Aplicativos, carreira, concursos, downloads, enfermagem, farmácia hospitalar, farmácia pública, história, humor, legislação, logística, medicina, novos medicamentos, novas tecnologias na área da saúde e muito mais!


quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

Os erros mais comuns que as pessoas cometem na hora de escovar os dentes

Colocar muita força na escovação, uso incorreto do fio dental e até a pressa prejudicam a limpeza dos dentes; saiba como evitar os problemas mais recorrente

Escovamos os dentes desde pequenos, três vezes por dia, todo santo dia. O problema é que justamente por ser uma atividade tão presente no nosso cotidiano, começamos a agir no automático. E daí, a boa intenção pode ficar só na vontade mesmo.

A batida regra de sair da mesa e ir correndo escovar os dentes não vale, segundo Mirna Matoba, cirurgiã-dentista e odontopediatra do Instituto Matoba. “Normalmente, a gente recomenda que a escovação seja feita 30 minutos após as refeições, principalmente se a pessoa ingeriu alguma coisa ácida. O pH da saliva se mantém ácido por certo tempo – se a escovação é feita nesse período pode aumentar o desgaste do dente”, explica ela. Porém, se não for possível esperar, então, escove imediatamente. “O importante é não deixar de escovar após as refeições”, diz Mirna.

Pressa demais também é inimiga da boa escovação. O tempo mínimo sugerido pelos especialistas é de dois minutos. “Com menos que isso, a pessoa só tira o resto grosso de comida, mas não limpa de verdade”, observa Mirna.

Aplicar mais força para limpar melhor não funciona. “Eu costumo comparar com a limpeza de um carro: se você lavar um carro com palha de aço, vai lavar, mas vai riscar tudo. A escova mais macia limpa, enquanto a dura arranha e desgasta o esmalte”, explica Juliana Benetti Barreto, cirurgiã dentista do grupo Sorridents. Os modelos mais indicados são os de cabeça pequena, com cerdas macias e todas do mesmo tamanho. Escovas duras são indicadas para pessoas que fazem uso de próteses, segundo Juliana.

É preciso escovar a frente, a parte de trás e a parte superior e inferior dos dentes. E o uso do fio dental, pelo menos duas vezes ao dia, é indispensável. “Tem que raspar o fio ou a fita dental e sentir que está limpando. O fio entra na gengiva e é isso é normal porque há um espaço entre o dente e a gengiva. Se não limpar, forma o tártaro, que é a bactéria envolvida com a sujeira”, afirma Mirna.


Pasta de dente
Outro mito é achar que precisa encher a escova de pasta. Para adultos, o equivalente a um grão de feijão é o suficiente. Já para crianças, a medida é a de um grão de arroz. “Uma alta ingestão de flúor pode provocar intoxicação e uma série de problemas. A quantidade de pasta tem que ser mínima – ela vai fortalecer o esmalte com o flúor, mas o que limpa é a ação mecânica, a qualidade e a repetição dos movimentos”, avalia Juliana.

E nada de esquecer a língua! “A língua é pilosa e rugosa por causa das papilas – ali também adere sujeira. Quando ela está branca, amarelada ou amarronzada são sinais de sujeira”, diz Mirna. O ideal é usar um limpador de língua.

A higienização da boca deve ser feita desde o surgimento do primeiro dente de leite. Segundo Juliana, existem escovas próprias para essa fase. “Crianças que começam a escovar os dentes sozinhas devem usar um creme dental sem flúor, depois a mãe tem que complementar com flúor para dar uma fortalecida no esmalte”, aconselha Juliana.

Artigo fornecido pela Colgate-Palmolive. Copyright 2016 Colgate-Palmolive.

iG

Nenhum comentário:

Postar um comentário