Aplicativos, carreira, concursos, downloads, enfermagem, farmácia hospitalar, farmácia pública, história, humor, legislação, logística, medicina, novos medicamentos, novas tecnologias na área da saúde e muito mais!


sexta-feira, 17 de junho de 2016

Jovem se esquece de tirar absorvente interno por nove dias e fica entre a vida e a morte

Foto: Reprodução
Emily, de 20 anos, teve síndrome do choque tóxico e ficou com intoxicação no sangue

Uma estudante inglesa de 20 anos vinha se queixando há algum tempo de que sua barriga estava inchada, mas não entendia qual poderia ser a razão do problema. Mal sabia ela que estava sofrendo de síndrome do choque tóxico (SCT), e que estava arriscando a própria vida sem querer depois de esquecer de retirar seu absorvente interno por nove dias.

Quando percebeu o que estava acontece, Emily Pankhurst já estava com os sintomas agravados: sofria desmaios, ficou com a fala enrolada, e sua pele apresentava manchas avermelhadas. Sua mãe chamou a ambulância, e a jovem foi levada às pressas ao pronto-socorro.

Na UTI, os médicos explicaram que Emily estava sofrendo uma intoxicação no sangue, como resultado da SCT, uma infecção muito grave causada pelo absorvente interno.

Emily foi medicada com antibióticos e conseguiu sobreviver — no entanto, ela perdeu seus movimentos temporariamente, e ainda não consegue caminhar por longas distâncias.

— Quando finalmente percebi o que estava acontecendo, retirei o absorvente e ele estava completamente preto. Não daria para identificar o que era aquele objeto se não fosse pela cordinha. Foi horrível. Imediatamente joguei na privada, tive vontade de vomitar.

A jovem, que estuda criminologia na universidade de Canterbury, acredita que deve ter se esquecido de retirar o absorvente porque estava emu ma fase de muito estresse com as provas da faculdade. E, além de não remover o tampão que já havia colocado, ela ainda acabou inserindo outro por cima.

Não demorou até que começasse a ter quedas de pressão e ver sua barriga inchando progressivamente, ter febre e se sentir mal.

A mãe de Emily, Diana, chegou até a levá-la ao um médico, que fez exames, mas não conseguiu identificar nenhum problema.

— Eu já estava me sentindo muito doente naquele ponto. Sentia calor, tonturas, era uma sensação muito estranha. Eu estava sangrando mais. Durante um banho, finalmente encontrei o absorvente. Achei nojento, para ser honesta. Mas acreditava sinceramente que, assim que o removesse, fosse me sentir melhor.

Como sua mãe já tinha ouvido falar da STC, ela recomendou que Emily entrasse em contato com o serviço de emergência. Uma atendente sugeriu que elas monitorassem o quadro da jovem, mas, em poucas horas, a condição dela piorou drasticamente.

Atualmente, ela se recupera do problema, mas relata se sentir cansada com muita frequência.

— Preciso de tempo para que meu corpo se recupere. Quero conseguir, mas acabo dormindo por 13 horas seguidas, durante o dia e durante a noite.

— Espero que minha história ajude outras mulheres a tomarem conta melhor de sua saúde, e não deixem sua vida acabar por causa de algo assim.

dailymail.com/uk/R7

Empresa cria camisinha que garante ser mais resistente a rompimento

Preservativo sueco tem estrutura repleta de pequenos hexágonos. Se um arrebentar, os outros impedem que o produto arrebente

Preservativo sueco que promete ser 'à prova de rompimento' (Foto: Reprodução/Lelo.com)
Preservativo sueco que promete ser 'à prova de rompimento' (Foto: Reprodução/Lelo.com)

Uma empresa sueca criou um preservativo que promete ser mais resistente a rompimentos -- o segredo estaria em uma estrutura formada por 350 alvéolos, resultado de sete anos de pesquisas. O preservativo Hex "é composto por 350 hexágonos diferentes" e, para rompê-lo, seria necessário rompê-los um a um, assegura a fabricante, Lelo, em sua página na internet.

"Não era o material, o látex, que precisava mudar, era a estrutura", explica a empresa. Os hexágonos "são a forma perfeita da natureza para algo que seja leve, mas resistente ao mesmo tempo. Por isso, por exemplo, a estrutura de um grafeno, o material mais fino que existe, o mais sólido conhecido pela ciência, é, como já adivinharam, um hexágono", destacou a Lelo.

A nova tecnologia, porém, se reflete no preço do produto -- mais caro que outros preservativos no mercado. Antes do lançamento comercial, previsto para agosto, os consumidores interessados poderão ter que desembolsar 14 euros (US$ 15,7) por uma caixa com doze unidades.

A empresa recrutou para promover o lançamento do novo preservativo o ator americano Charlie Sheen, que em novembro anunciou ser soropositivo. "Algo que pode ser percebido como cinco segundos de incômodo, de interrupção ou contrariedade pode evitar uma vida repleta de arrependimentos e sofrimento", destacou.

AFP/G1

ANVISA: Ação nacional combate contrabando nas fronteiras

Começou na última segunda-feira (13/6), em toda a extensão da fronteira seca do Brasil, a 11ª edição da Operação Ágata

A Anvisa participa da operação em conjunto com outros órgãos federais no combate à situações de ilegalidade nas fronteiras do país com outros países sul-americanos. A ação é parte do Plano Estratégico de Fronteiras (PEF), criado em 2011.

A coordenações de Portos, Aeroportos, Fronteiras e Recintos Alfandegados da Anvisa estão atuando especificamente nos estados de RS, SC, PR, MS, MT, RO, AC, AM, RR e AP. Para a Anvisa, a participação na operação está focada no combate ao contrabando de produtos para saúde e medicamentos que possam afetar a saúde da população brasileira.

A abertura das operações da Anvisa foi feita na coordenação do Mato Grosso do Sul, pelo diretor de Controle e Monitoramento Sanitários, José Carlos Moutinho, que destacou a importância do trabalho da Anvisa na áreas de fronteiras.

A ação é coordenada pelo Ministério da Defesa e envolve os 16.886 quilômetros de fronteira do Brasil com outros países.

ANVISA