Aplicativos, carreira, concursos, downloads, enfermagem, farmácia hospitalar, farmácia pública, história, humor, legislação, logística, medicina, novos medicamentos, novas tecnologias na área da saúde e muito mais!


domingo, 2 de junho de 2013

Tratar genes do câncer de pulmão melhora prognóstico, afirma estudo

Apenas 5% dos pacientes com o câncer de pulmão mais comum possuem
 o gene ALK modificado, mas o Crizotinib poderia ajudar cerca de 5 mil
 pacientes por ano nos Estados Unidos
Pacientes que recebem medicamento vivem mais e apresentam menos efeitos colaterais
 
Os pacientes com câncer de pulmão que recebem um medicamento que atua contra uma disfunção genética vivem mais e apresentam efeitos colaterais menores do que aqueles submetidos à quimioterapia tradicional, revela um estudo divulgado neste sábado.
 
Pesquisadores descobriram que os pacientes com alterações no gene ALK que receberam o medicamento Crizotinib, do laboratório Pfizer, ficaram livres do câncer por cerca de cinco meses mais.

"Este estudo mostra o valor de se examinar o tecido do pulmão com câncer, para determinar uma alteração do gene ALK, e assinala o potencial da genética do câncer para encontrar tratamentos para cada paciente", explicou Pasi Janne, do instituto do câncer Dana-Farber, de Harvard, um dos autores do estudo. "O ALK se tornou o segundo gene alterado que pudemos tratar com medicamentos diferentes da quimioterapia", assinalou.

Apenas 5% dos pacientes com o câncer de pulmão mais comum possuem o gene ALK modificado, mas o Crizotinib poderia ajudar cerca de 5 mil pacientes por ano nos Estados Unidos.
 
Uma fase avançada do estudo, envolvendo 347 pacientes com células de câncer de pulmão, mostrou que aqueles que receberam o medicamento tiveram 7,7 meses antes de que a doença se agravasse, enquanto este tempo foi de 3 meses para aqueles que se submeteram à quimioterapia

Fonte Correio Braziliense

Nenhum comentário:

Postar um comentário