Aplicativos, carreira, concursos, downloads, enfermagem, farmácia hospitalar, farmácia pública, história, humor, legislação, logística, medicina, novos medicamentos, novas tecnologias na área da saúde e muito mais!


sábado, 9 de julho de 2011

Remédio para TPM feminina

Portugal: Museu da Farmácia em Lisboa

OMS adverte que tabaco pode matar 8 milhões de pessoas por ano

De acordo com a entidade, 30 países já incluíram medidas na legislação para conter o avanço do vício

Genebra - A Organização Mundial da Saúde (OMS) alertou nesta quinta-feira que oito milhões de pessoas morrerão anualmente até 2030 por causa do tabaco, caso seja mantida a tendência atual de consumo no mundo todo.

Aproximadamente 80% destas mortes prematuras acontecerão em países menos desenvolvidos. "No decorrer do século XXI, o tabaco poderia matar 1 bilhão de pessoas se não forem tomadas medidas urgentes", adverte o relatório da OMS apresentado em Genebra.

A OMS iniciou em 2008 a Convenção-Quadro para o Controle do Tabaco, que propõe medidas aos países para reduzir o consumo de tabaco, como a criação de zonas livres de fumo, advertências gráficas nos maços, proibição da publicidade, aumento dos impostos ao tabaco e campanhas de conscientização.

Segundo o relatório da OMS, 55% da população mundial é afetada por alguma dessas medidas e 1,1 bilhão de pessoas (17% da população mundial) estão protegidas por políticas completas de prevenção do tabaco desde 2008.

A OMS ressalta que foram registrados avanços em todas as áreas e que já são 30 os países que incluíram em suas legislações alguma medida contra o tabaco. As campanhas midiáticas de conscientização sobre os perigos do tabaco foram realizadas em 23 países entre 2009 e 2010 e chegaram a 1,9 bilhão de pessoas (28% da população).

Para a OMS, o maior progresso foi alcançado na inclusão de advertências sobre os danos para a saúde do tabaco nos maços, medida que desde 2008 protege mais 458 milhões de pessoas, mais que o dobro da população coberta por esta medida antes dessa data.

Além disso, o número de pessoas protegidas por leis que proíbem a publicidade de marcas de tabaco aumentou em 80 milhões desde 2008; enquanto a população coberta por leis que declaram todos os espaços públicos e centros de trabalho como zonas livres de fumo cresceu em 385 milhões de pessoas nesse período.

Além disso, os serviços médicos para ajudar as pessoas a deixarem o tabaco beneficiam mais 76 milhões de pessoas no mundo todo desde 2008.

Sobre a proposta da OMS de situar o imposto do tabaco a pelo menos 75% de seu valor de mercado, o relatório aponta que a medida afetaria 115 milhões pessoas mais que em 2008.

No entanto, apesar dos avanços na implantação destas medidas, a OMS explica que os Governos arrecadam na atualidade US$ 133 bilhões com impostos do tabaco, mas gastam menos de US$ 1 bilhão na prevenção de seu consumo.

A OMS lembrou que o tabaco já mata cerca de seis milhões de pessoas por ano e causa perdas multimilionárias aos Estados pelos tratamentos médicos necessários para as doenças provocadas pelo tabaco.

Fonte Estadão

Egito nega que sementes de feno-grego sejam causa do surto de E. Coli

União Europeia decidiu esta semana retirar as sementes importadas do Egito do mercado

Cairo - O Ministério da Agricultura do Egito negou nesta quarta-feira que as sementes de feno-grego egípcias estejam infectadas e sejam a causa do surto da bactéria E. coli em alguns países europeus, que retiraram este produto do mercado.

Em comunicado divulgado pela agência oficial de notícias Mena, a Direção Central de Quarentena Agrícola do Ministério ressaltou que "não existe até agora nenhum resultado positivo que confirme que as sementes de feno-grego egípcias estejam contaminadas".

Além disso, a nota destaca que "as análises efetuadas nas sementes nos laboratórios egípcios demonstraram que estão saudáveis e que não contêm em absoluto essa doença".

A União Europeia (UE) decidiu na terça-feira retirar do mercado todas as sementes importadas do Egito e proibir sua entrada em território comunitário por causa de seu vínculo com o surto de E. coli na Alemanha e na França, que causaram 50 mortes na Europa.

Os 27 países da UE tomaram esta decisão com base em informações divulgadas pela Autoridade Europeia de Segurança Alimentar (EFSA), que apontou as sementes de feno-grego procedentes do Egito como "vínculo comum mais provável" do surto.

Já no dia 1º de julho, o Ministério da Agricultura egípcio rejeitou que as sementes exportadas à Europa em 2009 e 2010 fossem a causa das infecções registradas na Alemanha e na França.
Fonte Estadão

Mulher morre após passar por cirurgia plástica em Belo Horizonte

Corpo foi levado para o IML; polícia vai ouvir testemunhas na próxima semana

Uma mulher de 38 anos morreu, nesta quinta-feira, 7, após passar por uma cirurgia plástica na região do abdômen em uma clínica no bairro Santo Antônio, no Centro-Sul de Belo Horizonte, Minas Gerais.

 
Segundo o boletim de ocorrência, a família chegou ao local ontem cedo para buscar Kátia Maciel Dias de Oliveira, que receberia alta. Quando eles chegaram na clínica, tiveram de aguardar do lado de fora. A família só foi avisada que Kátia morreu após uma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) retirar o corpo da paciente.

Testemunhas devem ser ouvidas na próxima semana. O corpo da mulher foi levado para o Instituto Médico-Legal (IML).

 
Fonte Estadão

Fraudes em licitações de hospital em Sorocaba podem chegar a R$ 30 mi

Quatro empresas venciam os 70 pregões que ocorriam todos os meses; complexo é investigado por irregularidades em plantões médicos

SOROCABA - Os prejuízos causados por fraudes em licitações no Conjunto Hospitalar de Sorocaba (CHS) podem atingir R$ 30 milhões, segundo o Ministério Público de São Paulo. Inicialmente debruçados sobre o esquema nos plantões médicos, a Polícia Civil e o Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco) se concentram na apuração de irregularidades em processos de licitações e compras com carta marcada.

Epitácio Pessoa/AE
Epitácio Pessoa/AE
Ministério Público investiga irregularidades em processos de licitação no Conjunto Hospitalar Sorocaba (SP)


O CHS realizava cerca de 70 pregões por mês e quase sempre quatro empresas - duas fornecedoras de materiais cirúrgicos, uma de próteses e equipamentos ortopédicos e outra de informática - saíam vencedoras. A tomada de preços era feita com a vencedora e duas "laranjas" que entravam para perder.

Segundo o MP, entre as irregularidades estão a adoção de pregão até para contratar obras, o que é proibido por lei. Há casos em que a empresa venceu a licitação para uma reforma, mas o CHS usou pregões para comprar materiais para a mesma obra.

Uma das empresas investigadas, a Unihealth Logística Ltda., aparece como ré em processo por improbidade administrativa instaurado em março na Vara da Fazenda Pública de Sorocaba. São citados na ação os dois sócios da empresa, seis servidores e um ex-diretor do CHS.

Segundo o inquérito, a Unihealth foi contratada em junho de 2006 para prestar serviços de gestão do fluxo de materiais e administração de estoques do CHS. O projeto foi aprovado 11 dias antes de ser apresentado para análise, diz o promotor de Justiça Orlando Bastos Filho.

A pesquisa de preços foi feita com as mesmas empresas que se apresentaram para a licitação e as assinaturas nos atestados dessas empresas seriam falsas. O promotor constatou que os responsáveis pelo pregão usaram o modelo de uma licitação do Hospital Dante Pazzanese, de São Paulo, e não se deram ao trabalho de mudá-lo.

O contrato inicial, de R$ 64 9,1 mil, foi aditado cinco vezes em valores superiores ao limite legal, totalizando R$ 3,3 milhões. Um dos gestores atestou os serviços sem a prestação de contas, "tendo-se verificado que nada ou quase nada do contrato foi cumprido", diz o promotor. Mesmo assim, o contrato foi prorrogado por mais quatro meses.

Mesmo diante das suspeitas, a Unihealth voltou a ser contratada pelo CHS em 2008. No total, recebeu mais de R$ 8 milhões.

Em nota, a Unihealth diz que desde 2006 cumpre as exigências das licitações e da execução dos contratos. "Todos os questionamentos feitos pela Justiça já foram esclarecidos em várias instâncias." Com relação à ação de improbidade administrativa, diz que não houve intimação para apresentação da defesa .

O CHS começou a ser investigado após denúncias de fraudes nos plantões. Profissionais colocariam o nome na escala, recebendo sem trabalhar. Em junho, 12 foram presos e depois liberados. O então secretário de Esportes, o neurocirurgião Jorge Pagura, supostamente envolvido no esquema, pediu demissão.

Fonte Estadão

Médicos alertam para remédio russo usado de modo recreativo no Reino Unido

Cientistas observaram presença de droga para epilepsia no sangue de nove pessoas que morreram recentemente.

Um remédio russo para epilepsia está sendo cada vez mais usado de forma recreativa por jovens na Grã-Bretanha, segundo especialistas.

O phenazepam é uma droga usada para condições como insônia e síndrome de abstinência alcoólica e, por não ser ilegal na União Europeia e nos Estados Unidos, pode ser comprada pela internet.

Ela pode ser adquirida com receita na Rússia e em vários países da antiga União Soviética.

Pesquisadores da universidade escocesa de Dundee dizem ter observado desde janeiro nove casos de pessoas que morreram cujos exames de sangue indicavam a presença da substância.

'Embora tenhamos detectado o phenazepam em nove casos, seu uso não pode ser identificado diretamente como a causa das mortes', disse Peter Maskell, da universidade.

Todas as nove pessoas mortas tinham um histórico de uso de drogas ilegais.

Diazepam

Para Maskell a substância 'parece cada vez mais um substituto para outras drogas, especialmente o diazepam', referindo-se ao conhecido remédio calmante.

'Se foi uma mudança deliberada da parte dos usuários ou se é o que os traficantes passaram a vender, não está claro', disse ele.

'Esta não é uma droga para festas, consumida por usuários ocasionais, mas uma mais provável de ser consumida por pessoas com histórico de problemas com drogas pesadas, frequentemente, heroína, metadona e outros opiáceos', disse ele.

Há relatos de que o phenazepam vem sendo usado de forma irregular também na Suécia, Finlândia e nos EUA.

Fonte G1

Bebê de um dia recebe marca-passo

Menina tinha problema em válvula do coração

O médico Abdo Abdallah, responsável pela operação

Uma menina de um dia de vida, com um peso de 1,5 kg e que sofria um bloqueio em uma válvula do coração, recebeu um marca-passo em um hospital da cidade espanhola de Granada, na primeira cirurgia deste tipo praticada na Espanha em um bebê recém-nascido e com tão pouco peso.

O cirurgião cardiovascular Abdo Abdallah, do hospital Virgem das Neves, diz que a menina, que foi internada há uma semana e já recebeu alta, diagnosticada com a doença quando a mãe, grávida de gêmeos, estava com 32 semanas de gestação.

A doença exigiu então a implantação de um marca-passo que permitisse que o batimento do bebê alcançasse o ritmo necessário, a 100 e 120 batidas por minuto, frente aos 35 registrados anteriormente.

A recém-nascida, cujo irmão gêmeo nasceu "perfeitamente saudável", sobre também de uma cardiopatia congênita grave, embora mais frequente, que também foi detectada mediante diagnóstico intrauterino e que requereria de uma nova intervenção cirúrgica, aproximadamente dentro de um ano, segundo o cardiologista.

Fonte R7

Aparelho substitui coração e salva garoto em Minas Gerais

Durante quatro dias, ele teve o coração bombeado por um dispositivo mecânico

Um procedimento médico inédito salvou a vida de Thiago Ribeiro, de oito anos, em Juiz de Fora, Minas Gerais. Durante quatro dias, ele teve o coração bombeado por um dispositivo mecânico após sofrer uma parada cardíaca.

O menino, que tinha uma obstrução no ventrículo (via de saída) do órgão, passou por uma correção cirúrgica. Mas o coração apresentou falha nos batimentos e deixou de impulsionar sangue suficiente para todo o corpo, o que levou o garoto a uma parada cardíaca ainda na mesa de operação.


O tórax da criança foi novamente aberto e cânulas foram colocadas no coração para desviar o sangue para dentro do dispositivo, auxiliando na recuperação dos batimentos, explica o cirurgião cardíaco Leonardo Miana, do Hospital Monte Sinai. Miana foi responsável pelo procedimento junto com a cardiologista infantil Sara Guedes, .

- Durante quatro dias, o tórax ficou recoberto apenas por uma membrana esterilizada para prevenir infecções.

Segundo o médico, é a primeira vez que se tem notícia, em Minas, de um paciente que sobreviveu após ficar tanto tempo dependendo da ajuda do aparelho. A máquina respondia por 80% da capacidade cardíaca da criança. Funcionou até o coração ter condições de se readaptar e voltar ao estado normal, conta o cirurgião.

- Houve uma tentativa anterior, mas sem êxito.

O equipamento que garantiu a sobrevivência do menino é o ECMO (da sigla em inglês para Oxigenador de Membrana Extracorpórea). Trata-se de um mecanismo que, conectado ao corpo de um paciente em falência cardíaca, auxilia nas funções do coração e do pulmão, oxigenando e bombeando o sangue.

Leonardo Miana diz que, até então, o procedimento era realizado somente em grandes centros do país, por ser de alta complexidade e exigir uma equipe médica extremamente capacitada.

O sucesso na cirurgia de Thiago também é atribuído à infraestrutura física e de pessoal que o garoto encontrou no hospital. Apenas durante a transferência do paciente do centro cirúrgico para a Unidade de Terapia Intensiva, 18 pessoas se mobilizaram para transportar os equipamentos e manter a criança viva.

Depois de receber alta, em 1º de julho, o menino seguiu para casa, em Cataguases, também na Zona da Mata mineira. Segundo o pai dele, Sandro de Freitas Ribeiro, o filho está alegre e já brinca com o videogame. A expectativa é de que, em agosto, Thiago retorne às aulas.

Fonte R7

Acessório para celular faz diagnóstico de catarata

Dispositivo permite identificar a doenças nos olhos mais cedo do que os exames comuns

O Catra é um dispositivo que melhora o diagnóstico da catarata para os médicos e para quem faz o auto-exame especialmente nos países pobres

Pesquisadores do laboratório Media Lab, do MIT (Instituto de Tecnologia de Massachussets), nos Estados Unidos, criaram um acessório para celular que faz o diagnóstico de catarata em poucos minutos.

Chamado de Catra, o modelo pode ser acoplado a smartphones e iPods para que seja feito o mapeamento do olho do usuário. O rápido exame apresenta informações sobre posição, forma, tamanho e densidade da catarata.

O dispositivo é capaz de detectar mudanças em partes do olho que ainda não se tornaram opacas, tornando possível identificar a catarata mais cedo do que os exames comuns.

A novidade tem grande potencial de diminuir a cegueira, que pode ser evitada quando a catarata é identificada em sua fase inicial.

A doença é caracterizada por um embaçamento do cristalino, que provoca perda progressiva e indolor da visão. O problema é a principal causa mundial de cegueira e afeta principalmente os idosos.

Os cientistas envolvidos no projeto dizem que o Catra é um dispositivo que permitirá melhorar o diagnóstico da catarata para os médicos e para quem faz o auto-exame especialmente nos países em desenvolvimento.

O laboratório Media Lab trabalha com uma série de projetos ligados à saúde dos olhos.

Fonte R7

Maternidade suspende atendimento

Isolamento foi adotado para a desinfecção do local

A Maternidade Escola Santa Mônica (Mesm), em Alagoas, suspendeu o atendimento a partos de risco até a próxima segunda-feira (11), depois de identificar a presença da bactéria transmissora da meningite C em um bebê do sexo feminino internado na unidade. O isolamento da UTI neonatal foi adotado para a desinfecção do local. A informação foi confirmada nesta sexta-feira (8).

O paciente infectado é um bebê recém-nascido que foi transferido há uma semana de Delmiro Gouveia, com diagnóstico de hidrocefalia. O bebê foi levado à Santa Mônica para ser submetido a um tratamento.

De acordo com a diretoria da maternidade, a análise do LCR (líquido cérebro-espinhal), procedimento de rotina para o caso, detectou a bactéria Neisseria Meningitidis tipo C. Após o resultado do exame, a criança foi transferida para o Hospital de Doenças Tropicais Dr. Hélvio Auto, unidade especializada em doenças infecto-contagiosas.

Fonte R7

Cirurgiões realizam transplante

O órgão artificial é revestido com células-tronco do próprio paciente

traqueia artificial transplanete 450x338A Universidade de Karolinska, na Suécia, anunciou ter realizado o primeiro transplante de traqueia sintética do mundo.

O órgão artificial, revestido com células-tronco do próprio paciente e desenvolvido por cientistas no Reino Unido, foi implantado em um homem de 36 anos, vítima de câncer.

O cirurgião-chefe do procedimento, o professor italiano Paolo Macchiarini, informou que o paciente passa bem, um mês após a cirurgia.

A traqueia artificial foi desenvolvida por cientistas da University College London, liderados pelo médico Alex Seifalian, a partir de imagens em 3D captadas do órgão do próprio paciente.

A base, feita de vidro, com diversos poros, foi mergulhada em células-tronco do paciente, que se dividiram e se transformaram em tecido, dando forma à frágil estrutura que se tornaria, em seguida, a futura traqueia.

Por não ser de outro doador, a nova traqueia não corre o risco de rejeição.

Operação

Na cirurgia, que durou 12 horas, o tumor do tamanho de uma bola de golfe (que resistia à quimioterapia) foi totalmente retirado, assim como partes da traqueia doente, então substituída pela estrutura de tecido produzida artificialmente.

Células-tronco retiradas da medula óssea e da mucosa do nariz também foram implantadas durante a operação. Elas são capazes de se dividir e crescer, revestindo a traqueia artificial.

Macchiarini comemorou o avanço científico, dizendo que "a beleza" da técnica "é que você pode ter [o órgão] imediatamente. Não há nenhum atraso. Não depende de uma doação humana".

- Graças à nanotecnologia, este novo ramo da medicina regenerativa, agora somos capazes de produzir uma traqueia feita por encomenda num prazo de dois dias ou uma semana.

A cirurgia ocorreu no hospital da Universidade de Karolinska. O paciente é um estudante africano que vive na Islândia. Ele sentia dificuldades de respirar e morreria sem o transplante.

Macchiarini já tem dez transplantes de traqueia em seu currículo. Ele disse que agora espera adotar a mesma técnica em um bebê na Coreia do Sul, que nasceu com uma má-formação no órgão.

Fonte R7

Médicos dizem que morte de jovem é caso isolado

Segundo o Inca, uso de cateter precisa de observação constante

O caso da estudante de enfermagem de 21 anos que morreu na noite de segunda-feira (4) quando se preparava para fazer doação de medula óssea não deve afastar as pessoas que têm interesse em se tornar doadoras. De acordo com especialistas ouvidos pelo R7, o caso que ocorreu no Hospital de Base de São José do Rio Preto é isolado e as técnicas para doação de medula são seguras.

Dados do Inca (Instituto Nacional do Câncer) indicam que o Brasil já realizou cerca de 18 mil transplantes de medula óssea. Esse foi o primeiro caso de morte de doador. Em nota, o órgão, que é vinculado ao Ministério da Saúde, diz que “não há registros de complicações graves durante o procedimento de doação de medula óssea e, até o momento, não há relato de óbitos de doadores no país relacionados a esse procedimento”.

A jovem morreu após colocar um cateter em uma das veias, de onde seria retirado o material para o transplante. Como o procedimento só iria acontecer no dia seguinte, ela foi liberada e voltou ao hotel onde estava hospedada. Mais tarde, sentiu fortes dores e voltou ao hospital, mas não resistiu e morreu de parada cardiorrespiratória.

A estudante de enfermagem, de fato, não chegou a fazer o procedimento da doação de medula. Ela apenas inseriu o cateter venoso central para que, no dia seguinte, fosse acoplada nesse local a máquina que filtraria seu sangue e colheria as células-tronco. Esse procedimento é chamado de aférese. Entenda como funciona a doação e o transplante.

A coleta do material pode ser feita logo após a colocação do cateter ou programada para outro momento, como no caso da jovem. Segundo o médico hematologista Rodrigo Santucci, do Instituto Hemomed, de São Paulo, cada instituição define como será o procedimento.

- No Hospital das Clínicas, [por exemplo,] não se interna porque nunca tem vaga, fazem tudo [no meio] ambulatorial. E se você internar e a pessoa pega uma infecção hospitalar? Então não tem muito certo e errado. Cada serviço faz de um jeito.

Segundo ele, a chance “de acontecer uma intercorrência na coleta é pequena”.

A reportagem conversou com outro médico especialista em transplante de medula, mas ele não quis dar entrevista. O especialista, no entanto, se mostrou preocupado com a repercussão negativa do caso. Ele disse que a doação de medula óssea é um processo seguro e que o caso foi uma fatalidade. Outros médicos foram procurados, mas não quiseram se pronunciar.

Observação constante

De acordo com o Inca, a colocação de cateter central “é um procedimento considerado de baixo risco”. Mas o instituto alerta que, “dependendo das condições anatômicas do paciente [vasos sanguíneos de difícil acesso] e experiência dos profissionais envolvidos, pode determinar complicações infecciosas, sangramentos, lesões vasculares, pneumotórax e hemotórax”.

A nota do Inca diz ainda que essa técnica “deve ser seguida de controle radiológico e observação constante”. No caso da estudante de enfermagem, ela foi para o hotel onde estava hospedada após receber o cateter.

Entenda o caso

A estudante de enfermagem foi ao Hospital de Base de São José do Rio Preto na manhã de segunda-feira para colocar um cateter, por onde seriam retiradas as células-tronco da corrente sanguínea. Como esse procedimento de retirada das células-tronco seria feito somente no dia seguinte, ela foi liberada e voltou ao hotel onde estava hospedada.

Na noite do mesmo dia, ela se sentiu mal e voltou ao hospital. Ainda de acordo com a assessoria de imprensa da instituição, ela sofreu uma parada cardiorrespiratória e morreu.

Segundo a mãe da vítima, a médica foi negligente no atendimento à jovem quando ela começou a passar mal. Segundo a mulher, a médica teria receitado um remédio para náuseas quando recebeu o telefonema de Luana e teria demorado mais de uma hora para chegar ao hospital.

- Ela estava com muita dor, gritava “vou morrer, vou morrer”. Gritava “vou morrer, doutora, meu estômago está ficando duro” e a doutora foi embora. Aí eu vi minha filha morrendo.

A diretoria do hospital informou que uma sindicância foi aberta para apurar os detalhes do atendimento. Será apurado também, segundo a diretoria, se a médica demorou para fazer o atendimento, como alega a família. O hospital tem 30 dias para concluir a investigação interna.

A polícia instaurou um inquérito e deve ouvir familiares e a equipe médica envolvida no procedimento nos próximos dias. Se ficar comprovado que houve negligência ou erro médico, os responsáveis devem responder por homicídio culposo (quando não há intenção de matar).

A jovem era filha única e morava com a mãe em Promissão, interior de São Paulo. Há quatro anos, quando entrou no curso de enfermagem, em Marília, ela passou a fazer parte do Cadastro Nacional de Doadores de Medula Óssea. Segundo os médicos, ela tinha a medula compatível com a de uma menina do Rio de Janeiro e foi chamada ao hospital para fazer a doação.

O Hospital de Base de S. José do Rio Preto realiza há dez anos procedimentos para doação de medula. Nesse período, já foram feitas 400 coletas de células-tronco da medula óssea. O caso da jovem foi o primeiro a registrar complicação que levou à morte.

Fonte R7

Humor - Vasectomia no SUS

Meta de vacinação contra a pólio é superada; de combate ao sarampo precisa de adesão

Brasília - O Ministério da Saúde informou que 98,2% das crianças menores de 5 anos em todo o país já foram vacinadas contra a poliomielite, também conhecida como paralisia infantil.

A meta do governo era imunizar 95% do público-alvo. Ao todo, 13.894.650 crianças receberam a primeira dose da vacina.

No dia 13 de agosto, menores de 5 anos devem retornar aos postos de saúde para receber a segunda dose da vacina contra a pólio. De acordo com a pasta, a proteção contra a doença só é garantida por meio do reforço.

Profissionais de saúde de oito estados brasileiros (Alagoas, Bahia, Ceará, Minas gerais, Pernambuco, São Paulo, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul) também aplicam, até o próximo dia 22, a vacina contra o sarampo.

Até a manhã de ontem (7), 8.251.893 crianças entre 1 e 7 anos já foram imunizadas – cerca de 80% da meta estipulada pelo ministério.

Nos demais estados, a vacinação contra o sarampo começa junto com a segunda etapa da campanha contra a pólio, no dia 13 de agosto, e vai até 16 de setembro.

Fonte SaudeWeb

Homens brancos são maioria dos transplantados. Negros e mulheres têm menos acesso a cirurgias, segundo Ipea

Brasília – Estudo inédito do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) mostra que os efeitos das desigualdades sociais brasileiras se estendem às cirurgias de transplantes de órgãos como coração, fígado, rim, pâncreas e pulmão. A maioria dos transplantados são homens da cor branca.

De acordo com o estudo, de quatro receptores de coração, três são homens; e 56% dos transplantados tem a cor de pele branca. No transplante de fígado; 63% dos receptores são homens e 37% mulheres. De cada dez transplantes de fígado, oito são para pessoas brancas.

Segundo a análise do Ipea, homens e mulheres são igualmente atendidos nos transplantes de pâncreas; mas 93% dos atendidos são brancos. A maioria absoluta de receptores de pulmão também são homens (65%) e pessoas brancas (77%). O mesmo fenômeno ocorre com o transplante de rim: 61% dos receptores são homens; 69% das pessoas atendidas têm pele clara.

“Verificamos que o conjunto de desigualdades brasileiras acaba chegando no último estágio de medicina”, aponta o economista Alexandre Marinho, da Diretoria de Estudos e Políticas Sociais do Ipea, um dos autores da pesquisa. Ele e outras duas pesquisadoras analisaram dados de 1995 a 2004, fornecidos pela Associação Brasileira de Transplantes de Órgãos (ABTO).

O economista não estudou as causas do fenômeno, mas disse à Agência Brasil que a preparação para o transplante pode explicar as razões da desigualdade. Para fazer a cirurgia de transplante, o receptor deve estar apto: eventualmente mudar a alimentação, tomar medicamentos e fazer exames clínicos – procedimentos de atenção básica.

Segundo Marinho, quem depende exclusivamente do Sistema Único de Saúde (SUS) - cerca de três quatros da população brasileira - sai em desvantagem, porque tem dificuldade para receber remédios, fazer consultas e exames clínicos. “A situação onera quem tem menos condições de buscar alternativas.”

“O sistema é desigual na ponta [cirurgia de alta complexidade] porque é desigual na entrada”, assinala o economista, ao dizer que quando o SUS tem excelência no atendimento o acesso não é para todos: “Na hora que funciona, quem se apropria são as pessoas mais bem posicionadas socialmente”.

Conforme Marinho, os planos de saúde são resistentes a autorizar procedimentos de alta complexidade, como as cirurgias de transplantes, por causa dos custos. “Os hospitais privados preferem atender por meio do SUS porque sabe que paga”.

O estudo sobre a desigualdade de transplantes de órgãos está disponível no site do Ipea. Segundo Marinho, o documento foi postado ontem (7) e ainda não é do conhecimento do Ministério da Saúde.

De acordo com os dados do Sistema Nacional de Transplantes (SNT), há 1.376 equipes médicas autorizadas a realizar transplantes em 25 estados brasileiros (548 hospitais).

Fonte Agência Brasil

Oito milhões de brasileiros pagarão mais caro pelos planos de saúde

Rio de Janeiro – Os planos de saúde de 8 milhões de brasileiros, que correspondem a 17% dos consumidores de planos de assistência médica existentes no Brasil, sofrerão reajuste de 7,69%.

A medida foi anunciada ontem (8) pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) e se refere aos contratos de planos de saúde médico-hospitalares individuais ou familiares feitos a partir de janeiro de 1999 ou àqueles adaptados à Lei nº 9.656/98, que dispõe sobre os planos e seguros privados de assistência à saúde.

Segundo a ANS, o reajuste será aplicado aos contratos com aniversário entre maio de 2011 e abril de 2012. Isso significa que alguns consumidores terão de pagar o valor retroativo, se houver defasagem máxima de quatro meses, explicou a agência.

A ANS alerta os consumidores para que verifiquem se o percentual e o valor do aumento estão informados de forma correta nos boletos. Do mesmo modo, devem observar se há cobranças retroativas a partir de maio deste ano.

As dúvidas poderão ser esclarecidas na ANS, pelo telefone gratuito 0800 7019656 ou na página da agência na internet (www.ans.gov.br). O consumidor pode também recorrer a um dos 12 núcleos da agência existentes no país.

A ANS adverte, ainda, que o consumidor ou seu dependente que passar de faixa etária no plano de saúde poderá ter dois reajustes, caso o aniversário do plano coincida com essa mudança.

Fonte Agência Brasil

SUS vai atender pacientes em casa

Brasília – Pacientes com dificuldade de locomoção ou que precisam de atenção regular, mas não necessitam ser hospitalizados, vão receber cuidados médicos em casa. É o que prevê portarias publicadas hoje (8) pelo Ministério da Saúde. Elas reorganizam o atendimento de urgência no Sistema Único de Saúde (SUS).

Com o atendimento domiciliar, o governo quer reduzir as internações hospitalares e estimular a recuperação do paciente em casa, que é mais rápida. Para este ano, o investimento deve ser de R$ 36,5 milhões.

O ministério vai publicar outras portarias para definir como os profissionais da rede de atenção básica, entre eles os do Programa Saúde da Família, deverão proceder nesses casos.

Outra medida é a criação de leitos de retaguarda nos hospitais, reservados para o atendimento de pacientes em estado grave. O objetivo, segundo o ministério, é evitar a espera pelo atendimento de emergência nas portas das unidades de saúde.

Fonte Agência Brasil

Propagandas antigas - Fósforo queimado? Beba Catuase Composta

1955.09.04 fosforo queimado remedio para impotencia

“Como homem, você ainda não é um fracassado! Reconquiste sua virilidade livrando-se desse terrível complexo que o deprime moral e fisicamente perante a sociedade. Catuase Composta é o remédio que você tanto procurava. Preparado com um grande vegetal da nossa flora, suas propriedades estimulantes e vitalizadoras, em combinação com o alcalóide de ‘loimbeheos’ e hormônio cerebral e testicular, agem rapidamente no combate à debilidade neuro-muscular e viril, estenia (fraqueza nervosa), desânimo. Usar dois meses seguidos”.

Hoje o anúncio poderia ser considerada politicamente incorreto, ao dizer que a doença (impotência) “deprime moral e fisicamente perante a sociedade”.

Publicado em 4 de setembro de 1955.

Fonte Estadão

Comissão aprova regulamentação de cooperativas da saúde

A Comissão de Desenvolvimento Econômico, Indústria e Comércio aprovou nesta quarta-feira (O6) o Projeto de Lei 318/11, do deputado Bernardo Santana de Vasconcellos (PR-MG). A proposta estabelece que não há vínculo empregatício entre o profissional de saúde cooperado e o estabelecimento contratante (hospitais, clínicas médicas, odontológicas, de fisioterapia, psicologia, radiologia, laboratórios de análises clínicas, etc.).

A proposta altera a Lei 8.212/91, que institui o Plano de Custeio da Seguridade Social. A lei fixa a contribuição previdenciária (paga pela empresa) em 15% sobre o valor bruto da nota fiscal ou fatura de prestação de serviços a cargo de cooperados contratados por intermédio de cooperativas de trabalho. A proposta acaba com o pagamento dessa contribuição.

Segundo o relator da proposta, deputado Giacobo (PR-PR), há inúmeros casos de cooperativas que estão sendo prejudicadas devido ao receio de empresas em contratá-las, pois correriam o risco de futuramente serem acusadas de fraudulentas ou de agenciadoras ilegais de mão-de-obra.

O relator lembra que a prestação de serviços profissionais através de cooperativas de trabalho, principalmente na área da saúde, é muito condenada pelo Poder Judiciário por causa da atuação de cooperativas fraudulentas.

O projeto, que tramita em caráter conclusivo, será analisado pelas comissões de Trabalho, de Administração e Serviço Público; de Seguridade Social e Família; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Fonte SaudeWeb

“Brasil precisa superar distribuição desigual de médicos”

Aperfeiçoamento na formação do médico; fim da abertura indiscriminada de faculdades de medicina; e a adoção, por parte dos governos, de políticas públicas que fixem especialistas nas periferias dos grandes centros urbanos e nas pequenas cidades deram a tônica do II Fórum Nacional sobre Educação Médica.

“Os ministérios da Saúde, Educação, Planejamento e Fazenda precisam trabalhar em conjunto para melhorar a qualidade da saúde oferecida à população”, declarou o representante da Federação Nacional dos Médicos (Fenam) e do Sindicato dos Médicos de São Paulo (Simesp), Cid Carvalhaes, no encerramento do II Fórum Nacional sobre Educação Médica, realizado ontem, dia 6 de julho, no Hospital do Servidor Público Estadual (HSPE), em São Paulo.

Carvalhaes disse que a saúde precisa ter orçamento próprio e defendeu como uma das saídas, a imediata regulamentação da Emenda Constitucional 29, que define os percentuais que os governos federal, estaduais e municipais devem investir na área.

Neste sentido, Carvalhaes destacou a necessidade de uma integração entre o executivo e o Congresso Nacional. O especialista também criticou a abertura indiscriminada de escolas de medicina no país e defendeu a adoção do Plano de Cargos, Carreiras e Vencimentos (PCCV).

A secretária executiva da Comissão Nacional de Residência Médica, Maria do Patrocínio Tenório Nunes, disse que é preciso conscientizar os gestores nos estados e nos municípios sobre a necessidade da adoção de uma política de estado para a saúde, a fim de evitar a interrupção dos programas a cada troca de gestor. Sobre a necessidade de se fixar o médico nas periferias dos grandes centros urbanos e em regiões remotas ela afirmou que “o que fixa é a residência médica, remuneração adequada e condições técnicas e tecnológicas para o médico trabalhar”.

Ainda sobre a relação entre a oferta e a demanda de médicos no País, o presidente do Conselho Federal de Medicina (CFM), Roberto d’Avila, apresentou números sobre a desigual distribuição de médicos no Brasil. “A maioria está nos grandes centros urbanos e na faixa litorânea do Brasil”, comentou. Ainda segundo d’Avila, o estado que apresenta a melhor distribuição de médicos entre capital e interior é Santa Catarina, onde não há nenhuma cidade sem esse profissional. A pior distribuição está nas regiões Nordeste e Norte.

O secretário de comunicação e imprensa do Simesp, João Paulo Cechinel, resumiu a preocupação dos participantes do Fórum em relação à qualidade da formação do médico e propôs a adoção de um sistema de avaliação continuada tanto dos cursos de graduação como na pós-graduação. “A avaliação deve envolver as escolas e os estudantes”, destacou. Segundo ele, recente pesquisa realizada entre o período de 1965 a 2011, durante o qual a população brasileira cresceu 133% contra um crescimento de 770% no número de escolas de medicina hoje na casa de 181.

Também participaram do Fórum o presidente do Cremesp, Renato Azevedo, o presidente da APM, Jorge Curi, a presidente da Associação Brasileira de Ensino Médico (ABEM), Jadete Lampert, o superintendente do Instituto de Assistência Médica ao Servidor Público Estadual (Iamspe), Latif Abrão, o representante da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, Paulo Elias, presidentes de sindicatos de médicos de vários estados, diretores de sociedades de especialidades e de associações de médicos residentes.

O II Fórum Nacional sobre Educação Médica contou com a organização da Federação Nacional dos Médicos (Fenam), do Sindicato dos Médicos de São Paulo (Simesp) e Iamspe. O encontro abriu as comemorações do cinquentenário do Hospital do Servidor Público Estadual (HSPE), que acontece de 7 a 9 de julho, com a realização de um congresso sobre saúde do idoso

Fonte SaudeWeb

Unimed estabelece parceria com Orthofix para cirurgias ortopédicas

Os associados da Unimed que se submeterem a cirurgias ortopédicas de trauma ou correção de deformidades ósseas, terão à sua disposição fixadores externos, internos e placas da Orthofix, empresa especializada em Ortopedia e Traumatologia.

Para o vice-presidente de Vendas de Ortopedia Internacional da Orthofix, Patrick Florentiny, a parceria traz benefícios para os médicos e pacientes, pela facilidade de manuseio que os aparelhos oferecem para o cirurgião, menor tempo de recuperação pós cirúrgica e redução do risco de novas intervenções cirúrgicas.

Em entrevista para o Saúde Web, o diretor de integração Cooperativista da Unimed, Valdmário Rodrigues Junior, fala sobre as regras da parceria.

SW: essa parceria tem validade para todas as Unimeds?
VJ: sim. As negociações realizadas pelo C. T. N. P. M. (Comitê Técnico Nacional de Produtos Médicos) são de abrangência nacional, disponibilizadas no Cadastro de OPME do portal Unimed e aplicadas no Intercâmbio Nacional.

SW: ela é exclusiva ou continuarão a trabalhar com outros fornecedores?
VJ: ela não da exclusividade. Por oferecermos um mercado muito amplo e diversificado, composto por diferentes escolas médicas, respeitam-se as indicações e/ou solicitações dos profissionais, em cumprimento à resolução das entidades médicas, “onde o profissional deve apresentar as especificações técnicas do material solicitado, devendo sugerir três marcas diferentes, e a escolha será de competência da operadora de saúde“

SW: quais foram os critérios utilizados para o acordo?
VJ: após uma visita técnica as empresas parceiras são escolhidas quando do preenchimento dos requisitos da I. N. 59 da Anvisa, tendo sua cobertura de âmbito nacional, e que ela tenha junto aos seus distribuidores a autoridade para fazer cumprir o que foi negociado.

SW: quais procedimentos serão cobertos pelos materiais da Orthofix?
VJ: todos aqueles procedimentos que forem solicitados pelos médicos responsáveis, e que estejam em conformidade com os protocolos estabelecidos pelos comitês de especialidades.

SW: quanto estimam economizar com a parceria, tendo em vista que as OPMEs têm um custo alto para o setor?
VJ: O C. T. N. P. M não se apega apenas ao valor financeiro nesta relação comercial, busca qualidade, presteza, rapidez, transparência e diversificação de produtos para oferecer aos médicos responsáveis o melhor para o desempenho de seu trabalho. A economia alcançada terá sua contra partida para a empresa, com o ganho em escala no mercado da Unimed.

SW: como vai ser a orientação junto aos médicos na hora de recomendar um tipo de material (OPME) para um tratamento?
VJ: Todos aqueles procedimentos que forem solicitados pelos médicos responsáveis e que estejam em conformidade com os protocolos estabelecidos pelos comitês de especialidades, serão analisados pelos setores de auditoria das respectivas singulares e posteriormente autorizados.

Fonte SaudeWeb

Ginecologistas e obstetras param de atender planos em setembro


A Ginecologia e a Obstetrícia do Estado de São Paulo (Sogesp) vai parar nos dias 1º, 2 e 3 de setembro de 2011. A suspensão do atendimento ocorrerá no sistema de saúde suplementar; não serão feitos quaisquer procedimentos eletivos referentes a planos e seguros saúde. É o que informou a assessoria de imprensa da entidade nesta sexta-feira (08). “O ato é uma espécie de ultimato que os especialistas paulistas dão às empresas após frustradas tentativas de negociações de reajustes de honorários e/ou de propostas muito aquém das expectativas”, afirmou, em comunicado.

Desde outubro de 2010, quando constituiu sua Banca de Negociações, a Sogesp está em negociação com 49 operadoras. A principal reivindicação é a adequação dos honorários médicos à CBHPM 2003 reajustados com base no IGPM até 2010.

De acordo com a entidade, até agora, 29 não marcaram reunião com a instituição e uma se negou a dialogar. Outro bloco, de 19 planos, topou conversar. “No entanto, após o encontro e a formalização da proposta, apenas uma se dispôs efetivamente a negociar. Oito não responderam à proposta SOGESP e outras 6 a rejeitaram. De outras 4, aguarda-se contato, pois ainda estão no prazo para responder”, explicou, em comunicado.

A suspensão do atendimento do dia 1º ao dia 3 de setembro foi aprovada durante a III Reunião com as Diretorias Regionais e Representantes Credenciados, em Campinas, no dia 19 de junho. O ultimato ocorrerá durante o XV Congresso Paulista de Obstetrícia e Ginecologia, quando os 6 mil profissionais debaterão quais os próximos passos do movimento, inclusive o descredenciamento coletivo será uma das alternativas debatidas.

A suspensão abrangerá somente os atendimentos eletivos. As urgências e emergências estarão garantidas. Para não causar transtornos aos pacientes, a Sogesp orienta os ginecologistas e obstetras de São Paulo a fecharem suas agendas dos dias 1º, 2 e 3 de setembro, já remarcando eventuais consultas e procedimentos pré-combinados para outras datas.

Fonte SaudeWeb

SP ganha central de regulação de leitos de UTI

Monitorar a disponibilidade de leitos de UTI em todo o estado de São Paulo e agilizar a transferência de pacientes com quadros graves. Este é o objetivo da nova central online de vagas de urgência e emergência pelo Sistema Único de Saúde (SUS), entregue pela Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo no dia 7 de julho e que já funciona há cerca que um mês. A unidade é a primeira no País a oferecer este tipo de serviço.

A Central de Regulação de Ofertas de Serviço de saúde, conhecida como CROSS é totalmente informatizada. Ela funcionará 24 horas todos os dias da semana e contará com cerca de 200 funcionários, entre eles, 100 médicos, 50 técnicos auxiliares de regulação, técnicos em informática e atendentes e será responsável por regular todo o fluxo de pacientes da grande São Paulo, litoral e interior do estado. “Este é um serviço totalmente informatizado. Temos na área de urgência e emergência 100 médicos de várias especialidades devidamente treinados. Hoje a maior parte dos atendimentos da central são feitos pela internet.”, afirma o governador do estado de São Paulo Geraldo Alckmin, que participou do lançamento da central.

A nova unidade é resultado de uma parceria entre a secretaria de saúde e a organização social de saúde (OSS), Seconci. “Quando o estado decidiu desenvolver a central de regulação a Seconci foi a entidade que se ofereceu para fazer a gestão da unidade”, coloca o secretário de saúde do estado de São Paulo, Giovanni Cerri. O contato com a central pode ser realizado por meio de contato telefônico ou pelo portal do serviço.

De acordo com o secretário, com a instalação do novo sistema, desenvolvido pela própria TI do estado, houve uma queda de 40% da morte de pacientes graves. “Essa agilidade em identificar rapidamente a vaga disponível é fundamental para a vida do paciente”, conclui.

Fonte SaudeWeb

Kassab entrega cheque no valor de R$ 28 mil ao Hospital do Câncer

O prefeito Gilberto Kassab (sem partido) entregou, nesta quinta-feira (07), um cheque no valor de R$ 28 mil ao Hospital do Câncer, também conhecido como AC Camargo. O valor, segundo a assessoria do prefeito, é referente à soma do reajuste salarial que o prefeito teve desde fevereiro até este mês.

No dia 4 deste mês, a Câmara Municipal de São Paulo aprovou, por 40 votos a 14, o projeto de lei 303/2011, que estabelece o salário mensal do prefeito Gilberto Kassab (sem partido) em R$ 24.117,62, a partir de janeiro de 2012. O prefeito ainda não sancionou o projeto, mas o reajuste é baseado no Decreto Legislativo 29, de 1992, que atrela o salário do prefeito aos deputados estaduais.

O decreto determina que a remuneração do prefeito corresponda, desde janeiro de 1993, a 75% do salário dos deputados da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo. O novo salário de Kassab se explicaria pelo aumento de 61,8% na remuneração dos deputados, aprovado em dezembro do ano passado no Congresso Nacional.
Fonte SaudeWeb

PE: Médicos aprovam reajuste salarial

Os médicos da Prefeitura do Recife aprovaram em assembleia geral, realizada no auditório da Associação Médica de Pernambuco (AMPE), nesta quinta-feira (7), a proposta de reajuste salarial e melhores condições de trabalho apresentada pela gestão municipal.

 Na ocasião, o vice-presidente do Sindicato dos Médicos (Simepe), Mario Jorge Lobo, apresentou os itens negociados entre a entidade médica e a Prefeitura, que além do reajuste salarial, incluem também, o Plano de Cargos Carreiras e Vencimentos (PCCV) e a lei de produtividade.

O reajuste foi contemplado através de escalonamento. Em dez meses, haverá um aumento total de 26,5% na remuneração, divididos em dois períodos, sendo 10%, implementado já no próximo mês de agosto, e o restante em junho de 2012.

Para o presidente do Simepe, Silvio Rodrigues, esta foi mais uma conquista da categoria, uma vez que o acordo foi alcançado de forma pacífica através de negociações. “O nosso entendimento é que os médicos estão ganhando respeito, através da força e do comprometimento em valorizar o trabalho e os serviços prestados à população”, defendeu. Ainda de acordo com ele, os planos de melhorias das condições de trabalho e das estruturas físicas nas unidades de saúde serão acompanhados de perto pelo Sindicato.

Na opinião da presidente do Conselho Regional de Medicina de Pernambuco (Cremepe), Helena Carneiro Leão, a proposta foi positiva dentro da perspectiva da realidade do País, com ganhos reias e significativos para a categoria. “A aprovação de hoje, sem dúvidas, foi um avanço”, pontuou.

Fonte SaudeWeb

ANS divulga reajuste dos planos de saúde

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) fixou em 7,69% o índice máximo de reajuste para os planos de saúde médico-hospitalares individuais/familiares contratados a partir de janeiro de 1999 ou adaptados à Lei nº 9.656/98.

O percentual incidirá sobre os contratos de cerca de 8 milhões de consumidores, ou seja, 17% dos consumidores de planos de assistência médica no Brasil. A metodologia utilizada pela ANS é a mesma desde 2001.

Ao receberem seus boletos, os consumidores devem observar se o percentual e o valor absoluto do aumento estão devidamente identificados, permanecendo atentos a eventuais cobranças de valores retroativos, a partir de maio de 2011.

Em caso de dúvidas, os consumidores devem entrar em contato com a Agência através do Disque-ANS (0800 701 9656); na Internet pelo site da ANS, no link “Fale Conosco” ou pessoalmente, em um dos 12 Núcleos da ANS distribuídos pelo país.

Fonte SaudeWeb

Britânica passa 3 anos comendo só arroz por causa de alergia

Micaela Stafford conseguiu agora voltar a uma dieta normal, após 12 anos sofrendo de uma alergia aguda a diversos alimentos

Micaela Stafford e suas vatiações de arroz

Micaela Stafford, que era fornecedora de serviços alimentícios para eventos em Leicestershire, na região central da Inglaterra, começou a ter fortes enjoos e enxaquecas depois de comer. Ela disse que as dores causadas pela intolerância alimentar a deixavam desesperada e "querendo morrer".

Depois de conviver com o problema por 9 anos, Stafford, de 53 anos, passou a alimentar-se somente de arroz. Agora, três anos depois de começar a dieta exclusiva, ela está gradualmente voltando a uma alimentação normal, com a ajuda de uma nutricionista. "Sinto como se ela tivesse devolvido a minha vida", disse.

Alergia

A britânica diz que os médicos não conseguiram descobrir o que estava causando suas enxaquecas e enjoos. "Eu sentia como se qualquer coisa me fizesse sentir muito mal e, em uma luta desesperada para tentar ter alguma qualidade de vida, comecei a viver de arroz", contou.

Depois de ler sobre a doença da mulher em jornais locais, a nutricionista Diana Earnshaw entrou em contato para oferecer sua ajuda. "Ela me colocou em uma dieta e disse que as coisas ficariam muito piores antes de melhorarem", disse Stafford à BBC.

Saiba mais: Perigo no prato: conheça os alimentos mais perigosos para a saúde

A nova rotina de alimentação começou com dois dias durante os quais ela só podia comer canja de galinha. Agora, após 20 dias do início da dieta, Stafford já pode comer omelete no café da manhã, frango e sopa de vegetais no almoço e costeletas de cordeiro no jantar. "A coisa mais incrível que eu estou conseguindo tolerar são os ovos. Eu não comia ovos há 12 anos, eles me deixavam louca", disse.


Foto: BBC Brasil Ampliar
Micaela Stafford só tolerava comida assim, pelo computador
"Se eu comesse ovos, eu me sentia muito mal depois. Eu tinha enxaquecas terríveis e alucinações." Stafford disse ainda que está gostando de redescobrir sabores e aproveitando o retorno de sua saúde. "Sei que soa horrível, mas eu pensava que queria morrer, porque a dor era tão terrível e o sofrimento era insuportável. Agora, fico pensando: `Uau, acho que recuperei minha vida - será que isso é real?'", disse.
Fonte IG

Caqui, fonte de energia

Alimento é rico em vitamina A, hidrata, tem fibras e dá energia para a prática de exercícios

Quando o caqui chega ao ponto ideal de consumo, ele alcança um sabor doce intenso, que supera muitas outras frutas. “O caqui é rico em açúcares, principalmente glicose e frutose”, afirma Isis Moreira, nutricionista da Universidade de Brasília (UnB).

A cor de um alimento pode revelar muito sobre sua composição nutricional. O vermelho do caqui indica que ele é rico em vitamina A, necessária para a saúde da visão e a manutenção do sistema imunológico. “Essa vitamina também está ligada à integridade dos tecidos de nosso organismo”, aponta Viviane Chaer Borges, nutricionista do Hospital Beneficência Portuguesa.

A ligação da fruta com a saúde da pele é significativa. “Ela tem uma quantidade considerável de compostos antioxidantes como os polifenóis e beta-carotenos”, destaca Isis. Tais componentes têm propriedades capazes de combater o envelhecimento das células e, por isso, podem amenizar os efeitos do tempo na pele.

O caqui também tem potássio. “É bom para a prática de exercícios e recuperação após o desgaste físico”, indica Viviane. A dica é interessante aos adeptos da musculação e da corrida. Por combinar altas doses de açúcar e potássio, o caqui pode ser uma fonte de energia rápida, com efeitos positivos mesmo quando consumida pouco antes do treino. “A fruta pode proporcionar picos glicêmicos”, explica.

Contudo, essa característica aparentemente positiva aos adeptos da malhação pode representar um risco aos diabéticos. Nestes casos, é melhor combinar a fruta com outros alimentos para proporcionar uma absorção mais lenta. “Granola e iogurte batido são boas opções”, orienta Viviane. Tais combinações ajudam a evitar os picos glicêmicos.

A composição nutricional do caqui ainda apresenta as vitaminas B1 e B2, vitamina C e minerais. “A fruta é uma possível aliada no combate de doenças neurodegenerativas e inflamatórias, envelhecimento precoce, aterosclerose e até mesmo na prevenção do câncer”, destaca Isis.

Cerca de 70% da fruta é composta por água. E há presença significativa de fibras solúveis, um tipo característico das frutas cítricas e que é capaz de reduzir a absorção da gordura de outros alimentos.

A combinação de água com fibras solúveis aumenta a sensação de saciedade. Isso faz da fruta uma boa alternativa de sobremesa saudável.

A melhor forma de consumi-lo, assim como qualquer outra fruta, é in natura. “Isso preserva seus nutrientes que são passíveis de degradação caso haja variações de temperatura”, esclarece Isis.
O tempo do caqui é algo delicado. Ele demora para amadurecer, se comparado a outras frutas, mas também passa rápido do ponto. Se você exagerou e comprou mais do que deveria, pode guardá-lo em forma de polpa no congelador. “Tire a casca e misture com sumo de limão”, recomenda Viviane.

Esse processo pode fazer o alimento durar por até 30 dias. Mas não demore para consumi-lo. “Com o tempo, ele começa a perder suas propriedades nutricionais”, esclarece Viviane.

Detalhe importante: nunca lave a fruta para guardá-la na geladeira ou deixá-la na mesa para o consumo posterior. Lave apenas na hora de comê-la, pois o caqui azeda fácil.

Leia mais: Suco de frutas para proteger o coração
O valor calórico desse alimento é baixo, varia entre 65 e 85 calorias por 100 gramas, dependendo do tipo. No sabor, o caqui chocolate apresenta uma pequena diferença de textura. “Ele é mais duro, porém amarra menos a boca”, diz Viviane.
Isis destaca ainda que incluir o caqui na dieta diária ajuda, mas não é suficiente para garantir uma alimentação saudável. “Alimentos não fazem milagres sozinhos. É preciso que se tenha uma alimentação equilibrada, rica em vitaminas e minerais, com um bom consumo de frutas e hortaliças”, recomenda.

Fonte IG

Vitaminas

O que são

São micronutrientes importantes no processo de metabolismo de carboidratos, lipídios e proteínas. Embora as vitaminas sejam substâncias essenciais ao organismo, a maioria dos animais não consegue produzi-las em quantidade suficiente, ou não as produz. Por esse motivo, a ingestão de alimentos que as contenham é necessária.

No ser humano, a quantidade a ser ingerida pode variar conforme idade, sexo, estado de saúde e atividade física do indivíduo. As doses devem ser aumentadas em gestantes e lactantes, em indivíduos em crescimento ou com saúde debilitada, e mesmo trabalhadores em funções que exijam muito esforço físico. Mas, é um engano pensar que os alimentos podem ser trocados pelas vitaminas: sem a ingestão da comida, o organismo simplesmente não consegue absorvê-las.

As vitaminas são classificadas conforme substâncias que as dissolvem. São lipossolúveis, solúveis em gorduras, as vitaminas A, D, K, armazenadas no fígado, e a vitamina E, que é distribuída para todos os tecidos de gordura no corpo. As substâncias lipossolúveis não são facilmente excretadas pelo organismo e tendem a se acumular provocando intoxicação se ingeridas em excesso.

Outro grupo é o das hidrossolúveis, ou solúveis em água, como as vitaminas C e as do complexo B (1, 2, 3, 5, 6, 8 e 9), que permanecem no corpo por um pequeno período de tempo antes de serem excretadas pelos rins e, por essa razão, devem ser ingeridas diariamente. A B12 também é hidrossolúvel, mas permanece armazenada no fígado.

Tipos

A classificação das vitaminas é feita apenas por suas solubilidades e não pelas funções que exercem. Cada uma é responsável por uma ou mais funções específicas, independentemente do grupo a que pertencem.

Grupo das vitaminas lipossolúveis compreendem:
- Vitamina A - Importante oxidante que protege células contra radicais livres. Principais fontes: frutas e vegetais de cor forte, como cenoura, abóbora, brócolis e espinafre e gorduras amarelas de alimentos animais como fígado, ovos e leite.

- Vitamina D - É sintetizada com a ajuda dos raios solares e imprescindível para a produção de insulina e a manutenção do sistema imunológico. Ajuda na absorção do cálcio. Principais fontes: peixes gordos como o atum e o salmão.

- Vitamina K - Componente na formação de 13 proteínas essenciais para a coagulação do sangue e envolvida na construção dos ossos. Principais fontes: alimentos verdes, como vegetais de folhas e legumes (couve, couve de Bruxelas, brócolis, salsa).

- Vitamina E (tocoferol) - Forte antioxidante contra radicais livres; previne o câncer e doenças cardiovasculares; protege o sistema reprodutor; previne catarata; reforça o sistema imunológico; melhora a ação da insulina. Principais fontes: óleos (girassol, amendoim), sementes de girassol, amêndoas, amendoim, vegetais de folhas verde-escuras.

Grupo das principais vitaminas hidrossolúveis (complexo B):

- Vitamina B1 (Tiamina) - Mantém sistema nervoso e circulatório saudáveis; auxilia na formação do sangue e no metabolismo de carboidratos; previne o envelhecimento; melhora a função cerebral; combate a depressão e a fadiga; converte o açúcar no sangue em energia. Principais fontes: vegetais de folhas (alface romana, espinafre), berinjela, cogumelos, grãos de cereais integrais, feijão, nozes, atum, carne bovina e de aves.

- Vitamina B2 (Riboflaviana) - Ligada à formação de células vermelhas do sangue e anticorpos; envolvida na respiração e processos celulares; previne catarata; ajuda na reparação e manutenção da pele e na produção do hormônio adrenalina. Principais fontes: vegetais, grãos integrais, leite e carnes.

- Vitamina B3 (Nicotinamida) - Aumenta a circulação; reduz triglicérides e colesterol; ajuda no funcionamento adequado do sistema nervoso e imunológico; regula o açúcar no sangue; protege o corpo contra poluentes e toxinas. Principais fontes: levedura, carnes magras de bovinos e de aves, fígado, leite, gema de ovos, cereais integrais, vegetais de folhas (brócolis, espinafre), aspargos, cenoura, batata-doce, frutas secas, tomate, abacate.

- Vitamina B5 (Ácido pantotênico) - Ajuda na formação de células vermelhas do sangue e na desintoxicação química; previne degeneração de cartilagens; ajuda na construção de anticorpos; reduz colesterol e triglicérides; ajuda nas disfunções hormonais. Principais fontes: carnes, ovos, leite, grãos integrais e inteiros, amendoim, levedura, vegetais (brócolis), algumas frutas (abacate), ovário de peixes de água fria, geleia real.

- Vitamina B6 (Piridoxina) - Reduz o risco de doenças cardíacas; ajuda na manutenção do sistema nervoso central e no sistema imunológico; reduz espasmos musculares; alivia enxaquecas e náuseas; reduz o colesterol; melhora a visão; previne aterosclerose e câncer. Principais fontes: cereais integrais, semente de girassol, feijões (soja, amendoim, feijão), aves, peixes, frutas (banana, tomate, abacate) e vegetais (espinafre).

- Vitamina B7 (Biotina) - Auxilia no crescimento celular, produção de ácidos graxos e redução de açúcar no sangue; combate infecções; promove a saúde das glândulas sudoríparas, do tecido nervoso, da medula óssea, das glândulas sexuais e células sanguíneas; previne a calvície; alivia dores musculares; baixa a intolerância à insulina em diabéticos. Principais fontes: carne de aves, fígado, rins, gema de ovo, couve-flor, ervilha.

- Vitamina B9 (ácido fólico) - Manutenção dos sistemas imunológico, circulatório e nervoso; antitóxico; ajuda a combater o primeiro infarto, o câncer de mama e de cólon, parasitas intestinais e envenenamento alimentar; diminui o risco de aterosclerose; promove a saúde dos cabelos e da pele; reforça o sistema imunológico e o sistema nervoso central. Principais fontes: fígado, rins, vegetais de folhas verdes, couve-flor.

- Vitamina B12 (Cobalamina) - auxilia a síntese de células vermelhas do sangue; manutenção do sistema nervoso; ajuda no crescimento e desenvolvimento do corpo. Principais fontes: fígado, rins, carnes, peixes, ovos, leite, queijo.

- Vitamina C (ácido ascórbico) - Indispensável para a síntese do colágeno; ajuda na manutenção das funções glandulares e do crescimento; manutenção dos tecidos; previne o câncer; aumenta a imunidade; protege contra infecções. Principais fontes: frutas cítricas frescas (laranja, limão, tomate abacaxi, mamão papaia) e vegetais frescos (repolho, couve-flor, espinafre, pimentão verde).

- Colina - Ajuda na memorização e no tratamento do Alzheimer; controla o colesterol e as gorduras no corpo; ajuda a eliminar substâncias tóxicas (venenos e drogas) e na reconstrução do fígado danificado pelo álcool. Principais fontes: lecitina de soja, gema de ovo. 
Curiosidades

Pessoas que vivem em regiões de pouca incidência de raios ultravioleta B ou de pele escura, idosos e indivíduos obesos possuem, em geral, níveis mais baixos de vitamina D devido à pouca absorção dos raios solares.

Pesquisas recentes demonstraram que a ingestão em excesso de betacaroteno e de vitamina A por mulheres lactantes portadoras de HIV aumenta a carga viral no leite. O tabagismo associado a altas doses de betacaroteno também parece aumentar o risco de câncer de pulmão. O excesso da vitamina A pode envenenar o organismo e causar doenças e má formação de nascença.

As células cancerosas são as nossas próprias células que dispararam a crescer e a se multiplicar. Portanto, necessitam de nutrientes mais do que qualquer outra célula do corpo. Por essa razão, as vitaminas – em especial o ácido fólico (B9), indispensável para a divisão celular – podem contribuir para a propagação do câncer. Em pessoas livres dessa doença, as vitaminas têm grande poder de proteção contra esse mal.

Pessoas que se alimentam principalmente de carboidratos processados (arroz beneficiado, farinha de trigo e açúcar brancos) estão sob o risco de deficiência da vitamina B1. O arroz e os grãos de trigo polidos, assim como o açúcar branqueado, têm todas as vitaminas removidas no processamento.

O ácido pantotênico (B5) pode ser perdido no cozimento dos alimentos (assados e fervuras), bem como em alimentos regados a vinagre, bicarbonato de sódio e enlatados. A vitamina B12 também é perdida na fermentação para produção de iogurtes e no leite fervido.
 
Doenças relacionadas

- Acne
- Anemia
- Cirrose
- Depressão
- Desordens autoimunes
- Diarreia
- Enxaqueca
- Estresse
- Flatulência
- Gripe
- Hipertensão
- Infertilidade

Fonte IG