Aplicativos, carreira, concursos, downloads, enfermagem, farmácia hospitalar, farmácia pública, história, humor, legislação, logística, medicina, novos medicamentos, novas tecnologias na área da saúde e muito mais!


segunda-feira, 19 de outubro de 2015

Carmen Miranda em Niterói

Reprodução
Hospital investe em campanha inédita e lúdica para conscientizar profissionais sobre o uso de adornos no ambiente assistencial
 
De acordo com a Norma Regulamentadora número 32 (NR32, de 11/11/2005), criada pelo Ministério do Trabalho e Emprego, que trata da proteção à segurança e à saúde dos profissionais de estabelecimentos de serviços de saúde, todos os colaboradores ligados à área assistencial são proibidos de usar adornos como alianças, anéis, pulseiras, relógios de uso pessoal, colares, brincos, broches, piercings expostos e crachás pendurados com cordão, entre outros itens.

Para conscientizar os funcionários a não usarem esses enfeites durante o expediente, o setor de Saúde e Segurança do Trabalho (SST) e os Departamentos de Marketing e Recursos Humanos do CHN (Complexo Hospitalar de Niterói), em parceria com agência Fenícios Comunicação, desenvolveram uma ação chamada “Balangandãs, aqui não!”.
 
Para isso, contrataram a atriz Laise Leal que, caracterizada de Carmem Miranda, percorre todos os setores assistenciais do hospital para fazer performances e esclarecer os colaboradores sobre os riscos do uso de adornos para aqueles que manuseiam medicamentos, equipamentos, materiais hospitalares e têm contato com pacientes.
 
Paulo Márcio Machado da Conceição, técnico de segurança do trabalho do CHN, explica que, em locais onde existe a possibilidade de exposição a agentes biológicos, ou seja, enfermarias, centros cirúrgicos, CTIs e toda a área assistencial, o funcionário fica exposto. “Os adornos podem reter fluidos que contaminam o profissional e se disseminam, contaminando outras pessoas, inclusive seus familiares”, enfatiza o técnico. Além dos riscos para a saúde, o não cumprimento da NR 32 incide em multa ao estabelecimento de saúde.
 
Durante a ação, a atriz se aproxima das equipes dançando, mostrando seus “balangandãs” com trejeitos típicos da inesquecível Carmem Miranda e canta, a capela, um jingle parodiado da música Tico-tico no fubá (de Zequinha de Abreu, 1952), imortalizado na voz da Pequena Notável: “Balangandãs aqui, balangandãs ali, balangandãs aqui, não!”.
 
De acordo com a gerente de Marketing do CHN, a médica Ana Dantas, o lúdico e a brincadeira são ótimas ferramentas para cativar e ganhar a adesão dos colaboradores. “A rotina dos profissionais de saúde já é muito estressante por si só. Por isso, optar pelo bom humor para transmitir mensagens e regras do cotidiano é uma forma estratégica de ganhar aderência nas campanhas”, explica a gerente.
 
A médica finaliza contando que a campanha está fazendo um grande sucesso e sendo muito bem recebida pelas equipes. “O serviço de Recursos Humanos também distribuiu nécessaires para os funcionários. Assim, eles podem guardar seus adornos nos vestiários, antes de entrar na área assistencial.”
 
Rachel Lopes
Assessoria de Imprensa

Nenhum comentário:

Postar um comentário