Aplicativos, carreira, concursos, downloads, enfermagem, farmácia hospitalar, farmácia pública, história, humor, legislação, logística, medicina, novos medicamentos, novas tecnologias na área da saúde e muito mais!


domingo, 3 de fevereiro de 2013

Shiatsu pode aliviar dores crônicas, aponta estudo da USP

Terapia complementar é eficaz para aliviar as dores de pacientes com fibromialgia
 
Um estudo da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP) aponta que o shiatsu é uma terapia complementar eficaz para aliviar as dores de um grupo de pacientes com fibromialgia, doença caracterizada por dores crônicas em diversas partes do corpo.
 
A pesquisa mostra que, além de minimizar dores, houve melhora na qualidade do sono, na sensação de equilíbrio e na qualidade de vida das pessoas avaliadas. Conforme divulgação da Agência USP nesta quinta-feira (31), a prática terapêutica, com o toque das mãos em determinadas regiões da pele, detecta pontos de dor com excesso de energia, causado pelo bloqueio do fluxo de energia vital. “
 
A fisioterapeuta Susan Yuan, que fez o estudo, descrito em dissertação de mestrado comenta:
 
— Observou-se melhora estatisticamente significante, considerada também clinicamente importante, na maioria dos pacientes em quase todas as variáveis estudadas, exceto a ansiedade”.
 
Na pesquisa, dois grupos foram acompanhados: 17 pessoas, que receberam 16 sessões de shiatsu de 50 minutos cada, e mais 17 pessoas que não receberam a técnica, somente uma cartilha com orientações educativas sobre a fibromialgia.
 
Além de informações sobre a doença, a cartilha continha dicas de mudanças para um estilo de vida mais saudável e um programa de exercícios e alongamento e fortalecimento. Depois de oito semanas de tratamento, 29% dos participantes do grupo que recebeu a técnica dizia que a fibromialgia tinha um forte impacto em seu cotidiano.
 
No início do estudo, antes da aplicação do shiatsu, essa taxa era de 70%. No grupo controle, que não recebeu shiatsu no tratamento, a variação era muito menor, sendo 64% no início e 59% após as oito semanas.
 
Fonte R7

Preocupação na Europa por explosão na demanda de drogas sintéticas

A União Europeia (UE) alertou esta quinta-feira para um forte aumento na demanda das chamadas drogas "de design", sintetizadas na China e que podem ser compradas pela internet, enquanto a cocaína perde popularidade, embora se mantenha, atrás da maconha, como a segunda droga ilegal mais consumida.
 
"Na Europa e em todo o mundo presta-se atenção (...) nas novas drogas e nas novas pautas de consumo", destacou um relatório elaborado pelo Centro de Controle Europeu de Dependência à Droga e a Europol.
 
"Esta atenção se vê alimentada pelas mudanças produzidas na tecnologia das comunicações", já que em muitos casos as drogas podem ser compradas como "euforizantes legais" na internet ou "em lojas especializadas".
 
O termo "droga de design" é usado, desde os anos 1980, para designar os compostos do "ecstasy" (MDMA e outros, como os canabinoides sintéticos) e se aplica a substâncias "destinadas a imitar os efeitos das drogas controladas, porém modificando sutilmente sua estrutura química para escapar dos controles existentes", destacou o informe.
 
A maioria destas novas "substâncias psicotrópicas que se negocia no mercado europeu de drogas ilegais" se fabrica na China e, em menor medida, na Índia.
 
Três produtos naturais - kratom, sálvia e cogumelos alucinógenos - continuam sendo os "euforizantes legais" ofertados com mais frequência na web, seguidos de oito substâncias sintéticas, cuja disponibilidade aumentou em 2011.
 
O mercado europeu da droga "é um dos fenômenos criminosos mais complexos e invasores do nosso tempo", advertiu a comissária de Assuntos do Interior, Cecilia Malmström, durante entrevista coletiva.
 
"Os grupos criminosos organizados são agora mais propensos a traficar com muitas substâncias ao mesmo tempo e juntar forças", acrescentou.
 
"O tráfico de drogas também está se diversificando no que diz respeito à complexidade, tanto das rotas escolhidas quanto dos tipos de drogas transportadas por estas rotas", acrescentou.
 
Apesar de um claro declínio nos últimos anos, "a cocaína continua sendo a segunda droga ilegal mais consumida na Europa, depois da maconha" e "a maior parte do processo de transformação das folhas de coca em cloridrato de cocaína continua se desenvolvendo em Colômbia, Peru e Bolívia".
 
O consumo de cocaína aumentou durante mais de uma década "até alcançar um máximo em 2008-2009", mas desde então se verifica uma "perda de popularidade desta droga".
 
"Estudos qualitativos realizados em ambientes recreativos também indicam uma possível mudança na imagem da cocaína, que vai perdendo sua reputação" em países como Dinamarca e Holanda.
 
As apreensões de cocaína diminuíram.
 
A droga com destino à Europa transita pela maior parte dos países da América do Sul e América Central, mas procede sobretudo de "Argentina, Brasil, Equador, México e Venezuela", diz o estudo.
 
Espanha, Holanda, Portugal e Bélgica continuam sendo os "principais pontos de entrada da cocaína na Europa". E os informes mencionam "com frequência Alemanha, França e Reino Unido" como principais países de trânsito ou de destino.
 
Fonte R7

Governo distribuirá 68,6 milhões de preservativos durante o carnaval

Os jovens de hoje não viram tantas personalidades morrerem
 de aids como nos anos 80
O Governo entregou mais de 68,6 milhões de preservativos para estados e municípios para distribuição durante o carnaval, como parte de uma campanha de prevenção de doenças sexualmente transmissíveis lançada nesta quinta-feira, informou o Ministério da Saúde.
 
A campanha, intitulada "A vida é melhor sem aids. Proteja-se. Use sempre a camisinha", foi apresentada pelo ministério no Morro dos Prazeres, no bairro de Santa Teresa, um dos mais visitados do Rio durante as festividades. "A campanha pretende reforçar que o uso do preservativo deve ser um hábito e pode até melhorar a relação sexual.
 
É necessário derrubar o imaginário popular que praticar sexo sem preservativo é melhor", disse o diretor do Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais do Ministério da Saúde, Dirceu Greco. Por sua vez, o secretário de Vigilância Sanitária do ministério, Jarbas Barbosa, lembrou que a aids mata 12 mil pessoas por ano no Brasil e que, portanto, é preciso conscientizar a população adotando-se de medidas de prevenção.
 
"Os jovens de hoje não viram tantas personalidades morrerem de aids como nos anos 80", destacou Barbosa, que advertiu que segundo pesquisas divulgadas nos últimos anos, o uso do preservativo em relações esporádicas caiu de 58% para 49% em todas as idades.
 
A campanha será divulgada com cartazes em ônibus, táxis e aeroportos. Em rádios, serão veiculadas músicas em três dos principais ritmos típicos do carnaval: samba, frevo e axé.
 
Fonte R7

Antibiótico de baixo custo pode reduzir desnutrição infantil

Para estudo, parte das crianças foi tratada
uma semana com antibiótico
Tratamento teve alimentos à base de manteiga de amendoim fortalecida com leite em pó
 
Um antibiótico de baixo custo, combinado com uma dieta com alimentos comuns altamente nutritivos pode salvar muitas crianças que sofrem de desnutrição, revelou um teste clínico publicado na última edição da revista americana de medicina "New England Journal of Medicine".
 
O estudo clínico foi realizado no Malauí com 2.767 crianças com idades entre seis meses e cinco anos por investigadores da Escola de Medicina da Washington University em St. Louis.
 
Para o estudo, parte dessas crianças com desnutrição grave foi tratada durante uma semana com um antibiótico (amoxilina ou cefdinir), enquanto outra parte recebeu um placebo. Em todos os casos as crianças seguiram uma dieta com alimentos comuns, altamente nutritivos.
 
Naqueles tratados com antibióticos, a taxa de fracasso do tratamento nutricional diminuiu notavelmente com relação aos que tomaram o placebo. A taxa de fracasso diminuiu 24,4% no caso da amoxilina e 39% no caso do cefdinir.
 
O tratamento nutricional teve alimentos à base de manteiga de amendoim fortalecida com leite em pó, azeite, açúcar e micronutrientes.
 
Segundo declarações dos cientistas ao jornal americano "The New York Times", a eficácia dos antibióticos demonstrada neste estudo deveria mudar as práticas medicinais atuais com que se trata a desnutrição e fazer com que a OMS (Organização Mundial da Saúde) recomende destinar recursos maiores a esses medicamentos.
 
Alimentação
Outro estudo publicado essa quarta-feira na revista americana Science, também realizado no Malauí, demonstra que uma alimentação insuficiente ou medíocre não é a única causa da desnutrição infantil na África subsaariana.
 
Segundo os cientistas da Washington University em Saint Louis, um transtorno intestinal também pode provocar outro tipo de desnutrição severa denominada "Kwashiorkor", cujos sintomas são inchaço do ventre, lesões no fígado, ulcerações na pele e perda de apetite.
 
Segundo os pesquisadores, 20 milhões de crianças em todo o mundo sofrem de desnutrição severa e 1 milhão morrem a cada ano devido à doença.

Fonte R7

Bebê nasce com 453 gramas e surpreende médicos ao sobreviver

Lacey-Jane cabia na palma da mão de seu pai
A britânica Lacey-Jane chegou 17 semanas antes do previsto
 
Uma bebê que nasceu com 453 gramas, 17 semanas antes do previsto, desafiou as expectativas dos médicos ao sobreviver.
 
Segundo o site do jornal “Daily Mail”, Kelsie Hemmings havia saído para comprar uma bebida em Harwich, onde vive na Inglaterra, quando foi surpreendida pela antecipação da chegada de sua bebê.
 
Sua filha, Lacey-Jane, era tão pequena que quando nasceu os médicos temiam que ela fosse morrer em menos de uma hora.
 
Kelsie, 23 anos, foi levada com urgência para um especialista no Hospital de Chelsea e Westminster, no dia 8 de julho do ano passado, quando sofreu uma hemorragia e sua bolsa estourou. Com a bebê praticamente sem oxigênio dentro do útero, cirurgiões se apressaram para dar início a uma cesariana e tentar salvá-la.
 
A menina nasceu tão pequena que cabia na palma da mão de seu pai, Gary, lembra Kelsie:
 
— Um médico chegou a pensar, inclusive, que ela já estava morta quando chegamos ao hospital.
 
Mas quando eles pararam para ouvir seu coração, escutaram os batimentos tão forte que correram para a sala de operação.
 
— Quarenta e cinco minutos depois os médicos a 'ressuscitaram'. Eles não acreditavam que ela viveria, mas eu sabia que sim.
 
Os três primeiros meses de vida da menina foram, a maior parte do tempo, no hospital. Mas, desde o quarto mês, conta Kelsie, sua recuperação tem sido incrível.
 
Fonte R7

Inalação de fumaça dificulta tratamento de queimados em incêndio, diz médica

A cirurgiã plástica Maria da Graça Figueira Costa, responsável
 pela unidade de queimados do Hospital Cristo Redentor, em Porto Alegre
Fato de pacientes ficarem ligados a respiradores dificulta intervenções cirúrgicas
 
Embora sejam uma minoria entre as mais de 120 pessoas que permanecem internadas após o incêndio em Santa Maria, no último domingo (27), os pacientes com grandes queimaduras estão tendo seu tratamento dificultado por conta dos problemas decorrentes da inalação da fumaça tóxica produzida pela combustão do material de isolamento acústico da boate Kiss.
 
De acordo com a cirurgiã plástica Maria da Graça Figueira Costa, responsável técnica pela unidade de queimados do Hospital Cristo Redentor, em Porto Alegre, onde estão internadas sete vítimas do incêndio, o fato de os pacientes terem que ficar permanentemente ligados aos respiradores e não poderem deixar a unidades de terapia intensiva dificulta as intervenções cirúrgicas necessárias para o tratamento de queimaduras externas.
 
— Os pacientes ficam instáveis, têm que ficar no respirador, alguns estão fazendo diálise. [Os problemas respiratórios] comprometem todo o organismo. Alguns pacientes não podem nem ir ao bloco cirúrgico de queimados, não podem sair da UTI, e nós temos que tentar fazer as cirurgias lá mesmo, para não atrasar [o tratamento].
 
A cirurgiã avalia que a existência de lesões respiratórias aumenta o risco de morte.
 
— Isso aumenta muito [o risco] de mortalidade, porque esse material que queimou libera muitas substâncias químicas que são tóxicas para o pulmão e para as vias respiratórias, o que agrava toda a patologia.
 
Na última segunda-feira (28), o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, disse que cerca de 20% das vítimas do incêndio sofreram com grandes queimaduras. Para tratar desses pacientes, bancos de pele de São Paulo, Pernambuco, Rio Grande do Sul e até de outros países foram deixados de prontidão.
 
Ainda na segunda-feira, o governo da Argentina anunciou o envio de 10 mil cm² de pele e 20 mil cm² de membranas para ajudar as vítimas de queimaduras no incêndio.
 
Tratamento
O tratamento dos chamados grandes queimados, pacientes que têm extensões significativas do corpo atingidas pelo fogo, é complexo e pode se estender por meses.
 
Em um primeiro momento, são realizadas cirurgias para retirada do tecido necrosado que foi atingido pelo fogo, o chamado processo de desbridamento.
 
— Muitas vezes não é possível tirar tudo de uma vez só, porque sangra muito. Então as cirurgias têm que ser feitas de maneira sequencial, fazemos uma ou duas vezes por semana.
 
Durante esse processo, as áreas lesionadas são cobertas com curativos especiais ou com a pele de cadáveres vinda de bancos de tecido. O procedimento evita que o paciente se desidrate e protege o ferimento. Essa pele, no entanto, é um curativo temporário, que deve ser trocado a cada semana.
 
O tratamento prossegue até que o paciente comece a desenvolver tecido saudável nas partes atingidas, o que — no caso dos grandes queimados — leva no mínimo um mês, de acordo a médica. Inicia-se então o procedimento de enxerto de pele do próprio paciente, o que cobrirá definitivamente as áreas afetadas.
 
Segundo Maria da Graça Figueira da Costa, no entanto, o tratamento dos grandes queimados se estende para além da área cirúrgica. Depois das intervenções, o paciente segue para o atendimento ambulatorial.
 
Em geral, é necessário ainda acompanhamento psicológico, fisioterapia e tratamento fonoaudiológico para aqueles que ficaram entubados por longos períodos.
 
Vítimas
De acordo com dados divulgados pelo Ministério da Saúde, 127 vítimas permaneciam internadas até a noite de quinta-feira (31) por conta do incêndio que matou mais de 230 pessoas na madrugada do último domingo em uma casa noturna da cidade de Santa Maria, região central do Rio Grande do Sul .
 
Desse total, 71 pessoas estavam respirando com a ajuda de aparelhos e em estado crítico. Há pacientes internados em Santa Maria, na região metropolitana de Porto Alegre, além de Ijuí e Caxias do Sul.
 
Na madrugada desta sexta-feira (1°), um hospital em Porto Alegre confirmou a morte de um jovem que estava internado no local por conta da tragédia. O jovem de 20 anos é a 236ª morte confirmada após o incêndio na boate Kiss.
 
As autoridades vêm alertando aquelas pessoas que tiveram contato com a fumaça tóxica do incêndio que procurem os hospitais devido ao risco de desenvolvimento de condições respiratórias graves.
 
Fonte R7

Sono melhor pode reduzir deterioração da memória, diz estudo

Ter um bom sono pode reduzir a deterioração da nossa
memória à medida que envelhecemos
É possível melhorar a qualidade do sono estimulando região certa do cérebro com eletricidade durante a noite
 
Um estudo divulgado na publicação científica Nature Neuroscience sugere que ter um bom sono pode reduzir a deterioração da nossa memória à medida que envelhecemos.
 
Até antes da pesquisa, os cientistas já sabiam que tanto o cérebro quanto o corpo sofrem desgaste com o tempo, mas não se sabia ao certo se as mudanças no cérebro, sono e memória eram sinais distintos do envelhecimento ou se haveria uma conexão profunda entre eles.
 
Mas a pesquisa, feita por cientistas da University of California, Berkeley, indicam que mudanças que ocorrem no cérebro com a idade prejudicam a qualidade do sono profundo, o que, por sua vez, diminui a capacidade do cérebro de aprender e armazenar memória.
 
Com base nessas conclusões, a equipe pretende agora testar formas de melhorar o sono para interromper o declínio da memória.
 
Experimentos
Trabalhando com um grupo de 36 voluntários - metade dos quais com idade em torno de 20 anos e outra metade com cerca de 70 anos - os especialistas fizeram uma série de experimentos.
 
Primeiro, a equipe constatou que era capaz de prever a quantidade de sono profundo (o chamado sono de ondas lentas) que o participante teria com base nas condições de preservação de uma região do seu cérebro chamada córtex pré-frontal médio.
 
Essa parte do cérebro é essencial para que a pessoa consiga entrar no estágio de sono profundo, mas com a idade ela tende a se deteriorar.
 
Em seguida, os especialistas demonstraram que a quantidade de sono profundo podia ser usada para prever quão bem as pessoas se sairiam em testes de memória.
 
Os pacientes jovens, que conseguiam obter sono de boa qualidade em abundância, tiveram melhor desempenho nos testes do que os participantes mais velhos, cujo sono tinha qualidade inferior.
 
Matthew Walk, um dos pesquisadores envolvidos no estudo, disse à BBC que, 'vista em conjunto, a deterioração do cérebro leva à deterioração do sono que produz a deterioração da memória [geralmente solidificada na fase de sono REM, ou de movimentos rápidos dos olhos]'.
 
— O sono de ondas lentas é muito importante para solidificar novas memórias que você aprendeu recentemente. É como clicar o botão 'salvar' [no computador].
 
A equipe disse não ser capaz de restaurar a região do cérebro desgastada pela idade, mas espera que algo possa ser feito em relação ao sono.
 
Por exemplo, é possível melhorar a qualidade do sono estimulando a região certa do cérebro com eletricidade durante a noite, os especialistas explicaram.
 
Estudos demonstraram que essa técnica pode melhorar o desempenho da memória em jovens. Agora, os pesquisadores querem iniciar testes também com pacientes mais velhos.
 
'Você não precisa restaurar as células do cérebro para restaurar o sono', disse Walker. Ele disse que a técnica é uma forma de fazer o sistema 'pegar no tranco'.
 
Demência
Em pacientes com demência, os sintomas associados à morte das células do cérebro - como sono ruim e perda de memória - são muito piores do que no envelhecimento normal.
 
Alguns estudos sugerem que exista um vínculo entre sono e demência. Um relatório divulgado na publicação científica Science Translational Medicine apontou para a possibilidade de que problemas de sono sejam um dos primeiros sinais do Mal de Alzheimer.
 
O médico Simon Ridley, da entidade beneficente Alzheimer's Research UK, disse que são necessários mais estudos para confirmar ou não essa conexão.
 
— Cada vez mais evidências vinculam alterações no sono a problemas de memória e demência, mas não está claro se essas mudanças seriam uma causa ou consequência.
 
— As pessoas estudadas aqui foram monitoradas por um período muito curto e o próximo passo poderia ser investigar se a falta de sono de ondas lentas também pode ser relacionada ao declínio de memória a longo prazo.
 
Fonte R7

Jovem em estado terminal pede 'despedida de solteira' falsa

Há quatro anos  Stephanie Knight luta para vencer um tipo raro
 de câncer que provocou um grande aumento de peso
Britânica de 21 anos, que luta contra a doença há quatro anos, criou um blog
 
Em estado terminal por um tipo raro de câncer contra o qual vem lutando há quatro anos, uma britânica de 21 anos preparou uma lista de desejos para antes de morrer, que inclui uma "despedida de solteira" falsa, viagens e diversões com a família e dar apoio a outro paciente de câncer para fazê-lo mais feliz.
 
Stephanie Knight resolveu tornar pública sua história em um blog para ajudar a arrecadar fundos para uma ONG especializada em pesquisas e apoio para os pacientes de sarcoma de Ewing, um tipo de câncer que acomete os ossos e é mais frequente em pessoas brancas entre 10 e 20 anos.
 
A metástase do câncer de Stephanie, detectado inicialmente na região pélvica, já havia exigido a amputação de sua perna direita em outubro do ano passado, mas no fim do ano ela foi internada novamente por conta de fortes dores e, em janeiro, exames confirmaram que a doença está fora de controle e não há mais chance de cura.
 
O tratamento contra o câncer também provocou um grande aumento de peso em Stephanie.
 
Ela ainda deverá passar por novas sessões de quimioterapia em uma tentativa de prolongar sua sobrevida. "Veremos como os tumores responderão (à quimioterapia) e o que acontecerá daí em diante", informa seu blog.
 
"Lamentavelmente, não haverá cura para o câncer de Stephanie, mas estamos determinados a lutar contra ele o maior tempo possível e ajudá-la a fazer todas as coisas que ela quer fazer", diz o texto de sua família.
 
Segundo o blog, Stephanie e sua família esperam estabelecer uma fundação em seu nome para ajudar outros jovens com o mesmo problema.
 
Pequenos prazeres
A lista de Stephanie, com 36 itens, inclui alguns pequenos prazeres, como "rir até chorar ou o corpo doer", "fazer muitas compras", "ir a shows de música", "comer uma comida muito boa", "tomar um chá da tarde" ou passar por uma sessão completa de manicure com a pintura das unhas em diferentes cores.
 
Uma boa parte dos desejos também envolve outras pessoas, como encontrar o time de futebol do Manchester United com seu pai ou o do Tottenham Hotspur com seu irmão, levar a irmã para conhecer os ídolos pop Robbie Williams e Gary Barlow, sair de férias com a família toda ou passar um fim de semana em um spa com as amigas.
 
Outros itens são um pouco mais específicos e elaborados, como "saltar de um avião com um instrutor", "uma noite de coquetéis com garçons nus", "aprender a tirar uma rolha de uma garrafa com uma espada" ou "encontrar Kate e o príncipe William".
 
A criação da lista de desejos foi inspirada por amigos do hospital onde ela vem recebendo tratamento para o câncer, na cidade de Cambridge.
 
Segundo uma das irmãs de Stephanie, Rachel, a jovem "sente que já perdeu muito tempo após um período tão longo no hospital" e está determinada a aproveitar da melhor maneira o tempo que resta.
 
"Stephanie é uma pessoa muito altruísta. Para ela, a lista tem mais a ver com as memórias que ela vai deixar para nós do que as experiências agradáveis para si mesma", disse Rachel, de 31 anos, à imprensa britânica. "Ela quer que nós tenhamos boas lembranças suas em vez de todas aquelas memórias do hospital."
 
Fonte R7

Médicos divulgam lista de mitos sobre o câncer

Sofrer de câncer não representa uma sentença de morte
Estudo espanhol garante que doença não costuma ter causas hereditárias
 
Estudo de um grupo de oncologistas espanhóis concluiu que o câncer não costuma ter causas hereditárias, não é provocado pelo estresse, micro-ondas, pessimismo, depressão e não é curado com o uso de ervas medicinais. O Departamento de Saúde do governo da região autônoma da Catalunha e o Instituto Catalão de Oncologia publicaram nesta sexta-feira (1) uma lista com as falsas crenças mais disseminadas entre a população sobre o câncer.
 
A ideia de que o câncer é hereditário é falsa, segundo o responsável da unidade de genética do Instituto Catalão de Oncologia, Ignacio Blanco, que reconheceu, no entanto, que entre 5% e 10% dos casos apresentam uma predisposição hereditária em determinados tipos de câncer que se repete em várias gerações de uma mesma família.
 
O oncologista Dr. Josep Alfons Espinàs, outro autor do estudo, avisa:
 
— Outra ideia falsa do câncer é que a doença sempre provoca dor, o que não ocorre em sua fase inicial.
 
O médico, no entanto, frisou que em 75% dos casos as pessoas que sofrem de câncer podem ter dor ao longo do desenvolvimento da doença. Além disso, nenhuma pesquisa científica demonstrou que o uso de micro-ondas, sutiãs com aros ou de desodorantes esteja relacionado com o câncer em geral ou com o de mama em particular, argumentaram os pesquisadores.
 
O estudo ressaltou que o sobrepeso ou a obesidade após a menopausa, o sedentarismo e o excesso de consumo de álcool aumentam as probabilidades do desenvolvimento de um tumor de mama. Além disso, os pesquisadores afirmaram que ser pessimista não aumenta a probabilidade do surgimento de um câncer, embora ser positivo na hora de enfrentar a doença pode ser benéfico para seu tratamento.
 
Blanco disse ainda que sofrer de câncer não representa uma sentença de morte pois atualmente "mais da metade dos pacientes superam a doença", o que é consequência em grande parte da implementação de programas de detecção precoce.
 
Fonte R7

EUA propõem eximir organizações religiosas de cobertura anticoncepcional

Alguns grupos religiosos veem esta proposta como uma vitória
O governo americano propôs esta sexta-feira mudar algumas normas em vigor no atual sistema de saúde para ampliar a lista de organizações que podem ser exoneradas do pagamento obrigatório de anticoncepcionais para suas funcionárias.
 
Estas novas normas, cujo período de discussão pública termina em 8 de abril, propõe eximir qualquer empregador de uma organização religiosa da obrigação de incluir os anticoncepcionais no seguro de saúde que a reforma do presidente Barack Obama tornou obrigatória para todos os americanos.
 
O presidente promulgou sua reforma de saúde em maio de 2010. Embora alguns dispositivos da lei já estejam em vigor, outros serão cumpridos em etapas nos próximos anos.
 
Muitas igrejas e organizações se opõem, por motivos religiosos, ao que dispõe a lei sobre a cobertura preventiva que inclui anticoncepcionais, algo que legalmente as instituições devem garantir a suas funcionárias.
 
Agora, o governo propõe que as organizações religiosas sem fins lucrativos, inclusive universidades e hospitais religiosos, não sejam obrigadas a pagar pela cobertura de anticoncepcionais de suas funcionárias e que elas possam receber esta cobertura de um terceiro.
 
"As organizações qualificadas não teriam que contratar, coordenar, nem referir nenhum tipo de tratamento anticoncepcional ao qual se oponham por motivos religiosos", disse o governo em uma declaração.
 
Segundo a lei em vigor, um empregador religioso não pode ser candidato a esta exoneração se fornecer serviços ou empregar um grande número de pessoas de diferentes credos, como é o caso de muitas universidades católicas, hospitais e casas beneficentes.
 
Alguns grupos religiosos veem esta proposta como uma vitória.
 
"Hoje a Igreja Católica ganhou, ao ser reafirmado o reconhecimento de que os assuntos morais e a escolha pessoal sejam respeitados", disse o grupo Católicos Unidos, em um comunicado.
 
Fonte R7