Aplicativos, carreira, concursos, downloads, enfermagem, farmácia hospitalar, farmácia pública, história, humor, legislação, logística, medicina, novos medicamentos, novas tecnologias na área da saúde e muito mais!


quinta-feira, 2 de agosto de 2012

Veja dicas para manter o sistema digestivo em ordem

Realização de exames preventivos é essencial para evitar tumores

Entre os tipos de câncer do sistema digestivo no Brasil, cerca de 30,1 mil neste ano serão de intestino (colo e reto), segundo dados do Instituto Nacional de Câncer (Inca). As mulheres são as mais atingidas pela doença, com 15.960 novos casos, contra 14.180 do sexo masculino, mas a prevenção é necessária para ambos os gêneros, sobretudo a partir dos 50 anos.

A enfermidade pode, atualmente, ser identificada com bastante segurança e antecedência. De acordo com o presidente da Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva (Sobed), Sérgio Bizinelli, já é possível detectar a doença de maneira precoce por meio da endoscopia baixa ou colonoscopia, um exame rápido e indolor e que gera grande possibilidade de cura.

— Se existissem programas no SUS para o incentivo do exame, menos pessoas morreriam por causa dessa enfermidade — afirma.

Os sintomas podem ter intensidade distinta. Variam de mudança do ritmo intestinal, com prisão de ventre ou diarreia sem causa aparente, ou anemias sem motivo. A pessoa que evacua uma vez ao dia e repentinamente passa dias sem evacuar ou que vai ao vaso muitas vezes no mesmo dia sem que tenha alterado a alimentação deve suspeitar de algum problema. Essa alteração no ritmo intestinal é um alerta para que se procure logo um médico.

Variações não visíveis
As variações no funcionamento normal do organismo também mudam de acordo com a localização do tumor. Se ao lado direito do abdômen, o mais comum é um quadro de fraqueza, anemia e diarreia. Quando do lado esquerdo, há maior probabilidade de prisão de ventre.

Já o câncer no reto tem como principais indicativos o sangramento e a vontade recorrente de ir ao vaso. Nesse caso, é comum o paciente confundir o problema com hemorroida, o que mascara a doença.

Mas há diferenças: em casos de hemorroidas, o sangue vivo não se encontra misturado às fezes, característica presente no sangue ocasionada pelo câncer. Como é complicado para o paciente distinguir entre um e outro, a indicação é procurar um médico em caso de sangramento.

Para Bizinelli, o Brasil deveria investir em campanhas de prevenção dos cânceres do aparelho digestivo, assim como ocorre com a mama e a próstata.

— Com a colonoscopia, conseguimos ver todo o intestino grosso. Podemos até retirar um pólipo, que é a formação de verruga na parede do intestino ou reto e que pode evoluir para um tumor, que é encaminhada para a biópsia — detalha o especialista.

Nem todos os casos de pólipos evoluem para um tumor, mas 95% dos casos de neoplasias do cólon provêm da formação de pólipos, como explica Bizinelli.

Se um pólipo é retirado, o repouso é de apenas 24 horas. No Brasil, o câncer no intestino é o quarto mais frequente nos homens, atrás apenas do câncer de estômago, de pulmão e de próstata. O desenvolvimento do câncer colorretal leva de 10 a 15 anos, segundo estimativas. Por isso, a maior incidência ocorre a partir dos 60 anos. Quanto mais casos na família, maior o risco de desenvolver a doença.

A eficiência da endoscopia
O endoscopista digestivo e diretor da Sobed de Minas Gerais, Jairo Silva Alves, lembra que os cânceres de esôfago, de estômago e de duodeno também podem ser diagnosticados por uma endoscopia alta. O tumor no esôfago é o mais recorrente entre os três órgãos e, geralmente, muito perigoso, pois se desenvolve silenciosamente.

— Existem alguns métodos para o diagnóstico, mas o mais seguro e eficiente é a endoscopia. Até porque permite intervenção imediata. O aparelho endoscópico permite inserirmos uma pinça para retirar o pólipo ou aplicar um medicamento — garante.

Dieta saudável
A alimentação está intimamente ligada ao surgimento tanto do câncer de intestino quanto do de esôfago. Gordura animal, refeições pobres em fibra e ricas em corantes favorecem a incidência. Os corantes liberam nitrosaminas no intestino, substâncias reconhecidamente cancerígenas, presentes numa série de produtos industrializados.

Na dieta rica em gordura, destacam-se as carnes gordas, a manteiga e os queijos amarelos. A gordura da carne vermelha, os alimentos salgados e os defumados também têm substâncias carcinogênicas e devem ser evitados.

Invista em frutas, verduras e em uma dieta rica em fibras.

Fonte Zero Hora

Fusão de planos de saúde na mira do Cade

Dados da ANS mostram que, desde 2003, o número de companhias em atividade caiu 29,3%, de 2.273 para as atuais 1.607. Esse processo de concentração acendeu o alerta do órgão antitruste

Mesmo com o recente cerco da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) às operadoras de planos de saúde, o setor continua preocupando. Dados da autarquia mostram que, desde 2003, o número de companhias em atividade caiu 29,3%, de 2.273 para as atuais 1.607. Esse processo de concentração acendeu o alerta do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), que dará prioridade ao tema nas sessões de julgamento deste ano. O órgão antitruste tem pelo menos 30 atos em análise sobre fusões e aquisições relacionados a planos de saúde e outros 70 sobre condutas anticompetitivas, como formação de cartéis e contratos de exclusividade com médicos. As informações são do Portal G1.

Dados da ANS mostram que as 35 maiores operadoras de planos de saúde e odontológicos do país atendem a 25 milhões de beneficiários — o que equivale a 52,2% do total de 47,8 milhões de clientes nas carteiras das empresas. As 10 maiores respondem por 15,5 milhões de pessoas ou 32,3% do total. A campeã em número de clientes é a Bradesco Saúde, com 3,1 milhões. Depois dela, destacam-se Intermédica Sistema de Saúde e Amil Assistência Médica Internacional, cada uma com cerca de dois milhões de beneficiários, segundo a agência.

De acordo com o presidente do órgão antitruste,Vinícius Carvalho, nem todo movimento de concentração é ruim em si, mas há limites. E, neste caso, é preciso acompanhar de perto.

Não bastasse o ritmo de concentração dos últimos anos, as previsões para o setor são pouco alentadoras. O presidente da Latinlink Consultoria, Ruy Coutinho, estima que nos próximos quatro anos, as dez maiores operadoras vão atender a 60% dos consumidores. Para ele, esse processo será cada vez mais acelerado por causa da crise econômica.

O diretor-adjunto de habilitação de operadoras da ANS, Leandro Fonseca, disse que a agência tem procurado incentivar a concorrência, por exemplo, com a obrigatoriedade de as operadoras divulgarem os endereços dos profissionais de saúde. A seu ver, mesmo com a crise, não cresce o número de empresas em dificuldade. Considerando empresas com beneficiários, a queda foi de 1.418 para 1.371 desde 2003:

Para a Federação Nacional de Saúde Suplementar (FenaSaúde), o movimento está de acordo com um processo de consolidação de mercado, o que não pode ser confundido com concentração.

Fonte SaudeWeb

RJ: Hospitais terceirizam centrais de materiais e esterilização

Hospitais do Rio de Janeiro estão terceirizando os serviços das Centrais de Material e Esterilização (CMEs). O objetivo é concentrar foco na atividade fim e manter a instituição atualizada.

De acordo com a Bioxxi, companhia atuante no segmento, está a minimização de erros e agilidade de processos. Com a terceirização a negociação na compra de insumos ocorre com mais facilidade e redução de custos.

O gerente comercial da companhia conta que a esterilização evita principalmente infecções de sítio cirúrgico, momento que o paciente fica mais exposto.

Ele chama atenção para a esterilização dos materiais porque os produtos industriais são colocados dentro dos pacientes, sendo assim é totalmente necessário que estejam estéreis. Caso contrário gerarão infecções.

No caso das roupas cirúrgicas (aventais), estas são usadas pelos médicos para operar os pacientes, portanto, nesse momento, dentro da sala cirúrgica, com o paciente totalmente exposto, é importante que as roupas estejam estéreis para evitar as infecções.

Fonte SaudeWeb

Medicamento Fabrazyme passa a ser disponibilizado em dose plena

Caso não seja tratada, a doença que pode levar a dor lancinante nas mãos e nos pés, dificuldade de transpiração, erupções na pele e problemas no cérebro, coração e rins

O medicamento Fabrazyme (betagalsidase) utilizado no tratamento de pacientes com Doença de Fabry, enfermidade decorrente da incapacidade do corpo de produzir a enzima alfa-galactosidase (ou alfa-GAL) em quantidade ou estrutura adequadas, está disponível em dose plena de 1mg/kg.

Caso não seja tratada, a doença que pode levar a dor lancinante nas mãos e nos pés, dificuldade de transpiração, erupções na pele e problemas no cérebro, coração e rins.

De acordo com a Genzyme, empresa responsável pela fabricação, a inauguração da fábrica em Framingham, no Estado de Massachusetts, nos Estados Unidos foi determinante para essa conquista. Os órgãos americano FDA (Food and Drug Administration) e europeu EMA (European Medicines Agency) aprovaram a nova fábrica em janeiro de 2012.

A confirmação da Doença de Fabry em pacientes suspeitos se dá por meio de exame de sangue para medir a atividade enzimática da alfa-GAL. ou, numa alternativa posterior, por amostras de sangue para genotipagem.

Fonte SaudeWeb

Planos de saúde com mais qualidade e custo menor

No final do ano passado, a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) publicou a Resolução Normativa 277, que institui o Programa de Acreditação de Operadoras de Planos Privados de Assistência à Saúde. O objetivo do programa é aumentar a qualidade da prestação dos serviços por meio de critérios de avaliação que possibilitem a identificação e solução de problemas por parte das operadoras de planos de saúde com mais consistência, segurança e agilidade.

Na prática, quanto mais eficiente for a operadora, melhor poderá ser percebida a qualidade dos serviços prestados. Isso porque, além de incentivar a busca pela eficiência, a norma procura oferecer informação capaz de dar ao consumidor maior percepção em relação à qualidade de uma operadora de plano de saúde, na medida em que a qualidade dos serviços colocados à disposição pelas empresas será confrontada com padrões preestabelecidos.

Apesar de, neste ano, a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) ter fixado em 7,93% (julho) o índice máximo de reajuste máximo dos planos de saúde médico-hospitalares individuais e familiares, a expectativa é que, a partir da regulamentação, em médio prazo, tenha impactos sobre o custo final dos convênios médicos pela redução dos valores cobrados. Essa tendência se deve, em primeiro lugar, porque está totalmente alinhada à diminuição do risco assistencial, graças ao estabelecimento do Programa de Gerenciamento de Doenças e Promoção da Saúde.

Além disso, porque a questão impacta no processo de constituição de garantias financeiras do setor. Segundo a legislação sobre o assunto, para cada beneficiário, a operadora precisa ter uma reserva financeira junto à ANS. Na medida em que serão minimizados os riscos de sinistros, esse valor de reserva deve diminuir. Ou seja, as operadoras terão de provisionar menos dinheiro para manter sua operação, o que abre espaço para reduzir os custos finais para os usuários.


Vale observar que, para as operadoras, a acreditação também proporciona outras diversas vantagens, como a sinergia com outros padrões de acreditação internacionais, tais como a Joint Commission e Acreditação ONA ou certificação para Sistemas de Gestão Integrada.

Diante desses benefícios, a expectativa é que haja uma exigência, por parte de grandes clientes corporativos de planos de saúde, de que as operadoras tenham esse tipo de acreditação para renovação ou fechamento de novos contratos. Desse modo, aos poucos todos os usuários de sistemas do tipo poderão ter acesso não só a planos melhores, como mais competitivos. Para garantir sua fatia nesse processo, a receita para as operadoras já está disponível.

* Cristina Martins e Amanda Netto são gestoras da unidade de qualidade da Keyassociados

Fonte SaudeWeb

MV acaba de inaugurar nova sede

Empresa integra suas operações, que eram divididas em três prédios, em uma única sede, localizada no bairro de Boa Viagem, em Recife (PE)

Antes, três prédios eram responsáveis por toda a operação da MV. A partir deste 1º de agosto, uma única sede, com 11 mil m2, vai contemplar os 500 colaboradores da companhia, localizada no bairro de Boa Viagem, em Recife (PE).

O novo empreendimento, segundo o presidente Paulo Magnus, visa melhorar o gerenciamento de indicadores. Televisores com todas as informações das áreas foram espalhados pela empresa, entre elas, departamentos de materiais, financeiro, entre outros. “Posso acompanhar tudo em tempo real da minha sala”, ressalta Magnus.

O local foi estrategicamente escolhido, pois situa-se a cinco minutos do aeroporto. O terreno conta com estacionamento para 400 veículos e Centro de Eventos com auditório para 400 pessoas. Áreas de lazer ainda estão em construção, mas está projetado uma quadra de vôlei, de futsal e academia de ginástica para os funcionários.

De acordo com Magnus, o empreendimento soluciona um problema de acomodação que a MV vinha enfrentando a alguns anos.

Durante evento de inauguração realizado na noite desta quarta-feira (01), a MV informou, ainda, que planeja estabelecer um acordo com o município para contemplar uma área verde ao lado do prédio de cerca de 10 hectares.

Fonte SaudeWeb

Disfunção erétil pode significar problemas cardiovasculares graves

Muitos pensam que a disfunção erétil – a incapacidade de manter a ereção por tempo suficiente para a relação sexual – é um sinal de envelhecimento, mas pesquisadores norte-americanos dizem que jovens e homens de meia idade também devem se submeter a exames para detecção do problema.

Artigo publicado no American Heart Journal levantou a discussão da necessidade de se investigar mais a fundo os sintomas de disfunção erétil entre homens a partir dos 30 anos de idade que apresentam fatores de risco cardiovascular, como obesidade, histórico de tabagismo e diabetes tipo 2.

O Dr. Martin Miner, chefe do Men's Health Center at The Miriam Hospital, nos Estados Unidos, diz que cerca de 30 milhões de homens sofrem com o problema no país. O especialista explica que a disfunção erétil e as doenças cardiovasculares têm em comum o fato de serem causadas pelo estreitamento das artérias, o que resulta na redução do fluxo sanguíneo para diversas partes do corpo. Além disso, ambos os problemas têm como fatores de risco comuns o tabagismo, a obesidade, o diabetes e a pressão alta.

As artérias do pênis são menores que as artérias que fornecem sangue para o coração, de forma que a arteriosclerose é mais provável de se manifestar primeiro na forma de problemas de ereção. Dr. Miner explica que detectar a disfunção erétil representa um primeiro passo para o diagnóstico de doenças cardíacas, por isso é importante desmistificar o problema e incentivar os homens a procurar ajuda especializada.

Fonte: UPI, 29 de julho de 2012

Por Boa Saúde

Hepatite C: Sintomas e tratamento

A Hepatite C é uma inflamação que acomete o fígado. Conheça mais sobre o quadro clínico e o tratamento dessa doença.

Há tempos que a hepatite C preocupa a população mundial. Isso, por ser uma doença que afeta o fígado e tem evolução crônica, quando não devidamente tratada.

Conhecendo mais sobre a hepatite C
A hepatite C é uma inflamação que acomete o fígado e tem como principal agente causador, o vírus da hepatite C (VHC ou HCV). Ele é transmitido de pessoa a pessoa, através do contato com o sangue contaminado. Após a pessoa entrar em contato com o vírus, o processo inflamatório já é iniciado e, a depender do tempo de evolução, o indivíduo infectado pode desenvolver cirrose e, até mesmo, câncer de fígado.

Estimativa da população afetada pelo VHC
Segundo dados atuais, cerca de 3% da população mundial, em torno de 170 milhões de pessoas, são portadoras do vírus hepatite C. Atualmente, é a principal causa de transplante de fígado em todo o mundo.

Conheça os fatores de risco para a Hepatite C

Apesar do alto número de pessoas contaminadas pelo vírus, alguns fatores são considerados muito importantes.

Conheça abaixo quais são eles:

•Usuários de drogas injetáveis;

•Pessoas que receberam transfusão sanguínea antes de 1987;

•Pessoas que receberam transplante de órgãos antes de 1992;

•Pessoa que realizam hemodiálise;

•Filhos de mães que possuem o VHC;

•Parceiros que sejam portadores de HIV;

•Crianças com idade inferior a 12 meses e que tenham mães portadoras de VHC;

•Profissionais da saúde que tiveram contato direto com o sangue infectado.

Conheça o quadro clínico da hepatite C
A maioria das pessoas que adquirem o vírus da Hepatite C desenvolvem a doença crônica e lenta. Desse total, cerca de 90% dos indivíduos contaminados são assintomáticos ou apresenta sintomas inespecíficos, como por exemplo:

•Dor muscular;

•Cansaço;

•Dor nas articulações;

•Náuseas;

•Dor na região do fígado.

Entre esses, o diagnóstico geralmente é feito ao acaso, através da doação de sangue ou durante a realização de exames de rotina. No entanto, quando a doença se torna crônica, ela começa a apresentar outros sinais e sintomas. Isso, porque, provavelmente o fígado já está apresentando manifestações de cirrose.

Conheça mais sobre o tratamento da Heptite C
Antes de conhecer quais são os tratamentos atuais contra a Hepatite C, é preciso saber quando ele é indicado.

Sendo assim, as indicações são:
•VHC detectável associado a exame que demonstra atividade inflamatória no fígado;

•Portadores de cirrose sem outras complicações;

•Usuário de álcool e de droga que tenham condições para aderir ao tratamento;

•Portadores com co-infecção do VHC.

Entre os tipos de tratamentos atualmente utilizados, podemos citar:
•Interferon alfa e ribavirina – em associação, eles impedem a multiplicação do vírus, assim como melhora a resposta imune (defesa) do organismo do indivíduo infectado;

•Interferon peguilado ou peginterferon – possui a mesma ação que o anterior, porém melhor ação sobre outros dois genótipos do VHC, o tipo 2 e o tipo 3.

A Hepatite C é uma doença inflamatória que acomete o fígado. Quando não devidamente tratada, pode se tornar crônica e, até mesmo levar a cirrose, sendo necessário um transplante hepático. Após conhecer um pouco mais sobre essa enfermidade, basta ficar atento aos fatores de risco e se prevenir.

Fonmte Mundo das Tribos

Gestante acima do peso: cuidados

A gestação é uma fase de transformações no corpo da mulher. Saiba quais cuidados devem existir diante de gestantes acima do peso

O ganho de peso excessivo durante a gestação pode trazer graves riscos à vida da futura mamãe, assim como a do bebê. No entanto, existe um grande dilema; o que fazer quando a mãe que já está acima do peso, engravida? Veja algumas informações sobre os cuidados que as gestantes acima do peso devem ter.

A restrição alimentar está contra-indicada
A gestação é uma fase em que o corpo da mulher sofre muitas mudanças, inclusive devido ao aumento do peso. Porém, existem mulheres que, mesmo antes de engravidar, já apresentam alguns “quilinhos extras”. Diferente do que muitas pessoas pensam, recorrer a dietas restritivas não é a melhor saída para essas futuras mamães. Assim, a gestante deverá seguir uma dieta rígida, mas que não comprometa a saúde, nem o desenvolvimento do bebê.

Controle mais rigoroso do ganho de peso
Associado a uma dieta saudável, porém não restritiva, a gestante que está acima do peso deve ter um controle maior sobre o ganho de peso durante a gestação. O excesso de peso também pode ser muito prejudicial a saúde da mãe e, inclusive, à do bebê.

Gestantes obesas tem maior chance de desenvolver problemas
Segundo especialistas, gestantes que estejam acima do peso tem chance maior de desenvolver problemas durante a gestação. Entre eles, podemos citar o diabetes gestacional e a pressão alta. Além disso, o bebê também corre o risco de nascer abaixo do peso ou sofrer asfixia na barriga da mãe.

A avaliação do peso da gestante deve ser rigorosa
Para que o peso da gestante não traga problemas à saúde do bebê, é importante acompanhar o peso da mãe, pelo menos a cada 40 dias. Associado a isso, o profissional também deve avaliar a alimentação da gestante desde o início da gravidez, de modo a prevenir o ganho de peso excessivo.

Controlando o peso
Segundo especialistas, a gestante que está acima do peso ideal deve engordar em torno de 7 a 9 quilos durante toda a gestação. Vale lembrar que para que essa meta seja atingida, o profissional deve ter um controle rigoroso em relação as medidas apresentadas pela gestante ao longo dos meses, assim como deve avaliar sua dieta diária.

A gestante que está acima do peso deve ter alguns cuidados especiais para não colocar em risco a sua vida, nem a de seu bebê. É de extrema importância que ela mantenha uma dieta saudável, porém mais controlada, de modo a controlar o ganho de peso durante toda a gestação.

Fonte Mundo das Tribos

Doenças que o estresse é capaz de agravar

O estresse está presente em nossa vida cotidiana. Conheça quais são os problemas que podem ser agravados por ele.

O estresse faz parte do cotidiano de quase todo indivíduo. Apesar de ainda não haver um consenso mundial que defina essa patologia, não há quem duvide que ela é real. Muitos especialistas já relacionaram sua existência com o desenvolvimento ou mesmo, piora de um quadro clínico. A partir disso, separamos alguns exemplos de doenças que o estresse é capaz de agravar.

Compreendendo o termo estresse
Não há nenhum livro médico que defina o significado da palavra estresse. O que conhecemos sobre sua definição, tem origem no dicionário ou ao que conhecemos sobre ele. Assim, a partir disso podemos afirmar que o estresse é um conjunto de reações do organismo que leva a agressão e posterior desconforto com futuras consequências de modo a perturbar o equilíbrio. De modo geral, ele se trata de uma agressão e reação entre o indivíduo e o meio.

Saiba o que provoca o estresse
De maneira geral, os grandes problemas da nossa vida, sejam eles agudos ou crônicos, nos levam a uma situação de estresse. Pesquisadores descobriram que qualquer mudança enfrentada pelos indivíduos tem o potencial de causar estresse, independente de ser uma situação boa ou ruim. Assim, estamos sempre rodeados por situações que nos remetem ao estresse.

Problemas causados ou agravados pelo estresse
O estresse pode ser um fator desencadeante ou agravante de uma gama de doenças. Estas variam desde a asma, até doenças dermatológicas, tendo como resultado seu quadro clínico intensificado.

 Conheça quais são os problemas agravados pelo estresse:

•Ulcera gástrica;

•Gastrite;

•Diminuição do fluxo sanguíneo, em especial em nível do coração. Como resultado, o indivíduo pode apresentar o temível infarto;

•Formação de trombose;

•Palpitações;

•Aumento da tensão muscular;

•Cãibras;

•Dores de cabeça;

•Problemas no intestino em especial as relacionadas com o distúrbio da absorção e da contração do mesmo;

•Intensificação dos tremores;

•Problemas urinários;

•Aumento dos níveis de pressão arterial;

•Aumenta os níveis de colesterol ruim, colaborando com a formação das placas de gordura nos vasos;

•Intensificação dos problemas psíquicos;

•Irritabilidade;

•Nervosismo;

•Transtornos obsessivos;

•Alterações do sono;

•Torpor afetivo;

•Perda de interesse sexual.

Não é de hoje que conhecemos o quão o estresse pode ser maléfico a nossa saúde. Citamos acima uma pequena lista dos problemas que podem ser agravados pelo quadro de estresse e, com certeza, são situações muito comuns de nosso dia a dia. Para evita-los é preciso que mantenhamos o controle da situação de modo a impedir as consequências do estresse.

Fonte Mundo das Tribos

Zumbido no ouvido afeta a saúde

Quando o problema se agrava, pode provocar perda de sono, depressão e ansiedade

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estimou 278 milhões de pessoas no mundo, sendo 28 milhões no Brasil, são afetadas por zumbidos no ouvido. Quando o problema se agrava, pode provocar perda de sono, depressão e ansiedade. Até agora incurável, o mal pode estar com seus dias contados.

Isso porque um novo tratamento desenvolvido no Centro de Pesquisa Julich, na Alemanha, que consiste em fazer o paciente ouvir determinados sons por meio de fones, pode ajudar a ligar ou desligar as células nervosas auditivas no cérebro e fazer com que elas deixem de falhar. Trata-se da Neuromodulação Acústica com Reset Coordenado.

O tratamento foi desenvolvido a partir de terapias que envolvem o estímulo dos neurônios por meio de uma sonda introduzida no cérebro, usadas em doenças neurológicas como a doença de Parkinson. Mas, ao contrario da técnica chamada de Estimulação Cerebral Profunda, nesta nova técnica os pacientes precisaram usar apenas um par de fones de ouvido especial durante algumas horas por dia. Tais fones emitem uma série de tons afinados com a frequência característica do tipo de zumbido que causa transtornos ao seu portador.

O objetivo é perturbar os padrões rítmicos de zumbido criados pelas células nervosas auditivas. Participaram desse estudo 63 pacientes, que foram divididos em dois grupos: um recebeu tratamento adequadamente e ou outro com placebo. Os pesquisadores pediram a todos eles que avaliassem a altura e o nível de perturbação causado pelo zumbido, e mediram suas ondas cerebrais.

Nos pacientes verdadeiramente tratados, houve significativa melhora em 12 semanas, que perdurou por dez meses. Os pacientes tratados com placebo não registraram melhora. Na Alemanha, a técnica já foi usada em mais de dois mil pacientes com resultados estimulantes.

Fonte R7

Ganhe mais saúde fazendo uma Detox

Dieta DetoxDestoxificação ou detox é o processo pelo qual o organismo transforma xenobióticos substâncias estranhas ao organismo, sejam eles de fontes externas ou internas, em substâncias que possam ser excretadas. Esses contaminantes, se acumulados em nosso organismo, podem trazer prejuízos à saúde e ao funcionamento do corpo. São gatilhos para o processo inflamatório e para doenças crônicas.

Os principais xenobióticos são: poluentes do ar e da água; metais tóxicos arsênico, chumbo, mercúrio, cádmio, alumínio; agrotóxicos; alimentação industrializada; álcool; medicamentos; produtos químicos utilizados em casa; substâncias contidas em plásticos benzenos, ftalatos; tabaco.

Além da necessidade de uma excreção adequada via urinária, fecal, trato respiratório e pele, é também determinante o bom funcionamento dos órgãos que participam do processo de destoxificação, para que os agressores possam ser eliminados. O principal órgão responsável pela detox é o fígado, seguido pelo intestino, embora possa ser feita em todos os tecidos e órgãos. Esse processo pode ser prejudicado pelo próprio excesso de toxinas e pela ausência de uma alimentação adequada que forneça os nutrientes necessários à detoxificação.

Para o processo de detox ocorrer de forma adequada são necessários vários nutrientes. Portanto, o equilíbrio na dieta é fundamental. Ao contrário do que muitos pensam, a dieta de detox não é sinônimo de dietas restritivas, nas quais estimula-se apenas o consumo de líquidos ou até mesmo o jejum. Para que a destoxificação ocorra são necessários diversos nutrientes que melhoram a capacidade de eliminar as toxinas. As vitaminas do complexo B, zinco, magnésio, selênio, cobre, enxofre e flavonóides, otimizam o trabalho do fígado, que juntamente com os rins e o intestino, promoverão a eliminação de substâncias tóxicas.

O que você pode incluir em seu cardápio durante a Detox:
- Substitutos de leite e derivados: bebidas vegetais à base de arroz, amêndoas, quinua;

- Grãos sem glúten: arroz integral, painço, quinoa, amaranto, tapioca, trigo sarraceno;

- Hortaliças e frutas orgânicas;

- As proteínas de origem animal devem ser preferencialmente orgânicas;

- Proteínas de origem vegetal: ervilha partilha, lentilha, feijões, grão de bico.

- Oleaginosas e sementes: nozes, avelãs, amêndoas, sementes de gergelim, abóbora e girassol, manteiga de amêndoas ou tahine;

- Óleos vegetais: óleo de coco, azeite de oliva extravirgem, linhaça, girassol, gergelim, canola, abóbora;

- Bebidas: água mineral, chás de ervas, suco verde, sucos de fruta natural;

- Temperos: vinagre, sal marinho, pimenta, manjericão, cominho, alho, mostarda, orégano, alecrim, gengibre, canela, salsa, tomilho, açafrão.

O que excluir do cardápio: leites, derivados, ovos; manteiga e maionese; alimentos fontes de glúten trigo, centeio, aveia, cevada, malte, milho, frutas cítricas, proteínas animais carne de porco, carne de boi, vitela, lingüiça, embutidos e enlatados, produtos à base de soja, amendoim, molhos prontos para salada, bebidas alcoólicas, café, chá preto, chá mate, refrigerantes, açúcar, mel, chocolate.

ATENÇÃO: antes de iniciar um processo de detox um nutricionista deve ser consultado a fim de corrigir a disbiose e a hiperpermeabilidade intestinal, e elaborar o cardápio adequado com os nutrientes necessários para cada indivíduo.

Fonte: Bruna Murta – nutricionista da rede Mundo Verde

Por midisport.com.br

Queijo e iogurte podem reduzir risco de diabetes tipo 2

O consumo controlado de queijo e iogurte diminui em até 12% as chances de desenvolver diabetes tipo 2.

A diabete tipo 2 é uma doença crônica se manifesta quando há altos índices de açúcar no sangue. Considerada o tipo mais comum de diabetes, ela é causada quando o organismo apresenta dificuldades para realizar o processo de produção ou consumo de insulina, substância que transporta o açúcar do sangue para às células.

Queijo e iogurte contra diabetes tipo 2
De acordo com pesquisadores que fazem parte da Universidade de Utrecht, na Holanda, incluir queijo e iogurte no cardápio alimentar é uma forma eficaz de reduzir os riscos de diabetes do tipo 2. Entretanto, os demais laticínios não oferecem o mesmo benefício para a saúde. Os resultados completos do estudo foram divulgados no periódico The American Journal of Clinical Nutrition do mês de julho.

Para chegar à conclusão de que o queijo e o iogurte são aliados contra a diabete, os autores do trabalho avaliaram 16 mil adultos saudáveis e 12 mil pessoas diagnosticadas com diabetes tipo 2. Os participantes responderam questionários sobre estilo de vida e alimentação.

Depois que equipe de pesquisadores realizou uma análise sobre o efeito dos laticínios e os riscos de desenvolver diabetes, constatou-se que consumir duas fatias de queijo ou meio pote de iogurte por dia (55 gramas de cada alimento) reduz as chances de desenvolver a doença em até 12%, em comparação com as pessoas que ingerem uma quantidade inferior de queijo e iogurte diariamente.

O estudo revelou ainda que, embora o queijo apresente gordura saturada, ele também possui gorduras que fazem bem para a saúde. Para aproveitar os benefícios do alimento, é essencial não exagerar na quantidade consumida diariamente.

O iogurte também se revela benéfico para a saúde humana, pois é rico em bactérias probióticas, que melhoram o funcionamento do organismo. Além de atuar contra a diabete, o iogurte reduz o risco de doenças cardiovasculares e protege o corpo humano de tantas outras enfermidades.

Outros estudos também relacionaram a alimentação com o risco de diabetes tipo 2. Segundo uma pesquisa tailandesa, que avaliou 240 adultos com predisposição à patologia, a substância chamada de curcumina evita que o indivíduo se torne diabético. O composto está presente no tempero apimentado curry.

Como prevenir diabetes tipo 2?
Além de consumir queijo e iogurte na quantidade certa para reduzir as chances de diabetes, existem outros meios para prevenir a doença.

Confira:

- Procure diminuir a ingestão de alimentos ricos em carboidratos simples e alto índice glicêmico, como pães, doces, chocolates e frituras.

- Inclua mais verduras, legumes e fibras no cardápio alimentar.

- Procure mastigar mais os alimentos, para obter saciedade e não se tornar obeso.

- Diminua a ingestão de carne vermelha.

- Faça exercícios físicos, pelo menos uma caminhada de 30 minutos por dia.

- Realize exames regulares para saber se está tudo bem com os níveis de glicose no sangue.

Fonte Mundo das Tribos

Saiba mais sobre: Psoríase

Para se tornar um doador é preciso conversar com familiares

Documento por escrito não terá valor legal

As informações de doador de órgão presente em algumas carteiras de identidade e de habilitação perderam a validade em 2000, quando uma lei alterou o sistema de doação presumida. Hoje, somente a família pode autorizar a retirada de órgãos e tecidos para doações, segundo informações do Portal da Saúde.

Para se tornar um doador é preciso conversar com os familiares e deixar claro o desejo de doação. Não é necessário deixar documento por escrito, pois ele não terá valor legal. Na segunda-feira (30), o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, e o vice-presidente do Facebook para a América Latina, Alexandre Hohagen, lançaram no Brasil uma ferramenta que permite ao usuário da rede social se declarar doador de órgãos.

Na prática, isso não muda em nada a regra de hoje. Por enquanto, só conseguirá adicionar esse status de doador quem já aderiu à "linha do tempo" do site, versão mais nova e completa de perfil de usuário. Mas nas próximas semanas a empresa migrará compulsoriamente o perfil de todos os usuários que ainda não usam o novo formato. Mesmo assim, o ministro defendeu que o Facebook servirá como "mais um instrumento para que se possa deixar claro em vida a parentes e amigos o desejo de ajudar".

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Por R7

SP convoca doentes crônicos para tomar vacina contra a gripe

Este ano o estado notificou 212 casos de H1N1, com 45 mortes. Segundo secretaria, cobertura da vacina será ampliada

Paulistas portadores de doenças crônicas estão sendo convocados pela Secretaria de Estado de Saúde de São Paulo para tomarem a vacina contra a gripe. Segundo informou a secretaria, a medida tem como objetivo ampliar a cobertura de imunização contra o vírus da influenza no estado, uma vez que a população que possui algum tipo de doença crônica está mais suscetível a desenvolver casos mais graves da gripe, como a Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG). Este ano o estado notificou 212 casos de H1N1 relacionados a SRAG, com 45 mortes.

Além de imunizar a população contra o vírus da gripe influenza A H1N1, tipo que se disseminou pelo mundo na pandemia de 2009, a vacina também irá proteger a população contra outros dois tipos do vírus influenza sazonal: A H3N2 e B.

A vacina é disponibilizada gratuitamente nos postos de saúde para pacientes que apresentam diagnóstico de doenças crônicas pré-existentes como cardiopatias, pneumopatias, hepatopatias, nefropatias e diabetes, além de pacientes classificados como imunodeprimidos, ou seja, que possuem o sistema imunológico debilitado devido à existência de doenças como câncer, HIV/Aids, imunodeficiências congênitas ou pelo fato de terem se submetido a algum tipo de transplantes de órgãos ou de medula. A imunização contra a gripe também é recomendada para pacientes com doenças neurológicas incapacitantes e obesos.

Para receber a dose da vacina contra a gripe, o portador de doença crônica deve comparecer a um dos postos de vacinação e apresentar um documento que comprove o diagnóstico da doença, como uma receita ou laudo médico. Até o momento foram aplicadas no Estado 632 mil doses em pessoas com doenças crônicas.

Casos no estado
Segundo levantamento da Secretaria, os casos graves confirmados para influenza A H1N1 apresentaram queda de 38% em julho, na comparação com o mês anterior. No último mês houve 61 casos graves da doença registrados no estado, contra 98 em junho.

Para os outros vírus circulantes no estado, foram registrados outros 102 casos graves para influenza A (H3N2) sazonal e três casos para influenza B sazonal. Ao todo 11 mortes foram registrados pelos dois outros vírus.

O levantamento também aponta que 69% dos casos graves confirmados para influenza A H1N1 que evoluíram a óbito, registrados desde o início de 2012, foram de pacientes que apresentavam alguma comorbidade ou fator de risco, sendo 17,4% com hipertensão, 17,4% doença metabólica, 10,9% obesidade, 13% tabagismo, 8,7% cardiopatia, 10,9% pneumopatia, 4,3% etilismo, 4,3% doenças renais, 2,2% imunodepressão e 2,2% gestantes. Em alguns casos, um mesmo paciente pode ter apresentado mais de um fator de risco ou comorbidade.

Fonte isaude.net

World breastfeeding week

Semana Mundial do Aleitamento Materno começou em mais de 170 países

OMS quer estimular a amamentação e melhorar a saúde de crianças menores de 5 anos em todo o mundo

A Semana Mundial do Aleitamento Materno começa ontem (1º) e vai até a próxima terça-feira (7) em mais de 170 países. O objetivo, de acordo com a OMS (Organização Mundial da Saúde), é estimular a amamentação e melhorar a saúde de crianças menores de 5 anos em todo o mundo.

A data comemora a assinatura da Declaração de Innoceti, em agosto de 1990, por diversos países — incluindo o Brasil. Entre os objetivos apresentados pelo documento estão estabelecer um comitê nacional de coordenação da amamentação e adotar uma legislação que proteja a mulher que amamenta no trabalho.

A OMS defende que o aleitamento materno é a melhor forma de fornecer ao recém-nascido os nutrientes necessários. A orientação é que o bebê receba exclusivamente o leite materno até os 6 meses e, depois disso, ele seja associado a outros alimentos até que a criança complete 2 anos ou mais.

No caso do colostro (tipo de leite mais grosso e de cor amarelada produzido ao final da gestação), a recomendação é que ele seja fornecido ao recém-nascido até uma hora após o parto.

Dados da organização indicam que a malnutrição responde, direta ou indiretamente, por praticamente uma em cada três mortes entre crianças menores de 5 anos, sendo que mais de dois terços delas são associadas a práticas inapropriadas de alimentação e ocorrem no primeiro ano de vida da criança. A OMS informa:

— Nutrição e carinho nos primeiros anos de vida são cruciais para uma boa saúde e para o bem-estar ao longo da vida. Na infância, nenhum presente é mais precioso do que o aleitamento materno. Ainda assim, menos de um em cada três bebês é exclusivamente amamentado durante os [primeiros] seis meses de vida.

Confira os dez passos definidos pela Rede Brasileira de Bancos de Leite Humano para o sucesso da amamentação:

- Ter uma política de aleitamento materno escrita, que seja rotineiramente transmitida a toda equipe de cuidados de saúde;

- Capacitar toda a equipe de cuidados da saúde nas práticas necessárias para implementar essa política;

- Informar todas as gestantes sobre os benefícios e o manejo do leite materno;

- Ajudar as mães a iniciar o aleitamento materno na primeira meia hora após o nascimento do bebê;

- Mostrar às mães como amamentar e como manter a lactação, mesmo se vierem a ser separadas dos filhos;

- Não oferecer a recém-nascidos bebida ou alimento que não seja o leite materno, a não ser que haja indicação médica;

- Praticar o alojamento conjunto, permitindo que mães e bebês permaneçam juntos 24 horas;

- Incentivar o aleitamento materno sob livre demanda;

- Não oferecer bicos artificiais ou chupetas a crianças amamentadas;

- Promover grupos de apoio à amamentação e encaminhar as mães a esses grupos na alta da maternidade

Fonte R7

Atividades físicas para o cérebro

Cientistas americanos recomendam praticar exercícios cinco vezes por semana durante 1 hora

Já está provado que os exercícios deixam o cérebro mais desperto. Agora, estudo realizado pelo neuropsiquiatra John Ratey, professor da Harvard Medical School, nos EUA, afirma que nosso cérebro é como um músculo e que pode se desenvolver quando devidamente exercitado.

Os exercícios provocam a liberação de nossos principais neurotransmissores e do BNDF, sigla em inglês para o fator neurotrófico do cérebro que estimula a produção de neurônios em determinadas áreas como o hipocampo, estrutura ligada à memória.

Conforme comprovam estudos realizados em vários países a atividade física regular traz inúmeros benefícios: controle da depressão, da ansiedade e até de vícios. É que muitas pessoas que estão em forma e se exercitam regularmente resistem mais facilmente a gula, as substâncias químicas e até a atividades que causam dependência como jogos de computador e uso excessivo da Internet.

A ação sobre a liberação de neurotransmissores como a dopamina diminui o desejo de consumir drogas e outras substâncias. Todos os tipos de exercícios podem ajudar a revitalizar o cérebro. Vários estudos vêm demonstrando que a prática de atividade física pelo menos três vezes por semana, impede o cérebro de se degenerar.

A atual recomendação dos cientistas americanos é que nos exercitemos cinco vezes por semana durante uma hora. E, à medida que formos envelhecendo, realizamos treinos de força para deixar nossos músculos ativos e tonificados.

Fonte R7

Leite materno ou leite de vaca?

O aleitamento materno faz muita diferença na vida do bebê


Infográfico de leite materno
Fonte Minha Vida

Previna crises de alergia nas crianças com oito cuidados

É fácil saber se o seu filho tem predisposição genética a alergias: basta olhar o histórico familiar. Segundo o International Study of Asthma and Allergies (ISAAC), quando um dos pais tem uma alergia, o risco de o filho também ter algum tipo é quatro vezes maior. Se o casal tiver o problema, o risco para a criança passa a ser sete vezes maior. Mas isso não quer dizer que ele terá alguma crise logo nos primeiros meses de vida. "Normalmente, os primeiros acessos de alergia ocorrem antes dos dez anos de idade, mas podem aparecer até na fase adulta", afirma o pediatra Antonio Carlos Turner, coordenador do serviço de Pediatria do Hospital Balbino (RJ) e membro da Sociedade Brasileira de Imunizações. Existe uma lista de hábitos capazes de retardar ou até evitar o desenvolvimento de quadros alérgicos e os especialistas explicam cada um deles para você.

Bebê mamando na mãe - Foto: Getty Images1. Amamentação exclusiva até os seis meses de vida
Essa recomendação é unânime entre os especialistas: a amamentação fornece anticorpos e nutrientes que aumentam a proteção do bebê contra alergias. Leite de vaca ou qualquer outro alimento não tem tantos benefícios assim. Mas não se engane: é comum parecer que o bebê tem mais refluxo quando amamentado e a mãe pode achar que isso é sinal de alergia ou intolerância. "O leite materno tem digestão mais fácil e também provoca mais casos de regurgitação, mas isso não é um problema para o bebê", afirma o pediatra Antonio Carlos.

Criança dando beijo no cachorro - Foto: Getty Images2. Animais de estimação
Há alguns estudos indicando que a criança que tem contato com bicho de estimação desde pequena pode ficar mais resistente a alergias. "Mas ainda são necessárias pesquisas mais aprofundadas para realmente comprovar esse efeito", afirma a alergista Ana Paula Castro, diretora da Associação Brasileira de Alergia e Imunopatologia (ASBAI) e médica da Unidade de Alergia e Imunologia do Instituto da Criança do Hospital das Clínicas (USP). Ela recomenda evitar que os animais com pelos e penas fiquem dentro do quarto da criança, principalmente na hora de dormir. "Fique atento também se a criança costuma espirrar, coçar os olhos ou ter outros sintomas de alergia quando brinca com o bicho."

Pediatra e criança - Foto: Getty Images3. Acompanhamento pediátrico
Levar o filho ao médico somente quando ele está doente não é a melhor forma de prevenir alergias. "A consulta regular ajuda a promover o bem-estar da criança e a manter a saúde, evitando doenças", afirma Antonio Carlos Turner. O pediatra também ajuda a mãe a perceber sintomas de alergias na criança. Por isso, o bebê deve ser levado ao médico uma vez por mês até chegar aos seis meses de vida. Depois dessa fase, a consulta pode ser mais espaçada, de acordo com a orientação do especialista.

Mãe passando protetor solar na criança - Foto: Getty Images4. De olho na pele
"Em boa parte das crianças com até cinco anos de idade, a dermatite atópica (alergia na pele) é o primeiro sintoma de alergia", afirma o alergista e imunologista Marcello Bossois, coordenador do Projeto Social Brasil Sem Alergia. Se o seu filho tem predisposição genética, vale ter o cuidado dobrado de comprar xampus, sabonetes e outros cosméticos neutros e hipoalérgicos, para não deixar a pele irritada e mais sensível. Meninas que brincam com maquiagem precisam usar produtos feitos especialmente para crianças, de preferência com aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Criança comendo melancia - Foto: Getty Images5. Alimentação adequada
Vitaminas, minerais e outros nutrientes devem fazer parte do prato da criança para deixá-la sempre com as defesas do organismo prontas para combater agentes do ambiente que causem alergias. Inclua no cardápio frutas, legumes, verduras, peixe e castanhas. Um estudo da University of Gothenburg, na Suécia, publicado no periódico Acta Paediatrica, indicou que crianças que começam a comer peixe a partir dos nove meses de idade são menos propensas a sofrer com a respiração ofegante na idade pré-escolar, complicação relacionada à asma.

Pais brigando na frente da criança - Foto: Getty Images6. De olho no estresse
Tanto a rotina estressante quanto episódios trágicos que possam causar muita tristeza na criança podem deixar o corpo mais vulnerável a alergias. "A criança pode desencadear um quadro alérgico, por exemplo, depois da separação dos pais", afirma a alergista Ana Paula. Procure conversar sempre com seu filho e prestar atenção no seu comportamento. Se achar necessário, busque a ajuda de um psicólogo.

Quarto infantil - Foto: Getty Images7. Crie um "quarto hipoalérgico"
Para evitar rinite alérgica, elimine os focos de mofo e os objetos que acumulam ácaro, poeira e outros alérgenos, como cortinas de tecido, almofadas, tapetes peludos e bichos de pelúcia. Segundo os especialistas, se esses itens estiverem presentes no quarto, é preciso manter o cuidado de limpá-los sempre e deixá-los no sol algumas vezes. As janelas precisam ser abertas todos os dias a fim de deixar o ambiente ventilado. Para evitar irritações na mucosa nasal por causa do cheiro forte de produtos de limpeza, mantenha a criança fora do quarto até uma hora após a limpeza.

Menina de boia fazendo natação - Foto: Getty Images8. Incentive o seu filho a fazer natação
A natação é uma ótima atividade para fortalecer os músculos e aumentar a resistência do sistema respiratório e cardiovascular, ajudando a prevenir asma e outras alergias respiratórias. "Mas prefira piscinas de água aquecida e com sal, pois a temperatura fria e o cloro podem agravar crises alérgicas em longo prazo", recomenda o alergista Marcello. Se nadar não for o hábito predileto do seu filho, incentive outra atividade física que ele goste - todo exercício traz benefícios ao aparelho cardiorrespiratório da criança.

Fonte Minha Vida

Laboratório antidoping das Olimpíadas será transformado em unidade de pesquisa

MRC-NIHR Phenome Centre irá utilizar instalações desenvolvidas para os jogos para o desenvolvimento de novas drogas e tratamentos

Após as Olimpíadas e Paraolimpíadas, as instalações antidoping dos jogos de Londres 2012 serão transformadas em uma unidade médica de pesquisa destinada a encontrar novos biomarcadores moleculares para doenças. O MRC-NIHR Phenome Centre irá utilizar as instalações de ponta desenvolvidas para os jogos olímpicos para permitir que cientistas estudem características de doenças, a fim de desenvolverem novos tratamentos e medicamentos.

Atualmente, a unidade localizada em Harlow, Essex, está testando amostras de urina e sangue dos atletas, para verificar a presença de mais de 240 substâncias proibidas. Todos os medalhistas olímpicos e uma seleção aleatória de competidores serão testados.

Phenome descreve a química de uma pessoa - todas as moléculas presentes no sangue, na urina e nos tecidos - que são resultado da genética e do estilo de vida. A mistura destas moléculas muda o tempo todo e é influenciada por fatores como o ambiente, dieta e até mesmo níveis de estresse. Além disso, está ligada à forma como uma pessoa responde a uma doença e a tratamentos com medicamentos.

Os pesquisadores do MRC-NIHR Phenome Centre terão a possibilidade de pesquisar de forma rápida, sem precedentes, os padrões de mistura de moléculas em amostras - geralmente de sangue e de urina - de pacientes e voluntários. Tal potencialidade irá ajudar a equipe a descobrir novos biomarcadores capazes de explicar porque um indivíduo - ou uma população - é mais suscetível a uma doença que outro. Este conhecimento vai ajudar cientistas na busca por novos tratamentos, mais seguros e eficazes.

O MRC-NIHR Phenome Centre tem potencial para fazer da tecnologia de fenotipagem utilizada no Reino Unido uma ferramenta de classe mundial capaz de acelerar a tradução de descobertas médicas em melhores abordagens de saúde. O novo centro será dirigido por uma colaboração de parceiros acadêmicos, liderados pelo Imperial College London, e financiado em cinco anos pelo Medical Research Council (MRC) e pelo National Institute for Health Research (NIHR). O laboratório estará em operação 24 horas por dia.

"Nosso investimento neste novo centro promete melhores e mais direcionados tratamentos para pacientes com uma ampla gama de doenças comuns como: diabetes, doenças cardíacas e demência. Os pacientes serão beneficiados a partir do diagnóstico mais rápido e preciso e os pesquisadores serão capazes de desenvolver novos medicamentos e tratamentos à medida que entenderem mais sobre as características de doenças e descobrirem novos subtipos das mesmas", diz o secretário de saúde do Reino Unido, Andrew Lansley.

"Este é um legado fenomenal dos Jogos", conclui John Savill, diretor executivo do Medical Research Council (MRC).

Fonte isaude.net

Entenda: ebola é doença infecciosa grave que atinge principalmente os países da África

Febre hemorrágica foi identificada, pela primeira vez, perto do Rio Ébola, no Congo

Doença infecciosa grave, a febre hemorrágica ebola foi identificada, pela primeira vez, em 1976, na República Democrática do Congo, perto do Rio Ébola, daí o nome. Pesquisadores belgas examinaram vítimas após epidemias que mataram adultos e crianças no Congo, no Gabão, em Uganda e no Sudão. Pouco tempo depois, houve mais duas epidemias na região.

Mas há indicações de que, em 1967, foi identificado um vírus da doença na África, a partir de células dos rins de macacos de Uganda. Atualmente os cientistas analisam dois tipos distintos de vírus que causam a doença Ebola–Zaire (EBO–Z), Ebola–Sudão (EBO–S).

A febre hemorrágica ebola é transmitida apenas pelo contato direto. Uma das suspeitas é que na África a doença seja mais comum porque há a tradição de lavar os corpos dos mortos durante a preparação para o enterro. O corpo da vítima do ebola permanece contagioso mesmo depois da morta. O ebola não é contagioso com o contato pelo ar, mas por meio de secreções e sangue. A orientação é que as equipes de enfermagem e médica usem luvas e filtro respiratório.

O período de incubação do vírus ebola dura de cinco a 12 dias. Os sintomas são febre alta, calafrios, dor de cabeça, anorexia, náusea, dor abdominal, dor de garganta e prostração profunda. Em alguns casos, aparecem conjuntivite hemorrágica, feridas nos lábios e boca, sangramento da gengiva e vômito com presença de sangue, além de hemorragia intestinal.

A revista científica News Medical informa que não há um tratamento padrão para os pacientes que sofrem com o vírus ebola. Vários estudos estão em desenvolvimento e medicamentos são aplicados na tentativa de conter o avanço da doença e melhorar o estado geral dos pacientes.

Fonte R7

Passeio ciclístico integra Semana Mundial de Aleitamento Materno em Alagoas

A ação alusiva a campanha tem como tema 'Amamentar é pensar no futuro' e está programada para o próximo domingo

A Semana Mundial do Aleitamento Materno - comemorada no período de 1º a 7 de agosto - será marcada também com um passeio ciclístico na orla de Maceió, capital de Alagoas. A ação, que tem como tema ' Amamentar é pensar no futuro' , acontece no próximo domingo (5), com concentração às 7h30 e largada às 8h.

O grupo partirá da Praça dos Ciclistas, no Corredor Vera Arruda, e vai percorrer o trajeto até a Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), na Praia da Avenida. Depois do evento, que vai contar com a distribuição de barrinhas de cereal e água e a realização de sorteios, os participantes irão até o balneário Broma, no município de Marechal Deodoro.

O passeio ciclístico é realizado pela Associação Alagoana de Ciclismo (AAC) e pela Sociedade Alagoana de Pediatria (Sapal). O dia terá também a entrega de panfletos e a promoção de atividades lúdicas na área de lazer da Praia da Ponta Verde.
Veja mais informações sobre o evento aqui.

Semana de Aleitamento
As atividades pela Semana Mundial de Aleitamento Materno começam nesta quinta-feira (2), com o Curso de Manejo Clínico em Aleitamento Materno. O evento, que acontece no Ritz Suítes Hotel e prossegue na sexta-feira (3), é destinado a técnicos de 16 municípios e às equipes multidisciplinares dos cinco bancos de leite humanos de Alagoas e dos sete hospitais estaduais credenciados pelo Ministério da Saúde (MS) como Amigos da Criança.

De acordo com a gerente do Núcleo de Saúde da Criança da Sesau, Socorro Marques Luz, o treinamento vai preparar as equipes para incentivar as mães a amamentarem, uma importante ferramenta de combate à mortalidade infantil. " Para compreender o manejo clínico, orientando as mulheres, é necessário capacitar todos os técnicos envolvidos neste processo" , diz.

Programação nas maternidades
Além disso, a programação acontece ainda na Maternidade Escola Santa Mônica, que terá, a partir desta quarta-feira (1º) e até o dia 7, uma série de palestras sobre o tema. Serão abordados tópicos como aspecto social das mães em processo de amamentação; como ajudar as mães a amamentar; amamentação em situações especiais e sensibilização para hábitos orais.

As ações serão levadas também à Arapiraca, que terá panfletagem nas Maternidades Casa de Saúde e Nossa Senhora e Fátima e nos Hospitais Regional e Afra Barbosa. Outro destaque é o lançamento do projeto Capacitando os Agentes Comunitários de Saúde em Aleitamento Materno, marcado para quinta (2), às 14h, na Unidade de Saúde da Família do Canaã.

Fonte isaude

Fuja das lesões ao escolher o tênis certo


É importante levar em consideração o tipo de pisada: pronada, neutra e supinada

Estabelecer critérios na hora de escolher o tênis adequado. É essa a recomendação que a Pro Teste (Associação de Consumidores) faz a quem está procurando um calçado esportivo. Teste realizado pela associação revela que é possível adquirir um produto de qualidade a um preço justo.


O consumidor deve escolher o tênis de acordo com a utilização que ele vai ter. A médica dermatologista Ana Palieraqui, da Pro Teste, explica:

— Um tênis casual não precisa ter o amortecimento de um para corridas. Hoje existem modelos apropriados para cada tipo de esporte.

A doutora ressalta que deve-se levar em consideração o tipo de pisada da pessoa. Existem três tipos: pronada, neutra e supinada. Segundo Ana, a pisada pronada é a mais comum entre os brasileiros, correspondendo a cerca de 60% da população, e consiste numa rotação do pé para dentro na hora de dar o passo, de forma que ele termine próximo do dedão.

Já a neutra tem uma leve rotação para dentro, mas o passo termina no centro da planta do pé. Já a pisada supinada mantém todo o contato com o solo do lado externo do pé, terminando o passo na base do dedinho.

— Comprar um tênis com pisada diferente da sua pode causar vários problemas, principalmente na articulação do joelho. Porém, muitos tênis não trazem essa identificação na caixa.

No teste, foram pesquisados os modelos de corrida de seis marcas: Asics, Puma, Mizuno, Adidas, Nike e Reebok. O Asics Gel-Nimbus 13 foi escolhido o melhor do teste, enquanto o Reebok Focus Dmx Power foi o que teve resultados abaixo do esperado. Procurada pelo Jornal da Tarde para comentar o baixo desempenho, a Reebok não respondeu.

Entre os critérios utilizados pela Proteste, a temperatura interna dos calçados apresentou variações. Segundo a associação, a variação entre o início e o fim do exercício não deve ultrapassar 5,5ºC. Essa variação seria essencial para evitar o desconforto e a diminuição da coordenação motora acarretados por um pé molhado. O da Reebok apresentou variação de 5ºC, bastante próximo do limite, enquanto a variação do modelo da Asics foi de 3ºC.

Para nível de comparação, a Proteste também pesquisou um modelo de tênis de corrida falsificado, facilmente encontrado em camelôs. O resultado foi desastroso. Ana afirma:

— Ele causou bolhas e lesões, sem contar que é muito mais pesado que os outros modelos. Para se ter uma noção, a variação de temperatura ficou acima do que estipulamos como aceitável e no teste de flexão, a sola e a parte de trás do tênis se romperam. Comprar um tênis falsificado é o barato que sai caro, pois você paga pouco para ter, mas muito pelos problemas que ele causará à saúde.

As informações são do Jornal da Tarde.

Fonte R7

Aposte nos hábitos que te dão mais disposição

Comer um café da manhã caprichado e tomar sol são alguns itens da lista

Você é o tipo de pessoa que acorda de manhã super animado e com a maior disposição, mas chega na hora do almoço já está se sentindo cansado ou muito disperso no trabalho? Isso pode estar acontecendo porque o seu corpo está com o horário de sono "desregulado" ou você não está fornecendo energia o suficiente para ele no decorrer do dia.

Felizmente, com adoção de alguns hábitos simples, você pode gozar de uma super disposição o dia inteiro e aproveitá-lo muito mais!

Café da manhã reforçado - Foto: Getty Images1. Café da manhã caprichado
O nutrólogo Roberto Navarro, de São Paulo, explica que a primeira refeição do dia deve ter pelo menos 25% do valor energético total de um dia todo. O ideal é que sejam evitados pela manhã alimentos com alto índice glicêmico, como açúcares, doces, pães, bolachas, biscoitos recheados e bolos, pois eles podem levar a uma queda súbita da glicose sanguínea e provocar dificuldade de concentração, fadiga mental e até irritabilidade. "Por isso, não seria interessante abusar desses alimentos citados, salvo quando 'integrais', pois esses têm menor índice glicêmico", diz Roberto.

O café em pequenas quantidades (até 1 xícara de chá) pode melhorar a disposição e a atenção. Já alimentos muito gordurosos não são recomendados por exigirem um maior trabalho na digestão e, consequentemente, dar a sensação de "cansaço". O café da manhã perfeito deve conter cereais integrais, frutas, oleaginosas e alguma proteína, como iogurte natural, queijo branco ou peito de peru.

Levante-se e movimente-se - Foto: Getty Images2. Levante-se e movimente-se
Um estudo feito por pesquisadores da California State University, em Long Beach (EUA), afirma que fazer uma caminhada de 10 minutos te deixa acordado e com mais energia por até duas horas. Isso se dá porque a caminhada fornece mais oxigênio para nosso cérebro e músculos, deixando-os "ligados" por mais tempo.

Se você trabalha em um escritório, levante-se e faça pequenas caminhadas durante o dia, como ir até o restaurante para comer. Isso fará com que você se sinta mais alerta e refrescado. O clínico geral Felippo Pedrinola conta que essa prática promove a redução do estresse crônico e possibilita interações com outras pessoas e situações, contribuindo para o bem-estar. 

Hidrate-se - Foto: Getty Images3. Hidrate-se
"Uma boa hidratação é essencial para melhorar a disposição física e mental", diz Roberto. A recomendação é de dois litros de água por dia. Porém, Roberto alerta que, durante uma refeição, não devemos ingerir mais de 200 ml de líquidos, pois acima disso há uma diluição do suco gástrico, o que prejudica a eficiência digestiva.

Tome sol - Foto: Getty Images4. Tome um pouco de sol
A liberação de alguns hormônios como cortisol e melatonina é regulada em horários específicos no decorrer do dia e sofre sim influência da luz do sol. "Ter a percepção correta de manhã, tarde e noite é fundamental para a regulação hormonal e o bem estar físico e mental", afirma Roberto Navarro.

Descanse os olhos - Foto: Getty Images5. Dê um descanso aos olhos
Para aqueles que trabalham com computador ou constantemente lendo algum documento, saibam que a fixação contínua - seja na tela ou em um leitura - pode causar fadiga visual e piorar a sonolência e o cansaço. Desviar o olhar do trabalho por alguns minutos periodicamente, para relaxar, é uma boa pedida.

Respire - Foto: Getty Images6. Respire
A respiração profunda aumenta os níveis de oxigênio do sangue no corpo. Isso diminui a frequência cardíaca, regula a pressão sanguínea e melhora a circulação, auxiliando o desempenho mental e energético. O clínico geral Filippo Pedrinola conta que um bom exemplo de exercício do tipo são os chamados mini-relaxamentos de respiração.

Antes de fazer aquela ligação difícil ou entrar numa reunião pesada, feche os olhos e inspire lentamente contando até 4, prenda a respiração por 2 segundos e expire contando até 4. "Faça isso por cinco minutos quantas vezes quiser, procurando respirar menos de 10 vezes por minuto", diz o clínico.

Converse um pouco - Foto: Getty Images7. Converse um pouco
Se você sentir que está ficando cansado ou com falta de concentração, experimente conversar com seu colega da mesa ao lado. Uma conversa descontraída pode fazer sua mente funcionar novamente. Pesquisadores do Instituto de tratamento do sono Maimonides Sleep Arts & Sciences afirmam que conversar com um colega sobre uma ideia de negócio, política ou religião é um estimulante muito forte de comportamento - especialmente quando é uma conversa sobre política.

Saia da rotina - Foto: Getty Images8. Saia da rotina
O clínico geral Filippo Pedrinola explica que a mudança da rotina, nem que seja de pequenas coisas, pode estimular novas conexões cerebrais.

Esse fenômeno é conhecido como neuroplasticidade e ajuda nossa mente a ficar mais alerta.

Coma de três em três horas - Foto: Getty Images9. Faça um lanchinho
Devemos nos alimentar a cada três horas em média para evitar queda de glicose no sangue e prejudicar nossa concentração e disposição física. "Se você sentir-se cansado ou disperso e estiver mais que três horas sem ter se alimentado, vale recorrer a um lanche mais leve, como fruta, iogurte ou barra de cereais", diz Roberto.

Fonte Minha Vida