Aplicativos, carreira, concursos, downloads, enfermagem, farmácia hospitalar, farmácia pública, história, humor, legislação, logística, medicina, novos medicamentos, novas tecnologias na área da saúde e muito mais!


domingo, 30 de agosto de 2015

Bancária encontra grãos de feijão em frasco de analgésico de R$ 200 no DF

Foto: Claudinei Santana /Reprodução
Frasco de remédio com grãos de feijão
Gerente de farmácia abriu 2º frasco do estoque e também encontrou feijão. Mulher foi reembolsada e registrou caso junto à Anvisa e Ministério Público
 
Uma bancária do Distrito Federal diz ter encontrado caroços de feijão dentro de um frasco de analgésicos comprado em uma farmácia de Sobradinho no início desta semana. Após retornar ao estabelecimento para reclamar, o gerente do comércio abriu outro frasco que estava guardado no estoque e também encontrou grãos em seu interior. O G1 procurou o laboratório Zodiac mas não obteve retorno até a publicação desta reportagem.
 
“Minha esposa foi comprar um medicamento forte para a minha sogra, que estava com muitas dores. Quando foi para casa, percebeu que o lacre estava rompido e no lugar dos comprimidos haviam feijões. Grãos de feijão”, diz o marido dela, Claudinei Santana.
 
Ele diz que o gerente da farmácia se mostrou incrédulo em um primeiro momento. “Primeiro achou que era um golpe, que a gente estava tentando enganar ele, porque afinal, é um medicamento que não é barato, custa mais de R$ 200 o remédio com 30 comprimidos”, diz ele. “Eles abriram uma segunda caixa na farmácia que também estava com o lacre violado e também continha feijão. Então devolveram o dinheiro.”
 
O casal diz que abriu uma ocorrência junto à Anvisa, ao Ministério Público e ao laboratório importador responsável pelo medicamento, que não é fabricado no Brasil. Eles também pretendiam ir à Polícia Civil. “É uma situação extremamente complicada. A gente espera saber o que aconteceu, se é algo que veio do laboratório, da distribuidora”, diz Santana.
 
“Também acreditamos em tráfico de drogas, porque existem pessoas que são viciadas em analgésicos e não conseguem comprar legalmente, apenas no mercado negro”, diz. “A gente não tem como confirmar nada porque não há como provar. O que estamos pedindo é que a coisa seja investigada para que ninguém mais passe por isso.”
 
A bancária Eliana Sena publicou relato sobre o ocorrido nas redes sociais como um alerta à população. “Depois desta de hoje, aprendi e compartilho um alerta: ao comprar remédios caros, abram a embalagem e o pote dentro da farmácia, na frente do vendedor.”
 
G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário