Aplicativos, carreira, concursos, downloads, enfermagem, farmácia hospitalar, farmácia pública, história, humor, legislação, logística, medicina, novos medicamentos, novas tecnologias na área da saúde e muito mais!


sábado, 2 de fevereiro de 2013

Equipe canadense chega ao Brasil para ajudar vítimas de incêndio em Santa Maria

O grupo deve iniciar a aplicação, em pacientes internados,
da chamada ventilação extracorpórea
Grupo da Universidade de Toronto vai avaliar aplicação de técnica de filtragem do pulmão para melhorar recuperação das vítimas ainda internadas
 
Uma equipe da Universidade de Toronto, no Canadá, chega hoje (2) ao Brasil para avaliar a situação de vítimas do incêndio na Boate Kiss, em Santa Maria (RS). O grupo deve iniciar a aplicação, em pacientes internados, da chamada ventilação extracorpórea. “É como se fosse uma diálise do pulmão, uma filtragem no pulmão, só que é feita com uma máquina que fica fora do corpo” explicou o ministro da Saúde, Alexandre Padilha. De acordo com o ministério, a técnica ajuda a promover uma recuperação pulmonar mais rápida.             

A equipe canadense será comandada pelo médico Marcelo Cypel, diretor do programa de suporte pulmonar extracorpóreo da universidade. Os equipamentos necessários para a implementação da técnica, de acordo com o governo brasileiro, já estão disponíveis no estado.
 
Ao todo, 66 voluntários da Força Nacional do Sistema Único de Saúde (SUS), entre médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, psicólogos e psiquiatras, trabalham no atendimento às vítimas do incêndio, que matou mais de 230 pessoas na madrugada do último domingo (27).     
       
O ministério enviou ao Rio Grande do Sul 22 respiradores, sete ambulâncias de unidade de terapia intensiva (UTI) do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu); 30 ventiladores, 30 oxímetros de pulso e 15 monitores.
 
Além disso, por meio de videoconferências, a equipe da Força Nacional do SUS está em contato com profissionais da Argentina que atuaram em uma tragédia similar. “O que existe de mais moderno está à disposição desses pacientes que estão em Porto Alegre e Santa Maria”, disse Padilha.
 
Fonte iG

Rica em antioxidantes, Raspberry atua como acelerador do metabolismo humano

8796974120990 Rica em antioxidantes, Raspberry atua como acelerador do metabolismo humanoTambém conhecida como framboesa vermelha, a raspberry é uma fruta com sabor suave, muito utilizada em doces. O que poucos conhecem é seu poder para eliminar os famosos ‘pneuzinhos’. Por ser rica em componentes bioativos essenciais para o bom funcionamento do organismo, atua como uma grande aliada para uma alimentação saudável.
 
A raspberry tem capacidade de acelerar o metabolismo e é muito eficiente no processo da queima das gorduras periféricas devido ao composto fenólico, que é muito parecido com a capsaicina, componente encontrado nas pimentas e que também acelera o metabolismo basal.
 
O composto fenólico controla a adiponectina, que propicia maior queima da glicose com aumento do catabolismo dos ácidos graxos. Essa substância em excesso na circulação sanguínea pode causar o aumento de peso.
 
O extrato da raspberry é utilizado na preparação de medicamentos e desempenha uma função importante na obtenção dos efeitos desejados sobre a lipólise, favorecendo a queima de gordura periférica e corporal.
 
Com alto poder antioxidante, a fruta também atua como antienvelhecimento devido à presença de resveratrol e combate o surgimento de algumas doenças cardíacas e cerebrais, além de auxiliar a congestão hepática. É importante ressaltar que a raspberry não é indicada para grávidas e lactentes, pois pode aumentar a pressão arterial em alguns casos.
 
Sobre antioxidantes:
Um antioxidante é uma molécula capaz de inibir a oxidação de outras moléculas. A oxidação é uma reacção química que transfere electrões ou hidrogénio de uma substância para um agente oxidante.
 
As reações de oxidação podem produzir blivres. Por sua vez, estes radicais podem dar início areacções em cadeia que, quando ocorrem em células, podem danificá-las ou causar a sua morte. Os antioxidantes interrompem estas reacções em cadeia eliminando os radicais livres intermediários e inibindo outras reacções de oxidação. Isto é conseguido através da sua própria oxidação, pelo que os antioxidantes são frequentemente agentes de redução, como os tióis, o ácido ascórbico ou polifenóis.

Fonte Corposaun

Gordura “boa” faz emagrecer e abre caminho para novos diagnósticos e tratamentos contra a obesidade

sa%C3%BAde masculina 03 Gordura boa faz emagrecer e abre caminho para novos diagnósticos e tratamentos contra a obesidadeNos primeiros meses de vida do homem, a gordura “boa” ou “marrom” tem grande importância, se apresenta em maior quantidade no organismo – sendo responsável pela produção de calor que protege o recém-nascido do frio. Na fase adulta, há uma diminuição razoável do tecido adiposo, responsável pela termogênese.
 
O organismo tem dois tipos de gordura a branca e a marrom. A primeira, considerada “gordura ruim”, acumula energia no corpo devido ao excesso de comida e pouca prática de exercícios físicos. Já a marrom, “gordura boa” é importante para a termogênese. Auxilia na queima de calorias, gerando calor corporal para nos aquecer e estimular o emagrecimento, que deve ser sempre monitorado por um nutricionista.
 
Com tratamento natural, a pessoa emagrece com saúde, vai perder gordura ao invés de diminuir água e músculo, e essa condição é chamada de Efeito Sanfona. Neste processo de emagrecimento é levado em conta a individualidade bioquímica de cada um, otimizando o metabolismo, para alcançar o peso ideal. Precisamos, então, que o corpo, ao invés de diminuir a quantidade de água e músculo, trabalhe para perder a gordura branca.
 
É importante que se faça um diagnóstico preciso. Atualmente, já existem exames preventivos com capacidade de abranger um maior número de informações. Trata-se de um sistema que gera uma corrente elétrica de baixa intensidade, conseguindo avaliar a saúde de vários órgãos, condições relacionadas com diversas patologias e disfunções, como hipertensão e diabetes, ajudando a nortear condutas diagnósticas e terapêuticas com maior precisão. Além disso, o exame avalia a quantidade de massa gorda, massa livre de gorduras e água no organismo.
 
Em resumo, o sistema possibilita uma reorientação de estilo de vida com o objetivo de prevenir a instalação ou desenvolvimento de diversas patologias, favorecendo a qualidade de vida do paciente, prevenindo possíveis futuros problemas com o seu corpo, por isso mantenha o contato com o seu médico.
 
Fonte Corposaun

Especialista comenta sobre os efeitos e tratamento do zumbido no ouvido

zumbido10 Especialista comenta sobre os efeitos e tratamento do zumbido no ouvidoSegundo Organização Mundial da Saúde, aproximadamente 28 milhões de brasileiros já apresentaram o problema.
 
De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), 15% a 25% da população mundial sofre com algum tipo de zumbido, só no Brasil são 28 milhões de pessoas que já tiveram o sintoma.
 
Segundo Maria do Carmo Branco, fonoaudióloga do Grupo Microsom – uma das mais conceituadas empresas de soluções auditivas do Brasil – o incômodo desse som é motivo de reclamações constantes nos consultórios de fonoaudiologia.
 
O zumbido pode provocar insônia, depressão, além de impactar diretamente na qualidade de vida, já que pode afetar a capacidade de executar atividades do dia a dia como trabalhar ou estudar. “É importante destacar que o zumbido não é uma doença, mas um sintoma que deve ser acompanhado por um especialista para realização do tratamento mais adequado para o paciente”, alerta Maria do Carmo.
 
Esse barulho pode ser semelhante a diversos sons conhecidos, como o de um apito, uma campainha, a pulsação do coração, o chuveiro, insetos etc. Além disso, o chiado pode ser contínuo ou com intervalos regulares.
 
Segundo a fonoaudióloga, o grau de desconforto e intolerância quase sempre está associado à intensidade do ruído, podendo provocar transtornos de humor e ansiedade que influenciam no agravamento do sintoma. “O motivo do zumbido pode estar associado à perda auditiva, infecção no ouvido, obstrução do conduto auditivo, ingestão de determinados medicamentos, exposição prolongada ao barulho, tumor e outros fatores”, esclarece a fonoaudióloga.
 
No momento do exame, em alguns casos, o médico otorrinolaringologista solicita análises complementares para um diagnóstico mais preciso. “O indivíduo que apresenta o problema de zumbido deve ter paciência ao realizar a avaliação, pois a variedade de causas pode exigir diversas análises, sendo que o motivo do zumbido pode ser detectado ou não logo no início do diagnóstico”, aconselha a especialista.

Fonte Corposaun

O retorno da vida sexual após o parto vaginal

A disfunção sexual feminina é um fenômeno frequente
O parto vaginal tem sido relacionado como um dos fatores precipitantes da incontinência urinária e da dificuldade em retornar a penetração vaginal. Visto que o parto vaginal pode causar estiramento e compressão dos nervos locais, da fáscia uretrovesical e do músculo elevador do ânus, podendo causar trauma neuromuscular ao períneo.
 
A disfunção sexual feminina é um fenômeno frequente. Os autores Piassarolli et al (2010) relatam o estudo sobre os resultados da Pesquisa Nacional de Saúde e Vida Social (NHSLS), este mostra que entre 30 e 50% de mulheres americanas têm algum tipo de disfunção sexual.

No Brasil, o Estudo da Vida Sexual do Brasileiro (EVSB), no qual foram pesquisadas 3.148 mulheres em 18 cidades, observou que 51% delas referiam alguma disfunção sexual. Em estudo semelhante, foi encontrado 49% das mulheres com pelo menos uma disfunção sexual, sendo o desejo sexual hipoativo (26,7%) o mais encontrado, seguido de dispareunia – dor na penetração (23,1%), e disfunção orgástica (21%).
 
As causas de disfunção sexual nas mulheres são multifatoriais, envolvendo aspectos físicos, psicológicos, sociais ou até mesmo sendo de causa desconhecida. As mais apontadas na literatura são a idade, o déficit de estrogênio pela menopausa, as cirurgias e partos vaginais, fadiga, consumo de álcool ou drogas, gravidez, doenças crônicas e o desuso da musculatura perineal.
 
Muitas grávidas não realizam atividade sexual no final da gravidez e isto pode causar um desuso muscular local, e se associado com fatores psicológicos pode ocasionar tensão nos músculos íntimos, causando muita dor e ardência na penetração, dificulta uma relação sexual saudável e prazerosa. Com o tempo a mulher começa a evitar a penetração e seu companheiro, e pode apresentar baixo desejo sexual e lubrificação vaginal. Há casos que a musculatura perineal vai se fechando ao ponto de a mulher não conseguir a penetração vaginal, diagnóstico de vaginismo secundário.
 
O tratamento com a Fisioterapia em sexologia nestes casos atua nos músculos vaginais que estão contraídos e com possíveis lesões pós-parto, favorecendo o retorno da penetração, com melhora da lubrificação, do prazer e do desejo sexual, além de proporcionar o conhecimento e a melhora da sexualidade da mulher e do casal.
 
Fonte Corposaun

Criança pode ter reumatismo?

Normalmente, a maioria das pessoas pensa que as doenças reumáticas atingem apenas adultos e idosos. Mas, este é um grande engano, pois uma grande variedade de reumatismos pode afetar as crianças, causando dor, desgaste de cartilagens e o enrijecimento das articulações.
 
Segundo o reumatologista, membro da Sociedade Brasileira de Reumatologia, Dr. Carmo de Freitas, se estes problemas não forem diagnosticados e tratados em tempo, podem causar danos permanentes, comprometendo o futuro dos pequenos.
 
As doenças reumáticas mais comuns na infância são: artrite crônica da infância, lúpus eritematoso sistêmico, dermatopolimiosite e espondiloartropatias, que são doenças de caráter crônico, provocadas por distúrbios no sistema de defesa do organismo, ou sistema auto-imune.
 
De acordo com o médico, alguns dos problemas mais comuns no desenvolvimento das crianças são as famosas “dores do crescimento”, que podem ser causadas por defeitos ortopédicos e de má postura. “A correção da má-postura e o estímulo às práticas esportivas têm papel fundamental na prevenção destes problemas, de origem músculo-esqueléticas, e que se não forem corrigidas, podem se agravar na fase adulta”, ressalta Dr. Carmo de Freitas.
 
Sinais de Alerta
A identificação precoce de doenças reumáticas na infância é fundamental para evitar seqüelas permanentes. Por isso, deve-se levar a criança para avaliação ao verificar a presença de certos sintomas ou sinais, como:

• Dor articular ou dor nas costas de modo mais persistente;

• Articulação com aspecto alterado: presença de inchaço, calor e vermelhidão no local;

• Dor persistente ao longo dos membros superiores ou inferiores;

• Presença de febre por mais de três semanas;

• Presença de perda de peso e atraso no crescimento;

• Presença de prostração e cansaço, modificando o padrão normal de atividades da criança;

• Presença de fraqueza muscular;

• Presença de depressão;

• Presença de queixas visuais;

• Presença de limitação funcional, ou seja, a criança começa a mostrar incapacidade para tarefas do dia a dia que antes eram executados com facilidade, necessita de auxílio dos adultos, fica dependente da ajuda dos outros e restringe suas atividades. Por exemplo, necessita de auxílio para sair da cama pela manhã, para vestir-se, para subir/ descer escadas.

Fonte Corposaun

Otimização matemática para a saúde pública

O sistema de saúde, tanto público quanto privado, é imprescindível em qualquer parte do globo e em qualquer situação econômica e social. Devido à necessidade de se fazer uma grande quantidade de atendimentos, consultas e cirurgias para os mais diversos tipos de enfermidades, fatias consideráveis do PIB de vários países são direcionadas à saúde. No Brasil, esse número é de 8%.
 
Os problemas da saúde pública no Brasil são amplamente conhecidos. O sistema carece de profissionais em todos os níveis e, principalmente, de uma gestão mais eficiente e focada. Não são raras as notícias de falta de atendimento por vários motivos como ausência de profissionais, leitos ou medicamentos. A gestão ineficiente fica clara quando vemos notícias de medicamentos descartados por passarem da data de validade ou por armazenamento incorreto.
 
O sistema privado também tem seus problemas, mas em menor escala quando comparados ao sistema público. Um grande diferencial é que o sistema privado não tem tanta facilidade de estourar o orçamento como o sistema público, por isso, são comuns as falências de planos de saúde e hospitais.
 
A otimização matemática pode ser um grande aliado para diminuir parte dos problemas dos sistemas de saúde público e privado. Essa ferramenta pode ser utilizada em vários níveis de gestão e operação para minimizar os custos e maximizar os atendimentos e benefícios para a população. Dentro dos hospitais, a otimização é de grande valia, pois pode ser utilizada para fazer uma escala eficiente de médicos e enfermeiros a fim de colocar os profissionais certos em horários mais adequados e, assim, maximizar os atendimentos sem sobrecarregar a equipe. Dessa forma, otimiza-se o atendimento em geral, reduzindo os custos com horas extras e melhorando a qualidade de vida dos profissionais. Outra utilidade é a alocação de leitos para maximizar os atendimentos e minimizar os deslocamentos e as contaminações.
 
Na gestão em geral, a otimização matemática também pode apresentar grandes benefícios. Como grande parte do orçamento é destinada a compra e armazenamento de medicamentos e utensílios descartáveis, o sistema pode auxiliar indicando as melhores decisões de compra, escolhendo os fornecedores de acordo com seus descontos e atendimento à demanda, definindo os locais de armazenamento correto levando emconsideração as necessidades específicas e, principalmente, indicando as quantidades corretas de compra para minimizar os desperdícios.
 
Apesar dos grandes investimentos – ainda que pontuais – em infraestrutura de tecnologia de informação como business analytics e business inteligence, muitos gestores e analistas não sabem o que fazer com essas informações tão ricas e detalhadas. Entretanto, quanto mais precisas forem as informações, mais perfeitas serão as decisões. Utilizadas de forma eficiente, a tecnologia fornece dados para decisões inteligentes de gestão e administração.
 
Quando ferramentas – como BI – já estão implantadas, a otimização matemática passa a ser ainda mais útil. Com essa sinergia é possível até mesmo identificar as correlações entre as enfermidades e suas tendências de crescimento e decrescimento, tirando vantagem dessas informações para tomar as decisões mais acertadas para planejamento futuro. Evitam-se, assim, surpresas ruins.
 
Este é apenas mais um cenário em que a otimização matemática pode gerar grandes resultados para as empresas, seja em aumento de produtividade quanto em redução de custos. Com a crescente necessidade de aumento contínuo da eficiência operacional, as empresas que investirem nesse tipo de ferramenta terão um forte aliado para ganhar mercado e tomar melhores decisões de gestão e planejamento.

Fonte Corposaun

Pesquisa aponta que médicos podem sentir dor dos pacientes

Pesquisadores do Beth Israel Deaconess Medical Center e de Harvard Medical School, nos Estados Unidos da América, forneceram a primeira evidência científica que pode comprovar que os médicos realmente podem chegar a sentir a dor dos pacientes que eles tratam.

A pesquisa promovida pelos pesquisadores sugere ainda que os médicos também podem experimentar uma forma de alívio após o tratamento. Tal pesquisa ajuda a iluminar um dos aspectos mais intangíveis do cuidado de saúde, a relação médico-paciente, segundo os investigadores.
 
“Nossos resultados mostraram que as mesmas regiões do cérebro ativadas quando os pacientes recebem tratamento com placebo são igualmente ativadas no cérebro dos médicos quando eles administram o que eles acreditam ser tratamentos efetivos. Notavelmente, os dados também mostraram que os médicos que relataram maior capacidade de ver a situação a partir da perspectiva dos pacientes, isto é, ter empatia com os sentimentos dos doentes, experimentaram maior satisfação durante os tratamentos dos pacientes”, aponta a primeira autora Karin Jensen.

Pesquisas anteriores demonstraram também que uma região do cérebro associada com o alívio da dor (córtex pré-frontal ventrolateral direito, VLPFC) e uma região associada com a recompensa (córtex cingulado rostral anterior, RACC) são ativadas quando os pacientes experimentam o efeito placebo, que ocorre quando os pacientes apresentam melhora com formas de tratamentos que não contêm substâncias ativas. O efeito placebo responde por parcelas significativas de resultados clínicos em muitas doenças, incluindo dor, depressão e ansiedade.

Embora a pesquisa comportamental aponta que as expectativas dos médicos influenciam os resultados clínicos dos pacientes e ajudam a determinar as respostas dos pacientes tratados com placebo, até agora pouco esforço foi direcionado para a compreensão da biologia relacionada à componente da relação clínica.

Os resultados do estudo mostraram que durante o tratamento dos pacientes, os médicos ativaram a região VLPFC do cérebro, previamente implicada na resposta do placebo. “Nós já sabemos que a relação médico-paciente oferece consolo e pode até aliviar muitos sintomas. Agora, pela primeira vez, nós mostramos que cuidar de pacientes engloba uma neurobiologia única em médicos. Nosso objetivo final é transformar a “arte da medicina” na “ciência do cuidado”, e essa pesquisa é um primeiro passo importante neste processo para descobrir como as interações médico- paciente podem levar a resultados clínicos mensuráveis em pacientes”, explicaram os autores.

Fonte Corposaun

Vacina protege adolescentes que estão prestes a iniciar vida sexual

camisinha jovem m 20100713 Vacina protege adolescentes que estão prestes a iniciar vida sexualPapiloma Vírus Humano. Esse é o nome dos HPV, vírus transmitidos por contato sexual e que são capazes de provocar lesões de pele ou mucosa, verrugas genitais e até favorecer o aparecimento de câncer de colo de útero, pênis, ânus e vagina.
 
O câncer de colo do útero, aliás, é considerado a quarta causa de morte por câncer no Brasil, segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA). O INCA também revela que 19 mil novos casos de câncer de colo uterino e 4 mil mortes pela doença são registrados por ano no país.
 
A boa notícia é que existem vacinas contra diversos tipos de HPV. Não é novidade, mas o fato é que muitas mulheres desconhecem esse recurso ou não se previnem, especialmente as jovens que estão perto de iniciar a vida sexual.
 
“A vacina provoca reação imunológica, promovendo a formação de anticorpos contra tipos específicos de HPV. Vacina é algo preventivo, profilático, portanto, não é terapêutica e não cura”, ressalta Dra. Tatiana Pfiffer, ginecologista do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, lembrando que “a vacina não substitui a rotina de exames periódicos, como o Papanicolaou”.
 
Segundo ela, a forma mais efetiva de prevenir a população é vacinar antes da primeira exposição ao vírus, ou seja, antes de iniciar atividade sexual. A afirmação está embasada em pesquisas para controle do HPV. E é preciso ficar atento às recomendações da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa): “A vacina é oficialmente indicada para meninas e mulheres entre 9 e 26 anos.
Ainda não existe uma recomendação oficial quanto à aplicação em meninos no Brasil, mas o Center for Disease Control, nos Estados Unidos, recomenda a sua aplicação para meninos entre 11 e 26 anos”, acrescenta.
 
Às mulheres que desejam a imunização, a ginecologista recomenda consultar um médico, mas “não é necessário fazer exames de HPV para aplicação da vacina”. Gestantes e pessoas alérgicas a componentes da vacina são as únicas contraindicações dos médicos. “Mulheres que estejam amamentando, imunodeprimidas e pacientes que já tiveram resultados positivos para os vírus ou mesmo alguma lesão e verrugas genitais, também podem ser vacinadas. No último caso, ainda há benefícios, já que as jovens poderão ser imunizadas contra outros subtipos virais não presentes na primeira infecção”, explica.

Por fim, a ginecologista faz um último alerta. “Mesmo tomando a vacina deve-se usar camisinha e fazer exames preventivos de rotina. Os cuidados básicos devem ser mantidos para uma vida sexual saudável.”

Tipos de vacinas e proteção
Atualmente, dois tipos de vacinas estão disponíveis no país. A Vacina Quadrivalente, que protege contra os tipos 6, 11, 16 e 18 do vírus, responsáveis por 70% dos casos de câncer do colo de útero e por 90% das verrugas genitais. A Vacina Bivalente, também chamada de Vacina contra HPV oncogênico, protege contra os vírus tipo 16 e 18.

Segundo a ginecologista, as doses garantem 100% de eficácia na prevenção de cânceres cervicais, pré-cânceres vulvares e vaginais relacionados aos subtipos de HPV 16 e 18, em mulheres que não haviam sido expostas a esses tipos de vírus – responsáveis por cerca de 70% de todos os cânceres de colo uterino –, 95% de eficácia na prevenção de displasias ou lesões de baixo grau e pré-cânceres causados por HPV 6,11,16 e 18 e 99% de eficácia nos casos de verrugas genitais decorrentes dos subtipos 6 ou 11.

Fonte Corposaun

Novo aplicativo do iPhone AliveCor promete funcionar como eletrocardiograma portátil

Novo aplicativo do iPhone AliveCor, que ainda não lançado, promete possibilitar que usuário possa monitorar seu coração. De acordo com o site Wired Science, o case, que se encaixa no iPhone 4 e 4S, funciona como uma espécie eletrocardiograma portátil, um teste de diagnóstico que avalia a atividade elétrica do coração.
 
Funcionando de forma contrária ao de um monitor pessoal de ritmo cardíaco, que conta os batimentos, este aparelho promete medir os impulsos elétricos que fazem o coração pulsar.
 
Para gravar o ritmo cardíaco, o usuário deverá abrir o aplicativo AliveCor e posicionar o telefone sobre o peito ou colocar os polegares sobre os sensores, desta forma o programa faz uma leitura por trinta segundos, promovendo um upload dos dados. Isso pode ser feito de casa, escritório ou qualquer lugar e ser encaminhado para que seu médico faça o download para análise das informações.
 
O cardiologista Gregg Fonarow comenta que as pessoas que sofrem de problemas cardíacos poderiam fazer um monitoramento contínuo com o acompanhamento do cardiologista em tempo real. “A tecnologia do AliveCor pode ter o potencial para melhorar a qualidade do atendimento e reduzir gastos em saúde. É uma ideia muito animadora”, aponta.
 
A Administração de Alimentos e Medicamentos dos EUA ainda não aprovou o dispositivo para uso oficial médico em humanos. No entanto, a versão para uso em cães já está disponível por US$ 199.
 
O cardiologista Eric Topol possui uma amostra do AliveCor para uso humano há um ano e meio e tem usado o aplicativo para acessar os dados da saúde cardíaca de seus pacientes. Comparando as informações do dispositivo com as dos eletrocardiogramas tradicionais o médico afirma que os aparelhos funcionam bem juntos.
 
Caso o aplicativo seja comercializado deverá existir uma orientação prévia dos médicos que podem explicar como utilizar o dispositivo. Para o cardiologista Rajesh Dash, a ideia de colocar esse tipo de dispositivo em um smartphone é muito bom, já que as pessoas estão mais propensas a lembrar de levar seus celulares do que aparelhos volumosos.
 
Fonte Corposaun

Pesquisadores criam tecido elástico que promete funcionar como camisinha

A pílula anticoncepcional é muito segura na prevenção da
gravidez, mas não oferece proteção contra enfermidades
Cientistas criam tecido elástico que promete evitar a gravidez e ao mesmo tempo promover prevenção contra doenças sexualmente transmissíveis. Material ainda está em fase de pesquisa.

Cientistas da Universidade de Washington, em Seattle, produziram um tecido elástico feito de fibras microscópicas, de poros tão minúsculos que conseguem deter espermatozoides. O tecido também pode ser produzido de forma a se dissolver de forma gradual no corpo, relatam os pesquisadores na revista científica PloS One. Enquanto se dissolve, o material pode liberar medicamentos, como antivirais usados para prevenir a infecção pelo HIV, ou espermicidas, que matam espermatozoides.
 
“Imaginamos materiais que desapareçam lentamente ao longo de dois dias”, declarou Cameron Boll, cientista da Universidade de Washington, em entrevista à Deutsche Welle. “Durante este período, eles poderiam seguir liberando as drogas, mas sem deixar de atuar como uma barreira física”. Os espermatozoides seriam mortos pelas substâncias liberadas, antes que a rede finalmente se dissolvesse.

Segundo os pesquisadores, o tecido é capaz de assumir várias formas, como folhas chatas, tubos ocos ou superfícies curvas. “Uma mulher poderia, por exemplo, com o dedo, dobrar pela metade um pequeno quadrado, de cerca de cinco por cinco centímetros de tamanho, e inseri-lo na vagina.” O nanomaterial tem capacidade de aderência. Ao se dissolver, torna-se uma espécie de gel. O tecido não é visível por fora, ressalta o pesquisador. “Ou seja, as mulheres também poderiam usá-lo sem o consentimento do parceiro.

“Nosso sonho era criar um produto que protegesse as mulheres, ao mesmo tempo, contra o HIV e a gravidez indesejada”, explica Kim Woodrow, chefe da equipe que realizou o estudo. Esta é a primeira vez que nanofibras são consideradas para uso num método contraceptivo.
 
“Uma abordagem inovadora e fascinante”, aponta Michael Ludwig, especialista em ginecologia e obstetrícia da clínica Amedes, de Hamburgo. “Mas primeiro temos que esperar para ver até que ponto esse método é confiável e viável para o uso cotidiano”.
 
A fundação privada de Bill e Melinda Gates aposta na ideia, pois já assegurou ao projeto quase 1 milhão de dólares para a continuação das pesquisas.
 
“Há, de fato, grande necessidade de se criar um novo método de contracepção que evite a gravidez e as doenças sexualmente transmissíveis”, diz Ludwig. O único disponível até agora é o preservativo.
 
A pílula anticoncepcional é muito segura na prevenção da gravidez, mas não oferece proteção contra enfermidades, o que é um grande problema, na opinião do ginecologista. “Não estamos falando apenas da aids. Muitas outras doenças venéreas se transmitem com até mais facilidade, como a hepatite, por exemplo.”
 
Uma sondagem realizada na Alemanha, em 2011, pelo Centro Federal de Educação para a Saúde (BZgA, na sigla em alemão), mostrou que mais da metade de todos os alemães entre 18 e 49 anos escolhe a pílula como contraceptivo, sendo que somente um terço deles prefere o preservativo.
 
Por isso, o sucesso do novo produto depende sobretudo de ele chegar ao mercado no momento certo, diz Ludwig. “Atualmente, não temos uma ideia definitiva da aparência do produto final”, diz o pesquisador norte-americano Cameron Ball.
 
Fonte Corposaun

A resistência ao fio dental

fio dental1 208x300 A resistência ao fio dentalApesar de não ser novidade, o uso do fio dental sofre resistência de uso pela maioria dos brasileiros. “O uso de mais esta ferramenta de higiene bucal é deixada de lado, muitas vezes, por falta de informação e preguiça. Mas, a partir do momento que há uma compreensão melhor da função e do porquê do uso do fio dental, essas pessoas ficam muito mais aptas a tornar isso um hábito.
 
Infelizmente essa ferramenta de higiene dos dentes não é transmitida pela maioria dos pais aos filhos, mas com educação e consciência da importância da perfeita limpeza bucal, isso poderá sim, ser passado às próximas gerações.”, alerta Dra. Maristela Lobo.
 
A importância do fio dental é a mesma da escova de dentes, a única diferença é que o fio ou fita dental vai escovar onde o acesso das cerdas é impossível. “Podemos visualizar como exemplo um indivíduo que vai a uma churrascaria: ele usa o fio dental apenas para remover os resíduos de alimentos que estão indcomodando, naquele momento, entre alguns dentes. Esse é o retrato da cultura do uso do fio dental. Precisamos mudar esse conceito e incorporar a fio dental na prática diária de higiene oral, usando-o da maneira correta”, exemplifica a especialista.
 
Segundo a Dra. Maristela Lobo, o fio ou fita dental pode ser utilizado antes ou depois da escovação, porém, deve ser posicionado a partir do sulco gengival (um espaço de aproximadamente dois milímetros entre a gengiva e os dentes). O indivíduo deverá abraçar o dente com o fio e friccioná-lo trazendo-o de volta até a borda cortante do dente. Isso poderá ocasionar um pequeno sangramento nas primeiras vezes do uso, mas caso persista o dentista deve ser consultado pois poderá ser uma inflamação gengival (gengivite) ou até mesmo perda óssea ao redor dos dentes (periodontite).
 
Para ser eficiente, o fio dental deve ser utilizado uma vez por dia, preferencialmente à noite antes de dormir. “Cada indivíduo demanda um tipo diferente de fio dental, ou seja, para as pessoas que tem os dentes muito próximos, o que dificulta a passagem do fio, devem ser escolhidos os fios plásticos, feitos de teflon ou de nylon, que escorregam com mais facilidade e não desfiam. Já para os que não têm esse tipo de problema, os fios encerados, feitos de tecido, são uma ótima opção.”, alerta Lobo.

Definitivamente, para manter uma boca mais saudável, o uso do fio dental é imprescindível.

Fonte Corposaun

Saiba qual é a escova dental ideal para você

É fundamental se ater ao prazo de validade da escova,
que geralmente dura 2 meses
Segundo o instituto de Tecnologia de Massachusetts, nos Estados Unidos, a escova de dentes é uma das cinco invenções mais importantes da história da humanidade, o qual promete limpar os dentes, deixar um hálito fresco e uma boca saudável e livre de doenças.
 
Quem nunca ficou na dúvida ao ir até o mercado e se deparar com a prateleira de escovas de denteS repleta de cores e formatos? Para a especialista em odontologia estética, A Dra. Maristela Lobo, “existem escovas dentais apropriadas para as diferentes idades e condições motoras de cada indivíduo. Crianças e idosos devem escovar os dentes com escovas elétricas, por exemplo, devido às limitações motoras”.

As escovas de dentes têm como principal função remover as bactérias, que uma vez aderidas sobre a superfície dos dentes e gengivas tornam-se nocivas. Ou seja, não existe uma escova de dentes própria para atacar a placa bacteriana, clarear os dentes e remover o tártaro. De acordo com A Dra. Maristela Lobo “O atrito mecânico das cerdas da escova dental, sobre essas superfícies é capaz de desorganizar as colônias de bactérias ou biofilme dental, diminuindo seu número absoluto e impedindo a instalação e progressão das doenças bucais infecciosas”.
 
Independente do modelo da escova – seja com cerdas circulares, retas, centrais, flexíveis ou desalinhadas na borda, as escovas de dente tem a mesma função: eliminar os biofilmes dental e gengival e livrar a boca de doenças. Porém, devem ser utilizadas corretamente. “Muitos indivíduos ainda desconhecem a forma correta de escovar os dentes.”, alerta a Dra. Lobo.
 
“Pelo menos 3 vezes ao dia deve ser feita a escovação dental, sendo que a principal ‘faxina bucal’ será realizada à noite, antes de dormir”, explica A DRA. Lobo e completa: “Além da escovação, a fita dental, as escovas especificas (interdental, bitufo ou unitufo), e outros assessórios como a gaze hidrófila devem ser empregados. Após o café da manhã e almoço, é necessário manter uma escovação de cerca de 2 minutos, aplicando sempre a técnica adequada, ou seja, limpando os dentes, gengivas e língua.”
 
É fundamental se ater ao prazo de validade da escova, que geralmente dura 2 meses, mas as cerdas podem se deformar antes disso. Então o prazo de troca deve depender da integridade da cerda.
 
Fonte Corposaun

Qual a mochila ideal para seu filho?

school backpacks lg Qual a mochila ideal para seu filho?
O uso incorreto da mochila escolar pode causar diversos problemas
Com o final das férias chegando, começa a corrida dos pais pela compra dos materiais escolares, a qual, muitas vezes, é definida pelo melhor preço. Porém, um destes materiais merece atenção especial. É a mochila escolar, item indispensável para qualquer aluno desde o ensino primário.
 
De acordo com o reumatologista, membro da Sociedade Brasileira de Reumatologia, Dr. Carmo de Freitas, os cuidados devem começam na escolha da mochila, já que o mercado oferece diferentes opções e para cada uma delas existe uma forma correta de uso.
 
Mochila para as costas
“A melhor opção são as de duas alças, que devem ser largas e reforçadas para uma melhor sustentabilidade e distribuição do peso, ficando o mais próximo possível do corpo. Os ajustes devem ser feitos conforme as medidas do aluno, não ultrapassando a largura das costas e não ficando abaixo da cintura”, explica Dr. Carmo.

Mochila de rodinha
“Já no caso, da mochila de rodinha, além dos cuidados com o excesso de peso, deve-se dar atenção à altura do puxador. A altura ideal deve permitir à criança ficar com a coluna ereta, distribuindo a força de tração nos quadris e pernas”, detalha o médico.
 
O peso máximo recomendado para ambos os modelos é de até 10% do peso corporal do aluno.
 
E atenção: o uso incorreto da mochila escolar pode causar diversos problemas. A tendência é o desenvolvimento de patologias, como: lombalgias, escoliose postural (coluna em formato de S), detectada geralmente quando a aluno transporta a mochila em apenas um ombro; Hipercifoses (ombros curvados à frente); hiperlordoses; Hérnias de disco; Tendinites; dores no pescoço e nos ombros, entre outras.
 
“Diferentemente do que muitos pensam – que doença reumática é coisa de idoso – as crianças também sofrem com elas, as quais podem ter origem em vícios posturais inadequados como o excesso de peso das mochilas”, ressalta Dr. Carmo de Freitas.
 
Fonte Corposaun

5 resoluções para manter os ossos saudáveis em 2013

Para se proteger contra a osteoporose é importante fazer exercícios
 de peso-rolamento e exercícios de fortalecimento muscular
1. Tente comer entre 5-9 porções de frutas e legumes todos os dias: Frutas e legumes laranja, vermelho e verde escuro são ricos em antioxidantes e nutrientes que vão beneficiar os seus ossos e a sua saúde em geral. “Coloque na sua mesa couve, espinafre, laranja, batata doce, uva, tomate, pimentão vermelho e ameixas secas para manter a variedade em sua dieta e para ajudar a manter os ossos saudáveis”, recomenda o reumatologista Sergio Bontempi Lanzotti;
 
2. Adicione novos exercícios a sua rotina semanal: Para se proteger contra a osteoporose é importante fazer exercícios de peso-rolamento e exercícios de fortalecimento muscular. “Então, se você já caminha e corre, procure fazer musculação regularmente. Comece a fazer exercícios para fortalecer os músculos das costas, quadris e pernas, 2-3 vezes por semana”, diz o médico;
 
3. Melhore o seu equilíbrio: Adicionar exercícios que melhoram o equilíbrio na sua rotina pode ajudar a prevenir quedas e reduzir o risco de fraturas. “Exercícios como alongamento, pilates, tai chi chuan e yoga podem promover boa postura, força, movimento e flexibilidade”, ensina;
 
4. Consuma cálcio e vitamina D diariamente: Certifique-se de incluir alimentos ricos em cálcio em sua dieta todos os dias. Boas escolhas incluem produtos lácteos com pouca gordura e sem gordura, como leite, iogurte, queijo e alguns vegetais verdes como couve, brócolis e couve. Você também pode procurar por alimentos que têm adição de cálcio, como suco de laranja, leite de soja, leite de amêndoa e leite de arroz enriquecido com cálcio. “Se você não obtém a quantidade diária recomendada de cálcio a partir dos alimentos que você come, tome um suplemento para repor o que você está faltando em sua dieta. A vitamina D é mais difícil de ser obtida a partir dos alimentos, mas é igualmente importante para prevenir a osteoporose. Muitas pessoas precisam tomar um suplemento para atender às recomendações diárias de vitamina D. Consulte o seu médico para saber se este é o seu caso: se você precisa de suplementação de cálcio ou de vitamina D”, aconselha o especialista em Reumatologia;
 
5. Conheça os fatores de risco para a osteoporose e pergunte ao seu médico quando você deve fazer uma densitometria óssea. Além de seu histórico de idade, sexo e família, há muitos medicamentos e condições de saúde que podem levar à perda óssea, aumentando o risco de osteoporose. “Como resolução de ano novo, converse com seu médico sobre seus fatores de risco e pergunte quando você deve fazer um teste de densidade óssea”, afirma Sergio Lanzotti.
 
Fonte Corposaun

Casos aumentam e dengue põe Sorocaba-SP em alerta

Quase metade dos casos registrados é de pessoas que se contaminaram na própria cidade - Reuters
Quase metade dos casos registrados é de pessoas que se
contaminaram na própria cidade
Cidade registrou 23 casos neste ano e tem 80 casos suspeitos que aguardam confirmação
 
A confirmação de 23 casos de dengue em janeiro deste ano colocou em estado de alerta a saúde em Sorocaba (SP). O número já supera os casos confirmados em todo o ano passado. A cidade tem ainda mais de 80 casos suspeitos, aguardando o resultado dos exames.
 
O prefeito Antonio Carlos Pannunzio (PSDB) convocou nesta terça-feira uma reunião com seu secretariado para discutir medidas conjuntas contra o avanço da doença. Do total, 14 foram registrados na última semana e quase a metade é de pessoas que se contaminaram na cidade.
 
De acordo com a Vigilância Sanitária, o mosquito está espalhado pela área urbana e o índice de larvas encontrado em seis das nove áreas do município é considerado de risco para epidemia, conforme critério do Ministério da Saúde.

A morte de uma paciente de 67 anos, no dia 6 de janeiro, diagnosticada inicialmente como causada por dengue hemorrágica, foi descartada pela Vigilância Epidemiológica de Sorocaba. Os exames realizados no Laboratório Municipal de Análises Clínicas deram resultado negativo para a dengue.
 
Fonte Estadão

Ressonância magnética é um exame seguro, diz radiologista

Ressonância magnética é um exame seguro, diz especialista
Médico explica o que é e os cuidados necessários antes de fazer o exame
 
A morte de três pacientes após a realização de exames de ressonância magnética com uso de contraste em um hospital privado de Campinas (SP) gerou apreensão em pacientes que precisam se submeter a esse exame de imagem. O caso suscitou cancelamentos e muita dúvida.
 
O coordenador médico do setor de radiologia do Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (ICESP), onde são feitas cerca de 6 mil tomografias e ressonâncias magnéticas por mês, o radiologista Marcos Menezes esclarece que o exame é seguro e que o caso de Campinas é um evento pontual, a ser investigado.
 
“Os três pacientes receberam contrastes de fabricantes diferentes, o que afasta a possibilidade da causa ser esse item do exame”, afirmou o radiologista.
 
A ressonância magnética é um exame de imagem bastante preciso e com uma grande vantagem: não emprega radiação, como o raio X e a tomografia, usando um campo magnético para gerar imagens em alta definição de ossos, órgãos e tecidos do corpo humano.
 
Nem todos os exames de ressonância magnética exigem o uso de contraste – a substância usada se chama gadolínio. Menezes explica que o contraste é muito usado no diagnóstico e ao longo do tratamento de pacientes com câncer.
 
“O contraste dá mais precisão ao exame, mostrando lesões que só aparecem com o uso da substância. Nos casos do câncer, em particular, o uso de contraste nos exames é fundamental”.
 
Menezes explica que o gadolínio é um contraste seguro, com um índice baixíssimo de reações adversas. Além disso, lembra o médico, antes de ser submetido a qualquer exame de imagem, o paciente é informado dos riscos e dos cuidados a serem adotados para a realização do procedimento.
 
No caso específico da ressonância magnética, a principal restrição é aos portadores de marcapasso, que não podem fazer o exame – o campo magnético pode alterar o funcionamento normal do aparelho. Pessoas com próteses e grampos metálicos no corpo também precisam informar isso aos médicos, pois alguns metais não são compatíveis com a ressonância magnética. Pessoas com tatuagens coloridas ou maquiagem definitiva também precisam avisar isso à equipe médica, pois algumas tintas podem conter ferro na formulação – esse metal reage com o campo magnético causando calor e até queimaduras no local pigmentado.
 
“Em caso de dúvidas a melhor conduta é sempre conversar com seu médico de confiança ou com o radiologista do serviço onde será feito o exame. O mais importante é ter em mente que o exame é seguro, obedecidos todos os critérios de segurança”, finaliza Menezes, que também dirige o Centro de Diagnósticos do Hospital Sírio Libanês, em São Paulo.
 
Fonte iG

Lente de contato pede atenção em dobro no verão

Lente de contarto: verão pede cuidado com a piscina e
o mar, além de manuseio e higiene impecáveis
Água do mar e da piscina são fontes de infecções que podem comprometer a visão
 
Quem trocou os óculos de grau pelas lentes de contato precisa ficar atento durante a temporada de verão: o calor, o sol e produtos químicos como cloro e componentes do filtro solar podem gerar irritação e inflamação nos olhos, além de favorecer a proliferação de micro-organismos que geram infecções e até lesões nas córneas.
 
Qualquer água não tratada está sujeita a conter bactérias potencialmente prejudiciais aos olhos. Especialmente se a higiene e o manuseio das lentes e do estojo forem precários – com o calor, a proliferação de micro-organismos no estojo e nos líquidos de manutenção é mais rápida.
 
“O ideal é que a pessoa use lentes na praia ou na piscina, mesmo que não vá mergulhar. Se isso não for possível, é importante carregar na bolsa um kit de viagem com o estojo e todos os líquidos usados no manuseio e na higiene das lentes” orienta a oftalmologista Marcia Tartarella, que dirige a Sociedade de Oftalmologia Pediátrica da América Latina.
 
Outro cuidado importante é com o cloro da piscina e com alguns ingredientes químicos dos filtros solares, que podem gerar irritação e até conjuntivite. Além dessa infecção, um problema comum e perigoso, é a infestação causada por um protozoário conhecido como acanthamoeba – em casos extremos, ela pode causar ulcerações na córnea.
 
“A acanthamoeba é um protozoário muito comum em piscinas. O tratamento da água da com o cloro diminui o risco, mas não o elimina totalmente. Por isso, quem usa lente deve evitar o contato com a água da piscina” aconselha o oftalmologista Glauber Marques, do Hospital Balbino (RJ).
 
Apesar de muito sério, o alerta dos médicos não pretende desestimular o uso de lentes. Ao contrário: é possível manter a saúde dos olhos tendo uma boa higiene das lentes e não exagerando no uso. Isso porque passar longos períodos com as lentes deixa as córneas mais frágeis. Por que isso ocorre? A oftalmologista Marcia Tartarella explica: para permitir a visão perfeita, as córneas são transparentes, ou seja, não são irrigadas por vasos sanguíneos. Por conta disso, elas “respiram” quando estão em contato com o ambiente. Apesar de serem fabricadas com materiais porosos – que permitem à córnea respirar – as lentes de contatos reduzem a superfície de respiração da córnea, diminuindo assim as defesas dela contra as agressões externas.
 
“Por isso que insistimos tanto com os pacientes para que eles não durmam de lentes e nem passem muito tempo com elas. A córnea precisa respirar”, diz a médica.
 
Fonte iG