Aplicativos, carreira, concursos, downloads, enfermagem, farmácia hospitalar, farmácia pública, história, humor, legislação, logística, medicina, novos medicamentos, novas tecnologias na área da saúde e muito mais!


quinta-feira, 13 de abril de 2017

Doenças renais podem ser prevenidas com hábitos saudáveis

rinsO corpo humano é uma “máquina” perfeita, resultado de uma sintonia fina entre sistemas, células, nervos, órgãos e inúmeros outros componentes que mantêm o pleno funcionamento de toda essa engrenagem

E assim como as máquinas reais, o corpo depende de cuidados para ampliar sua vida útil, algo conseguido apenas com cuidados preventivos. Foi o que aprendeu Jorge Carlos Barroso, 46, paciente do Hospital Geral de Fortaleza (HGF), da rede pública do Governo do Ceará.

O metalúrgico tinha apenas 26 anos quando descobriu um grave problema renal, consequência de um outro mal até então desconhecido, a pressão alta.

Ainda jovem, Jorge descobriu que seria necessário um transplante para voltar a ter uma vida normal. “Eu era muito novo quando descobri a doença. Meus pais ficaram muito tristes, pois foi tudo muito rápido e, naquela época, o acesso aos tratamentos ainda era difícil. Em 2001, graças a Deus, consegui um transplante”, relembra.

No entanto, a felicidade de ter um novo órgão foi passageira. Contente com a recuperação, Jorge antecipou o retorno à rotina normal, voltando a trabalhar prematuramente. A atitude fez com que ele tivesse um regresso e culminou na necessidade de um novo órgão, no qual segue aguardando enquanto realiza hemodiálise.

Segundo o clínico generalista da emergência do HGF, Tiago Xerez, casos como a do metalúrgico Jorge Barroso, que desenvolveu hipertensão arterial prematura e, por consequência, doença renal crônica, são comuns para a maioria dos pacientes que dão entrada na Emergência do HGF. Essa realidade evidencia a importância dos cuidados preventivos. “Geralmente são pessoas que nunca procuraram um atendimento na rede básica de saúde, que quando chegam aqui, já se encontram com a patologia muito complexa e precisamos da equipe multiprofissional para realizar todo o acompanhamento durante a internação”, avalia Xerez.

Tratamento
Referência em assistência hospitalar de alta complexidade, realizando transplantes, neurocirurgias, e prestando assistência em Acidente Vascular Cerebral (AVC) e outras patologias. Com emergência 24 horas, o HGF é o maior hospital da rede pública do Governo do Ceará e garante o atendimento e o acompanhamento às pessoas que necessitam de cuidados relacionados a doenças renais crônicas.

A nefrologista chefe do HGF, Daniele Pinto, destaca que aproximadamente 140 pacientes internados com problemas renais são avaliados diariamente no hospital. As internações, em sua maioria, têm relação com três fatores: hipertensão, diabetes e uropatia obstrutiva (quando o fluxo de urina sofre uma inversão de direção; em vez de ir do rim para a bexiga, a urina volta à bexiga).

Estudos recentes também apontam que um outro fator tem contribuído para a insuficiência renal crônica: a obesidade. Uma vez que a doença renal crônica se desenvolve, ela passa a evoluir, cabendo aos especialistas a missão de retardar essa função. Para isso é fundamental que os pacientes mantenham uma vida saudável e façam exames regularmente de sumário de urina e de dosagem de creatinina no sangue.

O tratamento principal consiste em dieta e medicação apropriadas para ajudar a controlar o balanço crítico do corpo, que os rins normalmente controlam. Entretanto, quando há falha renal, metabólitos e fluidos acumulam e pode ser necessário tratamento de hemodiálise ou até mesmo transplante renal associado à medicação para restaurar a função renal.

Nem todos os pacientes que estão internados na unidade fazem hemodiálise, mas o HGF dispõe de dois tipos de máquina para a realização do procedimento, a hemodiálise convencional e a máquina Gênius, que é utilizada para tratamentos mais graves para pacientes que não podem sair do leito.

A hemodiálise é o procedimento em que uma máquina limpa e filtra o sangue, realizando parte do trabalho que o rim doente não pode fazer, liberando do corpo os resíduos prejudiciais à saúde e ajuda a manter o equilíbrio de substâncias como sódio, potássio, ureia e creatinina. A hemodiálise é indicada para pacientes com insuficiência renal aguda ou crônica graves. No HGF, somente em 2016 foram realizadas 14.290 diálises e em janeiro e fevereiro de 2017, 2.411. O hospital também garante exames laboratoriais, de imagens e biópsias. O paciente com suspeitas ou diagnóstico de doença renal grave, após consulta no posto de saúde mais próximo da sua casa, é encaminhado pela Central de Regulação para atendimento no Hospital Geral de Fortaleza.

Fonte: Secretaria da Saúde do Ceará

Amendoim: alimento é uma excelente opção para pequenas refeições

amendoiminnaturaO amendoim é um alimento que se tornou bastante popular nas refeições de alguns frequentadores assíduos das academias

É um alimento que já tinha seu espaço garantido no coração e no paladar da população brasileira e é encontrado com facilidade no território nacional. Como parte de uma alimentação equilibrada, para o ganho de uma vida mais saudável, o amendoim deve ser consumido sim, como vários outros alimentos in natura e minimamente processados.

Entender o nível de processamento dos alimentos, mais do que a qualidade de um alimento isolado, pode ser mais efetivo para chegar ao objetivo maior, que é ter saúde para toda a vida.

Grau de Processamento, segundo o Guia Alimentar
Alimentos in natura são obtidos diretamente da natureza, de plantas ou de animais, e não sofrem qualquer alteração após deixarem a natureza – nesse caso, seria o amendoim ainda com a casca marrom, sem adição de sal ou açúcar, que você mesmo pode descascar. Minimamente processado seria o amendoim já limpo, sem a casa, envolto naquela camada vermelha ou sem ela, mas sem adição de qualquer substância, seja sal, açúcar, óleos, ou outras gorduras. Com casca ou descascado, você pode encontrar o alimento em feiras ou supermercados com facilidade.

Propriedades
O amendoim faz parte do grupo de alimentos que inclui vários tipos de castanhas (de caju, de baru, do-brasil ou do-pará) e nozes, além das amêndoas. Castanhas, nozes, amêndoas e amendoins têm vários usos culinários. Podem ser usados como ingredientes de saladas, de molhos e de várias preparações culinárias salgadas e doces (farofas, paçocas, pé de moleque) e também ser adicionados a saladas de frutas. Por exigirem pouco ou nenhum preparo, são excelentes opções para pequenas refeições.

Todos os alimentos que integram este grupo são ricos em minerais, vitaminas, fibras e gorduras saudáveis (gorduras insaturadas) e, como frutas e legumes e verduras, contêm compostos antioxidantes que previnem várias doenças.

Porém, é preciso cautela quando algumas das características do alimento forem modificadas. Castanhas, nozes, amêndoas e amendoins adicionados de sal ou açúcar são alimentos processados e, sendo assim, o Ministério da Saúde indica que o consumo deve ser limitado. Na base da alimentação devem estar sempre os alimentos in natura e minimamente processados, como você pode conferir nas orientações do Guia Alimentar para a População Brasileira.

Preparações caseiras
O Ministério da Saúde recomenda que a população evite o consumo de alimentos ultraprocessados para obter uma vida mais saudável. Devido a seus ingredientes, alimentos ultraprocessados – como biscoitos recheados, “salgadinhos de pacote”, refrigerantes e “macarrão instantâneo”, – são nutricionalmente desbalanceados. Por conta de sua formulação e apresentação, costumam ser consumidos em excesso e substituir alimentos in natura ou minimamente processados.

Para que tenham longa duração e não se tornem rançosos precocemente, os alimentos ultraprocessados são frequentemente fabricados com gorduras que resistem à oxidação, mas que tendem a obstruir as artérias que conduzem o sangue dentro do nosso corpo. São particularmente comuns em alimentos ultraprocessados os óleos vegetais naturalmente ricos em gorduras saturadas e gorduras hidrogenadas, que, além de ricas em gorduras saturadas, contêm também gorduras trans.

Alimentos ultraprocessados tendem a ser muito pobres em fibras, que são essenciais para a prevenção de doenças do coração, diabetes e vários tipos de câncer. A falta de fibras decorre da ausência ou da presença limitada de alimentos in natura ou minimamente processados nesses produtos. Esse mesmo motivo faz com que os alimentos ultraprocessados também sejam pobres em vitaminas, minerais e outras substâncias com atividade biológica, que estão naturalmente presentes em alimentos in natura ou minimamente processados. Por essas razões, na hora de comer o amendoim, prefira sempre as preparações caseiras ou ainda o alimento in natura. Abaixo, listamos uma receita caseira de uma paçoca tipicamente brasileira.

Receita Caseira de Paçoca

Paçoca soltinha

Ingredientes
• 1/4 xícara de farinha de mandioca torrada
• 1 1/2 xícara de amendoim torrado
• 1/2 xícara de açúcar mascavo

Para fazer a paçoca soltinha
• Coloque a farinha de mandioca para torrar em uma frigideira até ficar douradinha.
• Enquanto isso, torre o amendoim no forno médio por 15 minutos. Descasque-o.
• Leve o amendoim ao processador junto com o açúcar mascavo e bata.
• Adicione a farinha de mandioca torrada para dar crocância à mistura e processe mais.

Gabi Kopko, para o Blog da Saúde