Aplicativos, carreira, concursos, downloads, enfermagem, farmácia hospitalar, farmácia pública, história, humor, legislação, logística, medicina, novos medicamentos, novas tecnologias na área da saúde e muito mais!


domingo, 3 de julho de 2011

Projeto Pense Bem da SBN busca reduzir casos de Neurotrauma

De acordo com a Sociedade Brasileira de Neurocirurgia (SBN), os acidentes automobilísticos são responsáveis por 50% dos casos de Neurotrauma.

Dados divulgados em 27 de junho pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) apontaram que o número de mortes nas rodovias federais no feriado de Corpus Christi caiu 35%, mas o número de acidentes ainda é alto: 2.073 acidentes nas estradas do todo o País, que resultaram em 1.232 feridos e 85 óbitos.

Das pessoas envolvidas em acidentes com danos neurológicos, 40% acabam morrendo. Número assustador, mas que não revela outro lado dos acidentes de trânsito: as sequelas entre os sobreviventes.

Segundo o presidente da SBN, José Marcus Rotta, uma das principais consequências dos acidentes são as sequelas deixadas pelo neurotrauma. “Não apenas as mortes devem ser contabilizadas quando se trata de acidentes automobilísticos. Em vários casos, a vítima sofre lesões ou traumas que deixam sequelas graves. No caso do neurotrauma, as mais comuns são epilepsias, alterações motoras (paralisias), alterações cognitivas e de comportamento”, afirma o presidente da SBN.

A prevenção é a principal forma de se reduzir o alto índice de mortalidade e morbidade causadas pelo neurotrauma. Pensando nisso, a SBN mantém o projeto Pense Bem, que visa a incentivar a população a pensar sobre suas atitudes antes de executá-las. A associação divulga pesquisas e apresentações de casos e depoimentos de vítimas, por meio de propagandas, folhetos e/ou realizando palestras em comunidades para prevenir acidentes, além de evitar traumas e sequelas, principalmente no cérebro e na medula.

Propagandas antigas - Senhoras elegantes: Comprimidos Schering de Urotropina

1924.11.30 shering remédio mulher2

“As senhoras elegantes acham-se n’um grande erro quando pensam…
 
 
…que basta cuidar das partes externas do corpo para conservar-lhes a juventude. O aparecimento de rugas, indisposições, fraqueza, manchas na pele, etc. geralmente têm a sua causa na fala de tratamento dos órgãos internos e especialmente dos rins e da bexiga que, pela sua natureza, são os eliminadores das impurezas do sangue, etc. Para manter estes órgãos em perfeito funcionamento é absolutamente indispensável conservar-lhes o seu vigor inalterado, tomando periodicamente alguns comprimidos Schering de Urotropina”.
30 de novembro de 1924.

Pela primeira frase, que dá a entender que as senhoras elegantes não devem pensar, hoje poderia ser considerado politicamente incorreto.


http://blogs.estadao.com.br/reclames-do-estadao/tag/remedio/page/4/

Hospital Infantil Sabará lança Programa de Voluntariado

Sempre preocupada em proporcionar bem-estar e qualidade de vida aos pacientes e familiares e cumprindo seu papel social, a Fundação Hospital Infantil Sabará, referência em pediatra, lança um programa para pessoas interessadas em realizar trabalho voluntário.

O primeiro passo é gostar de criança, o segundo, compreender a missão da instituição que enxerga o paciente pediátrico por ângulos distintos que englobam saúde física e emocional, esclarece a educadora Sandra Mutarelli, coordenadora do Programa de Voluntariado do Sabará.

Os interessados podem se inscrever no site do hospital (www.sabara.com.br) e responder a um questionário prévio. Depois disso, serão chamados para entrevista e poderão optar por três áreas de atuação: contadores de história, brinquedistas, trabalhar com os músicos que já fazem trabalho no Sabará ou ficar no atendimento direto de crianças e familiares nas dependências do hospital - área do “Posso Ajudar?”.

“Queremos que os inscritos optem pelo o que desejam fazer, sempre levando em conta suas habilidades e afinidades. Estamos em busca de pessoas que encaram o trabalho voluntário como ação de transformação, não é uma missão assistencialista apenas”, informa Mutarelli.

Um dos diferenciais do “Posso Ajudar” é que esses voluntários estarão disponíveis até no pronto-atendimento, algo que não acontece nas demais instituições de saúde. “Eles irão auxiliar as crianças já no pronto socorro. Explicarão aos pais porque existe tempo de espera no pronto-socorro, como funciona a classificação de casos prioritários, tirarão dúvidas sobre os serviços oferecidos e ainda poderão apresentar o Sabará”, conta.

Profissionais experientes e de renome se responsabilizarão pelo treinamento dos voluntários. A educadora Sandra Mutarelli, expert em traduzir ciência às crianças de uma forma lúdica e prazerosa, ficará responsável pelo treinamento da equipe “Posso Ajudar”. O grupo irá auxiliar as pessoas que usam os serviços do Sabará, ao esclarecer dúvidas, por exemplo.

A ludoterapeuta e psicanalista Germana Savoy, com mais de 25 anos de experiência, dará aulas para quem desejar entender a importância do brincar no desenvolvimento infantil. Eles estarão nas brinquedotecas, nos quartos de internação, nas salas de espera, sempre com a missão de brincar com os pacientes.

Já Valdir Cimino, da Associação Viva e Deixe Viver, conhecida por formar voluntários interessados em contar histórias para crianças e adolescentes hospitalizados, coordenará equipe responsável pela área. Para Cimino, que ao longo dos últimos 12 anos opera nesta área, contar histórias contribui na educação, no emocional e na comunicação do ser humano.

http://www.revistahospitaisbrasil.com.br/acontecendo.asp?id_acontecendo=1156

Hospital de Clínicas de Niterói estimula colaboradores a praticarem exercícios físicos

Com objetivo de promover saúde no ambiente corporativo, o Hospital de Clínicas de Niterói (HCN), lança no dia 03/07 (domingo), na Praia de Icaraí, o projeto MOVA-SE. Trata-se de um programa para estimular os funcionários a abandonarem o sedentarismo e promover qualidade de vida, através da prática de atividades físicas. Para isso, o MOVA-SE terá uma tenda instalada na praia, na qual haverá um personal trainer de plantão. Alongamento, pilates, caminhada e corrida serão algumas das atividades desenvolvidas.

“O MOVA-SE não é um projeto esportivo, nem estético. É um programa de incentivo a uma vida mais saudável, bem estar e produtividade, tudo de forma interligada”, explicou Cássio Mazzarotto, coordenador do projeto no Brasil.

O MOVA-SE é um projeto para estimular o profissional de saúde a abandonar o sedentarismo e, promover a qualidade de vida através da prática de atividades físicas. Para isso, o programa terá uma tenda fixa instalada na Praia de Icaraí com todo o suporte necessário – professor; uniformes; guarda volume, etc., gratuitamente.

“Nesse ano em que o HCN completará 20 anos, o melhor presente que poderíamos dar aos nossos colaboradores e seus familiares é saúde. Afinal, é o que fazemos de melhor: promover saúde!” enfatizou Ilza Boeira Fellows, diretora geral do HCN.

O MOVA-SE funcionará sempre aos domingos pela manhã e, as quintas-feiras à noite. A tenda do HCN ficará na altura da Mariz e Barros com Belisário Augusto. Mais informações: 21- 2729-1121.

http://www.revistahospitaisbrasil.com.br/acontecendo.asp

Cegos usam técnica para ''ver'' com audição

Cientistas desvendam fenômeno da ecolocalização - estratégia para produzir imagens mentais com sons reverberados pelo ambiente

Como muitos californianos, Daniel Kish gosta de andar de bicicleta, descobrir novas trilhas nas montanhas e convidar amigos para uma partida de basquete. Com uma diferença: Kish não enxerga. Ele utiliza um sentido semelhante ao sonar de morcegos e golfinhos para reconhecer o ambiente. Poucas pessoas - entre elas, alguns brasileiros - aprendem a "ver" com os ouvidos. E a ciência começa a entender o que elas têm de especial.

Fabio Motta
Fabio Motta
Superação. Sandro, cego desde os 7 anos, anda de bicicleta no Instituto Benjamin Constant, no Rio, onde estudou; ele aprendeu a usar a ecolocalização para brincar com outras crianças
Kish foi o primeiro cego acreditado para guiar outros cegos nos Estados Unidos. Ainda bebê, um tumor na retina extirpou seus olhos. Com 2 anos, começou a estalar a língua. Com 10, adquiriu consciência da técnica que desenvolvera involuntariamente para conhecer o mundo. O barulho que sua boca produzia reverberava nas coisas e munia seu cérebro de dados valiosos: localização, dimensão e profundidade dos objetos, informação suficiente para alcançar uma grande independência.

Pesquisadores canadenses suspeitavam que cérebros de pessoas que dominam a ecolocalização não processariam informações auditivas de forma convencional. Com o auxílio de um sofisticado aparato de ressonância magnética funcional, mergulharam nos neurônios de Kish e ficaram surpresos com o que encontraram: os ecos são tratados como imagens na cabeça do americano (mais informações nesta página).

A ciência confirmou assim as explicações do próprio Kish: "Parece complicado, mas não é. O cérebro já costuma produzir imagens usando ondas de luz." Na ecolocalização, elas são simplesmente substituídas pelas ondas sonoras.

"Há muita informação sensorial nos ecos", confirma Lore Thaler, da Universidade de Ontário Ocidental, no Canadá. "Mas não sabemos exatamente como é interpretada." O estudo canadense foi publicado na revista PLoS One.

Ivan Freitas, professor de educação física em São Bernardo do Campo, perdeu a visão aos 6 anos, vítima de um glaucoma. Hoje, tem 39. Como Kish, começou a estalar a língua cedo. Perdeu a conta das vezes que lhe disseram: "Para de fazer esse barulho, menino! Que irritante!" Ficava quieto por algum tempo e, depois, voltava aos estalos. "Era mais forte do que eu. Nem percebia que fazia aquilo para me localizar", comenta.

A maioria dos brasileiros que utilizam a ecolocalização é como Freitas. Diferentemente dos americanos, não criaram teorias elaboradas para aprimorar a técnica. Surgiu com a naturalidade de uma descoberta involuntária.

Kish fundou a World Access for the Blind. O lema do grupo - "our vision is sound" - pode ser traduzido como "nossa visão é o som" ou "nossa visão é acurada", ambiguidade que descreve bem o objetivo da iniciativa: ajudar deficientes visuais a utilizar a ecolocalização para aumentar sua autonomia. "Nossa principal bandeira: a técnica pode ser ensinada. É como aprender piano. Nem todo mundo conseguirá tocar no Carnegie Hall, mas muita gente pode aprender a tocar", garante Kish. A organização percorre o mundo, dando palestras e cursos. Ao Estado, Kish disse que já recebeu convites para vir ao Brasil, "mas ainda não deu certo".

Para o analista de sistemas Sandro Laina, de 30 anos, a ecolocalização foi o jeito que encontrou para brincar com os irmãos e os primos nas ruas de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. "Não queria ser diferente dos outros e sair tateando muros. Eu estalava os dedos e batia palmas para saber se tinha um poste ou uma parede à frente", conta Laina, cego desde os 7 anos por um glaucoma que "nem 14 cirurgias conseguiram resolver".

Laina começou a usar sua técnica nas corridas de pega-pega e logo passou para a bicicleta. Costuma seguir um dos irmãos ou amigos, enquanto pedala. Quando não tem "um guia", fala sem parar, como forma de evitar os obstáculos. "Tenho certeza que essa minha experiência na infância me dá autonomia hoje para me locomover com mais segurança", afirma.

Ele acredita que todos os cegos utilizam uma forma rudimentar de ecolocalização, mesmo sem perceber. "Basta colocar uma proteção de borracha na ponta da bengala de muitos cegos para deixá-los loucos", afirma. "Eles usam aquele barulhinho da ponta rígida batendo no chão para identificar obstáculos." Segundo Laina, tricampeão paraolímpico de futebol de cinco (para cegos), esportes podem aprimorar a percepção sensorial.

Mel Goodale, principal responsável pela pesquisa canadense, afirma que a ecolocalização em humanos permitirá uma melhor compreensão do fenômeno em morcegos e outros animais, pois pessoas podem verbalizar suas experiências. Kish, por exemplo, compara os sons que produz ao flash de uma câmera fotográfica: iluminam o mundo e permitem a fixação de uma imagem no cérebro.

Naturalmente, o cenário obtido não possui o grau de definição necessário para tornar verossímeis as aventuras do Demolidor - super-herói cego da Marvel que utiliza ecolocalização. Mas Kish aponta algumas vantagens na técnica. Como o som chega de todos os lados, ela permite uma "visão" de 360°.

Pesquisadora da USP cria novo filtro solar

Fórmula desenvolvida por estudante de graduação em Ribeirão Preto, à base de fosfato de cério, é mais eficaz que as utilizadas atualmente pela indústria


Uma pesquisa desenvolvida no Departamento de Química da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da Universidade de São Paulo (USP), de Ribeirão Preto, identificou um novo filtro solar, à base de fosfato de cério, mais eficaz que os utilizados atualmente, à base de óxidos de zinco e titânio.

"Com esse produto, o cosmético terá maior duração de validade", afirma a pesquisadora Juliana Fonseca de Lima. A pesquisa foi desenvolvida entre 2006 e 2008, mas só está sendo divulgada agora, depois da obtenção do registro de patente no Instituto Nacional de Pesquisa Industrial (Inpi). Um contrato já foi firmado com uma empresa do Rio de Janeiro para a produção de protetores solares.

Juliana começou a pesquisa ainda durante a graduação e o filtro de fosfato de cério, um pó, será utilizado na formulação de cosméticos.
Segundo ela, a empresa carioca Silvestre Labs desenvolverá o seu primeiro protetor solar usando o produto que pesquisou. Ela diz que já existiam pesquisas com óxido de cério (também usado em alguns produtos já no mercado), mas não de fosfato para essa finalidade. O cério tem maior capacidade de absorção de radiação ultravioleta (UV) e as nanopartículas foram obtidas, na pesquisa, num processo simples.
A pesquisa incluiu estudos de refletância difusa, para medir a absorção dos raios ultravioleta pelo fosfato de cério, e de atividade fotocalítica, para avaliar suas modificações físicas e químicas na presença de luz, oxigênio, óleo, calor.

"Verificamos que o óleo é menos degradado quando comparado aos óxidos de zinco", explica ela. Esse teste detecta, por exemplo, o quanto branco é o fosfato, degradando menos os outros componentes de um protetor solar. O óxido de zinco tem uma coloração mais amarelada, degradando os componentes.
Validade. Pela pesquisa, Juliana afirma que o cosmético (protetor solar) à base de fosfato de cério terá uma maior duração de validade, mas que o prazo de aplicação do produto no corpo humano ainda deverá ser testado pela empresa responsável pelo seu desenvolvimento industrial. Juliana teve orientação científica do professor Osvaldo Antonio Serra e colaboração do técnico Claudio Roberto Neri.

O cério é um elemento químico descoberto em 1839 e seu fosfato é encontrado em abundância no Brasil na praia de areia preta de Guarapari (ES). Seus compostos são usados como componentes em fabricações de equipamentos de iluminação para a indústria cinematográfica, catalisadores e aplicações nucleares e metalúrgicas.

A partir dessa pesquisa, o fosfato de cério poderá ser usado também em diversas formulações (loções, sprays, pomadas, géis, xampus, cremes e sabonetes, entre outros). "Os fosfatos de cério são de grande interesse por causa do seu alto ponto de fusão, baixa solubilidade e alta estabilidade química", afirma.

Projeto quer acabar com proibição de nome fantasia em remédios

A Comissão de Defesa do Consumidor da Câmara aprovou o projeto do Senado que derruba a proibição de nomes de fantasia em remédios com uma única substância ativa e vacinas. A proposta modifica uma lei de 1976 que trata da vigilância sanitária dos medicamentos.

De acordo com o autor do projeto, senador Osmar Dias, (PDT-PR), a parte da lei que proíbe os nomes de fantasia em medicamentos e vacinas já está, na prática, revogada por uma medida provisória de 2001. Essa MP permite que remédios com uma única substância ativa conhecida sejam identificados por nome comercial ou de marca.

O relator do projeto, deputado Ricardo Izar (PV-SP), concorda que o dispositivo caiu em desuso, e cita como exemplo os imunoterápicos --nome científico das vacinas.


"No caso dos imunoterápicos, essa proibição que acontecia fazia sentido na época em que foi estabelecida a lei, porque existiam no país apenas alguns tipos de vacinas - por exemplo, a vacina tríplice, bacteriana-celular. Com a evolução que aconteceu, hoje já estão disponíveis nas clínicas privadas mais de 60 marcas diferentes de vacina. Então, a proibição de uso dos nomes e das designações de fantansia já caducou. Então, portanto, eu acho que é uma lei que já não serve mais para os dias de hoje".

O vice-presidente executivo do Sindicato da Indústria de Produtos Farmacêuticos do Estado de São Paulo, Nelson Mussolini, afirma que o projeto consolida o que já ocorre atualmente. Na opinião dele, o nome comercial dá ao consumidor a garantia da marca de origem do medicamento.


"O projeto traz essa regulamentação da vida prática. Na prática, as pessoas usam a marca dos produtos, conhecem os produtos pela sua marca, que são muito mais fáceis de você guardar, muito mais fáceis de você administrar; ao invés do nome do princípio ativo do produto ou do nome do sal de que provém esse produto".

O projeto ainda será analisado pelas comissões de Seguridade, e de Constituição e Justiça da Câmara.

http://www1.folha.uol.com.br/multimidia/podcasts/937986-projeto-quer-acabar-com-proibicao-de-nome-fantasia-em-remedios.shtml

Dobram os casos de Aids na terceira idade em 10 anos

Avôs e avós fazem sexo, sim. E, sem proteção, também pegam Aids. De 1998 a 2008, os casos da doença entre pessoas acima de 60 anos no Brasil mais que dobraram, segundo dados de 2010 do Ministério da Saúde.

A via predominante de transmissão é por relação sexual heterossexual, em ambos os sexos.
Embora o número absoluto de casos ainda seja pequeno em comparação com outras faixas etárias, o ritmo de crescimento da doença entre os idosos é preocupante, afirma Eduardo Barbosa, diretor do departamento de DST, Aids e Hepatites Virais do Ministério da Saúde.

Sem o hábito --e, muitas vezes, sem o conhecimento-- de usar preservativos, esse grupo se expõe mais ao risco de contrair o vírus HIV, de acordo com Barbosa. "É difícil de mudar a mentalidade dessa população. Eles ainda encaram o sexo com camisinha como chupar bala com papel."

Além disso, para as mulheres o preservativo sempre esteve associado a um método contraceptivo. Como não estão mais em idade reprodutiva, não veem por que usá-lo.

VIDA SEXUAL ATIVA

O preconceito a respeito da vida sexual dessa população também dificulta a proteção. "Ninguém de nós vê nossos nossos avós como sexualmente ativos, e isso dificulta o diagnóstico e o acesso à prevenção", diz Barbosa.

Os idosos têm ainda a ideia de que a Aids é uma doença de jovens e que estão à margem do risco, segundo o infectologista do hospital Emílio Ribas Jean Gorinchteyn, autor do livro "Sexo e Aids depois dos 50".

http://www1.folha.uol.com.br/equilibrioesaude/938271-dobram-os-casos-de-aids-na-terceira-idade-em-10-anos.shtml

Pais se negam a vacinar filhos e apostam apenas em "vida saudável"

A falta de vacina foi uma das causas do recente surto de sarampo na Europa

A falta de adesão à vacinação é a principal causa do surto de sarampo na Europa, segundo as autoridades mundiais de saúde. No Brasil, a vacina contra a doença está disponível gratuitamente nos postos de vacinação, ao mesmo tempo em que uma campanha reforça a necessidade da dose em oito Estados e para quem for viajar ao continente.
De acordo com a OMS (Organização Mundial da Saúde), até abril deste ano 33 países europeus informaram ter, no total, 6.500 casos em 2011. Só a França teve 5.000. E no Brasil, 15 foram notificados, todos importados da Europa, segundo o Ministério da Saúde.

No entanto, mesmo diante da ameaça de contrair doenças como essa, entre outras, alguns pais se recusam a vacinar seus filhos por diferentes razões.

Desconfianças

Famílias com alta escolaridade desconfiam da boa vontade do governo em fornecer vacinas. Segundo as famílias entrevistadas pelo R7, existem interesses de indústrias farmacêuticas e pouca informação sobre a composição das doses e de se há efeitos colaterais. Para elas, é melhor investir em hábitos saudáveis do que expor crianças às vacinas.

É o caso da família do tradutor Alexandre Nogueira Penna , de 42 anos. Ele e a mulher Mayra Mayumi Moraes Penna nunca vacinaram os filhos André, de três anos, e Daniel de um ano e nove meses. Com um estilo de vida bastante natural, o casal segue a dieta macrobiótica (que prega a exclusão de carnes, ovos e laticínios do cardápio), que já foi repassada aos filhos.

- Com esse estilo de vida, nós não ficamos doentes, mesmo quando em contato com a população das comunidades vizinhas. Eles só foram vacinados contra pólio; nunca mais vacinamos.

Moradores do distrito de São Francisco Xavier, no Alto da Serra da Mantiqueira, na divisa entre São Paulo e Minas Gerais, o casal tem o privilégio de oferecer aos filhos somente alimentos retirados de uma horta plantada no quintal de sua casa. E como a mãe fica em tempo integral com os pequenos em casa, tudo o que é consumido por eles é feito por lá, e o caçula ainda é amamentado.

- Combinando uma série de elementos conseguimos viver sem vacinas. Nosso dinheiro deveria ser empregado em boa alimentação e informação, e não em remédios.

A designer Ana Basaglia, de 44 anos, também criou os três filhos sem apostar na vacinação para preveni-los de doenças como o sarampo. Ela diz que quanto mais se informava sobre as vacinas, menos sentia confiança em levar os filhos aos postos de vacinação.

- Eu não acredito na segurança das vacinas, eu não acho que saúde se garante tomando remédio preventivamente, prefiro investir em outros meios para ser saudável.

Tanto que seu filho mais velho, Roberto, de 23 anos, foi o que tomou mais vacinas, diminuídas ao longo dos anos com as filhas Beatriz, de 17 anos, e com a caçula Gabriela, de 7, que só tomou vacina na maternidade por uma “bobeada”, como ela mesmo diz.

Para Ana, faltam informações mais precisas acerca dos efeitos da vacinação oferecida pelo governo.
- Precisa ser mais conversada essa questão. Acho que tem que ser uma escolha da família. O grande problema é que pouco se conversa. As pessoas não sabem que existem efeitos colaterais, prazo de validade, que elementos químicos ficam depositados no corpo.

Assim como Alexandre, ela e sua família procuram adotar uma alimentação mais saudável e manter uma “vida regrada, com equilíbrio entre lazer, trabalho e descanso”.

O sarampo é causado por um vírus que se propaga no ar. É uma doença aguda, altamente contagiosa, transmitida de pessoa para pessoa por meio das secreções expelidas ao tossir, espirrar, falar ou mesmo respirar.


Médicos ressaltam importância da vacinação

Para o presidente da Sociedade Brasileira de Imunizações, Renato Kfouri, apesar da boa intenção, a alimentação saudável não garante a prevenção contra o sarampo e outras doenças infectocontagiosas.
- Não é garantia que pessoas que comem direito não adoecem. Já que 90% dos casos de sarampo acontecem em indivíduos saudáveis.

A infectologista pediátrica Helena Sato ressalta a importância das campanhas de vacinação, em especial a do sarampo, que conseguiu extinguir a doença do país.

- Os dados e os números mostram que a estratégia de vacinação é muito importante – chegamos a 2011 e podemos dizer que eliminamos o sarampo [do país] com uma vacina que está há mais de 40 anos no calendário. Nós fazemos campanhas sistemáticas de vacinação há 24 anos, e não há 24 horas. Não tem motivo para não vacinar.

A médica pede cautela quanto às informações veiculadas sobre vacinas. Entre elas uma que causou grande polêmica. Uma pesquisa publicada na revista Lancet, nos anos 90, relacionou a vacina tríplice viral (sarampo, rubéola e caxumba) com o autismo. Suas análises repercutiram e ainda são consideradas reais por muitas pessoas, mesmo tendo sido desmentidas publicamente neste ano. Uma das consequências da repercussão foi a queda brusca da vacinação na Europa.

- Teve gente achando que a vacina contra o sarampo poderia estar associada ao autismo, mas isso não existe.

Uma reportagem do jornal El Pais mostrou ainda que uma das principais causas da disseminação do sarampo na Europa é justamente a recusa da vacinação por famílias que participam de grupos antivacinação, o que para a infectologista pediatra Lily Yin Weckx, da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo), não passa de um prejuízo à saúde.

- Lá fora nós temos esses grupos naturalistas que atuam contra a vacina e dá no que dá. O prejuízo é de todos, porque eles podem manter a circulação do vírus. De vez em quando essas doenças voltam na Europa por causa disso. No caso do Brasil isso não ocorre. Nós temos um dos melhores programas de vacinação.

Já para Kfouri, a escolha pode indicar comodismo, já que atualmente o Brasil está em uma posição confortável quanto à eliminação de algumas doenças, graças à vacinação de grande parte da população.

- É um exercício de não cidadania a meu ver você não proteger seu filho, seu paciente, porque essa pessoa uma vez infectada pode passar a doença para os outros, inclusive porque existem pessoas que não podem ser vacinadas, que é o caso de quem tem câncer e Aids.

Para o presidente da Asbin, também não dá para acreditar que interesses comerciais estariam à frente na distribuição de vacinas no país, já que testes são analisados por cientistas idôneos.

- Claro que existem interesses comerciais das indústrias em vender as vacinas, mas a comunidade científica só vai usar se tiver benefícios. Vale lembrar que elas são testadas em um monte de pessoas, mesmo em crianças e idosos, antes de serem autenticadas. E foi pelas vacinas que várias doenças que matavam milhares de pessoas foram extintas.

Gripe comum pode se transformar na dolorosa sinusite. Veja como se proteger

Especialistas dizem que tomar líquido pode evitar o problema


Quando a temperatura cai, o número de casos de doenças respiratórias sobe bastante – chega a triplicar. E um resfriado simples pode se transformar num desconforto ainda maior, como a sinusite.

Aprenda a diferenciar as doenças do frio

A doença provoca uma obstrução no nariz que tem como consequências as dores na face (bochechas e testa), tosse seca muito repetitiva e coriza mais espessa (amarelada). O ar seco faz a mucosa inchar e imobiliza a secreção produzida pela defesa do organismo. A face dolorida é consequência desse acúmulo.

A maioria dos casos de sinusite que lotam os prontos socorros são complicações de resfriados comuns. Além de causar desconforto, dor e dificuldade para dormir, a doença ainda custa caro, porque exige tratamento prolongado com antibióticos

Os médicos dizem que medidas simples, tomadas dentro de casa, podem evitar a sinusite. Aumentar a ingestão de líquidos, por exemplo, pode impedir que catarro se acumule e cause o desconforto respiratório.

Os especialistas também dizem que vale à pena se vacinar contra a gripe, porque 80% das sinusites agudas são derivadas de gripes e resfriados.

Crianças podem ter mais cáries nas férias

A falta de rotina e a qualidade dos alimentos ingeridos durante o período das férias de inverno comprometem a saúde bucal dos pequenos
 
 
Dosar a quantidade de açúcar ajuda a prevenir o aparecimento de cáries  / Foto: ShutterstockManter as crianças longe dos doces nem sempre é fácil, e a tarefa se torna ainda mais complicada no período de férias, quando elas ficam mais tempo em casa e, com a falta de uma rotina regulada, acabam abusando do açúcar.

Além de comprometer a alimentação das crianças, comer muitos doces, balas, chicletes, biscoitos neste período pode ocasionar o aparecimento de cáries no futuro. “As crianças, quando entram em férias, tendem a não seguir uma rotina e esquecem de escovar o dentes e passar fio dental. Isso reflete lá na frente quando aos problemas começam a aparecer”, afirma a Dra. Carla Sarni, especialista da Sorridents.

De acordo com a especialista, a cárie é uma destruição nos tecidos dentários e, embora muitras pessoas não saibam, é uma doença contagiosa. “É possível pegar no beijo, no sopro do alimento. É transmissível, sim”, afirma.

A maior incidencia das cáries acontece nas crianças, devido ao consumo de açúcar, que costuma ser alto. “Quanto mais ela consumir isso, maior vai ser a chance de ela pegar cárie. Se os pais evitarem e não levarem muitos doces pra casa, o indice cariogênico vai diminuir”, recomenda.

Assim, evitar cáries nas crianças, é também uma responsabilidade dos pais. A profissional alerta sobre o perigo da falta de higiene bucal nas crianças. “As crianças que já trocaram os dentes estão numa fase de adaptação e por isso, a higiene bucal nesta fase vai refletir na qualidade do dentes depois de adultos”, explica a odontologista.

Dicas para manter a saúde bucal das crianças nas férias:

- Mantenha a rotina das crianças. Imponha que escovem os dentes após cada refeição, principalmente ao acordar e antes de dormir;

- Use a psicologia para que o momento da escovação seja divertido e não mais uma obrigação desagradável;

- Procure manter pelo menos três refeições – café da manhã, almoço e jantar - para diminuir a quantidade de guloseimas ao longo do dia;

- Ao invés de liberar doces e balas, procure oferecer frutas como a maçã, que contribui para a limpeza dos dentes;

- Aproveite o período das férias para visitar o dentista. A consulta com o profissional estimula as crianças a cuidar dos dentes;

- Procure sempre um odontopediatra porque ele é capacitado para o atendimento dos pequenos e o ambiente é desenvolvido para ser lúdico.


Câncer Prostáta

Introdução


Para compreender melhor a hiperplasia benigna da próstata, devemos conhecer primeiro algumas informações sobre sua anatomia.
Nos homens, a uretra é um duto que transporta a urina da bexiga (onde a urina é armazenada) até o exterior do organismo, através do orgão sexual masculino. A uretra atravessa a glândula prostática saindo da bexiga em seu trajeto até o orgão sexual masculino.

Onde fica a próstata?


A próstata é uma glândula do tamanho e forma de uma noz situada imediatamente debaixo do colo da bexiga. A próstata circunda a uretra, o duto pelo qual sai a urina, no ponto de onde a uretra sai da bexiga.

Se a próstata aumenta de tamanho, como ocurre na HBP, a uretra fica parcial ou completamente comprimida. Podem surgir então os sintomas típicos da HBP, como por exemplo, jato de urina fraco, necessidade intensa e repentina de urinar e vontade freqüente de urinar, especialmente durante a noite.

 

Pouco se fala sobre a próstata




Mas, pelos problemas que a próstata pode causar, todo homem com mais de 45 anos de idade deve saber mais sobre o assunto. E as mulheres, que geralmente encaram os problemas de saúde de forma preventiva, podem ajudar alertando seus maridos, pais, outros familiares e amigos.

Estas informações fazem parte de uma iniciativa do Conselho Brasileiro de Saúde Prostática, uma entidade que reúne médicos urologistas de todo o país.

O que é a próstata?



A próstata é um órgão interno que só o homem possui; tem a forma de uma maçã muito pequena, e fica logo abaixo da bexiga.

Veja o desenho para entender melhor.

A bexiga é o órgão que armazena a urina, e a uretra é o canal por onde a urina é eliminada. A próstata envolve a parte inicial da uretra.

Qual é a função da próstata?


A função da próstata é produzir um líquido que é eliminado durante o ato sexual juntamente com os espermatozóides, os quais têm origem nos testículos. Este líquido produzido pela próstata é muito importante para a vitalidade dos espermatozóides na fecundação.

 

Quais os principais problemas que a próstata pode causar?

 

AUMENTO DA PRÓSTATA

A próstata começa a aumentar de tamanho na maioria dos homens com mais de 45 anos.

Este aumento não é câncer, mas geralmente estreita a uretra, e pode causar sintomas de obstrução ao fluxo da urina.

Estes são os principais sintomas do aumento da próstata:

Sensação de não esvaziar completamente a bexiga após terminar de urinar. Necessidade freqüente de urinar novamente menos de 2 horas após ter urinado. Jato urinário que pára e recomeça.

Dificuldade para conter a urina. Jato urinário fraco. Necessidade de fazer força para começar a urinar. Necessidade de levantar à noite para urinar. As principais conseqüências do aumento da próstata são o comprometimento da qualidade de vida e, em alguns casos, complicações como infecções e danos ao rim.

Se você apresenta um ou mais dos sintomas descritos, consulte um médico. Existem hoje várias alternativas de tratamento. Converse com seu médico a respeito do tratamento mais adequado para o seu caso.

 

PROSTATITE



É uma inflamação provocada por germes e pode ocorrer em qualquer idade. Apesar de ser uma forma de infecção, a prostatite não é contagiosa.

Os sintomas mais freqüentes são:

Febre. Dor, ardência e dificuldade para urinar. Pus na uretra. Consulte um médico assim que os sintomas aparecerem, para evitar complicações.

 

CÂNCER DA PRÓSTATA



O câncer da próstata é um problema muito sério.

Trata-se de um aumento maligno da próstata, que pode pôr em risco a vida.

É o câncer mais freqüente no homem e a segunda causa de morte, por câncer, no sexo masculino.

O câncer da próstata é mais comum em homens com mais de 50 anos, e geralmente não causa sintomas nas fases iniciais; em fases mais avançadas os sintomas podem ser os seguintes:

Sintomas de obstrução ao fluxo da urina, parecidos com os do aumento da próstata. Sangue na urina. Dores nos ossos. Se você tem mais de 45 anos, consulte um médico para fazer exames preventivos pelo menos uma vez ao ano.

Resumindo, o que é necessário fazer?




Lembre-se: se você apresenta alguns dos sintomas aqui mencionados, deve procurar atendimento médico. Somente o médico pode fazer o correto diagnóstico do seu problema e orientar o tratamento.

O diagnóstico é realizado por meio de exames simples, e existem hoje várias alternativas eficazes e seguras de tratamento.

Se você tem mais de 45 anos de idade e não sente nada, também deve procurar um médico para fazer exames preventivos, porque o câncer da próstata nas fases iniciais geralmente não causa sintomas.

A identificação do câncer da próstata nas fases iniciais aumenta muito as chances de cura.

Não deixe de fazer exames preventivos pelo menos uma vez ao ano. É isso que as mulheres têm feito para prevenir o câncer da mama e do útero. O urologista é o médico especialista mais preparado para tratar dos problemas da próstata.


http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/cancer-de-prostata/cancer-de-prostata-5.php

Aferindo a Pressão Arterial

Aferindo a Pressão

A medição da pressão pode ser feita em hospitais, farmácias ou em sua residência. Ela é medida com a ajuda de um aparelho chamado esfigmomanômetro. A pressão é medida com base na pressão exercida pelas artérias no decorrer dos batimentos cardíacos (sistólica) e referente à pressão que elas exercem entre uma batida e outra (diastólica).
O esfigmomanômetro (esfigmo significa pulsação, enquanto o manômetro significa para medir pressão de fluidos), em princípio, somente era utilizado por clínicas e farmácias; porém, depois, passou a ser utilizado nas casas dos pacientes como uma forma de controle da doença. Depois, foram criados aparelhos digitais que não precisam do estetoscópio para escutar o fluxo sanguíneo nas veias. O aparelho de pressão arterial pode ser aferido junto ao Inmetro de cada estado.

Dicas
- Repouso em um ambiente calmo e agradável;

- Aguardar 30 minutos para realizar o procedimento caso tenha fumado ou consumido bebidas alcoólicas;

- Medir com o paciente na posição deitada ou sentada.

Como aferir?

Nem sempre é preciso ir ao médico para aferir a pressão, pois o paciente pode fazer isso em casa. Isso além de ser importante para a saúde, também é necessário caso o médico solicite que a pressão seja medida regularmente. Primeiramente, o paciente deve realizar a medição em um ambiente tranquilo e menos estressante. É interessante que ele possa escutar os seus batimentos cardíacos.

O paciente deve estar com a bexiga vazia, deve levantar a manga da blusa e apoiar o braço sobre uma mesa com a palma aberta para cima. Siga os seguintes passos:

Verifique seu pulso: Coloque o dedo indicador e o médio sobre o seu braço para localizar a pulsação, ou seja, a artéria branquial.

Colocar a almofada:
A almofada deve ser ajustada no braço. Depois, coloque a ponta do estetoscópio na parte superior da artéria do braço.

Utilizando monitor analógico

O medidor de pressão deve ser posicionado na mão esquerda e a bomba na mão direita. A almofada (manguito) infla enquanto a bomba é apertada. O paciente poderá ouvir o coração ao utilizar o estetoscópio. Olhe no relógio até quando o monitor chegar a 30 pontos (mm Hg) acima da pressão sistólica que seria esperada. Observe o monitor e a válvula de ar terá que ser aberta no sentido anti-horário.

Após o primeiro batimento, o número no monitor cai de 2 a 3 pontos. Na primeira pulsação, o número que aparece no monitor é a pressão sistólica. Enquanto isso, a almofada deve continuar sendo solta até que o som produzido por ele acabe. Quando cessar, essa será a pressão diastólica. Depois, pode soltar a almofada totalmente.

Utilizando monitor digital

É importante que você leia o manual do aparelho com atenção e verifique o tamanho do manguito (parte que envolve o braço). Observar o manguito é necessário, pois eles possuem muitas medidas que devem ser adaptadas ao braço do paciente. A bomba deve ser segurada pela mão direita e o botão para ligar deve ser apertado. A

almofada deve ser inflada ao apertar a bomba, mas há aparelhos que inflam a almofada sozinhos.

O monitor deve ser verificado até o momento em que atinja um valor 30 pontos (mm Hg) acima do esperado. Ele deve ser observado, pois a leitura irá aparecer nele. Essa leitura pode ser parecida com 120/80; os primeiros números que aparecerem significam a pressão arterial sistólica e a diastólica. O último número que aparecer se refere à frequência cardíaca. Depois, irá aparecer um bip longo e o manguito começará a esvaziar.


http://pressao-arterial.info/mos/view/Aferindo_a_Press%C3%A3o/

Alimentação para hipertensos

Alimentação       
Os alimentos consumidos podem afetar a sua pressão arterial; por isso, o paciente deve escolher alimentos que não aumentem os efeitos da doença. Para pacientes acima do peso e que foram acometidos pela doença, devem utilizar uma dieta com baixa caloria. Além disso, ele deve adquirir hábitos saudáveis de alimentação para que possa manter um peso adequado.
Consumo de sal: Uma quantidade de sal menor que uma colher de café é o suficiente para o ser humano (cerca de 2,5g diárias). No entanto, a quantidade utilizada diariamente pelas pessoas é bem maior que isso.
É necessário que o paladar da pessoa se acostume com uma comida menos salgada, o que não significa dizer que está sem gosto. Pacientes ou não devem evitar de comer perto de saleiros e dar preferência aos temperos feitos naturalmente.
Dicas
  • Verifique o rótulo dos alimentos e tente dar preferência aos alimentos que tenham pouca ou nenhuma quantidade de sal;
  • Procure não manter um saleiro sobre a mesa para evitar colocá-lo na comida quando ela estiver pronta;
  • Alguns alimentos não perdem o sabor se for retirada uma quantidade de sal durante o preparo;
  • Quando almoçar fora, verifique se alguns alimentos podem ou são ser preparados com pouco ou nenhum sal;
  • Evite os queijos amarelos e coma os brancos.

Sal Marinho

- Sal natural encontrado nas rochas e contém sódio, magnésio e outros minerais.

Sal Refinado - É o mesmo sal marinho que é refinado e recebe o iodo para evitar o aparecimento do bócio.

Sal Ligth – Esse tipo de sal possui um baixo teor de sódio.

Potássio: Coma alimentos ricos em potássio como as bananas, laranjas, batatas, tomates e leites.

Cálcio: Dê preferência aos alimentos ricos em cálcio que ajudam seu coração a manter o ritmo.

Alho: Pode ser utilizado para substituir o sal para temperar os alimentos.

Verduras e legumes: Esses alimentos devem ser consumidos para diminuir a pressão arterial e também são importantes para a manutenção do peso.

Suco de uva e vinho tinto: Eles possuem bioflavonoides, que ajudam a combater os radicais livres e ajudam a relaxar os vasos sanguíneos.

Gérmen de trigo: Por possuir um efeito anticoagulante, ele ajuda a melhorar a circulação do sangue nas veias.

 Alimentos que são aconselhados:


- Pão sem sal e cereais;
- Hortaliças;
- Massas e batatas;
- Consumir gorduras vegetais como o óleo de soja ou de girassol;
- Queijo branco;
- Sucos naturais.

Alimentos que devem ser evitados


- Temperos industrializados como o ketchup, mostarda e caldos prontos;
- Refrigerantes;
- Conservas;
- Frios como a mortadela e o presunto;
- Alimentos embutidos;
- Café puro;
- Açúcares e gorduras;
- Carnes vermelhas;
- Alimentos industrializados;
- Alimentos dietéticos em excesso;
- Carne de charque.

Exercícios Físicos



A prática de exercícios físicos é importante para que o paciente diminua a ansiedade e a tensão muscular. São essenciais para o controle da pressão alta e também para diminuir a incidência de problemas cardiovasculares. Junto com as atividades físicas, o paciente deve aliar uma dieta que tenha os alimentos recomendados para a hipertensão arterial.

Os exercícios que mais devem ser realizados são os aeróbicos , porque trabalham com a musculatura e utiliza uma grande carga de oxigênio. Dentre eles, pode-se destacar a corrida, natação, caminhada, entre outros. O hipertenso deve realizar um exame clínico, antes de iniciar os exercícios, para que sejam verificados possíveis impedimentos para a prática física.

Mitos e Verdades


Dor de cabeça é um sinal de hipertensão? (VERDADE)

Pode ser uma das causas para a dor de cabeça; porém, ela pode ser consequência de outras doenças que não estão ligadas à pressão alta. O médico deve ser consultado em qualquer caso.

O nariz pode sangrar em casos de pressão alta? (VERDADE)

Caso ocorra o aumento da pressão sanguínea, os pequenos vasos que estão no nariz podem se romper, causando o sangramento.

Quando a pressão está baixa, deve-se colocar uma pitada de sal embaixo da língua? (MITO)

Essa não é a melhor maneira de resolver o problema, pois para que a pressão aumente, é necessário que o corpo retenha líquido. É importante que a pessoa mantenha as pernas levantadas e beba muita água.

A musculação pode ajudar no tratamento da pressão alta?
(MITO)

Os pacientes que sofrem de hipertensão devem verificar com o médico a possibilidade de realizar a musculação. Ela pode até piorar a situação da doença.

O calor diminui a pressão? (VERDADE)

O calor faz com que ocorra a vasodilatação e caso ela aconteça junto a uma desidratação, faz com que a pressão abaixe.

Hipertensos não realizam atividades físicas? (MITO)

Podem ser praticados exercícios físicos com a autorização do médico e mediante um teste de esforço. O cardiologista deve ser consultado para avaliar as condições do paciente.

http://pressao-arterial.info/mos/view/Alimenta%C3%A7%C3%A3o/
Pressão Baixa

Também chamada de hipotensão arterial, a pressão baixa pode indicar ou não um problema mais grave que pode estar acompanhado de sintomas. Essa doença pode ocorrer quando o sangue é bombeado pelo coração de forma mais lenta e, em consequência, há a expulsão de um volume menor de sangue, quando os vasos sanguíneos se dilatam ou quando ocorre uma hemorragia.
 Em uma pessoa adulta a pressão é considerada baixa quando está abaixo do considerado ideal (menor que 105/60mmHg). Ela altera durante o dia e cai quando as pessoas dormem e aumenta quando elas acordam. Há alguns casos de hipotensão que podem causar desmaios e até choque.

Pode aparecer sintomas como: suores excessivos, aceleração dos batimentos, perda da consciência, prejuízo no funcionamento dos rins, dentre outros.

A pressão baixa pode ocorrer a partir dos seguintes casos:
- desidratação;
- traumatismos;
- envenenamentos;
- queimaduras severas;
- pessoas que sofreram de desidratação e receberam uma dosagem alta de diuréticos podem ter sua pressão afetada se alterarem sua posição;
- reações alérgicas, etc.

Tratamento


O tratamento para pressão baixa tem o intuito de reduzir os efeitos dos sintomas e as possíveis complicações da doença. O ideal é que o paciente sente ou deite assim que começar a sentir alguns sintomas e deve aguardar até que esteja melhor. A ocorrência constante de hipotensão requer cuidados e é necessário visitar um médico.

Tipos de Hipotensão


Hipotensão Postural

Também conhecida como hipotensão ortostática, ela ocorre quando há uma queda da pressão arterial porque uma pessoa se levanta após estar sentada ou deitada. Quando se está deitado, o volume de sangue é distribuído por igual para os vasos. Já na posição em pé, o sangue passa a ir e se concentra nos membros inferiores do corpo.
Devido a isso, o organismo passa a realizar um processo chamado vasoconstrição, para que a parte superior do corpo humano também receba sangue, mas esse procedimento vai de encontro com a lei da gravidade.

Quando o processo descrito não ocorre com a rapidez esperada, pode acontecer a hipotensão ortostática. O surgimento do problema pode ser devido a diversos fatores. Alguns estão ligados a problemas neurológicos, consumo de medicamentos ou alterações psiquiátricas. Quando esse problema ocorrer, a pessoa deve ser colocada na posição horizontal, elevar as pernas e desapertar as roupas até que ela não sinta mais nada. Sendo recorrente esse tipo de hipotensão, o médico deverá ser consultado para que se verifique a possibilidade de utilizar uma medicação específica.
Fatores de Risco

- Anemia;
- Infecções graves;
- Embolia pulmonar;
- Problemas cardíacos;
- Problemas endócrinos;
- Problemas no sistema nervoso central.

Hipotensão Neuralmente Mediada
Nesse caso, a hipotensão ocorre quando a pessoa fica em pé por um longo período. Com isso, ela acaba ficando tonta e pode até desmaiar. Também pode acontecer com pessoas que sofreram experiências desagradáveis. Esse tipo de pressão baixa acontece porque não há uma boa comunicação entre o cérebro e o coração. O corpo passa uma informação ao cérebro de que a pressão está alta e por isso, os batimentos cardíacos diminuem causando os sintomas da doença.

Frequência Cardíaca
Também chamado de ritmo cardíaco, a frequência cardíaca é a quantidade de vezes que o coração bate durante o período de um minuto.A frequência cardíaca pode ser medida utilizando as seguintes formas:
  • Contar durante 10 segundos e multiplicar o resultado por 6;
  • Contar durante 15 segundos e multiplicar o resultado por 4;
  • Contar durante 30 segundos e multiplicar o resultado por 2;
  • Contar durante um minuto.

Medir a frequência dos batimentos é bastante usado nas atividades físicas para que se tenha a noção sobre qual atividade é adequada. Sabendo a frequência, o indivíduo evita praticar exercícios aeróbios mais fortes do que seu corpo aguenta. As frequências cardíacas muito baixas recebem o nome de bradicardias e as muito altas são chamadas de taquicardias; elas podem ser indício de um possível problema cardíaco.

Pressão baixa também pode ser problema

Se aparecerem sintomas como visão borrada, tontura ou desorientação, a hipotensão deve ser tratada como emergência médica



Apesar de a pressão alta receber toda a atenção, pelo fato de ser fator de risco para ataques cardíacos e derrames, a pressão arterial muito menor que a média também deve ser motivo de preocupação.

A maioria dos casos de pressão baixa, clinicamente chamada de hipotensão, não necessita de tratamento. Mas se é grave o suficiente a ponto de apresentar sintomas - como visão borrada, tontura ou desorientação -, deve ser tratada como emergência médica, diz a enciclopédia Adam.

Os fatores a seguir podem contribuir para o aparecimento da hipotensão:

- Tomar certos medicamentos, inclusive alguns para o tratamento de ansiedade, depressão, problemas cardíacos ou dor

- Diabetes em estágio avançado

- Anafilaxia, uma reação alérgica severa

- Desidratação e desmaios

- Insuficiência cardíaca ou ataque cardíaco

Leia mais sobre pressão arterial:
Cinto apertado e pressão arterial
Açúcar pode estar relacionado com a hipertensão
O infarto do novo século
Hipertensão: exercício ajuda a reduzir medicação
Uma soneca contra a hipertensão
http://saude.ig.com.br/minhasaude/dicasdesaude/pressao+baixa+tambem+pode+ser+problema/n1596835389956.html

Como evitar o enjoo em viagens de carro

Algumas pessoas ficam nauseadas com a movimentação do veículo. Confira dicas para não passar mal

 
Curvas na estrada ou a simples movimentação do carro pode levar a enjoos

O enjoo provocado pela movimentação do carro pode estragar as férias ou constranger durante aquela viagem de negócios. Um distúrbio do ouvido interno afeta o balanço e o equilíbrio, podendo levar a náuseas, enjoos e vômitos.

A Clínica Cleveland sugere estas dicas para evitar os incômodos:

- Se você tem tendência a enjôo, não leia com o veículo em movimento.

- Certifique-se de dormir bem antes de viajar.

- Evite alimentos ácidos ou gordurosos.

Leia também:

Evite dor nas costas ao viajar de carro

- Beba muita água durante todo o dia e restrinja o consumo de álcool.

- Evite fumar e inalar a fumaça como fumante passivo.

- Incline a cabeça para trás, contra o encosto de seu assento.

- Se você é o passageiro do carro, olhe a paisagem ao longe. Se você é o motorista, mantenha o foco na estrada, mas altere a direção do olhar de vez em quando.

http://saude.ig.com.br/minhasaude/dicasdesaude/como+evitar+o+enjoo+em+viagens+de+carro/n1596992410956.html

Suco de romã pode frear metástase de câncer de próstata

Componentes químicos da bebida também poderiam ser usados contra outros tumores

Pesquisadores da Universidade Riverside, da Califórnia, identificaram componentes no suco de romã que podem inibir os movimento de células cancerosas e a metástase do câncer de próstata. A descoberta, diz Manuela Martins-Green, uma das pesquisadoras, pode ainda ter impacto no tratamento de outros tipos de câncer.

Quando o câncer de próstata reaparece no paciente depois de tratamentos como cirurgia e/ou radiação, geralmente o próximo passo é a supressão do hormônio masculino testosterona, um tratamento que inibe o crescimento das células cancerosas, pois elas precisam do hormônio para crescer.

Mas, com o tempo, o câncer desenvolve formas de resistir também a esse tratamento, se transforma em um câncer muito agressivo e sua metástase ataca a medula óssea, pulmões, nódulos linfáticos e geralmente resulta na morte do paciente.

O laboratório americano aplicou o suco de romã em células de câncer de próstata cultivadas em laboratório que já eram resistentes à testosterona - quanto mais resistente à testosterona uma célula cancerosa é, maior é a sua tendência à metástase.

Os pesquisadores então descobriram que as células tratadas com o suco de romã que não morreram com o tratamento mostraram uma maior adesão, o que significa que menos células se separavam, e também queda na movimentação destas células.

Em seguida, os pesquisadores identificaram os grupos ativos de ingrediente no suco de romã que tiveram impacto molecular na adesão das células e na migração de células cancerosas no câncer de próstata já em estado de metástase.

"Depois de identificá-los, agora podemos modificar os componentes inibidores do câncer no suco de romã para melhorar suas funções e fazer com que eles sejam mais eficazes na prevenção da metástase do câncer de próstata, levando a terapias com remédios mais eficazes", disse Manuela Martins-Green.

Outros tipos de câncer

A pesquisadora afirma que a descoberta pode ter impacto no tratamento de outros tipos de câncer. "Devido ao fato de genes e proteínas envolvidas no movimento das células de câncer de próstata serem essencialmente os mesmos que os envolvidos no movimento de células em outros tipos de câncer, os mesmos componentes modificados do suco poderão ter um impacto muito mais amplo no tratamento do câncer", afirmou.
 
 
Manuela Martins-Green explicou ainda que uma proteína importante produzida na medula óssea leva as células cancerosas a se mover para a medula onde elas poderão formar novos tumores.
 
 
"Mostramos que o suco de romã inibe a função desta proteína e, assim, esse suco tem o potencial de evitar a metástase das células do câncer de próstata para a medula", disse.

Os próximos planos da pesquisadora são fazer testes adicionais em um organismo vivo com câncer de próstata em em fase de metástase para determinar se os mesmos componentes que foram eficazes nas células cultivadas em laboratório poderão evitar a metástase sem efeitos colaterais.

http://saude.ig.com.br/suco+de+roma+pode+frear+metastase+de+cancer+de+prostata/n1237864627175.html