Aplicativos, carreira, concursos, downloads, enfermagem, farmácia hospitalar, farmácia pública, história, humor, legislação, logística, medicina, novos medicamentos, novas tecnologias na área da saúde e muito mais!


quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

Condromalácia patelar: seis dicas para acabar com as dores no joelho

Mulheres são as mais atingidas pela condição que pode causar dores constantes ou crises agudas

Condromalácia patelar é um desgaste na cartilagem do joelho, numa região chamada condilo femoral, que acaba ocasionando dor e inflamação no local. Ela é mais comum em mulheres e é dividida basicamente em quatro níveis, de acordo com a gravidade do comprometimento da patela. Quem sofre com algum grau de condromalácia patelar pode experimentar muita ou nenhuma dor, independente do grau indicado no diagnóstico. Além disso, por causar uma inflamação, pessoas com condromalácia patelar podem ter crises agudas de dor que, nestes casos, necessitam de medicação.

Não há consenso sobre as possíveis causas da condromalácia patelar, mas os médicos acreditam que certas atitudes, como estresse repetitivo das articulações do joelho (quando se pratica esportes de corrida ou saltos, por exemplo), podem favorecer o seu aparecimento. Também pode estar relacionado a uma condição muscular fraca na região do joelho e quadril, ou a um trauma no local, como uma fratura ou deslocação.

Outros fatores incluem falta de alongamento, exercícios feitos de forma inadequada, sobrepeso ou obesidade, hiperpressão patelar, artrose e uso constante de saltos. Independentemente da causa ou o grau da condromalácia patelar, gênero ou idade, o paciente pode sentir dores constantes, ao fazer alguns movimentos, ou apenas ter crises agudas de muita dor.

Algumas dicas ajudam a passar por todos esses momentos com mais conforto:

Manter um peso saudável
Qualquer tipo de sobrecarga da articulação do joelho pode favorecer o aparecimento da dor. Apesar do excesso de peso não ser o único fator que gera sobrecarga, ele pode favorecer a dor relacionada à condromalácia patelar. "O aumento da pressão é responsável pelo aumento da dor, independentemente do grau da doença. Se a pessoa tem grau um (mais leve) de condromalácia patelar e não se cuida, está sedentária, com sobrepeso e outros fatores ela pode ter dor, enquanto alguém com grau quatro (mais grave) que faz o oposto pode não ter dores", diz Sandra Umeda Sasaki, ortopedista do Hospital Sírio-Libanês.

Compressas geladas
Para aliviar a dor decorrente da condromalácia patelar, principalmente nos casos agudos, uma compressa de gelo pode ser de grande ajuda, mas é preciso critério. "Numa situação de dor aguda, bem comum em corredores, que tem dor no mesmo dia ou no dia seguinte às provas ou treinos, é indicado o uso de compressas de gelo. Da mesma forma no caso de traumas, uma batida, por exemplo", aconselha Sandra. Nestes casos, "se deve fazer a compressa com gelo por 20 minutos três vezes ao dia, mas é preciso atentar para que o gelo fique em cima da patela e não dos lados do joelho, pois há nervos no local e isso pode gerar dormência", diz Vinícius de Mathias Martins, ortopedista do Hospital São Luiz Morumbi.

Sentar com as pernas mais esticadas
A forma que você senta e cruza as pernas pode acarretar em dores no joelho. Elas não podem ficar flexionadas demais ou paradas muito tempo na mesma posição. No trabalho, inclusive, é importante atentar para que se tenha espaço para movimentá-las. "Você deve se sentar com as pernas na mesma altura do quadril, mas de forma que elas fiquem posicionadas um pouco mais esticadas para diminuir a pressão na patela, uma vez que quanto mais esticada menor a pressão exercida", afirma Martins. Não sentar por cima das pernas, com "pernas de índio", não ficar com a perna cruzada por muito tempo e não se deitar em cima da patela também são dicas de como evitar a dor.

Praticar exercícios
"Após a avaliação do fisioterapeuta devem ser prescritos exercícios específicos incluindo os isométricos. Estes são aplicados principalmente no início do tratamento pois não forçam e/ou sobrecarregam a articulação do joelho por não promoverem movimento articular", afirma Rodrigo Peres, fisioterapeuta diretor da Central da Fisioterapia. Segundo a ortopedista Sandra, exercícios de impacto, como os que envolvem saltar e os agachamentos, devem ser evitados quando há dor. "Quando for usar a bicicleta na academia deixe o banco mais alto que o normal para evitar a flexão do joelho, pode subir o banco até cinco dedos fechados acima do que você usa normalmente", orienta a especialista. O fortalecimento dos músculos da região, de forma correta, ajuda a prevenir dores relacionadas à condromalácia patelar.

Evitar escadas
A flexão do joelho pode causar ou piorar as dores de quem tem condromalácia patelar. "A orientação é diminuir atividades com sobrecarga e que envolvam muito esforço, como subir escadas, pois isso acaba sobrecarregando muito a articulação do joelho" recomenda o fisioterapeuta Peres. Contudo, como algumas pessoas usam as escadas como exercício, o ortopedista Martins indica que elas façam alongamento antes e depois de subir e descer escadas, e que não façam isso como exercício físico antes de tratar ou durante o tratamento da condromalácia para não haver piora na dor.

Escolher bem os sapatos
O sapato deve sempre ser confortável para os pés, mas quem tem condromalácia patelar precisa prestar ainda mais atenção neste momento. Usar os calçados certos para fazer exercícios, que contemplem não só no quesito conforto e amortecimento, mas também a sua pisada, é importante para não piorar a dor ou gerar novos problemas. "O salto alto funciona como um vilão nesta história, uma vez que ele retrai a musculatura posterior, que precisa estar alongada em caso de condromalácia patelar", explica Mario Ferreti, ortopedista do Hospital Albert Einstein. A recomendação do especialista é que caso a pessoa goste muito de salto, use os modelos mais baixos e com maior apoio para o calcanhar e depois compense com um bom alongamento para evitar a dor.

Minha Vida

Anticoncepcional Tess Engorda ou Emagrece?

O Tess é um medicamento tradicional com 21 comprimidos e um dos mais populares procurados pelas mulheres. A dúvida que fica é sobre sua eficácia, indicação e se o anticoncepcional Tess engorda ou emagrece. Assim, se você está em dúvida sobre trocar de anticoncepcional ou começar a usá-lo, leia antes as informações abaixo

Este anticoncepcional é ingerido na forma de pílula e por isso deve ser ingerido todos os dias, diferente de outros métodos como adesivo ou injeção, aplicados uma única vez ao mês. Para quem costuma se esquecer de ingerir o anticoncepcional, esse não é o método mais indicado, mas quem já está acostumada pode pensar em adquirir a pílula oral.

Assim como os outros anticoncepcionais, o benefício do Tess está relacionado à prevenção da gravidez, diminuição dos sintomas da TPM e redução do fluxo menstrual. Por isso, se você tiver um desses objetivos, pode utilizá-lo.

O Anticoncepcional Tess engorda?
Algumas mulheres contam que tomaram por muitos anos e nada aconteceu, ou seja, não verificaram se o anticoncepcional Tess emagrece ou engorda. Não foi encontrado na internet nenhum relato de mulher que engordou com esse medicamento, mas isso não é regra.

Como sempre é lembrado pelos especialistas, as reações de um medicamento pode variar de mulher para mulher. Para quem não sabe, isso ocorre pois, apesar da fórmula do anticoncepcional ser a mesma, cada mulher é única e possui uma resposta metabólica aos hormônios, podendo muitas vezes gerar retenção de líquido e inchaço, enquanto que outras podem experimentar o efeito inverso e emagrecer.

Entretanto, o mais comum é não causar nenhuma modificação. Saiba que quanto mais hormônios na fórmula, mais chances de causar inchaço, e por isso algumas mulheres equivocadamente têm receio de que o anticoncepcional Tess engorda. Converse com seu ginecologista para optar pela melhor alternativa para você de acordo com seus objetivos.

Efeitos colaterais
É possível que ocorra sangramento fora do período menstrual, chamado de sangramento de escape com baixa ou média intensidade. Além disso, é normal ocorrer inchaço ou aumento da sensibilidade mamária. Outros efeitos colaterais frequentes são dor de cabeça e cansaço e outros menos comuns são depressão, insônia, alteração da libido (aumento ou diminuição), intolerância a lentes de contato e alterações na secreção cervical.

Como tomar?
O anticoncepcional vem em uma embalagem com 21 comprimidos que deve ser ingerido o primeiro no primeiro dia da menstruação e depois seguir a cartela até finalizar. O ideal é ingerir sempre no mesmo horário. Marque um horário mais fácil de lembrar, geralmente logo ao acordar ou na hora de dormir (marque no despertador).

Ao acabar a cartela, dê uma pausa de sete dias (período menstrual) e volte a tomar uma nova cartela no oitavo dia, após a menstruação. Se quiser evitar menstruar, emende uma cartela na outra, e não realize a pausa de sete dias.

Contraindicações
As contraindicações do anticoncepcional Tess são as mesmas de outros anticoncepcionais. Algumas condições médicas não são indicadas para utilização do mesmo. Na dúvida, verifique com seu médico.

Geralmente as condições contraindicadas são alergia a algum componente da fórmula, gravidez, distúrbios tromboembólicos, doenças vasculares cerebrais, tumor hepático (histórico ou atual), hepatopatias graves, icterícia idiopática, síndrome de Dubin-Johnson e Rotor, prurido persistente, neoplasia confirmada ou suspeita nas mamas ou genitais, hemorragia genital sem explicação, anemia falciforme, diabetes com alteração vascular ou distúrbios lipídicos.

Revisão Geral pela Dra. Patrícia Leite - (no G+)

Morador de Sumaré contrai zika por transfusão de sangue, confirma Hemocentro

Até então, a transmissão vinha ocorrendo por meio do mosquito Aedes aegypti

Um homem de 52 anos, morador de Sumaré, na região de Campinas, foi infectado pelo vírus zika por meio de transfusão de sangue, confirmou o Hemocentro da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas). A identificação do vírus não faz parte dos exames laboratoriais obrigatórios na triagem de doadores de sangue. Até então, a transmissão vinha ocorrendo por meio do mosquito Aedes aegypti.

Segundo o Hemocentro, em março deste ano, um portador do vírus zika notou o aparecimento de sintomas logo após fazer a doação de sangue e supôs que estivesse com dengue. O Hemocentro enviou, então, amostras do sangue do doador para o Instituto Adolfo Lutz, que confirmou a presença do vírus Zika.

De acordo com a Secretaria de Vigilância em Saúde, a zika é caracterizada por febre, dores nas articulações e manchas vermelhas pelo corpo, com duração de três a sete dias. Geralmente, não há complicações graves e registro de mortes. No mês passado, porém, o Ministério da Saúde confirmou que o vírus zika é um dos causadores da microcefalia em bebês nascidos de mães que tiveram a doença durante a gestação. O vírus começou a circular no país este ano, principalmente na região Nordeste.


Em nota, o Hemocentro pede que a população fique tranquila. “A instituição segue todos os padrões internacionais de qualidade na coleta, processamento, armazenamento e distribuição de sangue e hemoderivados”, informa o texto. “O compromisso do Hemocentro da Unicamp é de disponibilizar sangue de qualidade para o uso seguro por qualquer um de nós, uma vez que nenhuma pessoa está livre do risco de precisar de uma transfusão, em emergências e urgências, por exemplo”, destaca.

A Agência Brasil entrou em contato com a Secretaria Estadual de Saúde e com o Ministério da Saúde para confirmar se este é o primeiro caso de transmissão da zika por transfusão de sangue, mas ainda não obteve resposta.

R7

Opas/OMS redesigna Ensp/Fiocruz como referência farmacêutica

WHO Logo c300-624x624A Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (Opas/OMS) redesignou o Departamento de Política de Medicamentos e Assistência Farmacêutica (NAF), da Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca (Ensp/Fiocruz), como centro colaborador na área de Políticas Farmacêuticas

O quinto recredenciamento consecutivo atesta o elevado padrão de qualidade do trabalho realizado pelo NAF/ENSP/Fiocruz nos processos de formulação, implementação e avaliação de políticas farmacêuticas no Brasil e nos países da América Latina, Caribe e África. A designação é válida por um período de quatro anos.

Os centros colaboradores da Organização Mundial da Saúde (OMS) são um mecanismo de cooperação, de alto valor agregado, estabelecido junto a conceituadas instituições designadas pela OMS para apoiar a implantação e a execução de ações relacionadas às estratégias e objetivos da saúde, tanto em nível regional quanto mundial, além de reforçar a validade científica da saúde e fomentar o fortalecimento de capacidade institucional nos países e regiões. Para Maria Auxiliadora Oliveira, chefe do NAF/Ensp e diretora do centro colaborador da Opas/OMS, o recredenciamento e o novo status de departamento do antigo núcleo corroboram a importância do trabalho desenvolvido pelos pesquisadores em diversas frentes.

“Nosso grupo de pesquisadores, apesar de pequeno, possui grande diversidade de atuação. Participamos dos processos de formulação, implementação e avaliação de políticas farmacêuticas no Brasil e nos países parceiros; no desenvolvimento de pesquisas, elaboração de artigos científicos e documentos técnicos relacionados ao acesso a medicamentos, aos direitos de propriedade intelectual, à avaliação da assistência farmacêutica em cenários ambulatoriais e hospitalares, ao uso racional e aos preços de medicamentos. O Centro Colaborador na Área de Políticas Farmacêuticas participa ativamente de diferentes programas internacionais na sua área de abrangência, sempre em parceria com os países e intermédio da Opas/OMS. A redesiganação e a nova estrutura de departamento demonstram o reconhecimento do trabalho desenvolvido desde 1996”.

Vice-presidente de Produção e Inovação em Saúde da Fiocruz e um dos criadores do NAF, Jorge Antonio Zepeda Bermudez destacou a importância do departamento no cenário nacional e internacional no que diz respeito ao acesso a medicamentos.

“O recredenciamento do NAF como centro colaborador da Opas/OMS amplia ainda mais o escopo de atuação deste novo departamento da Ensp - aprovado durante assembleia geral da Escola em 2015 - nas políticas de acesso a medicamento nas américas e em outros países, principalmente na África, continente que a Fiocruz vem ampliando suas atividades. Ao ser alçado ao status de departamento de uma das maiores instituições de saúde pública do mundo, o NAF comprova sua importância dentro desta área temática, seja na ENSP, na Fiocruz, no Brasil e no mundo na questão dos acessos a medicamentos”.

O credenciamento original do único Centro Colaborador da Ensp na Opas/OMS aconteceu em 1998.

Fonte: Informe Ensp

Anvisa suspende divulgação de suplemento Kefir Real

A Anvisa determinou a suspensão da divulgação de publicidade do produto Kefir Real – Suplemento Vitamínico Mineral

A medida foi motivada pela comprovação da divulgação irregular do produto, com indicações e alegações terapêuticas sem comprovação.

O suplemento é fabricado pela empresa Lapon Indústria Farmacêutica Ltda. e não possui registro na Agência.

A medida está na Resolução 3.453/2015 publicada quinta-feira (17/12) no Diário Oficial da União (DOU).

ANVISA

Anvisa suspende produtos de higiene Biguagel

A Anvisa determinou a suspensão da divulgação a fabricação, distribuição, divulgação, comercialização e uso dos produtos Biguagel 1, Biguagel 2 e Biguagel 0,3% Gel PMBH, fabricados pela empresa Cosmoderma Indústria e Comércio Ltda – ME.

A medida foi motivada pelo cancelamento da notificação do grau 2 pelos produtos e por atribuir em sua rotulagem indicações técnicas terapêuticas para tratamento de feridas dérmicas.

A Anvisa determinou que a empresa promova o recolhimento do estoque existente no mercado.

A medida está na Resolução 3.451/2015 publicada quinta-feira (17/12) no Diário Oficial da União (DOU).

ANVISA

Anvisa suspende cosmético Dimiron

A Anvisa determinou a suspensão da fabricação, distribuição, divulgação, comercialização e uso do cosmético Dimiron, fabricado pela empresa Biocosmética Indústria e Comércio Ltda.

A medida foi motivada pela comprovação de alegações não permitidas no rótulo do produto.

A Anvisa determinou que a empresa promova o recolhimento do estoque existente no mercado.

A medida está na Resolução 3.452/2015 publicada quinta-feira (17/12) no Diário Oficial da União (DOU).

ANVISA

ANS reforça campanha contra mosquito transmissor da dengue e zika

Com o intuito de disseminar as orientações de prevenção e combate ao Aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue, da chikungunya e do zika vírus, a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) está reforçando a campanha do Ministério da Saúde para este fim

ciclo mosquito

A ação visa alertar a população em geral e estimular as operadoras de planos de saúde para que orientem os beneficiários sobre a necessidade de eliminar o mosquito, face ao aumento de casos de dengue e da confirmação da relação entre o vírus zika e o surto de microcefalia na região Nordeste.

Uma das principais ações contra o mosquito é a conscientização da população sobre o seu papel de eliminar locais nos quais o Aedes aegypti pode se reproduzir, como vasos de plantas, lixo e garrafas pet abandonadas. Por isso, a campanha chama a atenção para importância da limpeza, com a mensagem “Sábado da faxina. Não dê folga para o mosquito da dengue”. O material alerta que “Se o mosquito da dengue pode matar, ele não pode nascer”, reforçando que o mesmo inseto também transmite os vírus chikungunya e zika.

A campanha está sendo veiculada na TV, rádio, internet e redes sociais. Em 15 minutos, é possível fazer uma vistoria nas casas e eliminar os locais que podem se transformar em criadouros do Aedes aegypti.

Saúde suplementar
A ANS esclarece que o exame para detecção da dengue tem cobertura obrigatória prevista no Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde. A sorologia Elisa para pesquisa de anticorpos (IgG e IgM) é o método recomendado pelo Ministério da Saúde para a confirmação laboratorial da doença. Além dele, outros exames complementares também podem ser utilizados para o diagnóstico e têm cobertura obrigatória pelos planos, tais como: hemograma, contagem de plaquetas, prova do laço, dosagem de albumina sérica e transaminases, além de radiografia de tórax (PA, perfil e incidência de Laurell), ultrassonografia de abdome e outros exames, conforme necessidade (glicose, ureia, creatinina, eletrólitos, gasometria, TPAE e ecocardiograma).

A partir de janeiro de 2016, os planos de saúde passarão a cobrir também os testes rápidos para detectar dengue e os exames para detecção da febre chikungunya. Na maioria dos casos, o diagnóstico presumido do vírus zika pode ser feito pela exclusão da dengue e da febre chikungunya. Até o momento, o tratamento para zika é clínico e baseia-se no controle dos sintomas da doença, semelhante ao que ocorre com a dengue e a chikungunya. Tal tratamento é coberto pelos planos de saúde.

Fonte: ANS

Semana de Mobilização Nacional para a Doação de Medula Óssea

A história do jovem Pietro Albuquerque, vítima de leucemia mielóide aguda pouco antes de completar 20 anos, tornou-se um marco na doação de medula. Após a sua morte, a Câmara Federal aprovou a “Lei Pietro” que instituiu a Semana de Mobilização Nacional para Doação de Medula Óssea, realizada anualmente, de 14 a 21 de dezembro

Semana Nacional de Doação de Medula

A semana tem como objetivo promover a doação e usa a frase: "Neste Natal, dê um presente a quem precisa de você para viver: cadastre-se como doador de medula".

Para reunir as informações (nome, endereço, resultados de exames, características genéticas) de pessoas que se dispõem a doar medula para o transplante, foi criado, em 1993, o Registro Nacional de Doadores Voluntários de Medula Óssea (REDOME), coordenado pelo Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA) desde 1998. Desta forma, com as informações do receptor, que não disponha de doador aparentado, busca-se no REDOME um doador cadastrado que seja compatível com ele e, se encontrado, articula-se a doação.

O número de doadores voluntários tem aumentado expressivamente nos últimos anos. Em 2000, existiam 12 mil inscritos. Naquele ano, dos transplantes de medula realizados, apenas 10% dos doadores eram brasileiros localizados no REDOME. Em novembro de 2015 o Registro alcançou mais de 3,8 milhões de inscritos. Sendo assim, a chance de se identificar um doador compatível, no Brasil aumentou. Na fase preliminar da busca a chance é de até 88%, e ao final do processo, 64% dos pacientes têm um doador compatível confirmado encontrado no REDOME. O Brasil tornou-se o terceiro maior banco de dados do gênero no mundo, ficando atrás apenas dos Registros dos Estados Unidos (em torno de 7,9 milhões de doadores) e da Alemanha (cerca de 6 milhões de doadores).

Algumas doenças do sangue como a anemia aplástica grave, mielodisplasias e alguns tipos de leucemias podem ter o transplante como única esperança de cura. E quando não há um doador aparentado (um irmão ou outro parente próximo, geralmente um dos pais), a solução é procurar um doador compatível não aparentado no REDOME.

Para que se realize o transplante de medula é necessário que haja uma total compatibilidade entre doador e receptor. Caso contrário, a medula será rejeitada. A análise de compatibilidade é realizada por meio de testes laboratoriais específicos, a partir de amostras de sangue do doador e receptor, chamados de exames de histocompatibilidade. Com base nas leis da genética, as chances de um indivíduo encontrar um doador ideal entre irmãos (mesmo pai e mesma mãe) é de 25%, enquanto que, entre indivíduos não aparentados, é, em média, de 1 em 100 mil.

Antes da doação, o doador faz um rigoroso exame clínico incluindo exames complementares para confirmar o seu bom estado de saúde. Não há exigência quanto à mudança de hábitos de vida, trabalho ou alimentação. A doação é feita em centro cirúrgico, sob anestesia, e tem duração de aproximadamente duas horas. A medula óssea do doador se recompõe em apenas 15 dias. Nos primeiros três dias após a doação pode haver desconforto localizado, de leve a moderado, que pode ser amenizado com o uso de analgésicos e medidas simples. Normalmente, os doadores retornam às suas atividades habituais depois da primeira semana após a doação. Há outro método de doação chamado coleta por aférese, neste caso não há necessidade de internação nem de anestesia, sendo todos os procedimentos feitos por via sanguínea.

Já o receptor deve se submeter a um tratamento que destrói as células sanguíneas doentes de sua medula óssea, e recebe as células sadias como se fosse uma transfusão de sangue. Durante o período em que estas células ainda não são capazes de produzir glóbulos brancos, vermelhos e plaquetas em quantidade suficiente para manter as taxas dentro da normalidade, o paciente fica mais exposto a episódios infecciosos. Por isso, deve ser mantido internado no hospital. Cuidados com a dieta, limpeza e esforços físicos são necessários.

Muitos podem ajudar se cadastrando como doador. Para isso é preciso ter entre 18 e 55 anos de idade e gozar de boa saúde. Para se inscrever, o candidato a doador deverá procurar o hemocentro mais próximo de sua casa e ter feito a coleta de uma amostra de sangue (de 5 a 10ml) para a tipagem de HLA (características genéticas importantes para a seleção de um doador). Os dados do doador são inseridos no cadastro do REDOME e, sempre que surgir um novo paciente, a compatibilidade será verificada. Uma vez confirmada, o doador será consultado para decidir quanto à doação. O transplante de medula óssea é um procedimento seguro, realizado em ambiente hospitalar.

Saiba mais http://redome.inca.gov.br/

Fonte: Blog da Saúde

Saúde vai rever portaria que reduziu número de agentes de combate a endemias

O ministro da Saúde, Marcelo Castro, informou ontem (16) que a pasta vai rever a Portaria 1.025 que, na prática, diminuiu o número de agentes de combate a endemias nos municípios

A portaria, publicada em julho, define o número máximo de agentes a serem contratados pelos gestores locais com recursos da União. Esses profissionais estão entre os responsáveis pelo combate ao mosquito Aedes aegypti, vetor do vírus da dengue, da febre chikungunya e do Zika.

Segundo o ministro, depois da portaria, os recursos para defesa de vigilância epidemiológica aumentaram. “Estamos repassando para os municípios mais recursos do que passávamos antes da portaria. O problema é que os prefeitos não estão compreendendo que podem usar esses recursos para pagar os agentes de combate às endemias”, afirmou o ministro, em entrevista a jornalistas depois de debate na Câmara dos Deputados sobre o aumento do número de casos de microcefalia no Brasil.

Marcelo Castro acrescentou que o ministério está em diálogo com o Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde para substituir a portaria por outra que deixe claro que as verbas repassadas poderão ser usadas na contratação de agentes, independentemente do número máximo pago pela União.

Agência Brasil

Concurso Prefeitura de Cascalho Rico - MG

A Prefeitura de Cascalho Rico, no Estado de Minas Gerais, lançou o edital nº 01/2015 de concurso público. São oferecidas vagas de ensino fundamental, médio e superior, visando a contratação de 188 novos profissionais.

As chances são para: Agente de Vigilância Sanitária, Analista de Sistema, Assistente Social, Auxiliar Administrativo, Auxiliar de Saúde Bucal, Auxiliar de Serviços Gerais, Cirurgião Dentista, Coordenador de Contratos e Convênios, Coveiro, Enfermeiro Padrão, Especialista em Educação, Farmacêutico, Fisioterapeuta, Fiscal Sanitário, Gari, Gestor de Recursos Humanos, Gestor de Bens Patrimoniais, Médico Generalista, Motorista, Motorista de Ambulância, Nutricionista, Oficial Administrativo, Operador de Máquinas, Professor de várias disciplinas, Psicólogo e Técnico em Enfermagem.

O salário ofertado vai de R$ 788,00 a R$ 7.000, em jornadas de trabalho de 20 a 40 horas semanais.

As inscrições serão aceitas no período de 15 de fevereiro até 15 de março de 2016, na Prefeitura, localizada na Rua Arédio Santos, nº 111, Centro, Cascalho Rico/MG, no horário de 9h às 11h e de 13h às 16h, ou pelo site www.reisauditores.com.br.

O valor da taxa de inscrição vai de R$ 31,00 até R$ 120,00. A prova escrita objetiva está prevista para ser aplicada no dia 10 de abril de 2016, no município de Cascalho Rico/MG.

O local e horário serão previamente informados com antecedência no site acessado para efetuar a inscrição.

O concurso público será válido por dois anos, contados da data da homologação do resultado final, podendo ser prorrogado por igual período, a critério da Administração.

Prefeitura de Luiziânia - SP abre concurso público

A Prefeitura Municipal de Luiziânia, Estado de São Paulo, lançou edital n° 049/2015 de concurso público, com o fito de ocupar cinco vagas, mais cadastro de reserva, para cargos de níveis fundamental, médio e superior, por salários de até R$ 7.130,00 em carga horária de 20 a 40 horas semanais.

As oportunidades são para auxiliar de serviços gerais feminino, escriturário, farmacêutica, fonoaudióloga, gerente de transporte da saúde, médico ESF, professor de educação infantil – 0 a 3 anos e professor PEB I – ensino fundamental de 1º ao 5º ano. As inscrições deverão ser efetuadas até 30 de dezembro de 2015, através da internet no site eletrônico da CEMAT ( www.cematconcurso.com.br ).

As taxas variam de R$ 40,00, R$ 50,00 e R$ 60,00; de acordo com a função escolhida. Àquelas pessoas que não tiverem acesso particular a rede mundial de computadores (Internet) poderão utilizar o ACESSA SP, em horário de expediente, localizado à Praça Santos Dumont, nº 118, Centro, na cidade de Luiziânia - SP.

As provas serão aplicadas na cidade de Luiziânia-SP, na E.M.E.F. “Profº Mario Frota Escobar”, sita à Avenida Francisco Rossani, s/n°, Centro, na data prevista de 17 de janeiro de 2016 (domingo), com início às 9h.

O concurso terá validade de um ano, contado da data de sua homologação, podendo ser prorrogado por igual período, se o interesse público assim o exigir e a critério da Administração Municipal, nos termos do art. 109, inciso III, da Lei Orgânica do Município.

Prefeitura de Ascurra - SC lança edital de processo seletivo

Lançado edital nº 002/2015 de processo seletivo da Prefeitura de Ascurra, em Santa Catarina, prevendo à formação de cadastro reserva na função de Técnico de Enfermagem. O contratado fará jus a remuneração de R$ 1.063,78 mais adicional de insalubridade e vale alimentação de R$ 290,50, subordinando-se ao regime da CLT.

As inscrições, no valor de R$ 20,00, serão efetuadas no setor de Recursos Humanos da Prefeitura Municipal, no período entre 8h do dia 15 e 12h do dia 29 de janeiro de 2016. Antes do comparecimento, é preciso acessar o site da Prefeitura (www.ascurra.sc.gov.br), ler o edital e seus anexos e preencher o requerimento de inscrição.

A prova escrita objetiva será aplicada na data provável de 14 de fevereiro de 2016, às 09h, em local a ser definido e divulgado no mural da Prefeitura, no Diário Oficial dos Municípios – DOM e no site oficial do município.

O gabarito oficial da prova escrita objetiva será divulgado no primeiro dia útil posterior ao da aplicação e a relação com a classificação dos candidatos aprovados será publicada até 24 de fevereiro de 2016.

O contrato temporário poderá ser prorrogado uma única vez, desde que a soma dos dois contratos não exceda a dois anos, com exceção do Parágrafo Único do Art. 4º de Lei nº1053/07 – que prevê: o prazo máximo de contratação na área de educação será de 11 meses por ano letivo.

Edital publicado no Diário Oficial dos Municípios - SC, do dia 15 de dezembro de 2015, a partir da pág. 14 (http://edicao.dom.sc.gov.br/1450203319_edicao_dom_1891.pdf).

Concurso Prefeitura de Mendes - RJ

No Estado do Rio de Janeiro, a Prefeitura de Mendes publicou edital Nº. 003/2015 de concurso público para provimento de cargos em contratações imediatas e formação de cadastro reserva. Sob coordenação técnica do Instituto Brasileiro de Educação e Gestão – IBEG, o concurso pretende recompor parte do quadro efetivo de servidores, ofertando 176 vagas para níveis fundamental, médio e superior, com salários de até R$ 6.500,00, para carga horária de 20 ou 40h semanais.

Aos candidatos portadores de necessidades especiais, ficam reservadas 5% das vagas oferecidas no concurso. Cargos: Artífice de Manutenção (Borracheiro, Eletricista de Autos, Lanterneiro/Pintor de Autos, Lavador de Autos, Mecânico Álcool/Gasolina, Mecânico Diesel, Pedreiro e Soldador), Cuidador de Residência Terapêutica, Motorista cat. D, Assistente Administrativo, Auxiliar de Consultório Dentário, Fiscal (Obras, Postura, Tributos e Sanitário), Técnico (Ambiental, Laboratório, Segurança do Trabalho, Contabilidade, Edificações, Enfermagem e Química), Educador Social, Advogado, Arquiteto, Assistente Social, Contador, Enfermeiro, Engenheiro Civil, Farmacêutico, Fisioterapeuta, Fonoaudiólogo, Ginecologista, Médico (ESF e Trabalho), Veterinário, Nutricionista, Obstetra, Psicólogo, Psiquiatra, Terapeuta Ocupacional e Cirurgião Dentista.

Os interessados em concorrer a uma das vagas devem acessar, até o dia 10 de janeiro de 2016, o site www.ibeg.org.br.

Será disponibilizado, equipamento de informática juntamente com operador, aos interessados que não dispuserem de acesso à internet para a realização das inscrições no seguinte local: Biblioteca Municipal localizada no Ciep - Rua Alberto Torres n° 82, centro, ao lado da Câmara Municipal de Mendes, de Segunda a Sexta-feira em horário comercial, até o término das inscrições.

A taxa de inscrição é de:
Nível fundamental: R$ 35,00;
Nível médio: R$ 53,00;
Nível superior: R$ 75,00.

O concurso consistirá de provas objetivas, práticas e títulos.

Os títulos deverão ser anexados ao sistema durante o período de inscrição. Já a realização da prova objetiva está prevista para 31 de janeiro de 2016, em locais e horários a serem divulgados em tempo hábil, no mesmo site acessado para inscrição.

A divulgação dos gabaritos estão previstos para 1 de fevereiro de 2016, através do site www.ibeg.org.br.

Haverá prova prática somente para o cargo de Motorista categoria D, prevista para 23 de fevereiro de 2016.

Será divulgado nos dias 27 e 28 de fevereiro de 2016, o resultado preliminar da prova prática.

O prazo de validade do concurso público será de dois anos, a contar da data da homologação do resultado pelo prefeito municipal, podendo ser prorrogado uma vez, por igual período, a critério da Prefeitura de Mendes/RJ. Edital foi publicado no Diário Oficial dos Municípios do Estado do Rio de Janeiro, do dia 14 de dezembro de 2015, a partir da pág. 8. 

Concurso da Prefeitura de Resende Costa - MG

Através da empresa JCM – Consultoria Municipal Ltda, foi aberto o edital n° 001/2015 de concurso público da Prefeitura de Resende Costa, no Estado de Minas Gerais, para provimento de 32 vagas, em cargos de níveis fundamental, médio e superior, por ganhos vão até R$ 3.311,98 em carga horária de 20 a 44 horas semanais.

Chances oferecidas são para os cargos de Agente de Combate a Endemias, Agente Sanitário de Nível Superior, Auxiliar de Enfermagem, Auxiliar de Saúde Bucal do PSF, Auxiliar de Secretaria Escolar, Bibliotecário, Cirurgião Dentista do PSF, Educador Físico, Farmacêutico, Monitor de Creche, Secretário Escolar, Tesoureiro, Agente Comunitário de Saúde - PSF, Calceteiro, Carpinteiro, Instrutor de Música, Motorista, Operador de Máquinas e Pedreiro.

As inscrições serão efetuadas via internet, através do site www.jcmconcursos.com.br, no período de 8h do dia 22 de fevereiro até às 22 horas do dia 22 de março de 2016.

As taxas variam de R$ 55,00 a R$ 100,00 de acordo com o emprego escolhido.

Estará disponível a qualquer interessado um posto de atendimento para inscrição, na Prefeitura Municipal de Resende Costa, Rua Maria Cândida de Andrade, 91. Centro, em Resende Costa - MG, de 22 de fevereiro a 22 de março de 2016, exceto sábados, domingos e feriados, das 8h as 11h e de 13h as 17h.

Todos os candidatos serão submetidos à prova objetiva que será realizada no município de Resende Costa, provavelmente no dia 24 de abril de 2016, pela manhã.

As listagens com os resultados da prova objetiva estarão disponíveis, no site www.jcmconcursos.com.br e serão afixadas na sede da Prefeitura Municipal de Resende Costa, a partir do dia 06 de maio de 2016.

As provas práticas serão realizadas no dia 29 de maio de 2016, em local e horário a serem informados na lista de convocação a ser divulgada no Quadro de Avisos da Prefeitura Municipal e no site www.jcmconcursos.com.br, a partir do dia 23 de maio de 2016.

O prazo de validade do concurso é de dois anos, a contar da data de publicação de sua homologação, podendo ser prorrogado uma única vez por igual período.

Concurso Prefeitura de Barbacena - MG

A Prefeitura de Barbacena, em Minas Gerais, lançou edital n° 001/2015 para realização de concurso público, que dispõe de 639 vagas em diversas áreas, por salários que vão de R$ 788,00 a R$ 8.585,05 em carga horária de 20 a 40 horas semanais.

As oportunidades são para profissionais de todos os graus de ensino, distribuídas nos seguintes cargos: Advogado, Analista Administrativo, Assistente Social, Contador, Enfermeiro, Engenheiro de Agrimensura, Engenheiro Civil, Farmacêutico, Fiscal de Rendas, Médico, Médico Auditor, Médico Cirurgião Geral, Médico Neurologista Infantil, Médico Oftalmologista; Médico Regulador, Médico Ginecologista/Obstetra, Médico Endocrinologista, Médico Psiquiatra, Médico Pediatra, Médico Urologista, Professor I, Psicólogo, Tecnólogo Executivo e demais cargos.

O certame será realizado pela Fundação CefetMinas e as inscrições poderão ser efetuadas no período entre o dia 17 de fevereiro e 23h59 de 17 de março de 2016, considerando como horário oficial o de Brasília,, mediante o pagamento da respectiva taxa, por meio de boleto eletrônico, pagável em toda a rede bancária, observados os horários de atendimento e das transações financeiras de cada instituição.

A inscrição será efetuada, exclusivamente via internet, no endereço eletrônico da Fundação CefetMinas: http://concursos.fundacaocefetminas.org.br.

O valor da taxa varia de acordo com o nível de escolaridade: R$ 110,00 para empregos de nível superior; R$ 80,00 para cargos de nível médio e R$ 40,00 para cargos de ensino fundamental.

O concurso público constará de duas etapas:
Na primeira, que deverá ocorrer provavelmente no dia 10 de abril de 2016, os candidatos realizarão Prova Objetiva de Múltipla Escolha – Eliminatória e Classificatória para todos os cargos.

Na segunda etapa, estão previstas Prova de Títulos - Classificatória para os cargos de Nível Superior: Advogado, Analista Administrativo, Assistente Social, Contador, Enfermeiro, Engenheiro de Agrimensura, Engenheiro Civil, Farmacêutico, Fiscal de Rendas, Médico, Médico Auditor, Médico Cirurgião Geral, Médico Neurologista Infantil, Médico Oftalmologista; Médico Regulador, Médico Ginecologista/Obstetra, Médico Endocrinologista, Médico Psiquiatra, Médico Pediatra, Médico Urologista, Professor I, Psicólogo e Tecnólogo Executivo. Além de Prova Prática - Eliminatória e Classificatória para o cargo de Auxiliar de Serviços Gerais.

O cartão definitivo de inscrição - CDI contendo o local, a sala e o horário de realização de cada avaliação será disponibilizado no endereço eletrônico http://concursos.fundacaocefetminas.org.br, na data provável de 28 de março de 2016.

Os gabaritos oficiais das provas objetivas de Múltipla Escolha serão divulgados no endereço eletrônico concursos.fundacaocefetminas.org.br, na data prevista 12 de abril de 2016.

O prazo de validade deste concurso público é de dois anos, a contar da data de sua homologação, podendo ser prorrogado uma vez por igual período, a critério exclusivo do Poder Executivo do Município de Barbacena. 

Concurso na Prefeitura de Novo Cruzeiro - MG

A Prefeitura de Novo Cruzeiro, no interior do Estado de Minas Gerais, torna público o edital nº 001/2015 de concurso público. A finalidade é a contratação imediata de 90 profissionais de ensino fundamental, médio e superior. O salário ofertado varia entre R$ 788,00 a R$ 8.000,00, em jornadas de trabalho de 20 até 40 horas por semana.

Serão contratados profissionais nos cargos de: Advogado, Agente de Endemias, Artesão, Assistente Técnico da Educação Básica, Auxiliar Administrativo, Auxiliar Consultório Dentário, Auxiliar de Assistente Social, Auxiliar de Cuidador, Auxiliar de Mecânico, Auxiliar de Serviços Gerais, Bioquímico, Borracheiro, Cozinheiro, Cuidador, Digitador, Engenheiro Ambiental, Fonoaudiólogo, Médico PSF, Médico Neurologista, Ginecologista/Obstetra, Ortopedista, Pediatra, Urologista, Ultrassonografista , Odontólogo, Operador de Máquina Leve, Professor PEB II - Educação Física, Língua Portuguesa, Matemática, Recepcionista, Soldador, Técnico de Farmácia, Técnico em Radiologia e Vigia.

As inscrições podem ser feitas no período de 24 de fevereiro até 24 de março de 2016, na Praça Sargento Noraldino Rosa, nº 255, Centro, no horário de 8h ás 16h ou pelo site: www.agoraconsultoria.srv.br.

A taxa de inscrição varia de R$ 22 a R$ 25.

Mediante aplicação de provas escrita objetiva e análise de títulos, os inscritos serão selecionados de acordo com os métodos de avaliação para cada cargo.

A prova objetiva está prevista para ser aplicada no dia 24 de abril de 2016, em local e horário a serem comunicados no site acessado para efetuar a inscrição.

O prazo de validade do concurso público é de dois anos, contados da data da homologação do seu resultado final, podendo ser prorrogado por igual período, uma única vez, a critério da Administração Municipal.

Prefeitura de Anísio de Abreu - PI promove concurso público

A Prefeitura de Anísio de Abreu, localizada no Estado do Piauí, com 9.597 habitantes, realizará concurso público regido pelo edital nº 01/2015, que visa admissão de novos profissionais em cargos de todos os níveis de escolaridade. Serão providas 135 vagas e formação de cadastro reserva no quadro geral de servidores e os ganhos vão até R$ 2.500,00.

O certame ficará a cargo do Instituto Machado de Assis e ainda reserva de 5% das vagas para pessoas portadoras de deficiência. As vagas abertas são para carreiras de Agente Comunitário de Saúde, Agente de Endemias, Auxiliar Administrativo, Auxiliar de Enfermagem, Auxiliar de Serviços Gerais, Farmacêutico, Cirurgião Dentista, Digitador, Enfermeiro, Fisioterapeuta, Fonoaudiólogo, Médico Veterinário, Médico PSF, Médico Urgentista, Motorista "B", Motorista "D", Nutricionista, Psicólogo, Recepcionista, Técnico em Enfermagem, Técnico em Higiene Bucal, Professor Ensino Infantil e Fundamental, Professor de Matemática, Professor de Ciências Naturais, Professor de Inglês, Professor de Educação Física, Professor de História, Professor de Geografia, Professor de Português, Psicopedagogo, Contador, Engenheiro Civil, Gari, Operador de Máquinas Pesadas, Procurador do Município, Técnico de Contabilidade, Eletricista, Assistente Social e Orientador Social.

As inscrições seguem abertas até o dia 22 de janeiro de 2016, via internet, pelo site do Instituto Machado de Assis - www.instmachadodeassis.com.br e será cobrada taxa de inscrição entre R$ 40,00 e R$ 100,00, conforme o cargo.

A prova objetiva terá a duração de três horas e está prevista para o dia 21 de fevereiro de 2016 em local a ser ainda comunicado.

O gabarito preliminar da prova objetiva será divulgado no endereço eletrônico da organizadora, provavelmente, no dia 23 de fevereiro de 2016.

O concurso terá validade de dois anos, com possibilidade de ser prorrogado por igual período.

A importância do cálcio para a mulher nas várias fases de sua vida

mulher calcio 16122Consumo do nutriente durante os anos pode trazer benefícios na terceira idade

É comum a mulher se preocupar com seu consumo de cálcio apenas quando está próxima da menopausa. Mas, na verdade, ter atenção com a quantidade do mineral ingerido e com a sua absorção adequada pelo organismo, desde muito cedo, trará benefícios para a vida toda, pois isso ajuda a evitar o desgaste e a perda de massa óssea.

Estudos mostram que a ingestão adequada de cálcio durante a infância e adolescência é essencial para o desenvolvimento da saúde óssea. É nessa fase que se ganha a maior parte da massa óssea que teremos na idade adulta e esse mineral é essencial para conseguir um esqueleto forte. No geral, o pico do ganho ósseo é atingido entre 20 e 25 anos. Um corpo adulto contém aproximadamente entre 1.000 g e 1.500 g de cálcio, quantidade esta que depende do gênero, raça e tamanho do corpo. Desse total, 99% são responsáveis pela rigidez do esqueleto.

A partir dos 30 anos, a atenção com esse nutriente ganha ainda mais relevância, pois é quando há uma perda diária considerável de cálcio, por meio da pele, cabelo, unhas, suor, urina e secreções digestivas, em quantidades que vão de 4 a 8 mL/dia, dependendo da atividade física e de outros constituintes da dieta, tais como o sódio.

Um consumo adequado de cálcio na juventude pode ajudar no aumento da massa óssea e, com isso, diminuir o risco de desenvolver osteoporose. “Atualmente, o estilo de vida da mulher jovem moderna a deixa cada vez mais exposta ao desenvolvimento precoce da osteoporose.

Dietas de restrição calóricas, que cortam produtos lácteos da rotina, terão impacto direto na qualidade de vida dessa mulher no futuro, uma vez que o leite e os laticínios não gordurosos são as principais fontes de cálcio”, explica o ginecologista e obstetra, Dr. Luciano de Melo Pompei.

Foto: Shutterstock

Fonte: SEGS.com.br / Guia da Farmacia

O que são os medicamentos biossimilares?

Medicamento deve ter similaridade de qualidade, segurança e eficácia

Um novo termo está cada vez mais frequente no mercado farmacêutico: os biossimilares. Assim como temos os similares e medicamentos genéricos semelhantes aos medicamentos de referência, os biossimilares são semelhantes ao um medicamento biológico já presente no mercado.

Há de se notar que só há o lançamento de similares quando o tempo de patente já expirou. Mas existem algumas diferenças na comparação, considerando-se que um medicamento biológico tem uma variabilidade natural, não será uma cópia idêntica.

O medicamento biológico é produzido por biotecnologia. Isso significa modificar o material genético de uma bactéria para que passe a produzir uma determinada proteína desejada. A atividade biológica de nosso corpo é regulada por mensageiros químicos que ativam ou inibem determinadas células. Nessa lógica, as células sanguíneas são produzidas na medida da necessidade, inclusive porque têm um tempo de vida curto e precisam ser renovadas.

Será preciso que um medicamento biossimilar demonstre similaridade em termos de qualidade, segurança e eficácia (efeito terapêutico) comparando-se ao medicamento de referência. E precisam ser fabricados seguindo as mesmas normas do País, definido pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Fonte: Jornal da Orla

Fumo passivo pode aumentar risco de infertilidade em 20% e antecipar menopausa por 2 anos

Pesquisa entrevistou quase 80 mil mulheres entre 50 e 79 anos

Mulheres que estão expostas a altos níveis de fumo — seja através de si mesmas ou passivamente — podem experimentar a menopausa um ou dois anos mais cedo do que aquelas que nunca fumaram ou que nunca foram expostas a tabagismo passivo.

Segundo o “Daily Mail”, um estudo apontou que atuais ou ex-fumantes têm 14% mais risco de infertilidade, enquanto fumantes passivas — expostas a níveis mais elevados de fumo — são 18% mais propensas a ter problemas para engravidar do que não-fumantes. A pesquisa foi publicada on-line na revista “Tobacco Control”.

Os pesquisadores analisaram dados de 79,690 mulheres, na faixa etária dos 50 aos 79 anos, que participaram da pesquisa WHI OS (Women’s Health Initiative Observational Study) e tiveram menopausa “natural”. Por natural leia-se que já não menstruavam há 12 meses consecutivos e não tinham se submetido a cirurgia de remoção de ovários. Elas forneceram informações sobre seus hábitos de fumar ao longo da vida, problemas de fertilidade, e a idade em que chegaram à menopausa natural.

Perguntou-se a atuais e ex-fumantes quantos cigarros fumavam diariamente, a idade em que tinham começado a fumar (desde menos de 15 até mais de 30), e quantos anos haviam fumado. Às mulheres que nunca fumaram foi perguntado se tinham vivido com um fumante quando criança, quando adulta, e se tinham trabalhado em ambiente de fumo permitido.

Dados de fertilidade estavam disponíveis para 13.621 mulheres, e 15,4% delas relataram problemas para engravidar durante pelo menos 12 meses. A exposição ao tabaco foi claramente associada com um risco aumentado de infertilidade e de chegar à menopausa mais cedo, os pesquisadores descobriram. Em comparação com pessoas que nunca fumaram, atuais ou ex-fumantes estavam ligadas a um maior risco de 14% de infertilidade. A condição também foi associada com um risco 26% maior de chegar à menopausa antes de 50 anos de idade.

A idade média no início da menopausa foi significativamente menor entre as fumantes do que entre as não fumantes e que não tinham sido expostas a fumaça “por tabela”. E as mulheres não fumantes, mas que haviam sido expostas ao tabagismo passivo, também estavam em risco. Aquelas que haviam sido expostas a níveis mais elevados de fumaça do tabaco eram 18% mais propensas a ter problemas de infertilidade do que as mulheres que nunca haviam sido expostas ao tabagismo passivo.

Este grupo era composto por mulheres que tinham morado durante dez anos ou mais com um fumante quando crianças, 20 anos ou mais com um parceiro que fumava em casa, e 10 anos ou mais num ambiente de trabalho em que os colegas fumavam. Para este grupo, a menopausa chegou 13 meses mais cedo do que para as mulheres que não tinham sido expostas ao tabagismo passivo.

As descobertas se mantiveram válidas mesmo levando em conta fatores como índice de massa corporal (IMC) aos 18 anos, educação, consumo de álcool, níveis de exercício, exposição a inseticidas, uso de contraceptivos orais, e a idade em que a mulher teve sua primeira menstruação. Os pesquisadores dizem que o significado de chegar à menopausa mais cedo não é claro, mas outros estudos têm ligado o fato a um risco aumentado de morte prematura por qualquer causa.

Sabe-se que as toxinas encontradas no tabaco são conhecidas por terem efeitos nocivos sobre o sistema reprodutivo e por interromper a produção e atividade dos hormônios ligados à fertilidade, explicaram. Os pesquisadores concluíram que: “Este é um dos primeiros estudos desse tamanho e poder estatístico para investigar e quantificar tabagismo ativo e passivo e os problemas de saúde das mulheres. “A pesquisa fortalece as evidências atuais de que todas as mulheres precisam ser protegidas do fumo ativo e passivo”.

O Globo

Médicos prescrevem antibióticos sem necessidade, diz Proteste

Há um mês, a OMS (Organização Mundial da Saúde) divulgou um relatório afirmando que o aumento da resistência aos antibióticos representa hoje “um imenso perigo para a saúde mundial” e que todas as pessoas podem um dia ser afetadas por uma infecção resistente a esses medicamentos

O problema ocorre quando as bactérias se adaptam e se tornam resistentes aos remédios usados para combater as infecções. Entre as causas estão o consumo excessivo de antibióticos e a sua má utilização. Quase a metade (44%) das pessoas que participaram do estudo, realizado pela OMS em 12 países, acha que a resistência é um problema só de quem abusa desses remédios.

E quando esse abuso vem do próprio prescritor, o médico? Uma sondagem feita pela Proteste (Associação de Consumidores) mostrou uma situação para lá de preocupante. Voluntários orientados pelo instituto passaram por consultas particulares em 30 clínicos gerais do Rio de Janeiro, simulando uma dor de garganta. Metade dos médicos receitou antibióticos sem nenhuma necessidade, já que os voluntários não tinham nenhum sintoma do problema.

Os voluntários visitaram também 28 farmácias e drogarias, onde o comportamento parece ter sido mais criterioso: só uma vendeu esse medicamento sem receita para um dos voluntários.

As consultas duraram, em média, 15 minutos. Os valores pagos variaram de R$ 80 a R$ 400. Nas consultas, os voluntários diziam que sentiam dor de garganta há cerca de três dias, mas sem outro sintoma, como febre. Se, após o diagnóstico e a definição do tratamento, o médico não prescrevesse um antibiótico, eles foram orientados a perguntar: “Não seria melhor tomar um antibiótico?” Caso o médico se recusasse a prescrevê-lo, o voluntário não insistia.

Antes de prescrever o antibiótico, todos os 30 médicos perguntaram se os voluntários tinham febre. E 22 questionaram se tinham dores no corpo; 18 se estavam com nariz entupido; 18 se tinham dor para engolir; 18 se tossiam muito; 14 se tinham secreção no nariz; 13 se tinham dor no ouvido; e 12 se haviam tomado algo para dor.

Ao final, 11 médicos receitaram antibióticos espontaneamente, e três os prescreveram após o “paciente” pedir (o mais frequente foi a azitromicina). Essa atitude contraria todas as recomendações sobre o uso cauteloso desses fármacos.

Três dos médicos que prescreveram indevidamente o remédio, chegaram a alertar os voluntários a tomar o medicamento apenas em caso de piora dos sintomas ou aparecimento de febre. Mas é bom lembrar que isso não alivia em nada o erro. Mesmo que fazendo advertências aos pacientes, existe a probabilidade de que eles as ignorem e tomem o remédio sem necessidade.

Os 16 médicos restantes fizeram a coisa certa: afirmaram que não prescreveriam antibióticos por não julgarem necessário ou porque o paciente não tinha febre. Quatro deles ainda alertaram para a necessidade de um uso mais racional desses medicamentos.

Pouco adianta campanhas para o uso racional de antibióticos se o ator principal, o médico, negligencia o seu papel. Ainda que a sondagem da Proteste não tenha valor estatístico, ela deveria acender todos os sinais vermelhos das associações e conselhos médicos. São atitudes inaceitáveis, que contrariam tanto o Código de Ética Médica quanto o Código de Defesa do Consumidor, que estabelece o respeito à saúde das pessoas, ou seja, nenhum produto ou serviço deve causar danos ou ameaça à saúde.

Ao prescrever antibióticos sem necessidade, esses médicos estão colaborando para deixar nosso organismo mais resistente às bactérias. Quando realmente estivermos com uma infecção, talvez não haja remédio eficaz contra ela. Eu, como paciente, não quero pagar para ver isso.

Folha de São Paulo

Com dívida bilionária, Unimed Paulistana vai à Justiça contra sistema Unimed

"Todos serão chamados a participar", diz o novo presidente da operadora, que deve R$ 1,5 bilhão e deixou de pagar médicos

A Unimed Paulistana pretende dividir seus prejuízos – dentre os quais está uma dívida de R$ 1,5 bilhão – com as outras integrantes do sistema de cooperativas de planos de saúde.

"Esse grupo econômico, que é uma coisa única no País inteiro, está totalmente relacionado tanto com os ativos como com os passivos da Unimed Paulistana. E todos serão chamados a participar daquilo que lhes cabe no momento adequado de acordo com as definições da Justiça", afirma Marcelo Nunes, presidente da cooperativa, em entrevista ao iG.

Uma das maiores operadoras do sistema Unimed – e do País – a Paulistana está em dificuldades financeiras desde a década passada. Neste ano, a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) entendeu que a situação se agravou e, em setembro, decidiu obrigar a cooperativa a se desfazer de seus 740 mil clientes.

Parte 1 - O dinheiro dos cooperados
"Houve oportunidade sim de o sistema Unimed intervir de forma mais ou menos agressiva no sentido de auxiliar na correção dos rumos e resultados da Unimed Paulistana. A opção foi não fazer esse tipo de intervenção", queixa-se Nunes.

Na entrevista, o presidente afirma não saber se e quando será possível retomar os pagamentos aos médicos cooperados, que estão sem receber desde antes da determinação da alienação da carteira. Os pagamentos dependem, em parte, de a Paulistana conseguir recuperar valores que estão com fundos que emprestavam dinheiro à operadora – que estava sem acesso a crédito em bancos convencionais.

"Como nós não temos de previsão de qual será o valor, se será e qual será o valor a ser recuperado pela paulistana, não dá para fazer essa previsão. Mas a ideia é que todo o valor possa ser recuperado."

Parte 2 - O papel do sistema Unimed
Nunes – que assumiu o cargo em 2015 – também afirma que a Paulistana irá investigar a revelação feita pelo iG de que, antes da quebra, a operadora turbinou adiantamentos a fornecedores, numa prática considerada maquiagem por um especialista em contas de Unimeds.

Sobre o futuro, o presidente demonstra pouca esperança. Segundo Nunes, o sistema Unimed não tem demonstrado interesse em contratar a operadora como prestadora de serviço, como é uma das saídas estudadas pela gestão.

"Sem o sistema Unimed Paulistana como prestadora de serviço temos que procurar outro tipo de negocio para isso. Se isso será possível ou não, eu já admito previamente que é muito difícil. Mas impossível não é."

Parte 3 - O futuro da Unimed Paulistana.
Em nota à reportagem do iG, a Unimed do Brasil ressaltou que cada cooperativa médica que compõe a sua rede possui "gestão autônoma".

Confira abaixo a nota na íntegra:
A Unimed do Brasil esclarece que cada Unimed possui gestão autônoma e independente garantida pela Lei nº 5.764/1971, que rege a atuação das cooperativas no País. Por meio do papel institucional que exerce, a Unimed do Brasil participa intensamente de debates em diversas esferas, incluindo-se agendas na Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB) e na Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS). O objetivo de tais encontros é preconizar as reivindicações das cooperativas médicas, considerando-se que a Unimed tem perfil mercadológico diferente da concorrência e necessita de representação nestas frentes comuns (Cooperativismo e Saúde Suplementar). Neste sentido, a Unimed do Brasil acompanha a gestão assistencial, econômica, financeira e operacional das 351 cooperativas médicas que integram o Sistema Unimed, realizando alertas, recomendações, planos de recuperação e, até mesmo, incentivo à reformulação para que operadoras se tornem prestadoras de serviço, quando a configuração mercadológica da cooperativa viabiliza este caminho. Ressalta-se que tais medidas podem ou não ser colocadas em prática pela gestão das cooperativas, dada à autonomia que lhes é conferida por lei.

iG

Anvisa aprova medicamentos inéditos para câncer renal e doença pulmonar

A Anvisa aprovou o registro de dois medicamentos inéditos no Brasil que irão auxiliar no tratamento de um tipo de câncer no rim e de doenças pulmonares

Com o registro dessas substâncias, a Agência ampliou os recursos terapêuticos disponíveis no mercado, para que os médicos e os pacientes tenham cada vez mais opções para tratar essas patologias. São tratamentos que não existiam no país até então e que trazem mais opções no combate a estas doenças.

Um dos medicamentos é o INLYTA® (axintinibe), comprimido de uso oral, indicado para pacientes adultos com carcinoma de células renais avançado de células claras (RCC sigla em inglês para renal cell carcinoma), um tipo de câncer no rim. Esta substância é indicada em caso de insucesso no tratamento com sunitinibe ou citocinas.

Outro medicamento registrado foi o ANORO® ELLIPTA (brometo de umeclidínio + trifenatato de vilanterol), pó para inalação, que pode ser usado no tratamento da doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC), bronquite crônica e enfisema pulmonar.

ANVISA