Aplicativos, carreira, concursos, downloads, enfermagem, farmácia hospitalar, farmácia pública, história, humor, legislação, logística, medicina, novos medicamentos, novas tecnologias na área da saúde e muito mais!


sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

Surto de peste negra na África preocupa OMS: 'Alarmante', diz diretora

HO /AFP: Pesquisadores trabalham para desvendar esqueletos
 de vítimas da Peste Negra
Doença transmitida por pulgas de rato contaminou 263 pessoas em Madagascar, matando 71 desde novembro
 
Rio e Genebra -Responsável por uma das mais devastadoras epidemias da História e temida por sua brutal mortalidade, a peste negra volta a preocupar autoridades internacionais. A doença, também conhecida como peste bubônica, infectou 263 pessoas na ilha de Madagascar, na África, levando a 71 mortes desde setembro passado, de acordo com dados divulgados pela Organização Mundial de Saúde (OMS) anteontem. O surto teve seu pico entre novembro e dezembro e, ainda que haja indícios de arrefecimento, deve continuar até abril.
 
Com uma letalidade que varia de 30% a 60% se não tratada, a doença matou 50 milhões de pessoas durante o século XIV. Embora considerada erradicada em diversas partes do mundo, há registros de epidemias em África, Ásia e América do Sul, nas últimas décadas, com destaque para o primeiro continente, desde os anos 1980. Em 2013, foram 783 casos e 126 mortes notificados em todo o mundo. Madagascar, um arquipélago com 20 milhões de habitantes, é um dos países mais atingidos.
 
Nos EUA, por exemplo, onde moram mais de 300 milhões, são, em média, dez casos por ano, todos em áreas rurais.
 
A doença é causada pela bactéria Yersinia pestis, transmitida aos seres humanos pelas pulgas de ratos pretos e outros roedores. Porém, 8% dos casos progridem para uma pneumonia letal, transmissível diretamente entre uma pessoa e outra.
 
Má higiene facilita disseminação
De acordo com especialistas, a doença poderia chegar a outros países por meio do trânsito de viajantes. Porém, barreiras locais são eficazes na contenção da doença. Além disso, a disseminação da doença costuma ocorrer em ambientes favoráveis a essa proliferação: locais com más condições de higiene, com ratos e pulgas, vetores da doença.
 
- Qualquer doença pode atingir outros países, especialmente nos dias atuais, pela frequência da movimentação de pessoas. Mas, no caso da peste, são necessárias condições propícias para o seu desenvolvimento, relacionadas principalmente à existência de doentes e a condições precárias de vida, onde haja presença de ratos e pulgas de forma não controlada - explica a coordenadora do Comitê Científico de Medicina de Viagem da Sociedade Brasileira de Infectologia, Sylvia Lemos Hinrichsen. - Adotar medidas de barreira em locais onde há a doença, o que inclui diagnóstico precoce, isolamento de doentes/suspeitos e tratamento rápido com antibióticos, fará, nos dias atuais, a diferença dos tempos medievais.
 
De acordo com a OMS, a praga está afetando a capital de Madagascar, Antananarivo, proliferando-se em favelas densamente povoadas.
 
O virologista Fernando Portela Câmara, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), explica que a doença tem um alto grau de imprevisibilidade:
 
- A doença tem uma dinâmica inesperada e complicada. O grau de letalidade depende da linhagem dos bacilos. No entanto, hoje há tratamento, caso a peste seja diagnosticada rapidamente.
 
Câmara acrescenta que, assim como o ebola, a doença normalmente emerge depois de um período de seca seguido de uma temporada de chuvas. O ambiente propício à transmissão é de temperatura abaixo dos 26°C.
 
Em carta ao comando da Organização das Nações Unidas (ONU) no final de janeiro, a diretora da OMS, Margareth Chan, destacou que o assunto merece atenção. Segundo a OMS, enchentes geradas por uma tempestade tropical no Oceano Índico e um ciclone atingiram Madagascar em janeiro, deixando sem casa dezenas de milhares de pessoas “e espalhando um sem-número de ratos, intensificando o risco de mais epidemias originadas em roedores”, escreveu a dirigente. O documento foi elaborado em meio a discussões sobre o orçamento da organização para 2016 e 2017. A praga foi citada por Margareth como exemplo de doença que pode ser um problema sério no futuro e para o qual a entidade internacional de saúde precisa estar preparada.
 
“Esse é o tipo de surto localizado que a OMS foi criada para conter. A praga é endêmica em Madagascar, onde epidemias sazonais são amplificadas pelas forças da pobreza e da urbanização desorganizada. Detectada precocemente, a doença responde bem a tratamento”, escreveu a diretora, explicando ainda que pesquisadores locais do Instituto Pasteur desenvolveram um teste que entrega o diagnóstico em 15 minutos. “Mas o surto que começou em novembro do ano passado tem dimensões perturbadoras. As pulgas que transmitem essa doença antiga de ratos para humanos desenvolveram resistência ao inseticida de primeira linha”.

O Globo

Benefícios da lavanda e seu óleo essencial

Benefícios da lavanda e seu óleo esencialA lavanda, também chamada de alfazema, é uma planta nativa da região mediterrânea e é a mais conhecida da Aromaterapia, sendo ampla e historicamente utilizada nas indústrias de perfumaria, medicamentos e alimentos
 
Devido à sua composição química, a lavanda possui diversas propriedades terapêuticas, dentre as quais podemos citar as seguintes: analgésica, antidepressiva, antirreumática, cicatrizante, antiespasmódica, anti-inflamatória, inseticida e tônica. Apresentando flores lilás e folhas cobertas com um revestimento prata, a lavanda pode ser cultivada dentro de casa.

O óleo essencial de lavanda
O óleo essencial de lavanda é um líquido extraído por meio da destilação das flores frescas da planta e, de todos os óleos essenciais, é o mais usado na medicina, na cosmética e na perfumaria. De aroma bastante agradável, este óleo possui variadas propriedades que ajudam na melhoria da saúde e na conquista do bem-estar corporal e mental.
 
Este óleo essencial é excelente para desinfeccionar feridas e também pode ser utilizado para massagens no alívio de dores no corpo. Nos tratamentos de beleza, o óleo essencial de lavanda também é bastante utilizado para cuidar de pele oleosa e acnes.
 
As propriedades e os benefícios da lavanda
Devido às suas propriedades terapêuticas, a lavanda pode ser usada para tratar várias condições de saúde: problemas de pele, como acne, pé-de-atleta, bolhas e caspa; dores musculares e reumatismo; asma e bronquite; cólicas abdominais e TPM, ansiedade, estresse, dentre outros problemas.
 
O benefício mais conhecido do óleo essencial de lavanda está relacionado com os seus efeitos anti-inflamatórios. Devido a essa propriedade, a planta é excelente no tratamento de queimaduras, inflamações, psoríase e feridas.
 
Além dos já citados, a lavanda também proporciona os seguintes benefícios:
 
- Trata problemas respiratórios, como gripe, bronquite, tosse, asma, laringite e congestão nasal;
 
- Excelente relaxante, esta planta ajuda a baixar a tensão arterial e na melhora da regulação da função cardíaca;
 
- As propriedades relaxantes da lavanda também auxiliam no tratamento de problemas do sistema nervoso, como dor de cabeça, insônia, depressão e fadiga nervosa;
 
- Devido às suas propriedades diuréticas, o óleo essencial de lavanda favorece a eliminação de líquidos e substâncias nocivas para o organismo;
 
- Alivia cãibras e ajuda a restabelecer desequilíbrios hormonais;
 
- O óleo essencial de lavanda também atua no aumento do movimento intestinal e no estímulo da digestão;
 
- Reduz a tensão muscular.
 
Como utilizar a lavanda?
Além do óleo essencial da planta, também são utilizados o vinagre de lavanda e as suas flores. O chá de lavanda é indicado para tratar ansiedade, dores de cabeça e reumatismo; já o seu vinagre é útil no tratamento de constipações e febres.
 

Tamanho do órgão masculino não é sinônimo de virilidade, afirma urologista

Cirurgia deve ser realizada em casos de extrema necessidade,
para não atrapalhar bom desempenho do homem
Especialista ressalta que grande parte dos pacientes busca cirurgia sem real necessidade
 
O mito do tamanho ideal do pênis povoa o imaginário de muitos homens. No entanto, na maioria das vezes, a inquietação com o tamanho é uma forma idealizada e simbólica de o indivíduo demonstrar uma preocupação mais ampla com a sua virilidade.
 
Para o urologista Raphael Moreira, o tamanho ideal varia de homem para homem e não há um tamanho correto.
 
— Podemos dizer que, muitas vezes, o assunto é superestimado, já que o tamanho do pênis é uma característica pessoal que varia de acordo com uma série de indicativos, assim como acontece com a orelha, o nariz e as mãos, por exemplo.
 
De acordo com o especialista, a grande maioria dos homens que procura um urologista em busca de uma cirurgia para a correção do tamanho peniano o faz sem que exista uma real necessidade.
 
— Como podem gerar consequências funcionais para o pênis, as cirurgias realizadas somente para fins estéticos são condenadas pela Sociedade Brasileira de Urologia.
 
O urologista ressalta a importância de o homem passar por uma avaliação criteriosa antes da realização de qualquer procedimento, para analisar se a necessidade de intervenção realmente existe. A operação é indicada apenas nos raros casos de micropênis (quando não atinge 2,5cm flácido ou 7,5cm ereto). O aumento varia de 2cm a 4cm. 
 
De acordo com a Sociedade Brasileira de Urologia, o procedimento pode acabar prejudicando a vida sexual do paciente, já que pode provocar a instabilidade do pênis em ereção; limitar a capacidade de penetração; causar deformações, perda de sensibilidade e nódulos; além de comprometer a uretra e, consequentemente, impactar o jato urinário.
 
O especialista ressalta que, mais que com o tamanho, a preocupação deve ser com a capacidade de uso e, como consequência, com a possibilidade de penetração e relacionamento sexual satisfatório para o casal.
 
— Assim como a mulher, o homem deve aceitar seu corpo da forma como ele é e procurar possibilidades de satisfação, tendo em mente que mais importante que o tamanho do pênis em si é a capacidade de envolvimento afetivo-sexual.
 
R7

Novo consenso sobre ejaculação precoce aponta aspectos psicológicos como causa do problema

Médicos dividiram o problema em primário e secundário, de acordo com a fase da vida em que ele surge

Por Dr. Dr. Ailton Fernandes Urologista - CRM 728179/RJ
 
A ejaculação precoce se caracteriza pela ejaculação extremamente rápida podendo ocorrer mesmo antes da penetração vaginal, ou em 1 a 2 minutos após a penetração. É uma das disfunções sexuais masculinas mais comuns, que afetam cerca de 20 a 30% dos homens de todas as idades.

Em dezembro de 2014 a Sociedade Internacional de Medicina Sexual liberou um consenso sobre esse problema, que é classificado atualmente em dois tipos: ejaculação precoce primária e secundária. A ejaculação precoce primária já se manifesta com a primeira experiência sexual e permanece assim durante a vida. Pela sua característica, esse tipo acomete homens jovens que estão na iniciação sexual.

Por outro lado, a ejaculação precoce secundária ou adquirida se caracteriza por um aparecimento gradual ou súbito cujo início ocorre após experiências sexuais, em homens com tempo de ejaculação normal, mas que por algum motivo se tornaram mais ansiosos. Diferentemente da primária, o tempo para a ejaculação costuma ser maior na forma secundária. De maneira que a diferença básica entre as duas formas está na época do surgimento do problema (antes ou após o início da atividade sexual) e no tempo para se atingir a ejaculação.
 
Embora a ejaculação precoce não seja um distúrbio puramente psicológico, a maioria dos estudos demonstra que fatores psicogênicos desempenham um papel significativo na sua gênese. Uma explicação é que os homens, culturalmente, são condicionados para atingir o clímax rapidamente, pelo medo de serem descobertos quando do início da atividade sexual, seja através de relação sexual propriamente dita ou através de masturbação. Este padrão de obtenção rápida de liberação sexual é difícil de mudar em relacionamentos conjugais de longo prazo. 
 
A terapia psicológica pode ser utilizada como único tratamento ou em conjunto com as demais. O foco da terapia psicológica é identificar dificuldades psicológicas que podem contribuir para a ejaculação precoce e também resolver problemas em relacionamentos que podem ter contribuído para a causa. Esta terapia pode ser realizada individualmente ou com o casal no sentido de discutir sobre problemas com a intimidade. Ao mesmo tempo, a terapia psicológica também pode ajudar o homem controlar a ansiedade a propósito do desempenho sexual e assim aumentar a confiança sexual. 
 
A causa exata da ejaculação precoce ainda não é conhecida. Embora nenhuma teoria sobre as causas orgânicas tenha sido comprovada, estudos sugerem que a serotonina, substância natural produzida por nervos, é importante. Um desarranjo das ações de serotonina no cérebro pode ser uma causa. Estudos sugerem que quantidades elevadas de serotonina no cérebro retardam o tempo de ejaculação enquanto que quantidades baixas de serotonina podem produzir ejaculação precoce. 
 
Outros fatores de risco para a puberdade precoce são uma predisposição genética, obesidade, inflamação da próstata, alterações de hormônio da tireoide, estresse e experiências sexuais traumáticas.

Minha Vida

Anvisa cria comissão para monitorar resistência microbiana

Os membros do grupo deverão ser apresentados em 15 dias

A resistência microbiana trata da capacidade de microrganismos, inclusive bactérias, de resistir aos efeitos de antibióticos. O problema é provocado, na maior parte das vezes, pelo uso indevido desse tipo de medicamento.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) publicada na última quarta-feira (11/05) no Diário Oficial da União, institui uma comissão para estabelecer ações de vigilância sanitária relativas à resistência microbiana.
 
A chamada Comissão de Vigilância Sanitária em Resistência Microbiana, de acordo com o texto, deverá assessorar a diretoria colegiada da Anvisa na elaboração de normas e ações voltadas para o monitoramento, o controle e a prevenção da resistência microbiana.
 
Os membros da comissão deverão ser apresentados em 15 dias. A previsão é que o grupo se reúna a cada dois meses e o trabalho será considerado ação relevante para o serviço público.
 
Agência Brasil

Inmetro aprova oito marcas de gelo usado em bebidas

Em época de pré-carnaval, com aumento no consumo de bebidas, o Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) resolveu testar a qualidade de oito marcas de gelo vendidas nos estados do Amazonas, Bahia, Pernambuco e Rio de Janeiro, locais que concentram grande número de foliões
 
De acordo com o órgão, as marcas D’ Gelomar, Frigelo, Gelo Água Dura, Gelão, Gelip, Gelo Rio, Geloso e Gelótimo foram avaliadas quanto à presença de coliformes fecais, bactérias (Enterococos, Pseudomonas aeruginosa e Clostrídios perfringens) e contaminações microbiológicas que podem surgir no processo produtivo.
 
O ensaio microbiológico, feito pelo Laboratório de Análises Minerais da Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais (CPRM), no Rio de Janeiro, mostrou que as oito amostras das marcas analisadas não apresentaram contaminação por coliformes fecais.
 
Mas na avaliação de rotulagem, por técnicos do Inmetro, as marcas D’Gelomar, Frigelo, Gelo Água Dura, Gelip e Gelo Rio foram reprovadas, por não atenderem aos requisitos estabelecidos pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Entre os critérios estavam a denominação de venda, incluindo o nome ou nome e marca do alimento; conteúdo líquido com a quantidade contida na embalagem; identificação da origem com a razão social do fabricante ou produtor, fracionador ou proprietário da marca, endereço completo, país de origem e município; bem como identificação do lote e prazo de validade.
 
O Inmetro encaminhou cópia dos relatórios aos fabricantes das marcas analisadas para que se manifestem sobre os resultados. Eles indicam que as empresas estão em conformidade quanto à inexistência de coliformes fecais nas amostras de gelos disponíveis no mercado nacional e, no mesmo conceito, sobre o atendimento aos padrões microbiológicos, estabelecidos na legislação específica.
 
De acordo com o Instituto, a legislação prevê que o gelo deve atender aos padrões de qualidade da água para consumo humano e tem como parâmetro apenas a ausência da Escherichia coli ou coliformes termotolerantes, deixando de lado outras referências na avaliação da qualidade microbiológica do gelo.
 
Agência Brasil

Spray de espuma e maquiagem excessiva no carnaval podem causar lesões nos olhos

Produtos comuns no carnaval, o spray de espuma e a maquiagem podem ser um problema para a saúde dos olhos. Conselheiro da Sociedade Brasileira de Oftalmologia, Marcus Sáfady alerta que as lesões causadas por spray de espuma podem comprometer a visão
 
“Quando a espuma cai nos olhos, pode causar vermelhidão, sensação de areia nos olhos, dor e todo tipo de reação alérgica”, explica o médico. Caso isso aconteça, o primeiro passo, segundo ele, é lavar a área afetada com água corrente e, se não melhorar, procurar um médico. Sáfady desaconselha a automedicação, pois existe o risco de complicar ainda mais a situação.
 
A carioca Larissa Ribeiro, 28 anos, precisou de atendimento de emergência depois de ser atingida por spray em um bloco de rua, na capital fluminense. “Uso lentes de contanto, então foi pior ainda.
 
Minha vista ficou totalmente irritada e não conseguia enxergar direito. Detesto esses sprays, deviam ser proibidos”, comentou.
 
O Projeto de Lei 4.476/12, que propunha a proibição da venda do produto, foi arquivado no dia 31 de janeiro deste ano, pois o Artigo 105 do Regimento Interno da Câmara dos Deputados determina que ao fim de cada legislatura sejam arquivadas as propostas que estavam em tramitação.
 
A maquiagem excessiva é outro problema comum no carnaval, de acordo com o médico. “É preciso cuidado ao usar sombras com purpurina ou glitter, pois caso caia na vista, o material pode arranhar a córnea ou se alojar na pálpebra, causando irritação”, explica.
 
O oftalmologista adverte que o lápis de pintura também pode ser um vilão para os olhos. “Na parte interior das pálpebras, onde é utilizado, ficam as glândulas de meibômio, responsáveis pela secreção de material gorduroso que ajuda na composição da lágrima. A obstrução dessas glândulas aumenta o risco de inflamação e infecção local, podendo causar terçol”, explica Marcus Sáfady, lembrando que a remoção da maquiagem antes de dormir é fundamental para retirar quaisquer resíduos prejudiciais à visão.
 
Agência Brasil

Como escolher os horários para tomar os medicamentos

Como Escolher Horários para Tomar os RemédiosAlgumas pessoas se perdem quando o assunto é Tomar o Medicamento na Hora Certa
 
O Farmacêutico tem especial importância quando orienta o paciente como tomar e quando tomar  os medicamentos prescritos pelos médicos. Ajuda o paciente a melhorar de sua enfermidade quando consegue sucesso na adesão ao tratamento.
 
Para que o paciente tome seus medicamentos de forma correta montamos umas tabelas com algumas sugestões de horários para tomar os medicamentos. Nestas sugestões priorizamos o período do dia que, na maioria das vezes, a pessoa estará acordada facilitando a administração do medicamento.
 
Os horários para tomar o medicamento dependem da forma de absorção e metabolização do principio ativo de cada medicamento. Baseia-se no tempo que o medicamento permanece circulando no sangue, ou no melhor momento do dia para sua ação, que se determina a frequência que deve ser tomado.
 
Evite ter que acordar de madrugada para tomar medicamentos. Uma boa noite de sono é muito importante!

Como escolher os horários para tomar os medicamentos

Medicamentos de 12 em 12 horas

3 Sugestões:

Sol - Dia
Lua - Noite
7:00 h
e
19:00 h
8:00 h
e
20:00 h
9:00 h
e
21:00 h

 

Medicamentos de 8 em 8 horas

 

2 Sugestões:

Sol - Manhã
Sol - Dia
Lua - Noite
6:00h
,
14:00h
e
22:00h
7:00h
,
15:00h
e

23:00h
 

Você terá que acordar para tomar o seu medicamento inevitavelmente » Use o seu despertador.

 

Medicamentos de 4 em 4 horas

 

Sugestão:

Sol - Manhã
Sol - Dia
Sol - Dia
Sol - Tarde
Lua - Noite
Lua - Noite
6:00h
,
10:00h
,
14:00h
,
18:00h
,
22:00h
e
2:00h

 

Medicamentos de 06 em 06 horas

 

Sugestão:

Sol - Manhã
Sol - Dia           
 Sol - Tarde
          
Lua - Noite
                 
6:00h
12:00h  
,
18:00h
 e
  24:00h  

 
* Você terá que acordar para tomar o seu medicamento inevitavelmente.

Siga essas orientações importantes:
 
- Alguns remédios devem ser tomados em jejum para que sejam melhor absorvidos e façam efeito.
 
- Se o remédio causa sono, deve ser tomado ao deitar, e se não houver essa possibilidade, evite fazer atividades que exijam atenção especial como dirigir, manejar máquinas, fazer provas ou atividades com muita concentração.
 
- Se durante o tratamento você apresentar alguns sinais ou sintomas como náuseas e/ou vômitos, gosto ruim na boca, diarreia, excesso ou perda de sono, alterações de humor, alterações visuais ou alterações na pele como vermelhidão, placas, bolhas ou coceira podem ser sinais de alergia. Avise imediatamente seu médico para que ele avalie e decida se deve ou não suspender o tratamento ou mudar a medicação.
 
- Avise SEMPRE o seu médico sobre todos os medicamentos que você esteja tomando antes de ele prescrever outro. Os medicamentos podem interagir um com outro e isso pode trazer sérios danos à sua saúde.
 
- Mantenha seus remédios SEMPRE longe das crianças e animais.
 
- Procure tomar as cápsulas e comprimidos com água. Cerca de 200 ml de água (um copo), é uma boa quantidade, pois nesse volume, a água evita que o medicamento fique entalado ao ser deglutido. Além disso, essa quantidade faz com que o estômago se esvazie mais rápido e o princípio ativo do medicamento chegue mais precocemente ao intestino, onde a maioria é realmente absorvida.
 
- O uso do leite ou suco de frutas não é recomendável, pois contém proteínas em sua composição. Essas proteínas podem se combinar com as moléculas do remédio e dificultar sua absorção; podem competir com o princípio ativo na absorção e acabar por dificultar e/ou atrasar a absorção. O leite ainda pode alcalinizar o estômago (diminuir sua acidez) e impedir a absorção de princípios ativos que dependem dessa acidez.
 
- Nunca misture medicamentos com o Álcool
 
- Lembre-se, o uso de medicamentos é parte de um tratamento, que deve ser iniciado após o diagnóstico ser feito. O diagnóstico depende de uma anamnese completa e exame físico adequado. Por isso, somente médicos e dentistas em casos específicos têm condições de prescrever corretamente uma medicação. Parentes, amigos e vizinhos, se não forem médicos, não estão habilitados a orientar o uso de remédios.

Farmacêutico Digital

Manuais para ensaios clínicos de medicamentos e produtos já estão disponíveis.

Já estão à disposição dos profissionais e empresas os manuais específicos para a submissão de ensaios clínicos à Anvisa
 
São duas publicações: o Manual para Submissão de Dossiê de Desenvolvimento Clínico de Medicamento (DDCM) e Dossiê Específico de Ensaio Clínico; e o Manual para Submissão de Dossiê de Investigação Clínica de Dispositivos Médicos (DICD)e Dossiê Específico de Ensaio Clínico.
 
Os documentos têm o objetivo de esclarecer os procedimentos para a submissão de um DDCM/DICD e dos Dossiês Específicos de Ensaio Clínico bem como dar orientações em relação a alguns documentos necessários para apresentação do DDCM/DICD.
 
A iniciativa antecede a publicação das novas regras aprovadas pela Anvisa na última semana para os ensaios clínicos. Isso vai permitir mais agilidade ao processo de submissão de DDCM`s/DICD`suma vez que o setor regulado já saberá como submeter documentos, inclusive os assuntos a serem submetidos, quando a nova norma for publicada. Os demais guias e manuais serão disponibilizados juntamente com a publicação da norma.
 
Acesse:
 
 
 
ANVISA

Anvisa abre seleção para gerente-geral de Tecnologia de Produtos para a Saúde

A Anvisa anunciou nesta quarta-feira (11/02) a abertura do processo seletivo para preenchimento do cargo de gerente-geral de Tecnologia de Produtos para a Saúde. As inscrições vão até o próximo dia 17 de fevereiro
 
O processo seletivo será composto por duas fases. Na primeira etapa será feita a análise curricular dos candidatos inscritos. Na segunda fase, os candidatos selecionados farão a apresentação de plano de trabalho e se submeterão a uma entrevista.
 
Os candidatos deverão preencher formulário eletrônico disponível no endereço http://formsus.datasus.gov.br/site/formulario.php?id_aplicacao=19289 para se inscrever no processo seletivo e anexar o currículo no formulário.
 
O edital deste processo seletivo também está sendo disponibilizado no Portal do Servidor, que pode ser acessado por meio do endereço www.servidor.gov.br.
 
ANVISA

Cães conseguem diferenciar tristeza de alegria em humanos, diz pesquisa

Cães conseguem diferenciar tristeza de alegria em humanos, diz pesquisa Jessé Giotti/Agencia RBS
Foto: Jessé Giotti / Agencia RBS
O estudo também indicou que os animais preferem as pessoas mais alegres
 
Depois de descobrir por que algumas pessoas tratam seus pets como filhos, cientistas foram ainda mais além para entender essa relação tão próxima entre os humanos e seus animais de estimação.
 
Agora, uma pesquisa da Universidade de Medicina Veterinária de Viena mostrou que os cães conseguem distinguir quando uma pessoa está feliz ou triste (e que eles preferem as alegres).
 
No estudo, 20 cachorros foram treinados para diferenciar rostos felizes e tristes em telas de computadores. Eles eram recompensados a cada escolha feita de acordo com o pedido do instrutor.
 
Os animais treinados para escolher os rostos felizes conseguiram aprender a tarefa mais rapidamente do que aqueles que tiveram de escolher os rostos tristes ou raivosos.
 
— Parece que os cães não gostam de se aproximar de pessoas raivosas — disse um dos condutores do estudo, Ludwig Huber.
 
Para evitar que os animais estivessem fazendo suas decisões com base em diferenças notáveis — como dentes ou linhas de expressão —, os pesquisadores cortaram as imagens, de modo que os cães vissem apenas a região dos olhos ou apenas o região boca das pessoas.
 
Mesmo vendo apenas metade da foto, os cães ainda conseguiam diferenciar as pessoas felizes das tristes.
 
Zero Hora

10 sinais de câncer frequentemente ignorados

Pacientes não procuram médicos temendo serem taxados de hipocondríacos, dizem especialistas
BBC: Pacientes não procuram médicos temendo serem
taxados de hipocondríacos, dizem especialistas
Pesquisa britânica indica que muitos dos que sentem sintomas tendem a achar que estes são 'triviais' e não querem 'desperdiçar' tempo dos médicos
 
Uma pesquisa da organização Cancer Research UK listou dez sintomas de câncer que muitas vezes são ignorados pelos cidadãos britânicos. A ONG diz que isso pode atrasar possíveis diagnósticos da doença. 
 
Veja abaixo os sintomas e a que tipo de câncer eles podem estar relacionados:

1.Tosse e rouquidão (câncer de pulmão)

2. Aparição de caroços pelo corpo (dependendo da região do corpo, pode indicar câncer)

3. Mudança na rotina intestinal (câncer no intestino)

4. Alteração no hábito de urinar (câncer na bexiga)

5. Perda de peso inexplicável (pode estar ligada a diversas variações da doença)

6. Dor inexplicável (pode indicar vários tipos de câncer)

7. Sangramento inexplicável (pode estar ligado a cânceres no intestino, na medula ou na vulva)

8. Ferida que não cicatriza (por estar ligada a diversas variações da doença)

9. Dificuldade de engolir (câncer no esôfago)

10. Mudança na aparência de uma verruga (câncer de pele)

Os pesquisadores da entidade entrevistaram 1.700 pessoas com mais de 50 anos de idade. Mais da metade (52%) afirmou ter sentido ao menos um dos sintomas nos três meses anteriores à pesquisa.
 
Em um estudo qualitativo mais aprofundado, a Cancer Research UK se concentrou no caso de 50 das pessoas que tiveram os sintomas. Foi constatado que 45% delas não procuraram ajuda médica após senti-los. Uma das pacientes relatou não ter ido fazer exames após sentir dores abdominais.
 
"Algumas vezes eu pensei que era grave... mas depois, quando a dor melhorou, você sabe, pareceu não valer a pena investigar", disse ela.
 
Um homem, que percebeu mudanças na rotina na hora de urinar, disse aos pesquisadores: "Você só tem que seguir em frente. Ir muito ao médico pode ser visto como um sinal de fraqueza e podem pensar que você não é forte o suficiente para lidar com seus problemas".
 
A pesquisadora Katrina Whitaker, ligada à University College London, afirmou: "Muitas das pessoas que entrevistamos tinham os sintomas que dão o alerta vermelho, mas elas pensavam que os sintomas eram triviais e por isso não precisavam de assistência médica, especialmente se não sentiam dor ou se ela era intermitente."
 
Segundo ela, outros disseram que não queriam criar caso ou desperdiçar recursos do sistema de saúde público. O autocontrole e o estoicismo dos britânicos contribuem para esse tipo de atitude, e a persistência dos sintomas fazem com que as pessoas passem a considerá-los normais, de acordo com a pesquisadora.
 
Ela disse ainda que muitos pacientes só procuraram médicos depois que tiveram contato com campanhas de conscientização ou receberam conselhos de amigos ou de familiares.
 
Segundo o médico Richard Roope, na dúvida, é sempre melhor procurar um médico. Ele disse que muitos desses sintomas não são causados pelo câncer - mas se forem, o rápido diagnóstico aumenta as chances do paciente no tratamento da doença.
 
Ele afirmou que atualmente cerca da metade dos pacientes diagnosticados conseguiriam sobreviver por mais de dez anos.
 
Alarme falso
Uma outra pesquisa, também financiada pela Cancer Research UK, constatou que um "alarme falso" pode desestimular os britânicos a continuarem investigando possíveis sintomas da doença. Para essa pesquisa, a University College London analisou 19 estudos científicos pré-existentes.
 
A pesquisa constatou que cerca de 80% das pessoas que são submetidas a exames para checar a existência do câncer após a manifestação de sintomas descobrem que não sofrem da doença.
 
Esse grupo tenderia a ficar desestimulado a voltar a investigar eventuais novos sintomas. Entre as principais razões para isso, segundo a organização, estariam a falta de orientação recebida dos médicos durante os exames anteriores e o temor de ser visto como "hipocondríaco".
 
"Pacientes que vão a seus médicos com os sintomas obviamente ficam aliviados ao saber que não têm câncer. Mas como nosso levantamento mostra, é importante que eles não sintam uma falsa sensação de segurança e entendam que ainda devem procurar ajuda se perceberem sintomas novos ou recorrentes", afirmou Cristina Renzi, uma das pesquisadoras envolvidas no estudo.
 
BBC Brasil / iG

Falta de escrever à mão 'pode prejudicar desenvolvimento cerebral das crianças'

Pesquisa sugere que escrever à mão é mais benéfico para crianças
Getty Imaes: Pesquisa sugere que escrever à mão é mais
 benéfico para crianças
Pesquisa americana sugere que o uso excessivo de teclados e telas sensíveis ao toque ao invés de escrever à mão, com lápis e papel, pode prejudicar o desenvolvimento de crianças
 
A neurocientista cognitiva Karin James, da Universidade de Bloomington, nos Estados Unidos, estudou a importância da escrita à mão para o desenvolvimento do cérebro da criança.
Para chegar à conclusão de que teclados e telas podem prejudicar este desenvolvimento, a pesquisadora estudou crianças que ainda não sabiam ler - que poderiam ser capazes de identificar letras mas não sabiam como juntá-las para formar palavras.
 
No estudo, as crianças foram separadas em grupo diferentes: um grupo foi treinado para copiar letras diferentes enquanto outras trabalharam com as letras usando um teclado.
 
A pesquisa testou a capacidade destas crianças de aprender as letras; mas os cientistas também usaram exames de ressonância magnética para analisar quais áreas do cérebro eram ativadas e, assim, tentar entender como o cérebro muda enquanto as crianças se familiarizavam com as letras do alfabeto.
 
O cérebro das crianças foi analisado antes e depois do treinamento e os cientistas compararam os dois grupos diferentes, medindo o consumo de oxigênio no cérebro para mensurar sua atividade.
 
Respostas diferentes
Os pesquisadores descobriram que o cérebro responde de forma diferente quando aprende através da cópia de letras à mão de quando aprende as letras digitando-as em um teclado.
 
As crianças que trabalharam copiando as letras à mão mostraram padrões de ativação do cérebro parecidos com os de pessoas alfabetizadas, que podem ler e escrever.
 
Este não foi o caso com as crianças que usaram o teclado.
 
O cérebro parece ficar "ligado" e responde de forma diferente às letras quando as crianças aprendem a escreve-las à mão, estabelecendo uma ligação entre o processo de aprender a escrever à mão e o de aprender a ler.
 
"Os dados do exame do cérebro sugerem que escrever prepara um sistema que facilita a leitura quando as crianças começam a passar por este processo", disse James.
 
Além disso, desenvolver as habilidades motoras mais sofisticadas necessárias para escrever à mão pode ser benéfico em muitas outras áreas do desenvolvimento cognitivo, acrescentou a pesquisadora.
 
Computadores em escolas
As descobertas da pesquisa podem ser importantes para formular políticas educacionais.
 
"Em partes do mundo há uma certa pressa em introduzir computadores nas escolas cada vez mais cedo, isto (esta pesquisa) pode atenuar (esta tendência)", disse Karin James.
 
Muitas escolas americanas até já transformaram escrever à mão em uma alternativa opcional para professores. Muitos educadores não ensinam mais caligrafia.
 
Uma solução poderia seria usar algum programa em um tablet que simulasse o ato de escrever à mão.

Mas, pelo que a pesquisa da cientista sugere, nada parece substituir o aprendizado com a escrita à mão.
 
BBC Brasil / iG

App do dia: Turismo Acessível fornece informações de viagem para deficientes

Lançado pelo Ministério do Turismo, app tem mais de 530 mil estabelecimentos cadastrados
 
O Ministério do Turismo lançou recentemente um aplicativo que pode ajudar pessoas com deficiência física a ter uma viagem de férias mais agradável.

O aplicativo Turismo Acessível é um app de turismo voltado para pessoas com deficiência física.
 
O aplicativo traz, por exemplo, informações sobre a existência de rampas para cadeirantes, menus em braile, banheiros adaptados e piso tátil para deficientes visuais em hotéis e atrações turísticas como parques, museus e praias. A ferramenta traz um banco de dados de 530 mil estabelecimentos, que podem ser avaliados pelos usuários. 
 
O aplicativo é uma extensão do site Guia de Turismo Acessível, lançado em junho do ano passado.
 
As funções do aplicativo são exatamente as mesmas do portal: o usuário se cadastra e pode consultar os estabelecimentos de interesse e avaliar aqueles que já visitou.
 
O app é grátis para Android e iPhone.

ANS suspende a venda de 70 planos de saúde

Contratos são oferecidos por 11 operadoras e a suspensão vale a partir da próxima quinta-feira (19); confira a lista
 
A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) anunciou nesta quinta-feira (12) a suspensão de 70 planos de saúde, oferecidos por 11 operadoras. Os contratos não poderão mais ser vendidos a partir do dia 19 (próxima quinta-feira).
 
A decisão foi tomada, segundo a ANS, porque as empresas descumpriram os prazos máximos de atendimento. Além disso, elas apresentam reclamações sobre o atendimento ao usuário, como negativas indevidas de cobertura.
 
Ainda de acordo com a ANS, das 11 operadoras com planos suspensos nesta quinta-feira, 8 já tinham planos em suspensão no ciclo anterior. A medida da agência, que faz parte do 12º ciclo do programa de Monitoramento da Garantia de Atendimento, é preventiva e terá validade até a divulgação do 13º ciclo. 
 
No 12º ciclo , a ANS recebeu 13.921 reclamações entre 19 de setembro e 18 de dezembro de 2014. Nesse período, 88,25% dos conflitos foram resolvidos com a mediação da ANS, por meio da Notificação de Intermediação Preliminar (NIP). 
 
Além da suspensão da venda dos contratos, as operadoras que negaram indevidamente cobertura podem receber multas com valores entre R$ 80 mil e R$ 100 mil.

A ANS também divulgou a reativação de 43 planos de saúde que estavam suspensos desde o ciclo anterior

Do primeiro ciclo até hoje, segundo a ANS, 1.043 planos de 143 operadoras foram suspensos. Desse total, 890 voltaram voltaram a ser oferecidos pelas empresas após comprovar melhorias no atendimento.
 
 
– ALLIANZ SAÚDE S/A
 
– ASSOCIAÇÃO AUXILIADORA DAS CLASSES LABORIOSAS
 
– CAIXA SEGURADORA ESPECIALIZADA EM SAÚDE S/A
 
– COOPUS - COOPERATIVA DE USUÁRIOS DO SISTEMA DE SAÚDE DE CAMPINAS 
 
– ECOLE SERVIÇOS MÉDICOS LTDA
 
– MINAS CENTER MED LTDA
 
– PLAMED PLANO DE ASSISTENCIA MEDICA LTDA
 
– SALUTAR SAÚDE SEGURADORA S/A
 
– UNIMED PAULISTANA SOCIEDADE COOPERATIVA DE TRABALHO MÉDICO
 
– UNIMED-RIO COOPERATIVA DE TRABALHO MEDICO DO RIO DE JANEIRO
 
– VIVA PLANOS DE SAÚDE LTDA
 
iG