Aplicativos, carreira, concursos, downloads, enfermagem, farmácia hospitalar, farmácia pública, história, humor, legislação, logística, medicina, novos medicamentos, novas tecnologias na área da saúde e muito mais!


quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

Feliz 2016!


Obrigado por ter nos acompanhado 
em 2015!
Que todos tenhamos paz e saúde e que possamos refletir muito sobre o mundo que queremos daqui para frente!

" A mudança que desejas ver no mundo, deve começar em você!
Mahatma Gandhi

As dificuldades dos idosos que tomam muitos remédios

Pílulas demais em horários diversos confundem usuários

“Imagine que seu médico prescreveu esses remédios”, disseram os pesquisadores a pessoas com idades entre 55 e 74 anos que estavam participando de uma experiência em vários centros de saúde de Chicago. “Por favor me mostre quando você tomaria esses medicamentos ao longo de um dia.” Depois de ler as instruções em sete bulas de pílulas, foi pedido que os participantes as dividissem em uma caixinha de remédios com 24 espaços, um para cada hora do dia.

O ideal é que os sete remédios fossem divididos em apenas duas doses por dia. Mas só 15% dos 464 participantes pensaram nessa possibilidade. O mais comum foi a decisão de tomar as pílulas seis vezes por dia; um terço organizou os medicamentos em sete doses diárias. Dois dos remédios tinham instruções idênticas, mas um terço dos participantes não percebeu que eles poderiam ser tomados juntos.

Quase 80% não entenderam que poderiam tomar duas pílulas juntas se uma bula dizia “a cada 12 horas” e outra “duas vezes por dia” – mesmo que, nesse contexto, elas significassem a mesma coisa.

“Aprendemos de novo como é desafiador manter uma rotina de medicamentos”, conta Michael Wolf, epidemiologista da Escola de Medicina Feinberg na Universidade Northwestern, que liderou a experiência.

A adesão aos remédios, uma ampla preocupação de saúde pública, é um problema especial para pessoas mais velhas. Eles tomam mais remédios do que os pacientes mais novos – não é incomum que tenham sete receitas. Ainda assim os estudos têm mostrado repetidamente que “quanto mais vezes por dia você tem que usar remédios, menor a sua adesão”, explica Wolf. Quando os pacientes não conseguem pensar em um plano que funcione, ou se ater a um, pode haver consequências ruins.

O remédio X parece não fazer efeito, levando o médico a prescrever também o Y quando o problema real é que o paciente não entendeu a dose ou não está tomando o suficiente de X. Ou um paciente mais velho simplesmente desiste de uma rotina complexa de remédios e fica sem medicamentos ou com menos do que o necessário, arriscando-se a cair severamente doente.

Confusão potencial
“Eu vejo isso todos os dias em minha prática clínica. Existe uma possibilidade tremenda de confusão”, diz o doutor William Hall, geriatra que dirige o Centro para o Bem Estar da Vida da Universidade de Rochester em Nova York. Vamos deixar claro que algumas das razões pelas quais os idosos tomam seus remédios de maneira errada são difíceis de resolver. Os custos, por exemplo. No caso de cidadãos dos EUA, apesar de o Medicare e o Obamacare resolverem parte do problema, alguns idosos não conseguem pagar por seus remédios com a frequência necessária.

Ou pior: “Talvez você não compre os remédios porque o farmacêutico diz que não está no seu formulário do Medicare e você terá que pagar do seu bolso”, explica Tood Semla, farmacêutico e ex-presidente da Sociedade Americana de Geriatria. Problemas cognitivos, claro, também afetam a habilidade dos pacientes mais velhos de lidar com seus medicamentos. Os idosos podem deliberadamente parar de tomar remédios quando não gostam dos efeitos colaterais. Mas os lapsos com os medicamentos também acontecem por problemas que, em um mundo mais racional, deveriam ser muito simples de resolver. Os pesquisadores e reformadores descobriram maneiras fáceis.

– O calendário universal dos medicamentos: em lugar de pedir aos pacientes para decifrar bulas complexas (algumas usam abreviações em latim, como TID para três vezes ao dia), elas deveriam ter quatro padrões de tempo – de manhã, ao meio-dia, de noite, na hora de dormir – para tomar os remédios. Quase todos os medicamentos podem seguir esse calendário, que ajuda os pacientes a agrupar as pílulas para que não seja necessário tomar as doses frequentemente, pular algumas ou desistir totalmente.

Em uma conferência do Instituto Nacional de Saúde no mês passado, Wolf e seus colegas relataram um teste (ainda não publicado) envolvendo 845 pacientes no norte da Virgínia. Aqueles que receberam a chamada bula focada no paciente usando o calendário universal – em letras grandes – erraram significativamente menos na hora de usar seus remédios. As melhoras mais notáveis aconteceram entre pacientes com maior risco de não adesão aos remédios: os menos escolarizados e com rotinas complexas.

A Califórnia começou a pedir (não exigir) que se use o calendário universal – junto com bulas mais simples e com letras grandes – em 2011, apesar da resistência da indústria de medicamentos. Mas até agora nenhum outro estado fez o mesmo.

Alterações cosméticas
Uma aparência consistente: pessoas mais velhas geralmente usam o tamanho, o formato e a cor das pílulas para lembrar o que tomar e quanto. Mas como as farmácias constantemente negociam preços mais baratos em medicamentos genéricos e frequentemente trocam de fornecedores, a aparência das pílulas muda muito.

Em um estudo com mais de 11 mil pessoas que saíram de hospitais depois de um ataque cardíaco e a quem foram prescritos remédios cardiovasculares, por exemplo, 29% tomaram pílulas que mudaram de formato ou cor durante o primeiro ano. Os pacientes precisam tomar esses remédios por anos, então facilmente irão se deparar com essas alterações.

“O primeiro ano depois de um infarto do miocárdio é um período na vida da pessoa em que a adesão aos remédios é extremamente importante”, explica Aaron Kesselheim, interno e pesquisador de políticas de saúde do Hospital Brigham and Women em Boston e principal autor do estudo.

Essas alterações cosméticas levam a problemas. Enquanto a maioria dos pacientes permaneceu com suas rotinas, aqueles cujas pílulas mudaram de cor eram 34% mais propensos a parar de tomá-las, comparados com um grupo de controle. Quando as pílulas mudavam de formato, os pacientes tinham um risco 66% maior de abandoná-las.

Kesselheim e sua equipe sugerem que a FDA exija que os fabricantes façam remédios genéricos iguais em cor e formato àqueles com nomes de marca que substituem. Em junho o FDA produziu um guia de recomendações não obrigatórias, afirmando que as mudanças em tamanho (não mencionava cor) poderiam afetar a maneira como as pessoas seguiam a rotina. “Achamos que não foi amplo o suficiente.

As coisas se movem lentamente”, afirma Kesselheim, cuja equipe está desenvolvendo outro estudo que podem fazer com que o FDA tome mais ações. Enquanto espera por melhorias que poderiam ajudar os idosos a lidar com suas rotinas de remédios, alguns se aproveitam de um programa gratuito disponível por meio do Medicare.

A Terapia de Gerenciamento de Medicamento, oferecida por seguros privados que cobrem os remédios, vai rever as prescrições, as doses, os custos e outras questões para os idosos que possuem várias condições crônicas e tomam muitos medicamentos. Isso poderia ajudá-los a se manter na rotina. Ainda assim, deveria ser mais fácil fazer isso. “O incrível é que ninguém faz direito”, diz Hall.

O Globo

Justiça Federal decide que enfermeiros não podem exercer atividade de farmacêuticos

Ação civil pública foi proposta pelo Conselho Regional de Enfermagem do Rio Grande do Sul

Nenhum órgão público ou privado no país pode designar enfermeiros para exercer atividades de farmacêuticos. A decisão é da 3ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), que confirmou sentença em ação proposta pelo Conselho Regional de Enfermagem do Rio Grande do Sul (Coren/RS), mas vale para todo o país. A ação civil pública foi ajuizada para impedir que o município de Uruguaiana (RS) de colocar profissionais de enfermagem para fazer a dispensação de medicamentos em unidades de saúde locais.

A ação foi proposta após a fiscalização constatar que profissionais de enfermagem estavam praticando a atividade. A dispensação é o ato de fornecer um ou mais medicamentos a um paciente, normalmente como resposta à apresentação de uma receita elaborada por médico ou dentista.

A tarefa costuma ser realizada em farmácias e é vedada ao profissional de enfermagem, de acordo com a Lei 7.492/86. A 2ª Vara Federal de Uruguaiana concedeu liminar em maio de 2014, determinando a imediata suspensão da prática sob pena de multa diária de R$ 800.

A decisão foi confirmada no julgamento de mérito do caso, levando a prefeitura a recorrer ao tribunal. O Município corrigiu a irregularidade e tentou desistir da ação após a concessão da liminar, requerendo a extinção do processo sem resolução do mérito.

Entretanto, a desembargadora federal Marga Inge Barth Tessler, responsável pela relatoria do processo no TRF-4, reforçou em seu voto os argumentos da sentença. Para ela, o fato de o réu, por força da liminar, ter comprovadamente retirado da enfermagem o papel de dispensação de medicamentos não conduz à extinção do processo sem julgamento de mérito.

Conforme a decisão de primeiro grau, “a prática daquela conduta pelo profissional ligado à área de enfermagem consubstancia, na prática, desrespeito aos termos da Lei 3.820/60 e da Lei 5.991/73, diplomas que estabelecem que tal atividade é privativa dos profissionais farmacêuticos”. A decisão foi unânime.

Arroto pode ser sintoma de refluxo ou gastrite

Saiba quando a eructação deixa de ser normal e busque ajuda médica

Dr. Leonardo Peixoto

GASTROENTEROLOGIA - CRM 780553/RJ

A eructação, mais comumente chamada de arroto, é o ato de expulsar o ar do estômago ou esôfago através da boca e, habitualmente, é um processo fisiológico. Em toda deglutição, junto à saliva, bebida ou comida, entra uma pequena quantidade de ar no trato digestivo. Ocorre geralmente como uma resposta à distensão gástrica após as refeições. Esta distensão leva a um relaxamento transitório do esfíncter inferior do esôfago (o músculo que ao ficar contraído impede o refluxo do conteúdo do estômago para o esôfago), permitindo que o ar vá para o esôfago e então seja expulso pela boca. Dessa forma, evita-se a passagem de quantidade excessiva de ar para o intestino.

A eructação só é considerada uma doença quando se torna muito frequente e incomoda o paciente. A principal causa de eructação excessiva é a eructação supragástrica, na qual o ar, que é puxado para o esôfago pela contração do diafragma e relaxamento do esfíncter esofagiano superior, é imediatamente liberado, sem chegar ao estômago. Geralmente está associado a fatores como ansiedade, transtorno obsessivo-compulsivo, bulimia e outras alterações do sistema nervoso central.

Outra causa comum de eructação é a doença do refluxo gastroesofágico, além de síndrome dispéptica, doença ulcerosa péptica, gastroparesia, gastrite, esofagite, neopalsia e acalásia, mas nesses casos habitualmente a eructação é apenas um entre vários sintomas apresentados. A presença de emagrecimento, pirose, dor abdominal, vômitos, regurgitação, febre e anemia são sinais de alerta para doenças orgânicas e indicam a necessidade de avaliação por um médico.

O tratamento da eructação supragástrica envolve reconhecer o problema e, em casos selecionados, ser avaliado por psiquiatra ou psicólogo. Por fim, um médico deve ser consultado se a eructação for muito frequente e causar incômodo ou se houver a presença dos sinais de alarme descritos acima.

A prevenção é feita evitando tabagismo, estresse emocional, bebidas gaseificadas, chicletes, balas e alimentos de difícil digestão, que retardem o esvaziamento gástrico, ou que relaxem o esfíncter esofagiano inferior, como alimentos gordurosos, menta e chocolate. As refeições devem ser feitas com calma e sem conversar.

Minha Vida

Como identificar os primeiros sinais de demência?

O mal de Alzheimer tem se tornado uma doença cada vez mais comum em idosos. Só no Brasil, estimativas indicam que existem pelo menos 1,2 milhão de pessoas vivendo com esse problema. No mundo, são mais de 35 milhões, segundo relatório da Organização Mundial da Saúde

Cerca de 1,2 milhões de brasileiros sofrem do Mal de Alzheimer

Considerado o tipo mais frequente de demência, ele pode ser reconhecido por pequenos sinais já nos primeiros estágios – o que ajudaria muito no tratamento para retardar o avanço da doença. O problema é que muitas vezes as pessoas demoram para procurar ajuda porque ignoram ou desconhecem os sintomas.

Uma pesquisa realizada entre 4 mil pessoas no Reino Unido pela YouGov revelou que a maioria das pessoas ainda se confunde com os sinais de demência. Por exemplo, 39% dos entrevistados acredita que entrar em um lugar e esquecer o que foi fazer lá pode ser um sinal de demência – e, na verdade, isso pode acontecer com qualquer pessoa. Para quem tem a doença, esquecer o motivo pelo qual entrou na sala não é o problema, mas sim não reconhecer aquela sala.

A Sociedade do Alzheimer aproveitou o período de festas de fim de ano, em que as famílias costumam se reunir, e divulgou quais são os principais "sintomas" possíveis de serem identificados quando uma pessoa começa a sofrer esse e outros tipos de demência – segundo a instituição, há um considerável aumento de pessoas buscando informações sobre isso nessa época do ano.

Saiba aqui quais são os principais sinais:

Repetições
Enquanto a maioria acredita que esquecer nomes de conhecidos repetidamente pode ser um sinal de demência, poucos sabem que repetir as mesmas frase por várias vezes também pode ser um indício.

Gaguejar ou pronunciar palavras de forma errada são outros sinais que merecem atenção.

Mudança de humor
O risco de demência aumenta com a idade – cerca de um em cada seis idosos acima de 80 anos sofrem com o problema. Mas ela pode começar na meia-idade.

Dianne Wilkinson, de 57 anos, recebeu o diagnóstico relativamente cedo.

"Sempre fui uma pessoa super positiva, então achei estranho quando comecei a me sentir mais devagar e 'para baixo'. Mas eu achava que isso era apenas uma fase. Não achava que poderia ser um sinal de demência", afirmou.

Esquecimentos corriqueiros
"Depois de alguns meses, alguns familiares me incentivaram a ir ao médico. Mas foi depois do meu diagnóstico que as pessoas começaram a me falar que tinham notado mudanças no meu comportamento, como repetir as coisas várias vezes, não lembrar onde eu tinha colocado algumas coisas e confundir os dias da semana", contou Wilkinson, que também não havia percebido esses "esquecimentos" corriqueiros.

Ela diz que se sentiu aliviada após o diagnóstico. "Senti um alívio porque agora eu sei que a demência é a explicação para meu comportamento estranho."

"É muito importante que as pessoas busquem ajuda rapidamente, assim que notarem sinais, porque aí elas conseguirão entender o que está acontecendo e poderão buscar ajuda para poderem viver da melhor maneira possível", aconselhou.

Tratamento
Por tudo isso, Jeremy Hughes, CEO da Sociedade do Alzheimer, reforçou a importância de se identificar os sinais de demência para poder tratar o problema o quanto antes.

"Sabemos que demência é uma das doenças mais temidas para muitos e não há dúvidas de que ela pode ter um grande impacto para quem tem o problema e também para a família e os amigos", disse.

"Por isso, é importante que a gente esclareça essa confusão sobre o que são e o que não são sinais de demência para que as pessoas fiquem mais confiantes para conversar com seus familiares que estão sofrendo esses sintomas, para que eles possam buscar ajuda o mais rápido possível."

"A demência pode quebrar as conexões que você tem com as pessoas que ama, mas nós temos inúmeros tratamentos que podem ajudar a brecá-la ou a diminuir seus danos."

Alzheimer é doença degenerativa e causa perda gradual e irreversível dos neurônios

Sinais de demência

Procure ajuda médica se sua perda de memória está afetando sua vida diária e especialmente se você:

- Tem dificuldades para lembrar coisas recentes, mas consegue se lembrar facilmente do que aconteceu no passado

- Acha difícil acompanhar conversas ou programas de TV

- Esquece nomes de amigos bem próximos ou de objetos que você usa todos os dias

- Não consegue lembrar as coisas que ouviu ou leu

- Frequentemente perde o fio do que está dizendo

- Tem problemas de pensamento e raciocínio

- Se sente ansioso, depressivo ou com raiva

- Se sente confuso até quando está em um ambiente conhecido ou se perde em caminhos que faz frequentemente

- Descobre que pessoas começaram a notar ou a comentar sobre sua perda de memória

BBC Brasil

Anvisa suspende medicamento falsificado

A Anvisa determinou a apreensão e inutilização do medicamento Hormotrop 12 Ul, pó liófilo injetável, lote CC40492, com validade até abril de 2017

A determinação também é válida para o Diluente Bacteriostático da fórmula, lote 091196587.

O Laboratório Químico Farmacêutico Bergamo Ltda, detentor do registro dos produtos, desconhece a existência do lote citado, o que caracteriza a falsificação do medicamento.

A Resolução 3.553/2015 foi publicada nesta quarta-feira (30/12), no Diário Oficial da União (DOU).

ANVISA

Anvisa suspende pomada sem registro

A Anvisa determinou a suspensão da distribuição, comercialização, divulgação e uso da pomada analgésica Doresmil

O fabricante da formulação é desconhecido e o produto não tem registo na Agência.

Assim, a Anvisa determinou a apreensão e a inutilização do produto citado.

A Resolução 3.552/2015 foi publicada nesta quarta-feira (30/12), no Diário Oficial da União (DOU).

Foto: Reprodução

ANVISA

Anvisa suspende medicamento irregular

A Anvisa determinou a suspensão da distribuição, comercialização, divulgação e uso do produto Anavar (Oxondrolona), 20 mg, identificado como distribuído pela empresa DNA Labs

O produto não possui registro na Agência.

A determinação ocorreu após a Policia Civil do Distrito Federal (PC-DF) constatar a venda irregular do produto.

Agência determinou a apreensão e a inutilização das unidades existentes no mercado.

A Resolução 3.551/2015 foi publicada nesta quarta-feira (30/12), no Diário Oficial da União (DOU).

ANVISA

Anvisa suspende produtos desconhecido que alega redução de apetite

A Anvisa determinou a suspensão da fabricação, distribuição, divulgação, comercialização e uso do produto Natu Diet

A propaganda do composto, que não tem registro na Agência, era veiculada nos sites www.comprenatudiet e www.comprenatudiet.com.br, com alegações terapêuticas de redução de apetite, aceleração do metabolismo, eliminação de gordura localizada e efeito diurético.

Não há qualquer identificação do fabricante no rótulo do produto, nem nos endereços eletrônicos em que a fórmula era comercializada.

A Resolução 3.549/2015 foi publicada nesta quarta-feira (30/12), no Diário Oficial da União (DOU).

Foto: Reprodução

ANVISA

quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

Anvisa proíbe venda de água sanitária e cloro sem registro

A Anvisa suspendeu a fabricação, divulgação, comercialização e uso da água sanitária Igclean, 5 litros

O produto, que não possui registro na Agência, é fabricado por Ducasa Soluções em Produtos de Limpeza LTDA. A empresa não possui Autorização de Funcionamento.

A Agência também suspendeu a fabricação, distribuição, divulgação, comercialização e uso do Cloro Ativo Solarquim, composição: hipoclorito de sódio, com teor de cloro ativo entre 8 a 12%, volume 1,8 litros. O produto, que é fabricado pela empresa Solarquim Produtos de Limpeza LTDA-EPP, não possui registro na Anvisa.

Além das suspensões, a Anvisa determinou que as duas empresas promovam o recolhimento do estoques existentes no mercado.

As medidas estão nas Resoluções 3. 548/2015 e 3.550/2015, publicadas nesta quarta-feira (30/12) no Diário Oficial da União (DOU).

ANVISA

Entenda o que é o transtorno histriônico da personalidade

Para quem sofre do chamado de transtorno histriônico da personalidade, a vida pode parecer com um teatro, cheio de drama e exageros

histrionico-istock-getty-images-doutissima
Foto: iStock/Getty Images A preocupação excessiva com a aparência é um dos indícios do transtorno

De acordo com a Associação Americana de Psiquiatria, ele pode ser definido por um padrão emocional excessivo, aliado à necessidade de chamar atenção e a um comportamento inapropriadamente sedutor.

Já segundo pesquisa da Universidade Federal do Mato Grosso do Sul, os indivíduos que têm o transtorno costumam se sentir desconfortáveis quando não estão no centro das atenções, o que gera um comportamento emocional manipulador. Por consequência, os vínculos criados emocionalmente tendem a ser superficiais.

A estimativa do estudo é de que a condição afete entre 2% e 3% da população em geral, índice que sobe para cerca de 15% quando se examinam pacientes em ambulatórios psiquiátricos.

Diagnóstico do transtorno histriônico Existem vários critérios rígidos que devem ser obedecidos para evitar um diagnóstico indiscriminado.

No caso do transtorno histriônico da personalidade, as principais definições são:
  1. Dramatização, teatralidade e expressão exagerada de emoções
  2. Facilmente influenciável por outras pessoas ou ambientes
  3. Afetividade superficial e instável
  4. Busca contínua por excitação e atividades onde a pessoa é o centro das atenções
  5. Sedução inapropriada em aparência ou comportamento
  6. Busca de parceiros simultâneos
  7. Desprezo por diagnósticos, críticas e sugestões que não coincidam com a sua opinião
  8. Preocupação excessiva com aparência física, vestimenta e acessórios
  9. Inconformismo com o fim de relacionamentos, seguido pelo transtorno obsessivo compulsivo, com prevalência à obsessão pelo déjà-vu, na busca de reeditar relacionamentos que já não existem mais.
Para que o diagnóstico seja aceito, é preciso que pelo menos três desses critérios sejam identificados no paciente.

Tratamento e prognóstico
O tratamento de pacientes com transtornos de personalidade frequentemente podem conduzir ao niilismo terapêutico, graças ao baixo índice de resposta. Porém, pacientes histriônicos costumam buscar tratamento mais rápido, pois apreciam a atenção que lhes é destinada e gostam de ser examinados.

O problema é que eles tendem a exagerar seus sintomas e demonstram grande prazer em relatar as suas dificuldades e angústias. Não por acaso, muitas vezes o mais recomendado é a terapia de grupo, graças à facilidade desses pacientes em formar vínculos afetivos.

Dessa maneira, forma-se um ambiente mais propício e útil, em que o foco não fica restrito apenas a uma única pessoa e aquilo que ela tem para compartilhar. De outro modo, ela precisa aprender a ouvir os outros e os seus problemas.

A prescrição de psicofármacos para pacientes portadores de distúrbios da personalidade fica resumida ao controle de duplos diagnósticos, tais como depressão, transtorno bipolar ou de ansiedade generalizada.

Parto prematuro? Evite cuidando da gengiva

Problemas como a periodontite, em que a gengiva fica gravemente inflamada, tendem a aumentar durante a gestaçãoO tratamento desse quadro pode ser feito com visitas regulares ao dentista, além de manter uma correta higiene bucal no dia a dia

Atenção com a saúde da gestante sempre é redobrada, e isso deve valer também para a saúde da boca. Problemas como a periodontite, em que a gengiva fica gravemente inflamada, tendem a aumentar durante a gestação, principalmente devido ao aumento dos hormônios, em que a progesterona e o estrógeno chegam a ficar cerca de 10 e 30 vezes maiores, respectivamente. Além disso, há maior vascularização local e os pequenos vasos sanguíneos da boca se tornam mais frágeis.

A inflamação severa na gengiva pode causar dores, sangramento e sensibilidade, mas o maior problema é que a doença pode prejudicar a formação do feto. A inflamação pode induzir a hiperirritabilidade da musculatura do útero, provocando contração e dilatação cervical, o que pode ser um gatilho para um parto prematuro.

“Há fortes evidências de que as mães com doença periodontal têm mais chances de ter filhos prematuros (abaixo de 37 semanas de gestação) e com baixo peso (inferiores a 2,5kg) e ainda desenvolver quadros de pré-eclâmpsia”, diz Rosana Possobon, coordenadora do Cepae (Centro de Pesquisa e Atendimento Odontológico para Pacientes Especiais).

No entanto, é bom lembrar que a gravidez não causa a doença periodontal e sim oferece condições para que a doença se agrave. Uma higienização inadequada associada ao fato de que mulheres grávidas costumam ter desejos alimentares malucos e uma certa impulsividade por comida faz com que o desenvolvimento de problemas gengivais fique ainda mais facilitado.

“Muitas gestantes diminuem a frequência de escovação nesta fase por causa de náuseas (algumas relatam que chegam a vomitar escovando os dentes) ou porque alegam que estão mais preocupadas com a saúde da criança do que com sua saúde oral”, diz Rosana.

Agende sua consulta
O ideal é marcar uma consulta preventiva antes da gestação, mas, se não for possível, a melhor época é o segundo trimestre (entre o quarto e o sexto mês). “Isso porque no primeiro trimestre o bebê está se formando e deve-se evitar o uso de medicamentos, e no terceiro trimestre, a mãe está numa mais ansiedade devido à aproximação do parto”, diz o cirurgião-dentista Mario Groisman. Se for necessário fazer radiografias também é melhor esperar o segundo trimestre. “Se forem essenciais, podem ser realizadas, desde que se utilize o avental de chumbo”, alerta o especialista.

Foto:  Elena Vasilchenko/Shutterstock  

Saúde Terra

Paciente infectada com novo vírus aviário H5N6 está em estado muito grave

Uma mulher de 26 anos se encontra em estado muito grave na cidade de Shenzhen, no sul da China, após ter contraído o vírus da gripe aviária H5N6, uma nova cepa da qual, até agora, só foram registrados outros quatro casos, informaram nesta quarta-feira as autoridades sanitárias locais

A paciente, cujo nome não foi divulgado, se encontra em estado "crítico" e está recebendo tratamento em um hospital dessa cidade da província de Cantão.

Os médicos que a estão tratando acreditam que pode ser um caso isolado e que há poucas possibilidades de que o vírus tenha infectado outros pacientes.

O primeiro caso de H5N6 foi notificado em maio de 2014 na província de Sichuan, no centro da China.

Todos os casos foram isolados e, até agora, três deles tiveram como resultado a morte do paciente.

EFE Saúde

Turma 85 São Camilo Pompéia


Encerramento do Módulo de Gestão de Logística Hospitalar na Turma 85 de Pós Graduação em Administração Hospitalar do Centro Universitário São Camilo.
Encerramento do ano letivo de 2015
16 12 2015

Secretaria do Rio restringe serviços de pediatria em 10 UPAs

A Secretaria Estadual Saúde do Rio de Janeiro (SES) restringiu os serviços de pediatria em dez Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) nesta terça-feira, 29. Na segunda-feira, 28, havia quatro UPAs com atendimento restrito apenas às crianças em situação grave

Mulher com filho deixa UPA de Copacabana por falta de atendimento no último dia 21 de dezembro
Mulher com filho deixa UPA de Copacabana por falta de atendimento no último dia 21 de dezembro

As UPAs com áreas pediátricas prejudicadas são Campo Grande I, Campo Grande II, Santa Cruz, Nova Iguaçu I, Nova Iguaçu II, Duque de Caxias I, Duque de Caxias II, Queimados, Mesquita e Magé.

O atendimento da clínica médica nessas unidades também está restrito aos casos mais graves, exceto nas UPAs de Duque de Caxias. Os pacientes serão encaminhados para as unidades de saúde mais próximas.

De acordo com o boletim divulgado pela SES, os Hospitais Estaduais Rocha Faria, Albert Schweitzer, Carlos Chagas, Getúlio Vargas, Adão Pereira Nunes, Azevedo Lima, Alberto Torres, Hospital da Mulher Heloneida Studart, Hospital da Mãe e Melchíades Callazans estão funcionando normalmente. Mas os atendimentos são restritos a casos de urgência e emergência.

Estadão Conteúdo

Concurso Prefeitura de São Caetano do Sul - SP

A Prefeitura de São Caetano do Sul, no Estado de São Paulo, divulgou edital de concurso público com a finalidade de preencher 881 vagas para preenchimentos imediatos, mais a constituição de cadastro reserva, em cargos de todos os níveis de escolaridade.

As remunerações vão até R$ 6.594,49, em jornada de trabalho que varia de 24 a 44 horas por semana. O concurso será realizado sob responsabilidade da Coordenadoria de Apoio a Instituições Públicas ‐ CAIPIMES e 5% do total de vagas serão reservadas aos candidatos portadores de deficiência.

Cargos
Nível fundamental: Agente Administrativo, Agente de Apoio do Canil, Agente de Defesa Civil e Monitor Aquático;

Nível médio: Agente Ambiental, Agente Cultural, Agente de Controle de Zoonoses, Agente de Trânsito e Transporte, Agente Sanitário, Agente Social, Assistente Administrativo, Assistente de Recursos Humanos, Assistente Econômico Financeiro, Assistente Técnico de Cerimonial, Assistente Técnico de Edificações, Assistente Técnico em Fotografia, Assistente Técnico Desenhista, Assistente Técnico em Áudio e Iluminação, Auxiliar de Enfermagem, Auxiliar Odontológico, Fiscal, Fiscal de Obras, Fiscal Tributário, Inspetor de Alunos, Mestre de Cerimônia, Técnico de Enfermagem, Técnico de Imobilização Ortopédica, Técnico de Laboratório, Técnico em Manutenção Semafórica, Técnico Projetista, Topógrafo e Visitador Sanitário;

Nível superior: Administrador de Redes, Administrador de Banco de Dados, Analista (Contábil, Avaliação de Desempenho, Cargos e Salários, Contratos, Controle Interno, Empregos e Carreiras, Licenciamento Ambiental, Mídias Digitais, Processo de Registro Público, Recursos Humanos, Sistemas, Suporte Técnico, Econômico Financeiro, Projetos de Inclusão, Tecnologia Assistiva, Jurídico, Programador, Técnico em Educação Física Adaptada, Técnico em Libras); Arquiteto, Assistente Social, Biólogo, Biomédico, Bombeiro Civil, Cinegrafista, Contador, Dentista, Designer Gráfico, Educador Sanitário, Educador Social, Enfermeiro, Engenheiro Ambiental, Engenheiro Civil, Engenheiro de Tráfego, Engenheiro Eletricista, Farmacêutico, Fisioterapeuta, Fonoaudiólogo, Instrutor de Libras, Jornalista, Médico (alergista, Cardiologista, Cirurgião Vascular, Clínico Geral, Dermatologista, do Trabalho, Endocrinologista, Ginecologista/Obstetra, Hebiatra, Hematologista, Infectologista, Nefrologista, Neurologista, Ortopedista, Otorrinolaringologista, Pediatra, Psiquiatra, Reumatologista e Urologista); Procurador Judicial, Professor de Educação Especial, Ciências Físicas e Biológicas, Educação Infantil, Ensino Fundamental, Artes, Artes Cênicas, Biologia, Contabilidade, Dança, Educação Física, Física, Geografia, Historia, Inglês, Matemática, Musica, Português, Publicidade e Química; Psicólogo, Publicitário, Relações Publicas, Secretária Especializada e Terapeuta Ocupacional para atuar em diversas especialidades.

Inscrições e Taxas
As inscrições serão recebidas até 17 de janeiro de 2016, via internet, no site da CAIPIMES (http://www.caipimes.com.br/pmscs012015/). As taxas de inscrição variam entre R$ 30,00 e R$ 60,00, de acordo com a vaga pleiteada.

Provas
As provas objetivas poderão ser realizadas provavelmente nos dias 21 e 28 de fevereiro de 2016, em locais e horários a serem oportunamente divulgados no mesmo site acessado para inscrição. Os gabaritos preliminares serão divulgados nas datas prováveis de 22 e 29 de fevereiro de 2016.

Validade
O concurso será válido por dois anos, podendo ser prorrogado uma vez, por igual período, a contar da data de homologação do certame, a critério do Município de São Caetano do Sul. 

Edital e demais atualizações: http://www.caipimes.com.br/pmscs012015/

Concurso da Prefeitura de Cachoeira do Piriá - PA

A Prefeitura de Cachoeira do Piriá, no Pará, lançou o edital n° 001/2015 para a realização de concurso público pela Fundação de Amparo e Desenvolvimento da Pesquisa - FADESP. Está disponível um total de 454 vagas para cargos de níveis superior, médio, fundamental completo e incompleto com salários que variam de R$ 788,00 a R$ 5.000,00.

Cargos
Para candidatos de nível fundamental, as ofertas são para coveiro, auxiliar de serviços gerais, gari, vigia, motorista de veículos pesados, operador de equipamentos leves, operador de pá mecânica, mecânico de veículos e máquinas e agente de fiscalização.

De nível médio e/ou técnico há oportunidades para agente de vigilância sanitária, agente de vigilância epidemiológica, agente de combate a endemias, agente administrativo, fiscal de tributos, técnico em enfermagem, técnico em informática, técnico em saúde bucal e agente comunitário de saúde.
Com requisito de nível superior na área há vagas nos cargos de assistente social, enfermeiro, médico clínico geral, médico veterinário, odontólogo, psicólogo, administrador de empresas, analista ambiental, professor de educação básica, artes, biologia, educação física, ensino religioso, geografia, história, inglês, português e matemática.

Inscrições e Taxas
Conforme edital n° 002/2015 de retificações de datas, as inscrições para o concurso prosseguem abertas até 18 de janeiro de 2016.

A taxa de inscrição custa R$ 45,00 para cargos de nível completo e incompleto, R$ 50,00 para médio e R$ 70,00 para superior, podendo ser paga em qualquer agência ou lotérica até 19 de janeiro de 2016. Pessoas com Deficiência podem concorrer à quota de 5% das vagas.

Os pedidos de isenção da taxa de inscrição devem ser feitos até 15 de janeiro, enviando a documentação que comprove a sua situação (no caso, para candidatos com deficiência).

Provas
O concurso terá duas etapas: uma será a prova objetiva, para todos os candidatos; outra será a prova de títulos (em data a ser informada através de convocação), para os que concorrerão às vagas para professor. A data provável da Prova Objetiva é 31 de janeiro de 2016.

A publicação do gabarito definitivo das provas objetivas, assim com a decisão sobre qualquer recurso impetrado por candidato, será dada a conhecer no prazo de até cinco dias úteis, a contar do último dia do prazo de recebimento dos recursos.

Validade
O prazo de validade do concurso público é de dois anos, contados a partir da data de publicação da homologação do resultado final, podendo ser prorrogado, uma única vez, por igual período, a critério da Prefeitura.

Vagas de estágio na SES-PE

A Secretaria de Saúde do Estado de Pernambuco (SES/PE) abriu 13 vagas de estágio para estudantes do curso de Enfermagem que concluíram o 7º período, na disciplina de Epidemiologia.

O estágio terá a duração máxima de 12 meses, podendo ser prorrogado por igual período. A bolsa auxilio será de R$ 250,00, mais auxilio transporte de R$ 88,65.

As inscrições serão realizadas do dia 4 ao dia 8 de janeiro de 2016, na própria Sede da Secretaria Estadual de Saúde de Pernambuco, situada na Rua Dona Maria Augusta Nogueira nº 519, Bongi em Recife/PE (terminal do ônibus do Bongi), das 8h30 às 12h. Será realizada prova escrita, em data prevista para 28 de janeiro de 2016, às 14h, no Hospital PROCAPE- Rua dos Palmares, S/N Santo Amaro Recife. (sala de aula nº 02 no 1º andar do prédio anexo do PROCAPE).

Mais detalhes podem ser obtidos através do link: http://portal.saude.pe.gov.br/selecoes-e-concursos/ses-divulga-edital-para-selecao-simplificada-de-estagiarios-para-vigilancia.

Processo seletivo da UEM - Editais nº 188 e 189/2015

A Universidade Estadual de Maringá (UEM), no Paraná, através de editais de processo seletivo, abriu vagas nas funções de Bioquímico, Técnico em Laboratório, Técnico em Radiologia (edital 188/2015), Agente de Segurança Interno, Auxiliar Operacional e Motorista (edital 189/2015).

As vagas das funções do edital 188 proporcionam salário de R$ 1.927,11 e R$ 2.940,02, por jornada trabalhista de 40 horas por semana, enquanto as vagas do regulamento 189, ofertam salário de até R$ 1.431,86. Inscrições - edital nº 188/2015: serão realizadas de 11 a 22 de janeiro de 2016, via endereço eletrônico: www.uem.br/concurso.

Inscrições - edital 189/2015: serão realizadas de 11 de janeiro a 28 de janeiro de 2016, no mesmo site. Haverá taxa no valor de R$ 18,95, R$ 25,02, R$ 28,63, R$ 38,54 ou R$ 58,80, conforme a ocupação desejada.

A seleção será basicamente por meio da aplicação de prova objetiva, em datas informadas em cada edital.

A prova objetiva do edital 189/2015 será aplicada em 28 de fevereiro de 2016, enquanto do edital 188/2015, a prova objetiva será na data provável de 21 de fevereiro de 2016.

A validade do processo seletivo será de dois anos, contados da data de publicação do resultado final no Diário Oficial do Estado do Paraná, podendo ser prorrogado uma única vez, por igual período.

Editais e demais atualizações: http://www.drh.uem.br/concurso/abertura_ps_adm.htm

Concurso Professor UFAM

A Fundação Universidade Federal do Amazonas (UFAM) tornou oficial os editais nº 79, 80, 81 e 82/2015, voltados para a realização de concurso público para recomposição de cargos de Professor do Magistério Superior. A remuneração inicial pode chegar a R$ 8.639,50, a depender do título e carga horária.

Por meio do edital 79/2015, serão preenchidas 11 vagas para Professor das áreas de: Engenharia de materiais: polímeros; Engenharia Elétrica; Engenharia Civil; Sistemas Estruturais/Mecânica das Estruturas; Engenharia Mecânica/projetos de máquinas; Engenharia de Produção/ Engenharia de Operações e Processos da produção; Engenharia de Produção/ Engenharia do Trabalho e Logística; e Ciência da Computação.

O edital 80/2015, é destinado ao provimento de 20 vagas do cargo de Professor do Magistério Superior, nas áreas de: Teoria Econômica; Ciências Contábeis; Financeira, Empresarial e Métodos Quantitativos Financeiros; Gestão de Projetos, Gestão de serviços e Processos Organizacionais; Ensino de Física; Física Experimental; Probabilidade e Estatística; Geoquímica; Geofísica; Geologia Regional; Química Geral/Química Inorgânica; Química Geral/ Química Analítica; Análise; e Álgebra. Outras 16 vagas são oferecidas por meio do edital 81/2015, que foi retificado, para a docência nas áreas de: Metodologia do Trabalho Científico e Bioética; Traumato/ Ortopedia; Neurologia/ Neurocirurgia; Psicologia da Educação; Bioquímica, Purificação de Moléculas e Caracterização de Biomoléculas; Ginástica Geral; Atividade física, saúde e qualidade de vida para populações especiais; Esportes individuais e coletivos; Fisioterapia em Pneumologia nos diversos níveis de atenção à saúde; Análises Clínicas e Toxicológicas; Ciências Sociais Aplicadas: Arquivologia; e Engenharia.

Por fim, o edital 83/2015 contempla 23 vagas no Magistério Superior, distribuídas entre as áreas de: Anatomia Humana e Neuroanatomia; Nutrição Clínica/ Nutrição Social; Matemática; Estatística; Ciências Agrárias; Sociologia e Pedagogia/ Estágio; Microbiologia, Zootécni- ca, TPOA e Higiene Animal; Físico-Química; Física; Educação; Arquitetura de Computadores, Sistemas Operacionais e Redes de Computadores; Engenharia de Produção e Mecânica; Informática; Química Orgânica; Agronomia; Química Geral; Engenharia Sanitária (vigilância e controle sanitário; saúde pública; epidemiologia); e Engenharia Sanitária.

Inscrições
Os interessados devem se inscrever de 04 de janeiro a 05 de fevereiro de 2016, das 09h às 11h e das 14h às 17h, diretamente na secretaria da Unidade Acadêmica ofertante da vaga para a qual o candidato pretende concorrer. Os endereços estão informados em cada edital e o valor da inscrição vai de R$ 90,00 a R$ 180,00.

Provas, edital e validade
O concurso será realizado em três etapas: prova escrita, prova didática e prova de títulos, seguindo-se esta ordem. Só irão participar da etapa seguinte o candidato que obteve aprovação na etapa anterior.

O prazo de validade dos concursos será de dois anos, a contar da data de publicação da homologação de seu resultado final no Diário Oficial da União, podendo ser prorrogado.

Todos os editais completos devem ser conferidos e acompanhados por meio do sítio http://progesp.wix.com/ddpessoas#!concursos/ckpg, no campo "Concursos".

Os documentos foram inicialmente publicados no Diário Oficial da União de 10/12/2015 (http://goo.gl/8TLDLl), com retificações divulgadas no DOU de 16/12/2015 (http://goo.gl/vyF35R).

Atenção para retificação do edital 81/2015 (http://goo.gl/uT0s9i).

CONIAPE abre processo seletivo

O Consórcio Público Intermunicipal do Agreste Pernambucano e Fronteiras - CONIAPE abriu edital de processo seletivo para provimento de Cargos de Agente Comunitário de saúde - ACS e Agente de Combate as Endemias – ACE no âmbito da Administração Municipal de Santa Cruz do Capibaribe/PE.

O certame oferece 60 vagas de nível fundamental. Das 60 vagas, 35 delas serão para o cargo de ACE - Agente de Combate às Endemias, com 01 vaga destinada às pessoas portadoras de deficiência e 25 vagas para ocuparem o cargo de ACS - Agentes Comunitário de Saúde, igualmente com 01 vaga destinada às pessoas portadoras de deficiência. Essas vagas estão distribuídas pelo município de Santa Cruz do Capibaribe/PE.

As remunerações somam a quantia de R$ 1.040,00 para os dois cargos e a jornada de trabalho será de 40 horas semanais, sendo oito horas diárias.

Inscrições e Taxa
As inscrições poderão ser feitas a partir do dia 4 até o dia 13 de janeiro de 2016 no site da organizadora do certame, o Consórcio CONIAPE: http://www.consorcioconiape.pe.gov.br/ e as taxas de inscrição custam R$ 50,00.

Provas
As provas objetivas estão previstas para o dia 14 de fevereiro de 2016, em locais e horários a serem divulgados, com resultado final programado para o dia 22 de março de 2016

Validade
O prazo de validade do processo seletivo será de dois anos a contar da data da homologação de seu resultado final no Diário Oficial dos Municípios de Pernambuco, podendo ser prorrogado, uma única vez, por igual período, a critério da Prefeitura Municipal.

Anvisa divulga Nota Técnica sobre vacina do HPV

A Anvisa publicou nesta quinta-feira (23/12) uma Nota Técnica sobre a situação da vacina do HPV no Brasil, especialmente a vacina utilizada no Programa Nacional de Imunizações (PNI)

O produto, que está registrado nacionalmente desde 2006, é utilizado em 133 países e no Brasil apresentou estudos completos de segurança e eficácia.

A nota reafirma o rigor técnico da avaliação da vacina no Brasil e sua importância para a saúde pública.


ANVISA

Fumar maconha todos os dias deforma o cérebro e encolhe a massa cinzenta, afirma nova pesquisa

Fumar maconha todos os dias pode danificar estruturas cerebrais, sugere grupo de pesquisadores

O uso regular da droga parece encolher a massa cinzenta do cérebro (um importante componente do sistema nervoso central), é o que mostrou vários exames realizados em usuários que fumavam em grandes quantidades. Em compensação, a “massa branca” do cérebro, que conecta diferentes partes do órgão, acaba crescendo para compensar a perda das células vitais. O problema gera dificuldades em reagir às informações.

O estudo, que realizou varreduras no cérebro, é o primeiro a investigar o impacto neurológico da droga em usuários de longo prazo. Os resultados adicionaram um peso crescente nas evidências que sugerem que a maconha é mais prejudicial do que pensamos.

Os cientistas, encabeçados por Wayne Hall, principal autor do estudo e conselheiro de drogas da Organização Mundial de Saúde, fizeram uma revisão em dados produzidos por pesquisas nos últimos 20 anos sobre a Cannabis sativa.

Os resultados mostraram que um a cada seis adolescentes que usam maconha se tornam dependentes da droga. Quando comparado em adultos, a relação é de um para cada dez adultos.

Essa revisão ainda sugeriu que o uso da Cannabis sativa em adolescentes dobra o risco de desenvolver doenças psicóticas, incluindo esquizofrenia. As varreduras cerebrais mostraram que os usuários que fumam uma média de 3 vezes ao dia, tinham volumes menores da massa cinzenta no córtex orbitofrontal – parte do cérebro envolvida no processamento mental e na tomada de decisões. “Esta pesquisa é única porque combina três técnicas de imagens de ressonância para avaliar diferentes características do cérebro”, disse a Dra. Sina Aslan, da Universidade do Texas.

Ao total, 48 adultos foram estudados com idades entre 20-36 anos, comparados com outro grupo de 62 adultos não usuários. A pesquisa trata do consumo da Cannabis sativa via tabagismo. Os efeitos das substâncias isoladas da maconha como o canabidiol e tetrahidrocanabinol, que já demonstraram efeitos benéficos à saúde, não foram avaliados.

R7

Proteja da sua casa do mosquito da dengue antes de sair de férias

Não importa se você mora em casa ou apartamento, o mosquito Aedes aegypti pode encontrar um recipiente com água parada para depositar os ovos e se reproduzir. Por isso, antes de viajar de férias, é muito importante verificar todos os pontos que possam acumular água na sua residência

Piscina

O ciclo de reprodução do mosquito, do ovo à forma adulta, pode levar de 5 a 10 dias. Por isso, mesmo em uma viagem curta, é preciso estar atento. Um balde esquecido no quintal ou um pratinho de planta na varanda, após uma chuva, podem facilmente se tornar um foco do mosquito e afetar toda a vizinhança.

Uma fêmea pode dar origem a 1.500 mosquitos durante a sua vida. Em 45 dias um único mosquito pode contaminar até 300 pessoas. Se estes mosquitos picarem alguém infectado, eles poderão transmitir os vírus da dengue, zika ou chikungunya para muitas pessoas de uma região. Antes de aproveitar as férias, tire alguns minutos para verificar se sua casa está livre destes possíveis focos.

Quem mora em casa pode começar pela área externa. Se assegurando que:
- A caixa d´água está vedada
- As calhas estão totalmente limpas
- Galões, poços e tambores estão bem vedados
- Pneus sem água e em lugares cobertos
- Garrafas e baldes vazios e com a boca virada para baixo
- Piscinas e fontes tratadas e se possível, tampadas
- Pratos de vasos de planta com areia até a borda

Já nos ambientes internos de casa ou apartamentos é preciso verificar se:
- Os ralos estão tampados ou telados
- As tampas dos vasos sanitários estão abaixadas
- As vasilhas dos bichos de estimação estão limpas e protegidas da chuva
- A bandeja coletora de água do ar-condicionado está limpa e seca
- A bandeja externa na geladeira está limpa e seca
- Pratinhos de floreiras de varandas com terra até a borda
- Parador de filtro de parede limpo e seco

Lembre-se que os ovos podem ficar aderidos às laterais internas dos recipientes ou ainda nas laterais externas dos vasos. Por isso, é necessário lavá-los com água e sabão, utilizando uma bucha. Mesmo ressecados, os ovos são perigosos. Eles sobrevivem até 1 (um) ano em locais e, se neste período entrarem em contato com água, o ciclo evolutivo recomeça. Antes de viajar cuide da sua casa e aproveite as férias com a consciência tranquila!

Viagem casa

Sábado da Faxina - Para chamar a atenção sobre a importância da limpeza para eliminação dos focos do Aedes aegypti, o Ministério da Saúde lançou a campanha "Sábado da Faxina - Não dê folga para o mosquito da dengue". A ideia é que toda a população dedique um dia da semana para verificar todos os possíveis focos do mosquito, fazendo uma limpeza geral em sua residência e impedindo a reprodução do aedes.

Blog da Saúde

Brasileiros criam biossensor mais barato e versátil para diagnosticar câncer de ovário e hepatite c

Nanotecnologia foi aplicada à medicina para desenvolver o equipamento em processo de patente

O diagnóstico da hepatite C e do câncer de ovário – e possivelmente de outras doenças infecciosas, parasitárias, autoimunes, inflamatórias e neurológicas – pode ficar mais barato e, consequentemente, mais disseminado. Um biossensor desenvolvido por pesquisadores do Centro de Desenvolvimento de Materiais Funcionais (CDMF-Fapesp) do Instituto de Química da Universidade Estadual Paulista (Unesp) de Araraquara (SP) está em fase de patenteabilidade junto à agência de inovação. O biossensor foi capaz de detectar, em amostra de sangue, um antígeno associado ao câncer de ovário e anticorpos específicos para a hepatite C. A utilização para fins diagnósticos, obviamente, deverá atender às exigências da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). No entanto, o sensor como sistema eletroquímico poderá, após o depósito da patente, ser usado comercialmente em outras aplicações tanto para a pesquisa científica quanto na área diagnóstica.

Dada a importância do desenvolvimento da área da nanotecnologia aplicada ao diagnóstico, em âmbito nacional, o trabalho vem sendo realizado por equipe multidisciplinar que envolve os pesquisadores Maria Aparecida Zaghete e João Paulo de Campos da Costa, do Centro de Desenvolvimento de Materiais Funcionais (CDMF); as doutorandas Gisane Gasparotto e Glenda Biasotto, do Instituto de Química; o professor Paulo Inácio da Costa, da Faculdade de Ciências Farmacêuticas; da Unesp de Araraquara; além da pesquisadora Talita Mazon, do Centro de Tecnologia da Informação Renato Archer (CTI), de Campinas.

Segundo o engenheiro eletricista João Paulo de Campos da Costa, que trabalhou com o biossensor em seu projeto de iniciação científica, por ser descartável e um método de medida eletroquímica, o microequipamento possibilita diagnóstico mais barato se comparado aos métodos adotados hoje. “Ele permite a redução dos custos de produção em escala comercial, com excelente capacidade de precisão e exatidão. O diagnóstico é simples e eficaz na detecção e quantificação eletroquímica, podendo oferecer rapidez na resposta de análise e na simplificação dos equipamentos atualmente usados em diagnósticos clínicos”, explica o pesquisador. Semelhante aos glicosímetros usados em testes rápidos para a quantificação de glicose sanguínea, o biossensor pode ser aplicado em laboratórios clínicos, veterinários e fitopatológicos, tendo fácil manuseio.

O tempo entre a incubação da amostra de soro do paciente e a reação eletroquímica é de no máximo 60 minutos. A leitura ocorre em, aproximadamente, 20 segundos. “Estão sendo feitas alterações no sentido de obter um tempo máximo de 10 minutos entre a aplicação da amostra de soro e a leitura da reação eletroquímica. A expectativa é o desenvolvimento de um biossensor mais viável econômica e tecnicamente que os testes imunocromatográficos e imunoensaios enzimáticos, atualmente usados para vários diagnósticos em laboratórios clínicos”, adianta João.

Avanço nos materiais
Biossensores com resposta eletroquímica já são usados em pesquisas científicas, existindo, inclusive, vários trabalhos publicados sobre a técnica. Segundo a pesquisadora Maria Zaghete, a maioria utiliza eletrodos de ouro individuais, nos quais proteínas ou ácidos nucleicos são ligados covalentemente (ligação química caracterizada pela organização de um ou mais pares de elétrons entre átomos, causando uma atração mútua entre eles que mantém a molécula resultante unida). O desenvolvimento da reação ocorre com a imersão dos eletrodos em soluções eletrolíticas, ou seja, aquelas onde é possível conduzir eletricidade. “Embora de uso mais comum, esses eletrodos têm algumas desvantagens, entre elas a necessidade de serem tratados e recuperados após seu uso, o que inviabiliza sua aplicação em escala comercial e dificulta manter bom controle de qualidade na sua produção”, explica.

Outros sistemas são baseados na tecnologia de deposição de filmes espessos por tintas condutoras denominada silkscreen, e tem sido empregada na microeletrônica no desenvolvimento de circuitos e dispositivos eletrônicos. Apesar de essa tecnologia de deposição de filmes ser interessante para fabricar sensores e biossensores, ela apresenta vários problemas. A maioria relacionada à compatibilidade de diferentes materiais e ao processo de fabricação, o que leva à necessidade de ciclos mais elaborados para cura e aderência das tintas; baixa reprodutibilidade, devido ao fato de ocorrer evaporação de solventes presentes na formulação da pasta. Embora para a pesquisa científica possam ser adequados, os eletrodos impressos acabam tendo uma maior variação da corrente elétrica, o que dificulta a reprodutibilidade e, consequentemente, sua aplicação em sistemas diagnósticos.

Escala Já o biossensor desenvolvido em Araraquara traz como diferencial a possibilidade de produção em escala comercial, sem a necessidade de tratamentos químicos especiais, com fácil ligação entre o eletrodo de trabalho e proteínas ou ácidos nucleicos de forma covalente, portanto estável. “Devido ao processo de produção simples e barato, esses sensores podem ser descartados sem a necessidade de tratamentos especiais. Uma das novidades deste biossensor é possibilitar o crescimento de nanoestruturas semicondutoras sobre a região do eletrodo de trabalho, onde proteínas ou ácidos nucleicos podem ser ligados, aumentando assim a superfície de ligação e a sensibilidade de detecção”, explica João Paulo.

Como ele funciona
Em pacientes infectados pelo vírus da hepatite C, o biossensor possibilita a determinação de anticorpos específicos para uma proteína do nucleocapsídio (core) viral. Essa proteína foi produzida no Laboratório de Imunologia Clínica e Biologia Molecular da Unesp de Araraquara, por meio da clonagem da região genômica viral em vetor de expressão bacteriana, sendo usada para a ligação na superfície do eletrodo de trabalho do biossensor. Os anticorpos presentes no soro de indivíduos expostos ao vírus da hepatite C podem ser detectados após formação de complexos antígeno (proteína do core) e os anticorpos da classe de imunoglobulinas G sobre a superfície do eletrodo. Esse complexo formado interfere na transferência de elétrons entre a solução e o eletrodo.No caso do câncer de ovário, o biossensor possibilita a determinação de uma glicoproteína de alto peso molecular denominada antígeno CA 125, que tem sido associada ao desenvolvimento tumoral ovariano. Embora não seja específica desse tecido, em associação com outros parâmetros clínicos e ultrassonográficos essa glicoproteína tem se mostrado um excelente marcador em oncologia ginecológica. Para esse sensor, um anticorpo monoclonal foi ligado à superfície do eletrodo de trabalho, com a finalidade de, na presença do antígeno CA125, no soro de mulheres com suspeita de desenvolvimento tumoral ovariano, ligar-se especificamente a essa glicoproteína, promovendo a interferência na corrente elétrica no sensor.

Várias possibilidades para sua aplicação
O uso do biossensor na identificação de anticorpos direcionados para o vírus da hepatite C e proteínas secretadas por células tumorais, caso do câncer de ovário, tem se mostrado, nos testes, um método sensível e específico. Segundo Paulo Inácio da Costa, da Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Unesp, isso pode se tornar um diferencial principalmente nas etapas iniciais dessas doenças como também para o monitoramento do tratamento.

O sensor foi desenvolvido com o propósito de auxiliar no diagnóstico das referidas doenças de forma isolada. No momento, não é possível obter os dois diagnósticos na mesma reação, porém o biossensor está sendo aprimorado para a detecção conjunta de duas ou mais doenças infecciosas, como também para a avaliação de mais de um tipo de tumor.

Segundo o pesquisador, essa versatilidade possibilita muitas aplicações, não somente para os diagnósticos que foram testados neste modelo do CDMF. Há potencial de ele ser usado na detecção de outras doenças infecciosas, parasitárias, autoimunes, inflamatórias e neurológicas.

"Estamos apresentando um sistema eletroquímico e suas aplicações serão alvo de novas pesquisas, tanto na área da saúde humana quanto animal. Essa praticidade se deve ao fato de o sensor funcionar como um meio que detecta variações eletroquímicas na sua superfície. Isso significa que qualquer substância que possa ser ligada à superfície do eletrodo de trabalho e que na presença de um ligante promova uma mudança no meio, com interferência na corrente elétrica, pode ser avaliada pelo sistema", explica João Paulo de Campos da Costa, do Centro de Desenvolvimento de Materiais Funcionais da Unesp.

Foto: Divulgação/CDMF

Saúde Plena

Ambiente seguro para profissionais e pacientes: o que precisamos saber e fazer?

O que é mais perigoso, viajar de avião ou se internar em um hospital para uma cirurgia?

O cidadão comum, sem passagens por ambientes hospitalares, talvez responda que é andar de avião. As duas situações são igualmente perigosas, mas andar de avião é muito mais seguro na medida em que a indústria aeronáutica e as companhias aéreas adotam milhares de procedimentos de segurança.

Os ambientes hospitalares são estruturas complexas, com muitos ambientes, com equipamentos sofisticados, com materiais perigosos, com instalações de gases sob altas pressões e com estoques de materiais e medicamentos para os pacientes.

Normalmente, os profissionais de saúde são treinados para operar de forma eficiente os equipamentos hospitalares, mas, muitas vezes, estes não sofrem manutenções nos prazos recomendados, ou estas são realizadas por profissionais sem a devida capacitação para assegurar que funcionem com segurança. As instalações e as estruturas prediais devem dispor ainda de dispositivos e de equipamentos para prevenção e combate a incêndios e ter equipes treinadas para tal, o que nem sempre acontece. A prevenção e o controle de infecções é outra área de atuação onde se devem estabelecer procedimentos e ações de prevenção. Estes são alguns exemplos de o porquê dos serviços de saúde ser locais de alto risco para os pacientes, profissionais e visitantes.

A relevância deste assunto é de tal importância, que o Consórcio Brasileiro de Acreditação (CBA) dedicou um capítulo exclusivo sobre gestão do ambiente nas recomendações de seu novo produto: Fundamentos de Qualidade e Segurança no Cuidado ao Paciente, voltado para instituições não acreditadas que desejam seguir padrões mínimos de qualidade e segurança.

Para diminuir os riscos nos ambientes onde são prestados cuidados aos pacientes, algumas medidas devem ser tomadas. O ambiente das instituições de saúde deve sofrer uma inspeção periódica, para diminuir a possibilidade de riscos aos pacientes, profissionais e visitantes e, continuamente, melhorar a segurança do mesmo. É preciso haver, por exemplo, controle de materiais perigosos. A instituição deve começar com uma lista desses materiais existentes, e elaborar um plano para a sua manipulação, armazenamento e utilização.

Não podemos falar em segurança de ambiente sem um plano de segurança contra incêndio, para garantir que todos os ocupantes dos prédios da instituição estejam seguros contra fogo, fumaça e outras emergências. Esse plano deve ser testado, incluindo os equipamentos envolvidos, bem como o conhecimento pessoal sobre como mover os pacientes para áreas seguras, ou promover a completa evacuação do ambiente.

Para a segurança de equipamentos biomédicos deve existir um inventário de todos os equipamentos e profissionais qualificados devem proporcionar adequada operação, inspeção, teste e manutenção preventiva dos mesmos. Água potável e energia elétrica devem estar disponíveis 24 horas por dia, sete dias por semana, através de fontes regulares ou alternativas, para atender necessidades essenciais de atendimento aos pacientes.

Um programa de prevenção e controle de infecção deve ser coordenado por um profissional qualificado na prevenção de infecção e em práticas de controle. Deve existir um programa de higiene das mãos, com base em diretrizes reconhecidas. O programa deve ser eficaz na redução da prevalência e incidência de infecções associadas aos cuidados de saúde. Devem ser utilizados recursos para promover barreiras técnicas (precaução/isolamento), tais como luvas, máscaras, óculos e outros equipamentos de proteção individual. Os profissionais devem ainda receber orientações claras sobre o descarte adequado de materiais perfurocortantes, como agulhas e ampolas de vidro, e sobre o descarte adequado de todos os outros tipos de resíduos produzidos na instituição.

Estas são algumas das medidas adequadas para assegurar que os pacientes estejam seguros, protegidos num ambiente favorável, assim como garantir a segurança dos profissionais. Então, agora que você já conhece algumas dessas medidas: O que é mais seguro, viajar de avião ou se internar em um hospital para uma cirurgia?

* Antonio Jorge D F Santos é engenheiro mecânico, pós-graduado em Análise de Sistemas, especialista em análise de processos e há mais de 25 anos atua na área da saúde. É educador para a melhoria da qualidade e segurança do Consórcio Brasileiro de Acreditação (CBA).

Foto: Reprodução

Nathália Vincentis
Jornalista – SB Comunicação
Tel.: (21) 3798-4357
R. Visconde de Inhaúma, 38/1201,
Centro Rio de Janeiro - RJ - 20091-007

terça-feira, 29 de dezembro de 2015

Por que sentimos formigamentos?

Todo mundo já experimentou a sensação de ter os pés e as mãos dormente

Costumamos chamá-la de “formigamento” porque parece que milhares desses insetos estão percorrendo e mordendo nossa pele sem parar.

A dormência impede que os membros sintam qualquer outra coisa. Não se trata de uma sensação dolorosa, mas sim um tanto incômoda.

Mas basta esperar alguns minutos ou até sacudir a parte atingida para se livrar do desconforto. A sensação em si tem um nome mais pomposo para a Medicina: parestesia. E a variação praticamente inofensiva citada acima é descrita como “parestesia temporária”.

Mas o que está acontecendo no corpo?

Estrada bloqueada
Para entendermos o formigamento, é preciso lembrar que o corpo é formado por inúmeros nervos, que são como estradas biológicas cujo papel é transmitir informações entre o cérebro e o resto do organismo.

Quando você exerce demasiada pressão sobre uma das pernas ou um dos braços, algo fácil de ocorrer por causa da extensão desses membros, você acaba pinçando temporariamente os nervos que correm por ali. Ao mesmo tempo, também são comprimidos os vasos sanguíneos que suprem esses nervos.

Isso faz com que o cérebro deixe de receber as informações que espera virem desses agrupamentos de nervos, enquanto os próprios nervos param de receber o sangue oxigenado que vem do coração. Por isso, quando a pressão é aliviada e o sangue volta a circular nos membros, os nervos começam a disparar informações para o cérebro e a processar as que o cérebro envia.

Traumas mais intensos
Mas nem todo formigamento é temporário. A parestesia crônica pode ocorrer como parte de vários distúrbios neurológicos ou após algum trauma no nervo, como uma queimadura.

Pesquisadores da Universidade McGill e do Hospital Hotel-Dieu, em Montreal, no Canadá, trabalharam com 104 pacientes de queimaduras para entender a dor que perdurava após os acidentes. Muitos continuavam a sentir dor até mesmo um ano depois de sofrer as queimaduras.

Isso ocorre porque esse tipo de dano geralmente destrói nervos e seus receptores, e o tratamento para essas queimaduras envolvem enxertos de pele, que também danificam ou arranham as células nervosas.

Um estudo de 2010 feito pela Universidade de Toronto, no Canadá, reuniu dados de mais de 11 mil “efeitos secundários” relatados durante uma década após o uso de um tipo de anestesia local em consultórios de dentistas.

Entre os que sofreram algum tipo de parestesia, 89% tiveram a língua afetada. O restante sentiu o formigamento nos lábios. Em caso extremo, a parestesia durou 736 dias após o tratamento dentário.

Por isso, ao sentir o incômodo de uma dormência no braço ou na perna por alguns minutos, lembre-se que poderia ser pior.

Sem quais partes do corpo é possível sobreviver?

O corpo humano é formado por inúmeros órgãos responsáveis por garantir nossa sobrevivência. Mas alguns deles não são exatamente essenciais – e são até dispensáveis para a vida

É possível viver com apenas um dos rins com a ajuda da bexiga para filtrar os fluidos

O número de órgãos considerados "prescindíveis", que não são estritamente necessárias à vida, é até surpreendente.

As amígdalas , por exemplo, ainda que protejam as vias respiratórias de uma invasão bacteriana, perdem sua importância após os três anos de idade.

Além disso, por causa de sua função, elas podem ser infectadas facilmente – e é exatamente por isso que, quando as dores e infecções na garganta se tornam recorrentes, a medida aconselhada pelos médicos é a extração das amígdalas. A ausência delas não afeta a resposta imunológica do organismo.

Outro órgão desnecessário – e que muitas vezes nos causa problemas, como apendicite – é o apêndice . Ele não tem função específica no corpo humano e tudo indica que foi útil a nossos ancestrais para digerir alimentos duros, como cascas de árvores. Mas, atualmente, ele não serve para nada.

Alguns cientistas acreditam que, com a evolução da espécie, o apêndice tende a desaparecer. No entanto, esse órgão é rico em células linfoides que combatem infecções e poderia ter algum papel no sistema imunológico.

Ainda assim, tendo ou não uma função, ele pode ser retirado sem causar dano algum ao corpo humano.

Diferente do apêndice, a vesícula , esse pequeno saco verde em forma de pera que se esconde atrás do fígado, é, sim, útil. Ela se encarrega de armazenar a bile e ajuda a digerir os alimentos.

No entanto, quando começa a causar muitos problemas – principalmente nos casos de pedras na vesícula -, ela pode ser eliminada. Quando isso ocorre, é apenas necessário ter alguns cuidados a mais na alimentação – o consumo de comida picante ou gasosa, por exemplo, pode causar diarreia e inchaço.

Outros órgãos que não são estritamente necessários para a nossa sobrevivência são os reprodutores, tanto das mulheres, quanto dos homens: útero, ovários, testículos e próstata . Eles são essenciais para criar novas vidas, mas é possível viver sem eles.

Outro "mistério" que persiste por muito tempo é a existência dos mamilos nos homens. A exemplo do apêndice, os mamilos são partes ou órgãos chamados de "vestigiais", que ao longo da evolução da espécie foram perdendo sua função. Mas no caso dos mamilos, podem causar sérios problemas , pois seus tecido podem formar tumores tão fatais quanto aqueles que acometem mulheres nas mamas.

Danos menores
Com algumas consequências adversas, ainda é possível viver sem mais órgãos. Como as glândulas da tireóide (é possível viver sem elas com a ajuda de tratamentos hormonais), o baço (mas ficamos mais propensos a infecções) e várias veias (temos muito mais do que precisamos).

O próprio cérebro, apesar de ser essencial à vida, pode ter algumas partes retiradas sem grandes danos. Cirurgiões retiraram até metade do cérebro de centenas de pacientes por problemas que não poderiam ser corrigidos de outra forma e, ainda assim, essas pessoas sobreviveram, apesar de carregarem algumas sequelas.

A operação se chama hemisferectomia e não tem efeito na personalidade ou na memória. O que se perde é o uso de um dos olhos e uma das mãos – do lado oposto ao do hemisfério cerebral que foi tirado. Caso o lado ausente seja o esquerdo, também é possível que se tenha mais dificuldade para falar, até que o próprio cérebro se autocorrija.

Há também os casos de órgãos que existem em pares - os pulmões, por exemplo. É possível viver só com um deles, ainda que seja necessário uma preocupação com a respiração, que será mais restrita. Mas é possível ter qualidade de vida com um pulmão só, tudo depende do estado de saúde prévio à cirurgia para a retirada do órgão.

Os rins também existem em pares, mas é possível viver com um só. Sua função principal é "filtrar" os fluidos do corpo e um rim já dá conta de fazer isso, enviando as sobras para a bexiga.

O intestino grosso é outro que pode ter sua função desempenhada pelo intestino delgado após uma adaptação neste órgão. É possível também viver sem o estômago, conectando o esôfago diretamente ao intestino delgado.

Há também um osso da perna, a fíbula ou perônio, que não tem função de sustentação de peso do corpo, então também é de certa forma dispensável. Ela até pode ser utilizada como peça para reparar outros ossos.

Por fim, a última parte das vértebras: o cóccix. Ele é o único vestígio que nos resta de uma cauda. E pode nos causar muitas dores quando caímos e batemos essa parte ao final da coluna. Mas ele pode ser retirado sem maiores sequelas.

Terra/BBC Brasil

Erro médico: operário morre depois de overdose de quimioterapia

Após cirurgia para remoção de tumores, Robert recebeu dose exagerada de medicamentos

Depois de ser diagnosticado de maneira errada, como se tivesse apenas dores nas costas no lugar do câncer que realmente tomava conta de seu organismo, o operário Robert Trivett foi vítima também de outro um erro médico. O inglês, de 49 anos, morreu após ser submetido a uma overdose de quimioterapia.

Depois de chegar ao pronto-socorro de Bristol, na Inglaterra, se queixando de dores nas costas, Trivett foi atendido e ouviu dos médicos que sofria de lombalgia. Pouco tempo depois, no entanto, foi descoberto que ele sofria de uma forma agressiva de câncer, e que precisaria passar, com urgência, por uma cirurgia para remover dois tumores em suas costas. A operação correu bem, mas, no tratamento que veio em seguida, Trivett recebeu uma dose muito além da recomendada de quimioterapia, e acabou morrendo em consequência do erro apenas uma semana depois da sessão.

Sua mulher, Amanda Goodwin, 50 anos, condena o hospital e entrou na justiça pedindo indenização.

— Ele parecia bem, estava bonito. Eles acabaram com a minha vida. Ligaram dizendo que ele tinha morrido, que haviam feito tudo que podiam. A enfermeira estava chorando e eu gritava ao telephone.

Amanda alega que tudo que recebeu do hospital até agora foi uma carta com um pedido de desculpas pelo engano cometido com seu marido. Entre outras coisas, o comunicado diz que a organização está “levando a sério” o caso de Trivett. O hospital diz, ainda, que o caso do operário ficou, por engano, “abaixo do alto padrão” de atendimento oferecido aos pacientes, e que uma investigação será conduzida para descobrir como o erro ocorreu.

Foto: Reprodução/dailymail.co.uk

R7