Aplicativos, carreira, concursos, downloads, enfermagem, farmácia hospitalar, farmácia pública, história, humor, legislação, logística, medicina, novos medicamentos, novas tecnologias na área da saúde e muito mais!


sexta-feira, 26 de julho de 2013

10 minutos para dormir bem

Técnica promete garantir sono profundo
Estudo norte-americano preconiza relaxamento e respiração profunda para cair no sono
 
Um novo estudo sugere que uma técnica simples, de apenas 10 minutos, pode reduzir a tensão e tornar mais fácil o momento de dormir.            
 
A abordagem, projetada para ser feita pouco antes de ir para a cama, envolve técnicas de relaxamento. Os pesquisadores recomendam manter o foco em um lugar sereno e convidativo – por exemplo, ondas de uma praia ou de um lago tranquilo, rodeado por árvores altas - e respiração lenta e profunda. Tudo isso por, no mínimo, 10 minutos antes de deitar.
 
"A técnica baseia-se em um estudo prévio, que mostra quanto o estresse afeta negativamente o sono", disse Arn Eliasson, consultor de pesquisa do Projeto Saúde Integrativa Cardíaca, do Walter Reed Militar Nacional Medical Center, dos Estados Unidos. 
 
O estudo, apresentado em outubro, durante a reunião anual do American College of Chest Physicians, em Atlanta (EUA), sugere que a técnica reduz o tempo para cair no sono, além de melhorar a qualidade do descanso e reduzir a fadiga.            
                          
A pesquisa mostrou que o déficit de sono está associado a risco aumentado de diabetes, doença cardiovascular , depressão , acidentes rodoviários e outros problemas. De acordo com o Centro Nacional de Pesquisa de Distúrbios do Sono, dos EUA, de 30% a 40% dos adultos têm algum sintoma de insônia - a incapacidade de adormecer ou continuar dormindo - e cerca de 10% a 15% dos adultos têm insônia crônica.
 
Insônia
A pesquisa envolveu 135 homens e 199 mulheres com idade média de 56 anos. Todos os participantes tinham servido o exército ou eram dependentes de militares. Uma minoria tinha transtorno pós-traumático, um grave transtorno de ansiedade que pode se desenvolver após exposição a evento que resulte em trauma psicológico.
 
Os participantes completaram um questionário de 14 itens. Entre outras questões, eles responderam quanto tempo levavam para cair no sono, a freqüência de distúrbios do sono, qual o uso de medicamentos para dormir e quantas vezes ao longo do mês o cansaço afetou as atividades durante o dia.
Na sequência, os participantes seguiram o programa chamado "Tensão Tamer", que incluiu um workshop de 30 minutos iniciais seguidos de uma série de quatro visitas de 30 minutos com um especialista em gestão de estresse para praticar a técnica.            
           
O estudo mostrou que 65% dos participantes melhoraram a percepção do estresse, mas 34% pioraram seus níveis de estresse. Aqueles que reduziram o estresse mostraram diferenças significativas na qualidade do sono, com menor tempo para adormecer e diminuição da fadiga.
            
Críticas
No entanto, um especialista em sono pediu cautela na interpretação do estudo. "Esta não é uma técnica nova. Tem um nome luxuoso, Tensão Tamer, mas a redução do estresse sempre foi importante para ajudar as pessoas a dormir," disse Aparajitha Verma, diretor médico do Hospital Disorders, em Houston (EUA).
 
Para Verma, a redução do estresse vai ajudar de qualquer maneira, mas é imprescindível saber por que as pessoas estão tendo dificuldade para dormir.
 
"Minha filosofia é que, a não ser que você chegue ao fundo da causa, você não será eficaz. Há sempre uma razão para que a insônia: pode ser depressão, transtornos de humor, problemas digestivos, dores, medicamentos e outros fatores", Verma explicou. "Às vezes, você tem que ser um detetive para encontrar a fonte do problema."
 
Embora a redução do estresse seja útil, a técnica não deve ir longe. "Isso vai ajudar a dormir, mas não vai garantir boa qualidade do sono, ou resolver um problema na apneia do sono, por exemplo."
 
Verma recomenda que as pessoas se comprometam a ter um tempo antes de deitar para relaxar e se desligar das questões e estímulos do dia. "Você precisa fazer do ato de dormir uma prioridade", aconselhou.
 
Fonte iG

Como lidar com a fissura do cigarro

Cigarro: parar de fumar exige vontade e disciplina
Identifique os gatilhos que levam ao fumo, jogue fora maços de cigarro e cinzeiros e consulte um médico são alguns dos conselhos
 
"Vontade é uma coisa que dá e passa.” A frase, utilizada desde os tempos da vovó, pode ser um alento para quem está tentando parar de fumar. Resistir ao ímpeto de levar um cigarro à boca, no entanto, não é tarefa fácil. “A pessoa precisa saber o que vai enfrentar: as crises de abstinência. Vai ter desejo, perder concentração, ficar mais irritada, pode acontecer de engordar. Mas é importante entender que essa fase passa e que a primeira semana é a mais difícil. Mas essa vontade vai diminuindo”, afirma Ciro Kirchenchtejn, pneumologista coordenador do centro de tratamentos para dependentes da nicotina HelpFumo.

Em geral, afirmam os especialistas, a abstinência dura 40 dias. A intensidade e frequências dos sintomas vão depender do grau de dependência da nicotina de cada individuo. Para avaliar o paciente, os médicos aplicam um questionário com perguntas simples como qual a quantidade de cigarros consumidas por dia, se fuma logo nos primeiros minutos depois que acorda, se sente necessidade de fumar após a refeição e se tem dificuldades de ficar sem fumar mesmo quando está doente.
 
“Se o grau de dependência é grande, é muito difícil parar sozinho. Para isso existem os tratamentos, vale a pena procurar um profissional”, aconselha Jaqueline Ota, pneumologista da Beneficência Portuguesa de São Paulo.
 
Com esse resultado em mãos, o especialista pode indicar ou não um tratamento medicamentoso ou um adesivo de nicotina, ou ainda um acompanhamento psicológico. De acordo com pesquisas norte-americanas, os índices de sucesso são maiores quando o paciente alia duas terapias. (link) Adesivos, gomas de mascar e outros suportes podem ajudar a evitar a fissura. “Quem usa medicação tem suporte maior para parar na primeira tentativa. Além disso, tem menos tendência a ganhar peso”, diz Ciro. “É preciso entender o fumante como alguém doente que precisa de remédios para conseguir largar do vício”, completa.

Além disso, o suporte psicológico e familiar é importante para saber vencer os momentos de crise. “A vontade vai existir, por isso é importante ter apoio. Se ninguém fuma em casa, se os amigos respeitam e não oferecem cigarro, se ninguém fuma no mesmo ambiente, fica menos difícil”, alerta Jaqueline Ota.
 
Além dessas dicas, os especialistas mostram o caminho para superar essa fase:
 
- se já tentou parar de fumar outras vezes, avalie atitudes positivas e negativas da época

- fique atento aos gatilhos que levam ao cigarro e tente eliminá-los provisoriamente. Para algumas pessoas, é o álcool, para outras a comida ou o cafezinho, fique alerta

- avise os amigos e familiares da sua decisão para que eles evitem fumar na sua frente

- quando sentir vontade de fumar, beba água. Para isso, ande sempre com uma garrafinha a seu lado

- se você tem vontade de fumar logo após as refeições, escove os dentes imediatamente após que comer. A vontade diminui

- jogue fora tudo o que remeta ao fumo como maços de cigarro e cinzeiros

- não compre maços de cigarro

- tenha palitos de cenoura à mão. Quando sentir vontade de levar um cigarro à boca, coma um deles

 - tenha chicletes na bolsa. Eles substituem o prazer oral do cigarro

- pratique atividades físicas, com o tempo elas reduzem a vontade de fumar

- se foram indicadas pelo seu médico, as pastilhas ou chicletes de nicotina são suas aliadas no combate ao fumo

- se tiver uma recaída, não abandone a decisão de parar de fumar. Encare como um lapso e volte ao início

Fonte iG

Parabenos, chumbo e formol: ingredientes de cosméticos podem fazer mal à saúde

Glosses e batons podem ter chumbo em suas fórmulas até uma
quantidade considerada segura. Para não ter problemas com
 cosméticos, cheque se o produto tem autorização da ANVISA
Saiba mais sobre os ingredientes tóxicos presentes nas fórmulas dos produtos de beleza do dia a dia e os cuidados que devem ser tomados para não correr riscos ao se embelezar
 
Do xampu ao hidratante, passando pelo esmalte e pelo rímel, muitos produtos que fazem parte de uma rotina de cuidados com a beleza apresentam em sua composição substâncias que podem fazer mal à saúde. Conservantes, como os parabenos, presentes em cosméticos variados, e o formaldeído, famoso pelos alisamentos de cabelos, são alguns dos mais comuns.
 
Os parabenos, segundo Neto, já foram ligados a casos de câncer, mas não há comprovação científica de que realmente sejam cancerígenos. “Eles aparecem em quase todos os cosméticos, pois evitam contaminação bacteriana”, afirma Leonardo Abrucio Neto, dermatologista da Beneficência Portuguesa de São Paulo.
 
Raquel Toyota, dermatologista da Clínica Carla Albuquerque de Dermatologia e membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia, complementa: “Alguns estudos apontaram os parabenos como potencialmente cancerígenos por apresentarem propriedades estrogênicas, comportando-se como hormônio feminino, mas existem controvérsias a esse respeito e ainda não há dados suficientes que comprovem que essas substâncias sejam realmente prejudiciais. O que é certo que os parabenos podem fazer é causar quadros de alergia”.
 
Para Neto, o primeiro cuidado que uma pessoa deve ter antes de comprar um produto é descobrir se tem a pele sensível a algum ingrediente específico – e o melhor profissional para investigar isso é um dermatologista. “Aí, caso tenha, o melhor é optar por produtos hipoalergênicos, que são formulados com menos substâncias, justamente para evitar reações alérgicas”, diz. “É preciso observar, na rotulagem do produto, a composição da fórmula e não utilizar aqueles que contenham ingredientes aos quais a pessoa seja alérgica”, destaca Raquel.
 
Dermatologista do Núcleo Avançado de Câncer de Pele do Hospital Sírio-Libanês, Cristina Abdalla recomenda sempre checar se o cosmético a ser comprado tem o reconhecimento da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) . “Às vezes é um produto importado, que a pessoa não sabe nem como entrou no Brasil, então, é preciso ver se ele foi aprovado, se está regulamentado, além de ver suas condições de armazenamento e se está lacrado”, alerta a médica.
 
Existem outras substâncias que são encontradas com frequência em cosméticos e merecem atenção especial. Uma delas é o amônio, que aparece em tinturas de cabelos e descolorantes e causa irritação em quem tem a pele sensível. Outro ingrediente tóxico é o formaldeído, ou formol.
 
Rosanna Nocito, dermatologista do Hospital e Maternidade São Luiz, explica que o excesso de formol, que é altamente alergênico, pode até induzir quadros de intoxicação respiratória. “Os quadros mais graves chegam a resultar em edema ou sufocamento, sendo necessária a intervenção com medicamentos intravenosos, em um pronto-socorro.”
 
Raquel Toyota cita também o lauril sulfato de sódio, produto químico utilizado em diversos cosméticos, como xampus, removedores de maquiagem e pasta de dentes. “É um componente que pode causar irritação nos olhos, pele e mucosas, mas isso depende da concentração a que as pessoas se expõem. Seu efeito irritante é semelhante à ação de qualquer outro detergente e não está associado ao câncer”, alerta.
 
O óleo mineral, derivado do petróleo, já foi apontado como vilão. Comum em produtos de cabelo, hidratantes e maquiagem, tem propriedades emolientes e lubrificantes. Raquel afirma que, raramente, ele provoca alergias e que, atualmente, não há nenhuma evidência de que o óleo mineral em cosméticos cause doenças mais graves.
 
Uma substância bastante polêmica é o chumbo, presente em muitos batons. Neto aponta que, em excesso, há a chance de resultar em uma lesão neurológica. “Por isso, sempre é melhor olhar o rótulo, evitando os que o tenham na fórmula”, defende o dermatologista da Beneficência Portuguesa.
 
Os médicos, porém, são unânimes ao dizer que, quando o cosmético é aprovado pela Anvisa, é porque apresenta uma quantidade segura dessas substâncias chamadas tóxicas. “No caso das consideradas cancerígenas, se o produto estiver liberado pela agência, não oferece esse risco. Já a questão de alergia é muito individual, por isso é preciso saber exatamente a substância a que se é alérgico, para, no rótulo, procurá-la”, avisa Cristina.
 
Raquel chama a atenção para o fato de que ainda faltam estudos que realmente comprovem o perigo das substâncias presentes nos cosméticos para a saúde. “As informações que temos são ainda controversas e carecem de mais estudos. Até agora, ao que tudo indica, as concentrações utilizadas em cosméticos são consideradas seguras”, fala.
 
Para Rosana, a melhor maneira de não errar na hora de escolher os produtos que vão fazer parte da sua rotina de beleza é mesmo procurar um médico. “Seguindo a indicação de um dermatologista, a pessoa encontra cosméticos adequados ao seu tipo de pele, preservando-se. E, na suspeita de alergia, consulte-se com um especialista, pois existem testes alérgicos que comprovam quais são as substâncias a que a pele é sensível”, encerra.

Fonte Delas

Concurso premia imagens surpreendentes do fundo do coração

Imagens mostram estruturas internas e cortes surpreendentes de um dos órgãos mais nobres do corpo

Cientistas de todo o Reino Unido enviaram imagens e vídeos sobre suas pesquisas para um concurso da Fundação Britânica do Coração. O material mostra visões surpreendentes e extraordinárias do coração, veias e artérias.

As fotos revelam desde a estrutura interna do músculo mais importante do corpo até imagens "fatiadas" do coração e dos pulmões.

O vídeo vencedor ilustra com várias cores um problema congênito no coração em que as cavidades superiores bombeiam o sangue de maneira incorreta.

Veja as imagens:

 prêmio para imagem de pesquisas em medicina regenerativa foi para Jana Koth, da Universidade de Oxford, por essa visão do coração em desenvolvimento de um peixe-zebra. Foto: Foto: British Heart Foundation

Ressonância magnética do coração de um doador de rim, por Dr. William Moody. "O exame pode mostrar se há alguma mudança no coração depois de um transplante de rim".

Foto da equipe do King's College de Londres: coração "criss-cross", um raro problema congênito que faz o coração bombear o sangue de maneira incorreta. Foto: British Heart

Outro vídeo bastante elogiado, feito pelo Dr. Daniel Dilg, inicialmente mostra a formação do coração e dos pulmões em imagens. Foto: British Heart Foundation

Foto de Gillian Gray, Megan Swin e Harris Morrison: momento em que o coração de um rato sofre um ataque cardíaco. Foto: British Heart Foundation
 
Veia: Pesquisadoras Diane Proudfoot e Yana Dautova se concentraram em melhorar as investigações sobre como as células musculares podem fazer sumir células mortas em veias


Foto: Yichuan Wen e David Leake, da Universidade de Reading, estudaram o colesterol. A imagem mostra células do sistema imunológico presentes em pessoas com aterosclerose.

Essa imagem em forma de coração que mostra o núcleo de uma célula de um músculo liso vascular foi feita pelo Dr. Andrew Cobb, do King's College de Londres. Foto: British Heart
 
Fonte BBC Brasil/iG

Los Angeles fecha parque por esquilo infectado com peste negra

BBC
Mais esquilos serão examinados antes de reabertura de parque em
Los Angeles, nos EUA
Se não for tratada com antibióticos, a infecção causada por bactérias transmitidas por pulgas pode ser mortal
 
Áreas de um parque nacional de Los Angeles, nos Estados Unidos, foram fechadas e evacuadas depois que autoridades identificaram um esquilo infectado com peste negra.
 
Exames de rotina acusaram a doença no roedor e, logo em seguida, autoridades deram ordens para que os visitantes da Floresta Nacional de Angeles deixassem o local.
 
Ainda segundo as autoridades, não há indícios de que pessoas que estavam no parque estejam contaminadas.
 
A peste negra, também conhecida como peste bubônica, é uma infecção causada por uma bactéria transmitida pela picada de pulgas infectadas. Se não for tratada com antibióticos, pode matar.
Durante a Idade Média, a doença matou 25 milhões de pessoas na Europa.
 
Mais testes
Desde 1984, foram registrados quatro casos de peste bubônica em Los Angeles, nenhum deles fatal.
Autoridades vão realizar mais testes em outros esquilos antes que o parque seja reaberto ao público.
Jonathan Fielding, diretor do Departamento de Saúde Pública do Condado de Los Angeles, disse à BBC que as tocas dos esquilos serão limpas para reduzir a população de pulgas.
 
Ele aconselhou aos visitantes que voltarem ao parque após a reabertura para que usem repelentes e que coloquem coleiras anti pulgas em seus animais de estimação.

Fonte iG

ONU cria Dia Mundial do Toalete para incentivar saneamento básico

Assembleia Geral da ONU que adotou resolução para que o dia 19 de novembro seja o Dia Mundial do Toalete
Foto: UN Photo/Devra Berkowitz
Assembleia Geral da ONU que adotou resolução para que o dia
 19 de novembro seja o Dia Mundial do Toalete
Atualmente, 2,5 bilhões de pessoas não tem acesso a um banheiro adequado e outro bilhão faz suas necessidades ao ar livre
 
A Assembleia Geral da ONU adotou nesta quarta-feira (24) uma resolução que oficializa 19 de novembro como o Dia Mundial do Toalete. A data será observada anualmente para aumentar a conscientização sobre a necessidade de todas as pessoas terem acesso ao saneamento.
 
O vice-secretário-geral agradeceu o governo de Cingapura pela "liderança em uma questão crucial e de importância global". A resolução foi sugerida pelo país asiático.
 
Jan Eliasson destacou que uma em cada três pessoas no mundo não tem acesso a um banheiro adequado, ou seja, cerca de 2,5 bilhões. Quase 2 mil crianças morrem todos os dias por diarreia, uma enfermidade que poderia ser prevenida.
 
Além disso, mais de 1 bilhão de pessoas fazem suas necessidades ao ar livre. A Assembleia Geral pediu o fim da prática, considerada "extremamente perigosa para a saúde pública."
 
Segundo o vice-chefe das Nações Unidas, a falta de saneamento básico e de água potável geram, para os países em desenvolvimento, perdas econômicas de US$ 260 bilhões todos os anos.
 
Eliasson lembra que acesso adequado ao saneamento é uma "questão básica de diginidade". Para ele, "é inaceitável que muitas meninas deixem de ir à escola pela falta de banheiros adequados e que pelo mesmo motivo, mulheres sejam vítimas de estupros e abusos."
 
O vice-secretário-geral lembrou que em março deste ano, a ONU lançou a iniciativa "Ação pelo Saneamento". Eliasson apela a todos os países que acelerem os progressos rumo a um mundo onde todas as pessoas desfrutem de direitos básicos.
 
Fonte isaude.net

Remédios antigos: Helmiben infantil

Pacientes de Alzheimer podem conversar melhor com estímulos certos

Idosos sadios e com Alzheimer eram submetidos a conversas de 20 minutos
Foto: Marcos Santos/USP Imagens
Idosos sadios e com Alzheimer eram submetidos a conversas
 de 20 minutos
Pesquisa da USP mostra que pacientes "perdem mais palavras de seres não-vivos, mas falam muito mais preposições e interjeições
 
Idosos portadores de Alzheimer de leve a moderado têm a capacidade de conversa preservada, se forem dados os estímulos corretos. O pesquisador Renné Panduro Alegria descobriu isto em seu doutorado em Neurociências e Comportamento (NEC) no Instituto de Psicologia (IP) da USP, em parceria com o Programa Terceira Idade (PROTER) do Instituto de Psiquiatria (IPq) da Faculdade de Medicina da USP (FMUSP). Alegria testou capacidades linguísticas por meio da análise dos itens lexicais mais usados pelos idosos enfermos. Isto porque as pessoas acometidas por esta doença muitas vezes se queixam de falta de vocabulário ao se comunicar.
 
" Nos testes de comunicação formal eles iam mal, muito mal, mas quando conversavam, respondiam muito melhor. Parece que compreendiam mais as conversas do que os testes formais" , diz o pesquisador, que é mestre em linguística. Inicialmente, sua pesquisa se propôs a avaliar o uso e o entendimento dos verbos e substantivos pelos pacientes com Alzheimer de leve a moderado, mas acabou considerando os adjetivos, advérbios, conjunções, pronomes e preposições, também. Alegria, orientado pelos professores Maria Inês Nogueira, do NEC, e Cássio Machado de Campos Bottino, do IPq, concluiu que " estimulando os pacientes com as palavras que eles têm preservadas, eles conseguem se comunicar" e que este estímulo pode reativar as áreas temporais, parietais e frontais do cérebro, responsáveis pela memória e linguagem.
 
A pesquisa constatou que há um alto uso de substantivos em relação aos verbos. Entre eles, as palavras que nomeiam coisas concretas eram mais utilizadas e lembradas pelos pacientes, enquanto substantivos abstratos ficavam, em geral, fora de seus enunciados. Além disso, percebeu-se um alto uso de interjeições e preposições. Alegria explica que " eles perdem mais palavras de seres não-vivos, mas falam muito mais preposições, muito mais interjeições" . Assim, uma maneira de se melhorar a comunicação oral entre cuidadores e pessoas com Alzheimer é considerar estes itens lexicais mais preservados em sua linguagem.
 
O estudo entrevistou 23 pacientes com Alzheimer do Ambulatório de Demências do PROTER e 23 idosos sadios. Estas últimas serviram de controle para identificar as características da alteração linguística da doença. Antes dessa etapa, foi feita uma triagem com 50 pessoas de cada grupo. O pesquisador conta que, de uma etapa para outra, muitas pessoas faleciam ou tinham o quadro da doença piorado. Os diálogos duravam 20 minutos e, neles, eram abordados os temas: cidade, família, educação, alimentação, saúde e religião.
 
Para a parte estatística, foi utilizado o Stablex, software que contabiliza as palavras de um texto e lista as mais frequentes e de maior peso na expressão. " O Stablex distingue o léxico preferencial, básico e diferencial. Preferencial é próprio de cada pessoa, o básico é geral, que todo mundo tem e o diferencial é diferente de cada um" , explica Renné. Ele também conta que, na USP, a tecnologia costuma ser usada em análises linguísticas na Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH), mas raramente por pesquisadores da área da saúde. Foi aí que descobriu-se quais os tipos de palavras mais usados pelos idosos que sofrem com Alzheimer.
 
Alegria esclarece que o padrão do uso dos itens lexicais variam de língua para língua, de país para país. Ele se deparou com pesquisas americanas e europeias e constatou " que os pacientes de língua inglesa, francesa ou alemã apresentavam resultados um pouco diferentes" . Por causa de sua pesquisa, Alegria recebeu uma bolsa da Alzheimer' s Association para ir à Boston, nos Estados Unidos, e apresentar seu trabalho na Alzheimer' s Association International Conference (AAIC), que aconteceu do dia 13 a 18 de julho deste ano. A AAIC é o maior congresso anual sobre a doença de Alzheimer, e cada edição é realizada em um país diferente.
 
Fonte isaude.net

Encontrada origem genética de quase todas as alergias e doenças alérgicas

Resultados do estudo realizado em crianças com síndrome de Loeys-Dietz pode orientar uma nova linha de tratamento para as alergias
 
Um distúrbio que afeta o tecido conjuntivo pode fornecer pistas vitais sobre a origem genética de quase todas as alergias humanas e doenças alérgicas.
 
Estudo divulgado nesta quarta-feira (25) analisou 58 crianças de 7 a 20 anos portadoras da síndrome Loeys-Dietz. "Descobrimos que estes pacientes tinham um risco muito elevado de desenvolver não apenas uma alergia, mas todas as formas de doença alérgica", disse a autora do estudo, a imunologista do Johns Hopkins Children's Center (EUA), Pamela Frischmeyer-Guerrerio.

Os pesquisadores afirmam que a mutação genética que causa a síndrome Loeys-Dietz parece estar intimamente ligada às alergias. Tanto assim que pode explicar por que algumas pessoas sofrem de reações alérgicas. O estudo descobriu que os pacientes com síndrome de Loeys-Dietz tiveram níveis elevados da molécula sinalizadora chamada Fator de transformação do crescimento beta , ou TGF-beta.

Para a pesquisadora, tudo isto sugere que mudanças na sinalização TGF-beta pode predispor algumas pessoas fortemente para o desenvolvimento de alergias e doenças alérgicas. "Encontramos o mesmo tipo de mau comportamento do sistema imunológico em crianças alérgicas que não têm Síndrome Loeys-Dietz,"

O TGF-beta controla o crescimento das células em vários órgãos, levando os vasos sanguíneos a se desenvolverem em formas retorcidas, e ocasionando anormalidades físicas como fenda palatina e pé torto. A proteína também é conhecida por desempenhar um papel na regulação do sistema imunológico, estimulando o organismo a lutar contra micróbios estrangeiros, suprimindo reações contra corpos estranhos, como alimentos e pólen. "Nos pacientes com Loeys-Dietz a elevada sinalização TGF-b parece desencadear uma resposta imune desproporcional a substâncias inócuas, causando o desenvolvimento de condições como asma, alergias à comida e eczema, afirmou Frischmeyer-Guerrerio.

"Um dos obstáculos na tentativa de desenvolver novos tratamentos para alergias é identificar as principais vias de sinalização que precisamos atingir. O TGF-beta realmente parece estar no centro de uma das vias principais que são a base do desenvolvimento de todas as formas de doença alérgica."
 
Fonte isaude.net

Cromossomo feminino tem função significativa na formação da masculinidade

Cromossomo feminino contém dezenas de genes que são ativos apenas no tecido destinado a se tornar espermatozóide
Foto: David Marchal/Istockphoto
Cromossomo feminino contém dezenas de genes que são ativos
 apenas no tecido destinado a se tornar espermatozóide
Novo estudo mostra que o cromossomo X tem dezenas de genes ativos apenas no tecido destinado a se tornar espermatozoide
 
Nos seres humanos, o cromossomo Y faz dos homens, homens. Ele contém genes que são responsáveis pela determinação do sexo, o desenvolvimento e a fertilidade masculina. Mas agora, a equipe descobriu que o cromossomo X, feminino, também poderia desempenhar um papel significativo na formação da " masculinidade" .

De acordo com o estudo, o cromossomo feminino contém dezenas de genes que são ativos apenas no tecido destinado a se tornar espermatozóide. Para os pesquisadores, " a descoberta abala nossas ideias sobre como os cromossomos sexuais influenciam o gênero."

Cada mamífero tem um par de cromossomos sexuais. As fêmeas têm duas cópias do cromossomo X e os machos têm uma, junto com um cromossomo Y. O corpo precisa de apenas uma cópia ativa do cromossomo X, por isso, nas mulheres, a segunda cópia está desativada. Quase 50 anos atrás, um geneticista chamado Susumu Ohno propôs que esta paralisação diminuiu a evolução do cromossomo X, e ele previu que seus genes seriam muito semelhantes na maioria dos mamíferos. David Page, geneticista do Instituto Whitehead de Pesquisa Biomédica, em Cambridge, Massachusetts, resolveu comprovar a veracidade desta teoria entre ratos e seres humanos, que são separados por 80 milhões de anos de evolução.

Os resultados mostraram que os dois compartilham a maior parte de seus 800 ou mais genes. Esses genes compartilhados, relativamente estáveis, são ativos em ambos os sexos masculino e feminino e existem como cópias simples dos cromossomos. Mutações nestes genes descritos anteriormente são responsáveis ??pelas chamadas doenças recessivas ligadas ao X, como a hemofilia e a distrofia muscular de Duchenne. "Estes são os genes do cromossomo X de livros didáticos," afirma Page.

O novo estudo descobriu um lado diferente deste cromossomo. Há 144 genes do cromossomo X humano sem homólogos em camundongos e 197 únicos para os ratos. Dos 144 humanos, 107 existem em múltiplas cópias das regiões duplicadas recentemente sequenciadas do X e parecem estar em constante mutação.
Quando os genes mudam, eles têm a oportunidade de influenciar a evolução, e o novo estudo mostra que os genes do cromossomo X podem ser particularmente potentes.

Neste estudo, os pesquisadores examinaram oito tecidos masculinos e femininos humanos para analisar o comportamento do cromossomo X. Ao contrário dos genes X descritos nos " livros didáticos ", estes genes compartilhados parecem não ter nenhuma expressão no sexo feminino. " Em vez disso, eles estão ativos no testículo, principalmente no tecido destinado a se tornar esperma. Achamos que o cromossomo X está levando uma vida dupla", com uma parte sendo estável e se comportando como sempre foi descrito na ciência, e outra parte mudando constantemente e influenciando os traços masculinos.

" Em outras partes do genoma, regiões duplicadas "já são conhecidos por serem de grande importância biomédica" no tratamento de câncer e outras doenças. Espera que os pesquisadores comecem a olhar mais de perto se os genes nas regiões duplicadas do cromossomo X são igualmente importantes, especialmente no que diz respeito à fertilidade masculina e câncer de testículo.

Fonte isaude.net

Lúpulo presente na cerveja traz benefícios para a saúde e o bem-estar

Lúpulo presente na cerveja traz benefícios para a saúde e o bem-estar Gilmar de Souza/Ver Descrição
Foto: Gilmar de Souza
Quanto maior a quantidade de lúpulo na bebida, maior as
 chances de prevenção de doenças
Ingrediente possui propriedades que podem ajudar no combate a resfriados, fortalecimento do sistema imunológico e combate a insônia
 
Com o inverno aí, a temporada de clima seco demanda maiores cuidados com a saúde. A associação entre baixas temperaturas, poluição do ar e diminuição das chuvas aumenta os casos de alergias e infecções respiratórias, principalmente gripes e resfriados.

Mas há uma boa notícia para os amantes de cerveja. O lúpulo, ingrediente presente na bebida, pode ser um importante aliado para diminuir o risco de infecções respiratórias. A planta, utilizada para estabilizar os sabores e aromas da bebida, possui substâncias com ações anti-inflamatórias e antioxidantes, além de outros efeitos bioativos. Uma latinha de 350 mL contém, por exemplo, teor de polifenóis semelhante a um cálice de 120 mL de vinho tinto. Ou seja, quanto maior a quantidade de lúpulo na bebida, maior as chances de prevenção de doenças.

Um recente estudo japonês de 2013 demonstrou que compostos do lúpulo são capazes de inibir a multiplicação do vírus respiratório, contribuindo com a proteção contra a pneumonia, outra doença frequente nesta época. Além da atuação direta na inibição dos vírus causadores de infecções respiratórias, há evidências de que o consumo moderado de cerveja ainda traz benefícios para o sistema imunológico, tornando o organismo mais resistente contra algumas infecções.

Pesquisadores europeus verificaram que o consumo diário de 330 ml de cerveja por mulheres e 660 ml por homens, no período total de um mês, aumentou a concentração de células de defesa do sistema imune nas mulheres, e a produção de anticorpos em ambos os sexos.

Estudos com o lúpulo também comprovam que este ingrediente ainda é capaz de aumentar a atividade do neurotransmissor GABA – uma substância liberada pelos neurônios, que diminui a ação do sistema nervoso, promovendo um efeito sedativo. A planta é alternativa possível para tratamentos de insônia e outros distúrbios do sono, que são condições associadas ao estresse e ao prejuízo da função do sistema imune.

Dessa forma, a paixão nacional dos brasileiros, além de ser uma bebida saborosa e agradável, possui propriedades importantes e, quando aliada a uma rotina de hábitos saudáveis, alimentação balanceada e atividade física, pode trazer benefícios para a saúde. É possível aproveitar os benefícios da cerveja sem abrir mão de saúde e bem estar.
 
Fonte Zero Hora

Fotos manipuladas mostram corpos desejáveis e inatingíveis

Fotos manipuladas mostram corpos desejáveis e inatingíveis Burn fats/Reprodução
Foto: Burn fats / Reprodução
Fotos de barrigas chapadas ou definidas podem esconder truques
e manipulações de imagem          
Personal trainer mostra como fotos podem ser forjadas com truques e recursos de softwares
 
Se você acredita em dietas milagrosas e treinos populares, este é um alerta importante do personal trainer Andrew Dixon. Profissional da área por mais de 11 anos, ele destaca que vivemos em um mundo de manipulações e falsas promessas, o que ocorre principalmente na indústria do fitness com a utilização de Photoshop.

Em um artigo no Huffington Post, Andrew aponta como estas dietas e treinos apresentados de forma duvidosa, mostrando fotos de transformação "antes e depois" que podem ser facilmente forjadas. Porém, algumas pessoas realmente conseguem sofrer transformações físicas impressionantes – o que geralmente ocorre em longo prazo.

— Eu decidi fazer as minhas próprias fotos de transformação para ver o que era possível fazer com apenas alguns truques. Seis meses atrás eu estava com cerca de 84 quilos e 16% de gordura corporal. Eu estava me sentindo um pouco inchado no dia, então pedi para minha namorada tirar uma foto de “antes”. Então, raspei minha cabeça, rosto e peitoral e me preparei para a foto de “depois”. Fiz algumas flexões e puxadas, mudei as luzes no quarto, encolhi a barriga, contrai o abdômen, e BOOM! Nós conseguimos a nossa foto de “depois” — explica ele em seu artigo.
 
Foto: Reprodução Huffington Post
Andrew Dixon mostra como é fácil manipular fotos de transformação
 
Em outro momento, Andrew tirou uma série de fotos para mostrar uma suposta progressão alcançada mês a mês. Nestas fotos, ele está com cerca de 90 quilos e 19% de gordura corporal. O personal levou cerca de uma hora para produzir esta série.

Andrew faz esta série para incentivar que as pessoas não tentem parecer com alguém que sai em fotos de transformação. Para ele, é importante se inspirar nesses exemplos, mas não ficar desapontado se não ficar iguais a esses modelos. Afinal, resultados de longo prazo demoram anos de consistência, trabalho duro e dedicação.

Fonte Diário CAtarinense

O pensamento positivo pode ser um importante aliado na busca por uma vida mais feliz e saudável

O pensamento positivo pode ser um importante aliado na busca por uma vida mais feliz e saudável nao se aplica/stock xchng,divulgação
Foto: nao se aplica / stock xchng,divulgação
Especialistas não têm dúvida de que o pensamento tem, sim,
muito poder
Como a força da mente é capaz de colaborar para o bem-estar
 
Dizem que a mente é capaz de mover montanhas. O poder do pensamento é tema de discussões entre pesquisadores e não faltam livros de autoajuda nas livrarias que prometem revelar o “segredo” que pode fazer você ter e ser o que quiser só com a força da mente. Mas será que temos mesmo esse poder todo e a felicidade pode estar logo ali, ao alcance de uma mente bem treinada?
 
Apesar de ser um tema um tanto controverso, os especialistas não têm dúvida de que o pensamento tem, sim, muito poder. Porém, todos são unânimes em dizer: só pensar não resolve. Para a psicóloga Ângela Utinguassú dos Santos, o pensamento positivo deve ser encarado como uma postura de vida, uma óptica mais otimista e leve diante dos problemas do cotidiano.
 
— Devemos pensar que o dia de hoje poderá ser melhor do que o de ontem. Atender ao telefone com bom humor, sorrir, ter uma postura corporal ereta. Tudo isso é percebido pelas pessoas, que tendem a retribuir — analisa Ângela.
 
Outro poder associado ao pensamento positivo é que tendemos a buscar formas de comprovar essa positividade. Ou seja, tentamos transformar os nossos pensamentos em ações para que os desejos e objetivos mentalizados se tornem realidade. Além disso, os problemas passam a ter uma conotação mais leve e o sofrimento diante deles é menor.
 
— Claro que nada disso vai acontecer se você ficar só no pensamento, mas as ações começam nas ideias. Se você não pensar e mentalizar um objetivo, nunca irá atrás dele e, quando perceber, estará infeliz com a vida porque não refletiu sobre ela. Pensar positivamente é, portanto, o primeiro passo – ressalta a psicóloga e mestre em psicologia clínica Tatiana Facchin.
 
Organismo integrado
O psiquiatra e professor da PUCRS Diogo Lara ressalta que somos seres integrados e o pensamento representa um pequeno nível da nossa existência, do nosso organismo.
 
— É um nível importante, que processa informações, mas é apenas um. Não podemos dissociar o pensamento do corpo, da emoção, do sentimento, do comportamento — explica.
 
Lara observa que é importante levar em consideração todos os níveis do organismo, que ele didaticamente separa em seis: corpo, emoção, pensamento (o nosso consciente) imagens (o nosso inconsciente), comportamento e alma. Esses níveis funcionam em coerência associativa, tendem a trabalhar de forma semelhante, conjunta, em sintonia.
 
Por exemplo: você dificilmente vai ouvir alguém gritar “eu sou um perdedor!” de forma vibrante, alegre, com os braços para o alto. A fala, o comportamento e o corpo não estariam sendo coeren­tes. O que pensamos vai influenciar no que sentimos, em como nos comportamos, em nossas emoções – assim como todos esses níveis podem influenciar nosso pensamento.
 
— Tudo está em coerência associativa, então não importa muito o nível em que você vai entrar numa intervenção. Ela pode ser corporal (com a prática de ioga, por exemplo), no pensamento (com a terapia), no seu inconsciente (com a hipnose) ou na sua alma (com a prática da reza) — explica o psiquiatra.
 
Quando a intervenção se dá pelo pensamento, a coerência com a emoção é fundamental para o sucesso. É ela que vai legitimar o pensamento, permitir que ele alcance e interfira nos outros níveis do organismo.
 
— A tinta que escreve o pensamento é a emoção. Ela é evolutivamente mais antiga. Uma criança tem emoções e sentimentos muito antes de ter pensamentos. Se eu penso que sou o cara, mas minha emoção não autoriza isso, esse pensamento fica vazio — afirma Lara.
 
O pensamento positivo precisa, portanto, ser construído em uma unidade alicerçada pela emoção. Pensar e expressar desejos de forma vazia e isolada torna-se algo fugaz e que pouco pode ajudar. A força do pensamento positivo está na sua associação aos outros níveis do organismo, o ponto de partida que pode estrategicamente potencializar uma mudança efetiva.
 
Fonte Zero Hora

Pesquisa descobre transtorno genético que pode causar diversas alergias

Pesquisa descobre transtorno genético que pode causar diversas alergias Charles Guerra/Agência RBS
Foto: Charles Guerra / Agência RBS
Uma única falha genética pode levar a doenças como asma e inflamações na pele
 
Cientistas americanos anunciaram nesta quarta-feira a descoberta de um vínculo genético na origem de muitas alergias, que também existe nas pessoas com doenças do tecido conjuntivo.
 
Suas descobertas, publicadas na revista "Science Translational Medicine", mostram que um único transtorno genético pode provocar doenças como asma, alergias alimentares e eczemas (inflamações da pele). As "culpadas" parecem ser as mutações que levam a sinais anormais de uma proteína chamada Fator de Crescimento Transformante Beta (TGF-beta).
 
Quando sua sinalização fracassa, é deflagrada uma "cascata de eventos que culmina no desenvolvimento das alergias", disse a principal autora do estudo e imunologista do Centro Infantil Johns Hopkins, Pamela Frischmeyer-Guerrerio.
 
Os pesquisadores examinaram um grupo de 58 crianças com síndrome de Loeys-Dietz (LDS), um transtorno do tecido conjuntivo que pode causar um aumento da aorta e levar a um aneurisma, similar à síndrome de Marfan.
 
Há anos, os cientistas notaram que os pacientes com LDS estão predispostos a ter taxas de alergia mais altas do que a população em geral. Os pacientes com LDS também registram níveis incomumente altos do anticorpo IgE — um condutor das respostas alérgicas — e contagens elevadas de glóbulos brancos conhecidos como eosinófilos, envolvidos nas reações alérgicas.
 
Os pesquisadores descobriram que as células imunes das crianças também tinham "níveis anormalmente altos de uma proteína chamada SMAD, um conhecido transmissor da sinalização TGF-beta".
 
Entre os pacientes tratados com um medicamento para pressão arterial, conhecido como losartan, essa proteína se reduziu, o que sugere que esse fármaco pode ser um caminho para o tratamento de alergias. O estudo afirma também que a sinalização aumentada do TGF-beta era a causa da resposta alérgica.
 
— A mudança na sinalização TGF-beta não se limita a fazer que as células imunes se comportem mal, também parece desencadear a reação que, eventualmente, conduz a uma doença alérgica — disse o principal pesquisador da equipe, Harry Dietz, cardiologista do Centro Infantil Johns Hopkins.
 
Os cientistas investigam agora os efeitos do losartan nos sintomas alérgicos em animais.
 
Fonte AFP/Zero Hora

Especialista enumera 10 atividades para melhorar a circulação

Especialista enumera 10 atividades para melhorar a circulação Reprodução/Reprodução
Foto: Reprodução
O alongamento é considerado um forte aliado da ativação circulatória
Sedentarismo, fumo, roupas ou sapatos muito apertados são alguns fatores que comprometem a circulação sanguínea
 
É fundamental adotar medidas simples que preservem e ativem a circulação sanguínea. Afinal, muitos fatores podem comprometê-la, entre eles o sedentarismo, o hábito de fumar, usar roupas ou sapatos apertados demais, o hábito de cruzar as pernas, a permanência por muito tempo sentado, a ingestão de bebidas alcoólicas, o mau hábito de beber pouca água durante o dia, a má alimentação e até exercícios de forte impacto ou que utilizem excesso de peso.

Isso porque tais atividades podem elevar as veias enfermas. O angiologista Ary Elwing, especialista em cirurgia vascular periférica e tratamento a laser, afirma que, em atividade de forte impacto ou com muito peso, a musculatura costuma ficar contraída por um elevado período e, com isso, o sangue fica parado em uma determinada região da veia, fazendo um tipo de pressão e podendo provocar a dilatação permanente.

Para entender a importância da circulação, é preciso explicar que o sangue segue em direção ao coração por meio da contração da musculatura do corpo, que ocorre ao redor de uma veia, exercendo pressão para que este movimento aconteça. Durante o período de relaxamento dessa musculatura, é aberto espaço para receber o sangue que será direcionado ao coração. Com isso, as válvulas não ficam sobrecarregadas e conseguem cumprir seu percurso sem causar riscos à circulação sanguínea.

No entanto, os fatores já citados podem fazer com que essas válvulas sofram um tipo de pressão e fiquem deformadas, comprometendo a função que impede o sangue de realizar o retorno.

Por isso, alguns cuidados são essenciais! Confira os 10 mais importantes, enumerados por Elwing:

— O sangue não consegue circular corretamente quando está com muitas impurezas. Por isso, é importante movimentar-se bastante para limpar a corrente sanguínea e ativar a digestão.

— Faça alongamentos, pois este tipo de atividade física é considerado um forte aliado da ativação circulatória. Uma dica é apostar em movimentos para esticar as pernas. Pegue um travesseiro para apoiar a cabeça, uma toalha grande e alongue as pernas para cima, usando a toalha para auxiliar neste processo. Os movimentos de alongar e esticar aliviam dores e cansaços nas pernas.

— Cuide da alimentação apostando em um cardápio rico em frutas, legumes e verduras. Segundo Elwing, estes alimentos possuem nutrientes que ajudam a fortalecer as paredes dos vasos sanguíneos, além de ativar a circulação.

— Realize caminhadas, pois este tipo de exercício contribui para bombear o sangue ajudando a ativar a circulação. Também é importante usar meias elásticas e manter as pernas elevadas durante uns minutos ao longo do dia.

— Faça exercícios aquáticos: natação ou hidroginástica. Eles garantem excelentes resultados sobre a circulação sanguínea.

— Evite permanecer sentado durante períodos muitos longos. Procure em pequenos intervalos levantar-se para ativar a circulação. Outra dica é evitar ficar com as pernas cruzadas por muito tempo. O ideal é estica-las frequentemente e realizar movimentos circulares com os pés.

— Andar de bicicleta também é um ótimo exercício para ativar os movimentos musculares, pois isso melhora a circulação sanguínea.

— Não use meias ou sapatos apertados, aposte em roupas e acessórios confortáveis que não comprimam alguma região do corpo.

— Evite fumo e bebidas alcoólicas. Um cigarro já é suficiente para contrair todos os vasos sanguíneos do corpo. E a fumaça pode contrair os vasos capilares das pernas e dos pés.

— Para finalizar, invista em um banho estimulante. É possível adicionar à água uma boa quantidade de vinagre de sidra. O produto ajuda a estimular a circulação sanguínea.
 
Fonte Zero Hora

Conheça três nutrientes para um sono de qualidade

Verduras de tom mais escuro podem combater a sonolência
Problemas para dormir podem estar relacionados a deficiência de vitaminas e minerais
 
Se você tem dificuldades em ter um sono de qualidade, a razão pode ser a deficiência de vitaminas e minerais em sua alimentação. Esta semana, o site Livescience listou os três problemas de sono mais comuns e os três nutrientes que podem combatê-los.
 
Confira:
 
1. Não consigo dormir
Estudos mostram que a insônia é um dos sintomas da falta de magnésio. Fontes naturais do mineral são verduras de tons mais escuros, sementes de abóbora, feijões e lentilhas.
 
2. Dificuldade em manter o sono
O problema pode ser ligado à falta de potássio, que impulsiona o sono. Neste caso, é bom incluir feijões, verduras, abacate, batatas assadas e banana na alimentação.
 
3. Cansaço durante o dia
O sintoma pode ser resultado de muitos fatores, mas há uma forte relação entre o esgotamento durante o dia e a falta de vitamina D, é o que diz um estudo publicado ano passado no Journal of Clinical Sleep Medicine. O sol é uma boa fonte, mas o mineral também está presente tem peixes como agulhão, salmão e atum.

Fonte AFP/Zero Hora

Estudo aponta o segredo para estar satisfeito com a vida

Estudo aponta o segredo para estar satisfeito com a vida nao se aplica/stock xchng,divulgação
Foto: stock xchng,divulgação
Estudo aponta o segredo para estar satisfeito com a vida
Aceitação de que há coisas que não podem ser mudadas pode ser um importante componente
 
Qual é o segredo para a felicidade à medida que envelhecemos? Um recente estudo sugere que durante as mudanças difíceis ao longo de nossa existência, como o envelhecimento, a aceitação de que há coisas que não podem ser mudadas pode ser um importante componente para ter maior satisfação com a vida.
 
Uma equipe de pesquisadores da Universidade Deakin, na Austrália, examinou os níveis de satisfação com a vida e de "controle percebido" em 101 idosos que vivem em uma instituição de cuidados e outros 101 que moram de forma independente na mesma região.

Os pesquisadores caracterizaram a satisfação com a vida baseada em oito pontos principais: padrão de vida, saúde, sucesso, relacionamentos, segurança, conexão com a comunidade, a segurança futura e espiritualidade e religião.
 
O estudo definiu "controle percebido" como um controle primário relacionado à capacidade de fazer alterações em seu ambiente conforme você queira e um controle secundário relacionado às mudanças que acontecem dentro de si mesmo para se adaptar ao seu ambiente.
 
Esses componentes foram encontrados para ser igualmente importantes, e especialmente o controle secundário ajudou os indivíduos residentes da unidade especializada em cuidados de idosos a lidar com perdas no controle primário, como de sua casa ou independência. Além disso, a aceitação, percepção de controle secundário, se mostrou mais importante para o bem estar deste grupo, afirmam os pesquisadores.
 
— Para proteger o bem estar dos indivíduos mais velhos, a adaptação envolve um senso de controle e a aceitação ativa do que não pode ser mudado. Os controles percebidos primário e secundário podem predizer a satisfação com força comparável dependendo da situação do idoso. A aceitação é mais do que uma posição privilegiada em situações de pouco controle — disseram os autores do estudo.
 
Os resultados foram publicados no Journal of Happiness Studies.
 
Pesquisas anteriores também descobriram que as pessoas tendem a se tornar mais felizes à medida que envelhecem, com a felicidade batendo um nível baixo da média mundial aos 46 anos e aumentando depois disso.
 
A pesquisa IBE (Índice de Bem-Estar) Unimed, realizada este ano em Porto Alegre, apontou para o mesmo caminho. O grupo acima de 70 foi o que alcançou os melhores índices de bem-estar no estudo.

Fonte AFP/Zero Hora

Inverno requer maior atenção para evitar infecção hospitalar em pacientes

Repentinas mudanças de clima, ambientes fechados, poeira e clima seco aumentam as possibilidades de infecções hospitalares no inverno. Nessa estação, o tipo de infecção mais comum é a respiratória, pois com o tempo mais seco, as mucosas ficam ressecadas, diminuindo as defesas do organismo e favorecendo infecções como gripe, resfriado, amigdalites, faringites, sinusite e pneumonia.
 
Na Clínica Acallanto, especializada em cuidados prolongados e paliativos, a atenção com os pacientes crônicos de alta complexidade, nessa época do ano, redobra. Medidas como diminuir as visitas e circulação de pessoas nos leitos e incentivar o uso de máscaras durante as visitações são algumas das realizadas durante a estação. Essas alternativas trabalhadas pela Clínica contribuem para resultados bem interessantes quando o assunto é a redução dos índices de infecção hospitalar: nos últimos meses, a instituição marcou uma queda de 60% nas infecções e nenhum óbito registrado por essa causa.
 
Além disso, alguns cuidados preventivos com a saúde dos familiares e funcionários da própria Clínica podem beneficiar a saúde dos pacientes também. A Clínica Acallanto indica a ingestão de vitaminas C e E, presente em alimentos como trigo, abacate, brócolis laranja e a acerola e as vitaminas A, que têm ação anti-inflamatórias e ajudam a fortalecer o organismo.
 
“A prevenção é a melhor maneira para cuidar da saúde em uma época do ano que todos os ambientes estão mais propícios para a contaminação e propagação de doenças. A maneira mais simples da população evitar estes riscos é cuidar da alimentação e cuidar das defesas do corpo. Com esses cuidados, os familiares e funcionários ficam com o imunológico fortificado e trazem menos riscos aos pacientes, consequentemente”, diz Cristiane Pavanello, coordenadora do Serviço de Controle de Infecção Relacionada à Saúde (SCIRAS) da Clínica Acallanto e professora doutora em Ciências da Saúde na Escola de Enfermagem da USP (EEUSP).
 
Na Acallanto, outros cuidados importantes são adotados, constantemente, como a higienização das mãos para evitar a transmissão de bactérias, a manutenção da limpeza do ambiente hospitalar com frequência e a esterilização das embalagens dos medicamentos utilizados, bem como do balcão onde os químicos serão manipulados.
 
Fonte SaudeWeb

TCU reembolsou R$ 1 mi de despesas médicas de 13 ministros

Valor é 67,4% superior ao teto previsto por duas portarias do tribunal
 
O Tribunal de Contas da União (TCU) pagou mais de R$ 1 milhão de reembolso de despesas médicas aos 13 ministros entre 2011 e 2012, revelou o jornal O Globo. O valor é 67,4% superior aos 600 mil previstos por duas portarias do tribunal que definem o valor máximo destinado ao ressarcimento deste tipo de despesas.
 
O TCU se defende e diz que a previsão de gastos com a saúde dos ministros não foi ultrapassada. As portarias, alega a assessoria do tribunal, se referem a despesas não reembolsadas pelo plano de saúde.
O ministro Raimundo Carreiro lidera a lista dos que mais tiveram despesas com saúde ressarcidas pelo tribunal: R$ 65,3 mil em 2011, R$ 102 mil em 2012 e R$ 10 mil nos dois primeiros meses de 2013. Os gastos de Carreiro no ano passado foram mais de duas vezes maiores que o do ministro Walton Alencar, que recebeu R$ 50,6 mil no período.
 
No domingo, o diário paulista O Estado de S. Paulo revelou que Carreiro conseguiu na Justiça alterar a data de nascimento, de setembro de 1946 para setembro de 1948. O rejuvenescimento estende o período de permanência do ministro no TCU, permitindo que ele assuma a presidência do tribunal entre 2017 e 2018.
 
* com informações do jornal O Globo
 
Fonte SaudeWeb

Startup catarinense lança jogo online para fisioterapia

Fisiogames
Foto: Reprodução
Health Plataform, da Fisiogames, une terapia e jogos eletrônicos com a intenção de popularizar a tecnologia
 
A Fisiogames, especialista no desenvolvimento de jogos para saúde, acaba de lançar a Health Plataform, tecnologia que promete aumentar a confiança dos pacientes através de exercícios. O sistema online permite que o profissional da saúde crie programas de exercícios selecionando aqueles que devem ser realizados pelo paciente a partir de uma lista com dezenas de opções.
 
Um personagem apresenta os exercícios de forma “didática e divertida”. Segundo a desenvolvedora, a tecnologia populariza o recurso, ainda restrito a grandes centros de reabilitação.
 
O produto foi pré-lançado em março em uma rodada de negócios durante o GameConnection, em São Francisco (EUA). Entre 7 e 11 de setembro, os diretores da startup participarão do TechCrush Disrupt, com apoio do Sebrae/SC, quando farão novas rodadas de negócios.
 
A Fisiogames é uma empresa incubada no MIDI Tecnológico, em Florianópolis, incubadora mantida pelo Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de Santa Catarina (Sebrae/SC) e gerenciada pela Associação Catarinense de Empresas de Tecnologia (Acate).
 
Fonte SaudeWeb

Portal de atualização científica em saúde chega ao Brasil

Plataforma Univadis oferece acesso gratuito a publicações, conteúdos e cursos de atualização certificados pela AMB
 
Foi lançada recentemente no Brasil o portal de educação médica Univadis, plataforma global de conhecimento em saúde gratuita e em português. Segundo o laboratório MSD, responsável pelo serviço, a Univadis possui ampla gama de conteúdo científico para profissionais da área. O lançamento no País ocorre em parceria com a Associação Médica Brasileira (AMB).
 
O conteúdo da Univadis conta com parcerias com editores da área médica e oferece acesso a artigos de periódicos científicos como The Lancet e Journal of American Medical Association (JAMA), além de publicações da Elsevier, do Springer Health Care e do MD Consult.
 
Há ainda cursos do BMJ Learning. Por meio de uma parceria, o portal disponibiliza mais de 400 cursos, dos quais 150 já foram traduzidos para o português e certificados pela AMB, e aceitos para a revalidação do título de especialista. Complementam o conteúdo notícias médicas diárias, materiais de suporte a pacientes, manuais Merck, biblioteca de imagens e vídeos, cobertura online de congressos internacionais, atlas de anatomia 3D e 2D e um serviço que indica os índices de saúde de cada localidade.
 
O usuário pode personalizar sua página de acesso, de acordo com área de atuação e interesses. O Brasil é o primeiro país da América Latina a ter o portal na nova versão, disponível apenas na França e na Inglaterra, onde foi lançado em 2012. O Univadis está disponível em 40 países e possui cerca de 1,8 milhão de usuários cadastrados, entre médicos, enfermeiros, farmacêuticos e dentistas.
 
Fonte SaudeWeb

Hospital de SP oferece sobrancelha de henna a pacientes com câncer

Maria Aparecida Duarte durante e depois da aplicação de henna nas sobrancelhas
Heloísa Negrão/Folhapress
Maria Aparecida Duarte durante e depois da aplicação de
 henna nas sobrancelhas
- Como você se sentia antes?
 
- Eu não me olhava no espelho.
 
- Como você está se sentindo agora?
 
- Agora, eu me olho no espelho.
 
As duas perguntas acima foram respondidas por uma das primeiras pacientes do Icesp (Instituto do Câncer do Estado de São Paulo) a "fazer" o desenho das sobrancelhas com henna. O projeto começou há menos de duas semanas no Hospital das Clínicas.
 
A visagista Cléa Adriana Valandro atende (de graça) no hospital uma vez por semana -- o horário casa com o término das sessões de quimioterapia. Ela faz tanto a primeira aplicação como a manutenção nas semanas seguintes - o produto não dura mais de sete dias.
 
"A gente já dava lenço ou peruca, mas sentia que faltava algo", afirma Marcelo Cândido, supervisor de Hospitalidade do Icesp.
 
O projeto demorou para ser aprovado, pois foi necessário juntar todas as "provas" de que a henna usada não faz mal às pacientes.
 
"As mulheres reclamam muito quando a sobrancelha cai, dizem que estão com cara de cobra ou de sapo", afirma Clea. "Com o lenço, elas já ficam marcadas como alguém que tem câncer. A sobrancelha parece devolver um pouco da identidade própria delas", diz.
 
Munida com várias réguas, peças em formatos geométricos e lápis de olho, Clea e sua ajudante chamam atenção ao entrar na sala onde os pacientes fazem quimioterapia. "Veio se tratar ou fazer maquiagem?", brinca o irmão de Silvana Fátima da Silva Braga. Ela vem de Cruzeiro (interior de SP) para se tratar no HC e faz químio desde novembro.
 
A visagista mede toda a região dos olhos para tentar se aproximar de como era a sobrancelha da paciente. "Imagine alguém que não tem nenhum pelo. Por onde eu começo? Por isso as réguas são necessárias".
 
Ela conta que não adianta simplesmente usar as "fôrmas" de sobrancelha. "Cada rosto tem uma necessidade. Por exemplo, em quem tem as pálpebras caídas, eu faço um desenho mais arqueado".
 
Depois das "marcações", elas vão para uma salinha, onde a henna é aplicada. A "crosta" de henna assusta no começo, mas o excesso é retirado após 40 minutos e, no final, o aspecto fica natural.
 
"Eu já fiz em salão e ficou uma coisa esquisita, um pretão", afirma Maria Aparecida Duarte, 53, que estava na sua segunda aplicação. "O dela fica clarinho, bem natural", elogia.
 
Cuidado
É importante lembrar que a henna usada nas sobrancelhas não é a mesma usada para tingir os cabelos, nem para fazer tatuagens temporárias (comuns nas praias). "Essa henna de praia tem vários pigmentos tóxicos que a deixam bem preta", explica Clea. O produto para sobrancelhas é específico e liberado para uso aqui no Brasil. Nos EUA, por exemplo, esse produto não é liberado, porém, segundo Clea, a henna pura (de cor laranja) é usada para marcar os pacientes durante as sessões de radioterapia.
 
Fonte Folhaonline

Conheça os alimentos ruins para a osteoporose

O excesso de cafeína  favorece a eliminação do cálcio pela urina,
comprometendo o equilíbrio desse mineral no organismo
Excessos de sal, proteína, cafeína, alimentos gordurosos e ricos em ferro podem atrapalhar a absorção de cálcio do organismo
 
A prevenção de doenças dos ossos como a osteoporose não se faz apenas fazendo uma dieta rica em cálcio. Também é importante saber quais alimentos prejudicam a absorção do mineral pelo organismo ou que até mesmo retiram a substância dos ossos, fragilizando o esqueleto e facilitando o início da doença. 
 
A nutricionista Roseli Rossi, especialista em Nutrição Clínica Funcional da clínica Equilíbrio Nutricional , explica quais alimentos merecem atenção ao serem consumidos porque fazem o corpo perder cálcio.            
          
“Os excessos de sal, proteína, cafeína, alimentos gordurosos e ricos em ferro, assim como refrigerantes de cola, que contém fósforo, favorecem a descalcificação", alerta Roseli.            
           
Além disso, existem também aqueles alimentos que se não fazem o corpo perder o mineral, também não contribuem para sua fixação nos ossos. “Os alimentos ricos em ácido fítico, como feijão cru, sementes, castanhas, cereais, isolados de soja e alimentos ricos em ácido oxálico, como o espinafre, batata doce, feijão e chocolates diminuem a absorção de cálcio pelo organismo”. Nestes casos, o melhor é não ingerir produtos ricos em cálcio, como laticínios, na mesma refeição.
 
Entenda na galeria abaixo quais são os alimentos da lista negra da osteoporose:
 
- O excesso de cafeína (mais que 3 xícaras de chá por dia) favorece a eliminação do cálcio pela urina, comprometendo o equilíbrio desse mineral no organismo.
 
- Alimentos ricos em ferro: eles competem com o cálcio, porém é raro que alguém tenha uma dieta mais rica em ferro do que em cálcio.
 
- O excesso de ferro facilita a eliminação de cálcio urinário. Isso acontece porque eles competem pela mesma porta de absorção nas células.
 
- O excesso de gorduras saturadas, como a manteiga, se liga facilmente ao cálcio e formam complexos insolúveis, favorecendo a eliminação do mineral pelas fezes.
 
- Por conter fósforo, que controla o paratormônio, responsável por mobilizar o cálcio no osso e disponibilizá-lo na circulação, o refrigerante favorece a descalcificação.
 
- Os cereais diminuem a absorção de cálcio, por conter ácido fítico.
 
- As castanhas também são ricas em ácido fítico.
 
- Ácido oxálico: presente no espinafre, também diminui a absorção de cálcio pelo organismo.
 
- A batata doce também é rica em ácido oxálico. Assim como o feijão e o chocolate.
 
- O excesso de fibras solúveis, encontradas nas cascas das frutas, também prejudica a absorção de cálcio.
 
O excesso de sal também tem papel negativo quando a questão é osteoporose. Ele aumenta a excreção de cálcio urinário.
 
Fonte iG

Os 10 piores alimentos para as crianças

A gordura trans contida nos hambúrgueres aumenta o colesterol
 ruim (LDL) e diminui o colesterol bom (HDL) no sangue
Com pouco ou nenhum valor nutricional e componentes que prejudicam a saúde a curto e longo prazo, alguns produtos devem ser descartados do cardápio infantil
 
Assim que a criança entra na fase de alimentação sólida, a atenção dos pais deve se voltar à qualidade da comida que ela irá ingerir. Refeições nutritivas e saborosas são prioridade no prato dos filhos, e que não trouxer benefícios à saúde deverá ser descartado da dieta diária. “Em alimentação e nutrição deve-se pensar em saúde e bem-estar e sempre agir de maneira preventiva. A preocupação não deve surgir apenas depois de problemas instalados”, afirma Ana Carolina Terrazzan, nutricionista materno-infantil da Nutrissoma Clínica de Nutrição.
 
Mas, com a correria do dia a dia, alimentos considerados ruins aparecem no cardápio caseiro quando a pressa fala mais alto do que a qualidade de vida. A nutricionista Karoline Basquerote, especializada em educação alimentar para crianças, explica que “a facilidade do acesso a alimentos prontos para o consumo acaba levando a refeições mais gordurosas e açucaradas e ao consumo de refrigerantes e guloseimas, o que contribui para problemas relacionados à obesidade infantil, por exemplo”.
 
Confira, na galeria abaixo, os dez piores alimentos para as crianças:
 
Bolacha recheada: não agrega valor nutricional significativo à alimentação da criança, além de carregar gordura saturada e muito açúcar.
 
Cereal: com a concentração de açúcar elevada, quase todos os cereais de caixa mais engordam do que nutrem. Não são recomendados para a dieta diária da criança.
 
Empanado de frango: quase sempre é preparado com carne processada e não dá à criança as proteínas de que ela precisa e que bifes ou filés proporcionam. Outro problema dos empanados de frango é eles serem fritos: o consumo de óleo em excesso pode levar à obesidade e a problemas de pressão.
 
Hambúrguer congelado: duas porções da carne vendida congelada levam ao organismo da criança o máximo de gordura trans permitida por dia para um adulto. A gordura trans contida nos hambúrgueres aumenta o colesterol ruim (LDL) e diminui o colesterol bom (HDL) no sangue.
 
Macarrão instantâneo: juntando massa e tempero, cada embalagem contém alto teor de sódio e de conservantes e nenhuma vitamina. O macarrão de preparo instantâneo não contribui para as necessidades diárias de consumo de quaisquer nutrientes pelas crianças.
 
Maionese: é fonte quase exclusiva de gordura. Leva muitas calorias e baixíssimo valor nutricional ao corpo da criança.
 
Refrigerante: contém alta concentração de açúcar e sódio, que podem levar à obesidade e a problemas cardíacos. Os sabores à base de cola, em sua maioria, trazem também ácido fosfórico, que reduz a absorção de cálcio pelo organismo, o que pode enfraquecer os ossos. Versões diet, light e zero de refrigerantes são especialmente prejudiciais para as crianças devido à presença de adoçantes como aspartame e ciclamato de sódio .
 
Salsicha: não tem valor nutricional e quase sempre é feita com carne processada. Além disso, pode possuir nitrito, uma substância altamente cancerígena.
 
Salgadinho: fonte de calorias vazias e sem valor nutricional algum, deve ser proibido até os três anos de idade por causa do alto teor de sódio e gordura. A criança come salgadinhos e não se sente alimentada, engorda sem se nutrir, e acaba procurando outra refeição para saciar a fome.
 
Suco industrializado: em pó ou líquidos, tem mais açúcar e corantes do que suco das frutas que mostram nas embalagens. Ao contrário do que muitos pais pensam, os sucos industrializados não têm as vitaminas e os sais minerais de que as crianças precisam.
 
Os vilões
Sucesso entre a criançada, a dupla refrigerante e salgadinho (de saquinho) é a maior vilã da alimentação infantil. Juntos ou isoladamente, a bebida e o petisco têm valor nutricional praticamente nulo e trazem muitos males, entre eles o risco de doenças e de enfraquecimento dos ossos, por causa da alta concentração de elementos como o sódio e da presença de ácidos nas fórmulas.
 
Sucos industrializados (em pó ou líquidos) e bolachas recheadas, também muito queridos pelos pequenos, são igualmente ruins para a dieta infantil. O motivo: altíssima concentração de açúcar em cada porção dos alimentos.         
                          
Algumas “soluções rápidas” para almoço ou jantar figuram entre os piores alimentos para as crianças. São os nuggets, os hambúrgueres e as salsichas, que muitas vezes entram como substitutos de um bife ou filé. Quase sempre feitos com carne processada, eles não têm as proteínas que muitos pais creem fornecer aos filhos quando os colocam no prato. Para piorar, a maioria dos hambúrgueres é rica em gordura trans. O melhor é se manter fiel à carne tradicional.
 
Sempre pense em alternativas
Para manter a saúde e o ritmo das atividades cotidianas, é preciso saber que alimentos priorizar. O caso do macarrão instantâneo é um dos mais fáceis. Considerado maléfico por ter muito sódio, muitos conservantes e poucas vitaminas, ele pode dar lugar ao macarrão regular. “O tempo médio de preparo de um macarrão instantâneo é de três minutos, o de um não instantâneo é de oito minutos. São cinco minutos a mais para oferecer um prato saudável ao filho. Vale a pena! E no tempo de cozimento da massa é possível fazer um molho bem gostoso”, sugere Ana Carolina Terrazzan.
 
O suco em pó ou de caixinha deve ser substituído pelo suco natural da fruta. E se a criança apenas estiver com sede ao longo do dia, precisa beber água. Refrigerantes podem ficar reservados a apenas um dia do fim de semana; se der para evitá-los até neste dia, melhor.
 
O resultado desse esforço poderá ser visto em todos os aspectos da vida dos filhos. “Mantendo uma boa rotina alimentar, rica em nutrientes, a criança terá mais facilidade no aprendizado, um melhor desenvolvimento do corpo e do sistema imunológico. Os bons hábitos evitam problemas graves de saúde no presente e no futuro”, diz a nutricionista Mariana Fróes.

Fontes: Ana Carolina Terrazzan (nutricionista materno-infantil da Nutrissoma Clínica de Nutrição e mestre em saúde da criança e do adolescente pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS), Karoline Basquerote (nutricionista clínica especializada em educação alimentar para crianças) e Mariana Fróes (nutricionista da Clínica de Nutrição Funcional Patricia Davidson Haiat).                 

 
Por Delas