Aplicativos, carreira, concursos, downloads, enfermagem, farmácia hospitalar, farmácia pública, história, humor, legislação, logística, medicina, novos medicamentos, novas tecnologias na área da saúde e muito mais!


domingo, 20 de outubro de 2013

Pesquisa de Oxford sugere que beijo ajuda a selecionar e manter parceiros

Beijo ajuda a escolher e a manter parceiros e se torna mais importante com o aprofundamento da relação
Beijo ajuda a escolher e a manter parceiros e se torna mais
importante com o aprofundamento da relação
"Beijar em relações sexuais humanas é extremamente prevalente sob vários aspectos em praticamente todas as sociedades"
 
Um estudo realizado por pesquisadores da Universidade de Oxford sugere que o beijo nos ajuda a dimensionar os potenciais parceiros e, uma vez em um relacionamento, pode ser uma maneira de conseguir manter este parceiro.

"Beijar em relações sexuais humanas é extremamente prevalente em quase todas as sociedade e culturas diferentes", disse Rafael Wlodarski, um dos integrantes da pesquisa no Departamento de Psicologia Experimental da Universidade de Oxford. "O beijo também é comum entre nossos parentes primatas mais próximos, como os chimpanzés e os bonobos, apesar de ser menos intenso entre eles."

A equipe do professor Robin Dunbar criou um questionário online no qual mais de 900 adultos responderam a perguntas sobre a importância do beijo em relacionamentos de curto e longo prazo.

"Existem três teorias principais sobre o papel do beijo nos relacionamentos. A primeira é que, de alguma forma, ajuda a avaliar a qualidade genética de potenciais companheiros; em seguida, que é usado para aumentar a excitação (para iniciar o sexo, por exemplo); por último que é útil para manter as relações por mais tempo," afirmou Wlodarski.

Os resultados da pesquisa mostraram que as mulheres classificam o beijo como geralmente mais importante em relacionamentos do que os homens. Além disso, homens e mulheres que se classificaram como sendo atraentes ou que tendem a ter mais relações de curto prazo e encontros casuais, também classificaram o beijo como importante. Segundo os pesquisadores isto sugere que o beijo ajuda a avaliar o potencial do companheiro.

Nos seres humanos, como em todos os mamíferos, as fêmeas devem investir mais do que os machos nos filhos. Uma gravidez leva nove meses, a amamentação pode levar vários anos. Em decorrência principalmente da maternidade, as mulheres tendem a ser mais seletivas na escolha de um parceiro. Homens e mulheres que são mais atraentes, ou têm mais parceiros sexuais casuais, também se mostraram mais seletivos na escolha de parceiros em potencial.

Várias pesquisas já sugeriram que beijar pode permitir que as pessoas, subconscientemente, avaliem um parceiro em potencial através de gosto ou cheiro, pegando sinais biológicos para compatibilidade, aptidão genética ou a saúde geral.

De acordo com Dunbar, "trata-se de uma série de períodos de avaliações, onde as pessoas se perguntam: devo continuar a aprofundar esta relação? A atração inicial pode incluir questões faciais, corporais e sociais. Em seguida, as avaliações tornam-se mais e mais íntimas com o aprofundamento das fases de namoro, e é aí que a importância do beijo é maior."

Os pesquisadores relatam suas descobertas em dois artigos, um na revista Archives of Sexual Behavior, ea segunda na revista Human Nature. Eles foram financiados pelo Conselho Europeu de Investigação.
 
Isaude.net

Tinta com chumbo causa 600 mil casos de deficiência em crianças

Foto: Lars Klove
'Thomas e seus amigos': nem tão amigáveis assim
O alerta acontece durante a Semana Internacional de Envenenamento por Chumbo. Apenas 30 países proibiram o uso do metal
 
A presença de chumbo em tintas causa sérios danos à saúde das crianças, com 600 mil casos por ano de menores que sofrem deficiência intelectual após exposição ao produto.
 
Segundo a Organização Mundial da Saúde, 99% das crianças afetadas vivem em países de rendas baixa e média. A diretora de Saúde Pública da OMS, Maria Neira, disse que são necessárias várias ações a nível global para minimizar o problema.
 
"É um grave problema para muitos sistemas do corpo. A parte positiva é que a gente é que podemos tomar medidas para minimizar este problema, eliminando o chumbo da composição das tintas.
 
Por ano, mais de 143 mil pessoas morrem pela contaminação com o chumbo. O metal é um dos 10 químicos de grande preocupação para a saúde pública, segundo a OMS.
 
Além das mortes, o contato com o chumbo pode causar convulsões, coma, nanismo e abortos.
 
A alerta foi divulgado durante a Semana Internacional da Prevenção de Envenenamento por Chumbo.

O elemento pode ser encontrado em casas, brinquedos e móveis. Quanto a pintura de uma parede descasca, por exemplo, o pó causado pela tinta com chumbo pode ser facilmente absorvido por crianças pequenas.
 
A OMS destaca que muitas crianças também colocam na boca brinquedos pintados com tinta com chumbo ou engolem pequenas lascas de tinta, já que o metal tem um gosto adocicado.
 
Até o momento, 30 países já eliminaram o metal, mas a meta é que o número cheque à 70 nações até 2015.
 
Isaude.net

Casos de dengue em Minas Gerais chegam a 320 mil neste ano

Divulgação
Larvas do mosquito se desenvolvem em água parada
O número é maior que os dos últimos quatro anos somados; mortes subiram para 106
 
Minas Gerais já tem mais de 320 mil casos de dengue confirmados em 2013. Segundo balanço divulgado pela Secretaria de Estado de Saúde nesta sexta-feira (18), 320.130 pessoas foram diagnosticadas com a doença no Estado.
 
O número é maior que os dos últimos quatro anos somados. Entre 2009 e 2012 foram registrados 297.568 casos de dengue em Minas. Em um intervalo de duas semanas foram mais de dez mil novos casos.
 
Desde o último balanço divulgado pela secretaria uma pessoa morreu por causa da dengue. Ao todo, a dengue causou 106 óbitos em Minas Gerais neste ano.
 
Veja as cidades onde houve mortes registradas: Uberaba (20), Uberlândia (3), Juiz de Fora (3), Mamonas (1), Carangola (2), Frei Gaspar (1), Buritizeiro (1), Ituiutaba (2), Ipanema (3), Teófilo Otoni (6), Cataguases (1), Pirapetinga (1), Pirapora (1), São Geraldo do Baixio (1), Montes Claros (3), São João da Ponte (1), Cláudio (1), Carneirinho (1), Campos Altos (1), Contagem (3), Muriaé (3), Sete Lagoas (4), Sacramento (1), Aimorés (1), Itauna (1), Belo Horizonte (8), Pedro Leopoldo (1), Santa Luzia (3), Águas Formosas (1), Santa Margarida (1), Carlos Chagas (1), Bocaiúva (1), Ubaporanga (1), Nova Serrana (1), Conquista (1), Itambacuri (1), Ponto Chique (1), Patos de Minas (1), Manhuaçu (1), Monte Carmelo (1), Santo Antônio do Monte (1), Iturama (1), Além Paraíba (1), Santana do Paraíso (1), Divinópolis (2), Ribeirão das Neves (1), Caetanópolis (1), Ipatinga (1), Piumhi (1), Ubá (1), Itabira (1), Leandro Ferreira (1), Tabuleiro (1), Araguari (1), Manga (1).
 
R7

Horário de verão pode aumentar predisposição a acidentes de trânsito, alerta especialista

Adiantamento do relógio em uma hora pode aumentar a predisposição a
 acidentes de trânsito
Adiantamento do relógio provoca sonolência, lentidão de raciocínio e falta de apetite
 
A maioria das pessoas costuma ficar cansada e com sono devido à chegada do horário de verão, marcada para este domingo (20). Segundo a professora Rosemeire dos Santos Vieira, coordenadora da especialização em enfermagem pediátrica da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, além do cansaço, o adiantamento do relógio em uma hora pode aumentar a predisposição a acidentes de trânsito e de trabalho.
 
— O corpo, de acordo com o seu relógio biológico, está preparado para liberar o cortisol e a insulina [substâncias responsáveis pelo despertar] uma hora mais tarde, na parte da manhã. Com a alteração do horário, aumenta as chances de a pessoa ter sonolência, lentidão de raciocínio, perda de memória, falta de apetite, queda no rendimento escolar, ansiedade, baixa autoestima e flutuação do humor.
 
Por conta dessas alterações orgânicas, o sono também é prejudicado. De acordo com a especialista, “o ciclo do organismo estava preparado para liberar a melatonina, substância química do sono, uma hora mais tarde. Agora, o corpo precisa adaptar esse processo para uma hora mais cedo”.
 
— É por isso que a pessoa fica na cama uma hora sem dormir.
 
Crianças, adultos e idosos sentem bastante esse impacto negativo causado pelo horário de verão. Mas, para que o organismo não sofra tanto com essa alteração, a dica é dormir 30 minutos antes do horário habitual, duas noites anteriores ao início do adiantamento do relógio.   
 
— Ajustar a luminosidade e a sonoridade do ambiente, diminuir o ritmo das atividades, evitar comidas gordurosas à noite e não deixar a televisão ligada também ajudam a ter um sono de boa qualidade.
 
No caso de crianças, a professora recomenda a mudança do horário da alimentação, pois evita a falta de apetite e a troca de alimentos saudáveis por guloseimas.
 
— Os pais também podem adquirir rituais como a leitura de histórias infantis, banhos relaxantes, massagem e músicas calmas para que o filho durma melhor.  
 
Vantagens do horário de verão para a saúde
O horário de verão também tem suas vantagens. Para a especialista, o maior período de exposição à luz do sol aumenta as chances de o corpo absorver vitamina D.
 
— Essa vantagem depende de onde a pessoa mora ou trabalha. Se ela não tem muito contato com a luz do sol, ela não vai adquirir esse benefício.
 
Em contrapartida, a exposição aos raios ultravioletas exige o uso do protetor solar.
 
— A falta do bloqueador solar aumenta o risco de desenvolver câncer de pele.

R7

Boa alimentação na gravidez é determinante para prevenir osteoporose

Quantidade de cálcio ingerida durante a gestação é determinante
para definir a densidade óssea do bebê
No Dia Mundial de Combate à Osteoporose, nutricionista alerta para baixo consumo de cálcio
 
Não tem jeito, logo que a idade avança uma das doenças que podem aparecer é a osteoporose, que deixa os ossos porosos e facilita o risco de fraturas. Apesar deste risco ser praticamente genético (80%), é possível controlar os fatores ambientais (20%) e, assim, ajudar a evitar o problema, de acordo com a nutricionista Lisia Kiehl.
 
No Brasil, 10 milhões de pessoas sofrem com o problema. Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), a osteoporose é responsável pelo alto índice de mortalidade entre os idosos. Um em cada cinco mulheres e um a cada cinco homens sofrem da doença.
 
— Estilo de vida, atividade física e alimentação adequada interferem na saúde óssea. Já na gestação, a quantidade que a mulher ingere de cálcio já é determinante para se definir a densidade óssea do bebê. A alimentação saudável com nutrientes que fortalecem os ossos, principalmente o cálcio, ajuda na prevenção e no tratamento da doença.
 
A especialista ainda explica que o índice de densidade corpórea reduz com o passar dos anos, principalmente após os 60 anos, e nas mulheres depois da menopausa. Por isso, é necessário se preocupar com a saúde óssea desde cedo.
 
— É necessário ficar atento aos fatores de risco, como histórico de saúde óssea na família, tabagismo, sedentarismo e pessoas com massa muscular abaixo do ideal, como as anoréxicas.
 
Brasil ingere pouco cálcio
No Dia Mundial de Combate à Osteoporose, comemorado neste domingo (20), Lisia afirma que o brasileiro ingere pouco cálcio.
 
— 20% das mulheres com 45 anos ou mais consomem menos de três porções de leite por dia. 49% das mulheres consomem duas ou menos porções por dia. Os jovens consomem apenas 10% da porção ideal. Lembrando que a menopausa é fator de risco para as mulheres.
 
R7

Conheça os riscos de ingerir álcool durante a gravidez

O álcool também deve ser evitado pela mulher durante o tempo
 de amamentação
Bebida pode prejudicar desenvolvimento do bebê
 
A ingestão de álcool durante a gravidez pode causar diversos problemas de saúde para o bebê. Em apenas dez minutos, a bebida pode aturar sobre a criança, já que possui livre passagem pela placenta. Além disso, durante a gravidez, o fígado do bebê ainda está em formação e metaboliza duas vezes mais lentamente o álcool ingerido pela mãe, comprometendo seu desenvolvimento saudável. Segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), a cada ano, 12 mil bebês no mundo nascem com a Síndrome do Alcoolismo Fetal (SAF).
 
A ginecologista Paula Bortolai explica que a SAF traz consequências irreversíveis.
 
— O problema pode comprometer o crescimento intrauterino, ocasionar distúrbios do comportamento, má formação na face e membros inferiores, má formação cardíaca e, ainda, aumento da taxa de mortalidade — afirma.
 
A médica também alerta que, em alguns casos, os sintomas como defeitos físicos não são aparentes no nascimento, mas o bebê pode apresentar sequelas como alteração de peso ou ter implicações durante a infância.
 
O álcool também deve ser evitado pela mulher durante o tempo de amamentação.
 
— Nas crianças, a substância afeta o sistema imunológico, a fome e o sono, interfere na capacidade de sucção e ainda diminui o aporte de vitamina A, uma das responsáveis por defender o organismo contra infecções. O mais indicado é que a mãe corte de vez qualquer dosagem alcoólica nessa fase — orienta a especialista.
 
O consumo excessivo de álcool deve ser evitado pelo casal que deseja engravidar. A bebida pode comprometer a fertilidade feminina e, nos homens, afetar a qualidade do esperma e reduzir os níveis de testosterona.
 
— O álcool, por si só, já é um grande inimigo da saúde. Nas mulheres, por exemplo, pode causar falha da menstruação e da ovulação, diminuição da libido e a infertilidade — afirma a especialista.
 
Zero Hora

Conheça os benefícios de consumir amendoim para quem pratica atividades físicas

Conheça os benefícios de consumir amendoim para quem pratica atividades físicas Michaela Kobyakov/Stock.xchng
Amendoim possui diversos nutrientes
Alimento proporciona energia e redução da fadiga muscular
 
O amendoim é um alimento bastante apreciado pelos brasileiros, seja como petisco ou em receitas doces e salgadas. Para quem pratica exercícios físicos, ele tem ainda mais vantagens. O amendoim é associado à maior ingestão de proteína, gordura insaturada (ácidos graxos mono e poli-insaturados), fibras, vitamina A, vitamina E, cálcio, magnésio, zinco, ferro, compostos bioativos como os polifenóis, além da redução no consumo de gordura saturada e colesterol.
 
— O amendoim é comprovadamente um alimento nutritivo, e para os praticantes de exercício físico significa mais energia e disposição, redução de risco de lesões e redução de fadiga muscular — afirma a nutricionista e fisioterapeuta Vanderlí Marchiori.
 
Quando consumido em quantidades entre 30 e 40 gramas por dia ao final do dia, o amendoim auxilia na redução de peso corporal e gordura abdominal e proporciona uma maior saciedade do que o consumo de vários outros alimentos no período.
 
— Isso torna o amendoim altamente recomendável e deve ser incluído em planos de reeducação alimentar, inclusive para a redução de peso, sendo ideal para atletas no desenvolvimento de suas atividades — completa Vanderlí.
 
Zero Hora

Manifestação em maternidade do Rio defende parto humanizado e redução de cesarianas

Foto: Agência Brasil
Rio de Janeiro - Um grupo de mulheres a favor da humanização do parto, com o apoio de ativistas e de profissionais de saúde, fez ontem (19) um ato silencioso no Hospital Maternidade Maria Amélia Buarque de Hollanda, no centro da capital fluminense. A manifestação dá continuidade a uma série de atividades que vêm ocorrendo desde o ano passado, quando foram realizados os primeiros protestos nacionais. Este ano, as ações envolvem 34 cidades.
 
O Brasil tem a mais alta taxa de cesarianas do mundo: o número de cirurgias aumentou de 37,8% para 52,3% entre 2000 e 2010. A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda que essa taxa seja 15%, tanto na rede pública, quanto na privada.
 
"O nosso ato é para apoiar neste local [Maternidade Maria Amélia Buarque de Hollanda] todos os profissionais que lutam para que a mulher seja protagonista do seu trabalho de parto e, isso faz com que as cesáreas feitas por conveniências médicas não aconteçam", destacou a funcionária pública Paula Inara, de 38 anos, uma das coordenadoras do Movimento pela Humanização do Parto.
 
Segundo a médica e pesquisadora da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Maria do Carmo Leal, o número de cesarianas está aumentando a cada ano, na contramão do que acontece em países desenvolvidos, como os na Europa, onde não ocorre a prática indiscriminada de partos cirúrgicos.
 
"Nos Estados Unidos, que têm um modelo de atenção um pouco parecido com o nosso, eram 33% de cesáreas e agora estão com 31%, porque estão fazendo um imenso esforço para diminuir essa taxa.”
 
Em março de 2014, Maria do Carmo lançará a pesquisa Inquérito Nacional sobre Parto e Nascimento, feita nos últimos três anos em todo o país. O documento vai descrever como é a assistência ao parto; quais são as intervenções que vêm sendo feitas sobre o parto vaginal; qual é a aprovação de cesáreas; como a decisão pela cesárea está sendo feita no Sistema Único de Saúde (SUS) e na rede privada. "É uma pesquisa muito grande, que também vai contemplar os resultados sobre como o parto é feito, sobre a mãe e o recém-nascido.”
 
O Movimento pelo Parto Humanizado também se solidariza com as mães que perderam quatro bebês de cesariana no início do ano na Maternidade Maria Amélia e pede que as causas sejam apuradas rapidamente. O movimento afirma ainda que não é contra as cesarianas. Apenas considera que elas devem ser feitas quando há indicação clara e real para mãe ou para o bebê e não de forma indiscriminada, como tem sido feita no país.
 
Segundo a enfermeira obstétrica Mara Libertad, que acompanha partos normais em casa e trabalha junto ao Movimento pela Humanização do Parto, o que a maternidade faz é o recomendado pelo Ministério da Saúde como mais adequado para as mulheres em trabalho de parto. "Ela tem acompanhamento em uma sala individual, com recursos para o alívio da dor, e direito ao acompanhante, reconhecido por lei.”
 
Agência Brasil

Prepare o corpo para o horário de verão

Mudança nos ponteiros do relógio pode provocar alterações no organismo. Veja como se adaptar mais facilmente
 
O cenário está anunciado: na próxima semana, devem crescer as queixas de dor de cabeça, cansaço intenso, dificuldades com o sono, mal-estar e tontura. É que a simples mudança dos ponteiros do relógio, que se adiantarão em uma hora na passagem de sábado para domingo, pode impactar no funcionamento do organismo.
 
As primeiras alterações sentidas são no sono e o motivo é um hormônio chamado melatonina. Ele é acionado pela falta de luz e o fato dos dias serem mais longos pode fazer com que o corpo humano tenha dificuldade em produzi-lo.
 
Logo, para se adaptar ao novo horário, é importante evitar situações estimulantes no final da tarde ou no início da noite. Quanto mais estímulo, maior a dificuldade do organismo para relaxar e pior a qualidade do sono. Quem cobra a fatura é o corpo, no dia seguinte, quando o despertador toca.
 
Para evitar tudo isso, confira algumas dicas para que o sono não te abandone nesta alteração dos ponteiros:
 
1. Nos primeiros dias do novo horário faça refeições leves, ricas em frutas, verduras e legumes, que facilitam a digestão.
 
2. Procure deitar mais cedo, mesmo que encontre dificuldades para pegar no sono, o ambiente calmo ajudará a dormir melhor.
 
3. Evite realizar exercícios físicos pesados. Prefira atividades relaxantes como alongamento e ioga.
 
4. Evite o consumo de café à noite.
 
5. Cigarro e bebidas alcoólicas no período noturno também atrapalham a qualidade do sono.
 
6. Nas primeiras semanas procure fazer refeições sempre no mesmo horário, isso evita a fome fora de hora.
 
7. Não faça uso de medicamentos para dormir sem prescrição médica.
 
8. Não tome banho muito quente ou muito frio.
 
9. Não leia livros ou assista a filmes muito estimulantes nas horas que antecedem o sono.
 
Mesmo quem não convive com problemas com o sono, portanto, pode ficar durante os primeiros cinco dias de novo horário rolando na cama, de um lado para o outro. É uma situação parecida com outros fenômenos que podem acontecer em qualquer época do ano, como a mudança de turno no trabalho ou o jetleg, aquela situação estranha que surge depois de viagens de avião, em especial quando a origem e o destino têm diferenças grandes no fuso horário.
 
O problema é que dormir mal não causa só cansaço, pode ser prejudicial para outras áreas: o sistema cardiovascular pode ficar alterado e a incidência de doenças como o infarto tendem a ser mais comuns. Há piora no sistema metabólico e o diabetes também pode ficar descontrolado. Até o regime é comprometido, já que pesquisas recentes já mostraram que dormir pouco é um dos vilões para perder peso.
 
iG

Saiba quais são as causas da hipertensão e as doenças associadas a ela

Entre os principais causadores da doença estão o cigarro, o sedentarismo, a obesidade e o álcool. Atualmente, no Brasil, um em cada três adultos tem pressão arterial elevada
 
Silenciosa, a hipertensão vai chegando aos poucos, sem que a pessoa perceba. Suas consequências, no entanto, são alarmantes. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a pressão alta é responsável por 45% dos ataques cardíacos e 51% dos acidentes vasculares cerebrais. E o número de hipertensos não para de crescer. Hoje, no Brasil, um em cada três brasileiros em idade adulta sofre com a pressão arterial elevada.
 
De acordo com pesquisa do Ministério da Saúde, o índice de pacientes com idade entre 18 e 24 anos é de 8% contra 50% para a faixa etária acima de 55 anos. O diagnóstico de hipertensão é maior em mulheres (25,5%), do que em homens (20,7%). Entre os principais causadores da doença estão o cigarro, o sedentarismo, a obesidade e o álcool.
 
Veja o que a hipertensão faz em seu corpo:
 
                         
iG