Aplicativos, carreira, concursos, downloads, enfermagem, farmácia hospitalar, farmácia pública, história, humor, legislação, logística, medicina, novos medicamentos, novas tecnologias na área da saúde e muito mais!


segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

‘Diário da dor’ ajuda a descobrir as causas da dor de cabeça e enxaqueca

Há mais de 200 causas de dor de cabeça. Para saber o melhor tratamento é importante descobrir a causa


Todo mundo sente dor de cabeça, mas tem dia que é demais. Parece que a dor está presa na cabeça e nada faz sair. Será que algumas pessoas têm o cérebro mais sensível do que as outras? O Bem Estar conversou com a neurologista Thaís Villa, que é chefe do setor de investigação e tratamento das cefaleias da Unifesp, e também com o consultor e ginecologista José Bento.

De acordo com a neurologista, há mais de 200 causas de dor de cabeça. Cerca de 4% a 5% da população apresenta dor de cabeça crônica diária – dores que ocorrem por mais de 15 dias ao mês por três meses sucessivos – e a enxaqueca é a principal causa. É ela que mais prejudica a qualidade de vida.

As cefaleias tensionais são as dores de cabeça mais comuns. Como são mais leves, raramente os pacientes procuram ajuda. Já na enxaqueca, a dor de cabeça é um dos sintomas, ao lado de tontura, enjoos, sensibilidade à luz, entre outros, e tem origem em um defeito genético. Alguns fatores desencadeiam as crises de enxaqueca, como estresse, sono, jejum, período menstrual e determinados alimentos

Diário da dor
Para saber o melhor tratamento para dor de cabeça é importante descobrir a causa. A engenheira Daniela Miguel sofreu com enxaqueca a vida inteira, mas conseguiu controlar as dores depois que descobriu, junto com o médico, as causas do problema. “Fui portadora de enxaqueca desde os seis anos. Eu tinha crises muito fortes, tenho memórias de várias internações no hospital. Minha adolescência inteira, minha faculdade inteira. Fiz inúmeros tratamentos e nunca consegui me curar. Já perdi festa de formatura da melhor amiga, aniversário de pessoa querida, porque a enxaqueca não tem hora pra vir.”

Os remédios davam um alívio, mas não resolviam o problema. Até que o médico deu uma dica que mudou tudo: um diário da dor de cabeça. Ela anotava tudo: o que tinha comido, se tinha tido uma boa noite de sono, passado por uma situação de estresse mais intensa, se teve dor de cabeça e se precisou tomar remédio. Foi assim durante quatro anos, até que ela descobriu o que era o gatilho para as dores de cabeça nas crises de enxaqueca. Com essas informações, Daniela e o médico identificaram dois gatilhos: os hormônios da menstruação e alimentos que faziam parte da rotina, como gorduras e alguns produtos industrializados.

Detox de medicamentos
E quando as dores de cabeça não passam mesmo tomando um monte de remédio? Pode ser a hora de trocar de tratamento. Para fazer isso, o corpo precisa passar por um verdadeiro detox de medicamentos para limpar o organismo. Foi o que fez a comerciante Cibele Granado. Ela tinha crises de dor de cabeça. Nelas, ela não conseguia fazer nada, precisava ficar quieta, no escuro. Nenhum remédio adiantava e de uma a duas vezes por ano ela ficava internada.

A enxaqueca deixava tudo mais difícil. Ela precisava de ajuda até para cuidar do filho. Mas isso faz parte do passado. Hoje Cibele é outra pessoa. Antes, o tratamento era feito a base de analgésicos fortes. “Os remédios eram caros. Um comprimido custava R$ 20 e eu tomava todo dia, praticamente”, conta. Para melhorar, ela precisou limpar o organismo. “Desintoxicar. Eu estava intoxicada de tanto remédio que tomei em todos os anos.”

Depois da desintoxicação, ela passou a tomar remédios de controle. São neuromodulares, para que o cérebro não entenda qualquer estímulo como dor. Para aliviar as dores de cabeça do tipo tensional, o tratamento também inclui aplicações de toxina botulínica nos músculos da cabeça e do pescoço

 Em pequenas quantidades, a toxina relaxa os músculos tensos e a dor diminui. Ela também passou a manter uma caderneta em que anota tudo o que acontece no dia a dia. É o diário do tratamento e já dá para perceber a melhora. A expressão ‘sem dor’ faz parte de uma nova rotina. “É muito bom, até ponho um ponto de exclamação, porque eu não sabia o que era isso durante muito tempo. Eu não sabia o que era ter a cabeça leve, sem dor. Esse ano foi diferente, foi muito melhor.”

A neurologista Thaís Villa esclarece que o tratamento com toxina botulínica é indicado apenas para casos de enxaqueca crônica, após avaliação de médico neurologista especialista, e que sua ação é reduzir a liberação de substâncias inflamatórias e neurotransmissores que causam a dor, não estando relacionada ao relaxamento muscular.

G1

Imprudência que arde: veja como evitar a pele torrada pelo sol

Pele vermelha, queimada, torrada. Basta andar pelas praias para ver que há muita gente brincando com coisa séria. Mas a saúde da pele é tão importante quanto a de todo o resto

Imprudência que arde: veja como evitar a pele torrada pelo sol Bruno Alencastro/Agencia RBS
Foto: Bruno Alencastro/Agência RBS
Luiz Fernando Fernandes achou que conseguiria se proteger sozinho: não deu

Era a segunda vez na vida que o metalúrgico Giovani Vonmuhln, 25 anos, de Colinas, no Vale do Taquari, pisava em uma praia. Talvez a euforia de aproveitar o final de semana em Remanso o fez cometer um dos descuidos mais fatais aos veranistas: ter vergonha de pedir para alguém passar protetor em suas costas.

O sentimento que toma conta dezenas de orgulhosos não leva em conta que é anatomicamente impossível (para a maioria) alcançar com os dedos toda a região. O erro de cálculo custa caro e o sol cobra os juros durante dias com ardência constante e noites mal dormidas.

– Fui passar protetor sozinho, não alcancei tudo, daí torrou. Nas costas, ficou uma marca bizarra – contou rindo o jovem de sotaque carregado.

Mesmo com um desenho abstrato em vermelho vivo no meio da paleta, adquirido no dia anterior, o metalúrgico estava no sol novamente neste domingo pela manhã. Parece que nem a ardida marca o fez mudar a estratégia:

– Hoje (domingo) passei protetor sozinho de novo. Não está ardendo, acho que não vou torrar tanto como sábado – afirmou, pouco convicto.

O descuido alimentado pela autoconfiança também fez o estudante de Educação Física Luis Fernando Fernandes, 29 anos, ganhar uma queimadura que pintava de vermelho parte de suas tatuagens no centro das costas.

– Uso protetor com fator 50 por causa do meu tipo de pele. Venho de uma descendência de pessoas claras. Acabei não alcançando a parte das costas. Espalhei bem nos ombros, mas o centro ficou desprotegido e acabei pegando um torrão – conta o estudante, hospedado em Capão da Canoa. Mesmo na companhia de suas três primas, o jovem, que toma um torrão por ano, não aceitou ajuda para espalhar o protetor solar nas áreas inalcançáveis do corpo.

– Elas até ofereceram ajuda, mas fui meio orgulhoso e não quis. Acabei me lascando. Foi total falta de cuidado – explica Fernando.

Após o torrão, o jovem correu para a farmácia e comprou cremes hidratantes e gel refrescante para aguentar a noite. Para dormir, só de barriga pra baixo.

– Como só vim no final de semana, quis tentar pegar um bronzeado pra dizer que estive mesmo na praia. Mesmo com o torrão, voltei. Azar, quero aproveitar o dia – pontua o veranista. A enfermeira Lilian Jacobs, 28 anos tomava sol de barriga para baixo deitada em uma cadeira enquanto exibia as consequências de um descuido: as costas rosadas contrastavam com os braços e pernas mais claros. A jovem de Novo Hamburgo foi reforçar o bronzeado sozinha no sábado e também não conseguiu proteger a região mais marcada por torrões durante o verão.

– Passei protetor, mas tem lugares nas costas que não alcançamos. Esse já é o segundo torrão do verão, por isso não está me ardendo. Sempre no inicio da temporada tomo o primeiro vermelhão, e depois vai baixando e vira bronzeado. Foi um descuido – conta Lilian que usa protetor fator 30.

Torrão pré-praia só piora a situação
Alguns querem aproveitar o sol da beira-mar já preparados. Para “quebrar o branco” antes de pisar nas areias, muitos apelam para a piscina e até para um dia de bronzeamento no pátio. A técnica de enfermagem Roselia da Rosa, 32 anos, adotou a estratégia antes do veraneio em Arroio do Sal. Bastou uma tarde na beira da piscina em Três Coroas para o sol pintar o corpo de Roselia com marcas vermelhas abstratas.

– Só passei protetor no rosto, nas minhas tatuagens e nos joelhos e achei que um dia não seria capaz de torrar tanto. Me ferrei e estou toda marcada. Meu marido até chamou minha atenção porque dele e do meu filho eu sempre cuido – conta a técnica.

Mesmo com áreas queimadas em boa parte do corpo, Roselia não quis deixar de aproveitar o final de semana quente na beira da praia e se expôs ao sol ao meio-dia:

– Usei protetor fator 50 hoje (neste domingo), mas depois passei óleo bronzeador por cima – admite, envergonhada. – O último torrão que tomei era criança. Agora, depois de adulta, estou pagando mico na praia.

O incrédulo
Geralmente a parte esquecida na hora de passar o protetor é lembrada pela ardência no outro dia. Não foi o caso de Adonis Teixeira, 56 anos, que não tinha uma parte “torrada”, mas praticamente todo o corpo. O funcionário público de Caxias do Sul é daqueles que não acreditam no “poder” do protetor solar.

– Fui caminhar com minha esposa e ela me encheu o saco para passar protetor. Sou daqueles que nunca acha que o sol vai pegar e quando chega de noite fica um camarão. Como dizem os gringos de Caxias: “daí dá os ardumes, né?!” – conta.

Mesmo queimado, Adonis manteve-se cético e não comprou hidratante porque, segundo ele, “não achava que estava doendo”. No dia seguinte, deu uma carregada no protetor: – O cara começa a ficar velho e vai tomando mais cuidado. Não é o meu caso. Agora, vou me guardar para o próximo verão.

DICAS DE ESPECIALISTA
Popularmente conhecido como torrão, a queimadura solar pode ser de dois tipos: superficial ou profunda. De acordo com a dermatologista Ana Bárbara Scheibe, Gestora do serviço de Dermatologia do Hospital Mãe de Deus, a queimadura solar, na verdade, é uma reação inflamatória da pele em resposta à agressão da radiação ultravioleta do sol. Pode ser mais superficial, apresentando apenas eritema (vermelhidão) e ardência ou acometer uma profundidade maior da pele ocasionando edema e bolhas.

O QUE FAZER DEPOIS?
- A principal indicação é ficar longe do sol.

- Refrescar a pele com banhos ou compressas de água fria, evitando usar sabonetes e esfoliantes no banho, pois ressecam a pele que já está sensibilizada.

- Produtos refrescantes e calmantes contendo calamina, cânfora, aloe vera podem ajudar a diminuir a sensação da pele queimada.

- Ingerir muita água (em torno de dois litros por dia).

- Em casos de queimaduras mais intensas e profundas, com bolhas e dor, procure um dermatologista. Essas lesões podem necessitar de uso de medicamentos tópicos e orais para o tratamento da queimadura.

O QUE NÃO FAZER?
- Não invente de acreditar em soluções caseiras como vinagre, iogurte, mostarda ou pasta de dentes. Isso pode piorar o quadro inflamatório.

- Nunca estoure as bolhas. Elas são como um curativo natural da pele. Se a bolha romper espontaneamente, não retirar a pele que fica flácida, pois é ela que protege a pele nova que está embaixo.

- Não adianta se besuntar de hidratante após virar um camarão. A loção hidratante não previne que a pele descasque após o torrão. O produto apenas traz conforto e alívio para a sensação de ressecamento e ardência da pele.

E O ACELERADOR DE BRONZEADO?
O bronzeamento é uma defesa natural do organismo para proteger a pele contra a radiação ultravioleta que vem do sol. O bronze é um escudo natural. O acelerador de bronzeado não possui fator de proteção solar, tornando a pele suscetível a queimaduras, por isso não é recomendado. Alguns estudos demonstram que essa aceleração artificial pode causar envelhecimento precoce e câncer de pele, em alguns casos.

PARA UM BRONZEADO SAUDÁVEL
- Evitar o sol entre as 10h e 16h.

- Usar filtro solar com fator de proteção mínimo de 30, reaplicado a cada duas a três horas ou a cada saída da água.

- Proteger o couro cabeludo com bonés ou chapéus.

- Não esquecer do uso de protetor solar labial e óculos de sol para proteger os olhos.

Zero Hora

Mel, melado, melaço e xarope de agave são alternativas saudáveis de adoçantes naturais

Conheça as propriedades nutricionais e características de cada um deles

Adoçar a vida com açúcar branco, refinado industrialmente, não oferece nada ao organismo além de glicose — que, em excesso, transforma-se em gordura após ingerida. Para tornar os doces mais nutritivos, especialistas recomendam a substituição do açúcar tradicional pelos de origem natural, como o mel, o melado, o melaço e o xarope de agave, opções que oferecem micronutrientes como ferro e cálcio. Saiba mais sobre cada uma delas e escolha a sua.

Mel
Mais popular na mesa dos gaúchos, o mel costuma ser o mais indicado pela nutricionista Débora Vargas, pós-graduada em Ciências do Esporte e Nutrição Clínica Funcional. Além de ter menor custo de mercado do que os outros açúcares naturais, o mel é um alimento equilibrado, pois tem os três tipos de açúcares em sua composição: a glicose, a frutose e a sacarose. Outra vantagem, segundo a nutricionista, é que a glicose do mel é absorvida rapidamente pelo corpo, o que faz do alimento um ótimo repositor energético. E a frutose, de absorção mais lenta, promove a liberação de energia durante o exercício.

— É um produto ideal para manter os níveis de açúcar no sangue estáveis durante o exercício físico ou repor energia depois. Corredores podem ingerir uma colher de sopa rasa antes ou depois da corrida — explica.

Por ter ferro em sua composição, o mel também é benéfico para quem tem carência do mineral. Outra vantagem é que o alimento ajuda a melhorar a imunidade, por isso a dica de incluí-lo em chás para a gripe é tão famosa.

MEL

PRODUÇÃO
É produzido por abelhas a partir do néctar das flores

BENEFÍCIOS
Contém ferro, ajuda a aumentar a imunidade e é uma boa fonte de energia

RECOMENDADO PARA
Quem tem carência de ferro, está gripado ou resfriado ou para reposição energética de atletas

CONTRAINDICADO PARA
Crianças com menos de um ano e gestantes, devido ao risco de contaminação. Diabéticos devem ingerir sob orientação de um nutricionista, pois o consumo pode levar à hiperglicemia e, em excesso, ao aumento de peso

Dados nutricionais (para 100g)
Calorias: 309 kcal
Cálcio: 6mg
Ferro: 0,42mg
Magnésio: 2mg
Frutose: 38,19%
Glicose: 31,28%


Melado e melaço
Originários da cana, o melado e o melaço têm ainda mais ferro do que o mel, por isso seriam os mais indicados para quem tem anemia, por exemplo.

Esses alimentos também têm boas quantidades de cálcio, sendo indicados para idosos ou pessoas com problemas nos ossos. A quantidade de minerais varia um pouco em cada alimento. Enquanto o melado é mais rico em ferro, o melaço tem quantidade superior de cálcio.

Assim como o mel, esses produtos melhoram a imunidade, segundo a professora de Nutrição da Feevale, Denise Ruttke Dillenburg Osório.

MELADO

PRODUÇÃO
É produzido a partir da evaporação do caldo de cana

BENEFÍCIOS
Tem maior quantidade de ferro do que o mel, também ajuda a melhorar a imunidade e tem quantidade significativa de cálcio.

RECOMENDADO PARA
Quem tem carência de ferro, está gripado ou resfriado e, principalmente, idosos com problemas nos ossos

CONTRAINDICADO PARA
As restrições são as mesmas do mel

Dados nutricionais (para 100g)
Calorias: 297 kcal
Cálcio: 102 mg
Ferro: 5,4 mg
Magnésio: 2,62 mg
Frutose: 12,79%
Glicose: 11,92%

MELAÇO

PRODUÇÃO
Se obtêm como resíduo da fabricação do açúcar

BENEFÍCIOS
Tem menos ferro que o melado, mas o dobro de cálcio. Também ajuda a melhorar a imunidade e tem quantidade significativa de magnésio

RECOMENDADO PARA
Quem tem carência de ferro, está gripado ou resfriado e, principalmente, idosos com problemas nos ossos

CONTRAINDICADO PARA
As restrições são as mesmas do mel


Dados nutricionais (para 100g)

Calorias: 290 kcal
Cálcio: 205 mg
Ferro: 4,72 mg
Magnésio: 242 mg
Frutose: 12,79%
Glicose: 11,92%

Xarope de Agave
Para muitos uma novidade, o xarope de agave é um açúcar extraído de um cacto de origem mexicana. É o mais indicado pela nutricionista Bárbara Pelicioli Riboldi para quem pretende perder peso, pois tem mais frutose do que glicose em sua composição — enquanto o mel, o melado e o melaço são equilibrados.

— O agave tem um índice glicêmico bem melhor do que os outros, então a absorção do açúcar pelo organismo é mais lenta. Isso faz com que a sensação de saciedade dure por mais tempo — explica a especialista.

O agave também tem ferro e cálcio, mas em quantidades bem menores do que os outros adoçantes naturais. Nele se destacam o potássio e o magnésio, minerais benéficos para a reposição energética após as atividades físicas. A desvantagem do produto é o preço: chega a custar três vezes mais do que o mel.

Recentemente, estudos sobre os malefícios da frutose foram associados ao agave, e alguns sites divulgaram que o adoçante natural seria até pior que o açúcar refinado. Bárbara explica que essas pesquisas estudaram a frutose isolada, adicionada a alimentos como refrigerantes ou sucos artificiais, e não a frutose natural dos alimentos, como das frutas ou do agave, por exemplo.

— Isso foi bastante discutido, porque alguns pacientes inclusive deixaram de comer frutas. É claro que comer doce demais faz mal, mas todos os adoçantes naturais são mais nutritivos que o açúcar refinado, sendo assim uma melhor opção — afirma.

XAROPE DE AGAVE

PRODUÇÃO
É produzido a partir de um cacto de origem mexicana

BENEFÍCIOS
Tem mais frutose do que glicose, por isso a absorção do açúcar pelo organismo é mais lenta. Contém quantidade significativa de potássio

RECOMENDADO PARA
Quem quer perder peso, em substituição ao açúcar refinado. Por ser mais doce, uma pequena quantidade substitui a doçura do açúcar branco. Seria o mais indicado para os diabéticos

CONTRAINDICADO PARA
Não há pesquisas sobre o risco de contaminação. Em relação aos demais fatores, a restrição é a mesma

Dados nutricionais (para 100g)
Calorias: 310kcal
Cálcio: 1mg
Ferro: 0,09mg
Magnésio: 1mg
Potássio: 4mg
Frutose: 55,60%
Glicose: 12,43%

Vá com calma
Não é por serem mais nutritivos que o açúcar comum que esses adoçantes naturais devem ser consumidos em excesso. O abuso desses produtos poderá ocasionar ganho de peso. Além disso, a professora do curso de Nutrição da PUCRS e doutora em Ciências da Saúde Carla Piovesan alerta para o risco do desenvolvimento de diabetes.

— Não é incomum receber pacientes adultos no consultório que, depois de uma alimentação descontrolada e rica em açúcares, tenham desenvolvido diabetes do tipo 2 — afirma.

Fontes: Nutricionistas Carla Piovesan, Bárbara Pelicioli Riboldi, Débora Vargas e Denise Ruttke Dillenburg Osório.

Fontes das tabelas nutricionais: Dados da Tabela Brasileira de Composição dos Alimentos (TACO) 2011 e da Tabela Americana de Composição dos Alimentos (USDA) 2015, divulgados pela nutricionista Bárbara Pelicioli Riboldi.

Zero Hora

Movimente-se para evitar a Trombose

Linha do tempo: Vírus Zika e casos de microcefalia

Desde que recebeu a notificação de um número atípico de bebês com microcefalia no estado de Pernambuco, o Ministério da Saúde tem concentrado esforços nas investigações dos casos

linha do tempo abre

Da notificação até hoje, várias ações já foram realizadas, inclusive a confirmação da relação entre os casos de microcefalia e a infecção do Zika Vírus durante a gestação. O Ministério atua de forma integrada com as secretarias estaduais e municipais de saúde e conta com o apoio de instituições nacionais e internacionais.

Confira a linha do tempo das ações do Ministério da Saúde e as ações de destaque nestes quase três meses de investigações e pesquisas.

22 de outubro
Notificação e investigação dos casos de microcefalia em Pernambuco Imediatamente após a notificação, uma Equipe de Resposta Rápida às Emergências em Saúde Pública do Ministério da Saúde - formada inicialmente por seis profissionais epidemiologistas – viajou para Recife para apoiar as Secretarias de Saúde do estado e dos municípios nas investigações de campo. O fato também foi comunicado à Organização Mundial de Saúde e Organização Pan-americana de Saúde, conforme os protocolos internacionais de notificações de doenças.

26 de outubro
Ministério da Saúde envia equipe para acompanhar a investigação dos casos no estado de Pernambuco. E a situação foi comunicada à Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) e Organização Mundial de Saúde (OMS).

10 de novembro
Ativação do Centro de Operações de Emergência em Saúde (COES) O Ministério da Saúde ativou o Centro de Operações de Emergência em Saúde (COES), em Brasília. Um mecanismo de gestão de crise, que reúne as diversas áreas para determinar resposta ao evento de forma que o assunto seja tratado como prioridade.

11 de novembro
Situação de Emergência em Saúde Pública de Importância Nacional Diante da situação, o Ministério da Saúde declarou Emergência em Saúde Pública de Importância Nacional para dar maior agilidade às investigações. O mecanismo está previsto em lei para casos de emergências em saúde pública que demandem medidas urgentes de prevenção, controle e contenção de riscos, danos e agravos à saúde pública.

13 de novembro
Primeiras orientações às gestantes Para o início imediato da prevenção, o Ministério da Saúde lançou uma série de recomendações para as gestantes a fim de diminuir as infecções com o Vírus Zika. Confira as orientações na matéria do Blog da Saúde (http://www.blog.saude.gov.br/agenda-ms/50345-orientacoes-as-gestantes-sobre-os-casos-de-microcefalia)

17 novembro
Boletim Epidemiológico de Microcefalia passa a ser divulgado semanalmente pelo Ministério da Saúde. Divulgado o primeiro boletim epidemiológico sobre microcefalia. Até aquele momento, haviam sido notificados 399 casos da doença em recém-nascidos de sete estados da região Nordeste.

18 de novembro
Formulário online notificação imediata das secretarias de saúde Para aumentar a eficiência da notificação dos casos de microcefalia foi disponibilizado um formulário online para o uso dos gestores e profissionais de saúde de cada estado. Foi acionado o Grupo Estratégico Interministerial de Emergência em saúde Pública de Importância Nacional e Internaciona

28 de novembro
Confirmação da relação entre o vírus Zika e a microcefalia Um exame em um bebê que faleceu pouco após o nascimento no Ceará com microcefalia e outras malformações congênitas confirmou a relação entre o vírus Zika e o surto de microcefalia. O Instituto Evandro Chagas identificou em amostras de sangue e tecidos a presença do vírus Zika. Foi uma descoberta inédita na pesquisa científica mundial e fundamental para dar continuidade aos esclarecimentos sobre questões como a transmissão desse agente, a sua atuação no organismo humano, a infecção do feto e período de maior vulnerabilidade para a gestante. 04 de dezembro Chegada das Forças Armadas em Pernambuco

05 de dezembro
Plano Nacional de Enfrentamento à Microcefalia
O Plano criado pelo Grupo Estratégico Interministerial de Emergência em Saúde Pública de Importância Nacional e Internacional (GEI-ESPII), envolve 19 órgãos e entidades e abrange três eixos: Mobilização e Combate ao Mosquito; Atendimento às Pessoas; e Desenvolvimento Tecnológico, Educação e Pesquisa. Essas medidas emergenciais foram colocadas em prática para intensificar as ações de combate ao mosquito.

08 de dezembro
Protocolo emergencial de vigilância e resposta aos casos de microcefalia relacionados à infecção pelo Zika
Foi lançado o protocolo emergencial de vigilância e resposta aos casos de microcefalia relacionados à infecção pelo Zika com o objetivo de passar informações, orientações técnicas e diretrizes aos profissionais de saúde e equipes de vigilância. O protocolo orienta a definição de casos suspeitos de microcefalia durante a gestação, caso suspeito durante o parto ou após o nascimento, critérios para exclusão de casos suspeitos, sistema de notificação e investigação laboratorial.

09 de dezembro
Reunião da presidenta Dilma Rousseff com os governadores.

11 de dezembro
Envio de larvicida para os estados
O Ministério da Saúde enviou larvicida aos estados do Nordeste e Sudeste em quantidade suficiente para tratar um volume de água equivalente a 3.560 piscinas olímpicas. As 17.9 toneladas do produto utilizado para eliminar as larvas do mosquito Aedes aegypti são suficientes para proteger 8.9 bilhões de litros de água. O larvicida é utilizado quando não é possível eliminar o foco de água parada, local de reprodução do mosquito. Início das atividades da Sala Nacional de Coordenação e Controle.

14 de dezembro
Protocolo de Atenção à Saúde e Resposta à Ocorrência de Microcefalia Relacionada à Infecção pelo Vírus Zika
O Ministério da Saúde lançou o Protocolo de Atenção à Saúde e Resposta à Ocorrência de Microcefalia Relacionada à Infecção pelo Vírus Zika, que orienta o atendimento desde o pré-natal até o desenvolvimento da criança com microcefalia, em todo o País. O principal objetivo do Protocolo é orientar as ações para a atenção às mulheres em idade fértil, gestantes e puérperas, submetidas ao vírus Zika, e aos nascidos com microcefalia.

17 de dezembro
Esclarecimento de boatos da internet
Para esclarecer os boatos que circularam nas redes sociais, nos aplicativos de bate-papo e informar a população, o Ministério da Saúde intensificou as ações redes. Confira a matéria publicada no Portal Saúde (http://portalsaude.saude.gov.br/index.php/cidadao/principal/agencia-saude/21291-ministerio-esclarece-boatos-sobre-virus-zika).

18 de dezembro
16 laboratórios em funcionamento para diagnostico Zika
O Ministério da Saúde capacitou 11 laboratórios públicos para realizar o diagnóstico de Zika, além das cinco unidades referência no Brasil que já realizavam este tipo de exame. Totalizando 16 centros com o conhecimento para fazer o teste.

07 de janeiro
Reforço no combate ao Aedes aegypti no Mato Grosso do Sul
Foram reforçadas, no Mato Grosso do Sul, as ações de combate ao Aedes aegypti. O Plano Emergencial de Vigilância do Combate ao Aedes aegypti no Estado do Mato Grosso do Sul previa um levantamento de focos do mosquito por região. O levantamento foi nserido no sistema e-Endemias do estado, e as informações - como dados de procedimentos de combate, controle, prevenção e redução do índice de infestação do mosquito -, serviram para nortear as ações que serão desenvolvidas em cada município.

08 de janeiro
Plano Emergencial de Enfrentamento às doenças transmitidas pelo Aedes aegypti é lançado no Maranhão
O estado do Maranhão lançou o Plano Emergencial de Enfrentamento às doenças transmitidas pelo Aedes aegypti. Com objetivo de fortalecer a rede de assistência à saúde para o enfrentamento da dengue, chikungunya e Zika. O plano estadual visou programar ações e metas com a finalidade de interromper em curto prazo a transmissão das doenças por meio do controle do vetor.

13 de janeiro
Lançamento das diretrizes para estimulação precoce de bebês com microcefalia
O Ministério da Saúde disponibilizou, a todos os profissionais e gestores do país, as Diretrizes de Estimulação Precoce: Crianças de 0 a 3 anos com atraso no desenvolvimento neuropsicomotor decorrente de microcefalia. São orientações aos profissionais das equipes da Atenção Básica e Atenção Especializada para a estimulação precoce. O conteúdo é direcionado às crianças com microcefalia, podendo ser aplicado ainda a outras condições ou agravos de saúde que interfiram no desenvolvimento neuropsicomotor.

15 de janeiro
Governo federal destina R$ 500 milhões extras para combate ao Aedes aegypti e a microcefalia
A presidenta Dilma Rousseff sancionou recurso de R$ 1,27 bilhão para o desenvolvimento das ações de vigilância em saúde, incluindo o combate ao mosquito Aedes aegypti, em 2016. A este montante será adicionado R$ 600 milhões destinados à Assistência Financeira Complementar da União para os Agentes de Combate às Endemias. Para intensificar as ações e medidas de vigilância, prevenção e controle da dengue, febre chikungunya e Zika também foi aprovado R$ 500 milhões extras, sobretudo, por conta da situação de emergência em saúde pública de importância nacional que o país vive.

16 de janeiro
Ministério da Saúde encomendou 500 mil testes para diagnóstico de zika, chikungunya e dengue

linha do tempo

Fonte: Blog da Saúde

Página especial na internet trata da 'pílula do câncer'

O Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) criou um espaço especial na internet com informações sobre a fosfoetanolamina, elemento da "pílula do câncer


O ministério destaca que espaço foi criado dante da repercussão da distribuição da substância para fins terapêuticos no tratamento do câncer pelo Instituto de Química de São Carlos (IQSC) da Universidade de São Paulo (USP).

Atualmente, MCTI e o IQSC, de forma articulada, estão estudando a segurança e a eficácia da fosfoetanolamina em instituições nacionais de excelência e com reconhecida experiência na pesquisa e desenvolvimento de fármacos.

A página "Pesquisa sobre fosfoetanolamina" explica que a substância que foi sintetizada pela primeira em 1936 por Edgar Laurence Outhouse, do Departamento de Pesquisas Médicas do Instituto Banting da Universidade de Toronto, Canadá. No Brasil, começou a ser estudada por Gilberto Orivaldo Chierice, no início dos anos 1990. Ele integrava o Instituto de Química de São Carlos da Universidade de São Paulo.

A partir de resultados preliminares animadores em alguns modelos experimentais em linhagens celulares de câncer e em animais teve início o uso em alguns pacientes portadores de câncer na região da cidade de São Carlos (SP), destaca o MCTI. Em novembro de 2015, o governo liberou R$ 2 milhões para pesquisas sobre a fosfoetanolamina.

Visite a página do MCTI com informações sobre a fosfoetanolamina.

Fonte: Portal Brasil, com informações do MCTI

Brasil se transformou em disseminador do zika vírus pelas Américas

Viajantes que passaram pelo país levaram o vírus para 13 nações com condições favoráveis à propagação do mosquito Aedes

O primeiro caso de transmissão local (autóctone) do zika vírus no Brasil foi confirmado em maio passado. Era o início do que, em novembro, o Ministério da Saúde reconheceria como um surto provocado pelo arbovírus até então restrito à África, à Ásia e ao Pacífico. Pelo tamanho geográfico e pelos atrativos turísticos, o país acabou se transformando em um disseminador de zika, alertam pesquisadores da Universidade de Toronto, no Canadá. Segundo um artigo divulgado por eles, na revista The Lancet, viajantes infectados aqui introduziram a doença em pelo menos 13 nações que reúnem condições ambientais favoráveis para a proliferação do Aedes aegypti e do Aedes albopictus, os dois tipos de mosquito que perpetuam a transmissão local da doença, além da chikungunya, da dengue e da febre amarela.

“Os Jogos Olímpicos no Brasil, em agosto de 2016, aumentam a necessidade de consciência sobre esse vírus emergente”, destacaram os autores no artigo publicado. Soma-se ao quadro de preocupação a possível relação do micro-organismo com o aumento de casos de microcefalia — a presença de RNA de zika no fluido amniótico embasa a tese. Até o último sábado, foram notificados 3.893 casos suspeitos de microcefalia no país, distribuídos em 764 cidades de 21 unidades da Federação.

Werciley Júnior, infectologista e chefe da Comissão de Controle de Infecção do Hospital Santa Lúcia, ressalta que de 70% a 80% dos infectados são assintomáticos, não apresentam os sintomas de zika. “Inclusive as grávidas. A maioria delas só fica sabendo que teve a doença quando é constatada microcefalia relacionada ao vírus. Como nem todo mundo apresenta sintomas, muitas infecções passam despercebidas”, diz.

As notificadas, porém, trazem um cenário de expansão da doença que demanda cuidado. No início desta semana, a Organização Pan-americana de Saúde (Opas) confirmou que a previsão dos especialistas canadenses foi, pelo menos em parte, concretizada: o zika vírus se alastrou por praticamente toda a América Latina e o Caribe, diz a entidade.

Os cientistas de Toronto criaram um modelo global de propagação de zika a partir da adaptação de outra fórmula sazonal para a dengue. Ambos incluem dados sobre condições climáticas e nichos ecológicos dos mosquitos. Com dados da Associação Internacional de Transporte Aéreo, a equipe mapeou os destinos finais de viajantes internacionais que partiram de aeroportos localizados em regiões propícias à transmissão constante de zika durante o ano. As viagens ocorreram entre setembro de 2014 e agosto de 2015.

O LandScan — conjunto de dados sobre a população global — também foi utilizado para que os pesquisadores conseguissem estimar a quantidade de pessoas habitando regiões fora do Brasil que oferecem risco potencial para a transmissão autóctone do vírus. Segundo as estimativas, 9,9 milhões de viajantes partiram dos aeroportos brasileiros próximos a regiões com zika. Desses, 65% foram para as américas; 27%, para a Europa; e 5%, para a Ásia.

O volume de passageiros foi maior para Estados Unidos (2.767.337), Argentina (1.314.694), Chile (614.687), Itália (419.955), Portugal (411.407) e França (404.525). China e Angola receberam a maior quantidade de pessoas que voaram para a Ásia (84.332) e a África (82.838).

Argentina, Itália e EUA têm mais de 60% de populações residindo em áreas propícias à zika sazonal. México, Colômbia e EUA têm aproximadamente 30,5 milhões; 23,2 milhões e 22,7 milhões de pessoas, respectivamente, em áreas propícias à transmissão durante todo o ano. Nesta semana, a Bolívia confirmou um caso autóctone de zika e a Colômbia registrou mais de 11 mil casos da febre. Há uma semana, os Estados Unidos recomendaram às grávidas evitarem viagens para as regiões em que há surto da doença.

Foco no vetor
Os especialistas da Opas acreditam que o vírus da zika pode ter vindo de ilhas do Pacífico em 2014. Sylvain Aldighieri, chefe do Departamento de Doenças Transmissíveis da entidade, diz que o risco e a preocupação devem ser os mesmos para todos os países da América. “O mosquito está presente em todos eles e, portanto, gera os mesmos desafios que a epidemia de dengue”, diz Aldighieri, afirmando que a “prioridade absoluta” é a luta contra o vetor. “Isso inclui médicos bem preparados, enfermeiros bem treinados e grupos capacitados para identificar áreas em que o mosquito está presente e atuando para sua eliminação”, lista.

O combate ao inseto também é o que defende Jason Tetro, pesquisador em microbiologia e autor dos livros The germ files (O arquivo dos germes, em tradução livre) e The germ code (O código dos germes, em tradução livre). “Podemos ver o vírus em viajantes, mas a forma mais comum de disseminação é o mosquito. Claro, ele não tem nacionalidade nem passaporte. Então, não podemos colocar a culpa sobre o Brasil ou sobre qualquer outro país ou seus cidadãos. Além disso, o zika só era encontrado na África e no Sudeste Asiático. Ele chegou ao Brasil por algum lugar.”

Tetro alerta para o risco de a doença se transformar em um problema global. “Eu não acredito que o Brasil está sozinho nesse caso, mas, sim, que foi apenas o primeiro a olhar para o problema que, em breve, pode se transformar em uma epidemia, já que outros países estão tendo contato com o vírus”, explica. O Ministério da Saúde informou que não tem medidas específicas para o combate da doença em aeroportos.

Como vacinas e terapias antivirais contra o zika vírus ainda não existem, os pesquisadores da Universidade de Toronto também fazem um alerta, especialmente para as grávidas, sobre a necessidade de usar repelente e evitar horários em que o mosquito está mais ativo. Embora a doença tenha baixa mortalidade, os sintomas podem incomodar mais do que os da dengue e os da chikungunya. Pacientes apresentam dor no corpo, coceiras e conjuntivite, em alguns casos.

Transmissão no útero é confirmada
Pesquisadores da Fiocruz e da Universidade Católica do Paraná confirmaram que o zika vírus pode ser transmitido no útero. A conclusão é baseada em análises da placenta de uma mulher com sintomas da infecção e que sofreu um aborto no primeiro trimestre da gestação. Virologista e integrante da equipe de pesquisa, Claudia dos Santos diz que, embora não seja possível relacionar a descoberta aos casos de microcefalia e outras alterações congênitas, o resultado confirma a transmissão intrauterina do zika vírus. A Fiocruz anunciou uma parceria com o Instituto D’Or de Pesquisa e Ensino para uma pesquisa com minicérebros infectados pelo patógeno. A meta é descobrir como o vírus provoca a microcefalia.

Combate genético
Isolado, pela primeira vez, em abril de 1947 na Uganda, o zika vírus alastrou-se: o primeiro surto ocorreu em 2007 na Ilha Yap, na micronésia; e, entre 2013 e 2014, o micro-organismo chegou à Polinésia Francesa, de onde se espalhou pelo Pacífico. Nesse cenário de superação de limites geográficos, especialistas tentam encontrar formas de combater o inimigo pela genética.

Uma das iniciativas é do Instituto Pasteur da Guiana, na Guiana Francesa. “Poucos genomas completos estão disponíveis para o zika vírus e, até essa análise, nenhuma para o tipo circulante nas Américas”, conta Dominique Rousset, uma das autoras da pesquisa, publicada na revista The Lancet. As cepas encontradas no Suriname pertencem ao genótipo asiático e parecem ser a mais estreitamente relacionadas com a estirpe que circulou na Polinésia Francesa, com a qual compartilham mais de 99,7% e 99,9% da identidade de nucleótidos e de aminoácidos.

O Brasil tem iniciativas semelhantes, sendo uma delas na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Lá, os cientistas mapeiam em quais regiões do estado há maior circulação viral. “A parte de pesquisa básica é justamente investigar a origem do vírus, se é africana ou asiática. Os bancos de dados mundiais têm pouca informação sobre o zika, e os pesquisadores estão justamente trabalhando para descrevê-lo com mais precisão”, diz Josélio Maria Galvão de Araújo, integrante do estudo, ressaltando, em seguida, a importância do esforço para a prevenção da doença.

“As ações de profilaxia são as únicas alternativas para nos ajudar a compreender onde o vírus está e a qual linhagem viral pertence. Assim, podemos sequenciá-la e saber se alguma delas é mais virulenta e agressiva que as outras”, explica.

Foto: Reprodução

Correio Braziliense

Processo Seletivo na Prefeitura de Pontal - SP

A Prefeitura de Pontal, em São Paulo, torna público o edital nº 01/2016 de processo seletivo, destinado à contratação imediata de 49 profissionais de níveis fundamental e superior. O certame fica sob os cuidados da empresa RBO Assessoria Pública e Projetos Municipais Ltda.

As oportunidades são para os cargos de Agente Comunitário de Saúde, Enfermeiro PSF, Fonoaudiólogo e Psicólogo. O salário ofertado vai de R$ 1.054,72 a 3.230,92, em carga horária de 20 a 40 horas por semana.

Os interessados devem realizar suas inscrições no período de 25 de janeiro a 4 de fevereiro de 2016, via Internet, no endereço eletrônico www.rboconcursos.com.br.

O valor da taxa de inscrição é de R$ 24,00 (ensino fundamental) e R$ 26,00 (ensino superior).

A prova objetiva será aplicada na cidade de Pontal/SP, na data provável de 21 de fevereiro de 2016, em local e horário a serem previamente informados no site da organizadora.

O processo seletivo será válido por um ano, a contar da data da homologação do certame, podendo ser prorrogado por igual período.

Concurso Prefeitura de Barra Velha - SC reabre inscrições

No Estado de Santa Catarina, a Prefeitura de Barra Velha reabriu as inscrições do concurso público regido pelo edital nº. 003/2015. Sob a coordenação técnica do Instituto o Barriga Verde-IOBV, o concurso pretende recompor parte do quadro efetivo de servidores, ofertando 41 vagas para níveis fundamental, médio e superior.

Cargos: Agente Comunitário de Saúde, Agente de Controle da Dengue, Atendente de Consultório Dentário, Técnico em Enfermagem, Técnico em Higiene Dental, Assistente Social, Cirurgião Dentista da Família, Enfermeiro, Farmacêutico, Fisioterapeuta, Médico da Família, Médico Psiquiatra, Nutricionista, Professor de Ed. Física, Psicólogo e Terapeuta Ocupacional.

Os salários são de até R$ 10.621,36, para carga horária de 20 a 40h semanais, lembrando que ficam reservadas 5% das vagas às pessoas portadoras de necessidades especiais. A inscrição somente será efetuada via internet, pelo site www.iobv.org.br, até 22 de fevereiro de 2016.

Para os candidatos que não possuem acesso à rede mundial de computadores (internet), o município disponibilizará atendimento gratuito na Biblioteca Professora Dolores Olinger Jimenes Hernandes, situada na Av. Prefeito Thiago Aguiar, nº 100, Centro, Barra Velha/SC, no horário de atendimento das 8h às 11h30min e das 13h30min às 17h.

O valor da taxa de inscrição é de:
Nível superior: R$ 100,00;
Nível médio: R$ 70,00;
Nível fundamental: R$ 40,00.

O concurso consistirá de prova objetivas, práticas e títulos. A prova objetiva será aplicada na data provável de 6 de março de 2016 e o gabarito preliminar será divulgado em 7 de março de 2016.

O prazo de validade do concurso é de dois anos, contados da publicação do ato de homologação do resultado final do presente edital, podendo ser prorrogado por igual período, a critério do poder executivo.

Concurso Prefeitura de Paranapuã - SP

A Prefeitura de Paranapuã, em São Paulo, lançou edital de concurso público n° 001/2016, para preenchimento de 24 vagas em cargos de níveis fundamental, médio e superior. Os rendimentos vão até R$ 2.215,03 em carga horária de 20 ou 40 horas semanais.

Este certame terá a execução técnico-administrativa da empresa GL Consultoria em Desenvolvimento Social e Ação Educativa S/S Ltda. As vagas são para Agente de saúde, Coletor de lixo, Motorista, Recepcionista/Telefonista, Serviços diversos, Escriturário, Lançador tributário, Profissional I.E.C. (Informação, Educação e Comunicação), Secretário administrativo, Técnico agropecuário, Técnico em enfermagem, Tesoureiro, Assistente Social, Coordenador do Centro de Referência de Assistência Social - CRAS, Dentista - ESF, Enfermeiro padrão, Médico clínico geral - ESF, Médico ginecologista, Médico pediatra, Procurador jurídico e Psicólogo.

A inscrição deverá ser efetuada até 14 de fevereiro de 2016 (horário de Brasília) através de formulário específico disponível na página eletrônica da GL Consultoria (www.glconsultoria.com.br). As taxas variam de R$ 30,00, R$ 40,00 e R$ 55,00 de acordo com a função escolhida.

A prova escrita será realizada no Município de Paranapuã, prevista para o dia 21 de fevereiro 2016, das 9h às 12h, na Escola Municipal Edson Rodrigues dos Santos Júnior, localizada à Avenida Antônio Gomes de Castro S/Nº. (Compartilhado com a Escola Estadual Prefeito José Ribeiro) Centro, Paranapuã, Estado de São Paulo.

A realização da prova prática está prevista para o mês de fevereiro de 2016 e a convocação dos candidatos contendo data, horário e local de realização será oportunamente publicada em jornal oficial de circulação no município e nos sites da Prefeitura e GL Consultoria.

A validade do concurso público será de dois anos, contados da data de Homologação Final dos Resultados Finais, podendo ser prorrogado por igual período, a critério do Prefeito Municipal de Paranapuã, para preenchimento de cargos vagos e dos que vierem a vagar na sua vigência. 

Prefeitura de Franco da Rocha - SP abre concurso público

A Prefeitura de Franco da Rocha, em São Paulo, abriu os editais n°s 03 e 04/2015 de concurso público para a contratação de 80 novos servidores municipais, em níveis fundamental, médio e superior. Por meio da empresa CKM Serviços Ltda, as remunerações variam entre R$ 772,34 a R$ 3.621,05, para desempenhar atividades em jornadas semanais que vão de 12h a 40 horas semanais.

Cargos No edital nº 03/2015, estão disponíveis 79 vagas para os seguintes cargos: Agente de Controle de Vetores, Agente de Fiscalização, Auxiliar Administrativo, Auxiliar de Consultório Dentário, Auxiliar de Necropsia, Motorista (fundamental), Agente de Trânsito, Técnico em Higiene Bucal, Auxiliar de Educação (médio), Arquiteto, Assistente Social, Biólogo, Cirurgião Dentista Enfermeiro, Engenheiro Civil, Fisioterapeuta, Fonoaudiólogo, Médico nas áreas de Cardiologista, Dermatologista, Endocrinologista, Gastroenterologista, Nefrologista, Neurologista, Oftamologista, Ortopoedista, Otorrinolaringologista, Pneumologista, Proctologista, Psiquiatra, Reumatologista, Legista, Vascular, Urologista, Psicólogo e Terapeuta Ocupacional (superior). Já no edital nº 04/2015, há uma oportunidade para o cargo de Procurador do Município. Podem se inscrever profissionais com graduação em Direito e inscrição na OAB.

Inscrições e Taxas
As inscrições foram prorrogadas e os interessados pelas vagas do edital n° 03/2015 podem ser inscrever até 04 de fevereiro de 2016, enquanto que os candidatos aos cargos do edital n° 04/2016, até o dia 09 de fevereiro de 2016, ambos no site www.ckmservicos.com.br. As taxas de participação são de R$ 30,00 e R$ 60,00.

Provas
Os candidatos inscritos serão classificados por meio de provas objetivas, práticas e de títulos. As avaliações estão previstas para serem aplicadas nos dias 21 de fevereiro a 06 de março de 2016, a depender do cargo/edital disputado.

Validade
Estes concursos terão validade de um ano, contado a partir da data da homologação do resultado final, podendo ser prorrogado uma vez, por igual período.

Prefeitura de Santos - SP promove concurso nº 03/2016

A Prefeitura de Santos, no litoral de São Paulo, lançou novo edital (03/2016 SEGES) para realização de concurso público, pelo IBAM, que servirá para a admissão de novos servidores de diversas áreas profissionais. São oferecidas mais de 90 vagas para contratações imediatas, além das oportunidades reservadas para candidatos com deficiência, nos níveis fundamental e médio.

As vagas são para: Agente cultural, Agente de portaria, Almoxarife, Atendente de ouvidora, Auxiliar de cenografia, Auxiliar de saúde bucal, Cenógrafo, Desenhista - Projetista, Fiscal de posturas municipais, Guia de turismo regional, Oficial de administração, Operador social, Técnico de agrimensura, Técnico de contabilidade, Técnico de enfermagem, Técnico de informática, Técnico de nutrição, Técnico de prótese dentária, Técnico de refrigeração, Técnico de segurança do trabalho, Técnico em biblioteconomia, Técnico em equipamentos biomédicos e Técnico em saúde bucal.

O salário proporcionado aos contratados poderá oscilar entre R$ R$ 1.164,23 e R$ 2.365,34, mais benefícios, por jornada de trabalho que pode chegar a 40 horas semanais.

As inscrições só podem ser feitas pela internet, de 25 de janeiro a 25 de fevereiro de 2016, no site da organizadora IBAM (http://www.ibamsp-concursos.org.br), mediante pagamento da taxa de inscrição que varia de R$ 49,00 a R$ 65,00, de acordo com a vaga pretendida.

Todos os que tiverem suas inscrições homologadas, serão selecionados por meio de prova escrita objetiva, com data de aplicação prevista para 20 de março ou 03 de abril de 2016, em local e horário a serem comunicados antecipadamente. Os candidatos serão classificados por ordem decrescente da pontuação final, em listas de classificação para cada cargo.

O certame terá prazo de validade de um ano e está sujeita a prorrogação por mais um ano, desde que esteja em conformidade com a Prefeitura de Santos.

Edital e demais atualizações devem ser conferidos pelos candidatos: http://www.ibamsp-concursos.org.br.

Dúvidas sobre inscrições e cadastro podem ser enviadas para o e-mail: atendimento@ibamsp-concursos.org.br

Fonte: http://www.santos.sp.gov.br/static/files/conteudo/PDF_Saude/Edital%2003%20-%20Fundamental%20e%20M%C3%A9dio%20-%2021-01%20-%20definitivo_1.pdf

Concurso Prefeitura de Campo Grande - MS

A Prefeitura de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, torna público o edital nº 03/01/2016 de concurso público. A finalidade é selecionar profissionais de ensino fundamental, para a contratação de 310 novos servidores permanente.

Serão contratados profissionais no cargo de Agente Comunitário de Saúde. O salário ofertado é de R$ 1.014,00, em carga horária semanal de 40 horas.

As inscrições podem ser feitas no período de 25 de janeiro a 23 de fevereiro de 2016, na área de residência desejada, de acordo com os mapas das áreas de operacionalização da Estratégia de Agente Comunitário de Saúde - EACS.

Os mapas estão a disposição dos candidatos nos sites www.capital.ms.gov.br e www.fapec.org/concurso.

O valor da taxa de inscrição é de R$ 60,00.

A seleção dos inscritos se dá através de provas escrita objetiva e teste de aptidão física - TAF.

A prova objetiva será aplicada na data provável de 10 de abril de 2016, em local e horário a serem divulgados com antecedência.

O concurso público será válido por dois anos, contados a partir da data da publicação da sua homologação, podendo ser prorrogado por igual período.

Concurso Prefeitura de Santos - Edital 02/2016

A Prefeitura de Santos, em São Paulo, por meio da Secretaria da Gestão (SEGES), informa que está realizando concurso público sob a responsabilidade do Instituto Brasileiro de Administração Municipal – IBAM, para os seguintes cargos de nível superior:

Advogado, Analista de Sistemas, Arquiteto, Assistente Social, Bibliotecário, Biólogo, Cirurgião Dentista, Contador, Economista, Enfermeiro Obstetrícia, Enfermeiro Enfermagem do Trabalho, Engenheiro Civil, Engenheiro Química, Engenheiro Segurança do Trabalho, Farmacêutico, Fiscal Ambiental, Fiscal de Obras, Geólogo, Instrutor de Ballet, Instrutor de Educação Musical (Violão e Teoria Musical), Médicos (diversas especialidades), Professor de Educação Física, Psicólogo (Clínica e Organizacional) e Sociólogo.

De acordo com o edital 02/2016 - SEGES, são oferecidas mais de 80 vagas, havendo possibilidade de formação de cadastro reserva. O valor da remuneração é variável de R$ 2.931,28 a R$ 6.463,26 e todos terão direito a auxílio alimentação (R$ 359,26), entre outras gratificações, dependendo do cargo ocupado.

As inscrições ficam abertas até o dia 15 de fevereiro de 2016, pela internet, no portal eletrônico: www.ibamsp-concursos.org.br. O valor a ser recolhido pela inscrição é de R$ 88,00.

O concurso constará de Prova Escrita Objetiva para todos os inscritos homologados, prevista para 13 de março de 2016, além de Prova de Produção Téxtual e Prova de Títulos, conforme o cargo pretendido.

Edital, anexos e atualizações devem ser conferidos: http://www.ibamsp-concursos.org.br/site/concursos/documentos/468.

Todas as dúvidas não sanadas a partir da leitura atenta do edital, devem ser encaminhadas para o e-mail: atendimento@ibamsp-concursos.org.br

Concurso Prefeitura de Aguaí - SP

A Prefeitura de Aguaí, em São Paulo, divulgou o edital nº 001/2016 de concurso público, a ser executado pelo Instituto Excelência. De acordo com o regulamento, os vencimentos ofertados podem chegar até R$ 4.985,25, em jornadas de trabalho de 20 até 44 horas por semana.

As chances são para Almoxarife, Auxiliar de Classe, Auxiliar de Dentista, Auxiliar de Farmácia, Auxiliar Laboratório, Bioquímico , Chefe de Almoxarifado , Chefe de Tributação, Chefe de Patrimônio, Cirurgião Dentista, Controle Interno , Eletricista , Eletricista de Autos, Engenheiro Civil , Farmacêutico , Fiscal , Fisioterapeuta , Fonoaudiólogo , Funileiro , Guarda Municipal, Lavador de Autos, Lubrificador, Mecânico , Médico Cardiologista, Clínico Geral , Ginecologista, Neurologista , Oftalmologista , Pediatra , Otorrinolaringologista, Ortopedista , Plantonista , Psiquiatra , Veterinário , Nutricionista , Pedreiro , Pintor , Procurador Jurídico , Professor de várias disciplinas, Psicólogo , Serviços Gerais, Técnico em Informática, Técnico em Raio X, Vigia e Lixeiro.

As inscrições devem ser feitas até às 12h de 12 de fevereiro de 2016, pelo site: www.institutoexcelenciapr.com.br.

O valor da taxa de inscrição varia de R$ 10,00 até R$ 16,00. Os inscritos serão selecionados através de provas escrita objetiva, prática, análise de títulos, teste psicológico e prova de aptidão física.

A prova objetiva será aplicada em dia, local e horário a serem comunicados no quadro de avisos da Prefeitura Municipal de Aguaí, e divulgada também nos sites www.institutoexcelenciapr.com.br e www.aguaí.sp.gov.br, provavelmente a partir de 18 de fevereiro de 2016.

O prazo de validade deste Concurso Público será de dois anos, contados a partir da data de sua homologação, podendo ser prorrogado uma vez, por igual período, segundo interesse da Administração.

CIAS – MG abre vagas para nível médio e superior

O Consórcio Intermunicipal Aliança para a Saúde - CIAS, em Minas Gerais, publicou edital 006/2016 de processo seletivo, com o objetivo de contratar 68 profissionais, de nível médio ou superior. O salário dos selecionados varia de R$ 1.151,67 até R$ 6.287,37.

As 68 vagas estão distribuídas para profissionais que atuem como Médico, Enfermeiro, Técnico em Enfermagem, Condutor Socorrista e Auxiliar Administrativo, que irão prestar serviço nos municípios de Ouro Preto e Mariana.

As inscrições podem ser feitas nos dias 25 e 26 de janeiro de 2016, na Secretaria Municipal de Saúde de Ouro Preto, localizada na Avenida Juscelino Kubitschek, nº 31, Bauxita, 3º andar, Sala 01, das 9h às 16h.

Os interessados devem ir ao local da inscrição munidos de documentos que constam no edital.

Os inscritos serão selecionados por Análise de Curriculum e por Entrevista, etapas que ocorrerão no município de Ouro Preto – MG.

A data e local da entrevista serão informados no http://consorcioalianca.saude.mg.gov.br/.

O processo seletivo terá prazo de validade de três meses, podendo ser prorrogado por semelhante período.

Edital completo aqui: http://consorcioalianca.saude.mg.gov.br/.

Concurso Prefeitura de Resende - RJ

A Prefeitura de Resende, no Rio de Janeiro, torna público editais de concurso e processo seletivo, visando selecionar profissionais de ensino fundamental, médio e superior, para o preenchimento de 473 vagas. Os certames ficam sob os cuidados do Instituto Brasileiro de Educação e Gestão.

O edital nº 001/2016 de concurso oferta 293 vagas nos cargos de Agente Sócio Educativo, Auxiliar Secretaria Escolar, Cuidador de Educando Necessidades. Especial, Monitor de Creche em Educação Infantil, Tradutor Intérprete de Libras, Professor de várias de disciplinas, Médico de várias especialidades, Orientador Educacional, Supervisor Pedagógico e Supervisor Educacional.

No edital nº 002/2016 de concurso, são ofertadas cinco vagas nos cargos de Assistente Previdenciário, Técnico Previdenciário, Técnico Proc. de Dados, Contador e Médico Perito. Já o edital nº 001/2016 de processo seletivo, dispõe de 175 vagas no cargo de Agente Comunitário de Saúde - ACS.

Os vencimentos ofertados vão de R$ 884,19 a R$ 2.564,17, em jornadas de trabalho de 20 até 40 horas semanais. Para se candidatar a uma dessas oportunidades acesse o site: www.ibeg.org.br até 21 de fevereiro de 2016.

O valor da taxa de inscrição varia entre R$ 19,00, R$ 22,00 e R$ 38,00.

Os inscritos serão submetidos a provas escrita objetiva e análise de títulos, de acordo com os métodos de avaliação de cada cargo.

A prova objetiva está prevista para ser aplicada no dia 3 de abril de 2016, em local e horário a serem divulgados pela organizadora.

Concurso Prefeitura de Macatuba - SP

A Prefeitura de Macatuba, Estado de São Paulo, publicou edital de concurso público n° 001/2016 com a finalidade de preencher 10 vagas para cargos de níveis fundamental, médio e superior, por salários de até R$ 2.629,16 em carga horária de 10 a 44 horas semanais.

A organização, aplicação e correção do concurso público serão de responsabilidade da CONSESP – Concursos, Residências Médicas, Avaliações e Pesquisas Ltda. As ofertas são para os cargos de Assistente Social, Médico do Trabalho, Médico Ginecologista, Médico Ortopedista, Médico Neuropediatra, Médico Pediatra, Médico Psiquiatra, Professor de Educação Infantil, Professor de Ensino Fundamental e Guarda de Patrimônio.

As inscrições, nos valores de R$ 26,41 a R$ 78,87, serão feitas exclusivamente via internet, no site www.consesp.com.br, até o dia 09 de fevereiro de 2016.

As provas objetivas (escritas) serão realizadas provavelmente no dia 13 de março de 2016, em locais a serem divulgados por meio de Edital próprio que será afixado no local de costume da Prefeitura, por meio de jornal com circulação no município e do site www.consesp.com.br, com antecedência mínima de 3 dias.

O gabarito oficial e a prova objetiva (teste de múltipla escolha) serão disponibilizados no site www.consesp.com.br, por meio da busca por CPF/RG, entre as 13h e 18h da segunda-feira subsequente à data da aplicação da prova, e permanecerão no site pelo prazo de 5 (cinco) dias.

A validade do concurso público será de dois anos, contados da homologação final dos resultados, podendo haver prorrogação por igual período, a critério da Administração.

Pediatra dá nove dicas para quem vai visitar um bebê recém-nascido

Antes de se aproximar dos pequenos é essencial
lavar as mãos
O desejo de prestigiar a chegada de uma nova pessoa na família ou no círculo de amizades deve ser acompanhado de alguns cuidados para garantir o bem-estar da criança e não sobrecarregar a mãe em um momento tão delicado como o puerpério

A chegada de uma criança à família é sem, dúvida, uma das grandes emoções da vida. A vontade de compartilhar esse momento com a mãe e o pai do bebê é tão grande que muitas pessoas sequer conseguem esperar a alta da maternidade. E por incrível que pareça, nesses casos, quanto maior é a intimidade com o casal também aumentam as chances de deslizes como os palpites fora de hora, a duração da visita e o respeito à privacidade.

Por tudo isso, a primeira regra de etiqueta é perguntar qual o melhor momento para esse primeiro encontro. Se existem algumas famílias que acham prático a visita ainda no hospital – por não precisarem se importar com a organização da casa e com a alimentação dos convidados -, para outras é essencial que, antes de abrir as portas da casa, a amamentação já esteja consolidada e o bebê bem integrado à rotina dos pais.

Pouco se fala sobre o puerpério e, para quem ainda não é pai ou mãe, a sensação de que a chegada de um bebê é um universo cor-de-rosa e repleto exclusivamente de amor – percepção sustentada no viés machista de que a maternidade é a maior realização da vida de uma mulher – é, na grande maioria dos casos, equivocada. O início da maternidade é um período difícil de adaptação para todos os membros do núcleo familiar e pode ser de muita solidão para a mulher, lembrando que a licença-paternidade no Brasil é de apenas cinco dias.

Além do período de recuperação do parto - não podemos esquecer que 52% dos bebês do país nascem de cesariana e 53,5% das mulheres que têm seus bebês de parto normal são submetidas à episiotomia (corte que se faz entre a vagina e o ânus e também necessita de pontos) -, a sucessão de noites mal dormidas, a dedicação ao aleitamento materno, as cólicas do recém-nascido e a preocupação com os cuidados do bebê podem ser razões para adiar um pouco a primeira visita. Geralmente, é a partir do terceiro mês que as mães ficam mais abertas e tranquilas para receber convidados.

Membro da Sociedade de Pediatria do Rio Grande do Sul (SPRS), Ilson Enk destaca algumas regras básicas de comportamento para não atrapalhar o início da convivência da família com o bebê.

Sem beijo
Muitas pessoas já sabem disso, mas nunca é demais lembrar. Para evitar disseminar alguma doença ou virose, uma importante dica é não pegar na mão do bebê ou beijá-lo. Antes de se aproximar dos pequenos é essencial higienizar as mãos.

Não peça para a mamãe acordar o bebê
Ok que você pode ter esperado muito por esse momento, mas se por acaso, o bebê estiver dormindo quando for visitá-lo, não peça para que seja acordado. O sono da criança deve ser respeitado. Lembre-se que mãe e pai passam noites acordados e esse é o momento que eles têm para fazer outras atividades e relaxar um pouco. Aproveite o momento para conversar e dar atenção a eles.

Evite visitas em horários de refeição
O ideal é que se coma antes de ir visitar um bebê para que a família não tenha que se preocupar em preparar um lanche. Um recém-nascido altera a rotina da casa como um todo e é raro que um pai e uma mãe consigam terminar uma refeição sem deixá-la esfriar e muitos menos que consigam se alimentar ao mesmo tempo. Por isso, evite os horários de almoço e jantar. Também pode ser gentil levar uma comida pronta para oferecer aos pais que nem sempre têm tempo para cozinhar.

Só pegue o bebê se a mãe oferecer
Por mais que a vontade de sentir aquele bebê nos braços seja grande, contenha-se. Só pegue a criança no colo se a mãe oferecer.

Não dê palpites sobre amamentação ou colo
Segure a língua. Lembre-se que o leite materno é o melhor e o mais completo alimento para um bebê. Até os seis meses de vida, a criança não precisa nem de água. O colo também é fundamental para um recém-nascido. A ideia de que dar colo é criar crianças dependentes não se sustenta no conhecimento científico produzido sobre a infância que mostra que quando o bebê tem suas necessidades atendidas, ao contrário do que se pensa, se sente mais confiante e esse sentimento vai favorecer o desenvolvimento da independência e da autonomia.

Não use perfumes fortes
Lembre-se que o bebê tem um olfato sensível e que a criança também pode ter alergias ou restrições.

Não tire fotos sem a autorização da mãe
Não é toda família que gosta de expor as crianças nas redes sociais. Aproveite o momento com o bebê e os pais e guarde-o na memória. No caso de famílias que curtem os registros, é só evitar os flashes para não incomodar o bebê.

Hora de amamentar é hora de a visita ir embora
Apesar de estarem surgindo cada vez mais leis em cidades brasileiras que garantam o direito da amamentação em público – BH está em vias de ter a sua -, não é toda mãe que se sente confortável em amamentar seu bebê na frente de outra pessoa. Por isso, se a criança começou a ficar incomodada e dar sinais de fome, aproveite para se despedir ou então pergunte se a mãe gostaria de amamentá-la reservadamente.

Ajude
A pilha de louças para lavar está grande? Ofereça ajuda. É comum que as tarefas da casa se acumulem para que mãe e pai possam se dedicar e se revezar no cuidado com o bebê. Se a criança estiver dormindo ou tenha acabado de mamar, você também pode se oferecer para cuidar do bebê um pouco para que a mãe possa tomar um banho relaxado ou fazer uma refeição tranquila.

Saúde Plena

Pés: veja como evitar o ressecamento, aparecimento de bolhas e proliferação de micoses

Todo cuidado é pouco para manter os pés longe dos problemas típicos do verão

A estação mais quente do ano chegou e é praticamente impossível usar sapatos fechados nesse calor que bate recordes de temperatura. Ainda mais com meias! No verão, a tendência é usar sandálias rasteiras e chinelos. Andar descalço, em certos lugares e ocasiões, chega a ser lei. Mas, expostos, os pés podem sofrer com os problemas típicos do verão, como ressecamento, aparecimento de bolhas e proliferação de micoses. Nesse sentido, todo cuidado é pouco nesta época, dizem especialistas.

O agravamento desses problemas pode ocasionar fissuras nos pés e até sangrar, formando uma porta de entrada para bactérias, além de causar muita dor. Segundo Magnum Braz Silva Queiroz, podólogo e professor do Instituto Educacional e Clínica São Camilo, para não correr esse risco, os pés precisam estar sempre muito bem hidratados no verão.

O profissional explica que a hidratação tem de ser endógena (de dentro para fora) e exógena (de fora para dentro). “Como estamos no verão, a pele tem tendência de ficar cada vez mais ressecada. Por isso, é importante se preocupar com a hidratação. Inicialmente, é preciso beber muita água e sucos naturais. Depois, tem de se preocupar com o uso de cremes específicos, porque a pele dos pés é mais espessa.”

Além do aparecimento das fissuras, há ainda a possibilidade do aparecimento das calosidades. “Alguns calçados que são usados nesta época favorecem o aparecimento dos calos. Quando isso ocorre, é necessário avaliação de um médico ou de um podólogo para definir a causa e tratar o problema da melhor forma.”

A princípio, segundo Magnum, o uso do calçado que causa o atrito deve ser suspenso. “Esse é o ponto principal. A pessoa tem de detectar o sapato que provocou a calosidade e parar de usar. Depois, deve buscar ajuda de um profissional para verificar qual será o tratamento mais adequado.”

Em todos os casos, o acompanhamento podológico é fundamental. “É o profissional capacitado quem vai checar a causa das rachaduras, por exemplo, a fim de detectar se elas são resultado apenas da falta de hidratação ou de patologias como diabetes, hipertensão, problemas vasculares, obesidade e até mesmo de cardiopatias.”

O aparecimento de micoses também é comum no verão. Elas podem ser adquiridas na areia da praia, em piscinas, vestiários dos clubes e saunas. O tratamento dessas doenças requer tempo. Sendo assim, o melhor, de acordo com o professor, é prevenir. A micose pode piorar com o tempo e ainda abrir caminho para outras doenças, pois deixa a área afetada bastante frágil e com baixa imunidade.

“Micoses são comuns no verão, são provocadas pelos fungos, que gostam de ambientes quentes e úmidos. Quando a gente vai ao clube, por exemplo, fica com os pés constantemente úmidos. Então, alguns cuidados devem ser tomados. Nunca devemos entrar na sauna, por exemplo, sem chinelo. E ainda tomar cuidado ao sentar nos degraus para não pegar micose na virilha.”

Frieira
Segundo o especialista, a micose mais comum é a interdigital, a famosa frieira. “Ela é ocasionada pelo calor excessivo e pela umidade dos pés. Para eliminá-la, é só lavar o local com um sabonete antisséptico e enxugar bem entre os dedos.”

Magnum acrescenta que nunca se deve usar pomadas para esse tipo de micose. “O erro das pessoas é passar pomadas, que deixam o ambiente ainda mais úmido, piorando a situação. Se for necessário, o recomendado é o uso de soluções à base de álcool, aerossol... de líquidos que vão secar o local. Há aerossóis antifúngicos específicos.” Há ainda a micose plantar, que surge debaixo dos pés. “Nesse caso, utiliza-se um creme antifúngico. Não pode ser um creme comum, porque ele vai alimentar os fungos”, explica o profissional.

As micoses das unhas, conhecidas como onicomicoses, também podem surgir no verão. “A melhor solução para o tratamento desse problema é à base de esmalte ou aquosas. O remédio vai penetrar melhor. Óleos essenciais também, porque são puros e de fácil penetração. Um exemplo é o óleo de malaleuca, antifúngico potente, que mata uma grande gama de fungos.”

O especialista afirma, ainda, que os famosos escalda-pés devem ser evitados quando as pessoas são portadoras de doenças de base, como a diabetes. “Depende do paciente e da indicação. O escalda-pés não é indicado para qualquer pessoa. Pode ser feito por profissional habilitado para promover o relaxamento dos pés, mas nunca para quem tem doença de base.”

Saúde Plena

Na Europa, zika foi confirmado na Itália, Espanha, Inglaterra e Portugal

Itália registrou quatro casos em março de 2015, divulgou imprensa local. Espanha, Inglaterra e Portugal também tiveram casos, além de EUA e Israel

Aedes Aegypti mosquito da dengue (Foto: CDC-GATHANY/PHANIE/AFP)
Foto: CDC-Gathany/Phanie/AFP

A Itália registrou quatro casos de contágio do vírus zika em março de 2015, informou ontem (domingo, 24) a imprensa local. Os pacientes, procedentes do Brasil, recuperaram-se totalmente. Entre os casos, três foram tratados no hospital Lazzaro Spallanzani, em Roma, especializado em doenças infecciosas, enquanto o quarto foi hospitalizado em Florença.

Reino Unido
Neste sábado, o serviço público de saúde da Inglaterra tinha confirmado três casos da infecção em britânicos que retornaram ao Reino Unido após viagens à América do Sul. Eles foram infectados na Colômbia, Suriname e Guiana. O governo britânico ressaltou que o zika vírus "não se encontra de forma natural" nas ilhas britânicas e que "não se contagia diretamente de pessoa a pessoa".

Espanha
Na sexta-feira, a imprensa noticiou que duas mulheres também foram diagnosticadas com zika na Espanha, segundo a agência EFE. Elas são da Améria do Sul e vivem na Catalunha. De acordo com autoridades de saúde, elas foram infectadas durante viagens para seus países de origem no fim do ano passado. Não há risco para a população da região.

Portugal
Já em Portugal, foram confirmados quatro casos de zika em portugueses que voltaram de viagens ao Brasil, segundo comunicado publicado pela Direção-Geral da Saúde do país em 15 de janeiro.

Estados Unidos
Nesta sexta-feira, autoridades de saúde do estado de Nova York, nos Estados Unidos, divulgaram que três pessoas testaram positivo para o vírus da zika. Segundo o jornal New York Times, todos os infectados viajaram para países onde o vírus está se espalhando com rapidez. O Centro de Prevenção e Controle de Doenças dos Estados Unidos (CDC) informou que, entre 2015 e 2016, 12 casos de zika foram confirmados no país. Em todos eles, os pacientes foram contaminados durante viagens a outros países.

Israel
A imprensa israelense também noticiou na semana passada o caso de uma criança de dois anos diagnosticada com o zika no país depois de uma viagem à Colômbia.

G1

Anvisa determina apreensão de lote de medicamento falsificado

A Anvisa determinou a apreensão e a inutilização do lote 1704 do medicamento genérico Succinato Sódico de Cloranfenicol 1g, pó liófilo para solução injetável intravenosa

O antibiótico apreendido é indicado contra vários tipos de infecções causadas por bactérias.

Tanto o lote 1704 fabricado em julho de 2013, com validade até julho de 2015 como o lote 1704 com data de fabricação em julho de 2014 com validade até julho de 2016, são desconhecidos pela empresa Novafarma Indústria Farmacêutica Ltda., que possui o registro do produto.

O lote citado é uma falsificação do medicamento, já que a empresa desconhece a existência do mesmo.

A medida está na Resolução 211/2016, publicada segunda-feira (25/1), no Diário Oficial da União (DOU).

ANVISA