Aplicativos, carreira, concursos, downloads, enfermagem, farmácia hospitalar, farmácia pública, história, humor, legislação, logística, medicina, novos medicamentos, novas tecnologias na área da saúde e muito mais!


terça-feira, 4 de julho de 2017

Novo curso da UNA-SUS trata das Infecções Sexualmente Transmissíveis

card ufma ist prancheta 1As ações para Vigilância, Prevenção e Controle do HIV/Aids, da Sífilis, das Hepatites Virais e de outras Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST) são tema do mais novo curso oferecido pela Universidade Federal do Maranhão, integrante da Rede Universidade Aberta do SUS (UNA-SUS/UFMA)

A capacitação integra a formação em Vigilância em Saúde e é voltada a profissionais atuantes no SUS, prioritariamente os vinculados à Vigilância em Saúde, assim como acadêmicos em geral. A ideia é promover conhecimentos sobre conceitos, transmissão, epidemiologia e aspetos sociais das ISTs mais prevalentes no Brasil, além dos princípios da Política Nacional de ISTs, HIV/Aids e hepatites virais.

Com carga horária de 30 horas, o curso é dividido em três unidades. Na primeira, denominada Epidemiologia das Infecções Sexualmente Transmissíveis mais prevalentes no Brasil, será possível reconhecer a magnitude do HIV/Aids, sífilis, hepatites virais e outras ISTs como problema de saúde pública e interpretar os dados epidemiológicos dessas enfermidades.

Em seguida, o aluno irá aprender mais sobre o contexto histórico de desenvolvimento das Políticas de ISTs, HIV/Aids e hepatites virais, ações de promoção e prevenção, bem como identificar os métodos de diagnóstico para tais doenças. Por fim, será possível conhecer melhor as ações integradas de Vigilância em Saúde e Atenção Básica e da Estratégia Saúde da Família voltadas para promoção, prevenção e controle da sífilis e outras ISTs.

A coordenadora do Núcleo Pedagógico da UNA-SUS/UFMA, Regimarina Reis, explica que o uso do preservativo segue como um dos principais instrumentos para as ações de prevenção dessas infecções. “No entanto, outras intervenções são comprovadamente eficazes e precisam ser incorporadas à proposta de prevenção combinada, que contempla diversas ações de prevenção e assistência, distribuídas em três áreas estratégicas com componentes específicos: prevenção individual e coletiva, diagnóstico e tratamento para ISTs assintomáticas (com laboratório) e Manejo de ISTs sintomáticas com uso de fluxogramas (com e sem laboratório)”. Entre as intervenções, a busca adequada e acesso a serviços de saúde, triagem para as doenças, tratamento das infecções identificadas e processos de aconselhamento e atendimento também são abordados como possibilidades na prevenção das ISTs, por exemplo.

Além disso, reconhecendo o espaço escolar como espaço privilegiado para práticas promotoras da saúde, preventivas e de educação para saúde, o curso aborda a temática “Programa Saúde na Escola com ênfase em sífilis e outras ISTs”.

O curso foi planejado em articulação com a área técnica da Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde (SVS/MS), e com ênfase nas ações da Atenção Básica. “Os estudantes contarão com um rico material, elaborado e validado por especialistas da área técnica e pedagógica, capaz de subsidiar as ações de prevenção, controle, assistência e monitoramento das ISTs”, afirma.

Fonte: Claudia - SE/UNA-SUS

Projeto de chupeta conectada é finalista em prêmio da Microsoft

Projeto brasileiro combate mortalidade infantil com chupeta capaz de identificar febre, hipotermia e problemas de hidratação

Protótipos do "Bubu Digital", projeto vencedor da HackBrazil (Foto: Divulgação)

Um projeto brasileiro batizado de Bubu Digital chegou à final do concurso Imagine Cup, da Microsoft, que premia ideias inovadoras e de grande impacto. O projeto propõe o uso de sensores em uma chupeta para identificar eventuais problemas de saúde de uma criança em estágio bastante inicial. O objetivo do projeto é diminuir a mortalidade infantil no Brasil e no mundo, explica a EXAME.com Rychard Guedes, um dos membros do time. Toda a criação foi realizada por estudantes de engenharia do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba.

Captando informações de temperatura e umidade, a chupeta se conecta a smartphones e tablets para enviar os dados. Qualquer mudança é compreendida pelo app que pode notar sinais de febre, hipotermia ou desidratação e enviar um aviso aos pais ou responsáveis. Guedes explica que além de servir para diminuir índices de mortalidade, a chupeta conectada pode trazer tranquilidade aos pais que ficam em dúvida quanto à saúde de seus filhos. O projeto foi um dos vencedores da etapa brasileira e está competindo pelo prêmio global na Imagine Cup, competição de inovação da Microsoft.

Ao todo, são 54 finalistas competindo por um prêmio de 100 mil dólares, além de mentoria com Satya Nadella, CEO da Microsoft, 120 mil dólares para serem gastos dentro da plataforma de nuvem Azure e uma viagem paga para a edição 2018 da conferência Build, para desenvolvedores. Outro projeto brasileiro chegou às finais, o UpFish, um sistema de monitoramento para criação de peixes. Além dele, o projeto da Associação de Estudantes Brasileiros da universidade Stanford também foi finalista. Eles criaram um aplicativo que permite que brasileiros acessem informações políticas e entrem em contato com seus representantes.

Exame

Envio de insulina é adicionado à Apple HealthKit

Aproximadamente uma em cada onze pessoas adultas no mundo têm diabetes, que ocasiona a elevação do açúcar no sangue. A Organização Mundial de Saúde (OMS) estima que em 2030 a doença seja a sétima maior causa de morte

A Apple atualizou a sua estrutura de aplicativos da HealthKit e passa a fornecer mais opções de rastreamento para pessoas com diabetes. Além disso, a empresa promoveu outras atualizações para os frameworks HealthKit e ResearchKit.

A ideia é que cada vez mais os usuários possam gerenciar suas condições, ou seja, o HealthKit conta com suporte para monitorar amostras de glicose no sangue, monitorar os carboidratos e rastrear os tipos de dados de atividade, o que contribui no gerenciamento de diabetes. Os novos recursos contemplam a capacidade de rastrear a hora relativa das refeições para uma amostra de glicose no sangue. Na sequência foi incorporado a capacidade de controlar a entrega de insulina.

A entrega de insulina pode ser considerada uma importante adição e sinaliza o interesse da Apple em estar envolvida em intervenções de diabetes em “circuito fechado” que englobam rastreamento de glicose e dosagem de insulina.

A redução do diabetes está intrinsecamente relacionada ao ato de repensarmos nossas atitudes cotidianas, isto é comer saudável, ser ativo e evitar ganho de peso. Sendo assim os aplicativos e wearables se apresentam como importantes aliados na escolha de hábitos saudáveis, além de colaborar com o tratamento para os diabéticos.

Saúde Business