Aplicativos, carreira, concursos, downloads, enfermagem, farmácia hospitalar, farmácia pública, história, humor, legislação, logística, medicina, novos medicamentos, novas tecnologias na área da saúde e muito mais!


domingo, 18 de dezembro de 2011

Hospital da Restauração (PE) integra o SOS Emergências

A maior emergência pública do Nordeste passou a integrar o S.O.S Emergências, ação estratégica do Ministério da Saúde com o objetivo de qualificar e ampliar o atendimento prestado a pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS).

A implantação do projeto no Hospital da Restauração (HR), no Recife, ocorreu no último dia 8/12, durante visita do ministro da Saúde, Alexandre Padilha, à instituição, que ainda conheceu o setor de emergências do hospital e participou de uma reunião com os diretores do HR para definir as próximas diretrizes do programa na instituição.

Durante visita a Recife, o ministro inaugurou o Hospital Pelópidas Silveira. Esta unidade contará com cerca de 180 leitos e atenderá, principalmente, a região Mata Norte do estado, com oferta de serviços de urgência e emergência. “O Ministério da saúde vai investir R$ 50 milhões por ano nesse hospital, que vai ajudar a trazer para Pernambuco o que tem de mais especializado e moderno para tratar as doenças que mais matam no Brasil. Não será um hospital isolado, vai ajudar a melhorar o atendimento do HR e Getúlio Vargas”, destacou.

O Hospital da Restauração realiza, mensalmente, 2.300 internações. Foram 8,4 mil internações de janeiro a agosto de 2011. No mesmo período foram 36,6 mil atendimentos gerais, entre emergência e outros tipos de internações. A instituição possui habilitações de Alta Complexidade nas áreas de Neurologia/Neurocirurgia, Queimados e Trauma-ortopedia.

Fonte revistahospitaisbrasil.com.br

Planos de Saúde: norma sobre garantia e tempos máximos de atendimento entra em vigor

A partir de segunda-feira (19/12/2011) as operadoras de planos de saúde deverão garantir aos consumidores a marcação de consultas, exames e cirurgias nos prazos máximos definidos pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), que vão de três a 21 dias, dependendo do procedimento. As regras estão dispostas na Resolução Normativa nº 259, publicada em junho de 2011.

A norma também tem por objetivo garantir que o beneficiário tenha acesso oportuno a tudo o que contratou, além de estimular as operadoras de planos de saúde a promover o credenciamento de prestadores de serviços nos municípios que fazem parte de sua área de cobertura. A resolução determina que a operadora ofereça pelo menos um serviço ou profissional em cada área contratada, mas não garante que a alternativa seja a de escolha do beneficiário.

“A ANS não pode interferir na capacidade de atendimento dos prestadores e sim regular para que haja no mínimo uma alternativa disponível, ou seja, a operadora deverá garantir o atendimento no tempo previsto, mas não exatamente com o profissional de escolha do beneficiário”, afirma Carla Soares, Diretora Adjunta de Normas e Habilitação dos Produtos da ANS.

A resolução prevê a garantia de transporte do consumidor caso não haja oferta de rede credenciada em seu município e nos municípios limítrofes. Onde não existirem prestadores para credenciamento, a operadora poderá oferecer a rede assistencial nos municípios vizinhos que pertençam a sua região de saúde.

Nos casos de urgência e emergência a empresa deverá oferecer o atendimento invariavelmente no município onde foi demandado ou se responsabilizar pelo transporte do beneficiário até o credenciado mais próximo.

As empresas de planos de saúde que não obedecerem aos prazos definidos pela ANS sofrerão penalidades e, em casos de descumprimentos constantes, poderão passar por medidas administrativas, tais como a suspensão da comercialização de parte ou de todos os seus produtos e a decretação do regime especial de direção técnica, inclusive com a possibilidade de afastamento dos dirigentes da empresa.

 
Fonte revistahospitaisbrasil.com.br

Alquemila

Resumo
Planta Medicinal de propriedades adstringentes, utilizadas em casos de diarréia benigna ou menstruações dolorosas, é apresentada quase sempre em forma de infusões (chás).

Nomes
Nomes: alquemila, pé-de-leão
Nome latim: Alchemillae vulgaris, Alchemilla xanthrochlora
Nom inglês: Bear's Foot, Lion's Foot
Nome francês: alchémille
Nome alemão: Frauenmantel
Nome italiano: alchemilla

Família
Rosaceae

Constituintes
Taninos, flavonóides, princípios amargos

Partes utilizadas
Plantas inteiramente secas

Propriedades da alquemila
Astringente, antidiarréico, tônico, estomáquico.

Indicações
Diarréia benigna (por exemplo, em infusões para mulheres grávidas), distúrbios gastrointestinais, distúrbios ginecológicos: menstruações dolorosas, síndrome pré-menstrual.

Efeitos secundários
Constipação. (queria ler a bula do medicamento).

Contra-indicação
Queria ler a bula do medicamento.

Interações
Desconhecida. (queria ler a bula do medicamento).

Preparações a base de alquemila
Infusão de alquemila

Onde cresce a alquemila ?
A alquemila cresce principalmente na América do Norte e na Europa.

Quando colher a alquemila ?
A alquemila é colhida na floração de maio a julho (na Europa).

Observações
Na sua indicação para tratar as diarréias benignas nas mulheres, esta planta oferece uma real auxílio terapêutico, graças ao seu teor de taninos.

Fonte criasaude.com.br

Propagandes antigas: Ferro Quina Bisleri


Propaganda de 1926

Saiba como aumentar a sensação de bem-estar e prazer

Especialista explica que há pessoas "programadas" para sentirem-se insatisfeitas


Qual sua sensação após comprar um carro? Êxtase? Prazer? Orgulho? Quanto tempo dura essa euforia? Para algumas pessoas, dias, para outras, semanas. Pequenos sucessos, como receber um elogio público do chefe, produzem uma sensação de alegria. Já situações desagradáveis, como ser repreendido, causam períodos de mal-estar. No entanto, o nível geral de satisfação, ou insatisfação, acaba voltando para uma linha de referência padrão, que varia de pessoa para pessoa.

— Isso acontece porque temos um "termostato mental" que, automaticamente, regula a sensação de felicidade, ou de infelicidade, para um patamar relativamente constante. Os psicólogos chamam esse processo de adaptação sensorial — explica Eduardo Ferraz, consultor em Gestão de Pessoas e especialista em treinamentos e consultorias "in company", com aplicações práticas da Neurociência comportamental.

Mas ele garante que essa tendência de sempre voltar para o mesmo nível de satisfação não se limita a acontecimentos rotineiros. Acontece mesmo sob condições mais extremas, de sucesso ou sofrimento. Uma superpromoção ou uma demissão inesperada deixaria qualquer um feliz ou arrasado. Seu termostato mental — configuração sináptica — porém, vai colocá-lo de volta ao mesmo patamar de antes, no máximo em alguns meses.

— Há pessoas mentalmente "programadas" para sentirem-se insatisfeitas, independente do que aconteça, bem como há pessoas que têm um modo de encarar a vida de maneira quase sempre positiva — assegura Ferraz.

Independente do nível de felicidade conferido por cada configuração cerebral, sempre haverá a possibilidade de aumentar a sensação de bem-estar.

Para isso, Ferraz sugere três passos básicos:

1. Autoconhecimento — Como você costuma reagir a prazeres ou dissabores? Quanto tempo dura o bom ou mau humor?

2. Ajuste a interpretação — Usufrua por mais tempo as pequenas conquistas e releve os contratempos.

3. Perceba a diferença — Se você fizer isso com frequência, mudará aos poucos sua percepção sobre os acontecimentos do dia a dia.

Assim, ficará mais fácil controlar as reações negativas, bem como aumentar a sensação de prazer.

Fonte Zero Hora

Porto Alegre: Hospital Conceição precisa de doadores de sangue do tipo O positivo

Voluntários podem se dirigir ao hospital de segunda a sábado
O Banco de Sangue do Grupo Hospitalar Conceição, de Porto Alegre, precisa de doadores de sangue do tipo O positivo, com urgência.

Os doadores podem dirigir-se ao local, no segundo andar do Hospital Conceição (Av. Francisco Trein, 596 — bairro Cristo Redentor), de segunda a sexta-feira, das 7h30min às 17h, e aos sábados, das 7h30min às 12h.

Quem pode doar sangue
:: Homens e mulheres de 18 a 67 anos. Jovens de 16 e 17 anos podem doar desde que tenham autorização dos pais ou do responsável legal.
:: O doador deve pesar mais de 50 quilos e precisa apresentar documento com foto válido em todo o território nacional, como carteira de identidade ou habilitação de motorista.

Recomendações
:: Não doar em jejum
:: Dormir por, pelo menos, 6 horas antes da doação
:: Não ingerir bebida alcoólica nas 12 horas anteriores à doação
:: Evitar fumo e comidas gordurosas

Quem não pode doar
:: Pessoas que tiveram hepatite após os 11 anos de idade
:: Grávidas e mulheres em fase de amamentação
:: Pessoas expostas a doenças transmissíveis (Aids, hepatite, sífilis e doença de chagas)
:: Usuários de drogas
:: Pessoas que tiveram relação sexual com parceiro eventual sem uso de preservativo

Fonte: Ministério da Saúde

Por Zero Hora

Vídeo: Cromoterapia

O naturopata e acupunturista Celso de Barros Monteiro mostra como a cromoterapia _ aplicação terapêutica das cores _ pode ser eficaz nos cuidados com a saúde

Já imaginou que as cores podem ser grandes aliadas no tratamento de doenças como enxaqueca, hipertensão e gastrite? Utilizada para combater diferentes problemas de saúde, a cromoterapia consiste no estudo e na aplicação terapêutica das cores — usadas para estabelecer a harmonia e o equilíbrio do corpo, da mente e das emoções.

O naturopata e acupunturista Celso de Barros Monteiro mostra como elas são aplicadas sobre o paciente e os benefícios que a prática pode trazer ao organismo.


Fonte Zero Hora

Mutirão contra a dengue percorre Rocinha e Ilha do Governador

Agentes de saúde e voluntários irão vistoriar aproximadamente 800 imóveis neste sábado

A Secretaria Municipal de Saúde do Rio realizou neste sábado, 17, mais duas mobilizações do programa "Ação nos Bairros Contra a Dengue", na comunidade da Rocinha, na zona sul da cidade, e no bairro da Ribeira, na Ilha do Governador.

 
Cerca de 50 pessoas, entre agentes de saúde e voluntários, participaram das atividades com o objetivo de eliminar focos do mosquito transmissor da doença. A expectativa é vistoriar aproximadamente 800 imóveis nos dois bairros.

Neste ano, a Prefeitura do Rio já realizou 76 mutirões dentro do "Ações nos Bairros", e mais de 70 ações específicas de prevenção, como entrada em imóveis abandonados, recolhendo cerca de 350 toneladas de lixo e material inservível. Mais de 4,6 milhões de visitas de inspeção de rotina foram feitas pelos agentes de saúde em imóveis de todo o município.

Fonte Estadão

Mais de 90% dos paulistanos apoiam a lei antifumo em São Paulo

Mas quase 70% defendem fumódromos em estabelecimentos comerciais, diz pesquisa

Mais de 90% dos paulistanos apoiam a legislação estadual que proíbe fumar em ambientes fechados de uso coletivo. Os dados são de uma pesquisa feita pelo Instituto Informa, do Rio de Janeiro. A lei antifumo entrou em vigor no Estado de São Paulo em 2009.

A partir de agora, a restrição ao tabaco valerá em todo o País. Isso porque, na quinta-feira, 15, a presidente Dilma Rousseff sancionou a lei que proíbe o fumo em locais fechados e restringe a publicidade sobre o tabaco. A proibição acaba com os recintos dedicados aos fumantes em aeroportos, shoppings ou empresas, que ainda eram permitidos em vários Estados. A lei ainda precisa ser regulamentada.

A pesquisa do Instituto Informa foi realizada na cidade de São Paulo entre os dias 2 e 5 de dezembro e envolveu todas as regiões. Ao todo, foram ouvidas 1.065 pessoas. A margem de erro é de três pontos porcentuais.

Espaço reservado. A pesquisa apontou que mais da metade dos paulistanos (57,2%) já presenciou o descumprimento da lei antifumo. Além disso, 67,9% dos entrevistados afirmaram que o governo deveria permitir que estabelecimentos comerciais tenham espaço reservado para os clientes fumantes.

Segundo Fábio Gomes, diretor-presidente do Instituto Informa, o cruzamento das informações da pesquisa demonstra, por exemplo, que os mais jovens são os que mais concordam com a existência de fumódromos. Entre os entrevistados de 16 a 19 anos, 81,9% acham que deve haver um espaço reservado. Entre os com 50 anos ou mais, apenas 60,3% concordam.

Entre aqueles que concordam com a lei - ou seja, com a proibição total do fumo nos ambientes reservados -, 34% acham que o governo não deveria permitir espaço para fumantes.

“Quanto mais o entrevistado discorda da lei antifumo, mais ele concorda em ter um espaço só para ele”, afirma Gomes. Um dado, entretanto, chama a atenção: entre aqueles que se declararam fumantes, 20% são contra a reserva de um espaço. “São os radicais. Acham que podem fumar em qualquer lugar”, diz.

Para o médico Ciro Kirchenchtejn, coordenador do Centro de Tratamento do Tabagismo do Hospital Oswaldo Cruz, a pesquisa mostra o aumento do convencimento. De acordo com ele, cresceu a procura por tratamentos para parar de fumar. “Ainda são poucos serviços credenciados pelo SUS e a formação médica para essa área ainda é deficiente. Mas estamos caminhando para uma consciência nacional de que fumar é inaceitável”, diz.

Para Cristina Megid, diretora da Vigilância Sanitária do Estado, os resultados refletem o sucesso da lei. “Quando a lei entrou em vigor, 84% da população apoiava. Se passamos de 90%, é porque a população entendeu que o fumo passivo é tão prejudicial quanto fumar um cigarro.”

Fonte Estadão

Bolívia produz panetone de coca


Além dos ingredientes tradicionais, produto leva farinha feita com folhas da planta

Os cocaleiros bolivianos colocaram à venda neste Natal panetones feitos com farinha de folhas de coca, novo produto da industrialização da planta usada para fabricar cocaína.

O gerente da Empresa Boliviana Comunitária da Coca (Ebococa), José Ugarte, declarou à Efe que essa empresa, que pertence a seis federações de cocaleiros da zona central de Chapare, fez 5 mil panetones.

Esse novo panetone tem os ingredientes habituais, como passas, frutas secas, açúcar e outras farinhas, mas soma "a energia" que proporciona a fibra das folhas de coca, que possuem vários tipos de alcaloide, disse Ugarte.

Ele assegurou que a coca, em quantidades controladas e no estado natural, não afeta a saúde, nem causa dependência, e que a farinha dessa folha tem cálcio, ferro e vários tipos de vitaminas, além de ajudar na digestão pelas fibras.

Ebococa é um dos projetos estimulados pelo presidente Evo Morales desde que chegou ao poder em 2006 para industrializar a coca - paralelamente aos seus esforços, fracassados até agora, para que a Junta Internacional de Fiscalização de Entorpecentes (Jife), da ONU, descriminalize seus usos tradicionais, especialmente a folha mascada.

Morales pediu novamente a um grupo de inspetores da Jife que apoiem sua petição, mas ainda não conseguiu convencer a todos.

Ele fez o anúncio após uma reunião em La Paz com membros da entidade, liderados pelo presidente, o iraniano Hamid Ghodse.

Cada panetone de coca custa quatro dólares e, por se tratar de um produto novo, será vendido apenas no departamento central de Cochabamba. Em 2012 deve chegar às demais regiões bolivianas.

Ebococa é a primeira empresa do país que resolveu produzir de forma industrial e massiva derivados da coca. Em dezembro, primeiro mês de operações, a fábrica também produziu infusões de coca, além de fazer testes para fabricar refrescos, energizantes, licores, balas e extratos.

"Nosso objetivo é mostrar que a coca também pode ser utilizada para produtos benéficos", diz Ugarte, que ainda lamentou "que o mau uso da folha sagrada faça parecer que ela só serve para o narcotráfico".

O investimento para construção da fábrica de panetones, a maior do setor na Bolívia, foi de 1,7 milhões de dólares.

O país é o terceiro produtor mundial de coca e cocaína, atrás da Colômbia e do Peru, e o principal fornecedor dessas drogas para os países vizinhos do Cone sul, segundo a ONU.

A constituição promulgada por Morales em 2009 diz que "o Estado protege a coca originária e ancestral como patrimônio cultural, recurso natural renovável da biodiversidade da Bolívia, e como fator de coesão social", e afirma que "em seu estado natural não é entorpecente".

Fonte Estadão

Tabagismo cai nos EUA; cresce consumo de maconha

Consumo de cigarro tem as menores taxas das últimas três décadas

O consumo de álcool e cigarros entre adolescentes americanos está nos menores níveis das últimas três décadas, mas o uso da maconha está crescendo, revela um estudo dos Institutos Nacionais de Saúde dos Estados Unidos.

Cerca de 19% dos estudantes de ensino médio disseram ter consumido cigarros no último mês, número muito abaixo dos 36,5% registrados em meados da década de 1990.

As taxas de tabagismo entre os adolescentes de todas as idades caíram no último ano. Os cientistas dizem que a regulamentação de locais 100% livres de tabaco e o aumento do preço dos cigarros reduziu o número de fumantes.

Ainda que o álcool continue sendo popular entre os jovens, as taxas de consumo compulsivo entre os menores de idade também apresentaram quedas significativas.

Em geral, o consumo de álcool e cigarros entre os adolescentes se encontra em seu menor nível desde que a pesquisa foi feita pela primeira vez, em 1975.

No entanto, o consumo de maconha aumentou em 2011 pelo quarto ano consecutivo, o que implica um forte contraste com a queda drástica da década anterior.

O uso diário de maconha está em seu pico mais alto em 30 anos entre estudantes de ensino médio, segundo dados do estudo. Entre os adolescentes do último ano escolar, 36,4% disseram ter fumado maconha no último ano e 6,6% notificaram consumo diário.

A pesquisa anual, feita University of Michigan, ouviu quase 47 mil alunos de 400 escolas públicas e privadas.

A pesquisa deste ano incluiu pela primeira vez perguntas sobre maconha sintética, uma mistura de ervas, especiarias e químicos que costuma ser conhecida por Spice ou K2. Mais de 11% dos estudantes informaram ter consumido essa substância no ano anterior.

 Até pouco tempo atrás, era possível conseguir a substância legalmente pela internet e nos comércios. Mas neste ano, alguns químicos sintéticos foram proibidos.

Fonte Estadão

Amil é impedida de aumentar em 70,3% plano de saúde

Decisão favorece cliente que completou 59 anos; para advogado, medida pode abrir precedentes

A Amil foi impedida de aumentar em 70,3% o plano de saúde de uma cliente que completou 59 anos. Decisão judicial, mantida pela 2ª Turma Recursal do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, determinou que a operadora reajuste a mensalidade em 23,3%, o que corresponde à média dos três índices anteriores de aumento por faixa etária. A Amil informou que vai cumprir a decisão.

A decisão beneficia somente a cliente que ingressou com a ação, a cineasta Sandra Werneck, diretora de filmes como Cazuza e Amores Possíveis. Mas para o advogado Cândido Carneiro, que a defendeu, a medida abre precedente para outros consumidores que se sentirem lesados por aumentos considerados abusivos.

"A estratégia das operadoras é burlar o Estatuto do Idoso, que proíbe o reajuste contratual quando o cliente completa 60 anos. É uma cláusula abusiva porque cria um desequilíbrio na relação contratual. É uma estratégia moralmente contestável", afirmou Carneiro. "Os planos ganham em escala porque são poucos os que contestam a cláusula de reajuste automático aos 59 anos".

Sandra Werneck foi surpreendida em maio de 2010 com o boleto de cobrança da Amil - o valor havia saltado de R$ 1.840 para R$ 3.107. "Achei um abuso cobrarem um reajuste tão alto na última faixa etária. Eles fazem uma manobra para que o cliente passe o resto da vida pagando uma fortuna pelo plano", afirmou a cineasta, que decidiu processar a operadora.

Na ação, os advogados da Amil afirmaram que o reajuste em razão da faixa etária era legal, uma vez que estava "previsto no contrato de forma clara". A juíza Denise Araújo Capiberibe, do 6º Juizado Especial Cível, não concordou. "É de fácil percepção que o aumento estabelecido quando o contratante atinge 59 anos é extremamente excessivo, na medida em que os demais aumentos não representam sequer a sua metade", escreveu a juíza.

Em outro trecho ela afirma que entende "como válido" o reajuste aos 59 anos. Mas ressalta que esse aumento "não poderá ser excessivo, desproporcional e injustificado, como ocorreu no presente caso, pois não restou comprovado nos autos a existência de alguma causa que legitimasse o desequilíbrio financeiro-econômico do contrato a justificar porcentual tão elevado de reajuste". A decisão foi mantida na segunda instância. A Amil foi condenada ainda a devolver parte das parcelas que a cineasta já havia quitado. Em nota a operadora informou que "cumpre as decisões judiciais". "Contudo, ressalta que o referido reajuste foi aplicado em estrita obediência às normas reguladoras da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS)".

Fonte Estadão

Reposição hormonal na menopausa melhora vascularização do cérebro

Estudo da UFMG indica que estrogênio dilata artérias cerebrais, aumentando a circulação do sangue e abrindo perspectivas de tratamento para doenças como Alzheimer

Pesquisa realizada na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) indica que o hormônio estrogênio tem efeito vasodilatador nas artérias e pode melhorar a vascularização do cérebro de mulheres na menopausa. (Clique na imagem abaixo para ampliar)

Participaram do estudo, publicado recentemente na revista Menopause, 51 mulheres com média de idade de 53 anos. As voluntárias foram divididas em dois grupos - um recebeu placebo e outro, comprimidos de estrogênio durante um mês.

Antes e depois do tratamento, um aparelho de ultrassom acoplado ao sistema doppler - capaz de medir a velocidade do fluxo sanguíneo - foi usado para avaliar a artéria central da retina, atrás dos olhos. Nas mulheres que receberam placebo, não houve alteração. Nas que tomaram estrogênio, a artéria estava dilatada, menos resistente e com maior fluxo de sangue.

Esse efeito vasodilatador do estrogênio havia sido demonstrado em artérias do útero e do ovário, mas não no cérebro, conta o coordenador da pesquisa, Selmo Geber. Segundo ele, a artéria central da retina foi escolhida por refletir tudo o que acontece no cérebro e uma das poucas que não estão escondidas pelos ossos do crânio.
“Muitas mulheres se queixam de problemas de memória ao entrar no climatério, o que costuma melhorar com a reposição hormonal. Uma das teorias é que o estrogênio melhora a vascularização do cérebro e, consequentemente, as funções cognitivas.” Os resultados, segundo Geber, abrem perspectiva de pesquisa para doenças mais graves, como Alzheimer.

A neurocientista Débora Scerni, da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), afirma que o estrogênio é importante para o sistema nervoso. “Algumas estruturas fundamentais para aprendizado e memória, como o hipocampo, apresentam grande concentração de receptores para estrógeno”, explica.
O hormônio, continua, aumenta a quantidade de estruturas conhecidas como espinhos dendríticos, que melhoram a comunicação entre os neurônios e melhoram a cognição. “Estudos mostram que a reposição hormonal pode prevenir ou retardar o desenvolvimento de Alzheimer. Mas o estrógeno não pode ser usado indiscriminadamente, pois pode aumentar o risco de acidente vascular cerebral (AVC) e doenças como câncer.”

Sheila Martins, da Academia Brasileira de Neurologia, diz que embora existam evidências de que o estrogênio possa retardar problemas de memória, elas não são conclusivas. “A reposição hormonal diminui a angústia das pacientes e isso pode se refletir em uma melhora da memória por aspectos psicológicos.”

Além disso, continua, existe a suspeita de que o hormônio, embora dilate as artérias, também aumente a viscosidade do sangue, fazendo com que ele tenha mais dificuldade para circular. “São necessários mais estudos para comprovar até que ponto seria seguro fazer a reposição.”

Fonte Estadão