Aplicativos, carreira, concursos, downloads, enfermagem, farmácia hospitalar, farmácia pública, história, humor, legislação, logística, medicina, novos medicamentos, novas tecnologias na área da saúde e muito mais!


sexta-feira, 7 de julho de 2017

UPA abre Processo Seletivo para profissionais de nível fundamental, médio/técnico e superior!

A Unidade de Pronto Atendimento (UPA), realizará o processo seletivo simplificado nº 01/2017

Vagas para profissionais da área da saúde, sendo 5% das vagas reservadas às pessoas com necessidades especiais.

As oportunidades são de níveis fundamental, médio/técnico e superior, para as seguintes funções:

Nível Fundamental - Auxiliar de Rouparia, Auxiliar de Serviços Gerais, Copeiro, Oficial de Manutenção e Porteiro;

Nível Médio/Técnico - Técnico de Enfermagem, Técnico de Laboratório, Técnico de Radiologia, Técnico de Segurança do Trabalho, Técnico em Eletrônica, Técnico em Informática, Auxiliar Administrativo, Auxiliar Administrativo - Recepção/ Cadastro, Auxiliar Administrativo - Radiologia ou Saúde Bucal, Auxiliar Administrativo - Laboratório, Auxiliar de Almoxarifado / Compras / Farmácia, Faturista, Guarda Patrimonial, Motorista Ambulância e Motorista veículo Administrativo;

Nível Superior - Assistente Social, Bioquímico, Dentista, Enfermeiro, Farmacêutico, Médico - Cirurgia Geral, Médico - Clínica Médica, Médico - Ortopedia, Médico - Pediatria e Médico Radiologista. O contratado será submetido às regras contidas na Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) e os salários disponibilizados variam de R$ 991,00 a R$ 8.120,00, mais insalubridade.

Para concorrer é preciso realizar a inscrição na UPA, no período de 27 de junho a 31 de Julho de 2017, das 9h às 17h. Os candidatos devem entregar a ficha de inscrição preenchida e currículo devidamente comprovado.

A seletiva constará de análise curricular e entrevista, e terá a validade de seis meses, prorrogável por igual período.

Falta de antibióticos está colocando pacientes em risco no mundo todo

Com a escassez no abastecimento dessas drogas, médicos estão sendo forçados a racionar seu uso e optar por alternativas menos eficazes

Isso porque a escassez desses antibióticos está afetando diretamente a recuperação dos pacientes, que estão tendo que recorrer a alternativas paralelas para o tratar, além das doenças citadas, infecções, como do trato urinário, pé diabético e sepse neutropênica – condição potencialmente fatal, que pode ser desenvolvida naqueles que recebem tratamento contra câncer. O sumiço do piperacillin-tazobactam , como também é chamado o antibiótico e antibacteriano, já foi notificado pelo Departamento de Saúde e Saúde Pública da Inglaterra e hospitais da Escócia, que receberam conselhos do Grupo de Prescrição de Antimicrobianos da Escócia (SAPG).

No início de maio, a National Health Service (NHS) afirmou em nota que “existe uma grande probabilidade de que, no futuro próximo, piperacillin-tazobactam não estará disponível” e admitiu que “este é um grande desafio para a prática de prescrição médica”. O documento também aponta que o uso de outras combinações de medicamentos poderia aumentar a carga de trabalho para médicos e enfermeiros, tendo em vista que alguns deles exigem doses mais frequentes e maior monitoramento. “Lamentavelmente não há mais nenhuma solução viável no momento”, diz a nota

Causa
De acordo com Philip Howard, porta-voz da Royal Pharmaceutical Society, o que levou à carência do remédio foi uma explosão em uma fábrica chinesa que produzia matérias-primas para a medicação. No Reino Unido, desde março deste ano os hospitais estão enfrentando dificuldades para encontrar alternativas à droga, já que a recomendação é de restringir o uso do medicamento para conservar estoques. “Esta é uma das faltas mais graves que o NHS teve que enfrentar”, disse Howard, ao The Guardian.

Consequências
Segundo a apuração do jornal diário britânico, o Departamento de Saúde e Saúde Pública da Inglaterra, informou por meio de um ofício em 24 de abril, que o uso de piperacillina-tazobactam seja restrito a casos graves de sepse e pneumonia. Mas alguns médicos já acreditam que não previsão de normalização da situação e, se a carência continuar, esses pacientes também serão afetados.

As medicações paralelas que estão sendo utilizadas no lugar do Tazocin são menos poderosas e podem causar efeitos colaterais sérios, como problemas nos rins. Os profissionais da saúde afirmam que os pacientes estão ficando cada vez mais na internação e os resultados aos remédios não são efetivos. Além desses prejuízos, a insuficiência da droga influencia diretamente no trabalho dos funcionários da saúde e no preço dessa e de outras medicações que podem servir como alternativa para o piperacillina-tazobactam.

As autoridades médicas reconhecem os problemas causados pela falta do antibiótico, e afirmam que estão tomando as providências cabíveis para normalizar a situação. Porém, a previsão é de que os remédios voltem ao mercado em julho, mas outras fontes afirmam que isso só será possível apenas em setembro. Para Howard, é importante que os órgãos internacionais de saúde se reúnam para providenciar medidas capazes de evitar uma situação como essa no futuro. “Precisamos garantir que usemos uma gama mais ampla de antibióticos em nossos hospitais, de modo que, se houver um problema de oferta global, ele não terá um impacto tão grande”, disse ele.

iG

Abertas as inscrições para novos cursos de Pós-Graduação na área da Saúde

sirioA seleção dos candidatos em geral acontecerá por análise de currículo, entrevistas e análise de projetos

O Instituto Sírio-Libanês de Ensino e Pesquisa (IEP/HSL) está com inscrições abertas para novos cursos de pós-graduação lato sensu, com início em agosto. Além das especializações em Reprodução Assistida, tradicionalmente oferecida, e Gestão em Saúde – totalmente remodelada, com o objetivo de formar um novo perfil de liderança para as instituições de saúde –, o programa também contará com vagas em quatro novas áreas: Dermatologia Oncológica, Multiprofissional em Oncologia, Fisioterapia Hospitalar e Farmácia Clínica no Cuidado ao Paciente Crítico.

Os novos cursos do Programa vão ao encontro das demandas atuais e futuras na área da saúde. Segundo Gisleine Eimantas, superintendente de Ensino do Hospital Sírio-Libanês, o mercado brasileiro de serviços de saúde passa por um período de transformações e renovação. A entrada de capital estrangeiro, a inovação tecnológica e a necessidade de reinvenção dos modelos existentes para a sustentabilidade tornam o setor um dos mais promissores e atraentes do mundo.

"O segmento é dinâmico, complexo e marcado por muitas particularidades. Mesmo com investimentos crescentes, para atender satisfatoriamente às demandas da sociedade, os serviços de saúde possuem imensos desafios, como, por exemplo, a contratação e manutenção de equipe qualificada, seja do quadro clínico, seja assistencial, de colaboradores e gestores. Neste sentido, uma das missões do IEP/HSL é contribuir para a formação e qualificação de profissionais que sejam capazes de corresponder a este mercado tão exigente e oferecer cada vez mais e de forma mais ampla um melhor cuidado à população", destaca Gisleine.

Totalmente reformulado, o Curso de Especialização em Gestão em Saúde terá as inscrições abertas em breve, ainda no primeiro semestre. O objetivo é atender o cenário atual e as tendências dos serviços de saúde, com destaque para as competências essenciais a um líder, na visão do Hospital Sírio-Libanês. O programa visa preparar um grupo diversificado de profissionais, para uma atuação de alto desempenho na gestão de serviços, com foco na melhoria do cuidado em saúde em todo o Brasil, mas tendo como parâmetro os desafios de um setor globalizado.

A Dermatologia Oncológica é uma área de destaque mundial, que busca constantemente profissionais capacitados, para esta crescente demanda, por ser o câncer de pele o tipo mais frequente na população brasileira, assim como em outros países. As inovações tecnológicas, assim como os avanços em pesquisa, diagnóstico e tratamento exigem atualização constante pelos dermatologistas e oncologistas.

A oncologia em geral, é uma das áreas da medicina com maior progresso nos últimos anos, demanda serviços e, consequentemente, profissionais de diferentes áreas da saúde e que, para o sucesso do cuidado, trabalham em equipes multiprofissionais integradas. Como instituição de excelência em assistência, ensino e pesquisa nesta área, o Hospital Sírio-Libanês passa a oferecer o curso Multiprofissional em Oncologia, voltado a enfermeiros, fisioterapeutas, nutricionistas e psicólogos interessados na prestação do cuidado valorizando a segurança e qualidade de vida aos pacientes com câncer.

Dentro do atual modelo assistencial, em que a multidisciplinaridade é uma realidade, o curso de pós-graduação em Fisioterapia Hospitalar foi estruturado para que o profissional fisioterapeuta esteja preparado para desempenhar funções cada vez mais diferenciadas e direcionadas, em áreas hospitalares carentes de profissionais especializados, principalmente nas unidades de terapia intensiva (UTIs), críticas e de internação hospitalares.

A Farmácia Clínica no Cuidado ao Paciente Crítico, por sua vez, tem por objetivo capacitar farmacêuticos na área de terapia intensiva, para que possam associar conhecimento técnico-científico, capacidade crítico-reflexiva, valores éticos e habilidades cognitivas e de reconhecimento dos aspectos sociais do paciente, tanto no cuidado aos indivíduos quanto às famílias.

Apesar de não ser um curso novo dentre os programas de pós-graduação, a especialização em Reprodução Assistida está inserida na busca crescente de atualização e capacitação por parte dos profissionais sobre as novas técnicas nesta área da ciência. Com consistentes bases teóricas, científicas e atividades práticas de imersão no serviço do hospital, o curso aborda os temas mais importantes da área, expondo as diversas formas de tratamento da infertilidade.

Todos os programas de pós-graduação utilizam metodologias e tecnologias educacionais inovadoras, trazendo novidades em recursos digitais, dentre eles uma mesa digital interativa capaz de reprodução de imagens em 3D e uma plataforma de aprendizagem à distância, o Learning Management System (LMS) - totalmente mobile e interativo, o que facilita a vida dos estudantes, por meio de vários recursos, como o Adaptative Learning, que possibilita um "ensino individualizado" aos estudantes.

Os conteúdos teóricos, simulações práticas e atividades em campo permitem que os alunos vivenciem e troquem experiências junto a profissionais especializados, adquirindo conhecimentos e habilidades para sua prática profissional, visando a qualidade e segurança dos pacientes em alinhamento com as tendências mundiais nos serviços de saúde. Os cursos ainda contam com infraestrutura moderna, com o uso da alta tecnologia, e têm coordenação e participação direta de profissionais do Hospital Sírio-Libanês em todas as atividades acadêmicas, aumentando as oportunidades e o networking dos alunos. 

A seleção dos candidatos em geral acontecerá por análise de currículo, entrevistas e análise de projetos.

Serviço
Cursos de pós-graduação na área da saúde – 2ª semestre 2017


Local: Instituto Sírio-Libanês de Ensino e Pesquisa

Endereço: Rua Professor Daher Cutait, 69 – São Paulo-SP

Fonte: Assessoria de Imprensa do Hospital Sírio-Libanês

Pesquisa revela que tomar comprimidos de magnésio pode combater a depressão

Cientistas constataram que o uso de um comprimido por dia pode ajudar a recuperar a pessoa depressiva em até duas semanas; veja todos os detalhes

Uma novidade revelada pela ciência pode ser uma ótima alternativa aos antidepressivos. De acordo com uma pesquisa realizada pela Universidade de Vermont, nos Estados Unidos, a solução para a depressão poderia estar nos comprimidos de magnésio. Os resultados do estudo afirmam que o uso desses comprimidos pode melhorar significativamente a depressão em apenas duas semanas, e os efeitos colaterais são mínimos, comparados às drogas tradicionais usadas para o tratamento dessa condição.

Os cientistas afirmam que o magnésio é capaz de combater as reações químicas que alteram o cérebro quando é constatada a síndrome, conforme afirma a autora da pesquisa, Emily Tarleton. “Os resultados são muito encorajadores, dada a grande necessidade de opções de tratamento adicionais para a depressão, e nossa descoberta de que a suplementação de magnésio fornece uma abordagem segura, rápida e barata para controlar os sintomas depressivos”, disse ela ao Daily Mail. De acordo com análise, pouco mais de 60% dos participantes do estudo disseram que usariam suplementos de magnésio para gerenciar sua depressão no futuro após fazerem os testes empregados pelos pesquisadores.

Análise
Para realizar o estudo, 126 adultos foram selecionados, com idade média de 52 anos e constatada depressão entre os níveis “leve” e “moderada”. Depois, divididos em dois grupos, os pesquisadores ofereceram 248 miligramas de magnésio para uma parte – quantidade que é considerada baixa -, por todos os dias durante seis semanas, enquanto a outra metade não recebeu tratamento. Todos os sintomas dos participantes foram avaliados duas vezes por semana através de telefonemas

Conclusão
Os resultados, publicados na revista PLOS ONE, revelaram que tomar um comprimido diário de magnésio melhorar significativamente os sintomas de depressão e ansiedade dos participantes após apenas duas semanas. O benefício ocorreu independentemente da idade, sexo ou uso de antidepressivos dos participantes. Também foi constatado que os comprimidos foram bem aceitos pelo organismo, sem efeitos colaterais sérios – devido a baixa dosagem ingerida. Diferentemente dos antidepressivos, que frequentemente causam náuseas, ganho de peso e insônia.

Emily afirma que este é o primeiro ensaio clínico randomizado que analisa o efeito da suplementação de magnésio em sintomas de depressão em adultos dos EUA.“Os resultados são muito encorajadores, dada a grande necessidade de opções de tratamento adicionais para a depressão, e nossa descoberta de que a suplementação de magnésio fornece uma abordagem segura, rápida e barata para controlar os sintomas depressivos”, declarou a pesquisadora.

iG