Aplicativos, carreira, concursos, downloads, enfermagem, farmácia hospitalar, farmácia pública, história, humor, legislação, logística, medicina, novos medicamentos, novas tecnologias na área da saúde e muito mais!


sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

Dieta rica em gordura pode reduzir número de espermatozoides em 40%

Análise foi feita em homens jovens que não buscam tratamento de fertilidade
 
Uma dieta rica em gorduras saturadas não só aumenta o risco de doenças cardíacas, como também pode diminuir a contagem de espermatozoides em homens, de acordo com estudo.
 
Pesquisadores dinamarqueses fizeram uma pesquisa com homens jovens e saudáveis que não buscavam tratamento de fertilidade.
 
Eles descobriram que aqueles que consumiram mais gordura tiveram uma redução de 38% dos espermatozoides (45 milhões por mm) e 41% da contagem do esperma (128 milhões), de acordo com o site Daily Mail.
 
Já os participantes que comeram menos gordura tiveram uma concentração de espermatozoides em torno de 50 milhões por mm e 163 milhões da contagem do esperma.
 
A autora do estudo, Tina Jensen, explicou à Reuters que essa análise reforça a tese de outras pesquisas que têm relacionado a ingestão de gordura saturada a problemas graves de saúde.
 
Outro estudo
Em 2011, pesquisadores brasileiros concluíram que a ingestão de grãos, como trigo, aveia, cevada, está associado à maior concentração de espermatozoides e à capacidade de movimento, assim como as frutas foram associadas ao aumento da velocidade e à agilidade do esperma.
 
Fonte R7

Negligência da mãe pode afetar cérebro do bebê

Maneira como a mãe trata o filho recém-nascido pode ser determinante para o bom funcionamento do cérebro
 
A maneira como a mãe trata o filho recém-nascido pode ser determinante para o bom funcionamento de seu cérebro. Quem garante é uma pesquisa realizada pela Universidade da Califórnia em Los Angeles (UCLA).
 
Os cientistas estudaram os cérebros de duas crianças de três anos de idade, uma bem tratada pela mãe, outra negligenciada. Enquanto a primeira teve o cérebro com crescimento normal, a que sofreu maus tratos apresentou um cérebro menor e com pontos escuros, que indicam menor desenvolvimento.
 
Como 80% das células cerebrais se desenvolvem até os dois anos de idade, se a criança tiver o processo de formações de conexões (sinapses) não tiver o devido estimulo, o déficit cerebral poderá ser permanente, afetando a inteligência do bebê.
 
Esta criança também poderá se tornar um adulto com propensão ao vício de drogas, a ter problemas mentais e de saúde. A descoberta pode vir a explicar, por exemplo, por que algumas gerações de famílias tendem a enfrentar um ciclo difícil de quebrar de falta de escolaridade, desemprego persistente, pobreza, vícios como o de álcool e drogas, assim como o envolvimento em crimes.
 
Fonte R7

Saiba quando uma mania passa a ser transtorno psicológico

Muitas das pessoas que sofrem de transtorno obsessivo compulsivo não acreditam ter a doença
 
De cada 100 pessoas, ao menos três têm TOC (Transtorno Obsessivo Compulsivo). O que parece ser uma simples mania pode atingir níveis extremos e começar a atrapalhar a vida em sociedade.
 
Muitos daqueles que possuem TOC, no entanto, não acreditam que atitudes extremas possam comprometer a vida social ou mesmo que se trate de uma doença.
 
O TOC (Transtorno Obsessivo Compulsivo), que pode paralisar a vida do doente, deve ser tratado com ajuda médica e psicológica.
 
Saiba como diferenciar uma atitude rotineira de uma doença psicológica:
 
Fonte R7

Cuidado com a saúde após as enchentes deve ser redobrado

A água e os alimentos contaminados, além do acúmulo de lixo, favorecem o surgimento de doenças
 
As chuvas no verão são uma constante. Porto Alegre, por exemplo, sofreu com aguaceiro que desabou na noite de segunda-feira — cerca de 65mm, o que equivalente a 65% da média do mês da janeiro na cidade. Após o recuo das águas, a população deve ficar alerta para risco de contaminação e proliferação de doenças.
 
A maioria delas ocorre devido ao consumo de água contaminada ou ao seu contato com a pele. O acúmulo de lixo favorece a proliferação de animais e insetos causadores de doenças, como ratos, baratas e mosquitos.
 
Para evitar a ocorrência de surtos neste período, são recomendados alguns cuidados básicos para população que vive em locais afetados por enchentes:
 
- Retirar a sujeira deixada pela enchente (antes de começar a limpeza, colocar equipamentos de proteção, tais como, calça comprida, botas e luvas, para evitar o contato da pele com a água contaminada) e realize a limpeza do local com água, sabão e água sanitária para a desinfecção
 
- Lavar as mãos
 
- Sempre filtrar e ferver a água antes do consumo ou filtre e misture com hipoclorito de sódio. Em ocasiões de crise, a Defesa Civil recebe doações de água mineral, que deve ser usada pela população para beber, lavar os alimentos e cozinhar
 
- Alimentos que tiveram contato direto com a enchente não devem ser consumidos. Os alimentos com embalagens abertas e que entraram em contato com a água, também devem ser descartados
 
- Para evitar a presença de ratos, mantenha os alimentos bem guardados, em recipientes bem fechados e distantes do chão; conserve a cozinha limpa e sem restos de alimentos; retire as sobras de alimentos ou ração dos animais domésticos antes de anoitecer; evite o acúmulo de objetos sem uso no quintal ou dentro da cozinha e guarde o lixo em sacos plásticos bem fechados e em locais altos até a coleta ocorrer
 
- Para evitar o tétano acidental, a melhor e mais segura forma de prevenção é a vacinação, disponível nos postos de saúde. Proteja pernas, pés, braços e mãos quando for manusear resíduos sólidos. Caso não lembre se foi vacinado, procure o serviço de saúde mais próximo e vacine-se
 
- Para evitar acidentes com serpentes, aranhas e escorpiões, entre com cuidado em casa e bata colchões, sofás, roupas, sapatos, toalhas e lençóis. Caso encontre algum animal peçonhento, entre em contato com o Centro de Controle de Zoonoses ou o corpo de bombeiros
 
- Realize a limpeza da caixa d’água
 
- Filtrar e ferver a água por três minutos antes de ser consumida
 
Fonte Agência Saúde

Pesquisa liga bebidas diet a maior risco de depressão

Uma pesquisa realizada nos Estados Unidos sugere uma possível ligação entre o consumo de bebidas diet e a depressão.
 
O estudo, realizado com 250 mil pessoas, verificou que pessoas que consumiam quatro latas ou copos de refrigerantes ou sucos dietéticos por dia aumentavam o risco de depressão em até um terço.
 
O estudo também analisou o efeito do consumo diário de café e verificou que os consumidores contumazes da bebida tendem a sofrer menos de depressão. Segundo os pesquisadores, as pessoas que bebiam quatro copos de café por dia tiveram 10% menos chance de serem diagnosticados com depressão ao longo dos 10 anos do estudo do que aqueles que não bebiam café.
 
— Nosso estudo sugere que cortar ou reduzir o consumo de bebidas com adoçante ou trocá-las por café não adoçado pode reduzir naturalmente seu risco à depressão — afirma o coordenador da pesquisa, Honglei Chen, do Instituto Nacional de Saúde da Carolina do Norte.
 
Apresentada na reunião anual da Academia Americana de Neurologia, a pesquisa não indicou, no entanto, a causa dessa ligação. Os pesquisadores advertem ainda que os resultados se aplicam aos objetos do estudo — pessoas acima de 50 anos vivendo nos Estados Unidos —, mas podem não ser repetidos em outras amostras.
 
O resultado foi contestado pela Associação Dietética Britânica. Segundo a nutricionista Gaynor Russell, porta-voz da organização, ele não significa necessariamente que adoçantes provocam depressão.
 
— Para começar, as pessoas que sofrem de depressão podem se ligar mais à ideia de que suas bebidas adoçadas provocam o problema e então adicionar uma inclinação em seus relatos de consumo passado, especialmente porque os refrigerantes nos Estados Unidos são muito demonizados. Além disso, pode ser que o consumo de bebidas dietéticas esteja ligado à obesidade e ao diabetes, o que podem ser em si mesmos causas para a depressão — argumenta.
 
Russel defendeu ainda que os adoçantes não caloríficos têm um papel importante em dietas para as pessoas que tentam perder peso ou que têm diabetes, "e certamente não é recomendável que elas substituam suas bebidas dietéticas por mais café". Ela afirma que a segurança dos adoçantes, como o aspartame, já foi extensivamente estudada por pesquisadores e é certificada por agências reguladoras.
 
Fonte Blog do Vida

Estudo sobre insulina pode pôr fim às injeções

Milhões de pacientes podem,  esperar uma importante
melhoria de sua qualidade de vida graças ao fim das
injeções diárias de insulina
Descoberta pode ser utilizada na elaboração de novo tratamentos
 
Pesquisadores conseguiram decifrar o mecanismo de fixação da insulina em seu receptor celular, comparado a "um aperto de mãos molecular", uma descoberta que pode ser crucial para milhões de diabéticos em todo o mundo. Os trabalhos, publicados nesta quinta-feira na revista Nature, permitem conhecer melhor o funcionamento da insulina, hormônio que retém o açúcar do sangue para metabolizá-lo e transformar em energia.
 
Ao estabelecer um modelo do hormônio fixado em seu receptor (uma proteína) graças a um acelerador de partículas, "mostramos que a insulina e seu receptor se modificam graças a uma interação", destacou Mike Lawrence, professor associado do Walter and Eliza Hall Institute de Melbourne.
 
— Um fragmento de insulina se desloca e as partes fundamentais do receptor vão ao encontro do hormônio da insulina. Isso pode ser chamado "um aperto de mãos molecular" — explicou.
 
Seu laboratório fez esta descoberta em associação com a Case Western Reserve, da Universidade de Cleveland (Ohio), com a Universidade de Chicago, a Universidade de York (Grã-Bretanha) e o Instituto de Química Orgânica e Bioquímica de Praga.
 
— Agora podemos utilizar esses conhecimentos para elaborar novos tratamentos com insulina mais eficazes — acrescentou Lawrence.
 
Milhões de pacientes podem, por exemplo, esperar uma importante melhoria de sua qualidade de vida graças ao fim das injeções diárias de insulina.
 
A destruição de células beta produtoras de insulina leva à diabetes de tipo 1, enquanto problemas em seu funcionamento provocam a forma mais corrente da doença, a diabetes de tipo 2 (DT2). A diabetes DT2 afeta mais de 300 milhões de pessoas em todo o mundo. Este número poderá ser duplicado nos próximos anos devido à epidemia de obesidade e a vida sedentária acompanhada de alimentação rica em gordura e açúcar. Alguns fatores genéticos também favorecem o aparecimento da doença.
 
— Nós ainda não temos um tratamento para a diabetes, mas descobertas como a da fixação da insulina nos dão esperança de estarmos mais próximos — declarou Nicola Stokes, do Conselho Australiano de Diabetes.
 
A diabetes é uma doença silenciosa: quando aparecem os sinais (sede, necessidade frequente de urinar, taxa de açúcar no sangue muito elevada), é porque a doença já evolui há muitos anos. Durante esse período, a deterioração dos órgãos já começou.
 
A diabetes, muitas vezes associada à hipertensão e a taxas de colesterol altas, expõe a um risco maior de infarto cardíaco e de acidentes vasculares encefálicos. A doença pode também obrigar o paciente a fazer hemodiálise, levar à amputações e à cegueira.
 
Fonte AFP

Conheça sete doenças que podem atrapalhar suas férias e veja como preveni-las

A insolação é uma das mais comuns doenças de verão
As altas temperaturas do verão criam condições para algumas enfermidades
 
O calor do verão é esperado especialmente por quem está na praia, mas também é por causa dele que muitas doenças podem aparecer. Veja quais são as principais e como preveni-las:
 
Insolação: é uma das mais comuns doenças de verão. A longa exposição ao sol pode causar desidratação e queimaduras, além de sintomas como dor de cabeça, náuseas, tontura, temperatura elevada do corpo e queimaduras que podem ser de pele vermelha a bolhas. Evitar não é tão difícil. Basta não tomar sol entre as 10 e 15 horas e sempre usar filtro solar.
 
Micoses: no verão, transpiramos muito mais que nas outras estações e, consequentemente, temos um contato maior com a água. A pele úmida é um hotel cinco estrelas para microorganismos que normalmente são adquiridos em diversos locais como piscinas e praias. A doença inicia-se com uma irritação e coceira que causam vermelhidão no local, geralmente na virilha, pés e unhas. Ao perceber a micose, deve-se procurar um clinico geral ou dermatologista, pois esta é uma doença facilmente confundida com outras. A automedicação nunca é aconselhada.
 
Desidratação: entende-se por desidratação uma grande perda de líquidos e sais minerais do corpo. Uma pessoa perde em média 2,5 litros de água por dia, seja por suor, urina ou fezes. Com o alto calor do verão, estas eliminações são potencializadas e outras formas de evasão da água são criadas, como o vômito. Quando desidratado, o corpo apresenta sede, boca e olhos ressecados e urina desregulada. A saída é o repouso em lugares arejados e ingerir líquidos constantemente para que se mantenha hidratado.
 
Otite: as tubas auditivas também sofrem com o calor. Ao se refrescar no mar ou em piscinas, a água pode entrar e entupir o ouvido, o que pode predispor a inflamação e infecção nas orelhas ou otite. Por ser quente, escuro e úmido, as orelhas se inflamam com facilidade e infecções causadas por fungos podem ser freqüentes.
 
Conjuntivite: quem contrai a doença fica com os olhos avermelhados e lacrimejantes, além ter uma sensação estranha que os faz coçar muito. É uma doença comum do verão, pois normalmente é adquirida em piscinas não tratadas devidamente e praias impróprias para o banho. A conjuntivite é de facílima transmissão, por meio do contato manual. Por isso, quando contaminado, recomenda-se não se ter contato.
 
Intoxicação alimentar: durante as férias, principalmente as de verão, as pessoas estão acostumadas a comer em clubes, barraquinhas de praia e em outros lugares que não possuem o melhor da higiene no preparo e conservação dos alimentos. Os frutos do mar são os principais responsáveis pela intoxicação alimentar. Podem ser simples e curadas em apenas um dia com reidratação, mas também gravíssimas ao ponto da fatalidade quando existirem complicações associadas.
 
Brotoejas: brotoejas ou miliárias são as chamadas bolinhas de água que causam vermelhidão e coceira no rosto, pescoço, ombro, barriga ou peito em crianças e adultos durante o verão, Elas estão diretamente relacionadas com a atuação das glândulas sudoríparas, que são muito exigidas durante o verão por causa do excessivo calor e transpiração. A prevenção consta em evitar ambientes e banhos muito quentes.
 
Fonte: Médico Nei Marinho
 
Por Zero Hora

Metade da comida do mundo vai parar no lixo, diz relatório

De acordo com o relatório, o equivalente a entre 30% e 50%
dos alimentos produzidos no mundo por ano, ou seja, entre
1,2 bilhão e 2 bilhões de toneladas, nunca são ingeridos
Um relatório de uma organização britânica indica que até metade de toda a comida produzida a cada ano no mundo, cerca de dois bilhões de toneladas, vão parar no lixo.
 
O documento, intitulado "Global Food; Waste not, Want not" ("Alimentos Globais; Não Desperdice, Não Queira", em tradução livre), diz que o desperdício está ocorrendo devido a uma série de motivos, entre eles as condições inadequadas de armazenamento e a adoção de prazos de validade demasiadamente rigorosos.
 
Outro problema é a preferência dos consumidores por alimentos com um formato ou cor específicos. O estudo diz que até 30% das frutas, verduras e legumes plantados na Grã-Bretanha sequer são colhidos por causa de sua aparência.
 
O desperdício de alimentos também implica em desperdício de recursos usados para a produção deles, como água, áreas para agricultura e energia, alertou o relatório publicado pela Institution of Mechanical Engineers, uma organização que representa engenheiros mecânicos e reúne cem mil membros no Reino Unido.
 
Ofertas nos supermercados
A ONU prevê que até 2075 a população mundial chegue a 9,5 bilhões de pessoas, um acréscimo de 3 bilhões em relação à população atual, o que reforça a necessidade de se adotar uma estratégia para combater o desperdício de alimentos e, assim, tentar evitar o aumento da fome no mundo.
 
De acordo com o relatório, o equivalente a entre 30% e 50% dos alimentos produzidos no mundo por ano, ou seja, entre 1,2 bilhão e 2 bilhões de toneladas, nunca são ingeridos.
 
Além disso, nos Estados Unidos e na Europa, metade da comida que é comprada acaba sendo jogada fora.
 
Tim Fox, diretor de Energia e Meio Ambiente da Institution of Mechanical Engineers, disse que o desperdício é "assombroso". "Isto é comida que poderia ser usada para alimentar a crescente população mundial além de aqueles que atualmente passam fome."
 
"As razões desta situação variam das técnicas insatisfatórias de engenharia e agricultura à infraestrutura inadequada de transporte e armazenamento, passando pela exigência feita pelos supermercados de que os produtos sejam visualmente perfeitos e pelas promoções de 'compre um, leve outro grátis', que incentivam os consumidores a levar para casa mais do que precisam", disse.
 
Água
O relatório alertou que atualmente 550 bilhões de metros cúbicos de água estão sendo desperdiçados na produção de alimentos que vão para o lixo.
 
E o problema pode se agravar. Segundo a Institution of Mechanical Engineers, o consumo de água no mundo chegará a até 13 trilhões de metros cúbicos por ano em 2050 devido ao crescimento da demanda para produção de alimentos.
 
Isso representa até 3,5 vezes o total de água consumido atualmente pela humanidade e gera o temor de mais escassez do recurso no futuro.
 
O alto consumo de carne tem grande influência nesse aumento de demanda, visto que a produção de carne exige mais água do que a produção de alimentos vegetais.
 
"À medida que água, terra e energia passam a ser mais disputados devido à demanda da humanidade, os engenheiros tem um papel crucial a desempenhar no sentido de prevenir a perda e o desperdício de alimentos, desenvolvendo formas mais eficientes de produção, transporte e armazenamento", disse Fox.
 
Fonte Folhaonline

Vacina contra HPV passa a ser indicada para câncer anal

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) aprovou uma nova indicação para a vacina contra o HPV (papilomavírus humano).
 
Agora, além de indicada para prevenir câncer do colo do útero em mulheres e verrugas genitais em homens, a mesma vacina passa a valer no combate ao câncer anal, para ambos os sexos.
 
A idade em que a imunização deve ser feita continua a mesma --de 9 a 26 anos--, para que a prevenção seja feita antes do contato com o vírus.
 
Por enquanto, a vacina contra HPV não faz parte do programa nacional de imunização e está disponível em clínicas particulares.
 
 Municípios como Taboão da Serra (SP) e Campos (RJ) já anunciaram a oferta da vacina.
 
Editoria de Arte/Folhapress
 
A aprovação da nova indicação foi baseada em um estudo publicado no "New England Journal of Medicine", que mostrou que a vacina diminuiu em 77% as lesões causadas pelos tipos de HPV cobertos na vacina quadrivalente (6, 11, 16 e 18) e em 55% as lesões associadas a outros 14 tipos de HPV.
 
Os 602 voluntários do estudo eram homens mais suscetíveis a desenvolver o câncer anal por praticarem sexo com outros homens.
 
Mas, segundo a pesquisadora Luisa Villa Lina, professora da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo e uma das maiores especialistas em HPV no país, a ampliação da indicação para homens e mulheres em geral foi feita porque entende-se que o benefício pode ser extrapolado.
 
"A frequência de câncer anal é maior em mulheres e em homens que fazem sexo com homens, mas a doença também acomete héteros e quem nunca fez sexo anal."

Isso porque o HPV é altamente transmissível e pode ser transferido na relação sexual com a mulher ou pela manipulação com os dedos.
 
Grupos de maior risco, porém, poderão ter a indicação reforçada por seus médicos, como pacientes com HIV.
 
Fabio Atui, médico responsável pelo ambulatório de proctologia e DST/Aids do Hospital das Clínicas da USP, diz acreditar que a vacina poderá diminuir a incidência do câncer anal no futuro e ser uma arma a mais para a prevenção, principalmente quando o tabu ou o desconhecimento impedem que as pessoas de alto risco façam o diagnóstico precoce das lesões causadas pelo HPV.
 
Raro
O câncer de ânus é raro (1,5 caso em 100 mil pessoas), mas, nos últimos anos, a incidência do tumor cresceu 1,5 vez entre os homens e triplicou entre as mulheres, segundo artigo da "Revista Femina", da Febrasgo (Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia).
 
Uma explicação é o fato de mulheres com infecção cervical pelo HPV terem um risco três vezes maior de infecção anal simultânea, segundo estudo feito no Havaí.
 
Cerca de 80% da população sexualmente ativa já teve contato com o HPV. Nem todos, porém, desenvolverão verrugas genitais ou câncer.
 
Fonte Folhaonline

EUA reduzem dose indicada de sonífero para mulheres

As doses de soníferos com o princípio ativo zolpidem (Stilnox) para mulheres devem ser cortadas pela metade, segundo uma nova recomendação da FDA (agência americana que regula remédios e alimentos).
 
Segundo a agência, estudos mostraram que esses remédios deixam as mulheres sonolentas de manhã, porque elas eliminam o medicamento de forma mais lenta que os homens. Isso aumenta o risco de acidentes de carro. A redução da dose visa reduzir os níveis do medicamento ainda em circulação pela manhã.
 
A dose indicada na bula hoje para adultos é de 10 mg. Segundo a FDA, mulheres devem tomar 5 mg. Quem usa o remédio deve consultar o médico antes de mudar a dose. Homens também podem debater com o médico a possibilidade de doses menores.
 
Relatos de efeitos colaterais após o uso de soníferos, como perda de memória, já circulam há anos, e alguns médicos dizem que a FDA demorou para agir.
 
A filial brasileira da Sanofi, fabricante do Stilnox, afirma não ter informações sobre a decisão da agência.
 
Fonte Folhaonline

Processo de avaliação da ANS não é 'justo', diz entidade

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) proibiu 28 operadoras de comercializar 225 planos de saúde até março de 2013. A medida, que começa a valer a partir de segunda-feira, é uma punição pela demora na marcação de consultas, exames e cirurgias. Além do bloqueio de vendas, a ANS determinou o regime de direção técnica, uma espécie de administração monitorada oficialmente, para 16 empresas do grupo consideradas reincidentes.

O 1,9 milhão de pessoas atendidas pelos planos e operadoras penalizadas, o equivalente a 4% do mercado, não sofrerão nenhum reflexo com a medida. "Como das outras vezes, o atendimento está assegurado", garantiu o ministro da Saúde, Alexandre Padilha. A Associação Brasileira de Medicina de Grupo (Abramge) reagiu diante das punições. Em nota, afirmou que o processo de avaliação da ANS não é "justo nem adequado" e que seus associados vão discutir as medidas que serão adotadas a partir de agora.
 
A ANS passou a avaliar empresas em dezembro de 2011, quando entrou em vigor uma resolução fixando prazos máximos para atendimento de usuários de planos de saúde. Desde então, quatro avaliações foram feitas. No entanto, esta foi a primeira vez que a punição do regime de direção técnica foi usada. A medida foi aplicada para operadoras que estiveram presentes em todas as listas das campeãs de reclamação de 2012.
 
Decisão
A Unimed Paulistana é uma das empresas que tiveram o regime de direção técnica decretado. Em nota, a empresa informou ter recebido com surpresa, mas com naturalidade, a decisão e que esforços para melhorar o atendimento são contínuos.
 
Empresas sob regime de direção técnica passarão a ser acompanhadas de perto por um diretor nomeado pela ANS. Caso as metas não sejam cumpridas num prazo de seis meses, medidas mais severas podem ser adotadas, de intervenção à liquidação da empresa.
 
As outras 12 operadoras que tiveram a venda de planos bloqueada terão de assinar um termo de compromisso, com metas e prazos para melhorar a forma do atendimento.
 
Em outubro, 38 operadoras tiveram planos suspensos. Desse total, 18 melhoraram os resultados e voltarão a comercializar os produtos. Um desempenho, na avaliação do diretor da ANS, André Longo, adequado. A lista divulgada nesta quinta-feira, 10, é fruto de avaliação feita entre setembro e dezembro. No período, a ANS recebeu 13,6 mil reclamações de beneficiários pelo não cumprimento dos prazos máximos.
 
Critério
A partir da próxima lista, o critério será alterado. Além do descumprimento de prazo para marcação de consulta, exames e internações, serão consideradas também as taxas de reclamação por recusa de atendimento ou de reembolso - que hoje representam 60% de todas as queixas registradas na ANS. "Nosso objetivo é a qualidade assistencial como um todo", disse Longo.
 
A diretora de atendimento do Procon-São Paulo, Selma do Amaral, considerou alto o número de empresas que passam agora por direção técnica. Ela constata que, quando operadoras tomam medidas simples para melhorar o atendimento, os reflexos nos índices de reclamação são de curto prazo. "O fato de operadoras aparecerem mais de duas vezes na lista dos campeões em queixa mostra duas coisas: ou as empresas não estão adotando as medidas adequadas ou elas não dispõem de estrutura para tal", completou.
 
Selma classifica como salutar o acompanhamento que passou a ser feito pela ANS, principalmente agora, com a ampliação dos critérios. "Havia tempos a agência vinha sendo pressionada por outras entidades para adotar medidas mais severas diante das falhas de assistência", avaliou. "O mercado não podia continuar como estava, apenas com aplicação de multas ou medidas esparsas", completou. Ela observa, no entanto, que o mercado, dentro de um curto espaço de tempo, terá de ser reajustado. "Há uma grande probabilidade que parte das empresas não tenham de fato condições de atuar no mercado."

Fonte Estadão

ANS suspende venda de 225 planos de saúde

Brasília – A partir da próxima segunda-feira (14), 225 planos de saúde administrados por 28 operadoras estarão proibidos de ser comercializados em todo o Brasil. De acordo com a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), a decisão foi tomada em razão do descumprimento dos prazos máximos fixados para marcação de consulta, exames e cirurgias.
 
A venda dos planos ficará suspensa até março, podendo ser prorrogada em caso de reincidência. Desde dezembro de 2011, quando foi iniciado o monitoramento, 16 operadoras não vem cumprindo, de forma reincidente, os critérios estabelecidos pelo governo e serão indicadas para a abertura de processo para que corrijam as anormalidades.
 
As outras 12 operadoras suspensas e não reincidentes deverão assinar um termo de compromisso visando à redução do número de reclamações. De acordo com o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, isso significa que elas vão ter que adequar a rede de prestadores e os serviços de relacionamento e atendimento ao cliente.
 
“Para quem tem um plano de saúde que a partir de 14 de janeiro terá a venda suspensa, todos os direitos continuam valendo. O que está suspensa é a incorporação de novos clientes”, explicou o ministro. “É muito importante que a população continue participando do monitoramento”, completou.
 
As operadoras que não cumprem os prazos máximos de atendimento estão sujeitas a multas de R$ 80 mil a R$ 100 mil para situações de urgência e emergência. Em casos de reincidência, elas podem sofrer medidas administrativas como a suspensão da comercialização de parte ou da totalidade de seus planos e a decretação de regime especial de direção técnica, com o afastamento dos dirigentes.
 
O balanço divulgado hoje indica ainda que, das 38 operadoras que tiveram planos suspensos em outubro do ano passado, 18 melhoraram os resultados e vão poder voltar a comercializar um total de 45 planos de saúde. A lista completa de operadoras e planos de saúde suspensos pode ser acessada no site da ANS.
 

vermelho Novos planos com comercialização suspensa.
preto Planos que permanecem com a comercialização suspensa.
 
Operadora e nº de registro na ANS
Planos de saúde com comercialização suspensa
Nº de registro na ANS e nome do plano de saúde
ADMEDICO ADMINISTRAÇÃO DE SERVIÇOS MÉDICOS A EMPRESA LTDA - 384003
413491995 - ADMEDICO I A H ENF
413492993 - ADMEDICO I A H O ENF
413495998 - ADMEDICO I A H APT
413500998 - EMP MENS AMB HOSP ENF
413504991 - EMP MENS AMB HOSP APTO
459845098 - I A H COPART ENF
413496996 - ADMEDICO I A H O APT
413505999 - EMP MENS AMB HOSP OBST APTO
459844090 - I A H COPART APT
459847094 - EMP COPART AMB HOSP ENF
CLINIPAM CLÍNICA PANARAENSE DE ASSIST. MÉDICA LTDA - 340782
404382991 - ESPECIAL
419529999 - HOSPITALAR EMPRESARIAL
441700033 - PLANO PERFEITO HOSPITALAR
COOPERATIVA DE TRABALHO MÉDICO DE SÃO LUÍS LTDA - UNIMED DE SÃO LUÍS - 338559
408631997 - UNIVIDA BÁSICO INDIVIDUAL AMBULAT+HOSPITALAR C/OBSTETRÍCIA
408635990 - UNIVIDA BÁSICO INDIVIDUAL AMBULAT+HOSPITALAR S/OBSTETRÍCIA
408636998 - UNIVIDA BÁSICO EMPRESARIAL AMBULAT+HOSPITALAR S/OBSTETRÍCIA
408637996 - UNIVIDA ESPECIAL INDIVIDUAL AMBULAT+HOSPITALAR S/OBSTETRÍCIA
CRUSAM CRUZEIRO DO SUL SERVIÇO DE ASSISTÊNCIA MÉDICA SA - 324698
455103066 - CRUZEIRO DO SUL - COLETIVO EMPRESARIAL SPECIAL STANDARD
45107069 - CRUZEIRO DO SUL - COLETIVO POR ADESÃO SPECIAL STANDARD
455111067 - CRUZEIRO DO SUL - SPECIAL PRATA
ESMALE ASSISTÊNCIA INTERNACIONAL DE SAÚDE LTDA - 395480
462396107 - PREMIUM
462395109 - PREMIUM
EXCELSIOR MED S/A - 411051
436394019 - EXPRESS ODONTO I
436395017 - EXPRESS ODONTO II
436396015 - EXPRESS ODONTO III
436397013 - EXPRESS ODONTO IV
436400017 - EXTRA ODONTO III
436401015 - EXTRA ODONTO IV
436403011 - EXPRESS ODONTO COMPULSÓRIO I
454975069 - EXPRESS AL ENFERMARIA COM PARTO
457565082 - EXPRESS PB ENF SEM PARTO
454976067 - EXPRESS AL ENFERMARIA SEM PARTO
454977065 - EXTRA AL APARTAMENTO COM PARTO
454978063 - EXTRA AL APARTAMENTO SEM PARTO
457569085 - EXTRA PB APARTAMENTO SEM PARTO
457570089 - EXTRA PB APARTAMENTO COM PARTO
GREEN LINE SISTEMA DE SAÚDE S.A - 325074
400307991 - STANDARD GLOBAL
400308990 - SPECIAL GLOBAL
400309998 - EXECUTIVE GLOBAL
400319995 - STANDARD GLOBAL
400320999 - SPECIAL GLOBAL
432843004 - PLANO REFERÊNCIA STANDARD PME
432844002 - PLANO REFERÊNCIA SPECIAL PME
432845001 - PLANO EXECUTIVE - PME
434527014 - STANDARD GLOBAL - CA
434528012 - SPECIAL GLOBAL - CA
436875014 - SELECT GLOBAL
440839030 - IDEAL
443022031 - IDEAL 200
444361036 - SPECIAL PREMIUM
444362034 - SPECIAL PREMIUM CA
444364031 - SPECIAL PREMIUM PME
445187032 - IDEAL MAXI EMPRESARIAL APARTAMENTO
451309046 - ESPECIAL I PME
451310040 - ESPECIAL II PME
451311048 - VIP OURO I PME
459534093 - CLASSIC
459535091 - STYLE
459538096 - EXCELLENCE
459554098 - CLASSIC CE
459555096 - STYLE CE
460243099 - CLASSIC CE PME
436541011 - PLANO ODONTOLÓGICO
451308048 - EXCLUSIVO PME
455079060 - IDEAL ENFERMARIA
464619113 - CLASSIC CE COP
445186034 - IDEAL MAXI EMPRESARIAL ENFERMARIA
400431991 - PLANO STANDARD GLOBAL
404510996 - ESPECIAL
443024037 - IDEAL EMPRESARIAL APARTAMENTO
445184038 - IDEAL 300
459536090 - PRIME
459537098 - MASTER
459544091 - CLASSIC - CA
460240094 - PRIME CE - PME
460241092 - EXCELLENCE CE-PME
460244097 - STYLE CE-PME
HBC SAÚDE S/C LTDA - 414352
439283023 - PRIME RE
441402031 - MASTER RE
461130096 - ALFA
461134099 - SAFIRA
ITÁLICA SAÚDE LTDA - 320889
 
OPERADORA IDEAL SAÚDE LTDA - 412171
435789012 - IDEAL SAÚDE BÁSICO COM CO-PARTICIPAÇÃO
435790016 - IDEAL SAÚDE ESPECIAL COM CO-PARTICIPAÇÃO
447889034 - COLETIVO EMPRESARIAL APARTAMENTO
447890038 - COLETIVO EMPRESARIAL ENFERMARIA
447893032 - EXCELENCE
447892034 - COLETIVO EMPRESARIAL ENFERMARIA COM FRANQUIA
465745114 - GLOBAL BÁSICO
447894031 - GLOBAL APARTAMENTO
447895039 - GLOBAL ENFERMARIA
PLAMED - PLANO DE ASSISTÊNCIA MÉDICA LTDA - 343463
412781991 - PLAMED STANDARD II
412782990 - PLAMED EXECUTIVO II
427155996 - PLAMED GOLD I
427156994 - PLAMED GOLD II
427159999 - PLANO BÁSICO BA CO-PARTICIPAÇÃO
PROMÉDICA - PROTEÇÃO MÉDICA A EMPRESAS S.A. - 326861
402791984 - PROMÉDICA REFERÊNCIA
402792982 - PLANO ESPECIAL
433787005 - CO-PARTICIPADO ESPECIAL
433793000 - CO-PARTICIPADO ESSENCIAL
433795006 - CO-PARTICIPADO ESSENCIAL
459131083 - PROMÉDICA REFERÊNCIA
459136084 - PLANO AMBULATORIAL
700250995 - ESSENCIAL
700252991 - STANDARD PLUS
700253990 - STANDARD PLUS
459132081 - PLANO ESPECIAL
459133080 - PLANO EXECUTIVO I
REAL SAÚDE LTDA EPP - 381161
413765995 - SAUDE SAMARITANO REFERENCIA STAND SEM CO-PARTICIPACAO
413767991 - GLOBAL EMPRESARIAL ENFERMARIA
413768990 - GLOBAL EMPRESARIAL APARTAMENTO
413770991 - GLOBAL AGRESTE ENFERMARIA
413772998 - ESSENCIAL FAMILIAR APARTAMENTO
413773996 - ESSENCIAL FAMILIAR ENFERMARIA
413766993 - SAUDE SAMARITANO REFERENCIA ESPECIAL SEM CO-PARTICIPACAO
413771990 - GLOBAL AGRESTE APARTAMENTO
459660099 - ESSENCIAL EMPRESARIAL APARTAMENTO
461367108 - ESSENCIAL AGRESTE ENFERMARIA
413780999 - ESSENCIAL ENFERMARIA
464695119 - EXECUTIVO INDIVIDUAL ENFERMARIA
RECIFE MERIDIONAL ASSISTÊNCIA MÉDICA LTDA - 410985
432716001 - SAÚDE PREFERENCIAL
459606094 - MEDIC SAÚDE
459828098 - SAÚDE BRASIL BÁSICO
461985104 - SAÚDE BRASIL GLOBAL APARTAMENTO
SAÚDE ASSISTÊNCIA MÉDICA INTERNACIONAL LTDA - 300926
412217998 - GLOBAL I SAÚDE SENIOR ENFERMARIA
412218996 - GLOBAL II SAÚDE SENIOR APARTAMENTO
466381121 - GLOBAL XII ENFERMARIA
SAÚDE MEDICOL S/A - 309231
457163081 - MASTER 620 A
457425087 - MASTER 520 E
457423081 - MASTER 520 A
427365996 - EMP AHCO PREF EXECUTIVO
457429080 - PLENO 320 E
SERVIÇO SOCIAL DAS ESTRADAS DE FERRO - SESEF - 312304
701549996 - PLANO 3 - QC S/F
701551998 - PLANO 5 - QP S/F
701556999 - PLANO 10 - QC C/F
701557997 - PLANO 11 - QC S/F
701559993 - PLANO 13 - QP S/F
701567994 - PLANO 21 - QP S/F
SMS - ASSISTÊNCIA MÉDICA LTDA - 311405
401544984 - PREMIUM ENFERMARIA REDE PRÓPRIA
401545982 - PREMIUM ENFERMARIA REDE CREDENCIADA
401546981 - PREMIUM ENFERMARIA REDE PRÓPRIA
401547989 - PREMIUM ENFERMARIA REDE CREDENCIADA
401548987 - PREMIUM APARTAMENTO REDE PRÓPRIA
401569980 - EMPRESARIAL PREMIUM APARTAMENTO REDE CREDENCIADA
462707105 - SM SAÚDE IDEAL PARTICULAR QUARTO COLETIVO COM OBSTETRICIA
437026021 - SMS-SPECIAL EMPRESARIAL
462698102 - SM SAÚDE IDEAL PARTICULAR QUARTO COLETIVO SEM OBSTETRICIA
401553983 - EMPRESARIAL BÁSICO REDE CREDENCIADA
401564989 - EMPRESARIAL PREMIUM ENFERMARIA REDE PRÓPRIA
462700108 - SM SAÚDE IDEAL PARTICULAR QUARTO INDIVIDUAL SEM OBSTETRÍCIA
462699101 - SM SAÚDE PREMIUM EMPRESARIAL QUARTO COLETIVO
SOCIAL-SOCIEDADE ASSISTENCIAL E CULTURAL - 315630
 
402743994 - SISSAÚDE ODONTO INDIVIDUAL
459573094 - INDIVIDUAL HOSPITALAR SEMI-PRIVATIVO
459839093 - INDIVIDUAL AMBULATORIAL ODONTOLÓGICO
459837097 - COLETIVO POR ADESÃO AMBULATORIAL C/ODONTOLOGIA II
459928094 - COLETIVO POR ADESÃO AMBULATORIAL HOSPITALAR COM ODONTOLOGIA
SOSAÚDE ASSISTÊNCIA MÉDICO HOSPITALAR LTDA - 410926
447049034 - STANDART SEM OBSTETRICIA EMPRESARIAL
447050038 - VIP SEM OBSTETRICIA EMPRESARIAL
453350040 - STANDARD ENFERMARIA SEM OBSTETRICIA
453351048 - VIP APARTAMENTO SEM OBSTETRICIA
455748074 - SOSAÚDE FLEX VIP EMPRESARIAL
455749072 - SOSAÚDE FLEX VIP
455750076 - SOSAÚDE FLEX STANDART EMPRESARIAL
455751074 - SOSAÚDE FLEX STANDART
UNIMED BRASILIA COOPERATIVA DE TRABALHO MÉDICO - 353574
 
UNIMED DAS ESTÂNCIAS PAULISTAS OPERADORA DE PLANOS DE SAÚDE, SOCIEDADE COOPERATIVA - 348066
410221995 - VIP REGIONAL 1 B
410224990 - VIP REGIONAL 3 A (COM FATOR MODERADOR)
410232991 - PESSOA JURÍDICA A (EMPRESARIAL ADESÃO 50 OU MAIS USUÁRIOS)
410236993 - PESSOA JRÍDICA A (COLETIVO EMPRESARIAL ATÉ 49 USUÁRIOS)
UNIMED FEDERAÇÃO INTERFEDERATIVA DAS COOPERATIVAS MÉDICAS DO CENTRO-OESTE E TOCANTINS - 347361
420451994 - MEDCENTRO NACIONAL EMPRESARIAL APT
420454999 - MEDCENTRO NACIONAL ADESÃO ENF
420455997 - MEDCENTRO NACIONAL ADESÃO APT
420450996 - MEDCENTRO NACIONAL EMPRESARIAL ENF
458836083 - MEDCENTRO NACIONAL EMPRESARIAL
458850089 - MEDCENTRO ESPECIAL ADESÃO
UNIMED GUARARAPES COOPERATIVA DE TRABALHO MÉDICO LTDA - 327263
 
UNIMED PAULISTANA SOCIEDADE COOPERATIVA DE TRABALHO MÉDICO - 301337
445900038 - REFERÊNCIA
445901036 - PADRÃO
445902034 - INTEGRAL
445903032 - SUPREMO
445904031 - ABSOLUTO I
445907035 - REFERÊNCIA
445908033 - PADRÃO
445914038 - REFERÊNCIA
445915036 - PADRÃO
445916034 -INTEGRAL
445917032 - SUPREMO
445918031 - ABSOLUTO I
445920032 - ABSOLUTO III
455209061 - INTEGRAL UNIPLAN ADESÃO
455210065 - INTEGRAL UNIPLAN INDIVIDUAL
455211063 - PADRÃO UNIPLAN ADESÃO
455213060 - REFERÊNCIA UNIPLAN ADESÃO
455215066 - SUPREMO UNIPLAN ADESÃO
455216064 - SUPREMO UNIPLAN INDIVIDUAL
455223067 - ABSOLUTO 1 UNIPLAN EMPRESARIAL
455226061 - INTEGRAL UNIPLAN EMPRESARIAL
455227060 - ORIGINAL APARTAMENTO ADESÃO
455228068 - ORIGINAL APARTAMENTO EMPRESARIAL
455229066 - ORIGIANAL APARTAMENTO INDIVIDUAL
455230060 - ORIGINAL ENFERMARIA ADESÃO
455231068 - ORIGINAL ENFERMARIA EMPRESARIAL
455232066 - ORIGINAL ENFERMARIA INDIVIDUAL
455234062 - PADRÃO APARTAMENTO EMPRESARIAL
455235061 - PADRÃO APARTAMENTO INDIVIDUAL
455236069 - PADRÃO UNIPLAN EMPRESARIAL
455240067 - REFERÊNCIA UNIPLAN EMPRESARIAL
455244060 - SUPREMO UNIPLAN EMPRESARIAL
459378092 - PADRÃO APARTAMENTO UNIPLAN EMPRESARIAL
461082092 - PADRÃO ENFERMARIA UNIPLAN EMPRESARIAL C/ CO-PARTICIPAÇÃO
455910035 - SUPREMO
461193104 - SUPREMO UNIPLAN EMPRESARIAL C/CO-PARTICIPAÇÃO
461091091 - PADRÃO APARTAMENTO UNIPLAN EMPRESARIAL C/ CO-PARTICIPAÇÃO
461092090 - INTEGRAL UNIPLAN EMPRESARIAL C/CO-PARTICIPAÇÃO
459389098 - PADRÃO APARTAMENTO UNIPLAN ADESÃO
UNIMED SALVADOR COOPERATIVA DE TRABALHO MÉDICO - 301311
423070991 - UNIVIDA LOCAL BÁSICO - PESSOA FISICA
409839991 - UNIVIDA BÁSICO - PESSOA JURÍDICA
444773035 - UNIVIDA LOCAL ESPECIAL CO-PARTIPAÇÃO - PESSOA FÍSICA
444779034 - UNIVIDA BÁSICO - PESSOA FÍSICA - COM COP
457117087 - UNIMED EMPRESARIAL II - BÁSICO
457115081 - UNIMED EMPRESARIAL I - BÁSICO PARTICIPATIVO
460909093 - UNIMED ADESÃO I - BÁSICO PARTICIPATIVO
460882098 - UNIMED ADESÃO I - ESPECIAL PARTICIPATIVO
457118085 - UNIMED EMPRESARIAL II - BÁSICO PARTICIPATIVO
423071990 - UNIVIDA LOCAL ESPECIAL - PESSOA FÍSICA
UNIVERSAL SAÚDE ASSISTÊNCIA MÉDICA S.A - 348520
458717081 - BÁSICO I COM PARTO
464727111 - CONTRATO COLETIVO EMPRESARIAL PRATA 275
464726112 - CONTRATO COLETIVO EMPRESARIAL PRATA 225
VIVER SIS-SISTEMA INTEGRADO DE SAÚDE LTDA. - 403334
 
 
Fonte Agência Brasil

ANS vai ampliar critérios para monitoramento de planos de saúde

Brasília – A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) anunciou ontem (10) que vai ampliar os critérios para monitoramento dos serviços prestados por operadoras de planos de saúde.
 
Até o momento, apenas reclamações referentes ao descumprimento dos prazos máximos fixados para marcação de consulta, exames e cirurgias eram levadas em consideração. A partir do próximo levantamento, serão analisadas também críticas relacionadas às demais negativas de atendimento apresentadas pelas operadoras, como casos em que a empresa alega que o período de carência não foi cumprido, quando, na verdade, o prazo já acabou.
 
O diretor-presidente da ANS, André Longo, lembrou que 40% das reclamações feitas por usuários de planos de saúde se referem ao descumprimento dos prazos máximos para atendimento e, por essa razão, esse quesito terá peso maior na decisão de suspender ou não a operadora ou o plano.
 
“A expectativa é poder garantir mais efetividade para a norma, no sentido de garantir aquilo que foi contratado pelo consumidor”, explicou.
 
O primeiro ciclo de monitoramento, feito pela agência entre dezembro de 2011 e março de 2012, registrou 2.981 reclamações, mas nenhum plano foi suspenso na época. O segundo ciclo, realizado entre março e junho de 2012, registrou 4.682 reclamações e levou à suspensão de 268 planos suspensos. O terceiro ciclo, entre junho e setembro de 2012, registrou 10.144 reclamações, com 301 planos suspensos. Por fim, o quarto ciclo, divulgado hoje, registrou 13.600 reclamações e 225 planos suspensos.
 

Saiba quais são os prazos máximos de atendimento definidos pela ANS

Situações de urgência e emergência
Atendimento imediato
Consultas com pediatras, clínicos, ginecologistas, obstetras e cirurgiões gerais
Atendimento em até 7 dias úteis
Consultas com fonoaudiólogos, nutricionistas, psicólogos, terapeutas ocupacionais e fisioterapeutas
Atendimento em até 10 dias
Consultas nas demais especialidades
Atendimento em até 14 dias

Fonte Agência Brasil

Superbactéria carnívora causa infecção rara em perna de britânico

BBC
Steven Holzman conseguiu se recuperar após várias semanas
de internação hospitalar
Infecção, conhecida no passado como "pé de trincheira", era comum em soldados da Primeira Guerra Mundial submetidos a condições insalubres
 
Um homem britânico quase morreu após um pé-de-atleta evoluir para uma infecção com uma superbactéria "carnívora".
 
Mais de dois meses após a doença, que ameaçou necrosar a perna, e várias semanas de internação hospitalar, Steven Holzman conseguiu livrar-se da bactéria, mas ainda tem de andar com a ajuda de muletas e não pode trabalhar.
 
Holzman inicialmente tratou o pé-de-atleta com um creme comprado sem receita numa farmácia. Mas no dia seguinte, com o pé inchado, ele teve de ser internado às pressas em um hospital local, onde passou por três operações em quatro dias.
 
Tecidos apodrecidos
Os médicos descobriram que ele havia desenvolvido uma doença conhecida como "fasceíte necrosante", uma infecção extremamente grave, que necrosou parte de seus tecidos do pé até o quadril.
 
Eles acreditam que Holzman tenha contraído a rara infecção bacteriana por meio de um pequeno corte em seus dedos enquanto trabalhava como pedreiro, quando mantinha pés sempre úmidos.
 
Holzman conta que quando as gazes foram retiradas após a primeira operação, havia "um buraco no topo do pé".
 
"Fiquei absolutamente aterrorizado. Não sabia quando aquilo ia parar, ou se ia parar alguma hora", diz. A infecção continuou crescendo até chegar ao osso do quadril.
 
"Fui para a minha última operação sabendo que eu podia voltar da sala de cirurgia só com uma perna, em vez de duas", conta Holzman.
 
"Tenho muita sorte de ter sobrevivido, mas tenho ainda mais sorte de ainda ter minha perna", diz.
 
Segundo o cirurgião Anthony Armstrong, que tratou de Holzman no Hospital de Wexham Park, no condado de Surrey, a infecção contraída por ele era conhecida no passado como "pé de trincheira", comum em soldados da Primeira Guerra Mundial submetidos a longa exposição a condições úmidas, frias e insalubres.
 
"Mesmo nos dias de hoje, com a medicina moderna e os cuidados e as técnicas cirúrgicas modernas, os pacientes ainda podem morrer desse problema se ele não for diagnosticado e tratado efetivamente e rapidamente", afirma.
 
Fonte iG

Primeiros socorros de verão

Prevenção de afogamento: atuação do salva-vidas é fundamental,
mas é preciso respeitar os alertas sobre as condições do mar
Sabia como agir diante das emergências mais frequentes da estação
 
A época de calor, praia, piscina e férias é também o período em que aumentam as ocorrências de alguns acidentes ou problemas de saúde que atrapalham bastante o tão esperado – e merecido – descanso.
 
Alguns deles, como a insolação e a desidratação, podem ser evitados com medidas simples e fácies de seguir. Outros, no entanto, não podem ser previstos – e com isso, evitados. Para esses casos, é importante saber como agir.
 
Veja a seguir como proceder diante das urgências e emergências mais comuns do verão, retiradas do Guia de Primeiros Socorros e da Enciclopédia da Saúde. Aproveite as férias com segurança e bom descanso!
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
10. Desmaio
 
 
 
13. Fratura
 
 
15. Queda
 
 
17. Infarto
 
Fonte iG