Aplicativos, carreira, concursos, downloads, enfermagem, farmácia hospitalar, farmácia pública, história, humor, legislação, logística, medicina, novos medicamentos, novas tecnologias na área da saúde e muito mais!


quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

Falhas em escalas e na distribuição de remédios são problemas na saúde no DF

Os problemas da área da saúde no Distrito Federal foram tema de reunião, na manhã de ontem (5), entre o governador Rodrigo Rollemberg e os diretores dos 16 hospitais da rede pública, além de representantes das coordenações regionais de saúde

A secretária adjunta de saúde do DF, Eliene Berg, disse que entre as principais dificuldades do setor estão a desorganização das escalas dos profissionais (médicos, equipes de enfermagem e administrativo) e a má distribuição de medicamentos entre as unidades de saúde. No final do ano passado, o governo criou um grupo de apoio que visitou 13 hospitais e seis Unidades de Pronto Atendimento (UPAs). Segunda-feira(4), a equipe apresentou ao governador um relatório parcial, que aponta as dificuldades e propõe melhorias a curto, médio e longo prazo.

Entre as medidas de curto prazo, a secretária apontou a qualificação de equipes de acolhimento nos hospitais. Estas equipes, formadas por profissionais da equipe de enfermagem, são treinadas para fazer a classificação de risco dos pacientes que chegam aos hospitais. Desta forma, é possível priorizar os casos mais graves, que precisam de atendimento urgente.

De acordo com Rollemberg, outro problema identificado na saúde do DF é o atendimento básico. “Como temos uma rede de atenção básica muito pequena, todas as pessoas, com qualquer tipo de problema, vão para os hospitais. Tanto os casos mais graves como os menos graves. E muitas vezes as pessoas não conseguem o atendimento no tempo adequado e isso gera problemas. O objetivo aqui foi conversar com os gestores para ver o que podemos fazer no sentido de melhorar o atendimento nos próximos meses”, disse o governador.

Segundo Eliene Berg, as escalas dos profissionais da saúde pública estão sendo monitoradas. “O objetivo não é punir, mas sensibilizar sobre a importância do trabalho de cada um e o quanto isso vai impactar quem precisa, que é o paciente. As condutas identificadas e classificadas como irregulares serão encaminhadas para a corregedoria, que faz parte desta equipe, e serão devidamente apuradas. Se for comprovada a irregularidade do servidor, ele será punido”.

Rollemberg disse que vai autorizar a contratação de médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem para substituir os contratos temporários e eventuais aposentadorias. “Temos uma carência de mais de mil profissionais na rede pública de saúde. Nós temos limitações em função da lei de responsabilidade fiscal, mas vamos procurar economizar em outras áreas para poder garantir a contratação de médicos e profissionais de saúde”. De acordo com a secretária Eliene Berg, 63 pediatras aprovados em concursos anteriores já foram convocados mas, até a manhã de hoje, nenhum havia se apresentado para assumir a vaga.

Validade
Durante as inspeções, a equipe da secretaria encontrou medicamentos vencidos. Para evitar a perda de remédios pelo fim da validade e o risco de desabastecimento, a secretária disse que os hospitais têm de atualizar a saída dos medicamentos em um sistema informatizado. “Uma das ações que foi feita agora, nessa reunião presidida pelo governador, foi de que esse apelo seja feito às farmácias satélites [de cada hospital]. Tendo informação a gente consegue agir em tempo hábil e evitar o desabastecimento”, afirmou.

Agência Brasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário