Aplicativos, carreira, concursos, downloads, enfermagem, farmácia hospitalar, farmácia pública, história, humor, legislação, logística, medicina, novos medicamentos, novas tecnologias na área da saúde e muito mais!


sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Humor: Seis horas de vida

No consultório, fim de tarde, o médico dá a péssima notícia:

- A senhora tem seis horas de vida.

 Desesperada, a mulher corre para casa e conta tudo para o marido. Os dois resolvem gastar o tempo que resta da vida dela fazendo sexo.

Fazem uma vez, ela pede para repetirem.

Fazem de novo, ela pede mais.

Depois da terceira vez, ela quer de novo.

E o marido:

- Ah, não, chega! Eu tenho que acordar cedo amanhã... você não!

Aneurisma da aorta torácica

Definição

Um aneurisma é um inchaço ou alargamento irregular de uma porção de uma artéria causado por fraqueza nas paredes dos vasos sanguíneos.

Um aneurisma da aorta torácica ocorre na parte da maior artéria do corpo (a aorta) que passa pelo peito.

Nomes alternativos

Aneurisma da aorta - torácica; Aneurisma sifilítico - Aneurisma - aorta torácica

Causas, incidência e fatores de risco



Foto: ADAM
O interior do coração é composto por válvulas, átrios, ventrículos e vasos associados

O motivo mais comum para ocorrência de aneurisma da aorta torácica é o endurecimento das artérias (aterosclerose). Essa doença é mais comum em pessoas com colesteral alto, pressão sanguínea alta de longa duração ou que fumam.

Outros fatores de risco para aneurisma torácico são:

Sintomas

Os aneurismas se desenvolvem lentamente durante muitos anos. A maioria dos pacientes não apresentam sintomas até que o aneurisma comece a vazar ou dilatar. Dores no peito ou nas costas podem significar o súbito alargamento ou vazamento do aneurisma.

Muitas vezes, os sintomas surgem subitamente quando:
  • O aneurisma cresce rapidamente
  • O aneurisma se rompe (denominado ruptura)
  • O sangue vaza pela parede da aorta (dissecação da aorta)
Se o aneurisma pressionar estruturas próximas, os seguintes sintomas poderão surgir:
  • Rouquidão
  • Problemas para engolir
  • Respiração aguda (estridente)
  • Inchaço no pescoço
Outros sintomas podem incluir:
  • Dores nas costas ou no peito
  • Pele viscosa
  • Náusea e vômito
  • Ritmo cardíaco acelerado
  • Baixa pressão sanguínea

Exames e testes

O exame físico é geralmente comum, a não ser que tenha ocorrido uma ruptura ou um vazamento.

O rompimento da aorta (um rasgo na aorta, que é a principal artéria que vem do coração) pode ser visto em um raio X do tórax. No caso representado pela figura ao lado, foi causada por uma perfuração traumática da aorta torácica.


Foto: ADAM
Rompimento da aorta, radiografia do tórax


É assim que o raio X mostra quando o peito está cheio de sangue (hemotórax direito), visto aqui como uma nebulosidade do lado direito da imagem.

A maioria dos aneurismas da aorta é descoberta por meio de testes realizados por ourtos motivos, geralmente uma radiografia do tórax, um ecocardiograma ou uma tomografia computadorizada do tórax.

Uma tomografia computadorizada do tórax mostra o tamanho da aorta e a localização exata do aneurisma.

Um aortograma (um conjunto especial de imagens de raio X feitas quando um contraste é injetado na aorta) consegue identificar o aneurisma e quaisquer ramificações da aorta envolvidas.

Tratamento

O tratamento depende da localização do aneurisma. A aorta compreende três partes:
  • A primeira parte vai até a cabeça. É chamada de aorta ascendente
  • A parte do meio é curvada. É chamada de arco aórtico.
  • A terceira parte vai até os pés. É chamado de aorta descendente.
Para pacientes com aneurimas da aorta ascendente ou do arco de aorta:
  • A cirurgia para substituir a aorta é aconselhável caso o aneurisma tenhas mais de 5-6 centímetros. A aorta é substituída por um enxerto de plástico ou de tecido. É uma cirurgia complexa que requer o uso da máquina coração-pulmão.
Para pacientes com aneurismas da aorta torácica descendente:
  • Uma cirurgia séria é realizada para substituir a aorta por um enxerto de tecido caso o aneurisma tenha mais de 6 centímetros.
  • O implante de stents (fixadores) endovasculares é a opção menos invasiva. Um stent é um pequeno tubo plástico ou metálico usado para manter a artéria aberta. Os stents podem ser implantados no corpo sem cortes no peito. Ainda assim, nem todos os pacientes com aneurisma torácico descendente são candidatos para a implantação dessa endoprótese.
Consulte também: Reparo de aneurisma da aorta - endovascular

Evolução (prognóstico)

O prognóstico de longo prazo para pacientes com aneurisma da aorta torácica é determinado por outros problemas médicos, tais como doença cardíaca e diabetes, que podem ter causado ou contribuído para esse quadro.

Complicações

Complicações graves do pós-operatório incluem:
A morte logo após a operação acontece em 5-10% dos pacientes.Complicações após o implante do stent incluem danos às pernas, o que pode requerer outra operação.

Ligando para seu médico

Informe seu médico sobre:
  • Histórico familiar de distúrbios do tecido conjuntivo
  • Desconforto no peito ou nas costas

Prevenção

Para prevenir a aterosclerose:
  • Controle sua pressão sanguínea e níveis de lipídeo no sangue
  • Não fume
  • Faça exercícios regularmente
Fonte IG

Comportamento dos pais tem relação com transtorno de atenção e hiperatividade nos filhos

Falta de atenção dos pais pode resultar em problemas para as crianças

O Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade manifesta-se em crianças pequenas, ainda na fase escolar. No entanto, em cerca de 30% dos casos, a doença persiste até a idade adulta. Segundo a psicanalista Viviane Sapiro, o comportamento dos pais pode estar diretamente ligado à evolução do transtorno.

- Se a criança não for "hiper", ela corre o risco de desaparecer frente a pais hiperestressados, hiperocupados que voltam para casa hipercansados e precisam dar uma atenção a si próprios - relata ela.

Diante da desatenção de muitos pais, os sintomas costumam ser percebidos pelos professores, já que o ambiente escolar é o que exige mais silêncio e concentração da criança.

Portanto, os pais devem ficar atentos à mudança de comportamento dos filhos, tais como pouca atenção e interesse ao brincar, dificuldade de escutar outras pessoas ou compreender instruções. Os pequenos com p problema acabam desistindo facilmente de executar tarefas, já que têm grande dificuldade em se fixar por muito tempo em uma atividade.

O mais intrigante para os especialistas é o fato de os casos de hiperatividade e déficit de atenção estarem aumentando nos últimos tempos. De acordo com Viviane, obviamente o problema não é resultado de nenhum "contágio", mas pode ser associado com a hereditariedade. Além disso, o assunto deixou de ser um tabu entre médicos, pais e professores.

- Trazer um filho ao mundo como um ato de amor e planejamento representa tirar o pé do acelerador. Significa renunciar a uma condição narcísica. É considerar dar à criança, em vez do último lançamento de videogame, aquilo que efetivamente importa: o seu tempo - lembra Viviane.

Fonte zero Hora

Carboidratos não são os vilões da dieta, dizem especialistas

Dieta ideal para emagrecer com saúde deve conter todos os nutrientes necessários ao organismo e não ter excessos


Ao contrário do que se costuma acreditar, diferentes tipos de dietas geram, em longo prazo, a mesma perda de peso. A constatação é de um estudo recente realizado na Universidade de Harvard e publicado na revista inglesa The New England Journal of Medicine que desmistificou o carboidrato como o vilão da dieta.

A pesquisa analisou 811 pessoas acima de seu peso ideal que apresentavam Índice de Massa Corporal (IMC) entre 25 e 40 durante dois anos. Os pacientes foram submetidos a três tipos de dietas diferentes para emagrecer: a que restringe gordura, a que reduz carboidratos da alimentação e a que retira do cardápio a carne vermelha. O resultado mostrou que não há diferença significativa na perda de peso entre as diferentes formas de dieta.

— Todas as dietas com redução de calorias resultam em uma perda de peso — analisa o endocrinologista, Marcello Bronstein.

Segundo o médico, apontar os carboidratos como vilões da obesidade não é correto e as dietas que propõem elimar qualquer nutriente da alimentação seriam "modismos".

Para a nutricionista Ana Carolina Bragança, os carboidratos normalmente são vistos com maus olhos não porque são mais calóricos, mas porque são os nutrientes que mais consumimos.

— A chance de extrapolar na dieta é, por isso, maior. Mas, 1 grama de carboidratos tem 4 calorias, valor exatamente igual ao das proteínas. Além disso, os carboidratos são extremamente necessários em uma dieta equilibrada de longo prazo para emagrecer com saúde — explica.

Estes nutrientes são responsáveis por fornecer energia e sua falta faz com que o organismo use a massa magra como fonte de energia, podendo causar até flacidez.

De acordo com a nutricionista, uma dieta ideal deve ser equilibrada e conter todos os tipos de nutrientes que são importantes para o nosso corpo, desde se tome cuidado com a quantidade e que não haja excessos.
Fonte Zero Hora

Teorias fundamentais da medicina chinesa

As teorias fundamentais da medicina chinesa constituem um resumo teórico sobre regras do desenvolvimento da vida humana e do corpo humano e de mudanças de epidemias, incluindo Yinyang, os Cinco Elementos e Qi conhecido como os órgãos,  canais principais e colaterais e do qi, o sangue, a essência do corpo e a causa das doenças e patologias. Seu método de diagnóstico inclui quatro diagnósticos e a observação dos sintomas: a expressão facial, a audição da voz, o questionamento sobre os sintomas e a tomada da pulsação por intermédio dos pulsos. A doutrina chinesa do yin e yang é básica na filosofia e metafísica da cultura chinesa.

Segundo esta filosofia, duas forças complementares compõem o universo e concedem o equilíbrio dinâmico, urgindo assim o movimento e a mutação. Essas forças são:

yin, o princípio passivo, feminino, noturno, escuro, frio

yang, o princípio ativo, masculino, diurno, luminoso, quente.

As qualidades acima atribuídas a cada um dos dois princípios não são definições, mas analogias que exemplificam a importância de cada um deles no mundo. Os princípios, em si mesmos, estão implícitos em toda e qualquer manifestação.

Os  cinco elementos são a água, fogo, madeira, metal e terra.

Os cinco elementos, não são os constituintes básicos da natureza, mas os cinco processos básicos, as qualidades, as fases de um ciclo ou a capacidade inerente de modificação de um fenômeno. A água umedece a descendência; o fogo chameja a ascendência; a madeira pode ser dobrada e esticada; o metal pode ser moldado e endurecido; a terra permite a disseminação, o crescimento e a colheita. A medicina chinesa usa a teoria dos cinco elementos para expor o relacionamento entre os órgãos humanos e as teorias sobre doenças quando ocorrer um desequilíbrio entre os orgãos.

Para o Pensamento Chinês e para a Medicina Chinesa, a energia (QI) é a base de toda a existência: a Terra, o Universo, a Vida, a Natureza e o Homem.

A energia origina a matéria e, esta, a energia. O Yang origina o Yin, o Yin o Yang. Deste equilíbrio, mais ou menos variável, surge a noção de saúde para a MTC.

As perturbações patológicas são energéticas, podendo ter maiores ou menores, repercussões na matéria. Esta é a grande diferença para a Medicina Científica, que baseia grande parte do seu raciocínio na alteração estrutural ou da matéria, como causa das doenças. Assim, o diagnóstico em MTC é energético, assim como sua ação terapêutica. 
Os órgãos (zang fu) possuem vários sinais e sintomas que se manifestam nos níveis físico, emocional e mental. Eles são descritos em termos de padrões e efeitos, e não de estrutura anatômica. Essas funções e padrões pertencem a de dez órgãos, cujas relações se baseiam em correspondências com as teorias do Yin-Yang e dos Cinco Elementos. Os cinco órgãos são coração, fígado, baço, pulmão e rins; as seis esferas de influência que são o intestinos grosso e delgado, baço, bexiga e tríplo aquecedor.


Os doze Principais Meridianos estão interligados aos Órgãos e à superfície da pele. Cada um dos 12 Meridianos principais é distribuído bilateralmente e simetricamente pelo corpo, recebendo a denominação do Órgão ao qual está associado. Quando ficar doente, o sistema de meridianos passa por mudanças, mostrando assim os sintomas, com os quais, os médicos podem diagnosticar as doenças.

Fonte http://portuguese.cri.cn/chinaabc/chapter13/chapter130202.htm

Quando a esposa é íntima dos amigos do marido, crescem as chances de impotência

A Universidade de Chicago (EUA) publicou, um estudo que lança um novo olhar sobre impotência sexual. Aparentemente, um homem de meia idade tem maior chance de enfrentar problemas de intimidade se a esposa for muito próxima dos seus amigos.

O estudo foi feito com 3.005 homens, com idades entre 57 e 85 anos. De princípio, os cientistas consideraram apenas os fatores básicos pelos quais um homem pode ter disfunção erétil. Além da idade, indicadores de saúde como diabetes, obesidade e problemas do coração foram levados em conta.

A conclusão foi de que alguns homens, mesmo mais jovens e mais saudáveis, enfrentavam maior dificuldade com ereções do que outros mais velhos e com um quadro médico menos animado.

Essa variável, segundo os pesquisadores, é justamente o fator social: o tal homem jovem com problemas de ereção, em geral, tinha uma esposa que se relacionava melhor com os amigos dele. Mais precisamente, a chance de disfunção erétil em homens nessas condições era 92% maior.

De cada quatro homens pesquisados que relataram ter esposas “sociáveis”, um sofria com disfunção erétil. E a partir daí surgiu uma descoberta interessante: à medida que o homem envelhece, a mulher participa menos da vida social dos amigos do marido, ou seja, o homem se sente mais seguro no relacionamento, apesar da eficiência natural do corpo não ser mais a mesma de antes.

O homem pode lidar com impotência a partir dos cinquenta anos, por motivos diferentes: até os setenta, as razões são menos fisiológicas e mais sociais e psicológicas, como esta diagnosticada pelos pesquisadores de Chicago. Tais conceitos, segundo os cientistas, pode facilitar o trabalho do urologista que busca saber a razão da impotência de cada paciente.

Fonte ScienceDayli

Diga como está sua urina, e te direi como anda sua saúde

O produto periódico de seus rins pode dizer muito sobre sua saúde. A partir da urina é possível descobrir, logo de princípio, se você está desidratado. E nem é preciso ser um médico para saber isso, basta observar a cor.

Se a urina estiver muito escura, é porque os dejetos foram dissolvidos em menos água, portanto é hora de se hidratar. Mas um médico pode ir muito além desse diagnóstico com uma simples amostra de xixi.

Exames de urina são algo nada recente. Há seis mil anos, babilônios e sumérios já controlavam a saúde fazendo exames regulares as urina. Hoje, a medicina já sabe que uma série de indicadores pode alterar a cor da urina. De dietas e medicamentos, até infecções e doenças graves como o câncer, um simples exame de urina pode acusar.

Sangue na urina, por exemplo, é motivo de preocupação. Algumas infecções não muito graves deixam a urina vermelha, mas a mesma cor pode significar uma pedra no rim ou um câncer.

Aliás, em uma urina vermelha nem sempre há sangue. Às vezes, você apenas comeu muitas beterrabas ou amoras. Alguns laxantes também dão certo tom vermelho.

Se a urina é de um tom quase negro, parecido com a cor da Coca-cola, isso pode ser um indicativo ainda mais grave: sangue envelhecido de um tumor já não tão recente no corpo. Da mesma maneira, pode ser uma notícia não tão grave: uma urina negra pode conter pedaços de tecido muscular rompido durante algum esmagamento, como quando se fica soterrado por muito tempo em um terremoto.

Urina um pouco marrom, por sua vez, pode indicar um problema de saúde comum, como um desarranjo no fígado. Ou algo mais raro, caso da porfiria, um distúrbio enzimático no sangue que pode incorrer em uma série de sintomas graves. Mas a mesma cor pode representar, por outro lado, que o paciente come quantidades altas de favas ou ruibarbo, dois vegetais não muito consumidos no Brasil.

Não há motivo para dor de cabeça, também, se houver urina alaranjada. Provavelmente, apenas indica o uso de um analgésico que justamente alivia dor na hora de urinar, a fenazopiridina. Outras cores, improváveis, que apenas registram o uso de medicamentos, são azul e verde. Indicam apenas o uso de medicamentos para a bexiga. E um amarelo mais brilhante, por sua vez, mostra que você está tomando grandes quantidades de vitamina solúvel em água.

Mas nem só a cor da urina dá respostas sobre o corpo. O cheiro também permite diagnósticos. Quando o paciente está com leucinose (doença em que certos aminoácidos não são filtrados pelo rim), por exemplo, a urina ganha odor característico de xarope de bordo, uma bebida muito consumida no Canadá. Urina com cheiro de açúcar, por sua vez, acusa o óbvio. Há excesso de açúcar no sangue, o que pode indicar que você está com diabetes.

Nem tudo, no entanto, é fácil de observar. Um médico da Universidade da Califórnia (EUA), especialista no assunto, afirma receber 100 pacientes por semana, e apenas um apresenta cor incomum na urina. Com os outros 99 é preciso fazer um exame laboratorial para detectar algum problema.

Em tais exames, sim, quase nada que acontece no corpo escapa à denúncia da urina. O balanço de todos os nutrientes, qualquer vestígio de pedra no rim, incidência de drogas, tudo pode ser detectado. E os cientistas deixam a dica: se notar qualquer irregularidade quando for ao banheiro, procure um médico.

Fonte LivreScience

Anomalias: Disprosopia



Também conhecida como duplicação craniofacial é um distúrbio raro no qual o rosto da mesma pessoa é duplicado na sua cabeça.

Não se trata de nenhum tipo de gemelaridade como “fetus in fetu” mais abaixo. A condição é causada por uma proteína responsável por determinar as características do rosto e seu excesso leva a um segundo rosto espelhado. Falta da proteína leva a características faciais pouco desenvolvidas.

Normalmente este tipo de anomalia sequer permite que a criança nasça com vida, mas Lali Singh, nascida em 2008, sobreviveu por dois meses antes de sofrer uma parada cardíaca.

Câmara rejeita tabelamento de preços dos remédios genéricos

A Comissão de Defesa do Consumidor rejeitou o Projeto de Lei 649/11, do deputado Neilton Mulim (PR-RJ), que torna obrigatório o tabelamento de preços de medicamentos genéricos.

A proposta também estabelecia que a licitação para compra desses produtos seja feita a partir do menor valor sempre que houver necessidade de repor estoques, e não como é hoje, no formato em que um laboratório é definido como fornecedor por um determinado período de tempo.

Os preços dos genéricos são acompanhados pela Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (Cmed). O PL, que tramita em caráter conclusivo, será analisado ainda pelas comissões de Seguridade Social e Família e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Fonte Estadão

Google pagará meio bilhão de dólares por anúncio de farmácias

Após anúncios direcionados do Google, companhias canadenses exportaram remédios aos EUA, o que fere a lei do país

WASHINGTON – A Google pagará uma multa de US$ 500 milhões por permitir que algumas companhias farmacêuticas canadenses divulgassem anúncios através do programa AdWords com foco em consumidores dos Estados Unidos, o que gerou uma importação ilegal de remédios, informou nesta quarta-feira o Departamento de Justiça.

A multa, uma das maiores dos EUA, representa a soma da receita recebida pela Google por divulgar esses anúncios e a renda obtida pelas companhias farmacêuticas por vendas procedentes do mercado americano, indicou o procurador federal do estado de Rhode Island, Peter Neronha, em comunicado.

O Departamento de Justiça destacou que o envio de remédios de farmácias estrangeiras aos EUA geralmente viola a Lei Federal de Alimentos, Remédios e Cosméticos. No caso de medicamentos vendidos sob prescrição médica, a importação também vai contra a lei de Substâncias Controladas.

A Google sabia desde 2003, quando foi aberta uma investigação sobre o assunto em Rhode Island, que em princípio é ilegal o envio de remédios com receita do exterior aos EUA, relatou o Departamento.

Embora a empresa tenha adotado medidas para bloquear as farmácias de outros países, não fez o mesmo com os anunciantes canadenses, que continuaram se dirigindo aos consumidores americanos, segundo o comunicado.

Entre 2003 e 2009, o buscador ofereceu assistência às companhias farmacêuticas anunciantes para ajudá-las a colocar sua publicidade no AdWords e melhorar a efetividade de seus sites, de acordo com a acusação.

“Obrigar a Google a mudar seu comportamento representa um passo muito significativo na limitação da capacidade das farmácias on-line que operam ilegalmente e pretendem chegar aos consumidores dos EUA”, avaliou o procurador.

Já o subsecretário de Justiça, James M. Cole, indicou que o acordo “garante que a Google mudará suas práticas de publicidade inadequadas a respeito destas companhias farmacêuticas, ao pagar uma das maiores multas da história”, acrescentou.

Fonte Estadão

Anvisa recua e propõe manter sibutramina

Novo relatório de técnicos ainda precisa passar pela aprovação da diretoria colegiada

Depois de seis meses de debate, técnicos da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) voltaram atrás e decidiram recomendar a manutenção da sibutramina, remédio usado para emagrecimento, no mercado brasileiro.

Em relatório apresentado ontem para membros da Câmara Técnica de Medicamentos (Cateme) da agência, a equipe manteve a decisão de indicar a proibição apenas das drogas dietilpropiona, femproporex e mazindol.

O documento propõe que a sibutramina continue no mercado, desde que sejam respeitadas algumas condições: a droga não pode ser prescrita por um período superior a 60 dias, o paciente tem de ter índice de massa corpórea (IMC) acima de 30 e ele também terá de assinar um documento em que confirma estar ciente de todos os riscos.

A nova versão do relatório será apresentada para diretores da agência, a quem caberá decidir o destino dos emagrecedores no País. Pela praxe, a diretoria colegiada - formada pelos quatro diretores da Anvisa - segue a recomendação do relatório técnico.




Surpresa. Ontem, integrantes da Cateme afirmaram terem sido surpreendidos e se mostraram indignados com as novas indicações. A Cateme foi a responsável pelo primeiro relatório apresentado pela Anvisa, em fevereiro, recomendando a proibição do uso de todas essas drogas.

"Pensávamos que íamos colocar uma pá de cal nessa discussão e tirar de uma vez por todas esses medicamentos do mercado. Ficamos chocados com a proposta da equipe da Anvisa", afirmou um dos membros.

"A Cateme não concorda em nada com essa nova proposta. Uma das justificativas apresentadas para a manutenção da sibutramina foi ter mais rigor na prescrição. Mas quem vai controlar se só vão prescrever para pacientes com IMC maior do que 30?", questionou Elisaldo Carlini, também membro da Cateme.

Ontem, em votação unânime, a Cateme foi contrária ao parecer do grupo técnico. O voto será encaminhado aos diretores. "Nossa esperança é que esse posicionamento faça com que a diretoria pense duas vezes antes de acatar o parecer da equipe técnica", afirmou outro membro.

Riscos e benefícios. A equipe da Anvisa foi questionada sobre as razões da mudança de postura em relação aos emagrecedores. No início do ano, o mesmo grupo defendeu a retirada desses remédios - e a sibutramina era a vilã. O argumento era de que os riscos superavam os benefícios. Essa convicção foi mantida mesmo depois das duas audiências públicas realizadas pela Anvisa para ouvir especialistas e a sociedade.

No último encontro, em entrevista ao Estado, a chefe do Núcleo de Notificação da Anvisa, Maria Eugênia Cury, afirmara: "Nenhum argumento ouvido nos encontros trazia um fato novo que mereceria a mudança do parecer". Ontem, Maria Eugênia foi questionada sobre qual seria o fato novo. A resposta foi: "Uma decisão da equipe técnica".

O presidente da Associação Brasileira de Nutrologia, Durval Ribas Filho, considerou a vitória parcial. "É preciso esperar a decisão da diretoria colegiada da Anvisa. Mas o ideal seria que todos os remédios continuassem no mercado." Ricardo Meirelles, da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia concorda. "Não é o melhor dos mundos, mas seria insensato proibirem a sibutramina", afirmou.

Fonte Estadão

Mulher tem implante de seio rompido durante jogo de paintball

Empresa responsável por área, em Londres, afirma que esse foi o primeiro incidente do tipo no país e colocou advertência em seu site.

Uma britânica teve seu implante de silicone no seio rompido durante um jogo de paintball.

A mulher de 26 anos, que não foi identificada, foi atingida em um centro de esportes no sul de Londres durante o fim de semana, mas só descobriu a ruptura na segunda-feira, ao ir ao médico por causa das dores que sentia.

As cápsulas de paintball são disparadas a uma velocidade de mais de 300 quilômetros por hora, mas desaceleram antes do impacto com o corpo.

Elas normalmente contêm corantes de alimentos ou gelatina e podem deixar os participantes do jogo com hematomas se forem disparadas de pouca distância.

O incidente do sábado levou a companhia UK Paintball, que organiza os jogos de paintball no local, a incluir uma nova cláusula no contrato assinado pelos participantes, para avisar que "disparos de paintball podem danificar/romper implantes de seio".

Termo de responsabilidade
"Por conta de um incidente em nosso centro de paintball em Croydon no sábado, nós respeitosamente pedimos que as mulheres com implantes cirúrgicos de seios notifiquem nossa equipe no momento da reserva", diz um comunicado no site da empresa UK Paintball.

"Você receberá informações especiais sobre os perigos de jogar paintball com peitos aumentados e terá que assinar um termo de responsabilidade", diz o comunicado.

Segundo a empresa, as mulheres com implantes receberão mais equipamentos de proteção.

Um porta-voz da empresa disse que eles agora estão tomando precauções para garantir que as mulheres com implantes nos seios evitem ferimentos, mas afirmou que o incidente do sábado foi o primeiro do gênero no país.

"Parte da diversão do paintball é que dói um pouco quando você é atingido, mas em todos os anos em que estamos funcionando nunca vimos um incidente assim", afirmou.

"A mulher envolvida vai se recuperar totalmente, mas queremos garantir que nada parecido ocorra novamente", disse.

Fonte Estadão

Vacina da poliomielite será injetável

O imunizante Sabin, oral e com o vírus atenuado, será substituído pela versão injetável, com o vírus inativado, para evitar risco de contração da doença

O imunizante Sabin, oral e com o vírus atenuado, será substituído pela versão injetável, com o vírus inativado, para evitar risco de contração da doença.

Oficialmente, o ministério não tem prazo para o início da transição, mas divulgou informe técnico para as secretarias estaduais de Saúde, alertando para a mudança em 2012. O documento recomenda ações intensificadas de imunização "de modo a alcançar coberturas vacinais de no mínimo 95%" e promete a apresentação da nova estratégia para este semestre.

"A Sociedade de Imunizações já espera essa troca há muito tempo e vinha recomendando o uso da vacina inativada. É uma mudança que ocorreu em todos os países desenvolvidos, mas não é uma alteração simples", afirma a médica Isabella Ballalai, presidente da Sociedade Brasileira de Imunizações (Sbim-RJ).

A vacina oral é feita com o vírus atenuado. Apesar de raro, há o risco de infecção por esse vírus, que provoca a pólio vacinal - causada pela própria vacina. "É preciso ressaltar que o benefício da pólio oral é muito grande. A poliomielite é uma doença transmissível, que incapacita e até mata. Mas há o risco de 1 caso para 800 mil doses de provocar a pólio vacinal. Se nós temos uma vacina mais segura, devemos usá-la", defende Isabella.

Embora não esteja disponível nos postos de saúde, a vacina inativada já é encontrada nas clínicas particulares.

"É uma vacina segura. Nas clínicas, é oferecida conjugada com outras vacinas, como a DTP (difteria, tétano e coqueluche), com hemófilos tipo B (contra meningite) e hepatite B. Acredito que o ministério vá seguir a mesma estratégia. Se isso ocorrer, não deve haver resistência da população a mais uma vacina injetável", diz o médico Alberto Chebabo, chefe do Serviço de Doenças Infecto-Parasitárias do Hospital Universitário da UFRJ.

Segundo Isabella, os países que fizeram a transição das gotinhas para a injetável optaram por oferecer a nova vacina nas duas primeiras doses, aos 2 e 4 meses. As demais - aos 6 e aos 15 meses, além das doses de reforço, nas campanhas - são da vacina tradicional, na forma oral. "As duas primeiras doses com a vacina com vírus inativado já garante a proteção contra o vírus da pólio, até mesmo o vacinal", afirma.

Outra mudança que será anunciada é a realização da campanha de vacinação anual contra a pólio em única etapa, a partir de 2012. Hoje, as crianças de 0 a 5 anos recebem duas doses de reforço, em junho e agosto.

Critérios. Em nota, o ministério informou que a incorporação de novas vacinas no calendário oficial segue critérios de especialistas, que avaliam tecnologia, custo benefício e custo efetividade, além do impacto epidemiológico, imunológico e logístico.

CRONOLOGIA
Forma injetável foi a pioneira

1931
Início das pesquisas
O norte-americano Albert Sabin (1906-1993) inicia suas pesquisas para o tratamento da poliomielite assim que se forma em Medicina na Universidade de Nova York. Durante a 2.ª Guerra, ele interrompe as experiências para se dedicar aos estudos de doenças que acometiam os soldados. A pesquisa é retomada apenas em 1954.

1955
Vacina Salk
O virologista Jonas Salk (1914-1995) tem sua vacina, a primeira contra a poliomielite, oficialmente permitida para uso em todo o território dos Estados Unidos. Seu imunizante, injetável e com o vírus inativado, era eficaz na prevenção da maioria das complicações da doença, mas não prevenia a infecção inicial.

1961
Vacina Sabin
O Serviço de Saúde Pública dos Estados Unidos libera a vacina Sabin, tomada por via oral e com o vírus atenuado. Sua versão do imunizante previne a contração da moléstia. Ela eliminou a pólio em quase todo o mundo.

Fonte Estadão

Fórum de ONG/Aids quer vetar testagem de HIV no Rock in Rio

Grupo considera aconselhamento em show inadequado e acusa o Ministério da Saúde de ''ação marqueteira''

O Fórum de ONG/Aids do Rio de Janeiro quer impedir a testagem rápida de HIV durante o Rock in Rio, que começará no dia 23 de setembro. O grupo critica o que considera aconselhamento inadequado para as pessoas que vão fazer o exame e acusa o Ministério da Saúde de promover uma "ação marqueteira".

O grupo de organizações pretende questionar na Justiça a estratégia do ministério, se não conseguir convencer o governo federal a mudar a abordagem. O tema foi discutido no Encontro Regional de ONG/Aids do Sudeste, que terminou sábado, em Volta Redonda, no sul fluminense.

"O que a gente critica é a banalização da aids. O bom aconselhamento pré e pós-teste tem impacto positivo na vida da pessoa. Se ela não estiver com aids, pode mudar seu comportamento de risco. Se for soropositivo, procura tratamento. A falta desse apoio vai contra tudo que o ministério preconiza", afirma o secretário executivo do Fórum de ONG/Aids, William Amaral.

O ministério tem apostado na estratégia de dar visibilidade à testagem, dentro do programa Fique Sabendo. Isso já ocorreu no carnaval de Salvador, em paradas gays, na Festa do Caminhoneiro e no Congresso da União Nacional dos Estudantes (UNE). No evento que reuniu caminhoneiros, em julho, foram feitas 500 testagens. Nenhum resultado deu positivo.

Durante o festival de rock, o ministério terá um estande dividido em três ambientes - uma recepção, onde são exibidos vídeos e estarão dois aconselhadores; a sala de testes (onde também estará presente o aconselhador); e o terceiro, dividido em três cabines individuais, onde cada pessoa receberá o resultado individualmente. O stand terá capacidade para fazer 500 testes em cada um dos sete dias do evento.

"Vídeo não substitui aconselhamento feito pelo psicólogo, que é o profissional mais indicado para tratar do assunto", defende Amaral, que busca o apoio do Conselho Federal de Psicologia para suspender a testagem.

Direito ao sigilo. O diretor do Departamento de DST/Aids do ministério, Dirceu Greco, ressalta que a pasta sempre "primou pelo respeito absoluto aos direitos humanos e ao direito ao sigilo". "Estamos lidando com um público jovem, que não viu o processo do surgimento da aids, em uma geração em que a vida sexual começa mais cedo. Esse é o nosso desafio: discutir a importância de testar, para ter acesso precoce ao tratamento."

Greco ressaltou que três hospitais municipais estarão preparados para receber as pessoas que receberem o resultado positivo e já quiserem passar pelo atendimento médico, mesmo no fim de semana. R
 
Fonte Estadão

Diretora denuncia secretário após morte de gêmeos no Pará

A diretora da Santa Casa de Belém (PA), Maria do Carmo Lobato, afastada do hospital depois que uma mulher grávida não foi atendida e perdeu os filhos gêmeos, entrou com denúncia no Conselho Regional de Medicina contra o secretário estadual de Saúde Pública, Helio Franco.

Segundo o filho dela, Guto Lobato, a ex-diretora sentiu-se ofendida por ter sido responsabilizada pelo não atendimento da manicure Vanessa do Socorro Santos, 27.

O governo declarou que ela será exonerada.

Guto Lobato disse que, no início do mês, Maria do Carmo já havia enviado ao secretário um documento apontando a superlotação da UTI neonatal. Mesmo assim, disse que não orientou as equipes a deixar de atender pacientes.

Ontem (23), Vanessa procurou a Santa Casa --vinculada ao governo estadual-- e o Hospital de Clínicas Gaspar Vianna com fortes dores, mas não foi atendida. Ela estava no sétimo mês de gestação, e a gravidez era de risco. O centro de perícias do governo disse ter constatado que os bebês já estavam mortos 48 horas antes do parto.

O secretário Helio Franco disse que tem conhecimento da superlotação, mas afirmou que partiu da direção da unidade a determinação de fechar as portas para emergências. Franco disse ainda desconhecer a denúncia contra ele.

Fonte Folhaonline

Sociedade de Cardiologia fará ação contra aditivos em cigarro

No Dia Nacional de Combate ao Fumo, a SBC (Sociedade Brasileira de Cardiologia) vai centrar sua campanha no combate aos aditivos que dão sabor ao cigarro --como menta, morango e cravo, por exemplo. A data será comemorada na próxima segunda-feira (29).

Em nota divulgada à imprensa, o cardiologista Aristóteles Alencar, do Comitê Antitabaco da SBC, explica que a indústria passou a usar aditivos para conquistar novos adeptos ao fumo nas faixas mais jovens da população, à medida que alguns fumantes abandonaram o vício por motivos de saúde.

"Esses jovens rejeitariam o sabor amargo natural, por isso os fabricantes o disfarçam com sabores agradáveis", diz.

O especialista afirma que do ponto de vista médico, o tabagismo é considerado uma doença pediátrica, pois 90% dos atuais fumantes confessam que aderiram ao vício antes de se tornarem adultos.

Os cardiologistas ainda manifestaram preocupação com a difusão do narguilé, pois muitos jovens acreditam que a fumaça é lavada em água perfumada antes de chegar aos pulmões, diminuindo os efeitos nocivos, de acordo com o médico.

Ele explica que o efeito não é abrandado e o risco aumenta por conta do depósito de alcatrão na piteira do narguilé. Além disso, passar a piteira de boca em boca, facilita o contágio de herpes labial, doença infecto-contagiosa sem cura.

Fonte Folhaonline

Governo irá substituir a vacina contra a poliomielite

O Ministério da Saúde se organiza para, no futuro, substituir a vacina oral contra a poliomielite (paralisia infantil) por uma versão intramuscular. Não há data definida para que a troca ocorra.

O governo segue uma recomendação feita pela OMS (Organização Mundial da Saúde). A substituição gradativa da vacina oral, no entanto, só deve ocorrer no momento em que a polio for erradicada do mundo. Hoje o vírus ainda existe, na forma ativa, em 26 países, segundo o ministério.

"A incorporação de novas vacinas pelo Ministério da Saúde segue critérios que são avaliados por grupos de trabalho formados por especialistas. Eles avaliam a tecnologia, custo benefício, custo efetividade, além do impacto epidemiológico, imunológico e logístico. Essa análise ainda depende de capacidade produtiva dos laboratórios e capacitação de profissionais", diz nota da pasta.

A eventual substituição será anunciada oficialmente no futuro. Até lá, a vacina oral será mantida no calendário de vacinação.

Fonte Folhaonline

Pacientes de câncer como Jobs enfrentam risco com tratamento

Pacientes com o tipo raro de câncer de Steve Jobs, da Apple, enfrentam uma luta mais dura se há uma recorrência da doença por causa dos métodos usados no combate a ela.

Jobs disse na quarta-feira (24) que não poderia mais ser o presidente-executivo da empresa que ele havia cofundado. Ele saiu de licença médica em janeiro depois de anos lutando contra um raro tipo de câncer no pâncreas e outras questões de saúde.

Ele não deu detalhes sobre sua saúde em seu último anúncio.
Ryan Anson/France Presse
Steve Jobs mostra a versão branca do iPhone 4 à época do lançamento
Steve Jobs mostra a versão branca do iPhone 4 à época do lançamento

O tipo de câncer pancreático é causado por um tumor neuroendócrino de células da ilhota.

Jobs teria se submetido a um transplante de fígado em 2009 para combater a disseminação do tumor neuroendócrino. O procedimento é experimental e propício a complicações.

Jobs nunca divulgou publicamente o motivo para seu transplante de fígado.

O médico Simon Lo, diretor de doenças biliares e pancreáticas no Centro Médico Cedars-Sinai, em Los Angeles, disse que a complicação grave mais provável depois do transplante de fígado de Jobs seria a metástase do câncer, o que obrigaria Jobs a deixar o seu cargo permanentemente. Lo não tratou de Jobs.
Cerca de 80% dos pacientes que fazem transplantes de fígado para tratar esse tipo de câncer vivem pelo menos cinco anos, segundo a Universidade da Califórnia em San Francisco.

Lo disse que um estudo recente havia mostrado que cerca de três quartos dos pacientes que fazem um transplante de fígado por causa de câncer veem a doença voltar dentro de dois a cinco anos. O câncer pode voltar ao fígado ou para outros órgãos.

As drogas imunossupressoras necessárias para um transplante de fígado também tornam mais difícil para o organismo lutar contra o retorno da doença.

Jobs pode estar "se confrontando com problemas hepáticos relacionados ao transplante de fígado ou ao próprio câncer", disse Lo. "Quando você coloca os pacientes sob medicação imunossupressora, há sempre o risco de que elas retirem a resistência natural, então o câncer consegue crescer mais rápido."

Embora esse câncer seja confundido com o câncer de pâncreas, tumores neuroendócrinos têm uma natureza diferente da maior parte dos tumores pancreáticos, que são muito letais e costumam matar 95% dos pacientes em cinco anos.

Os tumores neuroendócrinos são mais fáceis de tratar e menos agressivos. Segundo o Instituto Nacional do Câncer, há apenas 200 a 1.000 novos casos por ano.

Jobs retirou um tumor neuroendócrino em 2004 e disse depois que todo o câncer fora retirado, e que não precisou de quimioterapia nem de radioterapia. Mas ele continuou muito magro.

Fonte Folhaonline

Antibiótico ameniza sintomas de doença pulmonar, indica estudo

O uso de um antibiótico barato e amplamente disponível pode reduzir em 30% a frequência de crises em casos moderados e graves de DPOC (doença pulmonar obstrutiva crônica).

A conclusão é de uma pesquisa publicada ontem no periódico "New England Journal of Medicine".

A doença, que mata 33 mil brasileiros por ano, ataca principalmente os fumantes.

A pessoa para de respirar progressivamente. A DPOC é caracterizada por dois problemas (enfisema pulmonar e bronquite crônica) e se manifesta em quem se expõe ao fumo (85% dos casos) e a fumaça de fogão a lenha (15%).

O ESTUDO
Pesquisadores da Universidade do Colorado, nos EUA, observaram 1.142 pacientes com DPOC moderada e grave, caracterizada por episódios repetidos de aumento de tosse, catarro e falta de ar.

Entre eles, 570 receberam uma dose diária de 250 mg de azitromicina, além do tratamento usual com corticoide inalável e broncodilatador, enquanto os outros 572 receberam placebo.

Durante o ano da pesquisa, os participantes que receberam o antibiótico ficaram livres de crises por 266 dias, em média, em comparação com 174 dias entre os que receberam placebo.

O trabalho concluiu que a dose diária do antibiótico reduziu a frequência das crises e melhorou a qualidade de vida dos pacientes.

"O uso contínuo da azitromicina é uma prática médica muito bem estabelecida para reduzir infecções. Em algumas situações, o remédio é usado não com a expectativa de um efeito antibiótico, mas sim de um poder anti-inflamatório", afirma o pneumologista Alberto Cukier, do InCor (Instituto do Coração).

Segundo o médico, a droga atua nos mecanismos de inflamação e evita o aparecimento de novas infecções por causa disso.

No entanto, Cukier ressalta que o risco do uso continuado de antibiótico causa preocupação entre os médicos.

O pneumologista Carlos Fritscher, professor da Faculdade de Medicina da PUC do Rio Grande do Sul, afirma que a prática pode induzir a resistência bacteriana, favorecendo o surgimento de tipos mais agressivos de micróbios.

O antibiótico, hoje, só é usado em pacientes com casos mais graves de DPOC, afirma Fitscher, em conjunto com o tratamento contínuo com corticoides inaláveis.

EFEITO COLATERAL
Uma pesquisa publicada no ano passado no periódico "Chest" mostrou que o uso de corticoides inaláveis por pacientes com DPOC traz pouco resultado no controle das crises respiratórias.

Fritscher afirma que em torno de 60% dos pacientes com doença obstrutiva pulmonar crônica moderada ou grave usam produtos que contêm corticoide inalável.

"Em alguns pacientes, ele é uma peça-chave no tratamento para controlar a inflamação, mas o remédio não cura a doença. O enfisema pulmonar é irreversível", afirma Fritscher.

O médico afirma que parar de fumar reduz a intensidade das crises.


Editoria de Arte/Folha Imagem

Fonte Folhaonline