Aplicativos, carreira, concursos, downloads, enfermagem, farmácia hospitalar, farmácia pública, história, humor, legislação, logística, medicina, novos medicamentos, novas tecnologias na área da saúde e muito mais!


domingo, 24 de novembro de 2013

Dor de cabeça e até cãibra podem incomodar nos dias de calor intenso

mulher com dor de cabeça - Foto: Getty ImagesEntenda como o organismo reage a altas temperaturas e evite transtornos
 
O tempo ensolarado é motivo de animação para muita gente, mas o calor intenso pode ser sinônimo de moleza, dores e mau-humor.
 
Mas antes de ser uma questão de gosto, dias muito quentes podem sim interferir no funcionamento do organismo, causando uma série de sintomas.
 
"A principal mudança do corpo e que pode ser a percussora de todas as alterações é a desidratação", afirma o fisioterapeuta especializado em fisiologia Felipe Gambetta Carmona, do Hospital Albert Einstein, em São Paulo.
 
Conheça os sintomas mais comuns nos dias de calor excessivo e veja como evitar essas mudanças: 
 
mulher com dor de cabeça - Foto: Getty ImagesDores de cabeça
Segundo o fisioterapeuta Felipe, sentir dor de cabeça no verão ou dias de calor é um sinal de que o corpo está exposto a altas temperaturas de forma exagerada. "A dor acontece porque o organismo fica sobrecarregado na intenção de manter a temperatura do corpo estável", diz. A melhor forma de evitar essa situação é resfriar o corpo, ingerindo bastante líquido (água ou suco de frutas) e tomando um banho de morno para frio. "Se a dor persistir por longos períodos, o ideal é procurar um serviço médico."
 
aparelho de aferir a pressão - Foto: Getty ImagesQueda na pressão
"O aumento da temperatura leva a uma maior dilatação do sistema circulatório, e essa dilatação diminui a pressão dos vasos sanguíneos", explica Felipe Carmona. Por conta disso, é comum pessoas mais sensíveis ao calor se sentirem cansadas ou indispostas. O especialista afirma que a melhor maneira de evitar isso é aumentar a ingestão de líquidos e alimentar-se corretamente, de preferência com alimentos ricos em água, como fruta e legumes.  
 
homem com um ventilador na cara - Foto: Getty ImagesTranspiração em excesso
Atire a primeira pedra quem não sofre com o suor nos dias quentes. "Para que nosso corpo mantenha sua temperatura normal mesmo no calor, ele aumenta a produção de líquidos secretados pelas glândulas sudoríparas", diz o fisioterapeuta especializado em fisiologia Felipe Gambetta Carmona, do Hospital Albert Einstein. Junto do suor, nossa pele também produz mais oleosidade, graças às glândulas sebáceas. Segundo o especialista, o suor e o sebo por si não trazem nenhum malefício, desde que a pele e roupas estejam sempre higienizadas - para não acumular bactérias causadoras do mau cheiro. A higiene das axilas para afastar os micro-organismos é essencial. Durante o banho, higienize as axilas e seque bem antes de passar o desodorante. Repasse o produto durante o dia quantas vezes sentir necessidade. Nos dias de muito calor, prefira vestir peças de algodão. Os tecidos sintéticos, como o elastano e a elanca, retêm o suor, abafam a pele e favorecem a transpiração. Durante o dia, privilegie roupas de cores claras e que não apertem as axilas. Outro ponto é manter o corpo hidratado para repor o líquido que é perdido com o suor. 
 
mulher no banheiro - Foto: Getty ImagesMenos idas ao banheiro
Se você notou que no calor costuma ter menos vontade de fazer xixi, saiba que é normal. Isso acontece porque a produção de urina diminui nas estações mais quentes, pois grande parte dos líquidos é eliminada pelo suor. "O corpo precisa manter a temperatura no calor, e o suor tem essa função, diferente da urina, que apenas elimina as toxinas do corpo", diz o fisiologista do esporte Daniel Portella, da Secretaria de Esportes de São Caetano do Sul. Mesmo assim não deixe de consumir bastante líquido ao logo do dia para evitar uma desidratação. 
 
mulher com cãibra - Foto: Getty ImagesCãibras
Outro drama que pode ser mais recorrente no calor é a cãibra. O fisioterapeuta Felipe explica que a relação direta entre calor e o aparecimento de cãibras não é bem determinada, mas uma das explicações é a desidratação. "Como sabemos, no calor aumentamos a produção de suor e perdemos mais líquidos e sais mineirais, o que pode aumentar o aparecimento das cãibras", afirma. "Exercícios de alongamento e uma boa hidratação podem evitar o aparecimento das dores."
 
mulher cansada no trabalho - Foto: Getty ImagesCansaço
No esforço para manter a temperatura corporal, o organismo aumenta a frequência cardíaca e a circulação periférica (veias logo abaixo da epiderme), o que leva a um gasto maior de energia, podendo causar a sensação de cansaço principalmente após o esforço físico. "Entretanto, o cansaço pode ser um sintoma de insolação, que está relacionada à exposição prolongada ao sol e pode causar sérios prejuízos ao corpo", alerta Felipe Carmona. O uso de roupas confortáveis e leves, a ingestão de líquidos frequente e banhos frios podem reduzir esse sintoma. 
 
mulher não conseguindo vestir a calça - Foto: Getty ImagesInchaço
O edema ou inchaço pode acontecer em dias muito quentes como uma resposta ao aumento do fluxo sanguíneo, principalmente nas extremidades do corpo - como mãos, pernas e pés - e pela queda da pressão arterial. "Esses fatores aumentam a concentração de líquido nessas áreas do corpo, devido a dificuldade do retorno venoso", diz o fisioterapeuta e fisiologista Felipe. Exercícios metabólicos (de movimentação dos membros superiores e inferiores), e alongamento são uma ótima opção para evitar o inchaço. "Em casos mais extremos, o uso de meias compressivas também são uma opção, mas com a orientação de um médico." 
 
Minha Vida 

Gestor da Qualidade destaca benchmarking como diferencial JCI

Fundados por volta dos anos 40, a Maternidade Pro Matre Paulista e o Hospital e Maternidade Santa Joana, ambos em São Paulo, têm vários pontos em comum. Além de serem referência na saúde da mulher e do neonato, as duas instituições possuem acreditação nacional, são associadas ao Instituto Vermont Oxford e, desde o ano 2000, têm administração conjunta. Agora, ambas estão se preparando para a obtenção do selo de acreditação da Joint Commission International (JCI).

Coordenador de Qualidade e Segurança das duas instituições, o engenheiro Ricardo Reis, diz que a busca pela acreditação JCI através de seu representante no Brasil, o Consórcio Brasileiro de Acreditação (CBA), vem ao encontro da cultura já implementada em ambos as unidades. “Percebemos que havia padrões diferenciados na acreditação internacional, principalmente no que diz respeito ao envolvimento do médico e em relação ao entendimento da segurança na assistência ser multiprofissional”, comenta. “Estamos em um processo em que o médico conversa com o enfermeiro, o fisioterapeuta, com o nutricionista... tudo pela segurança do paciente”, observa.

Ele revela que apesar dos hospitais já seguirem padrões de qualidade, ainda é necessário fazer adaptações para atender as exigências da JCI/CBA. O coordenador conta que a meta 1 (identificação correta do paciente) das seis Metas Internacionais de Segurança do Paciente ficou melhor redigida e divulgada internamente. A comunicação foi outro ponto melhorado com a preparação para a acreditação. Canais como intranet e canais internos de televisão estão sendo usados para tornar as ferramentas da qualidade mais dinâmicas aos colaboradores. “Todo o nosso gerenciamento de documentos, ferramentas da Qualidade e indicadores estão disponíveis na intranet para qualquer profissional da instituição”, diz Reis.

Para o coordenador, uma valiosa vantagem advinda com a acreditação JCI é poder fazer benchmarking internacional: “Nós temos planejamento de gestão e resultados internos, que estão sendo alinhados aos padrões da JCI. Com a conquista da acreditação, poderemos comparar nossos resultados a de outros hospitais de excelência do mundo todo”. Reis exemplifica dizendo que, no momento, as duas maternidades estão colhendo dados referentes à amamentação, um indicador da biblioteca JCI.

Outras duas medições feitas atualmente dizem respeito à Doença Hipertensiva Específica da Gravidez (DHEG) e o Protocolo de Hemorragia. “Conseguimos levantar o perfil de DHEG no hospital, que atinge 2% dos nossos pacientes. Não sabíamos tão claramente que tínhamos esse perfil aqui. A doença é grave e a mortalidade é alta. Então, os pacientes são encaminhados, com agilidade, dentro do hospital. Estamos agora medindo o tempo entre o atendimento inicial, a detecção da patologia e a resolução dela”, relata Reis.

Cultura de qualidade
"Vou parar para fazer qualidade; vou parar para fazer segurança”. Não é esse pensamento estanque que o coordenador da Qualidade e Segurança da Pro Matre e do Santa Joana quer ver disseminado entre os colaboradores. Ele conta que todo o processo de educação está sendo feito para que todos entendam que o trabalho com qualidade e segurança acontece continuamente. Reis revelou que as instituições estão usando uma ferramenta para pedir justamente essa percepção dos colaboradores. “Nosso objetivo é saber qual a percepção dos colaboradores sobre o trabalho, se ele participa dos treinamentos, se promove ou participa de reuniões sobre a temática. E ainda, qual a percepção dele quanto ao trabalho da gestão hospitalar e se a direção é coerente com o que apregoa”, explica.

Um exemplo de boa cultura já implantada nas duas instituições, segundo o coordenador da Qualidade, diz respeito à relação entre a segurança das instalações e a segurança do paciente.

“ Sempre trabalhamos atendendo à legislação nacional. Mas o processo de engajamento para a acreditação nos fez entender que essa questão não pode ser apenas restrita à segurança contra incêndios e nem a uma brigada. Os princípios técnicos básicos contra incêndio foram massificados e, hoje, temos quase 3 mil colaboradores plenamente capacitados para agir em caso de incidente”, analisa. Reis complementa dizendo que toda educação e capacitação são estendidas também aos poucos profissionais terceirizados dos dois hospitais.

O coordenador da Qualidade e Segurança das duas instituições conta que a aprendizagem tem sido positiva e ágil face ao processo para acreditação estar acontecendo concomitantemente, o que só foi possível devido à administração conjunta. Ricardo Reis conta que há uma defasagem entre as etapas de implantação do projeto de três meses. “Quando planejamos a acreditação JCI, entendemos que seria uma aprendizagem grandiosa. Como nossa gestão é compartilhada, iniciamos pela Pro Matre, com o pessoal do Santa Joana participando indiretamente do processo e das auditorias. Então, traçamos metas de melhorias para o Santa Joana aproveitando o aprendizado que tivemos com o que foi desenvolvido na Pro Matre”, complementa.
 
ASSESSORIA DE IMPRENSA
Beatriz Azevedo - SB Comunicação
Jornalista
Tel. (21) 3798-4357
Cel. (21) 996582392
R. Visconde de Inhaúma, 38/1201, Centro
Rio de Janeiro - RJ - 20091-007

Memória pode ser facilmente enganada

Lembranças podem ser facilmente manipuladas. Isso se aplica a pessoas com capacidade de memória normal ou excepcional, de acordo com um estudo norte-americano publicado na revista científica "PNAS". Foi observado que a manipulação simples já é suficiente.
 
Uma equipe de psicólogos da Universidade da Califórnia, em Irvine, sob a liderança de Lawrence Patihis, examinou 38 pessoas com capacidade de memória normal e 20 indivíduos com síndrome hipertiméstica (HSAM). Os últimos têm uma memória episódica distinta. Usando diversas tarefas, a memória foi testada nos dois grupos. Durante o processo, informações erradas foram deliberadamente inseridas, a saber, sobre um acidente de avião.
 
"Descobrimos que as pessoas com memória episódica distinta são igualmente suscetíveis a falsas lembranças em comparação com o grupo controle com memória normal", disseram os pesquisadores.
 
O mecanismo reconstrutivo pode, assim, ser a fraqueza principal. A mente compila lembranças usando fragmentos de informação, mas novas interpretações podem ser geradas por influência externa e percepções do ideal. Contrariamente ao que sempre se pensou, as pessoas com HSAM não são menos suscetíveis a falsas lembranças.
 
Os cientistas consideram suas observações como evidências de que lembranças falsas constituem um fenômeno disseminado. "Nossos achados são importantes para os campos de psicologia legal e clínica, principalmente para a avaliação de declarações falsas", enfatizam os autores.
 
Univadis

Melão amargo pode inibir o crescimento do câncer

De acordo com pesquisadores dos EUA, o melão amargo, uma planta comumente usada na culinária asiática e indiana, pode ser usado para tratar o câncer. Em modelos animais, o extrato de melão amargo reduziu o crescimento do câncer de cabeça e pescoço, relataram médicos na revista científica "PLOS One".
 
Já havia sido provado em estudos clínicos sobre o câncer de mama e de próstata que o melão amargo é eficaz. "Neste estudo, o tratamento com extrato de melão amargo inibiu o crescimento celular no câncer de cabeça e pescoço em modelo com camundongos, reduzindo o crescimento do tumor", explicou a autora principal, Ratna Ray.
 
É difícil medir o impacto exato dessa substância natural, disse Ray. Supõe-se que a associação da terapia medicamentosa com o melão amargo possa aumentar a eficácia.
 
Antes do início dos estudos clínicos em humanos, mais pesquisas devem ser realizadas com modelos pré-clínicos.
 
Univadis

Exercícios de relaxamento corporal e mental

Relaxando no trabalhoO corpo e a mente trabalham juntos, mas as vezes chega um momento de acumulo para ambos, seja de stress ou cansaço. Saiba como relaxar
 
O mundo gira cada vez mais veloz, e em sua passagem costuma, não raramente, derrubar-nos pelo esforço que a vida moderna demanda.
 
O stresse, a correria, as preocupações, a falta de tempo para cuidar de pontos fundamentais como a saúde, criam um ambiente propício para a manifestação de doenças e problemas mais profundos, que atacam não o corpo, mas o espírito.
 
E quando nossa cota de energia está bastante baixa, a melhor coisa a se fazer é parar e tentar recuperar as forças.
 
Como nem sempre fugir é possível, às vezes, a melhor saída é procurar formas de relaxar onde quer que estejamos. Por isso, confira nossas dicas de exercícios para relaxar:
 
AlongamentoExercícios de relaxamento corporal
O corpo humano funciona como uma máquina, extremamente avançada e com muitas funções. Entretanto, assim como qualquer máquina, o corpo possuí limitações, e quando alcançadas podem levar a uma sobre carga. Aprender a calibrar essa energia, se torna, desta maneira indispensável. E é mais simples do que parece.
 
Qualquer lugar pode servir para relaxar o corpo. Durante o dia-a-dia, o desgaste continuo faz com que o corpo se torne mais rijo, e exija ainda mais dos músculos e nervos. O primeiro passo para se alcançar um relaxamento adequado é aliviar essas pressão dos músculos.
 
O melhor caminho para tanto ainda é um bom alongamento. Faça um alongamento demorado, sem pressa, do maior número de músculos que puder. Não precisa forçar seus limites, com o tempo ele será ampliado naturalmente. Faça de modo que sinta cada músculo se alongando para que possa tirar proveito de cada sensação.
 
Outros exercícios extremamente úteis, são aqueles ligados com a respiração. Especialistas apontam que a maior parte dos adultos não respiram da maneira certa, e problemas como dor de cabeça frequente, tontura e mesmo problemas cardíacos e respiratórios podem originar daí.
 
Então faça exercícios respiratórios, procurando aumentar o fluxo de ar nos pulmões, de modo a inspirar mais e soltar o ar lentamente. Exercícios de canto, que trabalham com o diafragma, são ideais para corrigirem vícios respiratórios.
 
MeditaçãoExercícios de relaxamento mental
Relaxar a mente é fundamental em uma época onde os problemas mais sérios não são físicos, mas psicológicos.

Encontrar seu ponto de equilíbrio interior pode fazer toda a diferença nos seus dias. Por isso, os melhores exercícios de relaxamento mentais se fazem parados.
 
Escolha um lugar com meia luz se possível, ou, ao contrário, um lugar aberto, em plena luz do dia, onde o meio ambiente pode completar seu processo sensível.
 
Mas este lugar precisa conter o menor número de coisas que lhe distraiam. Após ficar bem acomodado, respire fundo, e feche os olhos, tente se focar em uma imagem mental.
 
Alguns imaginam uma caverna, na qual habita seu animal interior, outros imaginam um rio, que flui pelo mundo todo, existem muitas possibilidades.

Escolha a que melhor lhe atraí, e deixe-se levar, fluir por essa e nessa imagem. Músicas calmas também são ótimos relaxantes e ajudam no processo de construção mental.

 Corpo e mente sãos constituem o alicerce de uma vida plena.
 
Clika.me

A importância dos exercícios físicos

Exercício físicoPraticar exercícios físicos trazem muitos benefícios para o corpo e para mente. Confira algumas dicas e informações e fique por dentro
 
Muito se fala na importância dos exercícios físicos, mas se tanto falam e insistem que este é o melhor remédio para a saúde, é porque realmente funciona, mas os resultados vêm sem pressa alguma.
 
Fazer exercícios físicos nem sempre é uma prática comum em alguns lugares, há o investimento do governo em esportes, mas a impressão que se tem é de que o incentivo maior é para que os brasileiros assistam aos jogos e prestigiem estrelas do esporte do que o incentivo para praticá-los, notamos isso com os milhões de reais investidos pelo governo para a construção de estádios de futebol luxuosos, desabrigando famílias e deixando de lado áreas que estão em estado de emergência e calamidade e tudo isso para sediar a copa do mundo, um evento para países que estão bem estruturados em suas necessidades.
 
É como servir  produtos caros para as visitas, mas no dia a dia volta-se a comer os de pior qualidade.
Mas críticas à parte, voltemos a tratar dos exercícios, o índice de sedentarismo em nosso país é grande, segundo uma pesquisa do IBGE de 2012 80% dos brasileiros apresentam quadro de sedentarismo, então veja a seguir quão importante é a prática de atividades físicas para crianças e adolescentes, para adultos e idosos também.
 
A importância dos exercícios físicos para crianças e adolescentes
A taxa de obesidade em crianças e adolescentes está cada vez maior e isso traz doenças e problemas cardiovasculares mais cedo para estas pessoas desta faixa etária. A prática de exercícios é importante não só para os que apresentam quadro de obesidade infantil, mas também para os magrinhos, para manter o corpo em movimento e beneficiar a saúde.
 
O exercícios físicos para crianças são importantes, pois, ajuda a desenvolver tecidos musculares, o sistema cardiovascular e também a consciência neurológica, as atividades para crianças e adolescentes são feitas com a intensidade adequada para eles.
 
A importância dos exercícios físicos para adultos
Nos adultos as atividades físicas tem importância para gastar as energias e eliminar o estresse do dia a dia do trabalho, da vida pessoal, estudos ou quando vem aquele turbilhão de coisas em cima de você.
 
Mesmo que seja um simples caminha de 30, 40 minutos em média, já auxilia a saúde física e mental. A troca de oxigênio e liberação de gases traz benefícios para o corpo, as academias estão movimentadas não só com pessoas interessadas em garantir um corpo sarado, mas também preocupadas em beneficiar a própria saúde.
 
A importância dos exercícios físicos para idosos
A idade da maturidade também é tempo de continuar a praticar exercícios físicos, pois isso é tão importante quanto na juventude. Aliás, o bom condicionamento e disposição na terceira idade é apenas o reflexo da prática de atividades físicas desde a juventude.
 
A importância dos exercícios proporciona uma boa memória, previne doenças, auxilia na flexibilidade do corpo e melhora a respiração. Portanto faça exercícios pelo menos 3 vezes por semana, intensifique conforme sua necessidade e disposição e junto procure manter sempre uma boa alimentação.
 
Clika.me

Café aumenta o fluxo sanguíneo em vasos pequenos

Estudos anteriores encontraram uma associação entre o consumo e café e a melhora da função arterial. Agora, um estudo japonês mostra que a cafeína também pode afetar o fluxo sanguíneo em pequenos vasos. O estudo foi apresentado nas "Sessões Científicas da Associação Americana do Coração de 2013".
 
Cientistas da Universidade de Ryukyus, em Okinawa, alocaram 27 participantes (com idade de 22 a 30 anos), que normalmente não tomam café, em grupos para consumo de uma xícara de café regular ou descafeinado. Dois dias depois, foi solicitado que eles bebessem o outro tipo de café. Nem os pesquisadores, nem os participantes sabiam qual o tipo de café que estava sendo tomado.
 
Medidas subsequentes revelaram um aumento de 30% no fluxo sanguíneo após 75 minutos para o café regular (com cafeína). A pressão arterial também aumentou um pouco, enquanto a frequência cardíaca permaneceu a mesma com os dois tipos de café.
 
Os pesquisadores supõem que a cafeína possa abrir os vasos sanguíneos e reduzir a inflamação. "Se soubermos como os efeitos positivos do café funcionam, isso pode levar a uma nova estratégia de tratamento para doenças cardiovasculares no futuro", disse o líder do estudo, Masato Tsutsui.

Univadis

Risco de fratura no quadril não cai com a suplementação de cálcio e vitamina D

A suplementação nutricional com vitamina D e cálcio é menos eficaz do que se pensava. De acordo com um trabalho da Women's Health Initiative (WHI), o Calcium plus Vitamin D Supplementation Trial publicado no "Journal of Women's Health", nem as fraturas de quadril, nem o câncer colorretal tiveram suas incidências reduzidas.
 
O estudo, conduzido por Jane Cauley da Universidade de Pittsburgh e seus colegas, examinou 30.000 mulheres menopausadas por, em média, 11 anos, incluindo sete anos de suplementação com 1.000 mg de cálcio e 400 UI de vitamina D3.
 
Cerca de cinco anos depois do fim de um período de 7 anos de suplementação de cálcio mais vitamina D, os pesquisadores compararam dados das participantes com os de mulheres não tratadas com suplementação. A incidência de fraturas de quadril e de câncer colorretal não foi reduzida.
 
No entanto, os autores relatam uma pequena redução do risco de fraturas vertebrais e cânceres de mama in situ em todo o período de estudo entre as mulheres submetidas à suplementação. As doenças cardiovasculares e mortalidade geral também não foram afetadas pela suplementação.
 
Univadis

Preparo cardiovascular nas crianças está diminuindo em todo o mundo

Em muitos países, as crianças não conseguem correr mais rápido ou tão rápido quanto seus pais corriam com a mesma idade. Desde 1975, o preparo cardiovascular tem caído de maneira constante, de acordo com uma pesquisa apresentada nas Sessões Científicas da Associação Americana do Coração de 2013, em Dallas.
 
Pesquisadores da Universidade do Sul da Austrália, em Adelaide, analisaram 50 estudos sobre o preparo físico para correr entre 1964 e 2010 que incluíram mais de 25 milhões de crianças com 9 a 17 anos de idade, em 28 países. Eles mediram a resistência cardiovascular avaliando a distância que as crianças conseguiam percorrer em um intervalo determinado de tempo ou quanto tempo elas levavam para correr certa distância. Os testes duraram tipicamente 15 minutos ou cobriram distâncias de 800 metros a 3,2 km.
 
Em todos os países, a resistência caiu consistentemente cerca de 5% a cada década. As crianças de hoje têm um preparo físico cerca de 15% pior do ponto de vista cardiovascular do que seus pais tinham quando eram jovens. Em uma corrida de 1,6 Km, as crianças hoje em dia são cerca de 1,5 minuto mais lentas do que crianças com características equiparadas há 30 anos.
 
"Cerca de 30% a 60% do declínio do desempenho na corrida de resistência pode ser explicado pelo aumento da massa de gordura", disse Grant Tomkinson, autor principal do estudo. "Quando o jovem tem condições físicas gerais ruins, ele tem uma probabilidade maior de desenvolver doenças como as cardíacas no decorrer da vida. Precisamos ajudar a inspirar os jovens e as crianças a desenvolver hábitos de boa forma física que os manterão saudáveis agora e no futuro".
 
Univadis

Fragilidade ocorre mais cedo em adultos sobreviventes de câncer na infância

Adultos jovens que sofrem de câncer na infância têm muito mais chances de fragilidade do que indivíduos equiparados, além de um risco mais alto de morte e doença crônica, de acordo com um estudo conduzido pelo Hospital de Pesquisa St. Jude Children, em Boston, publicado no "Journal of Clinical Oncology".
 
O estudo examinou 1.922 crianças sobreviventes de câncer. 13,1% das mulheres e 2,7% dos homens foram considerados frágeis apesar da média de idade inferior a 34 anos. Em uma comparação de grupos com 341 adultos jovens com média de idade de 29 anos e sem histórico de câncer na infância, nenhum foi considerado frágil. Nos EUA, estima-se que 9,6% das mulheres com 65 anos de idade ou mais e 5,2% dos homens na mesma faixa etária se encaixem na definição.
 
Os sobreviventes de câncer na infância frágeis tiveram 2,6 vezes mais chances de morrer do que os indivíduos não frágeis. Os sobreviventes frágeis do sexo masculino tiveram um risco até seis vezes maior de morte. Os sobreviventes frágeis também tiveram mais do que o dobro de chance de desenvolver problemas de saúde crônicos adicionais.
 
"Há medidas que podem ser tomadas pelos sobreviventes para tentar diminuir o risco e melhorar sua condição física", disse a autora principal, Kirsten Ness. Exercícios físicos podem reverter a fragilidade no idoso e Ness disse que o estudo reforça a necessidade dos sobreviventes trabalharem com seus profissionais de saúde para melhorar o preparo físico.
 
Univadis

Desemprego prolongado faz com que os homens envelheçam mais rápido

Os homens desempregados por muito tempo envelhecem mais rápido que os homens continuamente empregados, de acordo com um estudo britânico e finlandês publicado na "PLOS One". Os telômeros dos homens a procura de emprego, revelou o estudo, eram mais curtos do que os de homens empregados.
 
Pesquisadores do Imperial College London e da Universidade de Oulu, na Finlândia, estudaram amostras de DNA de 5.620 homens e mulheres nascidos na Finlândia e com 31 anos de idade, com foco no comprimento dos telômeros nas células sanguíneas. O estudo, patrocinado pelo Wellcome Trust, revelou que os homens desempregados por dois anos ou mais nos três anos anteriores tinham duas vezes mais chances de apresentar telômeros curtos em comparação com os homens continuamente empregados.
 
Essa tendência não foi observada nas mulheres; contudo, isso pode ser devido ao fato de que menos mulheres do que homens ficam desempregadas por períodos longos na faixa dos 30 anos de idade.
 
"Telômeros mais curtos estão ligados a um risco maior de diversas doenças relacionadas à idade e à morte prematura. Experiências de vida estressantes na infância e na vida adulta já foram ligadas ao encurtamento acelerado dos telômeros. Demonstramos agora que o desemprego prolongado também pode provocar o envelhecimento prematuro", disse Jessica Buxton, do Imperial College London.
 
Leena Ala-Mursula, da Universidade de Oulu, acrescentou: "Manter as pessoas empregadas deve ser uma parte essencial da promoção de saúde pública".

Univadis

Relógio biológico controla o sistema imunológico

O relógio circadiano do corpo não somente regula o metabolismo e o ciclo circadiano, mas, de acordo com pesquisadores norte-americanos, também tem um papel importante no sistema imunológico. Um estudo com camundongos, publicado na revista científica "Science", revelou que o ritmo de sono e vigília interrompido perturba a produção de células imunológicas importantes.
 
Em seu trabalho de pesquisa, cientistas do UT Southwestern Medical Centers (Dallas) descobriram uma via desconhecida até então: a interrupção do relógio circadiano influenciou a regulação das células T helper produtoras de interleucina 17 (TH17). Quando seu número não estava sob controle, reações imunológicas excessivas podiam ocorrer que, por sua vez, desencadearam doenças imunológicas, explicou a autora sênior, Lora Hooper, do Instituto Médico Howard Hughes.
 
Os pesquisadores descobriram que o desenvolvimento de células TH17 é regulado pelo gene Nfil3. Isso acontece, porque o gene Nfil3 regula o fornecimento celular da proteína de células T Rorγt. A Rorγt direciona as células T para o desenvolvimento de células TH17; no entanto, sua quantidade varia ao longo do dia. Nos camundongos noturnos, a ocorrência é mais alta ao meio dia, quando os animais estão dormindo.
 
"Quando interrompíamos o ciclo normal de noite e dia dos camundongos, essencialmente colocando-os em efeito de jet lag, descobrimos que houve um desenvolvimento de células TH17 demais, que se acumularam nos intestinos", disse Hooper. Assim, os camundongos tiveram uma tendência maior a desenvolver doenças intestinais inflamatórias.
 
Contudo, para alterar as quantidades de TH17, o ritmo circadiano precisa ser interrompido por mais de um dia, disse Hooper. Na vida moderna, esse é frequentemente o caso nos trabalhos com turnos durante o dia e à noite. Ainda não está claro, contudo, se os resultados são transferíveis.
 
Univadis

Projeto social de Hospital, que envolve reciclagem e dança, ganha prêmio

O projeto social Recicle e Dance, uma iniciativa do Hospital Mário Lioni, conquistou o Prêmio Marketing Best Sustentabilidade 2013 como uma das melhores práticas sustentáveis. O programa foi destaque, pois promove a inclusão social de crianças e adolescentes de Caxias, Baixada Fluminense, por meio da educação ambiental e do estímulo ao interesse escolar e à dança.
 
"Para nós é um orgulho muito grande receber esse reconhecimento. A premiação simboliza o cumprimento de nossa missão de ter um programa de responsabilidade ambiental, social e cultural de excelência e, principalmente, valoriza o empenho de todos aqueles que dedicam seu tempo e acreditam nessa iniciativa”, declara Mariane Silva, administradora do Recicle e Dance.
 
Mas a grandiosidade não se restringe ao reaproveitamento de material: o Recicle e Dance também é um celeiro de talentos. O projeto já credenciou jovens bailarinos a grandes escolas de dança do Brasil e do exterior, como o caso da Escola Maria Olenewa, do Teatro Municipal do Rio de Janeiro; da Miami City Ballet e da Escola de Ballet de Chicago, ambas nos Estados Unidos. Além do Prêmio Marketing Best Sustentabilidade, o projeto já conquistou mais 32 troféus em diversos festivais de dança.
 
Reciclagem no compasso da dança
Implementado em 2005, o Recicle e Dance atende hoje cerca de 350 alunos, entre 4 e 20 anos, oferecendo aulas de balé nas categorias clássico e moderno, repertório de street dance, e oficina de teatro. O projeto tem todas as suas atividades financiadas pelo programa de reciclagem de lixo do Hospital de Clínicas Mário Lioni, também da região de Duque de Caxias.
 
Segundo Mariane, a direção do hospital começou a pensar numa maneira de reaproveitar o lixo comum (copos plásticos, papel, garrafas PET, latas de refrigerante) gerado pelo dia a dia da unidade. E chegou à conclusão que um programa de reciclagem que destinasse os lucros em benefício de seus funcionários e comunidade poderia promover, além de ação de preservação ambiental eficaz, um grande estímulo à prática da conscientização em grupo.

A ideia virou realidade
E o resultado disso é o grande sucesso do projeto, que, no ano de 2011, reciclou 1.300 litros de óleo; 14 mil quilos de papelão; 7 mil quilos de PET e 1.985 quilos de latas. “Nosso principal objetivo é promover a conscientização ambiental por meio de estímulos constantes, com foco no desenvolvimento do indivíduo e na formação de cidadãos que entendam seu papel no mundo”, conta Mariane.

De acordo com a administradora, a permanência dos alunos no programa está vinculada a critérios como manutenção das notas escolares num nível maior ou igual à média determinada pelas escolas; cumprir a presença mínima exigida durante todo o ano letivo; e participar do programa de reciclagem com a cota mínima estabelecida.

Assessoria de Imprensa
rachel@saudeempauta.com.br