Aplicativos, carreira, concursos, downloads, enfermagem, farmácia hospitalar, farmácia pública, história, humor, legislação, logística, medicina, novos medicamentos, novas tecnologias na área da saúde e muito mais!


domingo, 5 de agosto de 2012

Cera no ouvido é natural e excesso de limpeza pode trazer problemas

Lubrificar, proteger e limpar os ouvidos são algumas das funções do cerume produzido na cartilagem do canal auditivo. E apesar de considerada uma sujeira incômoda pela maioria das pessoas, a cera do ouvido é fundamental para manter a saúde do sistema auditivo como um todo.

O ouvido é formado por três partes – o ouvido externo, o médio e o interno. Na parte externa está o chamado pavilhão auricular, que protege o órgão do vento e da sujeira e capta os ruídos, e o conduto auditivo externo, um canal que liga o pavilhão ao tímpano.

“O canal auditivo tem uma parede óssea mais interna e uma cartilaginosa continuacao do pavilhão auditivo, ambas revestidas por pele. É nesta área cartilaginosa que ficam localizadas as glândulas que produzem a cera”, explica Rita de Cássia Guimarães, otorrinolaringologista do Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Paraná (UFPR) .

A cera, também denominada cerume, faz a limpeza e lubrifica o canal auditivo. A substância ainda impede a entrada de bactérias, fungos e insetos. O cerume é uma mistura de secreções das glândulas sudoríparas apócrinas com líquidos mais viscosos, produzidos pelas glândulas sebáceas presentes na região.

“É totalmente contraindicado o uso de hastes flexíveis de algodão ou de objetos pontiagudos para retirar a cera dos ouvidos. Este hábito é uma agressão que pode comprometer a integridade do sistema auditivo”, alerta a médica, especialista em otoneurologia.

Excesso de limpeza pode deixar ouvidos desprotegidos
A forma como o cerume trabalha é simples. Para a limpeza, a cera é levada para fora e carrega tudo o que estiver em seu caminho – pó, particular e sujeira. A movimentação da mandíbula ajuda a desgrudar os detritos do canal auditivo.

“Devido ao importante papel desempenhado pela cera, sem a sua presença, os ouvidos ficam desprotegidos. A ausência desta secreção favorece a criação de um ambiente propício ao surgimento e desenvolvimento de microorganismos responsáveis por doenças e infecções auditivas”, esclarece Rita.

Além de inibir o crescimento de determinados fungos, a cera previne queimaduras, coceiras e a dissecação dos ouvidos por causa de sua função de lubrificação. O sebo fabricado pelas glândulas sebáceas enriquece o cerume com substâncias lipídicas, garantindo que o canal auditivo esteja sempre lubrificado. “A deficiência na lubrificação pode causar descamação, pele seca e coceiras. Outra importante característica da cera é que ela evita a entrada de água dentro dos ouvidos”, ressalta Rita.

Falta ou excesso de cera: caso para especialista, não de soluções domésticas
A médica enfatiza que o organismo prima pelo equilíbrio em todos os seus órgãos e funções. Por este motivo, a falta ou o excesso de cera nos ouvidos é prejudicial. A produção exagerada do cerume pode provocar a obstrução do canal auditivo e pressionar o tímpano, dificultando a audição dos sons.

“O caso deve ser avaliado por um otorrinolaringologista, profissional habilitado para indicar o melhor tratamento. Normalmente, o médico realiza uma limpeza dos ouvidos, utilizando seu conhecimento técnico e as ferramentas adequadas, o que evita lesões”, diz.

Tentar retirar o excesso de cerume em casa pode ser muito perigoso. A haste flexível de algodão, um dos objetos mais usados para este fim, pode empurrar a cera para dentro e agravar a situação. A haste remove apenas uma pequena porção da camada superior da cera e o restante permanece no canal auditivo.

“Dependendo da força usada nessa limpeza ou do tamanho do objeto colocado dentro do ouvido pode haver o rompimento do tímpano e outras lesões com consequências graves para a audição”, aponta a especialista.

Fonte O que eu tenho

Perder peso com hábitos saudáveis

Perder aqueles quilinhos extras nos preocupa muito e geralmente não é fácil. Muitas vezes pesamos que uma consulta com nutricionista e um pouco de boa vontade será o suficiente. Mas nem sempre é tão simples assim.

Para conseguir perder peso de maneira eficaz, é necessário fazer dieta evitando alimentos que tem muita gordura e dar a seu corpo os nutrientes necessários. Também é recomendado para complementar sua dieta fazer exercícios para o corpo absorver os componentes adquiridos, queimar gordura e fortalecer os músculos para evitar a flacidez.

Até aqui já conhecemos de tudo. Mas o que nem todos tem consciência é de outro elemento para uma dieta eficaz é ter um estilo de vida com hábitos saudáveis. O que vamos mostrar hoje neste artigo é: hábitos para perder peso.

Coma frutas e verduras
O principal alimento para qualquer dieta saudável são frutas e verduras. Estes são os alimentos com poucas calorias e ricos em fibras. Além disso, a ampla variedade das verduras também dá uma maior possibilidade de combinar e preparar mais refeições. Recomendamos a ingestão de cinco a sete porções de frutas e verduras diárias.

Cozinhe sua própria comida
Não há nada melhor do que comida caseira. Nós gostamos de sair para jantar em um restaurante de vez em quando, mas isso não precisa se tornar um hábito. Por mais que o menú seja light, eles costumam usar óleo de manteiga em excesso. Por essa razão, recomendo que você cozinhe sua própria comida. Pois você sabe quais os ingredientes que esta usando e pode controlar as porções.

Coma grãos integrais
Cereais são caracterizados por serem ricos em fibras e fornecerem nutrientes importantes, tais como vitamina B6 e E. Ao comer cereais integrais estamos comendo os carboidratos que o corpo necessita, mas sem ganhar peso. Os pães feitos com farinha comum contêm um alto índice glicêmico, portanto recomendo optar por pães integrais.

Mantenha-se ativo
Como tinha mencionado no inicio do artigo, os exercícios são tão importantes como a dieta para perder peso. Você tem que manter uma rotina de exercícios: não vale ir apenas de vez quando. Mas não é a única atividade que ajuda a queimar calorias, mas atividades rotineiras como passear com cachorro, subir escadas, andar de bicicleta, etc.

Controle as porções
Este é um fator essencial para perder peso e mantê-lo. Existem alimentos saudáveis, como nozes, por exemplo, que deixam de ser quando comemos demais. Qualquer alimento que comemos em excesso não faz bem para corpo, portanto tome cuidado com racionalização das refeições.

Anote suas refeições
A variedade de alimentos nos conduz a uma dieta equilibrada. Mantenha uma contagem das calorias consumidas por dia ou semana, ajuda a não sair da dieta e ter mais controle do que você come. Está provado que manter um diário alimentar ajuda a perder peso.

Fonte dicasmodafeminina.com

Frutas e legumes: há limites para se comer alimentos saudáveis?

Assim como alimentos pouco saudáveis – como as junk foods e outros alimentos industrializados – o excesso de frutas e legumes podem levar a uma dieta falha. Claro que os níveis de consumo para esses alimentos mais benéficos para a saúde têm um limite muito superior àqueles com excesso de gorduras, sal e calorias vazias.

O estudo, feito por Brooke Schantz, pesquisadora da Universidade de Loyola, nos EUA, aponta que o segredo, como sempre, é controlar o número e quantidade das porções ingeridas. “Frutas e legumes são cheias de nutrientes então, como todo alimento, o excesso pode levar ao ganho de peso”, diz a autora.

De acordo com Schantz as mesmas regras para uma alimentação balanceada devem ser aplicadas ao consumo de frutas e vegetais em geral. O controle do peso, no final das contas, segue uma máxima simples: gastar mais energia do que se consome.

Associar boa alimentação e atividades físicas
Comer somente frutas e verduras sem ter um gasto calórico mínimo (conseguido com ao menos 15 a 20 minutos de exercícios moderados diariamente), consequentemente, pode sim levar ao ganho de peso.

“Diversos pacientes reclamam que não sabem por que não estão emagrecendo, já que suas dietas têm grandes porções de alimentos saudáveis. Mas se não há o hábito de exercícios além de diminuir os alimentos pouco saudáveis deve-se controlar também a ingestão de alimentos benéficos para a saúde”, diz.

Alimentos ricos em fibras
Mas com toda regra há exceção, também para os alimentos saudáveis há “coringas” alimentares. Alimentos ricos em fibras são considerados os mais light que existem e, portanto, diz a pesquisadora, são aqueles que é preciso comer quantidades absurdas para que influenciem no ganho de peso.

“Claro que estamos falando do consumo desse tipo de alimento sem a adição de molhos, queijos, manteiga (no preparo) e condimentos que possam trazer calorias junto – como a mostarda industrializada”, explica a autora que aponta peras, milho, brócolis entre outros, como uma boa opção.

“O estudo aponta que comer bem é controlar as porções – seja qual for o alimento – evitar acompanhamentos que invertam os benefícios das frutas e legumes como excesso de gorduras – sejam elas boas ou não -, açúcar, excesso de sal e, acima de tudo, associar uma boa alimentação com alguma atividade física. Só comer coisas saudáveis e ter um estilo de vida sedentário são hábitos que podem se anular no final das contas”, finaliza.

Fonte O que eu tenho

Contracepção: os método naturais são opções emergenciais e pouco eficientes

Muco fértil
Algum dia você pode querer engravidar. Pode ser aos 18, 28 ou mesmo 38 anos. Ou, talvez, não queira ter filhos. Enquanto não tem certeza, a melhor opção é escolher um método contraceptivo até ter certeza de que você quer e está pronta para ter um bebê.

O sexo é uma experiência incrível e ficar pensando “será que vou ficar grávida”, acaba com qualquer clima. Por isso mesmo a contracepção deve ser uma responsabilidade partilhada por ambos os parceiros.

As formas de evitar uma gravidez vão muito além dos preservativos e da pílula. Para muitos casais, estas duas escolhas óbvias são eficazes, seguras e mais fáceis de usar. Mas hoje em dia, existem literalmente dezenas de opções. Há até mesmo alguns métodos interessantes e relativamente eficazes. Alguns métodos envolvem o uso de medicamentos, hormônios e outros não. Desta vez vamos falar sobre os métodos naturais de controle de natalidade.

Métodos naturais
Existem diversas variações de controle de natalidade natural. Os métodos mais eficazes ensinam as mulheres a traçar os sinais de fertilidade que fluxo e refluxo com as alterações hormonais naturais de cada ciclo menstrual. Existem duas abordagens principais, a abordagem sintotérmica onde a temperatura ao acordar e muco cervical estão mapeados, e a abordagem de muco, onde apenas o muco cervical é traçado.

O método sintotérmico ensina a mulher a observar, mapear e interpretar a sua temperatura corporal basal e muco cervical para compreender que dias ela está e não está fértil. Desta forma, é possível saber quando há menos ou maior probabilidade para engravidar. Este é considerado, entre os métodos naturais, o mais confiável.

Uma mulher com um ciclo menstrual regular vivencia geralmente a seguinte sequência de eventos:

•3 a 7 dias de menstruação;

•vários dias em que ela não se sente ou vê muco na vagina ou na vulva;

•vários dias de uma sensação de “molhado” ou “escorregadio” em sua vulva ou na vagina, onde ela vê e/ou sente o muco, que se torna progressivamente mais escorregadio, elástico, e claro conforme a ovulação se aproxima;

•após a ovulação a temperatura basal aumenta, o muco desaparece da vulva e a vulva e a vagina se tornam mais “secas”.

Dias férteis começam com a primeira sensação de muco na vulva e continuam até que o muco “seque” e a temperatura basal seja alta por três dias seguidos. Com dias de maior fertilidade e baixa fertilidade determinada, uma mulher pode manter relações sexuais a tempo de evitar ou obter uma gravidez.

Este método natural de controle de natalidade não é indicado para mulheres com as seguintes irregularidades: ciclos irregulares, incapacidade de interpretar os sinais de fertilidade corretamente ou infecções persistentes que afetam os sinais de fertilidade.

Eficácia
A mulher que esta diposta a utilizar o método natural de contracepção precisa aceitar a responsabilidade de mapear e interpretar sua fertilidade diariamente. A possibilidade de uma gravidez não planejada não deve representar um problema, pois pode ocorrer. Tal como acontece com todas as formas de controle de natalidade, a motivação, a intenção e a cooperação entre os parceiros são a chave para a utilização eficaz e bem sucedida.

A eficácia, no entanto, depende diretamente da precisão do método na identificação de janela real da fertilidade da mulher, a capacidade para identificar corretamente o período fértil, e capacidade do casal de seguir as instruções do método que eles estão usando. Estima-se que este método seja eficaz entre 95% e 98% quando usado corretamente e até entre 75% e 88% quando o casal não segue estritamente as regras.

Benefícios e desvantagens
Entre os benefícios, além de ser eficaz quando utilizado corretamente, por ser natural, não traz qualquer efeito negativo para a saúde. É uma alternativa para as mulheres que não podem ou não querem usar métodos hormonais; promove a consciência corporal positiva; consiste com muitas crenças religiosas e estilos de vida; alerta as mulheres à saúde reprodutiva e de fertilidade; e promove a comunicação entre os parceiros, além de incentivar o casal a desfrutar de uma variedade de atividades românticas ou sexuais como alternativas ao coito vaginal durante os períodos férteis..

Porém, vale a pena lembrar que este método previne apenas a gravidez e não oferece proteção contra doenças sexualmente transmissíveis. Requer tempo para que se aprenda a técnica (geralmente de três a seis ciclos) e os períodos de abstinência sexual podem ser um desafio sim para alguns casais.

Outros métodos naturais
•Método de amenorréia lactacional: este método é usado por mulheres que acabaram de dar à luz e alimentam o bebê exclusivamente com leite materno. Este método é eficaz apenas para os primeiros seis meses após o parto, desde que a mulher amamente o bebê pelo menos a cada quatro horas durante o dia e a cada seis horas durante a noite, e se seu período menstrual ainda não retornou. Depois de seis meses a fertilidade pode retornar a qualquer momento.

•Método da temperatura: o método contraceptivo da temperatura é uma estratégia para evitar a gravidez onde a mulher determina a temperatura do seu corpo em repouso, medindo a sua temperatura toda manhã antes de se levantar. Para que este método funcione o casal deve evitar a relação sexual a partir do início da menstruação até pelo menos de 48 a 72 horas após o dia em que ocorreu a elevação da temperatura corpórea basal.

•Método de ritmo (Calendário): Mais conhecido por “tabelinha”, é um método muito menos eficaz. Se prevê os dias férteis da mulher usando cálculos com base na duração dos ciclos passados ​​e não nas observações diárias de sinais de fertilidade.

•Retirada (coito interrompido): Neste método contraceptivo, o homem retira seu pênis da vagina da mulher antes da ejaculação, porém é pouco efetivo. Mas, simplificando, a retirada é melhor que nada. Se você confiar na retirada como seu principal método de controle de natalidade, há uma boa chance (um para cinco) de ter uma gravidez não planejada. Isso porque pode haver esperma no pré-ejaculado, o que pode levar à gravidez. Ele também requer muito autocontrole e prática. Estudos mostram uma taxa de insucesso de 19% em usuários típicos. A retirada também não oferece proteção contra as DSTs.

Abstinência
A abstinência significa não transar. E uma pessoa pode optar por abster-se em qualquer momento da sua vida, mesmo as que não se abstiveram no passado.

A abstinência sexual pode significar a escolha de se abster de diferentes níveis de atividade sexual.

Aqui estão algumas das possíveis definições de abstinência sexual entre duas pessoas consensuais:

•Evitar a relação vaginal;

•Evitar a relação vaginal, oral (pênis ou vagina) e anal;

•Evitar o contato genital (qualquer tipo de toque direto do pênis do parceiro ou da vagina).

Não ter relação é uma forma efetiva de prevenir a gravidez e ainda permite outras formas de expressão sexual. No entanto, se um objetivo secundário é o de evitar doenças sexualmente transmissíveis, as atividades sexo oral-genital e outras que expõem o parceiro para fluido pré-ejaculatório, sêmen, secreções cérvico-vaginais ou sangue devem ser evitadas.

Vantagens
•Mínimo risco de uso indevido;

•Liberdade contra a ameaça de infecção de ITS e HIV, se não houver troca de fluidos corporais;

•Não é preciso visitar um profissional de saúde;

•Sem custo, menos quando são usados preservativos ​​para sexo oral-genital.

Desvantagens
•Não existem desvantagens quando o casal consegue manter uma relação sem a necessidade de penetração. E, mesmo quando os casais escolhem esta abordagem, eles devem se informar sobre outras alternativas contraceptivas e ter métodos disponíveis no caso de decidirem ter relações sexuais com penetração em algum momento.

Fonte O que eu tenho

Spray com células vivas da pele é eficaz para tratar úlceras venosas da perna

Terapia descrita como "bioformulação alogênica de células vivas" contém dois tipos de células vivas, queratinócitos e fibroblastos

Utilizar spray de células vivas da pele diretamente sobre a ferida é eficaz para curar úlceras venosas da perna. É o que afirma estudo conduzido por pesquisadores dos Estados Unidos. Ensaio clínico de fase 2b testou um " spray de pele" em desenvolvimento para o tratamento de úlceras venosas. Ele contém dois tipos de células vivas, queratinócitos e fibroblastos.

A terapia, que é descrita como uma "bioformulação alogênica de células vivas" está sendo desenvolvido pela Healthpoint Biotherapeutics de Fort Worth, noTexas. A bioformulação, chamado HP802-247, contém uma combinação particular de queratinócitos e fibroblastos, que foi pensada para interagir com as próprias células dos pacientes para promover a cicatrização de feridas e regeneração de tecidos.

Os autores do projeto observam que resultados de experimentos anteriores com cultura de células em laboratório sugerem que as células liberam fatores de crescimento e citocinas no ambiente das feridas.

O ensaio clínico, realizado em 28 centros nos Estados Unidos e no Canadá, testou a eficácia de duas concentrações e frequências de dosagem da nova terapia combinada com o tratamento padrão e comparou com grupo controle submetido ao tratamento padrão. O ensaio foi realizado por um período de 12 semanas.

Duzentos e vinte e oito pacientes foram randomizados para receber um dos quatro padrões de dosagens/ frequência da nova abordagem (administrados a cada 7 ou 14 dias), ou a formulação de controle (veículo sozinho a cada 7 dias). Nem os pacientes nem os profissionais que aplicaram o tratamento sabiam se eles estavam usando o agente ativo ou o controle.

Cada paciente tinha até três úlceras venosas, com diagnóstico confirmado por ultra-som e com pelo menos uma úlcera medindo entre 2 e 12 centímetros quadrados de área, que persistiu durante entre 4 e 104 semanas. A principal medida de sucesso da abordagem foi a variação média de área da ferida no final 12ª semana. Em geral, a pulverização sobre a pele gerou melhoria estatisticamente significativa, em comparação com os pacientes do grupo controle - submetidos ao tratamento padrão.

Segundo os autores, houve uma "redução média significativamente maior na área da ferida associada com tratamento ativo". Os eventos adversos mais frequentemente relatados foram úlceras de pele, celulite, infecção da ferida e irritação da pele. Níveis foram praticamente os mesmo entre todos os grupos.

Os autores concluem que na dosagem apropriada, "úlceras venosas podem ser curadas com uma formulação de pulverização alogênica de queratinócitos neonatais e fibroblastos sem a necessidade de engenharia de tecidos".


Fonte isaude.net

Se a amamentação fosse mais promovida, mais crianças seriam salvas, diz Unicef

Unicef também indica que o aleitamento materno nos primeiros meses de vida pode salvar a vida de até 1 milhão de crianças

Durante a 20ª Semana Mundial de Amamentação, que vai até o próximo dia 7 de agosto, o diretor-executivo do Unicef, fundo das Nações Unidas para a Infância, Anthony Lake, reclamou daquilo que chamou de "marketing agressivo das fórmulas substitutas do leite materno" para as mães. Para ele, se a amamentação fosse mais bem promovida, mais crianças seriam salvas. Dados da ONU mostram que em 2010, nos países em desenvolvimento, apenas 39% das mães amamentavam 7% a mais do que em 1995.

O Unicef também indica que o aleitamento materno nos primeiros meses de vida pode salvar a vida de até 1 milhão de crianças todos os anos. Além disso, a ação ajuda a prevenir ainda doenças como diarreia e pneumonia que matam milhões de crianças, todos os anos.

O representante do Unicef em Angola, Koen Vanormelingen, explicou que o gesto traz melhoras também para a saúde das mães. "Tem benefícios tanto físicos como econômicos. Uma mãe que amamenta fica protegida contra o câncer de mama. A incidência deste câncer entre as mulheres que tenham amamentado é menor e, o argumento final é que é muito mais barato. A amamentação é gratuita", explicou.

Fonte isaude.net

Leite desnatado de caixinha tem quantidade insuficiente de nutrientes

Segundo pesquisa da Unicamp, com isso, consumidor deixa de absorver propriedades nutricionais essenciais na alimentação

Análises realizadas em amostras de leite UHT (de caixinha) de três marcas comercializadas nos supermercados de Campinas (SP) apontam que o leite desnatado não contém concentrações significativas de ácidos graxos insaturados, conhecidos como " gordura boa" , já que não oferecem riscos à saúde. Em outras palavras, segundo a farmacêutica e autora da pesquisa de mestrado, Natália Andrade Zancan, isto significa que, ao ingerir o leite desnatado UHT, o consumidor está deixando de absorver propriedades nutricionais que são essenciais para sua alimentação. " Nos casos de necessidade de uma dieta com restrição de gordura, o ideal seria evitar frituras, pães e outros alimentos com grande teor dos ácidos graxos saturados, ao invés de restringir o leite na forma integral" , aconselha Natália, lembrando que o estudo centrou em quantificar, apenas, o teor de gordura.

É certo que o leite integral possui altas concentrações dos ácidos graxos saturados, considerado o vilão presente nos alimentos. Eles aumentam o risco de desenvolvimento de doenças cardiovasculares, uma vez que podem formar camadas espessas de gordura nas paredes das veias e artérias, impedindo assim a passagem do sangue. " Ingerida em grandes quantidades, a gordura saturada pode levar ao infarto ou acidente vascular cerebral (AVC). Por isso, a ingestão do leite integral deve ser de forma equilibrada, em média dois copos por dia" , alerta.

Por outro lado, o fato de concentrar também a gordura insaturada faz do leite UHT integral uma fonte importante de propriedades nutricionais indispensáveis. O produto é fonte de ácido linoléico conjugado (CLA), um tipo de ácido graxo insaturado e uma das substâncias mais importantes do momento por conter propriedades antiinflamatórias e anticancerígenas, além de ser um aliado na redução da gordura abdominal. Natália chegou a encontrar quantidades de 65,17 miligramas por 100 ml em amostras do leite integral. Em outra amostra a quantidade foi de 47,15 miligramas por 100 ml. Já no leite desnatado e semidesnatado não foram encontradas concentrações em nenhuma marca. Outra gordura essencial do grupo do ômega 3, denominada EPA, as concentrações foram mínimas em apenas uma das amostras do leite desnatado exemplo 0,14 miligramas por 100 ml , enquanto que no leite integral o achado foi corresponde a 2,42 miligramas por 100ml.

O estudo apresentado na Faculdade de Engenharia de Alimentos (FEA) foi orientado pelo professor Marcelo Alexandre Prado e teve como objetivo quantificar e qualificar os ácidos graxos do leite UHT, que são os componentes principais das moléculas de lipídeos deste alimento. Natália explica que as pesquisas, em geral, investigam as propriedades do leite antes de passar pelo processamento, conservação e embalagem. " Depois da ordenha da vaca, o leite é submetido a altas temperaturas para poder ser acondicionado nas caixinhas (princípio do processo UHT). Neste sentido, é importante verificar as alterações nas propriedades nutricionais após o processamento" , relata.

Para a pesquisa, Natália adquiriu amostras de três marcas de leite de vaca de várias regiões do país e de diferentes épocas do ano. Isto porque existe uma variação muito grande do produto por conta das formas de criação, alimentação do animal e clima da região. As análises contemplaram tanto o leite integral como o desnatado e, também, o semidesnatado. Amostras de leite em pó integral foram incluídas nas análises. " O intuito foi comparar os dados de diversos lotes a fim de obter um levantamento significativo, visto que no leite podem ser listados pelo menos 40 tipos de moléculas de ácidos graxos" , explica.

Fonte isaude.net

Extrato de morango possui efeito protetor contra radiação ultravioleta

Fruta exibe propriedades fotoprotectoras em culturas de células da pele humana (fibroblastos) expostas a radiação UVA

Extrato de morango adicionado a culturas de células de pele funciona como protetor contra radiação ultravioleta. É o que sugere estudo desenvolvido por pesquisadores da Itália e da Espanha, que abre caminho para a criação de creme fotoprotetor feito a partir da fruta.

A equipe de cientistas preparou culturas de células da pele humana (fibroblastos) e adicionou extrato de morango em diferentes concentrações (0,05; 0,25 e 0,5 mg / ml), a única exceção sendo o extrato de controle. Usando a luz ultravioleta, as amostras foram então expostas a uma dose "equivale a 90 minutos de exposição ao sol do verão na Riviera Francesa."

Resultados confirmam que o extrato de morango, especialmente a uma concentração de 0,5 mg / ml, exibe propriedades fotoprotetoras nos fibroblastos expostos a radiação UVA, aumentando a sobrevivência e viabilidade das células e diminuindo danos ao DNA.

"Esses aspectos são de grande importância uma vez que fornecem proteção para linhas de células sujeitas a condições que podem provocar câncer de pele e outras doenças inflamatórias e degenerativas relacionadas", diz o pesquisador envolvido no estudo Maurizio Battino, da Politecnica Università delle Marche, na Itália.

O pesquisador reconhece que este é o "primeiro passo para determinar os efeitos benéficos de morangos em nossa dieta ou como uma fonte possível para o desenvolvimento de cosméticos".

Os pesquisadores suspeitam que o que pode estar por de trás das propriedades fotoprotetoras dos morangos são as antocianinas - pigmentos que dão a folhas, flores e frutos a cor vermelha. Análises confirmaram que os extractos são ricos em tais substâncias.

"Esses compostos têm importantes propriedades anti-inflamatórias, antioxidantes e anti-tumorais, e são capazes de modular processos enzimáticos", a co-autora do estudo Sara Tulipani da Universidade de Barcelona. No entanto, os pesquisadores ainda não identificaram uma relação direta entre as antocianinas e as propriedades fotoprotetoras.

"No momento, os resultados do presente estudo servem como base para pesquisas futuras que terão por objetivo avaliar a 'biodisponibilidade' e 'bioatividade' das antocianinas nas camadas da derme e epiderme da pele humana, quer por meio de formulações para uso externo, que por meio da ingestão da fruta em si", conclui a pesquisadora.

Fonte isaude.net

Epidemia de insônia afeta 150 milhões de pessoas no mundo em desenvolvimento

Países pesquisados, Bangladesh, África do Sul e Vietnã, tiveram níveis extremamente elevados de problemas de sono em alguns casos superando as taxas de insônia ocidentais
Países pesquisados, Bangladesh, África do Sul e Vietnã,
tiveram níveis extremamente elevados de problemas de sono
em alguns casos superando as taxas de insônia ocidentai
16,6 % da população dos países pesquisados sofrem de insônia e de outros distúrbios graves do sono

Análise pan-Africana e Asiática de problemas do sono revela que cerca de 150 milhões de adultos no mundo em desenvolvimento sofrem de problemas relacionados ao sono.

Pesquisadores da Universidade de Warwick, no Reino Unido, descobriram que 16,6% da população dos países pesquisados possui insônia e outros distúrbios graves do sono. A taxa se aproxima a registrada em países do Ocidente, onde, segundo pesquisas realizadas no Canadá e nos EUA, 20% da população adulta sofre com problemas relacionados ao sono.

No presente estudo, os pesquisadores analisaram a qualidade do sono de 24,434 mulheres e 19,501 homens com 50 anos ou mais que vivem em áreas rurais em Gana, Tanzânia, África do Sul , Índia, Bangladesh, Vietnã e Indonésia, e entre indivíduos que vivem na área urbana no Quênia.

Os pesquisadores estudaram relações potenciais entre problemas do sono e demografia social, qualidade de vida, saúde física e condições psiquiátricas.

A ligação mais forte foi encontrada entre as condições psiquiátricas, como depressão e ansiedade, refletindo tendências observadas no mundo desenvolvido.

Variações marcantes foram identificadas entre os países pesquisados - Bangladesh, África do Sul e Vietnã tiveram níveis extremamente elevados de problemas de sono, em alguns casos superando as taxas de insônia encontrada em países do ocidente. No entanto, Índia e Indonésia apresentaram níveis relativamente baixos de problemas graves do sono.

A pesquisa também constatou maior prevalência de problemas de sono entre mulheres mais velhas, o que condiz com padrões encontrados em países de renda mais alta.

"Nossa pesquisa mostra que os níveis de problemas do sono no mundo em desenvolvimento são muito mais elevados do que se pensava", diz o principal líder da pesquisa, Saverio Stranges.

"Isto é particularmente preocupante visto que muitos países de baixa renda enfrentam uma dupla carga de doenças com pressão sobre os escassos recursos financeiros direcionados para tratar doenças infecciosas como o HIV, como também direcionados a terapias contra taxa crescente de doenças crônicas como doenças cardiovasculares e câncer."

O presente estudo sugere que os distúrbios do sono também podem representar um significativo e não reconhecido problema de saúde pública entre pessoas mais velhas, especialmente mulheres de baixa renda. Resultados também sugerem que os problemas do sono não estão ligados à urbanização, visto que a maioria das pessoas entrevistadas vivia em áreas rurais.

Diferenças entre os países analisados:
Bangladesh teve a maior prevalência de problemas de sono entre os países analisados; com uma taxa de 43,9% entre mulheres, mais do dobro da taxa registrada em países desenvolvidos e muito superior a taxa de 23,6% encontrada em homens. O país também apresentou padrões muito elevados de ansiedade e depressão.

O Vietnã também apresentou altas taxas de problemas do sono: 37,6% entre mulheres e 28,5% entre homens.

Os países africanos Tanzânia, Quênia e Gana registraram taxas de problemas do sono entre 8,3% e 12,7%.

A África do Sul apresentou taxa duas vezes maior às encontradas em outros países do continente, 31,3% entre mulheres e 27,2% entre homens.

Índia e Indonésia apresentaram baixa prevalência de problemas do sono. 6,5% entre mulheres indianas e 4,3% entre homens indianos. 4,6% entre mulheres da Indonésia e 3,9% entre homens da indonésia.

O estudo recebeu apoio da Organização Mundial da Saúde e foi financiado pelo National Institute on Aging of the National Institutes of Health e pelo Wellcome Trust.


Fonte isaude.net

Mulher engole faca e vai parar no hospital

Com histórico de bulimia, a moça quis provar aos amigos que não sofria de refluxo

Uma mulher, de 30 anos, de Atlanta, Estados Unidos, foi parar no hospital após engolir uma faca.

Com um histórico de bulimia, a moça inseriu o objeto pontiagudo na garganta para provar aos amigos de que ela não tinha mais refluxo.

No momento em que ela colocou a faca na garganta, algo a fez e rir e, consequentemente, a moça o engoliu parando em seu esôfago e causando desconforto, segundo o site The New England Journal of Medicine.

Uma esôgafogastroduodenoscopia foi realizada, sem complicações, para retirar a faca.

Mais tarde, o marido da mulher revelou que quatro anos atrás, ela havia engolido outra faca que só foi removida por meio de uma intervenção cirúrgica.

Fonte R7

Ronco em crianças pode sugerir infecções respiratórias, alergias e amidalite

São Paulo – O ronco infantil pode sugerir que a criança sofra de doenças respiratórias comuns da infância. Ele é comum, principalmente na faixa etária entre dois e nove anos. O alerta é feito pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HC/FMUSP).

As infecções do aparelho respiratório são mais frequentes nos primeiros anos de vida, quando se desenvolve a imunidade a partir do contato com o ambiente, ressalta a pediatra do HC Filumena Gomes. “Com o início da escolarização, ela [criança] tem mais contato com vírus e bactérias, e acaba tendo mais infecções que os adultos”.

Segundo a pediatra, o ruído provocado pela obstrução da via respiratória pode ocorrer por causa do aumento do tecido adenoideano, de infecções respiratórias, ou da existência de alergias não tratadas.

Existem também os casos de crianças que roncam por estarem em um processo de doença respiratória aguda, como amidalite ou rinite alérgica não tratada. De acordo com a médica, na maioria desses casos, o tratamento dos problemas respiratórios leva o paciente a deixar de roncar.

Mais importante, porém, do que interromper o incômodo do ronco é impedir que o problema gere comprometimentos anatômicos mais graves no futuro. A pediatra explica que o sistema respiratório da criança está em desenvolvimento nesse período da vida e o ronco prolongado, assim como suas causas, podem ocasionar sequelas permanentes.

“Algumas delas são o comprometimento dos aparelhos fonoaudiológico e respiratório, além de alteração óssea da face e da arcada dentária”.

Outros problemas associados ao ronco infantil são o desenvolvimento de um palato mais fundo, a alteração da formação da fala, da postura da língua e da boca. Nesses casos, o uso excessivo de chupetas, mamadeiras e dedo levado à boca por crianças com mais de um ano, pode gerar problemas sérios. “As causas do ronco na criança podem ser menos graves que em adulto em um primeiro momento, mas, nas crianças, podem levar a consequências de longo prazo”.

Filumena orienta que os pais verifiquem se a respiração durante o sono de seus filhos ocorre pelo nariz e com a boca fechada. “Se essa respiração passa por outras vias que não o nariz, ela pode levar a deformidades anatômicas e funcionais”. Se for constatada alguma anormalidade, deve-se fazer uma avaliação com o pediatra e, se necessário, encaminhar a criança para um tratamento com profissionais especializados em distúrbios do sono.

Fonte Agência Brasil

Funcionários da Fiocruz anunciam greve a partir de segunda-feira

Rio de Janeiro – Funcionários da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) vão paralisar suas atividades a partir de segunda-feira (6). A decisão foi tomada em assembleia na quarta-feira (1). Desde junho, os trabalhadores da instituição vinham fazendo paralisações de 24 horas.

Na  manhã deste sábado (4), representantes do Sindicato dos Servidores de Ciência, Tecnologia, Produção e Inovação em Saúde Pública (Asfoc) reuniram-se com o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, na sede da Fiocruz, no Rio de Janeiro, durante um evento público, e entregaram um documento com as reivindicação do grupo.

O presidente do sindicato, Paulo Garrido, argumentou que há três anos vem negociando com o Ministério do Planejamento e que desde então o salário dos funcionários sofreu desvalorização de 20%.

“Temos um acordo de março do ano passado com o governo determinando que até março de 2012 seria apresentada para os trabalhadores da Fiocruz uma proposta concreta na mesa. Na última reunião [semana passada], a Secretaria de Relações do Trabalho apresentou um diagnóstico um esboço, não uma proposta concreta”.

A greve permanecerá pelo menos até o dia 13, dia sinalizado pelo Ministério do Planejamento para a apresentação de uma proposta referente à pauta da categoria. Neste mesmo dia, uma nova assembleia está marcada para decidir os rumos da greve.

O ministro da Saúde disse que vai conversar com a ministra do Planejamento, Miriam Belchior. “Os trabalhadores têm seus mecanismos para lutar por aquilo que são seus direitos, pelas suas reivindicações e tenho plena convicção de que esse movimento não vai paralisar as atividades essenciais de assistência e de produção da Fiocruz”.

Além do aumento de salários, os grevistas querem a reestruturação do planos de carreiras, criação de uma data-base e a recomposição dos valores dos adicionais de insalubridade.

Os sindicalistas garantiram que as atividades de emergências dos hospitais e a produção de vacinas e medicamentos nas linhas já iniciadas não serão afetadas pela greve.

Para o presidente da Fiocruz, Paulo Gadelha, as reivindicações dos trabalhadores são legítimas e a conduta do sindicato tem sido madura. “A carreira na Fiocruz teve ganhos muito significativos há cerca de três anos, mas ao mesmo tempo desde esse período não tivemos recuperação de perdas e ajustes, que são importantes”. Gadelha ponderou, no entanto, que a conjuntura adversa internacional e nacional leva o governo a ter cautela na negociação.

Vinculada ao Ministério da Saúde, a Fiocruz está instalada em dez estados e tem um escritório em Maputo, capital de Moçambique, na África. Ao todo, são 16 unidades técnico-científicas, voltadas para ensino, pesquisa, inovação, assistência, desenvolvimento tecnológico e extensão no âmbito da saúde. Além da geração de conhecimento, a fundação produz vacinas, medicamentos à base de plantas, métodos de diagnóstico e monitoramento da saúde do trabalhador, e atua no aumento do número de patentes brasileiras e aprimoramento do sistema de saúde nacional.

Fonte Agência Brasil

Proteína na saliva de carrapato pode reduzir tumores cancerígenos, aponta estudo

Brasília – Estudo conduzido pelo Instituto Butantan indica que uma proteína presente na saliva do carrapato-estrela (Amblyomma cajennense) pode reduzir tumores cancerígenos – sobretudo dos tipos melanoma, de pâncreas e renal.

De acordo com a coordenadora do estudo, Ana Maria Tavassi, os pesquisadores buscavam, inicialmente, encontrar capacidade anticoagulante na saliva do animal, mas perceberam que a proteína também agia diretamente nas células.

“Fizemos estudos em células normais e tumorais. A proteína não exercia ação em células normais, mas tinha uma atividade capaz de matar as células tumorais”, explicou.

Após testes in vitro e em animais e com o depósito da patente, o próximo passo, segundo Ana Maria, são os testes pré-clínicos, que vão avaliar a segurança farmacológica da próteína. A previsão é que, em dois anos, a pesquisa tenha o aval da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

“Para desenvolver um medicamento, normalmente, se leva dez anos – do início dos testes até a fase clínica”, disse. “A gente avançou o máximo que podia avançar até aqui. O Brasil é carente no desenvolvimento de medicamentos, não tem histórico. Há uma dificuldade”, completou.

A pesquisadora lembrou que, no caso específico do câncer de pâncreas, não há tratamento terapêutico para combater a doença. A única chance do paciente, atualmente, é passar por uma cirurgia para a retirada do tumor, desde que ele seja operável.

“Quando você anuncia uma molécula com essa natureza, as pessoas que estão precisando ficam com uma expectativa muito grande, mas é preciso entender que, obrigatoriamente, ela tem que passar por todas essas fases de teste”, concluiu.

Fonte Agência Brasil

Tai chi: alívio para a artrite

Novo estudo mostra que a milenar técnica chinesa atenua dores

Um novo estudo mostrou que pessoas que sofrem de artrite podem conseguir alívio físico e emocional por meio da prática do tai chi, arte marcial milenar chinesa.

Pesquisadores constataram que pessoas que sofrem de osteoporose, artrite reumatóide e fibromialgia se sentiram melhor e se moveram com mais facilidade fazendo duas aulas por semana deste sistema de exercícios meditativos.

Estudos menores já haviam ligado o tai chi a benefícios similares em pessoas com artrite, mas os pesquisadores tinham questionado como as descobertas se aplicariam em uma população maior.

No novo estudo, além da evidência de alívio de brando a moderado por mei da prática, os participantes relataram ganho de mais estabilidade física e conseguiram ampliar o alcance mantendo o equilíbrio ao mesmo tempo – façanha importante para pessoas com artrite.

O tai chi, exercício que trabalha a mente e o corpo, originou-se como na China como uma arte marcial. Na prática, são utilizados movimente lentos e suaves, juntamente com respiração profunda e relaxamento para aumentar a força e a flexibilidade. Callahan, que também é membro do Centro Thurston de Pesquisa de Artrite da UNC, diz que a modalidade se popularizou nos últimos três anos.

“Tem muita gente adotando a prática e se tornando muito interessada na mesma”, disse.

Se estiver provado que o tai chi pode reduzir os sintomas de artrite, este pode ser um tratamento relativamente simples e barato para diversas formas deste mal. Callahan diz que as aulas não costumam custar muito – algumas são oferecidas gratuitamente – e, neste estudo, os participantes podiam participar mesmo sentados se não quisessem ficar de pé.

Compuseram o estudo 247 pessoas – quase todas mulheres, de raça branca e diagnosticadas com diversos tipos de artrite – designadas aleatoriamente pelos pesquisadores a participar de aulas com duração de um hora, duas vezes por semana, por um período de dois meses. As classes foram preparadas pela Fundação da Artrite dos Estados Unidos. Os participantes eram de 20 lugares diferentes dos estados de Nova Jersey e da Carolina do Norte. Para serem elegíveis ao estudo, eles tinham de conseguir se locomover sem assistência.

Antes do início do estudo e no período de avaliação de oito semanas, os pesquisadores fizeram relatórios de todos os participantes quanto aos níveis de dor, fadiga, rigidez muscular e funções físicas. Os participantes também tiveram de fazer uma autoavaliação quanto a saúde geral, estado psicológico (como sensação de desamparo) e sobre como conseguiam realizar atividades rotineiras.

O desempenho físico dos participantes também foi avaliado com o auxílio de um aparelho para testar a força e autonomia da parte inferior das pernas, um teste de marcha (normal e rápida) e dois outros testes de equilíbrio (teste unilateral das pernas e teste de alcance).

Callahan disse que ela ainda não pode quantificar o progresso em termos percentuais, mas os dados disponíveis sugerem que os participantes sentiram melhoras de brandas a moderadas, além do aprimoramento da sensação de bem-estar. Ela afirma que eles também dormiram melhor. Aparentemente, o tai chi oferece benefícios tanto físicos quanto mentais, ela complementou.

“O programa, como um todo, é designado para ajudar as pessoas a relaxar e pensar na respiração, nos movimentos. Tudo é feito lentamente e com um propósito”.

As descobertas do estudo – custeado pela Fundação da Artrite e pelo Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos – foram recentemente lançadas no encontro científico anual da Faculdade Americana de Reumatologia, em Atlanta.

Myeong Sôo Lee, pesquisadora titular do Instituto Coreano de Medicina Oriental de Daejeon, Coréia do Sul, disse que apesar de “rigoroso”, o estudo tem limitações. Ela diz que uma delas é que não foram enumerados os benefícios de acordo com os tipos de artrite. Existem evidências que sustentam que o tai chi reduz os sintomas de artrite nos joelhos, mas não para artrite reumatóide, disse Lee – que já pesquisou sobre os benefícios da técnica para artrite.

Embora as descobertas intensifiquem a questão da prática do tai chi como tratamento para algumas formas de artrite, Lee diz que serão necessárias informações adicionais antes que isso se torne uma fórmula geral. Como foram apresentadas em uma conferência, as constatações e conclusões sobre o estudo ainda devem ser vistas como preliminares até que o mesmo seja publicado em uma revista médica revisada por profissionais da área.

Fonte iG

Melhorar o sono pode reduzir as dores da artrite

Veja as recomendações da Arthritis Foundation para ter uma boa noite de descanso

Dormir mais e melhor pode ajudar você a controlar as dores da artrite, diz a Arthritis Foundation, entidade americana sem fins lucrativos que oferece informações para auxiliar as pessoas a terem qualidade de vida com artrite.

Veja algumas recomendações para ajudá-lo a descansar o suficiente:

1. Exercite-se regularmente em intensidade moderada. E lembre-se de reduzir o ritmo antes de deitar.

2. Elabore uma programação consistente de horários de sono e vigília e procure cumpri-la diariamente.

3. Não ingira cafeína ou álcool, especialmente próximo da hora de dormir.

4. Tome um banho morno antes de dormir ou ouça músicas suaves.

5. Procure ficar um pouco em silêncio ou leia um livro relaxante antes de dormir.

6. Não use medicamentos para dormir, a menos que seu médico os indique.

Fonte iG

Dicas para aliviar a artrose

Saiba o que funciona e o que não adianta fazer para atenuar a dor e o incômodo nas juntas

Se você viver o bastante – isto é, mais de 50 ou 60 anos – existe uma boa chance de que as suas articulações, provavelmente os joelhos ou a bacia, desenvolvam artrose.

E se a dor ou a rigidez começarem a limitar seriamente a sua capacidade de desfrutar a vida e de executar tarefas rotineiras, há uma boa chance de você considerar a hipótese de substituir a junta problemática por uma prótese.

“Pessoas com artrose recorrem cada vez mais a cirurgias”, diz David T. Felson, reumatologista e epidemiologista da Faculdade de Medicina da Universidade de Boston (EUA).

“A taxa de substituição do joelho está simplesmente explodindo, acima da proporção do aumento das mudanças vistas nas radiografias, e a cirurgia de substituição contribui enormemente para o crescimento dos custos da saúde pública.”

Entre 1979 e 2002, a cirurgia de substituição do joelho nos Estados Unidos subiu 800% entre as pessoas com mais de 65 anos. Embora Felson tenha descrito a substituição da bacia como “dinamite” – com grande eficiência no alívio da dor e recuperação da função – a troca do joelho pode ser muito menos útil.

“Em 10% a 30% dos pacientes a melhora não acontece", diz Felson.

Conhecendo o problema
A artrose (ou osteoartrite) é um tipo de artrite resulta do desgaste e da ruptura das juntas – não confunda com a artrite reumatoide, que é um distúrbio autoimune. A artrose é uma doença bastante frequente. Estima-se que ela atinja uma boa parte dos maiores de 65 anos e até 80% das pessoas com 75 anos ou mais. E o número aumenta conforme a população envelhece e engorda.

“A cada passo, a força exercida sobre as articulações que suportam peso é uma vez e meia a do peso corporal”, explica o ortopedista Glen Johnson.

“Ao correr, a força aumenta sete ou oito vezes. Dessa forma, a maneira mais eficiente de prevenir a artrose nos joelhos e quadris é perder peso, para quem tiver sobrepeso, e buscar atividades recreativas sem impacto.”

Enquanto a maioria das pessoas pensa que a artrose é um rompimento da cartilagem que impede o contato direto entre os ossos, estudos recentes mostraram que ela é uma doença muito mais complicada e envolve tecidos dentro e ao redor das juntas, incluindo ossos e medula. A inflamação pode ser um fator contribuinte e a genética também desempenha um papel importante. Até agora foram identificados três genes que aceleram o desenvolvimento da artrose.

Qualquer tipo de lesão ou cirurgia nas articulações, mesmo realizada por artroscopia, eleva o risco de surgimento da artrose. É por isso que tantos atletas profissionais e amadores desenvolvem o problema em idades mais jovens.

Mesmo assim, existem muitas soluções potenciais além da cirurgia para reduzir a dor e preservar – talvez até restaurando – a função normal da articulação. Ainda que a cirurgia seja necessária, ela pode ser adiada por vários anos com tratamentos cuja eficácia foi comprovada em testes clínicos bem planejados.

Geralmente, as juntas artificiais duram de dez a 15 anos. Adiar a cirurgia é útil porque com quanto menos idade se substitui uma articulação, maior é a probabilidade de uma nova troca se mostrar necessária. E tanto equipamentos quanto técnicas cirúrgicas vivem sendo aprimoradas; ao adiar uma troca de articulação, você pode terminar passando por uma operação mais simples ou utilizando uma prótese mais durável.

Aceite o conselho de quem já passou por isso: a substituição da articulação, principalmente do joelho, não é moleza. É essencial fazer uma fisioterapia árdua e a recuperação pode ser demorada e dolorosa. Também existem limitações após a recuperação porque as juntas artificiais não são tão flexíveis como aquelas com que nascemos.

O que funciona
Vamos começar pelo básico. Se você pesa mais do que deveria, faça o possível para se livrar desses quilos extras. Até mesmo a perda de 10% a 15% do peso corporal pode fazer uma grande diferença.

“Não há como salientar o bastante a importância do peso corporal”, explica Johnson.

“Com a crise mundial de obesidade, veremos mais e mais casos de artrose nos joelhos, tornozelos, quadris e coluna.”

Stephen Messier, professor de ciências da saúde e exercícios da Universidade Wake Forest, demonstrou num experimento com 450 homens e mulheres com osteoartrite que uma dieta de perda de peso aliada a um programa de ginástica bem planejado pode reduzir de forma significativa a dor no joelho.

De acordo com Johnson, os exercícios mais úteis são os que fortalecem os quadríceps (músculos da frente das coxas), como leg press, miniagachamento, agachamento com apoio e exercícios de flexão e extensão que restaurem e preservem a extensão do movimento. Várias visitas ao fisioterapeuta podem ajudar.

“A severidade da dor está diretamente ligada ao grau de fraqueza muscular”, escreveu Felson no New England Journal of Medicine. Ainda segundo ele: caso o joelho doa durante os exercícios, eles devem ser evitados.

Outra medida que pode auxiliar é usar o calçado correto com ajustes na sola e no salto, se necessário. Procure uma loja especializada em avaliar os pés e a pisada. Você tem pés chatos? Tem pernas arqueadas ou joelhos voltados para dentro? Palmilhas sob medida podem auxiliar a diminuir a pressão sobre joelhos ou quadris com artrose.

Embora a maioria dos especialistas recomende a caminhada, Johnson, por sua vez, prefere atividades sem impacto, como pedalar ao ar livre ou numa bicicleta ergométrica, nadar ou fazer ginástica numa máquina de remo seco ou elíptica. Segundo ele, quem preferir caminhar pode se beneficiar usando tênis para corrida.

O emprego de joelheiras por uma pessoa com artrose também pode ser útil, principalmente se elas tirarem a pressão da parte afetada da articulação. As joelheiras auxiliam quem sofre de artrose a continuar participando de atividades físicas e a adiar a necessidade de cirurgia.

Normalmente, analgésicos só ajudam temporariamente, quando ajudam. De acordo com especialistas, pode-se tentar tomar doses diárias de paracetamol – ele é significativamente mais seguro do que o ibuprofeno e outros anti-inflamatórios não esteroides.

Estudos clínicos já mostraram não haver alívio significativo da dor no joelho com artrose pormeio do uso de suplementos de glucosamina e sulfato de condroitina. Tampouco existem provas de benefício usando dimetil sulfona, S-adenosilmetionina ou acupuntura. Ainda segundo Felson, existem indícios de que remédios para osteoporose possam auxiliar, embora ainda não tenham sido avaliados no caso de pacientes com artrose num teste clínico randomizado.

Também existem sugestões de benefício da vitamina K, nutriente essencial encontrado em vegetais crucíferos (brócolis, couve, repolho e similares), que são bons para a saúde em geral (a menos que você tome anticoagulantes).

Os tratamentos médicos incluem injeções de esteroides a cada três ou quatro meses para controlar a dor e ganhar tempo, e injeções de substitutos do fluido sinovial duas vezes por ano. No geral, porém, assegura Johnson, isso não adianta muito quando a artrose chega ao estágio de “osso no osso”.

Fonte iG