Aplicativos, carreira, concursos, downloads, enfermagem, farmácia hospitalar, farmácia pública, história, humor, legislação, logística, medicina, novos medicamentos, novas tecnologias na área da saúde e muito mais!


segunda-feira, 14 de setembro de 2015

Entidades médicas publicam carta sobre a vacina contra o HPV

carta HPVPara alertar os pais e responsáveis sobre a importância da vacina contra o HPV na prevenção do câncer do colo do útero a Sociedade Brasileira de Imunizações, a Sociedade Brasileira de Infectologia, a Sociedade Brasileira de Pediatria e a Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia publicaram uma carta aberta à população incentivando a vacinação das meninas de 9 a 13 anos
 
CARTA ABERTA À POPULAÇÃO
A Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm), a Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI), a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) e a Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (FEBRASGO), considerando:
 
que a cada ano, cerca de cinco mil mulheres brasileiras morrem de câncer do colo do útero;
 
que são registrados cerca de 15 mil novos casos anuais da doença, segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca);
 
que o câncer do colo do útero é o terceiro tipo mais comum entre as mulheres brasileiras;
 
que cerca de 100% dos casos da doença são causados pelo Papilomavírus Humano (HPV);
 
que dentre os HPVs de alto risco oncogênico, os tipos 16 e 18 estão presentes em cerca de 70% dos casos de câncer do colo do útero;
 
que a infecção por HPV pode ser prevenida por meio de vacina segura e eficaz;
 
Orientam aos pais que não deixem de levar suas filhas com idade entre 9 e 13 anos às unidades básicas de saúde para tomar a primeira ou a segunda dose da vacina, com o objetivo de completar o esquema de vacinação ̶ procedimento essencial para o desenvolvimento adequado dos anticorpos que irão proteger contra os tipos de HPV 6, 11, 16 e 18.
 
As entidades aqui representadas esperam que este documento, que apresenta os principais pontos e evidências científicas sobre a ocorrência da doença e a eficácia e segurança da vacina, possa contribuir para que os pais, cientes do seu papel de proteção dos filhos, façam a escolha pela prevenção, medida necessária para evitar milhares de infecções e perdas irreparáveis.
 
Dra. Isabella Ballalai Presidente Presidente Sociedade Brasileira de Imunizações
Dr. Érico Arruda Presidente Sociedade Brasileira de Infectologia
Dr. Eduardo da Silva Vaz Dr. Etelvino de Souza Trindade Presidente Sociedade Brasileira de Pediatria
Dr. Etelvino de Souza Trindade Presidente Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia
 
 
Fonte: Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm), a Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI), a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) e a Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (FEBRASGO)

Nenhum comentário:

Postar um comentário