Aplicativos, carreira, concursos, downloads, enfermagem, farmácia hospitalar, farmácia pública, história, humor, legislação, logística, medicina, novos medicamentos, novas tecnologias na área da saúde e muito mais!


quinta-feira, 5 de julho de 2012

Chip implantado no corpo permite tratar osteoporose à distância

Técnica poderá também ser aplicada no tratamento de câncer

Um teste clínico mostrou, pela primeira vez, que é possível controlar remotamente um chip implantado no corpo para liberar doses de medicação para tratar a osteoporose em mulheres. Essa técnica poderá ser aplicada para tratar de forma mais eficaz outras doenças como o câncer, segundo os pesquisadores.

O estudo foi realizado na Dinamarca com um grupo de sete mulheres com osteoporose, caracterizada pela perda de massa óssea progressiva. As idosas constituem 80% das pessoas atingidas por essa doença, que provoca principalmente fraturas.

— Os doentes não vão precisar se lembrar de tomar o medicamento ou sofrer com as várias injeções necessárias para tratar a osteoporose — explica Robert Farra, chefe da empresa MicroCHIPS com sede em Massachusetts (nordeste dos Estados Unidos) que desenvolveu o chip eletrônico.

Ele é um dos coautores do projeto, junto com outros pesquisadores do Massachusetts Institute of Technology (MIT), da faculdade de medicina de Harvard e da Universidade Case Western Reserve (Ohio, leste).

Como funciona
Ao contrário da maior parte dos chips que, pré-programados, liberam lentamente pequenas doses de medicamento por certo período, este novo chip libera o tratamento graças a um controle remoto sem fio.

— Este sistema permite liberar um medicamento no sangue rapidamente como uma injeção. A medicação poderá ser ajustada à distância e, suavemente, o tratamento dos pacientes será feito por meio de um computador ou celular — descreve Farra.

Segundo os autores do estudo, este novo chip do tamanho de um marcapasso cardíaco, poderá ser mais satisfatório e, talvez, menos dispendioso em longo prazo do que as injeções diárias de medicamentos.

Os pesquisadores implantaram o chip logo abaixo da cintura em cada uma das sete mulheres com idades entre 65 a 70 anos. O procedimento pode ser realizado por um clínico geral em seu consultório com apenas anestesia local. As mulheres foram observadas durante 12 meses. Nesse período, foi constatado que o chip libera o medicamento, chamado de teriparatide, de maneira tão eficaz quanto as injeções diárias.

O teriparatide melhora a formação de massa óssea e reduz o risco de fratura. Os chips usados no estudo clínico tinham 20 doses de medicamento. Mas a empresa MicroCHIPS trabalha para criar exemplares capazes de estocar centenas de doses.

A pesquisa foi publicada na revista Science Translational Medicin e será apresentada na conferência anual da Sociedade Americana para a Promoção da Ciência (AAAS), que reúne 8 mil pesquisadores em Vancouver, Canadá, de 16 a 20 de fevereiro.

Fonte Zero Hora

Mais leite e menos refrigerantes na dieta infantil ajudaria a reduzir índice de osteoporose no futuro

É preciso aumentar na dieta das crianças o consumo
de leite e derivados e diminuir o de refrigerantes
Estima-se que, a cada três segundos, ocorra uma fratura em decorrência da doença

Se não há como frear o envelhecimento do corpo, ter conhecimento de como amenizar esse desgaste pode evitar dores e complicações futuras. Com a osteoporose funciona assim. Uma alimentação adequada, a prática de exercícios e o diagnóstico precoce evitariam a doença ou, ao menos, controlariam as fraturas e a consequente limitação física que esses ossos fragilizados provocam.

As estatísticas mostram que a população está cada vez mais vulnerável a esse mal, preocupando até mesmo os governos. A pesquisa "Osteoporose na América Latina: Epidemiologia, Custos e Peso da Osteoporose em 2012" foi recentemente apresentada pela International Osteoporosis Foundation (IOF), maior entidade não governamental do mundo dedicada à prevenção, diagnóstico e tratamento da doença, e garante que é progressivo o aumento de pacientes suscetíveis a sofrer com o quadro de ossos frágeis, especialmente os idosos.

Em todo o mundo, estima-se que, a cada três segundos, ocorra uma fratura em decorrência da doença. Se não forem tomadas medidas de prevenção e de diagnóstico ao primeiro sinal, esse número pode dobrar, segundo o relatório.

Prevenção na infância
Para lutar contra a estimativa de 1 milhão de brasileiros com fraturas osteoporóticas a cada ano, o Ministério da Saúde aposta nas ações de prevenção ainda na infância, já que é nessa fase que o indivíduo ganha estatura, fortifica seu esqueleto e adquire o máximo de massa óssea.

— É preciso aumentar na dieta das crianças o consumo de leite e derivados e diminuir o de refrigerantes — explica a coordenadora da Saúde do Idoso do Ministério, Luiza Machado.

Outra recomendação é a prática de atividade física regular, pois, assim como os músculos, os ossos se tornam mais fortes com os exercícios. A exposição ao sol, de 15 a 20 minutos, em horário correto, também é um hábito importante para a prevenção da osteoporose, já que a luz do sol é fonte de vitamina D, que ajuda na fixação do cálcio nos ossos e diminui o risco de osteoporose na fase adulta.

Fonte Zero Hora

Talibãs ameaçam proibir vacinação contra a pólio se EUA não pararem com ataques de drones

Talibãs ameaçam proibir vacinação contra a pólio se EUA não pararem com ataques de drones Editoria de Arte/Zero Hora
Aeronaves não tripuladas são usadas no combate ao terrorismo
 nos países em amarelo      Foto: Editoria de Arte / Zero Hora
Milícia radical quer vetar imunização contra a doença por causa de operações militares no norte do Paquistão

Herança do programa de combate ao terrorismo do governo de George W. Bush, Barack Obama investiu e usou com intensidade a mais precisa máquina de matar já desenvolvida pelos Estados Unidos: os drones.

Agora, o uso desenfreando dessas aeronaves não tripuladas é criticada pela ONU e volta para cobrar seu preço em vidas inocentes: os talibãs ameaçam proibir a vacinação contra a pólio na fronteira do Paquistão com o Afeganistão se os EUA não pararem com esse tipo de ataque.

Com a decisão de reabrir as rotas de abastecimento vitais para a Otan no Afeganistão, que estavam fechadas desde novembro, Islamabad deu um passo na terça-feira na tentativa de retomar as relações Washington – estremecidas com desde a morte de Osama bin Laden e desde que a Otan bombardeou e matou por engano 24 soldados de Paquistaneses em novembro.

A pólio, também conhecida como paralisia infantil, foi erradicada na maior parte de mundo, mas permanece um fardo nas áreas mais pobres do planeta, justamente como na região do Waziristão do norte, onde costumam ocorrer a maior parte dos ataques.

Por mais que a chantagem possa ser um blefe, o grupo talibã é lembrado por um série imposições reacionárias, como impedir as mulheres de trabalhar e, nos casos mais graves, decepar os dedos das que se atreveram pintar as unhas das mãos. A ameaça, portanto, mesmo que ao custo do próprio povo, é séria.

Na arena internacional, a ONU expressou preocupação com o que classifica de “execuções extrajudiciais, sumárias ou arbitrárias em zonas de conflito”, com as execuções deliberadas cometidas pelos Estados Unidos, em um documento apresentado ao Conselho de Direitos Humanos, reunido em Genebra.

A operação com os drones é, na verdade, o refinamento dos bombardeiros B-52 que atuaram em massa na guerra do Vietnã. A principal diferença é que as aeronaves agora são operadas à distância, auxiliadas por dados de inteligência e informações de satélite, para minimizar o risco de mortes de civis e maximizar a precisão dos alvos.

Outro ponto que levou o governo americano a investir nesta estratégia é o baixo custo e o menor risco de combater o contraterrorismo.

Uma matéria publicada no jornal The New York Times, em junho, revelou que toda semana membros da inteligência se reúnem com Obama para definir alvos e colher a assinatura do chefe para autorizar a morte vinda dos céus.

Fonte Zero Hora

Pacientes esperam mais de 38 horas por diagnóstico em emergência de Porto alegre

Hospitais têm se tornado ambientes cada vez mais insalubres. Há corredores apinhados de gente e cadeiras já planejadas para virar leitos. E, mais do que indignação, o que assusta para quem vê de fora é o olhar de resignação dos pacientes. A maioria ainda dá graças a Deus por ter atendimento.

Em comum, o medo de falar mal do local que os acolheu. Criticam, de forma genérica, o sistema de saúde e as más condições de instalação. De resto, com raras exceções, se rasgam em elogios à equipe do Hospital de Clínicas de Porto Alegre – a segunda maior emergência do Estado, local que ZH escolheu para acompanhar o atendimento na noite de terça-feira, entre as 19h e as 23h.

Mesmo lotada, a instituição se nega a fechar as portas, sob pena de obrigar pacientes considerados menos graves a virar a noite à espera de uma consulta, como no caso da aposentada Rosa Mariza Tigre, 64 anos, e do servente de obras Cristian Evandro da Costa Rodrigues, 34 anos, que passou mais de 38 horas sem um diagnóstico para a febre e falta de ar.

A precariedade do sistema de saúde não incomoda apenas os pacientes, mas os funcionários. A supervisora de Enfermagem, Claudia Nery, reconhece a barafunda:

— Tem acontecido de pacientes ficarem dias na emergência, serem tratados e receberem alta dali mesmo. A situação é dramática, afeta os ânimos de todos. Mas temos a política de não fechar as portas. Bem ou mal, aqui todos recebem atendimento.

Demora
Com diagnóstico de pneumonia bacteriana e suspeita de Gripe A, Fernando Graf Souto, 27 anos, passou quatro dias sendo tratado em uma cadeira do anexo 8 do Hospital.

Nem chegou a ser internado de verdade e já recebeu alta para completar o tratamento em casa.

Atravessado no banco, preso ao soro, Fernando cochila encostado em uma parede. Nada de cobertor, colchão ou travesseiro.

O repouso que a doença requer nem de longe é respeitado. A dor nas costas, causada pela pneumonia, deu lugar ao desconforto pela posição que encontrou para descansar.

Esta foi a primeira vez que Fernando precisou de uma emergência médica. Não tinha nem cadastro no Sistema Único de Saúde (SUS). Acompanha pelos noticiários o caos na saúde, precisou tratar da febre alta, dor no corpo e dificuldade para respirar. Pôde vivenciar o infortúnio.

Sofrimento
Aos 33 anos, Vilmar Nunes Veloso Filho precisou largar o emprego de gari para cuidar da saúde do pai de 73 anos, de quem herdou o nome. Seu Vilmar descobriu um tumor na próstata há seis anos. O longo tratamento fez a família conhecer bem o drama das emergências.

O idoso passou pelo tratamento do câncer no Hospital Conceição. Precisava começar as sessões de quimioterapia. O município de Alvorada, onde moram, disse que o Conceição não poderia recebê-lo imediatamente.

Foram encaminhados ao Clínicas. Às 17h de terça-feira, Seu Vilmar foi avaliado por um médico de outra equipe de oncologia. O filho teme que o tratamento seja prejudicado.

A aparência esquálida de Vilmar que não tem fome nem sede gerou a necessidade da internação. Enquanto aguarda uma resposta sobre o leito, no corredor, Vilmar Filho mira o pai com o olhar perdido, acaricia-lhe a cabeleira vasta e esbranquiçada. A tiracolo, uma pastinha azul contendo os documentos que resumem a vida do pai nos últimos anos.

O paciente, que em casa dorme com dois travesseiros, se contenta com camisa dobrada suportando a cabeça. Enquanto aguardava, de pé ao lado da maca, o filho sofria com dor de cabeça e náusea:

— Mas não vou nem arriscar pedir remédio. Vão me mandar consultar e vou ter de passar por todo esse martírio.

Resignação
Depois de esperar dois dias por um leito em uma cadeira na emergência do Clínicas, uma crise de falta de ar aguda foi o empurrãozinho para que Letícia Reis Menezes, 35 anos, subisse um degrau na escala da dignidade na sexta-feira passada.

Em uma maca, bem posicionada em frente ao setor de enfermagem, passou a contar as horas para ter um quarto. Três dias depois, quando as crises foram reduzidas e já não precisava mais do tubo de oxigênio, passou a ficar estacionada em um corredor mais afastado, até com uma certa privacidade.

A voz fraca ela não usa para reclamar. Está segura de que terá, enfim, encaminhamento para tratar sua doença: miocardiopatia, adquirida no pós-parto, em 2006, quando a filha Isabela nasceu.

— Me sinto aliviada por estar, de uma certa forma, assistida. Quero sair daqui curada. É só o que eu peço — diz.

O diagnóstico de cinco anos atrás Letícia recebeu no Hospital São Lucas da PUCRS. Lá, fez todo o tratamento. Só que vinha se sentindo mal há meses.

— Meu marido e eu resolvemos procurar o Clínicas. Aqui soubemos que a minha situação era gravíssima — explica.

Enquanto aguarda a liberação de um quarto, evita pensar na filha que deixou em casa, na doença e na pouca privacidade e no mínimo de conforto que a maca lhe permite.

Castigo
Ana Carolina Castro da Silva tem 10 anos, 1m49cm, 50 quilos, mas já é habitué da emergência pediátrica do Clínicas. Desta vez, chegou ao hospital no domingo. Sentada na cama, vestindo uma blusa rosa com o slogan do hospital, cujas mangas disfarçam os fios de soro enrolados na mão esquerda, Ana pergunta:

— Tia, já liberou o meu quarto?

Fecha a cara diante da negativa. Espera a próxima enfermeira passar e questiona.

Faz isso dezenas de vezes por dia. Ao avistar a repórter com bloco e caneta na mão, analisa, e divide a dúvida:

— Tia, tu é assistente social? É tu que vai me conseguir um quarto?

É muito difícil para Ana, cujo nome a equipe técnica já sabe de cor. O desejo é subir para um quarto e ficar próximo à recreação do hospital. Ali onde está, amontoada entre outras crianças, só resta a TV e o tédio – para agonia da mãe Eni, 38 anos.

A menina tem mastoidite, uma infecção crônica no ouvido e, desde bebê, convulsões que fazem Eni despencar da Vila Safira, onde moram, para o hospital pelo menos oito vezes por ano.

Ana aguarda um leito para que possa fazer uma cirurgia no ouvido direito. Enquanto isso, Eni vira a noite em uma cadeira plástica, ao lado da maca. Carrega uma dor na coluna pela década de vigília.

— Fico de castigo. Dou um pulinho em casa para trocar de roupa e tomar banho vez ou outra. Fazer o quê? — resigna-se.

Alternativa
O olhar pidão de Kayky, seis anos, aflige Fabiane Cardoso Gomes, 33 anos. A febre de 39°C não cede, a falta de ar é insistente e o olhar desatina a diarista, que sofre com as crises de asma do caçula.

Está exausta da burocracia do sistema de saúde. Faz tudo certinho. Sabia que, na verdade, apesar de parecer grave para ela, o quadro de Kayky não precisaria de atendimento hospitalar. Poderia ter sido resolvido em um posto de saúde, mas cadê o médico?, questiona Fabiane.

— Levei o guri ao posto. Mas a médica que estava de plantão não estava lá. Ele passou por uma triagem com a enfermeira. Cheguei aqui com o encaminhamento. É claro que sei que não é para lotarmos os hospitais, mas eu ia fazer o quê? Deixar meu filho morrer em casa? — indigna-se a mãe.

O atendimento foi relativamente rápido, considerando o quadro da emergência. Chegou às 16h de terça e às 22h30min já estava pronta, com receita na mão e diagnóstico. Na consulta, teria sido reforçada a necessidade de retirada das amídalas, cirurgia para a qual a criança já está inscrita, mas que, segundo a previsão recebida pela mãe, só deve ocorrer daqui a quatro anos.

Fonte Zero Hora

Biotecnologia e produção local são fatores cruciais para a indústria

Domínio da biotecnologia para o fortalecimento da indústria farmacêutica e produção local de equipamentos médicos e insumos hospitalares são cruciais para o Brasil não perder o bonde do crescimento

Junto à abertura da economia na década de 90 vieram oportunidades para o setor industrial brasileiro. Os segmentos farmacêutico e de equipamentos médicos, por exemplo, não souberam aproveitar a brecha em favor do desenvolvimento. E, agora, colhem os frutos da falta de visão com a ausência de cultura de inovação e de Pesquisa & Desenvolvimento. É o que conta o superintendente corporativo do Hospital Sírio-Libanês, Gonzalo Vecina Neto.

“Poucos ministros encararam a saúde como provedor de valor e de geração de empregos. O Temporão (José Gomes Temporão, ministro da Saúde de 2007 a 2010) foi o que mais priorizou a indústria, e o Padilha tem continuado, mas isso é muito recente”, disse o executivo durante debate sobre modelos de desenvolvimento para a área da Saúde, promovido pela Associação Brasileira da Indústria de Alta Tecnologia de Equipamentos, Produtos e Suprimentos Médico-Hospitalares (Abimed), na Feira Hospitalar.

Diante da estabilidade econômica conquistada pelo País nos últimos anos, do aumento nas taxas de emprego, dos juros controlados e envelhecimento da população, outro momento decisivo escancara suas oportunidades, e a biotecnologia está entre elas.

Atualmente, os produtos biotecnológicos consomem 35% do orçamento do Ministério da Saúde para a compra de medicamentos, entretanto, representam apenas 5% do uso. “Os medicamentos biotecnológicos são a nova fronteira dos medicamentos e tratamentos mais modernos, tanto na parte de prevenção, com vacinas, quanto em tratamentos de cânceres e doenças crônicas. Eles são um desafio para o Brasil em termos tecnológicos, de inovação, pesquisa e abrangência”, enfatiza o ministro da Saúde, Alexandre Padilha.

A criação das duas “superfarmacêuticas” nacionais (BioNovis: Aché, EMS, Hypermarcas e União Química; e Superlaboratório: Eurofarma, Cristália, Biolab e Libbs) contempla as ações do governo em apoiar o desenvolvimento do complexo industrial da saúde por meio do programa Profarma, do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico Social (BNDES). O banco disponibilizará R$ 5 bilhões até 2016 para financiar projetos de inovação e expansão das farmacêuticas instaladas no País.

“Queremos trazer também parceiros internacionais para produzirem aqui”, afirma Padilha. De acordo com o ministro, a Fiocruz será o terceiro elo no desenvolvimento da biotecnologia no Brasil, por meio da produção de insulinas. Para Vecina, o estímulo da produção nacional está diretamente relacionada ao acesso à assistência médica e geração de emprego, “aspecto vital para a sociedade”.

“Os genéricos são um bom exemplo de políticas que deram certo. Hoje está entre as dez maiores indústrias na área de medicamentos, e representam 60% do mercado brasileiro”, diz o superintendente do Sírio-Libanês.

Equipamentos
Não apenas as farmacêuticas, mas as empresas de equipamentos e insumos hospitalares também se preparam para a inovação nacional. Philips, Siemens, Toshiba e GE Healthcare, por exemplo, investem em suas fábricas para a produção local de aparelhos de imagens. No entanto, grande parte dos produtos ainda é montado no País, mas não fabricado.

“Uma das áreas mais atrasadas na assistência à saúde refere-se ao tratamento do câncer com radioterapia. Temos máquinas antigas que utilizam cobalto-60. Temos que substituí-las por aceleradores lineares”, ressalta Vecina.

Com investimentos de R$ 500 milhões, o governo promete instalar 80 novos centros de radioterapia, com aceleradores lineares, no Norte, Nordeste e interior do Centro-Oeste, Sul e Sudeste, até 2014. “A única forma de fazer isso é atrair, com o poder de compra do ministério da Saúde, a indústria de equipamentos lineares para o Brasil”, diz Padilha.

A concessão de margem de preferência para a compra de produtos nacionais, em que o governo pode colocar até 35% a mais no preço, é uma das estratégias da presidente Dilma Roussef no fomento da produção local. Segundo o ministro, outra estratégia fica a cargo das parcerias público privadas (PPPs).

De acordo com o ministro, a regulamentação da margem de preferência para equipamentos deve ser concluída no segundo semestre deste ano.

O estreitamento da relação da indústria com as universidades é outro movimento que contribui para que o Brasil não perca a “locomotiva” mais uma vez. “As universidades precisam escapar da burocracia”, alerta Vecina, que defende a radicalização da democracia como único instrumento capaz de derrotar os entraves que impedem o Brasil de tornar-se referência em inovação e Pesquisa & Desenvolvimento.

Fonte SaudeWeb

3 dicas para lidar com o excesso de informação e manter-se criativo

Por Roberto Cardoso

A grande quantidade de dados no ambiente de trabalho vem desencadeando um distúrbio de foco entre os profissionais, o chamado Déficit de Atenção Organizacional. Veja como lidar com isso

Hoje, vivemos a era da informação. Mas ninguém mais dá conta de tanta informação!

Além da TV, do rádio, dos veículos impressos e dos computadores “clássicos”, notebooks, netbooks, tablets, smartphones, e outros recursos que também fazem parte do dia-a-dia profissional, nos abarrotam de dados, sejam bons ou ruins, necessários ou desnecessários.

Para se ter uma ideia, estima-se que de uma década para cá a humanidade gera em apenas um ano milhares de vezes mais informação do que todas as civilizações que já existiram sobre a Terra.

O que acontece é que, apesar do crescimento vertiginoso da tecnologia que nos traz informações, a nossa capacidade de absorvê-la e de lidar com ela permanece a mesma. Temos a mesma composição genética e estrutura cerebral dos nossos tataravôs, ou seja, temos um limite humano para absorver e lidar com as informações.

Quais as consequências disso? Várias. Uma, é o stress! A outra, explicamos abaixo;

Existe um problema que se chama déficit de atenção do adulto, onde há certa tendência genética a regular mal o funcionamento de uma área do cérebro chamada região pré-frontal.

Você esquece coisas com frequência? Distrai-se com facilidade? Tem dificuldade em se ligar a atividades que exigem atenção? Não consegue ficar com o corpo parado? Tem dificuldade de prestar atenção a alguém falando com você? É desorganizado? Estes são alguns sintomas do déficit de atenção do adulto.

Parece que a torrente de informações no ambiente de trabalho chegou a tal montante que alguns estudiosos creem que existem adultos com déficit de atenção relacionado especialmente ao trabalho. Esta nova entidade, que vem sendo chamada de Déficit de Atenção Organizacional.

O que fazer, então? Viramos índios? Continuamos assim até enlouquecermos? Claro que não. Existem outras saídas e vamos falar aqui de três delas.

1. Seleção
A primeira coisa é saber filtrar o que ler, ver ou ouvir. Um médico pode ser ajudado sabendo de uma nova epidemia que surgiu em alguma região do país, mas para que lhe serviria conhecer a melhor técnica de confeitar bolos? Um doceiro ficaria melhor lendo sobre a nova técnica de confeitar, mas de que lhe serviria conhecer em profundidade os detalhes da epidemia que agora é notícia? Saber filtrar o que é essencial, o que é útil e o que é só curiosidade, pode ser o primeiro passo para resguardar sua saúde mental.

Além disso, muitas vezes, não é nem necessário saber todas as coisas da própria profissão. Basta você conhecer as mais comuns, e quando quiser se informar sobre outros detalhes, saiber onde buscar a informação. E seu problema estará resolvido.

2. Pausas mágicas
Sabe quanto tempo você perde por ser interrompido por alguém no seu trabalho? Bem, segundo Victor González e Gloria Mark, no ambiente da tecnologia de informação alguém lhe interrompe a cada 11 minutos! Isso sem falar no smartphone despejando torpedos e e-mails numa frequência intolerável para a eficiente produção.

Simplesmente não há como produzir assim! Por isso, se você precisa criar, aprimorar ou inovar, deve haver momentos no decorrer do dia – pelo menos uns dois períodos de 90 minutos cada – onde você não seja interrompido. Nesses pequenos períodos, feche a porta, não veja e-mails, desligue o celular e combine com todos para não lhe chamarem.

3. Meditação
Meditar ajuda a relaxar, a manter a atenção, a dormir melhor, além de trazer vários outros efeitos positivos para o praticante. Porém, outro efeito importante desse método é a capacidade de ‘desligar’ a mente pensante por alguns minutos. Essa prática traz um enorme descanso mental, melhora a performance, aumenta a produtividade e, além disso, nos dá um ‘refresco’ das gigantescas ondas de informação que nos bombardeiam diariamente. Ela é tão relaxante para a mente, que reduz mais o consumo de oxigênio cerebral do que o sono.

Medite, e encontre um lugar dentro de si que sempre esteve lá, mas que o tsunami diário de informações lhe impedia de conhecer.

Ter acesso a informações é uma benção. Mas saber lidar com elas é uma ação de saúde. Em alguns casos, até de sobrevivência.

*Dr. Roberto Cardoso, coordenador do Programa de Medicina Comportamental do FEMME Laboratório da Mulher

Por SaudeWeb

Médicos têm novo site de publicações científicas

O portal Saúde Baseada em Evidências é uma iniciativa do governo federal que possibilita o acesso a publicações, com informações atualizadas, para subsidiar a tomada de decisão no diagnóstico, tratamento e gestão

Os 383 mil médicos brasileiros contam com novo instrumento para auxiliar na tomada de decisões clínicas. O portal Saúde Baseada em Evidências é uma iniciativa do governo federal que possibilita o acesso a diversas publicações científicas, com informações atualizadas, para subsidiar a tomada de decisão no diagnóstico, tratamento e gestão. Por meio do portal os profissionais também poderão utilizar ferramentas como calculadoras médicas e de análise estatística.

A base de dados do Saúde Baseada em Evidências foi selecionada a partir de levantamento realizado por pesquisadores e docentes de universidades públicas. Foi levada em conta a relevância e a atualidade do conteúdo para atender as principais necessidades dos profissionais. Ao todo, cerca de 1,8 milhão de profissionais de saúde vinculados a conselhos profissionais terão acesso ao sistema.

“Esse é o resultado de uma aposta do CFM, que por mais de dois anos buscou fórmulas que permitissem aos médicos acessar sites e publicações que oferecem conhecimento atualizado. Entendemos que com o Portal Saúde Baseada em Evidências, o profissional terá um instrumento importante para sua capacitação contínua e para o exercício diário da profissão, independentemente de onde resida”, avalia o vice-presidente do CFM, Carlos Vital, em cujo entender a iniciativa da atual gestão do CFM, que levou à oferta gratuita de conteúdo aos médicos brasileiros, com a participação do governo, confirma a preocupação em oferecer serviços aos profissionais com a ajuda da entidade: “Impossível ignorar os benefícios do novo portal, como a economia e a garantia de conteúdos pertinentes de qualidade. É uma vitória dos médicos”, destaca.

Acesso - “É importante que os médicos acessem a base de dados disponibilizada no portal Saúde Baseada em Evidências. Essa participação permitirá que possamos fazer uma avaliação da iniciativa com o intuito de torná-la ainda melhor”, afiro secretário de Gestão de Educação e Trabalho do Ministério da Saúde, Mozart Salles. Segundo ele, o governo federal – em parceria com os conselhos profissionais da área da saúde – enxerga na ferramenta uma conquista para a qualificação da assistência .Trata-se de um serviço que amplifica democratiza o acesso ao conhecimento técnico, científico e prático e que teve no Conselho Federal de Medicina um interlocutor fundamental para que fosse devidamente implementado”, acrescenta Mozart.

Em reunião com o vice-presidente do CFM, o secretário do Ministério pediu apoio da entidade na divulgação da novidade entre os mais de 383 mil médicos brasileiros. Até o momento, o Ministério da Saúde investiu em torno de R$ 10 milhões no projeto.

Fonte SaudeWeb

Senado aprova lei que obriga operadoras a ter contratos com prestadores

O objetivo da proposta é evitar os descredenciamentos súbitos e imotivados tanto de profissionais como de clínicas, hospitais e laboratórios

A Comissão de Seguridade Social e Família aprovou nesta quarta-feira o Projeto de Lei 6964/10, do Senado, que torna obrigatória a existência de contratos escritos entre as operadoras de planos de saúde e seus prestadores de serviço (pessoas físicas e jurídicas).

O objetivo da proposta é evitar os descredenciamentos súbitos e imotivados tanto de profissionais como de clínicas, hospitais e laboratórios.

De acordo com o relator, deputado Eleuses Paiva (PSD-SP), os contratos darão maior segurança e estabilidade aos serviços prestados.

Paiva afirmou que o texto também beneficia o consumidor. Pela proposta, os profissionais e empresas que forem descredenciados deverão ser substituídos imediatamente por outros equivalentes, de modo a garantir a continuidade do tratamento de saúde do consumidor.

Ele também prevê a continuidade de assistência médica em caso de rompimento do contrato entre operadora de plano de saúde e a prestadora de serviço. Nesses casos, a operadora fica obrigada a substituir o prestador por outro equivalente, de modo a garantir a continuidade do tratamento de saúde do consumidor.

Reajuste
A comissão rejeitou uma emenda do deputado Jorge Tadeu Mudalen (DEM-SP) que obrigava as operadoras dos planos de saúde a reajustar o valor pago aos prestadores em pelo menos 50% do aumento determinado pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) para os planos individuais.

Segundo o relator, a medida é necessária, mas não deve tramitar separadamente à proposta dos contratos. “Para superar esse impasse que coloca em cheque o futuro da saúde privada é preciso que todos os atores envolvidos na questão – governo, prestadores de serviços, operadoras, fornecedores e sociedade – deem sua contribuição”, disse.

Tramitação
O projeto, que já foi aprovado pela Comissão de Defesa do Consumidor, tramita em caráter conclusivo e ainda será analisado pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Fonte SaudeWeb

Serviços médicos não precisam contratar enfermeiros como supervisor

De acordo com parecer, os profissionais e as instituições do setor devem submissão apenas à fiscalização e normas dos conselhos regional e federal de Medicina e às exigências da Vigilância Sanitária

Clínicas médicas, consultórios e serviços médicos em geral não são obrigados a contratar profissional enfermeiro para supervisionar o trabalho do auxiliar do médico nos procedimentos de caráter médico. É o que conclui o Parecer CFM nº 16/12, aprovado na sessão plenária de maio do Conselho Federal de Medicina (CFM).

A consulta foi realizada pelos conselhos regionais de medicina do Distrito Federal e de Pernambuco, que referiram a exigência do Conselho Federal de Enfermagem (Cofen) de que clínicas de endoscopia digestiva e outras clínicas médicas contratem profissional enfermeiro.

Segundo a orientação do CFM, o diretor técnico da instituição tem o direito e o dever legal e ético de exercer tal supervisão, haja vista ser o responsável pelo ato médico. “Os médicos e as instituições médicas devem submissão apenas à fiscalização e normas dos conselhos regional e federal de Medicina e às exigências da Vigilância Sanitária”, aponta o parecer.

O relator e conselheiro Jecé Brandão reforça o entendimento: “As clínicas médicas, consultórios e serviços médicos em geral não estão submetidos às normas dos conselhos de Enfermagem, cuja aplicação restringe-se aos profissionais de enfermagem. Cabe, portanto, apenas aos conselhos de Medicina a fiscalização das entidades neles inscritos”, diz.

Fonte SaudeWeb

Saiba mais sobre sobre: Segurança na saúde

Veja como prevenir acidentes com perfurocortantes

As deficiências do Brasil sobre as infecções com materiais perfurocortantes são grandes. Entenda como a NR 32 pode auxiliar os prestadores a fazerem uma eficiente gestão de riscos

As instituições de saúde necessitam de diretrizes claras para a elaboração de uma eficiente ferramenta de gestão dos riscos, envolvendo a prevenção de acidentes dos profissionais com materiais perfurocortantes. A Portaria nº 1.748, de agosto de 2011, do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), foi determinante para que essa exigência fosse atendida.

A portaria aprova o Anexo III (Plano de Prevenção de Riscos de Acidentes com Materiais Perfurocortantes) e altera o texto da Norma Regulamentadora nº 32, contemplando o acompanhamento das práticas e atualizações tecnológicas da área da Saúde, com o objetivo definido de melhorar a segurança e saúde do trabalhador.

A portaria estabelece diretrizes que vão desde a definição do que é um material perfurocortante até a constituição de uma Comissão Gestora, que deve estabelecer cuidados e critérios para a implantação dos perfurocortantes com dispositivo de segurança.

De acordo com o Diretor na NÓS – Negócios Oportunidades Serviços, Mauro Daffre, a saúde ocupacional dos profissionais de saúde é fator determinante para a segurança do paciente. “É necessário criar uma cultura continuada de prevenção e não apenas de tratativas de consequências no pós-acidente”.

Confira esclarecimento sobre a norma e seus benefícios:

1) A partir de 1º de janeiro, o anexo III da NR 32 (Plano de Prevenção para os Riscos de Acidentes com Materiais Perfurocortantes) passa a vigorar em âmbito nacional.O que efetivamente irá mudar dentro dos estabelecimentos de saúde?

Em primeiro lugar precisamos esclarecer que o PPRA-MAPE está em vigor desde a data da publicação da Portaria 1748/11, ou seja, desde 31/08/11.

O empregador é que deverá até o dia 29/12/11 ter o PPRA-MAPE implantado de acordo com as diretrizes do anexo III aprovados por aquela Portaria.

Outro fato a esclarecer é que desde a publicação da NR 32, a mesma já passou por algumas atualizações, porque o principal papel de uma Norma reguladora é justamente atender às demandas para as quais ela foi criada.

A NR 32 é um instrumento de mudanças, não um documento de gaveta, por isso ela acompanha as necessidades que vão se apresentando e ajustes são realizados para a melhoria da segurança e saúde do trabalhador.

O novo Anexo é um instrumento facilitador de estudo e análise das principais fontes de proteção e não apenas dos fatores geradores dos acidentes com materiais perfurocortantes.

Não consideramos que há mudanças significativas, pois todos os itens estabelecidos na Portaria já são de amplo conhecimento dos serviços de saúde.

A comissão gestora prevista no Anexo III, é multidisciplinar, e tem como principal objetivo reduzir os riscos de acidentes com materiais perfurocortantes, com probabilidade de a exposição a agentes biológicos.

A credito que este será o grande desafio para as entidades de serviços de saúde, pois necessariamente mudarão atitudes e comportamentos no dia a dia destes serviços.

O principal objetivo da CTPN da NR 32, da qual faço parte representando a CNI – Confederação Nacional da Indústria, é que a Portaria 1.748 seja um instrumento de organização de dados, uma fonte de consulta e pesquisa, crie uma cultura continuada de prevenção e não apenas de tratativas de conseqüências no pós acidente.

2) Em sua opinião, quais são os principais benefícios trazidos por esta normatização para a segurança e proteção dos trabalhadores do segmento? Quais medidas de segurança estão sendo incorporadas nesta regulamentação?

Creio que a análise das situações de risco e dos acidentes de trabalho ocorridos com materiais perfurocortantes, o estudo da freqüência, a adoção de medidas de controle para prevenção destes acidentes, as mudanças de organização e práticas de trabalho trarão vários benefícios aos profissionais da saúde envolvidos, mas como que já mencionei, esta normatização cria uma cultura continuada de prevenção.

Ao praticar a NR 32 e a Portaria 1748/11, os empregadores podem ser beneficiados por muitos fatores entre os quais podemos citar três: gestão, prevenção e lucro.

A gestão da segurança do trabalho resultará na padronização dos procedimentos no uso dos dispositivos de segurança, que além de reduzir o número de acidentes, mostrará onde reduzir custos com desperdício de materiais e prevenir descartes inadequados de resíduos.

O lucro virá de funcionários mais comprometidos e satisfeitos devido à preocupação da direção do estabelecimento com sua saúde, bem como da clientela, pois esta tem o poder de notar diferenças e dar preferência aos estabelecimentos de saúde responsáveis, que respeitam a lei e utilizam produtos com dispositivo de segurança, para o bem de todos.

A prevenção através da capacitação dos funcionários demonstrará que o investimento compensa e evita prejuízos futuros.

Para os trabalhadores o benefício será de imediato, com as melhorias que serão propostas e implantadas.

Com relação às medidas de segurança que estão sendo incorporadas podemos destacar a preocupação do Legislador em capacitar e treinar os profissionais na área da saúde.

É necessário que a conscientização mais uma vez vença a resistência em unir os vários grupos de trabalho das instituições de saúde para o bem comum que em verdade são os maiores valores da força de trabalho para a recuperação da integridade física e mental do paciente.

E isso não ocorre quando o trabalhador adoecer por conseqüência desse trabalho.

3) Pelo seu conhecimento da área, acredita que os estabelecimentos buscaram se adaptar as mudanças na legislação de SST? Houve uma preocupação, por parte destas, para se enquadrar ao texto da norma?

Os estabelecimentos de serviços de saúde buscarão se adaptar as mudanças da Legislação, mas em muitos casos, desconhecem:

O inciso I do artigo nº 157 da CLT (Consolidação das Leis do Trabalho) que é bem claro e determina que “cabe às empresas cumprir e fazer cumprir as normas de segurança e medicina do trabalho”.

Com a publicação no D.O.U. em 10/10/11, da Portaria SIT 277 do MTE com o grau de infração dos itens da Portaria 1.748, a gradação das infrações da Norma Regulamentadora – NR 32 (Segurança e Saúde no Trabalho em Serviços de Saúde) ficaram completas e os valores das multas são significativos.

Veja tabela exemplificativa – Fiscalização e Multas da Portaria 1.748:

A preocupação começa a despontar. Temos notado o crescente interesse por parte dos serviços de saúde e principalmente pelos profissionais da saúde em nossos workshops e cursos à distância focados na NR 32 e Portaria 1748/11, realizados pelo Projeto Trabalhador Saudável – Paciente Vivo (TSPV).

4) É possível prever se a grande maioria já está cumprindo a lei ou ainda um pequeno percentual?

O fato é que muitos estabelecimentos ainda desconhecem as mudanças ocorridas na Legislação de SST, quanto a Portaria 1748/11 do MTE.

Apesar da NR 32 ter sua vigência desde novembro de 2005 e desde esta época o texto da NR já apontava a questão dos acidentes com materiais perfurocortantes é de se estranhar que muitos não acompanhem a legislação e desconheçam a Portaria em questão publicada em 31/08/11.

5) A acidentalidade no setor de saúde com materiais perfurocortantes é preocupante? Há algum estudo estatístico sobre acidentes envolvendo estes materias nos estabelecimentos de saúde? Quais as ocorrências mais comuns e recorrentes?

Estatísticas são iguais as jurisprudências, existem para tudo e de todos os tipos.

Existem dados de 2009 da Previdência que indicam que em média 43 trabalhadores/dia não retornam ao trabalho devido à invalidez ou morte.

Dados do Sistema Federal de Inspeção do Trabalho mostram que no setor da saúde de janeiro a setembro de 2011, foram realizadas 3.400 ações de fiscalização, alcançando 524.109 trabalhadores, com 1.974 notificações e 1522 autuações.

Foram efetivados 25 embargos/interdições e apenas 13 acidentes analisados. Precisamos lembrar que o quadro de auditores fiscais é pequeno, 2845 AFTs.

Segundo a DATAPREV em 2010 foram 58.334 acidentes de trabalho e doenças ocupacionais no setor da saúde, com 5872 acidentes sem CAT registrada.

Com relação aos acidentes envolvendo materiais perfurocortantes são maioria dentro dos serviços de saúde, mesmo levando em conta que muitos acidentes não são notificados legalmente como estabelece a CLT e reforça a NR 32.

Com a implantação da comissão gestora prevista na Portaria 1748/11, nos serviços de saúde acreditamos que teremos bem claros esses números, tipos e todo o processo envolvendo o acidente de trabalho com material perfurocortante.


Por
Mauro Daffre
Representante da Confederação Nacional da Indústria (CNI) na CTPN da NR 32
Coordenador do Projeto Trabalhador- Saudável Paciente Vivo (TSPV)

Com a colaboração de:
Vera Lúcia Cantalupo
Assessora Técnica da Bancada Patronal na CTPN da NR 32
Fabio Cardoso
Gerente do Projeto Trabalhador- Saudável Paciente Vivo (TSPV)

Por SaudeWeb

Ministério vai repassar R$ 24,2 mi para construção de academias de saúde

O objetivo é incentivar os gestores locais do Sistema Único de Saúde (SUS) a melhorar o padrão de qualidade da assistência por meio das Equipes de Saúde da Família (ESF)

O Ministério da Saúde vai repassar a 23 estados R$ 24,2 milhões para a construção de novas Unidades Básicas de Saúde (UBS) e polos de Academia da Saúde. Somente para as novas UBS, serão destinados R$ 15,8 milhões. Os outros R$ 8,48 milhões serão aplicados nas academias. As medidas foram publicadas nos últimos dias em duas portarias (nº 1.300 e nº 1.345) no Diário Oficial da União. “O objetivo é incentivar os gestores locais do Sistema Único de Saúde (SUS) a melhorar o padrão de qualidade da assistência por meio das Equipes de Saúde da Família (ESF)”, destaca o diretor do Departamento de Atenção Básica do Ministério da Saúde, Heider Aurélio Pinto.

As ações fazem parte da Política Nacional de fortalecimento da Atenção Básica – coordenada pelo Ministério da Saúde e executada pelos estados e municípios. Atualmente há 155 Academias da Saúde em funcionamento em 12 estados e 42 mil UBS em todo o país. Em 2011, o Ministério da Saúde destinou mais de R$ 170 milhões para a construção de novas UBSs. Já ao programa Academias da Saúde, lançado no ano passado, o ministério repassou R$ 53,7 milhões para a construção de 1.946 novos polos.

Os estados do Acre, Alagoas, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Minas Gerais, Mato Grosso, Pará, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Paraná, Rio de Janeiro, Roraima, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo terão 72 novas UBS em 57 municípios. Os valores para cada UBS são definidos de acordo com o número de equipes que atuam na unidade. Os recursos são repassados pelo governo federal às secretarias municipais de saúde em três parcelas. A primeira corresponde a 10% do valor total; a segunda, a 65%; e a última, a 25%. As duas últimas parcelas são liberadas mediante comprovação do andamento da obra pelos gestores locais do SUS. Os recursos financeiros são transferidos diretamente do Fundo Nacional de Saúde (FNS) para os fundos municipais de saúde.

Academias de saúde
– Para a construção de polos de Academia da Saúde serão destinados R$ 8,48 milhões para 63 municípios em 20 estados (AC, AL, CE, GO, MA, MG, MS, MT, PA, PE, PB, PI, PR, RJ, RN, RO, RS, SC, SP, TO), que receberão 78 novas Academias da Saúde.

Lançado em abril do ano passado, o Programa Academia da Saúde estimula a criação de espaços adequados para a prática de atividade física, orientação nutricional, oficinas de artes cênicas, dança, palestras e demais atividades que promovam modos de vida saudáveis. O objetivo é estimular a promoção da saúde bem como a prevenção e a redução de mortes prematuras por Doenças Crônicas Não Transmissíveis (DCNT). Previstas no Plano de Ações Estratégicas para Enfretamento das DCNTs, as medidas têm como meta melhorar indicadores relacionados ao tabagismo, álcool, alimentação inadequada, sedentarismo e obesidade até 2022.

Fonte SaudeWeb

Prefeitura Municipal de Botucatu – SP

Prefeitura Municipal de Botucatu – SP

A Prefeitura de Botucatu – SP realiza concurso para provimento de vagas

Inscrições:
De 2 a 20 de julho, pelo www.cetroconcursos.org.br


Valor:
De R$ 22,00 a R$ 44,00.

Cargos:
Engenheiro agrimensor, eletricista, ajudante de mecânico, professor de português, professor de educação artística, professor de ciências, atendente de creche, agente de atividades escolares, enfermeiro, atendente de museu, recepcionista, vigia, tratorista, jardineiro, professor de matemática, professor de história, professor de educação física, inspetor de alunos, auxiliar de serviços gerais, agente de saúde pública, monitor em atividades de biblioteca, pintor, mecânico, motorista, professor de inglês, professor de geografia, auxiliar de escritório, bibliotecário, médico (clínico geral, ginecologista e pediatra), eletricista semafórico e auxiliar de cultura.

Provas:
Provas objetivas: 2 de setembro
Prova prática para motorista e tratorista: 20 e/ou 21 de outubro.

Instituto Federal de Educação, Ciência, e Tecnologia Baiano - IF Baiano

O Instituto Federal de Educação, Ciência, e Tecnologia Baiano (IF Baiano) realiza seleção para preenchimento de vagas para Professor Temporário do campus Governador Mangabeira.

Inscrições:
Até 8 de julho pelo www.ifbaiano.edu.br


Áreas:
Saúde e Segurança do Trabalho e Elétrica

Remuneração:
De R$ 1.597,92 a R$ 3.825,89.

Provas:
Haverá prova didática

Instituto Clemente Ferreira – SP

O Instituto Clemente Ferreira – SP realiza seleção para preenchimento temporário de 2 vagas.

Inscrições:
De 11 de junho a 10 de julho, no Núcleo de Recursos Humanos do respectivo Instituto, sito à Rua da Consolação, nº. 717, Consolação, São Paulo-SP.

Cargos:
Médico - Pneumologia - Pneumologia Pediátrica.

Seleção:
Haverá Análise Curricular

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Piauí - IFPI

O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Piauí (IFPI) realiza concurso para provimento de 53 vagas para professor

Inscrições:
Até 6 de julho pelo www.ifpi.edu.br/conc
ursos. A documentação deve ser enviada para o email selecaoead@ifpi.edu.br

Áreas:
Gestão e Negócios, Informação e Comunicação, Ambiente e Saúde, Segurança, Turismo, Hospitalidade e Lazer e Desenvolvimento Educacional e Social.

Provas:
Haverá provas objetiva e discursiva

Hospital Regional Norte - CE

O Hospital Regional Norte, do Instituto de Saúde e Gestão Hospitalar (ISGH), Ceará, realiza concurso para provimento de 1.641 vagas

Inscrições:
Até 5 de agosto pelo www.institutocidades.org.br


Valor:
De R$ 60,00 a R$ 120,00

Remuneração:
De R$ 622,00 a 7.955,04

Provas:
Prova discursiva: 2 de setembro
Haverá prova de títulos.

Cargos:
Grupamento de Gestão (7 vagas): Gerente de Risco, Gerente de Laboratório, Gerente de Farmácia, Gerente de Nutrição, Gerente Núcleo Atendimento ao Cliente, Gerente Administrativo e Assessor Técnico da Qualidade;
Grupamento de Nível Superior - Médico (342 vagas): Médico Anestesiologia, Cirurgia Geral, Cirurgia Plástica, Cirurgia Vascular, Neurocirurgião, Neurologia, Clínica Médica, Hematologista, Hematologista, Pediatra, Endoscopia Digestiva, Endoscopia Respiratória, Infectologia, Psiquiatria, Ginecologia Obstetrícia, Medicina do Trabalho, Radiologia, Ultrassom e Diagnóstico por Imagem, Tráumato-Ortopedia, Emergencista Adulto, Emergencista Infantil, Terapia Intensiva Adulto, Terapia Intensiva Pediátrico e Terapia Intensiva Neonatologia;
Grupamento de Nível Superior - Não Médico (333 vagas): Assistente Social, Cirurgião-Dentista Buco Maxilofacial, Enfermeiro, Enfermeiro Segurança do Trabalho, Farmacêutico, Farmacêutico Bioquímico, Fisioterapeuta, Fonoaudiólogo, Nutricionista, Psicologia Hospitalar e Terapeuta Ocupacional;
Grupamento de Nível Superior - Administrativo (15 vagas): Analista de Suporte, Assistente Administrativo, Engenheiro Clínico, Engenheiro Eletricista, Engenheiro Segurança do Trabalho e Secretária;
Grupamento de Nível Médio - Saúde (766 vagas): Auxiliar de Farmácia, Auxiliar de Laboratório, Técnico de Enfermagem, Técnico em Radiologia, Técnico em Laboratório, Técnico em Gesso e Técnico em Enfermagem para Transporte (Maqueiro);
Grupamento de Nível Médio - Administrativo (178 vagas): Ascensorista, Auxiliar Administrativo, Auxiliar de Escritório, Auxiliar de Manutenção, Bombeiro Hidráulico, Conferencista e Expedidor de Roupa, Copeiro Hospitalar, Eletricista, Recepcionista, Controlista de Acesso/Portaria, Técnico de Segurança do Trabalho, Técnico em Folha de Pagamento, Técnico em Informática,Técnico em Equipamentos Biomédicos, Tecnólogo em Construção Civil, Telefonista e Motorista de Ambulância.

Governo de São Paulo - Centro de Referência e Treinamento - DST/AIDS

O Governo de São Paulo realiza concurso para provimento de 1 vaga para o Centro de Referência e Treinamento - DST/AIDS

Inscrições:
De 9 a 11 de julho, na Gerência de Recursos Humanos do respectivo Centro de Referência e Treinamento - DST/AIDS, rua Santa Cruz, nº. 81, 1º Andar na Gerência de Recursos Humanos - Vila Mariana, São Paulo.

Cargo:
Médico Odontológico

Seleção:
Haverá Análise Curricular

Conselho Regional de Enfermagem do Amapá - COREN/AP

O Conselho Regional de Enfermagem do Amapá (COREN/AP) realiza concurso para provimento de 3 vagas e cadastro de reservas para Enfermeiro Fiscal e Contador.

Inscrições:
De 5 de julho a 10 de agosto pelo www.intelectus-ap.com.br


Valor:
R$ 150,00.

Remuneração:
De R$ 2.200,00 a R$ 3.500,00

Provas:
Provas objetivas: 9 de setembro

Banco do Estado do Pará S.A. - Banpará

O Banco do Estado do Pará S.A. - Banpará realiza concurso para provimento de vagas

Inscrições:
De 14 de junho a 15 de julho, pelo www.esppconcursos.com.br


Valor:
De R$ 50,00 a R$ 85,00

Seleção:
Provas objetivas: 12 de agosto
Haverá prova de títulos para os cargos de nível superior: Médico do Trabalho, Engenheiro-Agrônomo e Engenheiro Eletricista

Concurso Hospital das Clínicas

O Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HCFMUSP) está com inscrições abertas para os concursos públicos Nº. 79/2012-CCP, visando o preenchimento de 20 vagas de nível médio/técnico para o cargo de Técnico de Enfermagem do quadro de servidores deste Hospital para o Instituto da Criança. O vencimento será de até R$ 961,44, com jornada de trabalho de 30 horas semanais.
Será reservada 5% das vagas às pessoas portadoras de deficiência.
As inscrições, no valor de R$ 40,57, deverão ser enviadas pelo correio, através de carta registrada + aviso de recebimento (AR), até o dia 03 de agosto de 2012, para o seguinte endereço: Serviço de Recrutamento, Seleção e Movimentação de Pessoal da Divisão de Recursos Humanos do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, Rua Dr. Ovídio Pires de Campos, 225 – Prédio da Administração – 1º. andar - Cerqueira César – São Paulo – SP – CEP 05403-010, podendo, a critério da Banca Examinadora, serem prorrogadas. As datas de postagem deverão corresponder ao período de inscrição.
A ficha de inscrição deverá ser extraída do site www.hcnet.usp.br e o preenchimento, a data e a assinatura devem ser sem rasuras, de forma legível, correta e completa, utilizando caneta esferográfica azul ou preta.
As provas serão realizadas conforme convocação para as provas, a ser divulgada pelo Diário Oficial do Estado ou pela Internet nos sites: www.imesp.com.br ou www.hcnet.usp.br.
O prazo de validade do concurso será de 2 anos, a contar da data da publicação da homologação.

Edital / Publicações

Concurso Unesp - Campus de Araçatuba

A Universidade Estadual Paulista (UNESP), preencherá 04 vagas em seu quadro de pessoal e por isso lançou três editais de Concurso Público de Títulos e Provas para preenchimento de Professores Substitutos para atuarem no Campus de Araçatuba.
O salário correspondente às atividades de Professor Substituto, fixado na categoria MS-2, Nível I, em 12 horas semanais, corresponde a R$ 1.080,05 mensais. Caso o candidato tenha título de Doutor (categoria MS-3) ou Livre-Docente (categoria MS-5), o salário será respectivamente, de R$ 1.510,67 e R$ 1.801,02 mensais.
As inscrições serão recebidas até o dia 11 de julho de 2012, no horário das 9h às 11h e das 14h às 16h, na Seção de Comunicações, da Faculdade de Odontologia do Campus de Araçatuba, situada na Rua José Bonifácio, nº. 1193.
Os candidatos deverão apresentar, ainda, comprovante de recolhimento da taxa de inscrição, no valor de R$ 68,00 a ser efetuado na Seção de Finanças.
A convocação para as provas, com indicação do dia, hora e local, será feita por Edital a ser publicado no DOE, com antecedência mínima de 5 dias úteis contados a partir da data da publicação.
Todas as convocações, avisos e resultados oficiais, referentes à realização deste Concurso Público, serão publicados no Diário Oficial do Estado - Poder Executivo - Seção I, sendo de intera responsabilidade do candidato o seu acompanhamento, não podendo ser alegada qualquer espécie de desconhecimento.
O prazo de validade deste concurso será de 6 meses, contado da data de sua homologação pela Congregação da Unidade, podendo ser prorrogado, a critério da Administração, uma única vez e por igual período.o.

CRT DST/AIDS abre processo seletivo - SP

O Centro de Referência de Treinamento (CRT) DST/AIDS abriu diversas oportunidades para médicos na área de infectologia. Ao todo serão disponibilizadas 10 vagas com remuneração de até R$ 1.862,64 acrescido de prêmio incentivo no valor de R$ 198,00 e benefícios.
A ficha de inscrição poderá ser preenchida através do endereço eletrônico www.saude.sp.gov.br sendo apresentanda junto com a cópia e original do RG e CPF. O prazo para entregar os documentos e efetuar a inscrição é até 12 de julho de 2012. A entrega destes documentos será na Gerência de Recursos Humanos, situada à Rua Santa Cruz, nº. 81, 1º andar Vila Mariana. O valor da taxa de inscrição será de R$ 60,85.
Conforme com o previsto no edital haverá uma prova de conhecimentos específicos no dia 16 de setembro como forma de classificação e eliminação. Os candidatos serão convocados por meio de edital a ser publicado no Diário Oficial do Estado de São Paulo www. imprensaoficial.com.br.

Concurso Hospital das Clínicas – SP

Publicados os editais nº. 80 e 81/2012 de concurso público do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HCFMUSP) destinado ao provimento de 02 vagas para Agente Técnico de Assistência a Saúde, nas funções de Biologista e Farmacêutico.
O contratado será submetido ao regime da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) e atuará no Serviço de Pneumologia da Divisão de Clínica Médica II. A remuneração será de R$ 1.186,00 em jornadas de 30 horas semanais, além disso, o Biologista receberá auxílio alimentação e vale-transporte.
O interessado deverá preencher o formulário de inscrição e entregá-lo pessoalmente ou pelos Correios até o dia 20 de julho de 2012 para o Serviço de Recrutamento, Seleção e Movimentação de Pessoal da Divisão de Recursos Humanos do HCFMUSP (rua Doutor Ovídio Pires de Campos, nº. 225, Prédio da Administração, 1º. andar, Cerqueira César, São Paulo), juntamente com a cópia da cédula de identidade e original do comprovante de pagamento da taxa de R$ 60,85.
A previsão é que o concurso seja constituído de prova escrita, prova prática-oral e prova de títulos.
A convocação para as provas será feita através de Edital, publicado no Diário Oficial do Estado, com antecedência de no mínimo 5 (cinco) dias úteis.
O prazo de validade do certame será de 02 anos, a contar da data da publicação da homologação, podendo ser prorrogado por igual período.

Concurso Conab 2012 abre 95 vagas

Disponibilizado pelo Diário Oficial da União o edital 1/2012, no qual o Presidente da COMPANHIA NACIONAL DE ABASTECIMENTO (Conab), torna pública a realização de concurso público para provimento de vagas imediatas e formação de cadastro de reserva em cargos públicos efetivos de nível superior. O certame será executado pelo INSTITUTO AMERICANO DE DESENVOLVIMENTO - IADES. As vagas são para lotação na Conab em Brasília/DF, com exceção da área de formação Auditoria, cujas vagas são para lotação prioritária nas unidades da Conab em João Pessoa/PB.
As 95 vagas disponíveis são para o cargo de Analista e estão distribuídas em 21 áreas de formação: Administração (17), Arquitetura, Arquivologia, Engenharia - Elétrica, Engenharia - Mecânica (2 vagas cada), Assistência Social, Engenharia de Alimentos, Engenharia de Segurança do Trabalho, Estatística, Medicina do Trabalho, Pedagogia, Enfermagem (1 vaga cada), Comunicação Social, Engenharia Agrícola (reserva), Contabilidade - Geral (22), Direito - Jurídico, Economia (10 vagas cada), Direito - Correição, Auditoria (5 vagas cada), Engenharia - Civil (3) e Engenharia Agronômica ou Agronomia (8).
O salário base para o cargo de Analista é R$ 4.578,70, acrescida da Gratificação por Atividade Jurídica (R$ 688,83), para os contratados nas áreas de formação Direito - Jurídico e Direito - Correição. Além do salário base, haverá Gratificação por Atividade de Auditoria (R$ 688,83) para os candidatos contratados na área de Auditoria. A jornada de trabalho é de até 44 horas semanais.
A taxa de inscrição é de R$ 46,00 e as inscrições poderão ser feitas através do endereço eletrônico http://www.iades.com.br no período que compreenderá às 10 horas do dia 8 de julho às 20 horas do dia 2 de agosto de 2012. O pagamento da taxa de inscrição por meio de boleto bancário deverá ser efetuado até o dia 6 de agosto de 2012.
Os candidatos serão submetidos a provas objetivas de caráter eliminatório e classificatório que realizar-se-ão no Distrito Federal em data, horário e local a serem informados em data oportuna. Os candidatos aprovados e convocados para a assinatura do contrato de trabalho realizarão procedimentos pré-admissionais e exames médicos complementares, de caráter unicamente eliminatório, em conformidade com a legislação vigente e de responsabilidade da Conab.

Concurso Prefeitura de São Roque - SP

A Prefeitura de São Roque, Estado de São Paulo, lançou edital de concurso público destinado ao provimento de 36 vagas em cargos de níveis fundamental, médio e superior. Os salários oferecidos variam de R$ 712,10 a R$ 1.856,48 em jornadas de 30 e 40 horas semanais.
Do total de vagas, 5% serão reservadas às pessoas com necessidades especiais, desde que as atribuições do cargo pretendido sejam compatíveis com a deficiência que possuem.
Cargos
Ensino Superior - Assistente Social, Médico Cardiologista, Clínico Geral, Ginecologista Obstetra, Infectologista, Neurologista, Oftalmologista, Otorrinolaringologista, Pediatra, Médico da Família, Psiquiatra, Urologista, Professor Adjunto de Nível Fundamental, Professor II de Ciências, Geografia, Língua Portuguesa, Matemática, Inglês e História e Médico Dermatologista;
Ensino Médio - Auxiliar de Biblioteca, Auxiliar de Educação Infantil e Técnico Agrimensor;
Ensino Fundamental - Serviçal II e Motorista.
Inscrições e Taxas
Os interessados deverão fazer suas inscrições pelo endereço eletrônico www.saoroque.sp.gov.br até às 16h do dia 19 de julho de 2012. As taxas variam de R$ 20,00 para cargos de nível fundamental, de R$ 30,00 para médio e de R$ 40,00 para superior.
Provas e Gabaritos
A previsão é que todos os candidatos sejam avaliados por meio de provas objetivas e provas práticas para Motorista, Técnico Agrimensor e Serviçal. As provas objetivas serão realizadas na cidade de São Roque, na data prevista de 16 de setembro de 2012, em horários e locais a serem comunicados oportunamente no site e no saguão da prefeitura.
O gabarito será publicado na data prevista de 17 de setembro de 2012.
Validade
Este concurso terá a validade de 02 anos, contados da data de sua homologação, podendo ser prorrogado a critério do Departamento de Administração e por meio da Divisão de Recursos Humanos, por igual período.

Concurso UNIFAP 2012

A Universidade Federal do Amapá (UNIFAP), publicou edital N° 05/2012 de concurso público para o provimento de 43 cargos da Carreira de Técnico-Administrativo em Educação de níveis fundamental, médio e superior. Os salários variam de R$ 1.473,58 a R$ 2.989,33 em carga horária de 40h semanais.
O concurso será executado pela UNIFAP, através do Departamento de Processos Seletivos e Concursos (DEPSEC) e a Comissão de Operacionalização de Processos Seletivos (COPS). Das vagas destinadas a cada cargo, 10% serão reservadas às pessoas portadoras de deficiência.
Cargos
As chances são para os cargos de auxiliar em administação, assistente em administração, técnico em laboratório/física ou eletrotécnico ou eletrônica, técnico em laboratório/biologia ou química ou análise clínicas, técnico em laboratório/química ou saneamento ambiental, técnico de tecnologia da informação, administrador, arquivista e demais cargos.
Inscrições
As inscrições serão realizadas exclusivamente via Internet, a partir das 09h30min do dia 13 de julho de 2012 às 17h30min do dia 10 de agosto de 2012, no endereço eletrônico www.unifap.br/depsec, mediante o preenchimento do formulário de inscrição, no horário local de Macapá.
Taxas
Nível de Classificação C - R$ 65,00;
Nível de Classificação D - R$ 75,00;
Nível de Classificação E - R$ 85,00.
Provas, Gabaritos e Validade
Os candidatos deverão imprimir o Cartão de Inscrição, que estará disponível no endereço eletrônico www.unifap.br/depsec, a partir de 06 de setembro de 2012, sendo de responsabilidade exclusiva do candidato a obtenção desse documento.
As provas serão aplicadas na cidade de Macapá-AP, para todos os cargos, provavelmente, no dia 16 de setembro de 2012, com início às 08 horas, tendo a duração de 04 horas. O gabarito oficial da prova será divulgado no endereço eletrônico www.unifap.br/depsec, a partir do dia 25 de setembro de 2012.
O prazo de validade do concurso será de 01 ano, a contar da data de publicação do resultado final no DOU, prorrogável por igual período, a critério da UNIFAP.

Saiba mais sobre: Micoses

 

Humor: Drogas

Portugal: Autarca de Alijó diz que "virou moda retirar ao Interior o pouco que tem"

O presidente da Câmara de Alijó, Artur Cascarejo, insurgiu-se  contra a sucessiva extinção de serviços públicos, considerando que "parece que virou moda retirar ao Interior o pouco que tem".

"Numa altura de crise, parece que a única solução que existe é retirar ao Interior o pouco que o Interior tem", afirmou, em Mirandela, à margem de uma tomada de posição conjunta dos autarcas do Vale do Tua sobre a suspensão dos transportes alternativos ao comboio na Linha do Tua.

O autarca socialista reagia à retirada deste e de outros serviços, nomeadamente a informações recentes que dão conta de que o concelho a que preside, Alijó, vai perder a ambulância SIV (Suporte Básico de Vida).

Fonte Destak

Portugal: Consultas para deixar de fumar não pagam taxas moderadoras

As consultas de apoio intensivo à cessação tabágica estão dispensadas do pagamento de taxas moderadoras, informou hoje a Administração Central dos Sistemas de Saúde (ACSS).

Num ofício circular, dirigido às Administrações Regionais de Saúde e Hospitais, a ACSS lembra que o Decreto-lei nº 113/2011, de 29 de novembro, prevê dispensa da cobrança de taxas moderadoras em situações que impliquem a recorrente necessidade de cuidados de saúde pública.

Segundo a ACSS, para além das isenções relacionadas com a condição de saúde e com a situação económica dos utentes, uma das situações de dispensa de pagamento das taxas moderadoras refere-se às prestações de saúde em programas de tratamento de alcoólicos crónicos e toxicodependentes.

Fonte Destak

Portugal: Governo pagou 2,3 ME em dívida relativos a partos em Badajoz

O Governo português pagou mais de 2,3 milhões de euros em dívida às autoridades da Extremadura espanhola relativos aos partos e assistência hospitalar a grávidas do Alentejo no Hospital de Badajoz, revelou hoje à agência Lusa fonte hospitalar.

De acordo com o porta-voz da Unidade Local de Saúde do Norte Alentejano (ULSNA), Ilídio Pinto Cardoso, a dívida ao serviço de saúde daquela região "está paga na totalidade", regularizando-se valores em atraso "desde 2008".

O responsável adiantou ainda que o protocolo entre o Estado e as autoridades espanholas continua em vigor.

Fonte Destak

Portugal: Enfermeiros transmontanos queixam de discriminação nas horas extraordinárias

Os enfermeiros transmontanos queixam-se de continuar a ser vítimas de discriminação no pagamento de horas extraordinárias e ameaçam partir para formas de luta a decidir em plenários marcados para quinta-feira.

O Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP) anunciou hoje a realização de plenários, na quinta-feira de manhã, em Vila Real, e à tarde em Macedo de Cavaleiros.

O SEP acusa as instituições de saúde da região de fazerem "tábua rasa" das orientações do Ministério da Saúde" e de não estarem a pagar as horas extraordinárias devidas aos enfermeiros.

Fonte Destak

Portugal: Nutricionistas: Pagamento à hora fixado em 4,53 euros por concurso público - ARS Lisboa

A Administração Regional de Saúde de Lisboa anunciou hoje que adjudicou a prestação dos serviços de nutricionistas e outros técnicos de saúde a 4,53 euros por hora, em resultado de um concurso público que teve por base 7,11 euros.

Esta informação surge como resposta à denúncia lançada pela Ordem dos Nutricionistas, segundo a qual haveria profissionais a serem contratados para trabalhar em centros de saúde na Administração Regional de Lisboa e Valo do Tejo (ARSLVT) por valores inferiores a quatro euros por hora.

A ARSLVT rejeita responsabilidades na escolha deste valor, explicando que com os nutricionistas sucedeu o mesmo que com a prestação de serviços de enfermagem.

Fonte Destak Portugal

Frutas vermelhas reduzem o risco do mal de Parkinson

Estudos comprovam que esse hábito vale para todos, mas é mais eficaz em homens

Pesquisa feita pelo Instituto Nacional de Saúde dos Estados Unidos mostra que homens e mulheres que consomem frutas regularmente correm um risco menor de desenvolver a doença de Parkinson. Os homens podem, inclusive, reduzir ainda mais esse risco.

O estudo envolveu 49.281 homens e 80.336 mulheres. Os participantes responderam questionários sobre seus hábitos e os pesquisadores utilizaram um banco de dados para calcular a ingestão de alimentos ricos em flavonoides, antioxidantes que combatem os radicais livres, prevenindo doenças como câncer.

Os estudiosos analisaram a associação entre a ingestão de flavonoides e o risco de desenvolver doença de Parkinson. Eles também analisaram o consumo das cinco principais fontes de alimentos ricos em flavonoides - chá, morangos, maçãs, vinho tinto e laranjas ou suco de laranja - e sua associação com a doença. Os participantes foram acompanhados durante 20 a 22 anos.

Nesse tempo, 805 pessoas desenvolveram a doença de Parkinson. Nos homens, aqueles que consumiram flavonoides em grande quantidade diminuíram a probabilidade de desenvolver a doença em 40%.

Nas mulheres, não houve relação entre o consumo de flavonoides em geral e a doença de Parkinson. No entanto, quando foi analisado o consumo de subclasses de flavonoides, descobriu-se que o consumo regular de antocianinas ? presente em frutas como morango, amora, mirtilo, uva e ameixa - está associado a um risco menor de Mal de Parkinson em homens e mulheres.

Os pesquisadores afirmam que os resultados sugerem que os flavonoides, especificamente o grupo das antocianinas, podem ter efeitos neuroprotetores. Se essa tese for confirmada, os flavonóides podem ser uma maneira natural e saudável de reduzir o risco de desenvolver doença de Parkinson.

Fonte Minha Vida

Dor emocional é a principal causa do Mal de Parkinson

Tremores intensos e rigidez muscular são os principais sintomas da doença

Doença neurodegenerativa caracterizada por tremores intensos e rigidez dos membros superiores e inferiores, o Mal de Parkinson atinge, em geral, pessoas com idade acima dos 55 anos e tem como causa principal problemas de origem emocional, como ansiedade e angústia.

O Mal, que acometeu personalidades como o ex-pugilista norte-americano Muhammad Ali e o ator brasileiro Paulo José, não tem cura e requer tratamento multidisciplinar com uso de antidepressivos e terapias alternativas para amenizar os traumas emocionais. São poucos os casos em que a doença atinge adultos jovens, como aconteceu com o ator canadense Michael J.Fox, que assumiu a doença aos 30 anos de idade.

"O Parkinson é a doença dos sofredores crônicos. Não adianta apenas tratar os sintomas com remédios. O ideal é saber a causa do sofrimento e agir sobre ela, só assim os sintomas serão amenizados de maneira satisfatória", explica Cícero Coimbra, neurologista da Unifesp.

O que é ?
É uma doença neurodegenerativa provocada pela perda de células nervosas presentes na região da substância negra do cérebro. Essa região é responsável pelos estímulos dos movimentos, funcionando como uma espécie de facilitadora dos mecanismos de ação e reação do nosso organismo. Se há uma redução do número de células, há uma alteração desses mecanismos e acontecem os tremores e a rigidez característicos da doença. "A pessoa deixa de responder por seus movimentos, de acordo com o estágio da quadro clínico", explica Cícero Coimbra.

Principais causas
A hereditariedade pode ser uma das causas da doença, porém, a principal causa do Mal de Parkinson encontra respaldo nas alterações emocionais do organismo. "A dor emocional provoca um aumento na produção de salsolinol, substância que mata as células nervosas responsáveis pelo controle dos movimentos. Situações traumáticas, ansiedade, angústia, cobrança excessiva e pessimismo aumentam a produção dessa substância e são grandes indicadores de um possível paciente com Mal de Parkinson", explica o neurologista.

São raros os casos em que a hereditariedade é a responsável pelo problema e, quando isso acontece, geralmente os pacientes são jovens, como é o caso do ator Michael J.Fox. "Quando a causa é genética, o paciente apresenta uma predisposição maior a produção excessiva do salsolinol, por isso a doença se manifesta ainda na juventude", explica Cícero.

A ingestão de aminas heterocíclicas, compostos presentes em carnes vermelhas, também pode promover um aumento na produção do salsolinol, mas não há comprovação científica de que ela seja uma causa considerável da doença.

Sintomas
Os sintomas que caracterizam o Mal de Parkinson são os tremores intensos e a rigidez muscular, porém, a intensidade e a região afetada por eles variam de acordo com o estágio da doença em que o paciente se encontra. São essas:

Fase 1: em sua primeira fase, a doença atinge só um lado do corpo.

Fase 2: atinge os dois lados do corpo, e os sintomas podem aparecer inclusive na região da linha média do corpo (coluna).

 
Fase 3: aparecem as primeiras alterações no equilíbrio em consequência da rigidez muscular: "o paciente se sente preso em uma armadura dura e pesada. Quando perde o equilíbrio, não tem o apoio dos músculos do corpo, que o evitem de cair. Ele fica preso pela rigidez muscular", explica Cícero.

Fase 4: o paciente passa a necessitar de auxílio para desempenhar atividades simples do dia a dia, como os cuidados pessoais: colocar roupas, pentear os cabelos e tomar banho tornam-se tarefas difíceis.

Fase 5: a intensidade dos tremores e da rigidez muscular impede o paciente de se levantar e até de realizar atividades como comer. Fase 6: nos casos mais graves, pode ocorrer demência.

Tratamento
Para o neurologista Cícero Coimbra, o tratamento do Mal de Parkinson deve ser multidisciplinar, envolvendo o uso de medicamentos antidepressivos e, principalmente, atividades alternativas (terapia, exercícios e socialização) para estimular o paciente a se livrar do sofrimento. "Temos que tratar a causa do sofrimento, escutar o paciente e saber os reais motivos da dor emocional", explica o medico.

Três atitudes que podem auxiliar no tratamento da doença
•Nada de ficar recluso. "Quanto mais tempo o paciente se fecha por vergonha dos sintomas, mais deprimido ele ficará, e isso só piora a doença. Por isso, a melhor solução é aceitar o problema e reagir", recomenda o neurologista. Um exemplo de que esta é a melhor fórmula para conviver bem coma o problema é o ator Paulo José, de 68 anos, que mantém sua rotina de trabalho e não dá chance para a doença avançar. Ele conta que até se mostra mais entusiasmado hoje, depois do diagnóstico: "Na hora de trabalhar, não tenho Parkinson?", diz o ator.

Família, médicos e amigos devem mostrar ao paciente que é possível conviver com a doença. Fazer com que o paciente se sinta útil e ativo o deixará mais estimulado a reagir à doença. "Deixe-o fazer as coisas, ficar o tempo inteiro em cima faz com que se sinta incapaz", recomenda o neurologista.

•Praticar atividades alternativas, como artesanato e pintura, ajuda a amenizar os sintomas e alivia o estresse emocional. "A área do cérebro responsável pela concentração na hora de executar estas atividades é a mesma que provoca os tremores. Se você usa essa área para executar as atividades, diminui a produção dos tremores", explica Cícero.

Fonte Minha Vida