Aplicativos, carreira, concursos, downloads, enfermagem, farmácia hospitalar, farmácia pública, história, humor, legislação, logística, medicina, novos medicamentos, novas tecnologias na área da saúde e muito mais!


segunda-feira, 21 de novembro de 2016

Falso médico é preso após morte de mulher levada em ambulância no ABC

Ela teve complicações após cirurgia e precisou ser levada a outro hospital. Paciente foi assistida na ambulância por homem que não tem CRM

Ambulância que levava o falso médico junto com a paciente que veio a morrer (Foto: Glauco Araújo/G1)
Ambulância que levava o falso médico junto com a paciente que veio a morrer (Foto: Glauco Araújo/G1)

Um homem foi preso em flagrante na madrugada deste domingo (20) em Santo André, no ABC paulista, sob a acusação de atuar como falso médico. Ele trabalha em uma empresa de remoção de pacientes e participou do transporte por ambulância de uma mulher que tinha acabado de dar à luz gêmeos em uma maternidade em São Bernardo do Campo para outra unidade, em Santo André. A mulher morreu em seguida. A polícia investiga se a morte da paciente teria relação com alguma atuação dele no atendimento na ambulância. Os recém-nascidos passam bem.

Segundo a polícia, o Graziane Soares Pereira, de 33 anos, se apresentava com o nome de Rafael e usava carimbos com o CRM com esse nome em seus prontuários. Ele teria se formado médico na Bolívia mas não tem o diploma revalidado no Brasil. Seu nome não consta no registro do Conselho Regional de Medicina. Ainda de acordo com a polícia, ele trabalha na empresa Seguro Remoções.

Segundo colegas de Pereira ouvidos pelo G1, ele tem a formação em medicina e estava fazendo as provas do Revalida, para validar seu diploma no Brasil.

A mulher, Vanessa Batista Fortunato, de 29 anos, deu à luz na Maternidade Santa Helena, em São Bernardo de Campo. Ela teria tido complicações após o parto, quando precisou ser submetida a uma cirurgia de retirada do útero. Uma ambulância da empresa terceirizada foi chamada para fazer a remoção para o Hospital Santa Helena em Santo André.

Depois de sair da ambulância, a paciente passou mal e morreu. Uma médica do hospital desconfiou do homem e chamou a polícia. Pereira foi preso em flagrante.

O caso será desmembrado. O 1º DP de Santo André vai investigar o exercício ilegal da profissão. Já o 3º DP vai investigar a morte suspeita da paciente. Segundo a perícia, ela morreu em decorrência de hemorragia interna.

Segundo o delegado titular do 1º DP, José Rosa Incerpi, as fichas médicas da paciente serão requisitadas judicialmente durante o inquérito que vai apurar a morte. "Vamos desmembrar o caso em dois inquéritos. Um inquérito vai ser sobre o exercício ilegal da profissão e falsa identidade, que por isso ele está preso em flagrante, e o caso será relatado por nós."

O G1 ligou para o telefone que aparece na ambulância que removeu a paciente e a ligação caiu em uma residência. O advogado e o motorista da empresa de ambulâncias foram chamado à delegacia.

Em nota, a assessoria do Santa Helena Saúde informou:

"Em relação ao caso da Sra. Vanessa Batista, o Santa Helena Saúde informa que a paciente foi internada na Maternidade Santa Helena, em São Bernardo do Campo, no dia 15/11, com um quadro de hipertensão gestacional. Na instituição, a paciente recebeu toda a assistência adequada ao seu quadro clínico e à saúde dos seus bebês. No dia 17/11, foi realizado o parto de um menino e uma menina em perfeitas condições de saúde. Entretanto, no dia 19/11, a Sra. Vanessa apresentou complicações decorrentes de hemorragia e foi submetida à histerectomia, conforme adequação às circunstâncias médicas da paciente.

Após nova avaliação clínica, verificou-se a necessidade de transferência da Sra. Vanessa para o Hospital Santa Helena, em Santo André, por possuir estrutura de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) com os recursos necessários ao seu caso. A paciente foi, então, levada à instituição, na qual chegou por volta das 21h20 com quadro clínico instável, vindo a falecer após cerca de 1h, por parada cardiorrespiratória.

A transferência entre as unidades foi realizada por um dos prestadores credenciados à operadora de saúde para esse serviço. Entretanto, na chegada ao hospital, a médica responsável pela emergência do Hospital Santa Helena, ao receber a paciente, não recebeu a confirmação da identificação técnica do profissional que estava na ambulância como responsável médico. Depois de reiterados questionamentos, a unidade acionou a autoridade policial, que está investigando o caso. O Santa Helena Saúde ressalta que está dando todo o suporte necessário aos familiares da paciente e que está colaborando com as autoridades públicas para esclarecer a situação."

G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário