Aplicativos, carreira, concursos, downloads, enfermagem, farmácia hospitalar, farmácia pública, história, humor, legislação, logística, medicina, novos medicamentos, novas tecnologias na área da saúde e muito mais!


segunda-feira, 25 de junho de 2012

Noctúria e enurese têm tratamento eficaz

Idosos e crianças têm maior dificuldade em controlar a urina durante o sono

Comum em recém-nascidos e crianças com até cinco anos, a enurese não é um problema apenas dos pequenos. Também chamada de micção noturna, ela caracteriza a urinação involuntária durante o sono e pode ser vista em homens a partir dos 50 anos. A noctúria, necessidade de levantar à noite para esvaziar a bexiga, também atinge uma camada significativa da população. Ambas as características têm tratamento, mas é preciso pesquisar caso a caso para entender quais são as causas.

Após os cinco anos de idade, a enurese, na ausência de patologia urológica, clínica ou mental, é considerada transtorno enurético. Embora ela possa ocorrer durante qualquer fase do sono, é mais comum ver casos no primeiro terço da noite.

Diversos problemas podem levar à micção noturna e à noctúria, até sonhos, mas o aparecimento dessa incômoda característica em pessoas com mais de 50 anos está relacionada ao aumento do tamanho da próstata, como explica o otorrinolaringologista e diretor da Associação Brasileira do Sono, Michel Cahali.

"Existem duas causas principais nos homens a partir de 50 anos de idade. O primeiro é o aumento do tamanho da próstata, que leva a quadro de noctúria frequente, acomete mais ou menos 20% dos casos e a indicação é procurar o urologista. O aumento da próstata acaba pressionando a uretra. A outra causa é a apneia do sono. Essa pessoa tem em torno de 30% de chance de ter noctúria por conta de fazer muita força para respirar à noite. Para respirar, ela tem de fazer tanta força que o sangue circula de um jeito estranho no corpo", diz.

Apesar de parecer que os problemas relativos à noctúria atingem apenas a pessoa na questão da qualidade do sono, há estudos que comprovam que levantar mais de três vezes por noite para urinar aumenta os riscos de acidentes por queda, sonolência e até morte devido à sonolência e à baixa luminosidade do ambiente.

É o que garante o especialista em Anatomia Aplicada da Cabeça do ICB/USP e também membro da Associação Brasileira do Sono, Fausto Ito. Por isso, recomenda-se que o tratamento seja feita assim que os primeiros sintomas aparecerem durante as noites do paciente.

"O tratamento da noctúria geralmente é eficaz, mas depende da sua causa e, por isso, deve ser individualizado. Pode incluir medidas comportamentais, como a adequação da quantidade de líquidos ingeridos antes de dormir, mudança do horário de administração dos medicamentos (como diuréticos), tratamento de problemas como diabetes descompensado ou insuficiência cardíaca e tratamento específico para problemas de próstata e bexiga", afirma Ito.

De acordo com o especialista, uma dica básica que todo médico passa é não ingerir altas quantidades de água antes de dormir, nem ir para a cama pouco tempo depois de comer. É preciso preparar bem o corpo para evitar esses problemas.

Fonte Minha Vida

Narcolepsia causa ataques repentinos de sono

Cercada por preconceito, doença afeta a qualidade de vida do portador

Os ataques súbitos de sono, em que a pessoa adormece sem querer enquanto dirige, conversa ou faz outras atividades normalmente entediantes, são a característica mais marcante da narcolepsia, uma doença que pode afetar gravemente a qualidade de vida do indivíduo. Como ainda há muito preconceito em torno desse distúrbio, o portador costuma ser taxado de preguiçoso, dorminhoco, desatento e distraído, seja no ambiente familiar, escolar ou profissional. "Já vi pessoas perderem o emprego ou se separarem por causa da narcolepsia", diz a médica do Instituto do Sono e professora do Departamento de Psicobiologia da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) Dalva Poyares.

A cataplexia, perda repentina de força muscular, é mais um sinal da doença e aparece em 60% a 90% dos casos. De acordo com Dalva, o problema pode ser parcial (em somente um grupo de músculos, como face, pescoço e coxa) ou total (no corpo todo, o que provoca quedas).

"A perda de tônus é normalmente desencadeada por emoções, sendo o riso uma das principais", explica a especialista. Euforia, tristeza, constrangimento e orgasmo também podem causar cataplexia.

Alucinações hipnagógicas (quando a pessoa está pegando no sono) e hipnopômpicas (quando está acordando) também são um indicador da narcolepsia, mas podem acontecer isoladamente, sem ter relação com a doença. As imagens que o indivíduo vê costumam parecer muito reais, o que assusta. "A pessoa não sabe se está dormindo ou não, mas tem a impressão de estar sonhando", descreve Dalva.

Outro sintoma é a paralisia do sono, que também pode surgir sem a narcolepsia. Cerca de 4% das pessoas têm uma vez ou outra sem que isso represente um problema de saúde. "Uma das fases do sono é a atonia muscular (na qual os músculos ficam paralisados). Quando o cérebro acorda nessa etapa, mas os músculos não, ocorre a chamada paralisia do sono", diz a professora da Unifesp. Durante essa defasagem, a pessoa pode ter sensação de morte iminente, já que não consegue se mexer.

"Se você vir alguém nessa situação, a primeira coisa é explicar que isso não é problema sério e dizer para ela continuar respirando que vai passar. Normalmente, passa em até um minuto e não precisa de remédio", recomenda. Outra orientação que pode ser dada é para a pessoa movimentar os olhos. "Há estudos que indicam que, fazendo isso, é possível sair do episódio mais rapidamente", afirma Dalva.

A narcolepsia é mais comum a partir dos 20 anos, mas também pode atingir crianças. "O estresse contribui para o desenvolvimento da doença. Mas, segundo pesquisas, a principal causa parece ser genética", diz a médica do Instituto do Sono. Em função dessa alteração genética, a produção de orexina (neurotransmissor estimulante) pelas células de um pequeno núcleo do hipotálamo é insuficiente.

A doença não tem cura, mas existem medicamentos que controlam o problema. "O objetivo é que pessoa permaneça acordada. Então, os remédios promovem um estado de vigília", explica Dalva.

Ao longo da vida, o paciente pode ter períodos em que não apresenta o distúrbio e, portanto, não precisa da medicação. Mas a médica alerta que, quando não estão medicados e ainda sentem os sintomas, os narcolépticos devem evitar operar máquinas e dirigir veículos para reduzir os riscos de acidentes.

Fonte Minha Vida

Saiba o que é e como tratar o bruxismo

Estresse é apontado como um dos principais responsável pelo distúrbio

O bruxismo é o hábito de pressionar e ranger os dentes durante o sono, produzindo ou não sons. Presente em adultos e crianças, o distúrbio normalmente acompanha a pessoa por toda a vida, já que o sucesso do tratamento depende essencialmente da resolução de questões emocionais. "As causas do ato inconsciente de apertar os dentes normalmente estão relacionadas a fatores psicológicos, como tensão, raiva, agressão reprimida, ansiedade, medo e, com destaque, estresse, além do mau posicionamento dental", explica o dentista Sidnei Goldmann.

Reclamações como ouvir zumbidos, ter dores perto do ouvido, da nuca e dos ombros, sentir dificuldade para mastigar, bocejar e abrir a boca e perceber estalos na região do ouvido, ao forçar a abertura da boca, são os principais sintomas do bruxismo, também conhecido por movimento parafuncional. Dores de cabeça e mandibulares também são sinais do distúrbio.

O transtorno pode acarretar desgaste dental, amolecimento de dentes, sensibilidade dentária, destruição e sangramento do tecido da gengiva e fadiga facial geral. Em dentes mais frágeis, sejam eles cariados ou tratados, o ranger pode provocar até mesmo a quebra.

O tratamento do bruxismo pode incluir o uso de placas, de silicone ou acrílico, que protege os dentes, alivia o sistema mastigatório e reduz a atividade elétrica muscular causadora da tensão. Além disso, o dentista também pode sugerir formas de reduzir o estresse, como, por exemplo, prática frequente de exercícios físicos, meditação, ioga, acupuntura e massagens, entre outras atividades, que podem variar de acordo com o perfil do paciente. Como o bruxismo não raramente vem acompanhado de depressão e ansiedade, pode haver necessidade de um tratamento psiquiátrico.

Se o caso for mais severo, o especialista ainda pode prescrever medicamentos para relaxar e dormir melhor. Seu dentista ou cirurgião maxilofacial ainda pode lhe indicar alguns exercícios para soltar os músculos maxilares. Outras ações que podem contribuir para a melhora são evitar chocolate e bebidas com cafeína e álcool e não mastigar com muita força durante as refeições.

Alguns fatores externos podem agravar o problema, como dormir de luz acesa ou TV ligada e ficar muitas horas no computador antes de deitar. Como esses estímulos interferem no ciclo do sono, mesmo que o indivíduo não acorde, podem ser um gatilho para o bruxismo. Por isso, um ambiente tranquilo para o descanso ajuda no bem-estar.

O bruxismo pode afetar pessoas de todas as faixas etárias e ambos os sexos. Mas é mais frequente em mulheres de 15 a 35 anos. Atualmente, estima-se que 7,5% da população mundial sofra desse problema. "Crianças com excesso de atividades e que passaram por problemas psicológicos (traumas, brigas de famílias ou quando são muito cobradas pela sociedade ou pelos familiares) têm muita possibilidade de desenvolver o bruxismo", afirma Goldmann.

Segundo uma pesquisa realizada pela Universidade Federal de Minas Gerais, a incidência é grande em crianças que têm responsabilidades desproporcionais à sua idade, como tomar conta da casa ou do irmão mais novo, por exemplo.

Fonte Minha Vida

Saiba como a medicina ayurvédica trata os distúrbios do sono

Remédios à base de plantas e mudanças de hábitos são formas de tratamento

Para a ayurveda, técnica milenar da medicina indiana, os distúrbios do sono indicam que algum dos elementos da natureza que compõem o ser humano, terra, água, fogo e ar, está em excesso no organismo. O tratamento para esses problemas, portanto, é restabelecer o equilíbrio desses itens, explica o médico ayurvédico e diretor da Associação Brasileira de Ayurveda, Paulo Bastos Gonçalves.

O reequilíbrio é feito com medicamentos à base de plantas medicinais, óleos mornos aplicados em diferentes partes do corpo e massagens. "Mas, de forma geral, a melhor maneira de tratar os problemas para dormir é buscar uma mudança no seu estilo de vida", afirma o especialista.

É importante observar um dos principais conceitos do ayurveda: "Os seres humanos são criaturas diurnas e devem seguir os padrões solares, isto é, acordar logo após o nascer do sol e preparar-se para o sono após o anoitecer". Como nem sempre é possível conciliar esse princípio do relógio biológico com os compromissos do dia a dia, o tratamento ayurvédico também vai buscar resolver também as outras causas dos distúrbios do sono.

Segundo Gonçalves, o atendimento ayurvédico inicia com a análise da qualidade e do tipo de sono que o paciente tem. O paciente é perguntado como apresenta dificuldades em adormecer, manter o sono, voltar a dormir e levantar de manhã. "Cada um desses comportamentos é a tradução da alteração do equilíbrio de um dos três estereótipos (Vata, Pitta e Kapha) nos quais o Ayurveda classifica as pessoas. Após a identificação do comportamento de sono, é feita a análise do perfil da pessoa e traçada a estratégia terapêutica para o caso", diz o médico.

Hábitos saudáveis
Conheça passos que podem ser seguidos sem contra-indicação e fazer a diferença na hora de dormir:

1. Procure levantar e deitar na mesma hora todos os dias. Isso ajuda o corpo e a mente em criar um padrão, levando a um estado de equilíbrio;

2. Evite a atitude de "compensar o sono", dormindo muito nos finais de semana;

3. Procure fazer exercícios físicos pela manhã e, caso isso não seja possível e você só possa se exercitar à noite, reserve um tempo para relaxamento antes de deitar.

4. Evite trabalhar à noite em casa, atitude típica de Pitta. Escute músicas suaves e faça leituras leves;

5. Evite o jantar pesado. O perfil Kapha aprecia uma boa refeição à noite, porém, adotando esse comportamento como hábito, fatalmente haverá um sono interrompido.

Fonte Minha Vida

Homeopatia trata causas dos distúrbios do sono

Curar os insones como indivíduos e não a insônia como uma doença que atinge muitas pessoas é a proposta da homeopatia. Com medicações individualizadas e mudanças de hábitos, o método trata ainda pacientes com sonambulismo, apneia, narcolepsia e bruxismo, entre outros distúrbios do sono.

Do ponto de vista dos homeopatas, esses problemas são sintomas de um desequilíbrio. Por isso, após analisar o paciente de forma ampla e subjetiva, o médico determina uma série de ações para a sua cura. "Diferentemente da alopatia, a homeopatia não trata sintomas, mas sim, procura atuar na energia vital do individuo para restabelecer o equilíbrio energético", explica o homeopata José Roberto Miglioli.

Dos dez pacientes que médico atende por semana, metade sofre de algum distúrbio do sono e, segundo ele, 80% são vítimas de ambientes impróprios, ou seja, quartos com muito barulho e luz ou colchão e travesseiro inadequados.

A primeira recomendação que Miglioli dá a seus pacientes é se preparar para dormir com, pelo menos, duas horas de antecedência. É aconselhável não ver televisão ou optar por programas tranquilos, além de evitar luzes e barulhos fortes.

A orientação mais importante, porém, é não levar preocupações para a cama. Para isso, cada pessoa deve descobrir uma maneira de relaxar e se distrair diariamente antes de tentar pegar no sono.

Ele adverte que o estilo de vida, basicamente sedentário, impossibilita as crianças de gastarem energia como deveriam. "Em função disso, muitas são diagnosticadas como hiperativas, quando, na verdade, se tivessem espaço e fossem estimuladas a brincar e a exercitar seus corpos, não apresentariam esses problemas".

Miglioli ressalta que se preocupar com a qualidade do seu sono não é um luxo. A sua disposição e o seu rendimento no dia seguinte estão totalmente atrelados à capacidade de relaxar e deixar o corpo se autoajustar. "Não dormindo, a pessoa diminui a condição física e a imunidade, fica mais propenso a doenças contagiosas, a memória piora e ainda potencializa qualquer disfunção como os problemas cardíacos e de pressão", enfatiza.

Fonte Minha Vida

Refrigerantes "magros" também afetam o peso

Gás da bebida expande o estômago; enquanto o sódio retém liquido

A moda dos refrigerantes zero chegou como um alento para os aficionados pela bebida que encaram a dieta. São diversas variações que não apresentam nenhuma quantidade de açúcar, sugerindo riscos mínimos para o regime. Outras opções como, os lights e diets, também confundem muitas pessoas, que acabam colocando o sucesso do regime em risco ao consumir doses excessivas da bebida. E será que eles estão liberados mesmo?

O problema é que mesmo nas versões menos calóricas, os refrigerantes se tornam uma ameaça quando o assunto é derrubar o ponteiro da balança ou a escolha de uma vida saudável. Para te ajudar a entender como os eles interferem nos quilos a menos, o MinhaVida conversou com a nutricionista Daniella Camargo, que aponta os principais problemas da bebida. Confira e descubra porque os sucos devem entrar com tudo no seu menu e ajudam na dieta.

Refrigerante na refeição
Já não é novidade que beber enquanto comemos, não ajuda em nada no regime, mas de acordo com a nutricionista Daniella Camargo, quando o assunto é refrigerante o perigo aumenta. "A ingestão de líquidos, principalmente gasosos, dilata o estômago dificultando a digestão e fazendo a sensação de fome reaparecer em poucos minutos", alerta a nutricionista.

É aí que o perigo aparece e a ingestão maior de alimentos aumenta. "Logo depois do almoço já estamos morrendo de fome, já que não ficamos satisfeitos com a refeição, mais sim com a impressão de estômago cheio, graças a ingestão da bebida gasosa", explica. "Dessa forma, abusamos dos petiscos e também comemos mais na refeição seguinte".

Mas, se você acha impossível se alimentar sem colocar nada líquido na boca, a nutricionista dá a dica. "O ideal é não beber nada, ou então optar pelo suco, principalmente cítricas, porque auxiliam na absorção de ferro, encontrado em verduras, leguminosas e carnes, ou ingerir água, que não tem calorias e não engorda", sugere.

Zero, diet ou light
Os problemas dos refrigerantes diet, light ou zero estão ligados, em geral, ao aumento do consumo de sódio. De acordo com a nutricionista Daniella Camargo, ele oferece riscos para saúde e para o regime. "Os refrigerantes zero, diet e light não estão liberados na dieta, porque quando se diminui a quantidade de açúcar no refrigerante, é preciso aumentar a quantidade de sódio para compensar o paladar", diz. "O sódio em excesso retém líquido, e com isso aumenta o peso, podendo apresentar problemas para saúde do fígado e rins, por exemplo", explica.

A especialista explica que uma dose de refrigerante normal apresenta, em média, 10mg de sódio, enquanto, a opção light varia de 28 a 39mg para uma quantidade de 200ml (um copo médio). "A dose diária recomendada de sódio é de cerca de 1,5g por dia, isso para pessoas que não são hipertensas", explica Daniela Camargo.

Ocasiões especiais
De acordo com a nutricionista, o verdadeiro problema é que as pessoas exageram na dose e costumam tomar refrigerante o tempo todo. "Tomar um copo de refrigerante em um aniversário, por exemplo, não é o fim do mundo. O problema são as pessoas que ingerem, no mínimo, três copos por dia. É ai que os riscos aparecem", diz a nutri.

Fonte Minha Vida

Dieta na internet é alternativa para perder peso com saúde

Suporte nutricional e serviços on line são atrativos dos programas de emagrecimento

Você já fez de tudo para emagrecer e nada? Dieta da sopa, do abacaxi, do tipo sanguíneo, shakes e outros regimes inusitados em nome do peso ideal?

Não se sinta só na guerra contra a balança. Segundo o último levantamento feito pelo IBGE em 2004, num universo de 95,5 milhões de brasileiros com 20 anos ou mais de idade há 3,8 milhões de pessoas (4,0%) com déficit de peso enquanto o número de obesos é de 38,8 milhões (40,6%).

E o problema não para de crescer. Segundo a Associação para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica (ABESO), o Brasil apresenta atualmente 47% da população com sobrepeso - diagnosticado quando o paciente tem IMC entre 25 e 30. Em piores condições estão 13% das mulheres e 9% dos homens, com IMC superior a 30 e vítimas de obesidade.

Por trás dos índices, estão o sedentarismo e a má alimentação. "O brasileiro ainda não inseriu a preocupação com a saúde nos hábitos diários e acaba sofrendo os efeitos disso no médio prazo", afirma a nutricionista Cristiane Kovacs, da ABESO. Outro grupo que também preocupa os especialistas é composto pelos pacientes que combatem os quilos extras sem apoio profissional.

Um estudo realizado pelo Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia contou com a participação de 1.500 pessoas, residentes em oito capitais brasileiras: somente 19% fazia algum tipo de dieta e, dentre elas, menos da metade mudou a alimentação com apoio de um médico ou de um nutricionista.

Na maioria das vezes, tudo foi feito sem nenhum tipo de orientação. "Com isso, a obesidade acaba se transformando em um monstro, que parece impossível derrotar. No fundo, as pessoas sofrem por adotarem métodos inadequados para emagrecer", afirma a nutricionista Roberta Stella, mestre pela Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo e responsável pelo programa nutricional Dieta e Saúde.

Sentindo na pele
A dona de casa Liliane Gadelha, 29 anos e 1,58m, conhece de perto esse drama. Ela buscou o programa de emagrecimento online Dieta e Saúde, quando o ponteiro da balança encostou nos 75 quilos e depois de amargar dietas malucas à base de ovo cozido e café com limão.

Com o apoio da internet, o cardápio sem graça e nada saudável deu espaço para uma dieta balanceada e sem restrições. Em seis meses do programa, ela perdeu 15 quilos e passou para os 60 quilos, sem abrir mão de nenhum alimento. "Ninguém acredita que perdi todos aqueles quilos sem tomar remédio e comendo de tudo. Parece milagre", conta ela. Mas, é claro, para Liliane chegar lá teve muita determinação e suporte.

Por trás do sucesso dos programas de emagrecimento que se sobressaem na internet estão uma dieta equilibrada, o apoio de nutricionistas e serviços personalizados.

"A praticidade de não ter que marcar consulta, poder tirar dúvidas por chats e telefone e a privacidade de poder contar sua história sem se expor tanto são fatores que estimulam alguém a começar uma dieta, porém é preciso cuidado na hora de procurar este tipo de serviço para seguir dietas sérias", afirma a nutricionista Ligia Amparo da Silva Santos, coordenadora da pesquisa Emagrecimento na Internet: Um Estudo Exploratório, da Universidade Federal da Bahia.

Diário da boa forma
Outro atrativo da dieta na internet é a possibilidade de contar com ferramentas de apoio para motivar os assinantes dos programas a enxugar medidas.

Calculadoras de calorias, cardápios virtuais, blogs e até contadores de exercícios são algumas das ferramentas que ajudam a pessoa a alcançar o peso desejado. O contador de pontos do Dieta e Saúde, por exemplo, funciona como uma espécie de diário inteligente para contar os pontos da dieta.

A partir dele, cada usuário pode controlar a quantidade de calorias ingeridas no dia e manter-se dentro das metas estipuladas no cardápio. Um levantamento realizado pelo programa entre maio de 2009 e janeiro de 2010 mostrou que quem controla os pontos diariamente, utilizando o diário, emagrece 1 quilo a mais por mês do que quem não controla e chega ao peso ideal, em média, dois meses antes do que aqueles que não usam o método.

"Além disso, usuários que atualizaram apenas uma vez por mês o peso no programa, depois de seguirem a risca o cronograma controlado pelo diário, eliminaram uma média de 0,7 kg. Já, entre os que fizeram de 3 a 5 atualizações, a média foi de 2,1 kg emagrecidos", explica a nutricionista chefe do programa de emagrecimento on line, Dieta e Saúde.

Da mesma forma, as ferramentas que ajudam a manter a disciplina na hora de praticar exercícios físicos aceleram a perda de peso. "Quem utiliza o contador de pontos dos exercícios todos os dias elimina 5,8 vezes mais quilos em relação a quem não utiliza. É um jeito de deixar a pessoa realmente comprometida com a sua meta", explica Roberta.

Para Bia Moraes, usuária do Dieta e Saúde, o que mais a estimula a continuar seu programa de emagrecimento é o fato de não se sentir refém da dieta:

"A possibilidade de colocar as informações no site, inclusive a perda (ou não) de peso, nos torna mais disciplinados. Se hoje exagero, amanhã posso compensar, isso dá mais ânimo", explica.

A troca de informações que emagrece
Mais uma vantagem oferecida pelas dietas por internet é a troca de informações entre os internautas, por meio de blog, fóruns e comunidades, que os ajudam a tirar dúvidas e a não desanimar para continuar perseguindo as metas. A jornalista Andréa Batista usou o apoiou da internet para emagrecer.

Aos 34 anos, decidiu criar um blog quando saiu de um emprego estressante e viu que estava com 74 kg, 12 acima do ideal: "A ideia era visitar blogs de reeducação alimentar, selecionar histórias e escrever sobre elas", conta. Mas ela se empolgou tanto com os primeiros resultados que criou o Meu Blog Spa (meublogspa.wordpress.com) para ajudar na própria dieta. Com esse espaço, ela aprendeu a se alimentar melhor e conheceu várias pessoas que tinham o mesmo objetivo que ela: perder peso com saúde.

As vantagens da dieta na internet
Uma pesquisa sobre obesidade e dietas na internet, publicada na revista médica American Jornal of Preventive Medicine, mostra cinco razões que tornam os programas de emagrecimento na internet tão eficazes:

1.Preço baixo: o serviço, em geral, tem um custo, mas é mais baixo quando comparado aos valores de uma consulta médica convencional.

2.Privacidade: o anonimato é uma das principais vantagens oferecidas pelas dietas on line, pois a pessoa não corre o risco de encontrar outras pessoas na sala de espera do consultório e não precisa expor o seu problema a outras, além da nutricionista.

3.Suporte via e-mail, 0800 ou Chat: a opção não está disponível em todos os programas on-line, porém, funciona como um atendimento emergencial, caso o assinante tenha alguma dúvida, criando uma relação de companheirismo e confiança.

4.Comodidade: você pode acessar a página do programa na internet de qualquer cidade e a qualquer hora sem perder muito tempo ou dinheiro.

5.Manutenção do peso depois do final do tratamento: "como reeduca os hábitos alimentares dos usuários em vez de restringir o cardápio, estes programas proporcionam a manutenção do peso alcançado sem grande esforço, evitando o tão temido efeito sanfona", explica Roberta Stella.

Fonte Minha Vida

Sete motivos para beber mais chá-mate

Erva controla o colesterol, faz bem para o coração e ainda ajuda a emagrecer

Os amantes de chá vão adorar esta novidade: a Ilex paraguariensis, erva comumente usada para fazer o tradicional chimarrão e o tereré, pode trazer diversos benefícios à saúde. Para quem não sabe, esse é o nome científico do mate, que apesar de amargo, pode virar uma bebida deliciosa. Antes de esquentar a água, porém, é bom saber que nem todo saquinho de chá vai ajudar a secar os quilinhos a mais.

A nutricionista Karina Barros, consultora de nutrição da Abiad, explica que os pesquisadores ainda estão tentando descobrir a melhor forma de ingestão da erva para obter mais benefícios. Enquanto a descoberta não chega, opte pelo chá-mate das folhas, já que os saquinhos geralmente trazem misturadas outras partes da planta, o que disfarça o efeito da erva. Beba cerca de um litro da infusão por dia, mas procure fracionar o consumo entre as refeições. Pronto para incorporar a bebida à sua rotina? Confira os benefícios a seguir.

1. Diminui o colesterol
Uma pesquisa realizada pela Universidade Federal de Santa Catarina constatou que consumir três doses diárias (aproximadamente 300 ml cada ou quase 1 litro por dia) da bebida diminui em 13% as taxas de colesterol ruim, o LDL, e aumenta a de colesterol bom, o HDL.

Segundo os especialistas, isso acontece porque o chá-mate possui algumas substâncias - alcaloides e glicídios - capazes de interagir com os ácidos biliares e reduzir a absorção de colesterol.    

2. Protege o coração
Por ser rico em antioxidantes, o chá-mate ajuda a prevenir doenças cardíacas. O nutrólogo Roberto Navarro, membro da Associação Brasileira de Nutrologia, explica que a presença de substâncias chamadas polifenois são as maiores responsáveis por essa prevenção. "Elas evitam o acúmulo de gordura nos vasos e previnem doenças inflamatórias", afirma. Além disso, a própria redução do colesterol já ajuda a proteger o coração.                    

3. É antioxidante
A erva-mate possui ácido clorogênico, um antioxidante capaz de influenciar diversos mecanismos corporais, por meio da diminuição da oxidação celular. "Isso contribui para um equilíbrio metabólico", explica a nutricionista Karina. Uma pesquisa realizada pelo Instituto Nacional de Yerba Mate, na Argentina, mostrou que a infusão de erva mate é uma importante fonte desses antioxidantes que protegem as células contra os radicais livres (moléculas que causam envelhecimento e doenças).

4. Melhora a digestão
Roberto Navarro explica que o chá mate ajuda na liberação dos sucos digestivos, principalmente a bile e, por isso, pode facilitar a digestão dos alimentos. Além disso, a bebida tem ação diurética, ajudando na eliminação de toxinas que fazem mal para o organismo e dificultam o emagrecimento.

5. Estimula o cérebro
As xantinas, substâncias semelhantes à cafeína, presentes no chá-mate podem melhorar o desempenho cerebral. O nutrólogo Roberto explica que o cérebro envelhece por oxidação dos neurônios. Como o chá-mate é uma boa fonte de polifenois antioxidantes, de maneira indireta pode retardar esse envelhecimento. Mas é preciso moderação: em excesso, a bebida pode causar irritabilidade e insônia.

6. Ajuda no emagrecimento
"Além de ter efeito termogênico, que acelera o metabolismo e aumenta o gasto calórico em repouso, a erva-mate tem ação lipolítica, que facilita a queima de gordura em excesso", explica Roberto Navarro. Se você incluir a bebida em uma dieta balanceada, terá mais chances ainda de emagrecer. 

7. Protege o fígado
A nutricionista Karina explica que o chá pode auxiliar na oxidação da gordura do fígado e, por isso, colaborar com o tratamento da esteatose hepática, que é o acúmulo de gordura no fígado. 

Fonte Minha Vida

Entenda a ação do Victoza para o emagrecimento

Apesar de avanços nas pesquisas científicas, o uso da medicação ainda exige cuidados

Recentemente, várias noticias na mídia têm destacado o papel de uma "nova" medicação, cujo nome técnico é liraglutide, que levaria ao emagrecimento. Mas que substância é esta e como ela funciona? Para conhecermos o seu papel no emagrecimento temos de levar em conta alguns pontos muito importantes.

Primeiro, nosso organismo controla o peso corporal através de uma relação entre fatores que chamamos periféricos e centrais. Dentre os fatores que atuam em nível periférico destaca-se o GLP-1. E o que essa substância faz? Bem, ele diminui a movimentação do estômago e intestino dando assim uma sensação maior de saciedade. É quando dizemos, por exemplo, "estou satisfeito, não quero mais comer!".

Mas não é só no GLP-1 que o liraglutide age. Ele também atua na secreção de insulina, hormônio que coloca a glicose do sangue para dentro da célula. No diabético, assim como nos indivíduos acima do peso, a insulina tem dificuldade de agir. Logo, o liraglutide não só aumenta a quantidade de insulina, como diminui o nível de outro hormônio que "briga" com a insulina, atrapalhando a sua ação. Este outro hormônio chama-se glucagon.

Liraglutide no diabetes tipo 2
Embora a indicação principal em bula seja para pacientes com diabetes tipo 2, existem pelo menos seis estudos na literatura médica avaliando o liraglutide em pacientes com diabetes tipo 1. A indicação principal é para pacientes com diabetes tipo 2 porque esta medicação aumenta a liberação de insulina pelas células beta do pâncreas. No diabético tipo 1 estas células são destruídas pelo mecanismo de autoimunidade (as próprias células de defesa do organismo acham que estas células não são do paciente e começam a destruí-las). Com isto não ocorre mais produção de insulina pelo pâncreas.

Liraglutide no diabetes tipo 1
Então como agiria a medicação nos casos de pacientes com diabetes tipo 1? A ação seria por diminuição de secreção de glucagon (produzidas pelas células alfa do pâncreas) que mesmo nos pacientes com diabetes tipo 1 permanecem funcionando. Como o glucagon tem ação contrária a da insulina, acaba favorecendo o controle da glicemia.

Um estudo publicado na revista Diabetes Care, em 2011, pelo grupo da Universidade de Copenhagen, Dinamarca, mostrou uma diminuição da quantidade de insulina diária necessária mantendo-se o mesmo controle da glicemia nos pacientes com diabetes tipo 1 que usaram o liraglutide (mesmo naqueles pacientes que não tinham mais função pancreática residual). Além disto, acredita-se que também a lentificação da motilidade gástrica e consequente emagrecimento seria outro fator que ajudaria no controle da glicose sanguínea.

Efeitos colaterais
Dentre os efeitos colaterais estão as náuseas e os vômitos. Embora tenham sido relatados casos de pancreatite (inflamação no pâncreas), a incidência foi de 6 casos - 4 de pancreatite aguda e 2 de pancreatite crônica - em 2700 pacientes com diabetes recebendo liraglutide, conforme os dados do estudo LEAD (Liraglutide Effect and Action in Diabetes). Importante ressaltar, no entanto, que o próprio diabetes eleva o risco de pancreatite.

Uso no emagrecimento
O Victoza tem influêcia no emagrecimento pelos seguintes mecanismos: ele diminui a motilidade gástrica, ou seja, aumenta a sensação de saciedade com uma quantidade muito menor de alimento - e age diretamente no hipotálamo, nos centros que controlam o mecanismo de fome e saciedade.

Vejam, desde o lançamento das medicações que estimulam o GLP-1 (análogos de GLP-1) para pacientes com diabetes, vários endocrinologistas se interessaram pelo uso desta classe de remédios no tratamento do excesso de peso.

Entretanto, é muito importante saber que estudos específicos do liraglutide para a redução de peso ainda estão em fase final de teste, e questões como segurança de uso (efeitos colaterais) e dosagem não foram ainda devidamente estabelecidas.

E não se esqueça! Mais importante que o uso de qualquer medicação será sempre uma reestruturação definitiva do estilo de vida: fazer escolhas alimentares inteligentes e praticar exercícios físicos regularmente.

Fonte Minha Vida

Investir em programas de bem-estar será um grande diferencial para as empresas no futuro

O economista e pesquisador Sean Nicholson mostra como seria possível calcular o custo-benefício de um trabalhador saudável

Convencido de que o argumento financeiro é o mais eficaz para convencer gestores sobre a necessidade de investir em programas de bem-estar nas empresas, o economista Sean Nicholson e um grupo de pesquisadores dos Estados Unidos se esforçam para transformar em cifras a relação entre saúde e produtividade. Em uma dessas pesquisas, chegaram à conclusão de que cada dólar investido na saúde da equipe gera um retorno de seis dólares em produtividade para a empresa. Porém, a longo prazo.

— Em países em desenvolvimento econômico, como o Brasil, investimentos sérios nessa área serão grandes diferenciais para a retenção de talentos, pois os trabalhadores têm muitas opções — argumenta Nicholson.

No entanto, para o diretor da Upstate Health Research Network e professor da Cornell University, ainda é preciso gerar mais dados convincentes sobre os ganhos efeitvos para a empresa. Em busca de debatedores para o painel de Nicholson no 12º Congresso de Stress da International Stress Management Association no Brasil (Isma-BR), realizado esta semana em Porto Alegre, a presdidente da Isma-BR, Ana Maria Rossi, comprovou a escassez de dados.

— Não é que as empresas não invistam, elas até realizam programas, mas ainda não atentaram para calcular o retorno desse investimento para o negócio como um todo — explica Ana Maria.

Para o coordenador executivo do Programa Gaúcho de Qualidade e Produtividade (PGQP), Luiz Ildebrando Pierry, essa preocupação deve estar presente na definição de metas para acompanhar o desempenho de programas desenvolvidos para cuidar de trabalhadores e seus familiares. Pierry explica que três dos 11 aspectos que são considerados em avaliações de qualidade têm relação direta com a gestão de pessoas, mas contempla a geração de indicadores para demonstrar o custo-benefício apenas de forma tangencial.
— Uma empresa que não faça reflexões acerca dos benefícios oferecidos ao trabalhador terá dificuldades de desempenho — observa Pierry.

Como calcular
Na prática, fechar essa conta exige levar em consideração uma série de dimensões da qualidade de vida e das rotinas da empresa, muito além dos custos médicos de um trabalhador doente. Segundo Nicholson, um programa para melhorar a qualidade de vida dos funcionários pode, potencialmente, trazer quatro ganhos a uma empresa: redução nos gastos médicos (para os funcionários e seus familiares); redução nas faltas; melhoria na produtividade; redução na rotatividade, devido às percepções dos funcionários do pacote total de remuneração associado ao emprego. O mais fácil de calcular é o primeiro, mas ele é apenas a ponta do iceberg, na visão do pesquisador.

Para facilitar a compreensão, Nicholson dá exemplos: uma companhia de energia elétrica deve distribuir a mesma quantidade de energia todos os dias, independentemente de quantos funcionários estejam trabalhando. Se um operário falta, outro será sobrecarregado, provavelmente gerando um custo de horas extras para a empresa. Em áreas com maior nível de formação, a conta é bem mais complexa. Um comissário não pode substituir um piloto, por exemplo. Nesse caso, o prejuízo da ausência do piloto para a companhia aérea é de todo um voo que teve de ser cancelado ou remarcado.

— Esse quadro revela um problema que fica mascarado no dia a dia: o funcionário mais operacional falta o trabalho, mas o mais especializado vai até o seu limite — comenta a diretora de marketing da Associação Brasileira de Recursos Humanos no Estado (ABRH-RS), Andréa Müssnich.

A empresa pode agir sobre isso com um controle mais rígido sobre o ponto e uma gestão mais próxima do colaborador para identificar sinais de esgotamento, sugere Andréa. Mas o trabalhador também tem que fazer sua parte.

— Declinar de um cargo, mudar de departamento ou até trocar de empresa são opções que podem ajudar a evitar que o estresse resulte em problemas de saúde mais graves — recomenda Ana Maria Rossi.

Caminho é focar na prevenção
Garantir assistência médica por meio de planos corporativos já é uma prática comum. Nos Estados Unidos, 160 milhões de americanos não idosos — quase metade da população — têm seu seguro-saúde fornecido pela empresa. No Brasil, conforme a Associação Nacional de Saúde Suplementar (ANS) dos 47,6 milhões de planos de sáude no país, 29,7 milhões são custeados por empresas. Além disso, a legislação trabalhista prevê proteção laboral ao trabalhador com relação a riscos de saúde. Isso, somado ao fato de que custos médicos e indenizações formam a menor fatia dos gastos, leva para um outro caminho de gestão da saúde nas empresas, com foco na prevenção de fatores de risco.

Envio de boletins informativos por e-mail, academia gratuita, campanhas antitabagismo e enfermeiras disponíveis para acompanhamento de trabalhodores que são doentes crônicos são algumas das alternativas mencionadas por Nicholson, mas a receita varia das necessidades e possibilidades de cada organização.

Um grupo de corridas organizado pela empresa era o empurrão que a analista de auditoria médica Raquel Cardoso, 36 anos, precisava para perder peso sem ser vítima do "efeito sanfona" gerado pelas dietas. Estimulada pelos colegas de trabalho, começou a participar do grupo em outubro do ano passado, correndo três vezes por semana. Já perdeu 11 quilos e percebe o impacto no dia a dia.

— Tenho mais autoestima e mais disposição para o trabalho, assim como para outras áreas da minha vida — descreve.
Na avaliação de Raquel, o benefício do grupo de corridas reflete também em valor simbólico para a empresa onde trabalha há nove anos: mostra que está preocupada com o funcionário e aumenta a adesão às atividades.

A assistente administrativa Helenice Tomaz, 29 anos, está há 50 dias sem fumar, depois que entrou em um programa antitabagismo oferecido pela empresa. Funcionária há cinco anos, resolveu transformar em atitude a ansiedade e o desconforto gerados por não poder fumar durante o expediente.

— Depois que participei do grupo, estimulei outra colega a fazer o mesmo. Sinto que durmo melhor, estou menos cansada e ansiosa, sem contar a asma, que melhorou — enumera.

Sinais de alerta
A psicóloga e presidente do Isma-BR, Ana Maria Rossi, aponta os principais sinais de alerta do corpo:

:: sono e cansaço excessivo
:: abuso de álcool
:: aumento no consumo de café ou cigarro

:: perda ou ganho excessivo de peso

Estresse em números
:: No Brasil, 70% da população economicamente ativa sofre de estresse

:: Destes, 30% sofrem com o nível mais devastador da doença, conhecido como "burnout"

Queixas mais comuns
:: 86% dos executivos brasileiros relatam dores musculares, incluindo dores de cabeça

:: 81% relatam ansiedade
:: 49% disseram ficar mais agressivos

::18% já tiveram alguma explosão de raiva

Fonte Zero Hora

Mumbai, na Índia, tem campanha contra injustiça sanitária

mumbai india-situação Metrópole com 20 milhões de habitantes tem pessoas demais dividindo banheiros de menos

Mumbai, Índia — Os homens e mulheres da maior cidade da Índia, uma congestionada metrópole com 20 milhões de habitantes, parecem unidos por ao menos um problema em comum: pessoas demais dividindo banheiros de menos.

Mas há uma diferença — ao contrário dos homens, as mulheres têm de pagar para urinar. Assim, ativistas sociais como Minu Gandhi questionam as autoridades há meses, argumentando que essa disparidade aumenta a discriminação feminina e pedindo que as mulheres comecem a exigir um direito que a maioria delas nunca havia contemplado: o direito de urinar.

— Todas nós enxergamos isso como um direito civil básico — afirmou Gandhi, "um direito humano".

Não é de hoje que a Índia possui problemas de saneamento. Dados recentes do censo descobriram que mais da metade das residências não possui banheiro, taxa que piorou na última década — apesar da crescente riqueza do país, já que favelas e outras habitações precárias proliferam nas grandes cidades. Mesmo assim, o fator único da chamada campanha Direito de Urinar — cujo nome foi criado pela mídia de Bombaim e que hoje parece estar prestes a atingir alguns de seus objetivos – é o argumento de que, na Índia, os banheiros são governados por um padrão duplo.

Como os homens, as mulheres das aldeias quase sempre precisam urinar ao ar livre, em campos. Mas diferente dos homens, elas às vezes enfrentam provocações e até mesmo agressões sexuais. Muitas mulheres rurais se aliviam em pequenos grupos, antes do anoitecer, para se protegerem desse assédio.

Em Mumbai, anteriormente conhecida como Bombaim, milhões de pessoas dependem dos banheiros públicos — geralmente em construções escuras e sujas que funcionam como locais de controle masculino. O governo municipal oferece 5.993 banheiros públicos para homens, frente a apenas 3.536 para mulheres. Os homens possuem um adicional de 2.466 mictórios. Um estudo de 2009 mostrou uma disparidade ainda maior em Nova Déli, a capital nacional, com 1.534 banheiros para homens e 132 para mulheres.

Quase sempre, um funcionário homem supervisiona esses banheiros, cobrando tarifas. A pequena corrupção é desenfreada na Índia, e os banheiros públicos não são exceção: os homens pagam para usar um banheiro, mas o uso dos mictórios é gratuito (com base na premissa de que os mictórios, geralmente apenas uma parede com um fosso de drenagem, não precisam de água). Mas as mulheres precisam pagar para urinar, apesar de leis proibindo essa prática.

— Mesmo quando você diz que vai apenas urinar, eles dizem: 'Como podemos saber?' — afirmou Yagna Parmar, outra ativista social envolvida na campanha. — E então pedem dinheiro.

No estremo norte da cidade, numa favela conhecida como Shivaji Nagar, pelo menos 350 mil pessoas — talvez o dobro disso, segundo algumas estimativas — vivem espremidas ao lado de um dos maiores lixões da cidade. O número exato de banheiros públicos é incerto, mas fala-se numa proporção de um banheiro para cada 300 pessoas. As mulheres têm de adaptar suas rotinas diárias: muitas visitam o banheiro de manhã bem cedo para evitar filas e pessoas espiando. Elas evitam beber muita água. E andam sempre com dinheiro trocado.

Numa manhã recente, Mohammad Nasibul Ansari estava no balcão em frente a um banheiro público em péssimas condições, segurando notas de 10 rupias. Funcionário assalariado, Ansari garantiu não cobrar de ninguém do bairro — apenas de pessoas de fora. Porém, enquanto ele falava, uma mulher local depositou silenciosamente uma moeda de duas rupias sobre o balcão e entrou no lado feminino da pequena construção.

— Somos apenas pessoas pobres — explicou Ansari. — Temos de cuidar de nossas famílias.

Segundo Ansari, o governo municipal não oferecia dinheiro para manutenção, e ele recebe cerca de 1.200 rupias (ou US$ 22) por dia em tarifas para uso dos banheiros — das quais ele paga eletricidade, água e limpeza. No interior, porém, havia poucas evidências de limpeza ou água. Teias de aranha pendiam do teto; sujeira e cuspe seco cobriam as paredes e chão. As privadas de agachar de cerâmica estavam manchadas e imundas. O mau cheiro era insuportável.

— Você realmente acha que eles estão dizendo a verdade? — questionou Usha Deshmukh, uma das defensoras do Direito de Urinar. — Eles estão mentindo. Eles engolem todo aquele dinheiro.

Separadamente, um miniescândalo estourou em Nova Déli na semana passada, quando foi divulgado que a Comissão de Planejamento da Índia havia investido US$ 54 mil na reforma de seus próprios banheiros. Refletindo a comoção do país nessa questão, ao menos um crítico argumentou que o dinheiro teria sido mais bem gasto nos banheiros públicos.

A campanha começou no ano passado, quando se formou uma coalizão de ativistas sociais no estado de Maharashtra, que inclui Mumbai. Os organizadores de cada cidade escolheram diferentes tópicos, como violência doméstica e a igualdade de acesso à água. O grupo de Mumbai considerou campanhas de moradia, água ou saneamento — todos grandes problemas na cidade —, antes de se decidirem pelo Direito de Urinar.

— Inicialmente, isso foi considerado um pouco frívolo — declarou Mumtaz Sheikh, um dos organizadores. — Mas dissemos às pessoas: 'Não, este é um assunto importante, e queremos trabalhar nele'.

Sheikh e outros ativistas viram uma oportunidade de aumentar a conscientização entre as mulheres. Hoje elas representam quase metade da força de trabalho da cidade, embora muitas trabalhem em empregos sem acesso a banheiros. Em diversas partes da cidade, incluindo as favelas, ativistas foram de porta em porta, coletando mais de 50 mil assinaturas em apoio às suas exigências – que o governo local pare de cobrar das mulheres pelo uso do banheiro, construa mais banheiros, mantenha-os limpos, ofereça papel higiênico e uma lata de lixo, e contrate atendentes mulheres.

A Dra. Kamaxi Bhati, médica e pesquisadora, relaciona a situação dos banheiros em Mumbai diretamente aos problemas de saúde femininos, especialmente uma alta incidência de infecções urinárias e na bexiga. Segundo Bhati, beber água é crucial para vencer essas infecções – e muitas mulheres tentam reduzir o consumo de água para limitar a frequência com que precisam urinar. Não beber água suficiente é duplamente perigoso, dadas as altas temperaturas em Mumbai.

— Proporcionar banheiros é responsabilidade do governo — afirmou ela. — Digamos que meu filho fique com diarreia. O que eu faço se não puder pagar?

Funcionários municipais mostraram-se dispostos a divulgar estatísticas sobre o número de banheiros públicos na cidade, mas recusaram-se a comentar o assunto — apesar dos inúmeros pedidos feitos a três departamentos da cidade.

As tarifas pelo uso dos banheiros poderiam ser consideradas simbólicas, variando entre 2 e 5 rupias (de 4 a 9 centavos de dólar). Na Índia, porém, a linha de pobreza é tão baixa que o governo recentemente definiu o pobre urbano como alguém que vive com menos de 29 rupias por dia.

— Isso é caro para mim — disse Shubhangi Gamre sobre o custo de ir ao banheiro. Ela mora em Shivaji Nagar e ganha cerca de US$ 27 por mês trabalhando numa drogaria. — Isso restringe o nosso dinheiro para comida. Como podemos arcar com tudo?

Talvez os meses de campanha gerem frutos. Na semana passada, ativistas sociais reuniram-se com funcionários municipais — que lhes contaram sobre novos planos de construir centenas de banheiros públicos para mulheres por toda a cidade. Atualmente, alguns legisladores locais estão votando a construção de banheiros femininos em todos os seus distritos.

Nada é oficial ainda, e muitas promessas acabam não se cumprindo na política indiana. Mas os ativistas sentem que o momento está a seu favor.

— Claro que é uma boa sensação — afirmou Supriya Sonar, membro da campanha, dizendo que o grupo Direito de Urinar está atualmente negociando para que mulheres sejam contratadas nos projetos propostos. — Nosso verdadeiro trabalho começa agora.

Fonte The New York Times

Por zero Hora

Festas juninas aumentam riscos de acidentes com fogos

É época de festas juninas e com elas aumenta o número de acidentes por queimaduras. Os fogos de artifício e as fogueiras são as principais causas destes acidentes, atingindo principalmente as crianças. Os riscos vão de queimaduras leves a gravíssimas que podem fazer com que os indivíduos percam dedos das mãos ou mesmo os chamados tecidos moles, como os músculos.

“Em primeiro lugar deve-se evitar ao máximo o uso de fogos de artifício e, se por acaso for usar, não deixar que as crianças manuseiem. Então é bom sempre que seja um adulto que faça esse manuseio. Também não se deve estourar foguetes próximos às residências – pois pode haver perda do controle e cair nos quintais ou nos apartamentos – e sempre utilizar um equipamento de proteção como luvas ou mesmo óculos de segurança”, aponta Marta Silva, coordenadora de Prevenção de Violência e Acidentes do Ministério da Saúde. “Se você estoura direto na mão, sempre há algum risco de o rojão não sair e causar um acidente ao estourar”, completa.

Nestes casos, explica Silva, pode haver uma queimadura gravíssima na mão ou inclusive rosto e outras partes do corpo. Além disso corre-se o risco de acidentes piores que pode levar a uma amputação, por exemplo. A especialista ressalta ainda que a prevenção é fator determinante para se proteger de acidentes no período das festas juninas.

“Se ocorrer uma queimadura deve-se levar imediatamente ao serviço de saúde mais próximo porque somente um profissional irá avaliar a gravidade e a severidade dessa queimadura”, diz.

Há queimaduras leves, moderadas e graves. A orientação, especialmente nos casos mais leves, é que caso se formem bolhas evitar estourá-las. “Não se deve passar cremes. Às as vezes as pessoas chegam a utilizar várias pomadas, inclusive caseira, antes de ir ao médico”, alerta.

Silva recomenda ainda manter a calma em casos de acidentes com queimaduras e procurar um hospital o mais rápido possível.

Fonte O que eu tenho

5 coisas que você precisa saber sobre a TPM

A maioria das mulheres apresenta algum tipo de alteração no período pré-menstrual. Cerca de 90% relatam um ou mais sintomas e até 10% têm quadros incapacitantes para o convívio social e profissional. O ginecologista Alexandre Pupo, do Hospital Sírio-Libanês responde agora às principais dúvidas sobre a tensão pré-menstrual, ou TPM.

1. O que é TPM?
A tensão pré-menstrual constitui estado físico emocional que acomete mulheres no período perimenstrual. Decorre de sintomas causados por alterações hormonais agravadas por problemas na esfera físico emocional. Problemas familiares, de relacionamento pessoal, estresse, má qualidade de vida, vida sedentária exacerbam os sintomas do período menstrual levando à TPM.

2. Quais são os principais sintomas?
Os sintomas variam bastante de mulher para mulher, porém os mais comuns são depressão, irritabilidade, insônia, cefaléia, dor mamária e inchaço.

3. O que pode ser confundido com TPM?
O quadro é bem típico devido a sua característica cíclica e relação com a menstruação, porém quadros psiquiátricos como depressão e síndrome do pânico podem estar associados e levar a confusão diagnóstica.

4. Como diferenciar/identificar a TPM?
Principalmente pelos sintomas cíclicos relacionados a menstruação e que comprometem o bem estar e o dia a dia são as principais características da TPM.

5. Como é o tratamento da TPM?
O tratamento envolve melhoria na qualidade de vida e diminuição das causas de estresse físico e emocional associado ao uso de medicações conforme indicação médica. Atividade física, relaxamento, dieta pobre em gorduras e cafeína e melhora na qualidade de sono também ajudam.

Fonte O que eu tenho

Dormir mal afeta capacidade de escolher alimentos saudáveis

Em um novo estudo, pesquisadores mostram que dormir pouco afeta áreas do cérebro relacionadas à tomada de decisões complexas, o que nos leva a escolhas menos saudáveis quando o assunto é alimentação. Para autores, os resultados explicam a relação da privação do sono com obesidade.

Estudos anteriores já publicados aqui e aqui mostram a relação entre a qualidade do sono e o risco para a obesidade. Mas neste novo estudo, os pesquisadores da Universidade da Califórnia, nos EUA, mostram por meio de técnicas de neuroimagem que permitem visualizar o cérebro sem procedimentos invasivos que a privação do sono afeta a atividade no lobo frontal, região relacionada com o autocontrole e tomada de decisões complexas – que permitem escolhas alimentares adequadas. Isso levaria nosso cérebro a utilizar áreas ligadas ao desejo básico.

Para chegar nos resultados – que serão divulgados no periódico SLEEP -, 23 adultos saudáveis participaram de duas sessões de ressonância magnética funcional (fMRI), uma após uma noite de sono normal e outra após uma noite sem dormir. Em ambas as sessões, os voluntários classificaram o quanto eles queriam vários tipos de alimentos mostrado a eles enquanto estavam dentro do scanner.

Segundo Stephanie Greer, principal autora do estudo, a falha verificada no lobo frontal responsável por recolher informações necessárias para decidir sobre os tipos certos de alimentos – o mais saboroso ou o mais saudável – pode representar um mecanismo do cérebro que explica a ligação entre a perda de sono e a obesidade.

“Estes resultados lançam luz sobre como o cérebro é prejudicado pela privação do sono, levando a escolhas alimentares inadequadas”, conclui a pesquisadora.

Fonte O que eu tenho

Praticar exercícios reduz risco de psoríase em mulheres

Estudo realizado com mulheres mostra que praticar até três horas semanais de exercício físico intenso diminui o risco para psoríase entre 25% e 30%.

O estudo, liderado por uma equipe do Hospital da Mulher, em Boston, usou dados de uma pesquisa que reunia informações sobre a rotina de prática de exercícios físicos de mais de 86,6 mil mulheres norte-americanas que não tinham psoríase em 1991. Estas informações foram atualizadas novamente em 1997 e 2001.

Após este período, mais de mil mulheres desenvolveram a doença, o que permitiu aos pesquisadores examinarem a associação entre nível de atividade física e predisposição à psoríase.

Aquelas que praticaram atividades de maior impacto, como corrida (105 minutos semanais), natação ou tênis (180 minutos semanais) apresentaram um risco menor (até 30%) em comparação àquelas menos ativas. A caminhada, por exemplo, não foi associada com um risco menor para psoríase, de acordo com os resultados do estudo publicado no periódico Archives of Dermatology.

“A intensidade muito variável em que estas atividades são executadas podem ser responsáveis ​​por este resultado”, aponta a líder do estudo, Hillary Frankel. “Além de proporcionar outros benefícios à saúde, praticar exercícios vigorosos pode representar uma nova medida preventiva para mulheres com alto risco de desenvolver psoríase. Mas outros estudos comprobatórios e investigações complementares sobre os mecanismos pelos quais a atividade física protege contra surgimento de psoríase ainda são necessários”, conclui.

Fonte O que eu tenho

Realizar mais de quatro refeições diárias emagrece mesmo sem exercícios

Estudo espanhol mostra que adolescentes que não pulam refeições e comem devagar são mais magros, independente se praticam ou não exercícios.

A equipe de pesquisadores do Instituto de Ciência Alimentar e Tecnologia e Nutrição (ICTAN, na sigla em inglês) reuniu informações sobre o padrão alimentar e prática de exercícios físicos de 1,9 mil adolescentes, com idades entre 13 e 18 anos de cinco cidades espanholas (Granada, Madrid, Murcia, Santander e Zaragoza).

Os autores observaram que a ingestão diária de café da manhã é especialmente benéfica no caso de jovens que não praticam nenhuma atividade física e que aqueles que pulavam esta refeição mostraram valores mais elevados de gordura corporal. A equipe notou ainda que os adolescentes que comiam mais de quatro refeições por dia também eram mais magros. Comer lentamente estava relacionado a um menor peso corporal.

Os resultados, publicados no Journal of Adolescent Health, também mostraram que um em cada quatro meninas e um em cada três meninos na Espanha estão com sobrepeso ou obesos. “No entanto, apenas 18,5% dos meninos não praticavam algum tipo de esporte contra 48,5% das meninas”, concluem.

Fonte O que eu tenho

Neuroticismo: um traço de personalidade que pode levar à neuroses

Neuroticismo é um termo que indica indivíduos que, no longo prazo, possuem uma maior tendência a um estado emocional negativo. Pessoas com perfil neuroticista possuem maior inclinação aos estados depressivos – sofrem com sentimentos de culpa, inveja, raiva e ansiedade de forma mais acentuada – quando comparados a outros traços de personalidade.

Uma revisão recente sobre o tema, feita em conjunto pela National Health Service (NHS) do Reino Unido, National Institutes of Health (NIH), nos EUA e pela Associação Médica Americana, indica que pessoas com maiores níveis de neuroticismo também são mais sensíveis ao estresse ambiental e têm maior dificuldade em lidar com isso. Estes indivíduos podem perceber o dia a dia como uma situação descontrolada, ameaçadora e mesmo frustrações triviais são sentidas como problemáticas e desesperadoras.

Indivíduos neuroticistas (ou neuróticos) são mais concentrados em si mesmos e menos expansivos. Há também uma maior tendência a internalizar fobias e outras neuroses, como transtornos do pânico, negatividade e depressão.

Quando se fala de neuroticismo é interessante observar os níveis. Baixos níveis de neuroses são sinônimo de pessoas mais estaveis emocionalmente e que lidam melhor com o estresse. Estes indivíduos têm um humor mais constante, se mantêm mais calmos e dificilmente se tornam tensos e raivosos, comparados com pessoas com altos níveis de neuroticismo.

A diferença entre neurose e neuroticismo
As neuroses se referem a transtornos mentais que envolvem estresse, mas dentro de níveis normais sociais aceitáveis (ao contrário daqueles cujos sintomas envolvem alucinações, por exemplo). O indivíduo com neurose continua em contato com a realidade.

A neurose é relacionada com uma série de transtornos mentais. Já o neuroticismo é o estado, mesmo que latente, destas neuroses. Um indivíduo pode ter traços de neuroticismo sem necessariamente desenvolver por completo as neuroses.

As neuroses e o neuroticismo, entretanto, não interferem na habilidade ou funcionamento racional. Apesar de causarem impacto nos indivíduos, eles continuam – em casos leves e moderados – a racionalizar seus atos. Mas as neuroses causam grande estresse nos indivíduos e potencializam estresses ambientais.

A melhor forma de lidar com esse traço de personalidade que pode levar ao desenvolvimento de transtornos mentais é procurar um profissional de saúde mental e aprender a lidar com os pensamentos que têm tendência negativa.

Fonte O que eu tenho

Pesquisa descobre hormônio que motiva para a prática de exercícios

Equipe de pesquisadores suíços descobriu que o aumento dos níveis de um hormônio, a eritropoietina (EPO), no cérebro de modelos animais faz com que eles fiquem mais motivados para praticar atividades físicas.

A fórmula para emagrecer não é mágica: dormir bem, se alimentar de forma saudável e balanceada e praticar exercícios. Mas quem nunca desejou uma pílula que fizesse automaticamente aqueles quilinhos extras irem embora? Pesquisadores da Universidade de Zurique, na Suíça, abordaram este problema de um novo ângulo: e se houvesse uma pílula que fizesse você querer se exercitar cada vez mais?

“Se você não pode colocar o exercício em um comprimido, então talvez possa colocar a motivação para o exercício em um comprimido”, destaca Gerald Weissmann, MD, editor-chefe do The FASEB Journal, onde a pesquisa foi divulgada. “À medida que mais e mais pessoas se tornam obesas, é preciso atacar o problema de todos os ângulos”.

Para realizar a descoberta, Max Gassmann, principal autor do estudo, e sua equipe utilizaram três tipos de ratos: um grupo controle, que não recebeu qualquer tratamento; outro grupo, que foi injetado com doses de EPO humana; e um grupo que foi geneticamente modificado para produzir EPO humana no cérebro.

Em comparação ao grupo controle, aqueles que tiveram aumento dos níveis do hormônio no cérebro melhoraram seu desempenho em atividades como corrida, por exemplo, isso sem o aumento de glóbulos vermelhos. Segundo Gassmann, esta constatação faz com que este novo tratamento seja potencialmente benéfico para uma ampla gama de problemas de saúde que variam da obesidade ao Alzheimer, incluindo distúrbios de saúde mental para os quais o aumento da atividade física é conhecido por melhorar os sintomas.

“Provavelmente, EPO tem um efeito geral sobre o humor de uma pessoa e pode ser utilizado em pessoas que sofrem de depressão e doenças relacionadas”, conclui o autor.

Fonte O que eu tenho

Lipoaspiração contra o câncer de pele?

 
Segundo pesquisa norte-americana, a retirada de gordura abdominal de modelos animais obesos reduziu o risco de câncer de pele nestes animais em até 80%.

Inúmeros estudos produzidos até hoje comprovam que a obesidade é fator de risco para uma série de doenças – cardíacas, diabetes, câncer. Ainda assim, faltam evidências científicas que de fato comprovem que o excesso de peso eleva as chances de aparição de tumores em seres humanos.

Uma equipe da Universidade Estadual de New Jersey deu um passo nessa direção. Em um novo estudo, eles induziram, por meio de uma alimentação rica em gorduras, modelos animais (ratos de laboratório) à obesidade e os expuseram à raios ultravioletas (como os do Sol).

Parte destes ratos foi submetida a uma cirurgia para remoção da gordura abdominal. Após algum tempo, os autores observaram que este grupo teve entre 75% e 80% menos chances de desenvolver câncer de pele quando comparados aos animais que continuaram obesos.

Embora os pesquisadores não possam afirmar com certeza, eles acreditam que a remoção da gordura diminua a incidência de tumores porque a gordura abdominal dos ratos produz proteínas que aumentam os riscos de câncer.

“Seria interessante ver se a remoção cirúrgica de gordura abdominal destes animais também preveniria a aparição de cânceres letais relacionados à obesidade, como o do pâncreas, cólon e próstata”, diz Allan Conney, um dos autores do estudo. Segundo Conney, ainda não é possível dizer que se este tipo de cirurgia nos seres humanos – que é de alto risco – teria o mesmo efeito. “Mas gostaríamos de incentivar os epidemiologistas que investigassem se há uma menor incidência de câncer de pele induzido por luz solar em pessoas que fizeram cirurgia de lipoaspiração, por exemplo.”

Fonte O que eu tenho

Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas - Uncisal

A Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas (Uncisal) realiza seleção para preenchimento temporário de duas vagas

Inscrições:
Até 3 de julho pelo www.copeve.ufal.br 


Valor:
R$ 45,00.

Cargos:
Assistente em Administração - Técnico em Refrigeração.

Remuneração:
R$ 819,05

Seleção:
Haverá análise curricular

Prefeitura Municipal de Várzea Grande - MT

A Prefeitura Municipal de Várzea Grande, Mato Grosso, realiza concurso para preenchimento de 138 vagas

Inscrições:
Entre 23 e 29 de junho

Cargos:
Agentes de Combate às Endemias e Agente Comunitários de Saúde.

Remuneração:
R$ 714,00

Provas:
Prova objetiva: 4 de julho

Prefeitura Municipal de Tapira - MG

A Prefeitura Municipal de Tapira, Minas Gerais, realiza concurso para preenchimento de 292 vagas

Inscrições:
De 24 de agosto a 24 de setembro, pelo www.seapconcursos
.com.br ou na rua Cristino Ribeiro de Rezende, nº. 32, Tapira.

Valor:
De R$ 13,00 a R$ 25,00

Remuneração:
De R$ 622,00 a R$ 1.430,00

Provas:
Provas objetivas: 28 de outubro

Cargos:
Ensino Fundamental - Agente Administrativo, Auxiliar de Administração, Auxiliar de Enfermagem, Auxiliar de Laboratório, Auxiliar de Serviços, Carpinteiro, Eletricista, Encanador, Gari, Mecânico, Monitor de Creche, Motorista, Operador de Máquinas, Operário, Pedreiro, Pintor, Recepcionista, Servente de Pedreiro e Vigia;
Ensino Médio - Assistente de Administração I e II, Desenhista, Fiscal de Obras, Fiscal Tributário, Oficial de Administração I e II, Operador de Computador, Secretária de Escola, Técnico Agrícola, Técnico de Enfermagem, Técnico em Enfermagem do Trabalho, Técnico de Meio Ambiente, Técnico de Nutrição, Técnico de Radiologia e Técnico de Segurança do Trabalho;
Ensino Superior - Coordenador Escolar, Professor I, Professor II de Português e Educação Física, Administrador, Advogado, Agrônomo, Assistente Social, Bibliotecária, Bioquímico/Biomédico, Contador, Dentista, Economista, Enfermeira, Engenheiro, Farmacêutico, Fisioterapeuta, Fonoaudiólogo, Médico, Psicólogo e Veterinário

Prefeitura Municipal de Taió - SC

A Prefeitura Municipal de Taió, Santa Catarina, realiza seleção para preenchimento de vagas

Inscrições:
De 25 de junho a 9 de julho, na Secretaria de Saúde Pública do Município de Taió

Valor:
De R$ 10,00 a R$ 20,00

Cargo:
Agente Comunitário de Saúde (1) Operador de Equipamento (CR)

Remuneração:
De R$ 738,10 a R$ 1.237,59

Provas:
Provas objetivas: 14 de julho

Prefeitura Municipal de São Miguel do Guaporé - RO

A Prefeitura Municipal de São Miguel do Guaporé, Rondônia, realiza concurso para preenchimento temporário de 35 vagas

Inscrições:
Até 25 de junho, na avenida São Paulo, nº. 1490, bairro Cristo Rei

Valor:
Inscrições gratuitas

Cargos:
Professor Pedagogo, Professor de Literatura, Geografia, Ciências Físicas e Biológicas, Inglês e Matemática, Farmacêutico, Médico Clínico Geral, Anestesista, Médico Pediatra, Médico Obstetra Ginecologista e Assistente Social.

Remuneração:
De R$ 725,50 a R$ 6.500,00

Seleção:
Haverá análise dos títulos

Prefeitura Municipal de Piedade dos Gerais - MG

A Prefeitura Municipal de Piedade dos Gerais, Minas Gerais, realiza concurso para preenchimento de 23 vagas

Inscrições:
De 16 de julho a 15 de agosto, na Rua Presidente Vargas, nº. 33, centro, Piedade dos Gerais ou pelo www.jmsbhz.com.br/concurso


Valor:
De R$ 35,00 a R$ 50,00

Remuneração:
De R$ 622,00 a R$ 7.000,00

Provas:
Provas objetivas: 14 de outubro
Haverá prova de títulos

Cargos:
Ensino Superior - Advogado, Assistente Social, Coordenador do CRAS, Dentista PSF, Enfermeiro, Médico PSF e Psicólogo Social;
Ensino Médio - Atendente de Consultório Dentário, Auxiliar Administrativo, Facilitador de Oficinas, Orientador Social, Técnico de Programa Bolsa Família e Técnico em Enfermagem;
Ensino Fundamental - Agente Comunitário de Saúde e Agente de Combate às Endemias

Prefeitura Municipal de Carneirinho – MG

A Prefeitura Municipal de Carneirinho – MG realiza concurso para o provimento de 96 vagas

Inscrições:
De 4 de junho a 4 de julho, pelo www.makiyama.c
om.br ou no anfiteatro da Creche Municipal (avenida Jaci Lima de Paula, nº. 479)

Valor:
De R$ 10,50 a R$ 20,35

Remuneração:
De R$ 622,00 a R$ 2.054,21.

Provas:
Prova objetiva: 12 de agosto
Haverá prova de títulos e prova prática

Cargos
Concurso FMS
Elementar/Fundamental - Motorista, Atendente de Saúde, Auxiliar de Enfermagem e Auxiliar de Serviços;
Médio - Técnico em Radiologia e Técnico em Enfermagem;
Superior - Enfermeiro.
Concurso prefeitura
Elementar/Fundamental - Motorista e Auxiliar de Serviços Gerais, Auxiliar de Creche, Operador De Máquina, Tratorista, Auxiliar de Serviços Urbanos, Vigia e Jardineiro;
Médio - Professor I, Auxiliar de Secretaria e Inspetor de Alunos;
Superior - Psicólogo, Supervisor Escolar, Orientador Escolar e Professor II

Prefeitura Municipal de Cabrobó - PE

A Prefeitura Municipal de Cabrobó, Pernambuco, realiza concurso para provimento de 484 vagas

Inscrições:
De 11 de junho a 11 de agosto pelo www.asconprev.com.br


Valor:
De R$ 48,00 a R$ 88,00

Remuneração:
De R$ 622,00 a R$ 6.000,00

Provas:
Prova objetiva: 21 de outubro
Haverá prova de títulos para Magistério e prova prática para Carpinteiro, Eletricista, Encanador, Mecânico, Operador de Patrol, Operador de Retroescavadeira, Pedreiro e Soldador.

Cargos:
Ensino Fundamental - Agente Comunitário de Saúde, Agente de Combate às Endemias, Auxiliar de Serviços Gerais (Cozinha e Limpeza), Carpinteiro, Eletricista, Encanador, Mecânico, Motorista, Operador de Patrol, Operador de Máquinas Pesadas Retroescavadeira, Pedreiro, Porteiro, Recepcionista, Soldador e Vigia;
Ensino Médio - Agente de Saúde Bucal, Auxiliar Administrativo, Auxiliar de Veterinária, Educador Social, Fiscal de Tributos, Técnico Agrícola, Técnico em Contabilidade, Técnico em Enfermagem e Técnico em Radiologia;
Ensino Superior - Assistente Social, Auditor Fiscal, Biomédico, Educador Físico, Enfermeiro PSF, Enfermeiro Hospitalar, Engenheiro-Agrônomo, Farmacêutico, Fisioterapeuta, Fonoaudiólogo, Médico Clínico Geral, Médico PSF, Médico-Veterinário, Nutricionista, Odontólogo, Professor Educação Infantil, Professor Ensino Fundamental I, Professor Ensino Fundamental II de Ciências, Geografia, História, Libras, Matemática e Português, Psicólogo e Terapeuta Ocupacional

Prefeitura Municipal de Areal - RJ

A Prefeitura Municipal de Areal, Rio de Janeiro, realiza concurso para preenchimento de 113 vagas para o Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAESA)

Inscrições:
De 25 de junho a 22 de julho pelo site www.rumocertoservicos.
com.br ou na Avenida Amaral Peixoto, nº. 238, centro, Areal

Valor:
De R$ 14,00 a R$ 24,00

Remuneração:
Entre R$ 622,00 e R$ 7.179,33

Provas:
Haverá provas objetivas e provas de títulos em 18 e 19 de agosto

Cargos:
Ensino Fundamental - Agente Comunitário de Saúde, Cozinheira, Eletricista Predial, Guarda Municipal, Mecânico para Veículos Leves, Mecânico para Veículos Pesados e Auxiliar de Serviços Gerais;
Ensino Médio - Auxiliar de Serviços Gerais, Cuidador para Creche, Inspetor de Disciplina, Gesseiro, Maqueiro, Técnico em Enfermagem, Técnico Saúde Bucal, Técnico em Contabilidade e Tesoureiro;
Ensino Superior - Endodontista, Médico Ambulatorial em Cardiologia, Cirurgião Geral, Gastroenterologista, Infectologista, Ortopedia, Pediatra, Médico Clínico Geral para Saúde da Família (PSF), Médico Plantonista em Clínica Médica e Pediatria, Odontólogo Cirurgião Oral Menor e Periodontista

Prefeitura Municipal de Águas Lindas de Goiás – GO

A Prefeitura Municipal de Águas Lindas de Goiás – GO realiza concurso para preenchimento de 1.392 vagas

Inscrições:
Até 15 de julho, pelo www.institutocidades.org.
br ou na Avenida Juscelino Kubitschek, quadra 24, lotes 04/05, Jardim Brasília

Valor:
De R$ 38,00 a R$ 120,00

Remuneração:
De R$ 622,00 a R$ 2.000,00

Provas:
Provas objetivas: 19 e 26 de agosto

Cargos:
Ensino Fundamental - Auxiliar de Cozinha, Auxiliar de Mecânico, Auxiliar de Serviços Gerais, Auxiliar Operacional de Serviços Diversos, Bombeiro Hidráulico, Cozinheiro, Mecânico, Motociclista, Motorista, Operador de Máquinas, Pedreiro, Serralheiro, Servente e Vigia;
Ensino Médio - Administrativo, Agente de Trânsito, Desenhista (Técnico em Edificações), Eletricista, Eletricista de Alta Tensão, Fiscal Ambiental, Fiscal de Feira, Fiscal de Obras e Postura, Fiscal de Transporte, Fiscal de Tributos, Fiscal Sanitário, Marceneiro, Mestre de Obras, Técnico em Contabilidade, Técnico em Nutrição e Topógrafo;
Ensino Superior - Arquiteto, Assistente Social, Bibliotecário, Biólogo, Contador, Engenheiro-Agrônomo, Engenheiro Ambiental, Engenheiro Civil, Engenheiro Elétrico, Engenheiro Florestal, Geólogo, Informática, Nutricionista, Psicólogo, Turismólogo e Veterinário