Aplicativos, carreira, concursos, downloads, enfermagem, farmácia hospitalar, farmácia pública, história, humor, legislação, logística, medicina, novos medicamentos, novas tecnologias na área da saúde e muito mais!


terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Remédio estimulante aumenta o risco de mal de Parkinson

Estudo americano afirma que anfetaminas podem afetar desenvolvimento da doença Um estudo realizado nos Estados Unidos descobriu que pacientes que tomam anfetamina têm mais chances de desenvolver o mal de Parkinson. As anfetaminas são drogas sintéticas, fabricadas em laboratório, que fazem parte de alguns medicamentos usados para estimular o sistema nervoso central - elas fazem o cérebro trabalhar mais depressa. Duas drogas avaliadas no estudo foram a benzedrina e dextroanfetamina, que são anfetaminas usadas para melhorar a atenção e a concentração de pessoas com Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) e narcolepsia. Os pesquisadores examinaram 66.348 pessoas na Califórnia, nos Estados Unidos, que participaram de um programa de saúde entre 1964 e 1973 e foram reavaliadas em 1995. No início do estudo, a média de idade era de 36 anos. Dentre todos os voluntários, 1.154 foram diagnosticados com mal de Parkinson. Os voluntários usavam a anfetamina por dois motivos: ou para perder peso ou quando tomavam um dos dois medicamentos citados (a benzedrina ou a dextroanfetamina). De acordo com a pesquisa, aqueles que disseram tomar os remédios tinham um risco 60% maior de desenvolver o mal de Parkinson do que aqueles que não consumiam essas drogas. Já as pessoas que usavam medicamentos com anfetamina para emagrecer não apresentaram um risco maior. Segundo o autor do estudo, o médico Stephen Van Den Eeden, do Centro de Pesquisas Kaiser Permanente, em Oakland, California, as anfetaminas afetam a liberação e absorção da dopamina, neurotransmissor responsável pelos movimentos e, por isso, afetam o desenvolvimento do mal de Parkinson. Se outros estudos confirmarem essas descobertas, o risco de esses remédios desenvolverem o mal de Parkinson deverá ser considerado pelos médicos na hora de prescrever esses medicamentos. http://noticias.r7.com/saude/noticias/remedio-estimulante-aumenta-o-risco-de-mal-de-parkinson-20110222.html

Impressora 3D poderia imprimir tecidos biológicos

Cientistas apresentaram no encontro da Associação Americana para o Avanço da Ciência uma impressora 3D que poderia imprimir tecidos biológicos. O pesquisador Hod Lipson, da universidade americana Cornell, afirma que o que ele e outros estudam é em vez de imprimir em plástico, imprimir com materiais biológicos, formando tecidos tridimensionais. Atualmente, a equipe trabalha na impressão de orelhas para serem usadas na medicina reconstrutiva. A impressora não é muito diferente de uma de jato de tinta ou um plotter de impressão. Assista:http://www.bbc.co.uk/worldservice/emp/pop.shtmll=pt&t=video&r=1&p=/portuguese/meta/dps/2011/02/emp/110221_videobioimpressoraebc.emp.xml
Para Hod Lipson, a tecnologia pode fazer parte do dia-a-dia em 20 anos A ideia é que no futuro cada paciente tenha detalhes minuciosos do seu corpo armazenados no computador dos médicos. Se no futuro, ele vier a necessitar de uma nova cartilagem, um menisco, uma orelha ou até um osso, bastaria recuperar aquelas informações. Depois células do próprio paciente seriam coletadas e postas em cultura para serem usadas como "tinta" para imprimir novas partes do corpo. Para Hod Lipson, a tecnologia pode fazer parte do dia-a-dia dentro de 20 anos. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

HIV - SP usará ‘coquetel do dia seguinte’ após sexo inseguro

Pessoas que se expuseram ao vírus HIV em situações de rompimento do preservativo podem se submeter a um tratamento de prevenção para evitar que o vírus causador da aids se instale no organismo. O “coquetel do dia seguinte”, conjunto de remédios que pode ser ministrado após a relação sexual desprotegida, vai estar ao alcance do cidadão paulista em até 400 unidades públicas de saúde ao longo do ano, de acordo com a Secretaria Estadual de Saúde. Atualmente, existem 172 locais de atendimento, cujos endereços podem ser conferidos no site www.crt.saude.sp.gov.br/content/githejeket.mmp Os medicamentos são gratuitos e a prioridade de distribuição recai sobre casos de acidente de trabalho (um médico tomar contato com sangue contaminado, por exemplo) e de violência sexual, conforme norma do Ministério da Saúde. Só depois serão analisados os casos em que a camisinha estourou ou houve sexo inseguro por algum outro motivo. Embora o governo paulista admita publicamente essa hipótese, Maria Clara Gianna, coordenadora do Programa Estadual DST/Aids, garante que os relatos dos pacientes nas unidades de saúde serão avaliados de forma criteriosa e frisa que a melhor forma de prevenção ainda é a “prática do sexo seguro”, com camisinha. Efeitos colaterais O mecanismo de ação do coquetel do dia seguinte da aids é parecido com o da pílula de emergência para impedir a gravidez. Para melhorar a eficácia do procedimento, cujo índice de sucesso supera os 90%, o paciente – homem ou mulher – tem de tomar uma mistura de três remédios em até 72 horas após a relação sexual desprotegida. A mesma medicação deve ser tomada por 28 dias consecutivos e traz efeitos colaterais. Se tomado repetidas vezes, o coquetel perde a eficácia. Nos casos de relações sexuais com parceiros desconhecidos, quando não se sabe se houve a exposição ao vírus, a orientação é analisar caso a caso para constatar se existe a necessidade de submeter a pessoa ao tratamento preventivo, segundo a Secretaria Estadual de Saúde. “Avaliamos o tipo de relação – se foi anal, oral, vaginal – e a qual população pertence o parceiro. No caso de homens que têm relações com profissionais do sexo ou com pessoas que usam drogas endovenosas, por exemplo, o risco é maior”, diz a médica infectologista Denize Lotufo, do Centro de Referência e Treinamento em DST/Aids (CRTDST/Aids). A intenção é focar também nos casais sorodiscordantes – em que um dos parceiros é soropositivo e o outro, não – segundo Denize Lotufo. “A ideia é dar segurança para esse público. Desde 2006, o Ministério da Saúde já dava essa orientação, mas muitas pessoas não se apropriavam da ideia.” Cuidados Quanto antes a profilaxia é iniciada, maior sua eficácia. “O ideal é, em até 4 horas, procurar o serviço mais próximo para iniciar o tratamento”, afirma a infectologista Ligia Raquel Brito, do Hospital Edmundo Vasconcelos. Todos os especialistas alertam que esse tipo de procedimento não deve ser banalizado e que o uso de preservativos ainda é a melhor maneira de se resguardar diante da Aids. “Traço um paralelo com a pílula do dia seguinte (contraceptivo de emergência). Não se pode usar como uma muleta e pensar que não é tão importante se proteger, já que há um tratamento”, afirma a infectologista Sumire Sakabe, do Hospital Nove de Julho. Os preservativos protegem não só contra o vírus HIV, mas contra hepatite, HPV, gonorreia e outras doenças sexualmente transmissíveis (DSTs). http://blogs.estadao.com.br/jt-cidades/sp-amplia-uso-de-coquetel-do-dia-seguinte-da-aids/

Vacina antidengue pode chegar primeiro ao Brasil

Executivos da empresa Sanofi Pasteur vêm ao País em março para tentar fechar acordo com o governo federal que antecipe a distribuição do imunizante Noventa anos após iniciados os primeiros estudos, a vacina contra a dengue entra na fase final de preparação e o Brasil pode ser o primeiro país a recebê-la. Em março, executivos da empresa francesa Sanofi Pasteur desembarcarão em Brasília para propor ao governo federal um acordo para que o País tenha prioridade na distribuição do imunizante. corrida pelo Brasil não ocorre por acaso. Considerada uma vacina para atacar uma doença comum em países pobres, multinacionais buscam locais onde possam compensar seus investimentos. O Brasil, portanto, seria perfeito: no País a doença é endêmica e, ao contrário da África, possui recursos para a vacina. Os testes da terceira fase do imunizante desenvolvido pela Sanofi serão iniciados neste ano, com 30 mil pessoas. O Brasil fará parte desses testes. Se a eficácia do produto for comprovada, o primeiro pedido de registro e autorização será feito em 2013. Para a Sanofi, a meta é a de ter o produto no mercado mundial já em 2015. "Caminhamos para o controle de mais uma doença. Para alguns países, isso será fundamental", afirmou o vice-presidente da Sanofi, Michael Watson. Prazos menores. No caso do Brasil, a empresa quer negociar prazos menores para permitir que a vacina chegue à população. "O que vamos propor ao Brasil é que, se houver um compromisso político e um processo mais acelerado de aprovação, o produto poderá estar à disposição antes de 2015", disse Jean Lang, vice-presidente de pesquisa e chefe do programa de Dengue. A Sanofi enfrenta um problema: o desenvolvimento de duas vacinas contra a dengue, uma por meio de uma parceria entre a multinacional GSK e a Fiocruz e outra, pelo Instituto Butantã. Por isso, a Sanofi quer propor que seu produto seja usado no Brasil enquanto o País não finalizar sua produção própria. Segundo o Instituto Internacional de Vacinas, a Sanofi tem pelo menos quatro anos de avanço sobre os demais projetos. Em um primeiro momento, nenhuma das empresas terá a capacidade de suprir todo o mercado. Em sua fábrica em Lyon, a Sanofi deve produzir 100 milhões de doses por ano - quantidade suficiente para vacinar apenas o Estado de São Paulo, já que cada pessoa precisa tomar três doses. http://www.estadao.com.br/estadaodehoje/20110222/not_imp682770,0.php

Profissionais de saúde receberão treinamento sobre crack, diz Dilma

presidente Dilma Rousseff disse nesta segunda-feira que os centros regionais de Referência em Crack e Outras Drogas vão capacitar cerca de 15 mil profissionais de saúde nos próximos 12 meses. Os médicos vão receber cursos para atender em unidades básicas de saúde, enquanto outros profissionais devem aprender sobre a desintoxicação em hospitais e clínicas. Para agentes comunitários de saúde, o curso será voltado ao atendimento nas ruas. "Eles vão conhecer as técnicas de tratamento e também as possibilidades de trazer essas pessoas de volta ao convívio social, ao trabalho e aos estudos", afirmou Dilma em seu programa semanal de rádio Café com a Presidenta. Combate ao tráfico Ela lembrou que o objetivo dos 49 centros é oferecer atendimento e acompanhamento aos dependentes químicos e aos familiares. Segundo a presidenta, o governo já realiza 13 estudos clínicos sobre o crack em seis universidades federais. "Nosso plano de enfrentamento ao crack e outras drogas cerca o problema por todos os lados", afirmou Dilma, ao se referir à prevenção, ao tratamento e ao combate ao tráfico, sobretudo nas fronteiras do país. http://www1.folha.uol.com.br/multimidia/podcasts/878694-profissionais-de-saude-receberao-treinamento-sobre-crack-diz-dilma.shtml

Novo dispositivo pode revolucionar controle da pressão arterial


Um dispositivo que pode ser usado como um relógio pode revolucionar a forma como a pressão arterial é controlada nos próximos anos, de acordo com pesquisadores de Cingapura e da Universidade de Leicester desenvolveram um dispositivo para medir a pressão na maior artéria do corpo. A informação foi publicada nesta segunda-feira no site da "BBC News". Evidências mostram que a novidade permite uma leitura muito mais precisa do que o medidor de braço. A tecnologia foi financiada pelo ministério da Saúde do Reino Unido e apoiada pelo secretário de Saúde, Andrew Lansley. O novo dispositivo funciona por meio de um sensor no relógio que grava as onda de pulsação da artéria, que são passadas para um computador junto com a tradicional leitura da pressão arterial do punho. Assim, os cientistas são capazes de ler a pressão da aorta, próxima ao coração. Segundo o professor Bryan Williams, do Departamento de Ciências Cardiovaculares da Universidade de Leicester e do Hospital de Glenfield, "a aorta está a milímetros de distância do coração e perto do cérebro e nós sempre soubemos que a pressão aqui é um pouco menor do que no braço". Ele disse que o aparelho iria "mudar a forma como a pressão arterial é monitorada há mais de um século" e espera que a tecnologia seja utilizada em centros especializados em breve, antes de ser "usada em larga escala" no prazo de cinco anos. "A beleza de tudo isso é que é difícil argumentar contra a tese de que a pressão próxima ao coração e ao cérebro é provavelmente mais relevante para o risco de acidente vascular cerebral e doença cardíaca do que a pressão em seu braço", disse ele. O trabalho de pesquisa foi financiado pelo Departamento de Saúde do Instituto Nacional de Pesquisa em Saúde (NIHR, na sigla em inglês). http://www1.folha.uol.com.br/equilibrioesaude/878871-novo-dispositivo-pode-revolucionar-controle-da-pressao-arterial.shtml

Meninos devem ser vacinados contra HPV, defende especialista

Todos os meninos deveriam ser vacinados contra um vírus sexualmente transmissível, para evitar a disparada dos números de câncer da boca e garganta, sugere uma nova pesquisa. A informação foi publicada nesta segunda-feira no site do jornal britânico "The Telegraph". As taxas de câncer oral --que inclui tumores no lábio, na boca, na língua, na gengiva, na laringe e na faringe-- entre os jovens no Reino Unido dobraram nas últimas três décadas, alimentadas principalmente pela revolução sexual, afirmaram os cientistas. Fumar e beber costumavam ser as principais causas da doença que agora é causada pelo vírus do papiloma humano (HPV), o mesma que causa o câncer cervical nas meninas. Um estudo anterior mostrou que pessoas que fizeram sexo oral com mais de seis parceiros tinham 8,6 vezes mais chance de desenvolver câncer do que aquelas que nunca haviam praticado. Os fumantes tinham apenas três vezes mais chance de ter câncer de garganta e os consumidores de álcool, apenas duas vezes e meia. Agora a situação se tornou tão grave que uma especialista em câncer está pedindo aos governos para considerar seriamente a vacinação em meninos contra o vírus, antes que eles iniciem sua vida sexual. Durante a conferência da Associação Americana para o Avanço da Ciência, realizada em Washington, a líder em pesquisa de HPV Maura Gillison, da Universidade Estadual de Ohio, disse que era hora de considerar a opção. "Quando meus pacientes perguntam se devem vacinar seus filhos, eu respondo 'certamente'. A vacina vai protegê-los contra as verrugas genitais e o câncer anal, e também do câncer oral causado pelo HPV." Mais de 5.000 pessoas contraem câncer oral por ano no Reino Unido, representando cerca de 3% de todos os cânceres. A doença causou cerca de 1.822 mortes no Reino Unido em 2008. http://www1.folha.uol.com.br/equilibrioesaude/878976-meninos-devem-ser-vacinados-contra-hpv-defende-especialista.shtml

Jogos eletrônicos estimulam recuperação de pacientes

O videogame já foi inimigo da saúde, culpado por obesidade, sedentarismo e até por incentivar a violência. Mas alguns hospitais notaram que ele pode ajudar a recuperar desde lesões na medula até transtornos do impulso. Foi o caso de um hospital de Barcelona, na Espanha, que desenvolveu o jogo "Islands", para tratar pessoas com comportamentos compulsivos, como vício em jogos e distúrbios alimentares. Sensores captam as reações fisiológicas do jogador e ele só prossegue se agir com autocontrole diante dos desafios propostos no jogo. No Brasil, a rede Lucy Montoro, ligada à Secretaria Estadual de Direitos da Pessoa com Deficiência de São Paulo, tem uma proposta similar, mas voltada a quem tem problemas motores. Na unidade da Vila Mariana, fisioterapeutas usam jogos como "Wii Fit" "Wii Sports" como complemento da terapia tradicional em pacientes com derrame. Os jogos, para Nintendo Wii, são vendidos para o público geral, mas os médicos notaram que as tarefas exigidas, como se equilibrar e executar posições de ioga, podem ser terapêuticas. ESTÍMULO "No Wii, os pacientes vêm mais interessados em participar da terapia", diz o fisioterapeuta Pedro de Castro. Na unidade do Morumbi, a terapia ocupacional atende 2.000 pacientes por mês, muitos deles com jogos. O "Eye Toy", do Play Station 2, é um deles. A câmera registra a imagem do jogador e a projeta no monitor. Ele mexe os braços para defender o gol ou montar um sanduíche, dependendo do jogo. "Na terapia tradicional, a pessoa passa bolinhas de um lado para o outro dez vezes, fica cansada. No videogame, ela executa as tarefas sem perceber", diz Thaís Terranova, terapeuta ocupacional. Ela afirma, contudo, que os jogos não substituem os métodos tradicionais. Habilidades como as que exigem relaxamento dos músculos ou contato físico entre médico e paciente não são supridas na realidade virtual. Jogos para recuperar funções mentais também têm limitações. O "Brain Age", para Nintendo DS, tem como base o livro "60 Dias para Aumentar o Poder da sua Mente", do neurocientista japonês Ryuta Kawashima. Ele defende que exercícios diários de raciocínio e memória melhoram o desempenho cerebral. Para Sônia Brucki, da Academia Brasileira de Neurologia, só o game não basta. "É necessário diversificar as atividades, socializar e praticar exercícios físicos para fortalecer a atividade cognitiva." GOLEIRO Leandro Simioni, 36, ex-jogador de futebol profissional em times da Alemanha e de Israel, sofreu um acidente de moto no começo de dezembro ficou sem movimentos nas pernas. Antes atacante, ele assumiu o papel de goleiro no videogame. Internado na unidade do Morumbi do Lucy Montoro, ele testou o equipamento Eye Toy na última sexta-feira. Seu objetivo era defender bolas e melhorar a mobilidade do tronco. "Nem percebi que estava na terapia, de tão concentrado nos pontos." http://www1.folha.uol.com.br/equilibrioesaude/878564-jogos-eletronicos-estimulam-recuperacao-de-pacientes.shtml

Anvisa lança vídeo com regras para transporte de órgãos

por Saúde Business Web 15/02/2011 Objetivo é detalhar quais são as regras que devem ser observadas no acondicionamento e armazenamento de órgãos humanos para transplantes A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) disponibilizou nesta terça-feira (14) vídeo que detalha quais são as regras que devem ser observadas no acondicionamento e armazenamento de órgãos humanos para transplantes. O objetivo é difundir entre os profissionais de Saúde as diretrizes da RDC 66/2009, que estabelece as condições sanitárias para esses procedimentos. O material foi produzido durante a oficina do projeto Segurança no Processo de Transporte de Órgãos Humanos da Anvisa, em parceria com o Ministério da Saúde e da Secretaria de Saúde (SES) do Distrito Federal (DF). Para promover a oficina, a Anvisa contou com a participação da Central Nacional de Transplantes, do Ministério da Saúde, e da Central de Notificação, Captação e Distribuição de Órgãos e da Vigilância Sanitária do DF. No encontro, realizado em dezembro do ano passado, os participantes conheceram a experiência do Hospital Albert Einstein e da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). Assista ao vídeo AQUI: http://portal.anvisa.gov.br/wps/wcm/connect/e0c2108045ca2234a3e5f7d7a095f735/GGSTO.wmv?MOD=AJPERES http://www.saudebusinessweb.com.br/noticias/index.asp?cod=75892

Veja a média salarial de profissionais da saúde

por Saúde Business Web 21/02/2011 Auditoria é uma das áreas mais bem remuneradas, segundo pesquisa A Catho Online divulgou a 34ª pesquisa salarial e de benefícios, incluindo profissionais da saúde, com mais de 140 mil respondentes de mais de 18 mil empresas em 3.398 cidades de todo o País. Auditoria é uma das áreas mais bem remuneradas, segundo levantamento. Para a pesquisa, o profissional responde a um formulário eletrônico contendo questões relacionadas ao seu cargo, sua remuneração, benefícios, região onde trabalha, faturamento da empresa, sexo, idade, escolaridade, idiomas, entre outros dados. Confira a lista: ÁREA ESPECÍFICA CARGO MÉDIA SALARIAL BRASIL Auditoria Gerente R$ 8.817 Médico Auditor Sênior (4 horas/dia) R$ 6.140 Médico Auditor Pleno (4 horas/dia) R$ 5.251 Médico Auditor Júnior (4 horas/dia) R$ 4.363 Enfermeiro Auditor Sênior R$ 3.605 Enfermeiro Auditor Pleno R$ 3.035 Enfermeiro Auditor Júnior R$ 2.164
Assistente R$ 1.200 Auxiliar R$ 998 Enfermagem Enfermeiro R$ 3.053 Técnico em Radiologia R$ 1.817 Técnico de imobilização ortopédica R$ 1.773 Técnico de Enfermagem R$ 1.340 Auxiliar R$ 1.117 Farmácia Farmacêutico Técnico Responsável Loja R$ 2.464 Assistente R$ 1.116 Auxiliar R$ 1.015 Fisioterapia Fisioterapeuta R$ 2.087 Terapeuta Ocupacional R$ 1.735 Auxiliar R$ 773 Fonoaudiologia Fonoaudiólogo R$ 1.978 Medicina Cirúrgica Médico (4 horas/dia) R$ 6.963 Médico Anestesista R$ 6.758 Instrumentador Cirúrgico R$ 1.621 Medicina Clínica Coordenador, Supervisor ou Chefe R$ 9.432 Médico (4 horas/dia) R$ 5.889 Técnico R$ 1.493 Auxiliar R$ 865 Nutrição Hospitalar Nutricionista R$ 1.826 Assistente R$ 1.146 Auxiliar R$ 887 Odontologia Dentista Auditor (4 horas/dia) R$ 3.628 Dentista (4 horas/dia) R$ 3.511 Técnico em Prótese Dentária R$ 1.701 Assistente R$ 755 Técnico de Higiene Bucal (THC) R$ 750 Auxiliar R$ 685 Psicologia Clínica/Hospitalar Psicólogo Clínico R$ 2.322 Psicólogo Hospitalar R$ 1.847 http://www.saudebusinessweb.com.br/noticias/index.asp?cod=76043

Não basta investir em tecnologia

por Ana Paula Martins, de Orlando 21/02/2011 Para especialista, modelo de negócio em saúde deve ser revisto para se obter eficiência "É fútil investir em novas tecnologias sem mudar o modelo de negócios". A análise é do médico Jason Hwang realizada durante a conferência da Cisco realizada na manhã desta segunda-feira, 21, no HIMSS 2011. Hwang, co-autor do livro Inovação na Gestão de Saúde, falou sobre o conceito de inovação disruptiva na saúde. Para o especialista, a organização atual do sistema de saúde exige uma revisão do modelo de negócios. "São investidos bilhões de dólares em tecnologia da informação, mas não se muda o modelo de negócio, e com isso, não se aproveita o que a tecnologia pode oferecer", analisou. Na visão de Hwang, a organização dos serviços precisa ser revista, com a adoção de foco em serviços especializados e integração das tecnologias disponíveis em toca cadeia de saúde: ERP, Prontuário Eletrônico, soluções de telemedicina, dispositivos de uso pessoal, como monitores de glicemia, entre outros. "A competição disruptiva que leva a descentralizando dos serviços é que reduzirá os custos da saúde", destacou. http://www.saudebusinessweb.com.br/noticias/index.asp?cod=76072