Aplicativos, carreira, concursos, downloads, enfermagem, farmácia hospitalar, farmácia pública, história, humor, legislação, logística, medicina, novos medicamentos, novas tecnologias na área da saúde e muito mais!


quinta-feira, 21 de junho de 2012

Médicos e pacientes discordam sobre mobilidade

Uma pesquisa recente da PwC descobriu que cerca da metade dos consumidores acredita que a tecnologia móvel de saúde ajudará a área. E 59% dos que usam a tecnologia móvel de saúde afirmam ter substituído as consultas. Mas o relatório também traz à tona que apesar do entusiasmo do público, a maioria dos médicos não estão felizes com essa nova forma de contato.

“Apenas 27% encorajam seus pacientes a usar apps móveis de saúde para se tornarem mais ativos no gerenciamento de suas saúdes; 13% desencorajam”, segundo o relatório Emerging mHealth: Paths For Growth: (Crescimento da mHealth: Degraus para galgar).

Segundo a pesquisa, 64% dos médicos “se preocupam que a mHealth torna o paciente muito independente”. Em um vídeo postado no site da PwC, Christopher Wasden, chefe de inovação global de saúde da empresa, comentou sobre o assunto: com a tecnologia móvel, “consumidores têm agora mais informações sobre preços, serviços, tempo de espera e qualidade. (…) Então podem tomar decisões da mesma forma que tomam em outras áreas do mercado”.

As implicações são claras: os médicos temem que caso seus pacientes aumentem o acesso móvel às informações médicas, os especialistas perderão o controle da prática da medicina e com isso sua receita diminuirá.

Muitos médicos se preocupam que seu papel tradicional como capitães da saúde irá enfraquecer conforme o uso de apps móveis ou acesso a sites aumente entre os pacientes e com isso eles ganhem mais controle com seu cuidado. Já que essas fontes de dados fornecem comparações de custos para intervenções ou exames e permite que as taxas de complicações dos médicos sejam visualizadas, esses pacientes podem escolher qual médico oferece o melhor serviço pelo custo mais razoável.

Mas esse não é o único motivo da resistência dos médicos. Muitos também estão genuinamente preocupados com os perigos potenciais dos apps de saúde móvel quando usados por pacientes desinformados.

Com anos de treinamento especializados na universidade, além da residência, os médicos obviamente têm boas razões para considerarem-se melhores qualificados para diagnosticarem e tratarem doenças do que pacientes que se apoiam em pesquisas do Google ou em app móveis.

E eles têm razão acerca dessa preocupação, e qualquer profissional com conhecimento especializado se sentiria da mesma forma. Se engenheiros civis fossem avisados que a indústria da construção teria novas regras e que mecânicos ou encanadores poderiam agora fazer desenhos de pontes, temeriam pela segurança do público.

Claro, essa analogia não pode ser levada muito longe. Há vários projetos de construção que não exigem o serviço de engenheiros, como também há pequenos problemas de saúde que podem ser resolvidos sem a ajuda de um profissional. Mas há muitos que não podem, e às vezes esse fato só é percebido quando é tarde demais.

A literatura está repleta de histórias de horros sobre pacientes que realizaram automedicamentos de cânceres com ervas medicinais, por exemplo, e que morreram após recusar ajuda profissional. E há desenvolvedores inescrupulosos que não pensam duas vezes ao oferecer apps móveis com alegações mentirosas sobre inovações em “saúde”.

Na análise final, tantos os consumidores quanto os médicos devem achar o meio termo. Médicos terão que se acostumar com a ideia de compartilhar o processo de tomada de decisão e os pacientes devem aceitar que o fato de ler alguns artigos na internet não os torna especialistas.

Fonte: Paul Cerrato | InformationWeek EUA; replicada pela InformationWeek Brasil

Por SaudeWeb

Robô leva presença do médico para pacientes distantes

Em seis meses, o RP-7i, que realiza diagnóstico à distância, estará pronto para ser comercializado no Brasil. A Eco Sistemas será a representante do dispositivo, fabricado pela americana InTouch Health

Por meio de uma parceria com a americana InTouch Health, a brasileira Eco Sistemas traz ao Brasil um robô que auxilia no diagnóstico remoto. Com um design compacto, o dispositivo é capaz de andar pelos corredores do hospital e, dessa forma, conectar o médico, que está fora da instituição, ou até mesmo em outro país, aos outros membros da equipe para uma segunda opinião sobre um diagnóstico.

Além da câmera que transmite a imagem do médico, dispositivos como estetoscópios eletrônicos, otoscópios e aparelhos de ultrassonografia podem ser ligados ao robô para transmitir imagens e dados para a troca de informações em tempo real.


O RP-7i é o primeiro e único dispositivo de presença remota aprovado pela FDA (Food and Drug Administration, órgão regulador americano). De acordo com o analista de negócios da Eco Sistemas, Rodrigo Souza, o produto deve estar pronto para ser comercializado em seis meses.

A companhia será a representante do RP-7i, da InTouch Health, no País. Segundo Souza, a empresa já contabiliza uma série de solicitações para teste.

“O paciente é o maior beneficiado. Não havendo nenhum especialista no hospital em caso de uma emergência, por exemplo, o robô possibilita o contato com algum especialista em tempo real para uma opinião”, explica o executivo.

Outra versão da solução, adaptada a ambulâncias e UTIs, também será comercializada no Brasil. A vantagem dessa tecnológica, de acordo com Souza, está na flexibilidade, na ausência de cabos e fios, onde o robô pode facilmente chegar à beira do leito do paciente.

Milhões foram investidos para a representação do produto, mas a Eco Sistemas não informou tanto o valor do negócio quanto o preço do produto, que será ofertado para instituições públicas e privadas.

Fonte SaudeWeb

Avaliador e consultor surgem como carreira alternativa de saúde

Com remuneração entre R$ 6.000 a R$ 9.000, a procura por pessoas com expertise em gestão de qualidade e segurança do paciente cresce. Existem hospitais que oferecem remuneração diferenciada para tais profissionais

A evolução do nível de gestão das instituições de saúde brasileiras, reforçada pelo aumento no número de entidades acreditadas, amplia a demanda por profissionais com expertise em administração e em normas e padrões internacionais de qualidade e segurança. Abre-se, dessa forma, um novo campo de trabalho para enfermeiros, médicos, engenheiros, entre outros.

O número de hospitais acreditados no País ainda é incipiente, mas nos últimos anos a demanda tem crescido de forma exponencial. Atualmente, dos 6,5 mil hospitais brasileiros, apenas 200 são acreditados, enquanto países como Estados Unidos e Canadá possuem índices globais de acreditação que ultrapassam os 90%.

Entretanto, Para Francisco Balestrin, presidente da Associação Nacional de Hospitais Privados (Anahp), que congrega 45 hospitais que possuem alguma acreditação, o certificado de qualidade já se tornou uma questão de sobrevivência dos players que atuam no negócio de saúde. “As instituições que não têm acreditação vão deixar de existir. O que eu gostaria é que a sociedade e as operadoras exigissem a acreditação como um filtro de quem fica e quem sai do mercado”, opinou Balestrin em debate sobre o tema realizado, em maio, na IT Mídia.

Carreira
A exemplo dessa tendência, em 2007, o Consórcio Brasileiro de Acreditação (CBA), representante exclusivo no Brasil da maior agência acreditadora em Saúde do mundo, a Joint Commission International (JCI), tinha 5 avaliadores e 25 consultores para atender, respectivamente, 12 instituições acreditadas e 24 em processo para acreditação. O ano passado, a equipe foi de 10 avaliadores e 52 consultores em acreditação para uma demanda de 33 instituições acreditadas e 95 em processo.

Os consultores fazem parte do time “pré-acreditação”, ou seja, são responsáveis pelo preparo dos profissionais da entidade que fará o processo de certificação. Os avaliadores conferem se os padrões de qualidade e segurança estão sendo aplicados.

“Hoje recebemos mais solicitações para ingressar na formação do CBA, que dura entre seis a dez meses”, conta o Coordenador de Educação e Diretor de Relações Institucionais do CBA, Heleno Costa Júnior.

Para ser um profissional do CBA é preciso estar formado por, pelo menos, dez anos e possuir cinco anos de experiência prática; e não pode estar há mais de dois anos afastado de atividades relativas ao setor.

“As maiores vantagens do trabalho são a experiência e o conhecimento adquirido. Você acaba vendo muitas iniciativas que deram certo”, conta o médico Sergio Eduardo Soares, que é consultor do CBA e diretor operacional do Grupo Acreditar, clínica oncológica de terapia intensiva e geriatria, tendo atuado como diretor clínico do Hospital Brasil, pertencente ao Grupo Amil.

A remuneração, segundo Costa, pode variar entre seis R$ 6.000 a R$ 9.000, dependendo da quantidade de projetos que o profissional trabalhe. Uma avaliação completa dura, em média, 40 horas semanais, divididas em cinco dias.

Já existem hospitais ofertando uma remuneração diferenciada para profissionais com experiência em acreditação, o diretor do CBA sabe de, pelo menos, três, mas não revela. Segundo ele, um hospital ofereceu acréscimo de 20% no salário para um cargo de gestão de qualidade, caso o candidato tivesse no currículo passagem por uma instituição acreditada.

Na opinião de Soares o ideal é fazer do trabalho uma atividade paralela ao exercício da medicina, mas garante que existem pessoas que vivem exclusivamente como consultores.

Fonte SaudeWeb

Brasil é líder em pesquisas clínicas na América Latina

Apesar do resultado positivo, a morosidade para aprovação regulatória dos estudos é o maior entrave do País. Entretanto, a Anvisa abriu consulta pública para reavaliar o prazo de aprovação de pesquisa originados no exterior

A importância dos estudos clínicos está diretamente ligada ao avanço do conhecimento científico e ao levantamento de dados de eficácia e segurança, para que médicos, profissionais de saúde e autoridades sanitárias possam decidir quais tratamentos podem ser usados e em quais condições. O Brasil ocupa, hoje, perante países da América Latina, a liderança na condução de pesquisas clínicas, segundo o mapeamento do site Clinical Trials.

Em 2011, o Brasil registrou cerca de 500 pesquisas. O número engloba as análises em fase de pré-recrutamento e recrutamento de pacientes, em andamento e completas. O País encontra-se à frente de México (que registrou 181 estudos no período), Argentina (140) e Colômbia (78). Com relação aos integrantes do BRICS, o Brasil está em segundo lugar. Em números totais de estudos listados no Clinical Trials, o País tem 2.821 registros, atrás apenas da China, com 2.939 estudos. A Rússia registra 1.996, a Índia, 1.918 e a África do Sul, 1.462.

Apesar desse cenário, o Brasil ainda derrapa em questões primordiais que atravancam seu desenvolvimento na área. A principal delas é a morosidade da aprovação regulatória que antecede a realização dos estudos clínicos, causada principalmente pela obrigatoriedade da aprovação dos protocolos de pesquisas por três instâncias: duas éticas – o Comitê de Ética em Pesquisa local (CEP) e a Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (CONEP) – e uma técnica, a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). Esse processo faz com que o Brasil leve até um ano para iniciar um estudo.

O tempo é longo, em comparação com países da Europa, que levam até 79 dias, e os Estados Unidos, até 60 dias. Muitas vezes, os pacientes brasileiros perdem a oportunidade de participar de pesquisas que são a única alternativa para doenças sem tratamentos existentes no mercado. A maioria dos estudos são globais e levam em conta a competitividade e inclusão de pacientes, o que faz com que o Brasil seja excluído dos estudos quando todos os pacientes necessários já foram recrutados por outros países. Estudo recente da Universidade de Yale, publicado no New England Journal of Medicine, mostra que o FDA é o órgão com maior agilidade no processo de aprovação de estudos clínicos, à frente em até três meses dos prazos da Europa e do Canadá.

“A Anvisa está ciente dessa realidade, por isso abriu recentemente consulta pública para reavaliar o prazo de aprovação de estudos clínicos originados no exterior que são submetidos à aprovação dos órgãos reguladores locais. A consulta é de extrema importância para o incremento do setor no Brasil”, analisa Daniel Lang, presidente da ABRACRO – Associação Brasileira de Organizações Representativas de Pesquisas Clínicas. Com a consulta, a Anvisa acredita que as pesquisas já aprovadas em órgãos reconhecidos, como o FDA, possam passar por um processo simplificado de análise no Brasil. Isso contribuirá para incrementar a participação do País nos estudos multicêntricos internacionais, trazendo investimentos, conhecimento científico e benefícios para os pacientes.

A inclusão do Brasil em estudos multicêntricos é primordial para o incremento do setor e para a segurança dos pacientes brasileiros. Por meio deles é possível mapear como um tratamento em estudo funciona na população do País, já que um novo medicamento pode agir de maneira distinta em populações diferentes, devido às influências de raça e hábitos. “Criar condições para o incremento do setor no País, preservando o rigoroso monitoramento dos procedimentos e dados resultantes de estudos clínicos, garante a segurança dos pacientes analisados. Esse processo é fundamental para garantir qualidade e idoneidade às pesquisas clínicas no Brasil e no mundo”, conclui Lang.

Fonte SaudeWeb

7 passos de Harvard para obter sucesso nas negociações

É comum as pessoas confundirem negociação com posicionamento, levando apenas a feedbacks negativos. Veja como expôr seus interesses e trazer melhores resultados para dentro de sua empresa

Saber negociar é uma habilidade imprescindível para a ascenção profissional e para a preservação da saúde e bem estar no ambiente corporativo. No entanto, não é difícil encontrar na esfera profissional pessoas que confundam negociação com exposição de pontos de vista, alcançando, muitas vezes, falta de comunicação e mal-estar.

De acordo com o sócio consultor da Havik, Fernando Goes, o que ocorre nas empresas são apresentações de posicionamentos distintos, onde cada um possui um ponto de vista e discutem-se concessões em cima de posições. “É necessário mudar o mind set. Ao invés de falar sobre posição é importante deixar as pessoas saberem qual é o real interesse da negociação”.

Para que isso seja colocado em prática, o executivo afirma que é necessário que os players da empresa sejam envolvidos. “O tamanho do envolvimento que se constrói em uma organização para fazer um movimento de transformação é determinante. As empresas devem estar cientes de que é necessário fazer com que todas as pessoas se sintam parte do mesmo princípio”.

Cada gestor deve olhar para sua empresa é ver como as dinâmicas de relacionamento estão sendo estruturadas e quais são os princípios abordados. “Uma negociação realizada no âmbito corporativo tem o intuito de gerar um valor e esse valor tem que ser positivo para a companhia. É indispensável que em uma negociação seja a meta principal de todos os envolvidos”.

Vale lembrar que um bom negociador não é uma pessoa fria e calculista, mas sim alguém que se conhece, conhece a outra parte e sabe se preparar.

Em sua explanação no evento “Encontro de Saúde Corporativa”, realizado nesta terça-feira, (19), em São Paulo, Goes apresentou sete princípios utilizados na Universidade de Harvard para obter bons resultados nas negociações:

Interesse: Identificar quais são os meus interesses, os da outra parte e desta corporação. Deve-se saber estes itens, quais as propostas de valor que unem todos para fazer algo diferente e que tragam resultado. “À medida que se identifica esses interesses, as posições diminuem”.

Crie alternativas: Tudo que se pode criar e que não dependa da outra parte. Quanto mais alternativas existirem, mais chances e caminhos haverá para colocar seu plano em prática.

Opções: Baseado nas alternativas disponíveis chega-se às opções. Assim é possível observar a arte do possível. Chegar a esse ponto é a arte do autoconhecimento em negociação.

Legitimidade: Certifique-se de que todos que estão envolvidos no processo estão legitimados e legitimando você no processo. Por isso, é importante colocar as pessoas on board nas empresas.

Compromisso: Este fator é uma consequência direta da legitimidade. É importante todos os dias estar envolvido com a causa e com a transformação. Caso contrário, não será possível alcançar uma mudança significativa.

Relacionamento: A importância do envolvimento das pessoas se reflete também neste tópico. A partir deste momento é importante recrutar as pessoas que poderão lhe ajudar a colocar em prática o objetivo pretendido.

Comunicação: Esta é uma ferramenta imprescindível para a negociação, pois é por este canal que você se fará entender para a realização da meta.Quem deseja realizar mudanças dentro de uma empresa deve saber lidar com o “não”, aprender com os feedbacks e se fortalecer diante deste momento.

Três princípios que valem muito: Uma das inspirações de Goes é o antropólogo Simon Sinek. Nas palavras de Sinek em processos de mudança existem três elementos importantes:

What (O que): Esse é a essência de todas as empresas. O que você tem a oferecer? Quais são os valores? Aonde quer chegar?

How (Como): Quais são os processos para alcançar as mudanças que deseja? Como o “what” será alcançado? Quais serão os processos para obter resultados?

Why (o significado, o porquê): Poucas organizações pensam nesta questão. Esse é o significado que a mudança representa para a mudança. Por qual razão a organização vai fazer este movimento?
Além destes fatores apresentados, o Goes explica que o amor é um item imprescindível para se obter dias melhores e transformações inspiradores no ambiente de trabalho.

Fonte SaudeWeb

Audiência sobre patentes farmacêuticas é adiada

Dez de julho é a nova data

A Comissão de Desenvolvimento Econômico, Indústria e Comércio adiou para o próximo dia 10 de julho a audiência pública sobre o Projeto de Lei 3709/08, que limita a atuação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) na fiscalização de patentes para produtos e processos farmacêuticos. Inicialmente, a audiência estava marcada para esta quarta-feira (20).

A iniciativa do debate é dos deputados Renato Molling (PP-RS), Guilherme Campos (PSD-SP), Mandetta (DEM-MS) e Wellington Fagundes (PR-MT).

Fonte SaudeWeb

Identificado anticorpo humano que mata vírus da dengue em duas horas

Anticorpo extraído de pacientes recuperados da infecção pelo vírus pode ser nova arma para o controle da doença

Cientistas da National University of Singapore identificaram um anticorpo humano capaz de neutralizar e matar o vírus da dengue dentro de duas horas.

A pesquisa abre portas para novas terapias e para a cura de pacientes infectados com a doença que mata 20 mil pessoas por ano, muitas delas crianças.

Ao estudar um grupo de linhas celulares de pacientes de Singapura recuperados da dengue ao longo de um período de dois anos, a equipe identificou um anticorpo recombinante que pode se unir fortemente a uma parte específica do vírus da dengue e o impedir de atacar outras células.

O anticorpo destroi o vírus a uma velocidade muito mais rápida que os compostos anti-dengue existentes e parece capaz de matar todas as quatro estirpes conhecidas do vírus da dengue de subtipo 1.

Segundo os pesquisadores, o anticorpo neutraliza o vírus da dengue, antes mesmo que ele possa ter a chance de infectar qualquer célula.

Em experimentos com camundongos, eles observaram como o anticorpo se estendeu através das proteínas da superfície do vírus bloqueando sua ação. "Quando o vírus quer infectar as células, ele precisa respirar e expandir, por isso as proteínas de sua superfície sofrem ligeiras alterações, mas este anticorpo liga-se a essas proteínas, então elas não podem ser alteradas. O vírus é incapaz de infectar", explica a pesquisadora Lok Shee-Mei.

"Sabíamos que o anticorpo existia baseado no fato de que a maioria dos pacientes se recupera naturalmente a partir de infecção por dengue, mas as chances de encontrá-lo seria como encontrar uma agulha num palheiro. Estamos muito animados com esse avanço. Isso representa a melhor terapia candidata atualmente para a dengue e, assim, é provável que seja o primeiro passo no tratamento de pacientes infectados que atualmente não passam por nenhum medicamento específico", afirma o pesquisador Paul Macary.

A equipe acredita que, por ser um anticorpo totalmente humano, é provável que não a terapia não efeitos colaterais graves.

Eles planejam agora um ensaio clínico nos próximos meses e esperam que uma terapia esteja disponível nos próximos 6 a 8 anos.

 

Fonte isaude.net

RS registra 5 mortes por gripe A em 2012

Foram notificados mais 11 casos de Gripe A (H1N1) no Estado

Cinco pessoas morreram em consequência da gripe A (H1N1) no Rio Grande do Sul, em 2012, segundo dados da Secretaria Estadual da Saúde (SES) divulgados ontem, quarta-feira, 20.

No boletim, foram notificados mais 11 casos de Gripe A (H1N1) no Estado, sendo que dois deles evoluíram para óbito, entre eles uma mulher, de 44 anos, moradora de Guarani das Missões, e uma jovem, de 18 anos, do município de Maquiné. Segundo a SES, no total, 26 casos foram contabilizados, entre eles cinco óbitos, em 2012.

Até as 17h30 desta quarta, o Sistema do Programa Nacional de Imunizações (PNI) do Rio Grande do Sul apresentava um total de 1.537.540 pessoas vacinadas, integrantes dos grupos prioritários, o que representa 80,14% de cobertura, atingindo a meta preconizada pelo Ministério da Saúde.

Fonte R7

INCA divulga cartilha com 10 dicas para prevenir o desenvolvimento do câncer

No destaque, 30 minutos diários de atividades físicas, não fumar, evitar bebidas alcoólicas e manter uma alimentação saudável

Praticar 30 minutos diários de atividades físicas, não fumar, evitar bebidas alcoólicas e manter uma alimentação saudável, são algumas das orientaçoes divulgadas pelo Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA) na cartilha "Câncer: a informação pode salvar vidas". A publicação traz 10 dicas simples prevenir o desenvolvimento da doença.

O nutricionista do INCA, Fábio Gomes, explica que o tipo de alimentação que se consome pode contribuir para o surgimento da enfermidade. " Os alimentos embutidos possuem conservantes com compostos que podem ser cancerígenos. Eles agridem o estômago e podem aumentar as chances de um câncer no estômago ou no intestino" .

Outra atenção necessária, destacada pelo nutricionista, é em relação aos alimentos ricos em gordura. " Alimentos ricos em sal tem uma quantidade de gordura muito maior, facilitando o desenvolvimento da obesidade. Indiretamente todos os alimentos que proporcionam o desenvolvimento da obesidade vão facilitar o desenvolvimento de câncer" . O consumo de refrigerantes também precisa ser feito com cautela, já que contribui para o aumento de peso. " A obesidade em si, é um fator de risco para o desenvolvimento de câncer no esôfago, no intestino, rins, vesícula, pâncreas e mama. Por isso que o consumo de alimentos gordurosos está diretamente associado ao surgimento do câncer" , ressalta o nutricionista Fábio Gomes.

A ingestão de bebidas alcoólicas também deve ser regrada. " O álcool agride todas as áreas com as quais ele entra em contato, e esta agressão persistente pode provocar alterações nas células e transformá-las em precursoras de câncer" , alerta o nutricionista.

Homens e mulheres com mais de 50 anos também devem ter atenção redobrada com a saúde. Por isso a dica é realizar, a cada dois anos, exames de sangue oculto nas fezes. Isso porque, com a chegada do envelhecimento, acontecem mudanças nas células do organismo aumentando a possibilidade de que elas se tornem malignas.
Mas entenda: surgimento do câncer depende da intensidade e duração da exposição das células aos agentes causadores de câncer. Por exemplo, o risco de uma pessoa desenvolver câncer de pulmão é diretamente proporcional ao número de cigarros fumados por dia e ao número de anos que ela vem fumando.

De todos os casos, 80% a 90% dos cânceres estão associados a fatores ambientais. Alguns deles são bem conhecidos: o cigarro pode causar câncer de pulmão, a exposição excessiva ao sol pode causar câncer de pele, e alguns vírus podem causar leucemia. Outros estão em estudo, como alguns componentes dos alimentos que ingerimos, e muitos são ainda completamente desconhecidos.
 
Com informações do Ministério da Saúde

Fonte isaude.net

Ministério da Saúde participa de roda de conversa sobre Sistemas Universais

No destaque, a posição do Brasil como único país do mundo com mais de 100 milhões de habitantes a ter sistema universal de saúde

Representantes do Ministério da Saúde participaram nesta quarta-feira de uma roda de conversa sobre sistemas universais de atendimento em saúde, que inclui o Sistema Único de Saúde (SUS). O evento ocorreu na arena socioambiental no Aterro do Flamengo, no Rio de Janeiro, e faz parte da Rio+20.

O secretário de Gestão Participativa e Estratégica do ministério, Odorico Monteiro, destacou que o Brasil é o único país do mundo com mais de 100 milhões de habitantes que possui um sistema universal de saúde. Para o secretário, o modelo de saúde pública no Brasil é exemplo para o mundo e tem como desafio a igualdade. " Esse evento traz a criação de uma agenda planetária. Os resultados devem ser refletidos em cada país e nas suas regiões" , disse.

O mediador da mesa, o secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Guilherme Franco Netto, reforça a importância de debater o tema saúde na Rio+20. " Uma população sem saúde não pode participar do processo de construção do desenvolvimento sustentável" , ressaltou.

Participaram ainda do debate a pesquisadora e professora da Fundaçao Getúlio Vargas, Sonia Fleury, e a secretária Nacional de Assistência Social do Ministério do Desenvovimento Social, Denise Colin.

Fonte isaude.net

"Homem bolha" volta a ter esperança de curar doença misteriosa na pele

bolhasUm médico especialista em pele dos Estados Unidos resolveu ajudá-lo

Chandra Wisnu, um indonésio de 57 anos, finalmente pode encontrar a cura para sua misteriósa doença de pele — que o fez ficar conhecido como o "homem bolha".

A doença começou, segundo o tabloide britânico The Sun, quando ele tinha apenas 19 anos. Aos 24, as costas já estavam preenchidas e, aos 32, quase o corpo todo.

Durante os primeiros estágios do problema, os pais de Chandra o levaram para vários médicos e dermatologistas, mas ninguém conseguia resolver o problema.

— Não havia tratamento especial para minha doença, então me disseram para ver um dermatologista atrás de outro porque eles não sabiam como cuidar de mim. Depois disso, meu pai achou que não havia razão para me levar ao hospital mais, e eu nunca mais vi nenhum médico.

Pai de quatro filhos, ele raramente sai de casa e é obrigado a cobrir o rosto para não assustar (ou ser ridicularizado por) outras pessoas.

— As pessoas nunca zombaram ou me ridicularizaram diretamente, mas eles ficam olhando e me evitam, ou agem de forma estranha perto de mim. Sinto-me muito inseguro e nervoso quando me tratam de forma diferente. As pessoas ficam com medo, com medo de minha cara horrível e com medo de pegar a doença.

Só que agora ele pode ter esperança de viver normalmente outra vez. Seu filho mais velho, Martin, de 32 anos, e sua filha, Lis Candra, de 26, começaram a mostrar sinais da doença.

Para evitar que os filhos sofram do mesmo problema, Chandra foi a público. E conseguiu a atenção do doutor Anthony Gaspari, um dos principais especialistas em pele dos Estados Unidos.

O médico se predispoz a ajudar no dianóstico de Chandra, e agora ele tem novamente esperança de se livrar da doença.

Fonte R7

Associação genética ligada à calvície possui relação com doença de Parkinson

Estudo ainda reforça resultados anteriores que relacionam a calvície masculina a risco aumentado de câncer de próstata

Usando dados de uma plataforma de pesquisa on-line - 23andMe - pesquisadores dos Estados Unidos descobriram seis novas associações genéticas ligadas ao início precoce da calvície de padrão masculino e uma delas demonstrou também está ligada à doença de Parkinson.

O projeto, liderado por Brent Richards, da Universidade McGill, combinou dados genômicos de associação de sete grupos, comparando os homens com início precoce da calvície, com homens mais velhos que experimentaram pouca ou nenhuma queda de cabelo. Usuários da plataforma 23andMe representaram mais da metade dos casos analisados no estudo. A análise combinada foi capaz de identificar seis novos "locus" associados com a calvície de início precoce, além de replicação de dois "locus" previamente conhecidos.

Dois dos novos "locus" estão nos - ou perto dos - genes histonas desacetilases HDAC4 e HDAC9. Histonas desacetilases regulam a expressão de outros genes modificando histonas, que são proteínas que funcionam como a matriz na qual o DNA se enrola. Ambos os genes desempenham papéis na regulação das vias hormonais androgênicas, importantes no câncer da próstata, bem como na calvície masculina. "Diversos estudos anteriores estabelecem associação entre a calvície o risco de câncer de próstata", diz o pesquisador da 23andMe envolvido no estudo David Hinds, que continua: "nossas novas descobertas podem ajudar a explicar essas observações."

"Inesperadamente, o estudo descobriu que outro 'locus' associado à calvície - localizado em uma região do cromossomo 17 - possui associação com a doença de Parkinson", acrescenta Hinds.

Esta região genômica é especial porque, em muitas pessoas, é atravessada por um longo trecho em que as pontas finais do DNA se encontram. "Uma consequência deste rearranjo é que os genes da região tendem a ser herdados em conjunto, e é difícil dizer se a associação partilhada é devido à variação de um único gene que implica em ambas as condições (calvície e Parkinson), ou devido à variação em dois genes independentes herdados juntos devido à inversão".

"O estudo constatou que mesmo depois de considerar esta associação compartilhada, homens ainda eram mais propensas a relatar tanto a calvície masculina, quanto doença de Parkinson do que seria esperado pelo acaso", continua Hinds. "Isso sugere que pode haver outros fatores de risco comuns genéticos ou ambientais que predispõem para ambas as condições," conclui.


Fonte isaude.net

Antioxidante presente no vinho tinto tem efeito semelhante ao exercício físico

Estudo mostra que dieta com altas doses de resveratrol melhora desempenho físico, função cardíaca e esquelética de ratos

Cientistas da Universidade de Alberta, no Canadá, descobriram que o resveratrol, antioxidante natural encontrado no vinho tinto, melhora o desempenho físico e a função cardíaca e esquelética de camundongos.

O estudo sugere que a combinação de suplementos de resveratrol com o treinamento físico aumenta os efeitos benéficos da atividade física sozinha.

"Ficamos animados quando vimos que o resveratrol apresentou resultados semelhantes aos alcançados com o exercício físico de resistência. Nós imediatamente vimos o potencial desses benefícios e acreditamos ter descoberto uma forma de melhorar o desempenho do exercício físico com uma pílula do composto", afirma o líder da pesquisa Jason Dyck.

Para o trabalho, Dyck e seus colegas avaliaram os resultados da suplementação de resveratrol em camundongos durante 12 semanas.

Os dados mostraram que os animais que receberam uma dieta com altas doses do composto apresentaram melhor desempenho durante a atividade física de resistência.

"O resveratrol pode ajudar populações de pacientes que querem se exercitar, mas são fisicamente incapazes. O antioxidante pode imitar os benefícios do exercício para eles ou melhorar os resultados da modesta quantia de atividade que eles podem fazer", observa Dyck.

Os pesquisadores vão começar em breve a testar o resveratrol em diabéticos com insuficiência cardíaca para ver se o composto natural pode melhorar a função cardíaca para este grupo de doentes. O estudo de 10 semanas está previsto para começar dentro dos próximos meses.

Universidade Estadual Paulista - Unesp - Botucatu (II)

A Universidade Estadual Paulista realiza concurso para provimento de 1 vaga para professor assistente para a Faculdade de Medicina, do Campus de Botucatu

Inscrições:
Até 7 de julho, na Seção Técnica de Comunicações da Faculdade de Medicina de Botucatu, Distrito de Rubião Júnior, telefone (14) 3811-6139, ramal 194.

Valor:
R$ 68,00.

Remuneração:
R$ 11.802,81.

Provas:
Haverá Prova de Títulos, Prova Didática e Prova de arguição ou de títulos

Universidade Estadual de Maringá – PR

A Universidade Estadual de Maringá – PR realiza concurso para provimento de 4 vagas para Professor

Inscrições:
De 16 de abril a 16 de julho, pelo www.uem.br/concurso


Valor:
R$ 170,00.

Área:
Química Analítica (1), Química Orgânica (1) e Teoria Econômica: Microeconomia e Macroeconomia (2)

Remuneração:
R$ 10.397,94.

Provas:
Haverá prova de títulos, de arguição, didática e apresentação de trabalho científico, que serão realizadas de 2 de outubro a 1º de novembro

Universidade do Estado do Amazonas - UEA/AM

A Universidade do Estado do Amazonas (UEA) realiza seleção para o preenchimento temporário de 10 vagas para Professor Auxiliar Especialista

Inscrições:
Até 22 de junho, na avenida Carvalho Leal, nº. 1.777, Cachoeirinha, Manaus - AM

Áreas:
Biofísica, Endocrinologia, Nefrologia, Neurologia, Patologia Especial, Pneumologia, Saúde da Criança e Clínica Médica.

Remuneração:
R$ 4.536,00

Seleção:
Haverá análise documental em 25, 26 e 27 de junho; prova didática em 2, 3 e 4 de julho; e análise curricular em 5 e 6 de julho.

Prefeitura Municipal de Taboão da Serra - SP

A Prefeitura Municipal de Taboão da Serra, São Paulo, realiza concurso para preenchimento de 32 vagas

Inscrições:
De 25 de junho a 13 de julho, pelo www.zambini.org.br


Valor:
De R$ 25,00 a R$ 72,90

Cargos:
Médico Clínico Geral, Ginecologista, Neurologista, Pediatra, Psiquiatra, Ultrassonografista e Urologista.

Provas:
Haverá provas objetivas

Prefeitura Municipal de Sebastião Barros - PI

A Prefeitura Municipal de Sebastião Barros, Piauí, realiza concurso para provimento de 35 vagas

Inscrições:
De 7 a 24 de junho, pelo www.fundelta.co
m.br ou na Prefeitura Municipal, Rua 1º de Janeiro, s/nº, centro

Valor:
De R$ 60,00 a R$ 90,00

Remuneração:
De R$ R$ 622,00 a R$ 8.000,00

Cargos:
Ensino Superior - Médico, Enfermeiro, Dentista, Psicólogo, Nutricionista, Farmacêutico, Assistente Social, Agente de Controle Interno, Professor de Português, Professor de Matemática, Professor de Inglês, História, Geografia e Ciências;
Ensino Médio - Professor Classe A de Educação Infantil e Séries Iniciais do Ensino Fundamental, Técnico em Enfermagem, Técnico de Higiene Bucal e Agente de Vigilância Sanitária.

Provas:
Haverá prova objetiva e prova de títulos para Professores.

Prefeitura Municipal de São Romão – MG

A Prefeitura Municipal de São Romão – MG realiza concurso para o provimento de 86 vagas

Inscrições:
De 28 de maio a 26 de junho, pelo www.cotec.unimontes.br


Valor:
De R$ 55,00 a R$ 100,00.

Remuneração:
De R$ 622,00 a R$ 7.500,00,

Provas:
Provas objetivas: 29 de julho

Cargos:
Fundamental - Auxiliar de Serviços Gerais, Mecânico - Máquinas Pesadas, Mecânico - Ônibus, Motorista Profissional, Operador de Balsa, Operário, Operador de Máquinas e Soldador;
Médio/Técnico - Auxiliar de Consultório Dentário, Técnico em Enfermagem, Técnico em Higiene Dental, Técnico em Radiologia e Técnico Vigilante Sanitária e Epidemiológico;
Superior - Assistente Social, Biomédico, Bioquímico - Farmacêutico, Enfermeiro, Fisioterapeuta, Fonoaudiólogo, Médico, Nutricionista, Professor Educação Infantil e séries iniciais - Ensino Fundamental, Psicólogo, Supervisor Pedagógico, Técnico Nível Superior - Dentista e Técnico Nível Superior - Veterinário.

Prefeitura Municipal de Perdões - MG

A Prefeitura Municipal de Perdões, Minas Gerais, realiza seleção para preenchimento temporário de 9 vagas

Inscrições:
Até 22 de junho, na Rua Dulce Oliveira, nº. 70, 2º pavimento.

Valor:
Inscrições gratuitas

Cargos:
Médico Clínico Geral, Enfermeiro, Agente de Saúde e Auxiliar de Enfermagem

Remuneração:
De R$ 665,99 a R$ 8.064,45

Provas:
Haverá prova de títulos

Prefeitura Municipal de Pedreiras - MA

A Prefeitura Municipal de Pedreiras, Maranhão, realiza concurso para preenchimento de vagas.

Inscrições:
Até 29 de junho, pelo www.igracaaranha.com
.br ou até 28 de junho no Auditório da Escola Oscar Galvão, Avenida Edilson Carvalho Branco, s/n, Centro, Pedreiras

Valor:
De R$ 40,00 a R$ 80,00.

Remuneração:
De R$ 622,00 a R$ 3.000,00

Provas:
Haverá provas objetivas e de títulos

Cargos:
Ensino Fundamental - Motorista e Agente Operacional de Serviços Diversos;
Ensino Médio - Agente Administrativo, Fiscal Ambiental, Guarda Ambiental, Fiscal de Tributos, Agente de Trânsito, Fiscal de Obras, Técnico Agropecuário, Auxiliar em Consultório Dentário, Auxiliar de Laboratório, Técnico em Enfermagem, Técnico em Consultório Dentário e Técnico em Manutenção de Informática;
Ensino Superior - Técnico Ambiental, Controlador, Contador, Técnico de Nível Superior (na área de Administração, Contabilidade ou Economia), Administrador, Assistente Social, Psicólogo, Subprocurador, Procurador Municipal, Enfermeiro, Educador Físico, Bioquímico Farmacêutico, Fisioterapeuta, Fonoaudiólogo, Médico Clínico Geral, Nutricionista, Odontólogo, Terapeuta Ocupacional, Veterinário, Supervisor Escolar, Professor de Educação Especial, Professor de Educação Infantil, Professor de 1º ao 5º ano e Professor de Matemática, Língua Portuguesa, Ciências, História, Geografia, Língua Inglesa e Educação Física

Prefeitura Municipal de Mantena – MG

A Prefeitura Municipal de Mantena – MG realiza concurso para provimento de 318 vagas

Inscrições:
De 27 de junho a 26 de julho, pelo www.imperialconcursos.com.br.


Valor:
De R$ 40,00 a R$ 90,00

Cargos:
Alfabetizado - Auxiliar de Mecânico; Auxiliar de Serviços Gerais; Borracheiro; Calceteiro; Carpinteiro; Coveiro; Gari; Jardineiro; Lavador de Veículos; Mecânico; Motorista de Ambulância (CNH D); Motorista I (CNH B); Motorista II (CNH C e D); Operador de máquinas - Retroescavadeira; Operário; Pedreiro e Vigia.
Nível Fundamental Incompleto - Auxiliar de Serviço da Educação Básica - ASB1; Auxiliar de Serviço da Educação Básica - ASB2; Auxiliar de Serviço da Educação Básica - ASB3 e Soldador.
Nível Fundamental Completo - Agente de Saúde PSF; Atendente de Saúde; Auxiliar de Escritório; Auxiliar de Professor de Creche e Fiscal de Postura.
Nível Médio/Técnico - Agente Administrativo; Agente de Programas Sociais; Arquivista; Assistente Administrativo; Atendente; Atendente de Regulação; Atendente de Vigilância Sanitária; Auxiliar de Secretaria; Digitador; Instrutor da Banda Marcial; Protocolista; Secretário Escolar; Supervisor de Cadastro Único; Técnico de Enfermagem; Técnico em Informática (Secretaria de Educação) e Técnico de Saúde Bucal.
Nível Superior - Analista de Educação Básica; Analista Técnico do Serviço de Saúde; Assistente Social; Enfermeiro; Especialista da Educação Básica - EEB; Fisioterapeuta; Médico Clínico Geral; Médico Ginecologista /Obstetra; Médico Pronto Atendimento; Médico PSF; Médico Psiquiatra; Médico-Veterinário de Vigilância Sanitária; Nutricionista; Odontólogo; Professor da Educação Básica I; Professor da Educação Básica II - Ciências; Professor da Educação Básica II - Educação Física e Psicólogo.

Provas:
Prova objetiva: 19 de agosto
Haverá prova de títulos para nível superior e prova prática para Motorista de Ambulância, Motorista I, Motorista II e Operador de Máquinas Retroescavadeira.

Prefeitura Municipal de Ipiranga do Norte - MT

A Prefeitura Municipal de Ipiranga do Norte, Mato Grosso, realiza concurso para provimento de 33 vagas

Inscrições:
Até 2 de julho pelo www.acpi.inf
.br ou na Biblioteca da Escola Municipal Nossa Senhora Aparecida, Rua Solimões, s/ nº, centro

Valor:
De R$ 30,00 a R$ 80,00

Remuneração:
De R$ 732,05 a R$ 12.356,90

Cargos:
Ensino Superior - Enfermeiro, Fisioterapeuta, Médico, Professor de Pedagogia (Educação Infantil e 1º ao 5º ano) e Monitor de CMEI;
Ensino Médio - Assistente Odontológico;
Alfabetizado/Ensino Fundamental - Gari, Vigia, Operador de Máquinas (Pá Carregadeira e Retroescavadeira), Agente Administrativo I e Apoio Administrativo (Zelador, Serviços Gerais e Motorista de Ônibus);

Provas
Prova objetiva: 15 de julho
Haverá análise de títulos para nível Superior e prova prática para Motorista de Ônibus.

UFU - MG abre processo seletivo

A Universidade Federal de Uberlândia, Estado das Minas Gerais, estará com inscrições abertas para a seleção de 03 Professores para o Programa de Apoio a Planos de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais (Reuni). Os contratados deverão atuar na Faculdade de Medicina com as áreas de Fisiopatologia e Nutrição Clínica; Unidades de Alimentação e Nutrição, Tecnologia de Alimentos e Nutrição e Marketing e de Nutrição nos Diversos Ciclos da Vida.
A remuneração inicial é de R$ 3.137,18 acrescido de auxílio alimentação no valor de R$ 304,00 para jornadas de 40 horas semanais.
A quem interessar a concorrência, será necessário possuir no mínimo mestrado nas respectivas áreas a que pretendem atuar. Demais informações sobre as provas estarão disponíveis, em data oportuna no endereço eletrônico: www.ufu.br.
As inscrições serão feitas no período de 29 de junho a 13 de julho na secretaria da Faculdade situada à Avenida Pará, nº. 1.720, bairro Umuarama, Uberlândia. A taxa será de R$ 60,00.

O prazo de validade do certame será de 1 ano, prorrogável por igual período, no interesse da Universidade Federal de Uberlândia.

UFU - MG abre processo seletivo

A Universidade Federal de Uberlândia, Estado das Minas Gerais, estará com inscrições abertas para a seleção de 03 Professores para o Programa de Apoio a Planos de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais (Reuni). Os contratados deverão atuar na Faculdade de Medicina com as áreas de Fisiopatologia e Nutrição Clínica; Unidades de Alimentação e Nutrição, Tecnologia de Alimentos e Nutrição e Marketing e de Nutrição nos Diversos Ciclos da Vida.
A remuneração inicial é de R$ 3.137,18 acrescido de auxílio alimentação no valor de R$ 304,00 para jornadas de 40 horas semanais.
A quem interessar a concorrência, será necessário possuir no mínimo mestrado nas respectivas áreas a que pretendem atuar. Demais informações sobre as provas estarão disponíveis, em data oportuna no endereço eletrônico: www.ufu.br.
As inscrições serão feitas no período de 29 de junho a 13 de julho na secretaria da Faculdade situada à Avenida Pará, nº. 1.720, bairro Umuarama, Uberlândia. A taxa será de R$ 60,00.

O prazo de validade do certame será de 1 ano, prorrogável por igual período, no interesse da Universidade Federal de Uberlândia.

Processo Seletivo da Prefeitura de Vitória (ES)

A Prefeitura Municipal de Vitória, capital do Espírito Santo, realizará processo seletivo em caráter emergencial para fortalecimento do seu quadro de funcionários na área de saúde. O objetivo é a contratação emergencial de psicólogo que atuará na realização de pesquisa e atendimento na respectiva área. A remuneração inicial é de R$ R$ 2.427,64.
Quem se interessar poderá efetuar inscrição no período de 27 a 29 de junho de 2012, no Guichê de Atendimento da Gerência de Recrutamento, Seleção e Registro, Secretaria de Administração, que fica no Palácio Municipal, localizado na Avenida Marechal Mascarenhas de Moraes, nº 1927, Bento Ferreira.
O processo seletivo será realizado através de análise de documentos e títulos de exercício profissional e qualificação profissional que serão avaliados por pontuação.
Exercício Profissional: 30 pontos
Qualificação Profissional: 70 pontos
A validade do processo seletivo será de 18 meses, contados a partir da data da homologação do resultado final, podendo ser prorrogado por igual período, a critério do Município.
Todas as informações oficiais referentes ao processo seletivo serão publicadas em jornal local - coluna do Poder Executivo - e divulgadas no site do município www.vitoria.es.gov.br.

Edital / Publicações

HSPM abre processo seletivo

Um dos centros de saúde mais conhecidos em São Paulo, Hospital do Servidor Público Municipal, está promovendo processo seletivo para contratação de analista de gestão e infraestrutura para as áreas de técnico de avaliação desempenho pessoal (2 vagas) e técnico de seleção e treinamento de pessoal (01 vaga). A remuneração inicial para tais cargos é de R$ 2.098,69 mais adicional de Insalubridade para ambos os cargos.
Os interessados devem realizar a inscrição entre os dias 21 a 25 de junho de 2012 diretamente na seção de apoio técnico do departamento técnico de gestão de talentos, situado à Rua Castro Alves, nº 151, fundos, Aclimação, São Paulo. Os aspirantes às vagas deverão apresentar comprovante de conclusão de curso superior com registro no órgão de classe e seis meses de experiência.
Os candidatos serão submetidos a avaliação de experiência profissional na função a ser exercida e será pontuada através de tempos em semestres comprovados na CTPS e cada semestre valerá 0,5 ponto.
A validade do contrato será de 12 meses.

Prefeitura de Fraiburgo (SC) lança edital

A Prefeitura de Fraiburgo, Estado de Santa Catarina, lançou edital (nº 0023, de 20 de abril de 2012) de processo seletivo visando o preenchimento de várias vagas na área da saúde do município. Serão ofertadas vagas de nível médio/magistério e superior, com salário de até R$ 1.125,28 e carga horária de 20 horas semanais.
Cargos: Professor, Psicopedagogo e Fonoaudiólogo.
As inscrições serão realizadas na Secretaria de Educação, Cultura e Esportes, localizada na Avenida Rio das Antas, n. 0185, Centro, Fraiburgo/SC, no período de 21 de junho a 03 de julho de 2012, excetuados sábados, domingos, feriados e pontos facultativos, das 8:30 às 11:00 horas e 14:00 às 17:00 horas.
O processo seletivo será constituído de prova títulos.
O processo seletivo será válido para ano de 2012, podendo ser prorrogado.

Edital / Publicações

Concurso Prefeitura de Tapira - MG

A Prefeitura de Tapira, Estado de Minas Gerais, lançou edital N° 001/2012 de concurso público para provimento de 292 vagas em cargos de níveis fundamental, médio e superior. Os salários variam de R$ 622,00 a R$ 1.430,00 em carga horária de 20 a 40h semanais. O concurso público será realizado sob a responsabilidade da empresa SEAP - Serviço Especializado em Administração e Projetos Ltda.
Cargos
As chances são para os cargos de Agente Administrativo, Assistente de Administração I e II, Auxiliar de Administração, Auxiliar de Enfermagem, Auxiliar de Laboratório, Auxiliar de Serviços, Carpinteiro, Coordenador Escolar, Desenhista, Eletricista, Encanador, Fiscal de Obras, Fiscal Tributário, Gari e demais cargos.
Inscrições e Taxas
As inscrições serão realizadas através do endereço eletrônico www.seapconcursos.com.br - das 09:00 h do dia 24 de agosto até o dia 24 de setembro de 2012, às 20:00 h. As taxas variam de R$ 13,00 a R$ 25,00 de acordo com o cargo escolhido.
Provas e Gabaritos
As provas serão realizadas na data prevista de 28 de outubro de 2012, em locais e horários a serem divulgados no dia 22 de outubro de 2012, no quadro de avisos da Prefeitura Municipal e no site www.seapconcursos.com.br. O gabarito será publicado na data prevista de 29 de outubro de 2012.
Validade
O prazo de validade do concurso é de 2 anos, contados da data da homologação do seu resultado final, podendo ser prorrogado por igual período, uma única vez, a critério da Administração Pública.

Prefeitura de Garopaba (SC) abre processo seletivo

O município de Garopaba, Estado de Santa Catarina, lançou edital N° 0020/2012 do processo seletivo de contratação de pessoal, por prazo determinado, para reposição de vagas e formação de cadastro de reserva - CR, para atuar em diversos Setores da Prefeitura Municipal de Garopaba. O certame oferece 01 vaga para cargo de Médico Cardiologista, com salário de R$ 4.341,30 por carga horária de 20h semanais.
As inscrições serão recebidas até o dia 02 de julho de 2012, das 14h às 17h, na Secretaria Municipal de Saúde de Garopaba, situada na Rua Antônio José Botelho - Prédio do ESF, Centro, em Garopaba/SC.
O processo seletivo dar-se-á mediante somatório de pontos da contagem de títulos e da experiência comprovada, os quais deverão constar do curriculum vitae de forma detalhada com a identificação dos títulos e especialmente do conteúdo e da carga horária dos cursos de aperfeiçoamento.
A homologação das inscrições e do resultado será publicada no DOM/SC, www.diariomunicipal.sc.gov.br. Os candidatos serão contratados em regime administrativo, ficando vinculado ao Regime Geral da Previdência Social.

Prefeitura de São Miguel do Guaporé (RO) abre processo seletivo

Aberto o Processo Seletivo Nº 002/2012/SEMADF para o provimento de cargos vagos no quadro de pessoal da Prefeitura de São Miguel do Guaporé, Estado de Rondônia. O certame é destinado ao preenchimento de 35 vagas de nível superior. O maior salário oferecido é de R$ 6.500,00, com jornada de trabalho de 20 e 40 horas semanais.
Serão destinadas para os candidatos portadores de deficiência o percentual de 5% do total das vagas oferecidas.

Cargos

São oferecidas vagas para Professor, Farmacêutico, Médico e Assistente Social

Inscrições e Taxas
As inscrições serão feitas até o dia 25 de Junho de 2012, das 07h00min as 13h00min de segunda a sexta-feira, na Secretaria Municipal de Educação, situada na Avenida São Paulo, nº 1490, Bairro Cristo Rei, anexo ao Prédio da Prefeitura de São Miguel do Guaporé /RO.

Provas

A seleção consistirá na realização de análise de títulos.

Validade

O processo seletivo será válido por 01 ano, a contar da data da homologação do resultado final publicado no meio oficial de publicação de atos do poder executivo no endereço eletrônico www.diariomunicipal.com.br/arom, podendo ser prorrogado por igual período.

Processo Seletivo Prefeitura de Vila Valério (ES)

O município de Vila Valério, Estado do Espírito Santo, publicou edital N° 005/2012 de processo seletivo destinado a contratação de pessoal nos cargos de Médico PSF e Motorista para a Prefeitura Municipal de Vila Valério. A efetivação desses profissionais se dará em caráter precário e provisório para atender às demandas da Secretaria Municipal de Saúde.
O certame oferece 01 vaga mais cadastro de reserva em cargos de níveis fundamental e superior. Os salários variam de R$ 1.136,72 e 2.471,23 para carga horária de 40h semanais. Ao Salário do Médico PSF será acrescida uma gratificação no valor de R$ 6.000,00.
Fica reservado o percentual de 05% das vagas a Candidato com deficiência habilitados, desde que compatíveis às atribuições da função, de acordo com a Constituição Federal.
As inscrições serão realizadas até o dia 27 de junho de 2012, no Setor de Recursos Humanos, da Secretaria Municipal de Administração, localizada na Rua Lourenço de Martins, Nº 190 - Centro - Vila Valério/ES. Maiores informações poderão ser obtidas por meio do telefone (27) 3728-1007, nos horários de 11:00 às 17:00 horas (segunda à quinta-feira) e 07:00 às 13:00 horas (sexta-feira).
O processo seletivo simplificado será realizado em etapa única, que consistirá em Prova de Títulos, de caráter classificatório.
O certame terá validade de 03 meses, a partir da data de divulgação da homologação do resultado final, podendo ser prorrogado por igual período.

Humor: Erro médico

Portugal: MAC: Enfermeiros têm garantia de que serão integrados

A Ordem dos Enfermeiros anunciou esta quarta-feira que a administração do Centro Hospitalar de Lisboa Central (CHLC) lhe comunicou que os 240 enfermeiros que exercem funções na Maternidade Alfredo da Costa (MAC) serão todos integrados.

Em comunicado, a Ordem dá conta de uma reunião entre a secção regional do sul da Ordem dos Enfermeiros com conselho de administração do CHLC, durante a qual foi abordado o encerramento da MAC.

"Foi afirmado pelo conselho de administração que existe capacidade instalada nas unidades hospitalares implicadas neste processo para a realização dos partos que actualmente se realizam na MAC, concretamente: Hospital de Cascais, Hospital de São Francisco Xavier, Hospital de Loures, Hospital de Vila Franca de Xira, Hospital de Santa Maria, bem como no Hospital Dona Estefânia", prossegue o comunicado.

Os enfermeiros congratulam-se com este compromisso, "uma vez que é o garante do efectivo acesso da população aos cuidados de saúde, bem como garante a manutenção do elevado nível de especialização dos cuidados prestados pela MAC, nas áreas da saúde materna e da saúde infantil".

Fonte Correio da Manhã

Portugal: 12 mil utentes sem médico

Mais de 12 mil utentes estão sem médico de família no concelho de Santiago do Cacém. A situação mais grave verifica-se na extensão de saúde de Ermidas-Sado, que está sem médico desde o final do mês de Abril, obrigando mais de dois mil utentes, a maioria idosos, a uma deslocação de quarenta quilómetros até ao Hospital do Litoral Alentejano, em Santiago do Cacém.

O presidente da Junta de Freguesia de Ermidas-Sado, Alberto Brito, diz tratar-se de uma situação "lastimável", tendo em conta que "a maioria dos habitantes tem fracos recursos económicos". "Muito utentes foram obrigados a parar os tratamentos", acrescentou. A falta de médicos, apurou o CM, faz-se também sentir nas extensões de saúde de Santiago, Santo André, Abela e São Domingos

O director do Agrupamento de Centros de Saúde do Litoral Alentejano, Paulo Espiga, reconhece que o número de utentes no concelho sem médico de família é muito elevado. A situação já foi exposta à Administração Regional de Saúde do Alentejo.

Fonte Correio da Manhã

Portugal: Especialista alerta para riscos de reutilização dfe dispositivos médicos por motivos económicos

A presidente da Associação de Enfermeiros de Salas de Operações (AESO) alertou hoje para os perigos da reutilização de dispositivos médicos de uso único e mostrou-se preocupada com decisões que possam ser tomadas com base em medidas economicistas.

"Eu espero, esperamos todos, a bem do doente e dos profissionais, que não se estejam a reprocessar dispositivos médicos de uso único, porque não há garantia de assegurar ao doente que estamos perante um dispositivo novo", disse à Lusa a enfermeira Mercedes Bilbao.

A propósito da conferência sobre dispositivos médicos e o seu reprocessamento, que decorre na quarta-feira no Infarmed, a enfermeira esclareceu que atualmente não há informações sobre o reprocessamento indevido destes dispositivos em Portugal.

Fonte Destak

Portugal: Atrasos em cirurgias prioritárias superiores a 50% no IPO Lisboa - TC

O IPO de Lisboa apresenta maiores tempos de espera cirúrgicos para doentes com elevados níveis de prioridade, e o incumprimento dos prazos chega a ultrapassar os 50 por cento, revelou uma auditoria do Tribunal de Contas (TC).

O relatório da auditoria às práticas de gestão dos IPO (Instituto Português de Oncologia) de Lisboa, Coimbra e Porto, divulgado pelo TC, avança que dos 6.678 doentes oncológicos operados pelo IPO de Lisboa em 2010, 55,4 por cento dos doentes a quem foi atribuído um nível de prioridade 3 - o segundo mais grave numa escala de quatro - e 7,9% dos doentes incluídos no nível 4 - o mais grave - foram operados já depois dos prazos máximos estipulados para o tipo de doença oncológica diagnosticada.

Significa isso que, em Lisboa, no caso dos 848 doentes com nível 3, 470 sofreram intervenções cirúrgicas fora do prazo recomendado, e dos 127 a quem foi atribuída prioridade máxima, 10 foram operados já depois dos três dias estipulados como limite legal.

Fonte Destak

Portugal: Atrasos nos exames com "consequências gravíssimas" na saúde dos utentes

O presidente da Associação Nacional de Laboratórios (ANL) denunciou hoje atrasos na obtenção de exames realizados nos hospitais e centros de saúde que estarão a ter "consequências gravíssimas" na saúde dos utentes que são diagnosticados tardiamente.

"O atraso no diagnóstico tem consequências gravíssimas. Já há casos - nomeadamente na Guarda e em Portalegre - em que devido a um diagnóstico feito tardiamente o doente tem de ser internado no momento em que é diagnosticado, o que tem custos mais elevados para o utente e o Estado", disse António Taveira.

Em entrevista à Agência Lusa, o presidente da ANL responsabiliza o Governo por esta situação devido ao despacho que determinou que "os hospitais que integram o Serviço Nacional de Saúde (SNS) devem assegurar a realização dos Meios Complementares de Diagnóstico e Terapêutica (MCDT) necessários aos seus utentes como regra".

Fonte Destak

Portugal: 'Troika' sem obstáculos à construção do novo hospital na zona oriental

A administração do Centro Hospitalar de Lisboa Central (CHLC) revelou que, durante uma reunião com elementos da 'troika' e de "outras instituições", estas entidades referiram "não ter qualquer obstáculo à construção do novo hospital" na zona oriental de Lisboa.

"Após os muitos argumentos apresentados pelos membros do conselho de administração do CHLC, aquelas entidades referiram não ter qualquer obstáculo à construção do novo hospital, uma vez que este faz todo o sentido face à situação das unidades hospitalares que integram o Centro", adiantou a administração à agência Lusa.

Os elementos da 'troika' e de "outras instituições" terão afirmado que a construção da nova unidade de saúde - pensada para acolher os hospitais de São José, Santa Marta, Capuchos, Dona Estefânia e Maternidade Alfredo da Costa - "deveria ser objeto de uma decisão do Conselho de Ministros".

Fonte Destak

Hospitais nos EUA adotam políticas contra discriminação de homossexuais

Relatório anual da Human Rights Campaign, o maior grupo de defesa dos direitos dos homossexuais nos EUA, revela que está aumentando o número de hospitais americanos que adotam políticas que proíbem a discriminação contra pacientes gays, lésbicas, bissexuais e transsexuais.

Segundo dados parciais do relatório, divulgado nesta semana, 95% de uma amostra de 400 hospitais e clínicas nos EUA já incluíram em suas políticas internas regras explícitas contra a discriminação.

Entre elas está o direito à visitação a parceiros do mesmo sexo.

Em 2010, 90% das instituições não tinham nenhuma orientação formalizada a respeito disso.

Naquele ano, o presidente Barack Obama determinou que os hospitais criassem políticas internas banindo qualquer ato discriminatório baseado em orientação sexual e identidade de gênero.

Em janeiro do ano passado, uma lei federal estabeleceu que todos os hospitais do país permitissem que seus pacientes escolhessem os seus visitantes e vetou, explicitamente, a discriminação por conta da orientação sexual.

A maior organização de acreditação nos EUA, a Joint Commission, também criou regras com o mesmo propósito.

Mesmo assim, denúncias de discriminação contra homossexuais ainda persistem. Em novembro de 2011, por exemplo, Kathryn Wilderotter sofreu um acidente de carro e foi internada no Hospital Adventista Washington, em Maryland.

Ao tentar visitá-la, Linda Cole, sua companheira há 11 anos, teve o seu o direito negado porque o hospital não a reconheceu como membro da família.

"Discriminação durante uma emergência médica é uma das mais graves formas de preconceito que os homossexuais ainda sofrem. Precisamos combatê-la insistentemente até que esse direito faça parte da rotina das instituições de saúde", afirmou Joe Solmonese, presidente da Human Rights Campaing.

Fonte Folhaonline

Novo remédio contra insônia tem sucesso em teste nos EUA

Pesquisadores americanos relataram que um novo tipo de comprimido anti-insônia, o suvorexant, teve sucesso em testes clínicos, ajudando pessoas a pegar no sono e continuar dormindo. Os resultados foram apresentados na conferência "Sleep 2012", informa o site "Huffington Post".

As pessoas que tomaram a droga passaram a pegar no sono 25 minutos depois, em média, enquanto as que tomaram um placebo (substância inócua) dormiam 17 minutos mais tarde. A principal melhora veio no tempo de sono: quem usou o suvorexant dormiu 60 minutos a mais, em vez dos 40 minutos a mais relatados por quem tomou o placebo.

Segundo Andrew Krystal, professor de psiquiatria do Centro Médico da Universidade Duke (EUA) que coordenou o estudo, os minutos a mais de sono, somados, têm um efeito de longo prazo importante e benéfico.

O interesse na substância se justifica porque, para funcionar, ela se vale de um mecanismo cerebral diferente do enfrentado por outras pílulas para dormir. A chave da sua ação é o bloqueio das orexinas, mensageiros químicos cerebrais ligados, entre outras coisas, ao despertar.

Philip Gehrman, diretor clínico do programa de medicina do sono comportamental da Universidade da Pensilvânia, explicou ao "Huffington Post" que a ação da droga funciona como um estabilizador do "interruptor" entre o sono e a vigília. É como se ela mantivesse o organismo na fase de "desligado" do sono.

A droga ainda precisa passar pela aprovação de agências reguladoras de fármacos, como a americana FDA, para ser comercializada.

Fonte Folhaonline

Planeta tem 15 milhões de toneladas de excesso de peso, diz pesquisa

Um estudo publicado nesta semana no periódico "BMC Public Health" mostra que o planeta está com 15 milhões de toneladas de sobrepeso.

Desse total, 3,5 milhões de toneladas são devido à obesidade somada dos indivíduos. Toda a população mundial adulta do mundo pesa cerca de 316 milhões de toneladas.

Para chegar a essa estimativa, pesquisadores da Escola de Higiene e Medicina Tropical de Londres usaram dados da OMS (Organização Mundial da Saúde) de 2005 e estabeleceram um peso médio global de 62 kg.

Há, porém, diferenças regionais. Nos EUA, o peso médio é de 80,7 kg, enquanto na Ásia a média é 57,7 kg. Isso significa que, embora a Ásia represente 61% da população mundial, ela responde por 13% do peso do mundo devido à obesidade. Já os EUA têm 6% da população, mas são responsáveis por 34% do peso total da obesidade.

Editoria de arte/folhapress
Carga pesada Planeta está com 15 milhões de toneladas de excesso de peso
Carga pesada Planeta está com 15 milhões de toneladas de excesso de peso

Segundo os pesquisadores, esses quilos a mais podem ter implicações para as demandas mundiais de alimentos e calorias, como se houvesse mais meio bilhão de pessoas habitando a Terra. Os autores afirmam ainda que os resultados da pesquisa revelam a importância de levar a massa corpórea em conta ao considerar as implicações ambientais do aumento da população.

Os Estados Unidos mais uma vez lideram a lista de países mais obesos, seguidos pelo Kuait e pela Croácia.

Top 10 dos países pesados (com mais de 100 mil pessoas)
1) EUA
2) Kuait
3) Croácia
4) Qatar
5) Egito
6) Emirados Árabes Unidos
7) Trinidad e Tobago
8) Argentina
9) Grécia
10) Bahrein

Top 10 dos mais leves
1) Coreia do Norte
2) Camboja
3) Burundi
4) Nepal
5) Congo
6) Bangladesh
7) Sri Lanka
8) Etiópia
9) Vietnã
10) Eritreia

Fonte Folhaonline

Excessos corporativos

Os médicos ficaram bravos comigo. Tudo começou no domingo retrasado, quando publiquei na edição impressa da Folha uma coluna em que comentava reportagem da revista britânica "The Economist" sobre o futuro da medicina. De acordo com o periódico, com o envelhecimento da população e o consequente aumento da prevalência das doenças crônicas, vai ser impossível formar tantos médicos quantos seriam necessários pelos padrões de hoje. A tese central do hebdomadário, com a qual concordo, é a de que o atendimento à população não poderá mais ser tão centrado na figura do médico. Outros profissionais, como parteiras, optometristas, fonoaudiólogos terão de ser utilizados pelos sistemas de saúde e em números crescentes.

Como sempre ocorre quando se atinge uma categoria briosa e organizada, foi uma chuva de e-mails, a maioria bastante urbanos e levantando objeções relevantes, alguns poucos mais agressivos. Não sem algum sadismo, voltei à carga na coluna de sexta-feira, fazendo algumas observações sobre o projeto de lei que regulamenta o ato médico, que tramita no Congresso. Foi uma nova torrente de mensagens, mas, desta vez, admito que fui deliberadamente provocador.

Para quem não sabe, há uma verdadeira guerra em torno da proposta legislativa. De um lado estão os médicos e, de outro, os mais numerosos enfermeiros, biomédicos, psicólogos, biólogos, farmacêuticos, professores de educação física, fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais, fonoaudiólogos, nutricionistas, dentistas, profissionais do serviço social, optometristas, técnicos em radiologia e quem mais eu tenha esquecido. A questão de fundo é mercado. (Calma, não estou dizendo que toda essa gente só pense em dinheiro e nunca na saúde da população). Médicos buscam recuperar um espaço perdido com a proliferação das carreiras paramédicas e estas tentam preservar e consolidar conquistas que já conseguiram inscrever em leis de regulamentação profissional.

O que eu procurei mostrar é que, apesar de importantes melhorias em relação a versões anteriores da proposta, o substitutivo da Câmara ainda conserva traços escandalosamente corporativistas.

Um exemplo gritante são os dispositivos que tornariam a colocação de piercings e a aplicação de tatuagens atos privativos de médicos. Não estou de modo algum dizendo que não existe risco nesses procedimentos. Ele é real e menos diminuto do que se imagina. Ainda assim o cidadão, a parte sempre esquecida nos confrontos entre categorias profissionais, deve ter o direito de fazer coisas tolas e perigosas, desde que não ameacem terceiros. O que de melhor a lei pode fazer pelas pessoas comuns é exigir que sejam corretamente informadas dos riscos que correm.

Os médicos foram com tanta sede ao pote que produziram uma piada involuntária, ao tornar o sexo uma zona restrita: segundo o art. 4º, pár. 4º, III, "a invasão dos orifícios naturais do corpo" é prática exclusiva da classe. Na mesma linha de irrazoabilidade vai o art. 5, que proíbe não médicos de chefiar serviços médicos ou de lecionar disciplinas médicas. Isso numa época em que, na ciência, as fronteiras entre medicina, biologia, química, física etc. são cada vez mais difusas. Se o futuro se desenvolver conforme se antecipa (o que quase nunca ocorre), serão respectivamente físicos e biólogos que terão de ensinar os médicos a utilizar a nanotecnologia e a terapia com células tronco na reparação de órgãos --uma matéria eminentemente médica.

Antes que me tomem por um psicólogo ou enfermeiro despeitado, pronto a lançar-me sobre o butim de uma eventual desregulamentação da área médica, esclareço que sou um mero bacharel em filosofia exercendo o ofício de jornalista. Não tenho, portanto, nenhum interesse profissional nessa intricada questão. A rigor, como marido de médica, até deveria torcer pela regulamentação, já que ela supostamente favorece uma atividade de cujos proventos minha família se beneficia. Mas evito até onde posso subordinar minhas opiniões intelectuais a discutíveis ganhos materiais.

E não é necessário muito mais do que o bom senso para perceber que a pretensão de médicos de criar uma gigantesca reserva de mercado não faz sentido econômico, social nem sanitário. É claro que o ideal seria que todo mundo passasse por um médico antes de trocar seus óculos, tomar um analgésico ou iniciar um programa de prática esportiva. Mas temos condições de arcar com o custo?

E, já que estamos falando de ideais, o melhor mesmo seria que todos tivessem formação em medicina. Pelo menos em teoria, o mundo seria um pouco mais saudável se todos os seus habitantes tivessem bons conhecimentos de anatomia, farmacologia, semiologia etc. Só que nem o mais rematado lunático ousa sugerir que cada cidadão deva passar oito ou dez anos de sua vida em caríssimos cursos universitários estudando essas matérias apenas para se tornar um paciente melhor --ou pior, dependendo da perspectiva. Como em tudo, precisamos aqui pensar em termos de custo e benefício.

O médico é provavelmente o profissional mais caro em circulação na sociedade. No Brasil, são seis anos de graduação em regime integral em cursos que exigem, além de aulas expositivas e práticas, laboratórios, cadáveres, cobaias e muito material descartável. Depois, são dois anos de residência em hospitais-escola sob estrita supervisão de outros médicos. Uma especialização pode requerer mais dois ou três anos de estudo. E tudo é muito fugaz. Um especialista de ponta que passe um ano sem abrir um "journal" estará mortalmente defasado.

É contraproducente colocar médicos nos quais se investiu tanto para desempenhar tarefas mais simples para as quais outros profissionais podem ser treinados. É mais do que razoável que um optometrista prescreva receitas de óculos, que enfermeiras realizem partos de baixo risco (identificados como tal num bom pré-natal) e que fonoaudiólogos diagnostiquem e tentem curar distúrbios da fala.

Tudo isso, é claro, dentro de um sistema de referência e contra-referência no qual o médico segue desempenhando papel central. Se aquele parto de baixo risco apresentar complicações ou se o distúrbio de fala for consequência de um tumor, é o médico que será chamado para "arrumar a casa". Teria sido melhor que esses tivessem sido encaminhados para o médico antes? É possível que sim. Mas temos condições de arcar com esse custo? É provável que não. Para cada parto que se complica ou gagueira provocada por neoplasia, há centenas ou milhares de casos que se resolvem sem maiores problemas. O próprio médico generalista inicia suas hipóteses diagnosticas pensando no que é mais comum, não nas moléstias raras.

A verdade é que a saúde é um saco sem fundo. Sempre podemos incorporar ao sistema mais pessoal e novas drogas, tecnologias que tendem a melhorá-lo. Num instantinho, estaríamos aplicando na área 100% dos Orçamentos federal e dos Estados e municípios. Só que isso é infactível. Além da saúde, o poder público tem de oferecer educação, segurança pública, lazer, cultura etc. Precisamos, portanto, de um sistema que consuma apenas o que a sociedade esteja disposta a pagar e que seja tão eficiente quanto possível. Isso evidentemente implica racionalizar gastos e rever papéis. O Brasil vive uma posição inglória, em que, de um lado, ainda contamos com uma enorme demanda reprimida por serviços, típica de países pobres, e, de outro, já começamos a experimentar a explosão de moléstias crônicas características de nações desenvolvidas cuja população envelhece. Isso significa que o Brasil, mais do que outros, precisa massificar rapidamente os serviços médicos. Atualmente, quem resolve o problema da demanda são as filas. Marcar uma consulta oncológica encaminhada por médico do SUS leva, em São Paulo, com sorte, uns quatro meses. São grandes as chances de a metástase chegar mais rápido.

Acredito que a iniciativa de regulamentar o ato médico esteja associada à acentuada "proletarização" por que a categoria passou nas duas últimas décadas. Com efeito, é absolutamente comum encontrar hoje médicos com três empregos, fazendo jornadas de 72 horas semanais para garantir o fim de mês. O resultado é o pior círculo vicioso possível: o profissional atende mal porque está sempre cansado e, como não tem tempo para reciclar-se, acaba prestando um atendimento que só piora à medida que ele vai ficando mais desatualizado. Mas o problema aqui, pelo menos em parte, é que o Brasil é um país pobre. Comparativamente, como mostrou artigo de Marcelo Neri, da FGV, na Folha, a medicina ainda é a profissão que traz mais retorno econômico para seus praticantes.

Até por razões pessoais, os médicos têm toda a minha solidariedade. Só que solidariedade não é sinônimo de emburrecimento. Tentar resolver as coisas a golpes de caneta criando um gigantesco monopólio não apenas não devolverá aos médicos o status econômico e social de que eles já gozaram como ainda tenderá a colocar mais pressão sobre o combalido sistema de saúde. Se, no setor público, a demanda já não é vencida, como não ficarão as filas se o projeto de regulamentação que está no Congresso for aprovado exigindo que até diagnósticos de unha encravada sejam feitos por médicos?

A resposta inteligente a essa situação não se encontra na sanha legiferante, mas na promoção da própria medicina. Por mais que paramédicos passem a desempenhar tarefas que já foram de médicos, sempre haverá funções que deverão ser realizadas pelos que têm a formação mais completa. Se, no passado, o grosso da clientela de um oftalmologista consistia de pessoas querendo uma receita de óculos, hoje muitos buscam livrar-se dos óculos através de operações que só podem ser feitas por cirurgiões oftálmicos. Em vez de querer resolver as coisas no grito, procurando impor-se sobre outras profissões, os médicos ganhariam mais se dedicassem seus esforços --e poderoso lobby parlamentar-- a melhorar a formação dos estudantes de medicina e começar a desenhar um sistema de saúde mais funcional. Se os cursos para optometristas e quejandos deixam muito a desejar, vamos modificá-los.

Se é possível treinar um estudante de medicina para supostamente dar conta de todos os problemas médicos que existem, também é possível treinar um estudante de optometria para reconhecer os sinais que exigem encaminhar o paciente para um oftalmologista. De qualquer maneira, é preferível que uma criança míope pobre da rede pública seja atendida por um optometrista, caso em que ficará sem uma consulta oftalmológica, mas com um par de óculos que lhe permite acompanhar as aulas, do que sem a consulta com o especialista e sem os óculos como ocorre hoje.

Diga-se em favor dos médicos que não foram eles que criaram todas as restrições e barreiras que estão no projeto de lei. Eles só reproduziram dispositivos constantes das regulamentações profissionais das categorias que agora se queixam do corporativismo médico.

O problema, no fundo, são as raízes fascistas que permeiam a sociedade brasileira. As pessoas não se veem como cidadãs de uma República, mas como representantes de uma categoria profissional que seria detentora de direitos naturais. O que se busca é sacramentar em lei suas reivindicações e esperar que o Estado use sua autoridade para implementá-las. Viramos o país das corporações, quando o ideal seria uma nação de indivíduos.

Por Hélio Schwartsman

Fonte Folhaonline