Aplicativos, carreira, concursos, downloads, enfermagem, farmácia hospitalar, farmácia pública, história, humor, legislação, logística, medicina, novos medicamentos, novas tecnologias na área da saúde e muito mais!


quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

Com nanotecnologia, cientistas criam protetor solar que não penetra na pele

Produto não entra na corrente sanguínea, diminuindo riscos para saúde. Pesquisadores encapsularam protetor comum em nanopartícula

Com a ajuda da nanotecnologia, cientistas da Universidade Yale desenvolveram um protetor solar que é capaz de bloquear os raios ultravioleta sem penetrar na pele. A vantagem é que, dessa forma, o produto não entra na corrente sanguínea, evitando possíveis riscos para a saúde.

Os pesquisadores encapsularam um protetor solar comum, o padimato O, dentro de uma nanopartícula, estrutura minúscula normalmente usada para transportar medicamentos para dentro do organismo.

As chamadas nanopartículas bioadesivas contendo o protetor solar são maiores do que os poros da pele, por isso se mantêm na superfície. Para testar se o produto realmente era incapaz de penetrar, ele foi aplicado na pele de porcos. Além de constatar que as nanopartículas realmente não penetraram nos animais, os cientistas também concluíram que o produto é resistente à água e permanece na superfície da pele por um dia ou mais.

Outros testes, feitos em camundongos, atestaram que a capacidade de bloquear os raios ultravioleta das nanopartículas com protetor era similar à capacidade do protetor aplicado diretamente na pele, fora das nanopartículas.

Efeitos nocivos pouco conhecidos
O professor de dermatologia de Yale Michael Girardi, um dos autores do estudo, observa que há pouca pesquisa sobre os efeitos do uso de protetor solar na geração de moléculas conhecidas como espécies reativas de oxigênio, que são capazes de provocar danos nas células. "Protetores químicos protegem contra os efeitos diretos dos raios ultravioletas no DNA, mas podem não proteger contra os efeitos indiretos", diz.

A pesquisadora Jessica Tucker, do Instituto Nacional de Imagem Biomédica e Bioengenharia dos Estados Unidos, órgão que financiou o estudo, ressalta que o potencial risco para a saúde da entrada do protetor solar na corrente sanguínea ainda é pouco conhecido. "Todos sabemos dos benefícios do protetor solar, mas as potenciais toxicidades devido à penetração no organismo e a criação de agentes capazes de danificar o DNA não são bem conhecidas", diz.

"Um protetor solar desenvolvido com bioengenharia para inibir a penetração e manter os componentes capazes de danificar o DNA isolados na nanopartícula é um ótimo exemplo de como uma tecnologia sofisticada pode ser usada para resolver um problema que pode estar afetando a saúde de milhões de pessoas", diz a cientista.

Foto: Reprodução

G1

Ortopedista alerta para os cuidados com o mergulho em água rasa no verão

Rios, piscinas e mares, locais que no verão sempre estão repletos de pessoas que buscam alívio nas águas, diante do calor quase que insuportável

Mas o que poucos sabem é que um simples lugar de lazer pode oferecer sérios riscos para quem não toma os cuidados necessários. No Brasil, por exemplo, é alto o número de pessoas que sofrem acidentes em águas rasas, principalmente pelo famoso “mergulho de cabeça”.

Dados do Instituto de Ortopedia e Traumatologia do Hospital das Clínicas mostram que a 4ª causa de lesão medular no Brasil é causada por mergulhos em água rasa. Além disso, 60,9% das pessoas que sofrem uma lesão por bater a cabeça ao realizar um mergulho ficam ou paraplégicas ou tetraplégicas. Em 90% dos casos, os pacientes são jovens entre 10 e 25 anos.

O ortopedista e especialista em coluna pelo Hospital das Clínicas de São Paulo, Dr. Rogério Vidal, diz que traumas graves podem ser causados, por um simples mergulho em locais desconhecidos.

“O calor propicia um aumento no número de pessoas nesses locais de água rasa e existe esse perigo escondido ligado ao mergulho, principalmente porque muitas pessoas não conhecem o local que vão mergulhar. Dependendo da pancada, a pessoa pode sofrer graves lesões na coluna vertebral”.

Segundo o especialista, em alguns casos a pessoa pode carregar uma paralisia definitiva.

“Alguns traumas na coluna, em função desse mergulho de cabeça, pode levar a pessoa a ficar paraplégica ou tetraplégica. Dependo do grau da lesão na coluna, pode ocorrer uma interrupção parcial ou total das conexões nervosas do cérebro para os membros”, alerta Dr. Rogério. O ortopedista comenta ainda que já viu pacientes morrerem depois de fazer um mergulho de cabeça.

“Já vi casos em que a pessoa não resistiu aos ferimentos e morreu após esse tipo de mergulho em águas rasas. Por isso é fundamental a pessoa primeiro conhecer o lugar, antes de fazer qualquer tipo de mergulho. Em quase todos os casos, a pessoa que está nesse momento de lazer não consegue visualizar o fundo do rio, ou do lago e nem imagina a profundidade e o perigo”, conclui o especialista.

As principais vítimas são crianças, adolescentes e adultos até 30 anos. “Ao cair do alto em um local raso ou com pedras ou bancos de areia, o choque faz com que o pescoço seja dobrado enquanto o resto do corpo continua a se mover, causando a fratura de uma das vértebras, podendo comprimir a medula espinhal e levando à perda da sensibilidade e dos movimentos abaixo do nível fraturado. Outro problema é o Traumatismo Craniano Encefálico (TCE), que pode causar sérios danos neurológicos”, explica o cirurgião geral do hospital João XXIII, Paulo Roberto Lima Carreiro.

Na maioria dos casos, o acidente está relacionado ao uso de álcool e drogas, que colaboram para a diminuição dos reflexos e a perda da noção de perigo.

Cuidados ao socorrer
O modo como a vítima é socorrida é de grande importância para o não agravamento da lesão, que pode se complicar devido à manipulação incorreta da pessoa.

No caso de acidentes na água, a pessoa deve ser imobilizada no próprio local, improvisando uma prancha como tala para evitar o deslocamento do pescoço. O objeto deve ser colocado na região entre as costas e a cabeça e apoiado nos lados por toalhas ou camisetas dobradas e uma faixa, que pode ser improvisada com um cinto, passando na região da cintura da vítima.

É importante, ainda, não testar os movimentos do acidentado, para não correr o risco de aumentar a lesão. Fora do perigo de afogamento, a vítima deve ser tranquilizada até a chegada da equipe médica ou dos bombeiros.

Previna-se:
- Não mergulhe em locais desconhecidos;
- Evite mergulhar de ponta (de cabeça);
- Verifique a profundidade do local em que vai nadar, entrando sem mergulhar;
- Não brinque empurrando amigos para dentro de lagos, poços, cachoeiras ou mar;
- Mesmo que haja um local com boa profundidade, evite mergulhar, pois é possível que com poucos centímetros de distância haja uma pedra, tronco ou diferença de profundidade;
- Se for mergulhar, tenha a certeza de que a profundidade é adequada para isso e não salte de muito alto, pois quanto mais distante da água, maior a velocidade atingida e o impacto ao mergulhar;
- Não consuma álcool ou drogas.

Foto: Reprodução

Você sabe quais são as diferenças do Zika Vírus, Dengue e Chikungunya?

Infectologista do Hospital São Luiz fala sobre os sintomas e características de cada doença


Embora transmitidas pelo mesmo agente, dengue, chikungunya e zika podem ser facilmente confundidas, já que parte de seus sintomas são parecidos. No entanto, algumas diferenças sutis podem indicar o quadro clínico correto. A infectologista do Hospital São Luiz Morumbi, Dra. Raquel Muarrek, explica quais são as características que identificam cada uma das doenças transmitidas pelo Aedes aegypti.

Quais são os principais sintomas do zika vírus?
Na maioria das vezes a infecção por zika é assintomática. Somente 18% das pessoas infectadas apresentam sintomas, que são: febre baixa, manchas vermelhas na pele, vermelhidão nos olhos, conjuntivite e dor de cabeça.

Quais são os sintomas da dengue?
Os primeiros sintomas da doença são febre alta (39° a 40°) de início abrupto com duração de até 48h, podendo estar associada a dor de cabeça, dor muscular, dor na barriga, presença de manchas vermelhas no corpo, náusea, sinais de desmaio e dificuldade na ingestão de líquidos. Há chances do quadro evoluir para choque hemorrágico (perda aguda de sangue).

Quais são os sintomas da chikungunya?
A doença começa de forma súbita com febre alta, geralmente acima de 38,5ºC, e dor articular intensa. As articulações que costumam ser mais afetadas são: falanges, tornozelos, pulsos e até joelhos, ombros e colunas. Manchas vermelhas na pele e inchaço também estão entre os principais sintomas.

tabela saude

Guia da Farmácia

Medicamento infantil terá rótulo diferente de remédio para adulto

Para evitar erros de administração e de uso de medicamentos, as embalagens de soros, injeções e remédios deverão ter identificação específica e mais detalhada

A especificação consta na Lei 13.236/2015, que altera a Lei de Vigilância Sanitária sobre Produtos Farmacêuticos (Lei 6360/1976).

Resultado do Projeto de Lei do Senado 461/2011, do senador Humberto Costa (PT-PE), a lei também determina que embalagens de medicamentos de uso infantil sejam diferentes das de uso adulto. As regras passam a valer em 180 dias.

Medicamentos similares
Também foi promulgada a Lei 13.235/2015, que obriga a indústria farmacêutica a verificar a equivalência dos medicamentos similares, fabricados ou não no país, aos genéricos. Com isso, medicamentos similares e genéricos deverão passar pelos mesmos controles de qualidade.

A lei, criada a partir do Projeto de Lei do Senado 152/2012, do senador Walter Pinheiro (PT-BA), atualiza a legislação que trata da vigilância sanitária referente a esses produtos (Lei 6.360/1976) para garantir sua eficácia. Com informações da Assessoria de Imprensa do Senado.

Disfunção erétil aumenta o risco de morte prematura

De acordo com novo estudo, homens com o problema têm risco 70% maior de morrer precocemente em comparação com aqueles sem dificuldades de ereção

Homem: Desvendado mecanismo que permite que o homem mantenha uma ereção
De acordo com os autores, quase 20% dos homens com menos de 40 anos sofrem com a disfunção erétil

Homens com disfunção erétil correm um risco de morte precoce 70% maior do que aqueles que não têm o problema. É o que diz um estudo publicado recentemente na revista científica Journal of Sexual Medicine.

No estudo, os pesquisadores da Universidade do Mississipi, nos Estados Unidos, analisaram dados de 1.790 homens, com idade entre 20 e 85 anos. Do total, 557 tinham disfunção erétil e, após oito anos de acompanhamento, 244 faleceram por diferentes causas, desde doenças cardiovasculares e respiratórias até câncer.

Após considerarem diversos fatores como idade, atividade física, raça, etnia, circunferência da cintura, renda e doenças, os pesquisadores concluíram que a disfunção erétil aumenta em 70% o risco de morte prematura por qualquer causa.

Na maioria das vezes, a disfunção erétil é vista como um problema que afeta principalmente homens mais velhos. No entanto, de acordo com os autores, quase 20% dos homens com menos de 40 anos são afetados pela doença.

Não é novidade que a condição está associada a um risco maior de desenvolver doenças cardiovasculares. Segundo os pesquisadores, essa associação ocorre devido à disfunção das células endoteliais e da produção deficiente de óxido nitroso.

No entanto, o estudo mostra que a disfunção também está relacionada ao aumento do risco de morte por qualquer causa. “Os resultados têm grandes implicações clínicas e na saúde pública, pois mostram que a disfunção erétil é um forte preditor de mortalidade precoce”, disseram os cientistas.

Veja

Depressão muda relógio biológico. Veja o que se sabe sobre rotina cerebral

Durante todo o dia, um relógio faz tique-taque em nosso corpo. Ele nos acorda de manhã e faz com que possamos dormir de noite. Aumenta e diminui a temperatura de nosso corpo e, nas horas certas, regula a produção de insulina e de outros hormônios

Relógio biológico é controlado pelo cérebro - e a ciência avançou neste mistério
Relógio biológico é controlado pelo cérebro e a ciência avançou neste mistério

O relógio circadiano influencia até nossos pensamentos e sentimentos. Psicólogos mediram alguns dos efeitos no cérebro pedindo que as pessoas fizessem testes cognitivos em horas diferentes do dia.

Constatou-se que o final da manhã é a melhor hora para fazer tarefas como contas aritméticas de cabeça, que demandam a manutenção de várias peças de informação na mente ao mesmo tempo. Mais tarde é a hora de tentar tarefas mais simples, como procurar por uma letra em uma página de rabiscos.

Outra pista sobre o relógio em nossos cérebros vem de pessoas com condições como depressão e transtorno bipolar. Quem tem esses problemas geralmente sente dificuldade de dormir à noite ou se sente zonzo durante o dia. Algumas pessoas com demência ficam confusas ou agressivas no final do dia.

"Os ciclos de sono e atividade desempenham um papel importante nas doenças psiquiátricas", afirma Huda Akil, neurocientista da Universidade de Michigan. Ainda assim neurocientistas lutam para entender exatamente como o relógio circadiano afeta nossas mentes. Afinal, os pesquisadores não podem simplesmente abrir o crânio de um sujeito e monitorar suas células cerebrais durante cada período do dia. Alguns anos atrás, Huda Akil e seus colegas tiveram uma ideia.

A Universidade da Califórnia em Irvine guarda cérebros doados para a ciência. Alguns de seus antigos donos morreram de manhã, alguns durante a tarde e outros de noite. Huda e colegas se perguntavam se havia diferenças nos cérebros dependendo da hora do dia em que seus doadores faleceram.

"Talvez seja uma ideia simples, mas ninguém havia pensado nisso."

Ela e seus colegas selecionaram cérebros de 55 pessoas saudáveis cujas causas de morte foram súbitas, como batidas de carro. De cada cérebro, os pesquisadores fatiaram tecidos de regiões importantes para o aprendizado, para a memória e para as emoções.

No momento em que cada um morreu, suas células cerebrais estavam produzindo proteínas de certos genes. Como os cérebros foram preservados rapidamente, os cientistas ainda podiam medir a atividade desses genes na hora da morte.

A maioria dos genes que examinaram não mostrou nenhum padrão regular de atividades no curso do dia, mas descobriram que mais de mil deles seguiam um ciclo diário.

As pessoas que morreram na mesma hora do dia estavam produzindo os mesmos níveis de proteínas daqueles genes.

Os padrões eram tão consistentes que os genes podiam agir como um marcador de tempo. "Poderíamos perguntar: 'A que hora do dia essa pessoa morreu?', e daria para apontar, após uma hora, o momento real da morte", diz Huda.

Ela e seus colegas então fizeram a mesma análise nos cérebros de 34 pessoas que tiveram depressões fortes antes de morrer. Dessa vez, descobriram que o mesmo marcador de tempo estava bastante fora da ordem.

"Era como se as pessoas estivessem no horário do Japão ou da Alemanha", conta ela.

Huda e seus colegas publicaram os resultados em 2013, inspirando pesquisadores na Escola de Medicina da Universidade de Pittsburg a tentar replicá-los.

"Era uma coisa que antes pensávamos que não poderíamos fazer", explica a neurocientista Collen A. McClung.

Collen e seus colegas fizeram uma versão ampliada do estudo, examinando 146 cérebros coletados no programa de doações da universidade.

Os pesquisadores publicaram seus resultados no The Proceedings of the National Academy of Sciences. "Encontramos ritmos muito consistentes. Realmente parece uma foto de onde o cérebro estava na hora da morte", afirma Collen. Huda ficou grata que outra equipe de pesquisadores se esforçou para apoiar seu resultado.

"Existe uma série de coincidências que fazem com que você acredite que algo realmente está acontecendo ali", explica ela.

Mas Collen e seus colegas também fizeram o que ninguém havia tentado. Eles compararam os padrões da expressão genética do cérebro de jovens e velhos e descobriram diferenças intrigantes.

Os cientistas esperavam encontrar pistas para explicar por que o ciclo circadiano das pessoas mudava à medida que elas envelheciam. "Quando envelhecem, seus ritmos tendem a se deteriorar e se adiantar", diz Collen.

Ela descobriu que alguns dos genes que estavam ativos nos ciclos diários fortes em pessoas jovens diminuíram naqueles com mais de 60 anos. É possível que alguns idosos parem de produzir as proteínas em seus cérebros necessárias para manter os ritmos circadianos.

Para sua surpresa, no entanto, os pesquisadores também descobriram alguns genes que se tornam ativos nos ciclos diários apenas em pessoas de mais idade.

"Parece que o cérebro pode estar tentando compensar ligando um relógio extra", afirma Collen. Huda imagina que a habilidade do cérebro de forjar um relógio de apoio pode proteger alguns idosos de doenças neurodegenerativas. "Pode ser a diferença entre a deterioração ou não", diz ela.

Talvez um dia seja possível nos voltarmos para nossos relógios de apoio como maneira de tratar uma gama de doenças relacionadas com o ciclo circadiano.

Huda diz que encontrar genes conduzidos pelo relógio poderia ajudar os cientistas a fazer experiências em animais para descobrir o que esses genes estão fazendo.

"Ao invés de sentar em seu laboratório imaginando quais genes podem ser importantes, você se inspira no cérebro e pensa: 'O que ele está tentando nos dizer?'."

Uol / The New York Times

Falhas em escalas e na distribuição de remédios são problemas na saúde no DF

Os problemas da área da saúde no Distrito Federal foram tema de reunião, na manhã de ontem (5), entre o governador Rodrigo Rollemberg e os diretores dos 16 hospitais da rede pública, além de representantes das coordenações regionais de saúde

A secretária adjunta de saúde do DF, Eliene Berg, disse que entre as principais dificuldades do setor estão a desorganização das escalas dos profissionais (médicos, equipes de enfermagem e administrativo) e a má distribuição de medicamentos entre as unidades de saúde. No final do ano passado, o governo criou um grupo de apoio que visitou 13 hospitais e seis Unidades de Pronto Atendimento (UPAs). Segunda-feira(4), a equipe apresentou ao governador um relatório parcial, que aponta as dificuldades e propõe melhorias a curto, médio e longo prazo.

Entre as medidas de curto prazo, a secretária apontou a qualificação de equipes de acolhimento nos hospitais. Estas equipes, formadas por profissionais da equipe de enfermagem, são treinadas para fazer a classificação de risco dos pacientes que chegam aos hospitais. Desta forma, é possível priorizar os casos mais graves, que precisam de atendimento urgente.

De acordo com Rollemberg, outro problema identificado na saúde do DF é o atendimento básico. “Como temos uma rede de atenção básica muito pequena, todas as pessoas, com qualquer tipo de problema, vão para os hospitais. Tanto os casos mais graves como os menos graves. E muitas vezes as pessoas não conseguem o atendimento no tempo adequado e isso gera problemas. O objetivo aqui foi conversar com os gestores para ver o que podemos fazer no sentido de melhorar o atendimento nos próximos meses”, disse o governador.

Segundo Eliene Berg, as escalas dos profissionais da saúde pública estão sendo monitoradas. “O objetivo não é punir, mas sensibilizar sobre a importância do trabalho de cada um e o quanto isso vai impactar quem precisa, que é o paciente. As condutas identificadas e classificadas como irregulares serão encaminhadas para a corregedoria, que faz parte desta equipe, e serão devidamente apuradas. Se for comprovada a irregularidade do servidor, ele será punido”.

Rollemberg disse que vai autorizar a contratação de médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem para substituir os contratos temporários e eventuais aposentadorias. “Temos uma carência de mais de mil profissionais na rede pública de saúde. Nós temos limitações em função da lei de responsabilidade fiscal, mas vamos procurar economizar em outras áreas para poder garantir a contratação de médicos e profissionais de saúde”. De acordo com a secretária Eliene Berg, 63 pediatras aprovados em concursos anteriores já foram convocados mas, até a manhã de hoje, nenhum havia se apresentado para assumir a vaga.

Validade
Durante as inspeções, a equipe da secretaria encontrou medicamentos vencidos. Para evitar a perda de remédios pelo fim da validade e o risco de desabastecimento, a secretária disse que os hospitais têm de atualizar a saída dos medicamentos em um sistema informatizado. “Uma das ações que foi feita agora, nessa reunião presidida pelo governador, foi de que esse apelo seja feito às farmácias satélites [de cada hospital]. Tendo informação a gente consegue agir em tempo hábil e evitar o desabastecimento”, afirmou.

Agência Brasil

Processo seletivo CISNAP - SP

O CISNAP – Consórcio Intermunicipal de Saúde da Nova Alta Paulista, torna público para todos os interessados, a abertura das inscrições do processo seletivo destinado ao provimento de 11 vagas para contratações imediatas e cadastro reserva para Níveis Fundamental, Médio e Superior no regime Celetista, na cidade de Dracena – SP.

O processo seletivo será realizado sob a responsabilidade da Organizadora Global Concursos e o edital n° 001/2015, oferece salários variados de R$ 324,00 a R$ 10.827,88, em jornada de trabalho de 30 ou 40 horas por semana.

Para todos os cargos além do salário existem benefícios, exceto estagiário (a). - R$ 150,00 cesta básica; - R$ 157,60 insalubridade exceto para o cargo de Coordenador.

As ofertas são para os cargos de Servente, Auxiliar de Enfermagem, Estagiário, Escriturário, Coordenador, Enfermeiro e Médico.

As inscrições serão realizadas exclusivamente pela internet, até 14 de janeiro de 2016, no www.globalconcursos.com o www.globalconcursos.com, no horário de oficial de Brasília.

As taxas de inscrição variam de R$ 12,50 a R$ 30,00, de acordo com a função escolhida.

A prova objetiva será aplicada na cidade de Dracena - SP, em data provável de 07 de fevereiro de 2016, podendo ser alterada por critério da Global Concursos e do Cisnap.

O candidato deverá imprimir o seu Cartão Informação do Local de Prova na data provável de 26 de janeiro de 2016.

O gabarito preliminar da prova objetiva será disponibilizado no endereço eletrônico www.globalconcursos.com, na data de 08 de fevereiro de 2016.

O prazo de validade do processo seletivo será de um ano, a contar da data da publicação do ato de sua Homologação nos locais informados de divulgação, podendo ser prorrogado por igual período, desde que haja interesse da Administração.

Concurso Prefeitura de Pérola - PR

A Prefeitura de Pérola, no Paraná, tornou público o edital nº 001/2016 de concurso público. O objetivo é a contratação de nove profissionais de ensino alfabetizado, fundamental, médio e superior. O salário ofertado vai de R$ 902,95 a R$ 10.623,00, em jornadas de trabalho de 20 até 40 horas por semana.

Serão contratados Agente de Combate às Endemias, Agente de serviços especiais, eletricista, Engenheiro Civil, Médico Clinico Geral, Operador de Máquinas, Procurador Jurídico e Técnico de Enfermagem.

As inscrições devem ser feitas do dia 7 de janeiro até 5 de fevereiro de 2016, através do endereço eletrônico www.ruffoconcursos.com.br.

O valor da taxa de inscrição vai de R$ 50,00 até R$ 150,00.

A prova escrita objetiva será aplicada na data provável de 3 de abril de 2016, no município de Pérola/PR, sendo que o local e horário serão previamente informados, através do site acessado para fazer a inscrição.

Este Concurso terá validade de dois anos, podendo ser prorrogável uma única vez por igual período, a contar da publicação do resultado oficial final.

Concurso da Prefeitura de Braganey - PR

A Prefeitura de Braganey, no Paraná, publicou edital n° 01/2016 de concurso público, com a finalidade de ocupar 10 vagas imediatas, mais cadastro de reserva, para Auxiliar de Serviços Gerais, Auxiliar Administrativo, Agente Comunitário de Saúde, Agente de Combate a Endemias, Dentista, Farmacêutico, Fisioterapeuta, Fonoaudiólogo, Gari, Mecânico Geral, Nutricionista e Oficial de Construção (níveis fundamental, médio e superior). Os trabalhos serão executados pelo Instituto Brasil (ABCON – Assessoria Brasileira de Concursos Eireli – ME). Os salários vão até R$ 2.541,30 em carga horária de 20 a 40 horas por semana.

Inscrições
As inscrições serão realizadas exclusivamente via internet, no endereço eletrônico www.institutobrasil.net.br, até do dia 28 de janeiro de 2016 (observar o horário de Brasília).

Para os candidatos que não tiverem acesso à Internet, será disponibilizado posto de inscrição na Biblioteca Cidadão Armerindo Denardim de Braganey, PR, situado na Avenida Bossolan, n.º 1058, Centro de BRAGANEY, no período de 05 de janeiro de 2016 a 28 de janeiro de 2016, no horário das 08h às 12h e das 13h30 às 17h30, durante os dias úteis, considerando-se o horário de Brasília, portando documentos pessoais, onde serão disponibilizados computadores.

Taxas
Auxiliar de Serviços Gerais, Gari, Mecânico Geral e Oficial de Construção - R$ 20,00; Agente Comunitário de Saúde, Agente de Combate de Endemias - R$ 50,00; Auxiliar Administrativo - R$ 80,00; Dentista I, Farmacêutico, Fisioterapeuta, Fonoaudiólogo e Nutricionista - R$ 120,00.

Provas
As provas escritas objetivas somente serão realizadas na data provável de 28 de fevereiro de 2016.

Os horários e locais das provas serão divulgados no edital de homologação das inscrições.

A prova prática também será aplicada aos cargos de mecânico geral no dia 28 de fevereiro de 2016, às 13 horas, devendo o candidato comparecer em frente à Prefeitura do Município de Braganey– PR, para o deslocamento ao local da prova prática.

A publicação do gabarito preliminar da prova objetiva será feita na data prevista de 28 de fevereiro de 2016, às 20 horas, no site www.institutobrasil.net.br

Validade
O prazo de validade do concurso público será de dois anos, a contar da data de publicação do resultado final, prorrogável uma vez, por igual período, a critério do Poder Executivo Municipal.

Concurso Prefeitura de Trombas - GO

A Prefeitura de Trombas, em Goiás, torna público a realização de Concurso Público objetivando a seleção de pessoal para preenchimento de vagas no quadro de cargos efetivos e vagas para cadastro de reserva técnica.

As oportunidades são para os cargos de Agente de Combate a Endemias, Auxiliar de Contabilidade, Auxiliar de Controle Interno, Auxiliar de Serviços Gerais, Auxiliar de Ultrassom, Digitador, Executor Administrativo, Gari, Gestor Hospitalar, Merendeira, Motorista I, Operador de Maquinas Pesadas, Técnico de Enfermagem, Tratorista e Vigilante.

Os interessados devem realizar suas inscrições no período de 11 de janeiro até 5 de fevereiro de 2016, através do endereço eletrônico: www.itame.com.br.

A taxa de inscrição vai de R$ 50,00 a R$ 70,00. Mais informações serão disponibilizadas posteriormente no site da empresa Itame Consultoria e Concursos: www.itame.com.br.

Prefeitura de Fraiburgo - SC promove processo seletivo

A Prefeitura de Fraiburgo, em Santa Catarina, tornou público o extrato do edital nº 001/2016 de processo seletivo. A finalidade é realizar a contratação de novos servidores para a função de Agente Comunitário de Saúde.

Os contratados exercerão suas funções nas localidades: Gruta, Nossa Sra de Lourdes, Fazenda Conte, Localidade Dez de Novembro, Assentamento Rio Mansinho, Localidade Lau Melo, Bairro Roland Mayer, Vila Nova, Assentamento Butiá Verde-setor I e Vila Reflor, Bairro Santa Monica, Localidade Rio Mansinho-Fischer, Bairro São Cristóvão, Localidade Campina do Cerro, Santa Helena, Contestado e Localidade Taquaruçu de Cima.

Os interessados devem realizar suas inscrições até 29 de janeiro de 2016, na Secretaria de Administração e Planejamento, Departamento de Gestão de Pessoal, localizada na Avenida Rio das Antas, 185, Centro, Fraiburgo, em dia de expediente.

Os contratos terão validade para o ano de 2016, podendo ser prorrogado.

Outras informações na Prefeitura Municipal de Fraiburgo, pelo telefone (49) 3256-3057.

O edital completo foi divulgado no DOM/SC em 05/01/2016, página 400 (http://edicao.dom.sc.gov.br/1452012793_edicao_dom_1903.pdf) e será divulgado no site da Prefeitura de Fraiburgo ( www.fraiburgo.sc.gov.br).

Concurso Prefeitura de Feliz Natal - MT

A Prefeitura do município de Feliz Natal, no Mato Grosso, comunicou a sua primeira retificação para o edital nº 001/2015, que informa sobre a mudança na quatidade de vagas para alguns cargos oferecidos no certame. A mudança afetou a vaga para Agente Administrativo, que caiu para oito vagas em nível de contratações imediatas. Com isso, o concurso passa a dispor de 134 vagas totais em cargos efetivos para profissionais de todos os níveis de escolaridade.

O concurso público segue organizado pela empresa Master Z Assessoria e Consultoria LTDA-ME.

Os cargos disponíveis são de Contador, Agente de Tributos II, Assistente Social, Dentista, Enfermeiro, Farmacêutico e Bioquímico, Fonoaudiólogo, Nutricionista, Professor em diversas áreas, Psicólogo, Agente de Controle Interno, Agente Administrativo, Agente de Tributos, Assistente Administrativo, Auxiliar de Laboratório de Análise Clínica, Auxiliar de Consultório Dentário, Auxiliar de Secretaria, Técnico de Enfermagem, Técnico em Informática, Técnico Agrícola/Agropecuário, Técnico em Radiologia, Orientador Social, Monitor de Música, Técnico Administrativo Educacional, Agente de Serviços Gerais, Zelador Indígena, Vigilante, Apoio em Nutrição Escolar, Pedreiro, Operador de Máquina, Monitor de Curso de Corte e Costura, Eletricista, Auxiliar de Oficina, Motorista de Transporte Escolar e Gestor de Investimento.

O salário dos futuros contratados varia de R$ 845,04 a R$ 5.500,00, por jornadas de trabalho de 20 a 40 horas por semana.

As inscrições podem ser feitas até 24 de janeiro de 2016, via endereço eletrônico: www.feliznatal.mt.gov.br.

Haverá cobrança de taxa de inscrição no valor de R$ 50,00 para cargo de nível fundamental, de R$ 80,00 para cargo de nível médio e de R$ 120,00 para cargo de nível superior. Será realizada prova objetiva e prática, esta para algumas vagas específicas.

A prova objetiva está prevista para ser aplicada em 28 de fevereiro de 2016, às 8h.

O local das provas será informado também no site www.feliznatal.mt.gov.br.

O gabarito poderá sera disponibilizado no dia seguinte a prova, através do site da Prefeitura, já mencionado acima.

O concurso público será válido por dois anos, contados da homologação, podendo haver prorrogação conforme interesse da Prefeitura.

Vacina contra HPV para adolescentes passa a ter uma dose a menos

A vacina contra o papiloma vírus humano (HPV) vai passar a ter apenas duas doses, em vez de três, para meninas entre 9 e 11 anos. Esta é uma das mudanças anunciadas pelo Ministério da Saúde no calendário de vacinação da rede pública, que já estão valendo

Segundo a pasta, estudos recentes mostram que a resposta de anticorpos com duas doses não é inferior à aplicação de três. Já as mulheres entre 9 e 26 anos que têm HIV devem continuar recebendo o esquema de três doses da vacina contra o HPV.

Para os bebês, a principal diferença no calendário vacinal será a redução de uma dose na vacina pneumocócica 10 valente para pneumonia, que a partir de agora será aplicada em duas doses, aos 2 e 4 meses, seguida de reforço preferencialmente aos 12 meses, mas que poderá ser tomado até os 4 anos. Já a vacina contra a poliomielite, aplicada aos seis meses, deixa de ser oral e passa a ser injetável.

A partir de agora, a criança recebe as três primeiras doses do esquema – aos dois, quatro e seis meses de vida – com a vacina inativada poliomielite (VIP), de forma injetável. Já a vacina oral poliomielite (VOP) continua sendo administrada como reforço aos 15 meses, quatro anos e anualmente durante a campanha nacional, para crianças de um a quatro anos.

Também houve mudança na vacina meningocócica C, que protege as crianças contra meningite C. O reforço, que anteriormente era aplicado aos 15 meses, passa a ser aplicado preferencialmente aos 12 meses, mas pode ser feito até os 4 anos. As primeiras doses da meningocócica continuam sendo feitas aos 3 e 5 meses.

Atualmente, o Programa Nacional de Imunizações distribui cerca de 300 milhões de imunobiológicos anualmente, dentre vacinas e soros, além de oferecer à população todas as vacinas recomendadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS) no Calendário Nacional de Vacinação.

Agência Brasil

Tire suas dúvidas sobre a vacina da dengue

1 - Pessoas com menos de nove anos e mais de 45 podem tomar a vacina?
A vacina está aprovada para uso pediátrico e adulto, dos nove aos 45 anos de idade. Os limites de idade foram determinados com base, principalmente, nas informações de segurança da vacina, obtidas durante a realização dos estudos clínicos. Para crianças com menos de nove anos, o risco de complicações mais sérias ainda não foi determinado; para aqueles com mais de 45 anos de idade, não há dados suficientes para garantir a segurança da vacina.

O médico responsável poderá avaliar o risco/benefício de se utilizar a vacina em idades diferentes das recomendadas no texto da bula.

2 - Se eu tiver acabado de fazer 46 anos, posso tomar a vacina?
Como esclarece a pergunta anterior, vacina está aprovada para uso pediátrico e adulto, dos nove aos 45 anos de idade. O uso em idades diferentes das recomendadas no texto de bula deve ser discutido com o médico, que avaliará o risco/benefício da utilização da vacina.

3 - Minha filha, filho, sobrinho etc. ainda vai ter oito anos quando lançarem a vacina, mas completará nove anos logo em seguida. Ela(e) pode ser imunizada(o)?
Como a vacina está aprovada para uso pediátrico e adulto, dos nove aos 45 anos de idade, não deve ser administrada em crianças com menos de nove anos de idade Isto porque os dados clínicos disponíveis não são suficientes para concluir sobre o risco/benefício da vacinação nesta faixa etária. O uso da Dengvaxia® em idades diferentes das recomendadas no texto da bula deve ser discutido com o médico, que avaliará o risco/benefício da utilização da vacina.

4 - A vacina também imuniza contra a Chicungunya e contra o Zica vírus, transmitidos pelo Aedes aegypti?
A vacina não protege contra os vírus Chikungunya e Zika. A Dengvaxia® é uma vacina utilizada para ajudar a proteger contra a dengue causada pelos sorotipos 1, 2, 3 e 4 do vírus da dengue.

A vacina é aplicada em adultos, adolescentes e crianças dos nove aos 45 anos de idade que moram em áreas endêmicas (áreas em que a dengue esteja sempre presente).

5 - Se eu tomar duas doses da vacina e esquecer de tomar a última, estarei imunizado? se eu tomar apenas uma dose, a vacina vai fazer efeito?
O esquema de vacinação aprovado consiste de três injeções a serem administradas em intervalos de seis meses.

A vacina começa a fazer efeito a partir da primeira dose. No entanto, a eficácia só foi demonstrada após a aplicação das três doses.

6 - Qual deve ser o intervalo entre as doses da vacina?
O esquema de vacinação consiste de três injeções a serem administradas por via subcutânea, em intervalos de seis meses.

7 - A vacina é contra indicada para pessoas com algum tipo de alergia?
A vacina é contraindicada para uso por pessoas que são alérgicas (hipersensíveis) aos princípios ativos ou qualquer outro ingrediente da Dengvaxia® e por pessoas que desenvolveram uma reação alérgica após a administração prévia da Dengvaxia®. Os sinais de uma reação alérgica podem incluir urticária, encurtamento da respiração e inchaço do rosto e da língua.

8 - Eu já tive dengue. Posso tomar a vacina?
Sim, pode. A vacina foi aprovada tanto para pessoas que nunca tiveram dengue como para aquelas que já tiveram a doença.

9 - Se eu estiver com dengue, posso tomar a vacina?
Não. A vacina não trata a doença, ela a previne. Com o restabelecimento da saúde, a vacinação pode ser considerada, após avaliação do médico.

10 - Grávidas podem tomar a vacina?
Não, essa é uma contraindicação da vacina. Dengvaxia® é uma vacina de vírus vivo atenuado e contraindicada a grávidas. As grávidas não foram avaliadas nos estudos clínicos.

11 - A vacina dá febre? Quais os principais efeitos colaterais?
É possível que a vacina provoque febre e outros efeitos adversos, embora isso não ocorra com todas as pessoas. As reações adversas mais frequentes observadas nos estudos clínicos foram febre, dor de cabeça, dor no local da injeção, mal-estar e dor muscular. Outras reações comuns foram reações no local da injeção, como vermelhidão, hematoma, inchaço e coceira. Reações mais raras foram: endurecimento no local da injeção, doença semelhante à gripe, dor no pescoço, dor nas articulações, vermelhidão intensa, urticária, náusea, dor na boca e garganta, tosse, nariz escorrendo, tontura, enxaqueca, inchaço dos linfonodos (linfoadenopatia) e infecção do trato respiratório superior (nariz, boca, faringe e laringe).

12 - Posso doar sangue depois de tomar a vacina?
Como a vacina contra a dengue é uma vacina com vírus vivos atenuados, é necessário aguardar um período de quatro semanas após a vacinação para realizar a doação de sangue.

13 - Quanto dias depois de tomar a vacina estarei imunizado e protegido contra a dengue?
Como o esquema de vacinação consiste de três doses que devem ser administradas em intervalos de seis meses, a proteção contra a doença será atingida após a administração do esquema completo de três doses, ou seja, um ano depois da administração da primeira dose.

14 - Mesmo depois de tomar a vacina devo continuar usando repelente contra o mosquito?
Sim. a vacinação não é um substituto para a proteção contra as picadas de mosquitos. Devem ser tomadas as precauções apropriadas para prevenção das picadas de mosquito, incluindo o uso de repelentes, roupas adequadas e redes de proteção contra mosquitos. A vacina apenas oferece proteção contra a dengue causada pelos sorotipos 1, 2, 3 e 4 do vírus da dengue. O mosquito transmissor da dengue é ainda responsável pela transmissão de outros vírus, como o Zika e Chikungunya, para os quais a vacina contra a dengue não oferece proteção.

15 - Quem não deve usar a vacina?
Crianças com menos de nove anos, mulheres grávidas ou que estejam amamentando, pessoas alérgicas aos componentes da vacina, pessoas que tenham fenilcetonúria e aquelas com um sistema imunológico enfraquecido ou que recebam orientação médica específica.

16- A vacina pode causar dengue hemorrágica?
Não. Nos estudos clínicos, a vacina reduziu consideravelmente os casos de dengue grave e de febre hemorrágica da dengue.

17 - Qual a composição da vacina?
A vacina é constituída por vírus vivos atenuados obtidos por tecnologia de DNA recombinante, combinando o vírus atenuado da febre amarela e os quatro sorotipos dos vírus da dengue.

18 - Posso tomar outras vacinas junto com a vacina contra a dengue?
A Dengvaxia® não deve ser administrada com nenhuma outra vacina ou produto farmacêutico injetável.

Nenhum estudo específico foi realizado sobre a administração concomitante da vacina contra a dengue e de qualquer outra vacina ou produto farmacêutico.

Após a avaliação médica, caso seja necessário administrar concomitantemente alguma outra vacina ou produto farmacêutico, devem ser usadas seringas e agulhas diferentes, e a aplicação deve ser feita em diferentes partes do corpo.

Nos estudos clínicos, a vacina reduziu consideravelmente os casos de dengue.

ANVISA

Cientistas criam camisinha que aumenta prazer

Ideia de especialistas de universidade americana era criar produto que faça com que mais pessoas se sintam motivadas a usar preservativo

Cientistas indianos e americanos dizem ter desenvolvido um novo preservativo que, além de evitar o contágio pelo HIV, aumenta o prazer sexual.

A nova camisinha, de acordo com os pesquisadores, fará com que as pessoas queiram usar a proteção - em vez de simplesmente adotá-la por razões de segurança de saúde ou para evitar gravidez.

O preservativo foi desenvolvido por uma equipe de pesquisadores do Centro de Ciências da Saúde da Universidade do Texas, nos Estados Unidos, e financiado pela Fundação Bill Gates.

Mahua Choudhury, pesquisadora do centro, disse à BBC que a ideia era criar um produto que protege o usuário e também ajuda a aumentar o prazer.

A nova camisinha tem uma substância gelatinosa reforçada com antioxidantes que atacam o vírus HIV caso ocorra um rompimento do preservativo, disse Choudhury.

Mas esses antioxidantes "também estimulam as terminações nervosas e, por isso, geram maior prazer sexual", acrescentou a cientista.

Resistência
Choudhury lembra que muitas pessoas abrem mão dos preservativos por acharem que a camisinha reduz o prazer na relação sexual.

E dados da ONU indicam que, apesar de avanços nas duas últimas décadas, milhões de pessoas no mundo todo ainda não têm acesso à camisinha ou não utilizam a proteção devido a barreiras psicológicas e tabus sociais.

O Fundo para a População da ONU afirma que o uso de camisinha em relações com pessoas que não são parceiros(as) regulares varia de 80% em países como a Namíbia, na África, até menos de 40% em outros países - incluindo alguns com altas taxas de infecção pelo HIV.

Entre os jovens de 15 a 24 anos o uso de preservativos varia entre 80% em alguns países da América Latina até 30% em países a África Ocidental.

Crenças populares e fatores culturais têm um papel importante no uso da camisinha.

Segundo Choudhury, o projeto do novo preservativo visa justamente criar um produto que faça com que mais pessoas se sintam motivadas a usar a camisinha.

"Isto faria com que as pessoas comprassem um produto que as protege mas também torna a relação sexual mais satisfatória", disse. O mais interessante, de acordo com a pesquisadora, é que não há nada parecido no mercado que ajude a prevenir de forma tão eficaz o HIV.

Nova geração
O novo preservativo é resultado de uma iniciativa da Fundação Bill Gates.

Há dois anos, Gates e sua esposa, Melinda, colocaram à disposição de empreendedores fundos de até US$ 100 mil para desenvolver uma "nova geração" de camisinhas mais finas e eficazes.

O centro de pesquisas da Universidade do Texas foi um dos beneficiados.

Choudhury disse que, até o momento, o preservativo ainda é um protótipo, mas já existe muito interesse.

Ela acredita que o produto estará disponível no mercado dentro de um ano. "Neste momento estamos criando (os preservativos) e logo será uma questão de acertar os detalhes", disse.

E quanto ao preço, a pesquisadora afirmou que, uma vez que o preservativo comece a ser fabricado em larga escala, será uma questão de centavos de dólares.

Foto: Reprodução

BBC Brasil

Os erros mais comuns que as pessoas cometem na hora de escovar os dentes

Colocar muita força na escovação, uso incorreto do fio dental e até a pressa prejudicam a limpeza dos dentes; saiba como evitar os problemas mais recorrente

Escovamos os dentes desde pequenos, três vezes por dia, todo santo dia. O problema é que justamente por ser uma atividade tão presente no nosso cotidiano, começamos a agir no automático. E daí, a boa intenção pode ficar só na vontade mesmo.

A batida regra de sair da mesa e ir correndo escovar os dentes não vale, segundo Mirna Matoba, cirurgiã-dentista e odontopediatra do Instituto Matoba. “Normalmente, a gente recomenda que a escovação seja feita 30 minutos após as refeições, principalmente se a pessoa ingeriu alguma coisa ácida. O pH da saliva se mantém ácido por certo tempo – se a escovação é feita nesse período pode aumentar o desgaste do dente”, explica ela. Porém, se não for possível esperar, então, escove imediatamente. “O importante é não deixar de escovar após as refeições”, diz Mirna.

Pressa demais também é inimiga da boa escovação. O tempo mínimo sugerido pelos especialistas é de dois minutos. “Com menos que isso, a pessoa só tira o resto grosso de comida, mas não limpa de verdade”, observa Mirna.

Aplicar mais força para limpar melhor não funciona. “Eu costumo comparar com a limpeza de um carro: se você lavar um carro com palha de aço, vai lavar, mas vai riscar tudo. A escova mais macia limpa, enquanto a dura arranha e desgasta o esmalte”, explica Juliana Benetti Barreto, cirurgiã dentista do grupo Sorridents. Os modelos mais indicados são os de cabeça pequena, com cerdas macias e todas do mesmo tamanho. Escovas duras são indicadas para pessoas que fazem uso de próteses, segundo Juliana.

É preciso escovar a frente, a parte de trás e a parte superior e inferior dos dentes. E o uso do fio dental, pelo menos duas vezes ao dia, é indispensável. “Tem que raspar o fio ou a fita dental e sentir que está limpando. O fio entra na gengiva e é isso é normal porque há um espaço entre o dente e a gengiva. Se não limpar, forma o tártaro, que é a bactéria envolvida com a sujeira”, afirma Mirna.


Pasta de dente
Outro mito é achar que precisa encher a escova de pasta. Para adultos, o equivalente a um grão de feijão é o suficiente. Já para crianças, a medida é a de um grão de arroz. “Uma alta ingestão de flúor pode provocar intoxicação e uma série de problemas. A quantidade de pasta tem que ser mínima – ela vai fortalecer o esmalte com o flúor, mas o que limpa é a ação mecânica, a qualidade e a repetição dos movimentos”, avalia Juliana.

E nada de esquecer a língua! “A língua é pilosa e rugosa por causa das papilas – ali também adere sujeira. Quando ela está branca, amarelada ou amarronzada são sinais de sujeira”, diz Mirna. O ideal é usar um limpador de língua.

A higienização da boca deve ser feita desde o surgimento do primeiro dente de leite. Segundo Juliana, existem escovas próprias para essa fase. “Crianças que começam a escovar os dentes sozinhas devem usar um creme dental sem flúor, depois a mãe tem que complementar com flúor para dar uma fortalecida no esmalte”, aconselha Juliana.

Artigo fornecido pela Colgate-Palmolive. Copyright 2016 Colgate-Palmolive.

iG

Hospitais Albert Schweitzer e Rocha Faria serão administrados pela prefeitura

Anúncio oficial foi feito ontem em coletiva no Palácio Guanabara. Servidores estaduais serão realocados

Foto: Estefan Radovicz / Agência O Dia
Sem repasses da prefeitura, Hospital Mario Kröeff, na Penha, suspendeu o atendimento ambulatorial

O Hospital Albert Schweitzer, em Realengo, será entregue ao município nesta quinta-feira, e o Rocha Faria, em Campo Grande, na próxima segunda-feira. O anúncio foi feito em coletiva no Palácio Guanabara, pelo governador Luiz Fernando Pezão e pelo prefeito Eduardo Paes. Eles informaram que, juntas, as unidades custam cerca de R$ 504 milhões por ano. As UPAs e o serviço de Samu permanecerão sob responsabilidade da administração estadual. A previsão é que o atendimento se mantenha normalmente durante a transição.

“A transferência irá desonerar o estado, e permitirá que os recursos sejam focados no Carlos Chagas e no Getúlio Vargas”, afirmou Pezão. No fim do ano passado, a prefeitura já havia emprestado R$ 100 milhões para tentar ajudar o estado a enfrentar a crise na saúde.

Paes afirmou que a municipalização das unidades é um “desejo antigo”, e nomeou seu secretário de Governo,Pedro Paulo Carvalho, como coordenador do processo. Pedro Paulo não deu detalhes de onde sairá o dinheiro para administração das unidades. Garantiu que a verba não sairá dos R$ 5 bilhões que a Secretaria municipal de Saúde tem para seu orçamento em 2016, e limitou-se a dizer que “serão recursos da prefeitura” e de “superávits” de 2015. “A ideia é tentar fazer mais usando menos. A municipalização é definitiva”, declarou o secretário.

Dor e revolta para pacientes
Sem médicos, nem remédios, nem elevador. Desde que descobriu um câncer na coluna, em 2014, a professora Renata Silva, de 39 anos, vai ao Hospital Mario Kröeff uma vez por mês para tomar uma injeção do medicamento Pamidronato, utilizado em caso de metástase óssea. Sua consulta, marcada para o dia 23 de dezembro, foi cancelada e não há previsão para reagendar. “Estou desesperada. Sinto muita dor e venho aqui à toa. Fico sem remédio, sem saber se posso aplicar por conta própria, pois nem orientação tenho”, reclamou.

A prefeitura ressalta que os repasses futuros seguirão o cronograma do Ministério da Saúde e da prestação de contas. Para o vice-presidente do Cremerj, Nelson Nahon, o ideal era que o repasse fosse feito dia 5 e não após o dia 20, como previsto pela Secretaria municipal de Saúde. “A situação crítica está desde outubro. Pedimos ao Ministério Público para intervir, pois estavam sem ecodoppler, tomografia e falta pessoal para trabalhar. Câncer é uma enfermidade progressiva, não espera calendário ou qualquer burocracia. Cada dia adiado é prejuízo à vida”, alertou Nahon. Segundo ele, ainda há risco de interrupção, por falta de insumos, da quimioterapia e cirurgia, já que o estoque duraria mais seis dias.

Servidores do estado serão realocados
A municipalização dos dois hospitais da Zona Oeste transformará a Secretaria municipal de Saúde na maior administradora de leitos hospitalares do país: 4.173. Mesmo assim, não há possibilidade de os servidores estaduais passarem a ser municipais com a mudança na gestão do Albert Schweitzer e do Rocha Faria. “Os servidores do estado serão realocados nas unidades estaduais”, afirmou Pedro Paulo.

Uma reunião nesta quarta-feira entre a comissão de transição e representantes das organizações sociais (OSs) que administram as unidades começará a responder perguntas como o número de servidores a ser transferidos e contratações emergenciais necessárias de médicos e funcionários. A medida aumentará o investimento da prefeitura em Saúde de 21% para 25% de seu orçamento, chegando a cerca de R$ 5 bilhões por ano.

O Dia

Casos suspeitos de microcefalia causada por zika vírus passam de 3 mil

Primeiro boletim do ano foi divulgado pelo Ministério da Saúde nesta terça-feira; primeiro caso no Amazonas foi registrado

Algumas mães brasileiras sofrem pela espera do diagnóstico dos bebês que podem ter microcefalia
Camilla Costa/BBC 
Algumas mães brasileiras sofrem plea espera do diagnóstico dos bebês que podem ter microcefalia

Em novo boletim divulgado ontem (terça-feira, 5), o Ministério da Saúde informou que o Estado do Amazonas registrou seu primeiro caso de microcefalia relacionada ao zika vírus. Até 2 de janeiro, data em que a pasta investigou as ocorrências, foram notificados 3.174 casos em 684 municípios do Brasil. Ainda estão em investigação 38 mortes de recém-nascidos com microcefalia possivelmente causadas por zika vírus.

Até 26 de dezembro, o Ministério da Saúde havia informado que eram 2.975 casos. Ou seja, em oito dias, aumentaram 199 casos.

O primeiro Estado a identificar o aumento de casos de microcefalia, Pernambuco ainda é o campeão com o maior número de ocorrências suspeitas – são 1.185 casos, o que representa 37,33% do total registrado em todo o País. Em seguida está a Paraíba, com 504 casos, seguida da Bahia (312), Rio Grande do Norte (169), Sergipe (146), Ceará (134), Alagoas (139), Mato Grosso (123) e Rio de Janeiro (118).

A circulação do zika vírus está espalhada em 18 Estados do Brasil: Alagoas, Amazonas, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte, Rio de Janeiro, Rondônia, Roraima, São Paulo e Tocantins. Gestantes infectadas podem ter bebês com microcefalia. Já adultos correm o risco de desenvolver a Síndrome de Guillain-Barré (SGB), que afeta o sistema nervoso e causa fraqueza muscular.

iG

Teoria aliada à prática é diferencial de especialização em qualidade em saúde do CBA-PUC

O curso de especialização Qualidade em Saúde: Gestão e Acreditação que o Consórcio Brasileiro de Acreditação (CBA), em parceria com a Pontifícia Universidade Católica (PUC-Rio), oferece a profissionais que atuam na área de saúde, tem se mostrado completo na capacitação e formação dos alunos que, focados na promoção da qualidade, concluirão o curso em condições de implantar mudanças e melhorias na saúde para a população brasileira


O diferencial é a estreita relação entre teoria e prática. Além das aulas ministradas por renomados profissionais do mercado, são promovidas visitas em instituições acreditadas com o objetivo de mostrar aos discentes como acontece no dia a dia de um hospital, o que é abordado em sala.

“O curso alia bem teoria e prática. Os professores têm muito conhecimento, por isso fazem muitos relatos sobre suas experiências, mas acredito que nas visitas, como a que fizemos no Hospital São Vicente de Paulo (HSVP), conseguimos ver na prática o que é passado em sala, o que é muito importante e proveitoso”, afirma Sérgio Roberto Martins de Souza, enfermeiro do banco de tecidos do Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (INTO) e aluno da primeira turma da especialização.

Para a administradora e gestora de qualidade hospitalar Martha Lima, que ministra a disciplina Gerenciamento do Ambiente em Instituição de Saúde, a visita a unidade hospitalar foi fundamental para que os alunos observassem o processo de gerenciamento do ambiente em uma instituição acreditada. “Os alunos elaboraram um check-list de observação e foram para campo avaliar os pontos em relação ao ambiente. Após a visita, elaboraram e apresentaram um relatório. Foi um trabalho de observação muito consistente e de muita resolutividade”.

Cláudia da Rocha Silva, supervisora de enfermagem do INTO, que também está cursando a especialização, avalia essa experiência na visita ao hospital como excelente: “A visita ao HSVP foi uma das melhores coisas que aconteceram no curso. Acho que deveriam ter até mais visitações. É na visita que você percebe o que você agregou de conhecimento. Não sabia que a visita seria tão proveitosa. Você acaba tendo uma visão diferente do que aprende em sala”.

Sobre o resultado alcançado na especialização, Sabrina Neves Fernandes, administradora da Pronep, comemora: “Estou gostando bastante do curso por conta do conhecimento do corpo docente e da troca de experiências com os demais profissionais. Além do que consigo trazer o que aprendo em sala para a empresa que trabalho”.

As inscrições para a próxima turma do curso Qualidade em Saúde: Gestão e Acreditação já estão abertas. Mais informações em http://cbacred.org.br/ensino/especializacao.asp. 

Nathália Vincentis
Jornalista – SB Comunicação
Tel.: (21) 3798-4357
R. Visconde de Inhaúma, 38/1201, Centro
Rio de Janeiro - RJ - 20091-007