Aplicativos, carreira, concursos, downloads, enfermagem, farmácia hospitalar, farmácia pública, história, humor, legislação, logística, medicina, novos medicamentos, novas tecnologias na área da saúde e muito mais!


segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Células raras podem oferecer novo tratamento para doenças autoimunes

Células B10 reproduzidas em laboratório e inseridas novamente em ratos doentes mostraram resultados positivos
 
Cientistas do Duke University Medical Center, nos EUA, descobrriam que um tipo raro de linfócito, célula do sistema imune, pode ajudar no tratamento de doenças autoimunes graves, como esclerose múltipla e atrite reumatoide.
 
O estudo revela que as células, reproduzidas em laboratório e inseridas novamente em organismos de ratos doentes, mostraram resultados positivos.
 
As células estudadas, um subgrupo dos linfócitos chamados B10, são raras porque são encontradas em pequena concentração nos organismos. Elas são, no entanto, importantes para controlar inflamações e o processo autoimune.
 
Essas células B10 produzem a proteína chamada IL-10 que ajuda a controlar a resposta do sistema imunológico durante infecções, reduzindo danos causados a tecidos saudáveis do corpo.
 
"As células B10 são importantes porque se certificam de que uma resposta imune não seja em excesso, resultando em auto-imunidade ou doenças. Este estudo demonstra, pela primeira vez, que existe um processo altamente controlado, que determina onde e quando estas células produzem IL-10", afirma o autor do estudo Thomas F. Tedder.
 
Os pesquisadores descobriram que as células B10 só respondem a antígenos muito específicos. Quando isso ocorre, estes linfócitos e suas proteínas agem para desativar outros tipos de células do sistema imunológico que poderiam causar destruição de tecidos do organismo.
 
Tedder e os seus colegas estudaram o processo de produção de IL-10 nas células B10 de camundongos.
 
Eles injetaram linfócitos B10 reproduzidos em laboratório no organismo de ratos com sintomas de esclerose múltipla. Após algum tempo, os efeitos da doença foram reduzidos de forma substancial, quase eliminando o distúrbio.
 
Segundo os pesquisadores, os resultados sugeren que as células B10 podem ser aproveitadas como uma terapia celular, dada a sua capacidade de regular as respostas imunes e autoimunes.
 
Os próximos passos do estudo incluem entender como funciona a reprodução de linfócitos B10 humanos e determinar se o uso das células como terapia anti-imune terá o mesmo efeito em humanos que obteve em ratos.
 
Fonte isaude.net

Ficar sentado por períodos prolongados aumenta risco de diabetes e morte

Pesquisa sugere que associações foram independentes da quantidade de atividade física realizada pelas pessoas
 
Pessoas que passam muito tempo sentadas têm duas vezes maios risco de diabetes, doença cardíaca e morte. É o que revela estudo de pesquisadores da Universidade de Leicester, no Reino Unido.
 
Os resultados revelam que as associações foram independentes da quantidade de atividade física realizada, sugerindo que mesmo que um indivíduo atenda as recomendações de exercícios, sua saúde ainda pode ser comprometida se eles ficar sentado por longos períodos de tempo ao longo do dia.
 
"O adulto gasta cerca de 50 a 70% do seu tempo sentado de modo que os resultados deste estudo têm implicações profundas. Simplesmente limitando o tempo que passamos sentados, podemos ser capazes de reduzir o nosso risco de diabetes, doenças cardíacas e morte", afirma a autora da pesquisa Emma Wilmot.
 
A pesquisa mostra ainda que as associações mais consistentes foram entre ficar sentado e o risco de diabetes. "Esta é uma mensagem importante porque as pessoas com fatores de risco para a diabetes, como a obesidade ou aqueles com história familiar da doença, podem ser capazes de ajudar a reduzir o risco futuro da condição através da limitação do tempo gasto sentado", afirmam os autores.
 
Wilmot e seus colegas do Grupo de Pesquisa de Diabetes da Universidade de Leicester revisaram 18 estudos envolvendo 794.577 participantes no total.
 
Eles descobriram que os níveis mais elevados de sedentarismo foram associados com um aumento de 112% no risco de diabetes tipo 2; um aumento de 147% no risco de doença cardiovascular; um aumento de 90% no risco de mortalidade cardiovascular e um aumento de 49% no risco geral de morte.
 
Os resultados são publicados na revista Diabetologia, da Associação Europeia para o Estudo da Diabetes.
 
"Há muitas maneiras de reduzir o nosso tempo sentado, como quebrar longos períodos em frente ao computador no trabalho. Nós podemos caminhar durante a pausa para o almoço, e podemos reduzir o tempo gasto em frente à TV na parte da noite, buscando comportamentos menos sedentários", afirma o pesquisador Stuart Biddle.
 
Segundo os pesquisadores, o estudo tem uma mensagem muito importante para o público, mas também para profissionais de saúde porque deixa claro que o sedentarismo é comum e perigoso para a saúde a longo prazo, em especial para o diabetes e as doenças cardiovasculares, e que esta ligação acontece, acima outro fatores de estilo de vida como a nossa dieta e atividade física.
 
Fonte isaude.net

Chega a 15 os mortos por meningite causada por remédio contaminado nos EUA

A infecção já afetou 13 estados e 198 pessoas, com 14 mil pacientes potencialmente expostos ao produto
 
Neste sábado (13), o número de casos de meningite fúngica causada por um medicamento contaminado nos Estados Unidos aumentou para 193, com 15 mortes confirmadas em 13 estados.

De acordo com levantamentos liderados pelo CDC (Center for Disease Control and Prevention) e o FDA (Food and Drug Administration), foram identificadas 14 mil pessoas potencialmente expostas ao esteróide epidural, medicamento usado para tratar dores nas costas, em 23 estados.

Entre os estados mais afetados estão Tennessee (52 casos), onde o primeiro caso foi detectado, seguido de Michigan (41), Virgínia (34) e Índiana (27) e Maryland (15).

De acordo com o CDC todos os lotes contaminados ( 05212012 @ 68; 06292012 @ 26 e 08102012 @ 51) foram recolhidos voluntariamente pelo próprio distribuidor New England Compounding Center (NECC) de Framingham, Massachusetts, até o dia 3 de outubro.

A meningite fúngica não é contagiosa, mas seus sinais são parecidos com de uma gripe, dificultando a detecção, até que seja tarde para o tratamento.

 
Acompanhe o desenvolvimento da epidemia
Em 18 de setembro de 2012, o Departamento de Saúde do Tennessee foi alertado por um médico de um caso confirmado de meningite fúngica diagnosticado 46 dias após a injeção de esteróide epidural em um centro cirúrgico ambulatorial.

Uma semana depois de iniciadas as investigações em colaboração com o CDC e do Departamento de Saúde e Serviços Humanos da Carolina do Norte, foram identificados mais oito pacientes. Todos os nove pacientes receberam uma ou mais injeções de esteróide epidural com conservante livre de solução de acetato de metilprednisolona (MPA).

A partir de 10 de outubro, uma investigação liderada pelo CDC em colaboração com os departamentos de saúde estaduais e o FDA, identificou 137 casos e 12 mortes associadas à epidemia em 10 estados.

O NECC foi informado da investigação em curso, em 25 de setembro, e confirmou a distribuição de cerca de 17.5 mil frascos de MPA (80 mg/ml) dos lotes acima, embalados em frascos de 1, 2 e 5 ml, para 75 instalações em 23 estados. De 26 de setembro a 3 de outubro, o NECC retirou voluntariamente do mercado todos os produtos restantes, segundo informações do CDC.

A notificação dos pacientes potencialmente expostos foi iniciada por secretarias estaduais e o CDC em 25 de setembro. A partir de 10 de outubro, os departamentos estaduais de saúde informaram que cerca de 90% dos pacientes tinham sido contactados pelo menos uma vez, por telefone, mensagens, visita domiciliar e correio.

Fonte isaude.net

Suicídio em crianças e adolescentes

Suicídio em crianças e adolescentes tem sido um assunto de grande preocupação para a sociedade moderna, especialmente para os clínicos que lidam com problemas de saúde mental nestas faixas etárias. Por exemplo, em 1910, a Sociedade Psicanalítica de Viena, com Sigmund Freud entre outros especialistas participantes, realizou uma conferência lidando com o que foi percebido como uma crescente epidemia de suicídio de jovens (Greydanus & Calles, 2007).
 
No início século 21, o suicídio e tentativas de suicídio de crianças e adolescentes continuam a ser um sério problema de saúde pública e diversas pesquisas têm evidenciado claramente o suicídio como uma das causas mais comuns de morte entre os jovens.

Epidemiologia do suicídio
O suicídio é uma das principais causas de morte no mundo e as taxas variam de acordo com a região, sexo, idade, tempo, origem étnica, e, provavelmente, as práticas de registro de óbito. A maioria das pessoas que morre por suicídio tem transtornos psiquiátricos, variações de humor, ansiedade, psicose, transtornos de personalidade, além de altas taxas de comorbidade.
 
Cognições e comportamentos suicidas podem ocorrer tanto de forma independente como em conjunto. O risco de aparecimento de pensamentos suicidas aumenta rapidamente durante a adolescência e início da vida adulta, e depois estabiliza no início da meia-idade. A incidência de tentativas de suicídio atinge um pico durante a metade da adolescência, aumentando de forma constante durante toda esta fase, quando chega a ser a terceira principal causa de morte.
 
O suicídio na infância e início da adolescência é raro. No entanto, em adolescentes e jovens adultos as taxas de suicídio aumentam em todo o mundo. De forma geral, as taxas anuais de suicídios entre crianças de 5 anos chega 0,5 por 100 mil, em mulheres, e 0,9 por 100 mil para homens. Já aos 15 anos este índice atinge 12 por 100 mil para o sexo feminino e 14,2 por 100 mil para o sexo masculino, respectivamente (Pelkonen & Marttunen, 2003). Os homens, muitas vezes superam as mulheres nas estatísticas de suicídio mundiais durante a juventude, embora esta seja uma variável que bastante diferenciada entre países.
 
Já entre os idosos as taxas de suicídio fazem o caminho inverso à dos jovens, apresentando sucessivas quedas nos últimos anos ( Hawton & van Heeringen, 2009).

Os fatores de risco para o suicídio
Importantes fatos que contribuem para a automutilação e suicídio incluem a vulnerabilidade genética, psiquiátrica, psicológica, fatores familiares, sociais e culturais. Por exemplo, a relação entre os distúrbios psiquiátricos e suicídio adolescente está bem estabelecida. Transtornos de humor, abuso de substâncias e tentativas de suicídio anteriores estão fortemente relacionados com o suicídio na juventude (Pelkonen & Marttunen, 2003). Os efeitos da mídia são relevantes; a internet representa um papel importante na sociedade contemporânea; bem como histórico familiar de comportamento suicida, adversidades familiares, alienação social a exposição a comportamento suicida por pessoas próximas e através dos meios de comunicação (Hawton et al., 2012; Hawton & van Heeringen, 2009; Pelkonen & Marttunen, 2003).
 
A progressão do pensamento suicida, de auto-mutilação, e de suicídio não acontece de forma absoluta. A auto-mutilação pode ter várias escalas e representar um marcador para o suicídio subseqüente. O risco de suicídio entre pacientes que se auto-mutilam é centenas de vezes maior do que na população em geral (Owens et al, 2002.). O risco de tentativa de suicídio é significativamente maior em pacientes com pensamentos suicidas, e risco de suicídio consumado é maior em pacientes que fogem dos cuidados médicos ou tomam precauções contra a descoberta. Dar continuidade aos cuidados com jovens de alto risco é um desafio, uma vez que muitas vezes mostram-se incompatíveis e geralmente desistem do tratamento ou o encerram prematuramente. Pelo menos metade dos jovens que cometeram suicídio receberam tratamento psiquiátrico (Pelkonen & Marttunen, 2003).

Abordagens para a prevenção do suicídio
A prevenção da auto-mutilação e do suicídio necessita tanto medidas universais destinadas a jovens, quanto específicas focadas em grupos de alto risco (Hawton et al., 2012). O principal alvo da prevenção eficaz de suicídio de jovens é reduzir os fatores de risco de suicídio. Em particular, o reconhecimento e tratamento específico e eficaz de distúrbios psiquiátricos, depressão, bem como a restrição do acesso a meios para o suicídio, são essenciais na prevenção desta prática entre crianças e adolescentes (Pelkonen & Marttunen, 2003). Além disso, as evidencias disponíveis sugerem que várias modalidades de tratamento são úteis como, por exemplo, terapia cognitivo-comportamental e intervenções especializadas nas salas de emergência.
 
Os esforços para evitar as tentativas posteriores de suicídio não têm sido geralmente bem sucedidos. Muitas crianças e adolescentes não estão recebendo tratamento para as mudanças de humor e outros transtornos psiquiátricos que são fatores de risco. Avaliação do risco de suicídio deve ser realizada regularmente, a fim de tentar a intervenção precoce como parte de programas de prevenção.

Com objetivo de intensificar estes esforços, foi criado um consórcio de especialistas de saúde mental infantil em toda a Europa, liderados por Paramala Santosh . Os integrantes do consórcio fazerm parte da EU FP7 funded , no projeto Suicidality Treatment Occurring in Paediatrics (STOP), e tem como objetivo criar padrões para os casos de suicídio, os efeitos colaterais dos medicamentos, risco e fatores de proteção. Estas padrões de resultados relatados (PROM) estão hospedados no HealthTracker, um sistema de monitoramento multimídia de saúde, baseado na web. O projeto STOP está sendo testado em crianças e adolescentes para identificar se o paciente que relatou estas medidas pode ter comportamento suicida, permitindo a criação de procedimentos de alerta para os médicos, que resultaria em intervenções precoces, especialmente com o início do uso de novos medicamentos.

Como parte deste projeto, uma análise detalhada dos fatores psicossociais associados ao comportamento suicida em crianças e adolescentes foi realizada. Estudos de fatores psicológicos, eventos de vida, fatores temperamentais, medicação, fatores relacionados e problemas médicos associados foram revisados. De acordo com os resultados, a maioria dos jovens que concluíram o suicídio tinha significativos problemas psiquiátricos, incluindo transtornos depressivos e transtornos de abuso de substâncias. Eventos estressantes da vida e condições médicas foram freqüentemente relatados para preceder um suicídio ou tentativa de suicídio. O suicídio de jovens foi marcado por uma preponderância distinta do sexo masculino.
 
Fonte isaude.net

Doença renal crônica causa alterações graves na flora microbiana intestinal

Dieta contendo alimentos ricos em fibras pode garantir melhora na composição dos micróbios do intestino
 
Pesquisadores da University of California Irvine, nos EUA, descobriram que a doença renal crônica altera a composição de micróbios intestinais que desempenham um papel crucial na proliferação de patógenos causadores de doenças e mantém o equilíbrio de micronutrientes.
 
Alteração profunda da população microbiana do intestino pode influenciar na produção de toxinas urêmicas, causam inflamação local e sistêmica e anormalidades nutricionais em pacientes com doença renal avançada.
 
Os resultados sugerem que uma dieta contendo alimentos ricos em fibras pode garantir uma melhora na composição dos micróbios do intestino e o consequentemente no bem-estar dos pacientes.
 
O líder do estudo N.D. Vaziri e seus colegas estudaram DNA microbiano extraído de fezes coletadas de um grupo de pacientes com insuficiência renal e de indivíduos controles saudáveis. Eles descobriram diferenças significantes no excesso de cerca de 190 tipos de bactérias no microbioma intestinal de pessoas com doença renal confirmou os resultados de um estudo simultâneo de ratos com e sem doença renal crônica.
 
Vaziri explica que os produtos ricos em resíduos de azoto (principalmente ureia e o ácido úrico, que são normalmente excretados pelos rins) são acumulados nos fluidos corporais de pacientes com insuficiência renal. Isto conduz à libertação massiva destes produtos residuais no trato gastrointestinal, propiciando o crescimento de espécies microbianas que podem se beneficiar destes compostos.
 
O médico esclarece ainda que o impacto desta inundação do intestino por resíduos de produtos nitrogenados em pacientes em um estágio avançado da doença, é agravado por restrições alimentares em frutas e legumes, que contém as fibras não digeríveis, das quais os micróbios intestinais se alimentam.
 
Isto ocorre porque as frutas e vegetais contém grandes concentrações de potássio, um mineral geralmente excretado pelos rins. Em casos de insuficiência renal, os níveis de potássio são elevados, e podem inclusive levar o paciente a uma parada cardíaca.
 
Uma solução proposta por Vaziri seria proporcionar tratamentos de diálise mais longos e frequentes. O que permitiria que uma quantidade maior de potássio fosse removida por diálise e permitiria uma concentração maior de potássio na dieta. Outra alternativa seria a utilização de alimentos ricos em fibras que não contêm potássio e podem ser utilizado como suplemento dietético.
 
Fonte isaude.net

A cada 10 segundos, um chinês morre de doenças cardiovasculares

200 milhões de chineses sofrem com hipertenção, os índices de diabetes dobraram em cinco anos e o tabaco atinge 350 milhões
 
A cada ano, três milhões de chineses morrem de doenças cardiovasculares (CVD, da sigla em inglês), um a cada 10 segundos. Ações urgentes, incluindo a proibição de fumar em lugares públicos, restrições ao consumo de sal e um maior controle da pressão arterial são algumas das saídas consideradas emergenciais para combater o crescimento descontrolado dos problemas cardiovasculares que já representam 40% das mortes registradas no país.
 
" A prevenção não tem sido uma prioridade na China. Nos últimos 20 a 30 anos o sistema de saúde tem focado o tratamento de estágios avançados da doença cardíaca. O número de pacientes tratados com stents aumentou dramaticamente," afirma o professor Dayi Hu, do Heart Centre at the People's Hospital e presidente da Chinese Society of Cardiology (CSC).
 
A China tem experimentado uma rápida industrialização. Em pouco mais de 30 anos o PIB per capita aumentou quase 80 vezes, passando de 381 yuans, em 1978, para 29 mil yuans em 2010. O país também teve rápida urbanização. Em 1978, apenas 18% da população viviam em cidades. Este número subiu para 50%, em 2010, e prevê-se atingir 55% até 2015. Estas transformações sociais levaram a mudanças dramáticas no estilo de vida de toda a população.
 
Fumar é o um dos maiores problemas de saúde pública do país. Mais de 54% dos homens cultivam o vício. "Metade dos médicos do sexo masculino são fumantes, isto representa 33% dos nossos cardiologistas. Uma realidade dramática", disse o professor Hu.
 
Há um total de 350 milhões de fumantes na China, número que deve chegar a 430 milhões até 2032. A idade média para o início do vício vem diminuindo. Nos homens ela caiu de 22 anos, em 1984, para 19, em 1996, e 18 anos em 2002. Nas mulheres, a idade caiu de 25 anos, em 1984, para 22 anos, em 1996, e 20 anos em 2002.

Epidemia de Hipertensão
Há uma epidemia crescente de hipertensão na China. Cerca de 200 milhões de chineses têm a doença e os registros aumentam em todas as faixas etárias. Mas tratamento, conscientização e controle ainda não são uma prioridade. Apenas 30% dos pacientes com hipertensão sabem que têm a doença (índice que chega a 80% nos EUA), 24% recebem tratamento (73% nos EUA) e apenas 6% dos pacientes têm sua pressão arterial sob controle (50% nos EUA).
 
Mais de 80% dos adultos chineses que vivem em áreas urbanas ingerem acima de cinco gramas de sal por dia. Reduzir a ingestão de sal diária de 10 para cinco gramas poderia reduzir as taxas de Acidente Vascular Cerebral (AVC) em 23% e as taxas de doenças cardiovasculares em 17% a um custo de menos de US $ 1 por pessoa/ ano, se estas ações forem combinadas com estratégias de controle do tabaco.

Diabetes e obesidade
Há 92 milhões de pessoas com diabetes tipo 2 na China. Na população urbana os níveis da doença aumentaram 50% em cinco anos. De 6%, em 2002, para cerca de 10% em 2007. As taxas de internação hospitalar por complicações agudas do diabetes são extremamente elevadas, chegando a 160 notificações por 100 mil habitantes em 2008. Número 16 vezes maior que da Holanda.
 
" A obesidade tem aumentado com estilos de vida pouco saudáveis iniciados muito cedo. Precisamos realizar campanhas para promover hábitos de vida saudáveis, começando pelas crianças, incentivando a prática de exercícios e o consumo de uma alimentação saudável," completa Hu.

 
Médicos devem dar o exemplo
"O movimento por uma China saudável tem de ser iniciado pelos médicos. Toda classe, principalmente os cardiologistas, precisa parar de fumar, ter uma alimentação saudável, e praticar exercícios regularmente, controlando seu peso. Assim eles poderão ser um bom exemplo para os pacientes e, efetivamente, promover medidas de prevenção de doenças cardiovasculares com o governo, empresas farmacêuticas e fabricantes de alimentos. Acredito que se nossos médicos não forem saudáveis, não haverá China saudável, " afirma HU.
 
A ação do governo também é imprescindível. "A China não tem leis nacionais que proíbem o fumo em áreas públicas e não há nenhuma política do governo central. Existem alguns hospitais livres de fumo e algumas cidades e províncias vêm incentivando a criação áreas livres do fumo, mas isto não é o bastante. O governo precisa fazer leis estritas para proibir o fumo em locais públicos, aumentar os impostos para o tabaco, reforçar as proibições sobre publicidade e promover ações para alertar sobre os perigos do fumo, apoiando a população a abandonar o vício.
 
As estratégias para diminuir a ingestão de sal incluem campanhas de orientações nutricionais, maior acesso a comidas saudáveis com preços mais baixo, legislação que obrigue a rotulagem do teor de sal nos alimentos, incentivo aos fabricantes de alimentos para reduzirem os níveis do produto.
 
As informações foram divulgadas nesta sexta-feira (12) segundo dia do 23rd Great Wall International Congress of Cardiolog, que acontece em Pequim, na China. Neste sábado, a Sociedade Européia de Cardiologia apresenta um dia inteiro de sessões científicas.
 
Fonte isaude.net

Consumo de sete porções diárias de frutas e vegetais aumenta nível de felicidade

Pesquisa com 80 mil britânicos sugere que pessoas que comem alimentos diariamente também têm melhor saúde mental
 
Pesquisadores da Universidade de Warwick, no Reino Unido, descobriram que o consumo diário de frutas e vegetais melhora a saúde mental e aumenta os níveis de felicidade.
 
O estudo, realizado em conjunto com o Dartmouth College, nos EUA, mostra que o bem-estar mental aumenta conforme o número de porções consumidas.
 
Os resultados sugerem que pessoas que consomem sete porções de frutas e vegetais tinham os níveis mais alto de satisfação e saúde mental.
 
A equipe analisou os hábitos alimentares de cerca de 80 mil pessoas na Grã-Bretanha.
 
A maioria dos governos ocidentais atualmente recomendam 5 porções diárias de frutas e vegetais para melhorar a saúde cardiovascular e proteger contra o risco de câncer.
 
Na Grã-Bretanha, hoje, um quarto da população come apenas um dos alimentos ou nenhuma porção de frutas e vegetais por dia.
 
Apenas um décimo da população britânica consome atualmente o número de sete ou mais porções diárias. O estudo não faz distinção entre os diferentes tipos de frutas e vegetais e define como uma parte de aproximadamente 80 gramas.
 
"O poder estatístico das frutas e dos vegetais foi uma surpresa. Dieta tem sido tradicionalmente ignorada pelo pesquisadores que avaliam o bem-estar", afirma a coautora Sarah Stewart-Brown.
 
Stewart-Brown enfatiza que ainda há muito a ser aprendido sobre causa e efeito e sobre os possíveis mecanismos de trabalho dos alimentos, e que estudos aleatórios agora devem ser considerados.
 
Fonte isaude.net

Exercício treina célula de gordura para induzir fígado a produzir colesterol bom

Estudo sugere que pessoas com excesso de peso e diabetes podem se beneficiar de mudanças intensas no estilo de vida
 
Exercício e dieta podem treinar as células de gordura de pessoas com excesso de peso e diabetes para induzir o fígado a produzir colesterol "bom". É o que revela estudo de pesquisadores do Methodist's Center for Cardiovascular Disease Prevention, nos EUA.
 
A pesquisa sugere que mesmo as pessoas com excesso de peso que são fisicamente ativas e comem uma dieta saudável estão recebendo os benefícios da mudança de estilo de vida.
 
"Quando você se exercita e se alimenta bem, você melhora a função do seu tecido adiposo, seu coração e sistema vascular, e até mesmo o desempenho muscular. Você está recebendo uma série de benefícios que você não pode ver apenas monitorando o peso", afirma o investigador principal Christie Ballantyne.
 
Ballantyne e sua equipe analisaram dados de pacientes em um ensaio clínico para examinar o efeito de uma intervenção no estilo de vida projetada para provocar perda de peso e reduzir o risco para a doença cardiovascular.
 
O estudo AHEAD contou com participantes diagnosticados com diabetes tipo 2 e também considerados com sobrepeso ou obesos. Eles foram designados para receber uma intervenção intensa no estilo de vida em que foram encorajados a se tornarem mais ativos fisicamente e limitar sua ingestão de calorias ou um programa que incluía apoio ao diabetes e educação.
 
A equipe coletou sangue dos participantes em intervalos regulares e verificou a presença de diversos biomarcadores, incluindo colesterol HDL e o hormônio de gordura adiponectina em suas diversas formas.
 
Após um ano, a adiposidade, o fitness, os níveis de glicose no sangue e os níveis de gordura dos participantes do programa de intervenção foram, em média, significativamente melhores. Os níveis de LDL, o chamado colesterol "ruim", não se alterou.
 
No entanto, os níveis de adiponectina e colesterol HDL foram alterados. Adiponectina total produzida pelas células de gordura aumentou cerca de 12% em relação ao grupo controle, em que as pessoas receberam aconselhamento. O colesterol HDL subiu quase 10%.
 
Segundo Ballantyne, embora uma relação causal entre a produção de adiponectina e o aumento nos níveis sanguíneos de colesterol HDL ainda não esteja provada, o estudo apoia a ideia de que o hormônio de gordura está ligado à síntese do colesterol "bom" no fígado.

 
Fonte isaude.net

Altas doses de vitamina C auxiliam na prevenção da osteoporose

Descoberta pode ser útil em países onde a osteoporose é dominante e o tratamento padrão e os medicamentos são escassos e caros
 
Pesquisadores da Mount Sinai School of Medicine, nos EUA, descobriram que a vitamina C pode ajudar a prevenir a osteoporose, doença que afeta a saúde dos ossos de homens e mulheres idosos.
 
A pesquisa tem profundas implicações para a saúde pública e tem um alto potencial terapêutico devido à boa aceitação entre as pessoas.
 
"O mundo da medicina sabe que a baixa quantidade de vitamina C pode causar escorbuto (sangramento da gengiva) e ossos frágeis, e que a maior ingestão de vitamina C está associada ao fortalecimento da massa óssea em humanos. O que este estudo mostra é que grandes doses de vitamina C, quando ingeridas por via oral por ratos, estimulam a formação do osso que protege o esqueleto. Ela faz isso induzindo os osteoblastos, ou células ósseas prematuras, a se diferenciarem em células maduras e especializadas em mineralização", observa o pesquisador Mone Zaidi.
 
Os pesquisadores realizaram testes com grupos de camundongos cujos ovários foram removidos, esse procedimento é conhecido por reduzir a densidade óssea, em seguida comparou-os com os ratos controle que não tinham passado pela operação. Os rats que receberam a cirurgia forma divididos em dois grupos, um recebeu grandes doses de vitamina C durante oito semanas e o outro não. Neste período os cientistas mediram a densidade mineral óssea na coluna lombar, fêmur e tíbia.
 
Os ratos que passaram pela ovariectomia e não receberam vitamina C apresentaram uma densidade mineral óssea muito mais baixa em comparação com os controles, enquanto os ratos que passaram pela cirurgia e receberam doses elevadas de vitamina C tinham os mesmo níveis de densidade óssea dos animais do grupo controle. Os resultados sugerem que a vitamina C preveniu a perda da densidade óssea.
 
"Pesquisas adicionais podem descobrir que os suplementos alimentares têm potencial para ajudar a prevenir a osteoporose em seres humanos. Se assim for, as descobertas podem ser, úteis para países em desenvolvimento onde a osteoporose é dominante e o tratamento padrão e os medicamentos são escassos e caros", conclui Zaidi.
 
Fonte isaude.net

Cientistas geram tecido funcional da tireoide a partir de células-tronco

Técnica testada em ratos pode permitir tratamento de pacientes humanos que sofrem de deficiência de hormônios da tireoide
 
Cientistas da Université Libre de Bruxelles, na Bélgica, conseguiram gerar, pela primeira vez, tecido funcional da tireoide a partir de células-tronco em ratos.
 
O estudo, publicado na revista Nature, mostra que a técnica pode permitir o tratamento de pacientes que sofrem de deficiência de hormônio da tireoide, provocado por um defeito na função, ou pelo desenvolvimento anormal da glândula tireoide.

Tireoide
Os hormônios da tireoide consistem em uma classe de moléculas que contêm iodeto, que desempenha um papel crítico na regulação de diferentes funções do corpo, incluindo metabolismo, crescimento e função cardíaca e que são cruciais para o desenvolvimento normal do cérebro.
 
A glândula tireoide, órgão endócrino especializado na captura de iodeto, é o único órgão onde ocorre a produção destes hormônios. No entanto, um em cada 3 mil recém-nascidos nasce com hipotireoidismo congênito, uma doença caracterizada pela produção insuficiente de hormônios da tireoide.
 
Bebês que nascem com esse tipo de deficiência hormonal devem receber tratamento logo nos primeiros dias de vida, para que a doença não se desenvolva. Caso contrário, seus danos serão irreversíveis. Além disso, é necessário um tratamento hormonal ao longo da vida, para que seja mantida a regulação adequada do crescimento e do metabolismo em geral.

Ao realizar experimentos em que dois genes importantes foram temporariamente induzidos a funcionar como células-tronco indiferenciadas, os investigadores foram capazes de manipular a diferenciação de células estaminais em tireócitos, tipo de célula primária responsável pela produção de hormônios na glândula da tireoide.
 
A primeira constatação interessante desses estudos foi o desenvolvimento de tecido tireoidiano funcional já dentro das placas de cultura. Em seguida, a equipe transplantou os tireócitos derivados de células-tronco em camundongos sem uma glândula tireoide funcional.
 
Quatro semanas após o procedimento, os pesquisadores observaram que os ratos transplantados haviam restabelecido os níveis normais de hormônios tireoidianos no sangue e não apresentaram mais os sintomas associados com a deficiência de hormônios da tireoide.
 
Os resultados destes estudos com animais têm várias implicações importantes, primeiro, o sistema de célula empregado fornece uma ferramenta vital para melhor caracterizar os processos moleculares associados ao desenvolvimento embrionário da tireoide.
 
Em segundo lugar, estes resultados obtidos através do transplante podem não só abrir novos horizontes para o tratamento da deficiência da tireoide, mas também para a substituição de tecido da tireoide em pacientes que sofrem de câncer nessa região.
 
Os investigadores estão trabalhando atualmente no desenvolvimento de uma pesquisa semelhante com base em células-tronco humanas que vai explorar maneiras de gerar tecido tireoidiano humano funcional através de reprogramação de células-tronco pluripotentes (iPS) derivadas de células da própria pele.
 
Fonte isaude.net

Hormônio testosterona pode tornar as pessoas mais honestas

Estudo realizado na Alemanha mostra que altos níveis do hormônio sexual fazem com que as pessoas contem menos mentira
 
Pesquisadores da Universidade de Bonn, na Alemanha, descobriram um papel importante do hormônio testosterona sobre o comportamento social.
 
O estudo mostra que altos níveis do hormônio sexual masculino fazem com que as pessoas sejam mais honestas e mintam menos.
 
A testosterona engloba características tipicamente masculinas, como, por exemplo, na formação das características sexuais, atuando no aumento da libido e também na construção muscular. As mulheres também possuem o hormônio sexual, porém em uma escala muito menor. "A testosterona sempre foi tida como responsável por promover o comportamento agressivo e arriscado", afirma o pesquisador Bernd Weber.
 
Estudos mais recentes, no entanto, indicam que este hormônio também promove o comportamento social.
 
"A desvantagem de muitos estudos é que eles apenas correlacionam o nível de testosterona dos participantes com suas próprias mudanças de comportamento", explica o autor principal Matthias Wibral, acrescentando que esta abordagem reflete apenas ligações estatísticas e não fornecem quaisquer esclarecimentos sobre as causas para o comportamento.
 
Pesquisas anteriores mostraram que a testosterona influencia o comportamento e, por sua vez, o comportamento também influencia os níveis hormonais. Consequentemente, os cientistas estavam procurando uma abordagem experimental que permitiria explicar essa causa e efeito.
 
Wibral e seus colegas recrutaram um total de 91 homens saudáveis para uma experiência comportamental. Deste total, 46 pessoas foram tratadas com testosterona, aplicadas cobre a pele como um gel. No dia seguinte, os cientistas verificaram se os níveis de testosterona no sangue foram de fato mais elevados nestes participantes do que no grupo placebo. Os outros 45 participantes receberam apenas um gel de placebo.
 
Para avaliar o efeito da testosterona sobre o comportamento, os pesquisadores utilizaram um jogo de dados, realizado em cabines separadas. Quanto maior a pontuação, maior a quantidade de dinheiro que os participantes receberam como recompensa. "Estes experimentos foram elaborados de tal forma que os indivíduos tinham a opção de mentir", explica Weber.
 
Devido às cabines separadas, ninguém sabia se eles estavam mostrando os resultados reais ou mais altos a fim de obter mais dinheiro.
 
No entanto, os cientistas foram capazes de determinar mais tarde, se os participantes do teste tentaram enganar ou não. "Estatisticamente, a probabilidade de todos os números sobre os dados ocorrerem é idêntica. Então, se existe discrepância nos números mais altos, esta é uma clara indicação de que os participantes mentiram", afirmam os pesquisadores.
 
Os investigadores compararam os resultados do grupo que recebeu testosterona com os do grupo de controle. "Os dados mostraram que os indivíduos com níveis mais elevados de testosterona no organismo tinham claramente mentido com menos frequência do que os indivíduos não tratados", destacam os autores.
 
Segundo os pesquisadores, esse resultado contradiz claramente a abordagem unidimensional que afirma o papel da testosterona no comportamento antissocial. Ele acrescenta que é provável que o hormônio aumente o orgulho e a necessidade de desenvolver uma autoimagem positiva.
 
Fonte isaude.net

Entenda como o pessimismo influencia sua saúde

Evitar pensamentos negativos pode aumentar, e muito, a sua qualidade de vida
 
Vocês já pararam para observar o quanto os pensamentos negativos apenas alimentam seu mau humor, fazendo com que seu dia se torne mais pesado e cheio de pequenos incidentes desagradáveis?
 
Quantas vezes ao acordar pela manhã e bater o dedo na beira da cama já não saiu esbravejando e dizendo que o dia começou ruim?
 
Isso porque muitas vezes vivemos rodeados de pessoas e ou situações que nos levam a ver somente o lado ruim das situações, e acabamos interiorizando esse comportamento crítico e queixoso em nossa vida.
 
Outro exemplo é que algumas pessoas já cresceram ouvindo os pais reclamarem de tudo, sempre insatisfeitos com o que têm em casa ou no trabalho e, por mais que isso possa incomodar, nos acostumamos a ver esse mundo ingrato que tanto nos foi descrito. Quando menos esperamos alguém ao nosso lado nos aponta isso. Ao nos dar conta desse comportamento, ficamos a pensar o que fazer para mudar esse jeito de ser mal humorado.
 
Porque é tão complicado entender que viver é um grande aprendizado e que, nesse contexto, precisamos alongar nosso olhar em busca de outros significados para não carregarmos o peso de uma vida difícil todos os dias? Isso acontece porque nos acostumamos a colocar muita tralha em nossas cabeças e, desta forma, vamos nos alimentando somente de pensamentos ruins que, refletem não somente em nós mesmos, mas no nosso corpo e na nossa relação com as pessoas ao nosso redor.
 
Pensamentos ruins geram doenças como depressão, ansiedade, mau humor crônico, entre outras doenças do estomago, coração, dores de cabeça, musculares. Isso porque o corpo não suporta tantas situações incompreendidas e mal digeridas, causando um mal estar constante na nossa vida.
 
É importante aprendermos a diferenciar a real felicidade das pequenas situações que nos fazem felizes no nosso dia a dia. Felicidade é um conjunto consciente de situações que no todo nos trazem contentamento. Uma avaliação objetiva e afetiva que fazemos de nossa própria vida, incluindo as experiências emocionais que nos são agradáveis com baixo nível de humores negativos e alta satisfação em relação à vida.
 
Esse processo é muito interessante, pois começamos a dar outro sentido à vida, muito maior do que aprendemos sobre ser feliz. Incluímos uma série de novos comportamentos que nos levam a uma satisfação imediata, pois quem não gosta de um bom dia com um belo sorriso no rosto, ou um momento de atenção quando se quer ser ouvido, ou mesmo um breve aperto de mão?
 
Todas as nossas ações contribuem diretamente para o bem estar próprio e do outro, desencadeando uma cadeia de bem estar constante. A saúde mental está ligada diretamente ao nosso corpo, nosso cérebro registra todos os nossos pensamentos como reais, e passa a agir de acordo com eles.
 
O que a ciência diz
A neurociência vem estudando os efeitos da positividade e identificou o quanto os nossos comportamentos são geradores de mudanças cerebrais importantes, como vemos em alguns casos de pessoas que passaram por situações traumáticas físicas e mentais se recuperaram.
 
Se você se identificou com o texto, é importante avaliar a forma que tem se relacionado consigo mesmo e com as pessoas ao redor. Procure manter uma atitude positiva, promovendo o que, segundo a psicologia positiva, é o caminho adequado para mudar comportamentos.
 
Fonte Minha Vida

Sete dicas para regular o intestino do seu bebê

Escolha alimentos que equilibram as funções intestinais da criança
 
Por estar em período de transformação e adaptação, o intestino do bebê é mais frágil e requer muito mais atenção que o de um adulto. Problemas como intestino preso, fezes ressecadas e gases são muito mais frequentes. "É importante que pais e médicos observem como costuma ser o funcionamento do intestino, pois cada criança tem o seu próprio ritmo", explica a nutricionista Fernanda Granja, especialista em nutrição materno-infantil, de São Paulo.

Se o seu bebê apresentar problemas intestinais ou alteração no número e no aspecto das evacuações, especialistas recomendam alterar a alimentação para que a digestão seja novamente regulada. Confira essa e outras dicas de profissionais da saúde para que o seu filho fique livre de desconfortos. 
 
Mamãe e bebê - foto: Getty ImagesObserve seu bebê
"O recém-nascido evacua cerca de oito vezes por dia e, com o tempo, esse número diminui para duas ou três evacuações diárias", explica Andréia de Avelar, nutricionista especialista do Minha Vida, de São Paulo. "As fezes do bebê que recebe leite materno geralmente são mais claras e pastosas".

Se o seu bebê estiver com o abdômen distendido, fizer muita força para evacuar ou chorar muito com as cólicas, ele pode estar com o intestino preso. Número de evacuações maior do que o normal e fezes amolecidas indicam desarranjo intestinal.
                   
Bebê comendo - foto: Getty ImagesAlimentos que ajudam a regular o intestino preso
Alguns alimentos, ricos em fibras naturais, melhoram a obstipação. Frutas laxativas (mamão, laranja com bagaço, ameixa preta, mexerica e banana-nanica), vegetais de folha cozidos (escarola, almeirão, brócolis e couve), quiabo, vagens, feijão, lentilha, aveia e farelo de trigo, são alguns exemplos que ajudam a soltar o intestino preso.

Se o bebê já tiver com quatro meses de idade, a mãe pode oferecer sucos laxativos. A nutricionista Andréia de Avelar dá a receita: laranja lima, mamão, ameixa preta e farinha de linhaça. Bata tudo no liquidificador e ofereça ao bebê quando ele estiver obstipado. Para os bebês que tomam leite em pó ou de fórmula, a mãe pode ferver água filtrada com duas ou três ameixas, coar e depois preparar o leite com essa água.
 
Bebê comendo papinha - foto: Getty ImagesAlimentos reguladores do intestino solto
Para regular o intestino solto, pode-se oferecer sucos coados de maçã, pera ou goiaba. Também vale fazer sopas com batata, mandioquinha, mandioca, macarrão, cará ou inhame.

A nutricionista Simone Freire, doutoranda em comportamento do consumidor pela Unifesp, lembra que o creme de arroz, administrado junto com o leite, pode minimizar os efeitos da diarreia.
 
Bebê - foto: Getty ImagesEvite a flatulência
Se o bebê estiver com muitos gases, evite oferecer leguminosas - como feijão, ervilha, lentilha e grão de bico. "O açúcar também deve ser diminuído ou retirado da dieta, pois ele causa fermentação e distende o abdômen", explica Simone Freire.
 
 
Bebê chorando - foto: Getty ImagesCólicas
O choro é o principal sinal de que o bebê está com cólica. A nutricionista Fernanda Granja orienta observar em que horário surgiu a cólica e qual foi o último alimento ingerido. Evite refrigerante, café, alho e, em alguns casos, a retirada de leite e derivados também ajuda. Mesmo assim, alguns bebês podem continuar a apresentar cólicas até os quatro ou cinco meses de vida. "Isso se deve ao amadurecimento do sistema digestivo da criança, é normal", afirma a nutricionista Andréia de Avelar.
 
Bebê tomando leite - foto: Getty ImagesAtenção ao leite
Com o fim da licença maternidade no trabalho, muitas mães começam a introduzir outros tipos de leite na dieta do bebê por facilidade. "Mas essa mudança deve ser feita com muito cuidado, pois é importante observar a reação a cada tipo de fórmula", explica Simone.

Reações alérgicas são comuns nessa fase. O leite, quando inadequado à criança, pode causar muita flatulência, obstipação ou diarreia. É importante observar a diluição destas fórmulas industrializadas. "Muitas mães tendem a fazer um leite mais forte, mas isso diminui a ingestão de água e as fezes ficam ressecadas", explica Simone.
 
Bebê brincando - foto: Getty ImagesOutras técnicas
"Deixar o bebê solto, se movimentando livremente, ajuda na regulação do intestino", conta Fernanda Granja. Massagens na região abdominal e movimentação das perninhas também podem ajudar a eliminar os gases. Por fim, um banho com água morna pode ajudar a criança a relaxar.
 
Fonte Minha Vida

Elimine as cólicas menstruais com essas doze dicas

Conheça as massagens, os remédios e os truques que realmente fazem efeito
 
Mais de 50% das mulheres em idade fértil sentem calafrios só de olhar o calendário e notar que a fase de cólicas está chegando. Dos 12 aos 30 anos, esse é um problema comum , afirma a ginecologista Silvana Chedid, diretora da clínica Chedid Grieco e chefe do setor de Reprodução Humana do Hospital Beneficência Portuguesa.

"O mal aparece em conseqüência das contrações realizadas pelo útero para eliminar o sangue. Ou seja, quanto mais intenso for o fluxo, mais fortes serão as cólicas" , explica a médica. Mas se você já está cansada de saber o que está por trás de tanto sofrimento e quer mesmo é arranjar uma solução para ele, confira as soluções simples e eficazes para acabar de vez com esse incômodo.
 
Mulher tomando remédios - foto: Getty ImagesAnalgésicos e anti-inflamatórios
Algumas mulheres têm cólicas mensalmente. Para elas, lançar mão de algum remédio pode ser a melhor saída. Mas só faça isso depois de consultar um médico, afirma a ginecologista do Hospital Beneficência Portuguesa.
                   
Mulher tomando remédios - foto: Getty ImagesAnticoncepcionais à base de hormônios
A pílula ou outros métodos do gênero têm ação comprovada contra as dores de quem pena com o fluxo muito intenso. Como ela diminui a intensidade do fluxo, as cólicas também acabam diminuindo , associa a doutora Silvana Chedid.
 
 
Massagem na barriga - foto: Getty ImagesMassagens
Técnicas que utilizam o calor (como a massagem de pedras) têm ótimo efeito contra as dores e os inchaços tão comuns no período. As massagens ayurvédica, tuiná, o shiatsu e a reflexologia melhoram a circulação e relaxam a musculatura , afirma a fisioterapeuta Andréa Machado, gerente do Thalasso Spa da Praia do Forte (Bahia).
Acupuntura - foto: Getty ImagesTerapias alternativas
A acupuntura é indicada tanto para aliviar as dores como para prevenir o surgimento delas, de acordo com a fisioterapeuta. Para a Medicina Tradicional Chinesa, a cólica menstrual surge devido a um desequilíbrio entre o fígado, o baço e o pâncreas, explica Andréa. As agulhas vão agir equilibrando estes órgãos e, assim, tratando outros sintomas da TPM até regularizar o ciclo . Ela cita ainda a talassoterapia como opção. Além do calor, a técnica usa princípios ativos da água do mar, que penetram na pele e melhoram os sintomas da TPM, incluindo as cólicas.
 
Mulher fazendo alongamento - foto: Getty ImagesExercícios físicos
Quando treina, você aumenta a dose de endorfina que circula no sangue. Esse hormônio provoca uma sensação de prazer e euforia, ajudando a esquecer o desconforto. Além disso, o esforço físico faz com que os vasos do colo uterino se dilatem, facilitando a passagem do sangue. Fora isso, os líquidos retidos que causam o inchaço, tanto da mama como do ventre, são mais bem drenados com o aumento da temperatura corporal e com a transpiração , afirma a especialista do Thalasso Spa.
 
Mulher com bolsa de água quente - foto: Getty ImagesBolsa de água quente
O calor alivia as dores porque relaxa os músculos, dilata os vasos capilares e causa a sensação de bem-estar.
 
 
 
Peixe - foto: Getty ImagesPeixe
De acordo com a responsável pelo Spa na Praia do Forte, uma dieta rica em peixe auxilia o controle dos espasmos. A sugestão refere-se ao fato de que a prostaglandina é produzida com base em ácidos graxos, e peixes são ricos nessa substância.

 
Chá - foto: Getty ImagesChá
Chás de camomila ou de menta, quentes, ajudam a aliviar a dor além de proporcionar uma deliciosa sensação relaxante.
 
 
 
Manteiga - foto: Getty ImagesExclua as gorduras
Frituras, manteigas e carnes gordurosas são as principais responsáveis pela elevação dos níveis de estrógeno e conseqüente aparecimento das cólicas , explicam as nutricionistas Roseli Rossi e Paula Corrêa, da Clínica Equilíbrio Nutricional, em São Paulo.
Café da manhã rico em fibras - foto: Getty ImagesFibras
Cereais integrais, frutas e verduras favorecem a eliminação do estrógeno em excesso (aquele hormônio que leva ao espessamento do útero e acaba causando as contrações musculares para saída do sangue menstrual). Menos estrógeno é igual a menos contrações e, portanto, menos dores.
Abacaxi - foto: Getty ImagesAbacaxi
Aproveite para se refrescar com ele. A fruta é rica em bromelina, uma substância que melhora digestão e também tem ação antiinflamatória , explicam as nutricionistas da Clínica Equilíbrio Nutricional.
 
Alimentos ricos em cálcio - foto: Getty ImagesCálcio
De acordo com as duas especialistas em nutrição, vegetais verdes escuros, leite e derivados dele agem diretamente sobre a musculatura lisa do útero, reduzindo as contrações musculares dolorosas. E, por serem ricos em triptofano (aminoácido ligado à produção de serotonina), esses alimentos ainda reduzem a tensão e ansiedade típicas da TPM. O magnésio tem efeito parecido e pode ser encontrado na banana, no leite, na beterraba e na aveia.
 
Fonte Minha Vida

Só 40% das mulheres com câncer conseguem preservar mama

Conservar o seio é possível em tumores pequenos ou boa resposta ao tratamento
 
O avanço no tratamento do câncer de mama tem permitido a indicação de cirurgias cada vez menos invasivas, que envolvem apenas a retirada de uma pequena porção do seio. Mesmo assim, a taxa de adoção desse tipo de procedimento tem ficado abaixo do esperado. Sob o ponto de vista da importância da manutenção das mamas para a autoestima da mulher, esse tema foi destaque no Congresso da Sociedade Europeia de Oncologia Clínica, em Viena, na Áustria.
 
A indicação da cirurgia capaz de conservar grande parte da mama é possível quando o tumor é pequeno ou, nos casos de tumores grandes, a paciente apresenta uma boa resposta ao tratamento neoadjuvante (quimioterapia aplicada antes da cirurgia com o objetivo de diminuir o tamanho do nódulo).
 
O que a pesquisadora Carmen Criscitiello, do Instituto Europeu de Oncologia, descobriu é que o número de indicações de cirurgias que preservam as mamas não tem aumentado na mesma proporção em que melhoram as respostas das pacientes às novas terapias neoadjuvantes.
 
Para chegar a essa conclusão, ela tomou por base um estudo anterior que avaliou a eficácia de três estratégias de quimioterapia neoadjuvante para 429 pacientes com tumor do tipo HER2 positivo. Um grupo recebeu a droga lapatinibe, o outro recebeu o trastuzumabe e um terceiro, a combinação das duas terapias. Deste último grupo, 51,5% das pacientes tiveram uma resposta completa à terapia, enquanto nos outros grupos, essa taxa foi de 24,7% e de 29,5% respectivamente.
 
O esperado seria que o terceiro grupo, por ter respondido melhor, recebesse mais indicações de cirurgias que preservam as mamas. Porém, o que ocorreu, segundo Carmen Criscitiello, foi que nos três grupos, independentemente da resposta ao tratamento, apenas 40% das pacientes puderam conservar o seio.
 
—O estudo destaca uma atitude negativa que pode privar grande fração de mulheres da chance de preservar sua mama, sem nenhuma razão clínica para justificar essa decisão.
 
Ela acrescenta que as características do tumor anteriores à quimioterapia inicial tiveram papel importante na decisão do tipo de cirurgia.
 
—Um dos objetivos da terapia neoadjuvante é obter um aumento da taxa de conservação de mama, mas esse objetivo é claramente frustrado se o tipo de cirurgia for escolhida somente de acordo com as características iniciais do tumor.
 
No Brasil
Segundo a mastologista Maira Caleffi, presidente da Femama (Federação Brasileira de Instituições Filantrópicas de Apoio à Saúde da Mama), esse processo também pode ser observado no Brasil. Para ela, apesar de melhores condições para se realizar a cirurgia que preserva a mama, "o que se observa na prática é que muitas pacientes são informadas pelos próprios cirurgiões que talvez seja melhor tirar tudo e retirar ainda a outra mama como profilaxia".
 
Maira ressalta que esse procedimento não tem respaldo científico, a não ser que a mulher possua uma mutação genética familiar que predisponha ao câncer.
 
—Isso é um desserviço que vem sido praticado. É um exagero, que não observa as recomendações das autoridades e das sociedades médicas.
 
A decisão sobre qual será o procedimento adotado deve ser compartilhada entre médico e paciente, de acordo com o mastologista Wesley Pereira Andrade, do Hospital A.C.Camargo. Em casos de tumores grandes, pode-se tanto começar o tratamento com a cirurgia mais radical e depois introduzir a quimioterapia quanto adotar a neoadjuvante para tentar conservar a mama.
 
—Quando se preserva a mama, existe um ganho psicológico. A desvantagem é uma maior chance de o tumor voltar ao longo de dez anos.
 
Ele observa que a mulher que preserva a mama tem uma aceitação melhor de sua autoimagem.
 
Para o ginecologista e cirurgião oncológico Fábio Laginha, do Hospital 9 de Julho, depois dos avanços nas novas drogas contra câncer de mama, é preciso progredir nos métodos de imagem e nas técnicas cirúrgicas que permitam a retirada da porção exata da mama necessária para eliminar todas as células cancerígenas.
 
—O que precisa ser feito, quando se escolhe esse tipo de quimioterapia neoadjuvante, é ter certeza do local do tumor, marcar e acompanhar sua diminuição.
 
Fonte R7

Concurso UFRN

A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) divulgou edital N° 027/2012 de concurso público de provas e títulos para o cargo de professor do magistério superior nas classes auxiliar, assistente e adjunto.

São dispostas 76 vagas de professor do magistério superior, sendo 58 oportunidades para profissional da classe Adjunto com 40 horas semanais em regime de Dedicação Exclusiva e remuneração de R$ 7.627,02 e 01 vaga para Adjunto com jornada de 20 horas. Além disso, haverá 05 vagas para Professor Assistente com atuação prevista para regime de Dedicação Exclusiva e salário de R$ 4.837,66, outras 06 oportunidades para Assistente, com vencimentos de R$ 2.072,77, e, por fim, 06 vagas para Auxiliar com especialização, todas estas com dedicação de apenas 20 horas semanais e salário de R$ 1.711, 80.

A inscrição será feita, exclusivamente, via internet, a partir das 8h do dia 25 de setembro até às 23h59 do dia 25 de outubro de 2012, observando o horário local de Natal, pelo site www.sigrh.ufrn.br. As taxas variam de R$ 50,00 para Auxiliar 20h, R$ 60,00 para Assistente 20h, R$ 140,00 para Assistente com DE e R$ 220,00 para Adjunto com DE.

O Concurso constará de quatro tipos de avaliações, realizadas na seguinte ordem: I - Prova Escrita (fase eliminatória); II - Prova Didática (fase eliminatória); III - Defesa de Memorial e Projeto de Atuação Profissional (fase eliminatória), e IV – Prova de Títulos (fase classificatória).

O período previsto para a realização das provas é de 26 de novembro a 21 de dezembro de 2012. O dia, o horário e o local exatos da prova escrita serão publicados em DOU por meio de edital complementar e divulgados nos sítios www.sigrh.ufrn.br e www.progesp.ufrn.br. O prazo de validade do concurso público será de 01 ano.

Edital / Publicações

Concurso Prefeitura de Viçosa - RN

A Prefeitura de Viçosa, Estado do Rio Grande do Norte, através da empresa CONPASS, publicou edital N° 001/2012 de concurso público de provas e títulos para cargos de níveis fundamental, médio e superior. Serão providas 37 vagas com salários variados de R$ 622,00 a R$ 8.000,00 em carga horária de 20 a 40 horas semanais.

Cargos
As oportunidades são para os cargos de Fisioterapeuta, Farmacêutico Bioquímico, Nutricionista, Médico, Enfermeiro - PSF, Odontólogo, Psicólogo, Assistente Social, Engenheiro Agrônomo, Engenheiro Civil, Supervisor Escolar Específico, Professor, Técnico em Enfermagem, Auxiliar de Consultório Dentário, Técnico em Laboratório de Análises Clínicas, Motorista, Agente de Endemias, Tratorista, Vigia, Jardineiro, ASD (Esgotamento Sanitário) e Cozinheira - Hospital.

Inscrições e Taxas
As inscrições deverão acontecer entre os dias 08 de outubro e 08 de novembro de 2012, no posto de inscrição instalado na Sede da Prefeitura Municipal, sito a Rua Ozéas Pinto, 140, Centro - VIÇOSA/RN, ou através do site www.conpass.com.br. As taxas variam de R$ 30,00, R$ 40,00, R$ 50,00 e R$ 65,00 de acordo com o cargo escolhido.

Provas, Gabaritos e Validade
As provas escritas serão realizadas provavelmente no dia 16 de dezembro de 2012, em horário a ser definido, para todos os cargos, em local divulgado pela Comissão Geral do Concurso através do Cartão de Inscrição de cada candidato e de Edital publicado nos Quadros de Avisos da Prefeitura Municipal de Viçosa e no site: www.conpass.com.br.
 
Os gabaritos preliminares serão afixados no Quadro de Aviso da Prefeitura, e na internet, na página www.conpass.com.br, no dia 17 de dezembro de 2012.
 
O concurso terá validade de 02 anos a contar da data de publicação da Homologação, podendo ser prorrogado por igual período.

Edital / Publicações

Prefeitura de Extremoz - RN abre concurso público

A Prefeitura de Extremoz, Estado do Rio Grande do Norte, publicou edital N° 001/2012 de concurso público destinado ao provimento de 380 vagas para profissionais de níveis fundamental, médio e superior, com salários de até R$ 1.841,11 em carga horária de 30 e 40 horas semanais.
 
Cargos
As chances são para os cargos de Assistente Social, Auditor Fiscal de Vigilância Sanitária, Cirurgião Dentista, Educador Físico, Enfermeiro, Farmacêutico, Farmacêutico Bioquímico, Fisioterapeuta, Fonoaudiólogo, Médico, Nutricionista, Psicólogo, Terapeuta Ocupacional, Professor, Auxiliar de Professor, Técnico em Enfermagem, Técnico em Higiene Dental, Auxiliar de Farmácia, Técnico em Vigilância Sanitária e Ambiental, Agente administrativo, Digitador, Agente de Combate às Endemias, Agente Comunitário de Saúde, Motorista e Agente Operacional de Serviços.
 
Inscrições e Taxas
As inscrições serão realizadas no período de 22 de outubro a 22 de novembro de 2012, no Posto de Atendimento instalado na Rua dos Coqueiros, 44, Conj. Alto Extremoz - Extremoz/RN (em frente à Sec. Mun. de Ação Social), no horário das 08:00 às 12:00 hs e das 14:00 às 18:00 hs, ou através da internet, no site www.conpass.com.br.
 
O valor da taxa de inscrição varia de R$ 57,00, R$ 47,00 a R$ 37,00, de acordo com o cargo escolhido.
 
Provas, Gabaritos e Validade
As provas escritas serão realizadas provavelmente no dia 13 de janeiro de 2013, em horário e local a serem definidos. Os gabaritos preliminares serão afixados no Quadro de Aviso da Prefeitura e na internet, na página www.conpass.com.br, no dia 14 de janeiro de 2013.
 
O concurso terá validade de 02 anos a contar da data de publicação da Homologação, podendo ser prorrogado por igual período.

Edital / Publicações

Concurso Prefeitura de Boa Vista – RR

A Prefeitura de Boa Vista, Estado de Roraima, através da Secretaria de Administração e Gestão de Pessoas, liberou edital de concurso público para o provimento de 1.114 vagas. As oportunidades são para candidatos de nível médio com formação técnica e nível superior.
 
Os salários variam de R$ 980,00 e R$ 2.980,00 por carga horária de 20 e 30 horas semanais e os selecionados irão atender à demanda da Secretaria Municipal de Saúde.

O Concurso Público será executado pela Fundação Ajuri de Apoio ao Desenvolvimento da Universidade Federal Roraima - UFRR.
 
Cargos e inscrições
Nível Médio - Técnico em Enfermagem, Técnico em Laboratório, Técnico em Nutrição e Dietética, Técnico em Patologia, Técnico em Radiologia e Técnico em Saúde Bucal;
Nível Superior - Assistente Social, Biólogo, Biomédico, Bioquímico, Cirurgião Dentista, Enfermeiro, Farmacêutico, Fisioterapeuta, Fonoaudiólogo, Nutricionista, Psicólogo, Terapeuta Ocupacional e Médico.
 
A inscrição será realizada das 9h do dia 22 de outubro às 18h do dia 09 de novembro de 2012, pelo site www.ajuri.org.br/?page=concursos, ou no endereço Avenida Enê Garcez, n.º 2413, Bloco IV, bairro Aeroporto, Boa Vista-RR.

Taxas
Nível Médio/Técnico - R$ 80,00;
Nível Superior - R$ 100,00.

Provas
A prova objetiva para os candidatos de nível médio - técnico será realizada no dia 01 de dezembro de 2012, das 8h às 12h, devendo o candidato apresentar-se obrigatoriamente com uma hora de antecedência. Já a prova objetiva do inscritos nos cargos de nível superior será realizada no dia 02 de dezembro de 2012, das 8h às 12h, devendo o candidato apresentar-se obrigatoriamente com uma hora de antecedência.

Os locais de aplicação das provas serão publicados no Diário Oficial do Município de Boa Vista, afixados nos quadros de avisos da Fundação Ajuri e divulgados na internet no endereço eletrônico www.ajuri.org.br/?page=concursos. O gabarito das questões da Prova Objetiva, estará disponível a partir do primeiro dia útil após a aplicação da prova.

O prazo de validade do concurso público será de 02 anos, contado a partir da data de sua homologação.

Edital / Publicações

Concurso Prefeitura de Morro Reuter (RS)

A Prefeitura de Morro Reuter, Estado do Rio Grande do Sul, lançou edital nº 015/2012 de concurso público destinado a selecionar candidatos para provimento de vagas nos cargos efetivos e cadastro reserva (CR) do quadro geral de servidores da Prefeitura Municipal. O concurso será realizado através da empresa Pontua Prestação de Serviços em Concursos Ltda.

São oferecidas 26 vagas para cargos de níveis fundamental, médio e superior, com salários de até R$ 5.484,75 em carga horária de 20 a 44h semanais.
 
Cargos: Auxiliar de Serviços Gerais, Calceteiro, Carpinteiro, Motorista, Operador de Máquinas, Operário, Técnico em Enfermagem, Enfermeiro, Engenheiro Civil, Médico, Procurador Jurídico e Psicólogo.

As inscrições via internet poderão ser realizadas até 23 horas e 59 minutos do dia 29 de outubro de 2012, pelo site www.pontuaconcursos.com.br. As taxas variam de R$ 22,00 para cargos de nível fundamental, R$ 44,00 para nível médio/técnico e de R$ 66,00 para nível superior.

As provas objetivas serão realizadas provavelmente no dia 24 de novembro de 2012, para todos os cargos, sendo que, os locais e horários das provas serão divulgados no Painel de Publicação da Prefeitura Municipal e em caráter meramente informativo nos sites www.pontuaconcursos.com.br e www.morroreuter.rs.gov.br.

A validade do concurso público será de 2 anos a partir da data da publicação da homologação da classificação final, podendo ser prorrogado pelo prazo máximo de 2 anos, a critério dos entes envolvidos da Administração Municipal.

Edital / Publicações