Aplicativos, carreira, concursos, downloads, enfermagem, farmácia hospitalar, farmácia pública, história, humor, legislação, logística, medicina, novos medicamentos, novas tecnologias na área da saúde e muito mais!


sábado, 2 de junho de 2012

Garota de dois anos sem metade do crânio pode morrer se chorar

Crânio
Daily Mail
Daisy usa capacete para se proteger de possíveis batidas e tombos.
Ela nasceu sem um pedaço do crânio, vítima da síndrome de Adams Oliver
Pais tentam a todo custo não contrariar ou magoar a menina, que sofre de doença rara

Na Inglaterra, uma menina nasceu sem metadade do crânio. Daisy Ogston, que hoje está com dois anos de idade, sofre de uma doença congênita rara que afeta apenas 130 pessoas no mundo, a síndrome de Adams Oliver, que atinge o couro cabeludo e o crânio.

Daisy nasceu sem um pedaço do crânio correspondente a uma área de 7cm por 6cm, por isso o que protege seu cérebro é apenas o fluido cerebral e uma fina camada de pele que envolve o órgão.

Os médicos alertaram os pais de Daisy para tentar impedir a todo custo que a menina se chateie, pois as causas do choro aumentam a pressão sobre o cérebro, que no caso de Daisy, está desprotegido.

A mãe da menina, Kerry Ogston, 32 anos, disse que ela e o marido tiveram que encontrar maneiras de acalmar a criança antes dela começar a chorar.

– Temos que observá-la o tempo todo, ainda mais quando se tem um bebê tão frágil como Daisy. É difícil porque não é seguro para ela brincar com outras crianças, eles poderiam batê-la ou perturbá-la sem querer, o que seria desastroso. Ela tem um capacete que usa para proteger a cabeça de possíveis batidas, mas também não pode usá-lo por muito tempo, pois ele faz a cabeça suar e a pele do topo da cabeça descamar.

Os médicos acreditam que a única chance da menina levar uma vida normal é fazer uma cirurgia na cabeça. O procedimento seria uma operação pioneira, que foi realizada algumas vezes até hoje.

Porém, Daisy deve esperar até completar 13 anos, quando seu crânico será suficientemente forte para este tipo de cirurgia.

Isso significa que por 11 anos os pais da garota terão de fazer a filha constantemente feliz, sem nunca sentir vontade de chorar e ainda num ambiente seguro contra quedas e tombos.

Felizmente, Daisy é uma criança feliz e animada, que recebe tanta atenção que raramente fica chateada.

A mãe da menina completa:

– Será ótimo quando acontecer a cirurgia, mas ainda temos uma longa espera para nós e o cirurgião com quem estamos conversando ainda não realizou este procedimento em outro paciente com a doença.

Fonte R7

Estudo confirma que chocolate escuro ajuda a evitar infartos

Consumo diário de 100 gramas poderia evitar 70 ataques cardíacos

Um estudo feito na Austrália confirmou que comer 100 gramas diárias de chocolate escuro ajuda a prevenir infartos.

Realizado pela Universidade Monash, de Melbourne, e publicado esta semana no British Medical Journal, este estudo insiste nos efeitos positivos "significativos" do chocolate com alta concentração de cacau.

Concretamente, um consumo diário de 100 gramas de chocolate com 70% de cacau poderia evitar 70 ataques cardíacos mortais e 15 de menor intensidade em cada 10 mil pessoas com risco de sofrê-los. A encarregada do estudo, Ella Zomer, afirma:

— Nossas conclusões indicam que o chocolate escuro poderia ser uma alternativa ou um complemento aos tratamentos médicos das pessoas que têm alto risco de sofrer doença cardiovascular.

As conclusões deste teste médico se unem às de outros estudos que já mencionaram os efeitos positivos do chocolate escuro para a saúde.

O chocolate é rico em flavonóides, poderosos antioxidantes naturais que limitam o estresse e diminuem o risco de doenças cardiovasculares, cânceres e outras doenças.

Fonte R7

Bebê com 15 minutos de vida é diagnosticado com câncer

bebê com câncerCom a barriga inchada, a doença foi detectada no fígado

O bebê Ivan Wilson, na Inglaterra, com apenas 15 minutos de vida foi diagnosticado com um tipo raro de câncer no fígado.

Logo após o parto, uma enfermeira percebeu que a barriga do bebê estava inchada e, em 15 minutos, os médicos descobriram a doença em Ivan.

No mesmo dia, ele passou por uma cirurgia e, duas semanas depois, começou o tratamento de quimioterapia.

A equipe de médicos nunca tinha tratado o câncer em uma pessoa tão jovem antes.

Hoje, com cinco meses, o garoto se recupera e aguarda os resultados dos exames para saber se está curado.

Fonte R7

Atividade física diminui a pressão sanguínea

Exercício aumenta o espaço para a passagem do sangue

Não é preciso ser um atleta para que a atividade física surta efeito positivo sobre o coração. Um estudo americano descobriu que mesmo em pouca quantidade, a atividade física ajuda a diminuir a pressão sanguínea. A alta da pressão arterial acontece quando há uma diminuição do diâmetro das artérias.

Nesse caso, o coração precisa aumentar a força do batimento para que o sangue atinja todas as partes do corpo. Esse estreitamento pode ser devido a uma alimentação rica em gordura e sal, fazendo com que a gordura se aloje na parede das artérias.

A atividade física, somada a uma alimentação saudável, ajuda no controle da pressão arterial porque durante a sua realização é apresentado um aumento do espaço para a passagem do sangue.

Fonte R7

Saúde oferece mil testes rápidos de HIV na semana da Parada LGBT

Programação inclui distribuição gratuita de preservativos, gel lubrificante e folhetos informativos sobre sexo seguro

Na semana que antecede a 16ª Parada do Orgulho LGBT de São Paulo, marcada para o dia 10 de junho, a Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, em parceria com a Secretaria de Estado da Cultura e com o Programa Municipal DST/Aids-SP, irá realizar nos dias 4 e 5, das 9h às 16h, e 6 de junho, das 9h às 13h, um mutirão de testes rápidos para o diagnóstico do HIV.

A ação, que será realizada na Academia Paulista de Letras, no Largo do Arouche, contará, por dia, com 30 profissionais dos programas estadual e municipal DST/Aids-SP. Serão disponibilizados mil testes rápidos, 25 mil preservativos e panfletos com orientações sobre doenças sexualmente transmissíveis. O objetivo é incentivar o diagnóstico precoce da infecção pelo vírus da Aids e reduzir o medo e o preconceito em relação ao teste.

Aproximadamente metade dos óbitos por Aids no Estado estão relacionados ao diagnóstico tardio da infecção. “Todos os dias, nove paulistas morrem em decorrência da Aids. A testagem é gratuita e disponível em toda a rede pública de saúde”, afirma Maria Clara Gianna, coordenadora do Programa Estadual DST/aids-SP.

“É fundamental que as pessoas com vida sexual ativa façam o teste. Se o resultado for positivo, é importante encaminhá-las para um serviço de saúde para avaliação e acompanhamento médico”, explica Maria Clara

O teste rápido do HIV leva aproximadamente 30 minutos para ser realizado e sua eficácia é igual ao teste tradicional. Todo o processo é feito de forma cautelosa e sigilosa.

Feira da diversidade
No dia 7 de junho, dia da Feira da Diversidade - atividade que faz parte da agenda de programação da Semana do Orgulho LGBT de São Paulo, profissionais da Coordenação Estadual DST/Aids-SP e do Programa Municipal de DST/Aids estarão no Vale do Anhangabaú para orientar a população sobre a importância da prevenção às DST/Aids. Serão distribuídos 100 mil preservativos, 12 mil sachês de gel lubrificante e 10 mil folhetos informativos no local.

No domingo, dia 10, dia da 16ª Parada, 150 agentes distribuirão preservativos em três barracas dispostas estrategicamente ao longo da avenida Paulista e durante o período de concentração para o evento, que este ano traz o tema "Homofobia tem cura: educação e criminalização! – Preconceito e exclusão, fora de cogitação”.

Programação:

- Teste Rápido para diagnóstico do HIV
dias 4 e 5 de junho, das 9h às 16 horas e dia 6 de junho das 9h às 13h.
Academia Paulista de Letras (Largo do Arouche, 324, Centro)

- 12ª Feira Cultural LGBT (tenda de prevenção)
7 de junho, das 9h às 17horas
Vale do Anhangabaú

- 16ª Parada do Orgulho LGBT de São Paulo
10 de junho, a partir das 10h
Avenida Paulista

Fonte R7

Começa a valer norma que mantém plano de saúde para aposentado

Brasília – Entrou em vigor ontem (1º) a norma da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) que garante a manutenção do plano de saúde empresarial para funcionários aposentados ou demitidos sem justa causa.

De acordo com as novas regras, o aposentado que contribuir por mais de dez anos pode manter o plano pelo tempo que desejar. Quando o período for menor, cada ano de contribuição dará direito a um ano no plano coletivo depois da aposentadoria.

Já os trabalhadores demitidos sem justa causa podem permanecer no plano por um período equivalente a um terço do tempo em que foram beneficiários dentro da empresa, respeitando o limite mínimo de seis meses e máximo de dois anos.

A ANS definiu ainda que as empresas poderão manter os aposentados e demitidos no mesmo plano dos ativos ou fazer uma contratação exclusiva, desde que mantendo as condições de cobertura e rede do plano dos ativos.

Se todos estiverem no mesmo plano, o reajuste deverá ser o mesmo para empregados ativos, aposentados e demitidos. No caso da contratação exclusiva, os beneficiários continuarão protegidos, já que o cálculo do percentual de reajuste tomará como base todos os planos de ex-empregados na carteira da operadora.

A chamada portabilidade especial também está prevista na norma. Durante o período de manutenção do plano, o aposentado e o funcionário demitidos poderão migrar para um plano individual ou coletivo por adesão, sem ter de cumprir novas carências.

Confira abaixo a lista de perguntas e respostas publicada pela ANS para esclarecer dúvidas:

Quem tem direito a manter o plano de saúde?
Aposentados que tenham contribuído com o plano empresarial e empregados demitidos sem justa causa.

Para que planos valem as regras?
Para todos os planos contratados a partir de janeiro de 1999 ou adaptados à Lei 9.656 de 1998.

Há alguma condição para a manutenção do plano?
Sim, o ex-empregado deverá ter contribuído no pagamento do plano e assumir integralmente a mensalidade após o desligamento.

Por quanto tempo o ex-empregado poderá ficar no plano?
Os aposentados que contribuíram por mais de dez anos podem manter o plano pelo tempo que desejarem. Quando o período for inferior, cada ano de contribuição dá direito a um ano no plano coletivo depois da aposentadoria.

Os demitidos sem justa causa poderão permanecer no plano de saúde por um período equivalente a um terço do tempo em que contribuíram para o plano, respeitado o limite mínimo de seis meses e máximo de dois anos ou até conseguirem um novo emprego que tenha o benefício de plano de saúde.

Como será feito o reajuste?
A empresa poderá manter os aposentados e demitidos no mesmo plano dos ativos ou fazer uma contratação exclusiva para eles. No segundo caso, o reajuste será calculado de forma unificada com base na variação do custo assistencial (sinistralidade) de todos os planos de aposentados e demitidos da operadora de plano de saúde.

Quem foi aposentado ou demitido antes da vigência da norma também será beneficiado?
Sim. A norma regulamenta um direito já previsto na Lei 9.656 de 1998.

A manutenção do plano se estende também aos dependentes?
A norma garante que o aposentado ou demitido tem o direito de manter a condição de beneficiário individualmente ou com seu grupo familiar. Garante também a inclusão de novo cônjuge e filho no período de manutenção da condição de beneficiário no plano de aposentado ou demitido.

Como fica a situação do aposentado que permanece trabalhando na empresa?
Neste caso, mantém-se a condição do beneficiário como aposentado.

Fonte: Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS)


Fonte Agência Brasil

São Paulo prorroga campanha de vacinação contra a gripe até 6 de junho

São Paulo – A campanha de vacinação contra a gripe foi prorrogada no estado de São Paulo até a próxima quarta-feira, dia 6 de junho. Segundo a Secretaria Estadual de Saúde, até ontem (1º) foram vacinados 4,57 milhões de pessoas. O número está bem distante da meta, que é imunizar 5,3 milhões de paulistas, 80% dos 6,6 milhões de pessoas que compõem o público-alvo da campanha.

Foram vacinados 3,2 milhões de idosos; 270,4 mil gestantes; e 657,3 mil crianças entre 6 meses e 2 anos, o que representa uma cobertura de 67%. A campanha também inclui índios e trabalhadores da área da saúde. A Secretaria de Saúde ressalta que as crianças devem tomar duas doses da vacina. A segunda dose deverá ser aplicada um mês após a primeira. A medida vale para crianças que vão tomar a vacina pela primeira vez. Crianças que já foram levadas aos postos de saúde na campanha de 2011 só precisarão receber uma dose este ano.

“Quem ainda não se vacinou, precisa se apressar. A imunização é muito importante para que as pessoas se protejam de possíveis complicações decorrentes da gripe. Também é importante ressaltar que a vacina não causa a doença, pois é feita de pequenos fragmentos do vírus que são incapazes de causar qualquer infecção”, explicou Helena Sato, diretora de Imunização da secretaria.

A lista dos postos de vacinação pode ser acessada na página da Secretaria de Saúde do estado na internet.

 
Fonte Agência Brasil

Foto comprova importância do filtro solar

The New England Journal of Medicine
Lado esquerdo ficou mais envelhecido por causa da exposição ao sol
Exposição prologada ao sol deixa homem com um lado do rosto mais envelhecido do que o outro

O motorista de caminhão da foto tem 69 anos, mas dependendo de que lado da face você estiver olhando, vai parecer muito mais.

Por causa da profissão que exerce há 28 anos, que o deixa frequentemente exposto ao sol em apenas um lado do rosto, o esquerdo, ele desenvolveu uma síndrome chamada Favre–Racouchot. Os sintomas são rugas profundas, cravos ao redor dos olhos e falta de elasticidade na pele.

A relação entre o sol e o envelhecimento precoce já é bem definida pela ciência há anos. Mas a imagem choca ao revelar isso de forma tão explícita e incontestável.

O caso foi descrito em uma das publicações mais conceituadas de medicina, o The New England Journal of Medicine.

“A exposição crônica aos raios solares pode resultar em um espessamento da pele, assim como a destruição das fibras elásticas. O efeito fotoenvelhecedor dos raios UVA também induz a mutações no DNA e câncer de pele”, diz o periódico. O paciente vai passar por acompanhamentos frequentes da região afetada.

Fonte iG

Prisão de ventre: os riscos do laxante

Recorrer a remédios para resolver o problema funciona, mas eles não devem ser usados de forma contínua

Ao lado da insônia, a prisão de ventre é uma das questões cotidianas que mais incomodam. Só quem sofre diariamente com o intestino preso sabe a aflição que é não conseguir ir ao banheiro.

A constipação intestinal provoca uma sensação desagradável de estufamento e se caracteriza por uma frequência evacuatória inferior a três vezes por semana.

“Em alguns casos, a pessoa constipada não consegue a evacuação completa ou tem dor e desconforto para evacuar”, explica o gastroenterologista e gastropediatra Valmir Martins.

Entre as causas do problema estão propensão familiar, alimentação pobre em fibras e rica em gorduras e açúcares e baixa ingestão de água, além de ausência de atividade física regular. Martins ainda destaca que algumas doenças podem levar à constipação, como hipotireoidismo e diabetes, além de cardiopatias e algumas alergias alimentares.

O tratamento ideal para a prisão de ventre deve envolver, primeiramente, uma avaliação com um especialista, para descobrir o que está causando o problema.

“A maioria, no entanto melhora após uma mudança na dieta, com a inclusão de fibras e de suplementos alimentares ricos em fibras, além do aumento na ingestão de água”, diz o gastroenterologista. Em alguns casos, é indicado tratamento medicamentoso.

Cautela com os laxantes
Prisão de ventre crônica é um problema bastante prevalente, especialmente em mulheres. Sem orientação adequada, muitas recorrem ao uso de laxantes, um recurso que pode até ajudar na evacuação, mas não deve ser usado sempre.

Há vários tipos de laxantes disponíveis no mercado brasileiro. Eles variam, explica Martins, de acordo com o modo de ação. O laxantes osmóticos atuam mantendo o conteúdo fecal mais úmido. Os emolientes são oleosos e atuam amolecendo as fezes, o que facilita a movimentação e a eliminação pelo reto. Já os laxantes catárticos aumentam o trânsito intestinal, facilitando a movimentação das fezes. Essa última categoria é o tipo mais usado pela população, pois sua ação parece ser mais rápida. É aí que está o grande problema, alerta o especialista.

“As substâncias catárticas podem, em longo prazo, gerar colite e, em muitos casos, causar o aparecimento de sintomas piores do que a constipação em si. Alguns indivíduos podem evoluir para uma inflamação da mucosa intestinal, com dores e até evacuação com sangue”, enfatiza Martins.

Nos casos de uso prolongado, o melhor é optar pelos laxantes do tipo osmótico ou do tipo lubrificante, pois, segundo Martins, causam nenhuma ou pouca alteração clínica na mucosa intestinal.

“Muitas vezes, somente a dieta e a ingestão de água não são suficientes para manter a evacuação normal. Nesses casos, o laxante auxilia na evacuação. Após um período a dose do laxante pode ser reduzida e retirada, quando a dieta torna-se o tratamento principal. Manter o laxante como tratamento único não é o melhor caminho”, afirma.

 
Dicas
Para evitar a prisão de ventre, é preciso ter uma alimentação balanceada. Veja algumas dicas:

– Consuma alimentos ricos em fibras, como frutas e verduras

– Beba pelo menos 1 litro de água pura por dia

– Faça atividade física regularmente

– Só use medicamentos contra a prisão de ventre sob orientação médica

Fonte iG

Ginástica holística: faça em casa e melhore a postura


Método é tratamento para problemas na coluna, enxaqueca e até incontinência urinária

Na sala de aula de ginástica holística não há incensos acesos, nem trilha sonora de música new age. O ambiente é claro e amplo, nada de meia-luz, panos coloridos, lustres indianos ou pufes espalhados pelo chão.

O “holístico” tampouco se refere às práticas zen às quais o nome costuma ser associado.

“O nome foi definido pela tradução. Mas o que queremos dizer é que cuidamos não apenas de partes do corpo isoladamente, mas dele como um todo. Tenho dificuldade por causa da credibilidade da nomenclatura quando apresento a técnica a médicos. Depois que eles conhecem, veem que o nome não traduz o que a técnica realmente é”, afirma Patricia Lacombe, fisioterapeuta e instrutora do método.

A técnica tem semelhanças com a reeducação postural global (RPG), mas se diferencia nos movimentos realizados ao longo da aula.

“É mais dinâmico do que o RPG, porque queremos gerar autonomia no aluno”, explica Roberta de Souza Cavalini, instrutora e fisioterapeuta. Os exercícios trabalham respiração, equilíbrio e tônus muscular.

O objetivo é trabalhar o corpo em três frentes: tratamento, prevenção e orientação, principalmente com relação à coluna vertebral.

“Às vezes a pessoa pisa de forma errada e isso tem reflexos nas pernas e na coluna. Então sente dores nas costas, mas que não sabe de onde elas vêm. É preciso melhorar a dor e também corrigir a origem do problema”, ressalta Roberta.

Ela destaca bons resultados em tratamentos contra fibromialgia e enxaqueca, além da redução de 90% dos casos de cirurgia da coluna entre os pacientes que chegaram ao local onde trabalha.

“Podemos aplicar os movimentos para qualquer patologia ósseo-muscular. Usamos muito para tratamento de hérnia de disco e outras situações mais graves. Temos ótimos progressos em casos de incontinência urinária, prevenção de quedas e ganho de equilíbrio em idosos”, reforça Paula.

No País, o lado terapêutico da ginástica holística tem sido o mais difundido e procurado. Na Europa, no entanto, a técnica é voltada à qualidade de vida, dentro do conceito de envelhecimento saudável.

Os acessórios empregados durante as aulas podem ser facilmente adaptados e usados em casa. Tubos de PVC, um rolo de macarrão, sacos de sal e bolinhas de tênis são as principais elementos incorporados na ginástica.

“Queremos provocar a autonomia e não criar dependência”, explica a fisioterapeuta.

“Ensinamos a pessoa a adquirir consciência corporal e se tratar sozinha. Os movimentos são explicados, a pessoa ganha lição de casa para fazer”, completa Roberta.

Em média, o aluno vai ao consultório uma ou duas vezes por semana apenas, em sessões de uma hora. O restante do tratamento é realizado em casa. Os resultados vão depender do comprometimento pessoal, além do objetivo de cada um, mas aparecem em cerca de seis meses.

A terapeuta Roberta de Souza Cavalini ensina cinco movimentos da ginástica:

 
1. Ponha uma bolinha de tênis embaixo do pé e role-a para frente e para trás, fazendo uma leve pressão.



2. Pare a bolinha. Coloque-a embaixo dos dedos, segure-a com eles e pressione. Conte aproximadamente 45 segundos. O pé de apoio deve ficar alinhado com o outro.



3. Mova a bolinha, colocando-a no centro do pé. Pressione por 45 segundos. Perceba se há dor nesse local. Mantenha o outro pé alinhado.



4. Coloque a bolinha no calcanhar. Pressione por 45 segundos. Retire a bolinha e faça os movimentos com o outro pé.


5. Sente no saquinho e faça movimentos leves para frente e para trás. Conte 45 segundos.



6. Faça movimentos para um lado e para o outro. Conte mais 45 segundos.

 7. Faça movimentos para um lado e para o outro. Conte mais 45 segundos.


8.. Ainda sentado sob o saquinho, faça movimentos circulares com o corpo, como se desenhasse um círculo no espaço, por 45 segundos.


9. Deite e pegue duas bolinhas de tênis.


10. Dobre as pernas e eleve o quadril. Coloque-as bem na base do cóccix. Relaxe a coluna.


11. Movimente levemente o quadril, rolando as bolinhas embaixo do corpo. Faça por uns 45 segundos.


12. Deitado, posicione um pau de macarrão na base do pescoço, próximo à coluna.


13. Faça movimentos com a cabeça como se estivesse dizendo não, por 45 segundos.


14. Posicione o rolo um pouco mais para cima e faça novamente os movimentos de “não” por mais 45 segundos.


15. Eleve mais para cima o pau de macarrão, já na base da cabeça. Faça os movimentos por mais 45 segundos.


16. Coloque um tubo de PVC de 10cm de diâmetro no chão. Vá deitando em cima dele.


17. Coloque os braços ao lado do corpo com as palmas das mãos viradas para cima. Fique nessa posição por 45 segundos.


18. Vá subindo os braços e deixo-os bem abertos. Fique assim por 45 segundos.


19. Mexa apenas a parte superior do braço. Você formará uma figura semelhante a um candelabro. Segure por 45 segundos.



Fonte iG