Aplicativos, carreira, concursos, downloads, enfermagem, farmácia hospitalar, farmácia pública, história, humor, legislação, logística, medicina, novos medicamentos, novas tecnologias na área da saúde e muito mais!


sexta-feira, 22 de março de 2013

Descoberta classe de compostos químicos que impede replicação de vírus

Vírus Ebola
Resultados podem permitir criação de medicamentos antivirais para tratamento de doenças causadas por vírus como o Ebola e Marburg
 
Equipe de pesquisadores da Boston University School of Medicine, nos Estados Unidos, identificou uma nova classe de compostos químicos capaz de bloquear a replicação de diversos vírus.
 
Os resultados podem permitir o desenvolvimento de medicamentos antivirais para o tratamento de uma série de doenças causadas por vírus, incluindo o altamente patogênico vírus Ebola e Marburg.
 
Os vírus são pequenos agentes causadores de doenças (patógenos) que se reproduzem no interior das células de organismos vivos. Um grupo de vírus conhecidos como ácido ribonucléico (RNA) negativo e não segmentado, causa doenças comuns, tais como a raiva e sarampo. Estes patógenos também causam doenças mais graves doenças e mortais, incluindo Ebola, Hendra e Nipah.
 
Atualmente, não existem tratamentos aprovados e eficazes contra esses vírus, que, de acordo com dados dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), são associados com taxas de mortalidade de até 90% após a infecção.
 
"Identificar antivirais de amplo espectro é um passo importante no desenvolvimento de terapias bem-sucedidas contra estes e outros vírus", afirma a líder da pesquisa Marie Claire Filone. A ideia básica de um antiviral de amplo espectro é semelhante ao de agentes antibacterianos de largo espectro, na medida em que eles permitem que um medicamento sirva como tratamento comum para muitas doenças virais diferentes.
 
Agora, os investigadores identificaram uma nova classe de compostos químicos que efetivamente bloqueia a replicação de diversos vírus, limitando a produção de RNA do vírus em cultura celular. Estes compostos do tipo alcaloide indólicos impediram um número elevado de vírus de se replicarem, incluindo o Ebola.
 
"Uma vez que a produção de RNA viral é o primeiro passo na replicação bem sucedida, nós descobrimos um calcanhar de Aquiles para deter a replicação viral. Estes compostos representam um alvo terapêutico potencial para o desenvolvimento de antivirais eficazes de largo espectro para uma série de agentes patogênicos humanos", conclui Filone.
 
 
Fonte isaude.net

Santa Casa de São Paulo cancela cirurgias por falta de sangue

Santa Casa de São Paulo é o maior hospital filantrópico da América Latina
Santa Casa de São Paulo é o maior hospital filantrópico
da América Latina
Na última semana foram registrada apenas 250 doações. A entidade necessita de média de 250 doações por dia
 
A Santa Casa de São Paulo pede socorro para repor os estoque do banco de sangue. O maior hospital filantrópico da América Latina já cancelou 8 cirurgias eletivas (procedimentos agendados) por falta de sangue.
 
O estoque, responsável ainda por abastecer outros 20 hospitais do estado de São Paulo, está quase zerado. Na última semana, 250 pessoas compareceram ao hemocentro da entidade, que necessita de uma média de 200 doações (100 litros de sangue) por dia para manter seus estoques.
 
De acordo com a assessoria da entidade, com as campanhas realizadas neste final de semana, os estoques já começam a ser normalizados, mas ainda é grande a falta do sangue O Negativo, conhecido como universal, que pode ser transfundido em qualquer pessoa, mas está presente em menos de 10% dos brasileiros. "Tudo que chega sai, afirmam os assessores da Santa Casa".
 
Fundada há mais de quatro séculos, a Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo é um dos mais importantes complexos hospitalares do Brasil. A Irmandade, em todas as unidades, atende mais de 8 mil pessoas por dia em todas as especialidades médicas, possui mais de 2 mil leitos, comuma média mensal de 118 mil atendimentos ambulatoriais, 152 mil atendimentos de emergência, 3,8 mil cirurgias e 370 mil exames.
 
A entidade é referência nos atendimentos de emergência, ortopedia, pediatria, além de obstetrícia e ginecologia, e nos procedimentos de alta complexidade como neurocirurgias e transplantes.
 
Fonte isaude.net

Poluição do tráfego provoca asma na infância tanto quanto tabagismo passivo

Pesquisa revelou que 14% dos casos de asma nas 10 cidades poderiam ser atribuídos à poluição do tráfego
Pesquisa revelou que 14% dos casos de asma nas 10 cidades
 poderiam ser atribuídos à poluição do tráfego
Pesquisa realizada na Europa revela que 14% dos casos de asma crônica são desencadeados pela poluição perto de estradas
 
Poluição causada pelo tráfego provoca asma na infância tanto quanto o tabagismo passivo, de acordo com pesquisa do Swiss Tropical and Public Health Institute.
 
O estudo, realizado em 10 cidades europeias, descobriu que 14% da asma infantil crônica são decorrentes da poluição perto de estradas movimentadas.
 
Os resultados são comparáveis aos encargos associados ao tabagismo passivo: a Organização Mundial de Saúde estima que entre 4% e 18% dos casos de asma em crianças estão ligadas à fumaça do cigarro.
 
Até agora, a poluição do tráfego foi relacionada apenas ao desencadeamento de sintomas de asma e não como causadora da asma crônica.
 
Os pesquisadores usaram um método conhecido como frações atribuíveis à população para avaliar o impacto da poluição do tráfego perto de estradas. Esta técnica calcula a redução proporcional de doença ou morte que seria produzida se a exposição a um fator de risco fosse diminuído para um nível inferior.
 
A pesquisa usou dados de estudos epidemiológicos existentes, que descobriram que as crianças expostas a níveis mais elevados de poluição perto de estradas também tiveram maiores taxas de asma, mesmo tendo em conta uma série de outros fatores relevantes, tais como o fumo passivo ou fatores socioeconômicos.
 
Os pesquisadores tiveram como objetivo levar estes resultados ainda mais à frente e estimar quantos casos de asma poderiam ser evitados se a exposição fosse removida.
 
Os resultados revelaram que 14% dos casos de asma nas 10 cidades poderiam ser atribuídos à poluição do tráfego perto de estradas. "Dados anteriores mostraram que a poluição do ar desencadeia os sintomas da asma, mas esta é a primeira vez que estimamos a porcentagem de casos que poderia não ter ocorrido se os europeus não tivessem sido expostos à poluição do tráfego rodoviário. À luz de todos os estudos epidemiológicos existentes que mostram que o tráfego rodoviário contribui para o aparecimento da doença em crianças, devemos considerar estes resultados para melhorar a formulação de políticas e planejamento urbano", afirma a autora da pesquisa Laura Perez.
 
 
Fonte isaude.net

Dispositivo de baixo custo impede danos cerebrais em bebês privados de oxigênio

Protótipo de baixo custo pode ajudar a evitar danos cerebrais em bebês carentes de oxigênio nas regiões em desenvolvimento
Foto: Will Kirk/Johns Hopkins University
Protótipo de baixo custo pode ajudar a evitar
danos cerebrais em bebês carentes de oxigênio nas
 regiões em desenvolvimento
Aparelho, que reduz a temperatura corporal do bebê, é ideal para ser utilizado em países mais pobres sem recursos médicos
 
Pesquisadores e alunos da Universidade Johns Hopkins, nos EUA, desenvolveram uma unidade de baixo custo para fornecer refrigeração a bebês privados de oxigênio antes do nascimento.
 
Quando bebês não recebem oxigênio antes do nascimento, danos cerebrais e doenças como a paralisia cerebral podem ocorrer. A refrigeração prolongada pode evitar lesões cerebrais, mas este tratamento não é sempre disponível em países em desenvolvimento.
 
Para atender a essa necessidade, os pesquisadores criaram o dispositivo, chamado Cooling Cure, que tem como objetivo reduzir a temperatura do recém-nascido durante três dias, um tratamento que tem sido mostrado para proteger a criança de dano cerebral, se administrado pouco depois da ocorrência de perda de oxigênio.
 
As causas mais comuns da privação de oxigênio é a amarração do cordão umbilical ou um problema com a placenta da mãe durante um parto difícil. Nas regiões em desenvolvimento, o parto irregular, anemia e desnutrição durante a gravidez também podem contribuir para a privação de oxigênio.
 
Resultados publicados na revista Medical Devices: Evidence and Research, os inventores relataram testes em animais bem sucedido do protótipo.
 
O dispositivo é feito de uma panela de barro, uma cesta revestida de plástico, areia, pó de gelo instantâneo, sensores de temperatura e um microprocessador e duas pilhas. Para ativá-lo, basta adicionar água.
 
Este pó é o tipo usado em bolsas de gelo que ajudam a reduzir o inchaço. Para ativar a unidade de arrefecimento do bebê, é adicionada água à mistura de areia e pó, provocando uma reação química que extrai o calor para fora do cesto superior, que embala o recém-nascido. O produto químico não entra em contato direto com o bebê.
 
As baterias ativam um microprocessador e sensores que monitoram a temperatura interna e da pele da criança. Pequenas luzes piscam em vermelho se a temperatura do bebê é muito quente, e em verde se a temperatura está correta e azul se a criança está muito fria. Ao ver as luzes, enfermeiras ou um membro da família podem adicionar água para aumentar o resfriamento. Se a criança estiver muito gelada, o cuidador pode retirar a criança da superfície de refrigeração até que a temperatura adequada seja restaurada.
 
"Os alunos vieram com um dispositivo que é fácil para as pessoas não especializadas usarem. É barato e fácil de usar", afirma Michael V. Johnston, que aconselhou a equipe de graduação.
 
Os alunos e seus professores obtiveram uma patente provisória que cobre o baixo custo da unidade de refrigeração do bebê. Em um futuro próximo, eles esperam começar testes clínicos em humanos em uma região em desenvolvimento.
 
Fonte isaude.net

Cientistas dos EUA identificam gene alterado em indivíduos obesos

Dr. Shaoyong Su, responsável pela pesquisa
Foto: Phil Jones/GRU
Dr. Shaoyong Su, responsável pela pesquisa
Estudo pode explicar por que algumas pessoas ficam obesas com uma má alimentação e pouca atividade física, enquanto outras não
 
Cientistas da Georgia Regents University, nos EUA, identificaram um gene que é consistentemente alterado na obesidade.
 
Pesquisa pode ajudar a entender por que alguns indivíduos ficam obesos com uma má alimentação e pouca atividade física, enquanto outros não.
 
O gene LY86 estava entre um grupo de 100 genes identificados como contribuintes para a obesidade através de estudos de associação ampla de genoma comparando o DNA de milhares de indivíduos obesos e magros.
 
O líder da pesquisa Shaoyong Su analisou grupos cada vez maiores de indivíduos obesos em comparação com magros e encontrou LY86 consistente e quimicamente alterado, ou metilado, nos indivíduos obesos. "A associação é sólida, a metilação deste gene é importante para a obesidade", afirma.
 
É sabido que a obesidade é hereditária, que se os pais são obesos, as crianças estão em maior risco. "No entanto o ambiente, incluindo alimentos ricos em gordura e exposição química também pode colocar as pessoas em risco", explica o pesquisador. A metilação é uma forma de o corpo se ajustar ao seu ambiente.
 
Pesquisas anteriores mostraram que LY86 é um gene de inflamação e os estudos recentes de Su sugerem, na verdade, que ele pode estar contribuindo para mais do que apenas a obesidade.
 
O estudo descobriu que a metilação elevada de LY86 também foi associada com aumento da inflamação, fator de risco para uma variedade de doenças, tais como doenças cardiovasculares e câncer, bem como resistência à insulina, causa do diabetes. Esta associação também apareceu entre um grupo de cerca de 703 pessoas que, assim como o público em geral, incluíu indivíduos obesos, magros e de peso médio.
 
A equipe pretende, agora, retornar ao modelo animal para ver se a metilação muda a expressão gênica para cima ou para baixo em ratos gordos, bem como ratas grávidas e seus filhos.
 
Stu também está avançando com mais estudos com humanos, olhando para um novo grupo de indivíduos magros e obesos, analisando sua expressão de DNA para ver se a metilação aumentada de LY86 significa que o gene se expressa mais ou menos. Geralmente, maior metilação é pensada em se traduzir em uma menor expressão do gene.
 
Os pesquisadores também esperam descobrir se a metilação deriva de coisas como uma dieta rica em gordura, da genética infeliz ou de ambos. "Esses tipos de detalhes podem ajudar a explicar por que alguns indivíduos ficam obesos com uma má alimentação e pouca atividade física, enquanto outros não. Ele também pode significar que uma mudança ambiental positiva, tal como uma melhor dieta ou atividade física, pode inverter, pelo menos, um pouco da metilação. As pessoas podem não emagrecer, por exemplo, mas podem reduzir o risco de doenças relacionadas à obesidade", conclui Su.
 
Fonte isaude.net

Últimas refeições realizadas antes de cirurgia afetam recuperação

Estudo identificou que trauma cirúrgico modificou os tecidos de gordura localizados tanto perto quanto longe do local do trauma
Estudo identificou que trauma cirúrgico modificou os tecidos
de gordura localizados tanto perto quanto longe do local do trauma
Estudo mostra que qualidade e quantidade de tecidos de gordura são importantes na resposta do corpo a uma operação
 
As últimas refeições realizadas antes de uma cirurgia podem fazer a diferença na recuperação após o procedimento, de acordo com pesquisadores do Brigham and Womens Hospital, nos EUA.
 
O tecido adiposo é uma das componentes mais dominantes que formam o corpo, e ele é sempre traumatizado durante uma cirurgia. A equipe descobriu que este trauma direto tem grande impacto no equilíbrio de químicos do tecido adiposo que são conhecidos por se comunicarem com órgãos próximos e distantes.
 
No estudo, os ratos que consumiram uma dieta típica ocidental, rica em gordura, mostraram resposta desequilibrada exagerada. Importante, a restrição da ingestão de alimentos para uma dieta baixa em gordura apenas algumas semanas antes da cirurgia reestabeleceu o desequilíbrio de volta para uma resposta normal.
 
O estudo foi publicado na revista Surgery.
 
O autor principal C. Keith Ozaki e seus colegas mediram como a gordura responde à cirurgia e se a restrição da ingestão de calorias antes da cirurgia mudou a forma como o tecido de gordura respondeu ao trauma típico que geralmente ocorre durante uma operação.
 
"Os cirurgiões notaram que a redução do trauma acelera a recuperação do paciente após uma cirurgia. Enquanto fazemos isso bem para órgãos específicos, como o coração, vasos sanguíneos, fígado, e assim por diante, historicamente temos prestado pouca atenção à gordura que cortamos para expor estes órgãos. Nossos resultados desafiam-nos a aprender mais sobre como a gordura responde ao trauma, que fatores impactam esta resposta, e como a resposta a gordura está ligada à evolução de pacientes individuais", observa Ozaki.
 
Pesquisadores alimentaram um grupo de ratos com uma dieta rica em gorduras (contendo 60% de calorias de gordura), ao passo que o grupo controle recebeu uma dieta mais normal (contendo 10% de calorias de gordura).
 
Três semanas antes da cirurgia, os investigadores mudaram alguns dos ratos de dieta. Durante a cirurgia, os investigadores realizaram procedimentos que poderiam ocorrer durante a operação normal, e observaram que o trauma cirúrgico rapidamente modificou os tecidos de gordura localizados tanto perto quanto longe do local do trauma.
 
Isto resultou em aumento da inflamação e diminuição da síntese de hormônios especializados da gordura, especialmente nos ratos adultos jovens e aqueles que tinham uma ferida infeccionada.
 
No entanto, a redução da ingestão de alimentos antes de uma cirurgia tende a reverter essas atividades para os ratos de todos os grupos de idade, mesmo na configuração da infecção. Os resultados sugerem que, embora a gordura seja um tecido muito dominante no corpo humano, sua capacidade de mudar rapidamente pode ser aproveitada para reduzir complicações nos seres humanos em situações de estresse, tais como a cirurgia.
 
"Nossos resultados destacam que a qualidade dos tecidos de gordura parece ser importante, juntamente com a quantidade total de gordura do corpo, quando se trata da resposta do corpo a uma operação", conclui Ozaki.
 
Fonte isaude.net

Teste de saliva pode prever comportamento agressivo em meninos

Estudo revela ligação direta entre concentrações salivares de três hormônios e a agressividade em crianças
 
Um teste simples de saliva pode ser um método eficaz para prevê o comportamento agressivo em meninos. É o que sugere estudo de pesquisadores do Cincinnati Children's Hospital Medical Center, nos EUA.
 
Os resultados revelam uma ligação direta entre as concentrações salivares de certos hormônios e a agressividade.
 
Pesquisadores liderados por Drew Barzman reuniram amostras de saliva de 17 meninos com idades entre 7 a 9 anos que foram internados no hospital para tratamento psiquiátrico.
 
Eles, então, usaram estas amostras para avaliar quais crianças foram mais propensas a apresentar agressividade e violência.
 
As amostras foram recolhidas três vezes em um dia imediatamente após a admissão no hospital. Em seguida, as amostras foram analisadas quanto aos níveis de três hormônios: cortisol; testosterona e desidroepiandrosterona (DHEA).
 
Segundo os pesquisadores, a abundância e o nível de agressão estavam associados com a força destes hormônios.
 
A equipe estava à procura de um teste rápido que pode revelar tendências agressivas em pacientes pediátricos, problema comum em unidades psiquiátricas. "Acreditamos que os testes hormonais salivares têm o potencial de ajudar os médicos a monitorar quais tratamentos funcionam melhor para seus pacientes. E como os profissionais de saúde mental são muito mais propensos a serem agredidos no trabalho, ele pode oferecer uma maneira rápida de antecipar o comportamento violento em unidades de psiquiatria infantil. Eventualmente, nós esperamos que este teste possa também fornecer uma ferramenta para ajudar a melhorar a segurança nas escolas", afirma Barzman.
 
Os autores observam que, apesar do pequeno tamanho do estudo, os dados são significativos e lhes dá a chance de avançar. Mais estudos são necessários antes de uma conclusão final possa ser feita, mas o desenvolvimento de uma nova ferramenta para prever o comportamento violento é o objetivo principal.
 
 
Fonte isaude.net

22 de Março: Dia Mundial da Água

 
 
Sabendo usar, não vai faltar!

Use a água a seu favor e aproveite os benefícios

Escalda pés - Foto Getty ImagesEscalda pés, compressas e umidificadores são apenas algumas das opções
 
Você já parou para pensar como a água faz parte do seu dia a dia?
 
Está presente desde o momento em que você acorda e escova os dentes até a hora do banho antes de dormir. Mais do que isso, ela constitui 70% da sua composição corporal.
 
Para comemorar o Dia Mundial da Água, 22 de março, montamos uma lista com o apoio de especialistas para sugerir diferentes maneiras de utilizá-la a favor da sua saúde.
 
Descubra e aproveite os benefícios:
 
Umidificador - Foto Getty ImagesUmidificadores
Se você é do tipo que sofre com a baixa umidade do ar antes mesmo de qualquer anúncio oficial, então sabe como uma simples bacia de água no quarto pode ser a diferença entre uma boa ou má noite de sono. Segundo a pneumologista Suzana Pimenta, do Hospital 9 de Julho, isso acontece porque a água é fundamental para a respiração. "Ela mantém vias aéreas superiores, traqueia e brônquios úmidos, facilitando a limpeza do sistema respiratório e reduzindo possíveis desconfortos", explica.

O umidificador pode ser uma boa pedida em períodos de pouca chuva - especialmente para quem já é vítima de problemas respiratórios, como a rinite. Mas o pneumologista Roberto Stirbulov, presidente da Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisologia, afirma que beber bastante água também pode dar conta da tarefa de umedecer. "A hidratação oral dispensa o uso do aparelho que, se não higienizado com frequência, pode levar à proliferação de fungos", aponta.
                  
Escalda pés - Foto Getty ImagesEscalda pés
Se o objetivo é relaxar e aliviar dores nas pernas e nos pés, nada melhor do que o escalda pés. Para realizar o procedimento, basta colocar água quente (por volta dos 38º C) em uma bacia e adicionar óleos essenciais. A aromatóloga Sâmia Maluf, proprietária da By Samia Aromaterapia, em São Paulo, conta que o melhor horário para realizar o escalda pés é no final do dia e a duração da técnica pode levar entre 15 e 20 minutos.
 
Compressa de água - Foto Getty ImagesCompressas
Compressas de água têm diversas utilidades, mas uma das mais requisitadas é no tratamento de contusões, torsões e problemas musculares. "Elas ajudam a amenizar a dor e diminuir processos inflamatórios", diz o fisioterapeuta Evaldo Bosio Filho, membro da Sociedade Nacional de Fisioterapia Esportiva. Segundo o especialista, a compressa é contraindicada apenas no caso de fraturas, infecções ou lesões com ferimentos expostos.

Dúvidas sobre quando usar a compressa quente ou fria? Evaldo indica as compressas frias em situações de lesão aguda, ou seja, que acabaram de acontecer. "O frio é um excelente analgésico e ainda provoca vasoconstrição, que reduz o fluxo sanguíneo, impedindo o aumento do processo inflamatório", explica. Já a quente é indicada em casos de tensão muscular, pois o aumento do fluxo sanguíneo promove o relaxamento da musculatura.
 
Banho relaxante - Foto Getty ImagesBanho relaxante
Mesmo sem qualquer preparo, banho é sinônimo de relaxamento. Imagine, então, se forem adicionadas essências, velas e até uma música de fundo. É assim que funcionam os banhos relaxantes. Comuns em Spas, eles também podem ser organizados por quem tem banheira em casa. "Basta encher a banheira com água em uma temperatura agradável, colocar fragrâncias do seu agrado e decorar o local com itens que lembrem tranquilidade", ensina a fisioterapeuta Bianca Righetto, do Oásis Spa Urbano, em São Paulo. Segundo ela, a água morna promove a ativação da circulação sanguínea, o que, somado ao ambiente, ajuda a relaxar e deixar o estresse de lado.
 
Homem tomando banho - Foto Getty ImagesHigiene corporal
A água é fundamental para a higiene corporal, mas alguns cuidados são essenciais para não prejudicar a pele, as unhas e os cabelos. Segundo a dermatologista Lizandra Machado, do Hospital 9 de Julho, o banho deve ter água morna e não pode durar mais do que 10 minutos. "Banhos prolongados ou quentes removem a barreira natural de gordura que lubrifica e protege a pele, deixando-a mais seca e suscetível a alergias e coceiras", explica.

Os mesmos cuidados devem ser levados em conta para manter unhas e cabelos saudáveis. Ficar muito tempo com as mãos embaixo da água, mesmo em atividades como lavar a louça, deixa as unhas fracas e quebradiças. Já cabelos úmidos por muito tempo podem ficar com os fios enfraquecidos e favorecer a proliferação de fungos. Por isso, nada de dormir com as madeixas molhadas.
 
Homem lavando o rosto - Foto Getty ImagesLimpeza do rosto
De acordo com a dermatologista Lizandra, o rosto deve ser lavado no mínimo duas vezes ao dia para eliminar impurezas acumuladas na pele. Parece simples? Mas a maior parte das pessoas realiza esse hábito de maneira equivocada. "As mãos devem ser higienizadas antes de lavar o rosto com produtos específicos para seu tipo de pele e a água deve estar morna ou em temperatura ambiente", aponta a especialista. Após a higiene, seque o rosto com papel descartável fazendo pressão com as mãos, sem esfregar.
 
Homem bebendo água - Foto Getty ImagesHidratação
Perdemos água diariamente através do suor, da urina e até da respiração. Não repor essa quantia perdida significa atrapalhar esses processos e ainda impedir o bom funcionamento do organismo como um todo. "Sem água, não é possível fazer o transporte de nutrientes entre as células ou mesmo eliminar substâncias tóxicas retidas em nosso corpo", afirma a nutricionista Maria Fernanda Cortez, da Nutri & Consult, em São Paulo.

A desidratação está associada ao cansaço crônico, a problemas capilares e de pele, à insônia e até ao envelhecimento precoce. Por isso, a especialista recomenda ingerir cerca de 100 ml de água a cada 30 minutos, lembrando que esse consumo deve ser feito em pequenos goles ao longo do dia. Para atingir essa meta mais facilmente, vale investir em alimentos com grande porcentagem de água, como melancia, além de chás e sucos, de preferência naturais. Outra ideia para quem não gosta de beber água é adicionar hortelã ou rodelas de limão, para criar uma água aromatizada.
 
Fonte Minha Vida

Maior parte dos homens com disfunção erétil não recebe tratamento

Opções são comprovadamente eficazes, mas vergonha atrapalha busca por ajuda
 
Perder a ereção é motivo de grande preocupação para a maior parte dos homens, mas, mesmo quando o problema se torna constante, são poucos os que buscam ajuda médica. Isso é o que mostrou um estudo apresentado no 28º Annual European Association Urology Congress. De acordo com a pesquisa, a maior parte dos homens com disfunção erétil não recebe tratamento. Na verdade, apenas um quarto deles recebe tratamento médico.

A descoberta é baseada em dados de mais de 87 mil homens coletados durante 12 meses, de 2010 a 2011. Todos preencheram um questionário indicando se faziam ou não tratamento para disfunção erétil. Do total, mais de seis mil apresentavam o problema, mas apenas 25,4% recebiam tratamento.

A disfunção erétil afeta entre 15 e 25% dos homens com 65 anos e 5% dos homens com 40 anos. As principais causas do problema incluem condições do fluxo sanguíneo, uso de determinados medicamentos, doenças e questões psicológicas, como ansiedade e depressão. Além disso, estudos anteriores mostraram a disfunção erétil como fator de risco para doenças cardíacas.

Tratamentos para disfunção erétil
Eles são comprovadamente eficazes, oferecem poucos efeitos colaterais e ainda garantem melhora incalculável da sua vida sexual.
 
Conheça a seguir sete tratamentos para disfunção erétil:
 
Medicamento de disfunção erétil - Foto Getty ImagesMedicamentos orais
Medicamentos orais são sempre a primeira opção de tratamento da disfunção erétil, desde que o paciente não apresente lesões nas artérias do pênis ou alguma contraindicação quanto às substâncias presentes nas fórmulas. "Eles melhoram o fluxo sanguíneo para o pênis, o que favorece a ereção", afirma o urologista Conrado Alvarenga, do Grupo de Disfunção Sexual do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP. Eles devem ser ingeridos com estômago não muito cheio, por volta de uma a duas horas antes da relação sexual e variam quanto ao tempo de ação e potência máxima.

Medicamentos de ação prolongada, por exemplo, podem agir por até 36 horas. Isso não significa que o homem terá uma ereção de 36 horas, mas que durante esse período ele conseguirá ter ereções se for estimulado sexualmente. A obrigação de tomar o remédio antes de ter a relação, entretanto, incomoda alguns homens por atrapalhar a espontaneidade do momento. Nestes casos, o profissional pode receitar uma dosagem diária do medicamento, como se fosse um tratamento contínuo. Os principais efeitos colaterais são dor de cabeça, rubor, sensação de nariz entupido e taquicardia. Ao sinal desses ou de quaisquer outros sintomas, o médico deverá ser informado.
 
Seringa - Foto Getty ImagesInjeção intra-cavernosa
Se os medicamentos via oral não surtirem efeito ou forem contraindicados, o especialista partirá para a segunda opção de tratamento: injeção intra-cavernosa. A vantagem do método é o fato de o medicamento agir cerca de quinze minutos depois da aplicação. Além disso, neste caso não é necessário qualquer estímulo para que o homem tenha a ereção. "A substância injetada estimula a circulação e promove a dilatação das artérias no local, o que aumenta o fluxo sanguíneo no pênis levando à ereção", afirma o urologista Geraldo. O tempo de duração da ereção varia de acordo com a dose injetada, o que é estabelecido na consulta com o médico.

Embora eficaz, o tratamento nem sempre é bem aceito pelos pacientes. "Algumas pessoas têm pavor de agulha", afirma o urologista Geraldo. "Imagine, então, se ela precisar ser introduzida no pênis". O especialista ressalta ainda que indivíduos com dificuldade de visualizar o pênis ou doenças que gerem tremores nas mãos devem solicitar auxílio do parceiro para a aplicação. Os efeitos colaterais da injeção intra-cavernosa se restringem a alergias a alguma das substâncias presentes no medicamento.
 
Médicos fazendo cirurgia - Foto Getty ImagesPrótese peniana maleável
Próteses penianas são intervenções cirúrgicas e, portanto, tratamentos mais complexos do que a ingestão de medicamentos ou injeções. Assim, eles ocupam o terceiro lugar na escala de opções para o paciente com disfunção erétil. O tipo maleável é o mais simples e mais em conta (cerca de três mil reais). "O médico introduz uma haste metálica envolvida em silicone no pênis do paciente, o que faz com que ele fique rijo o suficiente para a penetração 100% do tempo", explica o urologista Geraldo. Na hora da relação, basta elevar o pênis.

A cirurgia de prótese peniana maleável dura cerca de uma hora e ele já pode sair do hospital 24 horas após a intervenção com um curativo compressor para evitar hematomas e para manter o pênis para baixo, facilitando a ida ao banheiro, por exemplo. Nos dias que se seguem, há um incômodo natural da cirurgia, mas nenhuma dor aguda.

A vida sexual, por sua vez, pode ser retomada 30 dias depois da alta. Vale reforçar que esta é uma ereção completamente artificial. Mas, segundo o urologista, costuma proporcionar maior satisfação ao paciente do que os medicamentos ou a injeção. O único cuidado do homem é na hora de "acomodar" o pênis. Já que ele está ereto o tempo inteiro, ele pode precisar de cuecas especiais para disfarçar o volume.
 
Homem no consultório médico - Foto Getty ImagesPrótese peniana inflável
Diferente da prótese peniana maleável, a prótese inflável permite que o pênis volte ao estado de flacidez após o ato sexual. O método inclui a introdução de cilindros infláveis no pênis conectados a uma bombinha com líquido, que simularia o sangue, implantada na região escrotal, como se fosse um terceiro testículo. Para promover a ereção, basta acionar a bombinha que drenará esse líquido para o cilindro. Após a relação, o pênis deve ser levemente pressionado para baixo para que o líquido volte para a bombinha e ele fique novamente flácido.

A cirurgia dura cerca de duas horas e o paciente precisa ficar hospitalizado durante um dia, aproximadamente. Assim como na prótese maleável, atividade sexual pode ser retomada cerca de 30 dias depois do procedimento e nenhuma atividade do dia a dia é prejudicada. Dos dois tipos, este é o que consegue deixar o pênis mais ereto. As vantagens, entretanto, têm seu custo. Segundo o urologista Conrado, a prótese custa em torno de 40 mil reais.
 
Homem fazendo terapia - Foto Getty ImagesTerapia
"Em muitos casos, a disfunção erétil têm como origem fatores psicológicos", afirma o urologista Conrado. Para esses pacientes, nenhum dos tratamentos anteriores é indicado. O melhor é consultar um terapeuta com formação em sexologia que poderá ajudar a acabar com esse bloqueio. O problema pode começar num dia qualquer em que, por causa da ansiedade, o homem não conseguiu ter a ereção. Se não controlar o medo de sofrer impotência nas próximas oportunidades, a cobrança se torna cada vez maior, o que atrapalha ainda mais seu desempenho.

Segundo o urologista Geraldo, é comum que homens com disfunção erétil peçam indicação de um medicamento para um colega em vez de consultar um especialista. Isso pode não só mascarar o problema, como ainda trazer sérios problemas de saúde, caso ele não tenha o perfil adequado para aquele medicamento.
 
Médicos fazendo cirurgia - Foto Getty ImagesRevascularização
A revascularização é um procedimento indicado para um público com disfunção erétil bastante restrito. "Ela é feita quando o paciente tem problemas nas artérias que irrigam o pênis", explica o urologista Geraldo. O caso, entretanto, deve ser muito bem avaliado. Fazer uma ponte de safena no coração, por exemplo, é fundamental já que o órgão funciona 24 horas por dia. O pênis, por sua vez, passa a maior parte do tempo inativo. Melhorar sua vascularização, portanto, pode levar à obstrução de veias, já que o fluxo sanguíneo diminui muito quando ele está flácido.
 
Homem olhando dentro da calça - Foto Getty ImagesBomba de vácuo
De acordo com o urologista Conrado, as bombas de vácuo ficaram esquecidas como parte do arsenal de tratamentos da disfunção erétil, mas vem novamente ganhando força entre pacientes operados por câncer de próstata, funcionando como auxiliares na reabilitação peniana. Hoje, elas são vendidas apenas em sex shops, já que aumentam o volume do pênis. Ele consiste em um cilindro dentro do qual o pênis é introduzido. "Por meio de um sistema de sucção, então, o ar é retirado do cilindro, diminuindo a pressão interna", afirma. Essa pressão negativa favorece o fluxo de sangue para dentro do pênis, o que favorece a ereção.

A bomba de vácuo é usada no meio médico apenas em pacientes que precisaram remover a prótese peniana por infecções ou rejeição. Durante o período que eles precisarão esperar para fazer outra intervenção, a bomba pode ser útil impedindo que as cicatrizes deformem o órgão.
 
Fonte Minha Vida

Estudos mostram que casais homossexuais são ótimos pais

Apesar de muitas pessoas serem contra homossexuais terem filhos, pesquisas mostram que eles têm ótimas chances de serem bons pais. Veja abaixo evidências científicas dessa afirmação.
 
* Homossexuais fazem uma escolha consciente ao decidirem ter filhos. De acordo com o instituto americano Guttmacher, muitas vezes casais heterossexuais engravidam acidentalmente, e apesar de alguns deles se dedicarem a tarefa e serem bem sucedidos, outros podem não estar preparados para as responsabilidades da paternidade.
 
Casais homossexuais escolhem ter filhos e passam por diversos obstáculos para realizarem esse sonho. Assim, eles tendem a ser mais motivados e comprometidos por terem decidido ter um bebê e se preparado para isso.
 
* Casais homossexuais muitas vezes escolhem adotar, dando cuidados, carinho e melhores oportunidades para crianças necessitadas e carentes financeiramente e emocionalmente. Uma pesquisa do Donaldson Adoption Institute, nos Estados Unidos, mostra que 60% dos casais de gays e lésbicas adotam crianças de raças diferentes das suas, algo difícil para alguns casais. Além disso, os dados do instituto mostram que 25% das crianças foram adotadas após os três anos, sendo que metade delas tinha necessidades especiais. Ambos os fatores dificultam a adoção da criança, já que normalmente são preferidas crianças mais jovens e normais.
 
*Gays e lésbicas ensinam seus filhos a serem tolerantes. Uma pesquisa feita em 2007, na Universidade Clark, mostra que pessoas que foram criadas por casais homossexuais dizem que seu contexto familiar os ensinaram a serem mais abertos e empáticos, além de deixá-los livres para realizarem as atividades que quisessem, sem estabelecer limites entre práticas femininas ou masculinas.
 
Estas evidências, dentre outras, levaram a Academia Americana de Pediatria, uma das maiores referências no cuidado infantil, a anunciaru no dia 21 de março o seu apoio não apenas ao casamento homossexual mas também aos direitos de adoção e de tutela para casais gays e lésbicos. “As crianças prosperam em famílias que são estáveis e que dão segurança permanente, e a forma de fazermos isso é através do casamento.
 
A AAP acredita que deveria haver oportunidades iguais para cada casal de ter a estabilidade econômica e os apoios federais dados a casais casados para a criação de uma criança”, afirma Benjamin Siegel, porta voz da AAP.
 
Fonte Live Science

Crianças que consomem leite desnatado são mais gordas

Pesquisa realizada pelas universidades da Virgínia e de Colúmbia, nos Estados Unidos, mostrou que as crianças norte-americanas com idades entre dois e quatro anos que bebem leite desnatado ou leite com 1% de gordura apresentavam maior índice de massa corporal (IMC).
 
O estudo envolveu 10.700 crianças que tiveram seu IMC calculado na idade de dois anos e seus pais responderam um questionário sobre o tipo de leite que deram a seus filhos.

As crianças foram acompanhadas até completarem quatro anos, quando tiveram seu IMC calculado novamente.
 
A maior parte das crianças (87% de dois anos e 79,3% de quatro anos) tomava leite desnatado ou leite com 1% de gordura.
 
Corrigindo os subgrupos raciais, étnicos e socioeconômicos, os resultados mostraram que aqueles que consumiam esses dois tipos de leite tinham IMC mais elevados do que os que consumiam leite integral.

O estudo foi publicado na revista Archives of Disease in Childhood.
 
Fonte UPI

Medicamento de marca, genérico e similar: qual a diferença?

Com milhares de fórmulas de princípios ativos disponíveis no mercado para o tratamento das mais variadas doenças, muitas pessoas ficam na dúvida na hora de comprar medicamentos.
 
Seja pela marca do laboratório, pelo preço, por aconselhamento do médico ou do farmacêutico, ou ainda pelo receio de consumir medicamentos genéricos ou pela falta de conhecimento sobre o assunto, muitas pessoas acabam por pagar mais caro nos chamados “medicamentos de marca”.
 
Um medicamento é um produto farmacêutico composto por uma ou mais moléculas, o que é chamado de princípio ativo. O objetivo primário de todo medicamento é atingir um alvo específico no corpo, promovendo benefícios a quem o toma.
 
Existem diferenças entre medicamentos sintéticos e biológicos. Esses últimos são produzidos a partir de seres vivos, por meio da combinação de DNA humano com sistemas celulares não-humanos. Dessa forma, os medicamentos biológicos possuem moléculas grandes e em seu processo de manufatura devem ser controlados para não ocorrerem variações em sua estrutura durante a fabricação.
 
Os medicamentos biológicos são difíceis de serem digeridos pelo intestino, sendo administrados por injeção para chegar diretamente ao sangue. Os medicamentos sintéticos, por sua vez, são aqueles obtidos através da combinação de substâncias químicas, sendo que seu princípio ativo tem moléculas pequenas e mais estáveis no organismo, o que faz com que sejam absorvidas rapidamente pelo corpo.
 
 
Conhecer as semelhanças e diferenças entre os medicamentos é fundamental para medir o melhor custo-benefício na hora de comprar.
 
Veja abaixo o que é cada tipo de medicamento:
 
Medicamento de Marca
O medicamento de marca, também chamado de inovador, é aquele cujo princípio ativo tenha sido o primeiro a obter registro no país. Isso só ocorre após a realização de pesquisas e testes que validem seus efeitos e que mostrem sua segurança para consumo humano. Sua formulação é protegida por uma patente.
 
A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) analisa os dados das pesquisas e, através da Gerência Geral de Medicamentos (GGMED), libera ou não a patente do princípio ativo para o laboratório.
 
O processo de liberação é longo, sendo necessário que o laboratório apresente os resultados das três fases de estudos clínicos que foram realizados, informações técnicas sobre a droga e sua toxidade, estudos que comprovem seu prazo de validade, o texto da bula, a estimativa de preço de venda e um certificado emitido pela própria ANVISA que garanta que a fábrica onde o medicamento será produzido segue os padrões estabelecidos por lei. Um medicamento inovador leva de 9 a 14 meses para ser aprovado pela Agência.
 
Medicamento Genérico
Quando a patente expira, a legislação brasileira permite que outros laboratórios passem a fabricar o medicamento inovador, desde que comercializados pelo nome de seu principio ativo. Para lançar um medicamento genérico, a empresa deve provar à ANVISA que seu produto é uma cópia do medicamento inovador, e que atende às normas dos órgãos regulatórios. Dessa forma, o genérico deve ter o mesmo fármaco, na mesma quantidade e forma farmacêutica do medicamento de referência.
 
O genérico possui a mesma eficácia do medicamento inovador, mas, como não houve gastos com pesquisas, eles custam, no mínimo, 35% a menos do que os remédios de marca. Isso não quer dizer não são realizados estudos, pois é necessário garantir a bioequivalência do genérico em relação ao medicamento de referência.
 
Bioequivalência é a demonstração de equivalência farmacêutica entre os medicamentos apresentados sob a mesma forma farmacológica, contendo idêntica composição qualitativa e quantitativa de princípios ativos e que tenham biodisponibilidade (velocidade e a extensão de absorção de um princípio ativo em uma forma farmacêutica, a partir de sua curva concentração / tempo na circulação sistêmica ou sua secreção na urina) quando estudados sob experimentos similares.
 
Os medicamentos genéricos possuem regras de venda: não podem ser vendidos sob nome comercial, sendo que em sua caixa deve constar a denominação química do princípio ativo, além da tarja amarela com a frase “Medicamento genérico – Lei 9.787/99”.
 
A política de genéricos no Brasil foi criada a fim de ampliar o acesso da população aos medicamentos. O foco principal dos genéricos vendidos hoje são as doenças crônicas, como a hipertensão e o diabetes. Hoje, segundo dados da Associação Brasileira das Indústrias de Medicamentos Genéricos (Pró Genérico), é possível comprar medicamentos com valores até 65% menores do que antes da que permite a venda de genéricos e similares.
 
Medicamento Similar
Assim como ocorre com o medicamento genérico, o similar tem o mesmo principio ativo, concentração, forma farmacêutica, administração e indicação terapêutica do medicamento inovador, mas é vendido com outro nome comercial. Contudo, de acordo com a legislação vigente, parte dos medicamentos similares podem não possuir comprovação de bioequivalência com a droga inovadora, mas todos devem ser submetidos a testes pela ANVISA.
 
A obrigatoriedade de estudos de equivalência farmacêutica surgiu através da RDC 134/03, em 2003. Foi determinado que 21 princípios ativos específicos apresentassem comprovação de bioequivalência naquele ano, e os demais têm até 2014 para apresentar seus resultados à ANVISA. Da mesma forma que um medicamento de marca, a droga similar é vendida com um nome fantasia, que vem estampado em sua embalagem seguido de seu princípio ativo.
 
Como sua fabricação exige custos menores do que a de um medicamento inovador, o similar tende a ser mais barato. Dos 11 mil medicamentos registrados na ANVISA, estima-se que cerca de oito mil são similares.
 
Referências
 
Boa Saúde – www.boasaude.com.br Bibliomed
 
www.bibliomed.com.br Pfizer – Manual: Medicamentos de Marca, Genéricos e Similares. Novembro de 2012 Agência Nacional de Vigilância Sanitária
 
– ANVISA - http://portal.anvisa.gov.br/wps/portal/anvisa/home. Acessado em 04 de março de 2013
 
FARIA, Marta. TAVERES-NETO, José. Conhecimento popular sobre medicamento genérico em um Distrito Docente-Assistencial do Município de Rio Branco, Estado do Acre, Brasil. Epidemiol. Serv. Saúde v.15 n.3 Brasília set. 2006. Disponível em http://dx.doi.org/10.5123/S1679-49742006000300005. Acessado em 01 de março de 2013 RUMEL, Davi. NISHIOKA, Sérgio.
 
SANTOS, Adélia. Intercambialidade de medicamentos: abordagem clínica e o ponto de vista do consumidor. Rev Saúde Pública 2006;40(5):921-7. Disponível em http://www.scielo.br/pdf/rsp/v40n5/24.pdf. Acessado em 01 de março de 2013.

Garoto quase fica paralisado após médicos confundirem câncer com "dor do crescimento"

Mesmo com tratamento, médicos alertaram de que a
doença poderia voltar
Garoto quase fica paralisado após médicos confundirem câncer com "dor do crescimento"
 
Milan Patel, de 13 anos, que mora em Warwickshire, na Inglaterra, quase ficou paralisado após os médicos confundirem câncer com "dor do crescimento".
 
O garoto foi ao hospital depois de sentir fortes dores nas costas devido a um tumor do tamanho de uma bola de tênis.
 
Ao chegar ao local, os médicos disseram que seu problema estava associado a sua fase de crescimento e puberdade, segundo o site Daily Mail.
 
Duas semanas depois, ao tentar andar e perceber que não conseguia se movimentar direito, Milan foi levado novamente ao pronto-socorro. Durante uma ressonância magnética, o menino foi diagnosticado com sarcoma de Ewing — uma forma rara de câncer no osso que atinge principalmente crianças e adolescentes.
 
Após o resultado, ele passou por uma cirurgia de três horas para remover o tumor. Em sua recuperação, o garoto foi submetido à radioterapia e quimioterapia, quatros vezes por semana, durante um ano.
 
Mesmo com o tratamento, os médicos alertaram a família de que a doença poderia voltar.
 
Fonte R7

Após transplante, homem fica com quatro rins e três pâncreas

Jones faz parte de uma ação que ajuda a conscientizar as
pessoas sobre a importância da doação de órgãos
Médicos transplantaram órgãos novos, mas mantiveram os antigos no corpo do homem
 
Depois de passar por dois transplantes por causa da falência de seus órgãos, Carl Jones, de 32 anos, ficou com quatro rins e três pâncreas. Ele, que vive em Carmathen, no País de Gales, sofria com diabetes.
 
Durante a operação, os médicos transplantaram dois rins e também dois pâncreas. Porém, resolveram manter também os órgãos que não funcionavam mais.
 
Após o procedimento, Jones está curado e já não precisa mais se tratar com a hemodiálise (filtragem do sangue para remover de substâncias tóxicas).
 
— A única coisa difícil para mim é perder peso, pois tenho órgãos a mais dentro do meu corpo.
 
Agora, o homem faz parte da chamada Caminhando pela Vida, uma ação que ajuda a levantar dinheiro para pesquisas e a conscientizar a sociedade sobre a importância da doação de órgãos.
 
— Quanto mais pessoas se envolverem, mais vidas serão salvas.
 
Fonte R7

Cai exigência de exclusividade de médicos da Unimed

O plenário do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) homologou na quarta-feira (20) a assinatura de 40 Termos de Compromisso de Cessação de Prática (TCC) com a Unimed em 39 processos administrativos para que a associação encerre a exigência de exclusividade de médicos. Além disso, o Cade encerrou outros 54 casos que estão na Justiça. A Unimed pagará, com o acordo, cerca de R$ 12 milhões, em multas.

Tecnicamente chamada de unimilitância, essa exigência proíbe os profissionais de prestar serviços que não estejam vinculados à cooperativa. O procurador geral do Cade, Gilvandro Araújo, apresentou números robustos envolvendo a Unimed. De acordo com ele, há 397 ações judiciais que tramitam atualmente envolvendo a cooperativa e, com o acordo, 348 delas já se encerram. Desde 1994, conforme Araújo, há também 58 processos de condenações, dos quais 54 acabam com os termos assinados ontem.

De acordo com o presidente do Cade, Vinícius Carvalho, as cidades menores eram as que mais sofriam com a prática. Isso porque ao vincular um médico à cooperativa e proibindo-o de trabalhar em outra empresa, dificultava a entrada de um plano de saúde concorrente. Além de ser uma barreira de entrada, também prejudicava o atendimento ao cliente.

Carvalho lembrou que, quando o Cade começou a atuar mais firmemente no setor evitando contratos de exclusividade, a Unimed começou a usar essa exclusividade como um atrativo ao médico, oferecendo-lhe mais benefícios. "Agora não tem mais nada", sentenciou.

Para fechar o acordo, o Cade abriu mão da multa diária que cobrava da Unimed por cada dia de descumprimento de suas determinações. Em contrapartida, a cooperativa pagará em dobro o valor da multa: R$ 11 milhões para a Justiça e mais R$ 810 mil para o órgão antitruste. "Com essa medida, conseguimos acabar com um terço dos processos administrativos que circulavam pelo Cade", disse. A saída desses processos também representa 25% a menos das ações que o órgão antitruste defende na Justiça. "Vamos desafogar."
 
Fonte Estadão

Estudo revela tratamento genético promissor contra leucemia em adultos

Uma terapia genética promissora permitiu, a partir da modificação de células do sistema imunológico, causar a remissão do câncer em um pequeno grupo pequeno de adultos com uma forma agressiva de leucemia, revelou um estudo publicado nos Estados Unidos.
 
Cinco pacientes com idades entre 23 e 66 anos, que sofriam de leucemia linfoblástica aguda, tiveram uma remissão completa depois de receber linfócitos geneticamente modificados provenientes de seu próprio sistema imunológico.
 
Este tratamento parece ter eliminado as células cancerosas que tinham reaparecido apesar da quimioterapia, indicam os resultados deste teste clínico, chefiado pelo doutor Renier Brentjens, oncologista do hospital Memorial Sloan-Kettering em Nova York.
 
O estudo é publicado na última edição da revista Science Translational Medicine.
 
Esta remissão, obtida entre uma semana e 59 dias, segundo os participantes, permitiu que quatro deles recebessem transplante de medula óssea, um tratamento eficaz para eliminar este tipo de leucemia mas que requer que o paciente tenha força para enfrentá-lo.
 
No quinto participante, a leucemia ressurgiu três meses depois do uso do tratamento fenético, quando o paciente estava muito doente para um transplante de medula óssea. Ele morreu pouco tempo depois.
Dos quatro que receberam transplante de medula óssea, um morreu de embolia pulmonar e outros ainda estão em tratamento.
 
Esta técnica genética consiste em recuperar no sangue dos doentes os linfócitos T, as principais células do sistema imunológico, para modificá-los geneticamente com um vírus e dotá-los de um receptor molecular, o que os permite atacar o câncer.
 
Uma vez modificados, estes linfócitos são devolvidos ao paciente via perfusão. Também têm a capacidade de se multiplicar no corpo para uma remissão duradoura.
 
Esta técnica já foi usada com sucesso nos Estados Unidos em crianças com leucemia.
 
"Embora este novo tratamento contra o câncer seja promissor, ainda deve ser ajustado para que se obtenha a máxima eficácia e sustentabilidade, assim como para reduzir ao mínimo os efeitos colaterais", afirmaram os autores da pesquisa.
 
Fonte R7

Aparelho do Censo é usado para combater dengue no RJ

Os equipamentos de coleta de dados do Censo começaram a ser usados no combate à dengue. Desde o mês passado, agentes de endemias de três municípios fluminenses - Magé, Duque de Caxias e Nova Iguaçu - têm feito registro em tempo real das visitas domésticas em busca de focos do mosquito transmissor da doença.
 
A intenção da Secretaria Estadual de Saúde é dar agilidade na elaboração de relatórios e montar um banco de dados que permita localizar as áreas de maior e menor incidência da doença.

Com base nos resultados, caberá às prefeituras traçar ações emergenciais e, quando necessário, reorganizar a distribuição de agentes para dar prioridade às áreas críticas. De 1º de janeiro até 16 de março deste ano, foram notificados 53.072 casos suspeitos de dengue no Estado do Rio de Janeiro, com duas mortes, em Magé e Volta Redonda. No mesmo período de 2012, houve 40.172 casos notificados e seis mortes. Dos 92 municípios, 35 estão em epidemia, com mais de 300 casos por cem mil habitantes.

Os aparelhos de coleta de dados foram cedidos pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e, em troca, os agentes de endemias atualizarão a base censitária, confirmando ou alterando informações sobre as residências e estabelecimentos comerciais que visitam. "Desenvolvemos um programa para que as informações de cada casa já cheguem georreferenciadas, indicando a localização exata. E o banco de dados permitirá priorizar uma determinada área e diminuir ou aumentar o número de vistas em cada região", diz o superintendente de Vigilância Epidemiológica e Ambiental da Secretaria Estadual de Saúde, Alexandre Chieppe.

Atualmente, os registros dos agentes de endemias são feitos à mão e processados apenas uma vez por semana e, com o novo sistema, as atualizações poderão ser diárias. "Teremos maior agilidade e maior fidedignidade dos dados", diz Chieppe. Desde o lançamento do programa, inédito no País, no início do ano, 65 municípios pediram adesão ao sistema e receberão os aparelhos de coleta de dados nas próximas semanas. Nos três primeiros municípios, foram distribuídos 600 aparelhos. A expectativa é de que cada um dos dez mil agentes de endemias do Estado tenha um aparelho para registro em tempo real.
 
Fonte R7

ANS vai agilizar análise de processos contra planos de saúde

Rio de Janeiro - A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) vai mudar a análise de processos de consumidores contra as operadoras de planos de saúde e aplicação de multas. As ações passarão a ser avaliadas coletivamente, por tema e operadora, com o objetivo de agilizar o trâmite. A informação foi dada ontem (21) pelo ministro da Saúde, Alexandre Padilha, ao antecipar que haverá também um mutirão para avaliar os processos em tramitação, e que para isto serão contratados 200 servidores temporários.
 
“Nós queremos reduzir cada vez mais os prazos dos processos, quando a ANS entra contra as operadoras. A primeira medida muito importante é a chamada notificação de investigação preliminar, quando a ANS faz uma mediação dos conflitos, o que acaba por reduzir os prazos e resolver 78% dos problemas que os usuários enfrentam com os planos de saúde”, disse o ministro. Padilha informou que a portaria autorizando a contratação dos funcionários será publicada na próxima semana no Diário Oficial da União.
 
A nova metodologia de análise está sendo desenvolvida por um grupo de trabalho da agência reguladora, desde janeiro. De acordo com o Ministério da Saúde, a queixas dos usuários passarão a ter peso, conforme a gravidade, e as multas serão aplicadas com base em um conjunto de reclamações. “Às vezes, têm dez pessoas diferentes que solicitam processo contra um mesmo plano de saúde. A partir dessa nova resolução, estes dez processos poderão ser analisados de uma vez só, de forma conjunta, ganhando tempo e prazo e possibilitando que a ANS possa acionar mais rapidamente as operadoras”, explicou Padilha.
 
Atualmente, a agência reguladora tem 8.791 processos de reclamações em andamento, entre eles negativa de cobertura, reajustes de mensalidades e mudança de operadora. O mutirão será voltado para atender às queixas mais antigas. “Alguns desses processos vêm desde 2006, 2007, e agora serão acelerados e encerrados mais rápido. De 2011 para 2012, aumentou quatro vezes a resolução de processos, passando de 500 para mais de 2 mil”, disse Padilha.
 
Das 75.916 reclamações recebidas pela ANS em 2012, 75,7% (57.509) são referentes a negativas de cobertura. No ano passado, 78% das reclamações referentes à negativa de cobertura, equivalente a 44,5 mil, foram solucionadas por mediação de conflito, sem a abertura de processo.
 
No ano passado, 396 planos de 56 operadoras tiveram as vendas suspensas temporariamente por descumprirem prazos máximos para marcação de exames, consultas e cirurgias. As multas variam de R$ 80 mil a R$ 100 mil. Em casos de reincidência, as empresas podem sofrer medidas administrativas, como a suspensão da venda ou decretação do regime especial de direção técnica, com afastamento dos dirigentes.
 
No último dia 5, o governo informou que as operadoras vão ter que justificar por escrito qualquer tipo de negativa de atendimento caso o serviço seja solicitado pelo beneficiário. A resposta, em linguagem clara, deverá ser enviada por correspondência ou por meio eletrônico em até 48 horas. A pena é no valor de R$ 30 mil. A norma entra em vigor no dia 7 de maio.
 
Fonte Agência Brasil

Casos de dengue crescem 75% no DF

Brasília - A Secretaria de Saúde do Distrito Federal informou que, de 1º de janeiro a 20 de março, foram notificados 2.908 casos suspeitos de dengue e, do total, 957 foram confirmados.
 
O número é 75% maior do que o registrado no mesmo período de 2012. A quantidade de notificações registrou crescimento de 141,5% em relação ao ano passado.
 
Dos casos confirmados, 435 foram transmitidos no próprio Distrito Federal e 522 contraídos em outros estados. As cidades que apresentam a maior quantidade de focos da dengue são Ceilândia (69 casos), Taguatinga (42), Sobradinho II (36) e Samambaia, com 29.
 
Segundo o secretário de Saúde, Rafael Barbosa, a participação de cada morador é fundamental para acabar com a dengue, porque de 80% a 90% dos focos do mosquito Aedes Aegypti são encontrados pelos agentes de Vigilância Ambiental dentro das residências.
 
Fonte Agência Brasil

Vagas de estágio na PGE/SP

A Procuradoria Geral do Estado de São Paulo (PGE/SP), em parceria com o Centro Integrado Empresa-Escola (CIEE), comunicou por meio do edital 02/2013 sobre a realização de processo seletivo para a contratação de 103 novos estagiários, que irão atuar em várias comarcas do Estado.
 
As oportunidades são para estudantes de ensino médio e superior, os quais terão bolsa auxílio de R$ 410,00 (nível superior) e R$ 340,00 (nível médio), além de R$ 4,00 por dia trabalhado, referente ao vale-transporte, por uma jornada de 20 horas semanais de trabalho. O estágio terá validade de seis (06) meses, podendo ser prorrogado por igual período.
 
A PGE/SP informa que não haverá inscrições prévias para o processo seletivo, cabendo aos interessados, no dia 25 de março de 2013, irem às unidades do CIEE onde estão cadastrados e onde há comarca da PGE. Nessa mesma data será feita a avaliação para o estágio.
 
Os candidatos poderão encontrar a relação com os endereços do CIEE onde farão a prova do processo seletivo, salientando que a cidade escolhida para se fazer a prova também coincidirá com a cidade onde se localiza a comarca da PGE optada pelo estudante.
 
O horários para a aplicação da prova objetiva será entre 08h30 e 17h00, lembrando que o candidato deverá levar documento de identificação. A data da avaliação pode ser alterada, por isso será responsabilidade do candidato acessar os sites www.ciee.org.br ou www.pge.sp.org.br para se informarem.
 
No dia 05 de abril de 2013 deverá ser divulgada a lista dos aprovados.

Concurso ARSS - Francisco Beltrão (PR)

A Associação Regional de Saúde do Sudoeste - ARSS, do Estado do Paraná, abriu edital N° 001/2013 de concurso público para provimento de vagas legais em seu quadro de pessoal, com a execução técnico-administrativa da organizadora Objetiva Concursos Ltda.
 
O concurso público destina-se ao provimento de 31 vagas, todas para lotação na cidade de Francisco Beltrão/PR, com salários variados de R$ 678,00 a R$ 2.857,07, em carga horária de 20 a 40 horas semanais. Podem disputar uma das chances profissionais de níveis fundamental, médio e superior.

Cargos
As oportunidades são para os cargos de Advogado, Assistente Administrativo, Assistente Social, Auxiliar de Serviços Gerais, Contador, Enfermeiro, Farmacêutico, Motorista, Pedagogo, Técnico em Contabilidade e demais cargos.

Inscrições e Taxas
As inscrições via internet poderão ser realizadas até às 23h59min, do dia 20 de abril de 2013, pelo site www.objetivas.com.br. As taxas variam de R$ 30,00 a R$ 100,00.

Provas e Validade
A prova objetiva, para todos os empregos será aplicada provavelmente em 19 de maio de 2013, no Município de Francisco Beltrão/PR, em local e horário a serem divulgados quando da homologação das inscrições em 03 de maio de 2013.

O concurso terá validade por 2 anos a partir da data de homologação dos resultados, prorrogável uma única vez por igual período.

Vagas de estágio no INSS em Goiânia (GO)

O Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) em Goiânia, Estado de Goiás, publicou edital N° 01/2013 de processo seletivo para contratação de 43 estagiários de níveis médio e superior incompleto. A bolsa de estágio será de até R$ 520,00 por carga horária de 20 ou 30 horas semanais.

No total, o processo seletivo destina-se à formação de cadastro de reserva para 1 vaga de estágio de nível superior para a Agência da Previdência Social Mineiros (período matutino) e de 42 vagas de estágio de nível médio assim distribuídas:

- 28 vagas nas diversas unidades de Goiânia (20 vagas matutino e 8 vespertino);

- 3 vagas para Agência da previdência Social Aparecida de Goiânia (2 vagas matutino e 1 vespertino);

- 4 vagas para Agência da Previdência Social Jataí (2 vagas matutino e 2 vespertino);

- 2 (duas) vagas para a Agência da Previdência Social Quirinópolis (1 vaga matutino e 1 vespertino);

- 3 vagas para a Agência da Previdência Social Trindade (1 vaga matutino e 2 Previdência Social 90 anos. vespertino);

- 2 vagas para a Agência da Previdência Social São Simão (1 vaga matutino e 1 vaga vespertino).
 
Poderão inscrever-se para o processo seletivo os estudantes de:

- Nível médio, que estiverem cursando Ensino Médio, 1º ou 2º ano, devendo ter 16 anos completos na data da elaboração do TCE - Termo de Compromisso de Estágio, para formação do cadastro de reserva das Agências da Previdência Social nos municípios de Aparecida de Goiânia, Goiânia, Jataí, Quirinópolis, Trindade e São Simão;

- Nível superior, com qualquer idade, devendo estar cursando até o 4º semestre de graduação nos cursos de Administração de Empresas, Contabilidade, Direito ou Informática (e cursos afins), para formação do cadastro de reserva da Agência da Previdência Social no município de Mineiros.
 
Além da bolsa, o estudante receberá auxílio transporte em pecúnia, no valor de R$ 6,00 por dia, correspondente aos dias efetivamente estagiados.
 
Inscrições
As inscrições serão realizadas pelo próprio estudante até o dia 08 de abril de 2013, com isenção do pagamento de quaisquer taxas.

- Para os estudantes da Capital e Aparecida de Goiânia, as inscrições serão realizadas no Centro de Formação e Aperfeiçoamento do INSS, situado à Rua 9, nº 384, Setor Oeste, Goiânia - Goiás, no horário de 8h30 às 12he de 13h30 às 17h;

- Para os estudantes das cidades de Jataí, Mineiros, Quirinópolis, São Simão e Trindade, as inscrições serão realizadas nas sedes das Agências da Previdência Social de cada cidade. O horário das inscrições será das 8h30 às 12h e das 13h30 às 17h.

As inscrições serão realizadas mediante a apresentação de Comprovante de Matrícula e Histórico Escolar (original e cópia); original da Carteira de Identidade, CPF e comprovante de endereço atualizado (últimos 3 meses - talão CELG, SANEAGO e/ou telefone fixo). Caso o candidato tenha participado de cursos/congressos/palestras/seminários extracurriculares, deverá trazer os certificados - original e cópia - no ato da inscrição, até o limite de 3 (três) certificados, com carga horária mínima de 20 horas cada.

Seleção
O certame irá considerar a avaliação do Histórico Escolar, que realizada pelo Centro de Formação e Aperfeiçoamento do INSS (CFAI), vinculado à Gerência Executiva do órgão em Goiânia-GO. Além disso, os candidatos serão avaliados em teste de informática, aplicado através de prova teórica e objetiva, a ser realizado no dia 10 de abril de 2013, também no CFAI.

O prazo de validade da seleção será de 12 meses, a contar da data de divulgação do resultado final.