Aplicativos, carreira, concursos, downloads, enfermagem, farmácia hospitalar, farmácia pública, história, humor, legislação, logística, medicina, novos medicamentos, novas tecnologias na área da saúde e muito mais!


sexta-feira, 6 de março de 2015

Dia Internacional da Mulher: Exames importantes para a vida delas

Cuidados preventivos são a melhor forma de manter a saúde em dia. Por isso, visitar um ginecologista pelo menos uma vez por ano deve fazer parte da rotina de toda mulher depois da primeira menstruação
 
Além da consulta periódica com o especialista, adotar hábitos saudáveis e manter os exames em dia desde a primeira relação sexual até o período da pós-menopausa é fundamental para proteger a saúde. No Dia Internacional da Mulher, celebrado em 8 de março, saiba quais são os principais exames que toda mulher deve fazer.
 
Exames de rotina
Há alguns exames de rotina que devem marcar presença durante toda a vida da mulher: glicemia; colesterol total e suas frações; triglicerídeos; creatina (avaliação da função renal); TGO e TGP (avaliação da função hepática); hemograma e exame de urina. Independentemente da idade, todos os especialistas reforçam que a consulta rotineira ao ginecologista é fundamental.
 
Principais exames que devem ser realizados depois dos 30 anos
Doenças relacionadas ao aparelho genital feminino ainda são o foco em mulheres com idade entre 30 e 40 anos. Portanto, colpocitologia oncótica, colposcopia e ultrassonografia devem ser mantidos na rotina. O rastreamento do câncer de mama, com exame clínico e mamografia, também pode ser necessário em mulheres com histórico na família. “Mulheres com parentes de primeiro grau que tiveram a doença antes dos 50 anos ou que tiveram câncer bilateral de mama ou ovário em qualquer idade já devem começar com os exames nessa fase”, orienta Fernanda Philadelpho.
 
Além desses cuidados, alguns profissionais recomendam atenção especial à tireoide, glândula na região do pescoço que produz hormônios importantes para a saúde feminina. A ocorrência do câncer de tireoide é 30% maior em mulheres do que em homens, por esse motivo, recomendamos que as mulheres fiquem atentas ao surgimento de nódulos no pescoço, em especial aquelas que apresentam casos da doença na família.
 
Cuidado com o câncer de mama!
A partir dos 40 anos, os cuidados se voltam para o câncer de mama, muito comum nessa fase. “Os 40 anos são um marco, pois, nessa idade, a mamografia passa a fazer parte do checkup feminino”, afirma a médica. Também é importante acrescentar uma avaliação cardiológica nessa fase, já que ocorrem alterações hormonais que podem aumentar o risco de doenças cardiovasculares. O hipotireoidismo pode afetar, com mais frequência, as mulheres após os 40, portanto, uma análise dos hormônios tireoidianos deve ser realizada, associado ao ultrassom de tireoide.
 
Atenção redobrada na menopausa
Com a chegada da menopausa, aumentam as chances de a osteoporose se instalar – e a densitometria óssea se torna ainda mais importante –, bem como o risco de desenvolver doenças cardíacas. Por isso, também é preciso cuidado redobrado com o coração. Nessa fase, as chances de um câncer se reproduzir passam a ser maiores; os cânceres de mama, cólon e colo uterino são os mais comuns.
 
Exames que devem ser realizados após os 60 anos
Cuidados com a osteoporose devem ser intensificados após os 60 anos, com a realização periódica da densitometria óssea. Além disso, a ida ao cardiologista para a prevenção da hipertensão arterial e de doenças do coração deve ser uma regra. Os demais exames, como dosagem do colesterol, glicemia, cálcio e hemograma, também não podem deixar de ser realizados.
 
Priscila Pais
Assessoria de Impresna