Aplicativos, carreira, concursos, downloads, enfermagem, farmácia hospitalar, farmácia pública, história, humor, legislação, logística, medicina, novos medicamentos, novas tecnologias na área da saúde e muito mais!


segunda-feira, 14 de abril de 2014

Coceira vaginal pode ser controlada com simples mudança de hábitos

Coceira vaginal pode ser controlada com simples mudança
de hábitos
Tecido da roupa íntima e uso diário de absorvente podem ser causas da irritação
 
A coceira vaginal é um incômodo presente na vida de muitas mulheres, e pode indicar desde uma simples alergia até a presença de doenças mais graves, como DSTs.
 
"Processos irritativos por algum produto externo, parasitoses, infecção por HPV, candidíase, alergias e doenças como psoríase, dermatites e até câncer tem como sintoma comum a coceira vaginal", explica o ginecologista Fabio Laginha, responsável pela Clínica da Mulher do Hospital 9 de Julho, em São Paulo.
 
No entanto, se não houver outros sintomas relacionados à coceira, como secreção de coloração e odor estranho, dor ao urinar, vermelhidão, inchaço e dor no ato de relação sexual, entre outros sinais, são grandes as chances de ser uma irritação que pode ser controlada com a mudança de alguns hábitos.
 
A melhor forma de prevenir irritações genitais é associar higiene correta, como lavar as mãos antes e depois de ir ao banheiro, com visitas regulares ao seu ginecologista.
 
Confira as causas mais comuns de irritações na região íntima e fique livre da coceira vaginal: 
 
sabonete em barra - Foto: Getty ImagesUso inadequado do sabonete
"A higienização excessiva ou diminuída da área íntima pode levar a irritações porque altera a camada de gordura protetora da região, fundamental para manter a hidratação da pele e proteger a microflora bacteriana vulvar", explica a ginecologista Rose Amaral, do departamento de Ginecologia da Unicamp e diretoria da Sociedade de Doenças Sexualmente Transmissíveis de São Paulo. Além disso, a vagina tem um pH ácido, ao passo que os sabonetes normais possuem pH alcalino ou neutro, e usá-los poderia causar alterações dessa natureza na flora vaginal, prejudicando as bactérias da área e favorecendo irritações. "Perfumes também podem ser irritantes, mesmo com um sabonete íntimo adequado para a área, por isso os produtos devem ser os mais neutros possíveis", explica a ginecologista Sueli Raposo, do laboratório Exame, em Brasília. O correto é fazer a higiene da área pelo menos uma vez ao dia, usando apenas a espuma e o produto que mais atende suas necessidades - lembrando que quanto mais próximo do neutro, em questões de odores e pH, melhor.  
 
calcinha pendurada no varal - Foto: Getty ImagesTecido da roupa íntima
Outra causa de alergia e coceira vaginal muito comum é o tecido da roupa íntima, que está em contato direto com a vulva. "O melhor tecido vai variar de acordo com o organismo da mulher, mas os mais recomendados para uso diário são algodão ou seda, sem tingimentos", explica a ginecologista Flávia Fairbanks, de São Paulo. Os tecidos que favorecem as irritações são os sintéticos, renda e elastano. "Outra questão importante é o pH vaginal, que pode ser alterado dependendo da lingerie usada, causando alergia", completa. Os tecidos alergênicos também podem prejudicar a respiração da área, favorecendo a transpiração e causando vermelhidão e coceira. 
 
mulher segurando uma calcinha apertada - Foto: Getty ImagesRoupa íntima com elástico apertado
"O uso de elástico apertado é desaconselhável, pois provoca desconforto e traumatismos constantes", alerta a ginecologista Rose. O ginecologista Fabio Laginha, explica que o elástico muito apertado da roupa íntima causa atrito com a pele, resultando em manchas escuras ou até mesmo varizes e celulite, além de favorecer uma irritação. "Roupas íntimas muito apertadas também prejudicam a ventilação local, aumentando as chances de coceira vaginal", completa a ginecologista Flávia. 
 
mulher vestindo uma calça jeans apertada - Foto: Getty ImagesCalças muito apertadas
"Diversas são as infecções causadas por bactérias ou fungos que podem ser provocadas pela dupla 'roupa apertada e suor', entre elas está a candidíase", declara a ginecologista Flávia. Calças apertadas e com tecidos pesados, como o jeans, causam aumento da umidade e do calor na área íntima, tornando o ambiente ideal para a proliferação desses micro-organismos.  
 
mulher colocando absorvente - Foto: Getty ImagesAbsorvente externo
"Mulheres podem desenvolver irritações e alergias ao absorvente externo, desde que este apresente odores fortes ou que ela seja mais sensível as propriedades dos absorventes", explica Rose Amaral. Aqueles que não levam algodão na cobertura pedem mais alerta, pois abafam a região com mais facilidade. ?Após constatar que a irritação é pelo uso do absorvente, deve-se tentar trocar a marca do produto ou então buscar alternativas, como o absorvente interno e o copo menstrual." Dependendo da gravidade da alergia, outra alternativa é a interrupção da menstruação, que deve ser pensada junto a um ginecologista. "Para todos os produtos, o melhor é obedecer o tempo de troca e manter a região limpa", completa a ginecologista Flávia. Em alguns casos, a alergia pode estar sendo causada pelo plástico que constitui as abas do absorvente externo. Nesse caso, a simples substituição pela versão sem abas pode minimizar a coceira vaginal. "Em caso de dúvida, converse com seu ginecologista e peça exames laboratoriais para identificar qual a razão da alergia."
 
absorvente diário - Foto: Getty ImagesUso de absorventes diários
Seguindo a mesma lógica das roupas apertadas, o uso de absorventes diários também é uma das causas de irritação e coceira vaginal. "O produto irá causar um abafamento na área íntima, que irá suar mais e será alvo fácil de micro-organismos, provocando irritação e corrimentos", afirma a ginecologista Sueli.
 
Lâminas de barbear - Foto: Getty ImagesDepilação na área íntima
Segundo a dermatologista Rose, a depilação em si - seja com ceras ou lâminas -, deixa a pele da vulva com poros entreabertos ou até mesmo com pequenas fissuras, favorecendo infecções. Por isso, afirma a especialista, é importante focar nos cuidados pré e pós depilação. "Higienizar bem a área antes e lavar e usar produtos calmantes logo após o procedimento são fundamentais para evitar irritações", explica. No caso de uma reação intensa pós depilação, lave bem a área, use chás de camomila e procure seu ginecologista caso não houver melhora. Também é importante que todo o material seja descartável e de uso pessoal. "Na depilação da área íntima, é recomendado preservar uma faixa de pelo com 2 cm em média, pois os pelos protegem a área, evitando o atrito direto com roupas e absorventes", ressalta o ginecologista Fabio. 
 
camisinhas - Foto: Getty ImagesFalta de higiene nas relações sexuais
A coceira vaginal e algumas irritações na área podem surgir após uma relação sexual. Isso acontece no geral pela falta de higiene da mulher ou do parceiro, bem como a falta de camisinha. A ginecologista Sueli explica que o atrito da relação sexual pode causar pequenas fissuras na pele, favorecendo uma irritação, e falta de higiene antes do ato sexual aumenta as chances de uma contaminação. "O uso da camisinha durante as relações sexuais pode diminuir esse atrito ou mesmo o contato com micro-organismos que estejam presentes no corpo do parceiro", completa a especialista.  
 
Minha Vida

Dieta do suco verde: oito lições que é possível tirar dela para emagrecer

Reprodução
Bebida desintoxicante tem alta concentração de fibras e nutrientes
 
A dieta do suco verde é a nova sensação do momento, caiu tanto na boca do povo quanto no copo das famosas. Mas o que não falta são manuais de como fazê-la. Tem gente que a troca por uma refeição, outros a substituem por várias. "Tecnicamente não existe uma 'dieta do suco verde', apenas a adoção dessa bebida para a alimentação", explica a nutricionista funcional e clínica Roseli Rossi.

A promessa de emagrecimento é de até 5 kgs por mês, caso o suco sacrifique uma das grandes refeições do dia (café da manhã, almoço ou jantar). Mas sair por aí trocando o almoço ou jantar pelo suco e mexer como bem quiser no próprio cardápio pode trazer prejuízo à saúde. "Em longo prazo, ao fazer a dieta sem acompanhamento, a tendência é caminhar para uma perda balanço nutricional", pondera Roberto Navarro, nutrólogo e membro da Associação Brasileira de Nutrologia (ABRAN).

O suco tem entre seus ingredientes básicos couve, aipo, pepino e espinafre, e é sempre adicionado de uma fruta. Ele pode levar também algum grão funcional e o líquido usado para sua diluição também é variado, como chás, sucos, água ou água de coco. Os maiores trunfos da bebida para ajudar no emagrecimento são o seu efeito desintoxicante, a união entre consumo de fibras e hidratação e o coquetel de nutrientes proporcionado pelo mix de frutas e vegetais das receitas. De acordo com Roseli, a fórmula depende muito da intenção e das necessidades de cada um.

"É possível perder peso de forma gradual e segura com o suco verde, aliando a bebida à uma dieta equilibrada", aponta a nutricionista. Conversamos com os especialistas para entender melhor de que forma adicionar essa o suco verde ao dia a dia pode ser saudável, e aprendemos que quando feita da forma certa, essa dieta pode trazer vários benefícios.
 
Confira as maiores lições e também a forma certa de inserir o suco verde no dia a dia sem desvantagens para a saúde: 
 
Vegetais - Foto: Getty ImagesIncluir mais vegetais na dieta
De acordo com a pesquisa Vigitel (Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico) feita em 2011 pelo Ministério da Saúde, cerca de 20% da população brasileira consome a quantidade de frutas e vegetais recomendada pela Organização Mundial de Saúde, que é de 400 gramas por dia. O resto todo consome menos do que isso.

Por isso mesmo, os especialistas consideram a adoção do suco verde uma boa pedida. "Para quem não come nada de verduras, mas decide ingerir esse suco, a ideia da dieta acaba sendo muito bem-vinda. Ele equivale a uma porção de fruta e uma porção de verdura, e o indicado é no máximo cinco das primeiras e no mínimo quatro das últimas ao dia", ensina Roberto Navarro, nutrólogo e membro da Associação Brasileira de Nutrologia (Abran). Ele acaba sendo mais bem aceito do que as saladas, justamente por camuflar o sabor de itens como a couve, mas não pode ser a única hora em que você vai consumir vegetais durante o dia. "O uso da fruta mascara gostos nem sempre tão bem aceitos, por isso tem gente que só consegue comer esses itens com essa apresentação", explica a nutricionista clínica e funcional Roseli Rossi.                     
 
Suco verde desintoxicante - Foto: Getty ImagesDesintoxicar nosso organismo
Outra característica que todos os ingredientes desse suco têm em comum é a propriedade de desintoxicar nosso organismo. Esse processo é feito no fígado, e alguns nutrientes ajudam a fazer com que ele ocorra. "É o caso dos compostos cidrilicos, presentes na couve e no espinafre, mas também em alimentos como alho e cebola", conta Navarro.

Porém, não podemos confundir a dieta do suco verde com a dieta desintoxicante, também conhecida como a dieta detox. "Na última, há uma série de outros alimentos, como a preferência por apenas proteínas magras, no caso as carnes brancas, por exemplo", assinala a nutricionista Roseli Rossi. Porém, o suco poderia fazer parte dessa dieta e, muitas vezes, a bebida é incluída no cardápio da detox.
 
Beber água é importante - Foto: Getty ImagesAliar fibras e líquidos
Uma das maiores vantagens do suco é aumentar a quantidade de fibras da alimentação, já que esses vegetais as têm em grandes quantidades. A presença dessas substâncias colabora para o trânsito intestinal, ajuda a tornar mais lenta a digestão do colesterol e da glicose, evitando seus picos no sangue, entre diversos outros benefícios. Mas todos esses efeitos só dão certo com o consumo proporcional de água, outra vantagem do suco. Afinal, além de ter algum líquido para dar a consistência de suco ao alimento, os próprios ingredientes tem um bom teor de água. Mas atenção: "o suco não pode ser coado, pois o processo retém todas as fibras", alerta Navarro. 
 
Nutrientes - Foto: Getty ImagesAlimentar-se levando em conta os nutrientes
No caso do suco verde, seus alimentos base contêm diversos nutrientes muito importantes para o organismo. "Eles são ricos em ácido fólico, em magnésio, ferro e vitamina C. O aipo tem potássio e vitamina K. Já o gengibre tem efeito termogênico, que pode facilitar emagrecimento. E os vegetais verdes escuros têm dois antioxidantes importantes, zeaxantina e luteína, que protegem a saúde ocular" enumera o nutrólogo Navarro.

A clorofila, muito presente nos alimentos de origem vegetal, também faz bem ao nosso organismo. "Ela faz com que haja desintoxicação e alcaliniza o sangue. Quando o corpo está muito ácido, ele fica mais propenso ao aparecimento de doenças. Sua função antioxidante elimina os radicais livres advindos do estresse e da má alimentação", ensina a nutricionista Roseli.
 
Alimentação balanceada - Foto: Getty ImagesLevar uma alimentação mais regrada
Agora, um ponto mais do que fundamental se a ideia é perder peso. Sozinho, o suco não faz milagres. Levar uma alimentação desregrada, como o consumo de gordura saturada e açúcar em excesso, aliada ao suco não trará os resultados esperados, principalmente se o objetivo principal for emagrecer. "Pode haver uma melhora em qualidade de vida, pois a pessoa passa a ingerir pelo menos um pouco mais de frutas e vegetais. Porém, não haverá tanto emagrecimento se os hábitos alimentares como um todo não forem revistos", pondera Roseli. A importância de repor nas outras refeições os nutrientes não ingeridos através do suco se dá devido ao perigo de uma perda no balanço nutricional. "Se o suco substitui café da manhã, almoço ou jantar vai haver uma carência de alguns nutrientes, que pode ocasionar diversos problemas de saúde", assinala Navarro.
 
Nutricionista - Foto: Getty ImagesTer acompanhamento especializado
A base da dieta é a substituição de uma refeição pela bebida. Enquanto alguns podem torcer o nariz para esse tipo de prática, saiba que ela tem o aval de nossos especialistas. "De uns anos para cá estudos vem demonstrando que isso pode ser feito, desde que apenas uma refeição seja substituída e as outras sejam extremamente equilibradas em nutrientes e grupos alimentares", expõe o nutrólogo Navarro. Por isso mesmo, é preciso e é importante ter um acompanhamento de um nutricionista, que poderá montar um cardápio completo e equilibrado para as necessidades de cada paciente.

Porém, nada de pensar em trocar o almoço por um copo da mistura, nas refeições principais o ideal é que se tenha um equilíbrio entre os macronutrientes. "Por mais que você coloque sementes, água de coco e alimentos diversos, essa bebida nunca vai ter a quantidade ideal de proteínas, por exemplo, que justifiquem a troca pelo prato do almoço", ressalta a nutricionista Roseli. A indicação da especialista é você substituir o item por um lanche da manhã ou da tarde, e se consumir a noite, apenas o faça cerca de duas horas após o jantar, para que a refeição anterior não atrapalhe a absorção dos nutrientes do suco. 
 
Comendo em excesso - Foto: Getty ImagesTomar cuidado com os excessos
Quando a dieta é feita substituindo apenas um dos lanches, ela pode ser feita pelo tempo que o paciente quiser ou, ao menos, não enjoar. "Alguns estudos citam um ou dois meses para dietas de substituição, antes que fique monótono", ensina Navarro. Mas ela deve ser parada imediatamente quando o paciente sentir sintomas como fermentação, náuseas e estufamento, normalmente causados pelo excesso de fibras.

Outro ponto importante fica a cargo da quantidade de suco ingerida, não dá para tomá-lo indiscriminadamente. O indicado é de 200 a 250 ml por dia, apenas na refeição escolhida para ser substituída. Consumir as fibras em excesso pode causar os sintomas já citados, e o ácido fólico, que também é encontrado em grande quantidade nesse suco, se estiver sobrando em nosso organismo começa a causar prejuízos, eliminando alguns nutrientes, como avisa a nutricionista Roseli. 
 
Importância de mastigar - Foto: Getty ImagesMastigar também é importante
A mastigação acaba ficando um pouco em falta nessa dieta. "O alimento sólido dá mais saciedade, pois demora mais tempo para ser digerido. Ao bater os ingredientes, o liquidificador faz o trabalho dos nossos dentes e estômago", compara Roseli. Além disso, o ato de mastigar faz bem para a saúde bucal e desenvolvimento dos dentes. Mas para ambos os especialistas, tornar apenas uma refeição líquida não traz problemas, já que as outras terão como base os alimentos sólidos.
 
 
Minha Vida

Saiba o que fazer quando o desejo sexual vai embora

Saiba o que fazer quando o desejo sexual vai embora
Usar da criatividade é uma forma de tentar acender a faísca apagada
 
Toda grande descoberta, seja um relacionamento que dá certo ou uma solução para um problema do cotidiano, tudo nasce do desejo. Sentir desejo é algo intrínseco à condição de estar vivo. Mas, se o desejo está sempre lá, por que depois de um tempo nós passamos a ter dificuldade de encontrá-lo e usá-lo na conquista da nossa realização sexual? "O desejo vai embora quando estamos fracos, tristes, cansados, doentes ou magoados. Quando não gostamos mais da pessoa amada, quando estamos de luto, angustiados ou entediados", afirma o terapeuta e médico vibracional Eduardo Navarro.

Segundo o especialista, o desejo sempre acompanha as pessoas, sejam homens ou mulheres. Sendo assim, se ele não está mais ali é porque algo aconteceu e recuperá-lo passa a ser um exercício mútuo de descobrimento, de si mesma e de seu parceiro.
 
Após os primeiros anos de uma relação, quando a novidade vai se transformando em rotina, é normal que o desejo sexual se restrinja a momentos pré-definidos. Segundo a psicoterapeuta e sexóloga Magda Gazzi, isto é um perigo: "Sexo é vida e viver é ser criativo! É importante que você procure variar, evitando o sexo metódico, sempre feito na mesma hora, da mesma maneira e no mesmo local", sugere.

A especialista é contra o uso de medicamentos para forçar uma situação. "Não existe remédio para aumentar o desejo". A sexóloga acrescenta que nos últimos anos a busca pelo clímax continua sendo o principal motivo pelo qual mulheres e casais procuram os consultórios de sexólogos. Essa queixa é seguida muito de perto por outra, que é a falta ou inibição do desejo sexual. "Uma pesquisa do ProSex (Projeto Sexualidade da USP) mostrou que 10% das mulheres têm desejo sexual inibido, ou, em outras palavras, não tem vontade de fazer sexo", aponta a terapeuta.  
 
Fora problemas hormonais, psicológicos e emocionais que requerem um acompanhamento profissional para serem resolvidos e saírem do caminho da sua libido, é sempre bom lembrar que o desejo é uma chama sempre presente em você. Por isso a especialista ressalta a importância de cuidar da sua rotina pessoal, da sua saúde física e emocional, de manter vivo seu lado sensual.

Conheça dez dicas para reacender o desejo:

1 - Encontre tempo: Se você não está tendo tempo para você, escolha o que perder para poder ganhar o que realmente interessa;

2 - Organize seu dia: A desorganização é inimiga do tempo;

3 - Corpo saudável: Sempre escolha por sua qualidade de vida, mantendo uma alimentação saudável e uma atividade física regular, isto está ligado intimamente à qualidade de sua sexualidade e autoestima;

4 - Trabalhe a mente: Pense em sexo tanto quanto puder, ou, pense em sexo tanto quanto você pensa em filhos, supermercado, padaria, roupas, higiene e etc.;

5 - Solte suas fantasias: Se permita e invista na mulher sensual que existe dentro de você, fantasie e solte sua imaginação. Seja permissiva com suas fantasias e as viva sem culpas, elas são só fantasias, por isto aproveite para transgredir.
 
6 - Se permita pedir ajuda: Você não vai deixar de ser uma boa mãe só porque deixou seus filhos com a avó para poder ter uma noite de prazer;

7 - Converse com seu companheiro: Aproveite para pedir ajuda nas tarefas domésticas. Fica mais fácil se as responsabilidades da casa e dos filhos forem divididas;

8 - Invista no seu lazer: Passeie, saia, dance, cante e se solte. Se permita ficar longe do celular ou computador por algumas horas;

9 - Dia de folga: Tire ao menos um dia no mês só pra você, pra fazer tudo aquilo que você quer, mesmo que seja dormir tranquila, ler um livro, ou simplesmente ter tempo de olhar o pôr-do-sol;

10 - Pense como os homens: associe o sexo ao prazer e se deixe levar por esse momento fantástico! E lembre-se: mente tranquila e corpo vigoroso funcionam como verdadeiros afrodisíacos. 
 
Minha Vida

Confira 10 inovações médicas que prometem revolucionar a saúde em 2014

Transplante fecal, novo tratamento para hepatite C e testes para tratar o câncer são promessas
 
Os avanços da ciência e tecnologia podem ser definitivos para o tratamento de uma série de doenças - ou mesmo para prevenir um problema antes mesmo dele acontecer.
 
Pensando nisso, a Clínica Cleveland, centro médico e de pesquisa científica dos Estados Unidos, perguntou a mais de 100 de seus principais especialistas quais das últimas descobertas médicas que promete revolucionar a saúde no ano de 2014 e montou um top 10 de inovações promissoras.
 
Um time de especialistas explica melhor como essas inovações vão melhorar a saúde da população.
 
Confira:
 
medicamento laranja  - Foto: Getty ImagesSofosbuvir para tratar hepatite C
Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 150 milhões de pessoas estão cronicamente infectadas pelo vírus da hepatite C, e mais de 350 000 pessoas morrem todos os anos de complicações hepáticas relacionadas à doença. Muitos pacientes com hepatite C se beneficiam do tratamento que combina interferon peguilado alfa - ministrado via injeção - e ribavirina, um medicamento oral.

Agora, surgiu um novo tratamento a doença, chamado sofosbuvir, que já foi aprovado pelo órgão regulamentador de alimentos e remédios dos Estados Unidos, o Food And Drug Administration (FDA). Segundo a hepatologista Raquel Silveira Bello Stucchi, do grupo de hepatites do Hospital das Clínicas de São Paulo, a aprovação no Brasil possivelmente será em curto intervalo de tempo, mas a sua incorporação no arsenal disponível no SUS deverá ser mais tardia.

Sua promessa inclui os mais altos índices de cura de todos os tempos, redução do tempo de tratamento e menos efeitos colaterais. O medicamento seria o primeiro de uma nova geração de drogas para hepatite C, chamados antivirais de ação direta. "O sofosbuvir pode ser utilizado por quem não responde aos outros medicamentos ou então como primeiro tratamento, mas sempre associado a outras drogas", explica a hepatologista. Ela afirma ainda que a medicação parece ser muito bem tolerada e os efeitos colaterais são atribuídos a outras drogas que fazem parte do tratamento da hepatite C junto com o sofosbuvir - ou seja, essa droga tem pouco ou nenhum efeito colateral.

Enquanto o tratamento tradicional, com interferon peguilado alfa e ribavirina exclusivamente, pode levar até 48 semanas para se encerrar, o sofosbuvir reduz o tempo de tratamento para 12 semanas. Ministrado via oral uma vez ao dia, ele age inibindo a multiplicação do vírus da hepatite C. "O sofosbuvir representa um avanço significativo no tratamento da hepatite C, pois oferece possibilidade aos pacientes que não eliminaram o vírus em tratamentos anteriores e permite, inclusive, tratamento de pacientes mais graves e apenas por via oral", diz Raquel. Ela ressalta, no entanto, que o sofosbuvir deve ser ministrado sempre em conjunto com outras drogas. "Até agora ele está aprovado para ser ingerido juntamente com a ribavirina, mas em um futuro próximo, outros antivirais poderão acompanhar o medicamento."
 
genes - Foto: Getty ImagesTestes genéticos para tratamento do câncer
Os testes genômicos prometem ser um avanço no tratamento do câncer e fazem parte de uma estratégia chamado de terapia dirigida ao alvo, ou simplesmente terapia alvo. Um dos principais objetivos dos testes é evitar o tratamento agressivo, como quimioterapia e radioterapia, quando não é necessário e salvar vidas quando ele for a opção mais acertada. "Novas modalidades terapêuticas têm como objetivo dirigir o tratamento mais especificamente às células doentes, poupando as saudáveis", afirma o oncologista Artur Malzyner, consultor científico da CLINONCO - Clínica de Oncologia Médica.

Os testes genômicos se concentram em grupos de genes e como eles interagem nas células cancerosas, bem como o papel que desempenham no desenvolvimento da doença. Os testes baseados nesta ciência podem analisar os genes no tumor do paciente para prever como ele irá se comportar e a partir dessas informações o médico irá escolher o tratamento mais preciso para atacá-lo. "Praticamente todos os tipos de câncer vão ter mutações em um grupo de genes", diz Emmanuel Dias-Neto, cientista e diretor de Genômica Médica do A.C. Camargo Cancer Center. Ele afirma que a medicina está longe de conhecer todas as alterações em todos os tipos de câncer, mas que os testes genômicos permitiram um avanço muito grande nesse sentido.

Para determinados casos de câncer de mama, por exemplo, um teste genômico ajuda a identificar as mulheres que precisam de quimioterapia junto de terapia hormonal, aquelas que se beneficiam da terapia hormonal somente ou então as mulheres que podem utilizar a terapia alvo. Para o câncer colorretal em estágio inicial, o teste analisa a atividade do gene em uma amostra do tumor para prever o risco de recorrência do câncer dentro de três anos. "É uma nova era de diagnóstico de câncer e medicina de precisão, todas baseadas em biologia e as necessidades individuais dos pacientes", ressalta Emmanuel.

 Ele destaca que os testes genômicos podem ser informativos na capacidade do organismo ativar uma droga (entender se o câncer daquela pessoa expressa determinado mecanismo que pode ser inibido com o medicamento, por exemplo), na seleção de qual droga deve ser usada e no ajuste de dosagem de outras drogas. O uso de medicamento em excesso ou em quantidades inadequadas leva a efeitos colaterais ou a ineficiência do tratamento - e isso pode ser determinado com precisão de acordo com testes farmacogenéticos.

"A efetiva utilização da genética na rotina (prevenção, diagnóstico e tratamento) depende de como as pessoas, a sociedade, as seguradoras de saúde e os médicos vão assimilar os testes genômicos", declara. Os profissionais de saúde precisam ser capazes de interpretar dados genômicos e os pacientes precisam entender a informação que recebem, para que em conjunto ambos tomem as decisões mais acertadas para conduzir o seu tratamento e as decisões sobre o gerenciamento da sua saúde.
 
intestino - Foto: Getty ImagesTransplante fecal
A microbiota intestinal é o conjunto de bactérias que moram no intestino e são responsáveis por digerir os alimentos. Elas existem em um delicado estado de equilíbrio, que pode ser afetado com o uso de medicamentos antibióticos ou então por uma questão genética. "Recentemente se descobriu que a microbiota intestinal é claramente um fator etiológico para desenvolvimento do sobrepeso e da obesidade, isso quer dizer que alterações nesse órgão podem favorecer o ganho de peso", explica o nutrólogo Durval Ribas, presidente da Associação Brasileira de Nutrologia (ABRAN). De acordo com o especialista, na microbiota existem as bactérias do bem e o do mal - as primeiras são chamadas de bacteroides e as segundas de firmicutes.

"Quando os bacteroides predominam sobre os firmicutes, o indivíduo tende a ser mais magro, do contrário a pessoa pode ganhar peso mais facilmente", explica o nutrólogo. Essas bactérias do mal tem capacidade de promover uma fermentação deficiente no intestino, e isso favorece uma saciedade tardia - fazendo a pessoa comer mais do que o necessário para se sentir satisfeita. Os firmicutes também melhoram a capacidade do corpo de extrair energia dos alimentos - algumas espécies de firmicutes quebram longas moléculas de açúcares encontradas em cereais, frutas e verduras, que de outro modo não seriam aproveitados pelo corpo. Apesar de parecer uma coisa boa, já que o corpo está aproveitando melhor os nutrientes, isso faz com que mais energia do que o esperado seja absorvida pelo corpo, mais até do que ele precisa gastar durante o dia. Como resultado, essa energia é estocada em forma de gordura. Além disso, esse desequilíbrio da microbiota intestinal pode contribuir para o desenvolvimento de uma inflamação sutil, típica da obesidade, que se espalha pelo organismo e interfere no aproveitamento da insulina, favorecendo o diabetes.

Nessa situação, o transplante fecal pode ser uma saída eficiente. Retiram-se as fezes de um indivíduo saudável, fazendo uma ultracentrifugação. Isso quer dizer que o material será centrifugado em velocidades muito avançadas, transformando as fezes em uma suspensão líquida. O transplante desse material fecal saudável para a pessoa doente é feito a partir de uma colonoscopia. O objetivo é restaurar o equilíbrio bacteriano e combater infecções e doenças. "É um procedimento pouco invasivo que não envolve cirurgia, capaz de modificar a microbiota intestinal de um paciente", explica o nutrólogo Durval.

Os estudos que determinam as indicações para esse procedimento ainda são iniciais, mas a esperança é que ele pode ser utilizado como medida terapêutica para diversas doenças intestinais, principalmente aqueles que envolvem inflamações e infecções por bactérias, como é o caso dos firmicutes - até então a indicação mais certa para esse procedimento, de acordo com Durval Ribas.
 
aterosclerose - Foto: Getty ImagesTMAO para monitorar o coração
Para identificar o risco de doenças cardíacas a que uma pessoa está exposta, os médicos fazem o acompanhado de determinados biomarcadores que são verdadeiras impressões digitais cardiovasculares. "O biomarcador mais comum para a doença cardíaca é o exame de sangue para os níveis de colesterol e mais recentemente a proteína C reativa - substância que tem alta sensibilidade a presença de inflamações, ficando com níveis acima do normal em pessoas com problemas cardiovasculares inflamatórios, como a aterosclerose", explica o cardiologista Bruno Valdigem, de São Paulo.

O novo componente dessa turma é o N-óxido de trimetilamina, cuja sigla vem do inglês é TMAO. "O N-óxido de trimetilamina está relacionado com a colina, nutriente que pertence ao grupo das vitaminas do complexo B e é necessário para a síntese de fosfolípides componentes de todas as membranas celulares, importante para o desenvolvimento cerebral e da memória", explica o nutrólogo Celso Cukier, de São Paulo. A colina está presente em alimentos como ovos e carne vermelha. Quando o intestino digere a colina, ele produz o TMAO - que em altas concentrações no corpo causa inflamações que podem favorecer a aterosclerose.

O TMAO fornece uma ferramenta de triagem precisa para prever os riscos futuros de ataque cardíaco, AVC e morte em pessoas que não tenham esse risco identificado por fatores tradicionais e exames de sangue. Um estudo publicado no New England Journal of Medicine acompanhou mais de 4.000 adultos durante três anos em média e revelou que pessoas com os mais altos níveis de TMAO tiveram um risco significativamente aumentado de morte por doenças cardiovasculares e sofrer um infarto não fatal ou AVC, se comparados com aqueles com os mais baixos níveis da substância.

O teste de laboratório para investigação de TMAO já está disponível em alguns países. Os especialistas acreditam que essa descoberta pode levar a recomendações nutricionais personalizadas para ajudar os pacientes a reduzir o risco cardiovascular.
 
médico segurando um coração - Foto: Getty ImagesSerelaxina para insuficiência cardíaca
A insuficiência cardíaca afeta a qualidade de vida. No Brasil, sabe-se que ela representa cerca de 30% das internações pelo SUS relacionadas ao aparelho cardiovascular e que é a principal causa de internação entre os pacientes com mais de 60 anos. Mesmo com as drogas e dispositivos existentes, metade dos hospitalizados com insuficiência cardíaca aguda não sobrevivem mais de cinco anos. No entanto, os cardiologistas podem ter uma nova arma em seu arsenal: a serelaxina, um medicamento que alivia os sintomas e protege órgãos vitais do organismo de complicações decorrentes da insuficiência cardíaca.

A serelaxina é uma versão sintética do hormônio natural relaxina-2 humana recombinante, que atua aumentando o fluxo sanguíneo do corpo, o que ajuda o coração a trabalhar de forma mais eficaz. Além disso, o medicamento funciona como um anti-inflamatório, amenizando os danos causados pelos episódios de insuficiência não só no coração como também em outros órgãos que dependem do bom funcionamento deste, por exemplo o fígado. O medicamento deve ser administrado em perfusão até 48 horas após um episódio de insuficiência cardíaca ou ataque cardíaco.

O tratamento é eficaz na diminuição de sintomas de falta de ar, excesso de fluido no sangue e pressão arterial normal ou elevada em pacientes com insuficiência cardíaca aguda. Além disso, a droga mostrou-se segura, com poucos eventos de hipotensão arterial associados à medicação. Uma vez aprovado, a serelaxina vai se tornar o primeiro avanço do tratamento para a insuficiência cardíaca aguda em duas décadas.
 
cérebro - Foto: Getty ImagesDispositivo para controlar convulsões
As crises que vêm com epilepsia podem perturbar a vida do paciente, que nunca sabe quando o próximo ataque virá. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS) cerca de 50 milhões de pessoas são afetadas com a epilepsia no mundo. A ansiedade que assola os pacientes, na iminência de uma crise, pode mudar em breve graças a um novo aparelho neurológico.

Medicamentos e outros tratamentos podem ajudar, deixando as convulsões sob controle. Mas cerca de 30% dos pacientes tem epilepsia de difícil controle, em que o tratamento tradicional não consegue controlar as convulsões. Para essas pessoas um novo dispositivo foi criado: ele detecta disparos neurológicos de um ataque iminente e libera pulsos elétricos curtos para interrompê-los antes dos sintomas apareçam.

"Esse dispositivo é feito especialmente para os casos de epilepsia mais difíceis", afirma a neurologista Célia Roesler, membro da Academia Brasileira de Neurologia. Cirurgicamente implantado sob a superfície do crânio, o aparelho detecta que o seu cérebro irá sofrer um ataque epilético e libera descargas elétricas para conter a crise antes mesmo de ela acontecer. O dispositivo ganhou o apoio unânime da Food and Drug Administration e pode ser uma esperança no tratamento de pacientes com epilepsia grave.
 
olhos - Foto: Getty ImagesPrótese de retina
Mais de 1,5 milhões de pessoas em todo o mundo têm retinite pigmentosa, uma doença cuja consequência mais devastadora é a cegueira. A maioria das pessoas com retinite pigmentosa ficam cegas aos 40 anos. Essa doença causa a degeneração da retina - região responsável pela captura de imagens. Até agora, não houve nenhum tratamento eficaz para a fase final da retinite. Mas a prótese de retina surge como esperança para o tratamento.

Essa tecnologia combina uma prótese de retina implantada cirurgicamente, na parte de trás da superfície interna do olho, que grava imagens em padrões de luz e cor. Juntamente com a prótese de retina, o produto depende de uma minicâmera montada em um par de óculos de sol para capturar uma imagem e enviar as informações para um processador de vídeo, que fica acoplado no cinto do paciente em conjunto com um microprocessador sem fio e bateria.

Após o processador de vídeo converter as imagens para um sinal eletrônico, um transmissor nos óculos envia as informações sem o uso de fios para o receptor implantado sob a membrana mucosa do olho, que por sua vez transmite os sinais por meio de um cabo minúsculo para um conjunto de eletrodos colocados na retina. Ao receber os pulsos, o cérebro percebe os padrões de manchas claras e escuras correspondentes aos eletrodos estimulados. Os pacientes aprendem a interpretar os padrões visuais produzidos em imagens - e, assim, recuperar alguma função visual.

Em um olho saudável, os cones e bastonetes da retina convertem a luz em pequenos impulsos eletroquímicos que são enviados pelo nervo óptico até o cérebro, que os decodifica em imagens. "O implante de retina não restaura visão completa, mas permite ao paciente detectar a luz e a escuridão no meio ambiente e identificar a localização ou o movimento de pessoas e objetos", afirma o oftalmologista Alfredo Tranjan, diretor do Tranjan Hospital de Olhos.
 
cirurgia - Foto: Getty ImagesSistema de monitoramento de anestesia
No passado, o monitoramento de pacientes durante uma cirurgia era relativamente simples - um dedo no pulso e um manguito para monitorar a pressão sanguínea. Entretanto, os avanços da tecnologia possibilitaram aos médicos monitorar uma quantidade maior de informações durante a cirurgia, ajudando a equipe a tomar decisões na iminência de uma complicação. Por isso é importante verificar constantemente informações como pressão arterial, batimentos cardíacos, frequência respiratória, etc.

O registro de paciente com anestesia é hoje um dos relatos mais detalhados de toda a medicina - justamente por isso é altamente difícil de fazer. Para facilitar esse monitoramento, um novo sistema de gestão visa simplificar esse registro e melhorar as decisões tomadas na sala de cirurgia. Combinando a mais recente tecnologia de computador e microeletrônica, o sistema produz um registro de anestesia completo, incluindo tudo o que acontece antes, durante e após a cirurgia. Desenhado por anestesiologistas, esse dispositivo combina duas etapas de tecnologia. A primeira parte é um sistema de coleta e registros de dados em tempo real, tais como frequência cardíaca, pressão arterial e frequência respiratória, e as exibe em uma tela. A segunda parte envolve um sistema de registro integrado, que permite aos médicos documentar tudo o que eles estão fazendo e coordenar os fluxos de trabalho. O dispositivo ainda emite um alerta quando um paciente está enfrentando um problema potencial que exige um acompanhamento diferenciado.
 
paciente no hospital - Foto: Getty ImagesEstação de sedação para exames
A colonoscopia é essencial para a detecção de câncer de cólon e outras doenças do aparelho digestivo. Os pacientes geralmente recebem sedação leve administrada por um anestesista para ajudá-los a relaxar e dormir durante uma colonoscopia - isso torna os custos do exame muito altos para os sistemas de saúde, uma vez que é necessário um anestesista à disposição durante todo o exame, enquanto os testes regulares dependem apenas do médico ou técnico que realiza o procedimento. Pensando nisso, cientistas desenvolveram uma estação de sedação assistida por computador, que pretende acabar com a dependência de anestesista para procedimentos simples.

Essa nova tecnologia permitiria que outros profissionais de saúde pudessem ministrar o sedativo no paciente com menor risco. Ela funciona por meio de um computador, que contém um mecanismo responsável por ministrar o sedativo que está sendo oferecido ao paciente enquanto o técnico faz o exame, eliminando a necessidade de um profissional para fazer o monitoramento da anestesia. O objetivo do dispositivo é capacitar unidades de saúde a usar os seus recursos limitados de forma mais eficaz. Nos Estados Unidos, a Food and Drug Administration pré-aprovou a estação em 2013, e a tecnologia tem previsão para ser colocada em prática em 2014.
 
mulher com câncer - Foto: Getty ImagesInibidores de BTK para tratar Leucemia
Os linfócitos B são um tipo de célula que constitui o sistema imune, atuando na produção de anticorpos contra organismos estranhos em nosso corpo, combatendo infecções e fortalecendo sua imunidade. Entretanto, como a maioria das células em seu corpo, os linfócitos B podem se tornar cancerosos. Só no Brasil são esperados quase 10 mil casos de leucemia por ano.

A aposta da Clínica Cleveland é o ibrutinibe, um medicamento inibidor de BTK, uma proteína presente nos linfócitos B. A mutação do BTK pode fazer com que as células B da pessoa comecem a se multiplicar de forma desenfreada, dando origem a um tumor. "Nesse sentido, o medicamento funcionaria como terapia alvo, agindo diretamente no BTK e inibindo a multiplicação dos linfócitos B", explica Emmanuel Dias-Neto.

A Food and Drug Administration nos Estados Unidos por enquanto aprovou a droga apenas o tratamento de pacientes com leucemia linfocítica crônica que receberam pelo menos um tratamento anterior. Até agora, o tratamento padrão para a leucemia linfocítica crônica era a quimioterapia, que oferecia efeitos colaterais graves. Nesse sentido, o ibrutinibe é uma alternativa.  O medicamento mata apenas os linfócitos B malignos, poupando outras células saudáveis. Um estudo publicado no New England Journal of Medicine relatou que em 26 meses, a taxa de sobrevivência estimada para leucemia linfótica crônica foi de 75%, sem progressão do câncer, com uma sobrevida de 83%. Ibrutinibe também tem se mostrado promissor para o tratamento de outras doenças malignas, incluindo o linfoma de células do manto, que é uma forma rara e agressiva de linfoma não-Hodgkin.

Minha Vida

Café ajuda a emagrecer e tem ação antioxidante

O café tem forte ação antioxidante e ajuda a emagrecer
Bebida também é estimulante, melhora o desempenho em exercícios e protege o sistema respiratório
 
O consumo moderado do café proporciona uma série de benefícios para a saúde. A bebida tem um efeito termogênico e por isso ajuda na perda de peso. Ela também tem ação estimulante e auxilia a diminuir dores de cabeça. 
 
Esta bebida previne algumas doenças neurodegenerativas, como Doença de Parkinson e Alzheimer, e diabetes tipo 2. O café ainda proporciona benefícios para o sistema respiratório e está associado a um menor risco de desenvolver câncer. 
 
Nutrientes do café
O café se destaca pelas boas quantidades de cafeína. Esta substância é importante porque tem um efeito estimulante sobre o sistema nervoso central e está associada à melhora no estado de alerta, na capacidade de aprendizado e resistência ao esforço físico. A cafeína também contribui para a perda de peso. 
 
Esta bebida possui outras substâncias benéficas como os ácidos clorogênicos que são responsáveis por grande parte da atividade antioxidante do café. Essa ação irá inibir inflamações e reduzir o risco de doenças cardiovasculares e outras doenças inflamatórias prolongadas. 
 
Além disso, o café têm potencial atividade antibacteriana, antiviral e anti-hipertensiva. A niacina, uma vitamina do complexo B, também está presente na bebida. Todas as vitaminas do complexo B estão associadas ao bom funcionamento do sistema nervoso. 
 
Composição química média de uma xícara de café filtrado
 
Nutrientes Café filtrado - 50 ml (uma xícara)
Calorias 3 kcal
Proteína 0.35g
Lipídio 0,5g
Carboidrato 0,75g
Cálcio 1,5 mg
Magnésio 3mg
Fósforo 3mg
Ferro 0,01mg
Sódio 0,7mg
Potássio 39 mg
Cobre 0,005 mg
Zinco 0,025 mg
Vitamina B3 (Niacina) 0,025 mg
Vitamina B1 (Tiamina) 0.005 mg
Vitamina B2 (Riboflavina) 0.005 mg
Ácido Clorogênico 500mg
Cafeína 100mg
Fonte: Associação Brasileira da Indústria de Café. 
 
Benefícios comprovados do café
 
Efeito estimulante: O principal componente do café é a cafeína. Esta substância quando consumida em doses baixas a moderadas tem ação estimulante. Assim, o sono diminui e a energia aumenta. 
 
Melhora a concentração: Devido ao efeito estimulante da cafeína, o café irá proporcionar melhora na concentração e consequentemente na capacidade de aprendizado. 
 
Melhora o desempenho nos exercícios: Devido à ação estimulante da cafeína, o café irá ajudar as pessoas a terem mais pique para praticar exercícios. A bebida irá estimular a ação dos músculos durante exercícios prolongados, que passam a utilizar a gordura como fonte de energia em vez de açúcares encontrados nos carboidratos. 
 
O alimento também irá reduzir a sensação de fadiga, melhorando o rendimento físico. Consequentemente, ocorre o aumento da força muscular, possibilitando maior grau de carga e repetições de execução do exercício após a ingestão de cafeína. 
 
Bom para os músculos: A cafeína irá poupar a glicose do músculo esquelético, quanto maior a quantidade de glicose no músculo mais longe ele fica da fadiga e ainda aumenta e facilita a entrada da quantidade de cálcio dentro do músculo. 
 
Ajuda a emagrecer: Diversos estudos apontoam que o consumo de café contribui para a perda de peso. Isto ocorre porque a cafeína presente na bebida faz com que ela tenha uma ação termogênica, aumentando o gasto calórico. Além disso, a substância também contribui para a queima de gordura. 
 
O café melhora o desempenho físico
Protege o sistema respiratório: Diversos estudos, entre eles um realizado pelo Cochrane Database Review em 2010, apontam que o café tem um efeito broncodilatador e por isso é bom para quem tem e para prevenir a asma. Além disso, a bebida também reduz a fadiga dos músculos respiratórios. 
 
Previne o Parkinson: Estudos apontam que o café tem sido eficaz na prevenção do Parkinson. Em um deles, homens que consumiam pelo menos 3 a 4 xícaras de café por dia apresentavam um risco cinco vezes menor de desenvolver Parkinson, do que os não consumidores. Num outro estudo prospectivo, homens que consumiam diariamente a quantidade de cafeína correspondente a uma xícara de café possuíam um risco 50% menor de desenvolver a doença, não tendo sido encontrada qualquer associação em relação ao consumo de descafeinado. Por isso, acredita-se que é a cafeína que ajuda a prevenir o Parkinson. 
 
Diminui o risco de depressão: Diversas pesquisas demonstraram uma associação inversa entre o consumo de café e o risco de suicídio. Ainda não se sabe exatamente a razão deste benefício. É conhecido que doses moderadas de cafeína interferem positivamente no humor. Além disso, o ácido acético, presente em boas quantidades no café, apresenta efeito antidepressivo quando administrado em animais. 
 
Previne câncer: O café em quantidades moderadas ajuda na prevenção do câncer. Isto porque ele possui ação antioxidante e irá combater os radicais livres que favorecem o aparecimento de tumores. 
 
Diminui o risco de morte: Um estudo feito com mais de 400 mil homens e mulheres americanos e publicado na revista científica New England Journal of Medicine concluiu que o consumo moderado de café pode estar inversamente relacionado à mortalidade total. Os tomadores de café apresentaram menor mortalidade por causas cardíacas, doenças respiratórias, acidente vascular cerebral, causas externas, diabetes e doenças infecciosas. 
 
Previne o blefaroespasmo: Pessoas que consomem o café de forma moderada estão sujeitas a desenvolver menos espasmos involuntários nos olhos, blefaroespasmo primário. Pesquisas apontam que o consumo do café também é benéfico para quem já sofre com a doença, pois ele irá atrasar o seu desenvolvimento. 
 
Previne a morte por cirrose: Uma pesquisa feita pela Universidade Nacional de Singapura com 63 mil pessoas observou que beber duas ou mais xícaras de café por dia pode reduzir o risco de morte por cirrose. 
 
Benefícios do café em estudo
 
Previne Alzheimer: O Alzheimer é uma doença neurodegenerativa que resulta na diminuição progressiva das capacidades cognitivas. Alguns estudos realizados com animais, com destaque para um feito pela Universidade da Flórida do Sul, Estados Unidos, observaram que em camundongos com Alzheimer o café seria capaz de neutralizar a perda de memória. Acredita-se que a cafeína seria responsável por este benefício. 
 
Previne diabetes tipo 2: Estudos realizados em animais observaram que o café, tanto a versão normal quanto a descafeinada, ajuda a prevenir o diabetes tipo 2. Pesquisas feitas com ratos observaram que o ácido clorogênico presente na bebida provoca a diminuição da concentração de glicose e aumento da sensibilidade à insulina. 
 
Diminui o cálculo renal: Alguns estudos iniciais observaram que o consumo diário de 240 ml de café, mesmo o descafeinado, irá diminuir o risco do desenvolvimento de cálculos renais entre 9 e 10%.  
 
Quantidade recomendada de café
A quantidade recomendada de café varia entre três e quatro xícaras de 50 ml por dia para pessoas saudáveis. 
 
Como consumir o café
Os cuidados com o café começam com o armazenamento do pó. Após aberta a embalagem, coloque o pó em um pote vedado exclusivo e guarde preferencialmente na geladeira, para evitar a oxidação. 
 
Ao preparar o café é importante observar a qualidade da água. Ela deve ser filtrada e a temperatura precisa estar em torno de 96 graus. O consumo do café precisa ocorrer logo após o preparo, isto porque 30 minutos depois de pronto ele já começa a perder o aroma, sabor e nutrientes.  
 
Evite colocar adoçante ou açúcar no café, a combinação do café com o leite também não é boa, pois a cafeína pode comprometer a absorção do cálcio do leite. A melhor maneira de ingerir o café é puro. Tente não consumir a bebida no final da tarde ou começo da noite, pois há o risco da bebida prejudicar o sono. 
 
Compare o café com outros alimentos
O café é uma das principais fontes de cafeína disponíveis. Apenas uma xícara já vence a quantidade de cafeína presente nas porções recomendadas de chá preto, chá verde, chocolate amargo e bebida energética. Contudo, quando comparado com os chás preto e verde, o café não irá conter tantos antioxidantes.
 
O café não pode ser consumido em excesso
Problemas do consumo em excesso do café
O excesso de café pode levar a alguns problemas de saúde. A mucosa do estômago pode ser prejudicada por grandes quantidades da bebida. Devido à cafeína presente no café pode ocorrer o aumento da frequência cardíaca em casos de abuso. 
 
O café não coado, como o turco, ainda pode levar ao aumento do colesterol. O sono também pode ser afetado pelo excesso da bebida, já que ela tem ação estimulante. Por isso, a orientação é evitar a bebida após às 16h. O excesso de café pode ser considerado algo acima de seis xícaras de 50 ml por dia. 
 
Café e dependência: Existe a crença de que o café pode causar vício. Porém, de acordo com a Organização Mundial de Saúde não há provas de que a cafeína, presente na bebida, tenha consequências físicas e sociais comparáveis, ainda que remotamente, às das drogas de abuso. Estudos de mapeamento cerebral também apontaram que a cafeína não está ligada ao circuito de dependência do cérebro.  
 
Contudo, a interrupção abrupta do consumo de cafeína pode levar a sintomas de privação, como a dor de cabeça, em alguns indivíduos. Estes problemas costumam ter curta duração e podem ser evitados com a redução progressiva da cafeína. 
 
Contraindicações
Gestantes devem evitar o consumo de cafeína, isto porque a bebida aumenta as secreções gástricas e também faz com que o risco de refluxo seja maior. Além disso, existe a possibilidade da cafeína afetar o feto. Crianças também deve evitar o consumo da bebida devido à irritação que ela pode causar no estômago. 
 
Quem toma pílula anticoncepcional deve ingerir o café de forma moderada. Isto porque a cafeína interage com a pílula e a combinação entre os dois pode levar a nervosismo, dor de cabeça, batimento cardíaco rápido e outro efeitos colaterais. 
 
Pessoas que sofrem de ansiedade, glaucoma, incontinência urinaria, osteoporose, hipertensão, diabetes e Síndrome do Intestino Irritável devem consultar seus médicos sobre se podem e o quanto podem consumir de café. 
 
Quem estiver com diarreia também deve evitar o consumo do café, isto porque em algumas pessoas mais sensíveis uma pequena xícara basta para estimular os músculos do intestino. Além disso, o efeito diurético da cafeína faz com que a pessoa perca líquidos que são extremamente necessários quando a pessoa está com o diarreia. 
 
Fontes consultadas
Nutricionista Mônica Pinto da Associação Brasileira da Indústria de Café (ABIC).
Nutricionista Rita de Cássia Leite Novais, da empresa Consultoria Alimentar.
Nutricionista Rosana Perim Costa, do Hospital do Coração.  
 
Minha Vida

OMS precisa de mais R$ 9 milhões para combater epidemia de ebola

AFP
Equipes informam a população sobre os perigos do Ebola
A República da Guiné já registrou um total de 156 casos e a Libéria 25 infectados
 
A OMS (Organização Mundial da Saúde) precisa de mais R$ 9 milhões (US$ 4 milhões) para combater a epidemia de ebola que afeta a África Ocidental, com mais de 180 casos e 101 mortes registradas, informou o diretor regional da entidade, o angolano Luís Gomes Sambo. Em entrevista, ele anunciou a realização da primeira reunião de ministros da Saúde da África, que ocorrerá em Luanda de 14 a 17 deste mês.
 
Sambo disse que a República da Guiné registra um total de 156 casos e a Libéria, 25, destacando que entre os mortos estão oito trabalhadores da área de saúde. Segundo ele, a OMS enviou 47 peritos para os dois países, tendo intensificado a formação do pessoal deslocado.
 
"A epidemia está ativa e tememos que possa propagar-se ainda mais, mas as medidas de contenção estão sendo tomadas", acrescentou Sambo. O dirigente da OMS reafirmou a posição contrária da organização ao fechamento de fronteiras como medida de contenção do ebola.
 
Na quinta-feira (10), segundo comunicado da OMS, começou em Conacri, capital da República da Guiné, a primeira sessão de formação para 70 pessoas, estagiários que vão trabalhar nas comunidades mais atingidas pelo vírus ebola, para acompanhar as pessoas que estiveram em contato com pacientes infectados.
 
Cursos de formação sobre o controle das infecções começaram na terça-feira (8), no Hospital Donka, e deverão ser estendidos a outros centros médicos nos próximos dias.
 
Ao mesmo tempo, a OMS está preparando um centro operacional no Ministério da Saúde guineense para coordenar todas as atividades relacionadas com a detecção da doença, a investigação, o transporte e a hospitalização.
 
A febre do ebola, cuja taxa de mortalidade pode chegar a 90%, é uma doença viral grave, que se traduz em febre alta, dores violentas, náuseas, vômitos e hemorragias, não existindo vacina ou tratamento. Os doentes recebem hidratação e, até o momento, oito pessoas foram curadas na República da Guiné.
 
R7

Aplicativos: Bulas WP

4 de 7Agora ficou mais fácil buscar bulas de medicamento sem precisar de um computador pra isso

Este app permite que você localize bulas pelo nome do medicamento ou por partes da descrição da bula, como sintomas, por exemplo.

O aplicativo carrega apenas as informações referentes ao texto da bula, por isso, além de uma experiência prática e limpa, o aplicativo vai funcionar perfeitamente em conexões 2G / 3G.

Versão 1.0

- Busca de bulas por nome do medicamento e corpo da bula

- Contato direto com o desenvolvedor em caso de problemas
 
Gratuito
Ao instalar, você concorda com Termos de uso e outros termos
instalar                
 
Distribuidor
 
Tamanho do download
1 MB            
 
Última atualização
08/04/2014            
 
Versão
1.1.0.0                            
 
Funciona com
  • Windows Phone 8.1
  • Windows Phone 8

Aplicativos necessários
  • music library
  • biblioteca de fotos
  • reprodução de mídia
  • serviços de dados
  • sensor direcional e de movimento
  • web browser component
  • HD720P (720x1280)
  • WVGA (480x800)
  • WXGA (768x1280)
 
O que é isso?                    
 
Idiomas suportados (1)
Português (Brasil)

 
Faça o download e instale manualmente                    

Você sabe o que comer antes ou depois da malhação

Thinkstock
Segundo nutricionista, alimentação deve mudar de acordo o
 horário da academia
Especialista monta o cardápio ideal para quem malha de manhã e a noite
 
Bom dia! Você é daqueles que prefere malhar logo quando acorda ou prefere malhar a noite? Você sabia que deve mudar sua alimentação de acordo com o horário da academia? Por isso, a nutricionista Elaine de Pádua traz dicas de como é o cardápio ideal para cada tipo de perfil.
 
Para quem treina de manhã:
 
Antes de malhar:
Energéticos (carboidrato): 1 fatia de pão de iogurte cenoura e mel (35 calorias) ou 1 bisnaguinha (50 calorias) ou 1 torrada (40 calorias).
 
Construtores (proteína): 1 colher (sobremesa) ricota  (50 calorias) ou 1 colher (sobremesa) de cream cheese light  ( 58 calorias) ou 1 ovo mexido (90 calorias).
 
Reguladores (vitaminas, minerais e fibras): 1 copo pequeno (100 ml) de suco de couve manteiga com  1/3 maçã  (45 calorias) ou 1 copo de  suco de laranja batido com gengibre (100 ml) ( 100 calorias)  ou 1 copo de suco de uva integral (100 ml) (65 calorias)
 
Depois de malhar:
Energéticos (carboidrato): 1 mini pão sírio (70 calorias) ou 1/2 xícara de granola (65 calorias) ou 2 colheres de sopa de farinha de banana verde ( 48 calorias).
 
Construtores (proteína): 4 colheres (sobremesa) atum conservado em água  (45 calorias) ou 1 pote pequeno de coalhada  ( 97 calorias) ou 1 iogurte desnatado (53 calorias).
 
Reguladores (vitaminas, minerais e fibras ): 1 colher  (sopa) cenoura (22 calorias) ou 1 pêssego ( 66 calorias)  ou  1 ameixa (46 calorias).
 
Para quem treina à noite
 
Antes de malhar:
Energéticos (carboidrato): ½ pão francês (75 calorias) ou 1 banana assada com canela (70 calorias) ou  2 colheres (sopa) musli (55 calorias).
 
Construtores (proteína): 1 polenguinho light (34 calorias) ou  1 leite fermentado (59 calorias) ou  iogurte de soja ( 91 calorias).
 
Depois de malhar:
Energéticos (carboidrato): 2 pegadores (sopa) de macarrão  de arroz bifum com molho de vegetais (brócolis) ( 100 calorias) ou 1 batata doce média ( 118 calorias) ou 3 colheres (sopa) salada de arroz integral com grãos (115 calorias).
 
Construtores (proteína): 4 colheres (sopa) picadinho de frango ( 168 calorias) ou  1 fatia média de carne assada ( 190 calorias) ou 1 omelete com queijo branco (150 calorias).
 
Reguladores (vitaminas, minerais e fibras): salada de alface, tomate e beterraba 1 prato de sobremesa (46 calorias) ou mix de legumes no vapor (couve-flor, brócolis) (52 calorias)   ou  salada de repolho roxo 3 colheres (sopa) (30 calorias).
 
R7

Cientistas afirmam que cigarros eletrônicos afetam o pulmão de forma semelhante ao tabaco

Cigarros eletrônicos podem causar câncer de pulmão.
Cigarros eletrônicos podem causar câncer de pulmão
Os cigarros eletrônicos, também chamados de e-cigarros, são usados como alternativa por fumantes para largarem seu vício. Mas um novo estudo tem dito que o processo não é dos mais favoráveis à saúde
 
Cientistas cultivaram células bronquiais em meio ao vapor do e-cigarro.
 
Eles descobriram que as mutações genéticas nelas foram semelhantes as ocorridas naquelas expostas à fumaça do tabaco.
 
Segundo o autor do estudo, Avrum Spira, os e-cigarros “podem ser mais seguros, mas não são benignos”. Isso significa que o item pode aumentar o risco de câncer de pulmão.
 
Os resultados das pesquisas foram apresentados na Associação Americana anual da Cancer Research, durante essa semana.
 
Os estudos ainda estão em fase inicial, vão se confirmando se os e-cigarros podem de fato aumentar o risco de câncer.
 
Gadoo

Uso de tablets e smartphones antes de dormir pode causar derrame, diz estudo

iSaude/Chaoss/Stock Photo
"Os jovens estão insones por causa das tecnologias",
diz pesquisador
Grupo de risco são jovens adultos que sofrem de insônia
 
Pessoas que sofrem de insônia são mais propensas a sofrer um derrame do que aqueles que dormem profundamente durante uma noite de sono, dizem pesquisadores.

A pesquisa foi feita com pessoas entre 18 e 24 anos, e a ligação entre a insônia e o derrame foi presente nesta faixa etária. As informações são do site Daily Mail.

O doutor Demetrius Lopes, neurocirurgião especialista no tratamento de derrames da Universidade de Chicago, disse que os jovens são particularmente vulneráveis a insônia, porque muitas vezes têm dificuldade em desligar os videogames, tablets e smartphones.
 
Esta constatação, com base na análise de registros de saúde de mais de 21 mil pessoas insones e 64 mil com sono regular em Taiwan, não prova que outros distúrbios do sono ocasionem derrames.

Em longo prazo, os derrames podem causar deficiências mais graves do que qualquer outra doença, de acordo com o Instituto Nacional de Saúde dos EUA.
 
O que chocou os especialistas é que o risco de derrame encontra-se mais presente em pessoas acima de 55 anos, e não em adultos jovens na faixa dos 20 anos.

Um dos pesquisadores disse que o estudo foi surpreendente e assustador.

— Precisamos “refinar” o nosso sono. Para dormirmos com qualidade, café à noite é totalmente prejudicial, e jogos e tablets devem ser evitados. Os jovens estão insones por causa das tecnologias. E quanto menos sono, mais chances de sofrer um derrame.

R7