrição: 7/11/2016 por meio de formulário eletrônico

Público-alvo: Governos (Poder Legislativo, Executivo e Judiciário); Setor Privado (Indústrias e Comércio); Profissionais do Setor; Redes Virtuais;

Mídias Impressas; Instituições Nacionais e Internacionais; Centros de Pesquisa; Universidades e Terceiro Setor e demais interessados no tema Data: 8/11/2016

Local: auditório Antônio Carlos Magalhães do Interlegis - Senado Federal, em Brasília

Realização: Instituto Brasileiro de Ação Responsável

Coordenação: Agência de Integração à Saúde, Meio Ambiente e Desenvolvimento Social do Brasil - ÍntegraBrasil

Parceiros: Congresso Nacional; Ministério da Saúde; Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento - PNUD; Agência Íntegra Brasil e Interlegis

Dúvidas: (61) 3368-6044 / 3468-5696

Fonte:Comunicação Interna do Ministério da Saúde, com informações do Instituto Brasileiro de Ação Responsável

Fumo passivo está ligado a maior risco de AVC, segundo estudo

Quem vive com um fumante também é prejudicado por cigarro. Um a cada quatro não-fumantes nos EUA é exposto ao fumo passivo

O aumento do risco de acidente vascular cerebral (AVC) provocado pelo cigarro pode se estender também aos não-fumantes que vivem na mesma casa que fumantes e apenas respiram a fumaça do cigarro alheio, diz um estudo americano.

Pesquisadores descobriram que pessoas que nunca fumaram e tiveram AVC tinham quase 50% mais probabilidade de ter se exposto à fumaça de cigarro em casa do que pessoas que nunca tiveram AVC.

Durante o estudo, sobreviventes de AVC expostos ao fumo passivo também tiveram mais risco de morrer por qualquer causa em comparação àqueles que não eram fumantes passivos.

"O fumo passivo é um risco para todas as pessoas, mas aqueles com um histórico de AVC devem tomar cuidado adicional para evitá-lo", disse a principal autora do estudo, Michelle Lin, da Faculdade de Medicina Johns Hopkins, em Baltimore.


Um em cada quatro não-fumantes nos Estados Unidos são expostos ao fumo passivo, de acordo com os Centros de Prevenção e Controle de Doenças dos EUA (CDC). "Enquanto o risco de o fumo provocar AVC é conhecido há muito tempo, pouco se sabe sobre a relação entre o fumo passivo e o AVC", disse Lin.

Para explorar essa questão, a equipe do estudo avaliou informações de quase 28 mil pessoas que nunca fumaram e que participaram das Pesquisas Anuais Nacionais de Saúde e Nutrição. 

Os participantes foram recrutados entre 1988 e 1994 e depois entre 1999 e 2012. O estudo foi publicado na revista médica "Stroke".

De acordo com a pesquisadora Angela Malek, que estuda os riscos do fumo passivo na Universidade Médica da Carolina do Sul, nenhum nível de exposição à fumaça de cigarro é seguro. Além do AVC, adultos expostos ao fumo passivo também têm maior risco de doenças cardiovasculres e câncer de pulmão, enquanto as crianças podem ter asma e infecções.

"Limitar ou evitar áreas onde pessoas estão fumando é recomendado tanto para crianças quanto para adultos", disse Malek.

G1