Aplicativos, carreira, concursos, downloads, enfermagem, farmácia hospitalar, farmácia pública, história, humor, legislação, logística, medicina, novos medicamentos, novas tecnologias na área da saúde e muito mais!


segunda-feira, 5 de maio de 2014

Direitos do Paciente e Familiares é tema de campanha do CBA

O Consórcio Brasileiro de Acreditação (CBA), representante exclusivo no Brasil da maior agência acreditadora em saúde do mundo, a Joint Commission International (JCI), acaba de lançar uma campanha em favor dos Direitos do Paciente e seus Familiares
O objetivo é fazer com que os hospitais acreditados, e também aqueles que buscam acreditação CBA/JCI, sigam os padrões estabelecidos no Manual de Acreditação para Hospitais da JCI/CBA, que apregoa que as instituições de saúde devem estabelecer a comunicação aberta e de confiança com os pacientes, respeitando seus valores culturais, psicossociais e espirituais. "O direito não deve ser apenas uma declaração de intenção, mas sim uma garantia de informação compreensível e de pleno atendimento de seus requisitos. O paciente e seu familiar devem ser parte desta ação", defende Heleno Costa Júnior, Coordenador de Educação do CBA.
De acordo com os padrões JCI/CBA não basta definir os direitos do pacientes, mas assegurar a continuidade dele, com a educação dos profissionais de saúde. A JCI e o CBA defendem ainda o uso do consentimento informado; a informação transparente aos pacientes sobre os seus direitos; e a inclusão dos familiares, quanto apropriado, nas decisões sobre os cuidados ao paciente. E, acima de tudo, o respeito à individualidade.
Para a chefe do setor de Marketing do CBA e idealizadora do projeto, a campanha objetiva “alertar os hospitais para o a importância de reforçar o respeito aos direitos dos pacientes nas práticas diárias”, diz Cristiane Henriques. A campanha Direitos do Paciente e Familiares, desenvolvida pela SB Comunicação, enfoca oito indagações comuns aos pacientes sobre seus direitos, entre elas, o pouco conhecimento sobre o procedimento a ser submetido, a relação paciente e seu cuidados, a falta de privacidade sobre o estado do paciente e a compreensão da prescrição médica. A peça em formato e-flyer está disponível no site do CBA. Para baixar, e usar gratuitamente, basta clicar em www.cbacred.org.br.

Esta é a quarta campanha desenvolvida pelo CBA em busca da melhoria da qualidade e segurança nos serviços de saúde. As demais campanhas foram: Metas Internacionais de Segurança do Paciente, Prontuário do Paciente e Gerenciamento de Risco.
 
ASSESSORIA DE IMPRENSA
SB Comunicação, (21)3798-4357

Complexo Hospitalar Edmundo Vasconcelos investe R$ 20 milhões na modernização de seu Centro Médico de Especialidades

edmundovasconcelos.jpg
Foto: Divulgação
O Complexo Hospitalar Edmundo Vasconcelos deu início ao projeto de modernização de seu Centro Médico de Especialidades, no qual investirá R$ 20 milhões para uma área construída de 7.000 m²
 
“Após fazermos ampliações em 2009 e 2011, desta vez, vamos rever o interior do edifício de três andares, com um novo desenho de arquitetura e decoração. Isso nos permite a otimização do espaço e, como resultado, teremos o aumento de 15% no setor de recepção de pacientes”, revela Dario A. Ferreira Neto, diretor administrativo do Hospital.
 
Médicos e demais profissionais em 50 especialidades serão distribuídos de acordo com a correlação entre as áreas. O objetivo é melhorar o fluxo de circulação, dando mais ganho de tempo para o paciente e agilidade para a equipe do Hospital. A exceção é área de quimioterapia, que além da ambientação, será ampliada, contemplando boxes individuais com mais conforto e iluminação personalizada.
 
A modernização do local engloba ainda a revisão da comunicação interna do edifício, além da instalação de novos painéis e dispositivos eletrônicos. “Nos corredores e nas salas de espera, as pessoas terão mais itens contemplativos na decoração”, completa Dario. Cinco consultórios passam a ser integrados aos 44 já existentes.
 
Construído em 1949, o Complexo Hospitalar Edmundo Vasconcelos está situado, em São Paulo (bairro Vila Clementino), em um terreno de 25 mil metros quadrados, onde funcionam serviços de internação, consultas médicas de especialidades e de pronto-socorro, moderno centro cirúrgico e completa estrutura de medicina diagnóstica. O projeto arquitetônico da instituição é assinado pelo renomado arquiteto Oscar Niemeyer.
 
Complexo Hospitalar Edmundo Vasconcelos
 Localizado ao lado do Parque do Ibirapuera, em São Paulo, o Complexo Hospitalar Edmundo Vasconcelos atua em mais de 50 especialidades e conta com cerca de 780 médicos. Realiza aproximadamente 12 mil procedimentos cirúrgicos, 13 mil internações, 230 mil consultas ambulatoriais, 145 mil atendimentos de Pronto-Socorro e 1,4 milhão de exames. Dentre os selos e certificações obtidos pela instituição, destaca-se a Acreditação Hospitalar Nível 3 - Excelência em Gestão, concedida pela Organização Nacional de Acreditação (ONA) e o Prêmio Melhores Empresas para Trabalhar no Brasil, conquistado pelo terceiro ano consecutivo.
 
Rua Borges Lagoa, 1.450 - Vila Clementino, zona sul de São Paulo.
 
Tel. (11) 5080-4000
 
Informações para a imprensa:
TREE COMUNICAÇÃO
(11) 3093-3617 / 3093-3609
Inês Castelo - ines@tree.inf.br
Diego Palmieri - diego.palmieri@tree.inf.br

Novo sistema de monitores para visualização de diagnósticos Nio Color 2MP da Barco, será lançado na JPR 2014

Foto: Divulgação
São Paulo, Brasil, 29 de abril de 2014 - A JPR é a plataforma ideal para a Barco, empresa especialista em visualização, lançar formalmente no mercado latino-americano o novo sistema de monitores coloridos LED Nio Color 2MP para visualização de diagnósticos
 
O design elegante e estiloso do Nio Color 2MP LED inclui a Tecnologia de Iluminação Uniforme patenteada pela Barco para Monitores de LED (ULT-LED), sintonizada para propiciar alto brilho na sua retroiluminação de LED, além de um sensor de tela frontal. Esses dois novos recursos intensificam a qualidade da imagem e a precisão do diagnóstico, além de ajudar a reduzir o custo total de propriedade. O Nio 2MP é o mais novo integrante da nova família Nio 3MP.
 
O Nio Color 2MP é o mais novo integrante da família Nio de monitores de telas duplas para diagnósticos. Graças a uma combinação de brilho e contraste mais altos e controle predefinido de luz ambiente da Barco, o sistema de displays processa mais imagens JNDs DICOM. Aliada à tecnologia ULT-LED de aprimoramento de imagem da Barco, a qual é ajustada visando operar em conjunto com a sua retroiluminação de LED para uso médico, o novo Nio oferece benefícios de longo prazo e brilho consistente (do centro para as bordas) para revelar os menores detalhes radiográficos. A necessidade reduzida de manipulações de imagens como janela/nível ajuda os radiologistas a lerem estudos de forma mais eficiente.
 
Garantia de Qualidade e calibragem
Para uma melhora na qualidade da imagem e precisão de diagnóstico, o novo Nio Color 2MP é equipado com um novo sensor frontal. Operando em conjunto com o serviço de gerenciamento MediCal QAWeb online da Barco, o sensor oferece uma Garantia de Qualidade sem intervenção e verificações de conformidade mediante solicitação. A Barco possui os mais robustos e abrangentes programas de calibragem e GQ [Garantia de Qualidade], sendo a solução mais adotada no setor. A estabilidade e brilho de imagem garantidos ao longo da vida útil do novo Nio reduzem intervenções e, consequentemente, a carga de trabalho dos médicos e dos profissionais de TI. Para auxiliar os hospitais a protegerem os seus investimentos no novo Nio Color 2MP, a Barco equipou, por padrão, o sistema de monitores com uma tela de proteção.
 
Baixo custo total de propriedade
Ademais, graças às novas tecnologias como a retroiluminação de LED da Barco para uso médico, a nova linha Nio é um excelente investimento para unidades de saúde, visto que auxilia no ganho de produtividade do leitor, ajuda a reduzir o consumo de energia pela metade e prolonga a vida útil do monitor. Além disso, a retroiluminação de LED da Barco gera menos calor, exigindo menos refrigeração e reduzindo, assim, os custos operacionais gerais do hospital. O Nio é fornecido, por padrão, com uma garantia de cinco anos, a qual inclui o sensor frontal. Juntos, o baixo custo de propriedade faz com que o novo Nio seja uma excelente escolha para instituições de cuidados da saúde que sofrem com restrições orçamentárias.
 
Aumentando a produtividade e o desempenho dos radiologistas
"Atualmente, os radiologistas sofrem grande pressão para ler mais estudos no menor tempo possível, ao mesmo tempo em que fornecem diagnósticos mais precisos em um ambiente com sérias restrições orçamentárias. Mais que oferecer excelente qualidade e precisão de imagem, o novo Nio proporciona um desempenho mais eficiente e clínico por meio de duas telas", declarou Luc Colle, Vice Presidente de Vendas da Barco. "A combinação exclusiva de desempenho e confiabilidade o torna uma excelente escolha para diagnósticos primários multimodais, não somente em radiologia, mas também em cardiologia, medicina nuclear, ortopedia e tratamento domiciliar, por exemplo".
 
Descubra o novo e elegante Nio Color 2MP na JPR
O sistema de monitores para visualização de diagnósticos Nio Color 2M da Barco será lançado na feira JPR realizada nesta semana em São Paulo (estande da Barco 64), de 01 a 04 de maio, estando imediatamente disponível na região da América Latina. O Nio 2MP é o mais novo integrante da linha de produtos Nio, a qual inclui o Nio Color 3MP e o Nio 5MP.
 
Eliane Rodrigues Silvestre
Marketing Manager

Novo exame de sangue poderá detectar depressão

Thinkstock
Baixos níveis de serotonina geralmente estão ligados à depressão
Pesquisadores afirmam que técnica pode se tornar realidade em futuro não muito distante
 
Pesquisadores da MedUni Vienna (Universidade de Medicina de Viena), na Áustria, demonstraram que existe a possibilidade de detectar depressão por meio de um exame de sangue.
 
Embora exames de sangue tenham sido descartados recentemente para diagnóstico de doenças mentais, um estudo recente indica claramente que, em princípio, a depressão pode ser detectada pelo sangue e isso pode se tornar realidade em um futuro não muito distante.
 
A depressão é um transtorno grave e o diagnóstico um tratamento correto podem melhorar significativamente a qualidade de vida do paciente. O estudo indica que biomarcadores no sangue podem ser úteis no futuro para detectar a doença, graças à presença de serotonina no sangue.
 
A serotonina é uma molécula com uma grande variedade de funções. Ela é considerada um regulador de humor e é conhecida como "hormônio da felicidade". Os baixos níveis de serotonina muitas vezes estão ligados à depressão.
 
Transportadores de serotonina servem para garantir que o fluxo do hormônio chegue às células que precisem dele. Quando uma pessoa é diagnosticada com depressão, os médicos podem tentar atingir os transportadores prescrevendo inibidores que impedem que as células absorvam a serotonina para que ela fique livre. A esperança é regular os níveis hormonais e melhorar o humor.
 
Os pesquisadores descobriram uma correlação muito forte entre a serotonina e a rede neural afetada pela depressão. Isso pode significar que os níveis de serotonina no sangue pode ser usados como ferramenta de diagnóstico.
 
A equipe destacou que a descoberta é importante porque um diagnóstico da depressão feito com base biológica ajuda a garantir que o paciente receba as doses corretas dos medicamentos e tenha melhores resultados.
 
R7

Água de ameixa e limão emagrece e combate prisão de ventre

Reprodução
Costumamos publicar receitas para ajudar os leitores que desejam emagrecer

E nossa preocupação é divulgar apenas receitas saudáveis que contribuem para o emagrecimento sem prejudicar a saúde.

A água de ameixa e limão é uma dessas receitas.
 
Claro que somente esta receita não fará um milagre.
 
Não adianta beber esta água e se entupir de massa, gordura, sorvete e outros alimentos hipercalóricos.
 
Não existe fórmula milagrosa para emagrecer.
 
Tem que haver moderada dieta e o uso de alimentos com potencial para acelerar o metabolismo e, dessa forma, ocorrer a perda dos indesejados quilinhos extras.
 
E esta é a missão da água de ameixa e limão: intensificar o metabolismo e abastecer o corpo com fibras que vão resultar numa maior capacidade de eliminação do organismo.
 
Os dois ingredientes da receita são muito benéficos para a saúde.
 
A ameixa é bastante rica em fibras.
 
Ela facilita a digestão, promove o bom funcionamento do intestino e regula o colesterol.
 
A ameixa é uma fruta que combate o envelhecimento precoce, pois contém antocianina, uma substância com ação antioxidante que promove a eliminação dos radicais livres.
 
Ela também é ótima para a circulação sanguínea e combate o mau colesterol.
 
A fruta evita a formação de coágulos e atua contra o aparecimento de problemas cardíacos.
 
O limão é alcalinizante, ou seja, "afina" o sangue, eliminando gorduras e toxinas do corpo.
 
Ele estimula o funcionamento normal de todos os órgãos do aparelho digestivo.
 
Além disso, ele acelera o metabolismo e é rico em vitamina C.
 
A receita da água de ameixa e limão é muito fácil.
 
À noite, você vai deixar, na geladeira, 3 ameixas secas de molho em 1 copo (200 ml) de água.
 
Na manhã seguinte, coma as frutas e separe a água.
 
Esprema um limão, para que o sumo da fruta seja adicionado à água.
 
Encerrada essa etapa, a água de ameixa e limão está pronta.
 
Beba-a de imediato e em pequenos goles, pois isto estimula o processo digestivo.
 
A Cura pela Natureza

Está com medo de tomar vacina contra gripe? Especialista tira principais dúvidas

Quanto
tempo leva para a vacina fazer efeito e por quanto tempo dura a imunização da
vacina?  A vacina
leva em torno de 15 dias para fazer efeito. Sua duração varia de caso a caso,
porém, geralmente, tem validade de um ano
Foto: Valter Campanato/Agência Brasil
Vacina começa a fazer efeito em 15 dias, alerta a médica
 
Com a chegada do frio é comum que a gripe se torne mais frequente. Para prevenir, é necessário se vacinar. Mas para quem se sente inseguro em relação à imunização, a infectologista Viviane Hessel Dias, tirou as principais dúvidas. Veja a seguir! 
 
Quem deve tomar a vacina? 
O Ministério da Saúde orienta que os grupos prioritários devem tomar a vacina. São eles: crianças de seis meses a menores de cinco anos, pessoas com 60 anos ou mais, profissionais da saúde, povos indígenas, gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto) e pessoas portadoras de doenças crônicas. Mas a médica explica que todos devem se vacinar. 

― Todas as pessoas podem tomar a vacina, sendo que os grupos de risco tem a vacina gratuitamente oferecida nos postos de saúde.
 
A vacina pode dar algum efeito colateral?
Sim, mas quando ocorre, geralmente é apenas reação leve no local de aplicação.

— Pode surgir dor de cabeça e dor no corpo, porém é importante destacar que a vacina não causa gripe, pois seu composto é feito com partículas de vírus mortos, portanto sem capacidade de desenvolver doença.
 
Quais são os sintomas que podem ocorrer?
Nas reações locais podem acontecer dor e eritema (vermelhidão), mas, geralmente desaparecem em um ou dois dias. Entre reações sistêmicas podem acontecer dor de cabeça, dor no corpo e algumas vezes, febre.

― Cerca de 5% a 10% dos indivíduos vacinados podem ter gripe, porém, de uma forma mais branda.
 
Em quanto tempo os sintomas podem surgir?
Podem aparecer logo após a aplicação e desaparecem, geralmente, em um ou dois dias.
 
Quanto tempo leva para a vacina fazer efeito e por quanto tempo dura a imunização da vacina?
A vacina leva em torno de 15 dias para fazer efeito. Sua duração varia de caso a caso, porém, geralmente, tem validade de um ano.
 
Porque pessoas com doenças crônicas devem tomar a vacina? Elas possuem maior risco para a doença?
As pessoas com doença crônica possuem maior chance de complicações se tiverem infecção pelo vírus influenza, como por exemplo, pneumonia grave com necessidade de internação.
 
Quem tomou a vacina ano passado deve tomar de novo?
Sim, pois anualmente a composição da vacina é revisada mediante as cepas virais de maior circulação no ano anterior,
 
Quem não pode tomar a vacina?
A vacina é contraindicada para pessoas com histórico de reação anafilática, bem como a qualquer componente da medicação ou alergia grave relacionada a ovo de galinha e seus derivados (presente na composição).
 
R7

Humor: Virgem novamente

Três em cada quatro brasileiros se automedicam, aponta pesquisa

Reprodução
Da população que usa remédio sem orientação, 32% aumenta a dose por conta própria
 
A automedicação é um dos maus (e perigosos) hábitos praticados no Brasil. Três a cada quatro brasileiros tomam remédio sem orientação médica e 32% costumam aumentar a dose por conta própria. Os dados são da pesquisa do ICTQ (Instituto de Pós-Graduação para Farmacêuticos) e foram divulgados neste domingo (4) no jornal Folha de S. Paulo.
 
De acordo com a publicação, o estudo foi feito em 12 capitais do País com 1.480 pessoas de 16 anos ou mais que consomem remédios. A prática da automedicação é um hábito comum não apenas no Brasil. Pesquisa realizada pela OMS (Organização Mundial da Saúde) aponta que 10% da população mundial se automedica pelo menos uma vez ao ano.
 
Para Milton Gorzoni, professor adjunto de Clínica Médica da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, “isso ocorre mesmo em países que qualquer medicamento só é vendido com a receita médica”.
 
— Algum parente ou amigo pode dar o que restou de um remédio que consumiu. Há também quem compre em outros países onde são liberados, ou adquire no comércio ilegal, fato que pode ser muito perigoso à saúde.
 
Nos últimos cinco anos, o Brasil registrou quase 60 mil internações por intoxicação medicamentosa, segundo o Ministério da Saúde. Os riscos que o paciente corre ao se automedicar são inúmeros, com destaque para o mascaramento do quadro clínico e o consequente diagnóstico equivocado ou tardio. Em ambos os casos, há retardo no tratamento correto, o que pode desencadear uma série de complicações.
 
Outros problemas são interação medicamentosa, alergias, dosagem e administração inadequadas — tanto em quantidades baixas, que podem promover a resistência bacteriana, por exemplo, quanto em superdosagem, que acarreta efeitos colaterais.
 
Os idosos são os mais vulneráveis aos perigos da automedicação, por conta da alta quantidade de remédios que já usam normalmente, facilitando a interação medicamentosa, e do estado debilitado do organismo, alerta Anthony Wong, coordenador do Centro de Assistência Toxicológica do Instituto da Criança do Hospital das Clínicas.
 
 — A ingestão de um comprimido com alta dose de AAS por alguém que toma remédio para se recuperar de uma cirurgia cardíaca pode causar uma úlcera gástrica, que não coagula por causa do medicamento. Isso é bastante comum em idosos que têm dores nas articulações.
 
Segundo ele, também é frequente o uso de antigripal associado a spray para o nariz. Os dois remédios são vasoconstritores e, em uma pessoa de idade, que apresenta deficiência de fluxo sanguíneo no cérebro, pode desencadear AVC (acidente vascular cerebral).
 
Remedinho para dor de cabeça
Entre os casos de automedicação, a dor de cabeça é a campeã. Por outro lado, a ingestão de analgésicos é o exemplo mais citado quando se fala de problemas. Os relatos envolvem desde o mascaramento de sintomas até o aparecimento de úlceras e hemorragias. A cefaleia pode ser consequência de tensão, jejum, hipoglicemia, hipertensão, aneurisma cerebral, início de meningite ou uma tendência a enxaqueca, entre várias outras, explica Paulo Pêgo Fernandes, diretor da APM (Associação Paulista de Medicina).
 
— São inúmeras doenças diferentes com tratamentos ainda mais diversos. Assim como a febre, a dor serve como um aviso. Ao tomar o remédio sem ter o diagnóstico correto, pode-se perder um tempo precioso, por vezes fatal.
 
De acordo com Gorzoni, o paciente deve sempre informar ao médico quais foram os sintomas e os remédios ingeridos e, inclusive, se faz uso de medicações contínuas.
 
— Esta é a regra número um. Na dúvida, para não correr o risco de esquecer os nomes, leve as embalagens. Até mesmo de vitaminas, fitoterápicos e homeopatias. Não contar a verdade pode causar problemas como reações adversas, dependendo do que será receitado, além de mascarar ou revelar um sintoma que não existe.
 
O especialista acrescenta que os médicos, além de orientar o que o paciente precisa fazer, também devem reforçar o questionamento de eventuais dúvidas.
 
— A receita é um procedimento tão sério quanto uma cirurgia. A prescrição deve estar com letra legível e sem abreviações.
 
R7

Sete dicas ajudam a preparar o seio para a amamentação

Mãe e filho, amamentação - Foto: Getty Images
Getty Images
Hidratação da pele e banho de sol ajudam a preparar os mamilos para alimentar seu bebê
 
Amamentar é um ato de amor! Aleitar ao seu bebê faz maravilhas para a saúde dele: reforça seu sistema imunológico e reduz as chances de ele se tornar uma criança com obesidade e previne outras doenças como síndrome metabólica, diabetes, hipertensão e doença celíaca. Afinal de contas, ele é o alimento certo para seu filho. E, de quebra, você mesma ganha benefícios, como a redução das chances de câncer de mama e de ovário, além de auxiliar o emagrecimento pós-parto.

Mas tudo isso não significa que a amamentação seja sempre linda e maravilhosa: muitas mães sentem dores e outros desconfortos que podem levá-las a desistir de dar o peito aos bebês. E isso muitas vezes acontece por inexperiência. É muito importante, por exemplo, saber como o bebê deve abocanhar o peito corretamente. "Para uma pega ideal, a mãe deve estar confortável, trazer o bebê ao seu encontro, posicionar o polegar acima da auréola e o indicador abaixo, formando um 'C' para que o bebê abocanhe o mamilo", considera a obstetra Luciane Rodrigues Pedreira de Cerqueira, membro da Sociedade de Ginecologia e Obstetrícia do Rio de Janeiro (SGORJ). "Ao mamar, a boca do bebê deve estar bem aberta, com os lábios para fora, abocanhando quase toda a auréola e não somente o bico do peito", finaliza a especialista.

Quando ocorre dor, pode ser porque o bebê não está fazendo isso da forma correta, ou por algum outro motivo. Por isso mesmo, o ideal é não contar apenas com o instinto da natureza e se preparar para esse o aleitamento. E quanto antes, melhor! "Pesquisas apontam que mulheres que recebem orientações durante o pré-natal, apresentam menor dificuldade e menores índices de complicações durante a amamentação", expõe o mastologista Anastasio Berrettini, presidente da Comissão de Aleitamento Materno da Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM).

Além disso, adotar os cuidados certos tornam tudo muito mais fácil.
 
Veja um guia de cuidados pré e pós-natais, que ajudam a tornar a amamentação um ato de cumplicidade e alegria com seu bebê:
 
1. Conheça seu tipo de mamilo
Muitas mulheres afirmam que não podem dar de mamar porque têm os mamilos planos ou invertidos. Mas com as orientações certas, isso não é um grande empecilho. O ideal é que isso já seja identificado por seu obstetra no pré-natal, assim ele já dá as melhores dicas de como amamentar. Você mesma pode verificar isso, inclusive. "Comprima suavemente a aréola cerca de três centímetros atrás do mamilo: se ele for normal irá projetar-se para fora, se for invertido irá retrair-se", descreve a obstetra Luciane Rodrigues Pedreira de Cerqueira, membro da Sociedade de Ginecologia e Obstetrícia do Rio de Janeiro (SGORJ).

Um dos truques para mulheres com esse tipo de mamilo são as chamadas conchas plásticas, para serem usadas durante o pré-natal e mesmo na fase de amamentação. "Essas conchas são formadas por duas partes: uma em forma de anel, com parte do acabamento em silicone e um buraco no meio para que o mamilo se encaixe e venha a se tornar mais projetado devido a uma suave pressão sobre a auréola; a outra parte é arredondada e cobre o anel por cima para ficar dentro do sutiã", descreve a especialista.                    
 
2. Faça exercícios para os bicos das mamas
Outra técnica fundamental para mulheres com mamilos planos ou invertidos é um exercício de puxar os bicos dos seios. "É necessário estimulo mecânico, então, com o polegar e indicador em forma de cruz, estende-se o mamilo no sentido vertical e horizontal, com intuito de exteriorizar o mamilo", orienta o mastologista Anastasio Berrettini, presidente da Comissão de Aleitamento Materno da Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM).

O ideal é realizar o exercício todos os dias: "A recomendação é que o exercício seja repetido cinco vezes ao dia, no comecinho da manhã, durante o último mês de gestação", alerta a obstetra Luciane.
 
3. Tome banho de sol
Mas não adianta só expor braços, pernas e rosto... Deixar os mamilos tomarem sol é muito importante para melhorar a amamentação. "O calor da luz torna os mamilos mais resistentes e previne as rachaduras", relata a obstetra Luciane de Cerqueira. A orientação é tomar cerca de 30 minutos de sol por dia, antes das 10 horas da manhã e depois das 16 horas da tarde, para evitar os picos dos raios ultravioletas. E caso o tempo esteja nublado ou você não tenha um lugar discreto para fazer isso, lâmpadas são uma boa opção. "A intensidade entre 40W ou 60W é suficiente, e deixe-as próximas do seio a uma distância em que transmitam calor, mas sem desconfortos", ensina a especialista.
 
4. Não deixe o bebê "chupetar"
Enquanto você amamenta, os seios se tornam mais propensos a rachaduras, principalmente se o bebê fica usando o mamilo como uma chupeta. "Para perceber isso, é importante notar se ele também esta abocanhando a auréola, pois quando ele abocanha somente o mamilo, ele não estimula a produção e escoamento do leite", explica Berrettini. O ideal é nesses casos a mãe interrompa a mamada quando perceber isso, e depois, ao retomar, tenha certeza de que o bebê está abocanhando a auréola também.
 
5. Hidrate a região
A hidratação também é importante para evitar as rachaduras. Mas cuidado na forma certa de fazer isso. "Deve-se evitar o uso de cremes e hidratantes durante o pré-natal, pois esses produtos levam a uma diminuição da espessura cutânea do mamilo e facilitam fissuras durante a amamentação", ressalta o mastologista Berrettini.

Porém, durante a amamentação, o melhor tipo de cuidado é usar as pomadas com lanolina apenas. "Elas apresentam maior eficácia e menos efeitos colaterais, sendo considerado o padrão ouro para prevenção e tratamento das fissuras", explica o especialista.
 
6. Cuide da higiene
Higienizar bem os seios também ajuda a evitar as rachaduras e trazer mais bem-estar na hora de amamentar. E a primeira dica é quase uma pegadinha: evite os sabonetes nos mamilos, já que os seios já tem uma hidratação natural que precisa ser preservada. O mesmo vale para a água quente, que costuma tirar a oleosidade original da pele. A bucha vegetal também é uma inimiga nesse momento: "ela pode promover a esfoliação dos mamilos antes mesmo do final da gravidez, aumentando a chance de traumas mamilares e complicações mais graves, como a inflamação na região", frisa Luciene de Cerqueira.

E antes e depois de amamentar a melhor forma de higienizar o seio é usando o próprio leite. "Ele contém imunoglobulina A, que ajuda a combater processos inflamatórios locais", explica o mastologista Berrettini. Ele também é bactericida e hidratante.
 
7. Escolha o melhor sutiã
Após o parto as mamas chegam a aumentar até dois números de manequim. Nessa fase, já que você terá que comprar sutiãs novos, vale escolher o produto ideal. "Deve-se utilizar sutiãs produzidos com algodão, sem aro metálico ou bojo e com alças largas", descreve Berrettini. A importância das alças (além de laterais mais largas) é ajudar na sustentação, o que previne com que o leite empedre. Já o material não sintético evitar possíveis alergias, já que os mamilos ficam mais sensíveis nessa fase e o algodão permite maior entrada de ar. Além disso, existem modelos com aberturas, que permitem que a mulher amamente sem retirá-los, o que facilita muito o processo.

Outra questão importante é que mesmo na gestação pode vazar um pouco de colostro dos seios da mulher a qualquer momento. Nesses casos, uma forma de evitar desconfortos é usar absorventes feitos para os seios. "Se for optar por absorvente nos seios, que tem o único intuito de não sujar os sutiãs, deve se ter cuidado em trocá-los com frequência para se evitar a proliferação de bactérias", orienta Luciane.
 
Minha Vida

Você conhece os hábitos que influenciam na vida sexual?

Reprodução
Tabagismo, álcool em excesso e peso descontrolado podem prejudicam sua libido
 
Quando o sexo vai mal, muitos setores da vida desandam também, assim como acontece com qualquer problema da vida pessoal. Mas o oposto também é verdadeiro: os nossos hábitos do dia a dia podem influenciar (e muito!) na libido. Afinal, tanto no homem quanto na mulher, a libido depende de fatores também fisiológicos, como hormônios, circulação sanguínea e impulsos neurológicos.

Por isso mesmo, quanto mais plena estiver a saúde de homens e mulheres, melhor o desempenho sexual. E nada reflete mais um corpo saudável do que hábitos saudáveis! Mas você sabe como seus hábitos influenciam na sua vida sexual?
 
1. Fumar pode atrapalhar o desempenho sexual?
Claro, afinal fumar afeta o corpo todo
               
Nota: Até o Ministério da Saúde adverte nos maços de cigarro: "Fumar causa impotência sexual". E se você acha que é apenas uma campanha contra o tabagismo, ledo engano. "A nicotina atua no sistema nervoso central reduzindo significativamente a resposta aos diferentes estímulos sexuais, além disso, causa um fechamento dos vasos sanguíneos que reduz a chegada de sangue aos corpos cavernosos do pênis, o que pode prejudicar uma ereção satisfatória", descreve o urologista Antônio Tavares, coordenador do Departamento de Andrologia da Sociedade Brasileira de Urologia - Regional Rio de Janeiro (SBU-RJ). As mulheres também não estão livres do problema: fumar causa uma menor oxigenação dos tecidos no períneo também pode prejudicar a lubrificação, tornando o ato sexual mais desconfortável. Além disso, ele pode limitar a sensibilidade da mulher, dependendo da idade e outras fatores.
 
2. Praticar atividades físicas favorece a libido?
Certamente, a atividade inclusive ajuda a melhorar o desempenho
               
Nota: O sexo é uma atividade física, e quanto melhor o preparo do corpo para ela, mais prazer você terá! Praticar exercícios regularmente melhora o condicionamento cardiorespiratório, o que por si só já ajuda no desempenho. Mas, além disso, o corpo libera uma série de hormônios que se relacionam com o prazer, como a dopamina, noradrenalina, prolactina, serotonina, ocitocina e cortisol... "Você percebe que o grau de euforia de quem faz exercícios é diferente e isso faz com que a pessoa se envolva na sexualidade de modo mais agradável", considera o ginecologista Jorge José Serapião, especialista em terapia sexual e membro da Sociedade de Ginecologia e Obstetrícia do Rio de Janeiro (SGORJ).
 
3. Bebidas alcoólicas podem afetar a vida sexual?
Sim, quando consumidas em grandes quantidades
               
Nota: Se ficar levemente embriagado deixa as pessoas mais liberadas, em excesso a bebida alcoólica só atrapalha a sexualidade. "Além de causar um quadro tóxico, ela compromete o metabolismo do indivíduo, em grandes quantidades o organismo substitui suas necessidade calóricas pela caloria do álcool e tem alterações nas funções hepática, causando enfraquecimento e reduzindo massa muscular e níveis de vitaminas", explica o ginecologista Serapião. Para os homens, também há uma série de problemas. "O consumo regular de bebida alcoólica interfere no equilíbrio dos hormônios produzidos pelo sistema nervoso central tendo impacto não apenas na função erétil, mas na própria produção de espermatozoides e na fertilidade", frisa o urologista Tavares.
 
4. Ter o peso descontrolado pode atrapalhar a vida sexual?
Sim, a saúde pode estar prejudicada
               
Nota: "Doenças e comorbidades relacionadas à obesidade, como a hipertensão, diabetes e doença cardiovascular, são os principais fatores de risco para disfunção erétil e fertilidade", enumera o urologista Tavares. Além disso, o excesso de peso aliado ao sedentarismo reduzem o condicionamento cardiorrespiratório, afetando a resistência física e, por consequência, o desempenho sexual. O excesso de peso também pode interferir na sexualidade caso a pessoa não esteja resolvida com seu corpo, o que pode trazer problemas de autoestima para homens e mulheres, afetando o desempenho sexual. 
 
5. Dormir bem ajuda a melhorar o desempenho sexual? 
Sim, afinal o sono é uma fase importante para regulação do organismo
               
Nota: Para os homens, o sono ruim está ligado a diversos problemas. Primeiro porque enquanto você dorme, os níveis hormonais são estabilizados. "A falta de uma rotina de sono adequada mantém elevados os níveis sanguíneos de adrenalina, que provoca vasoconstricção dificultando uma chegada adequada e manutenção da ereção peniana", explica o urologista Tavares. Para a mulher, o problema também pode estar relacionado a hormônios, mas muitas vezes o grande inimigo é o cansaço. "Na medida em que você dorme mal, você tem alterações de humor e cansaço, por não repousar o suficiente", considera o ginecologista Serapião. E para a mulher, o lado psicológico é muito importante para ter uma relação sexual saudável e satisfatória.
 
6. Alguns medicamentos podem atrapalhar o desejo?
Sim, muitos podem mexer com hormônios importantes
               
Nota: Alguns remédios podem ter como efeito colateral a redução da libido. "Alguns medicamentos podem alterar o metabolismo dos hormônios andrógenos, que são os maiores influenciadores da libido no homem e na mulher", expõe a endocrinologista Dolores Pardini, presidente do Departamento de Endocrinologia Feminina e Andrologia da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM). Outro problema para os homens são medicamentos que acabem por atuar no sistema vascular, o que dificulta ereções.
 
7. Alimentos afrodisíacos realmente aumentam a libido?
Imagina, o efeito é muito mais psicológico do que físico
 
Nota: Para nossos especialistas, a maior parte dos alimentos afrodisíacos funciona como placebos, ou seja, não têm propriedades nutricionais que de fato influenciem no desejo sexual, mas funcionam porque a pessoa acredita que vão funcionar. Alguns podem até ter nutrientes que ter nutrientes que ajudem, "mas a quantidade destas substâncias nos alimentos é muito pequena para atuar nos casos de redução significativa da libido", considera o urologista Tavares.
 
Minha Vida

Avalie e previna os riscos de uma gravidez após os 35 anos

Gestante em consulta médica com cardiologista - Foto: Getty Images
Getty Images
Por mais que essa gestação traga perigos, é possível evitá-los com alguns cuidados
 
O mundo evoluiu, a expectativa de vida aumentou, mas algumas regras do corpo humano ainda são as mesmas dos tempos paleolíticos. Uma delas, inclusive, tem a ver com o ciclo reprodutivo da mulher, que começa a decair após os 35 anos mais ou menos. As células que geraram todos os óvulos já nascem com elas, ou seja, elas vão envelhecendo com o tempo, o que aumenta as chances de problemas. "Além disso, com a idade avançada há alterações do metabolismo, sistema imunológico, e do preparo do organismo para uma gestação, podendo assim desenvolver complicações", explica a ginecologista e obstetra Erica Mantelli.

Mas isso não quer dizer que você não possa mais ser mãe depois dessa idade. Ter qualidade de vida melhora muito as chances de uma gravidez tranquila e feliz, em qualquer idade. "Mulheres acima de 35 anos, que são saudáveis, praticam atividade física, mantêm alimentação equilibrada e fazem acompanhamento médico rigoroso conseguem amenizar alguns riscos", diferencia a especialista.

Por outro lado, ter filhos após essa idade está se tornando cada vez mais comum. "Há 20 anos 5% das grávidas tinham idade superior a 35 anos, hoje esse número chega a 20% em grandes capitais", contextualiza o ginecologista e obstetra Sang Cha, professor livre-docente da Universidade de São Paulo e vice-presidente da Sociedade Brasileira de Ultrassonagrafia. E se esse é o seu caso, não precisa então se desesperar. Avalie a seguir os principais riscos da sua gestação e veja como é possível evitá-los ou minimizá-los.
 
Hipertensão e pré-eclâmpsia
Os quadros são um pouco diferentes, mas envolvem um problema comum: a pressão arterial elevada, o que traz uma série de riscos à mamãe e ao bebê. E tanto a hipertensão quanto a pré-eclâmpsia são de duas a três vezes mais incidentes na gravidez após os 35 anos. "Existe o envelhecimento do útero, a placenta não desenvolve adequadamente, e assim ela libera substâncias que acabam induzindo a hipertensão", ensina o ginecologista e obstetra Sang Cha, professor livre-docente da Universidade de São Paulo e vice-presidente da Sociedade Brasileira de Ultrassonagrafia. Mais especificamente, essas substâncias agem na camada interna das veias, o endotélio, fazendo com que ele se endureça e necessitando que o sangue seja bombeado com mais força para circular com a velocidade necessária.

Como prevenir: Apesar da predisposição biológica, o estilo de vida está muito relacionado à gestação: "Alimentação saudável, com baixo teor de sódio, praticar atividade física , controlar ganho de peso e cuidar da saúde auxiliam sim", considera a obstetra Erica Mantelli. Mesmo assim, essas intercorrências podem aparecer, principalmente a pré-eclâmpsia, que não tem uma causa já definida. Por isso, o acompanhamento constante do obstetra nas primeiras semanas de gravidez é o que indica a maior parte dos riscos, não importa a idade da gestante.                     
 
Diabetes gestacional
A alta do açúcar no sangue é muito mais comum em gestantes acima dos 35 anos, cerca de duas a três vezes mais. Isso ocorre porque a resistência ao hormônio insulina aumenta com idade - esse quadro ocorre quando as células precisam muito desse hormônio para absorver uma mesma quantidade de glicose, o que em longo prazo favorece o diabetes. "Isso coincide com a gravidez, em que uma série de hormônios é aumentada, como a insulina, o que favorece a diabetes gestacional", considera Sang Cha.

Como prevenir: Mais uma vez cuidar do peso e da alimentação, aumentar a quantidade de atividade física e cuidados redobrados no pré-natal auxiliam a saúde da gestante e previnem esse risco. Porém, o ideal é que, além de cortar o sódio, reduza-se também a ingestão de carboidratos simples e açúcar, aumentando o número de alimentos integrais e com carboidratos complexos. 
 
Baixo crescimento fetal
O estilo de vida atual influencia na saúde da gestante e nesse problema, que é de duas a três vezes mais incidente em gestantes mais velhas. "Hoje é comum que os bebês cresçam pouco, já que as mulheres têm empregos de alto comando, trabalhos estressante, não comem bem, não descansam, trabalham até o fim da gestação e isso interfere na nutrição do feto", considera Sang Cha. O problema é que crianças que nascem abaixo do peso têm maiores chances de ter doenças cardiovasculares, diabetes, câncer e deficiências no aprendizado.

Como prevenir: Durante o pré-natal o obstetra vai acompanhando o crescimento do bebê através do peso da gestante, além das ultrassonografias. Caso ele note que a criança está crescendo pouco, ele certamente irá recomendar repouso. Mas para evitar esse problema, vale a pena pegar mais leve durante a gestação. "Outras atividades desviam fluxo de nutrientes e sangue do bebê", alerta o especialista. 
 
Anomalias genéticas
A mulher já nasce com todas as células que geraram seus óvulos, o que faz com que elas envelheçam com o passar do tempo. O problema é que células mais velhas podem ter maiores problemas de divisão celular, o que pode resultar em óvulos com cromossomos a mais ou a menos. Como o código genético determina todo o funcionamento do nosso corpo, isso pode acarretar em bebês com alterações. "Existem diversas síndromes causadas por alterações genéticas, e a Síndrome de Down é a mais conhecida. Mas existem outros como Síndrome de Turner, Distrofia Muscular de Duchenne, Fibrose Cística, Fenilcetonúria...", enumera Erica Mantelli. Outro problema comum causado pelas falhas genéticas é o aborto espontâneo ou nascimento de crianças com mal-formações.

Como prevenir: Engravidar mais cedo é a forma mais eficaz de reduzir os riscos desse problema. Porém, planejar uma gravidez tardia pode ajudar, e muito! Primeiro por que é possível fazer a criopreservação dos óvulos, garantindo que eles não envelheçam com você e tenham menos chances de terem problemas na divisão celular. Se esse não for o caso, a fertilização in vitro permite que um exame complementar que verifica se o embrião tem algum problema em seu DNA, o diagnóstico genético pré-implantação. Mas, infelizmente, isso envolve custos mais altos.
 
Placenta prévia
Essa condição ocorre quando a placenta está localizada no colo do útero, quando ela deveria estar ao fundo desse órgão. "Quando a placenta recobre o colo do útero, pode causar sangramento intensos e não permite o parto normal", explica Sang Cha. O problema é mais comum em gestantes mais velhas, mas principalmente aquelas que já tiveram outros filhos em partos cesarianas. Mas, no geral, acomete apenas 1% das gestantes.

Como prevenir: Não é sempre possível evitar o problema, apesar de uma forma de reduzi-lo seria com a realização de partos cesariana apenas quando houver real necessidade. Porém, a melhor forma de evitar problemas é o diagnóstico precoce. "Hoje com ultrassom se diagnostica isso até terceiro ou quarto mês", considera o especialista. Tendo detectado é possível prevenir um parto prematuro, evitando relações sexuais e atividades físicas de alto impacto. 
 
Parto prematuro
Partos prematuros não são exclusividade das gestantes mais velhas: sua incidência também é alta em mães adolescentes. Mas no caso das mulheres com mais de 35 anos, sua ocorrência se deve principalmente, à quantidade de outros riscos que encontramos nessa gestação. "Depois dos 35 anos o útero está envelhecido e tem problemas, o que facilita o parto prematuro. Ele normalmente é uma manifestação de um ambiente biológico inadequado - hipertensão e diabetes pode causar um parto precoce, por exemplo", contextualiza Sang Cha.

Como prevenir: De acordo com o especialista, 95% dos partos prematuros poderiam ser evitados com um pré-natal adequado, identificando condições de risco como diabetes gestacional, hipertensão ou pré-eclâmpsia.
 
Distócia funcional
O envelhecimento do útero também atrapalha o desenvolvimento do trabalho de parto, a chamada distócia funcional, que tem o dobro de incidência em mulheres após os 35 anos. Além disso, como a incidência de outros problemas é comum nessa faixa etária, muitas vezes é preciso antecipar o parto. "As distócias nessa idade se devem principalmente se o parto foi induzido, ou seja, não se iniciou espontaneamente", considera a obstetra Erica. Mas existem outras causas: "também ocorre por alterações na pelve, problemas posturais, histórico de cirurgias pélvicas, presença de mioma ou cistos", completa a especialista.

Como prevenir: A prevenção desse problema está essencialmente no trabalho do médico, ao usar a medicação certa, mudar a posição da gestante constantemente, dar suporte psicológico e controlar a dor de forma correta, com anestesias e outras medidas.
 
Minha Vida

Sete receitas de bebidas para aquecer os dias frios

Cappuccino, chá de gengibre e café com marshmallow são ótimas pedidas

Chocolate quente - Foto Getty ImagesChocolate quente Simples e fácil de preparar, essa receita pode ser feita tanto no fogão quanto no microondas - e fica uma delícia!

Ingredientes:
2 potes de danone sabor chocolate
1 medida de leite (use o pote de danone para medir)

Modo de Preparo:
No micro-ondas: Junte os 2 potes de danone sabor chocolate a uma medida de leite e misture bem os ingredientes. Leve ao micro-ondas por 2 minutos. No fogão convencional: Junte os 2 potes de danone sabor chocolate a uma medida de leite e leve ao fogo. Mexa com uma colher por aproximadamente 5 minutos.

Rendimento: 1 caneca

Receita cedida por www.danette.com.br
 
Vinho quente - Foto Getty Images Vinho quente
Famoso em festas juninas, o vinho quente é a bebida perfeita para os dias frios.

Ingredientes:
5 litros de vinho tinto
Suco de 3 laranjas

1/2 pacote de noz moscada
1/2 pacote de canela em pau amassado
1/2 pacote de cravos inteiros
2 maçãs doces picadas
1 1/2 kg de açúcar
1 litro de água

Modo de Preparo:
Despeje tudo, menos as maçãs, em uma panela grande e esquente, sem deixar ferver. Quando estiver bem quente, junte as maçãs picadas e teste o tempero e sabor, sempre em fogo baixo.

Carolinas por porção: 40 kcal
 
Café com doce de leite e amarettoCafé com doce de leite e amaretto
Esse deliciosa receita com certeza irá adoçar os dias frios.

Ingredientes:
1 xícara (chá) de doce de leite cremoso
3 xícaras (chá) de café pronto quente
6 colheres (sopa) de açúcar
3 colheres (chá) de amaretto
2 xícaras (chá) de chantilly

Modo de Preparo:
Disponha duas colheres (sopa) de doce de leite no fundo de cada copo. Adoce o café, acrescente o amaretto e misture bem. Disponha ½ xícara (chá) de café (100 ml) sobre o doce de leite. Faça o mesmo para os demais copos. Guarneça com o chantilly e decore com amêndoas torradas e laminadas.

Receita cedida por Santa Marina
 
Chá de gengibre - Foto Getty ImagesChá de gengibre
Além de ser uma bebida quentinha, o gengibre é um alimento termogênico - seu consumo eleva a temperatura corporal, aumentando o gasto calórico em até 10%.

Ingredientes:
1 litro de água
2 colheres (sopa) de gengibre picado
1 rodela de limão sem casca
Adoçante a gosto

Modo de Preparo:
Ferva a água por aproximadamente 10 minutos. Junte o gengibre e o limão e abafe. Coar e servir bem quente. 
 
Café com marshmallow - Foto Getty ImagesCafé com marshmallow
O marshmallow dessa receita leva café no preparo, podendo ser usado para adoçar outras bebidas.

Ingredientes do Marshmallow:
7 colheres (sopa) de pó de café (140g)
2 xícaras (chá) de água quente
1 xícara (chá) de açúcar
2 envelopes de gelatina em pó incolor e sem sabor(24g)
1 xícara (chá) de água fria
4 claras
Meia xícara (chá) de açúcar de confeiteiro
1 xícara (chá) de amido de milho

Ingredientes do Café:
8 colheres (sopa) de pó de café (160g)
1 litro de água quente
1 colher (sopa) de gengibre ralado
 
Modo de Preparo:
Para o marshmallow, prepare o café com a água quente indicada e coloque-o em uma panela grande com o açúcar. Leve ao fogo para ferver e formar uma calda bem grossa. Polvilhe a gelatina sobre a água fria para hidratar. Em seguida, junte na calda quente para dissolvê-la completamente. Na tigela grande da batedeira misture as claras com o açúcar de confeiteiro. Bata muito bem em velocidade alta até formar um merengue firme. Adicione a calda quente aos poucos, em forma de fio, batendo sempre até que esfrie. Despeje numa assadeira retangular grande, deixe esfriar e corte em cubos de 2 cm para formar os marshmallows e passe-os pelo amido de milho. Prepare o café com a água misturada com o gengibre ralado. Sirva este café adoçado com o marshmallow.
 
Receita cedida por Café Pilão
 
Chá preto diferente - Foto Getty ImagesChá preto diferente
Essa receita leva anis, essência de baunilha e gengibre ralado.

Ingredientes:
2 xícaras (chá) de água
4 cravos da Índia
1 unidade de canela em pau
1 anis estrelado
1 colher (sobremesa) de gengibre ralado
1 colher (café) de essência de baunilha
2 sachês de chá preto
Adoçante a gosto 
 
Modo de Preparo:
Coloque os ingredientes para ferver em fogo baixo por cerca de 10 minutos. Desligue e acrescente o chá. Passe por uma peneira e sirva.
 
Capuccino - Foto Getty ImagesCapuccino
Elegante e saborosa, essa bebida promete aquecer seu inverno.

Ingredientes:
400 g de leite em pó
2 colheres de café de bicarbonato de sódio
4 colheres de sopa de chocolate em pó
100 g de café solúvel
2 colheres de açúcar refinado
1 pacote de preparo para chantilly

Modo de Preparo:
Bater no liquidificador, seguindo a ordem dos ingredientes e guardar em recipientes bem fechado. Se quiser um café capuccino mais forte, use nescafé tradicional, se quiser mais fraco utilize o matinal. Se lhe agrada, pode-se colocar um pouquinho de canela em pó.

Receita cedida pelo site Rudge SBC

Minha Vida

Acervo conta história da arquitetura hospitalar brasileira

Hospital de Aeronáutica (Centro Hospitalar do Galeão),
Rio de Janeiro-RJ, 1967
Um acervo digital inédito no país disponibiliza material sobre a história e evolução da arquitetura hospitalar brasileira
 
A iniciativa de digitalizar parte desse acervo foi do Instituto de Pesquisas Hospitalares Arquiteto Jarbas Karman (IPH), entidade sem fins lucrativos que completa 60 anos este ano.
       
São livros, revistas, projetos arquitetônicos, fotos, vídeos e outros documentos que traçam uma espécie de linha do tempo da construção de hospitais de 1949 até os dias de hoje.
 
Os materiais reunidos pelo IPH relatam a participação de Jarbas Karman no desenvolvimento de diversos hospitais, entre os quais o Hospital Israelita Albert Einstein, na capital paulista e o Hospital do Câncer (Pio XII), em Barretos, interior de São Paulo, mas também contém registros e documentos de diversos outros autores.
 
Os livros somam aproximadamente 750 exemplares. Os projetos arquitetônicos onde Jarbas Karman atuou somam 6 mil plantas que abarcam cerca de 300 projetos. Também, integram o acervo coleções como Revista Paulista de Hospitais, Hospital de Hoje e Vida Hospitalar. E, as estrangeiras, The Modern Hospital, Hospital Topics, The Canadian Hospital e Das Krankenhaus, entre outras.
 
Serviço:
O acervo estará disponível para pesquisa no novo portal do Instituto, que foi completamente remodelado por ocasião da celebração dos 60 anos do IPH e entra no ar em maio.
 
SaudeWeb

Saúde suspende repasse para 1.027 municípios

Reprodução
Regiões não cadastraram os serviços de vigilância sanitária no Sistema de CNES e não alimentaram regularmente o Sistema de Informação Ambulatorial
 
Portaria do Ministério da Saúde, publicada nesta quinta-feira (2) no Diário Oficial da União, suspende a transferência de recursos financeiros para 1.027 municípios que não cadastraram os serviços de vigilância sanitária no Sistema de Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde e não alimentaram regularmente o Sistema de Informação Ambulatorial.
 
De acordo com o texto, fica suspensa a transferência de recursos financeiros do Componente de Vigilância Sanitária do Bloco de Vigilância em Saúde, da competência dos meses de janeiro a abril de 2014, para estados e municípios irregulares no monitoramento feito no dia 25 de março.
 
A portaria entra em vigor hoje com efeitos financeiros retroativos a janeiro deste ano.
 
SaudeWeb

AstraZeneca rejeita nova oferta de aquisição da Pfizer

Foto: Reprodução
Nova proposta feita pela Pfizer foi de 63 bilhões de libras esterlinas (cerca de US$ 106,4 bilhões)
 
Segundo comunicado divulgado nesta sexta-feira, o conselho de administração da britânica AstraZeneca se reuniu e considerou os termos financeiros propostos pela americana Pfizer “insuficientes”.
 
A nova proposta feita pela Pfizer foi de 63 bilhões de libras esterlinas (cerca de US$ 106,4 bilhões). A oferta anterior era de 60 bilhões de libras (US$ 100,8 bilhões).
 
O presidente da AstraZeneca, Leif Johansson, informou em comunicado que a empresa continua a investir significativamente em pesquisa, desenvolvimento e fabricação no Reino Unido, Suécia e Estados Unidos.
 
“A proposta da Pfizer iria diluir drasticamente a exposição dos acionistas da AstraZaneca ao nosso pipeline e criaria riscos em torno da sua entrega. Como tal, o conselho não tem qualquer hesitação em rejeitar a proposta”, afirmou a companhia em comunicado.
 
SaudeWeb

Estabilização da Aids mascara disparidades regionais

Foto: Reprodução
Epidemia continua concentrada nas grandes cidades, e a mudança para o interior é caracterizada por pequenas ou médias subidas e descidas nos relatórios
 
No artigo Geografia social da Aids no Brasil: identificando padrões de desigualdades regionais, publicado na revista Cadernos de Saúde Pública da Fiocruz, as pesquisadoras da Escola Nacional de Saúde Pública (Ensp/Fiocruz), Tatiana Rodrigues de Araujo Teixeira e Monica Siqueira Malta, e os pesquisadores Renata Gracie e Francisco Bastos, do Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde (Icict/Fiocruz), apontam para a aparente estabilização da mortalidade por Aids, que tende a mascarar desigualdades regionais. “Os determinantes sociais da saúde e disparidades regionais devem ser levadas em conta na formulação de programas e políticas”, indicam os pesquisadores.
 
O mais recente relatório do Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/Aids (Unaids) mostrou uma redução de mais de 50% na taxa de novas infecções pelo HIV em 25 países de baixa e média renda, mais da metade da África, a região mais fortemente afetada pela propagação do HIV. De acordo com o artigo, o Brasil tem um território grande e extremamente heterogêneo, com a epidemia de Aids concentrada em determinadas regiões e subpopulações. Os autores esclarecem, no entanto, que homogeneidade e estabilidade aparente da epidemia mascaram uma situação complexa com processos epidêmicos localizados que afetam determinadas regiões e/ou populações em maior risco. “De 1980 a junho de 2012, 656.701 novos casos de Aids foram notificados no Brasil. O Sul foi a região do país com maior incidência de Aids, com 30,9 casos/100.000 habitantes, seguido por taxas mais baixas nas regiões Sudeste (21,0), Norte (20,8), Centro-Oeste (17,5) e Nordeste (13,9)”, explicam os pesquisadores.
 
A pesquisa observa que a maior concentração de casos ocorre nas cidades costeiras e grandes áreas metropolitanas. A epidemia continua concentrada nas grandes cidades, e a mudança para o interior é caracterizada por pequenas ou médias subidas e descidas nos relatórios, exibindo uma combinação heterogênea de estabilidade, declínio e expansão, que ocorre de forma diferente nas diversas regiões do país.
 
Além disso, muitos municípios com altas taxas de incidência estão localizados em áreas ao longo das principais rodovias federais. “Rodovias podem levar a diferentes mudanças no ambiente social e desempenham papéis distintos na disseminação e manutenção de doenças e ameaças à saúde, tais como a transmissão e a violência HIV, uma vez que funcionam como ligações entre locais isolados”, apontam.
 
Outros estudos recentes, informa o artigo, indicam que a mortalidade por Aids no Brasil também é subestimada pelo Sistema de Informação sobre Mortalidade (SIM). Foram identificados cinco causas de mortes relacionadas com o HIV/Aids que apresentaram erros de classificação: pneumonia, sarcoma de Kaposi, outras imunodeficiências, outras causas de septicemia, e outras causas de pneumonia.
 
Os dados históricos da doença mostram que, desde 1996, houve uma queda constante da mortalidade por Aids; o aumento da incidência da doença não foi acompanhado por um aumento proporcional no número de mortes. Enquanto isso, o Sudeste também apresentou uma queda na incidência desde 1998, embora menos acentuada do que a diminuição da mortalidade. De 1999 a 2007, 290.189 novos casos de Aids foram notificados no Brasil. O ano de 2002 apresentou o maior número de novos casos (35.463), e tem havido um declínio no número desde 2003. A taxa de incidência nacional aumentou de 16,10 casos/100. 000 habitantes em 1999, para 20.31/100. 000 em 2002.
 
Segundo os autores, os progressos realizados no tratamento da infecção pelo HIV incluem o desenvolvimento e uso de diferentes grupos de drogas anti-retrovirais (nucleosídeo e inibidores da transcriptase reversa não-nucleósidos, inibidores de protease e, mais recentemente, os inibidores da fusão e da integrase). A combinação desses medicamentos na forma de esquemas definidos de tratamento com base em protocolos clínicos validados constitui chamado terapia anti-retroviral altamente ativa (Haart), implementado desde o final da década de 1990, juntamente com várias medidas de prevenção e controle. “Esse tratamento resultou em importantes melhorias na expectativa de vida e da qualidade de vida das pessoas vivendo com HIV/Aids nos países em desenvolvimento e nas populações marginalizadas nos países desenvolvidos, com uma redução importante na morbidade e mortalidade”, destacam.
 
O artigo Geografia social da Aids no Brasil: identificando padrões de desigualdades regionais foi publicado na revista Cadernos de Saúde Pública, vol. 30 n.2 , de fevereiro de 2014.
 
SaudeWeb

Prefeitura de Jaguapitã - PR abre processo seletivo

A Prefeitura do município de Jaguapitã, estado do Paraná, publicou os editais nº. 001 e 002/2014 de processo seletivo, visando a contratação de 35 profissionais por tempo determinado, para atender necessidade temporária de excepcional interesse público, pelo prazo de seis meses, para atuarem junto às Secretarias Municipais de Educação e de Saúde. A remuneração é de até R$ 2.786,99 em regime de trabalho de 20, 30 ou 40 horas semanais.
 
Requisitos:
Graduação Plena em Pedagogia, Odontologia, Enfermagem e Fisioterapia;

Registro no Conselho Regional de Odontologia (CRO) - inscrição definitiva ou provisória válida;

Registro no Conselho Regional de Enfermagem (COREN) como Enfermeiro (inscrição definitiva ou provisória válida);

Registro no Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional (CREFITO) - inscrição definitiva ou provisória válida;

Curso Específico de Técnico de Enfermagem;

Registro no Conselho Regional de Enfermagem (COREN) como Técnico em Enfermagem (inscrição definitiva ou provisória válida);

Ensino Fundamental Completo.
 
Cargos
Professor, Enfermeiros, Fisioterapeutas , Cirurgiões Dentistas, Técnicos em Enfermagem, Auxiliar de Odontologia e Agente de Endemias.
 
As inscrições serão presenciais e deverão ser efetuadas na Secretaria de Educação da Prefeitura de Jaguapitã, no período de 05 a 15 de maio de 2014, das 08h às 12h e das 13h30 às 17h, situada à Rua Pernambuco, 90, centro, Jaguapitã/PR. Não será cobrada taxa de inscrição.
 
No ato da inscrição o candidato deverá ter em mãos no ato da inscrição, o curriculum vitae juntamente com os documentos pessoais em cópias autenticadas, como também os certificados e documentos que comprovem as especialidades constantes no curriculum vitae, em cópias autenticadas.
 
O processo seletivo será realizado em 02 etapas, sendo a primeira referente à análise de currículo e documentação e a segunda, entrevista.
 
As entrevistas serão realizadas nos dias 20 e 21 de maio de 2014, na Secretaria de Educação da Prefeitura Municipal de Jaguapitã, situada à Rua Pernambuco, 90, centro, na cidade de Jaguapitã.
 
O edital encontra-se publicado no Diário Oficial dos Municípios do Paraná, de 28 de abril de 2014, pág. 125 a 131.

Concurso Prefeitura de Esperança Nova - PR

Com o objetivo de reforçar seu quadro de servidores, a Prefeitura de Esperança Nova, localizada no estado do Paraná, anunciou a realização de concurso público por meio do edital 01/2014. Os salários são de até R$ 7.007,59 por jornada de 20 a 40 horas semanais.
 
As vagas são para Médico, Farmacêutico, Psicólogo, Engenheiro Civil, Assistente Social, Professor, Auxiliar Administrativo, Agente Comunitário de Saúde, Atendente de Consultório Dentário, Auxiliar de Serviços Gerais, Gari, Pedreiro, Motorista II, Tratorista, Contador e Assistente Administrativo.
 
As inscrições devem ser realizadas no período de 09 de abril a 09 de maio de 2014, no Departamento de Recursos Humanos da Prefeitura Municipal, Avenida Juvenal Silva Braga, nº 181, Centro.
 
As provas objetivas serão realizadas no Município de Esperança Nova – Paraná, no dia provável de 08 de junho de 2014 e a seleção também constará de prova de títulos.
O resultado das provas objetivas e dos títulos será divulgado nos sites da RUFFO (http://www.ruffoconcursos.com.br) e da Prefeitura Municipal e no Painel de Editais da Prefeitura Municipal e publicado no Órgão Oficial do Município, Jornal Umuarama Ilustrado.

Concurso Prefeitura de Campo do Tenente - PR

A Prefeitura de Campo do Tenente, no estado do Paraná, está com inscrições abertas para dois novos certames de provas e títulos (concurso público n° 001/2014). O planejamento da Administração é preencher 26 vagas para profissionais de níveis fundamental, médio e superior.

Do total de oportunidades, 07 serão para a função de Agente Comunitário de Saúde e 19 para os demais cargos. Os salários variam de R$ 724,00 a R$ 2.675,00, por jornadas de trabalho de até 240 h/m.

O concurso terá a execução do Instituto o Barriga Verde - IOBV e os candidatos poderão obter informações atualizadas por meio do site da empresa (www.iobv.com.br).

As chances são para os empregos de Mecânico, Motorista, Operador de Máquinas, Sepultador, Assistente Administrativo, Técnico Administrativo, Técnico em Recursos Humanos, Técnico em Tributação, Tesoureiro, Técnico em Agrimensura, Técnico em Segurança do Trabalho, Contador, Engenheiro Civil, Farmacêutico, Fonoaudiólogo, Médico Veterinário, Médico, Médico Ginecologista, Nutricionista e Agente Comunitário de Saúde.

As inscrições serão realizadas até às 14 horas de 23 de maio de 2014, por meio do site www.iobv.com.br.

Taxa de inscrição:
- Para cargos com exigência de curso superior: R$ 100,00;
- Para cargos com exigência de curso de ensino médio: R$ 60,00;
- Para cargos com exigência de ensino fundamental: R$ 40,00.

As provas serão aplicadas na data prevista de 08 de junho de 2014, em locais e horários a serem divulgados no dia 02 de junho de 2014. A divulgação do gabarito preliminar da prova objetiva escrita será na data provável de 09 de junho de 2014, no site www.iobv.com.br.

O prazo de validade do concurso será de até dois anos, prorrogável por uma vez, por igual período, contados a partir da data de sua homologação.

Concurso Prefeitura de Capoeiras - PE 2014

Com intuito de prover 85 vagas em todos os níveis de escolaridade, a Prefeitura de Capoeiras, no estado de Pernambuco, lançou o edital nº 01/2014 de concurso público. Os candidatos aprovados no certame, se nomeados, farão jus a remuneração de até R$ 2 mil.
 
Há oportunidades nas áreas administrativa, saúde, educação, assistência social e infraestrutura.
 
As chances são para os cargos de Professor de Fundamental I; Professor de Letras – Português/Inglês; Professor de Educação Física; Professor de Biologia; Professor de História; Professor de Geografia; Professor de Matemática; Assistente Social; Enfermeiro-PSF; Odontólogo-PSF; Psicólogo; Técnico em Enfermagem; Técnico em Enfermagem-PSF; Atendente de Consultório Dentário-PSF; Orientador Social; Auxiliar Administrativo, Auxiliar de Serviços Educacionais; Guarda Municipal; Motorista I; Motorista II; Gari/Margarida e Auxiliar de Serviços Gerais.
 
As inscrições pela internet podem ser realizadas, através do site www.portalidest.com.br/concurso/capoeiras14, até 18 de maio de 2014.
 
Na modalidade presencial, as inscrições podem ser feitas até 16 de maio de 2014, no endereço Praça João Borrego – Telecentro Comunitário, Capoeiras/PE, CEP nº 55.365-000, no horário das 8h (oito) às 13h (treze) horas.
 
As taxas variam de R$ 40 a R$ 80, de acordo com o cargo desejado.
 
De acordo com o cronograma do edital, a seleção será composta de prova de conhecimentos, que serão aplicadas na data prevista de 20 de julho de 2014.
 
O gabarito preliminar será anunciado no mesmo dia da aplicação da prova e o resultado final será homologado até 02 de setembro de 2014.