Aplicativos, carreira, concursos, downloads, enfermagem, farmácia hospitalar, farmácia pública, história, humor, legislação, logística, medicina, novos medicamentos, novas tecnologias na área da saúde e muito mais!


sexta-feira, 12 de agosto de 2016

Médica brasileira é convidada para ministrar palestra em congresso na China

Foto: Reprodução
Trabalho sobre causas raras do hipopituitarismo estará no 17o Congresso Internacional de Endocrinologia, em Pequim

A endocrinologista Paula Bruna Araújo, integrante do corpo clínico do laboratório Sérgio Franco, foi convidada para ministrar uma palestra intitulada Causas Raras de Hipofisite: Ipilimumab, Drogas e Picada de Cobra em um dos eventos mais importantes de sua área no mundo: oInternational Congress of Endocrinology (ICE). Nessa aula, a doutora também apresentará dados de seu estudo intitulado Ipilimumab­induced Hypophysitis – Review of the Literature (em português, Hipofisite Induzida por Ipilimumab – Revisão da Literatura). O estudo trata de uma causa rara de hipopituitarismo, doença causada pela diminuição da quantidade de um ou mais hormônios produzidos pela glândula hipófise – que comanda o funcionamento de várias outras glândulas importantes do organismo.

Realizado a cada dois anos, o evento, em sua 17a edição, será sediado em Pequim, na China, entre os dias 31 de agosto e 4 de setembro, e espera contar com a presença de mais de 10 mil médicos de 70 nacionalidades. Durante o evento, a médica abordará um caso de hipofisite – inflamação da glândula hipófise – causado pelo uso do medicamento Ipilimumab, utilizado em tratamentos oncológicos.

“Acompanhamos um paciente que possuía um tipo grave de câncer de pele, chamado de melanoma metastático, e foi constatado que ele desenvolveu a hipofisite após o uso do medicamento Ipilimumab, largamente utilizado no tratamento desse tipo de câncer. Esse caso nos motivou a fazer uma revisão da literatura médica sobre o tema, que é importante para caracterizar melhor a doença e alertar os médicos que utilizam o medicamento. Isso possibilita o diagnóstico precoce e o tratamento adequado da patologia”, explica a dra. Paula Bruna Araújo.

Em seu estudo, que demorou em torno de seis meses para ser finalizado, a médica percebeu que esse medicamento pode causar hipofisite em até 17% dos pacientes de câncer tratados com ele, sendo os homens com idade avançada o grupo com maior risco de desenvolver a patologia. O trabalho, apresentado anteriormente em 2014 no evento Pituitary Expert, em Viena, também foi publicado no periódico Journal of Endocrinological Investigation, uma das publicações mais relevantes da área médica, em novembro de 2015.

Paula Borges 
Assessoria de Imprensa
paula@saudeempauta.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário