Aplicativos, carreira, concursos, downloads, enfermagem, farmácia hospitalar, farmácia pública, história, humor, legislação, logística, medicina, novos medicamentos, novas tecnologias na área da saúde e muito mais!


domingo, 28 de outubro de 2012

Influência da Lua no parto

A medicina resiste a ideia de aceitar a influência da Lua sobre o parto pela não comprovação científica, mas há explicação para isso.
 
Por simples falta de comprovação científica, a área médica ainda trata com descaso a influência da lua nos partos, porém, muitos médicos aceitam que existe um número maior de nascimentos na mudança de uma lua para outra ou no decurso da lua cheia. É algo sem explicação a ligação entre a lua e o nascimento de uma criança, mas, existem relatos médicos que dizem que o número de partos nesses períodos chega a triplicar.
 
Influência da Lua
No intuito de tentar dar uma resposta a esta influência, alguns doutores da ciência médica argumentam que antigamente os ciclos menstruais femininos eram definidos pelo período do mês lunar, isto é, com 28 dias e que na gestação também é assim. Uma gestação, então, não seria de nove meses completos, mas nove ciclos de luas, o que iria desde a fecundação até a hora do parto.
 
Mesmo que com relação às ocorrências dos partos ainda permaneçam dúvidas sobre a força da lua nos nascimentos, existe a certeza de que esta mesma força promove mudanças em certos fenômenos da Terra. É o caso dos elementos fluidos, como as águas das marés e os ventos atmosféricos. Visto isto, seria de se imaginar também a força da lua sobre o líquido amniótico que estimularia o início do trabalho de parto.
 
Calendário lunar na gestação
Uma gravidez tem a duração aproximada de 280 dias, os quais representam 40 semanas ou 10 meses lunares de 28 dias.
 
Para explicar a ligação das fases da lua com a gravidez, existe o seguinte cálculo:
 
Do primeiro ao oitavo mês ter-se-ão passadas 32 semanas de gestação, a partir desse momento, a gravidez estará no final, faltando apenas o nono mês lunar que irá da 33ª até a 36ª semana.
 
Por fim, o 10º mês, que é o último mês lunar, irá da 37ª à 40ª semana. Se contarmos 40 semanas de 7 dias de gravidez, teremos 280 dias. Se forem vistos 10 meses lunares de 28 dias, também serão 280 dias.
 
Se forem estabelecidos esses parâmetros, é grande a indicação da força da lua sobre os partos, embora a medicina diga que a força gravitacional da Lua não interfira no corpo humano.
 
Fonte zun.com.br

Licença maternidade para desempregada

licenca maternidade Os direitos da licença maternidadeAs desempregadas seguradas na Previdência Social possuem direito ao salário-maternidade, benefício mensal oferecido através da CAIXA.
 
Na verdade, a licença maternidade para desempregadas se trata do salário-maternidade. Tal benefício é oferecido, essencialmente, às trabalhadoras desempregadas, empregadas, avulsas, domésticas, contribuintes facultativas, individuais e à classe de seguradas especiais, que agrega a ocasião do parto, inclusive nos casos de natimortos, abortos não criminosos, adoção ou guarda judicial para tal. São considerados partos todos os nascimentos ocorridos após a 23ª semana de gestação, e isso também inclui os casos de natimortos.
 
Para o caso das seguradas desempregadas, o benefício passou a ser oferecido a partir do dia 14 de junho de 2007, em qualquer caso de criança nascida ou adotada após de tal data. Também entraram neste quesito as seguradas que pararam de contribuir e as seguradas especiais, uma vez que o nascimento ou a adoção tenham acontecido dentro do prazo de manutenção da qualidade de segurada.
 
No caso de a gravidez ter ocorrido enquanto empregada ou demissão antes da gravidez, a segurada terá direito ao salário-maternidade, desde que a demissão tenha acontecido nas modalidades de justa causa ou a pedido.
 
Licença-maternidade duração
O pagamento do benefício acontecerá durante 120 dias, podendo ter início no período de até 28 dias antes do parto ou adoção. Se for concedido antes do nascimento, a comprovação de tal deverá ser feita por atestado médico. Se for posterior ao parto, deverá servir como prova a Certidão de Nascimento da criança.
 
A duração do benefício é diferenciada em alguns casos: nos abortos espontâneos ou autorizados por lei (casos de estupro ou risco de vida para a mãe) o salário-maternidade será pago por duas semanas. Em casos de adoção, o salário será pago por 120 dias, se a criança tiver até 1 ano de idade; 60 dias, se a criança tiver entre 1 e 4 anos; e 30 dias, se a criança tiver entre 4 e 8 anos. Se a segurada realizar a adoção de mais de uma criança simultaneamente, será pago apenas um salário-maternidade, que cumprirá o direito segundo a idade da criança mais nova.
 
Salário-maternidade como requerer?
A solicitação do benefício pode ser feita através do portal da Previdência Social, pelo telefone 135 ou nas agências especializadas da Previdência Social.
 
Os dados integrantes do Cadastro Nacional de Informações Sociais (CNIS), desde 2008, passam a valer para todos os efeitos como prova de filiação à Previdência Social. Portanto, mesmo para as seguradas desempregadas, é essencial obter tal cadastro. As informações sobre os dados no CNIS podem ser obtidas na Agência Eletrônica de Serviços aos Segurados, também localizada no Portal da Previdência Social.
 
É importante ressaltar que, para obter o benefício, a gestante deve ser considerada segurada na Previdência Social. Para isso, devem ter sido feitas as contribuições necessárias no período em que trabalhava. No Portal da Previdência existem informações detalhadas sobre quando tais contribuições devem ter sido feitas, além de questões de âmbito jurídico e financeiro.
 
Fonte zun.com.br

Alimentos ricos em potássio e magnésio

Diversos alimentos ricos em potássio e magnésioDicas sobre alimentos ricos em potássio e magnésio, assim como os benefícios desses minerais na gestação e combate à pressão alta.
 
Uma alimentação saudável e balanceada deve apresentar em seu cardápio alimentos ricos em potássio e magnésio.
 
O potássio é um mineral cuja função é auxiliar em um bom funcionamento do músculo cardíaco e na liberação de insulina. A deficiência do potássio em nosso organismo pode causar inúmeros sintomas e complicações, como irritabilidade, nervosismo, sede excessiva, apatia, alterações do sistema nervoso central (confusão mental e diminuição da memória), insônia, fraqueza muscular, câimbras, mialgia, taquicardia e fadiga.
 
O magnésio também é um mineral e é utilizado na síntese de proteínas, no fornecimento de energia e em muitas reações que ocorrem no nosso corpo.
 
A falta do magnésio em nosso organismo pode resultar em vários sintomas desagradáveis, como alterações do sistema nervoso, depressão, tremores e insônia. A falta do magnésio também pode causar insuficiência cardíaca, osteoporose, hipertensão arterial, diabetes mellitus, tensão pré-menstrual, insônia, câimbras, falta de apetite, sonolência e prejuízos na memória.
 
Alimentos ricos em potássio e magnésio
Os minerais e vitaminas são fundamentais para a manutenção do nosso organismo.O potássio pode ser encontrado em vários alimentos como na farinha de soja, fécula de batata, pistache, damascos, folha de beterraba, abacate, acelga, broto de soja, banana, batata, melão, suco de maracujá, suco de laranja e suco de maracujá.
 
Em dieta saudável são prescritos 4,7 g/dia de potássio para homens, mulheres e gestantes e 5,1 g/dia para bebês.

Já as funções principais do magnésio são manter os ossos e os dentes saudáveis, auxiliar na transmissão dos impulsos nervosos e regularizar as contrações musculares.
 
Os médicos indicam o consumo diário de 400mg de alimentos ricos em magnésio para que seja possível manter uma vida saudável e equilibrada.
 
Muitas frutas são ricas em magnésio, como a banana e abacate, nas verduras como no quiabo, beterraba, batata e espinafre, em grãos como na granola, aveia e nas sementes com as de girassol, amendoim e castanha. O magnésio também pode ser encontrado em outros alimentos como o leite, soja, peixes, pão e grão de bico.
 
Alimentos ricos em potássio, cálcio e magnésio
Uma dieta saudável deve ser rica em cálcio para a formação óssea e a prevenção de doenças.Uma dieta saudável deve ser rica em cálcio para a formação óssea e a prevenção de doenças.Uma dieta saudável deve ser rica em cálcio para a formação óssea e a prevenção de doenças.
 
O alimentos ricos em cálcio assim como os ricos em potássio e magnésio, são essenciais para se manter uma boa saúde.
 
Entre as principais funções do cálcio está a construção da massa óssea e dos dentes, a contração muscular, a transmissão dos impulsos nervosos e o auxílio na coagulação sanguínea. Entre os problemas ocasionados pela falta de cálcio no organismo humano estão o raquitismo e a osteoporose.
 
Os alimentos lácteos desnatados são ricos em potássio, cálcio e magnésio, além da proteína. Entre eles está o leite, o iogurte, o queijo; as carnes magras, cereais, batata, hortaliças e todas as frutas também são essenciais.
 
A combinação do potássio, cálcio e magnésio em uma dieta balanceada é muito eficaz na prevenção de doenças cardiovasculares, como por exemplo, o infarto.
 
Alimentos ricos em potássio e hipertensão
Estudos apontam que os alimentos ricos potássio, magnésio e cálcio são eficazes no combate a hipertensão arterial. Esses minerais unidos atuam no calibre dos vasos sanguíneos, evitando seu estreitamento, facilitando assim a dilatação e o fluxo sanguíneo, garantindo proteção ao coração.
 
No Brasil e no mundo muitas pessoas são hipertensas ou estão com a pressão acima do normal, se tornando um problema de saúde pública, a pressão descontrolada pode causar sérios problemas cardiovasculares. Por isso é de grande importância o consumo de alimentos ricos em potássio e magnésio.
 
Para ser considerado hipertenso, os níveis da pressão sanguínea devem estar iguais ou acima iguais ou acima de 140mmHg de pressão sistólica e 90mmHg de pressão distólica.
 
A maioria das pessoas hipertensas podem normalizar sua pressão sanguínea através de simples modificações no seu estilo de vida, e a inclusão dos alimentos ricos em potássio, magnésio e cálcio na dieta cotidiana pode ser uma solução, além de uma prática regular de atividade física e mudança dos hábitos alimentares.
 
Alimentos ricos em magnésio para grávidas
A alimentação para gestantes deve ser diferenciada, pois terão que ser incluídos todos os alimentos necessários para o bom desenvolvimento do bebê. Na gravidez, a mulher deverá ter uma alimentação equilibrada e balanceada, com todas as vitaminas e minerais. Entre eles, o potássio e magnésio fazem grande diferença.
 
Esses ricos minerais auxiliam no combate da hipertensão arterial na gravidez, porém o aparecimento desse problema deve ser acompanhado por um médico, pois representa perigo para gestante e para o bebê.
 
Caso a gestante apresente problemas renais, a ingestão de potássio e magnésio deve ser suspensa.
 
Alimentos ricos em potássio, cálcio e magnésio são a base para se alcançar à saúde e a qualidade de vida, portanto siga uma dieta balanceada, rica em vitaminas e minerais.
 
Fonte zun.com.br

Como se comportar em uma entrevista de emprego

A entrevista é um momento muito importante para quem deseja conquistar uma vaga no mercado, e existem algumas dicas sobre como se portar.
 
A entrevista de emprego não se resume somente em responder algumas perguntas e chegar no horário. Em uma entrevista de emprego, são muitos outros pontos estudados e analisados pelos entrevistadores, como por exemplo, roupa usada, cuidados com as unhas, cabelos, pele e até mesmo sinais de ansiedade e nervosismo.
 
Por isso, quando se pensa em ir a uma entrevista de emprego é preciso que a pessoa pense não somente no que irá falar, como irá responder as perguntas e como montar o melhor currículo, pois outros pontos às vezes valem muito mais do que tudo isso. Para ajudar aqueles profissionais que estão em busca de um novo emprego e até mesmo aqueles que já trabalham, mas que não sabem como se comportar em reuniões com seus superiores e colegas de trabalho, surgiu a Etiqueta Profissional, que tem o objetivo de ajudar e dar uma força nesses momentos de indecisão que muitas pessoas têm.
 
Dicas
Atualmente não se pensa mais somente em dominar uma área específica profissional, não sendo somente este o único fator importante para o sucesso profissional, hoje precisa cuidar do seu Marketing Pessoal, afinal nos deparamos com um mercado de trabalho cada vez mais competitivo, exigindo dos profissionais, além de competência profissional, uma competência pessoal.
 
Por isso é preciso trabalhar cada vez mais o seu lado pessoal, sabendo como controlar o nervosismo e a ansiedade quando se deparam com uma entrevista de emprego. É preciso sempre ficar atento ao nosso comportamento e gestos durante toda a entrevista de emprego, pois somente assim é possível causar uma boa impressão. Mantenha sempre a sua expressão facial leve, feliz e serena, pois carisma em qualquer fase da vida é fundamental.
 
Lembre-se que o momento da entrevista é o seu cartão de visitas e é esta será a primeira aparência que eles terão de você, sendo este momento a oportunidade de impressionar o seu futuro chefe ou até mesmo um colega de trabalho. A dica é usar roupas formais que sejam as mais simples possíveis, mas que valorizem o seu profissionalismo e te ajudem a ser visto com outros olhos.
 
Use esmaltes claros, maquiagem clara e sutil, não use decotes e roupas justas e sapatos limpos, pois assim você estará mais confiante e a ansiedade e o nervosismo vão ficar de lado.
 
Fonte zun.com.br

Homeopatia para ansiedade e nervosismo

A terapia das “gotinhas” conquista adeptos por todo o mundo. A Homeopatia pode ajudá-lo a combater a ansiedade e o nervosismo.
 
Os problemas relacionados com o nervosismo e a ansiedade estão presentes na vida da maioria dos seres humanos e, com o passar do tempo acabam causando o desenvolvimento de uma série de doenças.

A homeopatia já existe há 200 anos e possui muitos fiéis, entretanto, ainda perduram muitas dúvidas sobre este tipo de tratamento terapêutico. A terapia alternativa visa tratar diversas doenças, sem agredir o organismo, podendo ser usada no tratamento dos sintomas da TPM, menopausa, estresse, ansiedade, nervosismo, inflamações nas vias aéreas, disfunções hormonais femininas, lesões graves, tumores, alergias e outros.
 
A homeopatia tem a cura baseada na semelhança, pois usa substâncias que são capazes de produzir efeitos similares aos sintomas que o paciente apresenta, induzindo assim uma reação do sistema imunológico do organismo para curar a doença, estimulando os sintomas para que o corpo se regenere.
 
Composição e função
Os medicamentos são feitos a base de substâncias de origem vegetal, animal e mineral que são diluídas em água ou álcool, podendo ser encontrados em gotas, pomada e xarope.
 
Há medicamentos homeopáticos para diversas doenças, como por exemplo, o nervosismo e a ansiedade, para os quais os medicamentos são preparados segundo os fundamentos da homeopatia e respeitando as técnicas da Farmacopeia Homeopática Brasileira, podendo ser usados por pessoas ansiosas e nervosas de qualquer faixa etária. Mas, antes é preciso fazer uma visita ao seu médico psicólogo, pois o mesmo irá diagnosticar se o problema realmente é nervosismo e ansiedade e, a partir disso, irá prescrever um tratamento médico convencional e você pode pedir informações sobre um tratamento terapêutico a partir da homeopatia.
 
Recomendações de uso
Os medicamentos homeopáticos devem ser usados três vez ao dia no caso de xarope ou gotas e no caso de comprimido deve ser tomado somente uma ao dia. A quantidade de gotas deve ser prescrita pelo médico homeopata.

É importante ressaltar que algumas farmácias de manipulação de medicamentos homeopáticos só comercializam os remédios com prescrição médica, levando sempre em consideração as regras da ANVISA. Entretanto, a maioria normalmente é vendida sem a necessidade de uma receita médica, porém, isso não significa que as pessoas podem se automedicar, pois é fundamental consultar um médico homeopata para tirar todas as dúvidas e relatar os sintomas para poder chegar ao diagnóstico correto e o tratamento homeopático adequado.
 
Para manipular os seus remédios homeopáticos, lembre-se sempre de procurar laboratórios de manipulação de sua região de boa procedência e que usam substâncias naturais verdadeiras para que não corra o perigo de causar uma possível intoxicação medicamentosa e levar a problemas sérios de saúde.
 
Fonte zun.com.br

Primeiros Socorros: Intoxicação por medicamentos

A intoxicação por medicamentos é comum, por isso, devemos ficar sempre atentos à presença dos sintomas para realizar os primeiros socorros
 
A intoxicação é causada por toxinas e substâncias venenosas não indicadas (em pequenas ou grandes quantidades) para o consumo humano que podem estar presentes em medicamentos, tintas, produtos de limpeza ou até mesmo em medicamentos.
 
Em todos os casos, tais substâncias podem ser introduzidas de maneira absortiva, aspirada, injetada ou engolida, podendo levar o indivíduo à morte em casos mais graves.
 
A ingestão de bebidas alcoólicas junto a determinadas substâncias também pode levar à intoxicação. Por isso, a importância dos primeiros socorros é primordial em situações deste tipo.
 
Como acontece
Os principais alvos da intoxicação medicamentosa são as crianças, pois na maioria das vezes os medicamentos são comprimidos coloridos que chamam a atenção das crianças e tudo que é novo é levado para a boca, causando a intoxicação. Nos adultos a intoxicação pode acontecer por engano ou por tentativa de suicídio.
 
Sintomas
Entre sintomas mais frequentes estão o vômito, dores abdominais intensas, dificuldade para respirar, suor excessivo, perda da consciência, diarreia e em alguns casos há queimaduras em volta da boca ou na língua ou no tubo digestivo, como no caso da ingestão de soda cáustica.
 
Primeiros socorros
Deve ser imediato e é importante não provocar o vômito se o indivíduo estiver desacordado.
 
Não dê nada para o indivíduo beber, se a boca ou língua estiver queimada, passe água ou leite frio. Atente-se à respiração e leve imediatamente para o hospital, com a embalagem do medicamento ingerido e uma amostra do vômito, se possível.
 
É de extrema importância realizar os primeiros socorros à vítima imediatamente e logo em seguida levá-la para a avaliação médica.
 
Fonte zun.com.br

Sintomas da intoxicação alimentar

Os sintomas de intoxicação causada por alimentos vencidos ou estragados podem variar, é preciso saber agir em cada situação
 
Todos nós já tivemos pelo menos uma vez na vida algum mal estar devido a um alimento ou outro que comemos. Mas o que a maioria das pessoas pensam é que só temos intoxicação alimentar quando ingerimos algo estragado ou pelo calor de um verão.
 
Quando ocorre
Na maioria das vezes o que ocorre é intoxicação por bactérias e uma das mais comuns é a salmonella, ela pode estar presente na carne que comemos no nosso dia a dia e nem ao menos percebemos.
 
Antes mesmo do animal ser abatido ele pode contrair a bactéria e contaminar a água que bebe e o solo onde está passando então para os demais animais que convivem junto a ele. E como não conseguimos perceber que ela está ali, acabamos por ingeri-la e prejudicar nossa saúde.
 
Sintomas
São – normalmente – diarreia, desconforto abdominal, dores de cabeça e às vezes febre, e após três ou quatro dias os sintomas desaparecem, no entanto a bactéria fica alojada em nosso intestino por alguns meses e é fundamental lavar bem as mãos, pois ela só sairá do nosso corpo através das fezes em um processo demorado.
 
Lembre-se sempre que se os sintomas persistirem deve-se procurar rapidamente um médico, pois não é recomendado fazer uso de medicamentos por conta própria, a bactéria deve ser combatida com os devidos remédios indicados pelo médico.
 
Caso haja contaminação em crianças e idosos procure um médico logo que os sintomas aparecerem, mesmo que estes sejam fracos, pois a perda de líquidos pode ser prejudicial para esse grupo.
 
Diarreia
Outra bactéria que pode causar intoxicação é o clostrídios, que podem ser encontrados no ar ou no chão e contaminam carnes e alimentos que estão desprotegidos. Por ser uma bactéria resistente, ela não morre se cozida por horas a um calor de menos 20º ou a 60º, o que dificulta ainda mais a sua eliminação, além de se reproduzir rapidamente e contaminar mais alimentos.
 
Os sintomas na maioria das vezes podem ser diarreia e dores na barriga, e aparecem após 12 ou 24 horas após a ingestão dos alimentos contaminados e duram de um a dois dias, caso os sintomas permaneçam o médico deverá ser consultado rapidamente.
 
Alergias
Alguns alimentos podem trazer ainda alergias na pele que se espalham por todo o corpo, como algumas manchas ou pintas avermelhadas que coçam muito. Frutos do mar, chocolate ou mesmo cafeína são alimentos que podem trazer algum tipo de alergia ou intoxicação, por isso atente-se ao ingerir alimentos na praia ou em restaurantes não confiáveis, pois a sua saúde pode estar em risco.
 
E para evitar que tais sintomas ou até piores ocorram é preciso lavar bem as mãos antes das refeições e também lavar muito bem os alimentos, principalmente os que são ingeridos crus ou pré – cozidos, não misture carnes cruas com as cozidas e degele apenas oque você irá preparar. São pequenos cuidados que fazem toda a diferença na hora de se alimentar e cuidar de sua saúde.
 
Fonte zun.com.br

Como fazer a reeducação alimentar

A reeducação alimentar é melhor do que fazer dietas malucas sem resultado e te ajuda emagrecer com saúde e ter mais qualidade de vida.
 
Muito se ouve falar em qualidade de vida e bons hábitos alimentares, mas o que a maioria das pessoas não sabe é que é possível ter uma vida mais saudável com pequenas mudanças no seu dia a dia. Substituir alimentos mais leves pelos mais calóricos, beber muita água e alimentar-se várias vezes ao dia são as principais mudanças estabelecidas pela reeducação alimentar.
 
Comer de 3 em 3 horas
Diferente do que muitos pensam, ficar sem comer não emagrece, ao contrário engorda mais ainda. Quando buscamos qualidade de vida não devemos pensar apenas nos quilos que vamos perder e sim na forma saudável para se perder peso, evitando o efeito sanfona e o surgimento de doenças como a anemia. O segredo é comer a cada três horas, alimentado-se várias vezes ao dia em pequenas quantidades. Frutas, verduras e legumes são os melhores aliados da sua saúde.
 
Cardápio
Siga sempre à risca:
 
Pela manhã
1 copo de iogurte + 1 colher de sopa de aveia grossa + 1 porção de fruta picada.
 
Lanche da manhã (10 horas)
1 fruta – banana, maçã, meio mamão papaia.
 
Almoço
Dê preferência para os legumes verdes escuros, como o brócolis, couve, vagem, espinafre e couve flor, lembrando que devem tomar metade do seu prato; 2 colheres de sopa de arroz; 2 colheres de sopa de feijão; 1 pedaço de frango ou peixe, sem pele, assado, cozido ou grelhado.
 
Quando houver batata e macarrão, escolha um dos dois alimentos, nunca 2 porções ao mesmo tempo.
 
Lanche da tarde
1 fruta – banana, maçã, meio mamão papaia.

Jantar
Salada de alface com cenoura e beterraba ralada, 1 tomate, tempero a gosto, com azeite extra virgem, limão ou vinagre + 1 fruta.
 
Lanche da noite (22 horas)
1 fruta – banana, maçã, meio mamão papaia.
 
Pequenas mudanças no seu cardápio lhe ajudarão a ter mais qualidade de vida, siga às instruções e faça substituições de frutas, legumes e verduras.
 
Perca peso de maneira saudável.

Benefícios da banana para a saúde

O consumo da banana, fruta encontrada em abundância no Brasil, é um ótimo aliado da saúde, com muitos benefícios para o corpo e mente.
 
Uma das frutas mais conhecidas pelos brasileiros é a banana, que pode ser facilmente encontrada em quitandas e supermercados por um baixo custo. As donas de casa sabem que da fruta podemos fazer doces, bolos, tortas e há quem se arrisque a fazer balas caseiras com a fruta entre outras delícias. Mas será que todos conhecem os benefícios dessa fruta tão comum? Vamos conhecer agora algumas características e curiosidades sobre a banana.
 
Composição
A fruta contém três tipos de açúcares totalmente naturais: glicose, sacarose e frutose. A banana é rica em fibras, vitaminas, cálcio, ferro e potássio, que proporciona energia e é recomendável para quem pratica exercícios físicos. Além de ser ótima aos atletas, é recomendada para quem está com anemia, pois o ferro presente estimula a produção de hemoglobina; é ótima para controlar a pressão arterial; auxilia na digestão e é uma grande aliada de ex-fumantes, pois alivia os efeitos da falta de nicotina.
 
Benefícios
Você que gosta de comer frutas diariamente agora tem motivos a mais para adicionar a banana no seu cardápio. É recomendado para:
 
Depressão
A fruta possui uma proteína que é convertida em serotonina.
 
Estudantes
Uma pesquisa realizada comprovou que estudantes que costumam comer uma banana por dia tornam-se mais atentos às aulas.

Picadas de inseto
É recomendável passar a parte de dentro da casca da banana no local em que você foi picado, a irritação e vermelhidão somem mais depressa e acalma a dor.
 
Estresse
O potássio presente na fruta ajuda nos batimentos cardíacos, quando há estresse o metabolismo reduz o nível de potássio e por esse motivo a fruta se torna eficiente.
 
De forma geral o consumo da banana possui muitos benefícios, inclua a fruta em seu cardápio diário e veja como as mudanças são significativas em seu organismo.

Fonte

Violência contra a mulher também pode ser econômica

Pesquisa da Universidade Estadual de New Jersey, nos EUA, mostra que mulheres que sofrem abuso psicológico, físico ou econômico pelo parceiro durante o primeiro ano do relacionamento têm mais chances de desenvolver depressão em um prazo de cinco anos. A relação entre mãe e filho também é afetada.
 
A violência econômica, explica a líder do estudo Judy L. Postmus, acontece quando o parceiro nega dinheiro à mulher, obriga ela a trabalhar ou a não aceitar uma oportunidade de emprego, ou, ainda, quando ele nega o acesso dela à conta bancária. O objetivo deste estudo foi verificar o impacto da violência por parceiro íntimo – conhecido como IPV – e os efeitos da violência – econômica, psicológica e física – contra as mulheres ao longo do tempo.
 
“Quando as pessoas pensam sobre violência contra a mulher, elas podem pensar em abuso físico, psicológico ou mesmo sexual, talvez, mas raramente elas pensam sobre o abuso econômico”, diz Postmus. “Com a crise econômica, no entanto, mais atenção tem sido focada em questões financeiras, como a literacia financeira e finanças pessoais. Ainda assim, houve relativamente poucos estudos sobre o abuso econômico “, completa.
 
Controlando variáveis demográficas (como idade, etnia, educação, e outras), mulheres que sofreram abuso econômica foram 1,9 vezes mais propensas a apresentar sinais de depressão do que as mães que não haviam sofrido abuso. Da mesma forma, as que sofreram abuso psicológico ou físico foram 1,4 e 1,8 vezes, respectivamente, foram mais propensas a mostrar sinais de depressão.
 
“É surpreendente descobrir que o abuso econômico é um preditor mais grave de depressão ao longo do tempo do que outras formas de violência”, diz Postmus.
 
O nível de relacionamento da mãe com o filho foi avaliado em duas dimensões: engajamento em atividades diárias como cantar, ler ou contar histórias, brincar ou levar a criança para um parque ou em um passeio, e o uso de violência física como um comportamento disciplinar. Os resultados indicaram que as mães que sofreram abuso econômico ou psicológico durante o primeiro ano de relacionamento eram menos envolvidas em atividades diárias (5,1 contra 5,3 para as mulheres que não sofreram abuso) e 1,5 vezes mais propensas a bater na criança no prazo de cinco anos.
 
“É provável que a violência econômica tenha um impacto duradouro na saúde mental das mulheres e os sentimentos de impotência possam forçar as mães a recorrer à punição física como uma tática parental,” finaliza.
 
A autora adverte que, apesar dos resultados, mais pesquisas são necessárias para entender melhor a relação entre os vários tipos de abuso e os comportamentos dos pais. O estudo foi publicado no periódico Children and Youth Services Review.
 
Fonte O que eu tenho

Estimulação elétrica no cérebro é testada como tratamento para obesidade mórbida

O objetivo é que a técnica seja uma alternativa, menos invasiva, às cirurgias de redução de estômago
 
Uma pesquisa desenvolvida pelo Hospital do Coração de São Paulo (HCor) com apoio do Ministério da Saúde pode se transformar em uma nova opção de tratamento contra a obesidade mórbida. O procedimento usa um estimulador elétrico para atuar em uma região específica do cérebro ajudando o doente a perder peso. O mesmo método já é regulamentado para outros tratamentos, como para aliviar os sintomas doença de Parkinson.
 
A diretora clínica de pesquisa neurológica do HCor, Alessandra Gorgulho, explicou que o método já foi testado com sucesso em macacos e suínos e agora será experimentado em seis pacientes. Segundo ela, o objetivo é verificar a tolerância do cérebro à estimulação contínua que provocou a diminuição de peso em suínos, provavelmente alterando o metabolismo.
 
Os testes deverão começar em 2013 e, nessa primeira fase, terminarem no final de 2014. Alessandra destaca que apesar do método já ser usado em outras terapias, "é a primeira vez que seres humanos serão implantados nessa região do cérebro (hipotálamo)". A pesquisadora estima que serão necessários pelo menos dez anos de trabalho até que técnica possa ser aprovada para uso terapêutico contra obesidade mórbida.
 
O objetivo é que a técnica seja uma alternativa, menos invasiva, às cirurgias de redução de estômago.
 
— A ideia não é conseguir um efeito tão dramático como o que se consegue com a cirurgia bariátrica. Se a gente conseguir uma terapia que seja mais discreta, que não cause tantas alterações no organismo, me parece muito atraente — explicou Alessandra.
 
Na estimulação elétrica, um marca-passo é conectado ao hipotálamo por uma incisão na parte frontal do crânio. Os eletrodos são ligados por fios que passam por baixo da pele ao gerador de estímulos, que funciona com bateria, na região da clavícula.
 
Fonte Zero Hora

Cirurgia para emagrecer dedos dos pés vira febre nos Estados Unidos

Tevê americana entrevistou especialista que é alvo de críticas da comunidade médica
 
Quando as pessoas procuram o cirurgião plástico americano Oliver Zong, elas não estão pensando em remover gordura da barriga ou coxas. Segundo o programa Good Morning America, da rede ABC News, Zong é especialista em cirurgia para emagrecer os dedos de pessoas gordas — procedimento que virou febre nos Estados Unidos.
 
A operação custa em torno de 2,5 mil dólares e tem como objetivo combater uma condição física cunhada como toe-besity (trocadilho em inglês que une as palavras dedo do pé e obesidade).
 
Segundo Zong, as primeiras intervenções eram destinadas à retirada de gordura dos pés. Hoje, as pessoas pedem também a diminuição da largura dos dedos. Para isso, o médico raspa gordura e até osso. Zong compara as cirurgias a qualquer outro procedimento estético.
 
— Atendo pessoas muito envergonhadas com a sua condição física. Depois da intervenção, elas ganham autoestima e se sentem mais confiantes — disse ele, ao Good Morning America.
 
Mas entidades médicas e muitos podólogos americanos criticam a operação. Para a Associação Americana de Podiatria (especialidade médica dedica aos pés e inexistente no Brasil), o procedimento, que é realizado inclusive em crianças, só se justifica se o paciente tiver muita dor no pé.
 
— É inconcebível se submeter a riscos cirúrgicos por pura vaidade. Você pode terminar com um grave trauma no pé — defende o cirurgião plástico Ruben Penteado, diretor do Centro de Medicina Integrada.
 
O médico explica que procedimentos cirúrgicos no pé e no tornozelo são geralmente feitos para alívio da dor, restauração da função e reconstrução de deformidades.
 
— Eles podem ter o benefício adicional de uma melhor aparência, mas não devem ser realizados para esse fim especificamente — opina Ruben Penteado, membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.
 
Fonte Zero Hora

Quase metade da população do país tem excesso de peso, aponta IBGE

Em alguns casos de obesidade, a alternativa é a cirurgia bariátrica
 
Causada pela combinação de fatores genéticos, alimentação inadequada e sedentarismo, a obesidade é uma doença crônica que pode ser tratada e controlada. Mas a realidade brasileira não confirma a teoria: dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostram que quase metade da população tem excesso de peso. É um mal à beira do descontrole.

O cenário motivou o Ministério da Saúde a modificar a idade mínima para quem precisa de cirurgia bariátrica (ou redução de estômago) de 18 para 16 anos. A decisão foi tomada com base em estudos que apontam o aumento crescente da obesidade entre adolescentes, como a Pesquisa de Orçamento Familiar de 2009 (POF). Segundo ela, na faixa de 10 a 19 anos, 21,7% dos brasileiros apresentam excesso de peso. Em 1970, o índice era de 3,7%.

Estima-se, ainda, que cerca de 30% das crianças brasileiras estejam em sobrepeso ou obesas. Para reverter essa estatística, explica a nutricionista Fernanda Guidi Colossi, é preciso intervir em casa e na escola, já que a doença é genética ou adquirida por meio dos ambientes de convívio.

– Filhos de pais obesos tendem a repetir esse modelo – afirma Fernanda.

A ascensão econômica e os hábitos de consumo da classe C podem estar entre as causas do crescimento da obesidade no Brasil. Segundo o médico Airton Golbert, da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia, com maior poder aquisitivo, as pessoas têm mais liberdade para consumir. Mas isso não significa, necessariamente, comer melhor. Outra questão que preocupa a classe médica é a quantidade de comorbidades (doenças associadas). Entre elas, diabetes, hipertensão e apneia do sono são as mais recorrentes.

– Se a coisa continuar assim, não teremos médicos para tratar todo mundo a partir de 2040. O controle dos demais fatores de risco não vai dar conta – afirma Bruno Caramelli, da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC).

Há opções de tratamento clínicas e cirúrgicas. A cirurgia bariátrica é uma delas, cogitada após acompanhamento clínico por mais de dois anos, sem sucesso. Útil também como tratamento complementar, pode ajudar no combate ao diabetes. Esse é um dos fatores pelos quais sua procura disparou nos últimos anos. Segundo dados da Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica, o número de operações deste tipo feitas no Brasil subiu de 16 mil, em 2003, para 60 mil, em 2010.
 
Daniela perdeu 60kg
Aos 32 anos, a fisioterapeuta e instrutora de pilates Daniela Ernesto resolveu dar um basta na situação que vivia quando subiu na balança e viu o ponteiro marcar 118kg. Depois de 15 anos tentando emagrecer, optou por fazer a cirurgia bariátrica para perder peso e mudar seu estilo de vida. Os planos para o futuro, a saúde e a profissão influíram na decisão.

Sabendo dos riscos que corria e alertada sobre as dificuldades do pós-operatório, Daniela passou por um preparo que envolvia consultas com cinco especialistas diferentes – psicólogo, nutricionista, cardiologista, endocrinologista e clínico geral. Três anos depois, com 60kg a menos, diz se sentir renovada:

– No inicio, eu continuava com pensamento de gordinha. Fazia comida demais, ficava preocupada se ia passar nas frestas e não sabia que número de roupa vestir. Mas me orgulho quando minhas alunas dizem “quero ficar igual a ti”.

A fisioterapeuta alerta sobre custos que nem sempre são informados. Segundo ela, além dos R$ 21 mil da cirurgia, R$ 400 mensais foram gastos durante sete meses para repor vitaminas e evitar a queda de cabelos, dentes ou cílios. Mas também há a opção via Sistema Único de Saúde (SUS).

Fonte Zero Hora

Saiba qual a alimentação adequada para antes e depois dos treinos

A banana é uma das frutas indicadas para antes dos treinos
Carboidratos são indicados para antes e proteínas para depois de se exercitar
 
Entre as dúvidas mais recorrentes quando o aluno começa a frequentar uma academia é a questão da alimentação. Estômago vazio ou cheio? O que comer antes e depois?
 
Conforme a personal trainer Marina Matarezi, o principal objetivo de uma refeição pré-treino é fazer com que o atleta não se sinta fraco nem cansado durante uma atividade. O segredo é o equilíbrio: nem o jejum, nem o estômago cheio são indicados. Ambos podem diminuir o desempenho e trazer problemas como indigestão, náuseas e outros.
 
— O ideal é o consumo de carboidratos, não em grande quantidade, mas o suficiente para durar o treino todo. Os carboidratos conferem "energia" para treinar e não costumam pesar no estômago, são de rápida digestão e absorção — diz Marina.
 
Na opinião de Karina Barros, nutricionista e consultora da Associação Brasileira de Alimentos Para Fins Especiais e Congêneres (Abiad), frutas como banana, laranja, maçã, pêra ou mesmo as frutas secas são indicadas.
 
— Cuidado com o excesso de carboidratos simples como refrigerantes, pães ou doces, porque possuem altos índices glicêmicos e não são recomendados — adverte a nutricionista.
 
Intervalo mínimo
Outra dúvida frequente é sobre o tempo de intervalo entre a alimentação e o treino. Segundo a personal, este tempo precisa ser suficiente para o alimento ser digerido e absorvido, evitando o desconforto e garantindo reservas de glicogênio para os músculos.
 
— Sem o glicogênio, o corpo tem mais dificuldade de queimar gorduras e rouba as proteínas da massa magra para usar como combustível — explica Marina.
 
Para a nutricionista Karina, uma alimentação fracionada e com horários adaptados à atividade física é essencial para evitar a hipoglicemia.
 
— A escolha dos alimentos corretos também colabora para níveis glicêmicos adequados e para um melhor rendimento nos treinos — reitera.
 
A ingestão de proteína deve ser priorizada após os treinos, associada a uma fonte de carboidratos complexos para garantir a regeneração e a formação muscular. Como seu processo de digestão é mais demorado, seu consumo deve ser fracionado durante o dia para um melhor aproveitamento, sendo essencial após os treinos. O ideal é que a proteína seja consumida na primeira hora após a aula, quando as fibras musculares — que sofreram microlesões durante o exercício —, começam a se regenerar. O consumo de alimentos protéicos, como ovo, carnes, leite e derivados são indicados após o treino.
 
— A suplementação com módulos de proteínas passa a ser indicada em alguns casos, quando a ingestão a partir de alimentos não estiver adequada. Vale ressaltar que o excesso de proteína não é utilizado para o crescimento muscular, por isso, caso a suplementação ocorra, deve ser calculada de acordo com o peso e atividade física praticada — defende Karina.
 
Jejum não emagrece
Muitas pessoas ficam em jejum no pós-treino, porque acreditam erroneamente que esse procedimento emagrece.
 
— A refeição pós-treino é uma das mais importantes do dia. É ela que auxiliará diretamente numa recuperação rápida e eficiente, e que ajudará a atingir qualquer que seja o objetivo — diz a personal.
 
A nutricionista Karina dá sugestões de proteínas de rápida absorção com carboidratos de alto índice glicêmico para uma alimentação pós-treino: pão integral com atum e suco natural, carne magra com batatas ou mesmo macarrão integral, peito de frango com arroz e legumes, entre outras combinações.
 
Mas, será indicado tomar algum suplemento durante a atividade física, como por exemplo, a maltodextrina?
 
— Durante a musculação não é necessário tomar esse tipo de suplemento, exceto se for uma atividade física prolongada e intensa, ou atletas que treinam pesado, como no caso dos fisiculturistas. Ou ainda, se for o caso de alguém que tenha dificuldade de ganhar massa e deseja ganhar peso — esclarece Marina.
 
A personal alerta para outro fator relevante: a água, fundamental para o treinamento físico, é importante a qualquer momento — antes, durante e depois dos exercícios — para hidratar o corpo e manter a temperatura equilibrada.
 
Fonte Zero Hora

Robótica aplicada à melhoria na qualidade assistencial é tema de seminário em Porto Alegre

Hospital Moinhos de Vento receberá especialista em automação hospitalar de Barcelona
 
O Hospital Moinhos de Vento, de Porto Alegre, promove um seminário sobre automatização e robótica para a melhoria na qualidade assistencial e redução de custos nos processos hospitalares na próxima quarta-feira, dia 31.
 
O diretor dos serviços clínicos centrais do Hospital Universitário Vall D'Hebron, de Barcelona, na Espanha, Josep Monterde Junyent, fará uma palestra sobre o assunto, apresentando soluções em sistemas de automação e robótica para armazenagem e dispensação de materiais médicos hospitalares e medicamentos.
 
Também será apresentada a experiência de automação na farmácia hospitalar do Hospital Moinhos de Vento pela farmacêutica Lisiane Leal. Desde 2010, estão implantados na instituição sistemas de dispensários eletrônicos integrados ao sistema informatizado do hospital, garantindo a segurança do paciente e gestão dos estoques.
 
O evento ocorrerá no Anfiteatro Schwester Hilda Sturm, no 4º andar Bloco C, das 8h30min às 12h30min. Informações e inscrições pelo telefone (51) 3331-8586.
 
Fonte Zero Hora