Aplicativos, carreira, concursos, downloads, enfermagem, farmácia hospitalar, farmácia pública, história, humor, legislação, logística, medicina, novos medicamentos, novas tecnologias na área da saúde e muito mais!


segunda-feira, 13 de abril de 2015

Remédio preventivo para grupo com mais risco de pegar Aids chega ao SUS

O Sistema Único de Saúde (SUS) está se adaptando à grande mudança que o campo do HIV sofreu nos últimos quatro anos. O grande desafio é reorganizar o atendimento e incluir os soronegativos sob risco
 
A prevenção, que antes se limitava a métodos comportamentais como o preservativo, agora contará cada vez mais com remédios. A nova estratégia é chamada de prevenção combinada.
 
Dos três métodos preventivos medicamentosos que emergem, um é antigo, mas nunca emplacou no Brasil, sendo pouco usado por aqui. É a profilaxia pós-exposição (PEP, do inglês post-exposure prophylaxis), o coquetel que deve ser tomado de emergência logo após uma situação de risco.
 
O segundo método é, digamos, uma releitura: o Tratamento como Prevenção (TcP). Em 2011, provou-se que tratar o soropositivo impede que ele transmita o vírus.
 
Se antes o objetivo do tratamento era melhorar a saúde do portador, agora é também proteger seus parceiros. A consequência prática do TcP foi que em muitos países o coquetel passou a ser recomendado assim que a pessoa descobre ter o vírus, mesmo que esteja saudável. No Brasil, o Ministério da Saúde aderiu à medida em 2013.
 
O terceiro método é inovador. A profilaxia pré-exposição (PrEP, do inglês pre-exposure prophylaxis) consiste no uso contínuo de um coquetel com menos remédios por pessoas soronegativas que estejam sob alto risco de se infectar.
 
A PrEP já está em uso nos Estados Unidos desde 2012 e foi endossada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) em 2014.
 
No Brasil, está em avaliação por meio de uma pesquisa conduzida em conjunto pela Fundação Oswaldo Cruz, USP (Universidade de São Paulo) e o Centro de Referência e Treinamento em aids do Estado de São Paulo (CRT).
 
Nova frente de atendimento
Um dos desafios, portanto, é ampliar o uso da PEP – um método que qualquer brasileiro sexualmente ativo pode um dia precisar. A PEP demorou a ser liberada no país e ainda hoje seu uso no SUS é restrito e elitizado.
 
Com o advento da prevenção combinada, porém, o método ganha destaque. E não só no Brasil – a OMS, que restringia a PEP a estupros, mudou de posição em dezembro último.
 
Depois de anos de oferta restrita e má divulgação, gestores do SUS passam a valorizar a PEP. Os protocolos de atendimento estão passando por revisão em Brasília e a tendência é que se aumente sua disponibilidade nas emergências. O Ministério da Saúde também já está investindo em pesquisas sobre o método.
 
Mas o que vai exigir mais criatividade e ousadia dos gestores é mesmo a PrEP.
 
A chegada da PrEP no SUS significa a abertura de uma nova frente de atendimento – o acompanhamento regular de soronegativos com maior risco de se infectar. Homens bissexuais, gays, mulheres trans e profissionais do sexo são considerados grupos preferenciais para o método por conta do maior risco de aquisição no caso de uma exposição.
 
Denize Lotufo, médica infectologista do CRT, disse: "Por enquanto, só temos PrEP para gays, pela pesquisa. Mas queremos também oferecer para héteros que têm exposições repetidas".
 
Pesquisa no CRT mostrou que 11% usaram a PEP mais de uma vez. "No uso repetido, seria mais lógico fazer PrEP".
 
Para Alexandre Grangeiro, pesquisador da USP, "os serviços de saúde estão muito pouco preparados para programas de suporte contínuo a essas populações mais expostas".
 
De fato, a relação da pessoa vulnerável com o SUS sempre foi pontual – um exame aqui, um aconselhamento ali, às vezes uma PEP. Até que se infecta e ganha uma matrícula num posto de HIV. Mas poderia ser diferente – o serviço poderia acompanhar essas pessoas, discutindo a minimização de seu risco e intervindo sobre fatores sociais e psicológicos envolvidos.
 
Agora, com a PrEP, que exige consultas médicas trimestrais e exames, terá que se criar um serviço para soronegativos sob risco, o que pode ser a oportunidade para um trabalho mais amplo. Críticos do entusiasmo com a PrEP temem que a intervenção se reduza ao remédio.
 
Segundo Denize, ainda não há consenso sobre como será este novo serviço: "não vamos colocar o soronegativo para ser atendido no ambulatório de HIV, que é o lugar dos soropositivos. Estamos avaliando qual seria o local. Tradicionalmente, o lugar do soronegativo é o Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA), que teria de se reinventar".
 
Denize prevê dificuldades. "O nosso serviço atende 6.000 pessoas com HIV. É uma doença crônica, as pessoas estão vivendo e entram novas. Tem serviço na cidade de São Paulo em que há falta de profissional. Está difícil atender os positivos, imagina os negativos".
 
Casais de positivo com negativo
O Tratamento como Prevenção (TcP) também traz o soronegativo para o SUS – aquele que tem um parceiro soropositivo. Grangeiro discute as implicações do TcP para o atendimento a esses casais, chamados sorodiscordantes.
 
"Antes, o parceiro negativo aparecia na hora que precisava de PEP. Isso deve diminuir. Temos que começar a acompanhar esse negativo, fazer exames periódicos, discutir as formas de exposição, a adesão do parceiro positivo ao medicamento. Se o positivo optou por se tratar e tem a carga viral indetectável, se o casal tem um melhor gerenciamento das práticas sexuais, não tem sentido o negativo ficar usando PEP ou PrEP."
 
Para Denize, um dos aspectos positivos do TcP será o estímulo a uma adesão correta à medicação. "Tomar o remédio com disciplina será também uma forma de proteger o parceiro".
 
*Henrique Contreiras, médico e colaborador da Agência de Notícias da aids (henrique@agenciaaids.com.br)
 
UOL

Grupo quer proibir palavra 'diet' em embalagens de refrigerantes

Foto: Reprodução da Internet
Representante de órgão de defesa de consumidores na Califórnia alega que há bebidas “dietéticas” que até engordam
 
Rio - Um grupo de defesa de consumidores americano pede que as agências reguladoras federais investigarem o uso da palavra “diet” por fabricantes de refrigerantes do tipo soda, alegando que o adjetivo é “enganador, falso e ilusório”. Eles citam, inclusive, pesquisas que mostram que algumas dessas bebidas podem levar o consumidor a engordar, em vez de perder peso.
 
— Isto parece um caso clássico de propaganda enganosa — diz Gary Ruskin, co-fundador e diretor-executivo da U.S. Right to Know, uma organização sem fins lucrativos, com sede em Oakland, na Califórnia, que escreveu duas cartas, para “Federal Trade Commission” e para “Food and Drug Administration”, exigindo investigação severa a respeito sobre do uso da palavra “diet” em publicidade por empresas que usam adoçantes artificiais.
 
O diretor da U.S. Right to Know alega que o uso da palavra viola a lei federal contra a propaganda enganosa e rotulagem de produtos alimentares.
 
— Estamos fazendo isso para nos certificar de que as pessoas não ficarão mais doentes a partir do consumo desses produtos quando, na verdade, ganham peso no lugar de perder — explicou Ruskin.
 
De acordo com a revista "Time", que publica nesta sexta-feira o manifesto de Ruskin, algumas pesquisas sugerem que o refrigerante “diet” pode contribuir para o ganho de peso, quando há a dissociação entre o sabor doce e as consequências calóricas, levando assim a excessos.
 
— Pesquisas anteriores, incluindo testes clínicos em humanos, sugere que as bebidas dietéticas são uma ferramenta eficaz como parte de um plano global de gestão de peso — disse em nota a “American Beverage Association”, associação comercial que representa a indústria de bebidas, em uma declaração fornecida para a "Time". — Numerosos estudos têm demonstrado repetidamente os benefícios de bebidas dietéticas, assim como adoçantes de baixas calorias, que estão em milhares de alimentos e bebidas, para ajudar a reduzir a ingestão de calorias. Além disso, adoçantes de baixa caloria e sem calorias têm sido repetidamente considerados seguros, por pesquisas científicas por décadas, bem como as agências reguladoras em todo o mundo, incluindo os EUA Food and Drug Administration.

O Globo

Estudos mostram benefícios da maconha para combater o câncer

Agência O Globo: Departamento de Justiça dos Estados Unidos informou,
via comunicado, que não irá barrar estudos sobre o uso da maconha medicinal,
mas continuará a punir os usuários
Governo americano volta a atenção para as pesquisas sobre potenciais da planta
 
Rio - O governo americano começa a abrir os olhos para as pesquisas que demonstram os benefícios da maconha no tratamento do câncer. Nesta sexta-feira, o Instituto Nacional para o Abuso de Drogas (Nida, na sigla em inglês) publicou um relatório em que admite o potencial da erva no combate às células cancerígenas.
 
Atualmente, vários estados dos EUA permitem o uso da maconha medicinal e alguns permitem o uso recreativo, mas o governo federal o proíbe.
 
O documento cita a pesquisa do pesquisador Wai Liu, da Universidade de Londres, que mostra que o uso de canabidiol (CBD) e tetrahidrocanabinol (THC) — duas substâncias canabinoides presentes na maconha — inibem o glioma, tipo de câncer do cérebro. O documento afirma: “evidências de um estudo realizado em animais sugere que extratos da planta inteira da maconha podem encolher um dos mais graves tipos de tumores cerebrais. Testes em camundongos mostraram que estes extratos, quando utilizados com radioterapia, aumentaram ainda mais os efeitos”. E este não é o único estudo sobre o tema.
 
— Desde a década de 1990, vários estudos vêm mostrando que existe uma ação grande do uso de canabinoides no tratamento do câncer, a maioria ainda em modelos animais — explicou o neurocientista da Unifesp Renato Filev, citando resultados positivos nos casos de tumores de mama, útero, testículos, pâncreas e tecidos hepáticos, entre outros.
 
Na Espanha, teste em humanos
Filex lembra que, por enquanto, apenas um estudo espanhol, do pesquisador Manuel Gusmán, chegou a testar os canabinoides em humanos, mas apenas num grupo pequeno de pessoas. Enquanto isto, um resumo publicado pelo Instituto Nacional do Câncer dos EUA (NCI) cita 41 referências sobre os efeitos antitumorais da planta.
 
— Já existe um grande número de estudos nesta linha — reforça Antonio Zuardi, professor de Psiquiatria da USP de Ribeirão Preto que também estuda os usos medicinais da maconha.
 
Um dos efeitos mais conhecidos do público e também com bases científicas mais fortes é o de canabinoides no alívio de sintomas da quimioterapia.
 
— É uma prática já bem estabelecida. Desde o início dos anos 1980, dois produtos contendo THC sintético ou análogo, o dronabinol e o nabilone, são comercializados nos EUA para a náusea e vômito que acompanham a quimioterapia — diz Zuardi.
 
Nesta sexta-feira, o município chileno La Florida anunciou que fará a primeira colheita de maconha medicinal legal, num projeto-piloto para aliviar sintomas de pacientes com câncer, medida que já é aplicada em países que liberam o uso da erva para fins medicinais.
 
No Brasil, o dronabinol pode ser importado com receita especial, embora não seja uma prática difundida. Este não é o caso do THC, que continua na lista de substâncias proibidas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Ano passado, a agência liberou a importação do CBD, após uma longa batalha de famílias de pacientes de epilepsia refratária.
 
Na esteira da discussão, o Conselho Federal de Medicina (CFM) autorizou médicos a prescrever a substância, mas apenas para os pacientes com epilepsia, o que impede uso no caso da quimioterapia.
 
O conselho alega que não há pesquisas suficientes comprovando a segurança no tratamento de câncer e lembra que a norma poderá ser revista em dois anos. As limitações da resolução, no entanto, são alvo de críticas de especialistas, como o psiquiatra e professor da Unicamp, Luís Fernando Tófoli:
 
— O CFM estabeleceu uma resolução draconianamente restritiva quanto à prescrição de maconha medicinal.
 
A relação entre câncer e maconha não para por aí. Há pesquisas ainda revelando que o uso da planta, em geral quando fumada, aumenta o risco de o indivíduo desenvolver um tumor maligno. O NCI cita 13 referências sobre o tema, mas afirma que os “estudos produziram evidências conflitantes” sobre esse risco. E os três pesquisadores concordam que faltam bases científicas.
 
— Os estudos que fazem a correlação indicam, em sua maioria, que o risco parece ser menor que o de uso de cigarro — afirma Tófoli, destacando que eles não chegaram a investigar a maconha de padrão medicinal nem de vaporizadores, que aparentemente têm, segundo ele, potencial para reduzir ou até anular o risco de câncer.
 
O Globo

Dengue: por que é tão difícil exterminar a doença


André Lucas Almeida/Futura Press/VEJA: Além de combinar
uma doença de biologia difícil, os elementos do atraso na
 erradicação da dengue incluem aspectos sociais e culturais,
além do baixo investimento em pesquisas
O vírus hábil combinado a um mosquito urbano e oportunista até hoje dribla a ciência. Especialistas explicam por que a enfermidade ainda não conhece uma vacina ou como ela é capaz de infectar até 100 milhões de pessoas em todo o mundo, resistindo a inseticidas e repelentes
 
Em todo o mundo, os números da dengue se multiplicaram nos últimos 50 anos. A doença infecta 100 milhões de pessoas anualmente, de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), em ciclos epidêmicos. Este ano, o Brasil viu seu número de casos triplicar. Eles aumentaram em todas as regiões: há 224 101 casos notificados, ante os 85 401 que surgiram entre janeiro e março de 2014. A Região Sudeste, especialmente São Paulo, é a líder. O estado contabiliza 585 casos por 100 000 habitantes, quase o dobro do patamar usado para caracterizar uma situação de epidemia, que é de 300 casos por 100 000 habitantes. Se os números continuarem crescendo em abril, mês historicamente preferido pela doença para fazer suas vítimas, 2015 tem tudo para ser o ano em que o Brasil verá uma epidemia histórica de dengue.
 
Desde que o vírus foi isolado pelo cientista polonês radicado nos Estados Unidos Albert Sabin, durante a II Guerra Mundial, ele dribla a ciência. Até hoje não há vacina e tratamento. O único método de combate é tentar matar o mosquito. Combate-se a dengue da mesma maneira que nos anos 1950. As armas contra a doença que pode levar à morte em sua forma grave são inseticidas, repelentes e a eliminação dos criadouros do Aedes aegypti, mosquito que carrega o vírus.
 
"Essa é não é uma doença de solução fácil. Há uma combinação entre um vírus hábil, um mosquito extremamente adaptado e estratégias públicas de combate e prevenção que não são constantes e, por isso, não funcionam", explica o infectologista Celso Francisco Granato, chefe do laboratório de virologia da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).
 
Os elementos do atraso na erradicação da dengue incluem também aspectos sociais e culturais, além do baixo investimento em pesquisas. Enfrentando esses aspectos, os cientistas têm feito o que podem. Uma vacina para o vírus complexo deve surgir nos próximos anos e os pesquisadores estão criando mosquitos capazes de impedir o parasita de se multiplicar. Se conseguirem, vão derrubar um inimigo histórico, beneficiando cerca de 2,5 bilhões de pessoas, ou dois quintos da população mundial que, atualmente, vivem em áreas de transmissão da doença.
 
Vírus viajante
A primeira menção a uma doença semelhante à dengue está em uma enciclopédia chinesa de 992. Os estudos indicam que o vírus se desenvolveu no Sudeste da Ásia e se espalhou pelo mundo nos séculos XVIII e XIX junto com os navios que transportavam produtos pelos oceanos. Tanto o vírus, que faz parte da família Flavivírus (o mesmo da febre amarela e da hepatite C), quanto os mosquitos que o carregam, o Aedes aegypti e o Aedes albopictus, chegaram a diversos países tropicais, causando grandes epidemias. O Aedes aegypti teve mais sorte que seu correspondente silvestre e conseguiu se adaptar com sucesso ao ambiente urbano. Novos surtos voltaram a aparecer com força após a II Guerra Mundial, quando as cidades cresceram exponencialmente e as viagens se tornaram mais comuns.
 
Nesse período foram registrados os primeiros casos de dengue grave, que causa hemorragia e pode levar à morte. Foi também o momento em que o vírus foi isolado por Sabin e começou a ser estudado. Descobriu-se que ele havia sofrido mutações durante seu desenvolvimento ao redor do globo e não era um, mas quatro. São os chamados quatro sorotipos, que vão de DEN-1 a DEN-4.
 
"Na época, achava-se que as grandes diferenças ocorriam entre os sorotipos. No entanto, com as pesquisas em biologia molecular, verificou-se que isso era uma gigantesca simplificação. A análise genética do vírus, por volta dos anos 1980, mostrou que, em cada sorotipo há vírus que são tão diferentes como o homem e o chimpanzé. A dengue é feita de muitos de vírus diferentes", diz Granato.
 
Doença esperta
Além dessa imensa variação entre os genes da doença, outra característica incomum do vírus é sua capacidade de se tornar mais agressivo na segunda ou terceira infecções. Isso acontece porque ele consegue se ligar aos anticorpos do organismo e "enganar" o sistema imunológico. Uma pessoa que tem dengue pela primeira vez desenvolve células de defesa contra a doença. Se acontecer de ser picada pelo mosquito uma segunda vez, infectado por outro sorotipo, o novo vírus que entra no organismo consegue se colar aos anticorpos criados pela primeira infecção. Assim, o anticorpo funciona como um cavalo de Tróia, levando o vírus para dentro do sistema imune: a dupla entra com facilidade nas células imunológicas, que reconhecem o vírus como sendo uma célula de defesa. Desse modo, o parasita se multiplica rapidamente no organismo.
 
De acordo com estimativas dos médicos, na primeira vez que alguém tem dengue, apenas três em cada 1 000 pessoas terão a forma grave. O número aumenta para três em cada 100 na segunda infecção e para seis em cada 100 na terceira. "Na quarta vez, há um risco de 10% de que a forma grave se desenvolva", explica Granato. "Não estamos acostumados a lidar com um vírus assim. Não há nenhuma outra doença que tenha esse modo de ação."
 
Parasita sem barreiras
É também por esse motivo que ainda não existe no mercado uma vacina que proteja contra a doença. Além de ser capaz de fazer o corpo humano desenvolver anticorpos contra os quatro sorotipos, a vacina também deve oferecer alta proteção. Do contrário, ao menos teoricamente, ela pode promover a incidência da forma grave. Afinal, o objetivo das vacinas é fazer com que o corpo produza anticorpos capazes de combater uma provável infecção. No caso da dengue, sua capacidade de fazer os anticorpos se ligarem ao vírus faz com que, se não houver anticorpos contra os quatro sorotipos, a probabilidade do desenvolvimento da forma grave, que pode levar à morte, seja multiplicada.
 
"Por isso, uma vacina aceitável contra a dengue deve ser, obrigatoriamente, tetravalente", explica o infectologista Esper Kallás, professor da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. "Ela não combate um, mas muitos vírus e esse é um dos motivos que dificultou o desenvolvimento das vacinas contra a doença até hoje."
 
A criação de uma vacina atrasou, de acordo com os especialistas, porque a dengue carrega o estigma de ser doença de países pobres. Atingindo principalmente regiões tropicais, muito populosas e com saneamento e urbanização precárias, os investimentos em pesquisas de estratégias de combate demoraram a chegar.
 
Isso ajudou a incidência da doença a crescer. A grande adaptação do vírus e de seu mosquito levaram a dengue a chegar sem barreiras a lugares cada vez mais frios e mais altos. Um grande surto atingiu Cingapura, em 2004, e em 2013, chegou à Flórida, no Sul dos Estados Unidos, e à França. No ano passado, foi a vez do Japão, que não tinha casos recentes da doença.
 
Vacinas promissoras
 
Com isso, nos últimos anos, diversas equipes de pesquisa, financiadas principalmente pelos governos americano e europeus, decidiram buscar uma solução para o problema. Kallás é um dos principais pesquisadores envolvidos nas pesquisas de uma vacina contra a dengue que está sendo desenvolvida pelo Instituto Butantã em parceria com o National Institutes of Health (NIH, na sigla em inglês).
 
Os primeiros resultados dos testes desse imunizante, em estudo há quase de dez anos, indicam uma alta capacidade de proteção, que vai de 85% a 90%, com uma única dose. Ainda são necessários os testes da fase III, que poderão comprovar essas conclusões em um grande número de pessoas acompanhadas por, no mínimo, um ano, mas a equipe de cientistas acredita que, a partir de 2017, ela pode ser uma boa opção para combater a doença.
 
Outra vacina promissora é a desenvolvida pelo laboratório Sanofi Pasteur, a mais avançada em todo o mundo. As pesquisas da fase III foram finalizadas e, de acordo com a empresa, o imunizante deve ser lançado entre o fim deste ano e o início de 2016. Ela protege contra a doença em 60,8% dos casos, evitando mais de 70% dos casos de dengue tipo 3 e 4, e menos de 50% das infecções por dengue tipo 1 e 2. De acordo com os estudos, ela é capaz de reduzir em até 80% o risco de hospitalização causada por complicações da dengue e diminui em 95% os casos graves da doença. Para oferecer a proteção completa, são necessárias três doses, com intervalo de seis meses entre elas.
 
"Ainda não temos nenhuma vacina que ofereça o número mágico de proteção de mais de 80% contra todos os subtipos. No entanto, um imunizante assim é altamente factível e é a forma mais eficaz de combate contra a doença. Se houver um investimento contínuo em pesquisa, ela poderá ser feita em um futuro próximo. O benefício de um projeto como esse, para todo o mundo, é imensurável", diz Kallás.
 
Mosquito hábil
Para atingir a tantas pessoas, além de se multiplicar em vários sorotipos diferentes, o vírus da dengue também foi capaz de se adaptar tanto ao homem quando ao mosquito Aedes aegypti. Sua estratégia evolutiva permitiu que ele conseguisse sobreviver tanto em um mamífero quanto em um inseto - animais com biologias muito diversas. Mais que isso, a opção pelo Aedes se mostrou um sucesso para sua reprodução. Esse mosquito é extremamente adaptado aos ambientes urbanos. Ao longo dos séculos, suas fêmeas aprenderam a colocar ovos apenas em ambientes artificiais que retêm água, como calhas, caixas d'água ou pneus. Em ambientes silvestres, o Aedes aegypti não se reproduz. Ele jamais colocará seus ovos em poças d'água naturais.
 
Além disso, seus ovos adquiriam uma resistência incomum, capazes de sobreviver por meses (mesmo sem água). Essa característica faz com que eles possam viajar, espalhando-se por diversas regiões sem sofrer grande impacto, e também resistam ao tempo. Os ovos de um ano conseguem eclodir no ano seguinte, colaborando para as epidemias. Por isso, os surtos de dengue costumam acontecem em intervalos. Os ovos colocados em um verão com pouca incidência da doença podem dar origem a diversos mosquitos que infectarão um grande número de pessoas na estação do ano seguinte.
 
A fêmea do Aedes aprendeu a não colocar todos os seus ovos em um só lugar. Ela os separa, garantindo assim, que alguma porção sobreviva, assim que a chuva vier. "Esse é um mosquito oportunista, que vai encontrar maneiras de se reproduzir mesmo em ambientes difíceis", explica a bióloga Denise Valle, pesquisadora do Laboratório de Biologia Molecular de Flavivírus do Instituto Oswaldo Cruz, no Rio de Janeiro. "Ele é capaz de ficar em casa, esperando a hora de você chegar, mesmo que seja à noite. E soube como, rapidamente, criar resistência aos inseticidas mais utilizados e aos repelentes, sobrevivendo a eles. Além disso, seu ciclo de vida é curto, de até dez dias, o que faz que sempre haja novas populações nascendo."
 
A evolução ensinou também o Aedes a picar durante o dia, eliminando a concorrência de pernilongos ou borrachudos. Em qualquer hora do dia, um Aedes pode sugar o sangue humano e transmitir a dengue.
 
Controle tecnológico
Esse inseto astuto, que desenvolveu uma série de mecanismos evolutivos para sobreviver, tem escapado de todas as táticas de prevenção e controle da doença. As únicas estratégias de combate contra a dengue indicadas pela OMS são o uso de telas em janelas e portas, a supressão ou proteção de reservatórios de água que funcionam como criadouros e o uso de inseticidas. Até hoje, elas não erradicaram o mosquito, que vem se reproduzindo com velocidade alarmante ao redor do planeta.
 
"Os altos números da dengue mostram claramente que as estratégias de combate não estão funcionando. O mais absurdo é que permitimos a reprodução desse mosquito extremamente adaptado ao ambiente urbano e ao ser humano e difícil de combater. É como se estivéssemos criando Aedes no quintal", diz o biólogo Paulo Ribolla, professor do Instituto de Biociências da Unesp de Botucatu e um dos maiores especialistas no mosquito no Brasil. "É loucura pensar que repelentes e inseticidas poderão combater esse mosquito. Por isso, o melhor é investir em acabar com os criadouros."
 
Nesse sentido, duas opções estão sendo testadas por pesquisadores. Uma delas veio da Austrália e está sendo desenvolvida pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) no Rio de Janeiro. O programa de pesquisa internacional consiste em soltar mosquitos Aedes que contém a bactéria Wolbachia, que os impede de transmitir o vírus da dengue. Essa bactéria, que sobrevive no organismo da maior parte dos insetos, não existe naturalmente no Aedes e, de acordo com os cientistas, não causa nenhum efeito no corpo humano. No entanto, no organismo do Aedes, ela barra a infecção pela dengue. A ideia dos pesquisadores é substituir toda a população de mosquitos pelos insetos infectados - o que reduziria os casos de dengue.
 
Outra estratégia, que foi proposta para combater a dengue em São Paulo, é o uso de mosquitos transgênicos. Produzidos por empresas de biotecnologia, como a brasileira Moscamed ou a britânica Oxitec, esses mosquitos machos, ao copularem com as fêmeas, geram descendentes incapazes de chegar à idade adulta. Assim, eles não transmitiriam a doença. A proposta é que a quantidade de mosquitos seja reduzida nos locais onde esses machos são soltos. O único inconveniente é que, até isso aconteça, é preciso soltar muitos mosquitos no ambiente.
 
Essas estratégias buscam ludibriar o inseto e impedir que a dengue seja exterminada na base de mata-moscas e tampas de caixa d´água. "Não podemos lutar contra um mosquito e um vírus tão desafiadores com medidas simples e intermitentes. Eles aprenderam a estar conosco e são muito eficientes nisso. Por essa razão, a dengue só será erradicada com investimento em pesquisa e em programas sérios de saúde e educação pública, que envolvam todos os setores da sociedade. Sem isso, seremos obrigados a conviver com essa doença ainda por um longo tempo", diz Ribolla.

Veja

FUB - DF promove processos seletivos

A Fundação Universidade de Brasília - FUB, publicou dois editais de nº 217 e 219/2015 de Processos Seletivos, com a intenção de preencher duas vagas em cargos de ensino superior, por prazo determinado.
 
As oportunidades são para o cargos de Professor Substituto, nas áreas de Fisioterapia e Genética. O salário previsto é de R$ 2.689,07, em carga horária de 20 horas.
 
As inscrições podem ser feitas até o dia 13 de abril de 2015, na Secretaria da Unidade de lotação da área desejada: Unb Ceilândia, Faculdade de Ceilândia, Centro Metropolitano, Conjunto A, Lote 01, Ceilândia Sul e no Departamento de Genética e Morfologia. Instituto de Biologia. Universidade de Brasilia - DF.
 
A avaliação do candidato poderá ser efetivada em vista de notória capacidade técnica ou científica do profissional, mediante análise do curriculum vitae, entregue no ato da inscrição.
 
Os Processos Seletivos terão validade de 06 meses, contando a partir da data da publicação do edital de homologação do resultado final.

Prefeitura de Dois Irmãos - RS realiza processo seletivo

A Prefeitura de Dois Irmãos, Estado do Rio Grande do Sul, tornou público o edital de nº 040/2015 de Processo Seletivo, com a intenção da selecionar profissionais de ensino superior.
 
O objetivo é o cadastro de reserva, no cargo de Médico PSF, o salário previsto é de R$ 9.440,33, mais adicional de R$ 204,98, em carga horária de 40 horas semanais.]
 
As inscrições serão aceitas até o dia 20 de abril de 2015, junto ao Protocolo Municipal, localizado na Rua Berlim, nº240, no Centro de Dois Irmãos - Palácio 10 de Setembro, as 7h30 às 18h, nas segundas-feiras, e das 7h30 às 13h30, de terças a sextas-feiras.
 
A avaliação dos candidatos se dará através de análise de currículos, que devem ser entregues no ato da inscrição.
 
A validade do Processo Seletivo será de 02 anos, a contar da data da divulgação do resultado final, que será considerada como da homologação do resultado e pode ser ser prorrogado a critério do Poder Público.

Concurso Hospital Regional de Assis - SP

No estado de São Paulo, o Hospital Regional de Assis lançou por meio do Diário Oficial do Estado, dois editais para realização de concurso público que visa preencher quatro vagas em cargos de Médico Cirurgião Pediátrico e Vascular.

O salário dos profissionais é de R$ 1.590,00 e vantagens pecuniárias de acordo com a unidade, acrescido de prêmio de produtividade médica no valor de até R$ 2.010,00, conforme legislação vigente, por jornada de trabalho de 12 horas mensais.

As funções exigem graduação em medicina, registro no conselho regional do órgão (CREMESP), certificado de conclusão de residência médica em programa credenciado pela comissão nacional de residência médica (CNRM), ou título de especialista emitido pela associação médica brasileira (AMB) na especialidade para a qual concorre.

As inscrições serão recebidas no período de 22 de abril a 22 de maio de 2015, das 09:00 às 15:00 horas (exceto sábados, domingos e feriados), na unidade detentora do certame, situada na Praça Dr. Symphronio Alves dos Santos, s/n - Assis-SP, sala 68, Térreo, Núcleo de seleção e desenvolvimento de Rh. O valor da inscrição é de R$ 70,13.

O concurso terá prova objetiva e avaliação de títulos. A prova será realizada na cidade de Assis-SP, com data prevista para o dia 14 de junho de 2015, no período da manhã ou tarde, e os candidatos serão convocados por meio de edital a ser publicado no Diário Oficial do Estado de São Paulo, pelo site www.imprensaoficial.com.br.

Concurso Prefeitura de Centenário - RS

A Prefeitura de Centenário, no Estado do Rio Grande do Sul, divulgou o edital nº 001/2015 de Concurso Público, visando a contratação de novos servidores de ensino fundamental, médio e superior. O concurso está sob a responsabilidade da empresa Objetiva Concursos e, de acordo com o edital, o salário varia de R$ 961,18 a R$ 11.053,57, em carga horária de 20 até 40 horas semanais.
 
São oferecidas 13 vagas imediatas, além de formar cadastro de reserva, nos cargos de Assistente Social, Auxiliar Administrativo, Auxiliar de Serviços de Assistência Social, Enfermeiro, Engenheiro Civil, Médico Clínico Geral, Motorista, Operador de Máquinas, Professor - Atendimento Educacional Especializado, Professor - Educação Infantil e Séries Iniciais do Ensino Fundamental, Professor nas áreas de Educação Física - Inglês, Psicólogo e Técnico em Enfermagem.
 
As inscrições podem ser feitas até o dia 19 de abril de 2015, pelo site www.objetivas.com.br.
 
O valor da taxa de inscrição varia entre R$ 30,00, R$ 50,00 e R$ 100,00.
 
A seleção dos candidatos se dá através de prova objetiva, prática e de títulos.
 
A Prova Objetiva, para todos os cargos, será aplicada na data prevista de 30 de maio de 2015, em local e horário a serem divulgados na homologação das inscrições.
 
O Concurso terá validade por 02 anos, contados a partir da data de homologação dos resultados, prorrogável por mais 02 anos, a critério do Município de Centenário.

Prefeitura de Centenário - RS realiza processo seletivo

A Prefeitura de Centenário, Estado do Rio Grande do Sul, recebe até o dia 19 de abril de 2015, as inscrições para o Processo Seletivo de nº 001/2015.
 
O objetivo é a contratação de um profissional de ensino fundamental, para o cargo de Agente Comunitário de Saúde, o salário previsto é de R$ 1.014,00, em carga horária de 40 horas semanais.
 
Os interessados podem efetuar suas inscrições pelo site www.objetivas.com.br. O valor da taxa de inscrição é de R$ 30,00.
 
A prova objetiva está prevista para ser aplicada no dia 30 de maio de 2015, em local e horário a serem previamente divulgados no site www.objetivas.com.br.
 
O Processo Seletivo terá validade por 02 anos, contados a partir da data de homologação dos resultados, prorrogável por mais 02 anos, a critério do Município de Centenário.

Concurso Prefeitura de Tanque Novo - BA

A Prefeitura de Tanque Novo, no Estado da Bahia, divulgou a errata nº 01/2015 do edital nº 001/2015 de concurso público. A seleção está sob a responsabilidade da empresa FJ - Futura Assessoria Municipal e, de acordo com a errata, o salário pode chegar até R$ 8.959,82, em carga horária de 20 até 40 horas semanais.
 
São oferecidas 55 vagas imediatas a candidatos de ensino fundamental, médio técnico e superior, nos cargos de agente administrativo, agente de portaria, assistente social, bioquímico/ biomédico, coordenador pedagógico, educador físico, eletricista, enfermeiro, engenheiro agrônomo, farmacêutico, fisioterapeuta, fonoaudiólogo, médico, motorista classe "C" e "D", nutricionista, odontólogo, operador de máquinas, professor nível I (pedagogia, língua portuguesa, língua inglesa, matemática), psicólogo, técnico enfermagem e técnico em laboratório de analises clinicas.
 
As inscrições foram prorrogadas até às 23h59min do dia 21 de abril de 2015, através do site www.futuraassessoriamunicipal.com.br. Será cobrada taxa de R$ 63,00 a R$ 98,00.
 
Em virtude da alteração mencionada acima, a data da prova objetiva também foi prorrogada, desta vez para ser aplicada no dia 24 de maio de 2015, em locais que serão previamente comunicados aos inscritos, mediante publicação no site da organizadora.
 
O gabarito preliminar provavelmente será divulgado no dia 26 de maio de 2015, no site citado acima.
A validade do concurso público será de dois anos, podendo ser prorrogado, a critério da Administração Municipal.

Concurso Prefeitura de Carapicuíba - SP

A Prefeitura de Carapicuíba, no estado de São Paulo, por meio do Instituto Rio Conhecimentos, lançou edital n° 01/2015 de concurso público, com a finalidade de preencher 342 vagas para profissionais de todos os níveis escolares, por salários de até R$ 3.345,65.

Gratificações
-Gratificação de Incentivo à Produtividade de R$ 305,10; Insalubridade R$ 315,00.

-Gratificação por assiduidade entre 15 a 50% sobre o salário; Descanso Semanal Remunerado; Insalubridade R$ 315,00.

-Gratificação de assiduidade R$ 819,69.

-Abono de R$ 35,00 para todos que recebem até R$ 3.000,00.
 
Cargos
- Alfabetizado: Borracheiro, Carpinteiro, Coletor de Lixo, Encanador, Jardineiro, Operador de Moto-serra, Pintor de Parede, Roçador;

- Nível Fundamental: Eletricista de Auto e Máquinas, Atendente, Motorista, Motorista I, Operador de Máquinas e Agente de Saúde;

- Nível Médio/Técnico: Agente de defesa Civil, Auxiliar de Desenvolvimento de Educação Básica e de Saúde Bucal, Oficial Administrativo, Telefonista, Desenhista Cadista, Fiscal de Tributos, Técnico de Enfermagem, de Laboratório, de Radiologia e de Segurança do Trabalho, Topógrafo;

- Nível Superior: Arquiteto, Assistente Social, Dentista, Engenheiro Civil, Enfermeiro, Farmacêutico, Instrutor de Prática Desportiva - Boxe e Dança, Médico nas especialidades Clínico Geral, Endocrinologista, Geriatra, Ginecologista, Hebiatra, Infectologista, Neurologista, Ortopedista, Pediatra, Plantonista, Pneumologista, Psiquiatra, Reumatologista, Ultrassonografista e Urologista, Procurador Municipal, Professor Adjunto de Educação Básica I, e II Arte e Educação Física, Psicólogo e Contador.
 
Inscrições Concurso Prefeitura de Carapicuíba
As inscrições ficarão abertas exclusivamente através da internet, até o dia 08 de maio de 2015, no site www.institutobrio.org.br. As taxas variam de R$ 22,00 a R$ 52,00 de acordo com a funçaõ escolhida.
 
Provas
A realização das Provas Objetivas para todos os cargos estão previstas para o dia 14 de junho de 2015. As provas serão aplicadas no Município de Carapicuíba/SP. Poderá, contudo, haver mudanças na data prevista dependendo do número de inscritos e da disponibilidade de locais para a realização das provas.
 
Validade
O concurso, para todos os efeitos, terá validade de 02 anos, providos pelo Regime estatutário, podendo ser prorrogado por igual período a partir da data da homologação, que será publicada no Jornal Página Zero, pela Internet nos endereços www.carapicuiba.sp.gov.br ou www.institutobrio.org.br e afixado no quadro de avisos da Prefeitura do Município de Carapicuíba/SP.

Concurso RIOSAÚDE - RJ 2015

A Secretaria de Administração por meio do edital SMA nº 58, de 09 de abril de 2015, abriu concurso público para admissão de profissionais que possam ocupar empregos na Empresa Pública de saúde do Rio de Janeiro S.A. – RIOSAÚDE. São ofertadas 279 vagas para cargos de níveis médio e superior, com vencimentos que variam de R$ 967,00 a R$ 11.667,00, em regime de 12 a 40 horas semanais de trabalho.
 
Fica reservado a candidatos negros e índios, o equivalente a 20% das vagas oferecidas.
 
Benefícios
Para todos os empregos: salário base será acrescido de R$ 157,68 a título de adicional de insalubridade (NR - 15 Ministério do Trabalho e Emprego); gratificação de desempenho, podendo alcançar até 20% do salário mensal, sendo o pagamento efetuado pelo menos duas vezes ao ano; adicional noturno (Lei nº 5.452/43 – art 73 da CLT) e vale transporte (Lei nº 7.418/85).

Para os empregos de nível superior: Retribuição por Titulação (RT) - máximo de 3 (três), em decorrência de títulos de Cursos de Aperfeiçoamento e de Especialização na área de atuação, com o mínimo de 340h, cada: 1º título - 5% (cinco por cento sobre os salário base); 2º título - 5% (cinco por cento sobre o salário base); 3º título - 5% (cinco por cento sobre o salário base).

Para o emprego de Médico Plantonista, com carga horária de 12h, o salário base será acrescido da gratificação de final de semana, de 20% do salário mensal.
 
Inscrição RIOSAÚDE
As inscrições serão realizadas das 10h do dia 16 de abril até às 23h59min do dia 4 de maio de 2015 (horário de Brasília), incluindo sábados, domingos e feriados, somente via internet, através de requerimento específico disponível no site www.concursos.rio.rj.gov.br. A taxa de inscrição é de R$ 50,00 (nível médio) e R$ 60,00 (nível superior).
 
Provas
Os inscritos serão avaliados por meio de provas objetivas e títulos.
 
Os locais, a data e o horário de realização das provas serão publicados no Diário Oficial do Município e divulgados no site www.concursos.rio.rj.gov.br.
 
O resultado final do concurso será divulgado por edital, publicado no Diário Oficial do Município do Rio de Janeiro e disponibilizado no site www.concursos.rio.rj.gov.br.
 
Validade
A validade do processo seletivo será de um ano, contado a partir da data de publicação da homologação do certame, podendo ser prorrogado por igual período, a critério da administração pública.
 
Edital publicado no Diário Oficial do Município do Rio de Janeiro, do dia 10 de abril de 2015, a partir da pág. 86.

Prefeitura de Monte Alegre dos Campos - RS promove processo seletivo

Com atrativo salarial de R$ 4.188,24, a Prefeitura de Monte Alegre dos Campos, no nordeste do Rio Grande do Sul, abriu uma vaga para médico na especialidade de clínico geral. O comunicado foi feito através do edital nº 48/2015 de processo seletivo, publicado no Diário Oficial dos Municípios do Estado do Rio Grande do Sul.
 
A vaga visa atender a necessidade da Secretaria Municipal da Saúde e Assistência Social. A jornada de trabalho será de 30 horas semanais e a duração contratual de um ano.
 
As inscrições são recebidas até o dia 13 de abril de 2015, na Secretaria Municipal da Saúde e Assistência Social. No ato de inscrição é necessária a apresentação de cópia autenticada de RG e CPF, do diploma, documento comprobatório de habilitação legal e do comprovante de endereço, ou cópias conferidas com o original. Também é exigido comprovante de experiência profissional, se houver, para análise documental.
 
O resultado está previsto para ser divulgado no dia 15 de abril de 2015 e a contratação para acontecer no dia seguinte.
 
O edital foi publicado no dia 9 de abril de 2015, link: http://www.diariomunicipal.com.br/famurs/materia/1926527.

Prefeitura de Salgueiro - PE abre processo seletivo

A Prefeitura de Salgueiro, no estado de Pernambuco, por meio da empresa MGA Concursos, lançou o edital n° 001/2015 de processo seletivo, com a finalidade de preencher 18 vagas em cargos de Agente Comunitário de Saúde, Agente de Saúde Ambiental e Combate a Endemias. O salário dos futuros contratados será de R$ 1.077,17 por jornada de trabalho de 40 horas semanais.

As funções de Agente de Saúde Ambiental e de Combate a Endemias exigem o ensino médio completo. Já os Agentes Comunitários de Saúde deverão ter ensino fundamental completo e residir na área da comunidade em que forem atuar.

As inscrições podem ser feitas até as 23h59min do dia 24 de abril de 2015, exclusivamente, pela internet no endereço www.mgaconcursospublicos.com.br. A taxa de inscrição é de R$ 30,00.

As provas objetivas ocorrerão provavelmente no dia 07 de junho de 2015, nos locais e horários que serão divulgados no www.mgaconcursospublicos.com.br. O resultado final do concurso sairá até 03 de junho de 2015.

A seleção pública terá o prazo de validade de um ano, a contar da data da publicação do ato de sua homologação, divulgado no Diário Oficial dos Municípios de Pernambuco e no site da Prefeitura Municipal, podendo ser prorrogado, por igual período, desde que haja interesse da Administração.

Concurso Fundação Municipal de Saúde de Canoas - RS

A Fundação Municipal de Saúde de Canoas - FMSC, no Estado do Rio Grande do Sul, divulgou o edital nº 01/2015 de concurso público, com a intenção de contratar novos servidores de ensino fundamental e superior. A remuneração prevista pode chegar até R$ 10.000,00, em carga horária que vai de 20, 30 até 40 horas semanais.
 
São oferecidas 92 vagas imediatas, além de cadastro de reserva, nos cargos de Agente Comunitário de Saúde, Agente de Combate às Endemias, Cirurgião Dentista – Especialista Buco – Maxilo - Facial, Cirurgião Dentista - Especialista Endodontia, Médico Psiquiatra, Médico Generalista de Saúde da Família e Comunidade.
 
Serão reservados o percentual de 10% do total das vagas oferecidas, a candidatos portadores de necessidades especiais.
 
As inscrições serão aceitas até o dia 06 de maio de 2015, através do endereço eletronico www.fundacaolasalle.org.br/concursos.
 
O valor da taxa de inscrição para candidatos de ensino fundamental é de R$ 45,00 e cargos de ensino superior R$ 110,00.
 
A prova objetiva provavelmente será aplicada no dia 07 de junho de 2015, em local e horário a serem previamente divulgados, no site www.fundacaolasalle.org.br/concursos.
 
O gabarito preliminar será publicado no dia subsequente da realização das respectivas provas.
 
O Concurso Público terá validade de 02 anos, a contar de sua homologação final, podendo ser prorrogado uma vez por igual período.

Concursos UNICAMP - SP

A UNICAMP - Universidade Estadual de Campinas, no estado de São Paulo, lançou 22 novos editais para realização de concurso público que tem a finalidade de preencher 25 vagas efetivas em diversos cargos de nível médio e superior de escolaridade. Os vencimentos ofertados pela Universidade chegam a R$ 6.865,55.
 
Os editais completos, na íntegra, podem ser conferidos no site da Diretoria Geral de Recursos Humanos da UNICAMP.

Vagas abertas
Nível superior: Médico Plantonista, Biologista, Biomédico, Biólogo, Cirurgião Dentista, Engenheiro, Fisioterapeuta, Médico, Médico Veterinário, Profissional da Arte, Cultura e Comunicação, Profissional para Assuntos Administrativos e Profissional para Assuntos Universitários.
 
Nível médio/técnico: Profissional de Apoio Técnico de Serviços, Técnico de Enfermagem, Técnico em Laboratório e Técnico em Nutrição e Dietética.
 
A inscrição será efetuada via internet, no endereço eletrônico www.dgrh.unicamp.br, no período entre 08h do dia 13 de abril e 17h do dia 27 de abril de 2015. A taxa de inscrição varia de R$ 49,00 a R$ 65,00.
 
O concurso constará de provas objetivas, além de prova escrita dissertativa para todos os candidatos e prova prática para Profissional da Arte, Cultura e Comunicação. As datas prováveis para realização das provas escritas objetivas e dissertativas serão os dias 19 e 26 de julho e 02 de agosto de 2015.
 
A divulgação do dia, horário e local de realização das provas será no dia 20 de maio de 2015 no Diário Oficial do Estado e pela internet (www.dgrh.unicamp.br).
 
O concurso público terá validade de um ano, a contar da data de publicação do edital de homologação em Diário Oficial do Estado, podendo ser prorrogado por igual período.

Concurso Prefeitura de Nova Trento - SC

No estado de Santa Catarina, a Prefeitura de Nova Trento publicou edital Nº. 003/2015 de concurso público para provimento de cargos vagos no quadro de funcionários do município. Sob coordenação técnica da ASSCON-PP, o concurso pretende recompor parte do quadro efetivo de servidores, ofertando 37 vagas de níveis fundamental, médio e superior, com salários de até R$ 6.600,00, para carga horária de 15, 20 e 40h semanais.
 
São reservadas às pessoas portadoras de deficiência, 5% das vagas do cargo oferecido ou das que vierem a surgir no prazo de validade do concurso, cujas atribuições sejam compatíveis com a deficiência de que são portadoras.
 
Cargos
Agente de Defesa Civil, Auditor Fiscal, Fiscal de Obras, Fiscal de Posturas/Urbanismo, Fiscal de Tributos, Fonoaudiólogo, Médico, Motorista, Professor, Supervisor Escolar, Técnico Administrativo, Técnico em Radiologia, Técnico em Informática e Turismólogo.
 
Inscrição
Os interessados poderão se inscrever do dia 15 de abril a 14 de maio de 2015, através do site www.assconpp.com.br.
 
A taxa de inscrição é de:
Nível fundamental: R$ 30,00;
Nível médio: R$ 50,00;
Nível superior: R$ 80,00.
 
Prova
O concurso será composto de provas escritas, práticas e títulos.
 
Todas as provas serão realizadas provavelmente no dia 31 de maio de 2015, nos seguintes locais e horários:
 
Prova escrita: com início às 8h30min e término às 11h30min (horário oficial de Brasília/DF), na Escola de Ensino Fundamental Professor Francisco João Valle, situada à Rua Francisco Dalsenter, n° 32, Trinta Réis, Nova Trento/SC;

Prova de títulos: com início às 9h30min e término previsto às 12h30min, na Escola de Ensino Fundamental Professor Francisco João Valle, localizada na Rua Francisco Dalsenter, n° 32, Trinta Réis, Nova Trento/SC, devendo o candidato comparecer no local, acompanhado dos originais e cópias dos títulos que possui;

Prova prática: com início às 09h30min e término previsto às 16h00min (horário oficial de Brasília/DF), no mesmo local de realização da prova escrita.
 
A partir do dia 31 de maio de 2015, serão divulgados o gabarito e o caderno de questões da prova escrita objetiva, através dos sites www.assconpp.com.br e www.novatrento.sc.gov.br.
 
Validade
O concurso será válido por dois anos, contados a partir de datado Edital de Homologação, podendo ser prorrogado por uma única vez, por igual período, a critério do município de Nova Trento/SC, devendo a prorrogação ser publicada em jornal de circulação local antes de expirado o prazo original.

UNICAMP abre vagas para técnico de enfermagem

A Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) lançou o edital nº 8/2015 de concurso público, em provimento de duas vagas ao cargo de técnico de enfermagem, na função de apoio ao ensino, pesquisa e extensão.
 
Os aprovados atuarão junto ao Hospital da Mulher "Professor Doutor José Aristodemo Pinotti” (CAISM) e no Hospital de Clinicas (HC), em jornadas de 30 horas semanais, em prol a remuneração no valor de R$ 2.912,78.
 
As inscrições serão realizadas das 8h00 do dia 13 de abril de 2015 até às 17h00 do dia 27 de abril de 2015, via endereço eletrônico: http://www.dgrh.unicamp.br, mediante recolhimento de taxa, no valor de R$ 49,00.
 
Será aplicada prova objetiva e dissertativa em data prevista para 26 de julho de 2015. O resultado das provas será publicado no Diário Oficial do Estado.
 
A validade do concurso público será de um ano, contado a partir da publicação do edital de homologação, podendo ser prorrogado por período semelhante.

Concurso Prefeitura de Xaxim - SC

Com oferta de 32 vagas e formação de cadastro de reserva nos cargos de níveis fundamental, médio e superior, a Prefeitura de Xaxim, no estado de Santa Catarina, lançou edital nº. 001/2015 para realização de concurso público.
 
A carga horária é de 20 a 40 horas semanais, com salários que variam entre R$ 1.014,00 e R$ 12.055,09. Do total de vagas, 5% são reservadas a os candidatos portadores de necessidades especiais.
 
Cargos
Agente administrativo, agente de combate às endemias, assistente social, atendente de consultório dentário, auxiliar de enfermagem, contador, eletricista, encanador, engenheiro civil, fiscal sanitarista, fisioterapeuta, instrutor de artesanato, médico (cardiologista e psiquiatra), monitor social desportivo, monitor social pedagógico, odontólogo, operador (trator de pneu, carregadeira, motoniveladora, retroescavadeira, retroescavadeira hidráulica, rolo compactador e trator de esteiras), pedreiro e psicólogo.
 
Inscrições
Interessados, deverão se inscrever no período de 17 de abril a 18 de maio de 2015, somente via internet, pelo site www.assconpp.com.br.
 
Taxas
R$ 40,00 para os candidatos aos cargos que exijam alfabetização e ensino fundamental completo;

R$ 70,00 para os candidatos aos cargos que exijam ensino médio completo ou formação técnica;

R$ 100,00 para os candidatos aos cargos que exijam ensino superior.
 
Provas
O concurso será realizado por meio de provas objetivas, práticas e títulos.
 
As provas estão previstas para serem realizadas no dia 7 de junho de 2015, com início às 8h30, nos seguintes locais:
 
As provas objetivas e de títulos serão realizadas na Escola Básica Municipal Dom Bosco, situada na Avenida Luiz Lunardi, 278, Bairro Centro, Xaxim/SC. Já a prova prática será aplicada nas dependências do Parque de Máquinas da Prefeitura Municipal (Garagem), situado na Rua Rio Grande, Centro, Xaxim, SC (em frente à Câmara Municipal de Vereadores).
 
O gabarito será divulgado a partir das 19h do dia 7 de junho de 2015, nos sites www.assconpp.com.br e www.xaxim.sc.gov.br.
Validade
O prazo de validade do concurso público é de dois anos, contados a partir da data do edital de homologação, podendo ser prorrogado por uma única vez, por igual período, a critério do município de Xaxim/SC, devendo a prorrogação ser publicada em jornal de circulação local antes de expirado o prazo original.

Alerta: Preso por vender pastel de carne de cachorro afirma que prática é comum no Rio de Janeiro

São dezenas de estabelecimentos envolvidos
 
Uma investigação do Ministério Público do Trabalho (MPT) descobriu uma lanchonete em Parada de Lucas, na Zona Norte do Rio, que vendia pastéis e outros salgados recheados com carne de cachorro.  Os animais eram mortos nos fundos do estabelecimento a pauladas, desmembrados e congelados para uso posterior.
 
O dono da lanchonete, um chinês, já está preso e cumprindo pena no Complexo do Gericinó. Em um primeiro momento, ele chegou a dizer que não sabia que o abate de cachorros era proibido no Brasil.
 
Depois, confessou que tinha ciência de que era um crime. A investigação do MPT teve início em 2013, quando a lanchonete foi descoberta, mas só agora as informações foram divulgadas à imprensa.
 
Ele disse também que recolhia os animais nas ruas da Zona Norte.
 
Para tentar justificar a prática de colocar carne de cachorro nos salgados comercializados em sua lanchonete, o chinês alegou que a prática é muito comum em lanchonetes que pertencem à chineses em toda a capital fluminense.
 
A ação do MPT tinha o objetivo de averiguar denúncias de trabalho escravo envolvendo jovens chineses. De fato, os investigadores constataram que vários estabelecimentos mantinham pessoas em regime de escravidão. Os jovens eram aliciados na China com promessa de salário de R$ 2.000,00 por mês com moradia e alimentação por conta do empregador. Ao desembarcar no Rio de Janeiro, recebiam a notícia de que teriam que trabalhar sem receber nada por pelo menos três anos para pagar as despesas da viagem. Alguns deles trabalhavam das 5h30 às 23 horas e ainda recebiam agressões físicas e tinham queimaduras de cigarro pelo corpo.
 
Encontrar o esquema de abate de cães e ver o estado das vítimas que eram feitas de escravas chocou a equipe de fiscalização. A procuradora Guadalupe Louro Couto chegou a comparar a situação às que ela encontrou em investigações realizadas em fazendas de gado no Mato Grosso.
 
“Já vi muita coisa ruim, principalmente em trabalhos que realizei em fazendas do Mato Grosso. Mas o que encontrei naquela pastelaria foi o pior de tudo. Para começar, havia uma cela, como se fosse uma cadeia, com grades e cadeado, montada dentro da lanchonete, onde o trabalhador ficava encarcerado. Além disso, ele convivia com o cheiro dos cachorros mortos, que ficavam ao lado dele. Eu não aguentei. Quando senti o cheiro, comecei a passar mal e pedi para sair do estabelecimento. Ao abrimos as caixas de isopor, vimos os cachorros congelados. Ficamos perplexos. Foram vários os crimes cometidos ali.” – lamentou a procuradora.
 

Crianças também podem sofrer com a apneia obstrutiva do sono

Foto: Bacho / Shutterstock
Distúbio causa pausas recorrentes na respiração, interrompendo o sono das crianças
 
A apneia obstrutiva do sono não é um problema exclusivo de adultos: muitas crianças também são acometidas pelo distúrbio caracterizado pela obstrução de nariz, garganta ou orofaringe (parte da garganta logo atrás da boca). As recorrentes pausas na respiração interrompem o sono diversas vezes durante a noite, e os problemas se estendem ao longo do dia.
 
— Tratar a doença corretamente faz com que a criança obtenha melhoras significativas na qualidade do seu sono, do seu aprendizado e da sua sociabilidade — ressalta o pneumologista do Centro de Medicina do Sono do Hospital do Coração (HCor), de São Paulo, Pedro Genta.
 
Além do ronco, alguns dos sintomas da apneia entre as crianças são o sono agitado, a dificuldade para respirar, dormir de boca aberta, babar e a sudorese. Magda Lahorgue Nunes, professora de Neurologia da faculdade de Medicina da PUCRS, lembra que, se for crônica, a síndrome pode gerar irritabilidade.
 
— Toda vez que a criança tem essa apneia obstrutiva, faz um microdespertar, fragmentando o sono. Isso leva também a mudanças comportamentais e distúrbios de atenção, além da possibilidade de gerar hipertensão arterial e pulmonar — lembra Magda.
 
Distúrbio se manifesta em qualquer idade
Muitas vezes, esse tipo de apneia está relacionada ao aumento do tamanho (hipertrofia) das amígdalas e adenoides, a um tipo de deformação da mandíbula inferior, que é menor do que o normal (micrognatia), ou quando a pessoa tem uma língua maior que o comum (macroglossia).
 
— A apneia do sono se manifesta em crianças de ambos os sexos, em qualquer idade, inclusive em recém-nascidos. Contudo, a maior incidência do problema na infância ainda é em crianças na pré-escola, faixa etária na qual a hipertrofia das amígdalas é mais comum — afirma Genta.
 
Dependendo do caso, o tratamento pode ser à base de medicamentos, como os corticoides nasais, ortodôntico ou cirúrgico. O pneumologista também lembra que a cirurgia das amígdalas e adenoide pode curar a apneia definitivamente, acrescentando que, em pacientes com problemas nasais e respiração oral, o tratamento conjunto com o dentista e o fonoaudiólogo é importante.
 
Já Magda ressalta que a apneia obstrutiva é diferente da apneia de origem central. Enquanto a primeira gera pausas respiratórias que cessam o fluxo aéreo nasal, mas o esforço respiratório abdominal é mantido, a apneia de origem central interrompe tanto o fluxo aéreo central quanto o esforço respiratório abdominal.
 
Um exame utilizado para o diagnóstico é a polissonografia. Magna recomenda que, diante de suspeitas, os pais exponham a situação ao pediatra.
 
Saiba mais sobre a apneia obstrutiva do sono em crianças:
 
Sintomas
Além do ronco, os principais sintomas da apneia do sono entre as crianças são: sono agitado, dificuldade para respirar, posições estranhas durante o sono, sudorese, urina na cama, hiperatividade, déficit de atenção, dificuldade de aprendizado e baixo rendimento escolar.
 
Causas
O aumento do tamanho (hipertrofia) das amígdalas e adenoides durante o crescimento é a principal causa de apneia do sono em crianças. Outras razões são: obesidade, malformações craniofaciais e doenças neuromusculares.
 
Tratamento
Dependendo do caso, o tratamento da apneia do sono pode ser à base de medicamentos, como os corticoides nasais, ortodôntico ou cirúrgico. A cirurgia das amígdalas e adenoide pode curar a apneia definitivamente. Nos pacientes com problemas nasais e respiração oral, o tratamento conjunto com o dentista e o fonoaudiólogo pode ser importante.
 
Fonte: Hospital do Coração (HCor)
 
Zero Hora

Pessoas que vão dormir tarde têm mais tendência a desenvolver diabetes

Alimentação de quem tem esse perfil tende a ser desregulada, o que pode prejudicar o metabolismo
 
Pessoas com hábitos noturnos são mais propensas a desenvolver diabetes, síndrome metabólica e sarcopenia (perda da massa muscular gradualmente), em comparação às pessoas que acordam cedo, mesmo quando não há diferença na quantidade de horas dormidas. É o que apontou uma pesquisa publicada no jornal da Endocrine Socirty nesta semana.
 
O estudo examinou as diferenças no perfil das pessoas que têm hábitos noturnos e diurnos e concluiu que permanecer acordado até tarde é um dos fatores responsáveis pela má qualidade e perda de sono. Além disso, pessoas noturnas tendem a ter uma alimentação desregulada, o que eventualmente pode prejudicar o metabolismo.

A pesquisa avaliou o metabolismo e os hábitos noturnos de 1.620 participantes entre 47 e 59 anos.
 
Eles responderam a perguntas relacionadas à qualidade do sono, horas de repouso e hábitos de vida, como a prática de exercícios físicos, por exemplo. Os voluntários também foram submetidos a exames para medir a massa magra e a gordura corporal. Com base no resultado do questionário, 480 participantes foram classificados como pessoas matutinas e 95 como noturnas. As outras pessoas ficaram entre os dois extremos.
 
Sem levar em consideração o estilo de vida de cada pessoa, concluiu-se que os indivíduos considerados noturnos têm mais chances de desenvolver problemas de saúde, como diabetes e a redução da massa muscular, do que as pessoas que estão acostumadas a irem para a cama mais cedo.

— Isso pode ser causado pela tendência dos noturnos de ter uma qualidade de sono ruim e comportamentos pouco saudáveis, como fumar, comer tarde da noite e levar um estilo de vida sedentário — afirma um do autores do estudo, Nan Hee Kim, da Faculdade de Medicina da Universidade da Coréia.
 
Pessoas com hábitos noturnos apresentaram níveis mais altos de gordura corporal e triglicerídeos do que aquelas que vão dormir cedo. Amantes da noite também eram os mais propensos a sofrer com a síndrome de sarcopenia. Entre as mulheres, as noturnas tiveram mais tendência a desenvolver gordura abdominal e alto risco de síndrome metabólica, um grupo de fatores de risco que aumentam o risco de doenças do coração e diabetes, do que mulheres com hábitos matutinos.

— Considerando que muitas pessoas jovens são noturnas, o risco metabólico associado às preferências de cada um é uma importante questão de saúde que precisa receber atenção — diz Kim.

Zero Hora

Combinar proteínas e carboidratos pode influenciar o ganho ou a perda de peso

Foto: Reprodução
Estudo destaca a importância de consumir alimentos com baixo índice glicêmico
 
Pequenas mudanças na alimentação, considerando os tipos de alimentos ricos em proteínas e carboidratos, pode apresentar significativo impacto no ganho de peso ao longo do tempo, de acordo estudo feito por pesquisadores da Faculdade de Friedman, Universidade Tufts, nos Estados Unidos. Os resultados foram publicados no The American Journal of Clinical Nutrition.
 
Pesquisas anteriores já haviam encontrado uma ligação entre o índice glicêmico e doenças crônicas, como diabetes do tipo 2. Porém, até então, especialistas não haviam estudo a relação existente entre o alto índice glicêmico com o ganho de peso ao longo de muitos anos. Os autores do estudo, realizado com 120 mil participantes, determinou como as alterações no índice glicêmico impactam a relação entre os principais alimentos ricos em proteína e o ganho ou a perda de peso.
 
— Evidências científicas afirmam que dietas com menos carboidratos de baixa qualidade, como pães brancos, batatas e doces, e com mais alimentos ricos em proteínas podem ser mais eficientes para a perda de peso — afirma Jessica Smith, professora da Escola de Friedman e pesquisadora na Faculdade de Saúde Pública da Universidade de Harvard.
 
Jessica e outros colegas chegaram aos seguintes resultados:
 
— O aumento da ingestão de carne vermelha e de carne processada estava visivelmente mais associado ao ganho de peso.
 
— O aumento da ingestão de iogurte, frutos do mar, frango sem pele e nozes foram associados à perda de peso; quanto mais as pessoas comiam esses alimentos, menos peso elas ganhavam.
 
— O aumento do consumo de alimentos com lactose, incluindo queijos e leites do tipo integral e desnatado, não esteve significantemente relacionado ao ganho ou à perda de peso.
 
— O teor de gordura dos laticínios não teve importância para o ganho de peso. Na verdade, quando as pessoas consumiram mais produtos com lactose de baixo teor de gordura, elas aumentaram o consumo de carboidratos, o que favoreceu o ganho de peso — diz Jessica.
 
Além disso, os autores observaram relações entre alimentos ricos em proteínas e o índice glicêmico de uma dieta. Por exemplo, aumentar porções de alimentos associados ao ganho de peso, como carne vermelha, e ao mesmo tempo adicionar à dieta alimentos com alto índice glicêmico, como pão branco, contribuiu para o ganho de peso. Porém, ao diminuir apenas o índice glicêmico ao comer, por exemplo, carne vermelha com legumes, notou-se também a diminuição do ganho de peso.
 
De acordo com Dariush Mozaffarian, reitor da Faculdade de Friedman, a combinação de alimentos faz muita diferença em uma dieta, principalmente se o indivíduo deseja focar na perda de peso. Os resultados da pesquisa sugerem que não deve-se apenas enfatizar determinados alimentos ricos em proteínas para evitar o ganho de peso, mas também manter o foco para evitar grãos refinados, amidos e açúcares.
 
— Nosso estudo adiciona que a contagem de calorias não é a estratégia mais eficaz para controle de peso a longo prazo. Alguns alimentos ajudam a prevenir o ganho de peso, outros, a torná-lo pior — conclui Mozaffarian.

Zero Hora

Desidratação é a principal causa para o surgimento de câimbras


Foto: Maridav / Shootterstock
Espasmos nas pernas também podem ser causados pelo desequilíbrio mineral e deficiência de potássio

Quem já sofreu uma câimbra sabe que as dores atingem sem que a pessoa esteja esperando por isso. Esse espasmo, ou contração involuntária dos músculos, pode ter duração de alguns segundos ou perdurar por longos minutos. Apesar de ser mais frequente durante a noite ou após a prática de exercícios intensos, o problema pode acontecer em qualquer período do dia.
 
— As contrações são provenientes de uma má irrigação sanguínea dos músculos por causa de um estreitamento ou obstrução dos vasos que impedem o sangue de levar oxigênio às células — explica o angiologista Ary Elwing, especialista em cirurgia vascular periférica e tratamento a laser.

De acordo com o médico, a falta de hidratação ou desequilíbrio mineral e, em especial, a deficiência de potássio, são outros fatores que colaboram para o surgimento de câimbras nas pernas.

— Para aliviar a dor é necessário relaxar o músculo atingido pelo espasmo através de uma massagem na área para facilitar a circulação — recomenda o médico.

Por que ocorre a obstrução das artérias?
Além das câimbras, a má circulação sanguínea pode causar fortes dores ao caminhar e ser fator responsável pelo acometimento de infartos do miocárdio e acidentes vasculares cerebrais (AVC).
Elwing informa que a obesidade é um fator responsável pela obstrução das artérias pois as placas de gordura acabam ficando acumuladas nas paredes das artérias, gerando o endurecimento e enfraquecimento das mesmas ou até o entupimento das veias.

Outros fatores que colaboram para o aparecimento de problemas de má circulação são tabagismo, colesterol alto, hipertensão, sedentarismo, diabetes e estresse.

— A baixa ingestão de água ou o uso frequente de bebidas alcoólicas favorecem as indesejáveis câimbras. Isso ocorre porque a sudorese intensa causa desidratação e, com isso, gera uma perda de sais, em especial, do sódio no sangue, um dos primeiros sintomas é o surgimento de câimbras — alerta Elwing.

Prevenção e tratamento
Primeiramente, recomenda-se buscar a avaliação do médico para que o mesmo identifique quais são os fatores que colaboram para o surgimento das câimbras. Assim, se constatada a má circulação, o tratamento deve ser feito com o uso de medicação e terapia. De acordo com o angiologista, em casos mais graves, como naqueles em que ocorre uma gangrena das pontas dos dedos, os métodos cirúrgicos como angioplastia, revascularização e aterectomia são os mais indicados.

A prevenção é feita com a aquisição de um cardápio balanceado rico em frutas, verduras e legumes, pois são fontes de sais minerais e vitaminas.

— Evite também o consumo de alimentos industrializados, pois eles prejudicam o funcionamento do organismo por causa das quantidades de corantes e conservantes. E após as atividades físicas, beba muita água e isotônicos para repor a perda de sódio e potássio — conclui Elwing.

Zero Hora

Na Semana Mundial de Alergia, especialistas orientam sobre prevenção

A Semana Mundial de Alergia começou a ser comemorada no último sábado (12) pela Associação Brasileira de Alergia e Imunologia Regional Rio de Janeiro (Asbai-RJ) com atividades em dois locais da capital fluminense
 
Os eventos visam a conscientizar e informar a população sobre as doenças respiratórias, entre as quais estão a rinite alérgica e asma. Os primeiros encontros ocorrem no Parque dos Patins, na Lagoa, zona sul da cidade, e na Praça do Ó, na Barra da Tijuca, na zona oeste.
 
O tema central este ano inclui as alergias respiratórias e o impacto dessas doenças na vida das pessoas. Ações semelhantes se repetirão até o dia 19 nos serviços de alergia dos hospitais do estado, onde especialistas farão palestras e orientações ao público.
 
“Especialistas vão distribuir folhetos, explicando o que é alergia, verificando a incidência por meio de questionários e orientando as pessoas”, disse à Agência Brasil a presidenta da Asbai-RJ, Aluce Ouricuri. “É uma semana em que a gente se preocupa muito em conscientizar a população sobre a importância de prevenir as alergias. E se a pessoa já tem [a doença], indicar o diagnóstico e o tratamento.”
 
A previsão da Organização Mundial da Alergia (WAO, do nome em inglês) é que o número de asmáticos chegue a 400 milhões em todo o mundo, em 2025. De acordo com a WAO, entre 30% e 40% da população mundial têm rinite alérgica, que é uma das manifestações mais frequentes da alergia. Aluce Ouricuri acrescentou que cerca de 80% dos pacientes com asma têm rinite alérgica, “porque a mucosa é uma só”. A incidência está aumentando em função do crescimento da poluição.
 
No Brasil, a Asbai Nacional estima que 30% da população sofram com rinite alérgica. A doença, que atinge 67% de pessoas na América Latina, tornou-se uma preocupação global e um problema de saúde pública. Segundo a WAO, o custo mundial da rinite alérgica é US$ 20 bilhões.
 
A presidenta da Asbai-RJ esclareceu que embora a rinite não cause risco para a vida do paciente, ela diminui muito a qualidade de vida, fazendo com que as pessoas passem a dormir mal, faltem ao trabalho, tenham obstrução nasal com espirro e coriza, podendo levar à sinusite e a complicações. A asma pode ser grave, levando a crises sérias que têm de ser tratadas. “O que a gente quer é evitar que a pessoa entre em crise e que a doença seja controlada. Que a pessoa tenha uma qualidade de vida boa”. Para isso, existem medicamentos e tratamentos específicos, observou.
 
A especialista explica que a rinite alérgica é uma condição herdada dos pais, por meio da produção do anticorpo IgE. “Não é todo mundo que tem alergia. É preciso ter a predisposição genética”, explicou. Há, entretanto, tratamento por meio de medicação e com imunoterapia, com uso de vacinas, para diminuir a quantidade de IgE, com o objetivo de alterar a produção desse anticorpo no sistema imunológico.
 
O principal fator desencadeante das alergias no Brasil é a poeira, que contém ácaros, disse Aluce Ouricuri, seguida dos fungos e da poluição atmosférica. “A pessoa tem que ter uma casa limpa, tem que arejar o ambiente na época do outono e inverno, as roupas usadas no ano anterior têm que ser lavadas antes de serem reutilizadas, e deve tomar os cuidados necessários para evitar exposição à poeira”. A presidenta da Asbai-RJ destacou que já existem medicamentos que são distribuídos gratuitamente para a população pelo governo federal, nas farmácias populares, como corticoides orais e broncodilatadores, com o objetivo de evitar a crise e tratar a doença. De acordo com a Asbai, o número de mortes evitáveis por asma no Brasil é estimado em 2,5 mil pessoas por ano.
 
Agência Brasil

Academia Americana de Pediatria estipula novas regras para a dosagem de medicamentos para crianças

A Academia Americana de Pediatria (AAP) divulgou nesta semana novas orientações para a medicação das crianças, com foco em corrigir os erros de dosagem
 
Nos Estados Unidos, estima-se que, a cada ano, 70 mil crianças sejam internadas por causa de overdoses não intencionais de medicamentos. Principalmente para os menores, às vezes até um pequeno erro na dosagem pode trazer consequências severas.
 
O artigo começa dizendo que a AAP “quer que os pais guardem as colheres para os cereais – não para os remédios das crianças”. Isso porque um dos enganos mais frequentes é que o cuidador confunda a dosagem, dando à criança em colheres o que foi prescrito em mL e vice-versa. Além disso, existe também o problema da falta de padrão no tamanho dos acessórios (as colheres de faqueiros antigos, por exemplo, gerlalmente são maiores) e da confusão entre os vários tipos (não é todo mundo que sabe qual é a colher de café, a de sopa ou a de sobremesa). “Uma colher de sopa normalmente equivale a três colheres de chá. Se um pai usa uma colher de tamanho errado, muitas vezes, isso pode levar a uma dosagem tóxica”, declarou o pediatra Ian Paul, autor principal do artigo.
 
No Brasil, não há dados sobre a quantidade de crianças intoxicadas por medicamentos, mas temos o mesmo problema nas doses prescritas em colheres. “Muitas bulas ainda trazem a dosagem em mililitros com a medida correspondente em colheradas. Para o leigo, isso segmenta essa cultura de utilizar a colher”, completa a pediatra Márcia Sanae Kodaira de Almeida, do Hospital Santa Catarina (SP).
 
A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) ainda não estipulou como cumpulsória a utilização de dosadores, nem a padronização da dosagem em mililitros. Normalmente, antibióticos e outros medicamentos com alto risco de intoxicação, como descongestionantes, já vêm com uma seringa ou com um copinho, mas isso ainda não é regra. “É preciso criar barreiras para que os erros de medicação tenham menos chance de acontecer. Isso começa pelos órgãos reguladores e pelas indústrias farmacêuticas até chegar aos pais”, reforça Márcia.
 
Veja quais são as novas recomendações da AAP:
 
– Deve ser adotada uma linguagem padrão adotando mL como a única abreviatura apropriada para mililitro. Medicamentos líquidos devem ser dosados com quantidades arredondadas, como 0,1 , 0,5 , ou 1 mL;
 
– No rótulo deve ser claramente indicada a periodicidade das doses. Expressões em linguagem comum como “uso diário” devem ser usadas no lugar de abreviaturas médicas como “qd” (do latim, quaque die, uma vez por dia) – o que poderia ser interpretado como “qid” (no passado, esta era uma forma comum adotada pelos médicos para descrever dosagem quatro vezes ao dia);
 
– O pediatra deve revisar as doses, em mL, com as famílias, no momento em que são prescritas;
 
– Dispositivos de dosagem não devem ter marcações extras, que podem ser confusas; eles também não devem ser significativamente maiores do que a quantidade recomendada no rótulo, para evitar erros;
 
– Os fabricantes devem eliminar rótulos, instruções de dosagem e dispositivos que contenham unidades fora do sistema métrico.
 
Por aqui, enquanto não há uma regra clara, vale sempre perguntar ao médico qual é a dose em mililitros, caso ele prescreva em colher. Também é importante tomar cuidado redobrado com os remédios em suspensão, aqueles que precisam ser diluídos. “A água deve ser adicionada na medida certa. Se você dilui de maneira errada, a dose também ficará errada. É dever do pediatra explicar e tirar todas as suas dúvidas”, completa Márcia.

CFF