Aplicativos, carreira, concursos, downloads, enfermagem, farmácia hospitalar, farmácia pública, história, humor, legislação, logística, medicina, novos medicamentos, novas tecnologias na área da saúde e muito mais!


sábado, 22 de setembro de 2012

MS quer reduzir pela metade mortes por acidentes de trânsito até 2020

Padilha assina pacto pela redução de mortes nas estradas em ação do governo durante Semana Nacional do Trânsito
 
O Ministério da Saúde pretende reduzir pela metade, até 2020, o número de mortes por acidentes de trânsito. O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, participou da assinatura do Pacto Nacional pela Redução de Acidentes (Parada - Um Pacto pela Vida), nesta sexta-feira (21), em Brasília, juntamente com a presidente Dilma Rousseff e o ministro das Cidades, Aguinaldo Ribeiro.
 
A iniciativa faz parte das ações da Semana Nacional de Trânsito, que tem como tema " Não exceda a Velocidade. Preserve a Vida" e pretende reduzir o número de mortes nas ruas e estradas do Brasil. Além das autoridades, estiveram presentes personalidades como Emerson Fittipaldi e Cissa Guimarães.
 
O Pacto Nacional pela Redução de Acidentes prevê uma série de ações preventivas para combater a violência do trânsito. A principal medida é realizar campanhas permanentes de conscientização, que antes eram sazonais. " Nosso propósito é selar o compromisso do governo com a paz no trânsito. Não podemos deixar de valorizar uma das coisas mais importantes: a vida. Cada vez mais nos tornamos um país de classe média, com novas alternativas de transportes, o que exige maior responsabilidade" , destacou a presidente Dilma Rousseff.
 
Em 2010, 42.844 pessoas morreram nas estradas e ruas do país. Dentre as internações provocadas pelo trânsito, as maiores vítimas foram motociclistas, seguidos pelos pedestres.
 
Fonte isaude.net

Composto encontrado naturalmente nos mirtilos reduz a pressão arterial

Pessoas que tomaram doses elevadas do ingrediente duas vezes ao dia por oito semanas apresentaram redução da pressão sanguínea
 
Cientistas da University of Mississippi, nos EUA, descobriram que um composto encontrado naturalmente nos mirtilos reduz a pressão arterial em adultos.
 
Os resultados, apresentados pela American Heart Association, revelam que doses elevadas do ingrediente pterostilbene, a ser comercializado com o nome de pTeroPure®, reduziu os níveis de pressão sanguínea dos participantes.
 
A equipe de pesquisa avaliou a eficácia do composto em 80 pacientes com níveis elevados de colesterol (colesterol total de 200 ou maior e / ou LDL - colesterol ruim - de 100 ou mais).
 
Duas vezes por dia, durante seis a oito semanas, os participantes receberam doses elevadas (125 mg), ou baixas (50g) de pterostilbene, pterostilbene com o extrato de uva (100 mg), ou um placebo.
 
Os investigadores avaliaram a pressão sanguínea, o peso corporal e os lipídeos no sangue dos pacientes, no início e no fim do estudo.
 
"Nós notamos redução da pressão arterial sistólica e diastólica em pacientes que receberam a dose elevada de pterostilbene e diminuição da pressão arterial sistólica em pacientes que receberam o composto com extrato de uva", afirma o líder da pesquisa Daniel M. Riche.
 
Riche e seus colegas concluíram que altas doses de pterostilbene podem levar a diminuições significativas na pressão arterial de adultos com colesterol elevado.
 
Fonte isaude.net

Cientistas da Suécia criam modelo tridimensional detalhado do pé humano

Sistema que usa tecnologia de computador para modelar de ossos a tendões vai permitir fabricação de aparelhos ortopédicos melhores
 
Cientistas da Glasgow Caledonian University, no Reino Unido, desenvolveram o modelo tridimensional mais avançado do pé humano.
 
O sistema utiliza tecnologia de computador para modelar ossos, articulações, ligamentos, músculos e tendões que compõem o pé.
 
Ele vai permitir a fabricação de aparelhos ortopédicos melhores e mais eficiente e deve cortar o tempo de recuperação de condições que atingem os pés e tornozelos.
 
O trabalho é parte do projeto a-footprint, que visa desenvolver um novo processo de design e fabricação de aparelhos ortopédicos, utilizando novas técnicas de impressão 3D.
 
"Antes desse modelo 3D, a maioria dos modelos de computador do corpo humano terminava em um retângulo preto. O pé humano era muito difícil de ser modelado devido a sua complexidade. O novo projeto abre portas a uma enorme gama de aplicações que visam melhorar a qualidade de vida das pessoas", afirma o coordenador do projeto Jim Woodburn.
 
Estima-se que 200 milhões de europeus sofrem de problemas que atingem o pé e o tornozelo. O novo modelo deve conduzir a aparelhos ortopédicos com maior eficiência, reduzindo o tempo de recuperação e eliminando os sintomas.
 
Segundo a equipe, o modelo, com um nível de detalhe anatômico sem precedentes, também vai levar a mais informações sobre o funcionamento dos músculos da perna.
 
Fonte isaude.net

Privação de sono afeta saúde dos ossos e atividade da medula óssea

Estudo ajuda na compreensão da falta de sono sobre a osteoporose e a incapacidade em reparar danos ósseos com o envelhecimento
 
Falta crônica de sono afeta a saúde dos ossos e a atividade da medula óssea, de acordo com pesquisadores do Medical College of Wisconsin, nos EUA.
 
Estudo, feito com camundongos, pode ajudar na compreensão do impacto da privação de sono sobre a osteoporose e a incapacidade em reparar danos ósseos com o envelhecimento dos seres humanos.
 
Após privar os animais de sono, a pesquisadora Carol Everson e seus colegas notaram anormalidades nos marcadores séricos do metabolismo ósseo dos ratos, o que os levou a realizar medições diretas de parâmetros ósseos, desta vez em ratos que enfrentaram restrição de sono recorrente durante grande parte da vida adulta.
 
Os resultados mostraram um desequilíbrio dramático entre a aposição e reabsorção óssea, marcado pelo impedimento da formação óssea sem redução da absorção. Além disso, a gordura na medula vermelha (medula responsável por produzir sangue) é reduzida e as células geradoras de plaquetas dobram em número, indicando alterações na plasticidade da medula.
 
"Se os mesmos processos forem desencadeados em humanos, isso pode causar pior reparação de micro lesões das atividades da vida diária, introdução de processos de osteoporose, e alterações nas células progenitoras que podem afetar a predisposição a doenças", afirma Everson.
 
"Com o estresse aumentado devido a problemas no trabalho, financeiros e outros, a maioria das pessoas experimenta dificuldades em dormir. Apesar de sabermos que a perda de sono pode afetar a saúde em geral, pouca informação específica está disponível sobre como isso altera a saúde dos ossos", afirma o editor da revista Experimental Biology and Medicine Steven R. Goodman.
 
Segundo Goodman, os resultados indicam que a privação de sono em ratos atrapalha a formação óssea, reduz a gordura na medula vermelha e aumenta os níveis de plaquetas. "Se isso acontecer também em seres humanos, este trabalho terá grande impacto na nossa compreensão da privação de sono sobre a osteoporose e a incapacidade para reparar danos no osso com a idade", conclui.

 
Fonte isaude.net

Pessoas criadas na zona rural têm duas vezes mais risco de Alzheimer

Pesquisa revela ligação entre campo e doença, no entanto, razões para associação permanecem desconhecidas
 
Crescer no campo pode dobrar o risco de doença de Alzheimer, sugere pesquisa realizada pela Universidade de Edimburgo, nos Reino Unido.
 
A pesquisa revela uma ligação entre a área rural e a doença e mostra que as pessoas criadas no país, e não aquelas que se mudaram para lá mais tarde na vida, enfrentam os maiores riscos de demência.
 
No entanto, as razões para essa associação permanecem um mistério. O estudo foi publicado no Daily Mail.
 
"Nós realmente não sabemos o mecanismo por trás dessa ligação. Pode ter a ver com o acesso a cuidados de saúde, exposição a alguma substância desconhecida, fatores socioeconômicos, ou uma série de outros fatores", afirma o líder do estudo Tom Russ.
 
Estudos anteriores analisaram como as taxas de doenças variam entre as áreas urbanas e rurais, mas os resultados foram inconclusivos devido a diferentes definições do que constitui a vida na cidade ou país.
 
Para obter uma imagem mais clara, pesquisadores reuniram os resultados de dezenas de estudos de todo o mundo, que remonta há várias décadas.
 
O trabalho foi projetado para fornecer uma melhor indicação global dos riscos e benefícios do estilo de vida e sua influência sobre a doença de Alzheimer.
 
Os resultados, publicados no International Journal of Epidemiology, mostraram que ser nascido e criado na zona rural mais do que dobrou o risco de doença de Alzheimer mais tarde na vida.
 
A equipe agora pretende investigar a razão para essa ligação, na esperança de encontrar uma maneira de proteger as pessoas contra os riscos.
 
Fonte isaude,net

Composto derivado da maconha para metástase de cânceres agressivos

Canabidiol é capaz de desligar o gene ID-1 que faz com que a doença se espalhe para outras partes do corpo
 
Cientistas do California Pacific Medical Center , nos EUA, descobriram que um composto derivado da maconha pode parar a metástase em muitos tipos de câncer agressivo.
 
A pesquisa sugere que o canabidiol é capaz de desligar o gene ID-1 que faz com que a doença se espalhe para outras partes do corpo. A pesquisa foi publicada no jornal San Francisco Chronicle.
 
"Levou cerca de 20 anos de pesquisa para descobrirmos isso, mas estamos muito animados. Queremos começar com os ensaios clínicos com humanos o mais cedo possível", afirma o pesquisador Pierre Desprez.
 
Desprez passou décadas estudando o gene ID-1. Enquanto isso, seu colega Sean McAllister estudou os efeitos do canabidiol, ou CBD, composto químico não tóxico e não psicoativo encontrado na planta cannabis.
 
Após anos de estudos, eles combinaram CBD e células contendo altos níveis de ID-1 em uma placa de Petri. "O que descobrimos foi que o canabidiol essencialmente 'desliga' o gene ID-1. As células param de se espalhar e voltam ao normal", explica Desprez.
 
Os pesquisadores começaram pesquisando o câncer de mama. Mas agora descobriram que o composto trabalha com muitos tipos de cânceres agressivos, como cérebro e próstata. Todo o tipo em que estes altos níveis de ID-1 estão presentes.
 
"Não encontramos nenhuma toxicidade nos animais que já testamos, e o canabidiol já é utilizada em humanos para uma variedade de outras doenças. Na verdade, o composto é utilizado para aliviar ansiedade e náuseas, e, visto que é não psicoativo, não provoca o "doping" associado ao consumo da droga", observa o pesquisador.
 
A equipe utilizou injeções nos animais testados e também está testando comprimidos. Eles ressaltam que uma pessoa nunca poderia ter o suficiente de canabidiol para que ele seja eficaz apenas a partir o fumo.
 
Desprez e seus colegas esperam que testes clínicos com seres humanos possam começar o quanto antes.
 
Fonte isaude.net

Ministério da saúde libera R$ 24,5 milhões para órteses e próteses

Uma portaria que amplia os recursos que são repassados para Estados e municípios que concedem Órteses, Próteses e Meios Auxiliares de Locomoção (OPM) será publicada na próxima segunda-feira (24) pelo Ministério da Saúde, informou a pasta nesta sexta-feira.
 
O texto autoriza o repasse de R$ 24,5 milhões anuais, em 12 parcelas, para manutenção e adaptação de OPM ortopédicas, auditivas e oftalmológicas. Por ano, aproximadamente 370 mil pessoas recebem este tipo de equipamento no País.
 
Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), cerca de 45,6 milhões de brasileiros possuem algum tipo de deficiência, ou 23,9% da população.
 
O fornecimento de OPM faz parte do Sistema Único de Saúde (SUS). O objetivo da medida é reforçar as ações do Plano Viver Sem Limite e a Rede de Cuidados à Pessoa com Deficiência. Segundo o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, “com mais esta essa ação mostramos que é possível, sobretudo, reduzir o tempo de espera e melhorar a qualidade de vida dos usuários do Sistema Único de Saúde, prioridades do Ministério da Saúde”.
 
Fonte R7

Chocolate tem efeito semelhante ao ópio no cérebro

Estudo da Universidade de Michigan encontra semelhanças entre dependentes de drogas e obesos
 
Inimigo da balança e amigo das mulheres nos dias de TPM (tensão pré-menstrual), o chocolate tem um efeito no cérebro similar ao ópio, de acordo com um estudo que traça comparações entre obesos e viciados em drogas.
 
Segundo o estudo publicado na revista científica "Current Biology", citado pelo jornal Daily Mail, quando os ratos começaram a comer M&Ms foi observada a liberação de uma substância química natural do cérebro chamada encefalina – uma endorfina com propriedades similares ao ópio.
 
Quando uma droga era usada para estimular o estriado dorsal, área do cérebro que libera a substância, o número de M&Ms ingeridos dobrava.
 
Segundo a Dra. Alexandra DiFeliceantonio, pesquisadora da Universidade de Michigan, nos Estados Unidos, as descobertas mostraram comparações entre dependentes de drogas e obesos:
 
— A mesma área do cérebro aqui é ativada quando pessoas obesas veem comida e quando viciados veem drogas.
 
No cérebro, a encefalina se une a “receptores” moleculares sensíveis a substâncias químicas opiáceas para reduzir a dor e produzir sensações de prazer.
 
Fonte R7

Remédios falsos contra a malária podem estar sendo vendidos na África

Pamplona (Espanha), 21 set (EFE).- A investigação do caso de uma mulher ocidental que corria risco de morte após ser tratada com um remédio contra a malária despertou as suspeitas de uma possível venda de medicamentos falsos à população de países africanos.
 
 Dois médicos da Clínica Universidad de Navarra, na Espanha, José Luis del Pozo e Carlos Chaccour, descreveram em artigo na revista "The Lancet", com outros colegas britânicos, o caso de uma mulher de 28 anos que contraiu malária em Guiné Equatorial e voltou à Espanha para ser atendida ao persistirem os sintomas. Descobriu-se que a medicação era falsa, pois não continha nenhum princípio ativo.
 
A paciente tinha adquirido pessoalmente o remédio anteriormente em farmácias da Guiné Equatorial, sempre o produto original, mas na última vez foi um guineense quem comprou o medicamento. "Ainda é necessário provar, mas tudo indica que há um tráfico diferente.
 
Para um ocidental não vendem o (remédio) falsificado para não terem problemas, mas o mesmo não ocorre com os nativos", afirmaram os médicos Del Pozo e Chaccour. A mulher apresentou melhora após três dias de tratamento com o remédio original. Logo depois, recebeu alta e os frascos da droga comprada em Guiné Equatorial foram enviados à Escola de Medicina Tropical de Londres para análise.
 
"Os resultados mostraram que os comprimidos não tinham nenhum princípio ativo", afirma o artigo. Ainda reconheceu que a embalagem "era uma falsificação muito boa" e "muito similar à original", embora apresentasse erros de grafia.
 
A malária, presente em 99 países, é transmitida através da picada de um mosquito e anualmente ocorrem 200 milhões de casos, que representam entre 800 mil e 1,6 milhão de mortes (80% apenas na África).
 
O caso será apresentado em um congresso sobre a malária realizado na Basileia entre os dias 10 e 12 de outubro, com a presença dos principais pesquisadores do tema.
 
Fonte R7

Campinas investiga surto de tuberculose em maternidade

Três casos foram confirmados em bebês nascidos neste ano na unidade
 
A Secretaria de Saúde de Campinas (SP) está investigando um surto de tuberculose em recém-nascidos na ala 3 da maternidade do Hospital Madre Theodora. Três casos foram confirmados em bebês nascidos neste ano na unidade.
 
Pais de 354 crianças nascidas entre janeiro e junho de 2012 nesse setor do hospital começaram a ser chamados por carta para que seus filhos sejam testados. Numa segunda fase, mais 1,3 mil famílias serão convocadas.
 
A secretaria informou que, de acordo com a literatura médica, é o segundo caso descrito de transmissão inter-hospitalar de tuberculose em recém-nascidos no mundo — o primeiro aconteceu na Itália.
 
A origem da contaminação foi uma funcionária do hospital, técnica em enfermagem, que foi diagnosticada com tuberculose. Ela estava de férias e foi afastada antes de voltar ao trabalho para tratamento.
 
A confirmação de contaminação dos recém-nascidos aconteceu em agosto e foi divulgada na manhã de ontem pela Secretaria de Saúde e pela direção do hospital, que é particular. As três crianças, nascidas entre fevereiro e maio, receberam o diagnóstico em atendimento nos hospitais Maternidade Celso Pierro, Hospital Mário Gatti e Centro Médico, de Campinas.
 
De acordo com a coordenadora do Departamento de Vigilância em Saúde (Covisa), Brigina Kemp, os bebês estão sendo tratados e respondem bem. Apenas um continua internado. “
 
— Tivemos dois casos de bebês diagnosticados com tuberculose e fomos atrás de pessoas próximas com a doença e não achamos. Descobrimos então que, em comum, eles tinham o fato de terem nascido no mesmo local, num período próximo de tempo. Foi quando apareceu o terceiro caso, com as mesmas origens.
 
Cura
A tuberculose é uma doença infecciosa que tem cura. Em recém-nascidos, tanto o diagnóstico como o tratamento são mais difíceis. Transmitida pela bactéria Mycobacterium tuberculosis, o bacilo de Koch, é uma doença conhecida por afetar principalmente os pulmões, mas também pode atingir ossos, rins e meninges (membranas que envolvem o cérebro).
 
Transmitida pelo ar, por gotículas de saliva, bebês não são transmissores da bactéria. Uma das características mais comuns para identificação da tuberculose em adultos é tosse com duração superior a três semanas.
 
Em bebês, não há tosse. Sintomas como febre vespertina, sudorese noturna e emagrecimento, comuns nos adultos, também não aparecem. Geralmente as crianças apresentam problemas pulmonares, que são tratados e retornam, e dificuldades de ganho de peso.
 
Para análise das crianças nascidas nesse período no Madre Theodora, foi montado pela Secretaria de Saúde um protocolo de diagnóstico em parceria com as universidades de Campinas. Ele prevê, entre outras coisas, análise de curva de crescimento, desenvolvimento dos bebês, raio X de tórax e testes com reagentes.
 
— Não há motivo para pânico. Pode ser considerado um surto porque foi uma ocorrência inusitada, em um determinado local, que foi o ambiente hospitalar, em um determinado período de tempo. Não significa que houve grande número de contaminação, mas sim uma transmissão focal.
 
O hospital informou que começou a enviar cartas para os pais das crianças nascidas entre janeiro e junho na ala 3 e que tiveram contato direto com a fonte da doença. Em seguida, outros 1 mil recém-nascidos desse período e da mesma ala deverão ser chamados para exames. Todos os 730 funcionários e terceirizados do Madre Theodora estão sendo examinados. “
 
— Como se trata de transmissão com foco definido e já contido, não há motivos para preocupações.
 
O pai de uma recém-nascida em abril na maternidade, que pediu para não ser identificado, afirmou que, assim que soube da notícia pela mulher, ligou para o hospital. "Ficamos preocupados, mas a nenê graças a Deus nunca teve nada. Mas vamos agora ver o que fazer", afirmou o especialista em informática, que ainda não recebeu carta do hospital.
 
A Secretaria Municipal de Saúde emitiu um documento técnico alertando todos os profissionais de saúde da região de Campinas, em centros médicos e hospitais, para verificarem crianças que apresentarem sintomas da doença e tenham nascido na maternidade do Madre Theodora neste ano e as encaminharem para a Covisa.
 
Fonte R7

Parada cardíaca: primeiros socorros pode salvar muitas vidas

Cerca de 300 mil brasileiros morrem anualmente vítimas de doenças cardiovasculares
 
A Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) divulgou novas orientações para os primeiros socorros em caso de parada respiratória. Normas essas voltadas principalmente para a população leiga.
 
Com as recomendações, os médicos esperam diminuir os cerca de 300 mil casos de brasileiros que morrem anualmente vítimas de doenças cardiovasculares. Em situação de parada respiratória deve-se imediatamente ligar para o 192 e iniciar o procedimento.
 
Caso haja mais de duas pessoas junto com a vítima, um deve fazer a ligação e o outro dar início a massagem cardíaca, que deve ser realizada no meio do tórax do paciente, na altura dos mamilos.
 
A massagem deve ser feita com as mãos uma sobre a outra e de forma forte e intensa, cerca de 100 contrações por minuto, sem necessidade de respiração boca a boca.
 
Ao se preocupar com respiração boca a boca, a pessoa não treinada diminui o número e a qualidade das compressões, o que pode prejudicar o socorro.
 
Procure deixar os braços esticados para aumentar a pressão da massagem. Pressione o coração e solte em seguida. Mantenha o coração do paciente batendo até a chegada do socorro especializado.
 
FontR7

‘Junk Food’ adormece papilas gustativas de crianças obesas, revela estudo

Crianças com mais peso tendem a identificar qualidade do sabor com menos precisão
 
A ingestão de ‘junk food’ faz adormecer as papilas gustativas de crianças obesas – fazendo-os comer ainda mais, revela estudo.
 
Crianças com mais peso sentem mais dificuldade em distinguir os sabores específicos em relação às crianças com peso normal, segundo o tabloide The Sun.
 
Investigadores acreditam que incentivar as crianças a descobrir sabores diferentes pode levá-los a comer mais e, consequentemente, alterar o peso.
 
Neste estudo, realizado por pesquisadores da Universidade de Berlim, os médicos pediram para 200 jovens obesos – metade acima do peso e a outra metade com peso normal – para identificar os 4 sabores diferentes (salgado, doce, amargo e azedo) em tiras de papel.
 
O resultado mostrou que crianças com o peso normal estão 10% mais propensos a distinguir todos os 4 sabores. A líder da equipe de estudo, Susanna Wiegand disse:
 
— As crianças obesas tendem a identificar a qualidade do sabor com menos precisão. Isso pode ajudar a desenvolver estratégias de prevenção da obesidade.
 
Fonte R7

Anvisa apreende em São Paulo frascos de fitoterápico sem registro que promete tirar dores de coluna

Frascos apreendidos pela polícia
Brasília – A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) informou que 19 frascos do produto Harp 100 foram apreendidos na cidade de Votuporanga (SP). Suspenso desde dezembro de 2009 por não ter registro, o Harp 100, segundo a agência, tem sido comercializado sob a alegação de ser um medicamento fitoterápico.
 
De acordo com a Anvisa, o comércio do produto é feito pela internet, por pessoas que se dizem representantes e que abordam os usuários individualmente. O órgão alertou que a propaganda do Harp 100 informa que ele é indicado para dores crônicas de coluna e para doenças como artrite, artrose e reumatismo.
 
Segundo a agência, a polícia de Votuporanga investiga um caso de morte suspeita, uma vez que a vítima fazia uso do produto. O pai da vítima também foi internado com os mesmos sintomas após fazer uso do Harp 100.
 

 
 
Ainda de acordo com a Anvisa, o Conselho Regional de Farmácia de São Paulo formalizou uma denúncia contra o medicamento sem registro. Há suspeita de que ele contenha corticoide, além de outros anti-inflamatórios.
 
Fonte Agência Brasil

Ministério da Saúde receberá mais de 6 milhões de cápsulas de remédio para tratamento de Alzheimer

Rio de Janeiro – Até o fim da próxima semana, o Instituto Vital Brazil, vinculado à Secretaria Estadual de Saúde do estado, deve entregar ao Ministério da Saúde mais de 6 milhões de cápsulas de rivastigmina, medicamento usado no tratamento da doença de Alzheimer. O anúncio foi feito ontem (21), Dia Mundial do Alzheimeir.
 
Os remédios foram encomendados pelo Ministério da Saúde, em parceria com setores públicos e privados, para estimular a produção deles no Brasil e fortalecer o campo da saúde. O Instituto Vital Brazil será o único laboratório oficial responsável pela produção do medicamento. Segundo a assessoria do Vital Brazil, o Ministério da Saúde repassou ao instituto R$ 10 milhões em 2011 e mais R$ 70 milhões neste ano para fabricação do remédio. O governo estadual entrou com R$ 50 milhões.
 
Atualmente, o Sistema Único de Saúde (SUS) necessita de cerca de 25 milhões de cápsulas anuais para 6 mil pacientes cadastrados. Desde junho, o Ministério da Saúde pode atender aos usuários do SUS com menores custos, sem a necessidade de comprar o medicamento de empresas particulares. A distribuição ocorre gratuitamente nos polos de atendimento. Em junho, o instituto já havia entregado 6 milhões de cápsulas.
 
O diretor industrial do Instituto Vital Brazil, Jorge Luiz Coelho Mattos, explicou que a rivastigmina está sendo produzida em quatro concentrações: 1,5 miligrama (mg), 3mg, 4,5mg e 6mg, e será distribuída para 1,2 milhão de pessoas em todo o país. "Todo o Brasil recebe o medicamento. Tem estado que recebe mais, tem estado que recebe menos, dependendo da sua necessidade.”
 
Ele exemplificou com o Acre e o Rio de Janeiro. No Acre, serão distribuídas 1.440 cápsulas na concentração de 1,5mg e 900, na concentração de 4,5mg. O Rio de Janeiro receberá 460 mil cápsulas na concentração de 1,5mg, 66 mil na de 3mg; 51.600 na de 4,5mg e 90.180 na de 6 mg.
 
O Alzheimer é uma doença degenerativa ainda incurável, caracterizada pela perturbação de múltiplas funções cognitivas, como memória, atenção, aprendizado, cálculo e linguagem, além de acarretar no comprometimento de outras atividades. Os sintomas são acompanhados por deterioração do controle emocional, do comportamento social e da motivação.
 
O neurologista Rafel Zandonadi Brandão, da Santa Casa de Misericórdia do Rio de Janeiro, disse que, por ser uma doença grave, o Alzheimer pode tornar o paciente completamente dependente. De acordo com o médico, é comum a família dos doentes de Alzheimer abdicar de sua vida social para cuidar do paciente. "Imagina o que é a pessoa ter o pai como figura máxima, que ensinou tudo na vida e que, em determinado momento, passa a usar fraldas, que ela é obrigada a trocar, porque ele [o paciente] não tem controle das funções fisiológicas."
 
Brandão destacou o alto custo com medicamentos, nos quais, segundo ele, mesmo com subsídios de laboratórios, o paciente não gasta menos de R$ 800. "São remédios caros. O tratamento das complicações que o Alzheimer pode trazer, como pressão alta e diabetes, também é caro."
 
Situado em Niterói, o Instituto Vital Brazil é uma empresa de ciência e tecnologia do governo do Rio de Janeiro. É um dos 21 laboratórios oficiais brasileiros e um dos quatro fornecedores de soros contra o veneno de animais peçonhentos ao Ministério da Saúde.
 
Fonte Agência Brasil

Para afastar o sono

Excesso de trabalho, prática de atividades físicas, longas horas de estudo ou mesmo uma rotina atribulada. Nossa disposição física e mental está relacionada a diversos fatores e, para aumentar a disposição para realizar as atividades diárias, muitas pessoas utilizam o mais natural e famoso dos estimulantes: a cafeína.
 
A cafeína atua diretamente no sistema nervoso central, desencadeando reações que:
- aumentam a disposição física
 
- melhoram o rendimento mental
 
- diminuem a sensação de cansaço
 
- aumentam a atenção e a concentração
 
- estimulam a liberação de adrenalina e aceleram o metabolismo
 
O grande desafio para quem gosta de tomar café ou usa a cafeína como estimulante é acertar na dose, evitando potenciais efeitos colaterais, como: aumento da pressão arterial, câimbras, desidratação, problemas gástricos, alteração no sono, ansiedade, nervosismo, taquicardia, cefaléia e irritabilidade.
 
Já o consumo associado à atividade física deve sempre seguir a orientação de um médico ou nutricionista. O consumo máximo de cafeína recomendado por dia é de 200mg.
 
Confira a tabela:

  
Fonte www.amaissaude.com.br

Estudos atestam: refrigerante causa obesidade

Reuters
Porções de refrigerante e a quantidade correspondente de açúcar
em cada um: estudos atestam que eles causam obesidade
Em 35 anos o número de calorias que o norte-americano médio consome em refrigerantes e outras bebidas doces duplicou, fazendo dessa a maior fonte de calorias na dieta
 
Enquanto os norte-americanos discutem qual é o maior vilão da epidemia nacional de obesidade, pesquisadores disseram ter encontrado os mais fortes indícios até agora de que as bebidas açucaradas têm grande participação nisso, e que eliminá-las seria a mais eficaz ação à disposição.
 
Três estudos sobre o assunto foram publicados nesta sexta-feira (21) na revista New England Journal of Medicine.
 
"Não conheço nenhuma outra categoria de alimentos cuja eliminação possa produzir perda de peso num período tão curto", disse David Ludwig, diretor do Centro de Prevenção à Obesidade da Fundação Novo Equilíbrio, do Hospital Infantil de Boston, que coordenou um dos estudos.
 
"O mais efetivo alvo individual para uma intervenção destinada a reduzir a obesidade são as bebidas açucaradas."
 
Pesquisas anteriores eram mais ambíguas, e os fabricantes contestam a ideia de que uma só fonte de calorias possa ter tamanha responsabilidade pela obesidade, que atinge cerca de um terço dos adultos nos EUA.
 
"Sabemos, e a ciência ampara, que a obesidade não está causada unicamente por um só alimento ou bebida", disse em nota a Associação Americana de Bebidas.
 
"Estudos e artigos opinativos que focam apenas em bebidas adoçadas com açúcar ou em qualquer fonte individual de calorias não fazem nada de significativo para contribuir com essa séria questão."
Na semana passada, a prefeitura de Nova York proibiu a venda de bebida com açúcar em embalagens maiores do que 16 onças (454 gramas) em determinados estabelecimentos.
 
Dados do governo mostram que, entre 1977 e 2002, o número de calorias que o norte-americano médio consome nos refrigerantes e outras bebidas doces duplicou, fazendo dessa a maior fonte de calorias na dieta. A associação dos fabricantes argumenta que depois disso o consumo caiu, e a obesidade continuou subindo.
 
Embora estudos observacionais já mostrassem que consumidores de bebidas açucaradas têm mais chances de serem obesas, nenhuma relação de causa-efeito havia sido estabelecida.
 
Os consumidores dessas bebidas também têm maior tendência a verem mais TV e comerem mais fast-food, o que abre a possibilidade de que o açúcar líquido não seja o principal vilão.
 
Num dos estudos publicados na NEJM, crianças de 5 a 12 anos, com peso saudável, eram induzidas a tomar 250 mililitros de uma bebida sem gás, que podia ser com açúcar ou adoçada artificialmente.
 
Ao final de 18 meses, o grupo da bebida sem açúcar havia ganhado menos gordura corporal, 1 quilo a menos de peso, e 0,36 unidade do índice de massa corporal do que o outro grupo.
 
Segundo os pesquisadores, tudo indica que o açúcar na forma líquida não produz a mesma sensação de saciedade que outras calorias.
 
"Quando as crianças substituíam (a bebida com açúcar por) bebida sem açúcar, seus organismos não sentiam a ausência de calorias, e não as substituíam por outros alimentos e bebidas", disse Martijn Katan, da Universidade VU, de Amsterdã.
 
* Por Sharon Begley
 
Fonte iG