Aplicativos, carreira, concursos, downloads, enfermagem, farmácia hospitalar, farmácia pública, história, humor, legislação, logística, medicina, novos medicamentos, novas tecnologias na área da saúde e muito mais!


terça-feira, 13 de setembro de 2011

Acupuntura: Indicações

A palavra "acupuntura" origina-se do latim, sendo que acus significa "agulha" e punctura significa "puncionar". A acupuntura se refere, portanto, à inserção de agulhas através da pele nos tecidos subjacentes, em diferentes profundidades e em pontos estratégicos do corpo para produzir o efeito terapêutico desejado.

A acupuntura faz parte do atendimento em Medicina Tradicional Chinesa.

O que pode-se tratar com acupuntura

Sistema Músculo-Esquelético e Reumatologia: dores ósteo-musculares, patologias miofasciais, tendinites, bursites, LER/DORT, fibromialgia, distensões musculares, coadjuvante em fraturas, dores crônicas pós-cirúrgicas, coadjuvante nas patologias do colágeno incluindo Lúpus (nas formas sistêmica e discóide), artrite reumatóide, doença de reiter, Síndrome de Sjogrem, amiloidose, cervicalgias, dorsalgias, lombalgias.

Sistema Genito-Urinário: impotência; coadjuvante na infecção urinária, cólica nefrética; coadjuvante em orquite aguda e crônica; coadjuvante em prostatite, distúrbios menstruais (alterações de ciclo, hemorragias, amenorréia, dismenorréia); coadjuvante em anexites e miometrites, alterações benignas da mama, miomas, dor pélvica crônica, leucorréias persistentes, hipoalgesia da dor de parto, indução de trabalho de parto, náuseas e vômitos da gravidez, parto prematuro.

Oncologia: coadjuvante, diminuindo a dor e melhorando as condições do sistema imunológico.

Sistema Circulatório: hipertensão arterial essencial, arritmias supra-ventriculares; coadjuvante nas varizes de membros inferiores.

Sistema Respiratório: asma, bronquite, infecção de vias aéreas superiores, enfisema pulmonar, amiloidose pulmonar; coadjuvante nas infecções agudas e crônicas.

Sistema Digestivo: dispepsias, esofagite de refluxo; coadjuvante em úlcera péptica e gastrite; coadjuvante em moléstia de Crohn e retocolite ulcerativa; coadjuvante em diarréias agudas e crônicas; coadjuvante em hepatites, sintomático na cólica biliar.

Sistema Nervoso: diminuição de memória, cefaléias, ansiedade, depressão; coadjuvante nas patologias degenerativas como esclerose múltipla, esclerose lateral amiotrófica, miastenia gravis, acidente vascular verebral (AVC)

Sistema Endócrino: hipotireoidismo, hipertireoidismo, alterações de ciclo menstrual

Perguntas Frequentes
Posso misturar outros tratamentos com a acupuntura?
Sim, é possível associar a acupuntura a outros tratamentos. Fisioterapia, remédios alopáticos, psicoterapia, homeopatia entre outros tratamentos são beneficiados pela associação com a acupuntura, ocorrendo desde a aceleração e a facilitação de processos terapêuticos até a redução das doses dos remédios utilizados.

O que não se deve fazer após uma sessão de acupuntura?
Mesmo depois da retirada das agulhas, os pontos continuam sendo estimulados por mais ou menos duas horas. Por isso, durante este período, evite molhar os pontos estimulados, ter relações sexuais, tomar bebidas alcoólicas, fazer trabalhos pesados ou comer excessivamente.

As agulhas são descartáveis?
Sim, as agulhas utilizadas são novas e descartáveis.

Uma aplicação de acupuntura é dolorida?
Geralmente não, pois as agulhas são muito finas e existe uma técnica para inserí-las. Nos pontos mais sensíveis é possível apenas sentir uma leve picada como um pequeno choque.

Como funciona e quanto tempo dura um tratamento com acupuntura?
Depende muito de cada caso. Geralmente, problemas físicos tais como dores nos ombros e tendinite levam entre 4 a 6 aplicações. Nos casos crônicos e nos problemas emocionais utilizamos métodos adicionais. A aplicação costuma ser semanal, entretanto em casos mais graves recomendamos a frequência de duas aplicações semanais.

Fonte institutouniao.com.br

Desenvolvido método para detectar pesticida em leite

Uma tese de doutorado desenvolvida no Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde (INCQS/Fiocruz) propõe um novo método para detectar, no leite bovino, a presença de um ingrediente ativo utilizado em agrotóxicos, conhecido como clorpirifós etil. “Trata-se de um kit simples, barato e de fácil aplicação, que permite ver, em apenas um dia, se o leite está ou não contaminado”, explica a autora do trabalho, a engenheira química Christina de Jesus Morais.

Os pesticidas são empregados na pecuária para combater, sobretudo, os carrapatos. Ao serem aplicados por meio do banho, esses produtos deixam uma toxina (o clorpíriflós-etil) na pele do animal, que envenena o parasita quando ele a pica. Contudo, ao lançar mão desse recurso o agricultor deve respeitar um período de carência, no qual não pode extrair leite de suas vacas sob o risco deste estar contaminado e ser considerado impróprio e perigoso para o consumo humano.

Ciente dessa situação, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) estabeleceu limites para a presença de clorpifós etil na gordura do leite. “Daí a importância de dispormos de recursos os mais diversos para monitorarmos e controlarmos sua qualidade”, diz Christina, que teve a ideia para a sua pesquisa a partir de sua rotina de trabalho no INCQS. Para chegar a seu método, Christina adaptou um kit de detecção de agrotóxicos na água. “Minha pesquisa consistiu em desenvolver um procedimento de extração dos ingredientes ativos dos pesticidas do leite, que é uma matriz muito mais complexa que a água, para depois submetê-los ao kit”, relata a engenheira, destacando que este foi idealizado por Mauro de Castro Faria, um de seus orientadores, médico e professor da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj).

Explicado de modo simples, a pesquisadora aplica solventes específicos no leite e obtém um resíduo, que é misturado a uma enzima (conhecida como acetilcolinesterase). Isso gera um extrato cuja cor é avaliada, denunciando ou não a presença do agrotóxico. Todo esse procedimento pode ser feito em apenas um dia, o que representa economia de tempo e de custo, já que o produto é considerado barato pela pesquisadora. Agora, Christina busca o reconhecimento de seu método pela Anvisa para estabelece-lo como alternativa. Seu trabalho chama-se Avaliação de método enzimático para monitorar a presença de agrotóxicos organofosforados em leite bovino e foi defendido com sucesso em 2009.

As consequências da ingestão de clorpirifós etil
O monitoramento do leite é considerado por especialistas como essencial para preservar a saúde da população, sobretudo por se tratar de alimento muito consumido por idosos e crianças, cuja saúde requer atenção redobrada. Quando acima dos limites permitidos por lei, a presença do clorpirifós etil no leite pode causar complicações. Essa substância atua no sistema nervoso, inibindo os neurotransmissores. Desse modo, um indivíduo que tenha ingerido leite por ela contaminado pode apresentar sintomas que vão desde simples sudorese e tremores, até um quadro mais grave, caracterizado por espasmos musculares, parada cardíaca e até óbito.

Fonte Agência Fiocruz

Paraíba: Entidades Médicas se unem contra privatização da Saúde

Entidades médicas da Paraíba estão unidas contra a privatização da gestão da saúde pública do Estado.

Nos últimos dois meses, o tema veio à torna após a terceirização, por parte do poder executivo, do maior hospital público do Estado, o Hospital de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena, em João Pessoa. Administrada pela Cruz Vermelha desde 6 de julho deste ano, a unidade hospitalar tem passado por diversas dificuldades, como superlotação, falta de equipamentos adequados, enxugamento do quadro de funcionários, além da redução de recursos para sua manutenção.

De acordo com o presidente do Conselho Regional de Medicina da Paraíba (CRM-PB), João Medeiros, a pactuação com as organizações sociais implica na transferência do que é público para o privado. “Medidas como esta ferem a Constituição Federal que determina que a saúde é direto de todos e dever do Estado”, destacou o presidente do CRM-PB.

Para agravar ainda mais o quadro da privatização da saúde do Estado, o Governo Municipal apresentou à Câmara de Vereadores o Projeto de Lei nº 1064/2011, que prevê a terceirização de serviços pelas Organizações Sociais (OS), em João Pessoa. A matéria já foi aprovada pelas Comissões de Constituição e Justiça (CCJ) e Políticas Públicas. Falta apenas o parecer da Comissão de Orçamento e Finanças.

João Medeiros acrescentou que a terceirização da saúde e de outros serviços de responsabilidade do Estado pode trazer diversos problemas. Entre os principais, ele destacou que as OS contratam bens e serviços, com recursos públicos, sem processo licitatório e sem os mecanismos de controle social que existem para administração pública. “O Tribunal de Contas, por exemplo, exerce muito pouco controle sobre as OS, e estas entidades contratam profissionais sem a realização de concursos públicos”, destacou o presidente do CRM-PB.

De acordo com João Medeiros, a classe médica e profissionais de outras áreas da saúde estão unidos para defender a gestão e serviços públicos de qualidade. “Não nos compete julgar a legalidade do contrato feito com a Cruz Vermelha, tampouco sua idoneidade. Queremos, sim, que o governo invista seus recursos no setor público, realize concursos e atue em defesa do SUS e do controle social”, disse João Medeiros.

Em vários estados do Brasil, as experiências com a terceirização da gestão da saúde e de outros serviços são preocupantes. De acordo com um relatório produzido pela Frente Nacional contra a Privatização da Saúde, formada por diversas entidades, inclusive pelo Fórum Paraibano em Defesa do SUS, entre 2008 e 2009, foi comprovado que os hospitais terceirizados, geridos por OS, custaram aos cofres públicos de São Paulo mais de 50% do que os hospitais administrados diretamente pelo setor público. Outro dado alarmante é que dos 34 hospitais de SP geridos pelas OS, apenas 22 divulgaram seus balanços de patrimônio, sendo 4 com saldo positivo e 18 com saldo negativo.

Posição do MPT – A experiência da administração do Hospital de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena pela Cruz Vermelha, uma Organização Social, tem deixado a classe médica preocupada. Há pouco mais de dois meses a entidade passou a gerenciar a unidade hospitalar e vários problemas estão sendo divulgados pela imprensa. De acordo com o Sindicato dos Médicos da Paraíba, desde que a Cruz Vermelha assumiu, 150 servidores foram demitidos.

Recentemente, o Ministério Público do Trabalho decidiu analisar a legalidade do contrato de administração do hospital pela Cruz Vermelha. De acordo com o procurador chefe do Ministério Público do Trabalho Eduardo Varandas, a terceirização da administração do Trauma é ilegal e contraria a Constituição e as orientações do Tribunal Superior do Trabalho.

Projeto de lei – No dia 5 de setembro, o presidente do CRM-PB, João Medeiros, participou de uma reunião da Comissão de Finanças e Orçamento (CFO), presidida pelo vereador Tavinho Santos (PTB), que debateu o Projeto de Lei (PL), encaminhado pelo Executivo Municipal, que dispõe sobre a qualificação de entidades como organizações sociais no âmbito do município de João Pessoa e sua vinculação contratual com o poder público municipal.

Durante a reunião, foram discutidos diversos problemas que podem ser gerados com a aprovação do Projeto, como a falta de controle social, a compra sem licitação e a inexistência de concursos públicos, além do aumento dos custos operacionais em no mínimo 50%.

Representantes de diversas categorias da área de saúde participaram da reunião e foram unânimes ao relatar suas preocupações em relação a terceirização da saúde na cidade e no Estado como um todo. O presidente do CRM-PB destacou a preocupação da entidade em relação a possível aprovação do projeto. “Se a matéria for aprovada, o setor privado terá o controle do patrimônio, bens, serviços, servidores e orçamento. O público será entregue ao privado”, disse João Medeiros.

Fonte CFM

Paraíba: Entidades Médicas se unem contra privatização da Saúde

Entidades médicas da Paraíba estão unidas contra a privatização da gestão da saúde pública do Estado.

Nos últimos dois meses, o tema veio à torna após a terceirização, por parte do poder executivo, do maior hospital público do Estado, o Hospital de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena, em João Pessoa. Administrada pela Cruz Vermelha desde 6 de julho deste ano, a unidade hospitalar tem passado por diversas dificuldades, como superlotação, falta de equipamentos adequados, enxugamento do quadro de funcionários, além da redução de recursos para sua manutenção.

De acordo com o presidente do Conselho Regional de Medicina da Paraíba (CRM-PB), João Medeiros, a pactuação com as organizações sociais implica na transferência do que é público para o privado. “Medidas como esta ferem a Constituição Federal que determina que a saúde é direto de todos e dever do Estado”, destacou o presidente do CRM-PB.

Para agravar ainda mais o quadro da privatização da saúde do Estado, o Governo Municipal apresentou à Câmara de Vereadores o Projeto de Lei nº 1064/2011, que prevê a terceirização de serviços pelas Organizações Sociais (OS), em João Pessoa. A matéria já foi aprovada pelas Comissões de Constituição e Justiça (CCJ) e Políticas Públicas. Falta apenas o parecer da Comissão de Orçamento e Finanças.

João Medeiros acrescentou que a terceirização da saúde e de outros serviços de responsabilidade do Estado pode trazer diversos problemas. Entre os principais, ele destacou que as OS contratam bens e serviços, com recursos públicos, sem processo licitatório e sem os mecanismos de controle social que existem para administração pública. “O Tribunal de Contas, por exemplo, exerce muito pouco controle sobre as OS, e estas entidades contratam profissionais sem a realização de concursos públicos”, destacou o presidente do CRM-PB.

De acordo com João Medeiros, a classe médica e profissionais de outras áreas da saúde estão unidos para defender a gestão e serviços públicos de qualidade. “Não nos compete julgar a legalidade do contrato feito com a Cruz Vermelha, tampouco sua idoneidade. Queremos, sim, que o governo invista seus recursos no setor público, realize concursos e atue em defesa do SUS e do controle social”, disse João Medeiros.

Em vários estados do Brasil, as experiências com a terceirização da gestão da saúde e de outros serviços são preocupantes. De acordo com um relatório produzido pela Frente Nacional contra a Privatização da Saúde, formada por diversas entidades, inclusive pelo Fórum Paraibano em Defesa do SUS, entre 2008 e 2009, foi comprovado que os hospitais terceirizados, geridos por OS, custaram aos cofres públicos de São Paulo mais de 50% do que os hospitais administrados diretamente pelo setor público. Outro dado alarmante é que dos 34 hospitais de SP geridos pelas OS, apenas 22 divulgaram seus balanços de patrimônio, sendo 4 com saldo positivo e 18 com saldo negativo.

Posição do MPT – A experiência da administração do Hospital de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena pela Cruz Vermelha, uma Organização Social, tem deixado a classe médica preocupada. Há pouco mais de dois meses a entidade passou a gerenciar a unidade hospitalar e vários problemas estão sendo divulgados pela imprensa. De acordo com o Sindicato dos Médicos da Paraíba, desde que a Cruz Vermelha assumiu, 150 servidores foram demitidos.

Recentemente, o Ministério Público do Trabalho decidiu analisar a legalidade do contrato de administração do hospital pela Cruz Vermelha. De acordo com o procurador chefe do Ministério Público do Trabalho Eduardo Varandas, a terceirização da administração do Trauma é ilegal e contraria a Constituição e as orientações do Tribunal Superior do Trabalho.

Projeto de lei – No dia 5 de setembro, o presidente do CRM-PB, João Medeiros, participou de uma reunião da Comissão de Finanças e Orçamento (CFO), presidida pelo vereador Tavinho Santos (PTB), que debateu o Projeto de Lei (PL), encaminhado pelo Executivo Municipal, que dispõe sobre a qualificação de entidades como organizações sociais no âmbito do município de João Pessoa e sua vinculação contratual com o poder público municipal.

Durante a reunião, foram discutidos diversos problemas que podem ser gerados com a aprovação do Projeto, como a falta de controle social, a compra sem licitação e a inexistência de concursos públicos, além do aumento dos custos operacionais em no mínimo 50%.

Representantes de diversas categorias da área de saúde participaram da reunião e foram unânimes ao relatar suas preocupações em relação a terceirização da saúde na cidade e no Estado como um todo. O presidente do CRM-PB destacou a preocupação da entidade em relação a possível aprovação do projeto. “Se a matéria for aprovada, o setor privado terá o controle do patrimônio, bens, serviços, servidores e orçamento. O público será entregue ao privado”, disse João Medeiros.

Fonte CFM

Pesquisa comprova que chá verde é aliado contra obesidade

Um estudo científico comprovou o conhecimento popular: o chá verde é bom aliado na luta contra a obesidade.

Gabrielle Aparecida Cardoso, aluna do programa de pós-graduação de Ciência e Tecnologia dos Alimentos da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (USP/Esalq), realizou o estudo com apoio da bolsa de mestrado da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).

A pesquisa, orientada pela professora Jocelem Mastrodi Salgado, do Departamento de Agroindústria, Alimentos e Nutrição (LAN), comparou a taxa metabólica de mulheres com sobrepeso e obesidade grau I, pré e pós consumo de chá verde aliado ou não à prática de exercício físico e avaliou a aceitabilidade da bebida, bem como possíveis reações adversas causadas pelo seu consumo. As informações são da assessoria de imprensa da Esalq.

Segundo a pesquisa, o chá verde é a segunda bebida mais consumida no mundo e contém grande quantidade de compostos que proporcionam uma série de benefícios à saúde. Dentre eles, a redução do risco de doenças cardiovasculares e de alguns tipos de câncer, melhoria das funções fisiológicas, efeito antihipertensivo, proteção ultravioleta, aumento da densidade mineral óssea, entre outras.

A pesquisa ainda reforça que a ingestão do extrato também suprime a utilização de carboidrato, que gera aumento na quantidade de glicogênio no músculo, auxiliando o aumento da resistência na corrida, e por se ter menos lactato, há uma maior disposição física para continuar o exercício físico.

O estudo avaliou os efeitos do consumo de chá verde e da prática ou não de exercício físico resistido sobre a Taxa Metabólica de Repouso (TMR) e a composição corporal em mulheres com índice de massa corporal entre 25 a 35 kg/m. As voluntárias foram divididas em quatro grupos e durante dois meses seguiram o protocolo de pesquisa. As voluntárias do grupo 1 tomaram chá verde, enquanto as do grupo 2 tomaram placebo. As do grupo 3 tomaram chá verde e exercitaram-se enquanto que as do grupo 4, tomaram placebo e exercitaram-se.

Resultados – Os resultados mostraram que o grupo 1 perdeu uma quantidade de peso relevante para o período de estudo (- 5,7 kg em média) com manutenção da massa magra. O grupo 2, utilizando placebo, não perdeu peso, ganhou massa gorda e perdeu massa magra. Quanto ao grupo 3 (chá verde + exercício físico de resistência) teve sua composição corporal modificada apresentando maior perda de gordura, maior ganho de massa muscular, maior aumento da força muscular e redução dos níveis de triglicérides superiores aos apresentados pelo grupo 4 (placebo + exercícios físicos de resistência).

De acordo com a pesquisadora Gabrielle, o consumo de chá verde pode ser um aliado alimentar para a perda de peso e diminuição da gordura corporal. “Seu consumo aliado à prática de exercício físico auxilia na redução do triglicérides, ganho de força muscular, ganho de massa magra e na redução da massa gorda”, explica. Além de proporcionar uma mudança na composição corporal, o consumo do produto, aliado à prática de exercícios físicos, auxilia na utilização da gordura corporal como fonte de energia e no aumento da massa magra. “O aumento da força muscular é maior quando o chá verde é consumido anterior à prática dos exercícios propostos”, conclui a autora do trabalho, de acordo com texto de divulgação.

Epidemia – A obesidade é um dos problemas mais graves do mundo industrializado. Considerada uma epidemia mundial, a doença crônica favorece o aumento de complicações associadas ao excesso de peso corporal e o aparecimento de doenças como diabetes, câncer, hipertensão arterial, hipercolesterolemia, cardiopatias, acidente vascular cerebral e depressão. Caracterizada pelo excesso de tecido adiposo no organismo, é influenciada pela ingestão inadequada de alimentos, fatores genéticos, ambientais, emocionais e psicossociais.

As taxas de sobrepeso dos brasileiros aumentaram significativamente nos últimos quatro anos. Segundo o Ministério da Saúde, analisando um grupo de 54 mil pessoas adultas, revelou-se que 51% dos homens e 42,6% das mulheres estavam acima do peso adequado. Entre as crianças, os índices são mais assustadores, cerca de 16% dos meninos e 12% das meninas com idades entre 5 e 9 anos são hoje obesas no país, quatro vezes mais do que há 20 anos.

Fonte Estadão

Remédios de antigamente nº 11: Pedra nos rins

Para tratar essa doença os "curas" medievais atacavam o órgão errado, a bexiga [e aqui está um exemplo da nociva falta de conhecimento de anatomia], e atacavam mesmo, usando força bruta!

Tendo uma pessoa forte disponível [é um assistente!], faça-a sentar em um banco e que ponha os pés em um escabelo [banqueta]. O paciente sentará no colo desse "assistente", de frente para ele, e que coloque as pernas nos ombros, cruzados os pés em torno no pescoço do ajudante, onde serão atadas com uma faixa de tecido de modo que fique bem firmes sobre os ombros. Feito isso, o "médico" posicionado atrás do paciente, vai inserir dois! dedos da mão direita no ânus [do infeliz]; ao mesmo tempo, usará a mão esquerda para pressionar a púbis [do desgraçado].

[É um exame de tato]. Encaixe os dedos na região da bexiga [o baixo ventre] e pressione de cima, tateando e consultando as impressões do "condenado". Se, com o tato, o "medico" identificar um volume, que pode ser esférico ou irregular, é a pedra. Sendo assim, o paciente deve ser preparado para a extração: fará jejum durante dois dias.

No terceiro dia, colocando-se na mesma posição melindrosa e tendo o médico se posicionado novamente [como da primeira vez] localizará a pedra, usando as mão,s conforme foi indicado, conduzirá o objeto até o "pescoço" da bexiga [a uretra] e dali até o orifício de entrada da bexiga, sempre trabalhando na "retaguarda" com a mão direita, empurrando, até tornar a pedra acessível a um instrumento comprido com qual será feita a remoção.

Fonte sofadasala

Medicamentos antigos: Família Xantinon

       
XANTINON COMPLEX 400MG + 530MG + 500MG / 10 ML SOLUÇÃO ORAL 100 ML

Dicionário de termos médicos: N

NANISMO: Qualidade de anão; desenvolvimento anormal do corpo.

NARCOLEPSIA: Tendência incontrolável a crises de sono profundo.

NARCOMANIA: Vício ou uso de entorpecentes.

NARCOSE: Sono artificial, com diminuição ou abolição de reflexos, torpor, inconsciência produzida por uma droga narcótica.

NARCÓTICO: Droga que alivia a dor ou induz ao sono ou torpor.

NÁUSEA: Desconforto gástrico, acompanhado de impulso, para vomitar.

NECROFILIA: Atração sexual pelos cadáveres.

NECROPSIA: Exame de um organismo morto.

NEFRECTOMIA: Intervenção cirúrgica que consiste na retirada de um rim, irremediável comprometido.

NEFRITE: Estado morbido de tipo inflamatório ou degenerativo que afeta o rim; e caracterizada por sintomas de disfunção renal, edema e hipertensão.

NEULOGISMO: 1. Palavras sem nexo ou sentido produzidos pelo paciente. 2. Criação de novos termos ou inovação nao convecional de vocabulário.

NEOPLASMA: Crescimento recente e anormal de células ou tecidos.

NEURASTENIA: Esgotamento nervoso a noite.

NILISMO: 1. Em medicina - pessimismo quanto a eficacia do tratamento. 2. Em psiquiatria - essencia de ilusões encontradas nos estados de depressão ou melancolia. O paciente insiste em que seus orgãos internos nao existem mais e que seus parentes ja morreram.

NISTAGMO: Movimentos involuntários rápidos, do globo ocular nos sentidos vertical, rotatório e lateral.

NOSO: Expressao que indica moléstia.

NOOSOCÔMICO: 1. Hospital. 2. Referente a moléstia produzida ou agravada pela vida hospitalar.

NOSOLOGIA: Estudo das doenças.

NULÍPARA: Mulher que nunca deu a luz.

Cirrose hepática atinge dois em cada 10

As principais causas da doença são o uso diário e abusivo de bebidas alcoólicas

Os pacientes com cirrose hepática representam 20% dos mais de mil atendimentos ambulatoriais do serviço de hepatologia do Hospital de Transplantes do Estado de São Paulo - responsável pelo levantamento-, unidade da Secretaria de Estado da Saúde.

Dentre as principais causas da doença está o uso abusivo e diário de bebidas alcoólicas. O álcool inflama e destrói gradualmente as células do fígado e, consequentemente, fica tomado por pequenas cicatrizes, causando a cirrose hepática. Estima-se que em torno de 15% dos alcoólatras cheguem a esta etapa em um período entre 10 e 15 anos de dependência.

“O acompanhamento com o especialista e a aderência ao tratamento medicamentoso retardam a evolução da patologia, mas é fundamental que o doente não faça a ingestão de nenhum tipo de bebida alcoólica, nem em pequena quantidade”, destaca o médico coordenador do serviço, Carlos Baia.

As complicações decorrentes da doença podem acontecer lentamente e desencadear o acúmulo de água na barriga, inchaço nas pernas, confusão mental, ou com desenvolvimento de câncer no fígado e hemorragias digestivas.

Hepatites virais,do tipo C, geralmente desencadeiam a cirrose. Por isto é importante realizar o teste laboratorial através do exame de sangue. “Prevenção é sempre a melhor escolha. Além disso, esse tipo é o mais silencios, tornando mais difícil o combate à doença. Por isso a necessidade de um diagnóstico precoce”, explica o hepatologista.

O transplante de fígado só é indicado em casos muito graves, quando o paciente já está com as funções vitais totalmente comprometidas.

"Uma das características do álcool é induzir tolerância e a pessoa precisa de uma quantidade cada vez maior para sentir o mesmo efeito de 'relaxamento' inicial”, finaliza Baia.

Fonte Band

Como tratar a voz fina de um homem

Especialistas dá dicas para resolver o problema

Homem de voz fina é algo que muitas pessoas estranham, principalmente por muitos deles serem altos e barbados, símbolo de masculinidade para a sociedade.

Confira:

Motivos
A voz fina deve ser corrigida ainda na adolescência, esclarece Silvia. “A maioria dos casos são meninos que crescem rapidamente e ficam com uma voz grossa, diferente dos demais. Para evitar brincadeiras, eles começam a usar uma voz de falsete, disfarçando o tom grave e prejudicando a sua corda vocal.”

Segundo Silvia, os pais devem ficar atentos às mudanças na voz do filho, principalmente se ele tiver na faixa etária dos 13 anos.

“A corda vocal demora de um a seis meses para mudar. Caso passe um ano e não houver alterações no tom e na voz, é necessário procurar um especialista, fonoaudiólogo e um laringologista para saber o que aconteceu e descobrir o que se deve fazer. Existem problemas de má formação da laringe, muco vocal e até falha no crescimento hormonal.”

Tratamento
“Se o problema for funcional são feitos exercícios que abaixam o gogó e a laringe, facilitando a emissão de sons graves. Normalmente este tratamento dura de quatro a seis sessões. Outra opção é o tratamento cirúrgico, tireoplastia, que faz um afrouxamento da prévia vocal. Vale lembrar que é sempre importante tentar os exercícios em primeiro caso, afinal eles são menos prejudiciais e naturais para a voz.”

Tipos de casos:
Falsete mutacional: o garoto que não expressa a voz grossa de modo algum, sempre segurando-a através de um falsete.

Muda vocal incompleta: quando a voz muda, mas continua meio fina, ou seja, uma voz intermediária entre a masculina e a feminina.

Muda vocal atrasada: ao invés da mudança da voz acontecer por volta dos 13 anos ela acontece em uma idade mais elevada.

Experiência
Para Henrique Carvalho, de 29 anos, ter a voz fina durante a sua adolescência foi algo muito incômodo e que lhe obrigou a procurar um especialista.

“Quando eu era adolescente tinha a voz bem fina e isso me deixava com muita vergonha, principalmente por ser alvo de brincadeiras. Com isso procurei um pediatra, que me recomendou alguns métodos para melhorar isto.”

Ele conta que com exercícios simples sua voz melhorou, não lhe causando mais incômodos. “O especialista me passou alguns exercícios de voz. Eles me ajudaram consideravelmente. Acredito que hoje a minha voz é normal. No entanto, quando eu vejo alguém com voz fina eu penso: nossa eu falava assim? Não é a toa que hoje estou feliz e satisfeito com a minha voz”, finaliza Henrique, que recomenda que todos que não estiverem felizes com as suas vozes procurem um especialista para ver o que realmente acontece.

Fonte Band

Combata a retenção de líquidos com massagem e drenagem linfática

Tratamentos evitam o aumento da celulite e o inchaço do corpo

Drenagem linfática é um tipo de massagem que tenta drenar líquidos e toxinas acumulados no corpo encaminhando-os suavemente até os gânglios localizados na virilha, axilas e pernas. A retenção destes líquidos contribui para o aumento da celulite e do inchaço. Mas, segundo a massoterapeuta e esteticista Marina Soares Fressato, este tipo de procedimento isolado não é capaz de produzir efeitos estéticos ou redução de medidas. "Eu aconselho sempre o casamento entre a drenagem linfática e a massagem modeladora, porque uma complementa o trabalho da outra".

O procedimento modelador é mais intenso e repetitivo. Ele ativa a circulação sanguínea e, com o aquecimento provocado, dilata vasos e proporciona maior permeabilidade da membrana celular. Ou seja, as células de gordura se tornam mais solúveis, há aumento na fluidez dos líquidos do corpo, o que facilita o trabalho posterior da drenagem linfática. Aquecidos e mais diluídos, todos os fluidos transitam melhor pelas linfas.

Segundo Marina, o sistema linfático se ativa através de movimento: uma pessoa muito sedentária, com excesso de gordura localizada, tende a dificultar a circulação linfática e, com isso, corre mais riscos de ter acúmulo de líquidos e toxinas que causam a celulite.

"Quando estes líquidos tóxicos não são drenados e ficam parados, eles começam a condensar, ficando viscosos até se solidificarem. Isso repuxa as fibras de colágeno e elastina formando os famosos furinhos na pele", explica a especialista. Ao combater a celulite, a pele fica mais hidratada e irrigada. Além disso, a massagem ajuda no funcionamento do sistema urinário e digestivo.

A drenagem também é muito utilizada para combater o inchaço pós-cirúrgico. Mas, atenção, é contraindicada em quem tem varizes ou problemas de coagulação do sangue, distúrbios renais, quadros infecciosos, tromboses e tumores.

Grávidas podem se beneficiar com os resultados deste procedimento, mas, antes de tomar qualquer decisão, consulte um médico para que avalie suas condições.

Fonte Minha Vida

Causas da retenção de líquido

Inchaço corporal pode aparecer devido a várias doenças

 

Fonte Minha Vida

Doenças não infecciosas custarão metade do PIB mundial, diz OMS

A luta contra as doenças não infecciosas custará 48% do PIB mundial, declarou nesta terça-feira em Baku (Azerbaijão) a secretária-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Margaret Chan.

- Nos próximos 20 anos, a luta contra as doenças não infecciosas custará ao mundo mais de US$ 30 trilhões, 48% de seu PIB.

Margaret afirmou ainda que estas doenças destroem o lucro dos países.

- É preciso trabalhar na prevenção e curar as pessoas, mas não podemos eliminar as causas sociais de sua aparição, que são o ar contaminado, a água, o estresse e os produtos alimentícios de má qualidade.

A secretária-geral do organismo internacional destacou que a OMS deve influir nas indústrias alimentícias para que estas reduzam o sal e o açúcar em seus produtos, "com especial atenção à saúde das mães e das crianças".

Fonte R7

Suplementos de óleo de peixe atrapalham tratamento contra o câncer

Estudo diz que esses produtos reduzem o poder da quimioterapia

Os ácidos graxos ômega 3 e 6 podem reduzir a capacidade da quimioterapia de atacar tumores. Por isso, pacientes com câncer não devem ingeri-los, segundo estudo de cientistas holandeses.

Os suplementos de óleo de peixe, ricos nestes ácidos graxos, são amplamente vendidos em todo o mundo e promovidos como uma forma de melhorar a saúde cardíaca e cerebral.

No entanto, cientistas do Centro Médico de Utrecht (UMC Utrecht), da Universidade da Holanda, dizem que ácidos graxos similares bloquearam o efeito de um determinado tipo de quimioterapia em testes com animais.

Emile Voest, oncologista do UMC Utrecht, diz que, enquanto não forem feitos novos estudos sobre o assunto, o recomendável é que “esses produtos não sejam utilizados por pessoas em tratamento com quimioterapia”.

Voest supervisionou a pesquisa, que demonstrou que um tipo de quimioterapia, chamada cisplatina, usada com frequência para tratar cânceres de pulmão, bexiga, ovário e testículo, se torna impotente com a presença de dois tipos de ácidos graxos produzidos pelas células-tronco no sangue.

Esses ácidos graxos, conhecidos como PIFAs, são produzidos pelo corpo e também estão presentes nos suplementos de óleo de peixe.

Em testes realizados em ratos com tumores na pele, os cientistas descobriram que os animais que receberam injeções de ácidos graxos, em quantidades descritas como "uma quantidade normal de óleo de peixe", se tornaram insensíveis à quimioterapia.

Fonte R7

Entenda a importância da vacinação para bebês prematuros

Recém-nascidos devem seguir cronograma de vacinação mesmo com saúde prejudicada

Mesmo o recém-nascido prematuro precisa tomar vacinas para ficar imune de doenças. A saúde mais frágil não deve impedir a vacinação, mesmo se o bebê ainda estiver no hospital, segundo Renato Kfouri, presidente da Sociedade Brasileira de Imunização.

De acordo Kfouri, os prematuros correm mais risco de ter doenças e são os que mais precisam tomar as vacinas do tempo correto, de acordo com a idade. Ele dá como exemplo a vacina da hepatite B, cujos prematuros precisam tomar quatro doses, em vez de três, como o padrão.

Sem as vacinas, os prematuros correm mais risco de adquirirem gripe, pneumonia, coqueluche e infecções virais.

Veja o vídeo.

Assista:



 

Fonte R7

Soneca após o almoço melhora o desempenho escolar de estudantes

Homem, dorme, sono, computador, 300 338
Pesquisa mostra que pausa por 15 a 30 minutos se reflete em melhoria de 10% na escola

Jovens que dormem à tarde, após o almoço, fazem com que seu desempenho escolar melhore em 10%.

A conclusão é de um estudo da Universidade de Berkeley, na Califórnia, Estados Unidos.

Os cientistas comprovaram que uma soneca de 15 a 30 minutos após o almoço pode aumentar o aprendizado e a memorização.

Segundo os especialistas, o cochilo nesse período do dia é uma necessidade fisiológica devido ao processo de digestão. Nessa hora, o sangue se torna menos ácido, o que dá uma sensação de sonolência.

Outro fator que provoca sono após às refeições é a diminuição corporal que ocorre nessa faixa do dia, levando o corpo a entrar no ritmo do sono.

Os médicos não aconselham que se durma entre duas ou três horas após o almoço. Segundo eles, a soneca não deve ultrapassar os 30 minutos. Mais do que esse tempo, pode provocar insônia.

Fonte R7

Microchip implantado no corpo pode monitorar câncer

Cientistas alemães desenvolveram um sensor de microchip que pode ser implantado perto de um tumor para monitorar o seu crescimento.

O dispositivo controla os níveis de oxigênio nos tecidos próximos para detectar se um tumor está em expansão. Os resultados são então transmitidos sem fio para o médico de um paciente, reduzindo a necessidade de exames hospitalares frequentes.

Os pesquisadores esperam que a novidade leve a tratamentos menos agressivos e mais direcionados. O dispositivo é uma forma de acompanhar e tratar tumores que são difíceis de alcançar, ou que é melhor deixar no lugar.

“Há alguns tumores que são difíceis de remover, por exemplo, perto da espinha. Você corre o risco de cortar um nervo se removê-lo cirurgicamente. Ou o problema pode ser que o tumor está crescendo lentamente, mas o paciente é idoso”, disse o gerente do projeto, Sven Becker. “Nesses casos, é melhor monitorar o tumor, e só tratá-lo se houver uma fase forte de crescimento”.

O sensor é implantado ao lado de um tumor, e mede a concentração de oxigênio dissolvido no líquido dos tecidos próximos. Se o número cai, pode indicar crescimento agressivo, e os médicos são alertados.

“O chip microeletrônico tem um conjunto de eletrodos que detectam saturação de oxigênio. Ele transmite esses dados para uma unidade externa de recebimento, como uma pequena caixa que você carrega no seu bolso”, explica Becker. “De lá, os dados vão para o computador do médico, que pode decidir se a atividade do tumor está piorando”.

No futuro, o projeto incluirá uma bomba de medicação que pode entregar drogas diretamente na área afetada. A bomba de medicação no chip pode liberar drogas quimioterápicas perto de um tumor, se o tratamento for necessário.

Dessa forma, os cuidados se tornam mais eficazes e menos tóxicos para pacientes com câncer. “Na quimioterapia tradicional, as drogas correm por todo o corpo, o que pode ter efeitos secundários terríveis. A bomba no chip pode aplicar quantidades microscópicas diretamente no tumor, tratando mais rapidamente e com menos efeitos colaterais, porque é local”, argumenta Becker.

O desenvolvimento do chip ainda está em estágios iniciais, mas os pesquisadores esperam ter um dispositivo pronto para uso médico em dez anos.

Fonte hyperscience.com

Como se livrar do chulé

Seja você um atleta usando um tênis de corrida, ou uma bailarina em sapatilhas delicadas, quando tirar os sapatos… eca! Toda a sala vai cheirar o chulé de seu pé.

Segundo a Dra. Keri Peterson, pés fedidos são culpa de bactérias que se desenvolvem quando eles suam. “Então, o objetivo para se livrar do cheiro é diminuir o suor ou diminuir as bactérias”, explica.

E como fazer isso? Para diminuir as bactérias, lave seus pés com sabonete antibacteriano, e tente aplicar bicarbonato de sódio dentro dos seus sapatos ou das meias.

Para diminuir o suor, use meias feitas de material respirável. Por exemplo, algodão em vez de nylon. Use sapatos que são bem ventilados, e dê a cada par de algum tempo para secar antes de colocar os pés lá dentro novamente. Você poderia até tentar aplicar um antitranspirante – sim, um desodorante, como o para suas axilas – nas solas dos seus pés.

Fonte hyperscience.com

Antidepressivos podem estreitar as artérias

Uma pesquisa da Universidade Emory, em Atlanta, afirma que o uso constante e excessivo de medicamentos antidepressivos ajuda a estreitar os vasos sanguíneos.

Essa tendência influencia diretamente o risco de ataques cardíacos e derrame, motivo pelo qual essa pesquisa gerou preocupação e ganhou destaque em um congresso de cardiologia realizado recentemente nos EUA.

O estudo chegou a um numero exato: usar remédios contra a depressão causa um encolhimento de 370 micra (mícron é medida de alta definição usada na medicina) na artéria carótida, o que representa 5% da espessura. Essa média foi tirada de exames com 500 americanos de 55 anos de idade, usuários de medicamento antidepressivo.

Uma comparação interessante foi feita com 59 pares de gêmeos, onde um dos irmãos fazia uso desses remédios e o outro não. Aqueles que tomam o medicamento tiveram 41 micra de encolhimento a mais. Os médicos se perguntaram se o encolhimento da artéria carótida não era fruto da depressão em si, e não do medicamento. Mas até agora não se encontrou evidências de que a depressão seja parte no processo.

O que se teoriza é que o estreitamento dos vasos seja um problema hormonal. Como o medicamento antidepressivo libera quantidades, no cérebro, de substâncias que em excesso estimulam o encolhimento arterial. Mas isso não significa, como explica um dos pesquisadores, que você não deva de nenhuma maneira tomar antidepressivos. Depende de cada caso.

Fonte hyperscience.com

Prefeitura de Floreal – SP abre concurso público

Estão abertas as inscrições para o concurso público da Prefeitura de Floreal, Estado de São Paulo. O concurso de Floreal oferece 14 vagas de nível fundamental, médio e superior, com remuneração de até R$ 2.044,76.

Serão destinadas 5% das vagas a pessoas portadoras de deficiência.

Cargos
Ajudante Geral Masculino, Agente Visitador da SUCEN, Operador de Máquinas, Tratorista, Inspetor de Alunos, Eletricista, Assistente Administrativo, Professor, Enfermeiro e Fisioterapeuta.

Inscrição
As inscrições serão realizadas exclusivamente através de Formulário de Inscrição, disponível no endereço eletrônico http://www.personacapacitacao.com/, até às 22h do dia 20 de setembro de 2011.

As taxas de inscrições são de R$ 30,00 e 60,00.

Prova
As Provas objetivas serão realizadas em data, local e horário a serem divulgados após a homologação das inscrições, no Quadro de avisos da Prefeitura de Floreal, no site da Prefeitura Municipal: http://www.floreal.sp.gov.br/, e no endereço eletrônico da empresa PERSONA CAPACITAÇÃO ASSESSORIA E CONSULTORIA – LTDA: http://www.personacapacitacao.com/.

Validade
O concurso da prefeitura de Floreal terá validade de 02 anos, contados da data de homologação do resultado final, podendo ser prorrogado pelo prazo máximo de 2 anos, a critério exclusivo da Prefeitura de Floreal.

Fonte: Prefeitura de Floreal – SP abre concurso público | Concursos no Brasil

Concurso Prefeitura de Botelhos (MG) 2011

A Prefeitura de Botelhos, Estado de Minas Gerais, publicou edital de concurso público e processo seletivo destinado ao provimento de vagas. O concurso de Botelhos oferece 165 vagas em cargos de nível fundamental, médio/técnico e superior. Os salários variam entre R$ 546,48 e R$ 9.076,32.

Serão reservadas 5% das vagas a portadores de deficiência.

Candidatos que tem o Ensino Fundamental podem concorrer ao cargo de Agente Condutor, Agente Especializado, Agente Operacional, Auxiliar Escolar, Condutor Escolar, Motorista da Saúde, Agente Fiscal, Assistente Técnico em Saúde, Fiscal em Saúde, Auxiliar de Consultório Dentário e Monitor Escolar.

Quem tem o Ensino Médio pode disputar a vaga de Auxiliar de Enfermagem, Monitor Escolar II, Secretário Escolar, Agente Administrativo II, Assistente Técnico em Saúde II.

Para quem possui o Nível Superior as chances são para Cirurgião Dentista, Enfermeiro, Médico, Veterinário, Agente de Controle Interno I, Agente Administrativo IV, Agente Social III, Especialista em Saúde I, Professor III e Pedagogo I.

Inscrições
As inscrições estarão abertas no período de 31 de outubro a 30 de novembro de 2011, no horário das 12h00 às 18h00, na sede da Prefeitura Municipal de Botelhos, sita à Praça São Benedito, nº 131 – Bela Vista – Botelhos/MG ou através do site http://www.consesp.com.br/.

As taxas de inscrições variam de R$ 16,90 a R$ 272,29, de acordo com o cargo.

Provas
As provas serão realizadas no dia 18 de dezembro de 2011, às 8h00, em locais a serem divulgados através de Edital próprio que será afixado no local de costume da Prefeitura, através de jornal com circulação no município e através do site http://www.consesp.com.br/, com antecedência mínima de 3 dias.

O gabarito oficial e a prova objetiva serão disponibilizados no site http://www.consesp.com.br/, a partir das 18h da terça-feira subsequente à data da aplicação da prova e permanecerão no site pelo prazo de 3 dias úteis.

Validade
A validade do concurso de Botelhos será de 02 anos e o processo seletivo de 01 ano, ambos contados a partir da homologação final dos resultados, podendo haver prorrogação por igual período, a critério da Administração.

Fonte: Concurso Prefeitura de Botelhos (MG) 2011 | Concursos no Brasil