Aplicativos, carreira, concursos, downloads, enfermagem, farmácia hospitalar, farmácia pública, história, humor, legislação, logística, medicina, novos medicamentos, novas tecnologias na área da saúde e muito mais!


sábado, 7 de janeiro de 2012

Leucina pode ajudar atletas que fazem treinos longos a não perder massa magra

Uma pesquisa feita pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e aprovada para publicação no periódico Metabolism aponta que a ingestão da leucina pode ajudar indivíduos que fazem treinos aeróbios longos – como natação, corridas ou ciclismo, por exemplo – a não perder a “massa magra”, ou seja, consumir a massa muscular do próprio corpo, comum nesses tipos de exercícios.

“Usamos modelos animais para testar o uso prolongado da suplementação com leucina combinado com treinos aeróbios intensos. Eles foram acompanhados durante 12 semanas e os resultados comprovam que a leucina pode proteger o corpo contra a perda de proteína intramuscular – a massa magra – e na recuperação dos músculos durante as 24 horas após o treino”, explica Morgana Rabelo Rosa, autora da pesquisa.

Normalmente, diz a pesquisadora, a recuperação muscular só ocorre até três horas após o final do treino. A leucina – um dos aminoácidos considerados essenciais – prolonga essa recuperação em até um dia. Isso garante um aumento no volume muscular, na força e na atividade física em si, já que a recuperação do corpo para um próximo treino se dá mais rapidamente.

“Além disso, a ingestão da suplementação de leucina pode auxiliar o organismo, fornecendo substrato energético para a atividade que está sendo executada”, complementa Rabelo, que lembra ainda que o aminoácido é recomendado também – desde que com o aval de um médico nutricionista – para pessoas idosas que estão em processo de sarcopenia. “A sarcopenia é o processo natural do corpo que, com a idade, começa a perder massa muscular ao longo do tempo. A leucina pode auxiliar esses indivíduos a atenuar a situação.”

Mas a pesquisadora da Unicamp lembra que a ingestão da leucina não deve ser feita de forma indiscriminada. “O órgão que filtra os aminoácidos são os rins. A ingestão indiscriminada e sem acompanhamento profissional pode comprometer o funcionamento do órgão, estimular a produção pancreática – que vai produzir mais insulina do que deveria – e levar ao desenvolvimento de problemas de saúde diversos. Por isso, o nutricionista, de preferência especializado em esportes, é importantíssimo para a segurança do esportista profissional ou eventual nesses casos”, finaliza Rabelo Rosa.

Fonte O que eu tenho?

Verão, prática esportiva e cuidados com o coração

No começo do ano, é comum se pensar em adotar hábitos de vida mais saudáveis. E nestes planos não pode faltar o objetivo de iniciar alguma atividade física, seja a caminhada, entrar para uma academia ou mesmo iniciar um esporte coletivo. Mas é também nesta época que os cuidados com a saúde devem ser redobrados.

Além de ter certeza de que o corpo está pronto para o exercício, um check-up pode evitar muitos problemas, principalmente com o coração.

“Uma avaliação clínica completa – consulta médica e exames complementares, quando necessários – pode definir o perfil de risco cardiovascular de cada pessoa. Verificar a pressão arterial, os níveis de colesterol e de açúcar periodicamente são medidas importantes de prevenção, e exames como o eletrocardiograma, teste ergométrico e ecocardiograma podem ser úteis para avaliar o ritmo cardíaco, a capacidade física e a estrutura do coração”, diz o cardiologista Pedro Henrique Reis.

Pessoas acima de 45 anos ou que tenham fatores de risco, como histórico de doença coronariana na família, colesterol e triglicerídeos elevados, diabetes, hipertensão, tabagismo e sedentarismo, devem fazer essa avaliação anualmente. Para quem está fora deste perfil e tem mais de 30 anos, sugere-se realizar o check-up uma vez a cada dois anos.

Verão exige mais cuidados
O médico pode ajudar a definir a modalidade esportiva mais indicada e o melhor horário para o exercício. No verão brasileiro, de altas temperaturas, o corpo sofre maior desgaste. “Nem todos os esportes podem ser praticados por pessoas com doenças cardiovasculares, em razão da intensidade do esforço. O limite para a atividade física pode ser definido por testes específicos para adequar a prescrição do exercício para cada indivíduo”, reforça o médico.

Dicas para quem quer começar a atividade física regular
O fisiologista Rafael Macedo​ lista pequenas dicas de saúde que podem garantir mais segurança para quem pretende iniciar no esporte.

• Realizar consulta médica para obter atestado de liberação para a realização de exercícios;

• Utilizar calçados – tênis – confortáveis e roupas leves que permitam a transpiração;

• Manter adequada hidratação durante a prática do exercício físico;

• Evitar exposição ao sol em horários inadequados;

• Usar o filtro solar em atividade ao ar livre, mesmo em dias nublados;

• Procurar um professor de Educação Física para orientar a forma correta de execução de movimentos, além da intensidade, preferencialmente prescritos de forma individualizada;

• Buscar realizar exercícios de maior afinidade, para motivar a adesão à prática.

Fonte O que eu tenho?

Proteja os olhos no verão

Atualmente, principalmente no período que antecede a chegada do verão, é muito comum médicos dermatologistas falarem a respeito da importância do uso do filtro solar para prevenção do câncer de pele e do envelhecimento precoce. Mas pouco se ouve sobre a importância da proteção dos olhos contra os efeitos da radiação ultravioleta, o que é possível com o uso de óculos escuros com filtros que bloqueiam os raios UV-A e UV-B.

A radiação UV é invisível aos nossos olhos, porque atua num comprimento de onda abaixo do que o olho humano consegue captar. Além disso, para agravar a situação, esse nível de radiação tem aumentado em função da destruição da camada de ozônio, que funciona como um escudo protetor da superfície terrestre contra a sua incidência. Apesar de invisível, os efeitos da radiação nos olhos são bastante graves e cumulativos.

Segundo Eduardo Pesarini, médico oftalmologista, os raios ultravioleta podem provocar consequências de forma aguda ou crônica. “Na forma aguda, podemos observar vermelhidão, aversão à luz (fotofobia), lacrimejamento intenso, ardência, coceira, entre outros. Já no quadro crônico, como os efeitos são em longo prazo, pode ocorrer um aumento do risco para formação de pterígio (degeneração da conjuntiva com formação de uma película fibrovascular de forma triangular que acomete a córnea, tanto no ângulo interno quanto externo do olho (vulgarmente chamada de ‘carne crescida’ ou ‘carne esponjosa do olho’), além do aumento do risco para a formação de catarata, lesões da retina como, por exemplo, maculopatia solar, entre outras”, explica o médico.

Os óculos com lentes filtrantes coloridas ou absortivas têm como objetivo a atenuação das radiações luminosas visando à proteção ocular com maior conforto, sendo possível o aumento do contraste e uma redução do ofuscamento, levando a uma melhora na percepção das cores. A lente mais adequada é aquela que promove a melhor visão, sem alterar a cor dos objetos, no entanto, mais importante do que a cor das lentes é a proteção que elas oferecem.

O especialista lembra ainda da importância da consulta com o oftalmologista para detectar se a pessoa é portadora de alguma necessidade especial como, por exemplo, albinismo ocular, maculopatia retinose pigmentar, entre outras doenças degenerativas que afetam as células da retina sensíveis à luz, cujos principais sintomas são baixa da visão noturna e dificuldade de adaptação claro/escuro.

No caso da retinose pigmentar, por exemplo, ela pode utilizar um filtro amarelo/âmbar nas atividades de baixo nível de iluminação, sendo que aumentaria o contraste, e cinza-escuro em ambiente externo, atenuando sensivelmente a sensação de ofuscamento. A pele sensível ao redor do olho também fica protegida sob as lentes, uma vez que os protetores solares de uso tópico não devem ser aplicados nesta região (protetores podem ser usados desde que sejam próprios para uso periocular). Recomenda-se, ainda, em exposições mais prolongadas, o uso de chapéu ou boné.

Vale ainda a recomendação de procurar sempre um estabelecimento de confiança ao adquirir os seus óculos de sol, pois só é possível comprovar se as lentes possuem a proteção UV-A e UV-B com medições técnicas e certificados de garantia originais. “Utilizar óculos de sol sem proteção UV pode ser ainda mais prejudicial do que não utilizar, pois o uso de lentes mais escuras provoca a dilatação da pupila e, por consequência, maior absorção ocular dos raios UV”, esclarece Pesarini.

Fonte O que eu tenho?

Resista à tentação das comidas muito gordurosas, seu coração agradece

Diversos pratos irresistíveisexigem cuidado extra, principalmente daqueles que têm problemas vasculares. Além do excesso de carnes gordurosas nessa época do ano, há a fartura de nozes, chocolates, frituras, embutidos e outros pratos ricos em gorduras saturadas. Estas tentações podem, portanto, comprometer a saúde do coração.

“São alimentos com muito colesterol de baixa densidade – o LDL. Se ingerido em excesso, esse colesterol se deposita na parede dos vasos sanguíneos, formando a aterosclerose, que leva ao desenvolvimento de doenças vasculares mais graves”, explica o cardiologista Christiano Barros.

Entre os prejuízos possíveis desse processo, os mais comuns são os que levam à obstrução do sistema vascular presente no sistema nervoso central, com a ocorrência do acidente vascular cerebral (AVC), e o enfarte, se as artérias do coração forem atingidas. O local acometido pela aterosclerose varia de acordo com cada organismo e com outros fatores de risco, como hipertensão e diabete.

Fibra é fundamental
Para reduzir o nível de colesterol ruim (LDL), princípio dessas complicações, uma dieta rica em fibras é fundamental, com grande variedade de frutas e vegetais.

Mas Barros adverte que “deve-se manter um equilíbrio alimentar, utilizando tudo que nossa alimentação oferece – proteínas, carboidratos, fibras, etc. – em medidas adequadas, com o consumo de calorias compatível com a energia que precisamos”.

As doenças causadas pela aterosclerose, principais causas de morte no Brasil, são multifatoriais. A alimentação é apenas um desses fatores.

O cardiologista reforça que são vários os hábitos que previnem as doenças cardíacas: a importância da alimentação é a mesma que a da atividade física, assim como o controle da pressão arterial, parar de fumar, etc. Por mais que a dieta seja a ideal, ela apenas reduzirá o nível de colesterol ruim, mas não aumentará o colesterol benéfico (HDL), como faz a prática da atividade física, por exemplo. “Cada cuidado é tão fundamental quanto o outro”, explica o especialista.

“Obesidade, tabagismo, ingestão excessiva de gordura saturada e sedentarismo são fatores modificáveis que, se controlados, podem colaborar para a saúde do coração. O único que não podemos modificar é a genética, o histórico familiar”, complementa Barros.

Dicas para o cardápio
Alguns alimentos, ricos em fibras, que não devem faltar no cardápio são aveia, legumes, frutas com casca, cevada, cenoura, quiabo, ameixa, laranja e verduras.

Podem ser incluídos, também, abacate, nozes, castanhas, azeite de oliva, óleo de linhaça, óleo de noz, óleo de soja e óleo de canola, que contêm gordura monoinsaturada – benéfica para o equilíbrio da pressão arterial –, além de peixes como salmão, arenque e cavalinha, ricos em ômega-3.

Fonte O que eu tenho?

Saúde respiratória: mofo e poeira podem comprometer seu verão

Os dois principais problemas respiratórios no verão estão relacionados ao paciente portador de doença respiratória, que cessa ou reduz por conta própria o tratamento medicamentoso de sua doença de base, uma vez que apresenta melhora de seus sintomas.

A outra questão é a alta exposição destes indivíduos ao mofo e às poeiras, especialmente nas casas de praia e campo, onde passam as férias.

“A umidade não é propriamente o problema. O perigo está nos fungos proliferados com a umidade, que não somente causam as infecções respiratórias, mas também inflamação do tecido pulmonar, que pode levar a internações e outras complicações respiratórias”, explica Eduardo Henrique Genofre, diretor da Sociedade Paulista de Pneumologia e Tisiologia.

No inverno, o tempo mais seco agride as vias aéreas. Já no verão, com mais chuvas e ventos, quem tem doença respiratória de base sofre mais pela oscilação de temperatura do que pelo clima. Essas mudanças provocam o aumento da incidência de resfriado, faringite e até pneumonia.

Ar-condicionado e ventiladores: os vilões
Aparelhos de ar-condicionado são também vilões nesta época do ano. Por causa deles, os cílios responsáveis pela limpeza da mucosa respiratória ficam mais lentos, acumulando o muco protetor nas vias aéreas e, como consequência disto, as bactérias e os vírus conseguem se instaurar nestas regiões.

Estes aparelhos devem passar por uma limpeza frequente para evitar a proliferação de ácaros, fungos e bactérias que se acumulam nos filtros do aparelho e são liberados no ar. Eles podem invadir as vias aéreas criando lesões inflamatórias ou infecciosas, como as pneumonias e alergias. Um adulto gripado que trabalha num escritório fechado com aparelho de ar-condicionado ligado pode disseminar o vírus para aproximadamente 70% das pessoas daquele ambiente.

Recomendações
Eduardo oferece algumas dicas para passar o verão sem sustos:

• Tome líquidos para hidratar o corpo.

• Lave as narinas com soro fisiológico ou medicamento específico para esse fim.

• Evite o choque térmico das altas temperaturas em lugares abertos e clima frio em ambientes com ar-condicionado de maneira sucessiva.

• Pratique exercícios físicos regularmente, que ajudam a melhorar a respiração e a saúde.

• Mantenha a casa limpa e arejada, até mesmo as de praia e campo, que passam a maior parte do ano fechadas. Se possível, mantenha a casa aberta e bem ventilada algumas horas antes de ocupá-la.

Fonte O que eu tenho?

Depressão pós-parto pode ser fator de risco para transtorno bipolar

Mulheres que desenvolvem depressão pós-parto até 30 dias após o nascimento de seu filho têm mais chances de desenvolver transtorno bipolar meses mais tarde, aponta estudo da Universidade de Arhus, na Dinamarca.

Para chegar nos resultados, os pesquisadores acompanharam individualmente mais de 120,3 mil mulheres, que já haviam apresentado qualquer distúrbio psiquiátrico, exceto o diagnóstico de transtorno bipolar.

Este primeiro contato com bipolaridade ocorreu, para 2,8 mil mulheres, durante o primeiro ano após o nascimento do primeiro filho. Do total, 3 mil receberam o diagnóstico de transtorno bipolar do humor. Além disso, a gravidade da crise aumenta o risco, ou seja, entre aqueles que desenvolveram depressão pós-parto e necessitaram de internação, maiores foram as chances de apresentar o transtorno bipolar, em comparação àquelas que passaram apenas por acompanhamento ambulatorial.

Quinze anos após o contato inicial, aproximadamente 14% das mulheres que tiveram a psicose pós-parto no período imediato (0 a 30 dias após o nascimento) evoluíram com transtorno bipolar. Apenas 5% das pacientes que o tiveram em período mais tardio (31 a 365 dias após o parto) e 4% das mulheres que o tiveram em outros momentos, desenvolveram esta psicopatia.

Uma análise mais estendida mostrou que 19% das mulheres com transtorno imediato desenvolveram bipolaridade até 22 anos depois do contato psiquiátrico inicial. Por outro lado, 6% das mulheres com transtorno no período tardio e 5% das mulheres com transtorno em outros momentos apresentaram a bipolaridade. O estudo foi divulgado no periódico Archives of General Psychiatry.

Fonte O que eu tenho?

Dica para o verão: sucos refrescam a cuca e melhoram a saúde

Uma boa sugestão para os dias quentes de verão é consumir sucos de frutas, que além de “esfriar” o corpo, ainda hidratam, nutrem e previnem doenças. “Estas bebidas trazem bem-estar e quando preparadas de forma correta, proporcionam muita saúde”, ressalta a nutricionista Patrícia Ramos.


A especialista recomenda três copos diários de sucos, o que garante a ingestão de vários tipos de vitaminas. “Alguns sucos de frutas são calóricos, como o de laranja, que apresenta 140 Kcal por copo. Mas, mesmo assim, o seu consumo é indicado por ser energético”.

Outra dica importante é consumir o suco logo após o seu preparo, pois a partir de 15 minutos a bebida inicia o processo de oxidação e passa a perder suas vitaminas.

“Se não há opção do suco natural, escolha os de poupa. Apesar de ser industrializado e ter menos nutrientes e vitaminas, ele é mais saudável do que um refrigerante. Então, aproveite o calor e abuse da bebida”, conclui Patrícia Ramos, nutricionista e coordenadora do Serviço de Nutrição e Gastronomia do Hospital Bandeirantes.

Veja, abaixo, uma boa sugestão da bebida.

Suco Melancia Refrescante

Ingredientes:

• 2 xícaras (de chá) de melancia em cubos e sem sementes;

• 1/2 xícara de água;

• 1 colher (de sopa) de hortelã picada;

• Açúcar ou adoçante a gosto.

Modo de preparo:

• Bata todos os ingredientes no liquidificador.

Sugestão:

• Acrescente algumas cerejas no suco que irá deixá-lo com sabor especial;

• Decore o copo com raminhos de hortelã;

• Você pode reservar uma parte do suco e congelar em forminhas de gelo para utilizar em substituição ao gelo no suco;

• A água desta receita pode ser substituída por água de coco.

Fonte O que eu tenho?

Exercícios de alongamento específicos para o estresse

A tensão e o estresse são os principais causadores de dores e fadiga muscular. A má postura e o corre corre diário contribuem para deixar o corpo tenso.

A primeira a sentir os efeitos negativos da rotina puxada é a coluna. Aprenda aqui a fazer alguns exercícios que contribuem para aliviar a tensão.

Pescoço
Puxe a cabeça como se fosse colocar a orelha no ombro. Repita o mesmo movimento para o lado oposto depois de 30 segundos. É importante manter os ombros relaxados durante esse alongamento.

Ombros
Com os braços estendidos, eleve-o na altura do ombro e puxe o cotovelo esquerdo com a mão oposta em direção ao ombro direito. Para aliviar os braços e o músculo peitoral na cadeira do trabalho, mantenha as costas retas apoiadas no encosto e estenda o braço com os dedos entrelaçados.

Região lombar
Em pé, tente encostar no tronco nos joelhos, que devem estar retos. Procure deixar os pés bem apoiados no chão. Conte 30 segundos e volte para a posição inicial.

Fonte R7

Próteses Mamárias: Empresa pede retorno de registro para a Anvisa

Sócios da EMI, empresa distribuidora das próteses mamárias de silicone PIP, pediram hoje à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) o retorno do registro do produto no Brasil.

Em uma reunião realizada com integrantes da agência, sócios argumentaram que as taxas de rompimento dos implantes são menores do que as apresentadas por outros fabricantes e que o gel usado no interior das próteses é seguro.

No encontro, os empresários se esforçaram para tentar reverter a decisão da Anvisa de descartar os implantes que estão em estoque. Argumentaram que o assunto ainda está em discussão em várias partes do mundo. Além disso, completaram, seria preciso avaliar com qual material o produto estocado no País foi fabricado. Das 34.631 próteses importadas, restam 10.097.

A venda do produto no mercado brasileiro foi suspensa em abril de 2010, logo depois da informação de que a prótese havia sido fabricada com um silicone que não é de uso médico.

O estoque brasileiro é um dos maiores do mundo. Há duas semanas, diante dos resultados de testes apresentados por autoridades sanitárias francesas, a Anvisa cancelou o registro do produto no país.

Desde 2010, a Anvisa registrou 12 notificações de pacientes relacionadas às próteses. No período, a agência registrou 94 reclamações de implantes mamários.

Hoje, técnicos da vigilância sanitária apreenderam 300 unidades das próteses PIP para testes no armazém da EMI.

A Anvisa afirma que o resultado dos exames servirá para fundamentar o inquérito administrativo sanitário, que, depois de concluído, será remetido para o Ministério Público.

O sócio da EMI, John Arnstein, afirmou que sua empresa atendeu todas as exigências da Anvisa e disse estar confiante que resultados dos testes comprovem que não há motivo para o material ser descartado.

A empresa apresentou ainda a alternativa de a Anvisa remeter à França os implantes cujo uso está proibido. Integrantes da agência, no entanto, adiantam que uma medida como essa somente seria avaliada caso as autoridades sanitárias francesas entrassem diretamente em contato com a Anvisa.

A documentação das próteses mamárias da EMI, quando chegava ao Brasil, era analisada por funcionários da vigilância sanitária.

Para técnicos da agência, os papéis apresentados eram bons - certificados eram concedidos pela Associação de Monitoramento Técnico (TUV, na sigla em alemão), com ótima reputação no mercado.

Análise feita por técnicos da Anvisa mostra que a EMI respeitou a proibição temporária da venda do produto, determinada em 2010.

Fonte R7

Dengue, essa luta também é sua!

Caminhada para combate à dengue reúne 100 pessoas no Rio

Cerca de 100 pessoas aderiram à oitava caminhada no combate aos focos do mosquito Aedes Aegypti, realizada hoje no Catumbi, zona norte do Rio de Janeiro, pela Secretaria Municipal de Saúde e Defesa Civil.

Na ação, agentes da Clínica da Família Sérgio Vieira de Mello, que atende à região, percorreram as ruas com o objetivo de buscar possíveis focos da larva do mosquito e conscientizar as pessoas sobre o perigo da transmissão da dengue.

De acordo com o subsecretário de Atenção Primária, Daniel Soranz, no ano passado, mais de 200 mil pessoas aderiram às edições anteriores da campanha, participando das caminhadas em vários pontos da cidade. Para este ano, ele acredita que o número possa ser superado, o que poderá contribuir para uma redução nos casos de dengue.

Desde abril do ano passado, a prefeitura está promovendo a caminhada contra a dengue, que ocorre toda primeira sexta-feira de cada mês. A próxima está prevista para o dia 3 de fevereiro. As informações são da Agência Brasil.

Fonte R7

Alemanha recomenda extração de todos os implantes PIP

As autoridades sanitárias da Alemanha recomendaram nesta sexta-feira extrair todos os implantes mamários fabricados pela empresa francesa PIP (Poly Implant Prothèse), depois de demonstrar que alguns são defeituosos.

"O Instituto Federal de Produtos Médicos (BfArM) recomenda a retirada dos implantes como medida preventiva", destacou a instituição em um comunicado, ressaltando que a urgência em extrair as próteses aumenta em função do tempo que a mulher vive com elas.

O BfArM, que pertence ao ministério da Saúde, anunciou que a decisão foi tomada depois que médicos e hospitais denunciaram problemas com os implantes.

O governo britânico anunciou não existirem "provas suficientes" para recomendar a retirada generalizada dos polêmicos implantes de mama fabricados pela empresa francesa, usados por 42.000 muheres no país.

Em um comunicado, informou que pagará a retirada cirúrgica dos implantes e sua substituição às mulheres que os tiverem recebido em operações feitas pelo sistema de saúde pública em cirurgias reconstrutivas, geralmente após a extirpação de um câncer, as que estiverem preocupadas e com o aval de um médico. Estes casos representam cerca de 5% de todas as usuárias.

O governo britânico acrescentou que espera que as instituições privadas ofereçam um acordo similar aos seus pacientes.

A empresa PIP chegou a produzir até 100 mil próteses mamárias ao ano e exportou a maioria para o exterior, sobretudo para a América Latina (Brasil, Venezuela, Colômbia e Argentina principalmente), bem como para Espanha e Grã-Bretanha, mas no começo de 2010 a empresa suspendeu os pagamentos diante de denúncias reiteradas de ruptura de seus implantes.

O escândalo dos implantes PIP defeituosos afeta até meio milhão de mulheres em todo o mundo e levou vários governos a emitir recomendações.

França e Alemanha recomendaram a extração generalizada dos implantes, em meio a acusações não provadas de que teriam efeitos cancerígenos.

Fonte R7

Haiti: epidemia de cólera deixa 520 mil casos e 7 mil mortos

A epidemia de cólera que atinge o Haiti desde outubro de 2010 infectou mais de 520.000 pessoas e causou cerca de 7.000 mortos até meados de dezembro de 2011, disse nesta sexta-feira o médico Jon Andrus, diretor-adjunto da Organização Panamericana da Saúde (OPS).

Durante uma entrevista por telefone, Andrus afirmou que diariamente são declarados 200 novos casos de cólera no Haiti, e que esta cifra provavelmente aumentará ao chegar a temporada de chuvas.

"Trata-se de uma das maiores epidemias de cólera da história moderna", completou o funcionário da organização intergovernamental.

Um foco de cólera proveniente do sul da Ásia apareceu no país em outubro de 2010. A Organização Mundial da Saúde (OMS) já havia previsto que o número de casos superaria os 500.000 no fim de 2011.

Em junho, um estudo publicado pelo Centro americano de Controle e Prevenção de Doenças concluiu que a doença entrou no país com os capacetes azuis nepaleses.

Os advogados das vítimas exigem da ONU 100 mil dólares de compensação por cada morto e 50.000 dólares para cada pessoa infectada.

Por outro lado, na vizinha República Dominicana foram registrados 21.000 casos de cólera e 363 mortes pela doença, completou Andrus na conferência pelo segundo aniversário do terremoto que atingiu a ilha e matou 225.000 pessoas.

Fonte R7

Congresso de ginecologia em Israel cria polêmica ao vetar participação de médicas

País enfrenta outros episódios de segregação na sociedade

Um congresso de ginecologia que será realizado em Jerusalém vem provocando uma onda de protestos por proibir a participação de médicas e por obrigar as mulheres do público a ficarem separadas dos homens.

A notícia vem à tona em meio a uma polêmica crescente no país sobre a segregação das mulheres imposta por judeus ultraortodoxos.

ONGs de direitos humanos e cidadãos seculares estão pressionando os médicos que deveriam fazer palestras no congresso para cancelarem sua participação.

A organização do encontro, que discutirá questões de fertilidade e começará no dia 16, incluiu na lista de palestrantes apenas médicos homens e rabinos.

O congresso é organizado pela instituição Puah - nome em hebraico formado com as iniciais das palavras "fertilidade" e "Halachá" -, que presta aconselhamento a casais judeus religiosos que sofrem de problemas de fertilidade.

A organização engloba rabinos e médicos para garantir que nenhum procedimento viole a Halachá, o conjunto de leis da religião judaica.

Boicote
Uma das ONGs que mais criticou o congresso é a secular Israel Livre, que divulgou nomes e e-mails dos médicos escalados para palestrar, pedindo que as mulheres "boicotem ginecologistas que boicotam as mulheres".

Yuval Yaron, diretor do departamento de Diagnóstico Genético Pré-Natal do Hospital Ichilov, em Tel Aviv, já cancelou sua participação. "Impedir mulheres de fazer palestras no congresso contradiz totalmente os valores segundo os quais fui educado", afirmou o médico.

- Além de ser um exemplo claro de segregação, não convidar mulheres para falar em um congresso sobre medicina da mulher também é um absurdo do ponto de vista profissional.

O rabino Menachem Burstein, diretor do Puah, minimizou a polêmica e disse que graças ao instituto a legislação rabínica aceita inovações da medicina e assim possibilita o avanço da saúde das mulheres ultraortodoxas.

"Infelizmente há elementos que se aproveitam de maneira cínica e agressiva do clima público atual", afirmou Burstein em referência à polêmica na sociedade israelense sobre a segregação das mulheres.

Isso porque, nas últimas semanas, se intensificou em Israel o debate público sobre a segregação das mulheres em ônibus, calçadas e instituições públicas, praticada em várias cidades, especialmente onde há grandes concentrações de habitantes ultraortodoxos, como Jerusalém, Beit Shemesh e Elad.

O debate tem sido acompanhado por manifestações de seculares e de extremistas e já houve casos de confrontos físicos entre os dois lados.

Fonte R7