Aplicativos, carreira, concursos, downloads, enfermagem, farmácia hospitalar, farmácia pública, história, humor, legislação, logística, medicina, novos medicamentos, novas tecnologias na área da saúde e muito mais!


quarta-feira, 18 de julho de 2012

Modelo matemático pode auxiliar criação de drogas contra doenças degenerativas

Abordagem permite compreender formação de fibras de amilóide, processo associado a condições como Alzheimer e Parkinson

Pesquisadores de Portugal desenvolveram um modelo matemático que pode se tornar peça fundamental no desenvolvimento de novos medicamentos contra doenças degenerativas. Equipe formada por cientistas do Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar (ICBAS) e da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP) criaram um modelo biofísico que permite compreender a formação de fibras de amilóide, ou seja, agregados das proteínas que se depositam nos tecidos e que se encontram associadas ao desenvolvimento de patologias como Alzheimer, Parkinson e Paramiloidose, também conhecida como Doença dos Pezinhos.

O desenvolvimento de fármacos para o tratamento destas doenças pode ser feito com base na medição das velocidades (ou cinéticas) de formação destas fibras em laboratório, em condições próximas das que acontecem ' in vivo' . O modelo matemático desenvolvido é capaz de descrever de forma objetiva a sequência de acontecimentos envolvidos na fibrilização e no modo como este processo é afetado pela ação de eventuais fármacos.

"Conseguimos descrever todos os passos através de um modelo matemático simples e universal, cuja utilização é facilitada pelo número reduzido de parâmetros envolvidos", explica o investigador envolvido no estudo Pedro Martins. "Este tipo de modelo é muito importante na compreensão de vários fenômenos e em particular para o desenvolvimento de novos medicamentos. Trata-se de uma ferramenta que descreve e prevê o que acontece no caso da formação de fibras de amilóide, na presença ou ausência de inibidores", conclui.


Fonte isaude.net

ONU lança campanha global de conscientização contra drogas e crime organizado

A campanha reflete os custos econômicos e sociais das atividades que proporcionam lucros estimados em 870 bilhões de dólares

O Escritório das Nações Unidas sobre Drogras e Crime, Unodc, lançou, nesta terça-feira (17), uma campanha global de conscientização, que enfatiza o tamanho e os custos do crime organizado transnacional. Analisando esta ameaça multimilionária para a paz, a segurança humana e a prosperidade, a campanha reflete os custos econômicos e sociais do problema.

Com lucros estimados em 870 bilhões de dólares ao ano, as redes do crime organizado se aproveitam da venda de mercadorias ilegais onde quer que exista demanda.

Abordando temas como o tráfico de pessoas, o contrabando de migrantes, as falsificações, as drogas ilícitas, os crimes contra o meio ambiente e as armas ilegais, a campanha, disponível em www.unodc.org/toc, oferece uma análise detalhada dos principais crimes e contravenções atuais.




Fonte isaude.net

Brasil é o segundo país que mais consome remédios para ansiedade

Consumo aumentou muito entre os jovens

Em 2000, foram vendidas 71 mil caixas de medicamentos para controlar a ansiedade e o déficit de atenção.

Já em 2010, o número subiu para dois milhões de caixas, registrando um aumento de 1400%. O número de consumidores desse tipo de remédio cresceu muito entre os jovens.

Fonte R7

Mitos sobre nutrição prejudicam alimentação de pacientes com câncer

Icesp alerta que desinformação pode comprometer estado

Um levantamento do Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (Icesp), apontou as principais dúvidas e questionamento dos pacientes oncológicos atendidos no serviço de nutrição da unidade. A pesquisa, feita com 1.400 pessoas, revelou que alguns mitos fogem bastante da realidade e que acabam prejudicando, e muito, o combate contra a doença.

Além do próprio tratamento, que pode provocar variadas sensações desagradáveis, comprometendo a alimentação, como boca seca, náuseas ou dor para engolir, a desinformação pode ser um fator agravante para o risco nutricional. Em junho de 2012, o grupo de nutricionistas que realiza atendimento ambulatorial aos pacientes do ICESP identificou importantes mitos que podem trazer malefícios a alimentação e, portanto, ao estado nutricional das pessoas que enfrentam a doença.

Algumas dúvidas como “comer carne vermelha faz o tumor crescer?”, “pular refeições emagrece?” são exemplos de questionamentos comuns entre os pacientes e uma realidade que preocupa, já que esse grupo pode apresentar desnutrição até três vezes mais do que o observado em portadores de outras doenças. Isso acontece por vários fatores, entre eles, o estágio da doença e fase do tratamento, que pode causar efeitos colaterais, como a diminuição do apetite e as alterações no paladar.

De acordo com o a coordenadora do Serviço de Nutrição e Dietética do Icesp, Serena Nunes, é imprescindível desmistificar alguns desses questionamentos, para garantir a manutenção da saúde dos pacientes. “Manter uma alimentação saudável e equilibrada é fundamental para um bom quadro clínico e para a recuperação do paciente oncológico”, alerta.

Veja abaixo o que é verdade e o que é mito quando o assunto é nutrição e câncer:

Mitos:
- Peixe, carne de porco e ovo não podem ser consumidos após a cirurgia, pois atrapalham na cicatrização.

- Carne vermelha alimenta o tumor.

- Não consumir alimentos ácidos durante a quimioterapia.

- Pular refeições emagrece.

- Beterraba por ser vermelha pode substituir a carne para evitar anemia.

Verdades:
- Peixe, carne de porco e ovo contém vitaminas do complexo B que ajudam no processo de cicatrização. Porém para um melhor processo de cicatrização deve-se manter uma alimentação adequada e não simplesmente consumir esses três alimentos.

- Carne vermelha, quando consumida em excesso, é considerada um fator de risco para o desenvolvimento de câncer. O problema não é a carne vermelha, em si, mas a quantidade ingerida – que deve ser de até 300g por semana.

- Durante a quimioterapia deve-se "evitar" e não "excluir" alimentos ácidos da alimentação, para prevenir o surgimento de feridas na boca (mucosite).

- Pular refeições, para o corpo, significa permanecer em jejum. Esse fato altera o metabolismo, que passa a gastar menor quantidade de energia. A alimentação deve ser feita em pequenas porções, a cada 3 horas. Assim, o corpo não altera o metabolismo. - A beterraba não substitui a carne em relação à prevenção de anemia, pois o ferro da beterraba está presente em menor quantidade.

- Há alimentos que ajudam a prevenir o surgimento do câncer, como o tomate, a laranja, peixes, frutas e vegetais vermelhos e roxos, a soja, o brócolis, a maçã, o azeite de oliva extra-virgem e o alho. Estes alimentos são ricos em licopeno, ácido ascórbico (vitamina C), carotenóides e limonemos, ômega 3, flavonóide (antocianinca e quercetina) e resveratrol (casca de uva e vinho), Isoflavona, antioxidante, antitumoral e hipolipemiante (reduz as gorduras triglicérides e colesterol), carotenóide, isoticianoto e fibras, que trazem inúmeros benefícios ao organismo na prevenção de diversas doenças, incluindo o câncer

Fonte isaude.net

Crianças que sofrem abusos dos pais têm maior risco de contrair câncer

A pesquisa atingiu 2.1 mil adultos. Entre os abusos consultados estão os insultos, xingamentos, ameaças e agressões

O abuso frequente pelos pais pode aumentar o risco de uma criança sofrer câncer na idade adulta, segundo pesquisa da Purdue University, nos Estados Unidos. O estudo ainda aponta que os efeitos são especialmente significativos quando as mães abusam das filhas e os pais abusam dos filhos.

"As pessoas costumam dizer que as crianças são resistentes e vão se recuperar, mas nós descobrimos que existem eventos que podem ter consequências em longo prazo na saúde do adulto. No geral, quanto mais frequente e intenso o abuso, mais elevado o risco de câncer", disse o diretor Purdue's Center on Aging, pesquisador Kenneth Ferraro. "Neste caso, as pessoas que foram frequentemente emocionalmente ou fisicamente abusadas por seus pais eram mais propensas a terem câncer na idade adulta, e a relação foi maior quando os pais abusavam dos filhos e as mães abusavam das filhas. No geral, quanto mais frequente e intenso o abuso, maior o risco de câncer".

Kenneth destaca ainda que gostaria "que o abuso infantil fosse visto como um fator ambiental que pode aumentar a ocorrência de câncer na vida adulta. Mais pesquisas sobre este tema poderiam ajudar a mediar os efeitos ou melhorar as intervenções para ajudar as crianças vítimas de abuso."

"Nós começamos examinando uma variedade de infortúnios da infância, incluindo abusos, e quando estes foram todos combinados, descobrimos que a maioria daqueles que sofreram estresse durante a infância era mais propensa a desenvolver câncer", disse a responsável pelo estudo, socióloga Patrícia Morton. "Depois, descobrimos que quando crianças foram abusadas pelo progenitor do mesmo sexo, o risco de desenvolver câncer aumentou. Outros estudos têm mostrado que se a mãe fuma, a filha é mais propensa a fumar, e a mesma relação é encontrada quando o filho reflete o comportamento do pai. É necessário pesquisar mais, mas outra possibilidade é que os homens podem ser mais propensos a abusar fisicamente dos filhos, e as mães sejam mais propensas a abusar fisicamente das filhas", completa.

As conclusões foram baseadas em duas análises de dados de pesquisa com 2.101 adultos do National Survey of Midlife Development, nos Estados Unidos. Abuso foi um dos muitos infortúnios da infância - incluindo a pobreza, a perda do pai e a situação familiar educativa - que os investigadores examinaram para determinar se havia uma ligação com o câncer na idade adulta. Na primeira análise, eles descobriram que homens que experimentaram estresse cumulativo durante a infância eram mais propensos a ter câncer. O mesmo não acontecia com as mulheres. "Isso sugere que homens e mulheres podem ter diferentes respostas a estresses na infância", disse Patrícia Morton.

Na segunda análise, foi observada cada categoria de infortúnio. Os participantes da pesquisa não foram diretamente questionados se sofreram abusos, mas situações consultadas, como insultos, xingamentos, ameaças e agressões da parte da pais, irmãos ou outros, foram contabilizadas como tal. A conexão ainda podia ser observada quando observados a idade dos adultos, o estilo de vida e a situação econômica, mas os pesquisadores explicaram que gostariam de analisar melhor esses mecanismos.

Segundo Ferraro, "também é provável que o efeito entre o abuso de crianças e câncer esteja sub-representado no estudo, porque as pessoas que sofreram abuso e foram então presas, colocadas em uma instituição mental ou morreram não foram incluídas no levantamento. Estes grupos podem representar pessoas com efeitos mais agudos e mais graves de abuso, mas mesmo que eles sejam omitidos, ainda encontramos uma conexão", disse.

Os pesquisadores agora examinam possíveis ligações entre o abuso de crianças e outros resultados de saúde, incluindo ataques cardíacos e os tipos de câncer.

A pesquisadora Patrícia Morton ainda acrescenta que "a conexão entre os eventos negativos na infância e saúde mental é aceita, e esses achados reforçam que tais eventos também pode ter um efeito duradouro sobre a saúde física de uma pessoa. É chocante o quanto os danos duram, e é um lembrete de que a infância, que é definida pela rápida evolução dos sistemas biológicos, é um período sensível do desenvolvimento", lembra.

Fonte isaude.net

Riscos do clareamento dental

Saiba mais sobre os clareamentos dentais e os riscos que proporcionam aos dentes, quando usados sem orientação profissional adequada

O clareamento dental é cada vez mais procurado e aplicado em consultórios odontológicos, porém ainda existem muitas dúvidas no que diz respeito à eficácia e segurança dos produtos utilizados. Algumas pessoas acreditam que esse procedimento seja prejudicial aos dentes ou ao esmalte dos dentes. Saiba mais sobre os riscos do clareamento dos dentes.

Clareamentos dentais
Os clareamentos dentais são feitos através de produtos químicos que são aplicados nos dentes com o intuito de deixá-los mais brancos. Há alguns anos somente as populações de classe média e alta tinham acesso a esse tipo de tratamento, pois era um procedimento caro. Porém, essa técnica está cada vez mais popular devido ao custo estar cada vez menor.

O uso de produtos clareadores sem prescrição tem preocupado muito os especialistas em odontologia de todo o Brasil, pois o que era para ser tratado como um método para deixar os dentes mais saudáveis e bonitos, tem causado problemas a eles.

Muitos produtos de clareamento são vendidos sem prescrição do dentista e podem causar sérios problemas à saúde dos dentes das pessoas. Por isso é muito importante que esse procedimento seja realizado somente por um especialista.

Composição dos produtos de clareamento
Os produtos de clareamento são feitos a base de peróxido de hidrogênio (água oxigenada) e peróxido de carbamida e normalmente são apresentados nas formas líquidas ou gel.

Esses produtos são aplicados na superfície dos dentes e penetram na estrutura dentária, onde provocam uma reação química que leva a produção de substâncias clareadoras.

Riscos do clareamento dental
•As pessoas que utilizam essa técnica sem orientação de um profissional fazem a aplicação exagerada do produto e deixam por muito tempo em contato com os dentes e isso pode causar sérios problemas;

•Quanto mais concentrada a solução e maior o tempo de uso, maiores são os riscos de surgirem efeitos colaterais como a hipersensibilidade e irritação nas gengivas;

•O uso inadequado desses produtos pode também causar danos ao esmalte do dente, restaurações e até próteses usadas pelo indivíduo;

•Esse tipo de procedimento deve ser evitado em crianças e adolescentes ou somente aplicado sob orientação profissional, pois quanto mais jovens, maiores são as chances de peróxido de hidrogênio penetrar a polpa dos dentes e causar danos a ela;

•O clareamento inadequado pode causar destruição do esmalte dentário, tornando os dentes mais sensíveis e propícios as cáries e gengivites.

Os clareamentos dentários podem ser muito eficazes para a estética dos dentes, porém devem ser aplicados somente sob orientação e cuidados de um especialista, no caso o dentista. Existem alguns produtos que são vendidos indiscriminadamente e que podem causar sérios problemas à saúde dos dentes, como destruição do esmalte e até da polpa. Portanto, antes de fazer o clareamento consulte seu dentista para melhor avaliar o caso.

Fonte Mundo das Tribos

Pressão econômica aumenta possibilidade de erros em laboratórios

Pesquisa da Fiocruz mostra, inclusive, que boa parte dos incidente que causaram danos aos pacientes poderiam ter sido evitados

A pressão econômica foi apontada como uma das principais causas dos incidentes de laboratórios. A análise faz parte de um estudo desenvolvido pela Escola de Saúde Pública da Fiocruz (Ensp/Fiocruz) que mostra, inclusive, que boa parte dos erros que causaram danos aos pacientes poderiam ter sido evitados. Defendida pelo médico Wilson Shcolnik, a pesquisa buscou identificar os impactos dos erros laboratoriais relacionados à segurança do paciente e discutir sua possibilidade de aplicação no Brasil.

De acordo com o trabalho, estes fatores estão associados a redução de equipes, aumento do fluxo de trabalho, exigência de produtividade, e à centralização da realização de exames, o que dificulta o controle sobre a fase pré-analítica do processo laboratorial.

A pesquisa analisou nove artigos que descrevem eventos adversos decorrentes de erros laboratoriais nos Estados Unidos, na Itália e no Reino Unido e confirma que a fase pré-analítica etapa entre a solicitação do clínico e a realização do exame no laboratório, incluindo, entre outros itens, cadastramento, orientação sobre coleta, recolhimento do material do paciente e transporte ao laboratório é a responsável pela maior proporção de erro, variando entre 54,5% e 88,9% do total de incidentes.

Shcolnik conclui que os estudos analisados evidenciam eventos adversos relacionados a erros laboratoriais e fornecem uma gama de métodos que poderiam ser utilizados na realidade brasileira e que permitiriam conhecer melhor e monitorar danos causados aos pacientes pelos erros cometidos nos laboratórios clínicos. Além disso, o autor sugere a adoção de notificação voluntária para a identificação de eventos adversos e a aplicação de estudos retrospectivos de relatórios de incidentes, que, analisados juntamente com médicos e outros profissionais da equipe de saúde, podem ser úteis para a avaliação dos danos reais e potenciais aos pacientes originados dos erros laboratoriais.

Fonte isaude.net

Resolução permite que obstetras façam cobrança pela disponibilidade médica

Pagamento garante à gestante que o mesmo obstetra do pré-natal possa realizar o parto normal ou cesárea

A disponibilidade médica da classe obstetra já pode ser cobrada como taxa extra das pacientes de planos de saúde. O Conselho Regional de Medicina do Espírito Santo regulou a cobrança, independentemente do plano de saúde da paciente. Com o pagamento, a gestante tem a garantia de que o obstetra que realizou o pré-natal será o responsável pelo parto normal ou cesárea.

Segundo informou a Federação Nacional do Médicos (Fenam), a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) também não coloca objeções à cobrança. Estados como Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo, Goiás e Paraná também já adotam a prática.

Para orientar os profissionais, o Movimento da Disponibilidade Obstétrica do Espírito Santo oferece assessoria jurídica para esclarecer como o acordo deve ser feito. O presidente do sindicato dos Médicos do estado e vice-presidente da Federação Nacional dos Médicos, Otto Baptista, ressalta que algumas formalidades devem ser cumpridas pelos médicos, como a aquisição de contratos escritos junto ao departamento jurídico do movimento, para que tudo fique dentro da legalidade.

"O médico precisa se respaldar com um contrato, que está sendo disponibilizado pela assessoria jurídica do movimento. Esse documento é a segurança do obstetra, um respaldo legal," frisa.

Consultas, exames de pré-natal e o parto continuam sendo pagos pelo plano de saúde, o que muda é o pagamento da disponibilidade do profissional para realizar o procedimento. "Pedimos aos médicos que providenciem orientações junto aos seus sindicatos para realizarem a cobrança dentro da legalidade," completou Baptista

Para que a cobrança seja realizada, o profissional orienta a paciente na primeira consulta. Se houver consentimento, um contrato é elaborado e o pagamento pela prática é feito diretamente ao profissional. Gestantes que não quiserem pagar a taxa não ficam desassistidas, poderão contar com médicos plantonistas e que também são cobertos pelos planos de saúde.

O valor da taxa não é fixado e varia entre R$ 1.900 a R$ 2.500. Atualmente, o médico recebe entre R$ 212 a R$ 350 dos planos de saúde pela realização da cirurgia. Na rede particular, médicos cobram, por parto, R$ 2.500.

Fonte isaude.net

A sexta economia mundial tem patamares africanos quando se trata da saúde

Por Renata Vilhena Silva

O Brasil ainda está longe de ser um país desenvolvido ou de ter um bom Índice de Desenvolvimento Humano, mesmo que almeje o desenvolvimento econômico e esteja a caminho de se tornar uma potência. A Organização Mundial da Saúde aponta que a média de gastos mundiais com saúde gira em torna de 14,3%. Hoje, gastamos no Brasil 5,9% , em 2000 era pior: 4,1%. Mesmo que essa taxa tenha crescido 1,8% em 12 anos, os valores estão muito abaixo da média internacional e podem ser comparados aos da África.

O correspondente do jornal Estado de S. Paulo Jamil Chade publicou matéria muito detalhada em maio deste ano, mostrando que nos países desenvolvidos um terço dos custos da saúde é pago pelos cidadãos, no Brasil 56% do que se gasta nessa área sai do bolso dos contribuintes, situação semelhante à que ocorre em somente 30 dos 193 países- membros da ONU.

O estudo da OMS revela, ainda, que os gastos médios dos governos, nos países europeus, com cada cidadão chegam a ser dez vezes superiores aos do Brasil. Em alguns casos, como Luxemburgo, gasta-se mais de US$ 6,9 mil por cidadão, quase 25 vezes o valor no Brasil. Mesmo na Grécia, que vive uma crise econômica hoje, são destinados seis vezes mais recursos a cada cidadão do que no Brasil. Outro dado que mostra como é alarmante a situação da saúde pública no País é a média brasileira de 26 leitos hospitalares por 10 mil habitantes é igual à de Tonga e do Suriname. 80 países ostentam um índice melhor que o nosso. Na Europa, a oferta média de leitos é três vezes maior.

A boa notícia no levantamento da OMS é que o Brasil conta com 17,6 médicos para cada 10 mil habitantes, enquanto a média mundial é de 14 para 10 mil. O problema aqui não é de escassez de médicos, mas de concentração desses profissionais nos grandes centros urbanos e em área mais nobres por falta ou precariedade das condições de trabalho em boa parte do País. De qualquer forma, na Europa, a média sobe para 30 para 10 mil, enquanto na África fica em 2 médicos para 10 mil habitantes.

A situação da falta de leitos não é muito diferente na área privada da saúde. Os grandes hospitais, que têm em média 400 leitos, não têm vagas para a demanda atual de doentes. Alheios a isso, os planos de saúde continuam vendendo e firmando contratos em que prometem internações em hospitais. O cenário é de pacientes aguardando em cadeiras de rodas pelos corredores, pacientes adultos internados em alas infantis ou pacientes que tiveram alta da UTI, ocupando leitos de terapia intensiva porque não há quartos.

No dia 10 de julho deste ano a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) suspendeu a comercialização de 268 planos de saúde de 37 operadoras, reincidentes no não cumprimento da Resolução Normativa nº 259, que determina prazos máximos de atendimento para consultas, exames e cirurgias.

As operadoras foram notificadas e fica proibida a venda de produtos a partir de 13/07/2012 até a próxima avaliação trimestral, que será divulgada em setembro. São medidas como esta que cabem à agência reguladora. Ainda precisaremos aguardar pra saber se as operadoras, dentre eles a Unimed Paulistana, que possui uma das maiores carteiras do mercado, vão agir de forma ética e se a ANS adotará a fiscalização necessária.

Só é difícil entender porque grandes operadoras como a Amil e a Unimed Paulistana são proprietárias de hospitais. Algumas alegam que a aquisição foi uma fatalidade, que não fazia parte do plano estratégico, como afirmou um diretor da AMIL na Hospitalar 2012, e que essa foi a saída encontrada para vencer o problema da escassez de leitos, etc. Outras, dizem poder controlar melhor os preços e não sofrer abusos por parte de instituições prestadoras de serviço.

De qualquer forma, precisa ficar claro o papel social de cada um desses atores no cenário da saúde pra que não prevaleça a promiscuidade nas funções desempenhadas ou a ganância pelo monopólio do mercado.

Mesmo com a ascensão da classe média, que permitiu o maior acesso à saúde e com os grandes investimentos dos hospitais privados, o número de leitos ainda é insuficiente. Segundo dados da Associação Nacinal de Hospitais Privados (ANAPH), houve um aumento de leitos de 38,4% (7,6 mil) nos últimos três anos , mas o número de pacientes também cresceu para 50% (2,1milhões).

Por essas e outras razões, não causa surpresa que o Brasil ocupe a 84.ª posição na lista ONU (publicada em novembro de 2011) com a classificação do IDH de seus membros. Entre os países latino-americanos, com a Argentina em primeiro e o Uruguai em segundo lugares, o Brasil está em 14.º, atrás das ilhas caribenhas Antígua e Barbuda, Trinidad e Tobago, Dominica e Santa Lúcia e ainda terá de percorrer um longo caminho e melhorar questões básicas de infraestrutura para vencer a maratona da saúde e da dignidade.

Fonte SaudeWeb

Medicina personalizada transformará a saúde

Conforme os provedores de saúde incorporam análises mais profundas e suporte à decisão clínica dentro da prática diária, a medicina padronizada é transformada em personalizada

Apesar de a medicina acadêmica levar os hospitais e clínica a aderirem às guias clínicas com base nas evidências, que alguns chamam de medicina padronizada, alguns médicos na frente de trabalho reclamam que no que concerne ao cuidado do paciente, uma única regra não é válida.

E por uma boa razão. Quando trabalha-se dia após dia com pacientes, rapidamente percebe-se que apesar de os resultados em larga escola e os testes clínicos se aplicarem para a maioria da população, eles não se aplicam a todos e é isso o que torna a medicina personalizada tão excitante.

O objetivo da medicina personalizada é usar a genética, estilo de vida, idade, gênero e ambiente do paciente para fornecer um tratamento adequado. E a tecnologia da informação tem um papel importante para transformar esse objetivo em realidade.

Uma notícia recente do New York Times, comprova essa teoria. Ela conta a história do Dr. Lukas Wartman, um pesquisador de câncer da Universidade de Washington que contraiu a própria doença que estudava: leucemia linfoblástica aguda de adulto. Após ficar sem opções de tratamento, ele e seus colegas decidiram realizar a sequência de seu genoma para ver se conseguiam destacar uma mutação que estivesse ajudando a doença.

Com a ajuda de 26 máquinas de sequenciamento e o supercomputador da universidade, conseguiram de fato localizar uma mutação que contribuía para a doença com a superprodução de uma proteína específica. Assim que perceberam o defeito, conseguiram administrar drogas. O remédio, que geralmente não é usado para pacientes com esse tipo de câncer, levou Wartman à remissão do câncer.

Esse fato destaca a promessa da análise genética melhorada pela TI, que possui a habilidade de descobrir o inesperado e levar os médicos em direções que tratamentos oficialmente sancionados e evidências com base em pesquisas não teriam abordado. O objetivo dessa abordagem é projetar um regime terapêutico preventivo tão singular quando nossa impressão digital.

Apesar de histórias de sucesso com a do Dr. Wartman ainda serem raras, logo se tornarão costumeiras. Há alguns meses, a IBM anunciou que o centro de pesquisa e tratamento de câncer na Itália, o Fondazione IRCCS Istituto Nazionale dei Tumori, está testando o Clinical Genomics, a ferramenta de suporte à decisão clínica da empresa. Essas ferramentas são projetadas para ajudar os médicos a personalizarem tratamentos com base em interpretação automática de guias de patologias e inteligência de casos semelhantes documentados pelo hospital.

As mesmas ferramentas ajudam os pesquisadores da AIDS na Europa a analisarem dados clínicos e do genoma para tomar melhores decisões acerca do coquetel de medicações para tratamento do HIV, afirmou Chalapathy Neti, diretor de transformação de saúde global da IBM Research.

Da mesma forma, a Dell está convencida que a TI de saúde terá um papel importante no futuro da medicina e está investindo em infraestrutura para dar suporte ao uso de registros eletrônicos de saúde em pesquisa de gênoma. A empresa doou recentemente US$ 4 milhões em capacidade de servidores e serviços para apoiar o projeto que tem como objetivo medicina personalizada no tratamento de câncer pediátrico. O projeto de teste clínica inicialmente se foca em neuroblastoma, um câncer raro e mortal que atinge uma em cada 100.000 crianças menores que 5 anos por ano e é responsável pela morte de uma em cada 7 mortes por câncer pediátrico.

Quando veremos os frutos dessa tecnologia futurista? Para pacientes como Lukas Wartman, a resposta é agora. Mas ele trabalha em uma instalação de pesquisa com fácil acesso aos sequenciadores de gene, supercomputadores e softwares de análise. Acredito que o resto de nós não terá esse tipo de medicina personalizada ainda por muitos anos, mas a espera valerá a pena.

Fonte SaudeWeb

Fase pré-analítica é responsável pela maioria dos erros laboratoriais

Etapa entre a solicitação do clínico e a realização do exame no laboratório, incluindo outros itens, é a que contribui pela maior proporção de erro, variando entre 54,5% e 88,9% do total de incidentes

Identificar os estudos sobre erros laboratoriais relacionados à segurança do paciente e discutir sua possibilidade de aplicação no Brasil foram os objetivos da dissertação de mestrado em Saúde Pública pela ENSP Erros laboratoriais e segurança do paciente, defendida pelo médico Wilson Shcolnik. O estudo se baseia na análise de nove artigos que descrevem eventos adversos decorrentes de erros laboratoriais nos Estados Unidos, na Itália e no Reino Unido e confirma que a fase pré-analítica – etapa entre a solicitação do clínico e a realização do exame no laboratório, incluindo, entre outros itens, cadastramento, orientação sobre coleta, recolhimento do material do paciente e transporte ao laboratório – é a responsável pela maior proporção de erro, variando entre 54,5% e 88,9% do total de incidentes.

O estudo partiu de uma revisão sistemática relacionada à segurança do paciente e seus efeitos, sendo categorizado pelos métodos empregados e pela frequência dos incidentes. As fontes bibliográficas utilizadas nas buscas eletrônicas foram Medline, por meio da interface do PubMed, Cochrane, Lilacs, ScieELO, Scopus, Web of Science e o banco de dados de teses e dissertações da Coordenadoria de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). Os incidentes descritos nos estudos foram classificados quanto à fase do processo laboratorial envolvida; ao caráter cognitivo; à evitabilidade; e ao impacto na segurança do paciente. O trabalho teve a orientação do pesquisador do Departamento de Administração e Planejamento da ENSP Walter Mendes.

As proporções de eventos adversos relatados e os impactos clínicos descritos nos estudos variaram, levando a consequências descritas como: nenhuma influência na assistência; danos decorrentes da flebotomia (procedimento de coleta de sangue); recoleta de amostras; repetições de exames; atrasos na liberação de resultados de exames; influência no diagnóstico e/ou no tratamento; tratamentos impróprios e/ou desnecessários; realização de investigação adicional desnecessária; internação em unidade de terapia intensiva; e óbitos. Os resultados mostram que grande parte dos incidentes laboratoriais que causaram danos aos pacientes poderia ter sido evitada.

O trabalho revela também que a ocorrência de erros laboratoriais pode estar relacionada, entre outros fatores, à pressão econômica, que ocasiona redução de equipes, aumento do fluxo de trabalho, exigência de produtividade, e à centralização da realização de exames, o que dificulta o controle sobre a fase pré-analítica do processo laboratorial.

Shcolnik conclui que os estudos analisados evidenciam eventos adversos relacionados a erros laboratoriais e fornecem uma gama de métodos que poderiam ser utilizados na realidade brasileira e que permitiriam conhecer melhor e monitorar danos causados aos pacientes pelos erros cometidos nos laboratórios clínicos. Além disso, o autor sugere a adoção de notificação voluntária para a identificação de eventos adversos e a aplicação de estudos retrospectivos de relatórios de incidentes, que, analisados juntamente com médicos e outros profissionais da equipe de saúde, podem ser úteis para a avaliação dos danos reais e potenciais aos pacientes originados dos erros laboratoriais.

Fonte SaudeWeb

Logistica é o segundo maior custo do hospital

Por Mayuli Lurbe Fonseca

Mesmo que seja um gasto oneroso esta área também representa metade do faturamento de uma instituição, uma vez que materiais e medicamentos utilizados pelo paciente representam 50% do que se cobra pela prestação dos serviços

Administrar estoques de medicamentos e insumos sem desperdício ou perdas é desafio diário das instituições hospitalares. Se de norte a sul do país a falta de medicamentos em instituições públicas é queixa constante dos pacientes do SUS, o problema também afeta hospitais privados.

Hoje, cerca de metade do faturamento está diretamente relacionada com a logística, uma vez que materiais e medicamentos utilizados pelo paciente representam 50% do que se cobra pela prestação dos serviços hospitalares.

Além de sua representatividade no faturamento, a área de logística é, na verdade, a responsável pelo segundo maior custo do hospital. Mas em pleno século XXI, em uma sociedade cada vez mais informatizada, a maioria das instituições de saúde ainda considera a gestão logística como área de apoio, e consequentemente com baixa necessidade de sofisticação.

Diversos setores da economia já descobriram as vantagens de controlar bem seus estoques, rastrear mercadorias e acompanhar processos em tempo real. Era de se esperar que os gestores hospitalares também dessem prioridade à gestão de sua cadeia de abastecimento. A realidade, no entanto, apresenta outro cenário: inexistem investimentos em tecnologia especifica e automação. Faltam equipes qualificadas e ainda persiste a falsa ideia de que, em áreas de armazenagem, é necessário manter apenas pessoal capaz de ‘carregar caixas’. Por sua vez, as áreas alocadas para a gestão dos insumos são usualmente inadequadas em espaço e localização, improvisadas em vãos de subsolo ou ao lado do necrotério.

Para compensar a falta de investimento em processos e tecnologia, as instituições de saúde, tanto públicas quanto privadas, acabam por utilizar um número de funcionários acima do que seria necessário para executar o serviço com alguma eficiência. E, ainda assim, não conseguem evitar perdas na cadeia de abastecimento que acabam comprometendo a prestação de serviço, impactando no aumento de custos e na redução de receita.

Nesse cenário todos perdem. Perde o profissional de saúde, ao não conseguir administrar um medicamento ou realizar um procedimento em tempo hábil por falta de suprimentos. Perdem as instituições hospitalares que aumentam custos, sacrificam receita. E, principalmente, perdem os pacientes que podem ter sua saúde comprometida.

Compartilhar soluções e trabalhar em parceria têm sido os caminhos empresariais mais bem sucedidos, com avanços significativos a partir dos estudos e pesquisas nos últimos quinze anos sobre logística, rastreabilidade e cadeia de suprimentos. Dada a diversidade cada vez maior de produtos e apresentações, a logística hospitalar implica em soluções mais complexas e especializadas. Acompanhar as inovações quase diárias do setor exige esforço pessoal e participação em seminários, bem como agilidade e planejamento institucionais.

Não bastam boa vontade e força física para que uma equipe própria acompanhe os avanços da logística e suas necessidades de capacitação para ganhar eficiência em um setor tecnologicamente sofisticado e competitivo. E que demanda também agilidade na substituição de equipamentos e programas.

É preciso vencer resistências dos que insistem na gestão exclusiva ‘da casa”. Tempo é dinheiro. E a saúde não pode esperar.

Fonte SaudeWeb

Hospital de Câncer de Barretos faz parceria com Qiagen contra HPV

O objetivo é proporcionar o atendimento às mulheres que vivem em áreas precárias e de escasso cuidado médico

A QIAGEN e o Hospital de Câncer de Barretos uniram forças para combater o HPV e seus efeitos. O projeto é apoiado pela QIAGEN Foundation e envolve uma unidade móvel que percorre Estados como: Goiás, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Rondônia e Pará. O objetivo é proporcionar o atendimento às mulheres que vivem em áreas precárias e de escasso cuidado médico.

Agregado ao atendimento itinerante, no próprio Hospital de Barretos, são também atendidas mulheres de todo o Brasil, que vem das mais diversas regiões e podem ser beneficiadas pela tecnologia do teste molecular da QIAGEN, o careHPV. Ao todo o projeto tem o intuito de beneficiar cerca de cinco mil mulheres, sendo três mil na unidade móvel, que circulará por cinco estados, e duas mil no ambulatório de prevenção do Hospital de Câncer de Barretos.

De acordo com o vice-presidente da QIAGEN América Latina este teste é uma ferramenta para enfrentar os desafios da prevenção de câncer para muitas mulheres de países em desenvolvimento, particularmente aquelas que vivem em áreas onde os cuidados médicos são raros e de difícil acesso.

O teste Papanicolau ou citologia, o mais utilizado no País, é um teste visual, ou seja, o diagnóstico é dado pela interpretação visual do técnico ou médico patologista na leitura da lâmina. Um dos problemas desse diagnóstico é que ele identifica o risco quando a lesão já está instalada e ainda há um alto índice de probabilidade de erro. Já o teste molecular por captura híbrida, o careHPV, da QIAGEN, possibilita detectar o risco que o paciente tem de desenvolver a lesão por HPV antes mesmo que ela se instale na mulher, permitindo um diagnóstico e um tratamento precoce.

É importante lembrar que, após os 30 anos, as mulheres devem fazer o teste por captura híbrida, considerado padrão ouro no diagnóstico de HPV. Mundialmente, segundo dados da Organização Mundial de Saúde, OMS, em cerca de 530.000 mulheres diagnosticadas com câncer de útero, a cada ano em todo o mundo, 275.000 morrem da doença.

Fonte SaudeWeb

Os paradigmas do acesso aos serviços de saúde

Por Cesar Luiz Abicalaffe

Em post, blogueiro explique que os gestores devem repensar o modelo de atenção e analisar criticamente os critérios impostos

O conceito de valor em saúde é relativamente simples de entender, mas é um grande desafio para colocá-lo em prática. Valor é uma fórmula que divide o benefício pelo esforço, ou seja, quanto maior o benefício e/ou menor o esforço, maior é a percepção de valor pelo cliente. Na área de saúde, o benefício é traduzido em qualidade de vida relacionada à saúde (QVRS) e satisfação que reflete a experiência do paciente com o cuidado que lhe é prestado. Já o esforço tem a ver com as questões de preço e acesso.

De todos estes fatores, considero o acesso como um dos principais fatores de percepção de valor pelo cliente, pois ele pode ser influenciado diretamente pelo gestor da saúde. Atrevo-me a afirmar que quanto pior for o acesso do paciente aos serviços realmente necessários, mais incompetente é o gestor de saúde.

Quanto se fala em acesso aos serviços de saúde, devemos considerar dois aspectos importantes: estrutural e geográfico. O aspecto estrutural abrange questões de dimensionamento de rede, uso de “portas de entrada”, o processo de regulação, etc. Por outro lado, o aspecto geográfico refere-se à localização da rede comparada com a distribuição das vidas assistidas, o tempo total de espera para o atendimento, dentre outros.

Alguns paradigmas com relação ao acesso devem ser primeiramente entendidos para serem quebrados. Ainda existem gestores que utilizam de estratégias que dificultam o acesso para buscar a redução da utilização. Outros insistem em divulgar que redes amplas de atendimento é o melhor produto a ser vendido ao mercado.

O primeiro paradigma traduz a visão míope de muitos gestores, pois dificultar o acesso através de rotinas burocráticas para autorização de senhas e redes restritas não organizadas acaba por aumentar a utilização e os custos do sistema. Uma das comprovações disso está no aumento contínuo da sinistralidade que temos observado. Obviamente estes não são os únicos fatores, mas com certeza, estão dentro das causas explicáveis. A prova contrária é demonstrada no modelo da Kaiser Permanente nos EUA. O modelo “one stop shop” tem se mostrado altamente eficiente e eficaz, a ponto desta operadora estar entre as melhores daquele país em termos de custo e qualidade. Lá não tem fila de espera nos prontos-atendimentos e prontos-socorros e praticamente a totalidade dos problemas dos clientes (desde o acesso a consultas, exames, medicamentos e autorizações) são resolvidos em um de seus 35 centros médicos próprios onde 90% dos médicos são assalariados e tem dedicação exclusiva.

O segundo paradigma trazido aqui para pensarmos, parte do princípio de que redes amplas têm maior qualidade e são mais desejáveis pelos clientes. Algo bastante questionável. Temos dois casos práticos em duas operadoras de planos de saúde onde implantamos um conceito diferente de rede restrita que batizamos de RHIAS© (Rede Hierarquizada e Integrada de Atenção à Saúde). Nestes dois casos, além dos custos de atendimento ser 35% menor que a rede aberta, a percepção de qualidade dos clientes foi tamanha a ponto destes centros atenderem hoje a mais de 40% de clientes que tem contrato para utilizar redes abertas. Ou seja, por que os pacientes que tem direito de livre escolha na rede, fizeram opção em utilizar as redes restritas organizadas? A resposta é simples: melhor acesso. Nestes Centros Médicos o acesso é facilitado e grande parte dos problemas é resolvida sem precisar enfrentar as burocracias tradicionais, além disso, a informação centralizada e integrada permite uma gestão epidemiológica mais eficiente e efetiva a ponto de reduzir todos os indicadores de desfecho clínico e os respectivos custos.

Enfim, melhorando o acesso você pode reduzir os custos, aumentar o seu nível de informação e controle, reter e aumentar os clientes através da melhoria da percepção de valor. Algo que parece um paradoxo: dando mais serviço com qualidade, a utilização e os custos com a saúde diminuem.

O modelo de remuneração é um dos componentes fundamentais do RHIAS©, pois as equipes de saúde devem ser muito bem remuneradas e ter seu desempenho avaliado continuamente com remunerações híbridas onde se associa o valor por hora, a produtividade e o pagamento por performance.

O acesso é uma das dimensões da qualidade a serem medidas num processo formal de avaliação de desempenho. No modelo GPS que defendemos, o acesso é uma dimensão transversal que deve ser avaliada. Isso está alinhado com a RN 275 publicada no ano passado pela ANS a qual institui o Programa de Monitoramento da Qualidade dos Prestadores de Serviços na Saúde Suplementar (QUALISS), onde considera a dimensão do acesso como um dos domínios a serem avaliados.

Os indicadores de acesso, propostos pelo Comitê Gestor do QUALISS, que serão avaliados para monitorar os hospitais neste primeiro momento são os seguintes: acolhimento com classificação de risco no PA/PS e o tempo de espera os pacientes na urgência. Estes indicadores ainda são tímidos para avaliar o acesso em termos mais abrangentes, mas já é um começo e, com certeza, influenciará o mercado.

O problema relativo ao acesso é tão grande na saúde suplementar (sem entrar em detalhes do terror que é no SUS), que recentemente a ANS precisou intervir e publicou uma normativa que obriga as Operadoras de Planos de Saúde a atender seus beneficiários num tempo máximo para determinadas especialidades.

O mercado hospitalar tem reagido muito bem aos problemas de acesso na saúde suplementar, aproveitando esta enorme oportunidade. Atualmente os hospitais estão investindo mais em serviços de pronto atendimento e consultórios do que nas unidades de internação. Ou seja, os hospitais estão assumindo a atenção de primeiro nível!

Enfim, precisamos repensar nosso modelo de atenção e analisar criticamente os paradigmas que nos são impostos. A questão do acesso aos serviços de saúde é um ponto que merece uma análise muito cuidadosa, pois, de todos os fatores que agregam valor, este é o que tem maior condição de atuação.

Fonte SaudeWeb

Sírio-Libanês lança pós-graduação em Reprodução Assistida

Especialização oferece base teórica, imersão científica e amplo treinamento prático. Profissionais serão aptos para realização de procedimentos em reprodução assistida de baixa a alta complexidade

No ano em que o mundo comemora o nascimento de 5 milhões de bebês de proveta, o Instituto Sírio-Libanês de Ensino e Pesquisa (IEP) lança o curso de Pós-graduação Lato Sensu em Reprodução Assistida, com carga horária de 365 horas, dividida em cinco módulos. Com ênfase no treinamento prático, a especialização proporciona ainda acompanhamento das atividades práticas na clínica, no centro cirúrgico e nos laboratórios de reprodução humana do Hospital Sírio-Libanês (HSL), em São Paulo.

De acordo com Carlos Alberto Petta, ginecologista, coordenador médico do Centro de Reprodução Humana do Hospital Sírio-Libanês e um dos coordenadores do curso, além de passarem por um amplo treinamento em um modelo pélvico, um Pelvic Trainer, os profissionais ainda poderão acompanhar as pacientes durante todo o processo do tratamento de fertilização, desde a indução da ovulação até a transferência dos embriões.

“Isso só é possível porque cada módulo tem duração de seis dias seguidos, o que permite ao profissional interagir melhor no processo”, explica o especialista. Segundo ele, o trabalho no laboratório de reprodução do HSL, um dos mais avançados do País, permitirá que os profissionais entrem em contato com as mais modernas tecnologias disponíveis no mercado. “Eles sairão aptos para realização de diferentes formas de tratamento de fertilidade e de procedimentos de baixa a alta complexidade”, finaliza Petta.

Fonte SaudeWeb

Sírio-Libanês lança pós-graduação em Reprodução Assistida

Especialização oferece base teórica, imersão científica e amplo treinamento prático. Profissionais serão aptos para realização de procedimentos em reprodução assistida de baixa a alta complexidade

No ano em que o mundo comemora o nascimento de 5 milhões de bebês de proveta, o Instituto Sírio-Libanês de Ensino e Pesquisa (IEP) lança o curso de Pós-graduação Lato Sensu em Reprodução Assistida, com carga horária de 365 horas, dividida em cinco módulos. Com ênfase no treinamento prático, a especialização proporciona ainda acompanhamento das atividades práticas na clínica, no centro cirúrgico e nos laboratórios de reprodução humana do Hospital Sírio-Libanês (HSL), em São Paulo.

De acordo com Carlos Alberto Petta, ginecologista, coordenador médico do Centro de Reprodução Humana do Hospital Sírio-Libanês e um dos coordenadores do curso, além de passarem por um amplo treinamento em um modelo pélvico, um Pelvic Trainer, os profissionais ainda poderão acompanhar as pacientes durante todo o processo do tratamento de fertilização, desde a indução da ovulação até a transferência dos embriões.

“Isso só é possível porque cada módulo tem duração de seis dias seguidos, o que permite ao profissional interagir melhor no processo”, explica o especialista. Segundo ele, o trabalho no laboratório de reprodução do HSL, um dos mais avançados do País, permitirá que os profissionais entrem em contato com as mais modernas tecnologias disponíveis no mercado. “Eles sairão aptos para realização de diferentes formas de tratamento de fertilidade e de procedimentos de baixa a alta complexidade”, finaliza Petta.

Fonte SaudeWeb

Vendas da Johnson & Johnson somam US$ 16,4 bilhões no 2º tri

Lucro líquido da empresa caiu 49% no segundo tri, somando US$ 1,408 bilhão. Setor farmacêutico continua com forte impulso e, depois da compra da Synthes, empresa foca em portfólio ortopédico e neurológico

A Johnson & Johnson anunicou lucro líquido de US$ 1,408 bilhão no segundo trimestre deste ano, registrando queda de 49,3% contra igual período de 2011, quando somou US$ 2,776 bilhões.

O lucro por ação foi de US$ 1,30, ante US$ 1,28 na mesma base de comparação. A projeção de ganhos ajustados para este ano está entre US$ 5 e US$ 5,07 por ação.

No segundo trimestre, as vendas da companhia totalizaram US$ 16,47 bilhões, baixa de 0,7% em relação a igual trimestre de 2011, quando atingiu US$ 16,59 bilhões.

Entre os setores, as vendas internacionais do segmento farmacêutico somaram US$ 3,19 bilhões, contra US$ 2,99 bilhões no mesma base de comparação.

“Nossos associados ao redor do mundo estão construindo uma base sólida de crescimento sustentável, por meio de inovações significativas. Nosso setor farmacêutico continua com forte impulso por causa dos lançamentos”, diz Alex Gorsky, chefe executivo da empresa.

Ao longo do segundo trimestre, a companhia anunciou a aquisição da Synthes, do setor de ortopedia, por US$ 19,7 bilhões.

“A conclusão da aquisição da Synthes também é um marco importante no fortalecimento de nossa liderança no mercado de cuidados da saúde, criando um poderoso portfólio de soluções ortopédicas e neurológicas para avançar na saúde do paciente e bem-estar”, completou Gorsky.

Fonte SaudeWeb

Venda de genéricos aumenta 20,95% em 2012

Analisando o desempenho das vendas em unidades de medicamentos genéricos, observa-se que no segundo trimestre deste ano, foi registrado um crescimento de 10,29% em relação ao primeiro trimestre do mesmo ano

Uma análise realizada pelo IMS Health constatou que no primeiro semestre de 2012, em termos de unidade, os genéricos tiveram um aumento de 20,95% em relação o mesmo período do ano anterior. Enquanto s medicamentos em geral tiveram um crescimento de 7,89% comparados ao mesmo período.

Analisando o desempenho das vendas em unidades de medicamentos genéricos, observa-se que no segundo trimestre de 2012, foi registrado um crescimento de 10,29% em relação ao primeiro trimestre do mesmo ano. Já no de junho deste ano apresentou uma elevação de 18,98% em relação a junho de 2011.

Os associados da Abradilan (Associação Brasileira dos Distribuidores de Laboratórios Nacionais), acompanharam esse crescimento e já representam 21% no volume de unidades vendidas de medicamentos genéricos no Brasil.

Diante da atuação neste mercado, distribuíram medicamentos em 82% das cidades do país, estiveram presentes em 77% das 71 mil farmácias e drogarias e realizou a distribuição em 82% na região sudeste, 74% na região Sul, 81% no Nordeste, 84% no Centro-Oeste e 33% no Norte do país.

Para atender a grande demanda, segundo enquete realizada pela entidade, 38,9% estão focados na ampliação do Centro de Distribuição e qualificação da equipe, 33% apostam que a qualificação de equipe é o ponto chave para acompanhar o crescimento, enquanto 16,7% acreditam que a ampliação do Centro de Distribuição é o melhor investimento.

O crescimento do mercado farmacêutico está aliado aos preços baixos oferecidos pelos genéricos e iniciativas do governo, como o Programa Farmácia Popular onde estão inseridos alguns medicamentos.

Fonte SaudeWeb

Prefeitura Municipal de Itamogi - MG

A Prefeitura Municipal de Itamogi, Minas Gerais, realiza concurso para preenchimento de 98 vagas

Inscrições:
De 8 de setembro a 7 de outubro, na Associação Comercial Industrial Agropecuária e de Serviços de Itamogi, na rua Afonso Pena, nº. 117, centro, Itamogi ou pelo www.consesp.com.br.


Valor:
De R$ 45,00 a R$ 80,00

Remuneração:
De R$ 622,00 a R$ 7.195,22

Provas:
Prova escrita: 11 de novembro
Haverá prova prática para Servente e Operador de Máquinas e prova de títulos para Educador, Professor Primário, Professor de Educação Física e Supervisor Pedagógico.
Cargos:
Alfabetizado - Auxiliar de Limpeza, Guarda Noturno, Mecânico Auxiliar, Pedreiro e Servente (Auxiliar de Serviços Gerais);
Fundamental Completo - Agente Comunitário de Saúde, Agente para o Campo de Endemias, Inspetor de Alunos, Motorista e Operador de Máquinas Pesadas;
Ensino Médio - Agente Administrativo, Auxiliar de Enfermagem, Professor de Informática, Secretário Escolar, Técnico em Radiologia, Educador e Professor Primário;
Ensino Superior - Dentista do PSF Bucal, Enfermeiro, Fisioterapeuta, Médico do PSF, Professor de Educação Física e Supervisor Pedagógico

Prefeitura Municipal de Cabrobó - PE

A Prefeitura Municipal de Cabrobó, Pernambuco, realiza concurso para provimento de 484 vagas

Inscrições:
De 11 de junho a 11 de agosto pelo www.asconprev.com.br


Valor:
De R$ 48,00 a R$ 88,00

Remuneração:
De R$ 622,00 a R$ 6.000,00

Provas:
Prova objetiva: 21 de outubro
Haverá prova de títulos para Magistério e prova prática para Carpinteiro, Eletricista, Encanador, Mecânico, Operador de Patrol, Operador de Retroescavadeira, Pedreiro e Soldador.

Cargos:
Ensino Fundamental - Agente Comunitário de Saúde, Agente de Combate às Endemias, Auxiliar de Serviços Gerais (Cozinha e Limpeza), Carpinteiro, Eletricista, Encanador, Mecânico, Motorista, Operador de Patrol, Operador de Máquinas Pesadas Retroescavadeira, Pedreiro, Porteiro, Recepcionista, Soldador e Vigia;
Ensino Médio - Agente de Saúde Bucal, Auxiliar Administrativo, Auxiliar de Veterinária, Educador Social, Fiscal de Tributos, Técnico Agrícola, Técnico em Contabilidade, Técnico em Enfermagem e Técnico em Radiologia;
Ensino Superior - Assistente Social, Auditor Fiscal, Biomédico, Educador Físico, Enfermeiro PSF, Enfermeiro Hospitalar, Engenheiro-Agrônomo, Farmacêutico, Fisioterapeuta, Fonoaudiólogo, Médico Clínico Geral, Médico PSF, Médico-Veterinário, Nutricionista, Odontólogo, Professor Educação Infantil, Professor Ensino Fundamental I, Professor Ensino Fundamental II de Ciências, Geografia, História, Libras, Matemática e Português, Psicólogo e Terapeuta Ocupacional

Prefeitura Municipal de Botucatu – SP

A Prefeitura de Botucatu – SP realiza concurso para provimento de vagas

Inscrições:
De 2 a 20 de julho, pelo www.cetroconcursos.org.b
r

Valor:
De R$ 22,00 a R$ 44,00.

Cargos:
Engenheiro agrimensor, eletricista, ajudante de mecânico, professor de português, professor de educação artística, professor de ciências, atendente de creche, agente de atividades escolares, enfermeiro, atendente de museu, recepcionista, vigia, tratorista, jardineiro, professor de matemática, professor de história, professor de educação física, inspetor de alunos, auxiliar de serviços gerais, agente de saúde pública, monitor em atividades de biblioteca, pintor, mecânico, motorista, professor de inglês, professor de geografia, auxiliar de escritório, bibliotecário, médico (clínico geral, ginecologista e pediatra), eletricista semafórico e auxiliar de cultura.

Provas:
Provas objetivas: 2 de setembro
Prova prática para motorista e tratorista: 20 e/ou 21 de outubro

Museu Paraense Emílio Goeldi - MPEG/PA

O Museu Paraense Emílio Goeldi - MPEG – PA realiza concurso para provimento de vagas.

Inscrições:
De 30 de julho a 24 de agosto, na Avenida Magalhães Barata, nº. 376, São Braz, Belém-PA

Cargos:
Pesquisador Adjunto - Padrão I: Arqueologia Amazônica (1 vaga), Botânica: Fitoquímica (1 vaga), Botânica-Taxonomia de Fanerógamas (2 vagas), Estrutura de Ecossistema e Uso da Terra (1 vaga), Zoologia: Taxonomia de Insetos (1 vaga), Zoologia: Taxonomia de Vertebrados (1 vaga); Tecnologista Pleno 1
Pesquisador Associado - Padrão I: Linguística Indígena (1 vaga).

Remuneração:
De R$ 10.350,68 a R$ 11.690,76

Valor:
R$ 150,00

Provas:
Haverá duas prova escritas, Análise de títulos e Defesa de memorial entre 5 a 30 de novembro

Governo de São Paulo - Hospital Maternidade Interlagos

O Governo de São Paulo realiza concurso para provimento de 20 vagas para o Hospital Maternidade Interlagos (HMI) "Waldemar Seyssel - Arrelia"

Inscrições:
De 2 a 20 de julho pelo www.hminterlagos.co
m.br ou www.saude.sp.gov.br

Valor:
R$ 60,85.

Remuneração:
R$ 2.471,64

Provas:
Prova objetiva: 12 de agosto
Haverá prova de títulos.

Governo de São Paulo - Hospital Geral de Taipas

O Governo de São Paulo realiza concurso para provimento de 10 vagas para o Hospital Geral de Taipas

Inscrições:
De 2 a 31 de julho pelo site www.saude.sp.gov.br


Valor:
R$ 60,85

Cargo:
Médico - Clínica Médica

Remuneração:
R$ 1.862,64

Provas:
Provas objetivas: 19 de agosto
Haverá prova de títulos

Governo de São Paulo - Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto

O Governo de São Paulo realiza concurso para provimento de 1 vaga para o Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto

Inscrições:
Até 25 de julho pelo www.hcrp.usp.br


Valor:
R$ 60,00.

Área:
Médico: Cirurgia de Cabeça e Pescoço

Remuneração:
R$ 3.095,64

Provas:
Prova objetiva: 1º de agosto

Governo de São Paulo - GDAC

O Governo de São Paulo realiza seleção para preenchimento de 4 vagas para o Gerenciamento Ambulatorial da Capital (DGAC)

Inscrições:
De 5 e 19 de julho pelo www.saude.sp.gov.br
  ou na rua Leopoldo Miguez, nº. 327, 2º Andar, Setor Azul, Cambuci, São Paulo - SP

Valor:
R$ 60,85

Área:
Acupuntura.

Remuneração:
R$ 1.862,64

Provas:
Prova objetiva: 19 de agosto
Haverá análise de títulos.

Governo de São Paulo - Centro de Referência de Treinamento (CRT) - DST/AIDS (II)

O Governo de São Paulo realiza concurso para provimento de 10 vagas para o Centro de Referência de Treinamento (CRT) - DST/AIDS

Inscrições:
Até 17 de agosto pelo www.saude.sp.gov.
br ou na rua Santa Cruz, nº. 81, 1º andar, Gerência de Recursos Humanos, Vila Mariana, São Paulo – SP

Valor:
R$ 60,85.

Cargos:
Médicos Infectologistas.

Remuneração:
R$ 1.862,64

Provas:
Provas objetivas: 16 de setembro

Governo de São Paulo - Saúde

O Governo de São Paulo realiza concurso para provimento de 8 vagas para o Hospital Geral "Dr. José Pangella" de Vila Penteado.

Inscrições:
De 2 a 31 de julho, na Seção de Recrutamento e Seleção, do Serviço de Recursos Humanos, Avenida Ministro Petrônio Portela, nº. 1.642, Freguesia do Ó, São Paulo-SP. A documentação está disponível pelo www.crh.saude.sp.gov.b
r

Valor:
R$ 60,85

Área:
Médico: Pediatria

Remuneração:
R$ 1.862,64

Provas:
Provas objetivas: 19 de agosto

Conselho Regional de Enfermagem do Amapá - COREN/AP

O Conselho Regional de Enfermagem do Amapá (COREN/AP) realiza concurso para provimento de 3 vagas e cadastro de reservas para Enfermeiro Fiscal e Contador.

Inscrições:
De 5 de julho a 10 de agosto pelo www.intelectus-ap.com.br


Valor:
R$ 150,00.

Remuneração:
De R$ 2.200,00 a R$ 3.500,00

Provas:
Provas objetivas: 9 de setembro

Hospital Regional de Ferraz de Vasconcelos - SP abre vagas

O Hospital Regional de Ferraz de Vasconcelos, no Estado de São Paulo, publicou edital de processo seletivo simplificado para celebração por tempo determinado de 2 contratos na classe de Médico (especialidade: Cirurgia Geral).
Os vencimentos iniciais referentes à classe de Médico em jornada básica de trabalho médico-odontológica de 20 horas semanais, correspondem à Referência I, da Estrutura de Vencimentos I, da Escala de Vencimentos Nível Universitário, da Lei Complementar nº. 1157 de 02/12/2011, publicada em 03/12/2011.
As inscrições serão realizadas no período de 17 a 24 de julho de 2012, das 10h as 17h, no Serviço de Recursos Humanos do respectivo Hospital, sito à Rua Prudente de Moraes, nº. 257, Vila Correa, Ferraz de Vasconcelos-SP.
O processo seletivo constará de Análise Curricular de caráter eliminatório.
O candidato deverá acompanhar pelo Diário Oficial do Estado as publicações dos editais referentes às fases do Processo Seletivo.
O prazo de validade improrrogável do processo seletivo será de 1 ano a partir da data de publicação da Classificação Final, ou antes, de findo este prazo, em razão de homologação de Concurso Público.

Prefeitura de Divinópolis (MG) oferece vagas na área da saúde

A Prefeitura de Divinópolis, Estado de Minas Gerais, está realizando processo seletivo visando o preenchimento de 10 vagas distribuídas entre os cargos de Médico (Generalista) e Enfermeiro. Os admitidos cumprirão carga horária de 20 e 40 horas semanais, e serão remunerados com até R$ 6.785,84, mais 20% insalubridade sobre o salário mínimo.
Os interessados deverão enviar os currículos à Secretaria Municipal de Saúde, em atenção aos Recursos Humanos, localizada à Rua Minas Gerais, 900, Centro, Divinópolis/MG - CEP: 35500-007, até o dia 18 de julho de 2012.
A avaliação final será feita através de análise do Curriculum Vitae, pelo setor de recursos humanos da Secretaria Municipal de Saúde Pública e a classificação e desempate ocorrerão com base nos seguintes critérios:
Especialidade em neurologia e ortopedia para o cargo de fisioterapeuta;
Residência no Município de Divinópolis;
Maior tempo de experiência profissional na área;
Mais jovem.

CEFET - MG abre processo seletivo

Foi divulgado através do Diário Oficial da União sete editais de processo seletivo do Centro Federal de Educação Tecnológica das Minas Gerais o CEFET - MG. O objetivo é prover a contratação de professores temporários para as respectivas unidades da entidade. Ao todo serão providas 20 vagas para as seguintes funções e atuações:
Química, Técnico em Química, Coordenação de Engenharia de Computação, Departamento de Engenharia Elétrica, Departamento de Engenharia Civil, Departamento de Ciência Sociais e Filosofia, Departamento de Ciências Sociais Aplicadas, Departamento de Física e Matemática, Química.
As unidades em que os candidatos deverão atuar são as seguintes:
Campus Timóteo, campus IV - Araxá, Campus II Belo Horizonte, Campus Curvelo.
Inscrições:
Os interessados deverão fazer suas inscrições através do site www.cefetmg.br, até às 21h do dia 29 de julho de 2012, horário de Brasília. As inscrições serão prorrogadas, por dez dias, se não houver candidatos inscritos.
Provas:
A previsão é de que todos sejam avaliados por meio de análise curricular, entrevista e prova didática. Deverão ser entregues no dia da entrevista o Curriculum Vitae Lattes comprovado e a cópia do RG. O resultado final será homologado pelo Diretor Geral e publicado no Diário Oficial da União e divulgado no sítio do CEFET-MG e na respectiva Unidade.
O certame terá validade de 12 meses, a contar da data da homologação do resultado final.

Concurso Hospital das Clínicas – SP

Através do edital nº 87/2012 o Hospital das Clínicas de São Paulo lançou concurso público para provimento de 01 médico que deverá atuar na Seção de Provas de Função Pulmonar do Serviço de Hemodinâmica das Unidades Médicas e de Apoio do Instituto do Coração.
A remuneração inicial para esta atividade em jornada de trabalho de 20 horas semanais será de R$ 1.862,64 mensais. Entre os benefícios destacam-se auxílio alimentação e vale transporte correspondente ao deslocamento residência-trabalho e vice versa.
Inscrições:
Para se inscrever o interessado deverá obter a ficha de inscrição no endereço eletrônico www.hcnet.usp.br até o dia 31 de julho de 2012. A taxa de inscrição custa R$ 60,85.
Provas:
As provas e a avaliação dos títulos serão realizadas por Banca Examinadora constituída por três membros, sendo que a Presidência da Banca Examinadora cabe ao que tiver maior titulação universitária. O candidato deverá atualizar-se sempre através do Diário Oficial do Estado ou pela Internet nos sites: www.imesp.com.br ou www.hcnet.usp.br sobre as publicações de todas as etapas referentes ao concurso, inclusive das datas das provas, locais e horários.
Validade:
A validade deste concurso será de dois anos a contar da data da publicação da homologação.

Prefeitura de Divinópolis (MG) abre processo seletivo 2

Em Minas Gerais, a Prefeitura de Divinópolis está promovendo o processo seletivo regido pelos editais n° 044, 045 e 046/2012 – SEMUSA, visando preencher 09 oportunidades para Médicos (supervisor Hospitalar, Psiquiatra Plantonista, Clínico Geral Plantonista, Pediatra Plantonista e Cirurgião Geral Plantonista). O vencimento mensal inicial, para efeito de contratação, será de até R$ 2.452,55 mais 20% de insalubridade sobre o salário mínimo e 70% de gratificação.
Inscrições
Os interessados deverão enviar a Secretaria Municipal de Saúde, em atenção aos Recursos Humanos, localizada à Rua Minas Gerais, 900, Centro, Divinópolis/MG – CEP: 35500-007, até o dia 23 de julho de 2012, às 17h.
Avaliação e classificação dos candidatos

A avaliação final será feita através do Curriculum Vitae, pelo Setor de Recursos Humanos da Secretaria Municipal de Saúde Pública. A classificação e o desempate ocorrerão, impreterivelmente, com base nos seguintes critérios:

-Residência no Município de Divinópolis;
-Maior tempo de experiência profissional na área;
-Mais jovem.

Prefeitura de Divinópolis (MG) lança edital de processo seletivo

A Prefeitura de Divinópolis, Estado de Minas Gerais, lançou edital Nº. 047/2012 de processo seletivo. A seleção destina-se ao preenchimento de 05 vagas de nível superior para o cargo de Médico nas seguintes funções: Angiologista, Cirurgião Plástico, Oftalmologista, Ortopedista e Proctologista. Com salário podendo chegar a R$ 2.043,71 mais 20% insalubridade sobre o salário mínimo, para jornada de trabalho de 20 horas semanais.
Inscrições
Os interessados deverão enviar a Secretaria Municipal de Saúde, em atenção aos Recursos Humanos, localizada à Rua Minas Gerais, 900, Centro, Divinópolis/MG – CEP: 35500-007, até o dia 25 de julho de 2012, às 17h.
Prova

A avaliação final será feita através do Curriculum Vitae, pelo Setor de Recursos Humanos da Secretaria Municipal de Saúde Pública. A classificação e o desempate ocorrerão, impreterivelmente, com base nos seguintes critérios:

-Residência no Município de Divinópolis;
-Maior tempo de experiência profissional na área;
-Mais jovem.

Concurso HC Ribeirão Preto - SP

Conhecido como um dos maiores centros de saúde do Estado de São Paulo, o Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto, está com 01 vaga aberta para preenchimento de cargo vago de médico em seu quadro de servidores. O edital lançado e divulgado no Diário Oficial do Estado de São Paulo destina-se a contratação de médico Especializado em Patologia.
O total do vencimento para o cargo de médico especialista em patologia será de R$ R$ 3.226,02. A jornada de trabalho será de 20 horas semanais.
Inscrições:
As inscrições poderão ser realizadas até o dia 24 de agosto de 2012 através do endereço eletrônico: www.hcrp.usp.br. A taxa de inscrição será de R$ 60,00.
Provas:
Os candidatos serão submetidos a provas teóricas, práticas e avaliação de currículo. A prova teórico-prática será realizada na provável data de 30 de agosto de 2012, às 9:00 horas, na Sala de Aula do Serviço de Patologia do Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto, Campus Universitário, Monte Alegre, Ribeirão Preto-SP.
Validade:
A validade deste concurso público será de dois anos, a contar da data de sua homologação. Podendo, a exclusivo critério da Administração do Hospital, ser prorrogado por igual período.

SOBRE O HOSPITAL DAS CLÍNICAS DE RIBEIRÃO PRETO:
O Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto, São Paulo, inicia seus trabalhos em 1956 regidos pela Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto e tem como marco inicial de suas atividades o dia 30 de julho. A primeira cirurgia, segundo informações do site oficial, ocorreu naquele mesmo ano em 06 de agosto.
Em 2005 a entidade deu um grande avanço quando pela primeira vez a equipe do Professor Júlio Voltarelli conseguiu realizar o transplante de células tronco no Brasil especificamente para o tratamento de Esclerose Lateral Amiotrófica.

Concurso CRMV - AM

O Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado do Amazonas lançou edital de concurso público para preenchimento de vagas e cadastro de reserva em seu Quadro de servidores. Ao todo serão 04 oportunidades efetivas, além de 04 vagas para formação de cadastro de reserva. O salário é de até R$ 1.320,00, com carga horária de 40h semanais.

Cargos:
Fiscal e Assistente Administrativo.
Ambos os cargos exigem ensino médio completo.
Inscrições e Taxa:
Os interessados deverão fazer suas inscrições presencialmente no Conjunto Jardim Yolanda Rua B, quadra 03 casa 01 - Parque Dez. O valor da taxa de inscrição é de R$ 40,00. O prazo para se inscrever é até o dia 09 de agosto de 2012.
Provas:
Os candidatos serão submetidos a provas objetivas que ocorrerão no dia 16 de setembro de 2012 na cidade de Manaus, Amazonas. A confirmação da data e as informações sobre horários e locais de prova serão divulgadas oportunamente no mural do Conselho Regional de Medicina Veterinária do Amazonas e constará na Confirmação de Inscrição que será encaminhada aos candidatos via Correios.
O concurso público terá validade de dois anos, prorrogável por igual período, a contar da data de homologação do certame.

Concurso Prefeitura de Manga (MG)

O município de Manga, Estado de Minas Gerais, localizado a 709 km de Belo Horizonte, lançou concurso público com o objetivo de preencher vagas mais cadastro reserva. São reservadas 5% das vagas a pessoas portadoras de deficiências. São oferecidas 59 cargos diferentes com remuneração que varia entre R$ 622,00 e R$ 2.500,00. Confira o edital.
Cargos: Auxiliar de Serviços Gerais, Motorista, Operador de Limpeza, Operador de Máquina Pesada, Vigia, Eletricista, Auxiliar de Biblioteca, Auxiliar de Secretaria Escolar, Atendente de Farmácia, Fiscal de Tributos Municipais, Fiscal Sanitário, Monitor Escolar, Professor, Desenhista Técnico, Técnico em Contabilidade, Administrador de Empresas, Assistente Social, Fisioterapeuta, Engenheiro Civil, Pedagogo e Psicólogo.
As inscrições serão realizadas no período entre 8 horas de 17 de setembro de 2012 e 18 horas de 16 de outubro de 2012, no site www.cotec.unimontes.br.
A taxa de inscrição varia entre R$ 50,00 e R$ 120,00.
A prova de múltipla escolha será aplicada em Manga-MG, na data provável de 18 de novembro de 2012, das 9h às 12h, em local a ser divulgado na internet, no site www.cotec.unimontes.br, a partir do dia 12 de novembro de 2012.
O gabarito oficial será divulgado no site www.cotec.unimontes.br, na sede da Prefeitura Municipal de Manga, em até 12 horas após o encerramento da prova.
O prazo de validade do concurso público é de 2 anos, a contar da data de sua homologação, podendo ser prorrogado uma vez, por igual período.

Edital / Publicações

Londres 2012: 'Robôs-médicos' irão auxiliar o tratamento de atletas brasileiros

Tecnologia de telemedicina criada pelo Exército dos EUA será usada para consultar especialistas durante os Jogos.

Pela primeira vez, o Comitê Olímpico Brasileiro (COB) utilizará "robôs-médicos" no tratamento de atletas lesionados durante os Jogos de Londres, com a ajuda de especialistas brasileiros e americanos.

Os robôs foram criados pelo Exército dos Estados Unidos para o atendimento de soldados e utilizados na guerra do Iraque, segundo José Padilha, o médico-chefe do Comitê Olímpico Brasileiro.

A equipe de atendimento dos atletas utilizará 10 smartphones e tablets, além de uma tela portátil que se comunica com o Centro de Treinamento Crystal Palace, no sul de Londres, e dois robôs que possibilitam o atendimento à distância dos atletas, consultando especialistas do Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia, da Associação Brasileira Beneficente de Reabilitação e Hospital Samaritano, no Rio de Janeiro e do Ryder Trauma Center, em Miami.

"Os robôs serão usados somente em casos especiais quando os atletas estiverem no hospital King's College, como assistir a cirurgias, examinar fraturas mais complexas e tomografias", disse Antonio Marttos Jr., o cirurgião da Universidade de Miami que cuidará da telemedicina no Time Brasil.

A tecnologia já foi utilizada no diagnóstico da ginasta Laís Souza, que teve que deixar a delegação brasileira na semana passada após uma fratura de mão.

Os atletas e oficiais das confederações e do COB estão se reunindo no Centro de Treinamento Crystal Palace, que servira como uma espécie de base da delegação brasileira antes e durante os Jogos.

Parte deles deverá se mudar mais tarde para a Vila Olímpica, no Parque Olímpico em Stratford, no leste da capital britânica.

Comparação com adversários
Outro artefato tecnológico que estará à disposição da equipe olímpica brasileira na base de Crystal Palace é o software americano DartFish, que já havia sido utilizado nos Jogos de Sydney em 2000.

Ele reunirá imagens dos 41 canais oficiais de transmissão dos Jogos e filmagens feitas pela equipe de cada confederação para que seja possível analisar a performance dos principais adversários.

O supervisor científico do COB, Luís Viveiros de Castro, disse à BBC Brasil que a equipe de sete especialistas deve virar noites para entregar as análises a tempo de serem usadas na preparação dos atletas.

"O Dart Fish pode comparar o atleta e seu adversário e o próprio atleta em dois momentos diferentes de sua performance, analisar ângulos, velocidade e distâncias a depender da necessidade de cada um deles. Mas ele não faz tudo sozinho, teremos muito trabalho manual", explica.

Os dados serão colocados na rede interna do COB para serem acessados também pelos técnicos na Vila Olímpica e em hotéis que hospedarão atletas do Brasil.

O superintendente executivo do Comitê, Marcus Vinícius Freire, vê a atuação da equipe de ciência do esporte como um trabalho complementar ao das confederações esportivas.

"Estamos trazendo pra cá nove ciências do esporte, mas nós não vamos inventar, nem começar nenhum trabalho aqui. Nem psicologia, nem fisioterapia, nem cinemática, nem bioquímica. Só vamos afinar e dar o 'sprint' final a quem já vinha fazendo este trabalho."

Exclusividade
O Centro de Treinamento Crystal Palace, que começou a receber os atletas na segunda-feira, tem 120 mil metros quadrados para uso exclusivo do Brasil, resultado de um investimento de valor ainda não divulgado pelo COB.

"Falaremos sobre isso em uma coletiva no fim da Olimpíada", disse o superintendente executivo de esporte, Marcus Vinícius Freire.

O COB, de acordo com ele, quer testar uma estrutura que possa ser aproveitada pelo Time Brasil nas Olimpíadas do Rio, em 2016.

Além de quadras de handebol, piscina, pistas de atletismo e de uma quadra de basquete totalmente reconstruída especialmente para a seleção brasileira, o centro ainda tem um alojamento para mais de 140 pessoas, que deve abrigar as equipes de atletismo, nado sincronizado, levantamento de peso, saltos ornamentais e todos os oficiais do COB.

A academia de ginástica do Centro, no entanto, será dividida com a comunidade local. De acordo com Freire, um acordo entre o Comitê e a administração do Centro permitiu que os moradores locais credenciados continuassem a frequentar a academia.

"É melhor do que na Vila Olímpica, onde teríamos que dividir com 17 mil pessoas", afirmou.

Fonte Estadão

Relatório indica aumento da resistência aos remédios contra HIV

Nos 72 países onde a enquete foi feita, os médicos detectaram que 6,8% dos pacientes criaram resistência às drogas

Às vésperas da Conferência Internacional sobre a Aids, marcada para o próximo dia 22, as autoridades médicas publicaram um relatório nesta terça-feira, 17, que evidencia um aumento do número de pessoas infectadas com o vírus HIV que criaram resistência aos remédios.

"Nos 72 países onde a enquete foi feita, os médicos detectaram que 6,8% dos pacientes criaram resistência aos remédios", afirmou à agência Efe Gottfried Hirnschall, o diretor do Departamento de HIV/Aids da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Atualmente, mais de 6,6 milhões de pessoas nos países subdesenvolvidos recebem tratamento anti-retroviral e, segundo Hirnschall, a meta é atingir 15 milhões de pessoas até 2015.

"Embora esteja aumentando, a resistência aos remédios não ocorreu nos níveis que alguns analistas esperavam como consequência da rápida intensificação do tratamento anti-retroviral", acrescentou o especialista.

"O ritmo de desenvolvimento da resistência está diminuindo com o uso de diferentes remédios", completou.

Nos países mais ricos, como Austrália, Japão, Estados Unidos e os países da Europa, os dados indicam que entre 10% e 17% das pessoas em tratamento estão infectadas com um vírus resistente, pelo menos, a um remédio anti-retroviral.

A diferença das taxas de resistência entre países ricos e os subdesenvolvidos pode ser resultado do emprego inicial de um só remédio nos países industrializados, em contraste com a introdução de múltiplos remédios no resto do mundo.

A OMS também estará presente na 19ª Conferência Internacional sobre a Aids, que começa dia 22 de julho em Washington e espera receber 25 mil pessoas.

Além de revisar os dados sobre a resistência aos remédios entre os infectados pelo HIV entre 2003 e 2010, o relatório assinala que "se a resistência for detectada a tempo, e os pacientes receberem tratamentos variados, as combinações provavelmente serão eficazes para a maioria dos pacientes".

Neste sentido, a OMS enfatizou a importância de um acompanhamento capaz de determinar quando os remédios estão deixando de ser eficazes.

Fonte Estadão