Aplicativos, carreira, concursos, downloads, enfermagem, farmácia hospitalar, farmácia pública, história, humor, legislação, logística, medicina, novos medicamentos, novas tecnologias na área da saúde e muito mais!


sábado, 22 de outubro de 2011

Programa de Estágio Cristália

Áreas disponíveis:Administrativa, Biotecnologia/ Biomédicas/ Bioquímica, Economia, Engenharia/ Outros, Farmácia, Química/ Engenharia Química

DESCRIÇÃO DAS VAGAS

Local das vagas: Itapira/SP, São Paulo/SP
Período de inscrições: de 01/01/2011 a 31/12/2011
Jornada de trabalho: de segunda a sexta
Inscrições: www.cristalia.com.br/

BENEFÍCIOS

Benefícios principais: Seguro de Vida, Vale Transporte
Mais sobre benefícios: Cesta básica, auxilio moradia (para os que residem a mais de 100 Km de Itapira).
Bolsa auxílio: De 801 reais a 1.100 reais

EXIGÊNCIAS

Data de conclusão da faculdade: de 2011 a 2013
Perfil do candidato: Iniciativa, boa comunicação, boa capacidade de relacionamento interpessoal, pró-atividade, comprometimento. Desejo de auto-desenvolvimento.
Mais detalhes: Contrato de seis meses para área farmacêutica e de um a dois anos nas demais áreas.

Programa de Estágio da Medley

Áreas disponíveis:Administrativa, Farmácia


A Medley valoriza os jovens talentos e tem como objetivo estimular o desenvolvimento profissional dos estudantes. Através de experiências práticas do dia a dia dos negócios, eles adquirem novos conhecimentos e se tornam profissionais qualificados e diferenciados no mercado que atuam. Mantém banco de currículos em seu site e contrata conforme demanda.

DESCRIÇÃO DAS VAGAS

Local das vagas: Campinas/SP
Período de inscrições: de 01/01/2011 a 31/12/2011

BENEFÍCIOS

Benefícios principais: Assistência Médica, Seguro de Vida, Vale Alimentação, Vale Transporte
Mais sobre benefícios: Assistência odontológica.

Programa de Desenvolvimento de Talentos Colgate Palmolive

Áreas disponíveis:Administrativa, Comunicação, Contabilidade, Economia, Engenharia/ Outros, Farmácia, Informática /TI / Engenharia da Computação, Marketing, Química/ Engenharia Química


Programa de estágio da multinacional Colgate Palmolive

DESCRIÇÃO DAS VAGAS

Local das vagas: São Bernardo Do Campo/SP, São Paulo/SP
Período de inscrições: de 01/01/2011 a 31/12/2011
Jornada de trabalho: de segunda a sexta, das 09h00 as 16h00
Inscrições: www.colgate.com.br

BENEFÍCIOS

Benefícios principais: Assistência Médica, Seguro de Vida
Mais sobre benefícios: Plano odontológico, refeição na empresa, lojinha de produtos da empresa e estacionamento gratuito.
Bolsa auxílio: De 1.101 reais a 1.500 reais

EXIGÊNCIAS

Data de conclusão da faculdade: de 2012 a 2013
Pré-requisitos: Inglês fluente
Perfil do candidato: Conhecimento em ferramentas tecnológicas.
Mais detalhes: Tempo de contrato de dois anos. Horário flexível.

Programa de Estágio na Farmoquímica

Áreas disponíveis:Administrativa, Biologia, Comunicação, Contabilidade, Desenho Industrial, Economia, Educação/ Ensino/ Idiomas, Engenharia/ Outros, Estatística /Matemática /Atuária, Farmácia, Informática /TI / Engenharia da Computação, Jurídica, Marketing, Psicologia Clínica/ Hospitalar

A empresa oferece aos estagiários a possibilidade de aperfeiçoamento profissional através do foco na orientação, acompanhamento e feedback.

DESCRIÇÃO DAS VAGAS

Local das vagas: Rio De Janeiro/RJ
Período de inscrições: de 01/01/2011 a 31/12/2011
Inscrições: www.fqm.com.br/site/br/publico/curriculo.aspx

Estágio no Hospital São Luiz

Áreas disponíveis:Enfermagem, Farmácia, Jurídica, Nutrição

DESCRIÇÃO DAS VAGAS


Local das vagas: São Paulo/SP

Período de inscrições: de 01/01/2011 a 31/12/2011

Inscrições: www.hospitalalemao.org.br/haoc/default.aspx?idpagina=35511

Estágio na Rede D Or

Áreas disponíveis:Administrativa, Diversas/ Outras, Farmácia, Fisioterapia, Marketing, Nutrição, Psicologia Clínica/ Hospitalar

A empresa mantém banco de currículos e contrata conforme a necessidade.

DESCRIÇÃO DAS VAGAS

Local das vagas: Rio De Janeiro/RJ
Período de inscrições: de 01/01/2011 a 31/12/2011

Programa de Estágios Laboratórios Stiefel

Áreas disponíveis:Administrativa, Comércio Exterior/ Trade/ Importação/ Exportação, Economia, Engenharia de Produção/ Industrial, Farmácia, Fisioterapia, Marketing, Publicidade e Propaganda

Ao Ingressar na Companhia cada estagiário terá um plano de estágio, contendo atividades definidas de acordo com a área de atuação e curso.O objetivo do plano é agregar valor à formação acadêmica e também integrar o estudante aos processos da companhia.Os estagiários possuem uma real possibilidade de ser um representante do Stiefel, uma empresa GSK.Empresa recebe currículos no site indicado.

DESCRIÇÃO DAS VAGAS

Local das vagas: Guarulhos/SP, Brasilia/DF
Período de inscrições: de 01/01/2011 a 31/12/2011
Inscrições: www.grupodmrh.vagas.com.br/pagempr.asp?e=stiefel&t=3451

EXIGÊNCIAS

Data de conclusão da faculdade: de 2012 a 2013
Perfil do candidato: Bons conhecimentos do pacote Office e inglês avançado.

Programa de Estágio do Hospital Santa Catarina

Áreas disponíveis:Enfermagem

Empresa recebe os currículos dos candidatos o ano todo via e-mail: selecao@hsc.org.br

DESCRIÇÃO DAS VAGAS

Local das vagas: São Paulo/SP
Período de inscrições: de 01/01/2011 a 31/12/2011

BENEFÍCIOS

Benefícios principais: Vale Transporte
Bolsa auxílio: De 501 reais a 800 reais

Estágio no Praia Clube Uberlândia

Áreas disponíveis:Enfermagem, Esportes/ Educação Física, Fisioterapia

A empresa mantém banco de currículos e contrata conforme a necessidade.

DESCRIÇÃO DAS VAGAS

Período de inscrições: de 01/01/2011 a 31/12/2011

EXIGÊNCIAS

Mais detalhes: Entregar currículo pessoalmente

Estágio na Marisol

Áreas disponíveis:Administrativa, Arquitetura/ Decoração/ Urbanismo, Educação/ Ensino/ Idiomas, Enfermagem, Engenharia/ Outros, Informática /TI / Engenharia da Computação, Marketing, Moda, Psicologia Clínica/ Hospitalar

DESCRIÇÃO DAS VAGAS
Período de inscrições: de 01/01/2011 a 31/12/2011
Inscrições: enviar currículo para recrutamento@marisol.com.br

Estágio no Hospital Oswaldo Cruz

Áreas disponíveis:Administrativa, Enfermagem, Farmácia, Marketing, Marketing, Nutrição, Serviço Social

DESCRIÇÃO DAS VAGAS


Local das vagas: São Paulo/SP

Período de inscrições: de 01/01/2011 a 31/12/2011

Inscrições: www.hospitalalemao.org.br/haoc/default.aspx?idpagina=35511

Estágio no Hospital São Luiz

Áreas disponíveis:Enfermagem, Farmácia, Jurídica, Nutrição

DESCRIÇÃO DAS VAGAS


Local das vagas: São Paulo/SP

Período de inscrições: de 01/01/2011 a 31/12/2011

Inscrições: www.saoluiz.com.br/trabalhe.aspx

Estágio no Atlético Mineiro

Áreas disponíveis:Fisioterapia, Jurídica, Médico/ Hospitalar

DESCRIÇÃO DAS VAGAS
Local das vagas:
Belo Horizonte/MG

Período de inscrições: de 01/01/2011 a 31/12/2011

Inscrições: pelo e-mail rh@atletico.com.br

BENEFÍCIOSBolsa auxílio: Até 500 reais

Estágio no Sport Club Internacional

Áreas disponíveis:Administrativa, Esportes/ Educação Física, Fisioterapia, Jornalismo, Marketing, Médico/ Hospitalar

DESCRIÇÃO DAS VAGAS
Local das vagas: Porto Alegre/RS
Período de inscrições: de 01/01/2011 a 31/12/2011
Inscrições: pelo ciee www.ciee.org.br

BENEFÍCIOS

Bolsa auxílio: De 501 reais a 800 reais

Estágio no Club de Regatas Vasco da Gama

Administrativa, Esportes/ Educação Física, Fisioterapia, Jornalismo, Marketing, Médico/ Hospitalar, Nutrição

DESCRIÇÃO DAS VAGAS

Local das vagas: Rio De Janeiro/RJ
Período de inscrições: de 01/01/2011 a 31/12/2011
Inscrições: pelo capacitare www.institutocapacitare.com.br

BENEFÍCIOS

Bolsa auxílio: De 501 reais a 800 reais

Estágio no Clube Atlético Paranaense

Áreas disponíveis: Esportes/ Educação Física, Fisioterapia, Marketing, Médico/ Hospitalar, Relações Internacionais

DESCRIÇÃO DAS VAGAS


Local das vagas: Curitiba/PR

Período de inscrições: de 01/01/2011 a 31/12/2011

Inscrições: pelo site www.atleticoparanaense.com/curriculos.php

Gases (flatulência)

Definição

Os gases, também chamados de flato ou flatulência, são formados pelo ar no intestino que é expelido pelo reto. O ar que é expelido do trato digestivo pela boca é chamado de eructação ou arroto.

Nomes alternativos

Flatulência (flato)

Considerações

Os gases são formados nos intestinos à medida que os alimentos são digeridos. Os gases podem fazer com que você se sinta inchado e podem causar dores abdominais semelhantes a cólicas.

Causas comuns

Os gases podem ser causados por qualquer um dos seguintes fatores:

 


Foto: ADAM
Os gases são formados nos intestinos pela ação bacteriana à medida que o alimento é digerido e passam através do intestino, saindo do corpo pelo reto

 


  • Antibióticos
  • Ingestão de alimentos difíceis de digerir, como fibras. Se você introduziu alimentos com fibras em sua dieta recentemente, os gases devem ser temporários. Espere alguns dias. Seu organismo deve se ajustar e parar de produzir gases.
  • Comer alimentos que seu organismo não tolera, por exemplo, se você tiver intolerância à lactose e comer laticínios
  • Síndrome do intestino irritável – uma forma crônica de indigestão que piora com o estresse
  • Má absorção (quando o organismo não consegue absorver ou digerir um nutriente específico adequadamente, geralmente acompanhada por diarreia)
  • Ingestão de ar durante a alimentação

Cuidados em casa

  • Evite feijão, repolho e bebidas gaseificadas
  • Evite mascar chiclete
  • Mastigue bem os alimentos
  • Coma com calma
  • Relaxe enquanto come
  • Caminhe por 10 a 15 minutos depois de comer

Ligando para o médico

Ligue para o médico se:
  • apresentar outros sintomas além de gases, como dor abdominal ou retal, azia, náusea, vômito, diarreia, prisão de ventre ou perda de peso
  • apresentar fezes oleosas, com sangue e odor muito forte

O que esperar da consulta médica

O médico realizará um exame físico, com atenção especial ao abdome, e fará perguntas sobre os sintomas, como:
  • Como é sua dieta alimentar?
  • O que mudou recentemente?
  • Que tipo de alimento você come normalmente?
  • Que alimentos você ingeriu recentemente?
  • Você aumentou a quantidade de fibras na sua dieta?
  • Em quanto tempo você come, mastiga e engole?
  • Você apresenta gases moderados ou em excesso?
  • Seus gases parecem estar relacionados à ingestão de laticínios ou outros alimentos específicos?
  • O que parece melhorar os gases?
  • Que medicação você toma?
  • Você apresenta outros sintomas, como dor abdominal, diarreia, saciedade precoce (sentindo-se satisfeito logo após as refeições), inchaço ou perda de peso?

     
Foto: ADAM
Um gel condutor é aplicado no abdome enquanto o paciente está deitado. O transdutor (um instrumento de mão) é movimentado

Entre os exames de diagnóstico que podem ser realizados estão:

Referências

Bailey J. FPIN's Clinical Inquiries: Effective management of flatulence. Am Fam Physician. 2009;79:1098-1100.
Ohge H, Levitt MD. Intestinal gas. In: Feldman M, Friedman LS, Brandt LJ, eds. Sleisenger & Fordtran's Gastrointestinal and Liver Disease. 8th ed. Philadelphia, Pa: Saunders Elsevier;2006:chap 10.


Fonte IG

Sucos para perder a barriga

Combinação de alimentos e chás tem efeito diurético, além de ajudar a desinchar e a regular o intestino

Qualquer ajuda é válida na hora de mandar embora os pneuzinhos da barriga. Se ela vier de uma receita fácil de fazer e simples de incluir no dia a dia, melhor ainda. O ingrediente certo na hora adequada pode ser a diferença entre fechar ou não o botão da calça.

Para secar essa região do corpo, frutas com propriedades antioxidantes e misturas que podem ajudar a reduzir a gordura corporal, eliminar gases e facilitar o trânsito intestinal são as mais indicadas.

“O chá verde é uma ótima pedida, porque ajuda na queima de gordura, além de ser diurético. O abacaxi tem propriedade anti-inflamatória e também é diurético”, exemplifica a personal diet Luciana Harfenist, diretora da clínica de nutrição que leva seu nome.

Para fazer o intestino preguiçoso funcionar, a nutricionista Gabriela Paschoal, da VP Consultoria, aconselha: “Aproveitar o bagaço de algumas frutas, como laranja, ou folhas verde-escuras, como a couve, são duas propostas que podem ajudar o intestino a funcionar melhor.”

Se o necessário é desinchar a região abdominal, alguns alimentos auxiliam na modulação dos níveis de prolactina, principalmente durante o período pré menstrual, e auxiliam na diminuição de água acumulada, explica Paschoal. Melancia, limão, abacaxi, farelo de aveia e água de coco são as indicações da nutricionista.
 
 
Confira as receitas:


Diuréticos e reguladores do intestino
Suchá verde (mistura de chá verde com fruta)
Ingredientes:
2 colheres de sopa de chá verde (erva)
260 ml de água
1 xícara de água fervente
1 fatia de abacaxi
hortelã a gosto
Preparo:
Faça primeiro o chá verde. Ferva 260 ml de água. Desligue o fogo, coloque as duas colheres de chá verde e tampe a panela. Deixe esfriar por aproximadamente 15 minutos. Bata no liquidificador com o abacaxi e a hortelã e sirva.

Suco de melão, hortelã e biomassa de banana verde
Ingredientes:
1 colher de sobremesa de biomassa de banana verde
100g de melão
3 folhas de hortelã
240ml de água filtrada
Preparo:
Biomassa de banana verde: lave uma unidade de banana verde e coloque, com casca, em uma panela de pressão com água. Deixe cozinhar até formar pressão. Após quinze minutos sob pressão, desligue o fogo e retire, com cuidado, as bananas da panela. Amasse até ficar na consistência de uma massa.
Bata a colher de biomassa de banana verde, juntamente com o melão picado, as folhas de hortelã e a água no liquidificador. Sirva.
Para desinchar a região abdominal
Suco de abacaxi com água de coco e chá de erva-cidreira
Ingredientes:
100g de abacaxi
140ml de água de coco
10g de erva-cidreira
Preparo:
Faça a infusão da erva-cidreira em 100ml de água fervida e leve à geladeira. Depois que estiver gelado, coloque o chá, juntamente com o abacaxi picado e a água de coco. Bata tudo e sirva.
Detox
Suco verde com maçã e gengibre
Ingredientes:
1 folha pequena de couve-manteiga orgânica
½ maçã com casca
Raspas de gengibre
240 ml de água filtrada
Preparo:
Higienize bem os alimentos. Rasgue a couve, pique a maçã, raspe o gengibre e coloque tudo no liquidificador junto com a água. Se quiser, pode acrescentar uma colher de sobremesa rasa de açúcar demerara. Sirva.
Para acelerar o metabolismo
Suco de chá verde com limão e gengibre
Ingredientes:
200ml de infusão de chá verde
100ml de suco de limão
Raspas de gengibre
Preparo:
Coloque tudo no liquidificador e bata. Se quiser, pode acrescentar 1 colher de sobremesa de açúcar demerara. Sirva.

Fonte IG

Diagnóstico de câncer de pele pode começar no salão de beleza

Médicos alertam: visão privilegiada que os barbeiros e cabeleireiros têm do couro cabeludo pode ajudar a detectar a doença

Se o cabeleireiro ou o barbeiro de confiança pode ser o fiel depositário dos mais profundos segredos de seus clientes – a idade, a verdadeira cor de cabelo ou mesmo o nome do cirurgião plástico –, ele também pode ser o primeiro a identificar os sinais reveladores de um câncer de pele mortal, o melanoma.

“Cabeleireiros e barbeiros podem desempenhar um papel fundamental na detecção precoce de melanoma se forem treinados a analisar a pele em busca de pintas e lesões atípicas enquanto estão cuidando dos cabelos de seus clientes”, afirma Alan C. Geller, da Escola de Saúde Pública de Harvard, em Boston (EUA) e principal pesquisador de um novo estudo.

“Eles têm uma visão única desses locais de alto risco”, diz Geller. Se virem algo diferente, podem sugerir ao cliente consultar um clínico geral ou um dermatologista.”

Cerca de 6% de todos os melanomas, o tipo mais mortal de câncer de pele, são encontradas no couro cabeludo e pescoço. Com a ajuda de um cabeleireiro, anormalidades potencialmente cancerosas podem ser detectadas cedo, quando são mais tratáveis, disseram os pesquisadores.

Muitos profissionais que lidam com os cabelos já afirmam examinar a cabeça, o pescoço e a face de seus clientes, de acordo com o estudo de Geller, publicado na edição de outubro da revista científica Arquivos de Dermatologia. E muitos que ainda não fazem isso demonstraram interesse em fazê-lo, segundo a pesquisa.

“Já fiz vários diagnósticos a partir de cabeleireiros disseram a seus pacientes para procurar um médico”, disse Michele Green, dermatologista no Hospital Lenox Hill, em Nova York. “Eles notam porque é isso o que fazem o dia todo.”

Para o estudo, a equipe de Geller revisou questionários respondidos por 203 cabeleireiros profissionais de 17 salões na área de Houston, no Texas (EUA). Entre outras questões, os cabeleireiros foram questionados sobre com que frequência procuravam pintas de aspecto e cor anormal na cabeça, no pescoço e no rosto de seus clientes.

No mês anterior à pesquisa, cerca de 37% dos cabeleireiros entrevistados disseram que tinham olhado para o couro cabeludo de metade dos seus clientes, quase 29% tinham examinado os pescoços de mais de metade dos seus clientes e cerca de 15% haviam checado os rostos de mais de 50% dos clientes. A cabeça e o pescoço provavelmente foram examinados mais frequentemente do que os rostos, pois cabeleireiros e barbeiros passam mais tempo atrás de seus clientes do que na frente deles, observaram os pesquisadores.

Quanto maior consciência dos cabeleireiros sobre práticas de proteção da pele, mais propensos eles foram a examinar a pele de seus clientes, segundo o estudo. Cerca de 50% dos cabeleireiros disseram que haviam recomendado a pelo menos um cliente que visitasse um médico para analisar uma pinta de aspecto anormal e 69% disseram que estavam “um pouco” ou “muito” propensos a dar aos clientes um panfleto com explicações sobre o câncer de pele.

Além disso, cerca de metade disse estar “muito” ou “extremamente” interessado em participar de um programa de educação sobre câncer de pele, e 25% disseram que “muitas vezes” ou “sempre” compartilhavam informações gerais de saúde com seus clientes. No entanto, menos de um terço realmente tinha algum treinamento formal sobre câncer de pele.

Shasa Hu, do departamento de dermatologia e cirurgia cutânea da Universidade de Miami, concordou que cabeleireiros e barbeiros podem desempenhar um papel significativo na detecção precoce do câncer de pele.

“Não queremos que os cabeleireiros diagnostiquem o câncer de pele. Queremos que eles prestem atenção ao couro cabeludo de seus clientes, especialmente em áreas que as pessoas não podem acessar facilmente, e apontar quaisquer lesões suspeitas, orientando-os a procurar um médico”, disse Hu.

Fonte IG

Cigarro danifica o DNA em minutos

Trinta minutos depois da inalação da fumaça, substância prejudica o organismo

Nova pesquisa mostra que o cigarro começa a destruir o DNA do fumante poucos minutos depois que a fumaça é inalada, sugerindo que o hábito cause danos genéticos imediatos, rapidamente aumentando o risco de câncer em curto prazo.

“Os resultados aqui relatados servem como uma dura advertência àqueles que estão pensando em começar a fumar”, disse a principal autora do estudo, Stephen S. Hecht, do Centro Maçônico do Câncer e do departamento de farmacologia da Universidade de Minnesota em Minneapolis, em um boletim da Associação Química Americana.

Hecht e sua equipe relataram suas observações na edição atual da revista especializada Chemical Research in Toxicology.

Durante a pesquisa, os investigadores se concentraram em uma classe de causadores de câncer encontrados na fumaça do cigarro, os chamados hidrocarbonetos aromáticos policíclicos, ou HAPs.

Os HAPs são conhecidos por causar danos ao DNA e por isso acredita-se que os mesmos tenham um importante papel na fase inicial do câncer de pulmão, doença que os pesquisadores ressaltaram estar relacionada à perda de 3000 vidas por dia em todo o mundo, principalmente como conseqüência do tabagismo.

Entretanto, até o momento pouco se sabia sobre o mecanismo exato através do qual a exposição aos HAPs causava a doença.

Para melhor compreender os riscos, Hecht e sua equipe conduziram o que chamaram de “análise única”, rotulando e acompanhando um único HAP – ou fenantreno – através do organismo de 12 fumantes voluntários.

Os autores do estudo observaram que este método foi “o primeiro a investigar o metabolismo humano do HAP especificamente conduzido pela inalação da fumaça do cigarro, sem a interferência de outras fontes de exposição - como a poluição do ar ou a alimentação”.

Os resultados
Ao transformar-se rapidamente no corpo em uma toxina conhecida, o HAP em questão começou a causar danos ao DNA do fumante entre 15 e 30 minutos depois da inalação da fumaça.

A rapidez do processo causador do câncer surpreendeu a equipe de pesquisa. Eles disseram que a velocidade com a qual o ataque potencialmente letal ao DNA teve início foi comparável a injetar o HAP diretamente na corrente sanguínea do indivíduo.

Fonte IG

Depois do fumo passivo, tabagismo de "3ª mão" preocupa médicos

Contaminação de estofados, cortinas e roupas pode agravar crises respiratórias até em quem não fuma

Os componentes tóxicos do cigarro preocupam todas as áreas da medicina e os médicos agora chamam atenção para um novo efeito do tabaco chamado “tabagismo de terceira mão”.

Além do próprio fumante e dos que fumam por tabela (aspirantes da fumaça alheia, denominados de fumantes passivos), os pneumologistas alertam que os estofados do carro e de casa, as roupas, as toalhas e os tapetes também são contaminados pelas substâncias químicas deixadas pelo cigarro consumido em ambientes fechados, o que inflama os pulmões das pessoas que frequentam estes ambientes.

“Mesmo apagado, o fumo deixa um rastro de contaminação. A fumaça fica suspensa no ar e depois os resquícios do alcatrão e da nicotina são depositados em cada cantinho do ambiente”, explica Oliver Nascimento, diretor da Sociedade Paulista de Pneumologia e Tisiologia.

“Esta contaminação é chamada de tabagismo de terceira mão, um conceito novo na área médica e ainda temos poucas informações sobre como amenizar as sequelas dele”, completa Nascimento.

“Sabemos que este rastro pode ser gatilho de crises respiratórias, como asma, bronquite e rinite até em quem não fuma, mas não sabemos ao certo se os produtos de limpeza são suficientes para combatê-los. Por isso, é preciso combater o problema na origem”.

Prevenção
Segundo os médicos, a melhor forma de amenizar o fumo de terceira mão é não “baforar” dentro de casa, carro, restaurantes, casas noturnas e outros locais fechados. Em alguns Estados brasileiros, como São Paulo e Rio de Janeiro, já existem leis que proíbem o fumo em espaços sem ser ao ar livre e, nos planos do Ministério da Saúde para reduzir as mortes por doenças crônicas, a ideia é que a proibição seja estendida para todo território nacional.

Faltam dados oficiais sobre os prejuízos do fumo terciário, mas sobre o fumo passivo o Instituto Nacional do Câncer (Inca) já contabilizou parcialmente os efeitos. De acordo com os dados publicados há dois anos, diariamente são sete mortes por câncer de não fumantes que adoecem só por causa da convivência próxima com o cigarro alheio.

O Vigitel, pesquisa de hábitos de risco na população, também já informou que um em cinco brasileiros que não fumam estão expostos aos malefícios do cigarro alheio, sendo as mulheres as principais vítimas.

“Já temos evidências de que o cigarro tem um círculo imenso de prejuízo, que envolve quem fuma e também os que nunca tragaram por vontade própria”, afirma Oliver Nascimento.

Fonte IG

Médicos alertam para plásticas sem comprovação

Procedimentos novos ou arriscados demais colocam a vida em risco e podem deixar marcas para o resto da vida

A falta de evidência científica para a realização de alguns procedimentos cirúrgicos tem sido alvo de preocupação entre especialistas em cirurgia plástica.

O implante de próteses mamárias em adolescentes, a mesoterapia (injeções contra celulite e gordura localizada) e os implantes nos bíceps fizeram parte dos debates que aconteceram na 31ª Jornada Paulista de Cirurgia Plástica.

Existem basicamente dois problemas que preocupam os médicos. Primeiro, algumas cirurgias são recentes e há poucos trabalhos científicos para embasá-las. Segundo, existem procedimentos perigosos demais ou ineficientes, mas que continuam sendo praticados.

“É o caso da mesoterapia com fosfatidilcolina”, aponta Carlos Alberto Komatsu, presidente da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), regional São Paulo. O tratamento consiste em injeções da substância nas regiões do corpo que tenham celulite ou gordura localizada.

Os resultados são visíveis. O medicamento dissolve a gordura localizada, permitindo que ela seja metabolizada pelo fígado. Contudo, existe o risco da gordura acumular no órgão e prejudicar o seu funcionamento.

“Muitas complicações já foram notificadas, como necroses na pele”, afirma o médico. A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) não tem registro do medicamento, que é originalmente indicado contra embolia gordurosa do coração.

A mesoterapia pode ser realizada com outras substâncias que, embora mais seguras, são menos eficientes. Komatsu recomenda aos interessados no procedimento que verifiquem a substância a ser usada e jamais utilizem fosfatidilcolina. “Uma lipoaspiração também pode ser considerada. Ela oferece resultados melhores”, sugere.

Perigo para o rosto
Outro alvo de discussões são os enxertos de PMMA (polimetilmetacrilato) para aliviar marcas de expressão no rosto. “Eles são permitidos apenas em casos muito específicos, como em pacientes afetados pela aids”, aponta o cirurgião plástico João Prado Neto, ex-presidente da SBCP (regional São Paulo). Nos demais, o produto é proibido por questões de segurança.

"Tenho uma paciente que perdeu parte do nariz e, mesmo depois da restauração, ficou marcada”, conta o médico.

O problema é que o PMMA é muito mais barato e durador do que os enxertos de ácido hialurônico, material considerado mais seguro para o procedimento. “Enquanto 1 ml de PMMA custa R$ 40, a mesma quantidade de ácido custa dez vezes mais. E o ácido é absorvido em um ano, já o PMMA pode durar até três décadas”, compara Prado Neto.

Silicone para os braços
Outro ponto destacado por Komatsu são os implantes de silicone nos braços. A técnica é usada para fazer homens parecerem mais musculosos ou para mulheres acabarem com a flacidez na região do tríceps – a famigerada flacidez do "tchauzinho".

“Esse tipo de cirurgia ainda está no começo. Existem poucos trabalhos científicos”, ressalta Komatsu. O implante é realizado com próteses originalmente desenvolvidas para a região da panturrilha, só que em menor tamanho.

Além da falta de evidência, o procedimento é questionado por ser uma espécie de atalho para a beleza. “A pessoa pode combater a flacidez ou ficar mais musculosa com dieta e exercícios”, afirma o cirurgião plástico Cássio Vieira, membro da SBCP.

“A cirurgia plástica deve ser o último recurso, afinal ela envolve um risco como qualquer cirurgia”, ressalta Komatsu.

Os médicos também discutem os cuidados especiais ao lidar com implantes de mama em adolescentes. O corpo delas ainda está em desenvolvimento e os seios podem crescer, o que tornaria um implante desnecessário ou precipitado.

Além disso, existe o aspecto emocional. A experiência clínica de alguns médicos confirma que as adolescentes estão mais sujeitas a mudarem de opinião e, portanto, correm um risco maior de rejeitar o resultado de um eventual procedimento.

Por fim, os especialistas alertam para a necessidade das cirurgias serem realizadas em hospitais, onde haja unidade de tratamento intensivo (UTI), e também que sejam feitas apenas por especialistas.

“A formação em cirurgia plástica requer três anos de cirurgia geral e outros dois em cirurgia plástica. É prudente não optar por médicos de outras especialidades que fazem um workshop e resolvem operar”, adverte Komatsu.

Fonte IG

O que pode dar errado na cirurgia plástica

Riscos e resultados dos procedimentos muitas vezes independem da perícia do médico. Saiba quais são e como minimizá-los

É sempre válido corrigir ou melhorar algum aspecto físico que está afetando a auto-estima. No entanto, quem deseja se submeter a uma cirurgia plástica, seja ela reconstrutiva ou estética, precisa estar ciente de que nem sempre o resultado final é o desejado.

Mesmo tomando o cuidado de realizar o procedimento com um cirurgião plástico experiente, por vezes, o organismo reage diferente do esperado, transformando o sonho de um corpo mais bonito num verdadeiro desastre estético.

“Sempre pergunto aos meus pacientes se eles me procuraram por uma questão de momento ou se é algo que incomoda há tempo. Plástica não pode ser algo de momento. É preciso avaliar se os benefícios serão maiores do que os riscos. Quando não são, oriento a pessoa a pensar melhor” diz o cirurgião plástico Marcelo Wulkan, de São Paulo. Cerca de 30 %, diz ele, não voltam porque pensaram melhor ou porque encontraram outro profissional que aceitou fazer o procedimento sem questionar isso.

Consultar um profissional habilitado pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), analisar os potenciais riscos durante e depois da operação, fazer todos os exames necessários e, principalmente, pesar os prós e contras da cirurgia são etapas que devem ser seguidas à risca antes de partir para o procedimento, recomenda o cirurgião Luciano Chaves, vice-presidente da SBCP. Ter o apoio da família é outro cuidado que pode ajudar a diminuir os riscos de problemas depois da cirurgia.

“Tem pacientes, especialmente mulheres, que fazem plástica à revelia da família sem ter em mente que o pós-operatório é um período delicado, com limitações, e que precisa ser enfrentado com apoio de quem está mais próximo. A pessoa fica mais dependente e precisa de alguém por perto para ajudar na rotina” diz Chaves.

Durante e logo após a cirurgia, os riscos mais imediatos – e que independem da ação do médico – são as reações à anestesia e os sangramentos. Infecções são eventos mais raros, mas também podem acontecer, diz Wulkan.

Alguns problemas podem aparecer certo tempo depois de feito o procedimento: cicatrizes de má qualidade, como as quelóides e as hipertróficas (com aspecto feio, alargado, espesso e, às vezes, doloroso) são mais frequentes em negros e asiáticos mas também podem estar presentes em qualquer pessoa, especialmente em áreas como o lóbulo da orelha e a região entre as mamas.

Muitas vezes dá para prever como será a cicatrização com base em uma análise da pele e dos hábitos de vida do pacientes. Quem fuma, alerta Wulkan, provavelmente terá problemas de cicatrização. Pessoas com estrias também podem não ter um bom resultado.

“As marcas das estrias na pele já são um indicativo de que ela não tem uma boa capacidade de retração. É importante sempre informar isso ao paciente para evitar frustração com os resultados” explica Wulkan.

Na colocação de implante de silicone um problema imprevisível é a rejeição da prótese pelo organismo, gerando o que os médicos chamam de contratura capsular, uma condição que ocorre em cerca de 3% das mulheres no período de um ano. Em alguns casos, explica Wulkan, é necessário retirar e trocar a prótese. Tanto na cirurgia de redução quanto na de aumento, também pode haver perda (temporária ou até permanente ) de sensibilidade nas aréolas.

Outro imprevisto comum da cirurgia plástica é o acúmulo de líquido na região lipoaspirada. Esse líquido, explica Wulkan, pode ser retirado no consultório com a ajuda de uma seringa ou é absorvido pelo corpo em algumas semanas. Já nas plásticas feitas no abdome um efeito inesperado bem frustrante para o paciente é a distorção no umbigo.

“Toda cicatriz em região de orifícios, como é o caso do umbigo, pode ficar com o tamanho menor do que o usual. Além disso, o umbigo pode ficar com o aspecto irregular”, explica o cirurgião.

Veja como você pode ajudar a reduzir os riscos de um resultado inesperado na cirurgia plástica:
• Se você fuma, pare ao menos um mês antes do procedimento

• Se você é mulher, evite a pílula um mês antes da cirurgia, especialmente se o procedimento for durar mais do que 4 horas (ela aumenta o risco de trombose venosa profunda, uma condição potencialmente fatal)

• Não faça procedimentos estéticos como esfoliação, peeling profundo ou dermoabrasão antes da cirurgia

• Se toma isotretinoína (para acne) pare com o medicamento três meses antes da cirurgia e só volte a tomar depois de 6 meses do procedimento (a medicação pode prejudicar a cicatrização no pós operatório)

• É importante estar com o peso estabilizado, para evitar o efeito-sanfona, especialmente se a cirurgia for feita na barriga, no bumbum ou nas mamas

• Se quer engravidar em curto ou médio prazo, vale repensar se não é melhor adiar cirurgia para depois de seis meses decorridos do fim da amamentação

• Evite o sol antes e depois da cirurgia, especialmente se ela for feita na face. Na área operada, use filtro com fator de proteção solar 30 (no mínimo)

• Faça todos os exames clínicos solicitados pelo médico para saber se está pode se submeter ao procedimento

• Só opere em hospitais ou clínicas que tenham suporte para atuar em casos de emergência

Fonte IG

Exames:Tipagem sanguínea ABO e sistema Rh

O que é
Exame de sangue que identifica o tipo sanguíneo e o fator Rh.

Para que serve
Com a determinação do tipo sanguíneo e do fator Rh é possível avaliar casos de transfusão de sangue e também a eritroblastose fetal – quando a mãe tem RH negativo e o filho, positivo. Na primeira gravidez, geralmente, não há problema. Na segunda, no entanto, o sistema imunológico da mãe produz anticorpos com mais rapidez e em maior quantidade e o sangue da mãe (RH negativo) no contato com o do filho (RH positivo) pode resultar em aborto.

Como é feito
O exame é feito pela coleta de uma pequena ampola de sangue direto de uma veia do braço ou de uma gota de sangue do dedo de uma das mãos.

Preparo
Não é preciso preparo prévio ao exame.

Valores de referência
Não há.

Fonte IG

Aborto espontâneo

Definição
Um aborto espontâneo é a perda involuntária de um feto de até 20 semanas de gestação. (Perdas gestacionais após as 20 semanas são denominadas partos prematuros.)
Um aborto espontâneo também pode ser chamado de "aborto involuntário". Ele se refere a eventos de causa natural, e não a abortos decorrentes de procedimentos cirúrgicos ou de uso de medicamentos.
Outros termos para perda gestacional prematura:
  • Aborto completo: Todos os materiais da concepção são expulsos do corpo
  • Aborto incompleto: Apenas alguns materiais da concepção são expelidos do corpo
  • Aborto inevitável: Os sintomas não podem ser interrompidos e o aborto tem que acontecer
  • Aborto infectado: A camada uterina e os demais materiais da concepção são infectados
  • Aborto retido: A gestação é interrompida, mas os materiais da concepção não são expelidos do corpo

Nomes alternativos

Aborto – espontâneo; Aborto espontâneo; Aborto – retido; Aborto – incompleto; Aborto – completo; Aborto – inevitável; Aborto – infectado; Aborto retido; Aborto incompleto; Aborto completo; Aborto inevitável; Aborto infectado

Causas, incidência e fatores de risco

A maioria dos abortos espontâneos são causados por problemas cromossômicos que impossibilitam o desenvolvimento fetal. Geralmente, esses problemas não estão relacionados aos genes dos progenitores.
Outras causas possíveis de abortamento espontâneo incluem:
  • Problemas hormonais
  • Infecção
  • Problemas físicos com os órgãos reprodutivos da mulher
  • Problemas com a resposta imunológica do organismo
  • Doenças graves que afetam todo o corpo (sistêmicas) na mãe (uma diabetes não controlada, por exemplo)
É estimado que metade dos óvulos fertilizados morrem e são abortados espontaneamente, geralmente antes que a mulher se dê conta da gravidez. Entre as mulheres que estão conscientes da gravidez, o índice de aborto é de 15 a 20%. A maioria dos abortos espontâneos ocorre até a sétima semana gestacional. O índice de abortos cai após o batimento do coração fetal ser detectado.
O risco de aborto espontâneo é mais elevado em mulheres:
  • Maiores de 35 anos
  • Que tiveram abortos espontâneos prévios

Sintomas

Os sintomas possíveis incluem:
  • Dor leve, entorpecente ou que provoca cólicas no abdome ou na parte inferior das costas
  • Tecido ou material similar a coágulos que saem da vagina
  • Sangramento vaginal, com ou sem cólicas abdominais

Exames e testes

Durante o exame pélvico, seu médico pode observar o colo uterino dilatado ou estreito.
A ultrassonografia abdominal ou vaginal pode ser realizada para verificação do desenvolvimento e batimento cardíaco do feto e da quantidade de sangramento.
Os seguintes exames sanguíneos podem ser realizados:
  • Tipagem sanguínea (se você possui sangue RH negativo, vai precisar de um tratamento com imuno-globulina humana anti-Rh Consulte: Incompatibilidade de Rh)
  • Hemograma completo para determinar a perda de sangue
  • HCG (qualitativo) para confirmar a gravidez
  • HCG (quantitativo) realizado periodicamente
  • Contagem diferencial de glóbulos brancos para descartar infecções

Tratamento



Foto: ADAM
O útero é um órgão muscular com paredes espessas, duas aberturas superiores para as trompas de Falópio e uma abertura inferior para a vagina

Quando o aborto espontâneo acontece, o tecido expelido através da vagina deve ser examinado para determinar se é de uma placenta normal ou uma mola hidatiforme. Também é importante verificar se há qualquer resquício de tecido gestacional no útero.
Se o tecido gestacional não é expulso naturalmente pelo corpo, a paciente precisa permanecer em observação por duas semanas. Podem ser necessárias cirurgias ou medicação (misoprostol, por exemplo) para a remoção dos resquícios gestacionais no útero.
Após o tratamento, o ciclo menstrual da paciente costuma recomeçar depois de algumas semanas. Qualquer sangramento vaginal deve ser cuidadosamente monitorado. É possível engravidar imediatamente na maioria das vezes. Entretanto, é recomendado que as mulheres aguardem um ciclo menstrual antes de tentar engravidar novamente.

Complicações

Um abortamento infectado poderá ocorrer se qualquer tecido da placenta ou do feto permanecer no útero após o aborto. Os sintomas de uma infecção incluem febre, sangramento vaginal que não para, cólicas e secreção vaginal com um odor forte. As infecções podem ser graves e exigem atendimento médico imediato.
São raras as complicações decorrentes de abortos completos. Entretanto, muitas mães e pais se sentem abatidos. Palavras de consolo como "vocês podem tentar de novo" ou " foi melhor assim" podem piorar a recuperação porque sua tristeza foi ignorada.
Mulheres que perdem um bebê após 20 semanas de gestação recebem um cuidado médico diferente. Isso é denominado parto prematuro ou morte fetal e requer atendimento médico imediato.

Ligando para o médico

Procure seu médico caso haja sangramento vaginal com ou sem cólicas durante a gestação.
Procure seu médico caso seja gestante e note perda de sangue ou líquido pela vagina (qualquer material deve ser coletado e levado para ser examinado).

Prevenção

Muitos abortos espontâneos decorrentes de doenças sistêmicas podem ser evitados detectando e tratando a doença antes da gravidez.
Os abortos espontâneos terão menor chance de ocorrer se você seguir um pré-natal completo o mais cedo possível e se você evitar ameaças ambientais (raios X, drogas e álcool, níveis elevados de cafeína e doenças infecciosas, por exemplo).
Quando o corpo da mãe está tendo dificuldade para manter uma gravidez, sinais (como sangramento vaginal leve) são possíveis de acontecer. Isso significa que há possibilidade de abortamento, mas não quer dizer que ele vai ocorrer. Uma gestante que apresenta qualquer sinal ou sintoma de ameaça de aborto deve procurar uma emergência obstétrica imediatamente.

Fonte IG

Pesquisadores ingleses identificam "interruptor da fertilidade"

Grupo descobriu que níveis muito altos ou muito baixos de uma proteína no útero estão ligados a infertilidade e abortos

Cientistas do Imperial College London, na Inglaterra, descobriram uma enzima que age como um "interruptor da fertilidade" e dizem que suas descobertas podem ajudar a tratar casos de infertilidade e aborto espontâneo, além de levar ao desenvolvimento de novos anticoncepcionais.

O estudo, publicado esta semana na revista Nature Medicine relata a descoberta dos pesquisadores: altos níveis de uma proteína chamada SGK1 estão ligados à infertilidade, enquanto que níveis muito baixos tornam a mulher mais propensa a ter um aborto espontâneo.

Enzimas são proteínas que catalisam, ou aumentam as taxas de reações químicas no corpo. Segundo Jan Brosens, que liderou o estudo no Imperial College e agora está atuando na Universidade de Warwick, os resultados sugerem que novos tratamentos para fertilidade e aborto espontâneo poderiam ser concebidos em torno da SGK1.

“Eu imagino que no futuro poderemos, quem sabe, tratar a camada que reveste o útero da mulher inundando-o com drogas que bloqueiam a SGK1 antes dela se submeter à fertilização in vitro”, disse ele em um comunicado.

“Outra potencial aplicação é usar o aumento dos níveis de SGK1 como um novo método de contracepção.”

A infertilidade é um problema mundial que, estimam os especialistas, afeta entre 9% e 15% das pessoas da idade fértil. Mais da metade dos afetados procura aconselhamento médico, na esperança de finalmente ser capaz de se gerar um bebê.

Uma em cada 100 mulheres que tentam engravidar tem abortos de repetição, uma condição definida como a perda de três ou mais gestações consecutivas. Neste estudo, a equipe de Brosen analisou amostras de tecido da camada que reveste o útero, doados por 106 mulheres que estavam sendo tratadas por infertilidade sem explicação ou por abortos recorrentes.

Aquelas com infertilidade inexplicada estavam tentando engravidar por dois anos ou mais, e os motivos mais comuns para a infertilidade haviam sido descartados. Os pesquisadores descobriram que o revestimento do útero nessas mulheres tinha altos níveis de SGK1, enquanto as que sofriam de abortos recorrentes tinham baixos níveis dessa proteína.

Em novos experimentos – estes feitos com ratos – a equipe descobriu que os níveis de SGK1 no revestimento do útero caem durante a janela fértil.

Quando os pesquisadores implantaram cópias extras de um gene SGK1 no revestimento do útero, as ratas eram incapazes de engravidar. Isto sugere uma queda nos níveis de SGK1 é essencial para tornar o útero receptivo aos embriões, reportou o grupo.

 Os pesquisadores disseram que qualquer tratamento futuro contra infertilidade que bloqueie a SGK1 precisaria ter um efeito de curto prazo, uma vez que baixos níveis da proteína após a concepção parecem estar relacionados ao aborto.

“Baixos níveis de SGK1 tornam o revestimento do útero vulnerável ao estresse celular, o que poderia explicar por que níveis baixos de SGK1 foram mais comuns em mulheres que tiveram abortos de repetição”, disse Madhuri Salker, do Imperial College, que também trabalhou no estudo.

“No futuro, talvez possamos fazer biópsias da mucosa que reveste o útero e identificar anormalidades que possam aumentar o risco de complicações na gravidez, para começarmos a tratá-los antes da mulher tentar engravidar.”

Fonte IG

Exames: Hepatite B e C (HBSAg e antiHCV)

O que são
Exames de sangue que detectam a presença dos vírus causadores da hepatite B e C na corrente sanguínea.

Para que servem
O HBsAg indica infecção pelo vírus da hepatite B(HBV) – ele está presente nas infecções agudas e crônicas. O anti-HCV é o marcador de triagem para a hepatite C. Indica contato prévio com o vírus, mas não define se a infecção é aguda, crônica ou se já foi curada.

Como são feitos
São colhidas amostras de sangue de uma veia do braço do paciente.

Preparo
Não é necessário jejum. Deve-se informar o uso de qualquer medicamento. As mulheres devem informar se estão grávidas.

Valores de referência
Positivo ou Negativo para HBsAg e anti-HCV.

Fonte IG

Mulheres são alvo da hepatite autoimune

Doença é subdiagnosticada por causa da falta de especialistas e de conhecimento no assunto

As respostas errôneas do sistema imunológico também podem atingir órgãos importantes, como o fígado. O sistema de defesa do corpo provoca inflamação crônica, atacando o fígado e levando à formação de fibrose. Cerca de 10% de todas as hepatites crônicas tratadas nos centros de referência do país são autoimunes, de acordo com a Sociedade Brasileira de Hepatologia.

Os números, que parecem reduzidos, estão longe de representar a realidade. “O Brasil tem poucos hepatologistas e a doença é subdiagnosticada. Infelizmente, o diagnóstico tardio é a regra”, afirma o presidente da SBH, Raymundo Paraná.

Na maioria dos casos, a doença só é identificada quando há comprometimento do órgão. Normalmente não há sintomas característicos, mas o paciente pode apresentar cansaço, pele e mucosas amareladas (icterícia), náusea e dores abdominais e articulares.

Não há um exame específico capaz de identificar a hepatite autoimune. Os médicos indicam uma avaliação hepática simples, por meio de exames de sangue, com determinação de marcadores específicos e aliam a características clínicas.

Elas
Esse tipo de hepatite é três vezes mais comum em mulheres do que em homens. “Elas estão mais propensas a doenças autoimunes em todos os órgãos e tecidos do corpo. O motivo ainda é desconhecido”, explica o hepatologista. Os médicos já identificaram, porém, as idades em que a doença é mais prevalente: em mulheres entre 15 e 25 anos e aquelas na pós-menopausa.

A gastroenterologista Debora Raquel Benedita Terrabujo, em seu estudo “20 anos de hepatite autoimune no Hospital das Clínicas”, da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), acompanhou 268 pacientes atendidos no período. A idade média de diagnóstico foi de 29 anos.

Para Paraná, justamente por esse caráter feminino, os ginecologistas são os grandes aliados na luta contra a doença. “Estamos trabalhando juntos para que esses profissionais solicitem os exames às mulheres a partir dos 45 anos”, diz.

Tratamentos
“Reconhecer a hepatite autoimune e diagnosticá-la precocemente evita a cirrose hepática”, alerta Paraná. Os tratamentos disponíveis são o corticosteroide e a azatioprina, ambos disponíveis na rede pública de saúde, que podem ser ministrados individualmente ou concomitantemente.

A doença é responsável por até 3% dos transplantes hepáticos em crianças e 4% a 6% em adultos nos EUA e Europa. No Brasil, de acordo com levantamento do estudo “20 anos de hepatite”, 26,9% dos transplantados enfrentaram a volta da hepatite em quatro anos.

Fonte IG