Aplicativos, carreira, concursos, downloads, enfermagem, farmácia hospitalar, farmácia pública, história, humor, legislação, logística, medicina, novos medicamentos, novas tecnologias na área da saúde e muito mais!


quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

Que métodos funcionam contra Aedes? Veja diferença entre repelentes

DEET, IR3535 e icaridina são substâncias recomendadas pela OMS. Vitamina do complexo B não tem eficácia comprovada contra mosquito

repelente (Foto: bom dia brasil)
Repelentes contra insetos -  Reprodução/TV Globo

Há 'fortes indícios' de que zika vírus, transmitidos por mosquitos Aedes aegypti, tenha correção com aumento de casos de síndrome de Guillain-Barré.

Ainda há muita dúvida sobre como se proteger individualmente das picadas do Aedes aegypti, vetor de dengue, zika e chikungunya. A grande variedade de repelentes disponíveis no mercado – só no Brasil, existem 122 com registro na Anvisa – faz a população se questionar se todos teriam a mesma eficácia contra o mosquito.

Mesmo os especialistas e os órgãos reguladores divergem em suas recomendações. Este mês, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária pediu que a população denuncie repelentes que tenham falhado ou provocado efeitos adversos.

Outras práticas disseminadas no país contra o Aedes, como o uso de vitaminas do complexo B, também geram confusão entre o público leigo. Veja perguntas e respostas sobre essas práticas:

Quais são os repelentes aprovados no Brasil?
Há 122 produtos registrados na Anvisa como repelentes para a pele. Eles têm quatro substâncias ativas:

- DEET (também conhecido como N,N-dimetil-meta-toluamida ou N,N-dimetil-3-metilbenzamida)

- IR3535 (também conhecido como etil butilacetilaminopropionato ou EBAAP)

- Icaridina (também conhecido como hidroxietil isobutil-piperidina carboxilato ou picaridina) - Plantas do gênero Cymbopogon (citronela)


Todos têm o mesmo poder contra o Aedes?
Segundo a Anvisa, “todos os produtos registrados tiveram sua eficácia comprovada para ação em mosquitos da espécie Aedes aegypti”. É importante observar que o efeito de cada produto tem duração diferente e que as instruções de uso contidas no rótulo devem ser seguidas.

Porém, a eficácia dos repelentes pode variar de mosquito para mosquito. Segundo a infectologista Nancy Bellei, coordenadora do Comitê Científico de Virologia Clínica da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI), estudos realizados até o momento sugerem que a alternativa mais eficaz contra o Aedes sejam os repelentes a base de icaridina com concentração de 25%.

No caso do DEET, por exemplo, os principais estudos de eficácia foram feitos com mosquitos Anopheles (vetor da malária) e Culex (o pernilongo comum) e mostram que repelentes a base de DEET com concentração de 15% são eficazes por 5 horas, em média.

“Os estudos não foram feitos com Aedes e se referem a uma concentração maior que 15%. No Brasil, a maior parte dos repelentes a base de DEET tem concentração em torno de 10%, portanto não garantiriam essa proteção”, diz Nancy. A especialista cita ainda um estudo publicado em 2013 na revista científica “Plos One” que indica que o Aedes aegypti desenvolve um tipo de tolerância ao DEET quando exposto ao repelente por um período prolongado.

O que recomenda a OMS?
Contra o Aedes aegypti, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda os repelentes à base de DEET, IR3535 e icaridina.

O que recomenda os EUA?
Os Centros de Prevenção e Controle de Doenças dos EUA (CDC) recomendam o uso de repelentes a base de DEET, IR3535 e icaridina, além de alguns produtos feitos com óleo de eucalipto-limão e para-mentano-diol.

Óleo de citronela funciona?
Além de não ser recomendado pela OMS para combater o Aedes aegypti, há estudos que indicam que o óleo de citronela não tem eficácia contra o mosquito. Uma pesquisa publicada em outubro de 2015 na revista “Journal of Insect Science” comparou o desempenho de produtos à base de citronela e outros ingredientes naturais contra aqueles à base de DEET. O resultado foi que produtos contendo citronela não tiveram nenhum efeito repelente significativo.

VIitamina B afasta mosquitos?
Não há nenhuma base científica que justifique o consumo de vitaminas do complexo B para afastar mosquitos, segundo a infectologista Nancy Bellei. Há, pelo contrário, estudos que comprovam que o uso desse recurso não tem qualquer efeito repelente.

G1

Alta no preço do repelente chega a 62% em farmácias, diz Procon-SP

Fundação comparou preços de novembro, dezembro e janeiro. Fiscalização ocorreu após aumento na demanda por causa do Aedes

A Fundação Procon-SP constatou que houve aumento nos preços de repelentes em diversas farmácias da capital paulista nos últimos três meses. Agora, a fundação fiscaliza se o aumento foi abusivo.

A operação teve início depois do aumento da demanda de compra de repelentes por conta dos surtos de dengue, chikungunya e zika vírus, transmitidos pelo mosquito Aedes Aegypti. Os especialistas solicitaram os preços dos produtos das principais marcas às grandes redes em novembro e dezembro do último ano, e em janeiro.

A maior alta verificada foi de 62% em uma das marcas. As redes já adiantaram que houve aumento devido a um repasse dos preços pedidos pelas indústrias. O Procon pediu, então, as notas fiscais das compras.

Se ficar comprovado aumento abusivo, as empresas serão autuadas. De acordo com o artigo 39 do Código de Defesa do Consumidor, é vedado ao fornecedor elevar sem justa causa o preço de produtos.

Os consumidores podem ajudar no levantamento do Procon-SP enviando para a fundação pelas redes sociais fotos dos preços de repelentes, nome e endereço do estabelecimento onde adquiriram o produto.

Foto: Reprodução

G1

Instituto de Psiquiatria da USP busca voluntários para 16 tratamentos

O Instituto de Psiquiatria (IPq) do Hospital das Clínicas (HC) da Faculdade de Medicina (FM) está com vagas abertas para pacientes voluntários em diversos grupos e projetos. Os tratamentos são gratuitos, inclusive as medicações e os exames laboratoriais e de imagem

Confira, abaixo, as doenças tratadas, o público-alvo, os serviços oferecidos e como fazer inscrição para participar da triagem. Para realizar inscrição por e-mail é preciso informar nome completo do paciente que deseja ser voluntário no projeto, data de nascimento, nome dos pais ou responsáveis (quando o paciente for menor de idade), motivo da procura pelo atendimento e telefones de contato.

Para esclarecer dúvidas ou obter mais informações, o contato deve ser feito somente com a equipe do projeto responsável pelo tratamento da doença específica, por meio do telefone e/ou e-mail que estão na tabela informações e triagem.

Os tratamentos serão feitos no Instituto de Psiquiatria, que está localizado na Rua Dr. Ovídio Pires de Campos, 785 – Cerqueira César, São Paulo (próximo ao metrô Clínicas).

DoençaPúblico-alvoMais detalhesInformações e triagem
Anorexiaadolescentes: 12 a 17 anos, diagnóstico de anorexia nervosa ou perda de peso intensajunto com a perda de peso podem apresentar medo intenso de engordarprotad.hc@uol.com.br
Bulimiaadolescentes: até 17 anos, com bulimia nervosaos pacientes selecionados receberão atendimento psiquiátrico, nutricional e psicológicoprotad.hc@uol.com.br
Transtorno dismórfico corporalhomens e mulheres: maiores de 18 anos, que acreditam ter defeitos no corpo, mesmo sem os terserão oferecidos tratamentos psiquiátrico, psicológico, fisioterapêutico e nutricional(11) 2661-6975
ambulim.ipq@hc.fm.usp.br
Depressãohomens e mulheres: 18 a 65 anos, que apresentem depressão unipolar ou bipolardepressão unipolar: aquela sem alternância no estado de humor
depressão bipolar: episódios depressivos que incidem em pessoas com transtorno bipolar do humor
unipolar
pesquisa.depressao@gmail.com
bipolar
pesquisadepressaobipolar@gmail.com
Transtorno bipolarhomens e mulheres: 18 a 59 anos, com transtorno bipolar e que se encontrem deprimidos no momentocom sintomas como tristeza profunda, desânimo, apatia, falta de energia, pensamentos negativos, cansaço e falta de concentração, entre outros(11) 2661-7928pesquisaproman@gmail.com
Teste neuropsicológicohomens e mulheres: 18 a 45 anosvão participar de avaliação com testes de memória, visual, motor, verbalpsico.erikaazevedo@yahoo.com.br
Déficit de atenção e hiperatividadehomens e mulheres: a partir de 65 anos, com sintomas de transtorno do déficit de atenção com hiperatividade (TDAH) desde a infância e/ou juventudecom os sintomas de desatenção, distração, desorganização, procrastinação, agitaçãoidosotdah@gmail.com
(11) 99229-0359 psicóloga Margarete Klein
Memóriahomens e mulheres: a partir de 60 anospara fazer parte de um estudo que pretende identificar o risco para o desenvolvimento da doença de Alzheimer, com uso de uma nova tecnologia diagnóstica(11) 94321-3537 (deixar o nome e telefone de contato na caixa postal)
pesquisamemorialim27@gmail.com
Pessoas com Alzheimer e seus cuidadoreshomens e mulheres: acima de 60 anos que apresentem demência de Alzheimer, diagnosticada há mais de 3 anos, bem como seu cuidador direto, maior de 18 anospara estudo no qual os cuidadores serão ensinados a manejar pacientes que apresentem agitação, agressividade e alterações do sono, visando melhorar esses sintomas e diminuir a sobrecarga para ambos(11) 2661-8043
xandamartini@usp.br
Autistas de alto funcionamentomeninos: 12 a 17 anos, que apresentem comprometimento de três áreas: interação social, déficits de linguagem e interesses restritos e estereotipadospara estudo no qual será avaliada a eficácia de ocitocina spray nasal na redução dos prejuízos na área da interação social, no que se refere a padrões de comportamentos repetitivos(11) 2661-6977
segunda a sexta-feira, das 8h às 16h
debzambori@gmail.com
Epilepsiacrianças e adolescentes: 6 a 16 anos, com diagnóstico de epilepsia rolândica;
ou adolescentes e adultos: 16 a 55 anos, com epilepsia mioclônica juvenil
www.epilepsiahc. com.br(11) 2661-6518
Esquizofreniahomens e mulheres: 18 a 55 anos, com diagnóstico de esquizofrenia, para uma nova abordagem psicoterápicapara uma nova abordagem psicoterápica, que vem se mostrando eficaz no controle de sintomas chamados negativos, como apatia, falta de vontade, energia, isolamento social e baixa afetividadepesquisa.esquizofrenia@gmail.com
Ansiedade generalizadahomens e mulheres: 18 a 65 anos, que apresentem transtorno de ansiedade generalizada (TAG)com os principais sintomas: dificuldade para relaxar, preocupações excessivas e difíceis de controlar, dificuldade de concentração, irritabilidade, tensão, cansaço crônico ou prejuízos no sonoprojetoansiedade.hc@gmail.com
Estresse pós-traumáticohomens e mulheres: 18 a 65 anos, que tenham vivenciado ou presenciado eventos traumáticos em qualquer momento da vida e que ainda se encontrem emocionalmente abaladosserão oferecidos tratamentos médico e psicológico(11) 2661-6525
(11) 98938-9805
novasestrategias.ipq@hc.fm.usp.br
Jogo patológicohomens e mulheres: maiores de 18 anosque apresentem compulsão por jogos de azar, a ponto de prejudicar seu trabalho, finanças ou relacionamentos(11) 2661-7805
(11) 2307-7805
proamjo.secretaria@gmail.com
Skin Pickinghomens e mulheres: maiores de 18 anos, que apresentem skin pickingpode também ser chamada de escoriação neurótica, uma síndrome que leva as pessoas a cutucarem a pele compulsivamente. Este ato provoca lesões em diferentes graus, em várias partes do corpo, especialmente áreas que podem ser “escondidas” pela roupa(11) 2661-7805
proamiti.s

Fonte: USP

Ebserh convoca 767 aprovados em concursos para 11 hospitais

A Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) convocou 767 aprovados em concursos públicos realizados para 11 hospitais universitários federais nas áreas médica, assistencial e administrativa

As informações foram publicadas, no Diário Oficial da União desta segunda, 18, e terça-feira, 19, e no site da Ebserh.

Para o Hospital Universitário Ana Bezerra da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (Huab-UFRN), em Santa Cruz, foram convocados 14 médicos. O Hospital Universitário Júlio Müller da Universidade Federal do Mato Grosso (HUJM-UFMT), em Cuiabá, convocou seis aprovados, incluindo dois médicos e dois técnicos em enfermagem.

No estado de São Paulo, o Hospital Universitário da Universidade Federal de São Carlos (HU-UFSCar) chamou 13 médicos. Para o Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Triângulo Mineiro (HC-UFTM), em Uberaba (MG), foram chamados 32 profissionais, com três médicos, 10 enfermeiros e seis técnicos em enfermagem.

Para a Maternidade Climério de Oliveira da Universidade Federal da Bahia (MCO-UFBA), em Salvador, foram chamados 87 aprovados, dentre eles 13 médicos, 16 enfermeiros e 43 técnicos em enfermagem. Em Vitória, o Hospital Universitário Cassiano Antonio Moraes da Universidade Federal do Espírito Santo (Hucam-Ufes) convocou 25 profissionais, incluindo seis médicos e três técnicos em enfermagem.

No Hospital Universitário da Universidade Federal de Juiz de Fora houve a convocação de 170 profissionais, com 28 médicos, 15 enfermeiros e 65 técnicos em enfermagem. O Hospital Universitário Walter Cantídio da Universidade Federal do Ceará (HUWC-UFC), em Fortaleza, chamou 247 aprovados, incluindo 21 médicos, 36 enfermeiros e 168 técnicos em enfermagem.

No Rio Grande do Sul, o Hospital Universitário de Santa Maria da Universidade Federal de Santa Maria (HUSM-UFSM), chamou 91 aprovados, com 26 médicos, 23 enfermeiros e 30 técnicos em enfermagem, e o Hospital Escola da Universidade Federal de Pelotas (HE-UFPel) convocou dois físicos.

Já o Hospital Universitário Maria Aparecida Pedrossian da Universidade Federal do Mato Grosso do Sul (Humap-UFMS), em Campo Grande, convocou 12 médicos, 36 enfermeiros e 19 técnicos em enfermagem de um total de 80 aprovados.

Além desses convocados, os hospitais chamaram analistas e assistentes administrativos, assistentes sociais, farmacêuticos, psicólogos, terapeutas ocupacionais, advogados, engenheiros em várias áreas, biólogo, cirurgiões dentistas, físico, fisioterapeutas, fonoaudiólogo, nutricionistas, pedagogo, técnicos em várias áreas e profissional de educação física.

A contratação dos profissionais permitirá aos hospitais a reativação de leitos que atualmente encontram-se desativados em decorrência da falta de pessoal e a ampliação dos serviços de saúde prestados à população.

Os candidatos aprovados no concurso público que ingressarem no quadro permanente da Ebserh serão contratados sob o regime da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) e terão direito ao plano de cargos, carreiras e salários, além do plano de benefícios da empresa.

Fonte: Coordenadoria de Comunicação Social da Ebserh

Agência suspende âncora com aplicador descartável da Meta Bio

Nesta quinta-feira (21/1), a Anvisa determinou a suspensão de diversos modelos do produto Âncora com aplicador descartável – Meta Bio, registro 80034760032 fabricado por Meta Bio Industrial Ltda.

Uma inspeção verificou a fabricação do produto com matéria-prima da sutura em polietileno de ultra alto peso molecular ao invés de poliéster, que é a matéria-prima registrada.

A vistoria conjunta que comprovou o desvio foi feita pelo Centro de Vigilância Sanitária - CVS/SP, pelo Grupo de Vigilância Sanitária - GVS XX Piracicaba e pela Vigilância Sanitária Municipal de Rio Claro.

Com a decisão da Agência, a empresa deve recolher o estoque existente no mercado.

Veja os modelos suspensos:

ProdutoValidadeModelo
Âncora com aplicador descartável – Meta Bio, registro 80034760032.Todos os lotes com data de fabricação posterior a 11/2010
2831-020
2831-027
2831-030
2831-035
2831-040
2831-045
2831-050

A medida está na Resolução 149/2016 publicada no Diário Oficial da União (DOU).

Foto: Reprodução

ANVISA

Agência veta desinfetante hospitalar Incidin Extra N

A Anvisa determinou, nesta quinta - feira (21/1), a suspensão da importação, da distribuição, da venda e do uso de todos os lotes do desinfetante hospitalar de nível intermediário Incidin Extra N, da empresa Ecolab Deutschland GmbH

O produto é importado e distribuído pela empresa Profilática Produtos Odonto Médico Hospitalares Ltda.

O desinfetante tem a composição e a rotulagem apresentadas na Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos (FISPQ) diferente do original fabricado na Alemanha.

Além disso, empresa não declarou a presença de corantes e essências nos laudos de análise de registro.

Essas substâncias não são permitidas para essa classe de produtos porque estão em desacordo com o Parecer da Câmara Técnica de Saneantes de 18 de março 2005.

A medida está na Resolução 150/2016 publicada no Diário Oficial da União (DOU).

Foto: Reprodução

ANVISA

Suco de uva integral pode prevenir até infarto

Suco de uva integral é um excelente substituto do vinho e muito amigo da saúde cardíaca

A fina casca das uvas rosadas e pretas, matéria-prima dos sucos de uva integrais e do vinho tinto, contém uma quantidade enorme de substâncias, mas algumas delas são especiais, pois previnem uma série de doenças cardiovasculares.

De acordo com o professor Protasio Lemos da Luz, coordenador de estudos realizados no InCor sobre os efeitos do suco de uva e do vinho no organismo, as substâncias protetoras são os flavonoides e o resveratrol, que são vasodilatadoras e reduzem o risco de sangramentos e hemorragias. Elas têm características antioxidantes e favorecem o fluxo de sangue no corpo.

“Elas têm pelo menos dois efeitos protetores do sistema cardiovascular. O primeiro é que dilatam as artérias e isso facilita o fluxo sanguíneo do organismo inteiro, o que é benéfico, principalmente se houver obstrução da artéria coronária.

O segundo tem a ver com agregação plaquetária, que é uma coisa fisiológica que protege contra sangramentos. Se a gente se corta, o organismo tem mecanismos para conter uma hemorragia. As plaquetas participam disso”, explica. Os efeitos do vinho tinto no organismo já haviam sido pesquisados, mas a diferença dele com relação ao suco da uva é a presença do álcool. Como o suco não é alcoólico, ele pode ser consumido até por crianças.

No entanto, há um estudo do Instituto de Cardiologia do Rio Grande do Sul que aponta problemas na ingestão do suco por gestantes no último trimestre da gestação. A pesquisa sugere que os polifenóis presentes na uva e também em outros alimentos, como chocolates e maçãs, podem levar à insuficiência cardíaca do bebê e má formação.

Quem pode beber o suco, porém, precisa prestar atenção ao que vai levar para casa. Não é qualquer produto do supermercado que vai fazer bem ao coração. É preciso observar que alguns dos sucos vendidos têm açúcar e conservantes, que podem reduzir os benefícios da uva para o organismo.

A nutricionista Lis Vieira, do InCor, ensina que basta verificar no rótulo do suco se ele é integral e sem adição de açúcar. “Tem que olhar se é natural, produzido com a uva, porque no mercado tem o néctar e também o de caixinha, que têm maior teor de açúcar.”

Esses sucos integrais dos quais a nutricionista fala normalmente estão acondicionados em garrafões de vidro, de 2 litros.

Tomar só um golinho do suco também não é suficiente. De acordo com Lis, é necessário ingerir de 6 a 9 ml para cada quilo de uma pessoa. Por exemplo, se alguém pesa 50 kg, precisa de 300 ml de suco de uva por dia – o que equivale a um copo - para se beneficiar de suas propriedades.

“A gente tem que tomar cuidado também para não achar que o suco de uva substitui qualquer uma das refeições. A alimentação precisa ser balanceada para que os melhores benefícios do suco sejam realmente aproveitados.”

Fonte: Site Coração & Vida (coracaoevida.com.br)

Foto: Reprodução

iG

Prefeitura de Envira (AM) abre processo seletivo

A Prefeitura de Envira, no Amazonas, realizará processo seletivo para preencher 192 vagas, sendo 64 para preenchimento imediato e 128 para cadastro reserva no cargo de Agente Comunitário de Saúde (nível fundamental completo).

O salário do cargo é de R$ 1.014,00 e os aprovados atuarão em jornadas semanais de 40 horas.

Para efetuar a inscrição, o candidato deverá dirigir-se à Secretaria Municipal de Saúde, na Rua Vereador Chagas Mattos, s/nº, Bairro Nova Esperança, no período compreendido entre 25 de janeiro e 05 de fevereiro de 2016, no horário de 08h às 12h e das 14h às 17h e preencher o formulário de inscrição e demais formalidades. Não será cobrada taxa de inscrição.

A seleção terá prova de conhecimentos, na modalidade objetiva, eliminatória e classificatória, em que serão avaliados os conhecimentos gerais e específicos, com valor de 70% da composição da nota total do processo seletivo público e prova de títulos, classificatória, com valor de 30% da composição da nota total do certame.

A prova de conhecimentos será realizada provavelmente em 21 de fevereiro de 2016. Nos dias 11, 12, 15 e 16 de fevereiro de 2016, o candidato dirigir-se à Secretaria Municipal de Saúde para receber o comprovante de ensalamento para identificar o dia, horário e local da prova.

Em 22 de fevereiro de 2016, será divulgado o gabarito oficial da Prova e o resultado da prova está previsto para ser comunicado pela Prefeitura, no site www.aam.org.br, em 29 de fevereiro de 2016.

O contrato de trabalho terá prazo indeterminado, podendo ser rescindido nos termos da legislação pertinente.

Concurso Prefeitura de Mato Leitão - RS

A Prefeitura de Mato Leitão, no Rio Grande do Sul, lançou o edital nº 004/2016 de concurso público, a ser executado pela empresa Una Gestão e Assessoria.

O objetivo é a contratação de cinco profissionais em regime imediato, mais o cadastro de reserva, para Arquiteto, Auxiliar Administrativo, Auxiliar Administrativo Escolar, Auxiliar de Manutenção, Enfermeiro, Engenheiro, Farmacêutico, Motorista, Operador de Máquinas, Operário, Pedreiro e Técnico em Enfermagem.

As retribuições ofertadas vão de R$ 1.021,76 a R$ 2.722,47, em jornadas de trabalho de 20 até 44 horas semanais.

Os interessados podem realizar suas inscrições de 20 de janeiro até 3 de fevereiro de 2016, pelo site www.unars.com.br.

A taxa de inscrição é de R$ 80,00 (ensino fundamental), R$ 100,00 (ensino médio e técnico) ou R$ 120,00 (ensino superior).

Os inscritos serão selecionados através de provas escrita objetiva e prática, de acordo com os métodos de avaliação de cada cargo.

A prova objetiva será aplicada na data provável de 12 de março de 2016, em local e horário a serem divulgados com antecedência, no mesmo site acessado para inscrição. Haverá Prova Prática para algumas vagas específicas.

O concurso será válido por dois anos, a contar da data de homologação do resultado final, prazo este que poderá ser prorrogado uma vez, por igual período.

Concurso da Prefeitura de Jussari - BA

Sob a organização da empresa S&R Concursos e Pesquisas LTDA, a Prefeitura de Jussari, no Estado da Bahia, lançou o edital nº 001/2015 de concurso público para contratação efetiva de 225 profissionais de todos os níveis de escolaridade. O evento prevê remuneração de R$ 788,00 a R$ 2.267,00, por jornadas semanais de 20 ou 40 horas trabalhistas.

Os cargos ofertados são de Motorista (B/C), Mecânico, Operador de Máquinas Pesadas/Habitação, Pedreiro, Pintor, Guarda Civil Municipal, Serviços Gerais, Borracheiro, Contínuo, Cozinheiro, Coveiro, Gari, Lavadeira, Podador, Servente, Auxiliar de Escritório, Agente Administrativo, Agente Comunitário, Agente de Endemias, Auxiliar de Laboratório, Auxiliar administrativo, Auxiliar de serviços, Atendente de Farmácia, Eletricista, Locutor, "Op. Sistema Informática e Fat. Saúde", Recreador, Recepcionista, Secretário, Técnico de Informática, Técnico Agrícola, Técnico de Enfermagem, Professor em diversas áreas, Coordenador Pedagógico, Nutricionista, Psicólogo, Enfermeiro, Fisioterapeuta, Odontólogo, Assistente Social e Assistente Jurídico.

As inscrições foram prorrogadas até 26 de janeiro de 2016, para efetuarem inscrição via endereço eletrônico: www.srconcursosepesquisas.com.br, mediante pagamento de taxa no valor de R$ 40,00 para cargo de nível fundamental, de R$ 50,00 para cargo de nível médio e de R$ 70,00 para cargo de nível superior.

O concurso será composto de prova objetiva, avaliação de títulos e prova de sanidade física e mental. A prova objetiva está prevista para ser aplicada em 28 de fevereiro de 2016, em local e horário a serem informados no site da organizadora. Os títulos serão recebidos entre os dias 9 e 10 de março de 2016.

Provavelmente o gabarito será divulgado no dia seguinte a prova e o resultado final divulgado no dia 21 de março de 2016.

A validade do concurso público será de dois anos, contados da data de sua homologação, podendo antes de esgotado, ser prorrogada uma única vez.

Concurso Prefeitura de Oratórios - MG

A Prefeitura de Oratórios, no Estado de Minas Gerais, lançou o edital nº 01/2016 de concurso público, a ser executado pela empresa MB Gestão Pública Ltda. De acordo com o regulamento, as retribuições ofertadas vão de R$ 880,00 a R$ 4.000,00, em jornadas de trabalho de até 40 horas semanais.

Serão contratados 46 profissionais para trabalhar como Assistente Social, Auxiliar Administrativo II, Auxiliar de Biblioteca, Auxiliar de Creche, Auxiliar de Divisão, Auxiliar de Secretaria, Auxiliar Técnico de Programas Sociais, Bombeiro, Calceteiro, Coordenador do CRAS, Fiscal de Posturas, Fonoaudiólogo, Laboratorista, Médico Cardiologista, Ginecologista, Pediatra, Psiquiatra, Monitor de Creche, Motorista, Operador de Máquina, Orientador Social, Professor, Psicólogo do CRAS, Servente Escolar, Técnico em Enfermagem, Vigia e Vigilante Sanitário.

As inscrições devem ser feitas de 23 de março até 22 de abril de 2016, no endereço eletrônico: www.maximaauditores.com.br ou na Prefeitura Oratórios, Rua Tabajara, 297, Centro, das 8h às 18h.

O valor da taxa de inscrição vai de R$ 35,00 a R$ 160,00. Os inscritos serão selecionados através de provas escrita objetiva, prática e análise de títulos, obedecendo os métodos de avaliação de cada cargo.

A prova objetiva está prevista para ser aplicada no dia 8 de maio de 2016, em local e horário a serem divulgados no quadro de avisos da Prefeitura e no site da empresa organizadora. Já a Prova Prática está agendada para a data provável de 7 de maio de 2016.

O concurso público será válido por dois anos, a contar da data de sua homologação, podendo ser prorrogado por igual período.

UFFS abre edital 18/2016 para professores auxiliares

A Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS) lançou o edital de Processo Seletivo 18/2016 com a finalidade de contratar Professores que lecionem disciplinas do curso de Medicina, na categoria Professor Auxiliar. A carga horária dos contratados será de 20 horas por semana e o rendimento vai de acordo com a titulação do aprovado no certame, podendo chegar a R$ 2.983,59, além do vale alimentação de R$ 186,50.

Suas duas vagas disponíveis para lecionar no campus de Passo Fundo, no Rio Grande do Sul, nas disciplinas Saúde Coletiva e Medicina da Família e Comunidade.

A inscrição deverá ser efetuada no Campus Passo Fundo, localizado no seguinte endereço: RS 153, Km 3, Bairro Jardim América, Passo Fundo - RS, junto ao Seminário Nossa Senhora Aparecida, sala 101, na Assessoria de Gestão de Pessoas, até 16h30 de 25 de janeiro de 2016. O horário de atendimento é das 08h às 11h30 e 14h às 16h30, de segunda a sexta-feira.

A seleção se dará obedecendo duas etapas: Prova de Títulos e Prova Didática. A Prova Didática está agendada previamente para 04 de fevereiro de 2016, às 13h, em local a ser informado em tempo hábil no http://www.uffs.edu.br/index.php.

O resultado final, com a lista de aprovados, será comunicado no mesmo site citado acima, em 12 de fevereiro de 2016.

O prazo de validade do processo seletivo será de dois anos, com chances de prorrogação.

As contratações serão em regime temporário.

Edital: http://www.uffs.edu.br/index.php?site=uffs&option=com_content&view=article&id=8420:uffs-esta-com-processo-seletivo-simplificado-aberto-para-professor-substituto-e-temporario-&catid=37:noticiasinstitucional&Itemid=

Sofre com dores nas costas? O problema pode ser maior que isso; entenda

Cálculo renal, por exemplo, também causa dores nas costas; hérnia de disco e outros problemas devem ser avaliados por especialistas na área

As mídias sociais repercutiram com muita intensidade a internação da atriz Glória Pires, que aconteceu por causa de forte dores nas costas.

Especificamente sobre o caso da atriz, apenas os médicos envolvidos com seu atendimento podem esclarecer e opinar sobre o que aconteceu. Tal fato, no entanto, não nos impede de refletir e enumerar causas de fortes dores nas costas que podem, sim, motivar internações hospitalares.

A dor nas costas é uma fonte frequente de consulta nos pronto-socorros dos hospitais, tanto nacionais quanto internacionais.

O senso comum, ao se pensar em dor nas costas, aponta para problemas originários da coluna. Existem, no entanto, outras causas que também podem causar dores de forte intensidade na região.

Uma das causas mais frequentes é a dor de origem renal, causada principalmente por cálculos renais. O quadro clínico é de uma fortíssima dor, incapacitante, usualmente acompanhada por náuseas. A dor pode ser mais localizada nesta região ou ser difusa por toda a região lombar.

A dor de causas renais é usualmente tão intensa que requer medicamentos potentes, como a morfina, realizada em ambiente intra-hospitalar. Se não houver melhora, o paciente permanece internado para investigação e analgesia mais intensiva, obtida somente em ambientes especialmente preparados para isso.

A região dorsal possui músculos grandes e muito potentes, já que se encarregam de sustentar o corpo durante todo o tempo. Se, por alguma razão, houver um esforço não habitual ou um trauma, esta musculatura pode sofrer uma contratura ou estiramento, que também pode gerar uma dor de forte intensidade, usualmente acompanhada por inchaço local.

Pode haver ainda a presença de “nódulos”, que na verdade são a própria contratura em si. Nestes casos, o tratamento envolve também analgésicos potentes e relaxantes musculares. Se não houver melhora, o paciente deve também ser mantido em ambiente intra-hospitalar até o controle adequado da dor.

Outra causa frequente de dor nas costas é a coluna lombar. Alterações como hérnia de disco, por exemplo, podem também originar dores fortíssimas na região lombar que podem ou não vir acompanhadas de irradiação para os membros inferiores.

Nos pacientes com hérnia de disco, normalmente se usa vários medicamentos associados para se atingir um mínimo controle de dor, que permite que o paciente possa voltar para casa. Por vezes até procedimentos mais invasivos, como bloqueios e infiltrações, são necessários.

As múltiplas alterações corporais que podem se manifestar através do mesmo sintoma (dor nas costas) mostram que o melhor a se fazer é procurar atenção médica imediata, para adequada analgesia, investigação diagnóstica e tratamento.

**Dr Paulo Porto de Melo é neurocirurgião formado pela UNIFESP, especialista em Neurocirurgia pela Sociedade Brasileira de Neurocirurgia e colaborador do Departamento de Neurocirurgia da Universidade de Saint-Louis (EUA).

Facebook: @DrPauloPortoDeMelo e Instagram @ppmelo.

iG

Médica sobre zika causar cegueira em bebês: "Problema pode ser muito maior"

Mães que tiveram suspeita de ter contraído zika vírus na gravidez devem levar o bebê para examinar mesmo se a criança nascer sem microcefalia

A microcefalia associada ao zika vírus pode ser a causa de uma lesão irreversível nos olhos de um bebê, como apontam médicos da USP e da Fundação Altino Ventura
iStock - A microcefalia associada ao zika vírus pode ser a causa de uma lesão irreversível nos olhos de um bebê, como apontam médicos da USP e da Fundação Altino Ventura

Médicos da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e da Fundação Altino Ventura de Pernambuco descobriram que a microcefalia associada ao zika vírus pode ser a causa de uma lesão na mácula ocular diferente daquelas causadas por outros tipos de microcefalia.

“É uma lesão irreversível na visão. Dependendo do lugar da retina e da intensidade, pode ser causa de cegueira permanente em ambos os olhos”, afirma Rubens Belfort Junior, professor-titular de oftalmologia da Unifesp. “Em todas as crianças que examinamos as alterações visuais eram praticamente iguais”, completa.

Presidente da Fundação Altino Ventura de Pernambuco, a médica Liana Ventura conta que já aconteceram três mutirões para avaliar a saúde das crianças nascidas com microcefalia associada ao zika vírus. “Essa lesão é bem específica, por isso foi muito importante que achássemos nos olhos dessas crianças”, ressalta a médica.

Liana prossegue dizendo que esse tipo de lesão na mácula não é encontrada em outros casos de microcefalia, como toxoplasmose, rubéola e sífilis.

“Mesmo os casos que não tenham microcefalia podem ter alteração de retina e nervo óptico. O problema pode ser muito maior do que se pensa”, aponta Liana.

Para a médica, é importante procurar o médico depois do nascimento da criança, mesmo que a enfermidade não tenha sido constatada, a fim de que o problema na visão seja descartado.

“As lesões vão desde deficiências visuais leves até casos de cegueira”, acrescenta a especialista. Ela cita como exemplo o comprometimento anatômico das áreas mais nobres do olho, como retina e nervo ótico.

No entanto, os dados desses mutirões de exames ainda não foram computados. Então não é possível saber ainda a porcentagem de bebês com comprometimento severo de visão.


Estimulação visual precoce

Liana explica que a visão do bebê se desenvolve rapidamente entre o terceiro e sexto mês de vida. “Estamos ensinando aos pais como eles podem fazer uma estimulação visual em casa, e semanalmente, uma equipe nossa reavaliará os casos.”

Essa estimulação visual evita que o olho já com algum problema se torne ainda mais ‘preguiçoso’. “O que nós queremos é que as crianças tenham o menor comprometimento visual possível”, pontua a oftalmologista.

Na estimulação caseira, os pais podem pegar objetos de cores contrastantes e explorar o campo visual da criança, sempre sob a orientação de oftalmologistas.

“Há toda uma logística de ambiente também, a criança tem de estar calma e não em ambiente agitado. O bebê absorve todo o estresse do meio ambiente, então é muito importante fazer a estimulação correta. Criamos um grupo de apoio, uma equipe multidisciplinar para ajudar.”

Mas antes de começar a estimulação visual, os bebês devem passar por uma avaliação completa. Função visual, auditiva, intelectual e física são examinadas.

“Em casos graves de comprometimento visual, a estimulação acontece no consultório de duas a três vezes por semana”, revela a oftalmologista. Em casa os pais devem continuar as atividades com a criança, usando objetos contrastantes, como coisas amarelas e vermelhas, além de estimulação com luz. “São materiais terapêuticos de baixo custo”, concluí Liana.

iG

Droga para evitar HIV é tão segura quanto aspirina, dizem pesquisadores

Pesquisadores norte-americanos afirmam que o uso de remédios para prevenir a infecção pelo HIV é tão seguro quanto a administração de aspirina para pacientes com risco cardíaco

A equipe, da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, revisou os principais estudos sobre a profilaxia pré-exposição (PrEP), que consiste no uso diário do medicamento Truvada, um tipo de antirretroviral, por pacientes que têm comportamento sexual de risco e usuários de drogas injetáveis.

Os pesquisadores concluíram que a ocorrência de problemas renais ou ósseos graves entre quem toma o Truvada é tão frequente quanto os sangramentos e mortes causados pelo uso diário de aspirina.

Os resultados foram publicados no periódico Open Forum Infectious Diseases. A equipe espera que os dados sirvam de estímulo para médicos e pacientes que temem a terapia pelos efeitos colaterais possíveis.

No ano passado, a Organização Mundial da Saúde (OMS) reforçou a mensagem de que todo indivíduo com risco de se expor ao vírus deveria fazer o tratamento profilático.

O Centro de Controle e Prevenção de Doenças americano também divulgou que um entre quatro gays ou bissexuais, bem como um em cada cinco usuários de drogas injetáveis e um em cada 200 heterossexuais deveriam considerar a PrEP. No Brasil, a profilaxia pré-exposição ainda possui caráter experimental.

Foto: Reprodução

Uol

Farmácias e Drogarias em transformação

Confirmadas como estabelecimentos de saúde pela Lei 13.021/14, as farmácias e drogarias estão cada vez mais preparadas para atender o paciente de forma mais completa, eficaz e segura

Em agosto de 2014, a presidente Dilma Rousseff sancionou a Lei 13.021, confirmando as farmácias e drogarias como estabelecimentos de saúde. Até então, a Lei 5.991/73 definia farmácias e drogarias como estabelecimentos que dispensavam e comercializavam medicamentos e drogas.

Com a nova lei, a farmácia é definida como “uma unidade de prestação de serviços destinada a prestar Atenção Farmacêutica, assistência à saúde e orientação sanitária individual e coletiva”. Na prática, esses estabelecimentos aumentam seu leque de atuação junto à população, não apenas oferecendo mais serviços como também tendo o farmacêutico como um agente de saúde, dentro da sua especialização.

Segundo o presidente do Conselho Regional de Farmácia do Estado de São Paulo (CRF-SP), Pedro Menegasso, dessa forma, o Estado brasileiro passa a reconhecer a farmácia como um ente muito mais amplo do que meramente um estabelecimento comercial; um ente que participa e colabora, efetivamente, com o Sistema Único de Saúde (SUS), ancorado naquilo que o farmacêutico tem como competência profissional, que é a promoção do uso racional do medicamento, uma vez que a Lei garante que o farmacêutico deverá atuar procedendo com o acompanhamento farmacoterapêutico, notificando quando ocorrerem efeitos adversos pelo uso dos medicamentos, promovendo a farmacovigilância e prestando diversos serviços farmacêuticos.

“Podemos dizer que, quando um estabelecimento é apenas comercial, a relação se encerra ao finalizar a transação comercial, pois a relação está centrada no produto; enquanto que, quando o estabelecimento é um prestador de serviços em saúde, a relação se estende ao uso correto de seus produtos e ao sucesso do tratamento proposto, pois a relação é centrada na saúde do paciente”, diz.

Ainda segundo Menegasso, uma vez que o empresário compreenda a amplitude desse seu empreendimento, ele poderá perceber uma série de possibilidades que se abriram para seu negócio.

Com esse cenário, gradualmente, as farmácias e drogarias estão se adequando ao perfil de promoção de saúde, buscando atender às necessidades da população da região em que se situam. “A Lei 13.021/14 além de vir atender à necessidade de saúde da população, coloca a farmácia no patamar correto como parte integrante do SUS e, portanto, em consonância ao previsto na Política de Assistência Farmacêutica”, comenta a diretora da Organização Social da Federação Nacional dos Farmacêuticos (Fenafar), Débora Melecchi.

Para a executiva, um ponto a ser destacado na atuação do farmacêutico é a prescrição farmacêutica. “Trata-se de uma ferramenta de atuação do farmacêutico tendo por preocupação primeira o uso racional de medicamentos, portanto, de proteção ao mau uso deles e, com isto, reduzindo a intoxicação por automedicação. O profissional farmacêutico é capacitado e tem a competência para atender às necessidades do paciente. A publicação da Lei 13.021/14 proporciona ao farmacêutico aplicar seu conhecimento em prol da saúde”, comenta.

Dados apurados
Uma pesquisa do Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística (Ibope), apresentada pela Associação Brasileira de Redes de Farmácias e Drogarias (Abrafarma), em outubro de 2015, mapeou a percepção dos brasileiros sobre a adesão à assistência clínica nas farmácias e sobre a importância do papel do farmacêutico. O estudo contemplou 2.002 pessoas em 143 municípios, sendo que, em sua primeira etapa, 20% dos entrevistados declararam possuir alguma doença crônica. A hipertensão e o diabetes são os males mais comuns, incidindo sobre 37% e 24% dos pacientes, respectivamente.

No entanto, a atitude frente aos tratamentos é preocupante. Segundo a Abrafarma, mais da metade – 53% – confirmou não seguir à risca as recomendações clínicas, sendo que 22% costumam não concluir o tratamento. E o principal obstáculo, apontado por 30%, é o preço do medicamento, seguido pela dificuldade de retornar ao médico por fatores relacionados a custos e filas de espera (26%).

“Este índice só corrobora a luta histórica e permanente da Abrafarma pela redução da abusiva carga tributária sobre os medicamentos. Menos impostos levarão a uma diminuição natural de preços, o que facilitará o acesso da população a um tratamento de saúde eficaz e ininterrupto”, avalia o presidente executivo da entidade, Sérgio Mena Barreto.

Ainda segundo a Abrafarma, a proposta de incrementar a Atenção Farmacêutica foi elogiada pelos entrevistados. Entre os serviços mais bem avaliados estão o aconselhamento sobre os medicamentos que o paciente está utilizando e sobre a melhor forma de organizar o tratamento; a realização de exames preventivos; e a produção de relatórios de acompanhamento para auxiliar no retorno ao médico. Porém, mais da metade dos entrevistados revelou não ter nenhum envolvimento com o farmacêutico.

“A distância desse profissional para o consumidor é abismal. Precisamos mudar esse panorama e parar de relegá-lo à função de entregar caixinhas de medicamentos. Mais do que valorizá-lo, vamos contribuir para desafogar o sistema público de saúde e assegurar a milhões de brasileiros um acompanhamento médico mais digno. Desde o ano passado, a Lei 13.021/14 já permite que esse profissional acompanhe o tratamento do paciente e aplique vacinas. Mas falta regulamentação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). A autorização de testes laboratoriais em farmácias também carece de regulamentação”, diz Barreto.

O quadro apresentado pela pesquisa detalha ainda mais a importância dos serviços de atenção, assistência e prescrição farmacêutica prestados em farmácias e drogarias. Segundo Menegasso, no Brasil, as pessoas procuram a farmácia para resolver transtornos menores e o serviço de prescrição farmacêutica é prestado atualmente de maneira informal.

“A resolução do Conselho Federal de Farmácia (CFF) permite a formalização do ato, elevando a segurança no consumo de Medicamentos Isentos de Prescrição Médica (MIPs) e a credibilidade do farmacêutico e do estabelecimento em que ele estará atuando. A resolução do CFF traz a concepção de prescrição como a ação de recomendar algo ao paciente. Tal recomendação pode incluir a seleção de opção terapêutica, a oferta de serviços farmacêuticos ou o encaminhamento a outros profissionais ou serviços de saúde”, explica.

Para ele, a contribuição da prescrição para consolidar a farmácia como um estabelecimento de saúde se dá na medida em que é um ato que será feito, necessariamente, por um farmacêutico (um profissional de saúde) dentro desse contexto de atendimento ao paciente (um serviço em saúde). O presidente do CRF-SP ainda ressalta que, de forma resumida, a prescrição farmacêutica pode ocorrer em duas situações:

1) Medicamentos e outros produtos com finalidade terapêutica cuja dispensação não exija prescrição médica (que poderá ser realizada por qualquer farmacêutico habilitado a exercer a profissão);

2) Medicamentos cuja dispensação exija prescrição médica (que está condicionada a uma série de condições, tais como: diagnóstico prévio, previsão da existência em programas, protocolos, diretrizes no âmbito de instituições de saúde, formalização de acordos de colaboração com outros prescritores, etc.), além do que, o farmacêutico que irá prescrever deverá possuir um título específico de especialista ou de especialista profissional farmacêutico na área clínica, conforme a Resolução CFF 586/13. “Lembrando que a prescrição está num contexto mais amplo do atendimento clínico do farmacêutico”, diz.

Captura de Tela 2016 01 18 as 14.27.57

Mais atuante
As mudanças promovidas pela Lei 13. 021/14 também deverão impactar em certo desafogamento no SUS, uma vez que a população poderá solucionar pequenas situações de saúde na farmácia do próprio bairro, com o atendimento do farmacêutico de sua confiança.

“Uma farmácia que se propõe a atuar como um estabelecimento de saúde, como está definido na Lei 13.021/14 e por tudo que ela poderá prestar em termos de serviços à saúde, certamente contribuirá para a melhoria da saúde e qualidade de vida da população”, comenta Menegasso.

Para ele, essa atuação colabora com o SUS por diversos aspectos e cita alguns:

1) A farmácia é um estabelecimento com grande capilaridade em nossa sociedade. Há farmácias em quase todos os bairros; a população tem fácil acesso;

2) À medida que as farmácias se profissionalizarem em atuar como estabelecimento de saúde, é possível que elas possam resolver alguns problemas do nível básico de saúde, desafogando o sistema;

3) Da mesma forma, esses serviços profissionais de acompanhamento farmacoterapêutico podem colaborar com o aumento do sucesso do tratamento dos pacientes, reduzindo o retorno aos hospitais ou porque o tratamento não está respondendo ou devido a reações adversas aos medicamentos não acompanhadas no nível do atendimento farmacêutico.

“Para a empresa, os benefícios podem ser imensos. Imagine a diferença entre a pessoa escolher um estabelecimento somente porque ele tem preço mais barato ou porque nele o consumidor pode confiar a sua saúde e até a sua vida. A base que se construirá a relação com o cliente (que agora é tratado como um paciente) é absolutamente outra. Passará, do que era uma mera relação de compra, para uma sólida relação de confiança”, avalia Menegasso.

Débora, da Fenafar, ainda ressalta que os serviços farmacêuticos e a atuação do profissional farmacêutico também têm por objetivos garantir a adesão ao tratamento para o paciente ter resolvido ou minimizado seus problemas de saúde e, portanto, ter qualidade de vida.

“A população aplaude o serviço farmacêutico, por vivenciar os benefícios do trabalho deste profissional em prol da sua saúde. Além disso, há que se levar em conta o tempo de vivência do paciente com o farmacêutico. Hoje, o paciente já não apenas se preocupa em saber se a farmácia tem farmacêutico. O paciente vai à farmácia em que atua o seu farmacêutico, profissional de confiança”, diz.

Atividade segura
Para que as farmácias e os farmacêuticos possam se adequar e trabalhar de forma positiva dentro das novas necessidades do mercado, é preciso estabelecer um ambiente favorável ao preconizado na Lei 13.021/14.

“Ou seja, que a farmácia adote uma série de ajustes que propicie que o cliente/paciente perceba que ele está num ambiente de promoção, recuperação e prevenção de saúde – e não num ambiente meramente comercial, de vendas. Isso passa por diversas adaptações, incluindo o layout da farmácia, o fluxo do atendimento e, principalmente, pela definição clara da empresa sobre o papel que o farmacêutico exercerá neste estabelecimento, que deve ser o de um profissional da saúde, em que sua palavra técnica é a mais relevante para qualquer decisão que se tome no tratamento do paciente”, diz Menegasso.

Segundo ele, um documento de referência muito interessante – e que pode ser tomado como base – é a Carta de São Paulo que, em 2014, definiu as dez qualidades imprescindíveis que uma farmácia precisa ter para ser reconhecida como “farmácia dez estrelas”. Por fim, para se atingir todas essas mudanças, é necessário uma profunda revisão da cultura das empresas desse ramo.

“Sabemos que, sempre que se fala em mudanças, a primeira reação é conservadora; porém, por tudo que foi comentado, estamos seguros de que são mudanças para melhor, tanto para a saúde da população quanto, inclusive, para a saúde financeira das empresas”, finaliza.

O que diz a legislação
A Lei 13.021/14 permite que o farmacêutico exerça as seguintes funções e serviços:

• Notificar os profissionais de saúde e os órgãos sanitários competentes, bem como o laboratório industrial, dos efeitos colaterais, das reações adversas, das intoxicações, voluntárias ou não, e da farmacodependência observados e registrados na prática da farmacovigilância;

• Organizar e manter cadastro atualizado com dados técnico-científicos das drogas, fármacos e medicamentos disponíveis na farmácia;

• Proceder ao acompanhamento farmacoterapêutico de pacientes, internados ou não, em estabelecimentos hospitalares ou ambulatoriais, de natureza pública ou privada;

• Estabelecer protocolos de vigilância farmacológica de medicamentos, produtos farmacêuticos e correlatos, visando a assegurar o seu uso racionalizado, a sua segurança e a sua eficácia terapêutica;

• Estabelecer o perfil farmacoterapêutico no acompanhamento sistemático do paciente, mediante elaboração, preenchimento e interpretação de fichas farmacoterapêuticas;

• Prestar orientação farmacêutica, com vistas a esclarecer ao paciente a relação benefício e risco, a conservação e a utilização de fármacos e medicamentos inerentes à terapia, bem como as suas interações medicamentosas e a importância do seu correto manuseio.

Fonte: diretora da Organização Social da Federação Nacional dos Farmacêuticos (Fenafar), Débora Melecchi

Foto: Reprodução

Guia da Farmácia

Humor: O novo plano de saúde da empresa é o Google

No centro da crise da saúde do Rio, saiba como funciona uma OS

Entidades só podem atuar após receber qualificação do poder público. OSs que administram hospitais constam em relatórios do TCM e MP

A crise da saúde no estado do Rio, que se agravou no final de 2015 e levou à municipalização de dois hospitais em dezembro passado – Rocha Faria e Albert Schweitzer – chamou a atenção para as OSs, organizações sociais selecionadas para prestar serviços para o poder público, entre eles, a administração de hospitais.

Atualmente, 10 OSs têm contratos de gestão vigentes com a Secretaria Municipal de Saúde. Dessas, pelo menos oito constam em relatório do TCM ou ações do Ministério Público Estadual. As denúncias vão desde superfaturamento até a má qualidade na prestação de serviços e superlotação de hospitais.

De acordo com um relatório do Tribunal de Contas do Município (TCM), entre os anos de 2011 e 2013 foram apontadas irregularidades no contrato de nove OSs, que somam um dano aos cofres públicos de R$ 78,74 milhões.

Transparência e qualidade são requisitos
A organização social é uma qualificação que a administração concede a uma entidade privada e sem fins lucrativos para que ela possa prestar os serviços desejados pelo poder público. A escolha dessas unidades é realizada por meio de chamamento público o qual tem, dentro dos critérios de avaliação, requisitos como: transparência e qualidade. Segundo a lei 9.637, de maio de 1998, podem ser qualificadas como organizações sociais pessoas jurídicas cujas atividades sejam dirigidas ao ensino, à pesquisa científica, ao desenvolvimento tecnológico, à proteção e preservação do meio ambiente, à cultura e à saúde.

Entre os pré-requisitos para a qualificação dessas entidades como organização social estão: o investimento de seus excedentes financeiros no desenvolvimento das próprias atividades; a obrigatoriedade de publicação anual, no Diário Oficial da União, dos relatórios financeiros e do relatório de execução do contrato de gestão e natureza social de seus objetivos relativos à respectiva área de atuação.

Por usarem recursos públicos, essas instituições deverão seguir princípios como legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência, próprios da Administração Pública e previstos na Constituição. Após a análise desses quesitos, a administração pública determina quem vence o chamamento público.

No caso de descumprimento, a prefeitura do município, o governo do estado ou a presidência da República podem desqualificar a entidade como organização social e ainda suspender o contrato de gestão.

OSs x ONGs
Por ser um modelo relativamente novo, é comum a confusão entre as finalidades e objetivos de uma Organização Não-Governamental (ONG) e de uma OS (Organização Social), já que ambas exercem atividades sem fins lucrativos. Na prática, uma ONG é uma organização criada por pessoas físicas que trabalham voluntariamente em defesa de uma causa. Uma ONG pode se tornar uma OS, desde que receba a qualificação ou o título da administração pública para exercer essa função.

De acordo com a legislação em vigor, a responsabilidade pela fiscalização é do poder público e uma comissão fiscalizadora deve emitir um relatório de avaliação dos resultados alcançados com a execução do serviço prestado pela OS.

Havendo indícios fundados de má administração de bens ou dinheiro públicos, os responsáveis pela fiscalização representarão ao Ministério Público, à Advocacia-Geral da União ou à Procuradoria da entidade, que pedirão ao juízo competente a decretação da indisponibilidade dos bens da entidade e o sequestro dos bens dos seus dirigentes, bem como de agente público ou terceiro, que possam ter enriquecido ilicitamente ou causado dano ao patrimônio público.

G1

Entenda o que são os suplementos termogênicos e seus riscos à saúde

Jovem de 23 anos que sofreu infarto tomava produto antes de se exercitar.Estimulantes prometem ativar queima de calorias, mas alguns são banidos

Pílulas dietéticas termogênicas prometem queima de calorias acelerada (Foto: Tacitrequiem/Flickr/CC)
Foto: Tacitrequiem/Flickr/CC - Pílulas dietéticas termogênicas prometem queima de calorias acelerada

"Suplemento termogênico" é um termo genérico dentro do qual se classificam produtos vendidas sob a promessa de acelerar o metabolismo -- o ritmo de funcionamento das células do corpo -- e queimar mais calorias durante exercícios.

Um dos efeitos desses suplementos é a geração de calor em tecidos do organismo, daí o nome geral dessa classe de formulações. A maioria das marcas que possuem produtos do tipo produzem pílulas e bebidas que têm como base uma alta concentração de cafeína associada a algum outro composto.

O uso desse tipo de produto já era alvo de controvérsia antes de uma mulher de 23 anos ter morrido por um infarto após consumir o produto e se exercitar por vários dias.

A eficácia e a segurança de cada termogênico varia conforme a formulação. Alguns que combinam cafeína com ervas já foram considerados seguros em testes clínicos, mas há exceções. Compostos com as ervas efedra ou laranja-azeda, por exemplo, possuem as substâncias efedrina e sinefrina, associadas a efeitos colaterais no sistema circulatório. A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) veta a venda de suplementos com efedra.

Outras formulações, que misturam a cafeína a ingredientes como canela e gengibre, parecem ser mais seguras, a depender da dose de cafeína em si. Há pouca evidência de eficácia, porém.

A Anvisa não possui diretrizes gerais para regulamentação de suplementos alimentares, mas costuma avaliá-los caso a caso. Em 2014, suspendeu a venda da marca Alert 8-Hour-MHP por conter taurina, um estimulante permitido nas bebidas energéticas, mas não liberado para suplementos ligados a exercícios.

A agência já tinha banido, também as marcas de suplementos Jack3D, 1MR e Oxylin Pro, por conterem DMAA, outro estimulante considerado inseguro. As formulações com estimulantes mais fortes por vezes aceleram o batimento cardíaco e podem causar problemas cardiovasculares.

A falta de controle sobre as formulações também é um problema, afirmam autoridades sanitárias. A FDA, agência reguladora de fármacos nos EUA, baniu no ano passado uma marca, a Oxy ELITE Pro Super, por seus produtos conterem fluoxetina, um antidepressivo, sem que a substância constasse do rótulo.

G1