Aplicativos, carreira, concursos, downloads, enfermagem, farmácia hospitalar, farmácia pública, história, humor, legislação, logística, medicina, novos medicamentos, novas tecnologias na área da saúde e muito mais!


terça-feira, 23 de maio de 2017

Compostos presentes em plantas comuns como dente-de-leão paralisam espermatozoide 'nocauteando' molécula-chave que regula movimento de sua cauda

Um estudo da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, sugere que dois compostos normalmente encontrados em plantas selvagens poderiam ser usados como contraceptivos alternativos

Cientistas buscam desenvolver contraceptivo masculino que paralisa espermatozoide; compostos agiriam como 'camisinhas moleculares' (Foto:  CDC/ National Center for Emerging and Zoonotic Infectious Diseases (NCEZID))
Cientistas buscam desenvolver contraceptivo masculino que paralisa espermatozoide; compostos agiriam como 'camisinhas moleculares' (Foto: CDC/ National Center for Emerging and Zoonotic Infectious Diseases (NCEZID))

As substâncias, encontradas na raiz de dente-de-leão e na planta conhecida como "videira trovão de Deus", já vinham sendo usadas pela medicina tradicional. Agora, cientistas americanos afirmam que elas também podem bloquear a fertilidade - e levar a uma nova abordagem na busca por anticoncepcionais masculinos.

Apesar da descoberta, o estudo diz que os níveis dos compostos químicos pristimerina e lupeol são tão baixos nas plantas que o custo da extração seria muito alto.

Nos testes, esses compostos impediram que espermatozoides movimentassem sua cauda (ou flagelo) para impulsioná-los pelo aparelho reprodutor feminino - conseguindo, assim, barrar o processo de fertilização.

Segundo o estudo, publicado na revista científica "Proceedings of the National Academy of Sciences", esses compostos agiriam como "camisinhas moleculares".

Em outras palavras, eles foram eficazes no bloqueio da progesterona, que impulsiona a "natação" vigorosa dos espermatozoides, sem danificá-los.

"Não acaba com a mobilidade basal e não intoxica os espermatozoides, que ainda conseguem se mover. Mas eles não conseguem desenvolver esse fluxo tão vigoroso porque todo o caminho de ativação é desligado", afirmou Polina Lishko, professora-assistente de biologia molecular e celular da Universidade da Califórnia em Berkeley.

Contraceptivos masculinos sem efeitos colaterais
O lupeol é encontrado em plantas como manga e aloe vera (babosa) e na raiz de dente-de-leão, enquanto a pristimerina vem da planta conhecida como "videira trovão de Deus", ou tripterygium wilfordii, usada na medicina tradicional chinesa.

Os pesquisadores descobriram que esses químicos funcionam em doses baixas e não têm efeitos colaterais, diferentemente de outros contraceptivos produzidos a partir de hormônios.

Por isso, o estudo conclui que os compostos poderiam potencialmente ser usados na produção de contraceptivos de emergência, antes ou depois da relação sexual, ou como um contraceptivo permanente via adesivo de pele ou anel vaginal.

G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário