Aplicativos, carreira, concursos, downloads, enfermagem, farmácia hospitalar, farmácia pública, história, humor, legislação, logística, medicina, novos medicamentos, novas tecnologias na área da saúde e muito mais!


quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

Saúde do Homem: Doenças que afetam os testículos precisam de atenção

O Blog da Saúde, site do governo, recebeu dúvidas dos internautas sobre algumas doenças que afetam a saúde dos homens. Para responder às principais dúvidas, o chefe do setor de Urologia do Hospital Federal do Andaraí (RJ), Pedro Augusto Reis, esclarece as informações sobre as doenças Orquite, Hidrocele, Varicocele e Epididimite

Orquite
Blog da Saúde: O que é a orquite? E como ela inflamação ocorre?
Pedro Augusto Reis:É uma inflamação nos testículos provocada por bactérias ou por vírus. As causas mais comuns são as infecções bacterianas. Quando se fala de orquite bacteriana, estamos falando de doença que acontece secundariamente a uma infecção urinária, pois essa bactéria pode descer e encontrar o testículo, causando uma infecção.

A segunda situação que também pode ocorrer em relação à orquite são as Infecçõess Sexualmente Transmissíveis (IST). Algumas bactérias como a da clamídia, que produz uma infecção na uretra, também podem atingir o testículo e produzir uma orquite.

Por fim, também são muito frequentes as infecções virais. A caxumba, por exemplo, também pode circular pela corrente sanguínea, atingir o testículo e produzir uma orquite.

Blog da Saúde: Quais são os sintomas?
Pedro Augusto Reis: Tanto a infecção viral como a bacteriana, vai apresentar uma dor muito forte na região dos testículos, no lado direito ou esquerdo, ou até mesmo dos dois lados. Além da dor, um aumento no volume da região do testículo, ficando com um tom avermelhado. Eventualmente pode aparecer febre.

Blog da Saúde: É possível evitar? Quais cuidados os homens devem tomar?
Pedro Augusto Reis: Nós reduzimos a incidência de orquite quando o homem diminui o risco de contaminação com bactérias. Os vírus são mais difíceis de se prevenir. Homens que possuem problemas de próstata, que urinam com dificuldade e não conseguem esvaziar plenamente a bexiga, ficam com resíduo acumulado e muitas vezes se torna um foco de bactérias. O tratamento da próstata e a ida ao urologista ajudam a diminuir a incidência de orquite.

Ficar atento à prevenção das IST, e o uso de preservativo nas relações sexuais, principalmente os mais jovens, é outra maneira de prevenir.

Quando você reduz o risco de contrair uma IST, você acaba reduzindo a probabilidade de uma orquite provocada por elas.

Homens com cálculos de bexiga também podem aumentar o risco de infecção urinária, e orquite. Portanto, a identificação precoce desses problemas, principalmente na próstata, e o tratamento deles, costuma reduzir a incidência da orquite.

Blog da Saúde: Como é feito o tratamento?
Pedro Augusto Reis: No caso de infecções bacterianas, o tratamento é basicamente reduzir os sintomas de dor com analgésicos, anti-inflamatórios, antibióticos, e fazer o uso do suporte de saco escrotal, uma espécie de cueca que faz compressão e que eleva o testículo para evitar desconforto no local e reduzir o inchaço.

Se a gente suspeita de uma infecção bacteriana comum, não causada por IST, tratamos com os antibióticos apropriados para as bactérias que provocam infecções urinarias e que podem provocar orquite.

No caso da IST, acontece da mesma maneira. Identifica-se qual é o tipo de bactéria que está provocando e o antibiótico apropriado para isso.

Normalmente os resultados são muito bons, e em torno de uma semana os homens se sentem muito melhores e estão praticamente curados.

Repouso e ingestão de muito líquido durante o tratamento é muito importante.

Blog da Saúde: Quais são os riscos de não tratar a orquite?
Pedro Augusto Reis: Normalmente, os pacientes não aguentam ficar muito tempo sem o tratamento, pois é uma condição muito dolorosa. O principal risco da orquite bacterianas é a possibilidade de atrofia do testículo, de redução do volume do testículo, formação de abcessos, pus dentro do saco escrotal, além da possibilidade da infecção se generalizar e sair do testículo, atingindo a corrente sanguínea. No caso dos abcessos, pode ser necessário realizar cirurgias, inclusive de drenagem da bolsa escrotal para tirar o pus. Em casos mais raros até retirar o testículo. As orquites causadas por vírus, como o da caxumba, acometem os dois testículos e o risco de infertilidade é maior se o tratamento não for feito de imediato.

Epididimite Blog da Saúde: O que é a epididimite? E como ela ocorre?
Pedro Augusto Reis: É a inflamação do órgão que fica por cima e por trás do testículo, que é o epidídimo. Os testículos produzem os espermatozoides e, depois que eles são produzidos, são lançados no epidídimo. É muito comum que esse órgão se inflame na mesma situação da orquite. Existe a orquite isolada, mas é muito comum encontrar a orquiepididimite, que é a inflamação dos dois órgãos simultaneamente, porque estão muito próximos. As mesmas situações de contaminação da orquite se enquadram para a epididimite.

Blog da Saúde: Os sintomas também são iguais?
Pedro Augusto Reis: A diferença é que a Epididimite acompanha febre alta junto com a dor e aumento do testículo, enquanto a Orquite pode dar febre ou não.

Hidrocele
Blog da Saúde: O que é a Hidrocele? Quais os sintomas mais comuns?
Pedro Augusto Reis: É um acúmulo excessivo de líquido ceroso, parecido com um soro, entre a membrana que envolve o testículo. Da uma sensação de peso, de desconforto. A parte estética para o homem começa a se tornar um problema, porque até mesmo caminhar fica difícil, por conta do aumento da bolsa escrotal. O homem quer ir para a praia, piscina, colocar uma sunga e fica desconfortável.

Blog da Saúde: Como ela acontece?
Pedro Augusto Reis: Existe uma camada chamada de túnica vaginal que envolve os testículos do homem. Essa camada de tecido tem um pouco de líquido que permite que o testículo tenha movimento dentro do saco escrotal e atua como uma espécie de lubrificante. Quando esse líquido começa a acumular em excesso, a hidrocele acontece. De modo geral, as hidroceles mais comuns não provocam dor e não são infecciosas. É somente um acumulo de líquido.

Elas podem ser provocadas como uma consequência da orquite também. O homem pode desenvolver uma hidrocele porque no processo de inflamação do testículo, esses tecidos inflamados podem produzir muito liquido como consequência da inflamação.

Blog da Saúde: E como é possível tratar?
Pedro Augusto Reis: O tratamento é cirúrgico. Quando a hidrocele aparece, ela fica estabilizada e isso incomoda o homem. Em outros casos, a gente pode fazer o tratamento aspirando por fora, com uma espécie de agulha. Mas de modo geral, se está incomodando, o tratamento não é feito com medicamentos, é cirúrgico, ou com técnica de aspiração.

Blog da Saúde: E se não for feito o tratamento? Quais são os riscos?
Pedro Augusto Reis: No caso da hidrocele não existe maior gravidade. Ela é basicamente um desconforto local e estético. Não aumenta risco de câncer e infertilidade, nem nada disso. A não ser quando vem acompanhado de Orquite, claro.

É importante lembrar também que em alguns casos mais raros a Hidrocele pode vir como consequência de um câncer de testículo. Por isso é sempre importante, quem está com a bolsa escrotal aumentada, com acumulo de líquido, fazer uma ultrassonografia com o urologista, porque isso vai identificar não só o liquido, mas também quais as condições do testículo.

Varicocele
Blog da Saúde: O que são as Varicoceles? E como elas ocorrem?
Pedro Augusto Reis: São varizes. Veias dilatadas dentro da bolsa escrotal. O testículo, para sobreviver, como qualquer órgão, possui artérias que levam o sangue até ele para nutrir e oxigenar. Existem veias que removem aquele sangue que já foi metabolizado pelos testículos, para devolver à corrente sanguínea. E essas veias que a gente chama de veias gonadais, tanto do lado esquerdo, quanto do lado direito da bolsa escrotal, se parecem com um rio. São várias veias que vão se unindo umas às outras, e subindo em direção a virilha. Na varicocele essas veias não são normais, elas ficam dilatadas, e com o volume aumentado.

Blog da Saúde: E como é possível identificar uma Varicocele?
Pedro Augusto Reis: As veias presentes nos testículos podem produzir essas dilatações de varizes, assim como nas pernas. Dependendo do grau de varicocele, o homem pode perceber que o testículo fica um pouco mais baixo, além da sensação como se existissem “bichos” no local. Algumas vezes provocam dor, e elas são muito mais comuns nos testículos do lado esquerdo, pois a drenagem das veias é diferente do lado direito. Dor no testículo esquerdo e veias dilatadas geralmente são sinais de varicocele.

Blog da Saúde: A varicocele pode causar algum agravamento?
Pedro Augusto Reis: O principal problema é que a maior causa de infertilidade, quando a gente consegue diagnosticar a causa, é a varicocele. A dor é algo fácil de manusear, basta evitar algum esforço físico, tomar um analgésico, e é passageira. Mas a chance de alguns homens acabarem inférteis é grande. É importante ressaltar que grande parte dos homens que estão inférteis tem varicocele. Entretanto, isso não significa que os homens que têm varicocele vão ser inférteis.

Blog da Saúde: E qual o tratamento?
Pedro Augusto Reis: O tratamento é cirúrgico e só é feito, na imensa maioria das vezes, quando existe uma varicocele que produz infertilidade. Isso a gente identifica em casais que estão tendo dificuldades para ter filhos e quando o homem faz o espermograma. Normalmente, são dois exames para avaliar a qualidade do esperma. Se o exame mostrar que o homem está com sub-fertilidade ou infertilidade e ele tem varicocele, a cirurgia é indicada.

Depois de seis meses os pacientes voltam a fazer o espermograma e cerca de 70% a 80% dos pacientes vão melhorar e voltar a ter níveis de produção de espermatozoides.

Cuidados gerais
Blog da Saúde: Como os homens podem evitar contrair estas doenças que afetam os testículos? Pedro Augusto Reis: Os cuidados com os testículos, com a bolsa escrotal, vão se basear em algumas questões. É importante a gente evitar roupas apertadas, muito quentes e abafadas.

Os testículos preferem uma temperatura mais baixa para ter um funcionamento mais adequado, e produzir não só os espermatozoides, mas também o hormônio testosterona.

O autoexame, principalmente entre os jovens, é importante. Basta apalpar os testículos durante o banho sem muita força para avaliar se apresenta alguma irregularidade. E por fim, a visita regular ao urologista caso identifique alguma alteração.

Aline Czezacki, para o Blog da Saúde

Nenhum comentário:

Postar um comentário